Page 151

ataque direto ao peito de Aelin. Ela desviou o golpe para o lado com uma adaga, girando-a contra o torso exposto do homem. Sangue quente e fétido disparou em sua mão quando a outra lâmina foi enfiada no olho do sujeito. Ele ainda caía quando Aelin percorreu os últimos poucos metros até a plataforma de madeira e se impulsionou para subir, rolando e mantendo-se abaixada até estar diretamente abaixo dos dois outros guardas, que continuavam tentando afastar a cortina de fumaça. Ambos gritaram ao ser estripados com dois golpes. A quarta badalada do relógio soou, e ali estava Aedion, as três sentinelas ao redor dele empaladas por pedaços do banco. Ele era imenso — mais ainda de perto. Um guarda saiu da fumaça, avançando contra os dois, e Aelin gritou: — Abaixe-se! — Então atirou a adaga contra o rosto que se aproximava. Aedion quase não se moveu rápido o bastante para evitar o golpe, e o sangue do homem jorrou no ombro da túnica do general. Ela disparou contra as correntes nos tornozelos de Aedion, embainhando a adaga que restava na lateral do corpo. Um sobressalto a percorreu, e luz azul ofuscou sua visão quando o Olho brilhou. Aelin não ousou parar, nem mesmo por um segundo. Qualquer que fosse o feitiço que o rei tinha colocado nas correntes de Aedion, este queimou como fogo azul conforme ela cortou o próprio antebraço com a adaga e usou o sangue para desenhar os símbolos que memorizara no objeto: Abra. As correntes caíram no chão com um estampido. Sétima badalada do relógio. Os gritos se tornaram algo mais alto, mais selvagem, e a voz do rei ecoou sobre a multidão em pânico. Um guarda correu até os dois com a espada em punho. Outro benefício da fumaça: era arriscado demais atirar flechas. Mas Aelin só daria crédito a Arobynn se saísse dali com vida. Ela desembainhou outra adaga, escondida na costura do manto cinza. O sujeito caiu segurando a garganta, agora aberta de orelha a orelha. Então Aelin se voltou para o primo, tirou a longa corrente do Olho do pescoço e a colocou por cima da cabeça dele. A jovem abriu a boca, mas Aedion arquejou: — A espada. E foi quando ela reparou na lâmina exposta atrás do banco. A Espada de Orynth.

Profile for Letícia Lopes dos Santos Pereira da Silva

Trono de Vidro: Rainha das Sombras - Parte1  

Parte um do volume 4 da série Trono de Vidro de Sarah J. Maas

Trono de Vidro: Rainha das Sombras - Parte1  

Parte um do volume 4 da série Trono de Vidro de Sarah J. Maas

Advertisement