Page 1

LETÍCIA CÂNDIDO PORTFOLIO DE ARQUITETURA E URBANISMO 2013-2019


Apresentação Resumo

Olá! Me chamo Letícia, sou Arquiteta Urbanista graduada pela Universidade de Fortaleza (2018). Este portfólio reúne alguns trabalhos profissionais e acadêmicos, feitos individualmente ou em colaboração com colegas/orientadores, que resumem parte da minha trajetória. Considero-me uma pessoa proativa, curiosa e sempre disposta a aprender coisas novas, características expressas nas participações em projetos de iniciação científica e iniciação à docência na vida acadêmica, convergindo na publicação e apresentação de alguns artigos. Ainda, minhas experiências profissionais até o momento contribuíram com meu trabalho focado em resultados, senso de organização, responsabilidade e profissionalismo com colegas e clientes. Acredito nos espaços como incubadores das experiências pessoais e sociais. Por isso, acredito muito na transformação positiva dos mesmos e na consequente contribuição da arquitetura e do urbanismo para esse aspecto.


Curriculum Vitae

Letícia Cândido de Oliveira São Cetano do Sul, SP +55 85 98800-9082 / 55+ 11 96336-9527 leticiacandidoarq@gmail.com

FORMAÇÃO ACADÊMICA TCC: “Diferentes Olhares Lançados Sobre as ZEIS: propostas de intervenções no terceiro espaço do Serviluz”. Orientação: Prof. Dra. Carla Camila Girão Albuquerque

Arquitetura e Urbanismo 2013-2018 Universidade de Fortaleza - UNIFOR

EXPERIÊNCIAS ACADÊMICAS Programa de Monitoria Voluntária 2017 Disciplina: Projeto Urbanístico

Orientação: Marcelo Capasso Orientação: Aline Barroso

Projeto de Pesquisa - Bolsista 2016 A Ordenação Urbana e Ambiental Participativa Como Ferramenta para o Desenvolvimento Sustentável: Um Estudo de Caso na Resex Prainha do Canto Verde

Orientação: Amíria Brasil

Projeto de Pesquisa - Voluntária 2016 Metodologia para implementação das ZEIS na cidade de Fortaleza Programa de Monitoria Voluntária 2014 Disciplina: Técnicas de Representação I

Orientação: Marilena Carvalho / Mônica Veras

EXPERIÊNCIAS PROFISSIONAIS Prática Autônoma 2018-atual Arquiteta Urbanista

Realização de projetos de arquitetura e consultorias. Exercido o cargo de Coordenação Técnica na elaboração do Plano Integrado de Regularização Fundiária (PIRF) das Zonas Especiais de Interesse Social - ZEIS do Mucuripe, ZEIS Praia Do Futuro II B e ZEIS Serviluz.

Universidade de Fortaleza 2019 Arquiteta Urbanista

Exercido o cargo de Arquiteta Júnior na elaboração de projetos legais e executivos, residenciais e comerciais.

Marina Fernandes Arquitetura e Interiores 2018 Arquiteta Urbanista

Exercido o cargo de estagiária em arquitetura na elaboração de desenhos técnicos e maquetes eletrônicas.

Marina Fernandes Arquitetura e Interiores 2017-2018 Estagiária

Exercido o cargo de estagiária em arquitetura na elaboração de desenhos técnicos e maquetes eletrônicas. Exercido o cargo de estagiária em arquitetura e urbanismo na produção de mapas, auxílio nas publicações do Plano Fortaleza 2040, auxílio no Relatório das Zonas Especiais de Interesse Social.

Manuela Cidrão Arquitetura 2017 Estagiária Instituto de Planejamento de Fortaleza - IPLANFOR 2015 Estagiária

HABILIDADES

AutoCad

Photoshop

Archicad

Sketchup

Illustrator

Pacote Office

Vray

Qgis

Inglês


ÍNDICE PROJETOS 2013-2019


6

RESIDÊNCIA UNIFAMILIAR D+S

12

REFORMA SALA P+R

20

CLÍNICA DE CIRURGIA ESTÉTICA E REPARADORA

30

TRABALHO FINAL DE GRADUAÇÃO

36

PRODUÇÕES


PROJETO

RESIDÊNCIA UNIFAMILIAR D+S

N

FICHA TÉCNICA

LOCALIZAÇÃO.

