Page 1

Distrito Federal - Mato Grosso - Mato Grosso do Sul R$ 3,10 - ANO XIII nº 578 29/09 a 05/10 de 2013

www.copopular.com.br

Entrevista da Semana

editorial

Corrupção “disseminada”

Henrique Lopes do Nascimento é presidente do Sintep/MT “Quem administra a Seduc é a conta única”. Pág. 3

mais na página 2

Labirinto empresarial

Mauro Mendes se associa a Galid Osman Didi E

mpresário-prefeito de Cuiabá se alia ao rei do concreto no Brasil em busca de mais ouro para sua fortuna. Mauro Mendes acaba de conseguir atrair para o negócio da mineração, em Mato Grosso, como seu mais novo parceiro, o megaempresário Galid Osman Didi, proprietário da Polimix, empresa com sede na cidade de Santana de Parnaíba, em São Paulo, e que vem a ser a maior empresa de concretagem de cimento da América Latina, com negócios que se espalham pelo Brasil, Argentina, Chile, Costa Rica, Bolívia e Colômbia. O capital e as máquinas das empresas de Galid Osman Didi podem intensificar o processo de extração de ouro em uma área, em Chapada dos Guimaraes, que Mauro Mendes e Valdinei Mauro de Souza (o “Nei”) já estão transformando em uma paisagem semelhante à da Lua, dado o violento processo de degradação ambiental que promovem e que, apesar de repetir o que se registrou na região de Poconé, até agora não foi, curiosamente, enxergado pelos órgãos de fiscalização do Ministério Público, da Secretaria Estadual do Meio Ambiente ou do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis.

mais na página b2 E B3

Agilidade no processo de licenças ambientais Frequência

Chamada no plenário Levantamento do CO Popular, conforme site da Câmara dos Deputados,aponta número de faltas dos parlamentares de Mato Grosso nas sessões deliberativas onde a presença é obrigatória. Os congressistas de Mato Grosso faltaram quase um ano em sessões deliberativas em plenário da legislatura desde 2011, acumulando 348 faltas em menos de três anos de mandato, ausências justificadas ou não, além do recesso anual que soma 50 dias.

mais na página B4

Aplicação

“Fumacê só em último caso” mais na página 7

Mau exemplo

mais na página 8 Por Fernando Ordakowski

Prefeitura de Cuiabá tem o pior índice de gestão fiscal do país O estudo é elaborado exclusivamente com dados oficiais, declarados pelos próprios municípios à Secretaria do Tesouro Nacional. Foram mapeados 129 das 141 prefeituras de

Mato Grosso. Entre os 500 melhores resultados do país, 23 são do estado de MT e cinco cidades concebem entre os 100 melhores desempenhos do Brasil.

mais na página 6

Abastecimento precário

“Parece que estamos morando no Nordeste”

População de Várzea Grande clama por água nas torneiras. mais na página 4


2 Opinião Editorial

Distrito Federal - Mato Grosso - Mato Grosso do Sul ANO XIII nº 578 29/09 a 05/10 de 2013

www.copopular.com.br

Artigos

Corrupção “disseminada”

E

m recente entrevista publicada nas páginas amarelas da revista Veja, o novo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, 56 anos, defendeu o combate à corrupção como prioridade de sua gestão, mas com um alerta: o foco não pode ser apenas em casos emblemáticos. Para Janot, esse tipo de ação tem que ocorrer de forma capilarizada, rastreando desvios menores, como os ocorridos na contratação de merenda escolar e na construção de ginásios e de estradas. “Tendemos a ver apenas a corrupção praticada em obras monumentais. Tão prejudicial quanto é aquela que vai de pouquinho em pouquinho, mas é dis-

seminada. Essa também faz um estrago sem tamanho”, disse o procurador à Veja. Janot também promete uma novidade, que é a disponibilização, no site da procuradoria, de informações sobre representações, pessoas investigadas e o andamento de cada caso. Disse que hoje há um acúmulo de trabalho no gabinete da Procuradoria-Geral da República em parte, decorrente da forma de atuar de seu antecessor (Roberto Gurgel), conhecido por ser centralizador. Segundo Janot, há no gabinete hoje 170 representações, 200 inquéritos policiais e 2 mil processos. Para reduzir esse volume, o procurador-geral está chamando reforço e

disse que pode até criar forças-tarefas. Outro tema abordado na entrevista foi sobre o poder de o Ministério Público investigar. O procurador-geral da República disse que assim que o Supremo Tribunal Federal decidir sobre a questão, será preciso criar regras específicas para nortear esse trabalho. Quanto ao limite e equilíbrio da atuação do MP, Janot defende que deve ser o “limite da prova”, que não é possível ignorar uma prova nem ir além da legalidade dela. Ao falar do Mensalão, o chefe do MP diz que a instituição cumpriu seu papel e que a justiça foi feita. “O mensalão mostra que o foro (privilegiado) não leva à impunidade”.

Agricultura ameaçada Divulgação

O perigo ronda 186 milhões de toneladas, sem a adoção o campo. Um dos desta tecnologia não chegariam às mesas setores mais dinâ- dos brasileiros e do mundo cerca de 75 micos da economia milhões de toneladas de alimentos, além brasileira está ex- de fontes de energias renováveis. Ou então: posto ao feroz ata- caso fossem retirados 40% das exportações que de novas pragas apenas do complexo soja, seriam menos R$ e doenças que, sem 10,5 bilhões na balança comercial brasileiformas adequadas ra. Ainda mais drástico: se o impacto de de controle, infes- tais perdas fosse debitado do Valor Bruto JOÃO SERENO LAMMEL da Produção, VBP, apenas das culturas de é engenheiro agrônomo, pre- tam lavouras nas sidente do Conselho Diretor mais importantes soja, cana-de-açúcar e milho – que somarão da Associação Nacional de regiões agrícolas do R$ 166 bilhões, segundo o Ministério da Defesa Vegetal, Andef País. A lagarta He- Agricultura –, significa que o país deixaria licoverpa armígera, de arrecadar R$ 66,5 bilhões. até poucos meses A lentidão do sistema de defesa fitosdesconhecida da maioria dos pesquisado- sanitária tem se mostrado tão assustadora res, já devorou, apenas na safra deste ano, quanto a voracidade dos insetos, doenças cerca de 1 bilhão de dólares das lavouras de e ervas daninhas, de acordo com a resoja e algodão do Mato Grosso e Bahia. Es- vista Exame (“A praga difícil de vencer”, pecialistas acompanham o rastro da praga 13/09/13). De fato, é inconcebível a parcie constatam que ela já se instalou em áreas mônia com que é tratada, em certos setores do Paraná e franjas das regiões Sudeste e do governo federal, uma das principais tecnologias demandadas pelos agricultores Nordeste. A Helicoverpa e para a sustentabilidade praga se soma a ouda agropecuária. tras, como a mosca É urgente e inadiável, portanto, ampliar a branca, a broca do Um dos setores infraestrutura funcional café e a ferrugem mais dinâmicos de modo a conferir ceasiática – esta já d a e c o n o m i a leridade e eficiência os tendo causado, nos brasileira está exposto três encarregados reguúltimos dez anos, de acordo com a ao feroz ataque de novas lamentação da defesa fitossanitária: Ministério Aprosoja, prejuízo pragas e doenças da Agricultura; Ibama; superior a 25 bie a Agência Nacional de lhões de dólares. As perdas se alastram a lavouras de café, Vigilância Sanitária, Anvisa. A lentidão do algodão, feijão e hortaliças. De acordo com sistema é assustadora, como acusam os a Sociedade Brasileira de Defesa Agrope- números. Em 2008, foram aprovados 11 cuária, pelo menos quinze outras pragas novos princípios ativos; em 2009, reduziu do mesmo potencial destrutivo rondam as para 8 novos ingredientes ativos. Em 2010, lavouras. Os efeitos podem ser devastado- as aprovações caíram drasticamente para 3 res – às plantações e à economia do País. ativos novos; em 2011, foram registrados O agronegócio foi responsável, nos úl- apenas 2 novos produtos. Finalmente, timos dez anos, por 27% do PIB nacional. no ano passado, a de morosidade atingiu Tal resultado se deve, em grande medida, o fundo do poço: apenas e tão somente 1 à geração de novas tecnologias, a partir de produto novo foi registrado. investimentos vultosos de empresas públiA correção nos rumos do atual marco cas e privadas. É o caso, por exemplo, dos regulatório oferecerá um horizonte de novos defensivos agrícolas, mais eficazes e maior previsibilidade às empresas definiseguros: as plantações não protegidas por rem seus planos de investimentos. Mas, somodernas tecnologias perdem, em media, bretudo, trará confiança para trabalho dos 40% de sua produção. Traduzindo-se: para agricultores – afinal, os maiores responsáa safra brasileira deste ano, aguardada em veis pelos alimentos em nossas mesas.

expediente

é propriedade da

Diretor Antônio Carlos Oliveira Diretoria Comercial Max Feitosa Milas Editoria e Reportagem-MT Beatriz Girardi - DRT - 1187-MT

Sedes Avenida Miguel Sultil, nº 4.353 - Areão Cuiabá - Mato Grosso - CEP: 78.010-500 Fone (65) 3623-4300/e-mail: adm@copopular.com.br

Editor e Reportagem - MS Jota Menon Reportagens Beatriz Girardi, Regina Botelho, Juliana Radel Estagiários Ana Sampaio redacao@copopular.com.br Editor de Arte / Diagramação Mário Pulcherio Filho Diagramação / Projetos Leonardo Arruda - 65 9233-9018 Charge Fernando Ordakowski Circulação Brasília, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul

Endereço Brasília CLSW - 301 - Bloco A - Edifício Spaço Vip Sala 136 - Setor Sudoeste Fones: (61) 3028-1388/3028-1488

Escrtório Campo Grande Rua Joaquim Murtinho, nº 184 - Centro Campo Grande - Mato Grosso do Sul CEP: 79.002-100 Fone (67) 3029-4214 e-mail: admms@copopular.com.br Assinaturas: (65) 3046-0400 (67) 3029-4214 Acesse: www.copopular.com.br

Os artigos de opinião assinados por colaboradores e/ou articulistas são de responsabilidade exclusiva de seus autores. Não representam assim a opinião do jornal.

Espiral dos ruídos

Divulgação

Prenúncios da impunidade

Divulgação

Até anteontem acreditava-se que havia uma governo ainda é capaz barreira intransponível entre a internet e o mundo de alterar as frequências. real. Hashtags (#) eram ‘ondas’ e jamais seriam Havia uma presidente partículas. Eles não tinham peso e jamais poderiam no meio da sintonia. A incidir sobre o mundo real. Nunca se entendeu mui- simples fala da presito bem o que eram estes jogos da velha e, a bem da dente e a apresentação verdade, sequer suspeitaram que este simbolozinho de propostas e metas pudesse trazer algo novo para a democracia. e, sobretudo, a ênfase Os hashtags surgiram, sem muita pretensão, dada à reforma política como um meio de indexar assuntos a palavras-chave deslocou a sintonia. RICARDO BORGES para facilitar a localização de discussões via mecaAo contrário de MARTINS nismos de pesquisa. Com o tempo, tornaram-se muitos, concordo com a é formado em Ciências Sociais pela U niversidade de ferramentas sociais capazes de conectar pessoas presidente que a insatis- São Paulo (FFLCH-USP), com pelo menos um interesse em comum. Por fação generalizada seja com foco em Cultura Política e Tendências Democrámeio de hashtags, as pessoas passam a ter maior sintoma de uma crise de ticas. Com especialização em possibilidade de controle sobre seus círculos sociais, representação, crise cada Argumentação e Influência Social pela Université d’Aixvez mais aguda em virtu- -Marseille (França), é um são elas que decidem os seus recortes e conexões. Nesse cenário de maior autonomia individual de do fortalecimento da dos organizadores do Movimento #EuVotoDistrital. sobre a própria rede, a noção de minoria e maioria interatividade. Estas ondas de co– que sempre teve papel fundamental nas teorias da opinião pública – perde peso. A célebre ideia de que nectividade não são meras perturbações se propaminorias se calariam justamente por perceberem gando no meio, estas ondas têm massa e devem ter que são minorias começa a enfraquecer. Ela não peso no processo político. Acreditar na democracia deixa de existir, mas sua lógica é menos dominante. como regime é acreditar no direito de que estes ruídos possam confluir; é Uma nova configuração acreditar que tais ruídos social surge para colocar em xeque a teoria precisam de poder de inde Noelle-Neuman: se Das manifesta- cidência. ou não, esexiste uma espiral hoje, ções à reforma tamosQueiram em um processo de ela não é a espiral do política transição para uma nova silêncio, mas a espiral democracia, cujos contordo ruído. nos - embora não muito As pessoas encontram suporte para confirmar o que elas pensam definidos - apontam para um sistema político e encontram audiência para dizer o que elas não muito mais interativo. O que incomoda a muitos, no diriam. entanto, é perceber que esta transição não se dará Ao contrário do previsto por muitos que pen- por rupturas. Teremos que consertar a bicicleta sam a democracia em rede, este aumento da capaci- enquanto pedalamos, isto é, a democracia repredade de interação entre pessoas com interesses em sentativa não deixará de existir: ela terá que passar comum não propiciou (pelo menos não até agora) por adaptações que respondam melhor as ondas de o surgimento de uma sociedade fragmentada. No alta interatividade e a novas formas de organização. meio dos ruídos, o próprio mecanismo de rede se Isto requer sim uma reforma política - e já requer mostra capaz de encontrar sintonias. Ora ou outra faz tempo. escutam-se pontos transversais entre esses grupos, Mas democracia dá trabalho. Se quiserem surgem consensos no encontro dessas micronar- levar adiante a Reforma Política de forma inclusirativas. va e participativa, de maneira que todos possuam A questão toda é que estes consensos são, acesso de qualidade às informações e participem em via de regra, amorfos. É difícil rastrear a sua de um debate qualificado, não se pode fazer isso origem, e mais ainda identificar os seus porquês. às pressas. É aí que os processos maiores se iniciam, e o nosso É verdade que a população gostaria de ver entendimento emperra. mudanças o quanto antes e se possível já valendo Em junho observamos, talvez pela primeira para as eleições do ano que vem, mas é preciso ter vez no Brasil, o nascimento deste fenômeno. As em mente a variedade e complexidade dos assuntos, manifestações de rua - plurais, desorganizadas, lembrando sempre que o principal obstáculo à resem causa, com excesso de causas, etc. - foram o forma política tem sido justamente a pluralidade de resultado desse consenso mínimo em defesa do questões que tentam aprovar em um mesmo pacote. Enfim, para que os ruídos encontrem sintonia direito de manifestar. A intersecção entre todos os movimentos é o que tornou as manifestações a e capacidade de influir, é preciso de tempo. Caso contrário, poderemos mudar apenas para que as expressão de um sentimento público. O ponto aqui é que em fase de transição o coisas permaneçam como sempre foram.

Os antigos já diziam: não choreis o leite der- da cultura de tráfico ramado; contudo, resignar ao silêncio não trará de influência que semalento. No que tange ao processo do mensalão pre reinou nesse país, que terá um segundo julgamento, não me restam quem é que garante dúvidas de que sob a égide de uma legislação com que esse segundo julgaexcessos de garantias aos contraventores, o Su- mento não foi orquespremo Tribunal Federal - STF demonstrou ser um trado com finalidades tribunal composto de homens vaidosos e indeci- duvidosas, objetivando sos; e que se comportam de forma destoada com sabe se lá o que, quiçá, os anseios de uma nação que clama por Justiça. ajudar “os companheiJOEL MESQUITA Muitas justificativas razoáveis do ponto de ros”, visando penas me- é B acharel em C iências Sociais pela UFMT vista jurídico foram apresentadas por parte dos nos rigorosas? Num cenário onde magistrados que compõe aquela Corte de Justiça e que votaram pela revisão. Porém, como bem reina a corrupção e a impunidade, a Suprema defendeu o eminente ministro Joaquim Barbo- Corte, ao que me parece, está insegura e indecisa sa, existiam elementos que também justificava em suas decisões; assim sendo, a quem os cidaa manutenção do julgamento outrora realizado. dãos de bem irão recorrer na busca por Justiça? Não me parece nada razoável que depois A meu ver, os recursos infringentes vieram à baila como desculpa para justificar as ambigui- de anos de análises e estudos e de posse de dades presentes em nosso ordenamento jurídico. inúmeras provas documentais, depoimentos e Pois é perceptível, que quando a Justiça Brasileira indícios concretos do Modus Operandi criminoso lida com poderosos, ou com grupos ligados a eles, utilizado pela quadrilha para roubar o dinheiro tem-se prevalecido uma convicção que destoa público, ainda pairam dúvidas sobre a conduta da lógica, do justo, da ética, da moral e da razão. criminosa dos envolvidos que foram condenados Para quem leu a denúncia que o Procurador no primeiro julgamento. Geral da República Basta que leiamos os Antônio Fernando documentos disponíveis Barros e Silva de Souna internet e que fazem za, encaminhou ao A meu ver, os parte dos Autos, para forconvicção de que relator do Processo recursos infrin- marmos houve o desvio de vultosas do Mensalão, o emigentes vieram à quantias originárias dos nente Ministro Jobaila como desculpa para cofres públicos, diversos aquim Barbosa, ao meu entender, não justificar as ambiguidades empréstimos simulados, pode ter dúvidas da como a “construção” presentes em nosso orde- bem conduta criminosa de um esquema de loteanamento jurídico mento político dos cargos dos envolvidos outrora condenados. Não é públicos em troca de apoio necessário ser versado às propostas do Governo em Direito, para reconhecer a fundamentação e Petista no Congresso Nacional. validade da denúncia, devido que fica explicita a Lamentavelmente a realidade é a que está conduta delituosa dos julgados. posta. Como diria o legislador e poeta lírico Sólon Ora, não se pode esperar desfecho justo de Atenas, “As leis são como teias de aranha: boas nesse segundo julgamento, que sabe lá quando para capturar mosquitos, mas os insetos maiores irá acontecer, correndo assim o risco de algumas rompem sua trama e escapam”. Pressinto que penas prescreverem; não se pode perder de vista assim sucederá aos “homens fortes do PT”, por que dois dos Ministros que votaram pela conde- hora ainda condenados. Receio que as leis dessa nação dos envolvidos, já não mais fazem parte terra de homens vis e sem decência, os tornem do Supremo. Assim é evidente que muita coisa num futuro não muito distante, em indivíduos irá mudar ao final dessa novela. honestos e justos, contribuindo para que mais Diante da dura realidade e sendo conhecedor uma vez a impunidade saia vitoriosa.


Entrevista da Semana 3

Distrito Federal - Mato Grosso - Mato Grosso do Sul ANO XIII nº 578 29/09 a 05/10 de 2013

www.copopular.com.br Henrique Lopes do Nascimento é presidente do Sintep/MT

“Quem administra a Seduc é a conta única”

H

Lopes do Nascimento é servidor público. NasEstado do Paraná e em 1979 mudou-se para o Mato Grosso. Sua família reside no município de Alta Floresta. Entrou na área da educação em 1990 e em 1993 entrou na luta pelos trabalhadores da educação. Atualmente Henrique é presidente do Sindicato dos Trabalhadores do Ensino Público de Mato Grosso – Sintep/MT um dos maiores sindicatos de Mato Grosso. O Sintep está organizado em 98 municípios do Estado e possui 15 mil filiados. enrique ceu no

e questão democrática. Vai ser através da greve que vamos arrancar uma política para dobrar o poder de compra do salário dos educadores de Mato Grosso, que comparado com os outros servidores do Estado é a categoria que possui o pior salário.

Juliana Radel Da Redação

Centro-Oeste Popular - A categoria conseguiu algum progresso em quase 40 dias de greve? Henrique Lopes do Nascimento - Conseguimos avançar parcialmente, até porque a reivindicação inicial da categoria era que o governo estabelecesse um aumento salarial, que o governo aplicasse a hora atividade para os contratos temporários, que apresentasse a possibilidade da realização de um novo concurso público, além da melhoria física das escolas. Instituir uma comissão para o concurso público não quer dizer que será realizado, o governo tem que ser mais explícito. O governo buscou o meio mais difícil para resolver o problema, demorou 38 dias para publicar a primeira resposta. O governo é muito impreciso e distante diante das reivindicações da categoria. O governo tem colocado nota na imprensa dizendo que 90% das escolas foram reformadas, mas nós queremos saber qual é o problema dos outros 10%, onde elas estão e qual o calendário que o governo tem para reformar e adequar essas escolas para atender com qualidade a educação. É isso que temos dialogado. Afirmamos que Mato Grosso tem condições de avançar, só não avança porque não tem responsabilidade do governo. Isso é uma gestão fora da Lei, que não observa o artigo 245 da Constituição do Estado, que fala que tem que aplicar 35% da receita na educação. É um governo que não tem interesse que a educação seja promovida, conforme estabelece a própria legislação. A greve não avança porque há um interesse do governo para que esses tipos de situações prevaleçam. CO Popular - Quais serão as próximas ações que o Sintep irá promover em relação à greve? Henrique Lopes - O espaço de decisões da categoria é a Assembleia Geral dos Trabalhadores de Educação que criou uma proposta para o governo do Estado na tentativa da greve ser encerrada inclusive essa semana. Essa contraproposta foi encaminhada ao governo do Estado que até o presente momento não protocolou a resposta aqui no Sindicato. Temos informações da imprensa que o governo não vai avançar nada além do que foi dito na primeira proposta. CO Popular - O governo investe na educação? Henrique Lopes - Investir ele investe, só não cumpri

CO Popular - A greve atinge quanto da categoria? Henrique Lopes - Mais de 90% dos servidores estão em greve, inclusive pode chegar a 100% dos trabalhadores, pois começou forte. Na primeira

a Lei. CO Popular - A greve dos servidores da educação foi declarada abusiva pela Justiça. Procede? Henrique Lopes - Eu não concordo, mas quero dizer que para o Sintep isso não é novidade. Até porque todas as greves dos servidores do Estado de Mato Grosso nunca foram arbitradas a favor pelo judiciário de MT. Seria uma surpresa se tivesse um resultado diferente do que foi o posicionamento do desembargador Marcos Machado. Essa situação de legalidade ou ilegalidade da greve nunca foi determinante para poder mudar o rumo do nosso movimento. Nós estamos tranquilos em relação a isso. CO Popular - Qual a estimativa para os alunos voltarem às aulas? Henrique Lopes - A estimativa é que se o governo acatar a contraproposta da categoria nós chamamos a Assembleia Geral e encerra a greve. Como parece que não há por parte do governo um compromisso em resolver o impasse, a greve continua. CO Popular - Qual o comprometimento do governo Silval Barbosa com a educação do Estado de Mato Grosso? Henrique Lopes - Se tivesse um comprometimento, a categoria não teria entrado em greve. A partir do momento que temos um governo fora da lei não dá para dizer que há um compromisso com a educação. CO Popular - O sindicato está forçando uma negociação com o governo? Henrique Lopes - Sim. A nossa saída sempre foi o diálogo. Nós tentamos evitar essa

CO Popular - Nas paralisações anteriores houve avanços na situação da educação do estado? Henrique Lopes - Todos os avanços que tivemos até hoje foram concebidos através de greve. Inclusive hora atividade, lei complementar que inclui o funcionário no plano de carreira

CO Popular - Como o senhor avalia a gestão da Seduc? Henrique Lopes - É uma gestão sem autonomia. Se tivesse autonomia estaríamos em outro patamar. Quem

O governo é muito impreciso e distante das reivindicações da categoria semana, a greve atingiu 90%. Portanto, estamos com essa expectativa de crescimento.

administra é a conta única. Então a secretaria de educação é ausente.

