Issuu on Google+

25. ORAÇÃO DE AÇÃO DE GRAÇAS

O(a) presidente, ocupando o lugar no altar, convida a assembleia para o louvor: P – O senhor esteja com vocês! T – Ele está no meio de nós! P – Demos graças ao Senhor, nosso Deus! T – É nosso dever e nossa salvação! O(a) presidente convida a assembleia a expressar motivos de ação de graças... (30º Curso: 10.05)

É bom cantar um bendito / um canto novo, um louvor (bis) 1. Ao Deus dos tempos de outrora, / suprema força da História, / que merece toda glória, / por Jesus, nosso Senhor! (bis) 2. Por Jesus, o Prometido, / pelos profetas predito, / pela Virgem concebido / e esperado com amor! (bis) 3. Jesus, por João anunciado, / presente entre nós mostrado, / por Ele o prazer é dado, / de esperá-lo com ardor! (bis) 4. Ao preparar seu Natal, / querer sua

vinda final, / quando finda todo mal / e se acaba toda dor. (bis) 5. Que na prece vigiemos, / de esperar não nos cansemos, / à sua vinda nos achemos, / celebrando seu louvor. (bis) 6. E agora, ó Desejado, / o teu povo congregado, / aos céus e à terra irmanado, / louva e bendiz ao Senhor! (bis) P – Por este sinal do corpo do teu Filho, que alimenta e sustenta a tua Igreja, expressamos nossa fé e invocamos sobre nós o teu Espírito. Apressa o tempo da vinda do teu reino e recebe o louvor de toda a criação e a prece que elevamos a ti com as palavras que Jesus nos ensinou: T – Pai Nosso... pois vosso é o reino, o poder e a glória para sempre.

P – Assim diz o Senhor: “Eis que estou à porta e bato: se alguém ouvir a minha voz e abrir a porta, entrarei em sua casa e comerei com ele e ele comigo” (Ap 3,20) Mostrando o pão consagrado: P – Eis o Cordeiro de Deus, aquele que tira o pecado do mundo! T – Senhor, eu não sou digno(a)... Partilha do pão consagrado: canto da comunhão número 17A e B deste folheto.

28. ORAÇÃO FINAL

Nós te louvamos, Deus de bondade, porque nos alegraste na mesa da tua comunhão. Que a tua misericórdia nos acompanhe, nos torne portadores da boa-nova da libertação e nos prepare 26. ABRAÇO DA PAZ para as festas que se aproximam. Por P – Irmãos e irmãs, por sua morte e res- Cristo, nosso Senhor! Amém. surreição, o Cristo nos reconciliou. De- O roteiro de “onde não houver missa” mo-nos uns aos outros o abraço da paz! encontra-se no livro “Dia do Senhor”, de

27. RITO DA COMUNHÃO

(Após o Pai-Nosso, quem preside convida a comunidade a partilhar o pão, dizendo:)

M. Guimarães e P. Carpanedo, Paulinas: Apostolado Litúrgico.

O SENHOR VEM! ALEGRIA!

Sugestões para a equipe de celebração: A celebração deste domingo nos convida à alegria, porque o Senhor que esperamos já está conosco e com Ele preparamos o Advento do seu Reino. É tempo de redobrar nossa paciência e nossa esperança: fortalecer as mãos e os joelhos enfraquecidos e animar quem está deprimido e desanimado. Os sinais da salvação estão presentes e podemos percebê-los nas ações concretas de vida e libertação, realizadas por pessoas e comunidades alegres e dedicadas. Em cada celebração, o Senhor quer transformar nosso sofrimento e nosso choro em gozo e alegria, um ensaio da realidade nova que desejamos para nós e para o mundo. Sugestões para a equipe de celebração: 1. A cor rosa deste domingo, o Gaudete, é sinal de nossa ale-

gria ao prepararmos a vinda do Senhor. 2. Marcar toda a celebração com expressões de alegria e de esperança 3. A comunidade seja convidada a expressar os motivos que tem para se alegrar e ter esperança – sinais da presença amorosa e fiel de Deus em nosso meio. 4. Se a comunidade ainda não começou a armar seu presépio, será muito oportuno, começar a fazê-lo neste dia. 5. Preparação próxima do Natal (17 a 24 de dezembro) Os dias de semana deste período visam de modo mais direto à preparação do Natal do Senhor (NALC, n. 42). O Ofício e a Missa são sempre do dia; mas pode haver Comemoração facultativa de algum santo. (Diretório da Liturgia, CNBB, p. 190.)

LEITURAS BÍBLICAS:

2ª-f.:Nm 24,2-7.15-17a; Mt 21,23-27. 3ª-f.: Sf 3,1-2.9-13; Mt 21,28-32. 4ª-f.: Is 45,6b-8.18.21b-25; Lc 7,19-23. 5ª-f.: Is 54,1-10; Lc 7,24-30. 6ª-f.: Gn 49,2.8-10; Mt 1,1-17. Sábado: Jr 23,5-8; Mat 1,18-24. Domingo: 4º Domingo do Advento – Is 7,10-14; Rm 1,1-7; Mt 1,18-24.

CÚRIA ARQUIDIOCESANA Praça Dom Emanuel, s/n - Centro - Caixa postal 174 CEP 74001-970 - Goiânia - Goiás Fone: (62) 3223-0759 - curia@arquidiocesedegoiania.org.br

Arquidiocese de Goiânia

3º Domingo do Advento

12 de dezembro de 2010- Ano XXVIII - Nº 1584

O SENHOR VEM! ALEGRIA! Preparação: a) Chegada, oração pessoal, ensaios de canto; b) Tempo de silêncio; c) Refrão meditativo: (39º Curso: 08.10)

“Vigiai unidos a mim, / comigo orando, / sempre orando.” (Cantar várias vezes até a assembleia tornar-se um só corpo. Durante o canto, faz-se o acendimento da 3ª. vela da coroa do Advento.)

1. MOTIVAÇÃO

A – Irmãs e irmãos, deixemos a alegria tomar conta de nosso coração e nossa vida. O Natal do Senhor está próximo. Preparemos a festa da verdade, da justiça, do amor e da paz. Iniciemos nossa celebração, cantando.

P – O Deus da esperança, que nos cumula de toda alegria e paz em nossa fé, pela ação do Espírito Santo, esteja convosco. T – Bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo.

