Page 1

A beleza da praia da Barra do Itapocu Aposentados preferem o local, que é calmo durante o ano, mas já apresenta grande movimento na temporada PÁG. 7

Araquari tem queda no índice de homicídios Páginas 4 e 5

João Pedro nega irregularidades Página 6

Programa habitacional beneficia 21 famílias Página 3

E mais:

Cidade terá novo condomínio industrial (Pág. 2) Perfil: Gilberto Boetcher (Pág. 8)

Foto: Jaqueline de Mello

Araquari e São Francisco do Sul, Santa Catarina. Ano 1 - nº1 - 8 de novembro de 2013


2

Economia

O Negociador Novo condomínio industrial www.onegociador.net Nós podemos te ajudar

Fotos: Divulgação - DECOM/PMA

solucao.exata@yahoo.com

Prefeito João Pedro Woitexem reuniu-se com Wilson Brumer, secretários e lideranças empresariais

Investimentos na ordem de R$ 70 milhões em infraestrutura trarão desenvolvimento econômico para a cidade Jaqueline de Mello melljack@bol.com.br

U

Rua Anita Garibaldi, 1021 Fone (47) 3029-0143 / (47) 3028-2143 Rua Tatuape, 526 - Sala 02 - Floresta Fone (47) 3028-4143

Juros Abusivos em financiamentos de caminhões, veículos e motocicletas, cartão de crédito, cobranças em geral, resolução extra judicial de conflitos.

ma visita mais que esperada em Araquari deve trazer novidades em investimentos e desenvolvimento para o município. Wilson Brumer esteve na cidade com o objetivo de apresentar sua equipe de trabalho e um novo projeto para Araquari que deve ter início em 2014. Wilson tem um extenso e admirado currículo, onde já atuou como diretor e presidente do Conselho de Administração da Usiminas. Foi Secretário de Estado e Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais, presidente e vicepresidente do Conselho de Administração da Companhia Vale do Rio Doce, além de

atuar como membro do Conselho de Administração de várias empresas brasileiras e entidades relacionadas com a indústria de aço. Também foi nomeado Cônsul Honorário do Japão no Brasil e hoje atua como presidente da Gestão de Recursos e Participação (GRP), de onde surgiu o projeto que deve construir no município um condomínio industrial chamado de Vale do Ruhr. Nome que foi escolhido por ser uma região da Alemanha que deu início a industrialização. O projeto visa o investimento de mais de 70 milhões em infraestrutura com um retorno de 25 por cento ao ano. E prevê a construção de um condomínio industrial de quase 1 milhão de metros quadrados que deve estar localizado ás margens da Br 101, próximo às instalações da BMW. “Queremos com isso atrair fornecedores

e investidores para Araquari”, diz o presidente. O projeto contém inicialmente 13 galpões de 16 a 22 mil metros quadrados, um espaço destinado à eventos, hotel, escritórios e lojas que serão construídos de acordo com a demanda local dos empresários.

Ano 1. Edição 01

Expediente

FOLHA DE ARAQUARI é um suplemento do jornal CORREIO FRANCISQUENSE, publicação quinzenal com circulação em São Francisco do Sul Araquari, Barra do Sul, Itapoá e Garuva, Santa Catarina. TIRAGEM: 2.000 exemplares IMPRESSÃO A Notícia Diretor-Geral: Antônio Eduardo Pereira Comercial: direcaocorreiofrancisquense@ gmail.com Fone: (47) 9711-1487 Artigos assinados são responsabilidade do autor, não refletindo necessariamente a opinião do Correio Francisquense e da Folha de Araquari.