CO Popular - Qual a principal reivindicação? Henrique Lopes - A principal reivindicação é o respeito pela legislação, porque ela é a condição fundamental para garantir uma melhor educação. Nossa pauta não é só econômica, apesar de que não se faz educação sem investimento. Agora quando você tem desvio e irregularidades das receitas você não consegue avançar com a política. A reivindicação é disponibilizar a verba da receiata para educação, conforme manda a Lei. Ela tem as condições para que a educação possa avançar em todos os aspectos.

CO Popular - A política pública de educação em Cuiabá piorou nos últimos anos? Henrique Lopes - Eu não digo que piorou ou não, pois é uma política que sempre foi pautada pelo princípio da irresponsabilidade, seja rede estadual ou municipal. Quando os gestores não tem compromisso com a educação a gente continua navegando contra a maré. Do ponto de vista da qualidade da educação, ela é esforço dos trabalhadores da educação que são pessoas sérias, responsáveis e tem feito milagre para manter o processo educacional da maneira que está. Se há um pequeno melhoramento na qualidade da educação é fruto do esforço dos trabalhadores da categoria.

CO Popular - Qual a representatividade do Sintep no contexto nacional? Henrique Lopes - O Sintep de Mato Grosso é um sindicato que é copiado por diversos outros do Estado por ser um sindicato que tem saído à frente em muitas políticas. É um sindicato de muitas conquistas para a classe educacional, além de ser respeitado, não só no cenário nacional, mas também reconhecido na América Latina por exportar a política do Brasil como deve ser. CO Popular – Na sua opinião, o que é uma educação de qualidade? Henrique Lopes - Educação de qualidade é aquela que

Toda sociedade para se tornar soberana investe em educação greve várias vezes, desde 2012. A greve só aconteceu por falta de responsabilidade do governo e por não respeitar o que por lei é direito do trabalhador.

CO Popular - A educação é a base de tudo? Henrique Lopes - Está comprovado em qualquer país que a educação por si só não vai mudar o mundo, como dizia Paulo Freire, mas sem educação não se vai a lugar nenhum. Toda sociedade para se tornar soberana investe em educação.

respeita os trabalhadores de educação, que valoriza os trabalhadores que estão na escola. É uma educação que garanta a infraestrutura mínima necessária para desempenhar o processo de aprendizado e para isso tem que acompanhar as exigências do mundo moderno. Acima de tudo, uma educação de qualidade é aquela que respeita o ser humano, respeita o aluno e que desenvolve os aspectos biológicos, sociológicos e sociais. Isso significa educação de qualidade.

CO Popular - Qual o maior desafio hoje do professor? Henrique Lopes - O maior desafio é sobreviver com o salário que tem, porque a maioria dos educadores faz dupla jornada de trabalho e isso faz ser uma categoria de profissionais doentes. Tem uma pesquisa que comprova que 49% dos trabalhadores da educação tem algum tipo de problema de saúde. Além desse desafio de sobrevivência, é o profissional ganhar pouco e saber que ele é a peça essencial para a formação da sociedade. CO Popular - Qual o recado que o senhor deixa para as mães e os alunos? Henrique Lopes - A educação só melhora com a colaboração da sociedade. Qual é a identidade que o professor tem na sociedade hoje? Qual a infraestrutura que a escola oferece aos alunos? É isso que gostaria que a sociedade entendesse, se a educação é a condição fundamental para transformar a sociedade, então é preciso que esta mesma sociedade também lute pelas melhorias necessárias. Quero dizer ao pai e mãe que a nossa luta não é apenas por salário, mas sim por melhores condições de trabalho e melhores condições dos espaços físicos que esses filhos frequentam.

PRESÍDIO GUAXEBÃO

Conforme cantou a pedra há muitas luas aquele zeloso marquês, “camburão vip tá encostando”. Cabuloso causo da “Operação Cartas Marcadas”, somado ao rumoroso “Rombo da Conta Única” vai passar a casa de R$ 1 bilhão. Em matéria de concorrência – e roubalheira -, “Mato Grosso em primeiro lugar” promete deixar mensalão no chinelo. Más línguas já apontam que Arena Bacanal, pra não virar elefante branco depois da Copa 2014, pode ser futuro Presídio Guaxebão, conforme bem sugerido pelo nobre de Mimoso.

CARTAS MARCADAS

De uma cambulhada só, Polícia Civil enquadrou 20 acusados por fraudes na emissão de mais de R$ 600 milhões em cartas de crédito a Agentes da Administração Fazendária. No rol dos indiciados, destaque para o suplente de deputado estadual Gilmar Donizete Fabris (DEM) e o ex-supersecretário de Fazenda, Casa Civil e Secopa – hoje titular do Escritório de Representação de Mato Grosso em Brasília -, Éder Moraes Dias (PMDB).

OUTRO

Mas dizem também as más línguas que o inquérito 180 não revela muito – o que revela é o outro...

SININHO

Os guizos – ou sininhos – foram pendurados aos pescoços da turma, faltam talvez as algemas aos pulsos. Enquanto a venda de Lexotan cresce em Cuiabá, Éder Moraes aluga horário de televisão para fazer campanha disfarçada à Assembléia Legislativa, quem sabe na vã esperança de imunidade ou foro privilegiado para tirar o seu purpurinado da reta.

FAMIGLIA

Enquanto isso, no Legislativo, o manjado suplente Gilmar Fabris terá que livrar o dele e o da parentaia – esposa, cunhada e concunhado também estariam enrolados até o pescoço no esquema.

PROCURADOS

Quer dizer, procuradores... De lambuja, também foram enquadrados os ex-titulares da Procuradoria Geral do Estado (PGE) João Virgílio do Nascimento Filho e Dorgival Veras de Carvalho, além do então sub-procurador geral Nelson Pereira dos Santos.

A força do PSD

Muitos analistas políticos estão convictos da força do Partido Social Democrático nas eleições de 2014. O partido que tem como liderança o deputado estadual José Riva pode ser sim decisivo nas eleições majoritárias do ano que vem.

Silval e as obras da Copa

O trabalho que o governador vem fazendo junto às obras de mobilidade para a Copa de 2014 podem deixar um legado enorme com a conclusão dos viadutos e a chegada do VLT. Certamente Silval será lembrado por muito tempo.

Salário suspenso

Mais de 12 mil servidores ainda não efetivaram o recadastramento obrigatório determinado pelo Governo do Estado. O prazo encerra na segunda-feira (30.09). Quem não atualizar os dados, vai ter os salários suspensos. Certamente muitas pessoas passam despercebidas e vão se dar conta só na data do recebimento, ou seja esta semana.

“A pastinha”

A modelo joinvillense Luciane Lauzimar Hoepers, de 33 anos, aliciava prefeitos para desvio de fundos de pensão. A joinvilense, formada em administração, ficou cinco dias presa e foi indiciada por formação de quadrilha e lavagem de dinheiro, no contexto da Operação Miquéias. De acordo com a Superintendência da Polícia Federal do Distrito Federal, Luciane era “pastinha” da quadrilha, ou seja, responsável por se aproximar de prefeitos e gestores de fundos para captar verbas para empresas de fachada oferecendo benefícios. Luciane confessou que viajou a mando da organização de Norte ao Sul do país abordando prefeitos para participarem do esquema, mas não soube dizer por quantas cidades passou. Segundo o Setor de Comunicação Social da Superintedência, um dos prefeitos que conversou com Luciane aderiu à organização criminosa. Não foi revelado quanto ela recebia pelo serviço.

‘Máfia do Guincho’

Na Tribuna Livre do último dia 26, a convite do vereador Allan Kardec (PT), o jornalista José Marcondes Muvuca pediu aos vereadores para que se unam contra a Máfia do Guincho, comandada conjuntamente pela SMTU (“Amarelinhos”) e Polícia Militar. “Não podemos colocar o aparelho estatal contra o cidadão. O que se vê hoje é um sistema opressor, ditador”. Também discorreu sobre uma série de denúncias de serviços deficitários e abusos cometidos pelas empresas que operam o transporte coletivo na capital.


4 Cidades

Distrito Federal - Mato Grosso - Mato Grosso do Sul ANO XIII nº 578 29/09 a 05/10 de 2013

www.copopular.com.br

Abastecimento precário

“Parece que estamos morando no Nordeste”

Regina Botelho Da Redação

Assim como ocorre em Cuiabá, dezenas de bairros em Várzea Grande padecem com a falta de água. Moradores reclamam do sofrimento das constantes faltas no abastecimento. Se não bastasse a deficiência, um recente estudo da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) apontou que as principais demandas e ações para a Copa do Mundo de 2014, para serem executadas em toda a Baixada Cuiabana, o alerta para Várzea Grande é referente ao consumo de água. Segundo a pesquisa, serão necessários investimentos para ampliação da capacidade de captação, tratamento e distribuição de água na cidade, com risco de falta do líquido durante o evento. Mas até que a deficiência não seja parcialmente resolvida, a população sofre sem o fornecimento regular em suas residências. A aposentada Ivone Machado, 68, moradora do bairro Nova Fronteira há seis anos, relata que na região o fornecimento é péssimo. Ela diz que moradores que não tem condições de comprar água dos caminhões pipas contam com a solidariedade de vizinhos que têm poços artesianos. Com o pouco que sobra do seu salário sempre que pode compra mil litros e desembolsa R$ 30 para manter as tarefas de casa. “A quantidade não dá para nada. O meu poço secou e para garantir os reservatórios economizo o máximo que posso”, sinaliza dona Ivone. Já o funcionário pú-

Fotos: Regina Botelho

População de Várzea Grande clama por água nas torneiras

Serviço oferecido pelo Departamento de Água e Esgoto de Várzea Grande é apontado como precário e de péssima qualidade

Sem o fornecimento eficaz, população recorre à compra de água trazida pelos caminhões pipas

blico Teodoro Matias, 59, que mora há um ano no Residencial Alice Gonçalves, revela que no local não há falta no abastecimento, mas a água chega fraca às torneiras e não consegue subir nas caixas. “Falta vontade do poder público. É preciso realizar uma força tarefa nos bairros da cidade. Analiso que há Diretor do DAE/VG, Zelandes Santiago: a cidade cresceu, houve expansão geográfica, mas não houve investimentos na produção de água.

monopólio das empresas de caminhões pipas ou alguém está ganhando com isso”, avalia. A diarista Sirlene Alves da Silva, 32, reside há sete anos no Parque Del Rey. Ela enfatiza que na região nenhum morador tem uma gota de água em casa há quase um mês. Por sorte ela e seus filhos moram próximo da casa do seu pai e duas vezes por semana busca em pequenos reservatórios uma quantidade para suprir as necessidades. “Essa situação passou dos limites. É uma falta de respeito das autoridades. Nossa rede de distribuição é antiga e quando vem o fornecimento há muito desperdício, pois em vários pontos os canos estão velhos e com rachaduras”. Localizado em uma das regiões centrais, nem mesmo o bairro Ipase de classe média e alta escapa da es-

cassez. Quem conta a triste situação é a autônoma Nilva Belettati, 39. De acordo com ela, o fornecimento chega três vezes por semana, mas não consegue encher os reservatórios da parte de cima. Por falta do ‘bem necessário’, comprou mil litros que custou R$ 300. Uma outra alternativa encontrada pela moradora foi a aquisição de uma bomba para transferir a água que fica depositada na caixa. “Isso é horrível. Parece que estamos morando no Nordeste. Mandam água insuficiente para as famílias várzea-grandenses. Cada hora a prefeitura inventa uma desculpa. Além da conta de água, minha tarifa de energia aumentou 30% a mais devido ao uso da bomba. É preciso uma solução rápida”. Um motorista de caminhão pipa que não quis ter seu nome revelado, disse que a falta acontece em toda cidade e que cerca de 30 empresas trabalham diariamente vendendo água para os munícipes. Colapso O secretário Especial de Gabinete e representante oficial do município de Várzea Grande na Secretaria Extraordinária da Copa do Mundo (Secopa), Roldão Lima Júnior, explica que o sistema está prestes a entrar em colapso. Para evitar a crise, alegou que foi sinalizada a possibilidade de intervenção da Secopa para realização de um projeto

que irá contemplar a Cidade Industrial com investimentos na captação, tratamento e distribuição orçado em R$ 3,83 milhões e previsto para execução em seis meses. Ao final terá ampliado em 47% a capacidade de distribuição elevando para 14 milhões de litros d’água/dia a oferta no município. “O projeto prevê a execução de assentamento de um bombeador no Rio Cuiabá, juntamente com a montagem de um novo conjunto de moto bomba para atender a Estação de Tratamento de Água (ETA/1), localizada no Morro do Urubu, na Avenida Ulisses Pompeu de Campos, bem como adequação das instalações elétricas e quadro de distribuição e automatização”, observou Roldão. Planejamento estratégico O diretor presidente do Departamento de Água e Esgoto de Várzea Grande (DAE/VG), Zelandes Santiago, atribui a falta de água ao grande consumo e má produção de água potável. Disse ter conhecimento do desabastecimento em vários bairros, mas o órgão

está buscando soluções para resolver o problema. Segundo Santiago, há 15 anos a autarquia não recebe aportes de investimentos para produção, mas será inaugurado e já estão em fase de teste a ETA II, na Avenida Júlio Campos que vai produzir 400 mil litros por hora, o equivalente a nove milhões de litros por dia. “Vai aliviar a situação, porém não vai resolver o problema da escassez. A cidade cresceu, houve expansão geográfica, mas não houve investimentos na produção de água. A cidade possui a mesma capacidade há vários anos. Antigos gestores não se preocuparam em fazer o planejamento”, observou. Investimentos Para o mês de outubro, segundo Santiago, estão previstos investimentos na ordem de R$ 333 milhões no saneamento básico através do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 2) com recursos do Governo Federal para o tratamento , capacitação e distribuição de água para munícipes, além do tratamento da rede de esgoto.

Sirlene Alves da Silva, 32, conta que várias famílias no Parque Del Rey estão sem uma gota d’água em casa

“Parece que estamos morando no Nordeste. Mandam água insuficiente para as casas”, disse Nilva Belettati


Política 5

Distrito Federal - Mato Grosso - Mato Grosso do Sul ANO XIII nº 578 29/09 a 05/10 de 2013

www.copopular.com.br

AMM e parceiros

Rede de apoio à gestão municipal Um banco de projetos para evitar perda de tempo e dinheiro público na execução das obras

AMM e parceiros articulam criação de rede de apoio à gestão municipal

Gestão Municipal é do governo federal e foi apresentada pelo representante da Subchefia de Assuntos Federativos - SAF, James Matos, a integrantes da AMM e do governo do estado. A SAF é vinculada à Secretaria de Relações Institucionais da Presidência da República. A proposta é que cada estado constitua uma Mesa Federativa composta por representantes dos governos federal,

Da Redação

Representantes da Associação Mato-grossense dos Municípios, governos federal e estadual se reuniram na terça-feira (24), na AMM, para debater a criação de uma rede de apoio aos municípios no encaminhamento de vários temas de interesse da administração local. A proposta da criação da Agenda de Apoio ao Planejamento e à

estadual e da associação de município estadual. O projeto piloto da iniciativa está sendo implantado em Mato Grosso, Bahia, Espírito Santo, Rio Grande do Sul e Mato Grosso do Sul. Para auxiliar os municípios serão criadas equipes de apoio aos gestores em vários eixos temáticos. Uma das prioridades é a elaboração do Plano de Saneamento Básico, obrigatório para os municípios brasileiros.

Conforme a Lei 11.445, as prefeituras não poderão receber recursos federais para projetos de saneamento, se não tiverem o plano que inclui o abastecimento de água potável, esgotamento sanitário, drenagem de águas pluviais e manejo de resíduos sólidos. Os demais eixos trabalhados serão os seguintes: Receitas Municipais, Previdência Própria, Transparência na Gestão, Melhoria do Ambiente de Negócio e Modernização Administrativa. Estão previstas para outubro as primeiras reuniões para debater a elaboração do plano de trabalho, que vai formatar as ações de cada eixo temático. As ações das redes de apoio serão financiadas com recursos governamentais, que serão utilizados na contratação de técnicos especialistas em cada eixo para orientar os municípios. A previsão de liberação dos recursos, por meio de convênios, é a partir de 2014. O superintendente da AMM, Darci Lovato, que representou o presidente Valdecir Luiz Colle na reunião, destacou a importância da iniciativa para os municípios e sugeriu uma ação sistematizada da mesa federativa visando garantir resultados efetivos. “A elabo-

CONTROLE SOCIAL

TCEstudantil estimula a cidadania e promove o controle social Da Redação

Estudantes do Instituto de Ensino Superior de Mato Grosso dos cursos de Administração e Ciências Contábeis participaram na terça-feira, 24/9, do projeto TCEstudantil e tiveram oportunidade de conhecerem as atividades do Tribunal de Contas de Mato Grosso. Com eles, parceiros e fornecedores da instituição participaram durante a manhã do projeto e também receberam informações quanto ao controle externo e a importância da participação do controle social como aliado. O TCEestudantil existe desde 2001 e visa a conscientização dos jovens sobre a importância de exercer a cidadania. De janeiro a agosto deste ano já participaram 2.041 estudantes. No plenário, os participantes foram recepcionados pelo conselheiro Valdir Teis que deu as boas vindas agradecendo a visita de todos, em especial a participação de representantes do Corpo de Bombeiros, Secretaria Estadual de Fazenda, Secretaria de Estado de Ciência e Tecnologia, Secretaria Estadual de Educação, Policia Militar, Tribunal de Justiça do Estado, Policia Civil, Sebrae/MT, Escola de Trânsito, entre outros. Para Vinicius Yule Pardi, do Sebrae-MT, a parceria com o Tribunal de Contas tem conscientizado os gestores do Estado a cumprirem a Lei Geral das Micro e Pequenas Empresas (Lei n.º 123 de 14 de dezembro de 2006)'' Contamos com a participação da Instituição para fiscalizar se os prefeitos estão colocando em prática todos os benefícios oferecidos para as micros e pequenas empresas do seu município,''concluiu. Andreia dos Reis, diretora da Escola Estadual Eliane

Marcos Bergamasco/Agência Phocus

Projeto já recebeu 2.041 alunos este ano

De janeiro a agosto deste ano já participaram 2.041 estudantes

Digov, disse que recebeu o convite e se interessou, pois como gestora deve saber fazer o uso correto dos recursos públicos em prol da sua comunidade. ''Vejo sempre o TCEstudantil pelo site e não tinha me dado conta da oportunidade de trazer os alunos para participarem deste projeto e, também, para saberem como são procedidas as análises dos processos. Estamos construindo uma nova escola e acompanho a execução da obra pelo site do Tribunal", comentou. Pedro Ivo Pacífico, representante do projeto "Liga Acadêmica de Combate de Prevenção do Câncer Bucal", da Faculdade de Odontologia da UNIVAG-Centro Universitário Várzea Grande conta que a parceria com o TCE-MT visa "a divulgação de prevenção, orientação e tratamentos de câncer bucal. O TCE é uma vitrine para a sociedade. Tenho certeza de que ele nos ajudará a divulgar este trabalho com muita força", concluiu O professor coordenador do Instituto de Ensino Superior de Mato Grosso (IESMT), Marcelo Almeida Souza acha que ''as pessoas reclamam e não sabem e nem procuram

saber se existem canais que possam denunciar, acompanhar, fiscalizar e verificar o andamento das obras públicas, lembrou''. MELHORIAS SOCIAIS Segundo Cassyra Vuolo, Secretaria de Articulação Institucional do TCE-MT, este é o segundo ano que o órgão está trazendo os parceiros e fornecedores para visitar e conhecer a estrutura do Tribunal. “É importante que os parceiros que estão fazendo uma ação com o Tribunal ou que prestam serviços aqui saibam o quanto valorizamos esses projetos. Da mesma forma, é preciso que conheçam o

órgão, e saibam como é feita a fiscalização do controle externo. Esta aproximação é boa para todos. Este é o segundo ano de parceria e já trouxe bons frutos.’’ Os grupos visitaram o espaço cultural Liu Arruda onde foram apresentadas palestras sobre o Ministério Público de Contas, Ouvidoria Geral e Secretaria de Controle Externo de Obras e Engenharia (Geo-Obras). As instituições de ensino que desejarem participar do TCEstudantil podem entrar em contato com a Secretaria de Articulação Institucional do TCE-MT, 36132911 ou pelo e-mail sai@tce. mt.gov.br. (Com Assessoria)

Parceiros e fornecedores do TCE-MT participaram do projeto

ração do Plano de Saneamento Básico é uma das prioridades, considerando as dificuldades dos municípios e a importância para a comunidade”, assinalou. Participaram da reunião na AMM representantes da Direto-

ria Institucional da associação, da Casa Civil, das secretarias de estado de Cidades, Desenvolvimento Rural, além da Controladoria Geral da União – CGU. ( Com Agência de Notícias da AMM)

Mudança de sigla

Após saída de Valtenir, Mauro Mendes pode presidir o PSB Apesar de escolha unânime entre os correligionários, a decisão não é oficial Juliana Radel Da Redação

O deputado federal Valtenir Pereira anunciou na quinta-feira (26) a desfiliação do Partido Socialista Brasileiro (PSB) e sua filiação ao Partido Republicano da Ordem Social (Pros). Com a saída do parlamentar, que nos últimos anos comandou a legenda no Estado, o prefeito de Cuiabá, Mauro Mendes (PSB), tem seu nome cogitado para ser o novo presidente da sigla. A decisão foi debatida durante reunião, realizada na casa do socialista, na madrugada desta sexta (27). O encontro começou por volta das 22h e se estendeu até às 2h. A deputada estadual Luciane Bezerra é a nova vice-presidente do PSB, conforme informou a assessoria. Em nota, a assessoria disse que “demais membros da direção do partido devem ser escolhidos em breve, mas antes as lideranças devem começar um trabalho para novas filiações e de fortalecimento partidário”. Com a saída do deputado federal Valtenir Pereira da presidência do partido, a sigla perde alguns membros. “Sei que todos que acreditam e confiam na ideologia socialista devem permanecer no PSB. Vamos valorizar ainda mais quem permanece. E vamos buscar novos militantes também”, disse a parlamentar. O secretário de Comunicação da Prefeitura de Cuiabá, Kleber Lima, disse que apesar da reunião a decisão que Mauro Mendes seja o novo presidente do PSB “não é oficial” e que “vai depender se o prefeito irá aceitar o convite, além da decisão também depender do diretório nacional”, declarou. Em trecho do pedido de desfiliação da sigla, Valtenir Pereira relata que “foi uma decisão amadurecida e sopesada”. “Levo no coração boas recordações. Compreendo e sobrelevo os dissabores

decorrentes da natureza dos embates internos dos partidos políticos. Saio agradecido, porque muito aprendi. Deixo bons companheiros e sigo em frente para continuar a busca de outros, também, bons companheiros”, diz o deputado em trecho do pedido. Sobre a possibilidade de novas filiações de pelo menos quatro deputados estaduais, inclusive do atual secretário de Esportes do município de Cuiabá, Carlos Brito de Lima, a assessoria informou que “não temos essa informação”. Outro nome citado é do ex-senador Antero Paes de Barros , que disse para reportagem do CO Popular que foi convidado a um tempo pelo prefeito Mauro Mendes para filiar-se ao PSB. “Em relação a minha filiação à sigla, ela é oficial. Sobre qual será a minha candidatura, isso será discutido no ano que vem. Acredito que seja para deputado estadual, até porque eu preciso ficar em Cuiabá por uma questão familiar”. Antero disse ainda que a possibilidade de Mendes presidir o PSB “já era algo cogitado” e prosseguiu “é o homem de maior liderança, como bom organizador de equipe ele vai fazer os braços do partido abraçar todo Estado”. A respeito da saída do deputado federal Valtenir Pereira, Antero disse que “o deputado tem suas razões pessoais”, finalizou. Já o vereador Onofre Júnior deve se reunir com o Diretório Municipal do PSB, para definir se fica na sigla ou se estará livre para a desfiliação.