4. ATO PENITENCIAL

P – Estamos à espera do Senhor. Preparamos sua vinda na medida em que tornarmos realidade o seu reino de vida, justiça, fraternidade, verdade e santidade. Cada um de nós vive tudo o que esta preparação exige? (Pausa) Peçamos perdão, cantando: (34º Curso: 09.07)

1. Senhor, que vindes visitar vosso povo na paz, tende piedade de nós. 2. Cristo, que vindes salvar o que estava perdido, tende piedade de nós. 3. Senhor, que vindes criar um mundo novo, tende piedade de nós. 2. CANTO DE ABERTURA (37º Curso: 09.09) Senhor, tende piedade. Cristo, ten1. Uma voz fez-se ouvir lá no deserto: / de piedade de nós. Senhor, piedade, “Preparai os caminhos do Senhor!” / Na piedade de nós. (bis) (Conclusão pelo presidente) alegria do Céu assim tão perto, /entoou toda Terra este clamor: 5. ORAÇÃO Vem, Senhor, não tardes mais, / és o P – Oremos. anseio das nações! / Vem curar os nos(Pausa para oração) sos “ais” / e expulsar as opressões! / Ó Deus de bondade, que vedes o vosPastor Santo de Israel, / vem salvar teu so povo esperando fervoroso o natal do povo, vem! / Deus bendito, Emanuel, / Senhor, dai chegarmos às alegrias da vem salvar teu povo, vem! Salvação e celebrá-las sempre com in2. Vai cumprir-se do Céu a profecia: / tenso júbilo na solene liturgia. Por nos“Nosso Deus entre nós vem habitar!” / so Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na Reunido, e na paz da liturgia, / vem o unidade do Espírito Santo. T – Amém. povo de Deus então cantar: 3. No horizonte já brilha nova vida, / Luz LITURGIA DA PALAVRA sublime de um novo amanhecer. / A – Em atitude de escuta, acolhamos a PaE, feliz, rumo à Terra Prometida, / eis o lavra de Deus que vem dar sentido para a povo de Deus sempre a dizer: verdadeira preparação de sua chegada. 4. Eis grilhões da injustiça já rompidos, / mil algemas quebradas pelo amor, / mas 6. PRIMEIRA LEITURA Leitura do Livro do Profeta Isaías na paz, o clamor dos oprimidos / chega (35,1-6a.10) – 1Alegre-se a terra que era ao Céu neste brado de louvor. deserta e intransitável, exulte a solidão e floresça como um lírio. 2Germine e 3. ACOLHIDA exulte de alegria e louvores. Foi-lhe P – Em nome do Pai... dada a glória do Líbano, o esplendor T – Amém.

do Carmelo e de Saron; seus habitantes verão a glória do Senhor, a majestade do nosso Deus. 3 Fortalecei as mãos enfraquecidas e firmai os joelhos debilitados. 4Dizei às pessoas deprimidas: “Criai ânimo, não tenhais medo! Vede, é vosso Deus, é a vingança que vem, é a recompensa de Deus; é ele que vem para vos salvar”. 5 Então se abrirão os olhos do cegos e se descerrarão os ouvidos dos surdos. 6a O coxo saltará como um cervo e se desatará a língua dos mudos. 10Os que o Senhor salvou, voltarão para casa. Eles virão a Sião cantando louvores, com infinita alegria brilhado em seus rostos: cheios de gozo e contentamento, não mais conhecerão a dor e o pranto. - Palavra do Senhor. T - Graças a Deus. (Tempo de silêncio)

7. SALMO 145 (146)

(Salmos e Aclamações / ano A: 11.10)

Vinde, Senhor! / Vinde, Senhor! / Vinde, Senhor, para salvar o vosso povo! 7 O Senhor é fiel para sempre, / faz justiça aos que são oprimidos; / ele dá alimento aos famintos, / é o Senhor quem liberta os cativos. 8 O Senhor abre os olhos aos cegos, / o Senhor faz erguer-se o caído, / o Senhor ama aquele que é justo, / 9aé o Senhor quem protege o estrangeiro. b Ele ampara a viúva e o órfão, / cmas confunde os caminhos dos maus. / 10O Senhor reinará para sempre! / Ó Sião, o teu Deus reinará. (Tempo de silêncio)

8. SEGUNDA LEITURA

Leitura da Carta de São Tiago (5,7-10) – Irmãos, 7ficai firmes até à vinda do Senhor. Vede o agricultor: ele espera o precioso fruto da terra e fica firme até cair a chuva do outono ou da primavera. 8 Também vós, ficai firmes e fortalecei vossos corações, porque a vinda do Senhor está próxima. 9 Irmãos, não vos queixeis uns dos


outros, para que não sejais julgados. Eis que o juiz está às portas. 10Irmãos, tomai por modelo de sofrimento e firmeza os profetas, que falaram em nome do Senhor. – Palavra do Senhor. T – Graças a Deus. (Tempo de silêncio)

9. ACLAMAÇÃO AO EVANGELHO

(Salmos e Aclamações / ano A: 11.10)

Aleluia! Aleluia! Aleluia! Aleluia! O Espírito do Senhor sobre mim fez a sua unção, / enviou-me aos empobrecidos a fazer feliz proclamação! P – O Senhor esteja convosco. T – Ele está no meio de nós. P – Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus T – Glória a vós, Senhor. (11,2-11) – Naquele tempo, 2João estava na prisão. Quando ouviu falar das obras de Cristo, enviou-lhe alguns discípulos, 3para lhe perguntarem: “ És tu, aquele que há de vir, ou devemos esperar um outro?” 4 Jesus respondeu-lhes: “Ide contar a João o que estais ouvindo e vendo: 5 os cegos recuperam a vida, os paralíticos andam, os leprosos são curados, os surdos ouvem, os mortos ressuscitam e os pobres são evangelizados. 6Feliz aquele que não se escandaliza por causa de mim!” 7 Os discípulos de João partiram, e Jesus começou a falar às multidões, sobre João: “O que fostes ver no deserto? Um caniço agitado pelo vento? 8 O que fostes ver? Um homem vestido com roupas finas? Mas os que vestem roupas finas estão nos palácios dos reis. 9Então, o que fostes ver? Um profeta? Sim, eu vos afirmo, e alguém que é mais do que profeta. “10É dele que está escrito: 'Eis que envio o meu mensageiro à tua frente; ele vai preparar o teu caminho diante de ti'. 11 Em verdade vos digo, de todos os homens que já nasceram, nenhum é maior do que João Batista. No entanto, o menor no Reino dos Céus é maior do que ele”. – Palavra da Salvação. T – Glória a vós, Senhor. (Tempo de silêncio)

10. HOMILIA

(Após a homilia, pausa para reflexão.)