3

Cidade

Sonho da casa própria vira realidade para 21 famílias FOTO: Jonatar Evaristo/Secom PMA

Jaqueline de Mello melljack@bol.com.br

L

Déficit chega a 2 mil famílias Atualmente, o déficit habitacional no município chega a duas mil famílias, incluindo-se nesses dados, casas e barracos precários que são insuficientes para uma boa moradia. Já no Sistema de Habitação do Município há 500 famílias cadastradas. “Nós estamos felizes, vendo essas famílias e sabendo

Dona Francisca de Lima Antônio foi uma das contempladas

que cumprimos nosso objetivo”, diz o secretário de habitação do Município, Altair Tobias. Além da entrega da Cohab, a Prefeitura Municipal em parceria com a Secretaria de Habitação já tem outros projetos em andamento como a construção de dois

blocos de quatro andares no Itinga e 450 unidades habitacionais entre a delegacia civil e a localidade do “Inferninho” que devem beneficiar mil famílias. Tudo ainda está no projeto e não tem datas nem prazos definidos. Quem também está feliz com a iniciativa

é a dona de casa Ana Lúcia Cardoso que em 2010 teve sua residência tomada por incêndio e hoje divide com a família, três cômodos que foram construídos pela irmã. “Para quem perdeu tudo e teve que recomeçar é muita emoção, eu batalhei tanto e hoje venci”, conta emocionada. Foto: Jaqueline de Mello

ágrimas de emoção e contentamento, risos e esperança renovada. Era esse o cenário composto na sala de reuniões da Prefeitura Municipal de Araquari, onde na primeira fase, 21 famílias assinaram contrato para a construção de suas casas. Para Francisca de Lima Antônio de 61 anos, esperança era a palavra certa. Os brilhantes olhos da senhora se tornaram prova de sua felicidade. Após dois anos, ela conseguiu realizar seu sonho de construir uma casa nova. “Eu tenho um terreninho e uma casinha velha de madeira, mas já não dá mais pra morar porque ela está caindo”, conta. Dona Francisca é viúva, mora sozinha e agora terá sua casinha para cuidar. Ela, e as outras 20 famílias foram contempladas pelo projeto habitacional Cohab, uma parceria entre o Governo do Estado, a Companhia de Habitação de Santa Catarina (Cohab), a Prefeitura Municipal e a Secretaria de Habitação. O projeto consiste na construção de 21 casas, sem custo para os moradores, contendo cada uma delas o tamanho de 42,71 metros

quadrados. Para isso, as famílias já possuem seus terrenos e precisam apenas deixá-los prontos para a construção o que deve ser feito ainda no mês de outubro para início das obras. “Hoje, essas 21 famílias saem de um sonho para uma realidade”, diz o presidente da Companhia de Habitação de Santa Catarina (COAHB), Ronério Heiderscheidt. Ronério conta ainda que além de Araquari outras cinco cidades fazem parte dessa etapa do programa. “Até 2014 nossa meta é construir 11 mil unidades habitacionais no Estado que tem hoje um déficit de 150 mil moradias”. O prazo de início de construção das residências em Araquari foi definido até novembro e sua entrega deve acontecer em dezembro. O investimento chegou a R$ 600 mil.

Secretaria de Habitação realiza visita aos terrenos onde moradias serão construídas


4

ESPECIAL - Segurança

Araquari tem queda no índice de homicídios Jaqueline de Mello melljack@bol.com.br

FOTO: Divulgação

V

oltar da faculdade após as 11 horas da noite não é problema para Andressa Coelho, de 20 anos. Isso porque ela tem o acompanhamento de uma van particular que a deixa próximo de casa todos os dias: “Assim eu me sinto segura em Araquari”, comenta. Porém, a estudante confirma que algumas câmeras de vigilância espalhadas pela cidade iriam aumentar essa sensação de estar segura. Mesmo não tendo índices altos de violência e crimes, a cidade de Araquari foi contemplada pelo Programa Bem-TeVi – Segurança por Videomonitoramento Urbano e está entre os 100 municípios que vão receber mil câmeras de vigilância com o investimento de 10 milhões de reais. O município vem se desenvolvendo nos últimos anos e tem atingido ótimos índices de crescimento