6 Política

Distrito Federal - Mato Grosso - Mato Grosso do Sul ANO XIII nº 578 29/09 a 05/10 de 2013

www.copopular.com.br

Mau exemplo

Prefeitura de Cuiabá tem o pior índice de gestão fiscal do país

O estudo é elaborado exclusivamente com dados oficiais, declarados pelos próprios municípios à Secretaria do Tesouro Nacional. Foram mapeados 129 das 141 prefeituras de Mato Grosso. Entre os 500 melhores resultados do país, 23 são do estado de MT e cinco cidades concebem entre os 100 melhores desempenhos do Brasil Reprodução

Primeiro lugar do Estado, Lucas do Rio Verde se destacou por possuir elevada liquidez e baixa parcela do orçamento consumida por juros e amortização

pior desempenho no Estado. A assessoria da prefeitura de Cuiabá informou que está sendo criado um sistema de gestão, pois a prefeitura não tinha. “Não existia um instrumento de gestão. Era precário o nosso sistema, nem computadores suficientes havia. A prefeitura está investindo em novos sistemas, financeiro e administrativo. Desde o mês de março deste ano está sendo elaborado um planejamento até 2023. Esse planejamento será em todas as áreas. Provavelmente no próximo mês o prefeito vai aprovar esse planejamento que é uma parceria com o Tribunal de Contas do Estado. Além disso, a dívida que a prefeitura tinha já foi quitada a metade”. As notas zero de Cláudia e Rosário Oeste indicam que os dois municípios superaram o teto estabelecido pela Lei de

Apesar desde índice da prefeitura de Cuiabá, a pesquisa da Firjan mostra que quase 60% dos municípios do estado do Mato Grosso tem situação fiscal excelente ou boa no que diz respeito à eficiência na gestão orçamentária das prefeituras Juliana Radel Da Redação

ques, responsável pelo setor de finanças da Prefeitura de Sapezal.

Principais problemas

Os dados, relativos a 2011, apontam que 66,2% dos municípios brasileiros não administram seus recursos de forma satisfatória, e só 1,6% têm alto grau de eficiência na gestão fiscal. A falta de liquidez é o principal problema dos piores colocados, significa que esses municípios terminaram o ano de 2010 com mais restos a pagar do que recursos em caixa. Outro fato que chamou a atenção entre os municípios com os piores resultados foram os elevados gastos com pessoal. Na outra Divulgação

A Prefeitura de Cuiabá registrou o pior resultado entre as capitais brasileiras por apresentar grande dificuldade na administração dos restos a pagar e baixo nível de investimento, aponta o Índice Firjan de Gestão Fiscal (IFGF) elaborado pelo Sistema Firjan (Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro), divulgado no dia 23 de setembro. Criado para avaliar a administração do dinheiro público nos municípios a partir de estatísticas oficiais disponíveis, o IFGF é composto por cinco indicadores: receita própria, gastos com pessoal, investimentos, custo da dívida pública e liquidez/ restos a pagar. De acordo com o levantamento, criado pelo Sistema Firjan para avaliar a qualidade de gestão fiscal dos municípios brasileiros, foram mapeados 129 das 141 prefeituras de Mato Grosso. Cuiabá está na 121º posição no Estado nesse índice e, em nível nacional, ficou em 3.587ª posição. A análise das contas públicas, que tem base o ano de 2011, revelam um quadro de elevado custo de endividamento da capital mato-grossense, de 2,0 vezes a média das capitais. Apesar desde índice da prefeitura de Cuiabá, a pesquisa da Firjan mostra que quase 60% dos municípios do estado do Mato Grosso tem situação fiscal excelente ou boa no que diz respeito à eficiência na gestão orçamentária das prefeituras. Entre os 500 melhores

resultados do país, 23 são do estado de MT e cinco cidades concebem entre os 100 melhores desempenhos do Brasil. O estudo é elaborado exclusivamente com dados oficiais, declarados pelos próprios municípios à Secretaria do Tesouro Nacional. No topo do ranking estadual, os dez melhores resultados são em ordem do primeiro para o décimo colocado: Lucas do Rio Verde, Sapezal, Santa Rita do Trivelato, Nova Mutum, Sinop, Ipiranga do Norte, Água Boa, Vila Rica, Barra do Garças e Acorizal . Primeiro lugar do Estado, Lucas do Rio Verde se destacou por possuir elevada liquidez e baixa parcela do orçamento consumida por juros e amortização. “Ficamos

Rosário Oeste apresentou o pior desempenho no Estado

felizes com o resultado, isso demonstra que estamos fazendo um bom trabalho. A prefeitura uniu todas as fiscalizações, além disso, a prefeita Ilma Grisoste modernizou o nosso sistema, o que facilitou chegar a esse resultado”, disse Nivaldo Mar-

ponta do ranking, entre os dez piores resultados mato-grossenses, estão Cláudia, Pedra Preta, Dom Aquino, Cuiabá, Ribeirão Cascalheira, Araguainha , Nova Bandeirantes, Tesouro, Rondolândia e Rosário Oeste, município que apresentou o

Segmento infantil

Comércio espera vendas menores no Dia das Crianças Uma das razões é o aumento da inflação, que reduz ainda mais o poder de compra do brasileiro Da Redação

Os papais e mamães vão apertar os cintos neste Dia das Crianças. A expectativa das entidades representativas do comércio, como a Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas e do Serviço de Proteção ao Crédito, é de uma expansão das vendas a prazo de 4%. Nos anos anteriores, as altas foram de 4,85% (2012), 5,91% (2011) e de 8,5% (2010). Se as expectativas se confirmarem, será o pior resultado dos últimos três anos. Um dos motivos é a alta

Se as expectativas se confirmarem, será o pior resultado dos últimos três anos

do dólar, que no mês passado chegou a valer R$ 2,45, justamente no momento em que os varejistas do segmento infantil se preparavam para

reforçar seus estoques de mercadorias. Outra razão é o aumento da inflação, que reduz ainda mais o poder de compra do brasileiro.

Responsabilidade Fiscal para a folha de salários do funcionalismo (60% da receita). O prefeito de Cláudia, João Batista Moraes de Oliveira (PSD), explicou dizendo que “não era prefeito na época da pesquisa. Estamos tentando melhorar o índice que vem caindo desde 2008. O município foi mal administrado. Estamos implantando um sistema fiscal para melhorar o posto fiscal”. O prefeito garante que “metade da dívida já foi paga”. Não estavam disponíveis na base de dados da Secretaria do Tesouro Nacional as informações de General Carneiro, Itiquira, Poconé e Santo Antônio do Leverger.

Grau de eficiência

No Brasil, o município com melhor resultado foi Poá (SP), com 0,9618. No outro

extremo está Belém de São Francisco (PE), com 0,0606. O estudo também apontou que apenas 113 cidades do país (2,2%) foram capazes de gerar ao menos 50% de suas receitas. Dos 500 piores do ranking nacional, 72,2% pertencem ao Nordeste. Comparado à edição anterior, o índice nacional teve crescimento médio de apenas 0,3%, o que demonstra que os municípios brasileiros praticamente não evoluíram no que diz respeito à gestão de suas contas, permanecendo em situação fiscal considerada difícil. Outra constatação da pesquisa é que, se por um lado os dados mostram a redução dos gastos com pessoal, de outro revelam que a folga no orçamento não foi direcionada aos investimentos, e sim para reforçar o caixa dos municípios.


Geral 7

Distrito Federal - Mato Grosso - Mato Grosso do Sul ANO XIII nº 578 29/09 a 05/10 de 2013

www.copopular.com.br

Fumacê

Aplicação só em último caso, diz coordenador do CCZ Mesmo não sendo apropriado para matar larvas, o fumacê é eficaz no combate ao mosquito transmissor da dengue Fotos: Regina Botelho

Quando há caso suspeito de Dengue, agentes realizam a aplicação de fumacê com bomba costal

noite”. aparecem nesta época e têm no momento eles procriam Segundo a especialista, a hábitos noturnos. Conforme rápido e invadem as casas”, falta de rede pluvial de esgoto, a professora, o Culex vive em justifica. saneamento e limpeza dos águas poluídas e como neste Ana Lúcia enfatiza ainda córregos que cortam a cidade período do ano não tem muitas que cabe ao poder público Aumento dos pernilongos ocorre porque os insetos precisam de calor, água parada e suja para são os principais fatores que chuvas, acabam acumulando manter com frequência a limse multiplicar contribuem com o grande nesses locais. “Cuiabá não tem peza dos córregos e dos canais número de mosquitos nas resi- muita rede pluvial. Quando da rede de esgoto e não somenRegina Botelho armazenadas de forma errada nem o ventilador corre com dências. Ela comenta que exis- chega o período das chuvas a te realizar ações de controle Da Redação e pneus acabam acumulando eles”, observa. A doméstica te o mosquito de hábito diurno, circulação de água nos córre- do mosquito da dengue e o água e surge o mosquito trans- Nanci Santigo da Silva, 50, o Aedes Aegypti e o Culex que gos impede a procriação. Mas transmissor da malária. Para tristeza ou alívio de missor da Dengue. moradora do Ribeirão do Lipa muitas pessoas, a aplicação do “A Dengue está ligada ao também reclama do aumento DADOS fumacê nos bairros de Cuiabá nosso hábito. A dificuldade de insetos. De acordo com ela, só deverá ser realizada este maior de controlar a doença os mosquitos chegam por volta De acordo com os daano em caso de emergência é a falta de participação do das 16h e depois desse horário ou quando o controle da den- morador. Se ele participasse as picadas são inevitáveis. dos do Sistema de Inforgue não atingir resultados mais cuidando do seu quintal Alérgica, diz que não usa inse- mação de Agravos de Notisatisfatórios. A informação foi teríamos uma redução na po- ticida. Porém, queima esterco ficação (Sinan) online, de 1º repassada pelo coordenador e pulação dos mosquitos, pois de gado para afastar os bichos. janeiro a 27 de setembro de Para tentar se livrar da 2013, Mato Grosso registrou biólogo do Centro de Controle a prefeitura faz a sua parte. É 41.709 casos notificados de de Zoonoses (CCZ) de Cuiabá, dengue, com 38 ocorrências Eyerson Boaventura. de óbito, sendo 33 confirMesmo que o trabalho mados: Alta Floresta (03), com o inseticida elimine o Apiacás (01), Aripuanã (01), mosquito transmissor da dengue, o coordenador garante Barra do Garças (01), Cáceres (01), Campo Novo dos que a liberação dos carros Parecis (03), Campo Verde do fumacê acontece somente (01), Carlinda (01), Cuiabá quando há epidemia e quem (02), Itiquira (01), Jaciara Eyerson Boaventura é coordenador do Centro de Controle de faz a liberação dos carros é a Zoonoses de Cuiabá (01), Juara (02), PrimaSecretaria Estadual de Saúde vera do Leste (02), Pontal (SES). Enquanto não há epidemia, as ações de controle se do Araguaia (01), Pontes (01), Nova Xavantina (01), no mesmo período foram baseiam no trabalho dos agen- O comerciante Luiz Ferreira Mendes instalou telas de proteção e Lacerda (01), Tangará Cuiabá (01) e Sorriso (01). de 43.533 casos em Mato em toda casa tes de combate a epidemias que da Serra (01), Sinop (04), A capital registrou 3.228 Grosso. O quadro epidevisitam a população de casa Sorriso (02), Vera (01), casos, Rondonópolis 3.101 miológico caracteriza-se em casa. No caso de Cuiabá, preciso educação ambiental, perturbação o comerciante Sapezal (01), Lucas do Rio casos, Sinop 7.694 casos e pela circulação simultânea Boaventura afirma que não uma coisa quase impossível Luiz Ferreira Mendes, 40, Verde (01) e Várzea Grande Várzea Grande 719. O estado de dois sorotipos virais da há necessidade de utilizar os porque a população ao invés que reside no Despraiado, nas (01). Há cinco episódios sob registrou até o momento dengue, o DENV 1 e a introcarros do fumacê, pois quan- de ajudar joga lixo em locais imediações de um dos locais investigação: Alto Taquari 107 casos graves de Dengue. dução do sorotipo DENV 4 do se tem um caso suspeito é inadequados”, lamenta o co- preferidos pelos insetos: um (01), Lucas do Rio Verde Em 2012, as notificações no Estado. realizado o bloqueio químico ordenador do CCZ. córrego de esgoto. “Além de a 400 metros no raio de ação convivermos com o córrego, a Mosquitos do mosquito com a utilização comunidade tem de suportar Panorama atormentam da bomba costal. “Uma peso mau cheiro, sujeira e as altas a população soa manuseia o equipamento temperaturas. Já coloquei até Seja de dia ou à noite, no algumas telas de proteção nas motorizado pulverizando o inseticida dentro dos 400 me- trabalho, na rua ou em casa, janelas de casa, mas mesmo tros de ação do mosquito Aedes os mosquitos estão tirando o assim eles conseguem, de um jeito ou de outro, atrapalhar o nosso descanso. Ligamos os ventiladores todos os dias, O número é significativamente maior que da última pesquisa, realizada em 2011 compramos repelentes e aplico Da Redação inseticida”, detalha. Para se para a busca de novas livrar da perturbação, a estudante Aline Machado, 19, da Uma pesquisa reaoportunidades também Morada do Ouro se precaveu lizada pelo site de emaumentou. Da edição com métodos bastante utiliza- pregos Catho, que traça 2013 da pesquisa, 15% dos. “Reforçamos o estoque de um panorama sobre a disseram ter usado as mosquiteiros. Minha sobrinha contratação, demissão redes para procurar o de dois anos está toda marca- e carreira dos profissioemprego atual e 27,6% da por causa das picadas dos nais, aponta que 51,7% afirmaram ter feito alA dona de casa Maria Gertrudes reclama da presença dos guma entrevista com insetos e não para de se coçar.” dos entrevistados fizepernilongos e sofre com o incômodo dos insetos ram uso de algum site base nos contatos das PROLIFERAÇÃO de empregos na busca da redes. Em 2011, ano da Aegypti e isola aquela área”, sossego da população cuiabaA bióloga, professora e atual ocupação. O númeúltima pesquisa, 12,7% explica o coordenador. na. Uma das vítimas é a dona especialista em entomologia da ro é significativamente disseram usar as reAlém disso, Boaventura de casa, Maria Gertrudes, 50, Universidade Federal de Mato maior que da última des para encontrar um comenta que o trabalho de moradora do bairro Novo Colo- Grosso (UFMT), Ana Lúcia pesquisa, realizada em novo local de trabalho e controle e prevenção é realiza- rado. Ela conta que a presença Maria Ribeiro, explica que o 2011, quando 45% dos 24% afirmaram ter condo pelos agentes de epidemias dos pernilongos é constante e aumento dos pernilongos na trabalhadores utilizaseguido uma entrevista. durante o ano todo, onde as todos os dias sofre com o incô- cidade ocorre porque os insetos vam os sites para busca “ O pleno emprego equipes visitam as residên- modo dos insetos. Para ela um precisam de calor, água parada de empregos. A pesquisa e a alta concorrência cias tratando os reservatórios dos fatores que contribui com a e suja para se multiplicar e são deste ano apontou que as dos respondentes disseram são fatores que influenciam que se encontram com larvas grande quantidade de mosqui- insetos de hábitos noturnos. mulheres e os mais jovens são que via classificados onli- os trabalhadores a procurar dos mosquitos e orientando a tos é uma rede de esgoto que Para evitar a proliferação, os que mais usam este meio ne. Em 2005, 7,9% deram a outras formas de se recolocar população sobre os cuidados corre a céu aberto em frente aconselha a população a não para buscar uma colocação no mesma resposta. Em 2007, e, a maioria, como mostra a o percentual caiu para 5,9% pesquisa, já percebeu que a contínuos que não devem ser sua residência. Mesmo mora- deixar água parada em plantas mercado de trabalho. esquecidos. Ele alerta que do em uma humilde casa com ou em recipientes. “Para manA utilização dos sites de e subiu para 7,4% em 2009. internet é uma maneira eficaz mesmo não estando no período mais quatro pessoas, sendo ter os pernilongos afastados é classificados para conseguir Na pesquisa de 2001, 11,1% de alcançar os objetivos pela de chuvas, a população relaxa uma criança, ela mantém sua preciso colocar telas nas jane- um emprego é uma crescente. afirmaram que conseguiram facilidade, rapidez e grande nos cuidados e quando inicia residência e o quintal sempre las, ralos de banheiros, usar Quando perguntados “por a colocação atual por meio de armazenamento de informações “, ressalta Luís Testa, dio período chuvoso vários ob- limpos. “Nada disso resolve. repelentes e manter portas e qual meio você conseguiu um site de empregos. jetos como garrafas de vidro Eles estão tão resistentes que janelas fechadas no início da seu emprego atual”, 17,3% O uso das redes sociais retor de marketing da Catho.

Sites de empregos é ferramenta para 51,7% dos trabalhadores


8 Política

Distrito Federal - Mato Grosso - Mato Grosso do Sul ANO XIII nº 578 29/09 a 05/10 de 2013

www.copopular.com.br

Chamada no plenário

Júlio Campos é o que mais falta e Valtenir é o mais assíduo Levantamento do CO Popular, conforme site da Câmara dos Deputados, aponta número de faltas dos parlamentares de Mato Grosso nas sessões deliberativas - onde a presença é obrigatória Reprodução

Se assim como nas escolas e universidades a frequência mínima de 75% também fosse exigida na Câmara Federal, muitos estariam reprovados Juliana Radel Da Redação

até o dia 20 de setembro. No ranking de assiduidade, a liderança é de Valtenir Pereira (PSB) com 11 faltas apenas. A exceção é para o deputado Homero Pereira (PSD) que teve 100 faltas justificadas devido a

Júlio Campos afirma que “teve somente quatro ausências não justificadas em todo o seu mandato”. No ranking de assiduidade, a liderança é de Valtenir Pereira com 11 faltas apenas

Divulgação

Reprodução

Os congressistas de Mato Grosso faltaram quase um ano em sessões deliberativas em plenário da legislatura desde 2011, acumulando 348 faltas em menos de três anos de mandato, ausências justificadas ou não, além do recesso anual que soma 50 dias. Júlio Campos (DEM) é o deputado mato-grossense que registrou o maior número de faltas acumuladas nas sessões deliberativas (conforme site da Câmara dos Deputados) em comparação com os outros sete deputados que representam o Estado na bancada em Brasília, totalizando assim 57 faltas. Em segundo lugar ficou

Pedro Henry (PP) com 51 faltas; seguido de Wellington Fagundes (PR) com 50 faltas; Carlos Bezerra (PMDB) com 43 faltas; Nilson Leitão (PSDB) com 21 faltas e Eliene Lima (PSD) com 15 faltas - dados contabilizados

um tratamento quimioterápico para combater um câncer no estômago e, na última semana, teve sua aposentadoria concedida pelo presidente da Câmara Federal, Henrique Alves (PMDB). Júlio Campos afirma que “teve somente quatro ausências não justificadas em todo o seu mandato - de 2011 a setembro de 2013, estas foram motivadas por enfrentar problemas de sua saúde, pois é diabético e também tem hepatite, e por problemas de saúde de sua esposa, que sofreu complicações com o câncer e veio a falecer”. Além disso, Campos se defendeu dizendo que “minhas justificativa para as minhas ausências, todos já sabem. No entanto defendo, além de presenças na Câmara dos Deputados, a efetividade em apresentar resultados e projetos de Lei de

interesse social que corrija as mazelas sociais. Não sou “falso moralista”, mas defendo resultados para o povo. Não somente a presença é importante, mas que esta seja representativa e efetiva para resolver os problemas que atingem a população”, explicou.

Frequência mínima

O cálculo de assiduidade dos deputados é feito pelo Congresso em Foco ao final de cada semestre/ano. O balanço é feito com dados da página eletrônica da Câmara dos Deputados. Todos os parlamentares que exerceram o mandato, independentemente do período e da condição (titular ou suplente) são incluídos para o levantamento de presença e ausência nas sessões deliberativas. No final de agosto, a ausência de três deputados: Carlos Bezerra, Pedro Henry e Homero Pereira da bancada de Mato Grosso colaborou com a manutenção do mandato do deputado presidiário Natan Donadon (exPMDB/RO). Já na apreciação da PEC do Voto Aberto, apenas metade da frente parlamente de MT esteve presente em defesa do voto aberto: Carlos Bezerra, Homero Pereira, Júlio Campos e Valtenir Pereira. Hoje, os parlamentares podem justificar as faltas e, desta

forma, evitar o desconto em folha. Para o cientista político João Edisom, isso ocorre não só na Câmara dos Deputados, mas também no Senado e nas casas legislativas, tanto estaduais quanto municipais. “É um abuso do poder constituído, porque ser político se tornou profissão e isto não poderia ocorrer. Hoje eles têm o melhor salário do mundo tendo em vista que são os próprios que decidem sobre o valor e eles mesmos que julgam e fiscalizam suas contas. O que ocorre é uma afronta ao cidadão pagador de impostos e por isso que a credibilidade do político brasileiro esta tão em baixa”. João Edisom acredita que as faltas deveriam ser punidas independentes de atestados de saúde, uma vez que, a atividade deveria ser voluntária já que ganham moradia e transporte gratuito. “Um dia de falta deveria descontar dois de salário. Além disso, ainda tem a farra das licenças para outro assumir para ganhar dinheiro e visibilidade política. Férias é outra discrepância, tendo em vista que a justificativa são as visitas às bases eleitorais, mas isto já ocorre o ano todo e com os custos pagos pela União. Hoje um parlamentar é prejuízo para a nação, deveríamos rever as funções e os modos operantes do exercício dos mandatos”, conclui.


