Page 81

Aelin não via aquela roupa, não a vestia desde... Ela olhou para o local vazio sobre a lareira. Outro teste. Um silencioso, para ver o quanto estava disposta a perdoar e esquecer, o quanto suportaria trabalhar com ele. O rei dos Assassinos pagara pela roupa anos antes; custara uma quantia exorbitante exigida por um mestre alfaiate de Melisande, que a fizera à mão com as medidas exatas da jovem. Arobynn insistira para que seus dois melhores assassinos tivessem as discretas roupas letais, então dera a de Aelin como um presente, um de muitos que ele empilhara sobre ela, em reparação por tê-la espancado e depois enviado ao deserto Vermelho para treinar. Aelin e Sam tinham, ambos, levado surras cruéis pela desobediência, mas Arobynn fizera o rapaz pagar pelo traje dele. Então lhe dera trabalhos de pouca importância para evitar que Sam quitasse a dívida rapidamente. A jovem colocou o traje de volta na caixa e começou a se despir, inspirando o cheiro de chuva sobre pedra que emanava pelas janelas abertas. Ah, podia bancar a protegida devotada de novo. Podia seguir com o plano que deixaria Arobynn criar; o plano que ela modificaria levemente, apenas o bastante. Mataria quem quer fosse necessário, se prostituiria, se destruiria, caso aquilo significasse levar Aedion para a segurança. Dois dias — apenas dois dias — até que pudesse vê-lo de novo, até que pudesse ver com os próprios olhos que Aedion conseguira, que sobrevivera todos aqueles anos em que ficaram afastados. E, mesmo que seu primo a odiasse, cuspisse nela, como Chaol praticamente fizera... valeria a pena. Nua, Aelin vestiu a roupa, o material macio e escorregadio sussurrando contra a pele. Típico de Arobynn não mencionar quais modificações tinha feito — criando um enigma letal para ela decifrar se fosse esperta o bastante para sobreviver. A jovem agitou o corpo para dentro do traje, com o cuidado de evitar disparar o mecanismo que projetava aquelas lâminas ocultas, tateando em busca de qualquer outra arma ou truque escondidos. Era um trabalho para outro momento, até que o traje a envolvesse por completo e Aelin prendesse os pés nas botas. Ao seguir para o quarto, já conseguia sentir os reforços acrescentados a cada ponto fraco que ela possuía. As especificações deviam ter sido enviadas meses antes de a roupa chegar, pelo homem que, de fato, sabia sobre o joelho que às vezes falhava, as partes do corpo que eram favorecidas em combate, a velocidade com que se movia. Todo o conhecimento de Arobynn sobre Aelin envolto no corpo da jovem em um tecido de aço e escuridão. Ela parou diante do espelho de corpo inteiro na parede mais afastada do

Profile for Letícia Lopes dos Santos Pereira da Silva

Trono de Vidro: Rainha das Sombras - Parte1  

Parte um do volume 4 da série Trono de Vidro de Sarah J. Maas

Trono de Vidro: Rainha das Sombras - Parte1  

Parte um do volume 4 da série Trono de Vidro de Sarah J. Maas

Advertisement