Programa Bem-Te-Vi vai investir R$ 10 milhões em câmeras em todo o estado

e expansão industrial. De acordo com dados da Secretaria de Segurança Pública do Estado (SSP), Araquari não faz parte da lista dos municípios com índices preocupantes de criminalidade. A atual gestão da Pasta de Segurança (2011 e 2012) terminou o primeiro semestre de 2012 com redução de 8,84% nas ocorrências de homicídio em comparação com o primeiro semestre de 2011. Já se comparado o primeiro semestre

de 2012 ao de 2010 a redução é de 12,59%. O 1º semestre de 2012 apresentou taxa de 5,78 homicídios a cada 100 mil habitantes. O período correspondente em 2011 apresentou taxa de 6,34. Em 2012, os municípios com maior índice de homicídio foram: Florianópolis registrando 38, Joinville com 30 e Criciúma com 24. O aumento de ocorrências nos municípios de Criciúma (+11) e Caçador (+3) acabou

Criminalidade cai

por incluí-los no rol das piores taxas do Estado. Já a diminuição de ocorrências nos municípios de Itajaí (-15), e Laguna (-7), fez com que esses municípios deixassem de pertencer a este ranking, assim como o Araquari. Mais de 6 mil roubos Já com relação ao número de ocorrências de roubo, o 1º semestre de 2012 encerrou com 6.506 ocorrências

registradas, resultando em um aumento de 3,03% em relação ao mesmo período de 2011. Entre os municípios com maior incidência estão Florianópolis, São José e Joinville. Estando mais uma vez, a cidade de Araquari fora da lista. Com relação ao número de furtos, o 1º semestre de 2012 encerrou com 55.645 ocorrências registradas, resultando em uma queda de 5,40% em relação ao mesmo período de 2011.

Na comparação, Criciúma é a cidade onde mais aumentou o número de mortes. Araquari e outras cidades tiveram queda.

Número de homicídios no primeiro semestre de 2012 caiu mais de 8% comparadado ao ano anterior

Municípios com as maiores diferenças:

69 89

70

73 72

JANEIRO 2010

2011

56

70 50

FEVEREIRO

62

MARÇO

57 63

63

ABRIL

2012 FONTE: NUGES/DINI/SSP ATUALIZAÇÃO: Primeiro Semestre do Respectivo ano

80 62

MAIO

63

64 60

47

JUNHO

CRICIÚMA PALHOÇA CAÇADOR TJUCAS BALNEÁRIO PIÇARRAS

+ 11 +5 +4 +3 +3

ITAJAÍ FLORIANÓPOLIS SÃO JOSÉ ARAQUARI LAGUNA

- 15 -8 -7 -7 -7


5

ESPECIAL - Segurança

Prefeitura vai instalar 10 novas câmeras de vigilância

Aumentam os roubos, diminuem os furtos Dados da SISP mostram evolução de ocorrências no Estado. Araquari deixou lista de 10 cidades com maior número de homicídios em 2012.

NÚMERO DE BOLETINS DE OCORRÊNCIAS POR ROUBO EM SANTA CATARINA JAN

FEV

2011

997

988

2012

1.083

1.022

MAR

ABR

MAI

JUN

TOTAL

1.072

1.171

1.193

1.085

6.506

1.167

1.195

1.076

6.703

1.159

FONTE: Sistema Integrado de Segurança Pública - SSIP Atualização Primeiro Semestre

NÚMERO DE BOLETINS DE OCORRÊNCIAS POR FURTO EM SANTA CATARINA JAN

FEV

MAR

ABR

MAI

JUN

TOTAL

2011

10.816

9.651

10.051

9.610

9.738

8.927

58.823

2012

10.025

9.553

9.690

9.226

9.115

8.056

55.645

FONTE: Sistema Integrado de Segurança Pública - SSIP Atualização Primeiro Semestre