Agronegócio -MT B1

Distrito Distrito Federal Federal -- Mato Mato Grosso Grosso -- Mato Mato Grosso Grosso do do Sul Sul ANO ANO XIII XIII nº nº 578 578 29/09 29/09 aa 05/10 05/10 de de 2013 2013

www.copopular.com.br

Destaque

MT comemora produção de 25 milhões de toneladas Ministra e governador lançam Plano Safra e festejam aumento da produção em MT. Estado produz cerca de 30% da soja colhida no país Josi Pettengill/Secom-MT

O Governo Federal irá investir R$ 25 bilhões para a construção de armazéns privados em todo Brasil nos próximos cinco anos Beatriz Girardi Da Redação

Capaz de movimentar dezenas de bilhões de reais na indústria e nos serviços e com generosas linhas de crédito à disposição, a soja se tornou o personagem central da economia mato-grossense. O governador Silval Barbosa e a ministra-chefe da Casa Civil, Gleisi Hoffmann, lançaram o

início do plantio da safra da soja 2013/2014 e comemoraram o aumento da produção em Mato Grosso, que neste ano deverá ser de 25 milhões de toneladas, 7% a mais em comparação a 2012. O evento ocorreu na quinta-feira (26.09) em Sinop, na sede da Embrapa, e faz parte da segunda edição do projeto Soja Brasil, que acompanha a safra de soja desde o plantio até a colhei-

ta. Na ocasião, a ministra anunciou investimentos em armazenagem para a produção brasileira. O Governo Federal irá investir R$ 25 bilhões para a construção de armazéns privados em todo Brasil nos próximos cinco anos. Mais R$ 500 milhões estão previstos para dobrar a capacidade dos armazéns públicos. “Estas são medidas importantes para o desen-

volvimento econômico do país. Mato Grosso se destaca neste cenário, pois aqui são produzidos cerca de 30% da soja colhida no país. As estimativas internacionais indicam que o Brasil passará os Estados Unidos da América e será o maior produtor de soja do mundo. Até o final desta década, será o maior produtor de grãos. O que queremos é infraestrutura de qualidade”, ressaltou a ministra. A soja movimenta uma ampla cadeia de fornecedores antes do plantio, desde a extração mineral para fazer o aço de plantadeiras até a compra de fertilizantes, e após a colheita, com fretes, armazenagem e compra de produtos para a próxima lavoura. O governador Silval Barbosa comemorou os números da produção e garantiu que o Estado investe em logística para que os resultados sejam cada vez mais expressivos. “Este é o melhor Estado da Federação. Temos o domínio da tecnologia e, com os investimentos em infraestrutura, vamos produzir e ter condições de ser competitivos”. Para o presidente da Aprosoja Brasil, Glauber Silveira, o Brasil está em seu momento mais

produtivo. “A presença da ministra em Mato Grosso mostra a importância que o Governo Federal tem dado para Mato Grosso, Estado que é destaque e o Brasil inteiro reconhece esta importância. Aqui o setor produtivo tem uma parceria muito forte com o Governo, o que possibilita o diálogo e resulta no sucesso da produção”, avaliou. Safra gorda espalha bons resultados no campo e na cidade As perspectivas para a próxima safra de soja são otimistas. O Departamento Reprodução

de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) afirmou que a produção brasileira deve chegar a 88 milhões de toneladas. O relatório, divulgado em setembro, reavaliou a produção norte-americana de soja na safra 2013/2014 para 85,7 milhões de toneladas. Isto coloca o Brasil na liderança da produção mundial da oleaginosa. Em Mato Grosso, o cenário também é promissor. Além da previsão de crescimento da produção em 7%, a área plantada com soja deve chegar a 8,2 milhões hectares, 5% a mais num comparativo com a safra anterior. (Com informações da Assessoria)

Safra recorde de soja anima economia


B2 Geral - MT

Distrito Federal - Mato Grosso - Mato Grosso do Sul ANO XIII nº 578 29/09 a 05/10 de 2013

www.copopular.com.br

Poderoso maquinário da Polimix pode vir a ser utilizado para ampliar crateras que a mineração vem cavando na paisagem bucólica da Chapada dos Guimarães

Labirinto em

Mauro Mendes se assoc

Empresário-prefeito de Cuiabá se alia ao rei do concre tagem de cimento que tem visto seus negócios sendo catapultados às alturas celestiais desde que, a partir de 2008, programas dos governos dos presidentes Lula e Dilma Rousseff, como o PAC e o Minha Casa Minha Vida, passaram a estimular a construção civil no Brasil, transformando o setor em uma das principais locomotivas a impulsionar a economia brasileira. “Nunca se consumiu tanto cimento no País como agora”, comemorou recentemente, em entrevista à especializada revista Istoé Dinheiro, o muito rico mas sempre discreto empresário Galid Osman Didi, diretorsuperintendente da Polimix, conhecido como Rei do Concreto mas que – ao contrário de Mauro Mendes - não gosta de aparecer em fotos, eventos, reuniões com políticos ou badalações sociais.

empresário Antônio Ermírio de Morais no controle das fábricas de cimento da Votorantim (duas delas em Mato Grosso) e, recentemente, foi impedido pelo Conselho Administrativo de Controle Econômico (Cade), órgão do Governo Federal, de assumir o controle da fábrica de Cimentos Tupi, para que não ampliasse o processo de monopolização no setor. Documentos a que o CENTRO-OESTE POPULAR teve acesso demonstram que a mineração em terras de Mato Grosso desponta como o mais novo investimento do grupo de empresas do Rei do Concreto. Registrada na Junta Comercial de Mato Grosso no dia 14 de dezembro de 2012, alteração contratual na composição da Maney Mineração Aricá, que tinha sede na rua Havana, 285, no bairro Jardim das Américas, em Cuia-

A badalação, na família, fica por conta do seu filho, Galid Jr, que é corredor de Stock Car. A Polimix atua há mais de 35 anos no setor de construção civil, nas áreas de prestação de serviços de concretagem, agregados, transporte de cimento e equipamentos. No setor de agregados, a Polimix oferece diferentes tipos de brita e areia artificial para diversas aplicações. A frota da empresa conta, no Brasil, com 1.200 caminhões batoneiras e 250 bombas de concreto e vem ampliando sua atuação na área de produção de asfalto e de reciclagem de resíduos da construção civil. Além de sua imponente sede, na avenida Constran, na Vila Industrial de Santana do Parnaíba, a empresa mantém 170 escritórios espalhados por todos os estados brasileiros e em diversos países da América Latina. Galid Osman Didi é também sócio minoritário do

bá, revela que a sociedade em torno da empresa, constituída com o objetivo de “extração subterrânea e a céu aberto de minerais metálicos ferrosos, não-ferrosos e os preciosos, em todo território nacional”, e que tivera como sócios fundadores a Maney Participações Ltda, (empresa que reúne o empresário Valdinei Mauro de Souza, a Bipar Investimentos e o empresário Mauro Mendes) e a Bipar Investimentos e Participações SA (controlada solitariamente pelo empresário Mauro Mendes Ferreira), admite como novo sócio a RVM Empreendimentos Ltda, representada no ato pelos seus diretores Maria Auxiliadora de Assis Gribel e Breno Leme

Imagens do garimpo que Mauro e Valdinei comandam em Chapada dos Guimaraes. Eles extraem 80 quilos de ouro, mas quem vai pagar pela chocante degradação ambiental? Da Redação

Nem sempre pautados pela moralidade e cada vez mais questionados sob o aspecto da legalidade, os negócios do empresário-prefeito de Cuiabá, Mauro Mendes, seguem em franca expansão. Em Mato Grosso ninguém sabe precisar o montante da produção de ouro de que Mauro Mendes e seus sócios se beneficiam no Estado, atualmente. A partir do controle sobre a máquina da Prefeitura de Cuiabá, sobre os diretórios do Partido Socialista Brasileiro (PSB) e beneficiado pela parceria político-partidária, Mendes vem ousadamente queimando etapas, ao lado de seus sócios, para impor seus interesses acima dos interesses da coletividade. O maior exemplo é a degradação ambiental promovida pelos negócios de garimpagem que Mauro vem multiplicando, descontroladamente, por diversas regiões do Estado, contribuindo, além disso, para o incremento da violência, dado o continuado envolvimento de alguns de seus sócios, como Valdinei Mauro de Souza (o

“Nei”) e Wanderley da Trimec, em repetidos episódios de pistolagem. A maior reserva aurífera que o proprietário da Bimetal explora, conjuntamente com Valdinei Mauro, se encontra na Mineração Casa de Pedra, em Chapada dos Guimarães, de onde supostamente estariam sendo retirados, mensalmente, de acordo com cálculos de especialistas ouvidos pelo CENTRO-OESTE POPULAR, um montante superior a 80 quilos de ouro - o que lhes garantiria um lucro mensal de mais de R$ 8 milhões de reais, só a partir deste empreendimento. Esses resultados devem se expandir, certamente, com a notícia de que, através de uma intrincada triangulação empresarial, Mauro Mendes acaba de conseguir atrair para o negócio da mineração, em Mato Grosso, como seu mais novo parceiro, o megaempresário Galid Osman Didi, proprietário da Polimix, empresa com sede na cidade de Santana de Parnaíba, em São Paulo, e que vem a ser a maior empresa de concretagem de cimento da América Latina, com negócios que se espalham pelo

Brasil, Argentina, Chile, Costa Rica, Bolívia e Colômbia. O capital e as máquinas das empresas de Galid Osman Didi podem intensificar o processo de extração de ouro em uma área, em Chapada, que Mauro Mendes e Valdinei Mauro já estão transformando em uma paisagem semelhante à da Lua, dado o violento processo de degradação ambiental que promovem e que, apesar de repetir o que se registrou na região de Poconé, até agora não foi, curiosamente, enxergado pelos órgãos de fiscalização do Ministério Público, da Secretaria Estadual do Meio Ambiente ou do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis. É como se os fiscais fossem orientados para olhar para o outro lado e desviar o foco das crateras que rasgam impiedosamente o solo da Chapada, expondo toda aquela região a um ameaçador processo de desertificação, em curto espaço de tempo, caso não sejam adotadas medidas preventivas e reparadoras. O único incômodo, até o momento, à sanha predadora e ao interesse de Mauro

Mendes e seus associados de arrancarem do subsolo o máximo de lucro possível, sem se importar com os danos e com a terra arrasada que vão deixando para trás, foi a determinação do juiz Paulo Roberto Brescovici, do Núcleo de Conciliação do Tribunal Regional do Trabalho da 23ª Região (Mato Grosso), de suspender o processo do leilão judicial de venda de parte das cotas da Mineração Casa de Pedra Ltda, e remeter os autos à Advocacia Geral da União, ao Ministério Público Federal e a Polícia Federal para que investiguem Mauro Mendes e seu sócio, Valdinei Mauro de Souza, por possível fraude no certame. Esse inquérito pode vir a lançar luz sobre a rede de empresas e parceiros de que Mauro, Valdinei e Wanderlei da Trimec costumam lançar mão para embaralhar a fiscalização das autoridades e facilitar a montagem do seu império empresarial predador.

SOCIEDADE COM REI DO CONCRETO

A paulistana Polimix é uma empresa de concre-


Geral - MT B3

Distrito Federal - Mato Grosso - Mato Grosso do Sul ANO XIII nº 578 29/09 a 05/10 de 2013

www.copopular.com.br

A maior reserva aurífera que o proprietário da Bimetal explora, conjuntamente com Valdinei Mauro, se encontra na Mineração Casa de Pedra, em Chapada dos Guimarães

mpresarial

cia a Galid Osman Didi

eto no Brasil em busca de mais ouro para sua fortuna Asprino Neto, com a Bipar se retirando da sociedade. O que chama atenção é que no ultimo dia 27/09 a reportagem do Centro Oeste Popular conversou através do celular de numero (11-xxxxx-2341) de Breno Lemes Asprino e o mesmo disse conforme gravação desconhecer os sócios , questionado pela reportagem sobre a sociedade juntamente com Mauro Mendes e Valdinei o mesmo desligou o celular , trazendo mais duvidas sobre o interesse da empresa em se associar em uma mineradora . Na nova distribuição de poder, a Maney (onde continuam juntos Mauro Mendes, Valdinei e a Bipar) fica com 50% do capital social e a RVM também com 50%, integralizando ambos os sócios R$ 1.495.000,00 (um milhão, quatrocentos e noventa e cinco mil reais) para aumento do capital

social da empresa. Na mesma ocasião, ficou decidido que a sede da empresa seria

transferida do Jardim das Américas, em Cuiabá, para a Avenida Constran 132, sala 3, na Vila Industrial, em Santana do Parnaíba, São Paulo – justamente onde se localiza a sede da poderosa Polimix, controlada pelo empresário Galid Osman Didi. Confirma-se, dessa forma, a extrema habilidade de Mauro Mendes na arte montagem de empresas por dentro de outras empresas e, aqui, estabelecendo uma sociedade muito evidente com o Rei do Concreto e supremo controlador dos negócios da Polimix através da RVM empreendimentos , tendo em vista que um dos sócios da RVM , Ronaldo Moreira Vieira já foi presidente do grupo Polimix .

TRT USADO PARA GOLPE CONTRA SÓCIOS

A esperteza e descontrolada ousadia, que tem sido a marca da continuada ascensão de Mauro Mendes, tanto nos negócios como na política, nem sempre tem resultado muito bem, como se viu nos recentes episódios das CPIs na Câmara de Cuiabá e no episódio do leilão judicial promovido pelo Tribunal Regional do Trabalho de Mato Grosso para saldar dívidas trabalhistas que pesavam sobre a Mineração Casa de Pedra. O pro-

cesso de venda desta área de extração mineral, nas imediações do Parque Nacional de Chapada dos Guimarães, foi considerado nulo e serviu para revelar um esquema de tráfico de influência que teria sido montado pelos Mauro Mendes e Valdinei Mauro dentro daquela corte trabalhista. Os desembargadores do Pleno do TRT acabaram afastando o juiz Luís Aparecido Torres, suspeito de receber propina no valor de R$ 185 mil para beneficiar os dois empresários que, de acordo com os fatos já divulgados pelo Tribunal, aproveitaram o episódio do leilão para afastar da sociedade em torno daquela mineração José Luiz Dalcol Trevisan, Antonio Carlos Machado Matias, Benedito Gonçalves Neto e a AGM Desenvolvimento Mineral Ltda, autores de diversas ações judiciais contra o processo conduzido pelo juiz Luís Aparecido Torres. “Verifico que o magistrado, ao arbitrar, de modo unilateral, o valor de R$ 4.000.000,00 (quatro milhões de reais) ao total das quotas da empresa, desconsiderou o potencial econômico das reservas auríferas e recursos naturais da área de propriedade da empresa que, de acordo com o Laudo Técnico de f. 610/620, foi fixado em R$ 723.788.869,11 (setecentos e vinte e três milhões, setecentos e oitenta e oito mil, oitocentos e sessenta e nove reais e onze centavos)”, descreveu o desembargador Tarcísio Valente, presidente e corregedor do TRT, relator do processo administrativo que afastou o juiz Luís Aparecido Torres de suas funções e já encaminhou o caso para também ser investigado pela Polícia Federal, pelo Ministério Público Federal e pela Advocacia Geral da União. As primeiras investigações levadas a

efeito pelo juiz Paulo Brescovici e pela Corregedoria do TRT demonstram que o juiz Torres, acusado de levar propina e comprometer a magistratura trabalhista, acabou deixando de priorizar o pagamento dos créditos trabalhistas que estavam em questão para interferir na disputa societária que Mauro e Valdinei travavam

contra outros sócios, acabando por transferir o controle da Maney Mineração Casa de Pedra para Jéssica Cristina de Souza, uma filha de Valdinei Mauro que, logo depois, devolveu o poder sobre os negócios da mineração apenas para seu pai e Mauro Mendes. A expectativa agora é quanto ao impacto que

terá a presença do Galid Osman Didi nos negócios até aqui controlados com extrema ousadia por Mauro Mendes e Valdinei Mauro, dentro do labirinto empresarial em que manipularam uma diversidade enorme de empresas. O risco do Rei do Concreto acabar sendo “tratorado” é mais do que evidente.


B4 Meio Ambiente

Distrito Federal - Mato Grosso - Mato Grosso do Sul ANO XIII nº 578 29/09 a 05/10 de 2013

www.copopular.com.br

tecnologia

Organização virtual

Potencializando serviços e resultados pelo uso de tecnologias de informação e comunicação (TIC) e facilitando o acesso pelo cidadão aos serviços prestados por sistemas eletrônicos de atendimento Fotos Ana Sampaio

Regina Botelho Da Redação

Mato Grosso passa a ter mais agilidade no processo de licenças ambientais. A ferramenta do Serviço de Atendimento Eletrônico ao Cidadão (e-S@C) foi lançada na quarta-feira (25), no Palácio Paiaguás, em Cuiabá, e tem como proposta facilitar a vida do cidadão mato-grossense. O secretário de Estado do Meio Ambiente (Sema/MT), José Lacerda, disse durante a solenidade de lançamento que o sistema além de facilitar a vida do cidadão, a Sema avança e vai conseguir resolver problemas do passivo. “Temos bons profissionais e iremos cumprir nosso compromisso avançando os serviços da pasta, com a finalidade de atender melhor nossa demanda”, enfatizou. Para Lacerda, o Sema Virtual pretende ainda fortalecer as regionais do órgão no interior do Estado e o intuito é otimizar as ações de tramitação e análise dos processos protocolados no órgão, com mais agilidade, transparência e qualidade . De acordo com o governador Silval Barbosa (PMDB), o novo sistema surge como

Segundo José Lacerda, secretário de Estado do Meio Ambiente, a intenção é otimizar as ações de tramitação e análise dos processos protocolados no órgão com mais agilidade

para armazenamento da produção. Para construir silos e armazéns o produtor precisa de licença. Nesse momento, a ferramenta será aliada à produção”, sinalizou. Silval acredita que Mato Grosso vai ganhar mais agilidade nos trabalhos e avança para o progresso facilitando a vida dos cidadãos, mas é fundamental que o órgão tenha bom conceito em fazer sua parte sem entraves. “Facilitar não é permitir que as pessoas agridam o meio ambiente sem criar dificuldades”, ponderou. Rui Prado presidente

tornar a fiscalização do Crea mais ágil, vai baixar os custos e facilitar o acesso às áreas mais remotas. Já o procurador de Justiça, Paulo Prado, disse que Ministério Público está lutando há anos para fortalecer ações de controle na área ambiental e dar transparência à Sema. “Queremos o progresso e crescimento de Mato Grosso, mas queremos continuar vendo o verde, ouvindo o canto do curió e não deixar para nossos netos essas beleza apenas em fotografia”, completa.

Servidores do órgão, autoridades e convidados prestigiaram o evento de lançamento do e-S@C

um papel importante dentro da macroeconomia do agronegócio para Mato Grosso. Em seu discurso lembrou que o Governo Federal vem incentivando, através de políticas próprias e juros mais baixos, o incremento da produção no estado. “O produtor encontra mais facilidade para acessar as linhas de crédito, para plantar mais. Mas para plantar necessita de silos

da Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso (Famato), comemorou o lançamento e revelou que além da agilidade para liberação de licenças mais ágil, a ferramenta irá melhorar a vida do produtor rural. Segundo o representante do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (Crea-MT), Helmut Daltro, o Sema Virtual/e-S@C além de

Líder do Executivo, o deputado Hermínio J Barreto (PR), enfatizou que Mato Grosso é campeão em produção e o estado que vende alimentos para o mundo todo também deve se preocupar com o meio ambiente. “Os deputados da Assembleia Legislativa deram total apoio ao projeto. O Governo do Estado está pensando no futuro na mesma velocidade da mo-

Mato Grosso ganha mais agilidade com o Sema Virtual

De acordo com o governador Silval Barbosa, o sistema surge como um papel importante dentro da macroeconomia do agronegócio para MT

dernização e está chegando a outras secretarias. Não tenho dúvidas que Mato Grosso está ligado ao mundo”, comentou o parlamentar.

Novo conceito de gestão

O Sema Virtual irá englobar vários serviços que se encontram em desenvolvimento. Traz como conceito a organização virtual com o objetivo de facilitar a relação do órgão com o cidadão. A nova ferramenta tecnológica permitirá, nessa primeira fase, a protocolização e o fluxo de documentos pertinentes aos processos relacionados à Superintendência de Gestão Florestal (SGF), onde se concentram as maiores demandas do órgão, com atendimento aos proprietários de imóveis rurais e responsáveis técnicos que atuam com a regularização ambiental e licenciamento de atividades em imóveis rurais. Por meio de um certificado digital, os usuários deverão solicitar ao órgão ambiental o seu cadastramento no sistema. Com login e senha de acesso poderão usufruir de funcionalidades como o envio de processos, atendimento de solicitações de forma totalmente digital e, upload de documentos em formato PDF que deverão ser digitalizados conforme os roteiros orientativos em fase de elaboração e que serão disponibilizados no portal do órgão. Após a análise, os técnicos da Sema irão anexar aos processos eletrônicos os documentos das rotinas administrativas e análises realizadas, podendo as informações serem consultadas instantaneamente pelos

Helmut Daltro, representante do CREA/MT, disse que o Sema Virtual além de tornar a fiscalização do Conselho mais ágil, vai baixar os custos e facilitar o acesso às áreas remotas

O procurador de Justiça, Paulo Prado, lembrou que o Ministério Público há anos está lutando para fortalecer ações de controle na área ambiental

usuários externos. Todos os documentos digitalizados, sejam eles enviados pelos usuários externos ou produzidos pelos técnicos da Sema, serão assinados digitalmente garantindo a segurança e responsabilidade sobre as informações contidas nos processos eletrônicos. Entre as vantagens do novo sistema, além do avanço que o

instrumento representa para a gestão ambiental em Mato Grosso, está a facilidade de acesso aos serviços, a maior eficiência no relacionamento entre o usuário externo e o órgão ambiental e a segurança do processo, pois todos os documentos serão assinados digitalmente, eliminando a possibilidade de perdas ou extravios.


C1 Geral - MT C13

Distrito DistritoFederal Federal---Mato MatoGrosso Grosso---Mato MatoGrosso Grossodo doSul Sul Distrito Federal Mato Grosso Mato Grosso do Sul ANO ANOXIII XIIInº nº578 57829/09 29/09aaa05/10 05/10de de2013 2013 ANO XIII nº 576 15/09 21/09 de 2013

www.copopular.com.br www.copopular.com.br

Grazielle Milas ao lado do amado Drº Ian Mamedy comemorarou no último dia 20 em seu niver com amigos e familiares

A dermatologista Dra. Karin Krause junto as amigas Lucy Macedo e Débora Kerr

Em evento badalado em Brasília a cuiabana Larissa Neves Canhedo ao lado das amigas Amanda Rangel e Carol Rangel

O jovem empresário Edson Mendes em jantar sofisticado ao lado da bela Débora Dall Igna

Nova Estrea!

Diane Kruger é a estrela da nova campanha publicitária da H.Stern, que estréia em Outubro. A atriz alemã que interpretou papéis de destaque no cinema internacional, como a personagem Helena no filme Tróia (2004), e Bridget em Bastardos Inglórios (2009) de Quentin Tarantino, além de ter ganhado prêmios como no Festival de Cannes e SAG Award, também é considerada uma das personalidades femininas mais elegantes da atualidade, tendo seu estilo constantemente elogiado. “Escolhemos Diane porque ela é uma bela representação da mulher contemporânea, que expressa estilo e personalidade em cada momento de sua vida”, explica Roberto Stern, Presidente e Diretor de Criação da H.Stern.

Ensinando!

Com o lema “Com livros você cria realidade, inclusive a sua”, o projeto busca despertar o interesse pela leitura, música e teatro. As atividades estimulam a criatividade, a escrita e a expressão verbal, possibilitando o desenvolvimento do senso crítico, do pensar e refletir pelo acesso à educação e cultura. O ‘Projeto Viajando com Monteiro Lobato’, uma iniciativa da América Latina Logística por meio do Instituto ALL, atendeu cerca de 600 crianças no município de Alto Taquari. Foi a primeira passagem do projeto em Mato Grosso, mas já deixa saudades, visto que muitos alunos ficaram encantados com as apresentações que têm como objetivo levar literatura e teatro para jovens estudantes.

Congresso!

Iniciou na última quinta(26) o 15º Congresso Estadual do Sindicato dos Trabalhadores do Ensino Público de Mato Grosso (Sintep/MT) em Cuiabá, na sala Aracuã do Hotel Fazenda Mato Grosso . O tema desta edição do Congresso é “Articular os Planos Municipais e Estadual de Educação para a implantação do Sistema Único de Educação Básica em Mato Grosso: participação popular e cooperação federativa na perspectiva da qualidade

DJ Diego Bertolini um dos mais competentes da nossa cidade dando seu show a parte em evento social

na aprendizagem com valorização profissional”. Nos debates estarão envolvidos representantes do movimento sindical, da gestão pública, estudantil e especialistas da área da educação. A conferência de abertura: “Os Planos Nacional, Estadual e Municipal de Educação na Viabilização do Sistema Único de Educação” foi realizada pelo professor mestre Carlos Augusto Abicalil

Novidades!

A L’Oréal Paris acaba de lançar o aplicativo Hair Color Genius, que realiza um diagnóstico capilar e indica a nuance de coloração mais adequada ao perfil de cada mulher. O app está disponível na App Store, da Apple, e no Google Play, para dispositivos que possuem sistema Android. Hair Color Genius oferece um breve questionário que permite definir a cor mais indicada de acordo com o tipo de cabelo, cor atual e até mesmo o estado de espírito da consumidora. Além disso, é possível tirar uma foto de si mesma para aplicar virtualmente cada uma das colorações indicadas e, se preferir, compartilhar o resultado com os amigos nas redes sociais. A versão iOS permite ainda escanear o código de barra dos produtos de coloração L’Oréal Paris (Imédia Excellence, Imédia Excellence Californianas e Casting Creme Gloss) e conferir se são compatíveis com o perfil salvo no aplicativo. Hair Color Genius: toda a expertise em coloração de L’Oréal Paris nas suas mãos!

Contra AIDS!

