Page 1

Rio de Janeiro | Aracaju | abril - 2013 | 2ª edição


SUMÁRIO

Amenities fidelização e visibilidade

2

O luxo pop da beleza

4

Brasil: líder em perfume e desodorante

6

Europa proíbe venda de cosméticos testados em animais

7

Ada Tina lança loção para áreas com celulite

8

O que é rebranding?

10

Curtas

12

1


Foi-se o tempo em que disponibilizar sabonetes e xampus simples, em embalagens pouco atrativas, nos quartos de estabelecimentos de hospedagem, era suficiente para satisfazer os hóspedes. Hoje, os cosméticos colocados nos quartos já são vistos como itens obrigatórios e ganharam uma ampla variedade de formatos. Eles são considerados como produtos de valor agregado para mimar, fidelizar e ainda dar maior visibilidade para o mercado de cosméticos. A marca e a imagem de um negócio são vitais para o seu sucesso. No entanto, mais importante do que ser uma marca lembrada, é ser percebida como relevante para o consumidor. Por isso, as empresas de cosméticos estão investindo em estratégias para fortalecer a marca e fidelizar consumidores. Em meio à grande concorrência que existe é preciso que as empresas busquem diferenciais, utilizando de forma inteligente e funcional suas logomarcas. O mercado de amenities, nome dado para os cosméticos disponibilizados aos hóspedes nos banheiros dos hotéis, tornou-se um grande atrativo para as empresas que desejam visibilidade e fidelização de suas marcas. “Quanto melhor a qualidade e a apresentação dos amenities, mais o hóspede passa a considerar 2

esse item como um fator de fidelização para a hospedagem, pois ele leva o produto para casa e continua utilizando. O produto na casa do cliente, é a marca do hotel na cabeça da cliente. Com certeza é um importante branding para marcas que querem ser bem lembradas”, comenta Marcelo Vital, diretor das feiras Equipotel SP e Equipotel Nordeste.

Marcelo Vital, diretor das feiras Equipotel.


Linha Ekos da Natura.

APROVEITANDO AS OPORTUNIDADES

Segundo informações Associação Brasileira da Indústria de Hoteis (ABIH), o País possui mais de 25 mil meios de hospedagem, incluindo hotéis 5 estrelas, hotéis históricos, hotéis-fazenda e resorts, entre outros. Diante de um potencial de mercado tão grande, com o consumidor ávido por uma hotelaria de qualidade, os amenities entram como um serviço a mais que o hotel pode disponibilizar aos seus hóspedes além de wi-fi, fitness center, spa e piscina. Trata-se de uma experiência sensorial positiva que contribui na fixação e divulgação da marca hoteleira. “É um mercado crescente, pois cada vez mais se percebe a necessidade de boas marcas aliadas ao bom serviço de um hotel. É um mercado bem competitivo e, por isso, é necessário oferecer bom produto e inovação”, comenta Cristian Bernardi, diretor de marketing e vendas da rede Tivoli Hotels & Resorts, que possui 12 unidades em Portugal e duas no Brasil. Para Bernardi, o turista brasileiro que consome luxo exige a mesma quali-

dade encontrada em hotéis e resorts de todo o mundo. Desta maneira, o mercado interno passou a dar ainda mais importância aos serviços e produtos ofertados aos turistas do luxo. “Queremos proporcionar aos nossos clientes e hóspedes a melhor estada e a melhor experiência em nossos hotéis, desde o atendimento até os amenities oferecidos em cada suíte. Isso traz conforto e fideliza o cliente, pois todo o contato com o hotel é pleno e agradável”, complementa. A rede Tivoli disponibiliza para seus hóspedes xampu, condicionador, loção hidratante, sabonete, banho de espuma e touca de banho, entre outros amenities personalizados, desenvolvidos unicamente para a marca, tendo um perfume exclusivo. “Dar sua assinatura a cada produto, escolher ingredientes que tenham a mesma personalidade do hotel. Não adianta apenas colocar amenities que não compartilhem a identidade do hotel - não só o visual, mas que tenha sintonia com os serviços oferecidos”, acredita Bernardi. Fonte: Revista Household Cosméticos 3


Melhora de renda, crédito fácil e ampliação dos canais de venda favorecem a penetração dos cosméticos premium, em um movimento já chamado de “mastígio”, termo criado para unir os conceitos de massa e prestígio.

M

undialmente, as vendas de cosméticos premium vão crescer 14,6% entre 2011 e 2016, um pouco menos que os 1,5,7% previstos para os produtos de massa, segundo estudo do Euromonitor. A América Latina acompanha a tendência: 29,5% para produtos e massa e 27,7% para os premium. Já na América do Norte, o quadro se inverte, com o mercado premium crescendo 14,3% contra 6,6% dos produtos de massa.

