Issuu on Google+

O movimento mais nonsense da história. O Dadaísmo que fez loucos, e os loucos que fizeram o Dadaísmo. Confira nessa edição.

EDIÇÃO DE LANÇAMENTO


CAPA DO MÊS A capa de lançamento conta com redação de Bruno Birlem e Direção de Criação de Leonardo Mauer.

Presidente

Diretor de Criação

Leonardo Mauer

Gus Fring

Vice-Presidente

Diretor de Arte

Chefe de Redação

Diretor de Redação

Walter White

Jesse Pinkman

Goku

Vedita

Formato: 205x280mm | Papel: couchê 120g | Fontes: Bree Serif, Cambo, Helvetica,

AUdimat e Spinwerad | Impresso na Gráfica Senai com autorização da Maria Teresa.

04

antitudo

Porque surgiu o movimento, o que queriam os Dadaístas e quem eram os loucos que o fizeram; o Dadaísmo no Brasil.

BEdadá

Aprenda fazer um poema Dadaísta e original, em uma receita infalível deixada como herança por Tristan Tzara.

idk

Os colunistas fazem um paradoxo entre o movimento, a escola Bauhaus e os grandes líderes da humanidade.

na

amente, numa única fresca respiração, eu sou contra a ação pela contínua contradição e pela afirmação também. Dada não significa nada: sabe-se pelos jornais que os negros Krou denominam a cauda da vaca santa: Dada. O cubo é a mãe em certa região da Itália: Dada. Um cavalo de madeira, a ama-de-leite, dupla afirmação em russo e em romeno: Dada. Sábios jornalistas viram nela uma arte para os bebês, outros jesus chamando criancinhas do dia, o retorno a primitivismo seco e barulhento, barulhento e monótono. Não se constrói a sensibilidade sobre uma palavra; toda a construção converge para a perfeição que aborrece, a ideia estagnante de um pântano dourado, relativo ao produto humano.

idk

Os cem anos da Primeira Guerra Mundial, a origem da palavra “dadá” e o local de nascimento do Dadaísmo.

06

Eu redijo um Eu não sou manifesto e não quenem para ro nada, eu digo portanto nem contra certas coisas e sou por princontra manifestos. Eu e não explico cípios redijo este manifesto para por que odeio mostrar que é possível fazer o bom-senso. as ações opostas simultane-

07

Leonardo Mauer

s

por

PALAVRA DO CHEFE

03

trapping & overprint

internês


idk

Para marcar o centenário da Primeira Guerra Mundial, o Reino Unido criou um banco de dados online com 1,5 milhão de páginas de relatos feitos por soldados. // por

“O que está acontecendo aqui

RODRIGO BRANCATELLI

por todos os lados, há pobres coitados “mortos e os mesmos cruéis e impiedosos

car um século do início do conflito, o arquivo público do Reino Unido digitalizou e publicou pela primeira vez vai além de qualquer dessinais da guerra. Estou farto. na internet o relato de James crição”, anotou em setembro de 1917 o capitão James Paterson, da 4ª Divisão do 1º Paterson e de milhares de outros soldados que particiBatalhão da Infantaria Somerset Light. “Por todos os la- param da guerra – um mosaico de impressões e detalhes dos, há pobres coitados mortos e os mesmos cruéis e im- da vida nas trincheiras. São mais de 1,5 milhão de págipiedosos sinais da guerra. Estou farto.” Um mês e meio nas escritas a mão ou datilografadas pelos combatentes, depois da anotação, Paterson foi morto em batalha. Dos que eram obrigados a manter diários de guerra. 60 milhões de soldados mobilizados na Primeira Guerra Elas podem ser acessadas em Mundial, entre 28 de julho de 1914 e 11 de novembro www.operationwardiary.org de 1918, cerca de 8 milhões perderam a vida. Para mar-

A palavra “dadá”, marca o non-sense ou falta de sentido que pode ter a linguagem. Para reforçar esta ideia foi estabelecido o mito de que o nome foi escolhido aleatoriamente, desta forma, abrindo-se uma página de um dicionário e inserindo-se um estilete sobre ela. Isso foi feito para simbolizar o caráter antirracional do movimento, claramente contrário à Primeira Guerra Mundial e aos padrões da arte estabelecida na época.

