a product message image
{' '} {' '}
Limited time offer
SAVE % on your upgrade

Page 1

ARQUITETURA E URBANISMO/ Leticia Margarido Moura

2019

P O R T F O L I O


CV

CURRICULUM VITAE

LETICIA MARGARIDO MOURA Rua Antonio Splendore, 735. 04788-230 São Paulo, SP Brasil contato tel: +55 (11) 5666-2890 cel:+55(11)99995-3310 email: leticiamargarido@gmail.com skype: leticiamargarido redes sociais @leticiamargarido

+ IDIOMAS

+ EDUCAÇÃO 2013-2018 graduação em arquitetura e urbanismo na Escola da Cidade_ recém formada na turma de 2018_total de 6 anos de curso. 2012 curso profissionalizante de fotografia na Escola Artes_total de 2 anos de curso

Panamericana de

2000-2011 ensino fundamental e médio no colégio alemão Humboldt (Humboldt Schule)

inglês avançado_formação nos ensinos fundamental e médio alemão intermediário baixo_formação nos ensinos fundamental e médio espanhol básico_formação no ensino fundamental português lingua nativa

+ EXPOSIÇÕES + WORKSHOPS ago_2016 Summer school: consciência da escala do corpo Iniciativa da Escola da Cidade em parceria com a faculdade de Nanjing-China e Konztanz-Alemanhã, realizada na China_duração de 1 mês set_2016 26H, proposta para a faculdade de Arquitetura e Urbanismo Escola da Cidade_duração de 1 semana mar_2017 Workshop Paraisópolis: estratégias de fortalecimento da comunidade Iniciativa da Escola da Cidade em parceria com estudantes de arquitetura e urbanismo da faculdade de Taubman, da universidade de Michigan, da organização RADDAR e do Projeto de Integração de Paraisópolis (PIPA) jul_2018 Programa de Summer School Porto Academy 2018. Workshop realizado pela universidade de arquitetura e urbanismo da cidade do Porto (FAUP) em Portugal. Trabalhei juntamente com o estúdio berlinense June 14 -Meyer-Grohbrugger & Chermayeff para o desenvolvimento de uma série de mobiliários para um hostel.

+ EXPERIENCIAS PROFISSIONAIS 2013 trabalho freelancer de gravação e direção de arte de fotografia e audiovisual 2017 estágio assistido no escritório de arquitetura CORREIA/RAGAZZI arquitectos, dos arquitetos Graça Correia e Roberto Ragazzi no Porto em Portugal_total de 600h de estágio.

2019 projeto e execução da reforma e do mobiliário do apartamento Menta em conjunto com a arquiteta Débora Filippini.

Set_2019 XXI BIAU Chile, bienal do Chile, em Santiago. Exibiçao do trabalho de conclusão de curso Interhabitar dentro da categoria São Paulo: diálogos e limites.

+ VIAGENS DE ESTUDO

As viagens de estudo são uma iniciativa da Escola da Cidade, onde os alunos, juntamente com professores e profissionais, passam o período de 1 semana em determinados lugares. O intuito das viagens é escapar do ensino teórico das salas de aula e estudar questões arquitetonicas, urbanisticas e históricas em campo, trazendo uma melhor compreensão do tema abordado e ampliando os horizontes.

2013 Rio de Janeiro Minas Gerais

2014 Vale do Paraíba Brasília

2015 Chile

2016 Paraguai

+ SOFTWARES Pacote Office Autocad Photoshop Illustrator InDesign Sketchup Vray Archicad

projeto

criação

design e pós produção

urbanismo

paisagismo

design de interiores

design de produto


casa de pesquisa para ornintólogos

exercício realizado na disciplina de projeto. s. paulo, fevereiro 2015

o projeto teve como proposta a elaboração de uma residência temporária para quatro pesquisadores de pássaro. o local de implantação se dá em um terreno hipotético e tudo que sabemos sobre ele é que é um lugar bem arborizado, localizado longe de qualquer infraestrutura e grandes vias, como ruas ou avenidas. devido ao terreno acidentado e à baixa acessibilidade da implantação, o projeto de habitação para pesquisadores procura simplicidade e leveza não só em sua estrutura e seu material, mas sobretudo em seu sistema construtivo. o projeto foi pensado e elaborado a partir de módulos feitos de peças pré-fabricadas e seguindo moldes e padrões já pré-estabelecidos, o que explica sua característica estreita e alongada. cada módulo possui um revestimento interno de madeira compensada, material barato e altamente ecológico, e um revestimento externo de painel de cedro vermelho, uma madeira leve, ecológica e mais resistente comparada com a madeira compensada. ambas as placas estão ligadas por vigas metálicas de aço de perfil “U”. a localização da residência no terreno é privilegiada e implantada de forma que os pesquisadores consigam ter uma visão panorâmica das árvores que cercam o projeto.


