Los sentidos de la educación en Cuba

Page 1

LOS SENTIDOS DE LA EDUCACIÓN EN CUBA


Conselho Editorial Série Letra Capital Acadêmica Beatriz Anselmo Olinto (Unicentro-PR) Carlos Roberto dos Anjos Candeiro (UFTM) Claudio Cezar Henriques (UERJ) João Medeiros Filho (UCL) Leonardo Santana da Silva (UFRJ) Luciana Marino do Nascimento (UFRJ) Maria Luiza Bustamante Pereira de Sá (UERJ) Michela Rosa di Candia (UFRJ) Olavo Luppi Silva (UFABC) Orlando Alves dos Santos Junior (UFRJ) Pierre Alves Costa (Unicentro-PR) Rafael Soares Gonçalves (PUC-RIO) Robert Segal (UFRJ) Roberto Acízelo Quelhas de Souza (UERJ) Sandro Ornellas (UFBA) Sergio Azevedo (UENF) Sérgio Tadeu Gonçalves Muniz (UTFPR)


Libys Martha Zuñiga Igarza Aldenilson dos Santos Vitorino Costa Organizadores

LOS SENTIDOS DE LA EDUCACIÓN EN CUBA


Copyright © Libys Martha Zuñiga Igarza, Aldenilson dos Santos Vitorino Costa (org.), 2019 Todos os direitos reservados e protegidos pela Lei nº 9.610, de 19/02/1998. Nenhuma parte deste livro pode ser reproduzida ou transmitida, sejam quais forem os meios empregados, sem a autorização prévia e expressa do autor. Editora Fabiana Mabel Azevedo de Oliveira Editor João Baptista Pinto

Capa Rian Narcizo Mariano

Projeto Gráfico e Editoração Luiz Guimarães Revisão Rita Luppi

CIP-BRASIL. CATALOGAÇÃO NA PUBLICAÇÃO SINDICATO NACIONAL DOS EDITORES DE LIVROS, RJ

S482 Los sentidos de la educación en Cuba / organização Libys Martha Zuñiga Igarza, Aldenilson dos Santos Vitorino Costa. - 1. ed. - Rio de Janeiro: Letra Capital, 2019. 224 p.: 15,5x23 cm.

Inclui bibliografia ISBN 978-85-7785-645-9

1. Educação - Cuba. 2. Educação e Estado - Cuba. I. Igarza, Libys Martha Zuñiga. II. Costa, Aldenilson dos Santos Vitorino. 19-54724 CDD: 379.2097291 CDU: 37.014.5(729.1) Meri Gleice Rodrigues de Souza - Bibliotecária CRB-7/6439

Letra Capital Editora Telefax: (21) 3553-2236/2215-3781 vendas@letracapital.com.br


Sumário Apresentação Os sentidos da educação em Cuba: olhares, análises e desafios....... 7 Aldenilson dos Santos Vitorino Costa, Libys Martha Zuñiga Igarza e Tamara Tania Cohen Egler Presentación Los sentidos de la educación en Cuba: miradas, análisis y desafíos...............................................................................19 Aldenilson dos Santos Vitorino Costa, Libys Martha Zuñiga Igarza e Tamara Tania Cohen Egler Introducción ......................................................................................31 Libys Martha Zúñiga Igarza Eje 1 – Conceptos y principios de la educación............................35 El sistema educativo cubano: principios, subsistemas y relaciones.........................................................................................37 Jorge Alejandro Laguna Cruz e Alba Sánchez Arencibia Concepción de la educación preescolar en el sistema educativo cubano...............................................................................46 Oscar Ovidio Calzadilla Pérez e Sonia Aurora Ponce Reyes La educación secundaria básica en el sistema educativo cubano: concepción y experiencias.................................61 Roberto Pérez Almaguer e Yurima Otero Góngora La educación superior.......................................................................73 Libys Martha Zúñiga Igarza, Silvia Campos Movilla, Yanet Vázquez Ballester, Yusleydis Cano Ricardo, Liana Ester Abreu Medina e Silvia Dotres Zuñiga


