Page 1

DEPARTAMENTO DE AUXÍLIO AOS CULTOS, SETOR SONOTÉCNICA DA PRIMEIRA IGREJA BATISTA EM PARQUE UNIÃO

Manual de Procedimentos básicos

Rio de Janeiro


Abril - 2010 SUMÁRIO - Introdução ................................................................................................................................. 3 - A equipe ................................................................................................................................... 3 - Metas......................................................................................................................................... 3 - Procedimentos Gerais, Conectar os Microfones....................................................................... 4 - Tabela dos microfones ........................................................................................................... 5 - Como operar o microfone S/ fio Shure PGX SM 58 .............................................................. 6 - Bloqueio e desbloqueio de comandos do Shure PGX SM 58 ................................................ 7 - Funções básicas do Behringer C-2 ...........................................................................................8 - Cuidados com o microfone....................................................................................................... 8 - Conectar os Instrumentos...........................................................................................................12 - Ligar o Sistema.................. ..................................................................................................... 12 - Desligar o Sistema....... ........................................................................................................... 13 - Ajustando o PA........... ............................................................................................................ 13 - Ajustando os Microfones ....................................................................................................... .14 - Endereçamento de canais na SoundcraftGB2 32.................................................................... 15 - Utilizando os Subgrupos......................................................................................................... 16 - Equalização............................................................................................................................ 18 - Passo a Passo com o Básico de como equalizar um som ...................................................... 20 - Ajustando os Monitores... ...................................................................................................... 24 - Recursos Extras ..................................................................................................................... 26 - Gravação........................ ....................................................................................................... 28 - Requisitos Mínimos para ser um bom operador de áudio ..................................................... 29

2


MANUAL ELABORADO POR LEVI EM ABRIL DE 2010

• Introdução: O objetivo deste manual é prover aos iniciantes instruções básicas de operação do sistema de reforço sonoro no templo da Primeira Igreja Batista em Parque União e dar uma breve visão da organização atual da equipe e de suas metas.

• A Equipe Atualmente contamos com uma equipe de quatro componentes, sendo eles Ageu, Levi, Lucas e Mateus.

Levi – Representa a Equipe junto à liderança da igreja. Tels.: 9xx8-7971 Lucas – Tel.: 7xx3-2532 Ageu – Tel.: 3xx7-7671 Mateus – Tel.: 9xx5-3980

Metas

Atender de forma eficaz, sem sobrecarregar nenhum dos operadores, todas as demandas da igreja por sonorização. (Distribuindo as atividades semanais a técnicos distintos)

Distribuir os conhecimentos técnicos mais específicos do sistema de modo que ninguém seja essencial ao seu bom funcionamento. (Com cursos e reuniões em equipe)

Realizar Manutenções Preventivas bimensais

3


Criar encontros de oração e integração para manter o bom relacionamento da equipe.

Criar em conjunção com a área administrativa, uma estrutura que evite pedidos de última hora. Esses pedidos podem até partir de irmãos bem intencionados, porém, que ignoram o impacto que sua falta de planejamento ou tempo hábil exerce sobre os voluntários técnicos, pois quando ao prestar suporte técnico num culto, se o raciocínio do operador não estiver um ou dois passos à frente do programa, ele corre o risco de prejudicar a qualidade para a congregação.

PROCEDIMENTOS GERAIS • Conectar os Microfones •

Todos os microfones devem ser conectados e desconectados, com o respectivo canal na mesa de som “Mutado”. Contamos atualmente com 6 microfones dinâmicos de Mão e mais 5 microfones condensadores.

Os microfones são geralmente utilizados nos primeiros canais, ou seja, de 1 a 5. Note que no canal 25 utilizamos o sem fio.

Uso mais frequente:

o Canal 1: (Cor Verde) o Canal 2: (Cor Amarela) o Canal 3: (Cor Vermelho) o Canal 4: (Cor Azul) o Canal 5: (Cor Verde/Amarela) 4


o Canal 25: Voz Principal com o Microfone PGX S/ Fio Shure SM58

IMPORTANTE: Os Microfones Condensadores são Extremamente

sensíveis, não Podendo, em hipótese alguma, serem conectados ou desconectados ao multicabo com a alimentação phanton Power ligada, pois isto poderá danificá-los, contudo eles não funcionam sem que o

botão Phanton Power

esteja ligado, então não se esqueça

de acioná-lo DEPOIS de instalado TODOS os microfones!