MUNICÍPIOS COM MAIORES OCORRÊNCIAS EM 2012

MUNICÍPIO

2012

1

FLORIANÓPOLIS

919

2

SÃO JOSÉ

810

3

JOINVILLE

644

4

ITAJAÍ

417

5

CHAPECÓ

329

6

BLUMENAU

292

7

CRICIÚMA

283

8

PALHOÇA

217

9

BALNEÁRIO CAMBORIÍ

207

10

ITAPEMA

169

A

solenidade de assinatura aconteceu em outubro, no teatro Ademir Rosa, no CIC, em Florianópolis. Segundo o prefeito da cidade João Pedro Woitexem, o objetivo do programa é reforçar o trabalho da polícia na prevenção e combate ao crime no Estado. “Temos a expectativa de reduzir o número total de delitos e facilitar as ações preventivas da polícia em nosso município”, explica. De acordo com o convênio, cada uma das cidades contempladas pelo programa deve receber de seis a dez câmeras de vigilância. As prefeituras terão quer dar contrapartida no valor que varia de R$ 80 mil a R$ 105 mil. Já a previsão é de que as câmeras comecem a ser instaladas no início de 2014, mas ainda não foram definidos os pontos de instalação. Em

Araquari cogita-se a instalação de algumas na região do bairro Itinga por ser de grande circulação. Quem mora no bairro acha uma boa ideia e deseja que a decisão seja confirmada. “Eu penso que a segurança de Araquari precisa de muito investimento. Moro há quase dois anos na cidade e me sinto acuado pelos arrombamentos e assaltos na região”, diz Dalton Masson, comerciante de 30 anos. Dalton nunca teve sua empresa invadida e nem sofreu nenhum assalto, mas já anseia mais segurança. Assim como ele, Adriano Martins de 26 anos, autônomo também acredita que as câmeras já poderão ajudar a evitar muitos crimes. “As câmeras ajudam a coibir as ações dos criminosos, e ajuda a identificar os mesmos”, diz.


6

Política

“Não existe ilegalidade”, afirma Woitexem Após ação do Ministério Público de Santa Catarina, juiza bloqueia bens do Prefeito de Araquari. João Pedro comenta o caso em entrevista exclusiva à Folha de Araquari Verônica Faquin veronica.faquin@gmail.com

N

o último dia 31 de outubro a juíza Nayana Scherer determinou em caráter liminar o bloqueio dos bens do prefeito de Araquari, João Pedro Woitexem (PMDB), da primeira-dama do município, Maria Neusa Woitexem e de outras três pessoas acusadas de improbidade administrativa. Em agosto deste ano, a promotora Greicia Malheiros da Rosa Souza montou a ação que se refere à participação de parentes e funcionários da Prefeitura em viagens feitas a Piratuba, cidade do oeste catarinense famosa por seu complexo termal. Os passeios foram realizados entre 2011 e 2013, e organizados pela Secretaria de

Foto: Divulgação - DECOM/PMA

Assistência Social do município, pasta na qual a primeira dama atua, como voluntária, conforme informações do prefeito. Na peça a promotora pedia à Justiça além da indisponibilidade dos bens, o afastamento dos acusados de seus cargos e o ressarcimento do dinheiro gasto com as viagens para a cidade turística. Segundo o MP-SC, os gastos com os passeios atingiram R$ 50,5 mil no período analisado. Ao valor incidiria ainda uma multa, totalizando R$ 303 mil que deveriam voltar aos cofres públicos. Contudo, a juíza acatou apenas o pedido de indisponibilidade dos bens. O prefeito afirma que faz parte da obrigação de um administrador público cuidar do bem-estar do idoso e que as viagens visam assegurar os direitos e a inclusão social do grupo em questão. Segundo Woitexem, em todo o seu governo, os gastos do dinheiro público com a terceira idade não atingiram R$ 7 mil. “Não existe ilegalidade ou