conjunto habitacional Pari projeto para conjunto residencial em um quarteirão do bairro do pari exercício realizado na disciplina de projeto. s. paulo, junho 2015

Uma quadra singular foi selecionada para o desenvolvimento do projeto para um conjunto habitacional no bairro do Pari, zona leste de São Paulo. O desenho busca a interlocução das diversas escalas das vias, construções existentes e futuras - é um bairro objeto de especulação imobiliária e conta com terrenos grandes, muitos com galpões e edifícios fabrís não utilizados -, a fruição pública e a qualidade ambiental; em um bairro que provavelmente será desenhado por empreendimentos de cunho privado. O projeto busca permear por completo essa quadra gigantesca que se localiza no coração do bairro, se contrapondo com a condição de “barreiras privativas” que esse terreno se encontra hoje. O conjunto habitacional permeia toda a borda do terreno, com seu térreo inteiramente público, sustentado por lojas e infraestruturas -como é o caso da biblioteca e da creche- deixando o núcleo com uma caracteristica de praça pública. A área para moradores começa a se dar no “segundo térreo”, na qual fica um nível acima da praça e possue uma caracterisca mais privada. Uma ponto forte desse projeto é o fato de que a modulação das três tipologias existentes no conjunto habitacional, permitem que se abram espaços internos, destinados a um melhor “convivio social” dos moradores, além disso, também afim de permear essa barreira visual vertical que é a criação de um conjunto habitacional nesse espaço.


conjunto habitacional em Santiago do Chile

exercício realizado na disciplina de projeto. s. paulo, agosto 2015

Uma quadra no coração de santiago foi escolhida para a elaboração desse projeto. O desenho do conjunto habitacional santiago tenta ao máximo buscar as características do entorno - uma rua marcada pelo seu comécio- e traze-las para o projeto. Ao entrar no conjunto, nos deparamos com uma praça, criada para auxiliar a escola de dança -que se encontra no térreo- e estabelecer conexões visuais mais intensas. Há também uma praça no intermediário do conjunto, criada unica e exclusivamente para os moradores do conjunto, essa praça é a responsável por estabelecer conexões visuais com a cordilheira que cerca santiago.


escola de circo da Mooca exercício realizado na disciplina de projeto. s. paulo, agosto 2016

A Mooca fica no limiar entre aquilo que historicamente foi uma região de produção dentro da cidade e o que as pressões imobiliárias pretendem para o bairro. com uma característica tipicamente fabril, esse espaço é cercado por tipologias antigas, com parte delas em desuso ou abandonadas -tornando-as objeto de disputa. a memória e a identidade parecem ter pouco valor de mercado nesse lugar e tendem a ser substituídas na primeira oportunidade. nesse ensaio, desenvolvemos um plano que busca conciliar de alguma maneira a paisagem histórica ao dinamismo da vida urbana. as infraestruturas industriais são preservadas e reconvertidas em espaços outros, estruturados em vetores de conexão, produção e ocupação. Cada programa é pensado de forma a articular espaços produtivos com espaços de habitação. a escola de circo faz parte de um conjunjunto que denominamos “o conjunto cultural mooca”. nesse espaço ele faz uma conexão direta com outros trabalhos elaborados por os demais alunos. o projeto da escola de circo atua como uma forma de intervenção em um dos galpões abandonados mais característicos do local. o projeto literalmente “rasga” o edificio ao meio. criando assim conexões visuais com os dois lados da mooca, além de permitir que os transeuntes vejam o que acontece nesse “meio interativo” acabado de criar.


janelão no mutirão do pobre exercício realizado junto com a aluna Juliana Souen para a disciplina de exercício único. s. paulo, jul 2017