11. PROFISSÃO DE FÉ

12. ORAÇÃO COMUNITÁRIA P – Guiados pela Palavra do Senhor, que nos cura e liberta de todo pecado, apresentemos a Ele nossa oração. 1. Vem, Senhor, sustenta o Papa Bento na condução da Igreja, para que sejam curadas todas as feridas. T – Vem logo, vem nos salvar. 2. Vem, Senhor, cura-nos da cegueira que não nos deixa enxergar nossos pecados. 3. Vem, Senhor, cura-nos da surdez que não nos deixa ouvir tua Palavra e buscar a conversão. 4. Vem, Senhor, cura-nos da paralisia da indiferença que nos impede de ir ao encontro dos que sofrem e precisam de nós. 5. Vem, Senhor, cura-nos da lepra do preconceito, da discriminação que gera exclusão. 6. Vem Senhor, cura-nos da omissão e ajudanos a superar o falso desenvolvimento que destrói o Cerrado, a terra e nossas águas. (Preces da comunidade) (Conclusão pelo presidente)

LITURGIA EUCARÍSTICA (Onde não houver missa, segue a partir do nº 23 deste folheto.) P – Todos os anos, a Igreja do Brasil realiza, neste 3º Domingo do Advento, uma coleta especial. Nós, cristãos, somos chamados a oferecer um pouco do que o Senhor nos deu para colaborar com a missão que Jesus nos confia. Enquanto cantamos o canto de preparação das oferendas, vamos fazer nossa oferta para a Campanha da Evangelização.

13. CANTO DE PREPARAÇÃO DAS OFERENDAS 30º Curso: 10.05)

1. As nossas mãos se abrem, / mesmo na luta e na dor, / e trazem pão e vinho, / para esperar o Senhor. Deus ama os pobres / e se fez pobre, também: / desceu à terra / e fez pousada em Belém. 2. As nossas mãos se elevam, / para, num gesto de amor, / retribuir a vida, / que vem das mãos do Senhor. 3. As nossas mãos se encontram / na mais fraterna união. / Façamos deste mundo / a grande “Casa do Pão”! 4. As nossas mãos sofridas / nem sempre têm o que dar, / mas vale a própria vida / de quem prossegue a lutar.

14. ORAÇÃO

P – Orai, irmãos e irmãs, para que o P – Cheios de confiança, professemos nosso sacrifício seja aceito por Deus Pai todo-poderoso. a nossa fé. T – Receba o Senhor por tuas mãos T – Creio em Deus Pai...

este sacrifício, para glória do seu nome, para nosso bem e de toda a santa Igreja. Possamos, ó Pai, oferecer-vos sem cessar estes dons da nossa devoção, para que, ao celebramos o sacramento que nos destes, se realizem em nós as maravilhas da salvação. Por Cristo, nosso Senhor. T – Amém.

15. ORAÇÃO EUCARÍSTICA III (Prefácio do Advento, I )

P – O Senhor esteja convosco. T – Ele está no meio de nós. P – Corações ao alto. T – O nosso coração está em Deus. P – Demos graças ao Senhor, nosso Deus. T – É nosso dever e nossa salvação. Na verdade, é justo e necessário, é nosso dever e salvação dar-vos graças, sempre e em todo o lugar, Senhor, Pai santo, Deus eterno e todo-poderoso, por Cristo, Senhor nosso. Revestido da nossa fragilidade, ele veio a primeira vez para realizar seu eterno plano de amor, e abrir-nos o caminho da salvação. Revestido de sua glória, ele virá uma segunda vez para concedernos em plenitude os bens prometidos que hoje, vigilantes, esperamos. Por essa razão, agora e sempre, nós nos unimos aos anjos e a todos os santos, cantando (dizendo) a uma só voz: T – Santo, Santo, Santo... Na verdade, vós sois santo, ó Deus do universo, e tudo o que criastes proclama o vosso louvor, porque, por Jesus Cristo, vosso Filho e Senhor nosso, e pela força do Espírito Santo, dais vida e santidade a todas as coisas e não cessais de reunir o vosso povo, para que vos ofereça em toda parte, do nascer ao pôr do sol, um sacrifício perfeito. T – Santificai e reuni o vosso povo! Por isso, nós vos suplicamos: santificai pelo Espírito Santo as oferendas que vos apresentamos para serem consagradas, a fim de que se tornem o Corpo e o Sangue de Jesus Cristo, vosso Filho e Senhor nosso, que nos mandou celebrar este mistério. T – Santificai nossa oferenda, ó Senhor! Na noite em que ia ser entregue, ele tomou o pão, deu graças, e o partiu e deu a seus discípulos, dizendo: Tomai, todos, e comei: isto é o meu Corpo, que será entregue por vós. Do mesmo modo, ao fim da ceia, ele tomou o cálice em suas mãos, deu graças novamente, e o deu a seus discípulos, dizendo: Tomai, todos, e bebei: este é o

