Issuu on Google+

Comparativo: Kawasaki Ninja 300 x Honda CBR 250R quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

Lançamento da Kawasaki chega para tentar superar a líder Honda. Ninjinha mostra esportividade e CBR tem proposta mais versátil.

Ter uma moto esportiva ainda pode ser um sonho distante para muitas pessoas, com modelos de alta cilindrada top de linha custando acima de R$ 50 mil. No entanto, a chegada das chamadas pequenas esportivas tornou o segmento mais acessível. Uma das pioneiras deste nicho no Brasil, a Kawasaki Ninja 250R acaba de evoluir para Ninja 300, apresentada em meados de novembro e que chega às lojas neste mês, a partir de R$ 17.990. O G1 comparou o modelo com sua principal rival, a Honda CBR 250R, que custa R$ 16.490 na versão standard.


A

Honda também

1000 RR. Mas, a partir

junho de 2013, por R$

foi lançada no

daí, os projetos são bem

13.990 – antes o valor

país este ano,

diferentes.

a

cobrado era de R$ 15.550,

em maio, e já lidera as

Honda busca versatilidade,

mas as aptidões esportivas

vendas

deste

a Ninjinha, modo como a

ficaram

Ambas possuem o mesmo

moto

é

latentes na 300. Além de

estilo,

seguem

habitualmente chamada no

visual totalmente novo, ela

caminhos opostos. Ninja e

Brasil, possui pegada mais

traz motor mais potente e

CBR 250R partem do

“racing”.

adventos técnicos, como

conceito de contar com

Esta já era uma das

embreagem

visual esportivo, similar ao

principais

características

deslizante, que evita que a

das grandes “sport” das

da

versão anterior da

roda traseira derrape em

respectivas marcas, como

Ninja, que a Kawasaki

reduções

Ninja

manterá em vendas até

bruscas.

porém,

ZX-10R

nicho.

e CBR

da

Enquanto

Kawasaki

ainda

mais

assistida

de

e

marchas

Kawasaki lança Ninja 300; veja o que mudou

T

anto a Ninja quanto a rival possuem freios ABS como opcional, sendo que, na primeira, o item eleva o preço para R$ 19.990, enquanto a moto da Honda com este dispositivo sai por R$ 18.990. Segundo a Federação Nacional dos Distribuidores de Veículos

Automotores (Fenabrave), a CBR 250R vende cerca de 600 unidades/mês, enquanto a Ninja 250R, antiga best-seller deste nicho no Brasil, emplaca uma média de 250 unidades por mês em 2012. Ainda correm por fora nesta disputa a Kasinski Comet GT 250R (R$ 14.990) e a Dafra Roadwin 250 (R$ 11.490), que não trazem ABS nem como opcional e apresentam vendas mais


tímidas. Enquanto a Kasinski é a que está há mais tempo no mercado brasileiro, com média de 200 unidades/mês, a Roadwin, produzida pela sul-coreana Daelin, também chegou ao Brasil em 2012,

e

ainda

não

aparece

no

ranking

da

Fenabrave.


noticia 11