O exercício proposto no primeiro semestre do ano de 2017 consiste na integração de três disciplinas – Tecnologia, Desenho e Projeto – e está baseado na prática de desenvolvimento de projetos em nível de execução, colocando o projeto em contato direto com questões relativas à construtibilidade, materialidade e industrialização do processo de execução da arquitetura, dos objetos e dos elementos que compõe a cidade. Tem como objetivo complementar o processo de trabalho por meio da produção de protótipos e modelos mais detalhados das situações desenhada e aprofundar o conhecimento de questões ligadas à industrialização e pré-fabricação da construção. O lugar escolhido para a proposição dos projetos foi a Associação Mutirão do Pobre, na Rua dos Filhos Da Terra, no Distrito de Tucuruvi, zona norte de São Paulo. A partir de estudos e análises do local, fica evidente a falta de integração do espaço interno das salas de aula e dos galpões –extremamente fechados e claustrofóbicos - com o lado externo. As janelas existentes tem em média um me- tro e vinte centímetros de altura, com várias grades e camadas de proteção devido a insegurança e episódios anteriores de roubos e assaltos, impossibilitando qualquer relação das crianças com o lado de fora. A partir disso, nasce a ideia do projeto que é dividido em duas etapas: as janelas e os brises. Primeiramente, foi executado com cautela um levantamento de toda a estrutura existente e dos blocos de alvenaria e é proposto um redesenho das janelas na parede da creche, aumentando-as tanto de comprimento quanto de largura. Sem alterar a estrutura presente hoje, dois grandes vãos se abrem, divididos em três folhas de vidro de correr, possibilitando a entrada de luz, vento e dialogando com o meio externo. Como forma de controle, segurança e servindo também como brinquedo para as crianças que estudam neste local, é proposto um painel de brises de madeira que ocupa a parede externa da creche em toda a sua extensão. Uma fachada interativa, na qual os brises possuem pivôs que giram 360 graus. Independente da janela, o painel possui sua própria estrutura e é fixado diretamente nos blocos de concreto existentes por meio de barras de cantoneiras metálicas separadas em módulos de um metro. Os brises são feitos de compensado naval (3 centímetros de espessura), possuem um de seus lados de tinta colorida e controlam a entrada de luz e vento dentro do ambiente. O conceito deste painel está atrelado a falta de equipamentos de brinquedo e de como novas formas de brincar podem ser incorporadas as crianças.


ap. Menta

projeto de reforma em apartamento reaizado em parceria com a arquiteta DĂŠbora Filippini projeto finalizado s. paulo, agosto. 2019


interhabitar entre o gênero, o movimento de moradia e o lar

tc 2018

O “Interhabitar: entre o gênero, o movimento de moradia e o lar” é um trabalho de conclusão de graduação, realizado dentro da instituição Associação Escola da Cidade Arquitetura e Urbanismo, juntamente com a disciplina Estúdio Vertical. O trabalho foi pensado e desenvolvido no segundo semestre de 2018 e, teve participação de cinco estudantes de diferentes anos letivos: Fernanda Liba, Gabriela Rudge, Marina Legaspe, Nicole Milko e eu, Leticia Margarido. O trabalho tem como premissa duas intenções de pesquisa: o gênero e os movimentos de moradia urbano na cidade de São Paulo. Em nosso trajeto, buscamos traçar uma relação entre estas duas frentes com o objetivo de entender melhor não só as questões que rodeaim a mulher em si, mas também como que as questões de gênero dentro de um contexto de luta se refletem na identidade individual de cada mulher que esta inserida nesse espaço. Foi com o propósito de responder a estas perguntas que o grupo organizou a próxima etapa da pesquisa. Esta foi desenvolvida visando uma forma de aproximação mais direta com mulheres e aos movimentos que elas participam. Nesse momento, tínhamos o interesse de criar uma relação entre a participação da mulher no movimento, a questão do gênero e a identidade pessoal de cada uma que ali está presente, afim de entender como é a sua trajetória e a quais as suas relações com o tema abordado. Nesta etapa realizamos dez entrevistas com mulheres, sendo elas líderes de movimentos de moradia e mulheres de assessoria técnica. Foi elaborado para cada uma um corpo de perguntas que as direcionavam de acordo com o nosso interesse. Ao longo de toda conversa, mantivemos um registro de áudio e vídeo, com finalidade de recolher o máximo de informações possíveis.