Microfone

Qtd

Aplicação

Shure SM58

3

Microfone dinâmico, damos preferência ao uso com vozes

Sennheiser E815

2

4 C-2

Shure S/ Fio PGX SM58

vozes femininas. Microfone condensador. Utilizado para vocais (Coral) e

Behringer

Samson C01

masculinas e vozes com maior pressão sonora. Microfone Dinâmico, utilizamos preferencialmente com as

instrumentos com pouca pressão sonora como: flauta, percussão, Violão, etc. Microfone condensador. Utilizado para vocais (Coral) e

1

instrumentos com pouca pressão sonora, tem um diferencial de ter um timbre mais grave. Microfone dinâmico. Mesmo que o sm58 porém sem fio,

1

Damos preferência ao uso com o vocal principal.

5


Fig. 1 – Shure SM56

Fig. 2 – Sennheiser E815

Fig. 4 – Behringer C-2

Fig. 5 – Samson C01

Fig. 3 – S/ Fio PGX SM58

Como operar o Microfone S/ Fio Shure PGX SM 58 Seleção Automática de Freqüência Aperte e solte o botão de canal. Este procedimento procura um canal livre e configura o receptor para aquele canal AUTOMATICAMENTE

Sincronizando o Microfone com a Configuração Automática do Transmissor - Ligue o transmissor - Abra o compartimento da pilha do transmissor (microfone) para apresentar a porta de infravermelho (IR). 6


- Com a porta IR do transmissor (em baixo do microfone) exposta ao receptor, aperte sinc. - pressione o botão Sync e emparelhe o microfone até a luz vermelha parar de piscar no receptor e no transmissor.

- Quando a luz de pronto do receptor acender (Luz Verde), o sistema está pronto para uso. Feche o compartimento da pilha do transmissor e pronto!

• Bloqueio e Desbloqueio de Controles O bloqueio dos controles do sistema evita que seja colocado em modo mudo acidentalmente ou que haja ajuste do canal durante a apresentação. •

Transmissor (MICROFONE) Para bloquear os controles: com o transmissor desligado, mantenha apertado o botão de alimentação até que o LED verde pisque (± 5 segundos). Para desbloquear os controles: com o transmissor ligado, mantenha apertado o botão de alimentação até que o LED verde pisque (± 5 segundos).

Receptor (BASE) Para bloquear o canal: mantenha apertado o botão de canal até que os números pisquem (±10segundos).

7


Para desbloquear o canal: mantenha apertado o botão de canal até que os números pisquem (±5segundos). •

Luz de Eventos do transmissor (MICROFONE)

OBS: Nunca misture pilhas novas/carregadas com pilhas usadas/descarregadas.

• BEHRINGER C-2 O microfone Behringer C-2 possui uma chave comutável para filtro low CUT, atenuação de -10dB e normal (FLAT). A 1ª opção é FLAT (PADRÃO), 2ª Low cut (atenua as freqüências graves) e 3ª -10dB (para quando altos níveis de pressão sonora estiverem próximos ao microfone). OBS.: Se possível sempre utilize a 1ª opção (FLAT), a menos que a

fonte sonora esteja muito alta, próxima ao microfone (UTILIZASE A POSIÇÃO -10dB) ou com vozes ou pratos que pode-se utilizar a posição LOW CUT pois não há sons graves. CUIDADOS COM O MICROFONE O microfone está para um sistema de sonorização assim como o ouvido está para o corpo humano. Ele é o responsável por captar a onda sonora e transformá-la em algo que os equipamentos eletrônicos (amplificadores, mesas etc) possam entender e usar. O microfone comporta-se exatamente como o ouvido humano, quando este capta as ondas sonoras e as transforma em sinais elétricos para que o cérebro as entenda e processe. 8


Sendo assim, é apropriado que seja adotado todo o cuidado no manuseio do microfone uma vez que ele é parte sensível do sistema sonoro e, se bem empregado, pode tornar-se um aliado de quem o utiliza. De forma contrária, se o microfone é utilizado com descaso poderá tornar-se seu inimigo durante uma apresentação. 1. Composição dos microfones Todo microfone, de uma forma geral, é composto por um diafragma e um elemento gerador. O diafragma, assim como o tímpano do ouvido, é responsável por perceber o movimento das ondas sonoras. O elemento gerador, como os ossos que compõem o ouvido interno (martelo, estribo e bigorna) – que podem ser vistos na Figura 1 – é responsável por transformar a variação do diafragma em sinais elétricos proporcionais aos movimentos das ondas sonoras. Na Figura 2 você poderá identificar as partes componentes de um microfone.