Helio Nakanish e o profissional Alessandro Abe assinando a beleza da atriz Ângela Vieira para o Calendário Cabeleireiros Contra AIDS 2014. As fotos da campanha tiveram o mítico Copacabana Palace como cenário. Em cada mês do calendário há mensagens de prevenção ao HIV/Aids, com o slogan “Quem Cuida da Beleza, Cuida da Saúde”. O custo unitário será de R$ 15,00 e toda a renda revertida para Sociedade Viva Cazuza.

Do Peru!

O Ministério de Comércio Exterior e Turismo do Perú tem investido pesado na propaganda turística de seu país. O foco nos consumidores brasileiros poderá ser percebido entre os dias 1º e 12 de outubro, com a Perú Week, que será realizada nas cidades de São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília. O evento inédito contará com menu especial com valor promocional no Taypá. A abertura oficial será em São Paulo, em um jantar para 300 convidados, no dia 30 de setembro, com a presença dos atores Juliano Cazarré e Maria Maya, do elenco da novela “Amor à Vida”.

Honras!

Acadêmico do 3º ano do curso de Letras da UEMS (Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul), beneficiário do Programa Vale-Universidade Indígena desde 2011, Sergio da Silva Reginaldo vem se destacando no meio estudantil e despertou o interesse internacional. O estudante da etnia Terena, colaborador e pesquisador do projeto de pesquisa “O Percurso e o modo do Movimento em Língua Africana e Línguas Indígenas do Brasil”, desenvolvido na UEMS Campo Grande, recebeu convites para realizar palestras na Alemanha em novembro e dezembro deste ano.

Dia das Crianças!

O Dia das Crianças é uma das principais datas do mercado brasileiro de brinquedos. É uma fase importante para as empresas que atuam neste setor consolidarem as perspectivas e planos elaborados ao início do ano. No caso da Lego, líder mundial em brinquedos de montar, o diretor de operações da marca no Brasil, Robério Esteves, conta que os resultados do desempenho comercial nesta data, em particular, serão fundamentais para que a marca atinja o crescimento de 50% projetados para este ano, repetindo a performance do ano passado, quando também cresceu 50% no País – antes disso, a marca manteve um crescimento médio de 25% ao ano no

Encantada com a Coleção Raphaella Booz a bela Cristiane Peres e sua excelentes escolhas!

mercado local.

Cidadania!

Um dos principais valores da Agro Amazônia é a Responsabilidade Socioambiental. Desde o seu nascimento, a empresa tem a missão de contribuir com a preservação do meio ambiente, apoiando e incentivando os colaboradores. Por isso, todas as ações sociais e ambientais que a Agro Amazônia desenvolve são focadas nesses objetivos, com o envolvimento do maior número possível de colaboradores. Entre as ações socioambientais, destacam-se anualmente: Dia da àgua, Dia do Meio Ambiente, Dia da Árvore, Dia do Voluntariado, Campanha de Doação de Sangue, Campanhas de Arrecadação de Alimentos, Roupas e Brinquedos.

Débitos!

Conforma relatório da Receita Federal, encontram-se inadiplemtes mais de 50% dos contribuintes no M.E.I., classe que atinge diretamente os comerciantes em nossa Capital.

Hum...

Dia 02 de outubro a Enoteca Decanter recebe todos em uma noite especial no Bistrô com risotos e rótulos de vinhos deliciosos!

Parabéns!

Loudes Lima Verde Haddad ao lado da família e do marido Jean Haddad receberá dia 04 pessoas que amam para uma noite animada de muitas felicidades e Parabéns!

Bodas!

Será dia 05 de outubro o grande dia da querida Tereza Bouret, quando receberá no mais alto estilo em seu buffet para mais um ano de comemorações!

Bifão!

Dia 06 de outubro a Chácara Zahram será palco de mais um edião do Bifão da Maçonaria e que a cada ano ganha mais adeptos!


C2 Geral - MT

Distrito Federal - Mato Grosso - Mato Grosso do Sul ANO XIII nº 578 29/09 a 05/10 de 2013

www.copopular.com.br

Melodias

Estrutura para despertar a música A Pentagrama Academia oferece espaço familiar e cursos inéditos Fotos Divulgação

Da Redação

No mercado da música há mais de 15 anos em Cuiabá, a Pentagrama academia de música foi reaberta em janeiro deste ano pelos músicos Jefferson Castilho e Pedro Neto e voltou com uma roupagem diferenciada, oferecendo cursos inéditos em Cuiabá. “Hoje um dos nossos diferenciais é isso, oferecemos muitos cursos que não tinham aqui ainda, como por exemplo, piano clássico e musicalização infantil”, conta Castilho. Os horários e quantidades de aulas oferecidas por alunos são distintos de outras escolas. Na Pentagrama o aluno tem um acompanhamento maior onde ele tem semanalmente duas aulas a mais da oficial para poder treinar e ter o acompanhamento do professor de música, como explica Jefferson. “Quem não tem o instrumento em casa pode treinar aqui, o aluno tem uma aula com duração de uma hora por semana e ainda oferece-

A Pentagrama academia de música foi reaberta em janeiro deste ano pelos músicos Jefferson Castilho e Pedro Neto e voltou com uma roupagem diferenciada

mos mais dois dias para que ele treine os exercícios que são passados”. Os cursos oferecidos são para todas as idades. As aulas de “musicalização infantil” são ministradas a partir de quatro anos de idade. O curso é bem procurado pelos pais que querem desenvolver em seus filhos o interesse pela música ou e que também é recomendado para crianças com necessidades especiais. A academia de música conta com mais de dez professores formados em

música e que já trabalham a mais de dez anos na área. Localizada na rua França, quadra 01, número 07. Bairro Jardim Europa atrás da Unic Beira Rio, os sócios pretendem aumentar o estabelecimento e abrir mais duas filiais da escola na cidade. O aluno que se interessar pelas aulas e quiser conhecer a estrutura física da academia, a Pentagrama oferece uma aula experimental, para que o aluno tenha uma base de como será o curso.

A Pentagrama oferece cursos inéditos em Cuiabá

Os cursos oferecidos são: Viola, violão popular e clássico, piano, violino, bateria, teclado, guitarra, roadies, técnica de som, ambolim, acordeão, saxofone, técnica vocal, cavaquinho, canto coral, flauta doce e transversal, viola caipira, contra baixo, gaita de boca, teoria musical, escola de banda, musicalização infantil, leitura de caixa/rudimentos e percussão. Todos do básico ao avançado. Os sócios e profes-

sores prezam a proximidade que mantem com os alunos, e explicam o interesse que expressam por eles. “Nós ligamos para os alunos pra perguntar por que não veio à aula, pra incentivá-los a praticar em casa. Quando podemos também vamos às apresentações. Tentamos ao máximo manter

um vínculo de amizade com eles.” Para quem já tem sua banda e precisa de lugar para gravar e ensaiar a Pentagrama tem um estúdio para ensaio e está terminando a reforma de mais um para quem quer trabalhar de forma séria e profissional com música.

(65) 3359-8343 9239-8300 9697-7426 Contatos


Distrito Federal - Mato Grosso - Mato Grosso do Sul ANO XIII nº 578 29/09 a 05/10 de 2013

C3

www.copopular.com.br

Inesquecível

A Skambal eterniza a sua formatura São eventos exclusivos, planejados de acordo com as características de cada turma

Além de ser uma grande festividade, é também a concretização de um sonho que marca o ingresso do profissional no mercado de trabalho

Da Redação

Tradicionalmente a formatura da faculdade sempre foi um evento protocolar que atendia mais a um desejo de pais e familiares do que do próprio recém-formado. Mas, na última década, a festa deixou de ser uma coadjuvante no rito de passagem que é completar o ensino superior e entrar no mercado de trabalho para se tornar a protagonista deste momento, e é assim que a Skambal Eventos trata seus formandos. Organização completa do evento, desde o convite até o baile de gala. No mercado há 14 anos, em Cuiabá, a empresa trabalha com todo tipo de evento social, desde aniversário a bodas. Mas o carro chefe são as festas de formatura. A sociedade entre Diogo Palomares a Aline Barcelos começou com uma agência de publicidade e hoje é destaque e

com as firmas responsáveis, montam esquemas de parcelamento da comemoração, que custa entre R$ 2 mil e R$ 7 mil por formando.

Palomares.

CELEBRAÇÃO

A formatura é um degrau a mais que o formando sobe depois de anos

A identidade da festa é o formando. Cada formatura é diferente, pois cada formando é diferente

Palomares, responsável pela parte de criação dos eventos. A Skambal realiza em média 80 festas de formatura, reconhecidas por suas personificações. Diogo conta que no início foram feitos experimentos com a parte de impressos e a partir daí viram um amplo espaço para a parte visual do evento o que é destaque e marca registrada dos eventos que a empresa realiza. “Nós não

pela estrutura até o baile de gala. “Trabalhamos com uma coisa bem de cor mesmo, que remete à temática do evento e tem todo um carinho na preparação dos convites, as fotos do estúdio. A gente pede pra que os alunos venham vestidos com a temática da festa. O propósito é que tudo fique interligado para que no final o resultado seja exuberante”, ressalta ele. A empresa possui pa-

e aparentemente imune a crises. Organizar uma superfesta com uma média de mais de dois mil convidados não é fácil. Tudo

Todo início de ano surgem empresas novas um mercado consideravelmente bom, “Ninguém deixa de fazer festa. As

A solenidade é um momento emocionante para o formando, professores, homenageados e todos que participam da maravilhosa celebração

umas das mais requisitadas empresas que organizam festas em Cuiabá. “No início éramos uma agência de publicidade, e come-

fomos os primeiros a usar, mas fomos os primeiros a usar de forma bem latente. Começamos com a pista de dança, local que víamos

cotes para todos. Atende turmas de quarenta alunos até turmas com somente dois formandos. A mesma dinâmica é usa-

çamos a aplicar o conceito de publicidade dentro dos eventos. Na sequência, passamos a trabalhar com o evento bem visual, painéis bem grandes e o pessoal gostou muito. A partir daí saímos da publicidade e investimos na parte de gerenciamento de eventos”, explica Diogo

que era bem vazio e fomos incrementando. Hoje trabalhamos com uma base de 15 lonas de outdoors dentro do evento. Nossa maior marca é a parte visual mesmo.” A turma escolhe o tema da festa e a partir daí começa a ser trabalhado desde o convite, passando

da sempre na preparação da festa. Não importa a quantidade de alunos, sempre trabalhando com a realidade da turma. “Não adianta vender um pacote que eles não vão conseguir pagar. Então fazemos algo que eles possam pagar, sem ter prejuízos pra nenhum dos lados.”

UM MERCADO VIGOROSO

Com o aumento de mais de 365% das vagas em universidades públicas e particulares entre 1996 e 2011, subir ao palco, receber o canudo e posar para uma foto e ter uma tímida comemoração com coxinhas, bolinhos de queijo e rissoles regada a cerveja e refrigerante ficou no passado. Festa de formatura é um mercado vigoroso

começa com a eleição de uma comissão, escolhida pela turma geralmente no início do curso - ou seja, no mínimo quatro anos antes da formatura. Esse grupo, que pode ter mais de 20 membros, fica encarregado de escolher uma empresa para executar o evento e organizar um fundo para cobrir o valor total da comemoração. Soma-se às responsabilidades destes estudantes a obrigação de fazer uma festa melhor que a da turma que se formou no ano anterior ou da universidade concorrente. Para que ninguém fique de fora, as comissões, em parceria

pessoas não deixam de investir, pois é um sonho. É um mercado que é perpétuo. Nós conseguimos entrar no gosto do pessoal, e sempre tentamos elevar a qualidade e manter ela. A mesma qualidade para todos”, explica revela

no centro acadêmico. É quando uma turma inteira começa a idealizar os mínimos detalhes do baile de gala, da colação, do culto ou missa, é quando se escolhe um grupo de formandos para formar a comissão de formatura. A Skambal ajuda na preparação de todos esses mínimos detalhes, onde o formando sempre será o destaque. “Nosso diferencial hoje, além da possibilidade de fazer qualquer tipo de negociação, é a questão da parte de visual que é nossa identidade. Toda formatura é diferente, porque toda formatura é de um formando diferente e nosso destaque é o formando, é o momento dele”. A satisfação vem antes, durante e depois das comemorações. Diogo conta que a relação que se mantém com os alunos é muito prazerosa. “O pós-evento é muito prazeroso. Requer muito trabalho, mas é mui-

A Skambal Eventos cuida de cada detalhe da sua festa, para que esse momento se torne eterno

to satisfatório a relação de amizade que mantemos, os agradecimentos. Por isso que quem forma com a gente volta depois para fazer aniversário, casar. E, nós estamos aqui pra participar destes momentos tão especiais”. A Skambal Eventos fica na Rua Montreal, 227, Jardim das Américas - em Cuiabá. Telefones para contato: (65) 36642469 / 30251115 / 81272155 c/ Aline Barcelos.


Distrito Federal - Mato Grosso - Mato Grosso do Sul ANO XIII nยบ 578 29/09 a 05/10 de 2013

www.copopular.com.br


Distrito Federal - Mato Grosso - Mato Grosso do Sul ANO XIII nº 578 29/09 a 05/10 de 2013

www.copopular.com.br

Distrito Federal - Mato Grosso - Mato Grosso do Sul R$ 3,10 - ANO XIII nº 578 29/09 a 05/10 de 2013

www.copopular.com.br

ENTREVISTA

EDITORIAL

Paulo Corrêa diz que Delcídio é o melhor preparado para governar o Estado

Recado bem dado! Página 2

Página 4

EMBIRRADO

Acusado de “ganhar sem trabalhar”, Siufi quer a cabeça de Bernal Durante a reunião da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Calote, em que foi lido o relatório produzido por seus integrantes, o vereador que a presidiu, Paulo Siufi (PMDB) foi enfático em afirmar que, se ninguém pedisse a cassação de Alcides Bernal (PP), prefeito de Campo Grande, ele mesmo o faria. A leitura foi concluída, o

relatório apontando diversas supostas irregularidades na administração municipal foi votado e aprovado, porém, já passadas quase duas semanas do evento, o vereador peemedebista não se manifestou positivamente sobre o caso, ou seja, não entrou com o tal pedido de cassação, o que acabou gerando muito disse-que-disse nos meios políticos

e até mesmo em setores da imprensa que cobrem o dia-a-dia da crise entre Executivo e Legislativo na Cidade Morena. Na semana ele voltar a reafirmar que, se ninguém entrar, ele entra, mesmo porque está engasgado com Bernal que o acusou de ser “fantasma” na Prefeitura.

mais na página 7

DE OLHO EM 2014

Londres diz que seria “uma honra” ter Giroto de volta ao PR

ARRANCARRABO

Médicos acusam prefeito de ameaça de morte e agressão durante reunião em posto de saúde mais na página 3 Por Fernando Ordakowski

O líder do PR, deputado estadual Londres Machado (PR) declarou no início da semana que o deputado federal licenciado pelo PMDB e atual secretário estadual de obras, Edson Giroto, pode voltar para a sigla. Giroto já foi filiado ao partido e deixou a legenda para sair candidato a prefeito por Campo Grande em 2012.

mais na página 3

CONTEMPLAÇÃO

HABITAÇÃO

Prefeito participa, ao lado do governador, da entrega de mais 249 casas no Residencial Guató

Campo Grande vai sediar a primeira edição do Avistar MS 2013 mais na página 6

HOSPITAL REGIONAL

O prefeito Paulo Duarte (PT) participou ontem da solenidade de entrega de mais 249 casas do Residencial Guató. A solenidade contou com a presença do governador André Pucinnelli (PMDB), do secretário estadual de Habitação e das Cidades, deputado estadual licenciado Carlos Marun (PMDB), secretário estadu-

al de Justiça e Segurança Pública, Wantuir Jacini, diretor-presidente da Sanesul, José Carlos Barbosa, dos deputados estaduais Paulo Corrêa (PR) Antônio Carlos Arroyo (PR), do prefeito de Ladário, José Antônio Assad e Faria (PT) e de vereadores das duas cidades.

mais na página 5

Novo PAM é inaugurado visando ampliar atendimentos à população de MS

mais na página 8


2 Opinião Editorial

Distrito Federal - Mato Grosso - Mato Grosso do Sul ANO XIII nº 578 29/09 a 05/10 de 2013

www.copopular.com.br

Artigos

Recado bem dado! Em tom rígido, Dilma Rousseff levou à abertura da 68ª Assembleia Geral da ONU, em Nova York, as críticas do país ao governo americano, acusado de espionar inclusive as comunicações pessoais da presidente brasileira. Na plenária, Dilma qualificou o programa de inteligência dos EUA de “uma grave violação dos direitos humanos e das liberdades civis; de invasão e captura de informações sigilosas relativas a atividades empresariais e, sobretudo, de desrespeito à soberania nacional”. Dilma, como tradicionalmente acontece desde 1945, na condição de chefe do Estado Brasileiro, fez o discurso de abertura da Assembleia Geral da ONU. Seu discurso foi praticamente todo pautado no tema que assombrou o país e serviu como uma espécie de lavagem de roupa suja ás claras, sem meios termos. Para o povo brasileiro, tão acostumado a ver o país se curvar aos caprichos dos americanos, foi também, uma espécie de lavada de alma. Depois de séculos dizendo “amém!” a Nação Brasileira, representada por sua líder maior, falou de igual para igual com os americanos. Ou seja, a era da subserviência aos interesses dos norte-americanos tem um ponto final. Ponto final, por sinal, anunciado ainda antes da abertura da Assembleia Geral da ONU, quando Dilma cancelou uma reunião pré-agendada com Barack Obama, como represália à invasão de privacidade praticada pelo governo dos Estados Unidos. Em seu discurso, Dilma também demonstrou

Luiz Carlos Saldanha R. Junior Advogado e Professor Uni-

preocupação com a crise que se abate sobre países do Oriente Médio, especialmente a Síria, onde mais de 100 mil vidas já se perderam devido à guerra civil pela qual passa aquela Nação árabe. Em relação ao confronto na Síria, Dilma mencionou que o Brasil possui “na ascendência síria um componente importante de nossa nacionalidade” e voltou a se posicionar contra uma eventual intervenção militar. Ela também criticou a disposição dos EUA e de seus aliados de agir sem apoio do Conselho de Segurança da ONU. “O abandono do multilateralismo é o prenúncio de guerras”, disse. Dilma conectou o assunto à reforma do conselho, uma das mais antigas reivindicações da diplomacia brasileira. Ela afirmou que a “polarização” entre os membros permanentes --ou seja, com direito a veto-- do conselho provocam um “imobilismo perigoso”. Ela defendeu que sejam somadas ao órgão “vozes independentes e construtivas”. “Só a ampliação do número de membros permanentes e não permanentes permitirá sanar o atual déficit de representatividade e legitimidade do conselho”, disse. É o Brasil, finalmente, ocupando seu espaço e usando o privilégio de abrir o encontro que reúne quase duas centenas de chefes de Estado, para dar o recado de que não somos mais um a Nação sem voz e sem vez. O recado foi dado, presidente. E bem dado

Considerações Modernas

Um hiato de tempo pode ser aquela parcela de tempo que passamos refletindo sobre os acontecimentos apresentados pela vida e que, de alguma maneira, afetam nosso presente e futuro. O meu mais recente hiato se deve ao assim denominado “Julgamento do Século” e suas estranhas circunstâncias que não foram totalmente esclarecidas. Primeiro de tudo é preciso deixar claro que todos os brasileiros são iguais perante nossas leis. E disso ninguém duvida ou faz questão de objetar; mas, se o texto constitucional nos ensina algo, e podemos fazer essa leitura, é de que, em alguns casos, há uma classe de brasileiros que são mais iguais que os demais, os conhecidos superbrasileiros. Os tais superbrasileiros são pessoas que vivem e trabalham em um mundo absolutamente distante dos demais; são brasileiros que não conhecem a realidade do Brasil, senão aquela que pode ser vista de seus gabinetes com ar-refrigerado; são brasileiros que não sabem o custo de vida e nem o quanto é dura à vida para os demais que vivem ao nível do chão do Planalto. Na verdade, são aqueles que nos procuram periodicamente para vender uma ideia de que ao chegarem ao Poder farão de tudo para melhorar nossa vida miserável. Essas criaturas levam vantagem em tudo, isso porque são capazes de tudo, inclusive subverter a ordem das coisas, mudar as leis do universo e mais! São capazes de sacrificar qualquer um para livrarem-se das garras do destino e da Justiça. Alertamos que o texto constitucional faz distinções entre os iguais, na mesma medida em que estabelece privilégios para que alguns sejam julgados por este ou aquele órgão julgador. É o caso dos parlamentares, por exemplo, que possuem o foro do plenário do Supremo Tribunal Federal - STF - fator de desnivelamento que os separa do cidadão comum. No entanto, e se isso é um fato da vida, se um parlamentar é apontado como criminoso em alguma investigação teimosa e assim processado perante o STF, para quem recorrerá, caso venha a entender que a pena foi injusta ou demasiada? Na semana passada, por uma dessas coincidências da vida, um magistrado reconhecidamente lúcido e dos mais cultos da mais alta corte do País, fora obrigado a proferir voto de desempate para serviu para resolver aquela dúvida. Um empate que somente ocorreu por outra circunstancia não menos duvidosa, a do voto de Ministros que, a rigor, não deveriam ter sequer participado do versitário

expediente

debate, seja devido a alguma proximidade com as partes envolvidas ou, como no caso de três deles, por não terem participado do julgamento principal questionado, o que nos leva à pergunta final: como podem estes intrusos esclarecer uma decisão da qual sequer tomaram parte? A ciência jurídica pode provar que um elefante pode ficar pendurado em um penhasco agarrado a uma flor, mas não pode aceitar que um ex-empregado dos réus possa julgá-los com a isenção moralizadora que é exigida do cargo; isso sem falar nas estranhas circunstâncias que levar um advogado sem expressão forense, títulos acadêmicos ou escritos científicos a ocupar um dos cargos de maior relevância e prestígio no Brasil e cujo requisito seja o de possuir notável saber jurídico. A tomada de decisão do decano do STF, embora juridicamente irretocável, partiu da premissa singela de que todos são iguais perante a lei; de que os réus possuem o direito de um foro privilegiado; e, por fim, que a Corte deveria ter modificado seu regimento, caso pretendesse não analisar os embargos infringentes interpostos. Nesse passo, para o cidadão comum, cujo conhecimento jurídico advém dos filmes e das novelas, o “Julgamento do Século” já toma ares de um grande nada; de uma pizza, que me perdoem os que a inventaram, indigesta e cara. Basta ver o custo das sessões do STF, para ter a ideia de quanto já custou aos cofres públicos esse emblemático julgamento. Após essa histórica decisão, não há como devolver a credibilidade ao STF, mormente os causadores desse dramalhão sejam uns poucos que adoraram a postura de falsos moralistas e que já se arvoram na busca por palanques em 2014 e cuja história há de provar um dia suas condutas criminosas, assim com naquela partida da copa do mundo entre Brasil e a Argentina e que o médico irmano “batizou” a água e as deu aos brasileiros que, confiando plenamente na autoridade, beberam sem questionar, mesmo tendo gosto ruim. Infelizmente não vi nenhum brasileiro protestando sobre o fato; não li nenhum texto questionando os rumos do Judiciário; não vi nenhum brasileiro reclamando sobre a evidente e anunciada impunidade desses superbrasileiros; não vi nenhum brasileiro pegar sua bandeira, pintar a cara e gritar a plenos pulmões “Abaixo à corrupção!” Talvez porque, como a maioria, eu já esteja de cabeça baixa, olhando para o chão, envergonhado e derrotado, sem forças para levantar a cabeça e continuar a Luta!

