Page 1

ARNO ALOÍSIO GOETTEMS • ANTONIO LUÍS JOIA

volume único

LEITURAS E INTERAÇÃO

Esta obra aborda temas da Geografia do Brasil e do mundo, que permitem compreender as sociedades atuais, suas mudanças ao longo da História e suas relações com a natureza. Nela também são analisadas as interações entre culturas e povos diversos e as dinâmicas político-econômicas e territoriais que marcaram a construção do espaço geográfico do Brasil e do mundo. O conteúdo está organizado em três partes: • Parte 1 – Ambiente e sociedade; • Parte 2 – Brasil no mundo globalizado; • Parte 3 – Geopolítica e economia mundial. A obra traz também um caderno de Leituras Complementares, um caderno de Atividades Complementares e um Atlas Geográfico. Além disso, você tem acesso a uma plataforma inteligente que integra livro multimídia, imagens, animações, testes interativos e muitos outros recursos digitais, tudo para que seu aprendizado se torne mais dinâmico e prazeroso.

ATLAS GEOGRÁFICO

ISBN 978-85-451-0421-6

LEITURAS E INTERAÇÃO M17_EM_GEO_ATLAS_capa.indd 1

8/26/16 3:15 PM


volume único

ATLAS GEOGRÁFICO » ARNO ALOÍSIO GOETTEMS Bacharel e licenciado em Geografia pela Universidade de São Paulo Mestre em Geografia Humana pela Universidade de São Paulo Professor de Geografia na rede particular de São Paulo

» ANTONIO LUÍS JOIA

LEITURAS E INTERAÇÃO

Bacharel e licenciado em Geografia pela Universidade de São Paulo Professor de Geografia no Ensino Fundamental e no Ensino Médio nas redes pública e particular do Estado de São Paulo Professor da rede municipal de São Paulo


Geografia: leituras e interação – Atlas geográfico © 2016 Leya

Direção editorial Mônica Vendramin Coordenação editorial Camila Carletto Ebe Christina Spadaccini Edição Cassia Yuka de Andrade Tamura Mariangela Secco Coordenação de produção Nadiane Oliveira Edição de arte e capa Thais Pedroso Imagem de capa: Cristobal Saavedra/ Reuters/ Latinstock Coordenação de iconografia Jaime Toshio Yamane

Título original da obra: Geografia: leituras e interação – Atlas geográfico

Todos os direitos reservados: Leya Av. Angélica, 2318 – 11o andar – Consolação CEP 01228-200 – São Paulo – SP – Brasil Fone: 0800 607 7700 www.leya.com.br leyaeducacao@leya.com

ISBN 978-85-451-0421-6

Impressão e acabamento

Iconografia Paula Dias Ilustrações Arthur Kenji Cibele Queiroz Eduardo Borges Paulo César Pereira Samuel Silva Gráficos Editoria de arte Mapas Allmaps Gerência de revisão Miriam de Carvalho Abões Assistência de coordenação de revisão Cláudia Renata Costa Colognori Revisão Solange de Almeida Francisco

Dados Internacionais de Catalogação na Publicação (CIP) Ficha elaborada por: Tereza Cristina Barros - CRB-8/7410

Dados Internacionais de Catalogação na Publicação (CIP) Dados Internacionais de Catalogação na Publicação (CIP) Ficha Ficha elaborada por: Tereza Cristina BarrosBarros – CRB-8/7410 elaborada por: Tereza Cristina - CRB-8/7410 Goettems, Arno Aloísio

Geografia, leituras e interação : volume único : Goettems, atlas Arno Aloísio geográfico / Arno Aloísio Goettems, Antonio Geografia, interação : volume : 2016. Luísleituras Joia. --e 1. ed. -- São Paulo único : Leya, atlas geográfico / Arno Aloísio Goettems, Antonio Luís Joia. -- 1. ed. -- São Paulo : Leya, 2016. ISBN 978-85-451-0421-6 ISBN 978-85-451-0421-6