Localização: Caucaia/CE. Condimínio de Loteamento Residencial.

Categoria: Profissional Ano: 2019 Etapa: Estudo Preliminar Co-autores: -

Softwares usados: Autocad Sketchup Vray Illustrator Photoshop

Com um programa de necessidades desafiador para o terreno de 419,50m2 com rígidas regras construtivas, o Projeto D+S contempla as solicitações de uma residência para um casal e seu filho, que adoram celebrar a vida com amigos e parentes. A entrada imponente foi solicitada pelos clientes, bem como uma casa predominantemente térrea. Dessa forma, o pavimento superior abriga apenas o ambiente do escritório, contribuindo com a grandeza da fachada frontal. Ainda, destaca-se a integração entre cozinha, sala de estar/jantar, sala de cinema e varanda externa, ideal para receber convidados. O resultado foi uma residência de 210,00m2 de área construída, apresentada a seguir.

PALETA DE CORES E MATERIAIS

6


7


Pedestres Veículos PERSPECTIVA GERAL

Pedestres SETORIZAÇÃO SOCIAL

SETORIZAÇÃO DE SERVIÇO

cobertura do ambiente lazer externo em pergolado de madeira volume caixa d’àgua escritório no mezanino pórtico - marcação de destaque na fachada

PAVIMENTO SUPERIOR

SETORIZAÇÃO SOCIAL

alvenaria dobrada em suíte master para isolamento térmico

jogo de cheios e vazios no muro de divisa lateral

recuo na alvenaria (local roupeiro)

escada de acesso ao escritório

avanço na alvenaria para proteção contra incidência do sol poente. Criação de ritmo em fachada lateral