Eje 2 – Práticas educativas na enseñanza primária, secundária y especial......................................................................105 La política educativa en el subsistema educativo de la enseñanza primaria................................................................107 Jorge Alejandro Laguna Cruz e Francisca Arranz Aranda La educación especial......................................................................117 Mayelín Caridad Martínez Cepena e Doralis Leyva Arévalo Experiencia de la educación de adulto..........................................132 Mariela Silva Cruz e Ricardo Francisco Rodríguez Reyes Eje 3 – Formación técnica y superior............................................149 La educación técnica y profesional cubana: apuntes sobre su historia y significación social...........................................151 Miguel Alejandro Cruz Cabezas, Nurbia Ivia Zaragoza Morale e Alexander Fernández Pérez La educación pre universitaria: particularidades de la enseñanza de la Matemática...................................................169 Héctor González Gómez e Gisbert Tejas Martínez Particularidades de la educación superior: proceso de formación del valor responsabilidad en los estudiantes que cursan la carrera de medicina ................................................175 Yanett del Cerro Campano e Miguel Alejandro Cruz Cabezas Particularidades de la educación superior: la educación superior pedagógica con perfil técnico..........................................187 Nurbia Ivia Zaragoza Morales, Miguel Alejandro Cruz Cabezas e Isabel María Almaguer Guerrero Particularidades de la educación superior: gestión de la ciencia y la tecnología en las universidades cubanas....................194 Martha María Morejón Borjas Referencia de autores......................................................................218


Apresentação Os sentidos da educação em Cuba: olhares, análises e desafios Aldenilson dos Santos Vitorino Costa Libys Martha Zuñiga Igarza Tamara Tania Cohen Egler

E

ste livro resulta da presença da professora doutora Libys Martha Zuñiga Igarza, organizadora do presente livro, na condição de pós-doutoranda no período que vai de agosto de 2014 a fevereiro de 2015, sob a supervisão da professora doutora Tamara Tania Cohen Egler, coordenadora do Labespaço, no Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano e Regional da Universidade Federal do Rio de Janeiro (IPPUR/UFRJ). A interlocução foi importante para o desenvolvimento da pesquisa “Política, rede e educação na cidade”, do Observatório da Educação na Capes, que financiou o trabalho de pesquisa no período de 2010 a 2016, quando foi possível fazer uma estadia em Cuba e conhecer a política de educação, em 2016. A troca de experiência conduziu para a produção do presente livro, para levar adiante a tarefa de divulgar importantes experiências de educação no mundo. A questão que orienta as análises da presente coletânea é a política de educação implementada com a Revolução Cubana, de 1959. A partir dessa política são produzidas transformações sociais que abrem caminho para a consolidação de um amplo sistema de ensino com destaque internacional e que vem alcançando resultados positivos segundo avaliações de organismos supranacionais. São apresentadas estratégias utilizadas, bem como os resultados dessa política de educação de modo a dar publicidade àquilo que se entende como revolução na educação, e que alcança a maior parte da população. É buscando compreender essa política pública que na coletânea são contemplados os diferentes níveis de ensino. Como Apresentação