cálice do meu Sangue, o Sangue da nova e eterna aliança, que será derramado por vós e por todos para remissão dos pecados. Fazei isto em memória de Mim. Eis o mistério da fé! T – Anunciamos, Senhor, a vossa morte e proclamamos a vossa ressurreição. Vinde, Senhor Jesus! Celebrando agora, ó Pai, a memória do vosso Filho, da sua paixão que nos salva, da sua gloriosa ressurreição e da sua ascensão ao céu, e enquanto esperamos a sua nova vinda, nós vos oferecemos em ação de graças este sacrifício de vida e santidade. T – Recebei, ó Senhor, a nossa oferta! Olhai com bondade a oferenda da vossa Igreja, reconhecei o sacrifício que nos reconcilia convosco e concedei que, alimentando-nos com o Corpo e o Sangue do vosso Filho, sejamos repletos do Espírito Santo e nos tornemos em Cristo um só corpo e um só espírito. T – Fazei de nós um só corpo e um só espírito! Que ele faça de nós uma oferenda perfeita para alcançarmos a vida eterna com os vossos santos: a Virgem Maria, Mãe de Deus, os vossos Apóstolos e Mártires, N. (o santo do dia ou o padroeiro) e todos os santos, que não cessam de interceder por nós na vossa presença. T – Fazei de nós uma perfeita oferenda! E agora, nós vos suplicamos, ó Pai, que este sacrifício da nossa reconciliação estenda a paz e a salvação ao mundo inteiro. Confirmai na fé e na caridade a vossa Igreja, enquanto caminha neste mundo: o vosso servo o papa Bento, o nosso bispo N., com os bispos do mundo inteiro, o clero e todo o povo que conquistastes. T – Lembrai-vos, ó Pai, da vossa Igreja! Atendei às preces da vossa família, que está aqui, na vossa presença. Reuni em vós, Pai de misericórdia, todos os vossos filhos e filhas dispersos pelo mundo inteiro. T – Lembrai-vos, ó Pai, dos vossos filhos! Acolhei com bondade no vosso reino os nossos irmãos e irmãs que partiram desta vida e todos os que morreram na vossa amizade. Unidos a eles, esperamos também nós saciar-nos eternamente da vossa glória, por Cristo, Senhor nosso. T – A todos saciai com vossa glória! Por ele dais ao mundo todo bem e toda graça. Por Cristo, com Cristo, em Cristo, a vós, Deus Pai todo-poderoso, na unidade do Espírito Santo, toda a honra e toda a glória, agora e para sempre. T - Amém!

16. PAI-NOSSO

P – Antes de participar do banquete da Eucaristia, sinal de reconciliação e vínculo de união fraterna, rezemos juntos como o Senhor nos ensinou: T – Pai nosso...

18. MOMENTO DE SILÊNCIO E ORAÇÃO PESSOAL

Refrão meditativo: (39º Curso: 08.10) Ó vinde, eterno Deus (3x)

19. ORAÇÃO

P – Oremos. (Pausa para oração) Imploramos, ó Pai, vossa clemência (14º Curso: 08.97) para que estes sacramentos nos purifiVem, ó Senhor, com o teu povo cami- quem dos pecados e nos preparem para nhar, / teu corpo e sangue, vida e força as festas que se aproximam. Por Cristo, nosso Senhor. vem nos dar. (bis) T – Amém. 1. A Boa-Nova proclamai com alegria. / Deus vem a nós, Ele nos salva e nos re- 20. AVISOS DA COMUNIDADE cria. / E o deserto vai florir e se alegrar. / RITOS FINAIS Da terra seca flores, frutos vão brotar. (bis) 2. Eis nosso Deus, e ele vem para salvar / 21. BÊNÇÃO FINAL com sua força vamos juntos caminhar. / E P – O Senhor esteja convosco. construir um mundo novo e libertado / do T – Ele está no meio de nós. egoísmo, da injustiça e do pecado. (bis) P – Que o Deus onipotente e miseri3. Uma voz clama no deserto com vi- cordioso vos ilumine com o advento gor, / “preparai hoje os caminhos do do seu Filho, em cuja vinda credes e Senhor” / Tirai do mundo a violência e cuja volta esperais, e derrame sobre a ambição / que não vos deixam ver no vós as suas bênçãos. T – Amém. outro vosso irmão. (bis) 4. Distribuí os vossos bens com igual- P – Que durante esta vinda ele vos tordade, / fazei na terra germinar fraterni- ne firmes na fé, alegres na esperança, dade. / O Deus da vida marchará com o solícitos na caridade. seu povo, / e homens novos viverão num T – Amém. P – Alegrando-vos agora pela vinda do mundo novo. (bis) 5. Vem, ó Senhor, ouve o clamor da tua Salvador feito homem, sejais recomgente, / que luta e sofre, porém, crê que pensados com a vida eterna, quando vier de novo em sua glória. estás presente. / Não abandones os teus T – Amém. filhos, Deus fiel, / porque teu nome é P – Abençoe-vos Deus todo-poderoso, Deus-conosco: Emanuel. (bis) Pai e Filho e Espírito Santo. 17 B. CANTO DA COMUNHÃO T – Amém.

17 A. CANTO DA COMUNHÃO

(28º Curso: 09.04 )

Ide e contai o que ouvistes e quanto vistes: / os cegos veem, os coxos andam, leprosos saram. / Os surdos ouvem, quem morto estava, já ressuscita. / Aos povos hoje se anunciam boa notícia! 1. Louva, Jerusalém, / louva ao Senhor teu Deus: / tuas portas reforçou / e os teus abençoou, / te cumulou de paz / e o pão do céu te traz. 2. Sua palavra envia, / corre veloz sua voz. / Da névoa desce o véu, / unindo a terra e o céu; / as nuvens se desmancham, / o vento sopra e avança. 3. Ao povo revelou / palavras de amor. / A sua lei nos deu / e o mandamento seu; / com ninguém fez assim, / amou até o fim. 4. A Virgem, mãe será, / um Filho à luz dará, / seu nome, Emanuel: / “conosco Deus” do céu; / o mal desprezará, / o bem escolherá. 5. Ao Pai do céu louvemos / e ao que vem, cantemos; / e ao Divino, então, / a nossa louvação! / Os três, que são um Deus, / exalte o povo seu!

22. DESPEDIDA

P – Ide em paz, e o Senhor vos acompanhe. T – Graças a Deus.

ONDE NÃO HOUVER MISSA

23. COLETA FRATERNA

(É o momento de trazer donativos ou oferta em dinheiro para as necessidades da comunidade, enquanto a assembleia canta o nº 13 deste folheto.)