sala e cozinha integradas

PAVIMENTO TÉRREO

8

SETORIZAÇÃO ÍNTIMA

SETORIZAÇÃO SOCIAL

SETORIZAÇÃO DE SERVIÇO


PROPOSTA 02 APRESENTADA

EVOLUÇÃO DAS PROPOSTAS DE FACHADA

PROPOSTA 01 APRESENTADA

PROPOSTA 03 APRESENTADA

PROPOSTA FINAL APROVADA 9


10


11


B PR. XX 1.35 1.50

4.15 4.00

.20

2.25 2.75

.15 .15

2.45

3.80

13.90 .15 1.40 .15 .90 10.85

.15 .15 .15

1.55

3.20 .15

.15 .75 2.25 .15 .15 1.35 .15

2.45

1.40 1.40 1.40 1.55

.15 .15 .15

.15 .15

.15 .15 .15

ÁREA COMERCIAL MURO DIVISA H=3,00m 3.65

3.50 3.50 3.65

-0,05

PROJ. RECUO OBRIGATÓRIO

3.50 .20

3.13

.15 SUÍTE 01 A=10,10m2 +0,12

2.55

CIRC. 01 A=4,27m2 +0,12

SUÍTE 02 A=9,62m2 +0,12

PR. XX A

2.80

1.20 3.00 2.90

SERVIÇO A=4,16m2 +0,10

.15 ACESSO SOCIAL

VARANDA GOURMET A=19,70m2 +0,10

-0,05

PROJ. COBERTA

4.50

.15 .25

CIRC. 02 A=4,65m2 +0,12

-0,05

4.50

COZINHA A=14,40m2 +0,12

3.45

3.45 3.45

PROJ. VIGA

.15 .15

FIXA

.15 1.30 30.18

QTO. HÓSPEDE A=8,96m2 +0,12

LAVABO EXT. A=2,70m2 +0,08

PROJ. COBERTA

.15 .15

3.20

.15

PR. XX A

5.00

SALA ESTAR/JANTAR A=25,22m2 +0,12

4.50 2.10

FIXA

GARAGEM A=23,90m2 +0,10

SALA DE TV A=8,70m2 +0,12

.30 .35

1.10

3.00

WC SOCIAL A=3,30m2 +0,10

HALL ENTRADA A=2,30m2 +0,12

PROJ. RECUO OBRIGATÓRIO

.15

1.55

.15

ESCADA A=5,40m2

.60 .20 .50 .20 .50 .20 .50 .20 .50 .20 .50 .40.15

30.18

.15 .15

1.10

WC 01 A=2,47m2 +0,10

WC 02 A=3,02m2 +0,10

LAZER EXTERNO A=22,60m2 +0,05

LOTE 07 MURO DIVISA H=2,00m

WC MASTER A=4,22m2 +0,10

PROJ. COBERTA

MURO DIVISA H=2,00m LOTE 05

CLOSET MASTER A=7,76m2 +0,12

SUÍTE MASTER A=11,09m2 +0,12

4.75

.15 2.90

1.10

.00 .15 .15

3.13 2.83 3.03

PROJ. PERGOLADO

.15 .15.30 .20

PROJ. COBERTA

ACESSO DE PEDESTRES

PASSEIO (INTERTRAVADO) SEGUIR PADRÃO DA ASSOCIAÇÃO PASSEIO +0,00 1.50 1.50 1.35

.50 .15 1.10

.15

3.95 2.90 5.55

.15

B PR. XX

.15

1.10

.30 .15 13.90

.90

.15

RUA G

6.40

4.80 3.20

01

.20

1.55 1.55 1.55

.15 .75

PLANTA BAIXA PAV. TERREO ESC. GRAFICA 0

1

N

12

ACESSO DE VEÍCULOS

2.00 2.00

2.00 2.00 2.00 2.00

JD. FRONTAL -0,05

5.60

5.60 5.20 5.20

PROJ. RECUO OBRIGATÓRIO

2m


B PR. XX

13.90 2.65 2.45

.20

.15

2.90

.30

8.20

4.70

.15

1.40 1.55

.15 .15

1.35 1.50

.15

.15

3.65 3.50

3.50 3.65

ÁREA COMERCIAL MURO DIVISA H=3,00m

LOTE 07 MURO DIVISA H=2,00m

CALHA

PR. XX A

16.28 COBERTA TIPO TERMOACÚSTICA i= 5%

.15 .15

CALHA

21.33

DESCE INC. 20%

COBERTA TIPO TERMOACÚSTICA i= 5%

2.20 .15 4.00

+0,05

S

1 2 3 4 J8 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15

SALA ESTAR/JANTAR A=25,22m2 +0,12

GUARDA CORPO

1.95

COBERTA TIPO TERMOACÚSTICA 5%

H=0,90m

5.40 5.20

JD. FRONTAL -0,05

ACESSO DE PEDESTRES

5.20 5.20

.35

1.20

.15

3.15

ESCRITÓRIO A=25,22m2 +3,00

5.05

CALHA

IO

AZ

.V

OJ

PR

5.00 5.00

J8

DESCE INC. 20%

ESCADA A=5,40m2

DESCE INC. 20%

+0,05

J8

ACESSO DE VEÍCULOS

1.50

.15

2.00 2.00

PASSEIO (INTERTRAVADO) SEGUIR PADRÃO DA ASSOCIAÇÃO PASSEIO +0,00

4.15

.15

B PR. XX

2.00 2.00

PR. XX A

COBERTA TIPO TERMOACÚSTICA i= 5%

DESCE INC. 20%

COBERTA TIPO TERMOACÚSTICA i= 5%

CALHA

MURO DIVISA H=2,00m LOTE 05

12.53 .20

2.70

.20

3.03

.15 .20

+0,05

1.10

.15

RUA G

5.00

.15

1.55

PLANTA BAIXA PAV. SUPERIOR 0

1

2m

N

02 ESC. GRAFICA

13


PROJETO REFORMA SALA P+R

N

FICHA TÉCNICA

LOCALIZAÇÃO.

Localização: Fortaleza/CE. Condomínio de Casas Residenciais.