7


podemos ler no livro aqui apresentado o princípio da educação parte das práticas na vida cotidiana, teorias científicas e processo de formação, que nos permitem tirar lições da experiência cubana. A importância das análises apresentadas contribui para um maior conhecimento da educação em Cuba, e pode ser tomado como exemplo para o desenho de políticas públicas de educação em diferentes países, resguardando os contextos históricos, espaciais, sociais e tecnológicos de cada país. Cuba é uma ilha do Atlântico que tem 11.163.934 habitantes, dos quais 50,09% são mulheres e 49,9% homens. No Índice de Desenvolvimento da Educação para Todos, o país ocupa a posição 16 entre 127 países (UNESCO, 2014). No país, a escolaridade dura entre 10 e 12 anos, bem acima da média mundial, que gira em torno de oito anos (UNESCO, 2017). Sua taxa de alfabetização alcança a marca de 99% para os diferentes grupos etários de crianças, jovens, adultos e idosos, que é resultado de um processo inclusivo que trabalha a partir de diferentes meios formais e não formais e informais de modo a ampliar o acesso à educação aos distintos estratos sociais (UNESCO, 2018). A estrutura do sistema educacional comporta círculos infantis, ensino básico, especiais, ensino secundário, pré-universitário, técnico-profissional, de adultos, superior, onde é assegurado o acesso gratuito à toda população. Um sistema que atende aos diferentes níveis etários e de acordo com as distintas necessidades. A rede de ensino tem 299.572 docentes no país, sendo que, desse total, 17% atuam no ensino superior, 7% nos círculos infantis, 3% na educação pré-escolar, 35% na educação primária, 28% na educação secundária, 1% na educação de adultos, 5% na educação especial, entre outros. Esses docentes trabalham na rede de educação que atende 2.030.432 estudantes. Desse total, 11% são de estudantes da educação superior, 34% da educação primária, 36% da educação secundária e técnica, 6% da educação de adultos, 2% da educação especial, entre outros (ONEI, 2017). Vale destacar que em relação ao nível de ensino superior, existem 16.834 professores com dedicação exclusiva; 427 pesquisadores; 558 assessores e metodólogos. A pós-graduação é prioridade do Ministério da Educação, especialmente na formação de doutores 8

Apresentação


em diferentes áreas do conhecimento, apesar de que existe maior ênfase às Ciências Naturais e Exatas, Econômicas e Agropecuárias. Esse nível de formação é dado por dez instituições de ensino, sendo as maiores as Universidades de La Habana, Central “Marta Abreu” de las Villas, Tecnológica de la Habana “José Antonio Echeverría”, Oriente e de Holguín. Além disso, o Banco Mundial (2007) afirma que existem nove alunos por professor na educação primária e secundária. Tais dados asseguram a vanguarda porque outros países que até dispõem de maior desenvolvimento econômico não apresentam os mesmos índices. Por exemplo, no Reino Unido e Estados Unidos a proporção aluno por professor na educação primária é de 17 e 14, enquanto que na educação secundária ambos apresentam 15 alunos por professor. Enquanto isso, no Brasil existem 22 alunos por professor na educação primária e 16 na educação secundária, Cuba é um dos países que mais destina parte do Produto Interno Bruto (PIB) ao setor. Entre 1980 e 2010 a média de investimento girou em torno de 9 %, superando os 10% desde 2007, sendo um dos mais altos do mundo, superando até mesmo países como Canadá e Estados Unidos (BANCO MUNDIAL, 2017). Com esse investimento é possível manter as 10.561 unidades educacionais, sendo que, desse total, 41 são centros universitários, 1.084 são círculos infantis, 6.863 na educação primária, 1.015 escolas secundárias, 296 préuniversitário, 421 na educação técnica e profissional, 24 de formação pedagógica, 37 escolas de arte, 17 escolas de esporte, 409 escolas para adultos, 354 escolas de educação especial (ONEI, 2017). Essas instituições atendem a um púbico diversificado, homens e mulheres, dos diferentes estratos sociais. É preciso lembrar que esses resultados são produto do processo histórico iniciado em fins dos anos 1950, quando ocorre uma ruptura provocada pelo que se chama Revolução Cubana. A revolução socialista preconiza a promoção de uma sociedade mais igualitária com a redução das desigualdades sociais. Para levar adiante esse desígnio, são implementadas políticas públicas setoriais como, por exemplo, a saúde, educação e distribuição de renda, numa visão de conjunto para a transformação social. No âmbito da educação, objeto de interesse da presente coletânea, Apresentação