1. Atlas. I. Joia, Antonio Luís. II. Título. 1. Atlas. I. Joia, Antonio Luís. II. Título.

03.08/064-2016 03.08/064-2016

CDD- 912

CDD- 912 Índices para catálogo sistemático:

Índicepara paracatálogo catálogosistemático: sistemático: Índices 1. Atlas : Geografia 1. Atlas : Geografia

912

912


APRESENTAÇÃO Este Atlas geográfico, parte integrante da obra Geografia: leituras e interação, traz uma variedade de representações do espaço geográfico, como mapas, esquemas, gráficos, fotografias e imagens de satélite, acompanhadas de legendas e informações que orientam a leitura das diferentes realidades do passado e do presente. Neste Atlas geográfico, as diversas representações estão organizadas em quatro eixos temáticos: • Astronomia e cartografia; • Características naturais e socioambientais do Brasil e do mundo; • População: aspectos demográficos e socioeconômicos; • Geopolítica e economia mundial e do Brasil. Por meio desse conjunto de representações – organizado para servir de apoio e consulta durante seus estudos no Ensino Médio –, você poderá desenvolver diferentes formas de leitura e compreensão do espaço a sua volta e do mundo, aguçando seu olhar sobre a realidade e ampliando seu conhecimento. Os autores


SUMÁRIO ASTRONOMIA E CARTOGRAFIA, 6 Sistema heliocêntrico, 6 Planisfério: fusos horários civis, 7 Brasil: fusos horários, 7 Terra: movimento de translação, 8 Solstícios, 8 Rotação da Lua sincronizada com a translação, 9 Plano de órbita terrestre e plano de órbita lunar, 9 As fases da Lua observadas do Hemisfério Sul, 9 Planisfério: projeção cilíndrica, 10 Planisfério: projeção cônica de Lambert, 10 Planisfério: projeção plana ou azimutal, 10 Carta topográfica: Pão de Açúcar e Morro da Urca, Rio de Janeiro (RJ), 11 Satélite com sensor passivo e com sensor ativo, 12 Imagem de satélite: região metropolitana de São Paulo, 12 Imagem de satélite: Belém (PA) e foz do Rio Amazonas, 12

CARACTERÍSTICAS NATURAIS E SOCIOAMBIENTAIS DO BRASIL E DO MUNDO, 13 Brasil: divisão política, 13 Brasil: formação dos estados, 14 Brasil: regiões geoeconômicas, 15 Brasil: regionalização proposta por Milton Santos, 15 Planisfério: divisão política, 16 Planisfério: placas tectônicas, 18 Brasil: físico, 19 Relevo do Brasil: classificação de Jurandyr Ross, 20 Perfil topográfico norte-sul da região Amazônica, 20 Perfil topográfico leste-oeste da região Nordeste, 21 Perfil topográfico leste-oeste das regiões Centro-Oeste e Sudeste, 21 Planisfério: aquíferos, 22 Brasil: bacias hidrográficas e principais rios, 23 Planisfério: acesso à água potável, 24 Distribuição de água no planeta Terra, 24 Uso da água no mundo, 24 Planisfério: climas e correntes marítimas, 25

Planisfério: Zonas Climáticas, 26 Brasil: tipos de clima, 27 Planisfério: biomas do mundo, 28 Planisfério: riscos e catástrofes naturais, 29 Brasil: biomas, 30 Brasil: domínios morfoclimáticos, 31 Planisfério: perda da cobertura florestal, 32 Brasil: Unidades de Conservação por bioma, 33 Brasil: Terras Indígenas, 34 Planisfério: emissões de dióxido de carbono, 35 Planisfério: dez anos do Protocolo de Kyoto, 36 Planisfério: população com acesso a serviços essenciais de saneamento básico, 37 Brasil: tratamento de esgoto, 38 Brasil: consumo final de energia por setor, 38 Planisfério: principais acidentes ambientais, 39