24. DA PALAVRA À REFEIÇÃO

(Quem preside convida a assembleia a se aproximar do altar.) P – Vamos dar graças a Deus e repartir entre nós o pão consagrado, memória viva do corpo de Jesus, razão da nossa alegria, a quem esperamos com toda a ternura do coração. (Alguém traz o pão consagrado e o coloca sobre o altar. Todos fazem uma breve inclinação.) (6º Curso: 09.94)

Ó vem, Senhor, não tardes mais, vem saciar nossa sede de paz.


outros, para que não sejais julgados. Eis que o juiz está às portas. 10Irmãos, tomai por modelo de sofrimento e firmeza os profetas, que falaram em nome do Senhor. – Palavra do Senhor. T – Graças a Deus. (Tempo de silêncio)

9. ACLAMAÇÃO AO EVANGELHO

(Salmos e Aclamações / ano A: 11.10)

Aleluia! Aleluia! Aleluia! Aleluia! O Espírito do Senhor sobre mim fez a sua unção, / enviou-me aos empobrecidos a fazer feliz proclamação! P – O Senhor esteja convosco. T – Ele está no meio de nós. P – Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus T – Glória a vós, Senhor. (11,2-11) – Naquele tempo, 2João estava na prisão. Quando ouviu falar das obras de Cristo, enviou-lhe alguns discípulos, 3para lhe perguntarem: “ És tu, aquele que há de vir, ou devemos esperar um outro?” 4 Jesus respondeu-lhes: “Ide contar a João o que estais ouvindo e vendo: 5 os cegos recuperam a vida, os paralíticos andam, os leprosos são curados, os surdos ouvem, os mortos ressuscitam e os pobres são evangelizados. 6Feliz aquele que não se escandaliza por causa de mim!” 7 Os discípulos de João partiram, e Jesus começou a falar às multidões, sobre João: “O que fostes ver no deserto? Um caniço agitado pelo vento? 8 O que fostes ver? Um homem vestido com roupas finas? Mas os que vestem roupas finas estão nos palácios dos reis. 9Então, o que fostes ver? Um profeta? Sim, eu vos afirmo, e alguém que é mais do que profeta. “10É dele que está escrito: 'Eis que envio o meu mensageiro à tua frente; ele vai preparar o teu caminho diante de ti'. 11 Em verdade vos digo, de todos os homens que já nasceram, nenhum é maior do que João Batista. No entanto, o menor no Reino dos Céus é maior do que ele”. – Palavra da Salvação. T – Glória a vós, Senhor. (Tempo de silêncio)

10. HOMILIA

(Após a homilia, pausa para reflexão.)

11. PROFISSÃO DE FÉ

12. ORAÇÃO COMUNITÁRIA P – Guiados pela Palavra do Senhor, que nos cura e liberta de todo pecado, apresentemos a Ele nossa oração. 1. Vem, Senhor, sustenta o Papa Bento na condução da Igreja, para que sejam curadas todas as feridas. T – Vem logo, vem nos salvar. 2. Vem, Senhor, cura-nos da cegueira que não nos deixa enxergar nossos pecados. 3. Vem, Senhor, cura-nos da surdez que não nos deixa ouvir tua Palavra e buscar a conversão. 4. Vem, Senhor, cura-nos da paralisia da indiferença que nos impede de ir ao encontro dos que sofrem e precisam de nós. 5. Vem, Senhor, cura-nos da lepra do preconceito, da discriminação que gera exclusão. 6. Vem Senhor, cura-nos da omissão e ajudanos a superar o falso desenvolvimento que destrói o Cerrado, a terra e nossas águas. (Preces da comunidade) (Conclusão pelo presidente)

LITURGIA EUCARÍSTICA (Onde não houver missa, segue a partir do nº 23 deste folheto.) P – Todos os anos, a Igreja do Brasil realiza, neste 3º Domingo do Advento, uma coleta especial. Nós, cristãos, somos chamados a oferecer um pouco do que o Senhor nos deu para colaborar com a missão que Jesus nos confia. Enquanto cantamos o canto de preparação das oferendas, vamos fazer nossa oferta para a Campanha da Evangelização.

13. CANTO DE PREPARAÇÃO DAS OFERENDAS 30º Curso: 10.05)

1. As nossas mãos se abrem, / mesmo na luta e na dor, / e trazem pão e vinho, / para esperar o Senhor. Deus ama os pobres / e se fez pobre, também: / desceu à terra / e fez pousada em Belém. 2. As nossas mãos se elevam, / para, num gesto de amor, / retribuir a vida, / que vem das mãos do Senhor. 3. As nossas mãos se encontram / na mais fraterna união. / Façamos deste mundo / a grande “Casa do Pão”! 4. As nossas mãos sofridas / nem sempre têm o que dar, / mas vale a própria vida / de quem prossegue a lutar.

14. ORAÇÃO

P – Orai, irmãos e irmãs, para que o P – Cheios de confiança, professemos nosso sacrifício seja aceito por Deus Pai todo-poderoso. a nossa fé. T – Receba o Senhor por tuas mãos T – Creio em Deus Pai...

este sacrifício, para glória do seu nome, para nosso bem e de toda a santa Igreja. Possamos, ó Pai, oferecer-vos sem cessar estes dons da nossa devoção, para que, ao celebramos o sacramento que nos destes, se realizem em nós as maravilhas da salvação. Por Cristo, nosso Senhor. T – Amém.

15. ORAÇÃO EUCARÍSTICA III (Prefácio do Advento, I )

P – O Senhor esteja convosco. T – Ele está no meio de nós. P – Corações ao alto. T – O nosso coração está em Deus. P – Demos graças ao Senhor, nosso Deus. T – É nosso dever e nossa salvação. Na verdade, é justo e necessário, é nosso dever e salvação dar-vos graças, sempre e em todo o lugar, Senhor, Pai santo, Deus eterno e todo-poderoso, por Cristo, Senhor nosso. Revestido da nossa fragilidade, ele veio a primeira vez para realizar seu eterno plano de amor, e abrir-nos o caminho da salvação. Revestido de sua glória, ele virá uma segunda vez para concedernos em plenitude os bens prometidos que hoje, vigilantes, esperamos. Por essa razão, agora e sempre, nós nos unimos aos anjos e a todos os santos, cantando (dizendo) a uma só voz: T – Santo, Santo, Santo... Na verdade, vós sois santo, ó Deus do universo, e tudo o que criastes proclama o vosso louvor, porque, por Jesus Cristo, vosso Filho e Senhor nosso, e pela força do Espírito Santo, dais vida e santidade a todas as coisas e não cessais de reunir o vosso povo, para que vos ofereça em toda parte, do nascer ao pôr do sol, um sacrifício perfeito. T – Santificai e reuni o vosso povo! Por isso, nós vos suplicamos: santificai pelo Espírito Santo as oferendas que vos apresentamos para serem consagradas, a fim de que se tornem o Corpo e o Sangue de Jesus Cristo, vosso Filho e Senhor nosso, que nos mandou celebrar este mistério. T – Santificai nossa oferenda, ó Senhor! Na noite em que ia ser entregue, ele tomou o pão, deu graças, e o partiu e deu a seus discípulos, dizendo: Tomai, todos, e comei: isto é o meu Corpo, que será entregue por vós. Do mesmo modo, ao fim da ceia, ele tomou o cálice em suas mãos, deu graças novamente, e o deu a seus discípulos, dizendo: Tomai, todos, e bebei: este é o