9


o contexto no qual a revolução aconteceu apresentava elevado índice de analfabetismo, especialmente nas áreas rurais e semiurbanas. Ao mesmo tempo, havia deficiência quanto à educação pré-escolar, especial, técnica e profissional, que apresentavam índices precários e não atingiam todos os estratos da sociedade. Com a revolução dáse início a uma reorganização do sistema educacional cujo desafio era garantir acesso à educação de qualidade, em diferentes níveis de ensino e para distintos grupos etários. Nessa trajetória buscava-se universalizar a alfabetização concebida como um direito do cidadão, o que torna a política de educação um elemento imanente para levar adiante o projeto de desenvolvimento social. Assim, a revolução no âmbito da educação parte do princípio de que a educação é um dos fundamentos para a liberdade dos sujeitos da ação, pensamento este fortemente influenciado pelo ideário do filósofo José Martí (BANDEIRA, 2009). A partir de então, o acesso à educação é definido como um direito essencial de todos os cidadãos (RODRÍGUEZ, 2011), tornando-se “um compromisso vital que tem o Estado com sua própria sociedade” (LÓPEZ, 2011, p. 55). Em todas as fases existe uma profunda relação entre teoria e prática, conhecimento empírico e teórico de modo a atribuir maior significado aos conhecimentos produzidos em sala de aula. Trata-se de uma orientação pedagógica focada no sujeito que é concebido segundo a sua condição sociocultural, tal qual preconiza Vygotsky (SALAS, 2001). Assim, o processo de ensino-aprendizagem acontece na relação do sujeito com o mundo a sua volta (RAYNAUDO & PERALTA, 2017). O processo educativo acontece de forma lenta e associativa. Nasce da relação entre teoria e prática, e da associação de elementos do mundo cotidiano que são ressignificados a partir dos conceitos e categoria de análise dos distintos campos do conhecimento (EGLER, 2014). Ao mesmo tempo, exige considerar especificidades dos contextos históricos e espaciais para possibilitar avanços no processo de ensino-aprendizagem. Significa considerar, como preconiza Vygotsky, que o aprendizado é produto de elementos históricos e sociais. Isso quer dizer, portanto, que a interação social, a experiência dos sujeitos sociais produz a geração de novas experiências e, consequentemente, conhecimento novo (VYGOTSKY, LURIA & LEONTIEV, 2010). Segundo a teoria da aprendizagem de Vygotsky, as características 10

Apresentação


sociais não são atribuições patológicas naturais, mas surgem da interação do indivíduo com a sociedade (IVIC & COELHO, 2010). Em outras palavras, é no processo de socialização ao qual o indivíduo está submetido que está o sentido do ser social. Assim, a aprendizagem surge como produto da experiência do sujeito no mundo e das relações nele estabelecidas segundo um contexto social, histórico e espacial (RAYNAUDO & PERALTA, 2017). Por outro lado, o professor torna-se mediador entre o mundo real e os conhecimentos acadêmicos. No âmbito da experiência cubana a educação associa teoria e prática, a escola com a vida, o ensino com a produção do conhecimento. Assim, a coletânea está dividida em eixos: • Eixo 1 – Conceptos y princípios de la educación. • Eixo 2 – Práticas educativas na enseñanza primária, secundária y especial. • Eixo 3 – Formación técnica y superior.

Eixo 1 – Conceptos y princípios de la educación O artigo intitulado “El sistema educativo cubano: princípios, subsistemas y relaciones” de Jorge Alejandro Laguna Cruz e Alba Sánchez Arencibia, recupera de forma analítica os princípios norteadores do Sistema Nacional de Educação apresentando as orientações teórico-metodológicas que guiam o trabalho pedagógico. Em seu artigo, os autores realizam um breve percurso histórico onde evidenciam a influência dos princípios teóricos de Vygotsky sobre a educação cubana. Oscar Ovidio Calzadilla Pérez e Sonia Aurora Ponce Reyes em artigo intitulado “Concepción de la Educación Preescolar en el sistema educativo cubano” avançam na delimitação do percurso histórico-conceitual aprofundando a análise com base no marco legal que define e organiza o sistema nacional de educação. Ao focar na educação pré-escolar, isto é, de crianças 0 a 6 anos, os autores analisam as duas vias de ensino para essa faixa etária: uma institucional, vinculada diretamente ao Ministério de Educação; e outra, que chama-se de via não institucional, com caráter comunitário Apresentação