POPULAÇÃO: ASPECTOS DEMOGRÁFICOS E SOCIOECONÔMICOS, 40 Brasil: densidade demográfica, 40 Brasil: pirâmide etária, 40 Brasil: população, 40 Planisfério: densidade demográfica e total de habitantes nas grandes áreas urbanas, 41 Planisfério: esperança de vida e mortalidade infantil, 42 Brasil: rendimento médio mensal domiciliar per capita, 43 Brasil: trabalho infantil de 5 a 13 anos de idade, 43 Brasil: taxa de escolarização ou frequência escolar bruta, 43 Brasil: pessoas de 25 a 34 anos de idade com Ensino Superior completo, 43 Planisfério: Índice de Desigualdade de Gênero – IDG, 44 Desigualdades de gênero na educação primária e secundária por regiões do mundo, 44 Planisfério: Índice de Desenvolvimento Humano, 45 Planisfério: Índice de Desenvolvimento Humano Ajustado à Desigualdade – IDHAD, 46 Planisfério: Índice de Gini, 47 Planisfério: linha de extrema pobreza, 48


Brasil: trabalho escravo, 49 Brasil: conflitos por terra, 50 Brasil: número de família de trabalhadores rurais assentados pelo Incra, 50 Brasil: população rural e urbana, 50 Brasil: estrutura fundiária, 51 Brasil: fluxos de carga do transporte aéreo, 52 Brasil: deslocamentos para lazer, 53 Planisfério: viagens internacionais, 53 Planisfério: idiomas de grande difusão, 54 Mundo: línguas maternas mais faladas, 54 Planisfério: principais religiões, 55

GEOPOLÍTICA E ECONOMIA MUNDIAL E DO BRASIL, 56 Planisfério: estrutura da produção, 56 Planisfério: produção agropecuária, 58 Países com maiores áreas de agricultura orgânica, 58 Distribuição de terras para agricultura orgânica por região, 58 Planisfério: principais países que desenvolvem Organismos Geneticamente Modificados – OGM, 59 Transgênicos no mundo, 59 Superfícies OGM e não-OGM, 59 Planisfério: consumo de energia e emissões de CO2, 60 China: distribuição espacial da indústria, 61 China: relações estratégicas internacionais, 61 Índia: regiões industriais, 62 África do Sul: indústrias, 62 África do Sul: desemprego entre grupos sociais, 62 Estados Unidos: organização do espaço econômico, 63 Estados Unidos: uso da terra, 63

Planisfério: influência dos Estados Unidos, 64 Oriente Médio: conflitos, exploração de petróleo e intervenções estrangeiras, 65 Relações da África com transnacionais petrolíferas, 66 Planisfério: conflitos violentos, 67 América: conflitos violentos, 68 Planisfério: principais conflitos que envolvem fator religioso, 69 Planisfério: principais movimentos migratórios, 70 Refugiados e deslocados internamente, 70 União Europeia: fluxos migratórios internacionais, 71 Planisfério: populações de interesse do Acnur, 72 África: partilha entre potências europeias, 73 África: processo de descolonização, 73 África: limites étnicos antes da colonização europeia, 73 América do Sul: divisão política / Brasil: fronteira marítima, 74 Mercosul: países-membros e países associados, 75 Mercosul – dados gerais e socioeconômicos dos países-membros, 75 Mercosul – participação das exportações intrarregionais nas exportações totais, por país, 75 Brasil: PIB dos estados brasileiros, 76 Anamorfose: PIB dos estados brasileiros, 76 Planisfério: urbanização, 77 Planisfério: acesso à internet, 78 Brasil: domicílios com acesso à internet, 79 Brasil: velocidade de internet por município, 79

5


ASTRONOMIA E CARTOGRAFIA

ARTUR KENJI

Sistema heliocêntrico

Sol Mercúrio

Vênus

Urano

Marte

Detalhe da parte central do Sistema Solar

Terra

Netuno Saturno

Júpiter

Adaptado de: STEPHEN F. Austin State University. Department of Physics and Astronomy. Disponível em: <www.physics.sfasu.edu/astro/courses/ast105/Summary6_files/06-01.jpg>. Acesso em: 15 set. 2015.