cálice do meu Sangue, o Sangue da nova e eterna aliança, que será derramado por vós e por todos para remissão dos pecados. Fazei isto em memória de Mim. Eis o mistério da fé! T – Anunciamos, Senhor, a vossa morte e proclamamos a vossa ressurreição. Vinde, Senhor Jesus! Celebrando agora, ó Pai, a memória do vosso Filho, da sua paixão que nos salva, da sua gloriosa ressurreição e da sua ascensão ao céu, e enquanto esperamos a sua nova vinda, nós vos oferecemos em ação de graças este sacrifício de vida e santidade. T – Recebei, ó Senhor, a nossa oferta! Olhai com bondade a oferenda da vossa Igreja, reconhecei o sacrifício que nos reconcilia convosco e concedei que, alimentando-nos com o Corpo e o Sangue do vosso Filho, sejamos repletos do Espírito Santo e nos tornemos em Cristo um só corpo e um só espírito. T – Fazei de nós um só corpo e um só espírito! Que ele faça de nós uma oferenda perfeita para alcançarmos a vida eterna com os vossos santos: a Virgem Maria, Mãe de Deus, os vossos Apóstolos e Mártires, N. (o santo do dia ou o padroeiro) e todos os santos, que não cessam de interceder por nós na vossa presença. T – Fazei de nós uma perfeita oferenda! E agora, nós vos suplicamos, ó Pai, que este sacrifício da nossa reconciliação estenda a paz e a salvação ao mundo inteiro. Confirmai na fé e na caridade a vossa Igreja, enquanto caminha neste mundo: o vosso servo o papa Bento, o nosso bispo N., com os bispos do mundo inteiro, o clero e todo o povo que conquistastes. T – Lembrai-vos, ó Pai, da vossa Igreja! Atendei às preces da vossa família, que está aqui, na vossa presença. Reuni em vós, Pai de misericórdia, todos os vossos filhos e filhas dispersos pelo mundo inteiro. T – Lembrai-vos, ó Pai, dos vossos filhos! Acolhei com bondade no vosso reino os nossos irmãos e irmãs que partiram desta vida e todos os que morreram na vossa amizade. Unidos a eles, esperamos também nós saciar-nos eternamente da vossa glória, por Cristo, Senhor nosso. T – A todos saciai com vossa glória! Por ele dais ao mundo todo bem e toda graça. Por Cristo, com Cristo, em Cristo, a vós, Deus Pai todo-poderoso, na unidade do Espírito Santo, toda a honra e toda a glória, agora e para sempre. T - Amém!

16. PAI-NOSSO

P – Antes de participar do banquete da Eucaristia, sinal de reconciliação e vínculo de união fraterna, rezemos juntos como o Senhor nos ensinou: T – Pai nosso...

18. MOMENTO DE SILÊNCIO E ORAÇÃO PESSOAL

Refrão meditativo: (39º Curso: 08.10) Ó vinde, eterno Deus (3x)

19. ORAÇÃO

P – Oremos. (Pausa para oração) Imploramos, ó Pai, vossa clemência (14º Curso: 08.97) para que estes sacramentos nos purifiVem, ó Senhor, com o teu povo cami- quem dos pecados e nos preparem para nhar, / teu corpo e sangue, vida e força as festas que se aproximam. Por Cristo, nosso Senhor. vem nos dar. (bis) T – Amém. 1. A Boa-Nova proclamai com alegria. / Deus vem a nós, Ele nos salva e nos re- 20. AVISOS DA COMUNIDADE cria. / E o deserto vai florir e se alegrar. / RITOS FINAIS Da terra seca flores, frutos vão brotar. (bis) 2. Eis nosso Deus, e ele vem para salvar / 21. BÊNÇÃO FINAL com sua força vamos juntos caminhar. / E P – O Senhor esteja convosco. construir um mundo novo e libertado / do T – Ele está no meio de nós. egoísmo, da injustiça e do pecado. (bis) P – Que o Deus onipotente e miseri3. Uma voz clama no deserto com vi- cordioso vos ilumine com o advento gor, / “preparai hoje os caminhos do do seu Filho, em cuja vinda credes e Senhor” / Tirai do mundo a violência e cuja volta esperais, e derrame sobre a ambição / que não vos deixam ver no vós as suas bênçãos. T – Amém. outro vosso irmão. (bis) 4. Distribuí os vossos bens com igual- P – Que durante esta vinda ele vos tordade, / fazei na terra germinar fraterni- ne firmes na fé, alegres na esperança, dade. / O Deus da vida marchará com o solícitos na caridade. seu povo, / e homens novos viverão num T – Amém. P – Alegrando-vos agora pela vinda do mundo novo. (bis) 5. Vem, ó Senhor, ouve o clamor da tua Salvador feito homem, sejais recomgente, / que luta e sofre, porém, crê que pensados com a vida eterna, quando vier de novo em sua glória. estás presente. / Não abandones os teus T – Amém. filhos, Deus fiel, / porque teu nome é P – Abençoe-vos Deus todo-poderoso, Deus-conosco: Emanuel. (bis) Pai e Filho e Espírito Santo. 17 B. CANTO DA COMUNHÃO T – Amém.

