Issuu on Google+

Grátis um Colírio


Edição Especial de 40 anos do maior festival psicodelico de todas as eras

Jimi Hendrix Janis Joplin Jefferson Airplane Joe Coker e muita paz e amor Edição sem cortes


Sumario Psicodelismo na música*******************pag.4

Psicodelia hippie, uma viagem transcendental***pag6

Timothy Leary, o guru do LSD***********pag7

Editorial Patrono geral do grupo Mandacarú Lunar Jimi Hendrix Editores Leonardo Fernandes Henrique Gurgel Artur Lobo Lídia Jonga Reporter Artur Lobo Direção de Arte Leonardo Vinicius Uma publicação da editora Mandacarú Lunar


Psicodelismo na música.

A

música psicodélica é uma variante do rock surgida em 1966 em São Francisco, Califórnia, tornando-se popular mundialmente no final dos 1960s. As músicas abordam diversos temas, sendo que os principais são subjetividade, loucura, obsessão, imagens desconexas, alucinações. Uma banda brasileira que representava a música psicodélica, foi Os Mutantes. Caracterizada principalmente pela inclusão de guitarras e efeitos sonoros especiais, tais como vozes repentinas durante o movimento de corte do ritmo da música, risos imotivados, gargalhadas, que remetem a loucura, desespero, alucinação e coisas do tipo, muitas vezes com harmonias contrastantes e experimentais. Músicos e bandas que fazem parte deste estilo é bem vasto, alguns que se firmaram nesse estilo tão peculiar são; Pink Floyd, Velvet Underground, The Temptations, The Supremes, The Byrds, Beatles, The Animals, The Who, Beach Boys, Cream e Bob Dylan, são alguns músicos e bandas que fizeram parte desse movimento recém surgido nos anos 60. O Pink Floyd e o Velvet underground são considerados os precursores da música psicodélica,devido ao uso de arranjos experimentais e letras excêntricas.

Bjork muito doida

Uma grande representante da música psicodélica é a cantora , compositora e atriz Björk , onde seus clipes; Hunter, Hidden Place, All is Full of Love e Crystalline, possuem uma marcante

Atualmente, a música psicodélica é representada por bandas como; Phish, The Bangles, Green on Red, Dream Syndicate, Kula Shaker, Ozric Tentacles e os Gorky’s Zygotic Mynci , Anomie e My Bloody Valentine, Aphex Twin ou Orbital. Kyuss, Smashing Pumpkins, Acid Mother Temple, Blue Cheer, Grateful Dead. Wellwater Conspiracy.

Um dos grande nomes do psicodelismo sessentista, Jefferson Airplane

4

Cores vibrante e desenhos surreais faziam parte destas manifestações artisticas que até hoje influenciam inumeros grupos.

Cangaço Psicodélico


Editora MandacarĂş Lunar

A venda nas melhores lojas 5


Psicodelia hippie, uma viagem transcendental.

Q

uando falamos utilizamos o termo “psicodélico”, o que normalmente nos é remetido a tal termo são os hippies, sim, os hippies! Claro, mas quem são, como surgiram e o que eles tem haver com psicodelismo? Vamos lá, Durante os anos de 1960 muitos jovens começaram contestar a sociedade e a pôr em causa os valores tradicionais e o poder militar e econômico. Grande parte desses jovens foram impulsionados por músicos e artistas em geral (o que explica a popularização de um estilo um tanto peculiar, o psicodelismo).

E

xótico, é um ótimo termo para defini-los. Roupas velhas e naturalmente rasgadas, contrapondo o consumismo, ou então roupas com cores extremamente cansativas a vista humana para fazer apologia à psicodelia, que é nada mais do que a manifestação da alma. com o lema “ Paz e Amor” os hippies defendiam o amor livre e a não violência, também defendiam o culto ao prazer livre, seja ele f ísico, sexual ou intelectual, para isso eles tinham que entrar em uma viagem psicodélica, queriam que a alma se manifestasse. Como eles faziam para que a alma se manifestasse? Para que a alma se manifestasse eles recorriam ao uso de drogas como maconha, haxixe, e alucinógenos como o LSD e psilocibina (alcalóide extraído de um cogumelo).

E

ntendi, mas o que explica aquelas imagens psicodélicas? Vamos lá. Para que toda a manifestação de contraposição ganhasse visibilidade, eram utilizadas imagens que de alguma forma causassem algum efeito a quem as visse. Normalmente tais imagens geram algum efeito ótico, para que deixassem implícito ,digamos, uma hipinotização a causa, fazendo com que as pessoas tivessem curiosidade a tal movimento a ponto de defender a causa. Olhe a imagem e curta a viagem

6

Cangaço Psicodélico


Editora Mandacarú Lunar

Timothy Leary, o guru do LSD

T

imothy Francis Leary, Ph.D. (22 de outubro de 1920 - 31 de maio de 1996), Professor de Harvard, psicólogo, neurocientista, escritor, futurista, libertário, ícone maior dos anos 60 e do hedonismo. Ficou famoso como um proponente dos benefícios terapêuticos e espirituais do LSD. De facto, o Professor Leary defendia os benefícios desta substância psicadélica como o substructio do progresso humano. Amigo pessoal de John Lennon - a música “Come Together” dos Beatles é inspirada em Timothy Leary, e no vídeo de “Give Peace A Chance” podemos ver o professor e a sua mulher de toda a vida, Barbara, junto à cama onde John Lennon protagonizou este hino de liberdade. Na letra dessa mesma música pode-se ouvir, na 3ª estrofe: “Everybody is talking about John and Yoko, Timmy Leary…”, tal era a notoriedade deste eminente académico nessa década. Timothy Leary foi expulso de Harvard depois de ter promovido uma experiência psicotrópica com uma turma inteira de estudantes de psicologia (com o consentimento destes, naturalmente). Mais tarde, a administração de Nixon fez do Prof. Leary um bode expiatório na sua luta reaccionária e conservadora contra a contracultura que abundava nesta época, enviando-o para a prisão pela sua veemente posição contra a proibição do lsd. Nos anos 80, fascinado pelos computadores, Leary dedicou-se a este novo mundo, e teve imenso sucesso. Criou softwares de design, continuou a escrever livros e a fazer conferências. Embora o seu tópico principal fosse agora a tecnologia, ele ainda era reconhecido como o guru do LSD dos anos 60.

7


Look at

Yourself


Cangaço Psicodelico