6


ASTRONOMIA E CARTOGRAFIA

G2015_GEO1_C1_M01 Planisfério: fusos horários civis (2012) -12 -11 -10 -9

-8

-7

-6

-5

-4

-3

-2

-1 0

+1

+2

+3

+4

+5

+6 +7

+8 +9 +10 +11 +12

90°

Círculo Polar Ártico 60°

Reykjavik Moscou Is. Aleutas

Londres

Ottawa

Vancouver

Berlim

Is. Madeira

Cairo

Cabo Verde

Cidade do México

Equador

Dacar

Manila Adis Abeba

Nairóbi

Is. Maldivas

Jacarta

Luanda

Brasília

Lima

Is. Tonga

Hong Kong

Niamei

Bogotá

Is. Galápagos

Tóquio

30°

Nova Délhi

Riad

Is. Havaí

Seul

Beijing Teerã

Trípoli

Is. Canárias

Trópico de Câncer

Bucareste

Madri Argel

Washington

Los Angeles

Astana

Paris

Açores

Nova York

Is. Fiji

Trópico de Capricórnio Johannesburgo Santiago

Maputo

30°

Greenwich

Is. Pitcairn

Buenos Aires Is. Falkland (Malvinas)

Sydney Melbourne

60°

Círculo Polar Antártico

EM_GAJ1_C1_M01

180°

120°

Cidade

60°

60°

Horário fracionado em meia hora

Linha internacional de data Fuso horário

120°

180°

90°

Limite internacional 0

1920

3 840 km

ATLAS geográfico escolar. 6. ed. Rio de Janeiro: IBGE, 2012. p. 35.

Brasil: fusos horários (2013) 50° O

Arquipélago de São Pedro e São Paulo

RORAIMA AMAPÁ

Equador

AMAZONAS

Arquipélago de Fernando de Noronha

PARÁ

MARANHÃO

CEARÁ

PIAUÍ ACRE

PERNAMBUCO ALAGOAS SERGIPE

TOCANTINS RONDÔNIA

RIO GRANDE DO NORTE PARAÍBA

BAHIA

MATO GROSSO DISTRITO FEDERAL

OCEANO ATLÂNTICO

GOIÁS

OCEANO PACÍFICO Horário em relação ao meridiano de Greenwich – 2 horas – 3 horas (horário de Brasília) – 4 horas

MATO GROSSO DO SUL SÃO PAULO

MINAS GERAIS ESPÍRITO SANTO

Ilhas de Trindade e Martim Vaz

RIO DE JANEIRO

Tróp ico d e

PARANÁ

Cap ricó

SANTA CATARINA RIO GRANDE DO SUL

– 5 horas Limite internacional Limite estadual

0

435

870 km

r ni o

Nota:em 2013,houve o acréscimo do 4o fuso horário no Brasil,que abrange o estado do Acre e a parte oeste do estado do Amazonas. BRASIL. Ministério da Ciência e da Tecnologia. Observatório Nacional. Divisão do Serviço da Hora (DSHO). Disponível em: <http://pcdsh01.on.br/Fusbr.htm>. Acesso em: 8 out. 2015.

7


ASTRONOMIA E CARTOGRAFIA

Equinócio de 21 ou 22 de março. Início da primavera no Hemisfério Norte e do outono no Hemisfério Sul. Os polos Norte e Sul recebem luz solar.

Solstício de 21 de junho. Início do verão no Hemisfério Norte e do inverno no Hemisfério Sul. O Polo Sul não recebe luz solar.

EDUARDO BORGES

Terra: movimento de translação

Solstício de 21 de dezembro. Início do inverno no Hemisfério Norte e do verão no Hemisfério Sul. O Polo Norte não recebe luz solar. Equinócio de 22 ou 23 de setembro. Início do outono no Hemisfério Norte e da primavera no Hemisfério Sul. Os polos Norte e Sul recebem luz solar.

Adaptado de: ATLAS geográfico escolar. 6. ed. Rio de Janeiro: IBGE, 2012. p. 10.