11


e que atende crianças até o ingresso no sistema institucional. Nesse nível de ensino, o sistema divide-se em áreas de desenvolvimento a partir das quais são definidos os conteúdos para o desenvolvimento das habilidades que crianças nessa faixa etária devem alcançar. Essa divisão é importante porque permite direcionar o trabalho de modo a atender as particularidades de desenvolvimento anatomofisiológico, bem como as necessidades educativas segundo as distintas faixas etárias. Para tanto, a concepção curricular é flexível de modo a atender à diversidade de sujeitos sociais, e estruturada em simetria aos avanços científicos do campo da Pedagogia. A atenção aos adolescentes é assegurada por meio da educação secundária que trabalha na transversalidade circunscrita às dimensões passada, presente e futura do estudante. É uma modalidade de ensino que atende estudantes de 11 a 15 anos e que tem forte atenção por parte da política educacional cubana, que entende a adolescência como uma fase da vida onde acontecem transformações fisiológicas, emocionais e sociais. Nessa direção, o artigo sobre “La Educación Secundaria Básica en el sistema educativo cubano: concepción y experiências”, de Roberto Pérez Almaguer e Yurima Otero Góngora, sistematiza as principais orientações que guiam o processo pedagógico na educação secundária. A educação para adolescentes tem esses sujeitos como o centro, enquanto os professores atuam como condutores do processo de aprendizagem em simetria com a família e comunidade local. Através dessa relação multiescalar entre atores com diferentes funções e vínculos com estudantes, é realizado um prognóstico que guiará a atividade docente reconhecendo a diversidade e assegurando a atenção diferenciada para cada estudante. Para isso, o processo de ensino -aprendizagem busca utilizar as diferentes formas de conhecimento de modo a possibilitar maior aprendizagem, assegurando a produção de uma consciência crítica pelos estudantes. Isto significa construir um currículo transdisciplinar que associe elementos da educação formal em sintonia (ao) com o contexto local, nacional e global, segundo as referências da nação, família e comunidade na qual o estudante está inserido. O ensino superior cubano é composto pela modalidade presencial, destinada a estudantes que não desempenham 12

Apresentação


atividade laboral, e semipresencial, destinada a estudantes que desenvolvem atividade laboral e têm como diretriz a correspondência com o desenvolvimento da economia e a sociedade. Ao todo, as carreiras que mais graduados alcançam são Ciências Médicas, Ciências Sociais e Humanidades, Ciências Técnicas e Pedagogia (ONEI, 2017). Assim, o artigo de Libys Martha Zúñiga Igarza, Silvia Campos Movilla, Yanet Vázquez Ballester, Yusleydis Cano Ricardo, Liana Ester Abreu Medina, Silvia Dotres Zúñiga, intitulado “La Educación Superior en Cuba” revela as especificidades do ensino superior a partir da Revolução Cubana. Esse artigo faz uma análise histórico-crítica da constituição e importância do ensino superior que é organizado, desde 1976, por um Ministério de Ensino Superior. Essa modalidade está organizada em conhecimentos e habilidades, valores e capacidade e dispõe de currículo que considera disciplinas de base e que são obrigatórias: próprias, isto é, aquelas associadas ao contexto local-regional no qual a universidade está circunscrita; e eletivas, segundo o interesse dos estudantes. Para isso o profissional docente no ensino superior tem um perfil cuja função é não somente instruir ao nível técnico, mas inclui atividades metodológicas, orientações, superação, participação em projetos de pesquisa e extensão, publicações em revista de forte impacto, de modo a contribuir para a formação completa e plural do estudante. O artigo explora ainda o ensino de pós-graduação, que é um tipo de superação profissional, sendo também a etapa na qual ocorre o estudo e divulgação do conhecimento, e permite avançar em ciência e tecnologia.