9


Na figura anterior você pôde identificar o diafragma e os diversos componentes do elemento gerador: bobina móvel, imã permanente e saída de AF (áudio freqüência). Uh... assustei você?! Não se preocupe, não vou incomodá-lo com conceitos de eletrônica. Não é esse o meu objetivo. Na verdade, meu propósito é fazer com que você tenha uma idéia de como os microfones são construídos e da fragilidade dos seus componentes, e que a partir daí, passe a cuidar bem deles para que se tornem seus bons amigos.

O que fazer para tornar o microfone um amigo? Bem, Por mais que você não utilize o microfone, você deve saber quais os cuidados necessários que se deve ter com os microfones, para orientar os usuários. há uma série de cuidados na utilização do microfone que você pode adotar para torná-lo um amigo. Vejamos alguns desses cuidados. Chamaremos de “Os 7 Mandamentos do Amigo Microfone”.

1º Mandamento: Não bata É muito comum que você, ao segurar um microfone para utilizar, dê algumas “batidinhas” nele com o objetivo de verificar se ele está funcionando. Por favor, não faça isso. Lembra-se do diafragma e do elemento gerador? Com o tempo, de tanto apanhar, eles se danificarão podendo partir-se. O microfone vítima dessas “batidinhas” passa, depois de certo período de surras constantes, a reagir apresentando um som “choco e rachado”. É a forma que ele encontra para se vingar dos maus tratos recebidos.

10


Como você consideraria alguém que, ao se aproximar de você, ao invés de cumprimentá-lo educadamente fosse logo espancando você? Amigo ou inimigo?!

2º Mandamento: Não assopre Muitos de nós, também no desejo de verificar se o microfone está funcionando, temos o hábito de assoprar o microfone: fu... fu... som... som... Não é assim que fazemos? Pois é, de agora em diante controle-se e não faça mais isso. Ao assoprar o microfone você despeja alguns mililitros de saliva sobre ele!!! Essa saliva vai gerar um mau cheiro no pobrezinho do microfone e ele não pode tomar banho para se limpar... isso é muito anti-higiênico!!! Quando você quiser verificar se um microfone está funcionando, apenas fale...

3º Mandamento: Não grite

Por favor, não grite... o microfone não é surdo!!! A finalidade de um sistema de sonorização é amplificar o som que você está produzindo. Sendo assim, não é recomendável que você atinja o microfone com volume de voz extremamente alto porque, dependendo de como foi construído (se for um capacitivo, por exemplo), o sinal será distorcido. Você terá sua voz reproduzida de forma “rachada”. Isso sem levar em consideração o incômodo que será causado na audiência...

4º Mandamento: Não fale se movimentando

Alguns de nós temos o hábito de falar/cantar movendo-nos de um lado para o outro diante do microfone, quando este está fixo. Os microfones têm uma capacidade “auditiva” limitada. Eles não são capazes de “ouvir” se você estiver falando ou cantando muito afastado dele para as laterais. Você precisa falar e/ou cantar diretamente em frente a ele. Aí ele poderá perceber toda a beleza de sua voz. 11


5º Mandamento: Não tenha medo

Muitas pessoas têm medo de microfones e por isto afastam-se dele demasiadamente. À medida que você se afasta do microfone, ele passa a ter dificuldades de “ouvir” você. Sua voz ficará com excesso de agudos e sem peso (graves): a conhecidíssima “voz de taquara rachada”. Para obter um bom desempenho, aproxime-se do microfone até cerca de 5 cm. Não se preocupe, ele não morde.

6º Mandamento: Não o engula Não vá para o Culto com fome esperando engolir alguns microfones: eles dão indigestão!!! Na ânsia de fazer uma boa apresentação, falamos tão próximo ao microfone que quase o engolimos. A essa distância tão pequena certamente lançaremos sobre o pobre coitado aqueles mililitros de saliva, lembra-se? E também alguns perdigotos (para quem não sabe o que são, lá vai: germes). Essa prática prejudica também a qualidade do som: os microfones direcionais (usados por nós em 99% das aplicações) têm uma propriedade chamada “efeito proximidade”. Este efeito encorpa os graves à medida que o microfone é aproximado da fonte sonora. Sendo assim, você terá o som da sua voz cheio de graves e provavelmente sem clareza, para não falar do maravilhoso efeito “puf”. É só lembrar do item anterior: a distância adequada para uma boa captação é cerca de 5 cm afastado da boca e diretamente em frente ao microfone.

7º Mandamento: Não enrole Quando seguramos o microfone na mão, temos o hábito de enrolar o cabo: pare com isto e não enrole, cante!!! Ou fale!!! Ao enrolar o cabo do microfone, você provoca alteração em suas propriedades elétricas e, com o tempo, danifica as soldagens que o unem aos plugues. O que resulta disto são chiados e barulhos diversos. Ao segurar um microfone, deixe o cabo completamente livre e solto.