Polo Norte

Polo Norte Círculo Polar Ártico Trópico de Câncer

Raios solares

Raios solares Círculo Polar Ártico

Equador Trópico de Capricórnio

Trópico de Câncer

Equador

Círculo Polar Antártico

Trópico de Capricórnio

Polo Sul Polo Sul

Círculo Polar Antártico

Elaborado com base em: UNIVERSIDADE Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Instituto de Física. Fundamentos de astronomia e astrofísica. Disponível em: <www.if.ufrgs.br/~riffel/fundamentos/notas_aula/FundamentosAeA_Aula3.pdf>. Acesso em: 8 out. 2015.

8

ILUSTRAÇÕES: ARTUR KENJI

Solstício de verão no Hemisfério Sul: 21 de dezembro

Solstício de verão no Hemisfério Norte: 21 de junho


ASTRONOMIA E CARTOGRAFIA

Plano de órbita terrestre e plano de órbita lunar Plano de órbita terrestre

Lua

Lua Terra

Terra

Elaborado com base em: UNIVERSIDADE Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Instituto de Física. Fases da Lua. Disponível em: <http://astro.if.ufrgs.br/lua/lua.htm>. Acesso em: 16 set. 2015.

Sol

Plano de órbita lunar

Elaborado com base em: UNIVERSIDADE de São Paulo. Centro de Divulgação de Astronomia. Disponível em: <http://cdcc.sc.usp.br/cda/producao/sbpc93/index.html#n014>. Acesso em: 16 set. 2015.

As fases da Lua observadas do Hemisfério Sul ARTUR KENJI

ILUSTRAÇÕES: EDUARDO BORGES

Rotação da Lua sincronizada com a translação

Lua Quarto Crescente Tem início cerca de sete dias e meio depois da fase da Lua Nova, quando Sol, Terra e Lua formam um ângulo de cerca de 90º. Nessa fase, a face lunar vista da Terra é iluminada pela metade, o que corresponde a um quarto de toda a superfície lunar: daí o termo Quarto Crescente. Nesse período, a Lua pode ser vista da Terra entre o meio-dia e a meia-noite.

Lua Cheia Essa fase começa cerca de quinze dias depois da Lua Nova, quando a face lunar voltada para a Terra está toda exposta aos raios solares e é possível observá-la toda iluminada. Por isso, recebe o nome de Lua Cheia. Nessa fase, a Lua pode ser vista entre as seis horas da tarde e as seis horas da manhã.

Raios solares TERRA

Face lunar que está oculta da Terra Face lunar que não está iluminada Face lunar que está iluminada Observador no Hemisfério Sul

Lua Nova Nessa fase, a face da Lua voltada para a Terra não está iluminada pelo Sol, por isso não reflete nenhuma luz. Só é possível observar o contorno da Lua, que recebe o reflexo da luz solar que atinge a Terra. Nessa fase, a Lua nasce por volta das seis horas da manhã e se põe às seis da tarde, mas a luz do Sol que atinge a Terra a ofusca, por isso não é possível vê-la claramente.

Lua Quarto Minguante Tem início cerca de vinte e um dias depois da Lua Nova, quando Sol, Terra e Lua formam um ângulo de cerca de 270º. Nessa fase, a face lunar vista da Terra é iluminada pela metade, o que corresponde a um quarto de toda a superfície lunar: daí o termo Quarto Minguante. Nesse período, a Lua pode ser vista entre o meio-dia e a meia-noite. Depois dessa fase, a face iluminada vai diminuir (minguar) até chegar à fase da Lua Nova, reiniciando o ciclo.

Sentido da órbita da Lua em torno da Terra VISTA DA TERRA

Elaborado com base em: UNIVERSIDADE Federal do Rio Grande do Sul. Instituto de Física. Disponível em: <www.if.ufrgs.br/cref/amees/lua.html>. Acesso em: 16 set. 2015.