Eixo 2 – Práticas educativas na enseñanza primária, secundária y especial O ensino primário atende crianças de 7 a 12 anos subdivididos em seis graus de ensino. Essa subdivisão ajuda a focar as atividades e metodologias segundo as especificidades de cada faixa etária de modo que sejam desenvolvidas habilidades e absorvidos e aprofundados os conhecimentos. Nesse sentido, o artigo “La política educativa en el subsistema educativo de la Enseñanza Primaria en Cuba”, de Jorge Apresentação

13


Alejandro Laguna Cruz e Francisca Arranz Aranda, aponta para um processo de ensino-aprendizagem que valoriza o protagonismo dos estudantes, não como depositários de conteúdos, mas como sujeitos ativos do processo de ensino-aprendizagem. Tudo segundo um ambiente que favorece a aprendizagem e a diversidade de formas de aprender. Cumpre destacar que esse nível de ensino tem por especificidade o fato de absorver estudantes de carreiras pedagógicas que estão nas unidades escolares para atuar como estagiários. O sistema de educação também considera importante atender estudantes com necessidade educativa especial. Essa modalidade atende estudantes com necessidades especiais associadas a limitações fisiomotoras e intelectuais, como aquelas produzidas pelo fato de pertencer a grupos de risco. Assim, o artigo de Mayelín Caridad Martínez Cepena e Doralis Leyva Arévalo, “La Educación Especial en Cuba”, explora a contribuição da teoria de Vygotsky para essa modalidade. Segundo esse marco teórico, sobre as pessoas com deficiências atuam as mesmas leis de desenvolvimento que as demais crianças. Assim, os estudantes com necessidades especiais são sujeitos de direito e devem ser incluídos em processos de ensino-aprendizagem segundo suas condições e limitações físicas e intelectuais. Para tanto, busca-se estimular, preparar, educar e formar os estudantes numa concepção de ensino que admite adaptações curriculares, valoriza o uso de tecnologias educativas, promove a saúde e a qualidade de vida. O artigo intitulado “Experiencia de la Educación de Adulto en Cuba”, de Mariela Silva Cruz e Ricardo Francisco Rodríguez Reyes, recupera o contexto antes da Revolução Cubana, quando havia elevado índice de semianalfabetos em idade adulta. Por essa razão, com a revolução ocorre o estabelecimento de uma rede de escolas para crianças e adultos. Considera-se que o ensino de adultos tem uma função social fortemente vinculada à necessidade da população. Para isso, a organização do sistema de ensino considera aulas semestrais, apresentando flexibilidade de horários (matutino, vespertino e noturno) e diversidade de cursos, que dividem-se em regulares, com aulas diárias; por encontros realizados uma ou duas vezes por semana; e, especiais, segundo os interesses dos setores, que contribuem para superar a condição de analfabetismo da população adulta. 14

Apresentação


Eixo 3 – Formación técnica y superior A educação técnica e profissional está orientada para o mundo do trabalho e cujo histórico é anterior à Revolução Cubana. Considerase a necessidade de profissionalizar a população para atender às demandas do processo produtivo. Isso promoveu a instalação de diferentes escolas técnicas que oferecem qualificação profissional. Essa é a análise explorada por Miguel Alejandro Cruz Cabezas, Nurbia Ivia Zaragoza Morales e Alexander Fernández Pérez, em artigo intitulado “La educación técnica y profesional cubana: apuntes sobre su historia y significación social”. Os autores apresentam a trajetória do ensino técnico e profissionalizante e pontuam como a Revolução Cubana possibilitou um salto na qualificação profissional de distintos trabalhadores através da ampliação da rede de escolas técnicas. Desde então, a formação profissional técnica busca atender demandas dos setores industrial e agropecuário para o qual foram estabelecidos programas de ensino específicos orientados por diferentes ministérios de governo. Para o ingresso no ensino superior, os estudantes passam por uma formação pré-universitária que é compreendida como a antessala da universidade. Nessa modalidade de ensino, direcionada para as futuras carreiras que podem ser cursadas na universidade, ocorre o aprofundamento, sistematização e generalização dos conhecimentos obtidos nas etapas anteriores. Para tanto, as disciplinas são agrupadas em Humanidades, Ciências Naturais e Ciências Exatas, correspondendo às futuras carreiras que podem ser cursadas na universidade. Assim, Héctor González Gómez e Gisbert Tejas Martínez no artigo “La educación Pre Universitaria en Cuba: particularidades de la enseñanza de la Matemática”, examinam as diretrizes que norteiam o ensino da matemática no nível pré-universitário. O ensino de matemática é concebido como um dos mais importantes porque apresenta nível de complexidade que é básico para enfrentar os conteúdos das carreiras universitárias. Isso implica a compreensão de como os conceitos matemáticos permitem refletir sobre aspectos da realidade objetiva e suas aplicações na vida social. Para tanto, nessa etapa ocorre o aperfeiçoamento e aprofundamento dos conhecimentos sobre conceitos de número e função reais; as formas Apresentação