irregularidade nenhuma no projeto. Tenho tanta confiança nisto que mesmo após a ação movida pelo Ministério Público continuamos a organizar as viagens. Vamos apresentar os recursos competentes e confiamos que o quadro será revertido” argumenta. O chefe do executivo afirmou que deve oferecer um bem à penhora que cubra o valor da ação para liberar os bens de outros funcionários públicos que estão sendo indiciados. O prefeito e demais réus terão prazo de 15 dias para recorrer da decisão no Tribunal de Justiça a partir da data de notificação. Viagens turísticas estão suspensas A prefeitura organizou ainda algumas viagens com o grupo de idosos, depois de apresentada a ação por improbidade administrativa. Dentre os destinos foram realizadas visitas às cidades de Aparecida do Norte, em São Paulo, e Nova Trento, cidade catarinense onde está situado o Santuário de Santa Paulina. A

Improbidade administrativa – ato contrário aos princípios básicos da Administração Pública, cometido por agente público, durante o exercício da função. O ato de improbidade qualificado como administrativo (ato de improbidade administrativa) é aquele em que há deslealdade ou desonestidade. Liminar – decisão judicial provisória. Antecipa os efeitos da resolução do conflito no despacho inicial.

Para prefeito, cuidado com os idosos faz parte das funções da administração pública

partir deste fato, nova ação foi montada pelo MP-SC em setembro e nova liminar foi deferida suspendendo os passeios turísticos. O órgão aponta que o ônibus utilizado para transportar os excursionistas pertence à Secretaria Municipal de Educação. Segundo a promotora Fabiana Mara Silva Wagner, responsável pelo novo processo, o transporte foi comprado com o dinheiro da pasta educacional e, portanto deve ser utilizado para atividades de mesmo fim. Em deferimento

ao pedido liminar do MP-SC, que consta nos autos do processo, a juíza Nayara destaca o “desrespeito da Administração Pública de Araquari com os munícipes e com o próprio Judiciário, já que pouca ou nenhuma importância deu ao fato de tramitar neste Juízo ação civil pública onde se investigam atos de improbidade consistentes na permissão de uso e utilização de veículo e servidores públicos para realização de viagens para a cidade de Piratuba-SC”. O prefeito João Pedro vai recorrer da decisão.


7

Geral

Praia de Araquari é refúgio para aposentados

Foto: Jaqueline de Mello

Belezas da Praia da Barra do Itapocu ainda são pouco exploradas

>>Cenário de calmaria e belezas naturais durante o ano, Praia da Barra do Itapocu já começa a viver grande movimento com a proximidade do verão Jaqueline de Mello melljack@bol.com.br

M

uita gente ainda não sabe, mas a cidade de Araquari é uma cidade contemplada por suas belezas naturais e uma delas é a Praia da Barra do Itapocu que se tornou refúgio e moradia principalmente de aposentados. É o caso de Osmar Panstein e sua esposa Braunilde Panstein. Após terem passado anos de suas vidas na região

e, depois saído para morar em outra cidade, agora retornaram para o local e permanecem por três anos. “Aqui é um lugar muito tranquilo e bonito, nós adoramos morar aqui”, comenta seu Osmar. Dona Braunilde concorda com o marido e faz algumas ressalvas: “É um lugar maravilhoso, lindo, durante a semana é tranquilo e meio deserto na praia, mas nos finais de semana lota e por isso precisamos de algumas melhorias”. Um lugar sereno, onde a única coisa que se escuta ecoando pelo ar são os sons das ondas que interagem umas com as outras e algumas conversas entre os vizinhos, além do entoar dos pássaros que sobrevoam o mar.