O Cabaret Voltaire era um clube artístico localizado em Zurique, no qual havia um teatro e uma sala de exposições e conferência, onde os Dadaístas passaram a ser reunir, a partir de 1915. O fundador do grupo era Hugo Ball. Os demais integrantes eram, em sua maioria, artistas refugiados, que teriam sido convocados para a Primeira Guerra Mundial caso estivessem em seus países de origem.

MAIO 2014

03


A ARTE DO O movimento Dadaísta não

OS DADAÍSTAS FORAM RADICAIS. PROCURARAM MOSTRAR À CIVILIZAÇÃO SUA IMAGEM, ESPELHADA EM EXPRESSÕES DE ANTICULTURA e DE ANTIARTE. OS ARTISTAS VISAVAM CHOCAR, DELIBERADAMENTE, A RACIONALIDADE E O BOM GOSTO, REDUZIR AO ABSURDO AS CONVENÇÕES E NORMAS ESTABELECIDAS PELA CULTURA OCIDENTAL. // por

LEONARDO MAUER

surgiu por questões estilísticas. Nem, no fundo, se prendeu a problemas da arte, ainda que as formas em que decorreram as manifestações fossem artísticas. O objetivo claro e imadiato foi um protesto — prostesto contra a Primeira Guerra Mundial, protesto contra uma cultura que se dizia civilizada e permitia a matança de milhões de inocentes em nome de elevados valores culturais. Lançado em 1916, no chamado Cabaret Voltaire, em Zurique, o Dadaísmo constitui um ponto de partida fundamental para as várias tendências de arte no século XX. Movimento

verdadeiramente revolucionário na arte, no sentido de reformular tanto a linguagem como a atitude básica e os conceitos dos artistas diante de seu trabalho, o Dadaísmo marcou indelevelmente as técnicas, os materiais e as pesquisas deste século. Podemos verificar que ainda hoje, na produção artística de nossos dias, se revelam as repercussões daquela grande explosão que se deu no início do século.

“protesto contra uma cultura que se dizia civilizada e permitia a matança de milhões de inocentes


O DADAÍSMO NO BRASIL No Brasil o Dadaísmo abrangeu as artes plásticas e principalmente a literatura, sendo representada por escritores e artistas dos primeiros anos do modernismo no Brasil, nesse início do movimento modernista buscavam o arrojado e o polêmico, onde o Dadaísmo se encaixava perfeitamente, sendo assim as idéias absorvidas do Dadaísmo Europeu que se enquadravam nesse estilo serviram de grande influência para os artistas do modernismo. O Modernismo foi o movimento que acolheu todos esses artistas com influências do Dadaísmo.

OS MAIORES REPRESENTANTES DO DADAÍSMO NO BRASIL Flávio de Carvalho Ismael Nery Mario de Andrade Manuel Bandeira O Dadaísmo se fez tão presente porque o Modernismo no Brasil tinha como características o desejo de liberdade de criação e expressão e a busca do moderno, original e polêmico.

O ABSURDO OS LOUCOS QUE FIZERAM O DADAÍSMO Marcel Duchamp

Hugo Ball

Pintor e escultor francês. Sua arte abriu caminho para diversos movimentos.

Filósofo e romancista alemão, a marca deste artista são os poemas sonoros.

Fraçois Picabia

Max Ernst

Pintor e escritor francês. Envolveu-se com os principais movimentos do séc. XX

Pintor alemão, adepto do irracional e do inconsciente.

Hans Arp

Man Ray

Pintor e poeta alemão. Arp se preocupava com a Forma pela Forma.

Fotógrafo e pintor americano, fundou com Duchamp o grupo Dadá nova-iorquino.


beijinho no ombro

O PEN SA

MEN

TO SE

BOCA

FAZ NA A ilogicidade e o espontaneísmo EM SUA MÁXIMA expressão. O GRANDE SEGREDO DA POESIA.