Categoria: Profissional Ano: 2019 Etapa: Projeto Executivo Co-autores: -

Softwares usados: Autocad Sketchup Vray Illustrator Photoshop

O projeto de reforma da sala dos clientes P+R foi solicitado no contexto de uma situação existente de não aproveitamento adequado do espaço e o desejo de adaptação para receber amigos e familiares com maior conforto. A casa de 50m2 tem a sala com um dos únicos espaços de socialização, ao mesmo tempo que funciona como passagem principal para o restante da casa: cozinha, quintal e quartos do pavimento superior. A solução de baixo orçamento foi repensar o layout, de forma a aproveitar o espaço existente para abrigar funções distintas: circular, receber visitas e assistir TV.

PALETA DE CORES E MATERIAIS

14


Perspectiva A

Perspectiva C Perspectiva B

15


16


17


18


19


20


LEGENDA MATERIAIS SÍMBOLO

ESPECIFICAÇÃO

SÍMBOLO

ESPECIFICAÇÃO

M1

MDF SAVANA, Guararapes, linha dual synero (ou similar das marcas Eucatex ou Duratex, conferir com cliente)

TJ

Acabamento em tijolinho branco, a definir com cliente

ME

Metalon com pintura cor branca

P1

Tinta acetinada Suvinil, cor Chave de Fenda; cód. A756 (ou similar, conferir com cliente)

OBS.01- A fixação do móvel suspenso de metalon e MDF deverá ser definida junto ao cliente, observando as melhores condições de segurança; OBS.02- Sugere-se que os profissionais responsáveis pelo metalon e pela marcenaria, respectivamente, estejam em contato durante o planejamento e execução do móvel suspenso, a fim de definir as melhores soluções de produção e montagem da peça; OBS.03- A seção do perfil de metalon está especificada em 2mm, mas poderá variar caso o profissional executor achar pertinente.

LEGENDA PONTOS ELÉTRICOS SÍMBOLO

ESPECIFICAÇÃO

S

Interruptor simples / altura indicada / em caixa 4"x2"

S2

Interruptor de duas seções / altura indicada / em caixa 4"x2"

S3

Interruptor de três seções / altura indicada / em caixa 4"x2" Pontos existentes Pontos novos Pontos modificados

SÍMBOLO

ESPECIFICAÇÃO

Tomada de corrente universal (2P+T) tripla / altura baixa indicada / em caixa 4"x2" Tomada de corrente universal (2P+T) tripla / altura média indicada / em caixa 4"x2" Ponto para internet / altura indicada OBS.01- As alturas estão indicadas do piso ao eixo;

SÍMBOLO

ESPECIFICAÇÃO

Ponto para telefone / altura indicada Passagem de cabeamento / altura indicada Antena / altura indicada

OBS.02- Não serão indicadas alturas de pontos existentes.

21


PROJETO

CLÍNICA DE CIRURGIA ESTÉTICA E REPARADORA

N

FICHA TÉCNICA

LOCALIZAÇÃO.

Localização: Fortaleza/CE. Loteamento proposto no bairro Presidente Kennedy. Categoria: Estudantil Ano: 2016 Etapa: Projeto Executivo Co-autores: Débora Rodrigues Fernanda Geórgia Letícia Cândido Orientação: Euler Muniz Fernanda Rocha Softwares usados: Autocad Revit Lumion Illustrator Photoshop

22

Projeto de uma Clínica de Cirurgia Estética e Reparadora para a disciplina Ateliê V: Arquitetura e Paisagismo. Trabalhou-se com parcelamento do solo, aprofundamento e desenvolvimento de projeto arquitetônico voltado para necessidades de competência da área da saúde, habilidades em soluções para topografia acidentada e paisagismo no contexto de uma clínica reparadora. Buscou aproveitar-se dos desníveis existentes para conduzir o paciente a diferentes sensações e experiências do espaço, levando em consideração a não linearidade, bem como valorizar a utilização do espaço livre/verde enquanto elemento desmistificador da ideia de apatia e frieza de ambientes hospitalares, auxiliando, dessa forma, na recuperação dos pacientes.


LOCAÇÃO: O TERRENO

Original: Topografia inicial, de acordo com o resultante do parcelamento da gleba.