12


Não passe na frente das caixas acústicas com o microfone apontado para elas. Isto causará microfonia. Não envolva o globo do microfone (aquela parte redonda que protege a cápsula) com a mão. Isto altera o padrão de captação do mic e pode causar microfonia.

Extraído de www.somaovivo.com.br Não deixe de visitar

• Conectar os Instrumentos •

Todos os Instrumentos devem ser conectados e desconectados, com o respectivo canal desligado (Mutado).

O sinal do computador da mesa de Som, é recebido através do canal STE1, é o computador que utilizamos para as gravações e reproduções de play-backs.

O sinal do computador de MULTIMÍDIA (Projetor de imagem) é recebido através do canal STE2, canal utilizado em conjunto com os vídeos exibidos pelo projetor.

OBS.: Sempre teste estes canais antes dos cultos. • Ligar o Sistema 1º Com todo equipamento desligado, conectar a base do Mic S/FIO. 2º Ligar o Filtro de Linha da Mesa e confira se está ligado. 3º Ligar o Filtro de Linha dos amplificadores. 4º Teste TODOS os microfones ANTES do culto, dê pequenos solavancos no cabo e verifique se o mesmo está em boas condições de funcionamento, se for detectada alguma falha substitua-o imediatamente e comunique a manutenção. 5º Coloque uma música com o volume do P.A. desligado, verifique o funcionamento de TODOS os monitores.

6º Por último teste o P.A. utilizando o PAN

, para verificar o

funcionamento das caixas L e R. 13


OBS.: O PAN DEVE SEMPRE PERMANECER EM 12 HORAS! (A NÃO SER QUE SEU USO SEJA INTENCIONAL)

• Desligar o Sistema 1º Desligar o Filtro de Linha dos amplificadores. 2º Desligar o Computador e logo após o Filtro de Linha da Mesa. 3º Guardar devidamente os microfones, cabos, Trancar o Case

IMPORTANTE: A ordem dos passos de execução de TODO este manual

deve ser respeitada!

• Ajustando o volume do PA É interessante que o controle de volume principal esteja na posição de “0dB” para assegurar um melhor rendimento no sinal entregue aos amplificadores.

• Ajustando os Microfones

Clique no botão

(Mute) para abrir o canal desejado e é

interessante que o controle de volume esteja na posição de “0dB” para assegurar

o melhor rendimento do sinal, porém isto requer ajuste no

14


ganho

do respectivo canal, até que se obtenha o nível de som

desejado. A mesa possui um botão chamado

PFL (Pré Fader Listen =

Escutar antes do Fader) que serve para ouvir o sinal do respectivo canal, antes mesmo de abri-lo no PA, quando ativo a uma luz vermelha acende (Indicando o acionamento da função), sempre que acionar o PFL de um canal individualmente, o VU Principal assumirá automaticamente o papel de VU do Respectivo Canal. Facilitando assim o ajuste de ganho do canal. Exemplo: Acionei o botão PFL do canal 3, Supondo que esteja conectado a este canal um microfone, posicionamos o FADER deste canal em 0dB e ajustaremos o ganho deste canal orientados pela Barra de VU Principal, para que as luzes ascendam até que fiquem em 0dB. Lembrando que ao acionarmos a chave PFL o VU monitora o respectivo canal. OBS.: NUNCA deixe que a luz de pico

, fique acendendo

demasiadamente durante uma apresentação, se isto ocorrer diminua o GANHO do canal problemático, até que a luz pare de piscar por longos períodos. Contudo é normal que a luz de pico acenda de vez em quando, dependendo da dinâmica da apresentação.

Adote o Seguinte Padrão de Operação:

15


• ENDEREÇAMENTO de Canais no Console de Mixagem SOUNDCRAFT GB2 Para que o console Soundcraft GB2 Funcione cada canal DEVE ser Endereçado

para um dos 4 Subgrupos

GERAL

ou para o Controle de Volume

.(Main Mix)

16


• Utilizando o SubGrupo: Dica prática, Supondo que você equalizou e alinhou o volume de uma bateria em 8 canais (ou um coral), só que durante a apresentação o baterista se empolga e aumenta a dinâmica e consequentemente o volume, imagina o trabalho que é abaixar todos os 8 faders de volume sem perder o ajuste feito para cada peça da bateria? Simples, substituindo os 8 faders por um só! Os subgrupos servem justamente para isso, repare que os grupos são divididos em pares, 1-2, 3-4, 5-6, 7-8, e para definir para qual grupo vai o sinal, se “1” ou “2”, utiliza-se

o PAN, por exemplo, acionei o botão

mas quero

utilizar o SUBGRUPO 1, então Basta Girar o PAN TODO para Esquerda. Se caso eu escolhesse o SUBGRUPO 2, deveria girar o PAN TODO Para Direita. Feito isso é só ajustar o volume dos canais agrupados com o volume do SUBGRUPO escolhido. Caso você esteja operando poucos canais ou somente um, basta pressionar o

botão

, Que o sinal será Direcionado diretamente para o controle de

volume Geral (Main Mix).