Coleção Skin Caviar, da La Prairie, símbolo de luxo, glamour e sofisticação.

maior do que o segmento de massa no Brasil. O segmento vai ganhar importância, mas não chegará à mesma participação como em outros países em um futuro próximo”.

Segundo o Euromonitor, as principais marcas de produtos premium na América Latina são La Roche-Posay e Lancôme (ambas da L’Oréal), Carolina Herrera (Puig), Calvin Klein (Coty) e Christian Dior (LVMH).

AFINAL, O QUE É UM PRODUTO PREMIUM?

Jochen Mielke, diretor executivo da bareMinerals, aponta que o mercado premium no Brasil só representa em torno de 2% do mercado total de higiene e beleza. Em países mais industrializados, o segmento premium atinge cerca de 10% a 15%. “O mercado premium cresce a dois dígitos nos últimos anos e mostra uma dinâmica

A diferença entre produtos de massa e premium geralmente se concentra em preço, qualidade, embalagens, posicionamento e distribuição. “De forma geral, os cosméticos premium trabalham com a última tecnologia e com os últimos ingredientes. Suas embalagens são mais sofisticadas do que as de cosméticos de massa. Além disso, sua dis-

4


A atriz Emma Watson estrelou a campanha da coleção primavera-verão 2013, In Love, da marca de cosméticos Lancôme.

tribuição é seletiva, quer dizer, restrita a uma quantidade pequena de pontos de venda”, explica Mielke. Mielke reforça que os consumidores padrão de produtos premium pertencem às classes sociais AB. Eles procuram mais sofisticação e uma performance de produto superior à de produtos massivos, além de mais variedade em marcas e produtos. “A consumidora de marcas premium frequentemente

quer se oferecer ‘o pequeno luxo’, ‘o mimo do dia’, que além da performance superior do produto contribua para o aumento de autoestima e bem estar. Frequentemente, as consumidoras de cosméticos estão procurando a última tendência em tecnologia, ingredientes, design ou moda”. Fonte: Household & Cosméticos

5


A depender dos dados de consumo, o brasileiro é o povo mais perfumado do mundo. Informações da Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos (Abihpec) confirmaram a manutenção do Brasil como líder mundial no consumo de fragrâncias e desodorantes em 2012, ano em que as vendas líquidas ex-factory (volume saído de fábrica, sem adição de impostos) do setor como um todo cresceram 15,62% e atingiram R$ 34 bilhões. Em preço ao consumidor, a indústria manteve a marca de US$ 42 bilhões (R$ 84 bilhões), alta de 0,3% sobre 2011. A categoria fragrância faturou R$ 5,4 bilhões (15,9% do total) e a de desodorantes, R$ 3,3 bilhões (9,7% do total). O crescimento médio de fragrâncias nos últimos cinco anos foi de 14,2% e o de desodorantes, de 15,3%. 6

Mas o País também é destaque em outras categorias, nas quais ocupa a vice -liderança mundial no consumo. São elas: Banho (R$ 3,4 bilhões, com crescimento médio de 15,7% nos últimos cinco anos); Cabelos (a maior no mercado interno, com faturamento de R$ 7,7 bilhões e crescimento de 7,7%); Infantis (R$ 1,3 bilhão, crescimento de 17,9%); Masculinos (R$ 4,1 bilhões e crescimento de 16,2%); e Proteção Solar (R$ 1,1 bilhão e crescimento de 11,2%). No cômputo geral, o Brasil segue como terceiro maior player global, com 9,6% de share, atrás somente dos EUA, que tem 15,9% e do Japão, com 10,9%. A perspectiva é de que por aqui o setor repita até 2017 o crescimento de dois dígitos que vem registrando já há 17 anos, alavancado por fatores como o aumento da expectativa de vida, da renda da classe C e a modernização de fábricas e ganhos de produtividade. Também pelo lado da indústria, o esforço em inovação tem sido primordial para competir nesse mercado. As companhias do setor investiram ano passado R$ 13,6 bilhões em ativos, pesquisa & desenvolvimento e fortalecimento das marcas. O valor é 18% maior que o realizado em 2011. Fonte: meioemensagem.com.br


Desde 11/03 não é mais permitida a comercialização na União Europeia de cosméticos que tenham sido testados em animais. A regra se aplica não apenas aos produtos fabricados no continente, mas também aos importados, e marca a última etapa da proibição gradual dos testes de ingredientes cosméticos em animais. As restrições foram aprovadas pelo Parlamento Europeu em 2003 e começaram a entrar em efeito no ano seguinte, com a proibição de testes de cosméticos prontos em cobaias. Desde 2009 a comercialização de produtos assim testados está proibida, mas ainda era possível importá-los de outras partes do mundo. Agora a interdição vale também para cosméticos vindos de países não-europeus. A Associação Alemã de Proteção aos Animais comemorou a medida. “A indústria teve tempo suficiente para buscar métodos alternativos de testar seus produtos, antes de comercializá-los”, afirmou a vice-presidente da associação, Brigitte Rusche. Assim sendo, “era apenas lógico que a comercialização desses produtos chegasse ao fim”. Sua organização vem lutando desde os anos 70 para erradicar os testes em animais da produção de cosméticos.