17 A. CANTO DA COMUNHÃO

(28º Curso: 09.04 )

Ide e contai o que ouvistes e quanto vistes: / os cegos veem, os coxos andam, leprosos saram. / Os surdos ouvem, quem morto estava, já ressuscita. / Aos povos hoje se anunciam boa notícia! 1. Louva, Jerusalém, / louva ao Senhor teu Deus: / tuas portas reforçou / e os teus abençoou, / te cumulou de paz / e o pão do céu te traz. 2. Sua palavra envia, / corre veloz sua voz. / Da névoa desce o véu, / unindo a terra e o céu; / as nuvens se desmancham, / o vento sopra e avança. 3. Ao povo revelou / palavras de amor. / A sua lei nos deu / e o mandamento seu; / com ninguém fez assim, / amou até o fim. 4. A Virgem, mãe será, / um Filho à luz dará, / seu nome, Emanuel: / “conosco Deus” do céu; / o mal desprezará, / o bem escolherá. 5. Ao Pai do céu louvemos / e ao que vem, cantemos; / e ao Divino, então, / a nossa louvação! / Os três, que são um Deus, / exalte o povo seu!

22. DESPEDIDA

P – Ide em paz, e o Senhor vos acompanhe. T – Graças a Deus.

ONDE NÃO HOUVER MISSA

23. COLETA FRATERNA

(É o momento de trazer donativos ou oferta em dinheiro para as necessidades da comunidade, enquanto a assembleia canta o nº 13 deste folheto.)

24. DA PALAVRA À REFEIÇÃO

(Quem preside convida a assembleia a se aproximar do altar.) P – Vamos dar graças a Deus e repartir entre nós o pão consagrado, memória viva do corpo de Jesus, razão da nossa alegria, a quem esperamos com toda a ternura do coração. (Alguém traz o pão consagrado e o coloca sobre o altar. Todos fazem uma breve inclinação.) (6º Curso: 09.94)

Ó vem, Senhor, não tardes mais, vem saciar nossa sede de paz.


25. ORAÇÃO DE AÇÃO DE GRAÇAS

O(a) presidente, ocupando o lugar no altar, convida a assembleia para o louvor: P – O senhor esteja com vocês! T – Ele está no meio de nós! P – Demos graças ao Senhor, nosso Deus! T – É nosso dever e nossa salvação! O(a) presidente convida a assembleia a expressar motivos de ação de graças... (30º Curso: 10.05)

É bom cantar um bendito / um canto novo, um louvor (bis) 1. Ao Deus dos tempos de outrora, / suprema força da História, / que merece toda glória, / por Jesus, nosso Senhor! (bis) 2. Por Jesus, o Prometido, / pelos profetas predito, / pela Virgem concebido / e esperado com amor! (bis) 3. Jesus, por João anunciado, / presente entre nós mostrado, / por Ele o prazer é dado, / de esperá-lo com ardor! (bis) 4. Ao preparar seu Natal, / querer sua

vinda final, / quando finda todo mal / e se acaba toda dor. (bis) 5. Que na prece vigiemos, / de esperar não nos cansemos, / à sua vinda nos achemos, / celebrando seu louvor. (bis) 6. E agora, ó Desejado, / o teu povo congregado, / aos céus e à terra irmanado, / louva e bendiz ao Senhor! (bis) P – Por este sinal do corpo do teu Filho, que alimenta e sustenta a tua Igreja, expressamos nossa fé e invocamos sobre nós o teu Espírito. Apressa o tempo da vinda do teu reino e recebe o louvor de toda a criação e a prece que elevamos a ti com as palavras que Jesus nos ensinou: T – Pai Nosso... pois vosso é o reino, o poder e a glória para sempre.

P – Assim diz o Senhor: “Eis que estou à porta e bato: se alguém ouvir a minha voz e abrir a porta, entrarei em sua casa e comerei com ele e ele comigo” (Ap 3,20) Mostrando o pão consagrado: P – Eis o Cordeiro de Deus, aquele que tira o pecado do mundo! T – Senhor, eu não sou digno(a)... Partilha do pão consagrado: canto da comunhão número 17A e B deste folheto.

28. ORAÇÃO FINAL

Nós te louvamos, Deus de bondade, porque nos alegraste na mesa da tua comunhão. Que a tua misericórdia nos acompanhe, nos torne portadores da boa-nova da libertação e nos prepare 26. ABRAÇO DA PAZ para as festas que se aproximam. Por P – Irmãos e irmãs, por sua morte e res- Cristo, nosso Senhor! Amém. surreição, o Cristo nos reconciliou. De- O roteiro de “onde não houver missa” mo-nos uns aos outros o abraço da paz! encontra-se no livro “Dia do Senhor”, de

27. RITO DA COMUNHÃO

(Após o Pai-Nosso, quem preside convida a comunidade a partilhar o pão, dizendo:)

M. Guimarães e P. Carpanedo, Paulinas: Apostolado Litúrgico.

O SENHOR VEM! ALEGRIA!

Sugestões para a equipe de celebração: A celebração deste domingo nos convida à alegria, porque o Senhor que esperamos já está conosco e com Ele preparamos o Advento do seu Reino. É tempo de redobrar nossa paciência e nossa esperança: fortalecer as mãos e os joelhos enfraquecidos e animar quem está deprimido e desanimado. Os sinais da salvação estão presentes e podemos percebê-los nas ações concretas de vida e libertação, realizadas por pessoas e comunidades alegres e dedicadas. Em cada celebração, o Senhor quer transformar nosso sofrimento e nosso choro em gozo e alegria, um ensaio da realidade nova que desejamos para nós e para o mundo. Sugestões para a equipe de celebração: 1. A cor rosa deste domingo, o Gaudete, é sinal de nossa ale-

gria ao prepararmos a vinda do Senhor. 2. Marcar toda a celebração com expressões de alegria e de esperança 3. A comunidade seja convidada a expressar os motivos que tem para se alegrar e ter esperança – sinais da presença amorosa e fiel de Deus em nosso meio. 4. Se a comunidade ainda não começou a armar seu presépio, será muito oportuno, começar a fazê-lo neste dia. 5. Preparação próxima do Natal (17 a 24 de dezembro) Os dias de semana deste período visam de modo mais direto à preparação do Natal do Senhor (NALC, n. 42). O Ofício e a Missa são sempre do dia; mas pode haver Comemoração facultativa de algum santo. (Diretório da Liturgia, CNBB, p. 190.)