OBS.: Caso o canal ou Subgrupo não seja “Endereçado” para nenhum lugar, não sairá som no PA!

17


Comando WIDTH Na imagem ao lado podemos ver os comandos, WIDTH com os parâmetros MNO (Mono) e STE (Estéreo). O Comando WIDTH Determina o modo de operação do Par de SubGrupos, Ou seja se WIDTH estiver todo para esquerda (MNO), significa que o som dos dois Subgrupos serão somados em uma imagem Mono. Porém Se o comando WIDTH estiver todo para Direita (STE), Significa que o som de cada SubGrupo será Endereçado para um lado da Imagem Estéreo (SubGrupo1 no Lado Esquerdo e SubGrupo2 no Lado Direito)

Botão MIX O Botão Mix Tem a Função de Endereçar o Par de Subgrupos ao Controle de Volume Principal (Main Mix) OBS.: Caso o Subgrupo não

seja “Endereçado” para o MIX, não sairá som (DELE) no PA, porém seu sinal estará presente em sua saída dedicada atrás do console de mixagem.

Botão PFL

18


O Botão PFL quando pressionado habilita a pré-escuta e o VU de leds para monitoramento dos Subgrupos. •

EQUALIZAÇÃO O Console de Mixagem Soundcraft GB2 32, possui um eficiente sistema de equalização com 4 bandas,. - As seções Grave e Agudo (LF e HF) são tonais e permitem reforço ou atenuação em +/- 15dB em 60Hz e 13KHz Respectivamente. - A seção Médio Grave (LO MID) tem o controle semi-paramétrico com reforço ou atenuação em +/- 15dB e varredura de 80Hz a 1.9KHz com Q=1.5. - A seção Médio Agudo (HI MID) tem o controle semi-paramétrico com reforço ou atenuação em +/- 15dB e varredura de 550Hz a 13KHz com Q=1.5. O Equalizador do pode ser ativado ou desativado pelo botão “EQ” do respectivo canal para manter a referência do sinal original.

Quando os controles de agudos, médios e graves estiverem todos na posição central (como em um relógio marcando meio-dia), o sinal não será modificado pela equalização do canal. Chamamos esta posição de "flat". Teoricamente, o som deveria ser o mesmo da fonte sonora (voz ou instrumentos), mas a qualidade da mesa influencia muito aqui. Quanto melhor a mesa, mais parecido o som será com o original. Quanto pior a mesa, mais teremos que atuar sobre a equalização para compensar os seus defeitos e ter o som parecido com a fonte original. Contamos também com um botão chamado de LOW CUT

que quando pressionado provoca uma atenuação

no sinal abaixo de 100hz (18dB Oitava), evitando assim ruídos indesejáveis como os “puffs” dos microfones. Quando rotacionamos os botões do equalizador para a direita, estamos provocando "reforço" na freqüência correspondente (agudos, médios ou graves). 19


Caso for rotacionado da posição central para a esquerda, provocará uma "atenuação" na frequência correspondente.

Observação: os controles de equalização se assemelham a um relógio. Faça a seguinte associação: 7 horas é o potenciômetro todo atenuado, 12 horas é o potenciômetro em flat e 5 horas é o potenciômetro todo reforçado. É comum, de um técnico de áudio para outro, falarmos “Os agudos estão em quantas horas?” Ou então “Tira duas horas dos médios”. Facilita muito a comunicação entre operadores. Importante: ao equalizar, sempre gire os botões bem devagar, sem mudanças bruscas. Para acrescentar ou tirar "uma hora", leve vários segundos. Fazendo isso, a “mudança” de som será mais suave e com menor chance de microfonia. Um reforço de faixa pode causar microfonia, mas quando você faz bem devagar, a microfonia vai aparecendo aos poucos, dando tempo de corrigir. Na equalização semi-paramétrica (ver figura ao lado), o controle dos médios se dá através de dois “botões”, onde em um (BRANCO) escolhemos uma freqüência e no outro botão (PRETO) atenuamos ou reforçamos a freqüência escolhida. Na posição central o botão MID não atua.

