Panamby Magazine Abril 2016

Page 5

o

Morumbi desperta paixões. O Panamby, irmão caçula do Morumbi, segue pelo mesmo caminho. Quem escolhe o Panamby para viver, inva-

riavelmente vem em busca de um bairro verde, e com um parque como vizinho. Com Renata Spallicci, a situação foi exatamente esta: nascida e criada no Portal do Morumbi, Renata tem um grande apego pelo Morumbi – e daqui nunca saiu. “Tenho uma ligação muito forte com o Morumbi. Meus pais e minha avó moram na região. E para mim é muito importante ter a família por perto. Estou muito estruturada aqui. Conheço tudo, cada ruazinha. Aqui consigo resolver tudo. Sei onde estão as coisas, o que acaba sendo prático para mim.” Burle Marx. A escolha do novo endereço não foi por acaso – a proximidade com o parque facilita a prática esportiva, e ela está acostumada aos esportes desde a infância no Portal do Morumbi. O exemplo também veio de casa: seu pai é um assíduo frequentador do Burle Marx. “Além disso, aqui tenho a sensação de liberdade!

Isabelle Allet-Coche

Há dois anos, Renata mudou-se para bem perto do

cuidada, o que é estimulante para a corrida.

Apesar de estar bem no meio da cidade grande, na sel-

Mas, Renata está longe de ser uma corredora eventu-

va de pedra, a proximidade com o parque me faz sentir

al, daquelas que praticam esportes quando tem alguma

conectada à natureza.” Ela gosta do ambiente aconche-

folga. Há quatro anos ela abraçou definitivamente um

gante e acolhedor, além da natureza exuberante e bem

estilo saudável de vida, o que exige dela muita disciplina,

Operação Urbana Água Espraiada de sobre o parque mas

ciços verdes da região, está em servir como caminho

colocou os terrenos como zonas mistas, o que permite

para espécies de aves e insetos que estão em trânsito

até a construção de shoppings, por exemplo”, afirma Ro-

pela cidade. “Uma área verde como esta do Panamby

berto Delmanto Junior, coordenador do SOS Panamby,

e outras que existem no Morumbi é como um pit stop

movimento que já reuniu mais de 25 mil assinaturas em

para espécies que estão fazendo sua travessia. Temos

defesa do Parque Burle Marx e do verde do seu entorno.

várias reservas no entorno da cidade, como Cantarei-

Para o biólogo Gustavo Accacio, morador do Panam-

ra, Serra do Japi e Jaraguá, mas as espécies não ficam

by, ameaçar o verde do entorno do parque é danoso para

restritas a esses pontos. Por isso as manchas verdes

toda a cidade, não apenas para os frequentadores do

como a do Burle Marx têm tanta importância. E quan-

Burle Marx. “Quando falamos em contemplação da na-

to menor elas forem, menos capazes serão de cumprir

tureza, até quem passa de carro pela Marginal desfruta

seu papel para a natureza”, esclarece.

desse imenso maciço verde. Um menor adensamento e

Outro aspecto importante do Burle Marx, segundo

uma grande área verde causam uma enorme sensação

o biólogo, é o fato de suas nascentes estarem dentro

de bem estar”, diz Accacio, que frequentemente está no

da mata, no próprio parque e na área vizinha perten-

parque para estudar e fotografar borboletas, sua área no

cente à Camargo Correa. “São nascentes protegidas,

Mestrado e no Doutorado em Ciências Biológicas (Zoolo-

por isso a água dos lagos do parque é relativamente

gia) pela USP.

limpa, mesmo estando às margens do Rio Pinheiros.

Ele explica que a qualidade do ambiente do Burle Marx,

Temos um brejo de água limpa na várzea do Pinhei-

formado por mata nativa, concentra muitas espécies de

ros, entre o estacionamento do parque e a Marginal,

animais que não se encontram em outras áreas verdes da

que precisa ser protegido porque não existe mais na

cidade. Sua função, continua, assim como a de outros ma-

cidade”, conclui.

5