LEITURAS BÍBLICAS:

2ª-f.:Nm 24,2-7.15-17a; Mt 21,23-27. 3ª-f.: Sf 3,1-2.9-13; Mt 21,28-32. 4ª-f.: Is 45,6b-8.18.21b-25; Lc 7,19-23. 5ª-f.: Is 54,1-10; Lc 7,24-30. 6ª-f.: Gn 49,2.8-10; Mt 1,1-17. Sábado: Jr 23,5-8; Mat 1,18-24. Domingo: 4º Domingo do Advento – Is 7,10-14; Rm 1,1-7; Mt 1,18-24.

CÚRIA ARQUIDIOCESANA Praça Dom Emanuel, s/n - Centro - Caixa postal 174 CEP 74001-970 - Goiânia - Goiás Fone: (62) 3223-0759 - curia@arquidiocesedegoiania.org.br

Arquidiocese de Goiânia

3º Domingo do Advento

12 de dezembro de 2010- Ano XXVIII - Nº 1584

O SENHOR VEM! ALEGRIA! Preparação: a) Chegada, oração pessoal, ensaios de canto; b) Tempo de silêncio; c) Refrão meditativo: (39º Curso: 08.10)

“Vigiai unidos a mim, / comigo orando, / sempre orando.” (Cantar várias vezes até a assembleia tornar-se um só corpo. Durante o canto, faz-se o acendimento da 3ª. vela da coroa do Advento.)

1. MOTIVAÇÃO

A – Irmãs e irmãos, deixemos a alegria tomar conta de nosso coração e nossa vida. O Natal do Senhor está próximo. Preparemos a festa da verdade, da justiça, do amor e da paz. Iniciemos nossa celebração, cantando.

P – O Deus da esperança, que nos cumula de toda alegria e paz em nossa fé, pela ação do Espírito Santo, esteja convosco. T – Bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo.

4. ATO PENITENCIAL

P – Estamos à espera do Senhor. Preparamos sua vinda na medida em que tornarmos realidade o seu reino de vida, justiça, fraternidade, verdade e santidade. Cada um de nós vive tudo o que esta preparação exige? (Pausa) Peçamos perdão, cantando: (34º Curso: 09.07)

1. Senhor, que vindes visitar vosso povo na paz, tende piedade de nós. 2. Cristo, que vindes salvar o que estava perdido, tende piedade de nós. 3. Senhor, que vindes criar um mundo novo, tende piedade de nós. 2. CANTO DE ABERTURA (37º Curso: 09.09) Senhor, tende piedade. Cristo, ten1. Uma voz fez-se ouvir lá no deserto: / de piedade de nós. Senhor, piedade, “Preparai os caminhos do Senhor!” / Na piedade de nós. (bis) (Conclusão pelo presidente) alegria do Céu assim tão perto, /entoou toda Terra este clamor: 5. ORAÇÃO Vem, Senhor, não tardes mais, / és o P – Oremos. anseio das nações! / Vem curar os nos(Pausa para oração) sos “ais” / e expulsar as opressões! / Ó Deus de bondade, que vedes o vosPastor Santo de Israel, / vem salvar teu so povo esperando fervoroso o natal do povo, vem! / Deus bendito, Emanuel, / Senhor, dai chegarmos às alegrias da vem salvar teu povo, vem! Salvação e celebrá-las sempre com in2. Vai cumprir-se do Céu a profecia: / tenso júbilo na solene liturgia. Por nos“Nosso Deus entre nós vem habitar!” / so Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na Reunido, e na paz da liturgia, / vem o unidade do Espírito Santo. T – Amém. povo de Deus então cantar: 3. No horizonte já brilha nova vida, / Luz LITURGIA DA PALAVRA sublime de um novo amanhecer. / A – Em atitude de escuta, acolhamos a PaE, feliz, rumo à Terra Prometida, / eis o lavra de Deus que vem dar sentido para a povo de Deus sempre a dizer: verdadeira preparação de sua chegada. 4. Eis grilhões da injustiça já rompidos, / mil algemas quebradas pelo amor, / mas 6. PRIMEIRA LEITURA Leitura do Livro do Profeta Isaías na paz, o clamor dos oprimidos / chega (35,1-6a.10) – 1Alegre-se a terra que era ao Céu neste brado de louvor. deserta e intransitável, exulte a solidão e floresça como um lírio. 2Germine e 3. ACOLHIDA exulte de alegria e louvores. Foi-lhe P – Em nome do Pai... dada a glória do Líbano, o esplendor T – Amém.

do Carmelo e de Saron; seus habitantes verão a glória do Senhor, a majestade do nosso Deus. 3 Fortalecei as mãos enfraquecidas e firmai os joelhos debilitados. 4Dizei às pessoas deprimidas: “Criai ânimo, não tenhais medo! Vede, é vosso Deus, é a vingança que vem, é a recompensa de Deus; é ele que vem para vos salvar”. 5 Então se abrirão os olhos do cegos e se descerrarão os ouvidos dos surdos. 6a O coxo saltará como um cervo e se desatará a língua dos mudos. 10Os que o Senhor salvou, voltarão para casa. Eles virão a Sião cantando louvores, com infinita alegria brilhado em seus rostos: cheios de gozo e contentamento, não mais conhecerão a dor e o pranto. - Palavra do Senhor. T - Graças a Deus. (Tempo de silêncio)

7. SALMO 145 (146)

(Salmos e Aclamações / ano A: 11.10)

Vinde, Senhor! / Vinde, Senhor! / Vinde, Senhor, para salvar o vosso povo! 7 O Senhor é fiel para sempre, / faz justiça aos que são oprimidos; / ele dá alimento aos famintos, / é o Senhor quem liberta os cativos. 8 O Senhor abre os olhos aos cegos, / o Senhor faz erguer-se o caído, / o Senhor ama aquele que é justo, / 9aé o Senhor quem protege o estrangeiro. b Ele ampara a viúva e o órfão, / cmas confunde os caminhos dos maus. / 10O Senhor reinará para sempre! / Ó Sião, o teu Deus reinará. (Tempo de silêncio)

8. SEGUNDA LEITURA

Leitura da Carta de São Tiago (5,7-10) – Irmãos, 7ficai firmes até à vinda do Senhor. Vede o agricultor: ele espera o precioso fruto da terra e fica firme até cair a chuva do outono ou da primavera. 8 Também vós, ficai firmes e fortalecei vossos corações, porque a vinda do Senhor está próxima. 9 Irmãos, não vos queixeis uns dos


Folheto 12.12.2010