Exemplo europeu para o mundo

O diretor do grupo europeu de defesa dos animais Eurogroup for Animals, Reineke Hameleers, descreveu a proibição como “um sucesso”. Ele considera, no entanto, que o trabalho não está ainda terminado, e conclama outros países como os Estados Unidos e a China a seguirem o exemplo da UE. Além disso, a Comissão Européia e a indústria devem continuar a investir na busca por alternativas aos testes de animais, ressalta Hameleers. Fonte: Terra Notícias

7


O lançamento Claffeise Áreas Críticas Ada Tina foi desenvolvido na Itália com Menthomentol, um promotor de permeação cutânea para tratamento das áreas com maior concentração de celulite e gordura localizada. “Ao ser potencializado com Menthomentol, Claffeise Áreas Críticas aumenta a permeação e concentração de Active Caffeine 7% nas áreas mais profundas e difíceis de serem tratadas”, informa Maurício Pupo, diretor técnico da Ada Tina. Em testes com voluntárias com celulite grau 2 e 3, em 28 dias de tratamento, o produto promoveu a redução de 82,1%, 76,9% e 76,5 da celulite do abdômen, quadril e coxa, respectivamente e redução da gordura localizada de 56,4%, 56,4% e 64,1%. fonte: revistahec.com.br

8


R

ebranding pode significar um novo nome, uma nova filosofia operacional ou de relacionamento com o mercado. Uma nova logomarca, um design diferenciado ou a combinação de todos esses elementos no sentido de estabelecer uma nova estratégia corporativa e ainda criar diferenciais que se traduzam em um novo posicionamento da empresa frente aos clientes, fornecedores, funcionários, mídia e concorrentes. MUDANDO CONSCIENTEMENTE Longe de ser uma simples plástica na identificação visual, o Rebranding deve ser parte da estratégia global da marca. Essa, por sua vez é importante para revitalizar, recuperar ou recriar valores. Projetos bem sucedidos de Rebranding trazem resultados significativos na maneira como a empresa é percebida pelo mercado.

Acima alguns cases de marcas que realizaram rebranding recentemente. 10


CONTRATO FECHADO A Leite de Rosas fechou contrato com a Hardcuore, escritório de criação dos artistas gráficos Breno Pineschi e Rafael Cazes, que possuem em sua linguagem um diálogo vibrante, colorido e bem humorado entre o “handmade” e o design para diversas midias. A dupla juntamente com um time multidisciplinar de designers, animadores, produtores, fotógrafos e artistas já criou para marcas como Coca-Cola, Unilever, Nike, FARM, Kellogs, Afroreggae, Koni Store, MTV, GNT, Lacoste, Procter and Gamble, entre outros. A Hardcuore estará responsável pela criação da nova identidade da Leite de Rosas, atividade que integra nosso planejamento. Novidades estão a caminho.

Acima a logo da Harcuore e ao lado alguns dos trabalhos realizados pelo escritório.

11


Piauí cria primeiro perfume de caju do mundo Depois de várias pesquisas, a pósgraduanda em animação gráfica, a piauiense Deusa Oliveira, em parceria com um laboratório de São Paulo, patenteou a Cajuína Grammar, uma fragrância desenvolvida a partir do caju. O Sebrae-PI irá acompanhar a futura empresária que deverá produzir o primeiro perfume do mundo com essência de caju.

Xampu seco Batiste Shampoo Seco, que será lançado na Hair Brasil, estará disponível em embalagens de tamanhos variados e também em diferentes fragrâncias, além de uma versão com toque de cor. 12

Roupa Natura Os acionistas da Natura aprovaram em assembleia mudanças no estatuto social para iniciar a venda de artigos de vestuário, cama, mesa e banho, aparelhos elétricos de uso pessoal, alimentos, softwares, livros, medicamentos (fitoterápicos e homeopáticos), entre outros produtos.


Paginas Rosas#2  

Edição de abril da newsletter Páginas Rosas, da Leite de Rosas

Advertisement