9


ASTRONOMIA E CARTOGRAFIA G2015_GE01_C2_M09b G2015_GE01_C2_M09a Planisfério: projeção

cilíndrica

O globo é projetado sobre um cilindro tangente ao Equador.

0

Área de tangência (menor distorção)

G2015_GE01_C2_M13a

5 500

11000 km

Flexa na pagina

ÍSOLA, Leda; CALDINI, Vera. Atlas geográfico Saraiva. 3. ed. São Paulo: Saraiva, 2009. p. 25.

G2015_GE01_C2_M13b

Planisfério: projeção cônica de Lambert

Faixa de tangência (menor distorção)

015_GE01_C2_M14a

G2015_GE01_C2_M14b 0

5465

10930 km

ÍSOLA, Leda; CALDINI, Vera. Atlas geográfico Saraiva. 3. ed. São Paulo: Saraiva, 2009. p. 25.

Planisfério: projeção plana ou azimutal

G2015_GE01_C2_M14c

Ponto de tangência (menor distorção)

100° L

80° L

120° L

60° L

140° L

40° L

G2015_GE01_C2_M14d

160° L

20° L

180°

20° O

160° O

40° O

140° O 60° O

120° O 100° O

80° O

20° O

0

40° O

3 150

20° L

60° O

40° L

80° O

60° L

G2015_GE01_C2_M13b 100° O

80° L

100° L

120° O

120° L

140° O

Ponto de tangência (menor distorção)

10

6 300 km

140° L

160° O 180°

160° L

0

3 150

6 300 km

ÍSOLA, Leda; CALDINI, Vera. Atlas geográfico Saraiva. 3. ed. São Paulo: Saraiva, 2009. p. 25.


LUCIANA WHITAKER/ PULSAR IMAGENS

ASTRONOMIA E CARTOGRAFIA

Carta topográfica: Pão de Açúcar e Morro da Urca, Rio de Janeiro (RJ), 2012.

Maior declividade ou grande inclinação do relevo.

2004. BASE AEROFOTOGRAMETRIA

Menor declividade ou pouca inclinação do relevo.

G2015_GEO1_C2_I136

Praia Vermelha 50 0 10 150

150 200

250 300

50 100

Maior declividade ou grande inclinação do relevo.

350 Pão de Açúcar

0 20 Morro da Urca

Menor declividade ou pouca inclinação do relevo.

OCEANO ATLÂNTICO Praia de Fora

ENSEADA DE BOTAFOGO

URCA

50

Morro Cara

de

o Cã

Praia da Urca

0

295

590 m

11


ASTRONOMIA E CARTOGRAFIA Satélite com sensor passivo Sol

Satélite Energia solar refletida

Energia solar incidente

Atmosfera

Pastagens

Floresta

Rodovia

Rio

Satélite com sensor ativo Sol

Satélite

Elaborado com base em: IBGE Teen. Disponível em: <www.ibge. gov.br/ibgeteen/atlasescolar/ apresentacoes/tecnicas.swf>. Acesso em: 21 set. 2015.

Pastagens

Floresta

ILUSTRAÇÕES: PAULO CESAR

Atmosfera

Rodovia

Rio

Imagem de satélite: Belém (PA) e foz do Rio Amazonas, 2014. CBERS-2/ INPE

NASA EARTH OBSERVATORY IMAGES BY ROBERT SIMMON, USING LANDSAT 8 DATA FROM THE USGS EARTH EXPLORER

Imagem de satélite: região metropolitana de São Paulo, 2013.

Mancha urbana

12

Porções de água

Vegetação

Limites municipais

Mancha urbana

Porções de água

Vegetação

Geografia - Leituras e Interação | ATLAS GEOGRÁFICO  

Esta obra aborda temas da Geografia do Brasil e do mundo, que permitem compreender as sociedades atuais, suas mudanças ao longo da História...

Geografia - Leituras e Interação | ATLAS GEOGRÁFICO  

Esta obra aborda temas da Geografia do Brasil e do mundo, que permitem compreender as sociedades atuais, suas mudanças ao longo da História...

Advertisement