15


de pensamento e trabalho da matemática, como demonstrações indutivas e métodos combinatórios; sistematização dos aspectos fundamentais estudados nos ciclos anteriores. As análises apresentadas no artigo anterior são complementadas no artigo “Particularidades de la Educación Superior en Cuba: proceso de formación del valor y la responsabilidad en los estudiantes que cursan la carrera de Medicina”, de Yanett del Cerro Campano e Miguel Alejandro Cruz Cabezas, onde são identificadas as especificidades da formação de médicos cubanos. Nessa formação valoriza-se a dimensão técnica específica da área, buscando uma formação humanística frente aos problemas de saúde porque existe a preocupação em formar estudantes em diferentes contextos laborais, e cientes das reais situações de saúde. Para tanto, a atividade docente busca integrar as distintas dimensões da prática médica estimulando motivações, interesses e necessidades profissionais. Na mesma direção e focado no perfil técnico do profissional de pedagogia, Nurbia Ivia Zaragoza Morales, Miguel Alejandro Cruz Cabezas, Isabel María Almaguer Guerrero, no artigo “Particularidades de la Educación Superior en Cuba: la educación superior pedagógica con perfil técnico”, analisam as licenciaturas orientadas para a formação de professores capazes de atuar na docência em Educação Técnica e Profissional, vinculada à construção, mecânica, economia e agropecuária e química industrial. Nessa modalidade, o currículo é dividido em disciplinas comuns, formação básica e específica ao exercício da profissão. Por fim, o artigo “Particularidades de la educación superior en Cuba: gestión de la ciencia y la tecnología en las universidades cubanas”, de Martha María Morejón Borjas explora as influências do Sistema de Ciência, Inovação e Tecnologia sobre as universidades cubanas. Esse sistema orienta a definição de programas e projetos calcados na compreensão de que inovar é condição para o futuro da nação. A partir dessa concepção, a universidade busca inovar no ensino, ciência e tecnologia, segundo uma visão harmônica entre economia, ambiente e cultura para o desenvolvimento. Sua análise aponta para a importância do ensino superior estar fundamentado no tripé formação, pesquisa e extensão. Nessas condições, a universidade, 16

Apresentação


além da formação através do ensino, está ancorada na pesquisa que assegura o alto nível acadêmico, e cujos resultados contribuem para o desenvolvimento econômico e social, técnico e científico da nação. Para avançar a pesquisa universitária, assegura participação em redes de pesquisadores e colaboração internacional, que refletem sobre o ensino e pesquisa. Isso permite que as linhas de pesquisa e programas de pós-graduação estejam em associação com o que acontece no universo da pesquisa acadêmica ao redor do mundo, sendo traduzido em benefícios para o conjunto da sociedade. Os autores sublinham também as premiações oferecidas pelo sistema de ciência e tecnologia aos pesquisadores com destaque, de modo a dar visibilidade àquilo que está sendo produzido de inovador no país. Em síntese, a coletânea é um convite a um maior conhecimento da realidade cubana, que desde a Revolução Cubana dos anos 1950 inaugura um processo de reformulação educacional, ampliando o acesso da população a diferentes modalidades de ensino. Condensa análises sobre o histórico processo de educação em Cuba, que tem reconhecimento internacional como um dos mais bem sucedidos sistemas de ensino, dando base para pensar estratégias de ensino, bem como para orientar políticas públicas.