Escavação Níveis: Escavação feita para rebaixar o bloco de internação (2 pavimentos), criando um espaço de nicho para o pavimento térreo. Entretanto, a primeira decisão foi de escavar 5m, o que geraria uma grande quantidade de volume de areia, despendendo muitos gastos para destinação e transporte desse substrato.

Movimento de terra Nova escavação

Setorização/Programa de Necessidades: Divisão do programa de necessidades de acordo com o terreno, acessos, proximidades. ADMINISTRAÇÃO ENTRADA / SAÍDA DE PACIENTES

APOIO INTERNAÇÃO

AMBULATORIAL

Modular: Definição de um bloco com dimensões padrão. 10x15m

CENTRO CIRURGICO

LOGÍSTICO

DIAGNÓSTICO

Jogo de volume: Possibilidades múltiplas com adição, rotação e combinações com o bloco padrão. 10x30m

o módulo permite utilização de pré-moldados: economia, menos disperdício e rapidez na construção. pórticos estruturais liberdade formal: “brinca-se” com a forma, com um mesmo elemento. Repetição, adição, contraste, cheios e vazios.

PROPOSTA INICIAL

PARTIDO: O MÓDULO

PROGRAMA: SETORES

Níveis: A nova escavação, agora com apenas 1m de profundidade, permitiu a permanência da ideia dos nichos ao mesmo tempo que se conseguiu pensar em uma destinação para a areia escavada dentro da própria obra.

ENTRADA / SAÍDA DE FUNCIONÁRIOS / CARGA E DESCARGA

Primeira volumetria: Junção da setorização desejada com o jogo de blocos após análise formal.

23


Evolução formal: Blocos de entrada/ saída de pacientes.

Recepções: Particulares de cada setor, mas interligadas e visíveis entre si.

2 2,5

Circulação: Justificativa para mudança formal. Espaços deixados anteriormente para passagem geravam sensação de opressão e desconforto.

2 2

1

1

2 2

ESTUDO: EVOLUÇÃO DA FORMA

Pátios internos: Consequência da disposição dos blocos, criação de pátios internos. Boas visuais e boa interação com a área não-edificada.

1 2

2

2 +1

Módulos: Estudo do número de módulos e seus pavimentos para análise de mudança formal.

Reorganização: Resultado da redistribuição formal.

Evolução formal: Blocos da internação.

Acabamento: Conflito de encontro de paredes que dificultavam o acabamento construtivo e a limpeza do ambiente.

Cheios e vazios: Deslocamento de blocos. Localização dos leitos de enfermaria

Proposta: Forma final dos setores de administração, ambulatorial, diagnóstico e centro cirurgico.

Circulação: Observou-se que a distância a ser percorrida ao longo de toda a internação era muito grande e monótona.

Localização dos leitos de apartamento

Circulação: Quebra da continuidade, dinamismo ao percorrer o corredor.

24

Ritmo: Abertura visual ao longo do corredor da internação. Possibilita também a quebra da monotonia.

Nichos: Campo de visão dos leitos de internação. Permite a visual para a inclinação topográfica e para o parque logo à frente. Situação de aconchego.


01 - Estudo da forma

02 - Estudo da forma

03 - Estudo da forma

25


26


27


28


29


30


31


PROJETO

TRABALHO FINAL DE GRADUAÇÃO

N

FICHA TÉCNICA

LOCALIZAÇÃO.

Localização: Fortaleza/CE. Zona Especial de Interesse Social 1 Serviluz

Categoria: Estudantil Ano: 2018 Etapa: Estudo Preliminar Co-autores: Orientação: Carla Camila Girão Albuquerque