Botão Inversor da Fase Cada canal conta com um botão “inversor de Fase” Este botão é muito útil quando precisamos microfonar algo com dois microfones próximos um do outro. Experimente colocar dois microfones um de frente para o outro, em seguida ligue somente um, fale normalmente e ouça como sua voz soará naturalmente, porém ao ligar o outro o som irá “Sumir”, neste momento o som de um microfone está cancelando o outro. Mantendo os dois microfones ligados pressione o botão de inversão de fase em apenas um canal e perceba que o som voltará ao normal. Este procedimento é muito

20


comum de se ver em caixas de baterias com dois microfones, um para pele e outro para esteira, onde um microfone fica por cima e o outro por baixo.

O Básico, PASSO A PASSO para Equalizar um Som Reset em "12 horas" Resete os controles de volume do equalizador posicionando-os em "0." Isto significa que eles deverão ser posicionados na posição “12 horas”. Nesta posição as freqüências nem serão aumentadas nem atenuadas. Mesmo que o botão “on/off” do EQ esteja acionado, o botão giratório de volume deverá estar posicionado em "12 horas", de forma que quando o EQ seja ligado ele não altere nenhuma freqüência. No término de cada culto posicione os controles do EQ em “0” (12 Horas). Ouça O erro mais comum que é cometido pelos Operadores inexperientes é começar a girar os botões do EQ antes de ouvir. Não toque em nenhum botão até que você tenha a certeza do que vai fazer. Ouça, ouça, e ouça novamente para “ver” se há alguma coisa errada como som. Existem muitos pequenos detalhes que devem ser percebidos antes de se começar a equalizar.

- As três principais coisas são: Se certificar como está o som (turvo ou irritante, muito médio ou muito agudo). Caso nada tenha sido feito com relação à timbragem, você deverá dar especial

21


Atenção a isso agora, pois estes aspectos representam mais de 75% de tudo o que o EQ pode fazer.

a) Corte da região turva (100-800Hz): Verifique cada instrumento para se certificar que ele não esteja muito médio. Os Bumbos da Bateria necessitam quase sempre de corte de médios (a não ser que o estilo seja rap, hip hop e afins). Outros instrumentos que turvam a mixagem são tons, baixos, piano, violão e harpa. A sensação de turvidez está em torno de 300Hz. Se o corte for demasiado os intrumentos ficarão “magros”, pois as freqüências desta região contribuem para encorpar os sons. Ao cortar as freqüências da região turva certifique-se sempre de que não esteja perdendo o “chão” (o grave). Você pode compensar os graves em torno de 40-60Hz. b) Corte da Irritação (1000-5000Hz): Corte qualquer freqüência excessiva em torno de 1000-5000Hz. Vocais, guitarras e pratos (inclusive hi-hats) geralmente precisam de cortes na região das médias freqüências. Dependendo do tipo de música (e em particular do tipo de caixa de bateria utilizada) as caixas precisam de alguns cortes também. A melhor maneira para detectar uma freqüência de irritação é reproduzir todos os sons em volume alto. Se você ou qualquer outra pessoa dentro do ambiente se encolher, voltar a cabeça para o chão, por menor que seja o movimento, então será irritante. Nunca aumente ou corte demais as regiões de médio e certifique-se que o som não esteja ficando maçante. Neste ponto, você deverá compensar um pouco aumentando as freqüências em torno de 5000-8000Hz. Utilizando um paramétrico para trabalhar exclusivamente na faixa de freqüências de irritação o ajudará a preservar o brilho de todo o som. c) Aumente os agudos (5000-8000Hz): Aumentar os agudos em instrumentos que normalmente soam de forma maçante, como caixa, dependerá exclusivamente do estilo da música. 22


Certos estilos de rock 'n' roll requerem mais agudos do que outros estilos. Country, e Sertanejo não necessitam muito ganho nesta faixa, será melhor que os sons sejam bem naturais.

- Encontre a freqüência a ser aumentada ou cortada Agora que você decidiu qual a freqüência a ser cortada ou aumentada você deverá primeiramente encontrar a freqüência. a) Aumente o volume na banda (Agudo, Med Agudo, Med Grave, Grave) do EQ onde você imagina que o problema está. Aumente tudo de uma vez só. Mas seja cuidadoso. Aumentar todo o volume nas regiões de baixas freqüências poderá danificar os seus alto-falantes. E aumentar todo o volume da região de médias freqüências o poderá deixar surdo. Então faça o seguinte: com a mão esquerda aumente o EQ e com a mão direita abaixe o Fader do canal. Aumente todo o volume de forma que você possa localizar a freqüência que deseja aumentar ou atenuar. Uma boa analogia seria como você estivesse cozinhando com um novo tempero. Embora você saiba que a pimenta vermelha queima você deverá testá-la antes para saber como ficará a comida. De forma similar, quando você aumenta todo o volume do EQ, embora ele não vá ficar assim na mixagem, fará com que você tenha uma boa idéia de como irá ficar com um nível mais moderado.