é propriedade da

Diretor Antônio Carlos Oliveira Diretoria Comercial Max Feitosa Milas Editoria e Reportagens-MT Beatriz Girardi - DRT - 118-MT Editor e Reportagem - MS Jota Menon Reportagens Beatriz Girardi, Ana Sampaio, Regina Botelho, Jota Menon redacao@copopular.com.br

Sedes Avenida Miguel Sultil, nº 4.353 - Areão Cuiabá - Mato Grosso - CEP: 78.010-500 Fone (65) 3623-4300/e-mail: adm@copopular.com.br

Endereço Brasília CLSW - 301 - Bloco A - Edifício Spaço Vip Sala 136 - Setor Sudoeste Fones: (61) 3028-1388/3028-1488

Editor de Arte Mário Pulcherio Filho Diagramação Leonardo Arruda

Escrtório Campo Grande Rua Joaquim Murtinho, nº 184 - Centro Campo Grande - Mato Grosso do Sul CEP: 79.002-100 Fone (67) 3029-4214 e-mail: admms@copopular.com.br

Charge Fernando Ordakowski

Assinaturas: (65) 3046-0400 (67) 3029-4214

Circulação Brasília, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul

Acesse: www.copopular.com.br

Os artigos de opinião assinados por colaboradores e/ou articulistas são de responsabilidade exclusiva de seus autores. Não representam assim a opinião do jornal.

João Campos A dvogado especialista em Direito do consumidor

Negociatas

Segundo Millor Fernandes, é todo bom negócio do qual não fazemos parte. Brincadeiras à parte, essa pendenga entre Câmara Municipal e prefeito tem tudo para figurar na história de Campo Grande como a maior negociata de todos os tempos. Basta prestar atenção a alguns aspectos desse embrulho. Siufi e mais quatro estão afundados até o pescoço em tramoias, falta de comparecimento ao expediente médico, recebimento de salários sem trabalho, compra de votos e por aí vai. Não podem pregar moralidade, portanto. A própria Câmara é devedora de aluguéis, ré em ação de despejo que a todos nós envergonha. Como pode essa Câmara querer posar de vestal na cassação do prefeito? Mas, poderiam dizer, há vereadores que não estão sendo acusados de compra de votos ou de receber vencimentos sem trabalhar em postos de saúde. Mas, digo eu, são omissos, coniventes e, no que tange ao pagamento dos aluguéis, totalmente culpados. Além de, isso é evidente, serem também culpados da contratação fraudulenta do lixo, do transporte coletivo urbano, na inspeção veicular, pois tudo isso passou pela Câmara, foi ali discutido e votado. O Prefeito não assinou sozinho esses contratos. Mais, ainda: foi o prefeito anterior que “negociou” essas vergonhosas prorrogações de 25 anos para um, 35 anos para outro concessionário. Bernal, a bem da verdade, recebeu o pacote já embrulhado, embora eu não o inocente de ter participado como

vereador. Cassado o prefeito teríamos de prosseguir nesse calvário com Gilmar Olarte, que ninguém sabe a que veio nem por que se qualificou como vice, ou, pior ainda, com o presidente da Câmara, envolvido em compra de votos e vereando sob decisão liminar. O que me espanta e assusta é que já existem negociatas e arranjos para a hipótese de uma cassação bem sucedida. Secretarias, presidência de órgãos municipais como Agetran e agências de regulação dos serviços municipais. Isso sem falar nos empreiteiros do lixo, do transporte coletivo, da inspeção veicular e de tantos outros setores que já estão mariposeando em volta dos vereadores. É uma pena que Campo Grande está transitando de uma eleição comprada em tenebrosas transações para uma segunda administração adquirida no balcão dos mercadores da desgraça. Quantos vereadores serão secretários na “próxima gestão Olarte”? Quais órgãos de imprensa faturarão com a nova administração? Que partes do orçamento serão distribuídas entre os “vencedores”? Quem ficará com a chave do Tesouro? Não se iluda, cidadão. É disso que tratam nos corredores públicos. Saímos de um balcão eleitoral e passamos a um balcão administrativo. Nem na eleição nem nessa negociata o povo tem participação – ainda bem! – mas, certamente, irá pagar o preço de anos de omissão e descaso com os destinos de sua cidade. Nós deixamos essa corja assumir o poder. Agora temos de pagar a conta.

Falou e Disse

“Ele [Bernal] está achando que somos otários ou babacas? Que não iríamos confrontar ambos orçamentos? Vamos analisar de forma rigorosa”. Vereadora Grazielle Machado (PR) ao discordar o orçamento enviado pelo prefeito Alcides Bernal (PP) à Câmara Municipal

Ponto de Vista Lei do silêncio A Lei do Silêncio, de autoria do vereador Paulo Siufi, entrou no seu período de regulamentação, a qual estabelece limites para a poluição sonora em Campo Grande. Sem duvida, quando se fala em qualidade de vida, um avanço que merece aplausos. Na primeira semana do mês de setembro, com o inicio da fiscalização em bares e similares que utilizam musica ao vivo como parte de seus atrativos, a chiadeira começou, terminando em uma Audiência Publica na Câmara Municipal com a presença de empresários e músicos incomodados com a restrição estabelecida pela nova Lei. Sem entrar em detalhes técnicos a respeito da quantidade de decibéis permitidos, não deixa de vir em hora oportuna para colocar novos parâmetros tanto para os bares como para a música ao vivo. Os bares, aqui em Campo Grande, como em outros grandes centros, fecham as portas ou transformam suas atividades em menos de cinco anos. O lazer tem uma característica perversa para o empresariado – requer criatividade permanente, devidamente acompanhada de algum investimento. Geralmente, a permanência ou não deste tipo de estabelecimento neste prazo estimado pela Associação Comercial de Campo Grande, parece depender muito do tipo de humor do proprietário. Neste sentido, para criar um atrativo a mais para os clientes, saia mais barato contratar um musico, e para o musico abria-se oportunidades de se aperfeiçoar, testando seu repertorio e sua técnica, ao vivo e em cores. Parecia um mundo à parte. O que importava era a satisfação do cliente, mesmo as custas do sono dos vizinhos. Também frequento, não como muita assiduidade, bares com musica ao vivo. Como já militei na área na década de 80, mato saudades de alguns poucos companheiros. No entanto a reclamação dos meus amigos músicos é unânime – são raríssimas as pessoas que frequentam estes estabelecimentos comerciais que fazem silencio enquanto o musico toca. Tradicionalmente, um bar é um local de encontro para conversar e relaxar e não uma casa de shows. A musica ao vivo pode ser mais um atrativo. Porem, com característica mais comercial do que cultural. Os artistas usualmente tocam em lugares apertados e com equipamentos próprios. O cachê é uma miséria, geralmente calculado sobre uma porcentagem estabelecida pelo dono

Gilberto Verardo Moulard Articulista

do estabelecimento sobre a renda obtida durante o tempo de apresentação do artista. Na Audiência Publica na Câmara Municipal, o publico era composto de proprietários de bares e similares, músicos e alguns poucos produtores musicais. Todos defendendo o mesmo tema – desemprego e prejuízo a cultura musical campo-grandense. Falar em desemprego para a categoria musical e um desprestigio a cultura campo-grandense é conversa pra boi dormir. Aquela historia de que toda a carreira de sucesso foi antecedida por acordes nas noites agitadas e barulhentas dos bares, pode ser contada nos dedos. São raros os bares e similares que constroem um ambiente que tem a intenção de aproximar pessoas e incentivar a cultura musical. Os bares e similares da noite campo-grandense têm um espírito mais comercial do que cultural, onde o que mais interessa é o tal do “movimento”. Você chega, senta, faz o pedido e se enrolar muito o garçom inicia o assedio. Depois de sentar e fazer o pedido, começamos a perceber que temos que falar mais alto que o costume, pois fora os decibéis da conversa de outras mesas, acrescenta-se os decibeis poderosos dos equipamentos de som. O jeito é fazer de conta de se esta conversando, pois diálogo é impossível, já que pressupõe um mínimo de seguimento de assunto. Então o bar com musica ao vivo è bastante recomendável pra jogar conversa fora, de acordo com o dito popular. No fundo no fundo è a paquera è o objetivo maior. A musica è apenas pano de fundo. Sinceramente, não entendo a chiadeira dos comerciantes de lazer noturno da nossa capital. Mas, se a chiadeira serviu para alguma coisa, foi para colaborar com o sono dos circunvizinhos de bares e similares, onde a musica parece ser o sino do Papai Noel. Com este acontecimento que balançou o comodismo de músicos e empresários do setor, poder ser que de agora em diante os músicos tenham que aperfeiçoar seus acordes e interpretação, chamando a atenção pela qualidade musical, não mais pelo volume.. Os comerciantes podem lançar mão do bom atendimento e de preços acessíveis, podendo incluir simpatia e produtos de boa qualidade. Qualquer consumidor gosta de ser valorizado como cliente preferencial. Mas não gosta de ser freguês.


Entrevista 3

Distrito Federal - Mato Grosso - Mato Grosso do Sul ANO XIII nº 578 29/09 a 05/10 de 2013

www.copopular.com.br

DE OLHO EM 2014

Londres diz que seria “uma honra” ter Giroto de volta ao PR O líder do PR, deputado estadual Londres Machado (PR) declarou no início da semana que o deputado federal licenciado pelo PMDB e atual secretário estadual de obras, Edson Giroto, pode voltar para a sigla. Giroto já foi filiado ao partido e deixou a legenda para sair candidato a prefeito por Campo Grande em 2012. Conforme Londres a volta do secretário seria uma honra para o partido, mas que hoje só há um desejo de que isso aconteça. “Hoje só temos um desejo dele e um desejo que está em nós também. Temos comentado no partido, mas isso depende muito”, frisou. Questionado se ele não daria conta de levar uma candidatura ao governo pelo PR, por exemplo, Londres avaliou que vai depender de onde vai estar e do que é possível fazer. “Vai depender muito. Mas o que eu posso dizer é que o Giroto está preparado para disputar qualquer

Londres Machado, animado com a possível volta de Giroto ao “berço republicano”

POLITICANDO Jota Menon - jota.menon@uol.com.br

BARULHO Foi com o nível de destaque da semana que a Rede Record levou para sua programação nacional a história de Dilá Dirce de Souza, que, conforme denúncia do site Midiamax, contratou o então advogado Alcides Bernal para defendê-la de danos físicos e morais por conta de um atropelamento no lixão de Campo Grande por um caminhão de lixo da empresa Vega Ambiental, no ano de 1999. A ex-catadora denunciou que até o agosto deste ano desconhecia o fato de possuir uma indenização de R$ 150 mil, e que o seu ex-defensor havia sacado altas importâncias da conta judicial ligada ao processo. CONTRA-ATAQUE O hoje prefeito de Campo Grande, Alcides Bernal (PP), por sua vez, usou, na segunda-feira, o programa de rádio do qual participa todas as manhãs, para negar apropriação de dinheiro e dizer que vai processar os responsáveis pelas “calúnias e golpes” praticados contra ele. Ele desqualificou a matéria, alegando que é impossível fazer um saque de R$ 25 mil, conforme acusação do advogado da catadora. Para justificar o que chama de golpe, o prefeito disse que já foi atacado por diversas vezes desde que resolveu ser candidato e ousou a desafiar o grupo que estava no poder havia 30 anos. “Por isso eu pago esta dívida, entre aspas”, acusou.

Giroto, contudo, a despeito dos muitos boatos sobre seu futuro político, não se manifestou em caráter oficial sobre o disse-que-disse que se criou quanto em qual legenda ele estará abrigado com vistas ao pleito eleitoral do próximo ano.

CONTRA-ATAQUE (1) Bernal também disse que o uso da imagem do senador Delcídio Amaral (PT) na matéria revela o grave interesse de arrasar a imagem dele, vinculando-o ao senador, com o interesse de prejudicar a pré-candidatura de Delcídio ao Governo do Estado. “Isto é mais um golpe e que custou muito dinheiro. Mas, estou firme e forte com o apoio da população. Vou para cima deles, pedir indenização e direito de resposta”, prometeu, afirmando que sabe quem é o responsável e se existe Justiça, eles vão parar “atrás das grades”.

Médicos acusam prefeito de ameaça de morte e agressão durante reunião em posto de saúde

VISITA ILUSTRE O ex-Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, estará em Corumbá – distante a 444 km de Campo Grande -, para participar de uma reunião de líderes políticos da América do Sul. A informação é do senador Delcídio Amaral (PT). Conforme o parlamentar, o encontro será realizado em novembro, na Cidade Branca. Delcídio não informou detalhes da vinda de Lula a Mato Grosso do Sul, mas disse que provavelmente em novembro, o ex-presidente esteja no Estado.

cargo. Ele pode ter perdido a eleição em Campo Grande, mas foi o deputado federal mais votado com 154 mil votos. Então tem patrimônio eleitoral pra isso”, analisou. Londres revelou ainda que além de Giroto, a sigla

trabalha intensamente para trazer outras lideranças. “Tivemos reunião entre os deputados do partido para avaliar a vinda de outras lideranças. Temos alguns nome e o que posso adiantar é que estamos trabalhando”, finalizou.

ARRANCARRABO

Uma reunião entre o prefeito de Rio Negro (163 km de Campo Grande), Gilson Romano (PMDB), os médicos Roberto Rangel e Ivan e vereadores, em um posto de saúde da cidade terminou em caso de polícia no início da semana. Roberto Rangel fez um boletim de ocorrência, por conta de supostas agressões que teria sofrido, e Ivan, por ameaças de morte supostamente feitas pelo prefeito. Rangel chegou a ser secretário de Saúde na atual administração do peemedebista, mas foi demitido pelo prefeito Gilson Romano no mês passado.

O prefeito diz acreditar que a confusão foi por conta de interesses políticos, e Rangel argumenta que como conseguiu a maioria do financiamento da campanha do antigo aliado, e por ser médico, o atual prefeito estaria intimidado com uma possível candidatura sua nas próximas eleições. “Eu ia ser candidato a prefeito, deixei de ser para apoiá-lo”, diz. Insatisfeitos com o atraso de salários, o médico Ivan, resolver pediu demissão e por isso a reunião teria sido marcada na tentativa de resolver a situação e evitar a saída do

clínico generalista. De acordo com o Instituo Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE), a cidade tem mais de cinco mil habitantes. Os moradores de Rio Negro estariam sendo atendidos por três médicos nos últimos dias. A reunião se deu por conta da dívida de R$ 17 mil que o hospital da cidade, que se trata de uma Associação Beneficente, deve a Ivan que é contratado. Já Rangel, médico concursado, conta que seus plantões estão atrasados em R$ 43 mil. Ambos dizem que não continuarão atendendo em Rio Negro. A prefeitura destina um repasse mensal de R$ 44 mil a Associação, e outros R$ 21 mil são do Estado e do Governo Federal. O prefeito assumiu que deve em torno de R$ 41 ao hospital. Foi repassado à Polícia Militar, que durante a reunião, um dos médicos teria chamado o prefeito de “moleque”, e com isso o chefe do Executivo agrediu o Dr. Rangel a socos. Já o médico Ivan conta que foi ameaçado de morte por Romano. Ainda segundo a PM, mesmo após a confusão ter sido separada por pessoas e

autoridades ali presentes, outra confusão teria se iniciado minutos depois, porém só com agressões verbais. À reportagem do site campo-grandense Midiamax, o prefeito negou as agressões físicas e conta que só houve trocas de ofensas. “Não tem quem suporte ser chamado de moleque”, diz. Ainda segundo Gilson Romano, Roberto Rangel apresentou dois atestados médicos, porém ele teria faltado no intervalo entre um e outro atestado. Já o médico conta que, além dos atestados, foi enviado um ofício à Secretaria da Saúde, por conta de folgas acumuladas e pedido de um período sem trabalhar, por conta de luto. Roberto conta que além dos problemas de saúde, teve um irmão assassinado nos últimos dias. Os dois médicos disseram que gravaram o áudio no momento da discussão. Já o prefeito Gilson Romano diz que não fará boletim de ocorrência, porém se o caso for a juízo, fará um pedido de contraposto. “Também vou fazer junto ao CRM-MS (Conselho Regional de Medicina-MS), um pedido de retratação do município”, diz Rangel.

IMPACIENTE

Paciente invade centro de saúde e quebra consultório na Capital Um homem, de 37 anos, foi preso na noite de quarta-feira, após depredar um dos consultórios do CRS (Centro Regional de Saúde) do bairro Aero Rancho, em Campo Grande. A Polícia Civil foi até o local na manhã da quinta-feira (26) para averiguar o ocorrido. “Vamos levantar os danos causados pelo autor. Já foi feito o flagrante e vamos abrir um inquérito para apurar o caso”, informou o delegado Ivahyr Luiz de Campos. A gerente do centro de saúde, Marinalva Machado, informou que o paciente chegou ao local por volta

Paciente quebrou cadeiras, mesas, instrumentos e suporte de papel toalha

das 20h e foi atendido por uma médica por volta das

20h15. “Não houve demora, ele esperou por mais ou

menos 15 minutos”, disse. Segundo informações do boletim de ocorrência registrado pela Polícia Civil, após ser atendido, o paciente foi até uma farmácia do bairro. Ele não encontrou o medicamento prescrito pela médica e voltou à unidade de saúde para trocar a receita dada pela profissional. Segundo a gerente, o paciente retornou ao centro de saúde por volta das 22h. “Ele foi direto para o consultório e abriu a porta. A médica estava com outro paciente e pediu para ele aguardar, mas ele entrou na sala e quebrou tudo”, relatou a gerente.

VISITA ILUSTRE (1) “Falta ainda definir a data, mas já fui autorizado a informar que estão sendo acertados os detalhes para a realização de um grande encontro em nossa cidade, onde serão discutidos temas de interesse dos países da região”, declarou o senador. Sobre o local do encontro e mais detalhes dessa agenda internacional, Delcídio se restringiu a antecipar apenas que em breve ter-se-ão novidades. Devem participar do encontro presidentes, políticos, ex-presidentes, lideranças e representantes dos países latino-americanos. Cogita-se, inclusive, a ida de Dilma à Capital do Pantanal. POR FALAR EM CORUMBÁ... Em comemoração aos 235 anos de fundação da cidade, o prefeito Paulo Duarte (PT), lançou um pacote de obras no valor de R$ 55,9 milhões. A execução deve iniciar nos próximos dias. O lançamento cotou com a presença do senador Delcídio Amaral (PT). Os investimentos serão direcionados para drenagem, pavimentação, saúde, educação, habitação, lazer, assistência social, cultura e a revitalização de prédios históricos. Do montante milionário, o senador viabilizou R$ 1,5 milhão em emendas do Orçamento da União. EMPLACANDO O PMDB está intensificando as reuniões pelo interior do Estado com vistas a fortalecer a candidatura do secretário estadual, Nelsinho Trad (PMDB) ao governo de MS. Na última reunião extraordinária da executiva foi determinada a retomada dos encontros regionais, na tentativa de emplacar o pré-candidato. O cenário atual aponta uma possível disputa do peemedebista com o senador Delcídio Amaral (PT) nas urnas. EMPLACANDO (1) A data para percorrer o longo caminho de disseminação do nome de Nelsinho é a partir de 5 de outubro. Conforme orientação da executiva, os encontros regionais serão retomados e as cidades de Rio Brilhante (5/10), Ivinhema (19/10), Três Lagoas (8 e 9/10) e Campo Grande (23/10) estão na rota. No meio do caminho a executiva planeja desembarcar em Dourados, no dia 26 de outubro, para reunião não especificada. EMPLACANDO (2) As conversações com os filiados de todo o estado serão uma tentativa de emplacar o nome de Nelsinho ao governo, já que agora ele está escolhido pela cúpula do partido como pré-candidato pelo PMDB. Mesmo com a definição, o líder político da sigla, governador André Puccinelli (PMDB), reiteradas vezes tem mencionado entregar o governo ‘ou a Delcídio, ou a Simone Tebet ou a Nelsinho’, sinalizando que o nome dele ainda não está consolidado. Nacionalmente, as conversas políticas seguem tentando unir PMDB e PT, para reproduzir a dobradinha nacional de Dilma Roussef e Michel Temer em MS. UM SACO Está chegando ás raias da imbecilidade a campanha que internautas tem feito contra a marca Coca-Cola desde que um desconhecido imbecil postou uma garrafa do produto com um suposto rato em seu interior. Ora bolas! Se Coca-Cola serve até para desentupir pias, como é que um simples ratinho ia ser “engarrafado”, sair da fábrica, percorrer estradas, chegar aos depósitos, de lá seguir para os pontos de venda ao consumidor e adquirido por este estar ainda intacto? Só se for um rato que tenha formol ao invés de sangue nas veias. E VIVA O PORCO! Porque o Amor é Verde e Branca a Razão, só posso terminar, exuberante de felicidade, saudando o Maioral, Sensacional e Espetacular Verdão do Parque Antárctica. Viva o Porco!


4 Entrevista

Distrito Federal - Mato Grosso - Mato Grosso do Sul ANO XIII nº 578 29/09 a 05/10 de 2013

www.copopular.com.br

DEPUTADO ESTADUAL

Paulo Corrêa diz que Delcídio é o melhor preparado para governar o Estado “Em que pese a boa administração que o André Puccinelli (PMDB) tem feito,que é

um médico, nós precisamos de uma pessoa que tenha

noções de administração, e o Delcídio encarna isto. Então eu como engenheiro vejo o Delcídio talhado para ser o governador do Estado”.

Assim pensa o deputado estadual Paulo Corrêa (PR), árduo defensor da candidatura do senador petista à sucessão estadual. Paulo Corrêa participou nos últimos dias de diversas atividades realizadas em Corumbá em comemoração aos 235 do mais antigo município de Mato Grosso do Sul. Abordado pela reportagem do CO POPULAR, ele respondeu perguntas sobre o destino do PR na eleição do ano que vem, sobre o desgaste da classe política com as decisões da Câmara Federal, mantendo o mandato do presidiário Natan Donadan, e do Supremo tribunal Federal, que acatou os embargos infringentes, afirmando-se “decepcionado, enquanto cidadão brasileiro”. Já quase no final da entrevista, afirmou que Bernal precisa ter mais diálogo com os vereadores. “Governo é Executivo, Legislativo e Judiciário; no caso do município, Executivo e Legislativo que precisam conversar. No caso do Bernal versus câmara, ele entende que “a corda esticou muito”. Confira a entrevista com Paulo Corrêa:

construir essa sequência e ter a esperança e a expectativa de um governo melhor.

O parlamentar do PR também destaca André Puccinelli como um “cara raçudo”, que tem um procedimento exemplar, enquanto governador

Jota Menon Campo Grande – MS.