Softwares usados: Autocad Illustrator Photoshop

32

O Trabalho Final de Graduação tem as Zonas Especiais de Interesse Social (ZEIS) e processos participativos como foco de estudo e proposição. Parte-se de reflexões acerca das políticas urbanas e habitacionais desenvolvidas no Brasil, desde o BNH, incluindo o que o Estatuto da Cidade traz em seu texto, aprofundando-se no instrumento de ZEIS e evidenciando sua inoperância na cidade de Fortaleza diante do que se propõe. Para isso, escolheu-se a ZEIS Serviluz para desenvolver uma proposta de intervenção. O cenceito da intervenção se relaciona com o espaço público enquanto locus de trocas políticas, culturais e sociais, tendo como premissa a definição de “terceiro espaço”, noção que debate a complexidade, fluidez e constante processo de reconfiguração das territorializações, entendendo o mundo não mais como a junção de territórios pre estabelecidos, mas sim como a confluência desses processos secundários que estão em constante movimento. A seguir, mostra-se apenas uma pequena parte do resultado que o trabalho trouxe para discussão. O documento completo pode ser encontrado em www.issuu.com/leticiacandido27/docs/trabalho_final_de_graduacao_leticia_candido_de_oli.


desterritorialização

In-Between ESPAÇO limites difusos

TERRITÓRIO

ZEIS

LIVRE

HÍBRIDO

CULTURA

ESPAÇO INTERSTICIAL

descentramentos

ENTRE-LUGAR

LUGAR

lugar intervalar ESPAÇO intersticial

ZEIS

DIREITO À CIDADE

tecer espacio

terceiro espaço

THE THIRD SPACE

ZEIS

caminho do meio

33


Metodologia de Diagnóstico Específico - Diagramas Após diagnóstico geral da ZEIS Serviluz, o plano de intervenção apoiou-se nos espaços livres existentes. Para tanto, foi preciso aproximar o diagnóstico para a escala desses espaços, aplicando-se portanto a metodologia a seguir. Para contribuir na construção metodológica a respeito do diagnóstico mais aproximado das áreas selecionadas para intervenção, foi utilizado como referência bibliográfica a publicação de Rosa (2011), que analisa alguns projetos em São Paulo a partir do que se chama de “estrutura-padrão” de análise. Utilizou-se um recorte dessa metodologia para aplicar neste trabalho, além de se achar necessário inserir a variável da “porosidade” devido à inserção das ideias de terceiro espaço na conceituação da intervenção no espaço do Serviluz. A seguir, demonstra-se como se pretende utilizar a metodologia acima citada, fazendo uma espécie de cartão-resumo dos elementos explorados em cada zona de aproximação selecionada.

Estratégias de projeto

AGLOMERADORES

ESQUINAS

PERCURSO MENOR

ROSA, Marcos. Microplanejamento – Práticas urbanas criativas. São Paulo, Editora de Cultura, 2011.

34


1

Nome / Característica da forma: i.

ii.

iii.

iv.

i. Aglomeradores: Espaços livres, geralmente identificados como “praças” pelos moradores, com potencialidade para concentrar várias atividades ao mesmo tempo e/ou atividades de grande porte. ii. Esquinas: Encontro de duas vias. Espaço potencial e simbólico do encontro e do direcionamento a outras partes da ZEIS. iii. Percurso Menor: Ligações internas na ZEIS. As vias se tornam espaços fecundos da atividade cotidiana e das desterritorializações e reterritorializações diversas. iv. Percurso Maior: Ligações entre ZEIS e restante da malha urbana da cidade. Apresenta também potencial de conexão de um grande número de espaços internos.

2

Espaço concreto / Conexto:

Descrição do espaço construído através de um parágrafo breve.

3

Base Google Earth:

Imagem aérea retirada do software Google Earth, no ano de 2017. Necessária para visualização do entorno do espaço discutido, além da ocorrência de cheios e vazios, massas de vegetação, forma e distribuição das edificações.

4

6

5

Diagrama de densidade de ocorrência Camada 3 Ações Geradas Camada 2 Objetos Relacionais Camada 1 Morfologia

Porosidade: Consideradas neste trabalho como as aberturas e possibilidade de trocas sociais e passagem, seja na relação edifício/rua, seja na identificação dos diversos acessos ao espaço analisado. A análise é feita a partir da planta baixa no AutoCAD com as fachadas rebatidas na própria planta. Tática:

Adicionar

Ativar

Camada 1: estrutura formada pelas edificações, vias e espaços livres; Camada 2: objetos que, quando fazem parte de interações cotidianas, acrescentam na arquitetura e significação do lugar; Camada 3: interações cotidianas, ações, usuários ativos no espaço; Camada extra: alguma camada julgada necessaria para formação e composição do espaço existente.