NOTA: Você também poderá cortar todo o volume ao invés de aumentá-lo. Desta forma você estará observando os sons bons ao invés dos sons irritantes ou turvos, porém correrá o risco de não encontrar a freqüência exata que possui o problema. b) Ao varrer as freqüências com o botão para encontrar a freqüência a ser cortada você estará a procura da freqüência que soa pior — mais turva ou mais irritante, por exemplo.

23


Por outro lado, ao tentar encontrar a freqüência para levantar, você estará a procura da freqüência que soa melhor. Caso você esteja tentando cortar uma freqüência e você tenha abaixado todo o botão de volume, varra o botão de freqüência até encontrar o ponto que parecer ser o melhor.

Retorne o botão para "12 horas" Com o volume todo aberto você estará agora no espaço exterior. Perdendo todo o contato com a realidade de como o som era originalmente. Retorne sua perspectiva no tom do som antes dele ter sido equalizado ajustando o botão de volume em "12 horas" (na banda EQ na qual você estiver trabalhando).

Verifique se as coisas estão como você quer Ligue e desligue o EQ

de forma a comparar o som original e

equalizado e verifique se está como você deseja. Este tipo de teste também é útil quando utilizamos mais de um equalizador para alterar o mesmo som. Caso você desligue o EQ você estará desligando ambas as bandas. Se precisar, ao invés disso, simplesmente posicione o controle de volume em “12 horas” na banda que você está trabalhando no EQ, de forma que você possa perceber como o ajuste nessa banda está agindo. Bom, tentei assim de uma forma distante fornecer uma visão geral de como utilizar e como empregar o EQ. No entanto, o bom uso de EQ requer prática e experiência. Extraído do livro A Arte da Mixagem – David Gibson

OBS: NUNCA tente aprender durante o culto, isto deve ser feito nos

ensaios, ou com músicas executadas pelo computador. 24


• Ajustando os Monitores

O Console de Mixagem Soundcraft GB2 32, Possui 6 “Mandadas” de Auxiliares.

AUX1: SUBGRAVE AUX2: Fone. AUX3: Fone. AUX4: Fone. AUX5: Monitores “A”. AUX6: Monitores “B”.

OBS.: Repare que os auxiliares 5 e 6 são Pós Fader (POST), ou seja o

volume do “aux” depende do Fader do respectivo canal. Já os auxiliares 25


3 e 4 podem atuar como PRÉ ou PÓS Fader, esta condição será escolhida através do botão “PRE”

localizado acima dos

comandos.

Os auxiliares 1 e 2 são Pré Fader, eles não necessitam do fader e funcionam independentemente do volume que está o canal. Portanto preste bastante atenção para não deixar os auxiliares 1, 2, 3 e 4 abertos desnecessariamente, criando a possibilidade de haver microfonias ou outros ruídos indesejáveis.

As vias de monitores contam com um controle de volume principal (Master) chamado de “AUX SEND MASTERS”. Antes do culto, regule as vias de monitor em 6 horas (0dB), peça alguém para tocar, cantar ou execute uma musica pelo computador. Agora vá aumentando no AUX SEND MASTERS (o Geral) até obter o nível de som desejado nos retornos, Para que durante a programação você tenha uma noção de como estará o volume dos retornos. Para ter uma melhor referência pressione o botão “AFL”

do respectivo canal a ser ajustado e se oriente pelo VU de Leds Principal.

26


Recursos extras - MATRIX Matrix é uma saída de áudio geralmente utilizada para gravações, vídeos, TV, internet e afins. Nesta Seção podemos endereçar ao canal matrix os sinais dos subgrupos, do MIX “L” (Esquerdo) e MIX “R” (Direito).

Cada matrix conta com um botão “AFL” (para monitorar via fone e através do VU Principal),

controle de volume principal (Master) e botão “MUTE” (para abrir ou fechar o canal) O sinal gerado pelo matrix é endereçado para suas respectivas saídas que são independentes, localizados atrás do console. - TALK BACK Para o operador se comunicar com o palco. (é melhor usar um canal sobrando). Aqui encontramos um conector XLR, que não possui Phantom Power, ou seja não permite que microfones condensadores sejam ligados diretamente. 27


O ajuste de volume,

Um botão para a comunicação com os auxiliares de 1 a 4, E um botão para comunicação com os 4 Subgrupos. 2TK (2 Tracks) O sinal 2TK é recebido pela para traseira do console de mixagem, Geralmente o 2TK é utilizado para executar musicas nos intervalos entre uma banda e outra.

