Page 37

atletismo

astrologia, Para ler sobre o signo de Morrissey, ver gêmeos. A configuração astrológica dos Smiths era dois geminianos (Morrissey, Joyce), um escorpiano (Marr) e um capricorniano (Rourke), uma mistura dos elementos ar, água e terra. A chegada de Craig Gannon, em 1986, brevemente lançou um pouco de fogo leonino na equação.

“At Amber”

(Morrissey/Street), Lado B de “Piccadilly Palare” (1990). Com o título original de “The Bed Took Fire”, essa estranha canção sobre deficiência descreve Morrissey telefonando para um “amigo inválido”4 da recepção do Sands Hotel – possivelmente o famoso Sands Hotel, em Las Vegas, sinônimo de Frank Sinatra e que foi demolido – reclamando a respeito dos momentos ruins pelos quais está passando, e o amigo faz com que ele se lembre de que, pelo menos, pode usar seus membros normalmente. Escrita e gravada no inverno de 1988, nas sessões de “Last of the Famous International Playboys”, no The Wool Hall, perto de Bath, a canção deveria ser o lado B de “Interesting Drug”, mas Morrissey decidiu engavetá-la por tempo indeterminado. No ano seguinte, enquanto gravava seu segundo álbum, Bona Drag, ele decidiu ressuscitá-la com o novo nome de “At Amber”, em referência aos sinais de trânsito luminosos de padrão britânico. “Amber significa estar em um estado de fluxo”, explicou ele, “sem parar nem ir, mas em algum lugar do meio”. Nada disso ajudou a explicar muito as letras que, como Morrissey também admitiu, “não estavam de fato” se referindo a um

4. O “amigo inválido” da canção pode ter sido a sutil influência de Oscar Wilde, cuja peça mais famosa The Importance of Being Earnest envolve um “amigo inválido” de mentira chamado Bunbury.

amigo deficiente, mas apenas mostrando sua compreensão a respeito de “situações extremas da vida”. Mais tarde, ele revisitaria o mesmo tema da deficiência física com muito mais intensidade na iminente “November Spawned a Monster”. Morrissey já estava gravando Bona Drag no Hook End com os novos produtores Clive Langer e Alan Winstanley quando informou Street, já em conflito com o cantor havia alguns meses, que ele queria divulgar a canção com seu novo título. Street foi ao Hook End para realizar leves ajustes na sua mixagem original feita no estúdio Wool Hall de “Bed Took Fire”; sua melodia brilhante e o refrão forte ficaram quase intactos, exceto por alguns ajustes no som eletrônico de palmas original de Street, possivelmente o que motivou Morrissey a não lançá-la da primeira vez. “Fui para lá um ou dois dias”, relembra Street. “Mas foi esquisito, porque o lance jurídico e a disputa por dinheiro depois de Viva Hate ainda pesavam sobre nós. Não fiquei muito tempo.” Não sendo, de forma alguma, um dos melhores trabalhos de Street, Morrissey foi esperto em preservar “At Amber” como um lado B decente. Até hoje, ele tocou a música em shows apenas uma vez, em Phoenix, Arizona, no dia 9 de agosto de 2002, um número cheio de falhas que parece tê-lo desmotivado a tentar tocar a música de novo. [15, 39, 70, 422]

atletismo, Ao contrário da imagem estereotipada de Morrissey como um adolescente retraído, o cantor admitiu ter sido “classicamente bom” no que dizia respeito aos esportes na escola, ostentando “uma série impressionante de medalhas”. “[O esporte] era a única coisa em que eu era bom e costumava adorar”, confessou. “Gostava mais de correr. Mas eu tinha de ser um 37

dic_morressey.indb 37

04/10/13 11:11

Mozipedia - A enciclopédia de Morrissey e dos Smiths  

Call me morbid, call me pale, but I spent so many years on your trail… Pare se você acha que já ouviu essa antes. Morrissey gosta mais de ga...

Mozipedia - A enciclopédia de Morrissey e dos Smiths  

Call me morbid, call me pale, but I spent so many years on your trail… Pare se você acha que já ouviu essa antes. Morrissey gosta mais de ga...

Advertisement