“Em que pese a boa administração que o André Puccinelli (PMDB) tem feito,que é um médico, nós precisamos de uma pessoa que tenha noções de administração, e o Delcídio encarna isto. Então eu como engenheiro vejo o Delcídio talhado para ser o governador do Estado”. Assim pensa o deputado estadual Paulo Corrêa (PR), árduo defensor da candidatura do senador petista à sucessão estadual. Paulo Corrêa participou nos últimos dias de diversas atividades realizadas em Corumbá em comemoração aos 235 do mais antigo município de Mato Grosso do Sul. Abordado pela reportagem do CO POPULAR, ele respondeu perguntas sobre o destino do PR na eleição do ano que vem, sobre o desgaste da classe política com as decisões da Câmara Federal, mantendo o mandato do presidiário Natan Donadan, e do Supremo tribunal Federal, que acatou os embargos infringentes, afirmando-se “decepcionado, enquanto cidadão brasileiro”. Já quase no final da entrevista, afirmou que Bernal precisa ter mais diálogo com os vereadores. “Governo é Executivo, Legislativo e Judiciário; no caso do município, Executivo e Legislativo que precisam conversar. No caso do Bernal versus câmara, ele entende que “a corda esticou muito”. Confira a entrevista com Paulo Corrêa: CO POPULAR – Deputado, o Partido da República (PR), ao qual o senhor é filiado, tem participado decisivamente dos processos eleitorais que se desenrolam no Mato Grosso do Sul... Como o PR está vendo, hoje, o processo de sucessão estadual? PAULO CORRÊA – Hoje, nós temos um nome colocado; um nome posto como candidato a governador deste Estado, que é o senador Delcídio do Amaral (PT). E aí há uma briga lá no PMDB, que não sabe se é um ou se é outro candidato. Toda hora muda. O candidato nosso é o senador

Delcídio. Que fique claro: essa é a minha opinião pessoal. Na condição de engenheiro que sou, acho que precisamos de um administrador, nesta fase que vive o Estado, que tenha noções de administração. Não pode mais ser na “orelhada”, não pode mais ser no sentimento; no feeling. Em que pese a boa administração que o André Puccinelli (PMDB) tem feito, ele que é um médico, nós precisamos de uma pessoa que tenha noções de administração, e o Delcídio encarna isto. Então eu como engenheiro, o Delcídio como engenheiro – fiz quatro semestre de Administração na Universidade – acho que chegou a hora de a gente ter uma pessoa formada para ser o nosso governador. E o Delcídio está talhado. Pessoa que vai em todos os municípios; pessoa que tem participação ativa no Mato Grosso do Sul como um todo... eu acho que está pronto para fazermos dele o nosso governador. Mas esta é a minha opinião pessoal. Passa outubro, dia 7 de outubro, aí nós vamos fazer, ainda em outubro, uma reunião do partido para consultar. E aí a minha opinião pode diferir da opinião de outras pessoas do partido. Você sabe {dirigindo-se ao repórter} que o Partido da República, inicialmente, era o PL – o Partido Liberal -, um partido que respeita opiniões divergentes, pois se trata de uma legenda da liberalidade; do liberalismo. Então a gente quer construir um projeto que não seja só do Paulo Corrêa, que não seja só do amigo do fulano, do sicrano, mas, que seja um projeto para oi Mato Grosso do Sul. E aí o Delcídio, está muito bem preparado para ser o nosso governador. Essa é a minha tese e vou defendê-la perante o meu partido para que o PR faça uma coligação visando eleger governador do estado o nosso senador Delcídio do Amaral. CO POPULAR – O André Puccinelli, enquanto governador, vai deixar um legado, também, não? PAULO CORRÊA – Com certeza. E eu falo mais: sou da base de sustentação do

governador André Puccinelli até 31 de dezembro de 2014. Acho que, mesmo sendo médico, mesmo não tendo a formação de administrador, que defendo como sem do um dos quesitos para que uma pessoa possa ser um bom governador, o André Puccinelli tem o feeling. O André Puccinelli é um cara “raçudo”, tem um procedimento exemplar, enquanto governador. Foi um governo muito bom que tivemos aí. Mas, agora, nós temos que avançar. É um outro momento e nós estamos discutindo novas candidaturas, um arco de alianças para eleger um governador e nesse arco de alianças o PR tem papel fundamental.

CO POPULAR – Agora, falando um pouquinho da Assembleia Legislativa e da classe dos legisladores: tivemos, recentemente, em Brasília aquele problema da votação na Câmara dos Deputados da cassação do deputado Natan Donadan, que não foi cassado, mesmo estando preso; tivemos o Supremo Tribunal Federal (STF) admitindo os embargos infringentes e abrindo precedente para que decisões tomadas no Supremo seja passíveis de contestação, embora reste provado que os embargos infringentes sejam legais, pelo fato de os políticos envolvidos no caso terem sido julgados em instância única, a última. O senhor acha que isto pode refletir no próximo pleito eleitoral? PAULO CORRÊA – Eu acho que tem que refletir. Acho que o eleitorado tem que estar atendo à classe política e analisar o que o deputado Paulo Corrêa tem feito, como ele tem trabalhado, se ele é digno

Os deputados Londres Machado, Paulo Correa e Arroyo, todos do PR, e o então deputado Paulo Duarte, do PT. Na foto, o momento em que s lideranças do Partido da República fecharam acordo político para apoiar a précandidatura de Duarte à Prefeitura de Corumbá

Nós queremos discutir o que é melhor para o Estado de Mato Grosso do Sul. Mas, não lá no gabinete, no ar condicionado, mas, vindo às bases, como estamos vindo aqui em Corumbá, como estivemos ainda hoje {21 de setembro} lá na distante Alto Caracol, no nosso querido município de Caracol. Assim como estaremos lá em Porto Murtinho com o Heitor Miranda {prefeito do PT), discutindo o que os municípios querem. Foi lançado ainda agora há poucos dias, um pacote de 3 bilhões e 600 milhões de reais em obras. Mas, será que apenas estes 3,6 bilhões de reais resolvem os problemas de Mato Grosso do Sul? Ou temos que questionar: termina o Governo André e como será a sequência? Então, temos de

de continuar trabalhando pelo Estado de Mato Grosso do Sul? Tem que ter uma folha de serviços prestados e não uma folha corrida como esses do mensalão. Ora, você disse que o Supremo tem que levar em conta toda a ampla defesa e acho que, nesse momento, os embargos infringentes fazem isto. Mas, o Supremo Tribunal Federal é, também, um tribunal político, até porque as indicações dos ministros que o compõem são indicações políticas. Passam por duas casas de leis, que são a Câmara dos Deputados e o Senado Federal para ser aprovado. Passa por uma sabatina o futuro ministro... CO POPULAR – E a indicação final é do presidente da República...

PAULO CORRÊA – Exato. A indicação cabe ao presidente da República. Então, eu acho que nós temos que começar a pesar as coisas. Naquele momento, eu acho que o Supremo perdeu a grande chance de demonstrar firmeza diante de coisas erradas, que foram mostradas e comprovadas. E quando há coisas erradas, mostradas e comprovadas, não se pode ter dó. Não se pode partir para “vamos fazer isto, vamos fazer aquilo”. Tem que fazer o que é certo e que deve ser feito. Aí, então cabe a minha insatisfação, enquanto cidadão brasileiro, porque acho que o Supremo tinha que ter aproveitado aquele momento para fechar a questão. Não fechou. Deu ampla defesa. Dura mais um ano o processo. Não tem saída... CO POPULAR – Está difícil fazer coisa julgada no Brasil, não? PAULO CORRÊA – É verdade e é estranho quando a última instância pede mais um tempo. É muito esquisito. Tudo julgado, tudo pronto. Então, essa insatisfação do povo nas ruas, essa insatisfação da cobrança do político, tem que existir. Mas, também tem que se ver o que está acontecendo na área técnica e eu, como engenheiro, não posso opinar. Como eu disse que chegou a hora de trocarmos os médicos pelos engenheiros, da mesma forma, entendo que são os juristas que devem emitir uma opinião mais concisa e conclusiva sobre o assunto. Mas digo pra você: como brasileiro fiquei chateado, fiquei preocupado com a Câmara Federal que, num momento de falta de lucidez completa, um cara que está preso, condenado, vai lá um tal de Natan Donadan, que está lá na Papuda, que é um presídio, vem para a Câmara e a Câmara não cassa seu mandato. Estranhíssimo. Em função de que, isto? Da mesma forma que a gente vê que a iniciativa privada que trabalha, que dá raça, que dá emprego e gera renda ao País, vai um veto da multa do FGTS para ser votado e, como num passe de mágica, 80 vetos são votados de uma vez só, em conjunto, sem dar a mínima satisfação para ninguém, e ao invés de derrubar o veto interposto pela presidenta da República ao projeto aprovado pela própria Câmara Federal, eles o mantém. Ou seja, o veto ao projeto aprovado pela Câmara vai a votação e a Câmara não cumpre o seu papel. De modo que entendo que a Câmara tem que ser questionada sim, do mesmo que quando a Assembleia Legislativa “pisa no tomate”

tem que ser puxada a orelha dos dpeutados. CO POPULAR – Só para concluir, e o Bernal? PAULO CORRÊA – E o Bernal? Eu acho que, diferente do que muitas pessoas tem dito, eu entendo o seguinte: muita falta de experiência, muita inexperiência na hora de montar a equipe e muita falta de vontade de conversar com os atores todos que compõem o governo municipal. Governo em si não é só o Executivo. É o Executivo, é o Legislativo; é o Judiciário. No caso do Município, o Executivo e o Legislativo. Ele tem que conversar com os vereadores. Não pode deixar do jeito que está. Chegou num impasse. Eu acho que esticou muito a corda. Relatórios estão aí. As votações estão sendo conduzidas politicamente. Ali, sim, ali é um problema político. Veja-se que não é um problema técnico, move-se, da forma como foi colocada, má versação pode dolo do dinheiro público. Ali se vê que é um problema político. É ele ter uma base de nove, dizer que tem 15, mas na verdade a oposição ter 20. E, com 20, a oposição cassa o mandato. Então, acho importante conversar. Porque ele foi eleito no primeiro turno, ele foi eleito no segundo turno e está legitimado enquanto prefeito. Eu pedi voto para o Giroto {Edson Giroto, então candidato do PMDB}, no primeiro e no segundo turno. Mas, a partir do momento que ganhou o Bernal nós temos que ajudá-lo a governar Campo Grande. CO POPULAR – Deputado Paulo, Corrêa, para finalizar, vamos falar um pouquinho da Cidade Branca, que comemora 235 anos de fundação e que recebe a visita de pessoas ilustres, inclusive o senhor? PAULO CORRÊA – A Cidade Branca é maravilhosa. Tenho aqui raízes, pois, meu pai trabalhou praticamente 20 anos aqui. Tenho grandes amigos aqui. O prefeito Paulo Duarte foi segundo secretário, quando eu era o primeiro secretário da mesa Diretora da Assembleia Legislativa. Fiz campanha e pedi votos para ele. Estou vendo a grande administração que o Paulo Duarte está fazendo aqui em Corumbá. E, diante desta realidade, não poderíamos faltar a esta grande festa. Afinal, são 235 anos que fazem de Corumbá a cidade mais antiga do nosso Estado. É o maior município do Mato Grosso do Sul, em extensão. Então, tem que ter todo o carinho nosso, enquanto deputado estadual, de estar olhando e cuidando da nossa Cidade Branca.


Política 5

Distrito Federal - Mato Grosso - Mato Grosso do Sul ANO XIII nº 578 29/09 a 05/10 de 2013

www.copopular.com.br

CORUMBÁ

Escolhida para sediar o “Seminário Meio Ambiente, Sustentabilidade e Legislação nos Municípios”, a cidade de Corumbá recebe, desde anteontem, vereadores de vários municípios de Mato Grosso do Sul. O evento, realizado pela União da Câmara dos Vereadores de Mato Grosso do Sul (UCVMS) e pelo Instituto Sul Brasileiro de Administração, conta com a parceria da Prefeitura de Corumbá. Na solenidade de abertura, realizada na manhã de ontema, estiveram presentes o governador de MS, André Puccinelli (PMDB), e os prefeitos de Corumbá, Paulo Duarte (PT), e de Ladário, José Antônio Assad e Faria (PT). Como anfitrião do evento, o prefeito Paulo fez questão de destacar o importante papel do Legislativo para o desenvolvimento do município. Duarte, que exerceu mandatos como deputado estadual, e hoje, está à frente do Executivo de Corumbá, declarou que é preciso um diálogo afinado entre os Poderes.

Foto: Kleverton Velasques

Prefeito destaca papel de vereadores como elo entre população e Executivo

Prefeito Paulo Duarte ressaltou boa relação mantida entre Executivo e Legislativo em Corumbá

“Eu conheço os dois lados, até porque fui por seis anos deputado estadual e sei efetivamente, conheço as dificuldades tanto de um lado quanto de outro por isso sei a importância de uma relação franca e aberta, leal, transparente. O Executivo

O prefeito Paulo ainda destacou a boa relação entre o Executivo e o Legislativo locais, atribuindo a essa postura as realizações que o município vem somando ao longo desses nove primeiros meses de gestão.

sozinho não consegue fazer muita coisa. Sei muitas vezes o papel difícil do vereador dentro de uma cidade porque acaba recebendo todas as reivindicações. Além de legislar e fiscalizar acaba sendo o elo da sociedade civil”.

“Temos uma relação muito próxima, profícua com a Câmara de Vereadores que vem sendo parceira da cidade de Corumbá. Muito das coisas que estão acontecendo é fruto dessa parceira que temos desde o primeiro dia da nossa Administração, então sabemos a importância para o Executivo em ter uma relação harmônica com a Câmara, sem que isso fira nem o papel do Executivo, nem o do Legislativo”, frisou. O discurso do prefeito Paulo Duarte foi seguido pelo governador do Estado, André Puccinelli, que falou aos presentes na abertura do evento, destacando a interação entre o Executivo e o Legislativo de Mato Grosso do Sul. “O prefeito tem que se relacionar com o Poder Legislativo como fazemos, nós do Estado, com o Poder Legislativo em nossa esfera. Se a parceria, mesmo sendo de oposição, não se estabelece, se não há o respeito à figura institucional do Executivo e do Legislativo, o município não vai para frente. Pude testemunhar, ao

longo da minha vida política, que os municípios perdem muito quando se estabelece uma batalha”, observou. O evento seguiu com as palestras “A Pesca em Mato Grosso do Sul”, proferida pelo deputado estadual Paulo Correa (PR) e “Avanços do setor pesqueiro no Brasil e MS”, com o superintendente Federal da Pesca e Aquicultura, Luiz Davi Figueiró. Na parte da tarde, das 14 às 16 horas, foi a vez das palestras “Relação entre os poderes”, com Reinaldo Campos, Relações Institucionais do Ministério Público de Contas de MS e “Gestão Ambiental”, com a diretora-presidente da Fundação Meio Ambiente do Pantanal, Luciene Deová de Souza. Hoje, último dia do evento, acontecem mais duas palestras: “Projeto Cultivando Água Boa”, a cargo de um representante da Itaipu Nacional, e “Contas Públicas”, com Jersino José dos Anjos, auditor do Tribunal de Contas do Mato Grosso do Sul.

HABITAÇÃO

O prefeito Paulo Duarte (PT) participou ontem da solenidade de entrega de mais 249 casas do Residencial Guató. A solenidade contou com a presença do governador André Pucinnelli (PMDB), do secretário estadual de Habitação e das Cidades, deputadoi estadual licenciado Carlos Marun (PMDB), secretário estadual de Justiça e Segurança Pública, Wantuir Jacini, diretor-presidente da Sanesul, José Carlos Barbosa, dos deputados estaduais Paulo Corrêa (PR) Antônio Carlos Arroyo (PR), do prefeito de Ladário, José Antônio Assad e Faria (PT) e de vereadores das duas cidades.

“Queria dizer às senhoras e aos senhores que tenham sucesso e sejam felizes. As pessoas que estão hoje recebendo essas casas são importantes para Corumbá e Ladário. E é importante também que haja um trabalho conjunto entre o governo Municipal, Estadual e Federal. Habitação é uma coisa fundamental, prioritária. A Prefeitura vai fazer o seu papel e é importante que todos façam, assim como o Governo do Estado faz hoje aqui”, afirmou Paulo Duarte. Das 249 casas entregues hoje, 50 serão usadas como moradias transitórias por policiais lotados na ci-

dade. Ao todo, o conjunto habitacional, construído com recursos estaduais no bairro Maria Leite, contará com 1.200 unidades. Dessas, 978 já foram entregues a famílias com renda entre zero e três salários mínimos. As outras 172 moradias devem ser concluídas até o final deste ano. Cada casa possui 32 metros quadrados, distribuídos em dois quartos, sala-cozinha e banheiro. Das 1.200 casas, 30 foram construídas dentro das regras de acessibilidade. O residencial possuiu rede de abastecimento de água, esgotamento sanitário, iluminação pública e arruamento.

Foto: Kleverton Velasques

Prefeito participa, ao lado do governador, da entrega de mais 249 casas no Residencial Guató

Solenidade reuniu várias lideranças políticas de Mato Grosso do Sul

ESTADO/MUNICÍPIO

Em encontro com André, prefeito solicita aumento do efetivo policial derada “de extrema importância” não só para Corumbá, mas também para Ladário. “É em relação à segurança pública que tem causado grandes preocupações para as populações dos dois municípios”, revelou. “Mostrei ao governador os números dos últimos meses e reforAndré e Paulo no Gabinete: investimentos para Corumbá e maior cei que precisegurança para a população samos dotar de mais recursos Aumento do efetivo feitura, após a solenidade humanos os efetivos polipolicial na cidade para ga- de abertura do Seminário ciais da cidade, tendo em rantir maior segurança à Meio Ambiente, Sustenta- vista o aumento de atos população. Este foi o pedido bilidade e Legislação nos ilícitos e da violência na feito na manhã de ontem Municípios, que acontece região”, explicou Paulo. pelo prefeito Paulo Duarte até hoje na cidade. O prefeito destacou que Segundo Paulo, o en- o governador se mostrou (PT) ao governador André Puccinelli (PMDB), durante contro com André foi uma “sensibilizado” e garantiu encontro entre os dois no oportunidade para tratar de “que irá priorizar Corumgabinete de Duarte, na Pre- um assunto que ele consi- bá no próximo concurso,

enviando novos policiais para a nossa região”. Paulo lembrou ainda que, em um outro momento, ele havia tratado esta questão com o secretário de Segurança Pública do Estado, Wantuir Jacini, que já havia revelado a intenção do Estado em reforçar o quadro das polícias Militar e Civil, e da própria Agepen. “Nesse encontro, em meu gabinete, ressaltei que o município, embora não tenha a obrigação de cuidar diretamente da questão da segurança pública, tem dado apoio constante em termos de estrutura para o trabalho dos policiais e que a parceria é fundamental para que a população se sinta segura e protegida”, observou. Além da questão ligada à segurança pública, Paulo e André conversaram também sobre outros assuntos, principalmente em relação aos investimentos que o governador deve anunciar em outubro, direcionados para Corumbá dentro do Programa MS Forte II.


6 Estado

Distrito Federal - Mato Grosso - Mato Grosso do Sul ANO XIII nº 578 29/09 a 05/10 de 2013

www.copopular.com.br

CORUMBÁ

Município tem 22 projetos habilitados em edital da Funarte para o Pantanal Vinte e dois projetos com proponentes de Corumbá foram aprovados na primeira fase do Edital Mais Cultura: Microprojetos Pantanal. Publicado e gerido pela Fundação Nacional de Artes – Funarte, o edital tem como objetivo fomentar e incentivar atividades culturais de baixo custo propostas por artistas, produtores e grupos da região do Pantanal. Os projetos corumbaenses habilitados são de diversas vertentes culturais: música, audiovisual, artesanato, festejos populares, culinária, dança e artes plásticas. Em todo Mato Grosso do Sul, registrou-se a inscrição de 122 projetos, incluindo, além de Corumbá e a cidade vizinha Ladário, os municípios de Aquidauana, Bodoquena, Coxim, Miranda, Sonora, Rio Verde e Porto Murtinho. Após passar por essa primeira etapa, os projetos habilitados seguem para a fase de seleção com a qual serão escolhidos 48 deles, que receberão premiações de R$ 15 mil cada um, totalizando R$ 720 mil. Também estão concorrendo aos valores previstos no edital projetos de cidades pantaneiras do estado de Mato Grosso:

Corumbá é a capital cultural de Mato Grosso do Sul

Barão de Melgaço, Cáceres, Itiquira, Lambari D’Oeste, Nossa Senhora do Livramento, Poconé, Santo Antonio de Leverger. A primeira fase ficou a cargo de uma equipe coordenada pela Funarte e formada especificamente para este fim. Nesta etapa, foram avaliadas a documentação enviada, a adequação da proposta ao objeto do edital, e o atendimento às condições

previstas no seu item 2. Na avaliação de Márcia Rolon, diretora-presidente da Fundação de Cultura de Corumbá, o grande número de projetos aprovados na primeira fase é o resultado de ações que o município vem pautando dentro do conceito da região do Pantanal. “Com esse resultado ficou evidente a articulação que a gente vem fazendo com o pensamento de arit-

cular cultura dentro e para a região do Pantanal. Junto com o Ministério da Cultura promovemos a capacitação para a elaboração de projetos e o resultado acabou surpreendendo”, comentou. No início de agosto, a Fundação de Cultura de Corumbá buscou incentivar a participação dos agentes culturais do município, apoiando uma capacitação, específica para o edital Mi-

croprojetos Pantanal, com um representante da Funarte, que atraiu aproximadamente 100 pessoas. De acordo com o edital, a avaliação da segunda etapa terá como critérios básicos: “o desenvolvimento de práticas e ações artísticas e educativas propostas ou voltadas para jovens de 18 a 29 anos; a valorização das experiências culturais regionais do Pantanal e a autenticidade e a expressividade artísticas”. Veja a lista de projetos corumbaenses habilitados pela Funarte: Alexandre Passos Miranda (Xandão & Cia de Cavacos); Arlineide Artusa Pinto de Lima e Silva (Gravação do Cd “ Vem Pra Cá Dançar - Cantora Lye Meirellis); Arturo Castedo Ardaya (Festival de Música de Cururu e rasqueado Midiático); Anna Carolina Gomes da Silva (Toalha de Arte); Bianca Maria Machado de Oliveira (Plural); Bruno Calanca Nishino (Projeto de “Fototecnologia - O Homem Pantaneiro e Pantanal”); Carla Lúcia Alves Soares (Eu Pertenço a Corumbá, Corumbá Me Pertence); Catarina Ramos da Silva (Saberes Seculares do Pantanal - Oficina de Artesanato em Aguapé

com Guató); Clemilson Pereira Medina (O Pantanal e Sua Diversidade Culinária); Emanuel Teixeira e Silva (Cordas Mágicas); Fernando Jorge Pereira (Mães Festeiras); Flávia Nicolau Adário Lima Nascimento (Dançando em Prosa, Comitiva em Alma); Franklin da Silva Melo (Revidarte - Recicle a Vida com Arte); Helker Ernany Corrêa (Se Essa Rua Fosse Minha , Eu Mandava Grafitar); Janne da Costa Garcia Queiroz (Nas Mãos de Quem Cria e Transforma a Arte em Prazer e Fonte de Vida); José Carlos Pereira Marques (Multiplicando Sons e Sonhos); José Gomes de Melo Neto (Projeto Capoeirando no Pantanal); Lamartine José dos Santos (Escambo Cultural - Formação em Expressões Afrodescendentes); Marco Antônio Correa Calábria (Projeto Curtametragem “ Short Film” - Seu Agripino Ícone do Folclore Musical Pantaneiro); Nara Nazareth Lima Monteiro (Beleza Negra); Ruth Ferreira (1º Festival da Canção do Assentamento Taquaral Corumbá); Sérgio da Silva Pereira (Projeto Música ao Campo e Orquestra Experimental do Campo).

