Page 1

H

á 51 anos atrás, William Higinbotham criou o Tennis for Two, o primeiro game eletrônico da história, muita coisa mudou e o que se vê hoje é um novo patamar, onde o design conta em praticamente tudo.

A indústria de games, antes voltada às crianças, hoje alcança patamares de megaproduções para atingir um público cada vez mais exigente .

Atualmente, o mercado de games no Brasil tem crescido, ainda que pouco. Há estúdios internacionais, como a Ubisoft, com “filiais” no Brasil e cursos da área estão surgindo nas universidades brasileiras, de forma a tentar igualar-se aos grandes mercados, embora ainda haja um longo caminho a percorrer.

Fotos para divulgação.

por Gustavo Silva e Leonardo Sandim

Tennis for Two (1958), primeiro jogo eletrônico.

JOGOS DE VIDEOGAME, COMO FAZ?

O que domina a produção No início, haviam jogos, como o clássico Tetris, em que o brasileira são os games para trabalho todo era feito por uma ou poucas pessoas, no celular, e ainda há os méritos caso do Tetris, três estudantes universitários. No cenário fiscais absurdos que atrasam atual, um game considerado bom tem sua produção o mercado de games e escom duração de, no mínimo, um ano, e várias timulam a pirataria por aqui. pessoas são encarregadas de diversas áreas Uma das mais recentes tendo game, como Level Design, Character Detativas foi da TecToy (que sign, Concept Artist, entre outros, e cada nos 90 comercializou o video um trabalha diferentes áreas do game, game Megadrive no Brasil), com o proporcionando assim um trabalho Zeebo, seu videogame próprio, emmais meticuloso, melhorando o bora ainda muito atrás da concorrência, resultado final. pois este é feito para jogos de celulares e conversões de videogames portáteis, resultando em qualidade muito inferior.

“Se você escolheu trabalhar com games a “fórmula do sucesso” é uma só e a mesma para qualquer área: muito estudo e trabalho duro.” Level Art de Assassins Creed.

INDÚSTRIA DE SONHOS Imagem de Final Fantasy XIII da SquareEnix.

Para a maioria das pessoas, trabalhar com games soa como diversão o dia todo, mas não é bem assim. Trabalhar nessa indústria pode ser bastante puxado, Davi Hodgson, autor de “Paid to Play: An Insider’s Guide to Video Games Careers” diz que há jornadas longas, prazos apertados e o trabalho pode ser, sim, monótono, mas recompensador, pois utiliza, e muito, da criatividade da pessoa, também dando retorno financeiro e oferecendo facilidade para entrar no mercado. Porém, de acordo com Hodgson, é necessário que o interessado se conheça bem para desenvolver seus pontos fortes na criação do jogo.


ÁREAS DE TRABALHO

CHARACTER DESIGN Trata da criação de personagens, quaisquer que sejam, heróis, monstros, vilões, aldeões, criando tudo, desde rosto e cabelo às suas roupas e acessórios, parte importantíssima do design de jogos, pois grandes games costumam ter personagens bastante trabalhados e próprios, como Solid Snake (Metal Gear Solid), Link (The Legend of Zelda), Mario (Super Mario Bros) e Alex Kidd (Alex Kidd). Os personagens podem ser complexos ou simplistas, depende do objetivo em questão. (como no caso do Mario, um personagem simples mas muito bem elaborado). Um personagem carismático é capaz de conquistar o mundo, e ser o principal atrativo do jogo.

GAME DESIGN Aqui entra grande parte do jogo, é o game designer que vai cuidar do jogo em si, sua história, a forma de desenrolar o game, sistemas de vida (caso haja), de combate (idem), de interação, dos objetivos e do desenrolar dos mesmos, uma das maiores, senão a maior responsabilidade, pois é a essência do game, um bom exemplo é o de Super Mario Bros (1985), que tem influência até hoje e é uma franquia bilionária dentro da industria, também o de Grand Theft Auto III (2001) que criou e popularizou um estilo bastante característico de muitos games atuais. Fotos para divulgação.

Cena de abertura de Super Mario World, uma das franquias mais bem sucedidas do mundo.

Personagem Link de Zelda: Twilight Princess da Nintendo.

CONCEPT ARTIST Engloba várias outras áreas, mas normalmente é quem põe no papel as idéias iniciais do designer, criando ambientes, personagens (mais superficialmente) por meio de desenhos, as Concept Arts, que dão uma idéia do que será o jogo já no início de sua produção. É comum que se use muito da concept art na versão final, embora haja casos em que as concepts são completamente diferentes do resultado obtido.

Concept Art de Final Fantasy XIV online.


Level concept do jogo Damnation.

ANIMADOR

Animação do personagem Megaman da Capcom.

Dá expressividade ao game, criando todas as animações, como movimentação, corrida, gestos, expressões faciais, juntamente com o Modelador, o Animador dá realismo (quando esse é o objetivo) e fluidez ao game, também trabalham com as CGs e as cenas não interativas dos games.

LEVEL DESIGN

Dão forma a toda a criação, modelando, dando volume e criando o estilo gráfico do game, são eles quem finalmente tiram o game do papel, dando as formas 3D e o visual em geral do game, algo bastante valorizado hoje, embora comum. O texturizador além de pintar as malhas do jogo para dar realidade, cria as abas e figuras que estarão presentes no layout do jogo.

PROGRAMADOR

Completa a parte mais técnica do jogo, criando elementos como física do jogo, ações, colocando no game as idéias do game designer, bastante importante em jogos de cunho mais realista como jogos de tiro, corrida ou esportes. Sem ele o jogo não tem vida, simplesmente é uma casca bela que não funciona.

Modelagem e texturização da personagem Lara Croft do Jogo Tomb Raider. Diferenças deo ano de 97 para 2006.

Fotos para divulgação.

MODELADOR E TEXTURIZADOR

MÚSICO Video Games Live, apresentação com orquestra das clássicas músicas dos jogos.

A profissão de músico de jogos é tão antiga quanto os jogos eletrônicos, pois música existe há milênios, e desde que os jogos eletrônicos existem, já existem formas de reproduzir som (mesmo que muito simples). Um músico de jogos deve saber criar uma grande variedade de músicas, e deve saber criar música com a técnica necessária e desejada para o jogo, uma música em um jogo pode ser desde um simples arquivo midi, até uma música orquestrada e gravada em CD como no jogo Total Annihilation. A fama da música de certos jogos é tão grande que foi desenvolvido até mesmo um concerto para apresenta-las ao fivo com o auxílio de uma orquesta sinfônica. l

Referências: http://www.gamearch.com/2009/04/14/damnation-concept-level-design/ http://www.daansystems.com/irrlicht_trueaxis/screenshot.png http://criadordejogos.wordpress.com/2009/01/10/profissao-musico/

Cuida de toda a ambientação, criando lugares, ambientando-os, criando desafios, assim como o concept artist, ele passa as idéias para o papel, mas de forma definitiva, já pensando num motivo para cada pedra estar no lugar determinado.

Trabalho Acadêmico - Diagramação e Produção de Artigo  

Trabalho que visava a montagem de uma revista. Junto do estudante de designer Gustavo Silva, fui responsavel pela montagem da matéria aprese...

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you