Lucimara

Simone

Kaya

mulheres entrevistadas As entrevistas foram desenvolvidas visando uma forma de aproximação mais direta com mulheres e aos movimentos que elas participam. Nesse momento, tínhamos o interesse de criar uma relação entre a participação da mulher no movimento, a questão do gênero e a identidade pessoal de cada uma que ali está presente, afim de entender como é a sua trajetória e a quais as suas relações com o tema abordado. Nesta etapa realizamos dez entrevistas com mulheres, sendo elas líderes de movimentos de moradia e mulheres de assessoria técnica. Foi elaborado para cada uma um corpo de perguntas que as direcionavam de acordo com o nosso interesse. Ao longo de toda conversa, mantivemos um registro de áudio e vídeo, com finalidade de recolher o máximo de informações possíveis.

Salomé

Zelina, Cris e Marisa

Lenir


A terceira parte é a etapa conclusiva do trabalho. Nesse momento temos como objetivo amarrar todas as informações que juntamos nos processos anteriores para transforma-las em um objeto de representação gráfica com fins expositivos. Para esse momento pensamos estabelecer um exercício de mapeamento com as informações recolhidas, afim de estruturar um acesso ao conteúdo levantado, entendido por nós, como pertinentes para a compreensão do tema. Este caderno é um registro do trajeto que foi percorrido pelo grupo no segundo semestre de 2018, que vai desde um embasamento teórico até o produto apresentado no final do semestre. Vale lembrar que o Interhabitar é um trabalho que tende a ter continuidade e não se encerra necessariamente em apenas um semestre.


Zelina Cris Renata Miron Graça Xavier

João Dória Junior (PSDB)

MLSM

Michel Temer (PMDB)

MMM

Geraldo Alckmin (PSDB)

MSTS

Dilma Rousseff Kaya Ivaneti Araújo

MML

Florestan Fernandes

Karina Leitão Eva Helena Heloisa Julieta Dani Fabiana Márcia Hirata Uelida

Dilma Roussef (PT)

2010

MTL

Alberto Goldman (PSDB)

Fernando Haddad (PT)

José Serra (PSDB)

Gilberto Kassab (PFL/DEM/PSDB)

Claudio Lembro (PFL)

José Serra (PSDB)

MCMV

Cleonice Dias Santos Paula Santoro

FLM

Erminia Maricato MMRC

Celso Pitta (PPB)

Fórum de cortiço e sem-teto

Fernando Henrique Cardoso (PSDB)

FNMP

Itamar Franco (PMDB)

ULC Ass.ª Ambiente Ass.ª Usina CTAH UMM

1990

Fernando Collor (PRN)

José Sarney (PMDB)

CUT

Paulo Maluf (PDS/PPR/PPB) Luiz Antônio Fleury (PMDB)

Orestes Quércia (PMDB)

Luiza Erundina (PT)

Jânio Quadros (PTB)

MST

Teresinha

1980

Heleieth Saffiot

Mário Covas (PSDB)

João Figueiredo (PDS)

MDDF

Ernesto Geisel (ARENA)

Franco Montoro (PMDB)

Mário Covas (PMDB) Francisco Altino (PMDB)

José Marin (PDS)

Antônio Curiati (PDS)

Paulo Maluf (PDS)

Reinaldo de Barros (ARENA)

Paulo Egydio (ARENA)

Olavo Setúbal (ARENA) Miguel Colausuonno (ARENA)

Maria Virgem

1970

Emílio Médici (ARENA) Aurélio Tavares militar Costa e Silva (ARENA) Castelo Branco (ARENA) Ranieri Mazzilli (PSD)

Inácia

1960

Lina Bo Bardi

João Goulart (PTB) Ranieri Mazzilli (PSD)

Laudo Natel (ARENA)

Roberto de Abreu (ARENA)

Laudo Natel (ARENA)

Adhemar de Barros (PSP)

Figueiredo Ferraz (ARENA)

Paulo Maluf (ARENA)

COHAB

Faria Lima (MTR/ARENA)

Prestes Maia (PSP)

Jânio Quadros (PTN) Juscelino Kubitschek (PSD)

Carvalho Pinto (PDC)