CONTEMPLAÇÃO

Observação de Aves: Campo Grande vai sediar a primeira edição do Avistar MS 2013

O Brasil está entre os três países com as maiores diversidades de aves no mundo, com 1825 espécies, de acordo com o Comitê Brasileiro de Registros Ornitológicos (CBRO). Esse potencial vem chamando a atenção dos turistas brasileiros e estrangeiros para o birdwatching, prática de observação de aves, no país. Em Mato Grosso do Sul, o Pantanal e o Planalto da Bodoquena apresentam elevada diversidade avifaunística e relevante potencial para o turismo de observação de aves. No Pantanal sul-mato-grossense mais de 650 espécies de pássaros vivem neste paraíso. O Parque Nacional da Serra da Bodoquena - Localizado nos municípios de Jardim, Bonito, Bodoquena e Porto Murtinho - também é considerado um dos lugares mais indicados para o turismo de observação de aves, principalmente de espécies raras. Por ter mistura de ambiente, a Serra da Bodoquena tem um papel importante: um refúgio até para aves migratórias e patos selvagens, por exemplo. Em Campo Grande, quase 300 aves já foram catalogadas nas áreas verdes na capital. A cidade já se prepara para receber os amantes da prática de observação de aves na primeira edição do Avistar-MS 2013. O evento será realizado entre os dias 4 a 6 de outubro, no Parque das Nações Indígenas. Diversas atividades serão desenvolvidas durante o evento, em ambiente interno (auditório) e externo (ao ar livre), com palestras, oficinas, minicursos, mesas-redondas, paneis de apresentação, exposição e concurso de foto-

grafias, contação de estórias, lançamento e exposição de livros, exposição de arte e atrações culturais (música, teatro, dança), tudo com foco na diversidade de aves do Mato Grosso do Sul. O Avistar MS 2013 é promovido por uma coordenação colaborativa entre Avistar Brasil, Instituto Mamede, Photo In Natura, Convention Bureau, Sindicado de Guias de Turismo do MS e COA/CGR – Clube de Observadores de Aves Campo Grande. É comum encontrar blogs especializados no segmento, onde são registradas informações e fotografias que exploram e revelam as especificidades dos pássaros. Estes blogs são uma excelente fonte de informação e referência para quem pretende visitar e

conhecer as espécies do local. O Analista de desenvolvimento do turismo da Fundação de Turismo de Mato Grosso do Sul, Geancarlo Merighi, desenvolve o blog “As Belezas de Nosso Quintal – MS Birding – Brazil” onde compartilha seu vasto arquivo de informações, experiências e fotos tiradas de várias espécies de aves que compõem os diversos cenários das regiões de Mato Grosso do Sul. Conforme Merighi a atividade “...é uma prática que pode despertar ou reavivar no ser humano virtudes essenciais como o reconhecimento, a amizade, a sabedoria, a fraternidade, a união e, principalmente, zelo pelo nosso planeta”, destaca. Segundo Merighi, o blog busca divulgar Mato Grosso do Sul como destino de bir-

Beija Flor Dourado, uma das espécies que podem ser observadas em Mato Grosso do Sul

dwatching, além de incentivar novos adeptos a interagir com o meio ambiente e desenvolver uma visão holística sustentável através da Observação de Aves. “Esta é uma modalidade de turismo que surgiu do tra-

balho do Ornitólogo, que incentiva, dentre outras coisas, o desenvolvimento intelectual, moral, ético, conservacionista e preservacionista, além de proporcionar momentos únicos, onde o passarinheiro tem

a oportunidade de vivenciar a Natureza em sua plenitude, observando a vida, as cores, os cantos, os hábitos, dentre outras características marcantes das aves”, disse. No blog o observador revela sua paixão pela observação das aves, que começou de repente e despertou sua curiosidade e interesse. Hoje Merighi é membro do Clube de Observadores de Aves de Campo Grande/MS (COACGR) e, segundo ele, ganhou admiração e grandes aprendizados com a atividade. No blog também estão dispostos os principais locais em Campo Grande onde os observadores de aves podem encontrar um grande número de espécies do Estado.

MEIO AMBIENTE

“I Seminário da Pós-Graduação Lato Sensu em Planejamento e Gestão Pública e Privada do Turismo” acontece dia 4 em Dourados No próximo dia 4 de outubro, o Governo do Estado de Mato Grosso do Sul, através da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul, da Fundação de Turismo de Mato Grosso do Sul, e Fundação de Apoio ao Desenvolvimento do Ensino, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso do Sul (Fundect), promove o “I Seminário de Pós-Graduação Lato Sensu em Planejamento e Gestão Pública e Privada do Turismo”. O evento será realizado no anfiteatro da sede da UEMS em Dourados, às 19h. A programação do evento compreenderá a apresen-

tação do programa da pós-graduação em planejamento e gestão pública e privada do turismo; a apresentação dos temas de pesquisa dos alunos

da primeira turma e o resultado dos indicadores de desenvolvimento turístico dos municípios. Segundo a coordenadora da pós-graduação em Turismo da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul, Dores Cristina Grechi, o curso pretende qualificar profissionais que trabalham com turismo no âmbito público e privado no Estado de Mato Grosso do Sul, em nível de planejamento e gestão. “A pretensão é atingir as dez regiões turísticas do es-

tado. Nesta primeira edição do programa de pós-graduação foram contemplados os municípios de Bonito, Dourados, Campo Grande e Ponta Porã”, destacou. Conforme Nilde Brun, o curso proporcionou a troca de experiências, formação e o desenvolvimento pessoal e profissional dos alunos. “A promoção, gestão e planejamento intelectual do turismo são importantes patamares para o crescimento do setor. A pós-graduação além de contribuir com a valorização do pós-graduando garantirá a prestação de serviço de qualidade”, disse.

O curso tem duração de 12 meses, com aulas ministradas em Dourados, quinzenalmente. Segundo a coordenadora da pós-graduação, há previsão de iniciar uma a segunda edição do curso em agosto de 2014, visando alcançar as demais regiões turísticas que ainda não foram contempladas nesta primeira turma. Além disso, a proposta pretende estimular a elaboração de projetos para o desenvolvimento turístico no Estado, identificando as oportunidades do mercado nos setores público e privado.


Estado 7

Distrito Federal - Mato Grosso - Mato Grosso do Sul ANO XIII nº 578 29/09 a 05/10 de 2013

www.copopular.com.br

CONVERSAÇÕES

Jota Menon Campo Grande – MS.

Embora admita que haverá – e já estaria havendo - muita pressão “de cima para baixo” para que o senador Delcídio do Amaral (PT), repita em MS, a aliança que se firmará em Brasília para a reeleição da presidente Dilma Roussef (PT), envolvendo o partido governista e o PMDB, segmentos petistas continuam articulando para que o deputado federal Reinaldo Azambuja (PSDB) seja o candidato a senador na chapa de Delcídio. O deputado federal Vander Loubet (PT), por exemplo, avaliou no decorrer desta semana, que o PT de Mato Grosso do Sul deve sofrer pressão muito grande da Executiva Nacional para fechar uma aliança com o PMDB no Estado. Contudo, o parlamentar faz questão de salientar que, por mais pressão que possa haver, o compromisso com o deputado federal Reinaldo Azambuja (PSDB) precisa ser respeitado.

Em outras palavras, Vander Loubet deixar bem claro que as conversações entre tucanos e petistas estão mais avançadas do que parecem, ou seja, já haveria um acordo de bastidores para que Delcídio saia candidato ao Governo e Reinaldo complete a chapa majoritária como candidato a senador da República. Oficialmente, Mato Grosso do Sul conta com dois pré-candidatos lançados à sucessão do governador André Puccinelli (PMDB). A candidatura sólida, contudo, é apenas a de Delcídio do Amaral, já que o pré-candidato peemedebista ainda encontra restrições em segmentos partidários que preferem o nome da atual vice-governadora Simone Tebet. O próprio governador, com seu jeito peculiar de falar o que sente, sem meios termos, acaba embolando ainda mais o meio de campo do PMDB. Vira e mexe, parece que o governador se esquece que Nelsinho já foi oficializado pré-candidato do partido

Crédito – Arquivo

Pressões do Planalto não devem interferir em acordo com Reinaldo, prevê Vander Loubet

Vander prevê dificuldades para selar acordo entre PT e PSDB, sonho da cúpula petista no Estado

e acaba colocando a vice-governadora, por quem nutre grande respeito e admiração, como opção á sua sucessão. Quanto o nome do deputado federal Reinaldo Azambuja, salienta-se que

ele tornou peça fundamental na montagem do tabuleiro político de 2014 a partir do momento em que deu um grande susto nos governistas ao “raspar no travessão” na eleição para a Prefeitura de

Campo Grande quando por míseros nove mil votos não tomou o lugar do também deputado federal (hoje licenciado para ser secretário de estado de Obras) Edson Giroto (PMDB) para a eleição em

EMBIRRADO

EXECUTIVO VS. LEGISLATIVO

Cidade Morena não merece isso, diz Delcídio sobre briga entre Bernal e Câmara

FOTOS Arquivo

Vereador adia mais uma vez pedido de comissão para cassação, porque não quer “perder voto”

Paulo Siufi, acusado de ser funcionário fantasma da Secretaria de Saúde, está com Bernal engasgado na “goela”

Durante a reunião da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Calote, em que foi lido o relatório produzido por seus integrantes, o vereador que a presidiu, Paulo Siufi (PMDB) foi enfático em afirmar que, se ninguém pedisse a cassação de Alcides Bernal (PP), prefeito de Campo Grande, ele mesmo o faria. A leitura foi concluída, o relatório apontando diversas supostas irregularidades na administração municipal foi votado e aprovado, porém, já passadas quase duas semanas do evento, o vereador peemedebista não se manifestou positivamente sobre o caso, ou seja, não entrou com o tal pedido de cassação, o que acabou gerando muito disse-que-disse nos meios políticos e até mesmo em setores da imprensa que cobrem o dia-a-dia da crise entre Executivo e Legislativo na Cidade Morena. Diante da boataria, na última quinta-feira, o vereador Siufi se dirigiu à imprensa durante sessão na Câmara e anunciou que estava adiando mais uma vez o pedido de criação de uma Comissão Processante para cassar o mandato do prefeito Alcides al (PP). A justificativa é a de que ao pedir para que se instaure a comissão, ele perde o direito

de votar e aí seria a sua suplente – Magali Picarelli (PMDB) - quem faria a escolha pela cassação ou manutenção do mandato de Bernal. “Eu tenho o pleno dever de pedir, mas alguns vereadores pediram para eu aguardar para não perder o direito do voto. Apesar de que eu confie que a Magali iria votar do mesmo jeito”, afirmou. Porém, por ter presidido a CPI do Calote, que apontou irregularidades na administração do prefeito, Siufi ressalta que quer votar. “O que eu tenho a certeza é que a Casa tem que se pronunciar e não só enviar as irregularidades aos órgãos competentes”, destacou. O vereador chegou a revelar que iria aguardar somente mais aquele dia e que na sexta-feira (27) apresentaria, caso ninguém da sociedade o fizesse, o pedido de cassação do mandato do prefeito. “Eu não renunciei a essa decisão que está no meu coração, mas estou triste. Estou com o pedido pronto”, concluiu. Para o vereador Airton Saraiva (DEM), o mais importante é que o pedido parta de alguém da sociedade. “Já tem muitos procurando a Câmara para fazer este pedido e com isso o vereador vai ter mais tranquilidade para fazer a análise. Eu acredito que de hoje para amanhã {de quinta-feira para sexta-feira} as

Na defensiva, Bernal denunciou Siufi, perdeu um adversário político e ganhou um inimigo de peso na Câmara

pessoas vão fazer {o pedido de cassação}, porque tem muitos insatisfeitos”, disse. Já o presidente da Câmara, vereador Mário Cesar (PMDB), disse que duas pessoas foram procurá-lo, mas que ele não pode dar orientações e nem ter alguma participação na discussão pela criação da Comissão Processante. “Qualquer pessoa que estiver quite com as obrigações eleitorais pode protocolar o pedido no Protocolo Central da Casa. Nem precisa me procurar”, ressaltou. Para o presidente, o pedido também deve partir da sociedade. “O que precisa é da mobilização das pessoas, tem que ver se é a vontade do povo e então eles têm que fazer a parte deles”, concluiu. BIRRA – A mágoa de Paulo Siufi em relação ao prefeito Alcides Bernal extrapola as questões relativas a supostos erros cometidos ao longo dos primeiros nove meses da atual administração municipal. Siufi, que chegou a ensaiar a entrada num bloco que ganhou a denominação de “G6”, para apoiar Bernal, ficou com o prefeito entalado na garganta a partir do momento em que o chefe do Executivo Municipal teria “vazado” a informação de que ele era um verdadeiro fantasma na administração municipal, ou

seja, ganhava sem trabalhar. No momento em que sentiu que a crise com o Legislativo chegava a um nível insustentável e que estava literalmente no cadafalso, gente ligada diretamente ao gabinete do prefeito “vazou” a informação de que Siufi estava sendo investigado por “ganhar sem trabalhar”. A notícia veiculada na imprensa da Capital mostrou, com dados oficiais, que Siufi, ao longo dos últimos anos, teria recebido salários mensais para trabalhar cinco dias por semana no Posto de Saúde do Distrito de Águão, na zona rural de Campo Grande, mas, só trabalhava um dia por semana. Em outras palavras, o vereador, que é medico, está sob suspeita de trabalhar um dia por semana e receber cinco. Foi essa denúncia que colocou, inicialmente, Siufi na defensiva, mas que, depois, se tornou uma espécie de “tônico fortificante” para que ele partisse com verdadeira ojeriza para cima do prefeito. Resta esperar para ver se, caso ninguém “da sociedade” se habilite a pedir o mandato de Bernal, o vereador Paulo Siufi cumpre a promessa e, mesmo ficando impedido de votar no processo, entre com a petição de cassação do mandato do chefe do Executivo Municipal.

Crédito Arquivo

Acusado de “ganhar sem trabalhar”, Siufi quer a cabeça de Bernal

Da redação Campo Grande – MS.

segundo turno. Na avaliação do deputado Vander, a questão das alianças está bastante complicada. Em entrevista a um site de Campo Grande, o parlamentar contou que esteve conversando durante a semana com o presidente regional do PDT, João Leite Schimidt sobre essa ‘saia justa’ que o PT deve enfrentar. “Acho que vai ser um fator que o PT vai ser bastante pressionado. Vamos sofrer muita pressão mesmo da nacional, não tenho dúvida, para fechar essa aliança com o PMDB e vamos ter que estar definindo isso. O que eu defendo é que por mais pressão que venhamos a sofrer não podemos perder o compromisso que selamos com Reinaldo nas últimas eleições. Esse tem que ser consolidado e ampliado”, frisou. Já Schimidt tem deixado bem claro em suas entrevistas que se a união entre PT e PMDB sair do campo das aspirações, o partido fica fora de uma possível aliança em 2014.

Delcídio demonstra preferência pela aliança com o PSDB e diz que briga entre Câmara e Bernal precisa ter um fim Da Redação Campo Grande – MS.

O senador Delcídio do Amaral (PT) disse em agenda pública na última quinta-feira (26) que a briga política travada entre os poderes Legislativo e o Executivo em Campo Grande tem que acabar, repetindo o que já havia dito em seu Facebook, que é necessário “um basta”. Segundo o senador, é necessário “achar uma saída definitiva para o imbróglio”. “Campo Grande não merece essa encrenca toda. A população é rigorosa, não aceita confusão. É todo dia um problema, esse enfrentamento entre a Câmara e o prefeito [Alcides Bernal]”, explicou. Delcídio ainda disse que não vê com bons olhos e que, apesar disso, é apenas uma voz dentro do PT. “Mas temos uma briga que não leva a nada. Tem que dar um basta nisso, temos muitos desafios pela frente e a população é quem sai prejudicada”, definiu. Quanto ao apoio ao Bernal, Delcídio disse que ainda não chegou a conversar com o prefeito sobre as eleições de 2014, mas entende que Campo Grande é um colégio eleitoral importantíssimo e que irá “trabalhar forte pela capital”, concluiu. As declarações foram feitas durante encontro do senador com o PDT. ENCONTRO Por outro lado, o senador

Delcídio comentou, na mesma data quando manteve encontro com dirigentes do PDT, as possíveis alianças com o PMDB e o PSDB. “O PT busca alianças amplas. Temos grandes espaços, só não ocupa que não quer”, afirmou o senador sobre os aliados para campanha ao governo de Mato Grosso do Sul no ano quem vem. Delcídio considerou positiva a proposta apresentada pelo PDT. “Eu vim aqui conversar com o João Schmidt sobre os doze pontos que o PDT apresentou. Os achei muito pertinentes”, afirmou. Sobre possível aliança com Nelsinho Trad (PMDB), o senador não descartou a possibilidade. “Eu tenho uma boa relação com Nelsinho, independente dos nossos projetos. Ele é um homem de bem e eu acho que tem muito a ser conversado. Vamos esperar ano que vem para fechar as alianças”, desconversou. Já com relação a uma possível aliança com o PSDB, Delcídio se mostrou mias propício. “Reinaldo Azambuja é um grande companheiro e tem muito para nos acompanhar. Temos tudo para fazer uma grande aliança democrática e transparente”, afirmou deixando bem clara a preferência, hoje, do PT pelo PSDB quando comparada à tendência de aliança com o também tradicional adversário que é o PMDB do governador André Puccinelli.


8 Política

Distrito Federal - Mato Grosso - Mato Grosso do Sul ANO XIII nº 578 29/09 a 05/10 de 2013

www.copopular.com.br

HOSPITAL REGIONAL

O Hospital Regional de Mato Grosso do Sul inaugurou na sexta-feira (27) o novo Pronto Atendimento Médico (PAM). Com a capacidade ampliada para 89 leitos, a expectativa é de que o HRMS amplie a sua qualidade e capacidade para atendimento da população. A solenidade contou com a participação do governador André Puccinelli, do secretário de Estado de Saúde, Antônio Lastória, do diretor do HRMS, Rodrigo Aquino com a diretoria técnica e servidores do Hospital. Para o governador André Puccinelli, a abertura do novo PAM representa a conclusão de uma etapa que tem como prioridade a qualidade do atendimento da população de Mato Grosso do Sul. “Concluímos esta etapa de abertura do novo PAM priorizando a ampliação de leitos para que não tenhamos mais pacientes aguardando nos corredores. Este trabalho não teria acontecido sem o empenho de todos os técnicos, médicos e servidores do Hospital Regional. Desta forma, continuamos

FOTOS Rachid Waqued

Novo PAM é inaugurado visando ampliar atendimentos à população de MS

os trabalhos em plena carga e nos colocamos à disposição toda vez que a demanda de atendimento for grande nas demais instituições”, destacou o governador. O novo PAM do HRMS contará com 77 leitos de urgência e emergência (58 adultos e 19 crianças) e mais 12 destinados à ala psiquiátrica

(desintoxicação). A nova unidade também contará com 160 profissionais, sendo 60 médicos, nove cirurgiões dentistas, 72 enfermeiros e mais 15 administrativos. “A convocação de profissionais para o novo PAM foi uma das prioridades iniciais e chegamos a um número satisfatório para tender a demanda

que receberemos na nova unidade. Temos profissionais qualificados que já foram convocados através da realização dos últimos concursos de servidores para o setor da saúde”, disse o diretor e coordenador do PAM, Fernando Goldoni. De acordo com o diretor-presidente do Hospital Regional de Mato Grosso do

Sul, Rodrigo Aquino, o HRMS dá continuidade aos seus atendimentos dentro de suas especialidades e referência ampliando a qualidade e capacidade de seus atendimentos. “As novas instalações do PAM visam ao melhor atendimento da população, dando continuidade à mesmas referencias do Hospital que atualmente são a média e alta complexidade. Com isso, concluímos uma fase para que a população dos municípios do Estado esteja mais amparada ao solicitar os serviços de saúde do Hospital Regional”, disse o diretor. A previsão para início de atendimento está prevista para domingo (29), após a transferências dos pacientes para as novas instalações. “Iniciaremos as transferências neste fim de semana e por ser um processo delicado temos a estimativa de que até o domingo, pela manhã, já estaremos em pleno atendimento”, ressaltou Rodrigo. A obra de reforma do PAM está orçada em aproximadamente em R$ 4,7 milhões e integra parte do Plano

Diretor de Obras do Hospital Regional 2008-2012, que envolve recursos próprios do Estado, um investimento de R$ 20 milhões em infraestrutura e outros R$ 10 milhões em equipamentos que gradativamente estão fazendo da instituição referência em média e alta complexidade. Atualmente passam pelo PAM do HRMS diariamente entre 85 e 100 pessoas. As novas vagas vão atender essa demanda, melhorando a qualidade no atendimento, as condições de trabalho e garantindo um resultado mais eficiente na cura das enfermidades. No espaço de 2.417,33 metros quadrados instalados no andar térreo do Hospital funcionará ainda o setor da Psiquiatria, transferido do quinto andar. Já o atendimento de emergência foi dividido em setores Adulto e Infantil, ambos dotados de consultórios médicos, salas para medicamentos, de emergência, observação e utilidades, leitos de isolamento, postos de enfermagem e sanitários para pacientes e funcionários.

ENCURTANDO DISTÂNCIA

Foto: Assessoria de Imprensa da Famasul

Famasul avalia escoamento pelo porto de Iquique, no Chile

Camionete menor

Com os sucessivos recordes na produção agrícola, os produtores rurais sul-mato-grossenses en-

frentam superlotações nos armazéns e estrutura logística insuficiente em relação à demanda de escoamento

de grãos. Na busca de alternativas para mudar esse cenário, a Federação da Agricultura e Pecuária de MS (Sistema Famasul), participa do projeto Rota da Integração Latino Americana, expedição que vai de Campo Grande ao Chile, com partida ocorrida na última sexta-feira (27). Serão percorridos 2.720 quilômetros, entre Campo Grande e o porto da cidade de Iquique, no Chile, na finalidade de avaliar e apresentar mais uma alternativa de rota para o escoamento da produção agrícola de Mato Grosso do Sul, que tem a China como principal importador da

soja. Entre janeiro e agosto deste ano só os chineses importaram 1,7 milhão de toneladas da soja de MS. O montante representa 85% do escoamento deste período e resultou receita de US$ 936,7 milhões. Atualmente, além da China, entre os principais importadores de grãos do Estado estão o Japão, Taiwan, Marrocos, Coreia do Sul e outros. A principal porta de saída da oleaginosa de MS com destino à exportação tem sido o Porto de Paranaguá (PR), que neste ano despachou 37,7% do volume exportado, seguido do porto de São Francisco do Sul (SC) com 33% do total

e Santos (SP) com 30,3%. “Há uma distribuição relativamente equilibrada entre os portos aptos para o escoamento da agricultura do Estado, mas a atual estrutura destes não suporta a demanda nacional e, com a crescente produção, é necessária uma alternativa extra”, afirma Ruy Fachini, Diretor Secretário da Famasul, referindo-se ao porto de Iquique. Organizada pelo Sindicato das Empresas de Transporte de Carga e Logística de Mato Grosso do Sul (Setlog-MS), a expedição é formada por 30 caminhonetes com cerca de cem pessoas, com para-

das estratégicas em Santa Cruz de La Sierra e La Paz (Bolívia), Arica e Iquique (Chile). Em Santa Cruz de La Sierra os participantes visitam a Expocruz, feira voltada para empresas com interesse em exportação e considerada o maior evento multissetorial da América Latina. A previsão de chegada a Iquique é para o dia 2 de outubro. Além da Famasul, da Confederação Nacional da Agricultura e Pecuária (CNA) e da Associação dos Produtores de Soja de MS (Aprosoja/MS), outras 17 empresas estão envolvidas na Rota da Integração Latino Americana.

RURAL

Foto: Divulgação

Prazo para entrega da declaração do ITR termina nesta segunda-feira soa física ou jurídica, que possui imóvel rural. De acordo com Receita Federal, a declaração é com-

Produtores recebem orientações sobre como proceder para declarar ITR até segunda

Termina nesta segunda-feira (30) o prazo para entrega da declaração do Imposto Territorial Rural (ITR). Para fazer a declaração o interessado deve acessar o site da Receita Federal e utilizar o Programa Gerador e logo em seguida o Programa Receita Net ,no link: http:// www.receita.fazenda.gov.br.

De acordo com o assessor jurídico da Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso do Sul (Sistema Famasul), Carlo Daniel Coldibelli, os produtores rurais ainda têm dúvidas sobre o valor da terra nua, após o convênio do município com a Receita Federal, para avaliação e fiscaliza-

ção dessas áreas. “O VTN é declarado pelo próprio contribuinte e é por isso que aconselhamos ao produtor para que realize a declaração da terra nua baseado em documentos que confirmem as informações prestadas”, esclarece Coldibelli. O ITR é anual e é pago por todo contribuinte, pes-

posta pelo Documento de Informação e Atualização Cadastral (DIAC), onde os dados do imóvel e dos

proprietários são atualizados junto à Receita e pelo Documento de Informação e Apuração do ITR (DIAT).

CENTRO OESTE POPULAR 578  

O semanário que MOSTRA A REALIDADE DOS FATOS. Linha editorial independente.. Está edição 24 páginas...