O sinal é liberado para o PA quando o botão

“2TK TO

MIX” é pressionado, e seu volume ajustado pelo controle “2TK

LEVEL”

Monitor Source Através dos botões “MONITOR SOURCE” determinamos qual a fonte do sinal será monitorada pelo VU principal. O botão Mono

faz uma soma dos sinais L (Esq) e R

(Dir). Monitor (C/ROOM) O controle C/Room ajusta o nível obtido na saída control room.

H/PHONES 28


Este comando ajusta o volume do fone de ouvido.

PFL & AFL Este comando luminoso serve para indicar que alguma tecla PFL ou AFL foi acionada.

Monitoramento da fonte de alimentação Existem dois indicadores luminosos que devem permanecer sempre acesos, indicando o pleno funcionamento da fonte de alimentação interna. 48V – Indica que a voltagem do Phanton Power está dentro dos limites. +/- 17V – Indica que a alimentação simétrica dos amplificadores operacionais está dentro dos limites.

Gravação É de extrema importância que as mensagens sejam gravadas. Para isso utilizamos a saída MONITOR ligada a entrada “line in” do computador.

1º Abra o programa

e clique no botão gravar (círculo).

2º Aumente o controle de volume

até um ponto em que o sinal não

saia do gráfico do audacity. para Salvar clique em STOP (quadrado) e em seguida no menu Arquivo\ Exportar como MP3...Nomeie o arquivo com “.mp3” no final do arquivo. 29


Para ser um bom operador de som é preciso: Requisitos mínimos: - Ouvido São - Disciplina (Responsabilidade) - Entusiasmo (Fazer porque quer e não porque é obrigado) - Conhecer as funções básicas dos equipamentos - Instalar equipamentos não fixos - Acionar o Sistema e operar em condições mínimas

Requisitos Recomendáveis: - Sensibilidade a padrões sonoros - Noções de áudio e acústica - Noções de elétrica e eletrônica - Sólidos conhecimentos dos equipamentos do sistema de áudio a operar - Envolvimento Responsabilidades de TODOS os operadores: - Cuidar que o sistema e equipamentos estejam, com antecedência, preparados, testados e adequados a cada programação - Orientar os usuários, sempre que julgar necessário - Ter, sempre que possível boa vontade com quem estamos ajudando - Estar atento as necessidades das programações - Manter limpos, arrumados e preservados os equipamentos.

30


- Notificar imediatamente sobre qualquer defeito que venha ocorrer nos cabos e equipamentos.

Estar em comunhão com Deus, pois você deve se usado por Ele.

O inimigo de um bom som está no campo espiritual. No meu conceito pessoal, acredito que muitas das dificuldades que enfrentamos não ocorrem ao acaso ou devido à tal “Lei de Murphy” (que diz que “Se existe a chance de algo dar errado, isto muito provavelmente ocorrerá”), mas resultam de ações deliberadas na agenda do nosso inimigo. • Estudar aquilo que lhe foi proposto, entenda o estudo como a necessidade contínua de aprimoramento. Não é porque uma pessoa é excelente médico que ele não vai querer se aprimorar, estudar, conhecer novas técnicas. Na verdade, é porque querer sempre se aprimorar que será um excelente médico. O operador precisa estar sempre estudando. Novos equipamentos são lançados, novas marcas, produtos mais baratos. Algumas soluções serão encontradas, etc. •

Ter compromisso: ser o primeiro a chegar, sempre comunicar antes a falta, etc.

Ter atenção total!

O operador precisa ser assim. Atento a tudo o que acontece, mas em comunhão com o Senhor. Deve estar de olho no pregador, sempre, como também atento aos instrumentistas e cantores. Devido à sua complexidade, problemas de cobertura sonora não se resolvem intuitivamente, como as de iluminação, por exemplo. Se falta luz acrescem-se mais lâmpadas e pronto! Se existe uma falta de cobertura sonora o simples acréscimo 31


de mais caixas provavelmente resultará em mais ruído ou numa pior qualidade....

Ore sempre pelo nosso ministério.

32

Manual de Procedimentos Básicos LEVI  

Manual de procedimentos básicos, com um roteiro que permite ao iniciante relembrar de todas as etapas para poder operar o equipamento de nos...

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you