Page 172

eram de ferro — tão próximos dos braços de Manon. Uma mordida e a Líder Alada estaria morta. Uma mordida, no entanto... Os olhos do animal se ergueram e encararam os de Elide. Não olharam para ela, mas encararam, como se... A criada se manteve perfeitamente imóvel, embora cada instinto seu gritasse para que corresse em direção às escadas. A serpente alada cutucou Manon, abrindo espaço para passar conforme o chão tremia sob ele, e farejou na direção de Elide. Então aqueles olhos imensos, infinitos, desceram... para as pernas da jovem. Não, para a corrente. Havia tantas cicatrizes no corpo dele — tantas marcas brutais. Elide não achava que Manon as tivesse infligido, não pelo modo como falava com o animal. Abraxos era menor que os demais, ela percebeu. Muito menor. No entanto, a Líder Alada o escolhera. A criada guardou essa informação também. Se Manon tinha um ponto fraco para coisas quebradas, talvez a poupasse também. Abraxos se abaixou até o chão, estendendo o pescoço até que a cabeça se apoiasse no feno a menos de 3 metros de Elide. Aqueles olhos pretos imensos a fitaram, quase como um cão. — Chega, Abraxos — ciciou a bruxa, pegando uma sela na estante da parede. — Como eles... existem? — sussurrou Elide. Ouvira histórias de serpentes aladas e dragões, assim como se lembrava de lampejos do Povo Pequenino e dos feéricos, mas... Manon jogou a sela de couro sobre a montaria. — O rei as fez. Não sei como, e não importa. O rei de Adarlan as fez, como o que quer que era feito dentro daquelas montanhas. O homem que destruíra a vida de Elide, que assassinara seus pais, que a condenara àquilo... Não seja uma revoltada, dissera Finnula, seja esperta. E em breve o rei e a droga daquele império não seriam de sua conta, de qualquer forma. Elide comentou: — Sua montaria não parece maligna. — A cauda de Abraxos bateu no chão, os espinhos de ferro brilharam. Um cão gigante e letal. Com asas. Manon bufou uma risada fria e prendeu a sela no lugar. — Não. Como quer que ele tenha sido feito, algo deu errado com essa parte. A criada não achou que isso constituía dar errado, mas ficou de boca fechada. O animal ainda a encarava, então a Líder Alada falou:

Profile for Letícia Lopes dos Santos Pereira da Silva

Trono de Vidro: Rainha das Sombras - Parte1  

Parte um do volume 4 da série Trono de Vidro de Sarah J. Maas

Trono de Vidro: Rainha das Sombras - Parte1  

Parte um do volume 4 da série Trono de Vidro de Sarah J. Maas

Advertisement