Referências Bandeira, L. A. (2009). De Martí a Fidel: a revolução cubana e a América Latina. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira. Bresser-Pereira, L. C. (2011). Cuba e o socialismo possível. Estudos avançados, 25(72), 227-232. Egler, T. T. (2014). De baixo para cima: política e tecnologia na educação. Rio de Janeiro: Letra Capital. Ivic, I.; & Coelho, E. P. (2010). Lev Semionovich Vygotsky. Recife: Fundação Joaquim Nabuco, Editora Massangana. López, M. Q. (2011). A educação em Cuba: seus fundamentos e desafios. Estudos Avançados, 25(72), 55-72. ONEI. (2017). Anuário Estadístico de Cuba 2016. Havana: ONEI. Raynaudo, G.; & Peralta, O. (Enero/Junio de 2017). Cambio conceptual: una mirada desde las teorías de Piaget y Vygotsky. Liberabit, 23(1), 137-148. Rodríguez, J. A. (2011). A educação em Cuba entre 1959 e 2010. Estudos avançados, 25(72), 45-54. Apresentação

17


Salas, A. L. (2001). Implicaciones educativas de la teoría sociocultural de Vygotsky. Educación, 25(2), 59-65. UNESCO. (2014). Documento de programación de país de la Unesco para la República de Cuba 2014-2018. Oficina Regional de Cultura para América Latina y el Caribe de la UNESCO. UNESCO. (2016). Terceiro relatório global sobre aprendizagem e educação de adultos. Brasília: UNESCO. Vygotskii, L. S.; Luria, A. R.; & Leontiev, A. N. (2010). Linguagem, Desenvolvimento e Aprendizagem (11ª ed.). São Paulo: Ícone. World Bank. (2017). World Development Indicators: Education inputs. World Bank. World Health Organization. (2018). World health statistics 2018: monitoring health for the SDGs, sustainable development goals. Luxemburgo: World Health Organization. Páginas visitadas: http://wdi.worldbank.org/table/2.7# https://datos.bancomundial.org/indicador/SE.PRM.ENRL.TC.ZS?locations=CU https://datos.bancomundial.org/indicador/SE.XPD.TOTL.GD.ZS http://www.mes.gob.cu/es

18

Apresentação


Presentación Los sentidos de la educación en Cuba: miradas, análisis y desafíos Aldenilson dos Santos Vitorino Costa Libys Martha Zuñiga Igarza Tamara Tania Cohen Egler

E

ste libro resulta de la presencia de la profesora doctora Libys Martha Zuñiga Igarza, organizadora del presente libro, en la condición de postdoctoranda en el período que va de agosto de 2014 a febrero de 2015, bajo la supervisión de la profesora doctora Tamara Tania Cohen Egler, coordinadora del libro, Labespacio, en el Instituto de Investigación y Planificación Urbana y Regional de la Universidad Federal de Río de Janeiro. La interlocución fue importante para el desarrollo de la investigación Política, red y educación en la ciudad, del Observatorio de la Educación de la Capes, que financió el trabajo de investigación en el período 2010 a 2016, cuando fue posible hacer una estancia en Cuba y conocer la política de educación, en 2016. El intercambio de experiencia condujo a la producción del presente libro, para llevar adelante la tarea de divulgar importantes experiencias de educación en el mundo. La cuestión que orienta los análisis de la presente colección es la política de educación implementada con la Revolución Cubana de 1959. A partir de esa política se producen transformaciones sociales que abren camino para la consolidación de un amplio sistema de enseñanza con destaque internacional y que viene alcanzando resultados positivos según las evaluaciones de organismos supranacionales. Se presentan estrategias utilizadas, así como los resultados de esa política de educación para dar publicidad a lo que se entiende como revolución en la educación y que alcanza a la mayor parte de la población, como una vía para comprender esta política pública. Presentación

19