Vladimir de Toledo (PSP)

Nereu Ramos (PSD)

Anete

Carlos Luz (PSD)

Jânio Quadros (PTN)

Café Filho (PSD)

1950

Simone de Beauvoir

Getúlio Vargas (AL)

Ademar Pereira de Barros (PSP)

Lucas Nogueira Garcez (PSP)

Juvenal Lino de Matos (PSP) William Salem (PSP) Jânio Quadros (PDC) Lineu Prestes (PSP)

Eurico Gaspar Dutra (PSD

Carmen Portinho

Adhemar de Barros (PSP) José Macedo Soares (PDC)

Asdrúbal Cunha (PSP) Paulo Lauro (PSP)

CDHU

Dona Joana Paulina

CMP Brasil Habitat

BNH

Evaniza

Marta Suplicy (PT)

MMC / MTST

Celso Garcia

Lucimara Raquel Rolnik Mayumi Watanabe

Luiz Inácio Lula da Silva (PT)

Geraldo Alckmin (PSDB)

FUNAPS

Duralina (Vó do Hip-Hop) Angela Amaral Paulinha Marina Eulina Dona Nora Isabel Luci Valente Lenir Salomé Vera Tânia Maria Conceição Luiza Erundina

2000

BNH

Ana Cristina Rose Dona Alveci

Paulo Freire

Jade Percassi Beatriz Tone Heloisa Diniz Isadora Guerreiro

MSCT

Prestes Maia

Carmen Silva Simone

Ocupação Mauá

Comuna Irmã Alberta

Toninha

Jardim São Francisco

Cristiano Stockler das Neves (PSP)

Abraão Ribeiro

1940 IAP’S

O primeiro diagrama proposto pelo grupo foi o temporal, afim de entender melhor não apenas a inserção das mulheres dentro do movimento, mas também as politicas habitacionais de cada período e a inserção dos movimentos na sociedade ao longo dos anos. Este mapa serviu como base teórica de toda a pesquisa que foi realizada ao longo do semestre.

Irene Marisa

FCP

+ TEMPO + temporal

mulheres / influências

processos ocupação/ mutirão das entrevistadas

datas

gestão / cargos políticos

programas habitacionais


re

co

ec

ton

ns

tru

om

ão

ta

ir

r

ia

na luta

ÃO

direitos espaços

IA

ção viola s limite ismo mach o ti cole v ia n ê urg c sidade s e c e n ado patriarc o abandon ia c n ê resist

deficit habitacional

desvalorização

periferia

preconceito

ocupar

esforço negligência

aprendizado enfrentar

exclusão competência

participação confiança

desrespeito dificuld ade batalh adoras guerre iras meno sprez o dema nda mate rn resis idade tênc ia cruc ifica ç ã o peri feria terr a sex o inse frágil gur anç a

estudar tatividade

represen

liderança cia militân ania cidad o izaçã cient cons s paço ar es ocup ar pert des r riza valo tica polí to pei res ço nsa ca ora ad en ão d r aç o co niz tica a í r org pol ce es r r c za ali a n ist io qu iss o n f o çã co pr lu o v re

Cr

is

a is

ar M a

lin

Ze

e on

Tonin ha

Kay a

a tin

ris

aC An

é

Lucimara

m Salo

ir

Len

Sim

na luta

TRANSFORMAÇ

ha zin r i ão un re ress p e r cia lên idade vio n nto ter ma iname f n s co çõe iga r b o o ssã opre

co

ÊNC

es so log fem o inis mo uniã fort alec o ime nto insp iraç prot ão agon ismo refor ma legalid ade defen der acesso

diá

e

ad

lid bi

AN

ac

er

us

to

l

RM

co

au

cl

so

en

no

a

ci

im

in

lib

lar

PE

nh

nec e med ssidad e o abu siv o ins egu ran ma ç chi sm a res o po ns cas am abilid ent de ad sq e o ua me lific n aç os l ut ão pr ez ca a o s ad am e eq di ua nto fic d o pr uld ad em eoc e u p pa ti a açã o

no

ar

Este diagrama tem como proposta uma aproximação mais direta às falas das mulheres. Nesse exercício buscamos entender qual a relação estabelecida ente as mulheres, os movimentos e o lar. Para isso, foram levantados diversos tópicos que apareceram nos discursos das dez mulheres entrevistadas, na qual foram selecionados e subdivididos ente temas que retratam as questões que mudaram e que permaneceram dentro do âmbito do lar e da luta. Com esse diagrama buscamos mostrar não só um panorama geral das entrevistas e dos temas abordados, mas também qual pauta apareceu com mais frequência.