Mas, esse cenário de calmaria é bem diferente durante o verão. Osmar de Borba Coelho é comerciante na Barra do Itapocu e mora no bairro há mais de 20 anos, seu negócio fica na única rua de acesso à praia, bem em frente à ponte de travessia. De acordo com ele, mais de 10 mil pessoas transitam por ali durante o veraneio. “O que precisamos aqui são as estradas pavimentadas, um estacionamento para turistas e reformas constantes na ponte de travessia”, diz. Fora esses fatores, os moradores da região estão mais que satisfeitos em morar no local. “Aqui a gente acorda cedo, passa protetor e vem caminhar e ver o mar” comenta dona

Braunilde. Seu marido acredita que a praia de Araquari é a mais limpa da região e por essa razão, em breve deve ser a mais procurada. “Nós já moramos em outras cidade praianas, mas essa é a praia mais limpa que eu já vi e com a estrada pavimentada deve trazer um número alta de turistas para cá”. A possibilidade de ter a praia onde mora mais frequentada, não o assusta. Seu Osmar vê como progresso e desenvolvimento para a cidade que escolheu habitar. E ele, dona Braunilde, o vizinho também Osmar e todos os moradores da região, não devem esperar mais muito tempo, porque segundo a Secretaria de Desenvolvimento

Regional do Estado já há um projeto em andamento para a pavimentação da rua principal do bairro que liga Balneário Barra do Sul há Araquari, chegando a BR 101. Iniciando no bairro Salinas em Balneário Barra do Sul e seguindo pela Estrada Geral que dá acesso a rodovia. A obra faz parte do projeto do Governo do Estado “Costa do Encanto”. Serão aproximadamente 20 quilômetros de pavimentação orçados em 26 milhões de reais que ainda não saíram do papel por falta de verba. Para dar início à licitação da empresa que deve construir a obra. O jeito agora é esperar e, como diz seu Osmar Panstein: “Curtir a praia e o que ela oferece”.


8

Perfil

Gilberto Boetcher: um empresário em movimento Foto: Jaqueline de Mello

A

Faça sua publicação legal no lugar certo! Anuncie (47) 9711-1487

direcaocorreiofrancisquense@gmail.com

humildade e o espírito de equipe são qualidades visíveis do empresário que atua há quatro anos, em Araquari, no ramo da movimentação. Gilberto Boetcher deu início ao seu negócio em 2009 no município e, desde então, tem conquistado mercado com um pensamento sempre presente: “O sucesso se conquista com movimento. As empresas têm a necessidade de estar sempre em renovação”, diz. Ele iniciou sua carreira como auxiliar administrativo em 1985, com o tempo, passou a trabalhar como gestor, se inseriu no corpo da Associação Joinvilense de Micros e Pequenas Empresas (AJORPEME), onde logo se tornou presidente. A necessidade de empreender sozinho veio em 2009, quando resolveu montar seu próprio negócio e abrir a Movikraft que hoje atua com 10 funcionários, trabalha com vendas para diversas empresas, entre elas multinacionais como a Gerdau, além de exportar para 21 estados da federação. Em apenas quatro anos de funcionamento a Movikraft conquistou seu mercado. “Penso que tudo o que surge em nossas vidas são desafios que temos que assumir e para ser um empresário é preciso

querer receber esse desafio”, comenta Gilberto. Ele é casado, pai de três filhos e dois deles estão ao seu lado trabalhando na Movikraft. A empresa fabrica equipamentos para transporte, movimentação, armazenamento e manuseio como garfos especiais e convencionais para empilhadeiras e equipamentos de içamento. Além de fabricar e oferecer manutenção em torres duplex e tríplex de empilhadeiras. Para o empresário cada um tem um papel no mundo e o dele está recebendo com determinação e serenidade. Para

ele, três coisas definem o sucesso de uma empresa: “Uma é emocional. É você querer ser um empreendedor. Decidir e buscar o que é preciso para isso, como conhecimento e capacidade para o ramo que escolheu atuar”. As outras duas define como processos mais técnicos que seriam: entender um pouco de cada segmento que forma uma empresa como a contabilidade, a administração e o financeiro. “Uma sempre vai depender da outra. Se você precisa mexer em um dos segmentos deve saber o que afetará no outro, precisa saber como sua empresa funciona”.

Folha de araquari  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you