Receita para fazer um poema

Dadaísta por

Tristan Tzara

• Pegue um jornal. • Pegue a tesoura. • Escolha no jornal um artigo do tamanho que você deseja dar a seu poema. • Recorte o artigo. • Recorte em seguida com atenção algumas palavras que formam esse artigo e meta-as num saco. • Agite suavemente.

06

MAIO 2014

• Tire em seguida cada pedaço um após o outro. • Copie conscienciosamente na ordem em que elas são tiradas do saco. • O poema se parecerá com você. • E ei-lo um escritor original e de uma sensibilidade graciosa, ainda que incompreendido do público.

Mar de Escolhas Coisas finas, Vidas regressiva de cristal. Três sozinhos distantes. O cansado gene suícida. Droga de psicológicos fáceis. Bolha brilhante de contagem. A morte, carro, dor, momentos paixão. Contemplar coisas de papel? Sumiu a essência difícil. Tempo, vento, uma decisão. Mas poxa vida.

SE NADA FAZ

SENTIDO PORQUE


Igor Nunes

A VOZ DA REDAÇÃO

por

A HISTÓRIA DA ARTE

por

à la carte

Bruno Birlem

Alemanha havia sido Dizem que Mentira porque A revolução A esmagada na 1ª Guerra e humionde foi do design lhada em Versalhes. A economia os loucos são ocriadoperíodo o movimento “Dadá” suem colapso. Multidões de Dadaístas. moderno. estava cedeu a Primeira Guerra Mundesempregados vagavam pelas dial. E quem seriam os loucos ruas aguardando a explosão de uma revolução ao estilo da E que os nessa história? Os que fazem soviética. Em novembro de 1918 o Kaiser Guilherme II foi Dadaístas arte ou os que fazem guerra? deposto e assume o poder uma coalizão de sociais-demosão loucos. O dadaísmo é presente na atucratas e liberais, conhecida como República de Weimar.  alidade com muita intensidade Em reação ao cenário catastrófico e ao clima depressivo, Mentira. e, principalmente no Design,

surge um novo homem, uma criatura sensível, dotada de extrema criatividade intelectual e artística, capaz de inventar o presente e o futuro de um século marcado pela modernidade. A esta visão , o arquiteto Walter Gropius deu-lhe em 1919 um nome que se tornaria todo um programa, e o principal fenômeno de arquitetura e design do século XX: BAUHAUS. A Bauhaus unificou disciplinas como arquitetura, escultura, pintura e desenho industrial. Ela revolucionou o design moderno ao buscar formas e linhas simplificadas, definidas pela função do objeto – um visual “clean.” Ancorada nas idéias da Escola de Arts and Crafts e inspirada no movimento de mesmo nome surgido na Inglaterra no apogeu do Período Vitoriano, do Deutscher Werkbund, bem como em outras correntes reformadoras, a Bauhaus atinge uma notoriedade que ultrapassa as fronteiras da Alemanha. “Arte e técnica, uma nova unidade.”

usamos do Dadá para fazermos nossos brainstormings e rafs. É nele onde surgem aviões, lâmpadas e smartphones. É dele que surgem Thomas, Da Vinci e Jobs. Porque ser louco é uma virtude que só os loucos sabem. E se assim for o nome, loucos são os principais nomes da história mundial. Ninguém lembrará – ou quisera – os nomes dos militares que mataram dezenas, centenas e milhares de inocentes também loucos na guerra. Mas lembrarão dos principais artistas, inventores; lembrarão inclusive dos melhores alunos da sala de aula. Dos melhores funcionários da empresa. Dos amigos mais geniais da roda. Se loucura é ser bom, que o mundo seja mais louco. Se nãoser louco é ser marechal, que todos se explodam juntos na próxima guerra mundial. E a pergunta hipócrita que não se cala: quem seriam os loucos nessa história? Os que fazem arte ou os que fazem guerra? A resposta está dentro de cada um.

? E T R A ERIA DEV FAZÊ-LO MAIO 2014

07



Ser Dadá