a vergonh o urb an orto conf uista conq o açã ntiz scie itos con dir e fas tare idir ão div aç cip an de em ida to lar r titu onfo ar c ax rel e d ida ito im pe int e s re ad e id ad gn di id e c iva idad r pr n isa tu tiv ça or n le op ra co o gu çã se ira sp in

+ sensível


são-gai exercício realizado na disciplina de desenho. s. paulo, setembro 2016 São-gai é uma cidade hipotética, que não existe. Foi criada para mesclar elementos característicos e arquitetonicos de São Paulo com Xangai. A criação da fotocolangem, juntamente com a crônica, surgiu da minha percepção supercondensada dos meus ultimos momentos em São Paulo, minha cidade natal, com a percepção que eu tive em Xangai, após uma viagem para lá.

O excesso de pessoas na rua trazia um certo caos a um lugar que de longe parecia tão milimetricamente pensado. Naquele lugar havia claramente uma corrida aos céus, tudo era governado por uma megalomania de escalas siderais, quase como aquela cidade que Walter Benjamin já citou antes, a cidade de “números puros, da abundância, do excesso da mera expansão territorial”. Naquele momento eu estava vivendo dentro de uma atmosfera fetichista por excelência, na qual coabitam narcisismo e toda violência do imaginário. Minha mão não conseguia tocar as paredes. Aquelas gigantescas construções não pareciam estar lá para ser tocadas, elas aspiravam um ar quase que monumental. Continuei andando. O som agudo das pessoas falando, de vendedores e das músicas que tocavam nas lojas pareciam estar diminuindo. A paisagem vem sendo novamente redesenhada. Consigo encontrar novamente o meu caminho. As ruas se estreitaram, os prédios abaixaram, demorei para perceber que estava na minha cidade. Então dali fui para a casa.


guia da batata

exercício realizado na disciplina de estúdio vertical. s. paulo, agosto 2014 não é de hoje que o largo da batata é visto apenas como local de passagem pelos usuários e transeuntes. o guia surgiu da vontade de ressaltar todos os pontos positivos do largo, pontuando todos os lugares que existem no entorno e muitas vezes são esquecidos pela monotomia do largo. o guia foi criando em parceria com Mariana Geroldo, Laura Papalardo, Leticia Ensinas


são paulo em blocos

“São Paulo em blocos” foi um projeto realizado para a disciplina de Desenho e Representação, que propôs a elaboração conceitual e técnica de um brinquedo. Sua elaboração surgiu da reflexão de como seria possível sintetizar e explicar uma malha tão complexa como a cidade de São Paulo de uma forma não apenas mais simples, mas também menos convencional. Essa reflexão, unida à proposta da disciplina, fez com que o projeto se concretizasse em uma simples e lúdica solução: transformar a cidade de São Paulo em um conhecido jogo de blocos de montar. O desenho atribuído nos blocos teve como base as fachadas dos prédios da movimentada Rua General Jardim, localizada no centro da cidade de São Paulo. Apesar do caráter lúdico em sua forma, “São Paulo em blocos” tece uma leve crítica a como esses prédios vêm sendo desenhados.


fachada el cabriton trabalho independente realizado em parceria com Allan Langer e o artísta plástico e ilustrador Bruno Miranda s. paulo, agosto 2014 Um trabalho independente de audiovisual, realizado em parceria com o artísta plastico e ilustrador Bruno Miranda. O artísta foi chamado para criar uma arte para a fachada da loja “El Cabriton”, localizada na rua Augusta - uma das mais conhecidas e movimentadas da cidade de São Paulo. O vídeo tem como intenção -além da experiência pessoal de gravação e direção de arte- promover o trabalho do artísta.

< https://vimeo.com/84704198>


Leticia Margarido 2019

Profile for Letícia Margarido

Leticia Margargarido // Arquitetura + Design Portfolio // 2020  

Leticia Margargarido // Arquitetura + Design Portfolio // 2020  

Advertisement