Desenho tático (MICHAEL DE CERTEAU apud ROSA, 2011) é aqui proposto como intervenções guiadas a partir de circunstâncias já existentes. Pode-se, portanto, ativar algumas ferramentas já presentes no espaço, de forma a aproveitar suas potencialidades, bem como sugerir a adição de novas ferramentas, sempre relacionadas com a observação do que acontece no campo inspecionado. Ao lado esquerdo, encontram-se as ferramentas a serem ativadas ou adicionadas em forma de ícones. Ao lado direito, um texto explicativo. 35


1

Praça Tiago Dias

2

Espaço concreto / Contexto: Espaço remanescente de uma quadra, pouca arborização, piso em concreto e terra, meio-fio, mobiliário urbano . Edificações próximas até 3 pavimentos, compostas por associações (do Serviluz e do Titanzinho), residências e comércio. Possui relação direta com o mar e a prática de surf.

5

3

Diagrama de densidade de ocorrência

fotografar

encontrar amigos apoiar objetos

sentar-se à sombra discutir transitar graffitar assistir

osa

contemplar

R.

surfar nadar

ar

am nt Po

ite . Le v A

rb Ba

brincar na rua

io

cil ar M o

R.

vi Fla

Ações geradas

é os oJ

comércio

molhe titan

ã .S

R

mesas

varanda

cadeira + arvore

Base Google Earth (2017) pedras

4

escorrega projetor bancos

mar

pedra c/ graffiti

Objetos Relacionais casas casas

pedaço de quadra

viela

Porosidade rua

Morfologia

6

Ferramentas 36

Tática: Aproveita-se o uso existente do espaço para atividades de audiovisuais e reuniões comunitárias, trazendo as projeções de data-show para a parede da Associação de Moradores do Serviluz (IPOM). Cria-se uma espécie de arquibancada aproveitando o desnível entre a praça e as edificações, unificando a leitura daquele espaço. Insere-se mobiliário urbano de apoio e de descanso, além de uma estrutura nas pedras do molhe para contemplação dos surfistas e banhistas do Titanzinho. As expressões artísticas são potencializadas e valorizadas nessa praça.


BLOCOS DE CONCRETO POROSO PRE-MOLDADO COM PINTURA VERMELHA (3x2)m

ESCADA/ARQUIBANCADA

PLATAFORMA DE OBERVAÇÃO FIXADA NAS PEDRAS

MOBILIARIO: BLOCO/BANCO DE CONCRETO

CHEGADA DO ESPAÇO AGLOMERADOR

2,5m

0m

2,5m

5m

37


PRODUÇÕES

IMAGENS 01: Imagem renderizada (Sketchup + Vray) - Quarto do filho, pela arquiteta Marina Fernandes. 02: Imagem renderizada (Sketchup + Vray) - Varanda gourmet, pela arquiteta Marina Fernandes 03: Imagem renderizada (Sketchup + Vray) - W.C. casal, pela arquiteta Marina Fernandes 04: Imagem renderizada (Sketchup + Vray + Photoshop) - Loja, pela arquiteta Marina Fernandes 05: Imagem renderizada (Sketchup + Vray) - Área externa, pela arquiteta Marina Fernandes 06: Imagem renderizada (Sketchup + Vray) - Interior de loja, pela arquiteta Marina Fernandes 07: Mapa (Qgis) - Diagnóstico socioeconômico, por Letícia Cândido 08: Mapa (Qgis + Illustrator) - Diagnóstico infraestrutura básica, por Letícia Cândido

38

01


02

03

39


04

05 40


06

41


42

07


100

0

100

200

300 m

MAPA - INFRAESTRUTURA BÁSICA LEGENDA Esgotamento sanitário Abastecimento de água Linhas Topográficas 1.0m

56.0m Fonte: Prefeitura Municipal de Fortaleza

08 43


Profile for Leticia Candido

PORTFÓLIO - LETÍCIA CÂNDIDO (2013-2019)  

PORTFÓLIO - LETÍCIA CÂNDIDO (2013-2019)  

Advertisement