Page 230

apartamento era tão pequeno que Aedion começava a considerar dormir no armazém, no andar de baixo, para ter alguma sensação de espaço. No entanto, ele sempre se sentia dessa forma — em Forte da Fenda ou em Orynth ou nos palácios mais ricos — se ficasse tempo demais sem caminhar por florestas ou campos, sem o beijo do vento no rosto. Pelos deuses, preferiria até mesmo o campo de batalha da Devastação àquilo. Fazia tempo demais desde que vira seus homens, desde que rira com eles, ouvira e secretamente invejara suas histórias sobre as famílias, sobre os lares. Mas não mais; não agora que sua própria família fora devolvida a ele; não agora que Aelin era seu lar. Mesmo que as paredes do lar dela o estivessem sufocando. Aedion devia parecer tão enjaulado quanto se sentia, pois Aelin revirou os olhos ao voltar para o apartamento naquela tarde. — Tudo bem, tudo bem — disse ela, erguendo as mãos. — Prefiro que você se destrua a que destrua minha mobília por tédio. É pior que um cão. Seu primo sorriu, exibindo os dentes. — Meu objetivo é impressionar. Então eles se armaram e se cobriram com mantos e deram dois passos para fora antes de Aedion detectar um odor feminino — como menta ou algum tempero que não conseguia identificar — aproximando-se. Rapidamente. Sentira aquele cheiro antes, mas não conseguia dizer onde. Dor irradiou pelas costelas quando pegou a adaga, mas Aelin falou: — É Nesryn. Relaxe. De fato, a mulher que se aproximava ergueu a mão em cumprimento, embora estivesse tão coberta que Aedion não conseguia ver nada do lindo rosto abaixo. Aelin a encontrou na metade do quarteirão, movendo-se com destreza naquele traje preto malicioso, e não se incomodou em esperar por Aedion ao dizer: — Algo errado? A atenção da rebelde passou de Aedion para sua rainha. O general não se esquecera do dia no castelo: a flecha que Nesryn disparara e aquela que apontara para ele. — Não. Vim dar notícias sobre os novos ninhos que encontramos. Mas posso voltar depois se estiverem ocupados. — Só estávamos saindo para o general beber alguma coisa — explicou Aelin. Os cabelos na altura dos ombros e pretos como a noite se moveram sob o capuz quando Nesryn inclinou a cabeça.

Profile for Letícia Lopes dos Santos Pereira da Silva

Trono de Vidro: Rainha das Sombras - Parte1  

Parte um do volume 4 da série Trono de Vidro de Sarah J. Maas

Trono de Vidro: Rainha das Sombras - Parte1  

Parte um do volume 4 da série Trono de Vidro de Sarah J. Maas

Advertisement