Issuu on Google+

Rio de Janeiro | Aracaju | março - 2013 | 1ª edição

O antigo de cara nova


SUMÁRIO

Realgem’s cria joint venture com a italiana La Bottega

2

Jequiti vira parceira da Coty no Brasil

3

O antigo de cara nova

4

Pós-graduação em perfume

6

Risqué cria coleta de embalagens pós-consumo

7

Revlon lança site brasileiro

8

Tesouros na firma

10

Com MAC, Estée Lauder avança nos emergentes

12

Profarma no varejo

13

1


A La Bottega Brasil é a mais nova empresa do mercado nacional de amenidades para o segmento hoteleiro. Criada através de uma joint venture com a paranaense Realgem’s Amenities e a italiana La Bottega Dell’Albergo, a empresa nasce com objetivo de atender os empreendimentos hoteleiros de todo o País que buscam cosméticos de alto luxo para surpreender seus hóspedes. Segundo Mauro Carvalho, Diretor comercial da Realgem’s, este é mais um grande marco na história da empresa, que tem 25 anos de atuação no mercado. “A partir de agora, com a criação da La Bottega Brasil, temos novas opções

2

para oferecer aos clientes que buscam amenities inovadores e exclusivos, já consagrados no mercado internacional”, comenta. O primeiro cliente da nova empresa é a rede de hotéis Fasano, que tem unidades em São Paulo, Rio de Janeiro, Boa Vista e Punta Del Leste, no Uruguai. Para eles, a empresa desenvolveu um projeto ousado e inovador, que muito em breve estará disponível em todos os apartamentos da Rede.

Fonte: Revista Hotéis


A Jequiti estabeleceu parceria com a Coty para envasar e comercializar as fragrâncias da companhia francesa. A estratégia, de acordo com Lásaro do Carmo Jr., executivo-chefe da Jequiti, é democratizar o luxo e se estende a outras parcerias internacionais: “Vamos trazer marcas importadas

importantes a preços acessíveis”. O produto envasado no Brasil chega a custar metade do importando. Com royalties em torno de 6%, já foram fechados contratos para a venda de perfumes das cantoras Beyoncé, Jennifer Lopez, Britney Spears, Christina Aguilera e Madonna. Fonte: Valor


O retrô voltou com tudo. É uma maneira divertida que revive o que era moda no passado, como um produto farmacêutico ou um brinquedo, e o traz com ares renovados, porém sem perder suas características incomparáveis.

M

uitos rótulos e logotipos de marcas famosas parecem estar a vida toda ao nosso lado. Basta olhar nas prateleiras de drogarias ou lojas de departamentos. A impressão que se tem é que sempre estiveram ali, desde os tempos da vovó. Na verdade, é isso mesmo. Algumas retornaram nos anos 2000 com novas embalagens, novas cores, porém a fórmula continua a mesma. Essa divertida brincadeira de reviver o passado por meio dos objetos de decoração ou pelo retorno em novas embalagens de brinquedos e cosméticos, por exemplo, faz muito sucesso nesta época em que celebramos o que foi parte da nossa infância e nos recorda dos momentos felizes vividos “naquele tempo”. clássicos e modernos Os anos 1940 e 1950 continuam em alta. Basta dar uma olhadinha nos eletrodomésticos, como o novo refrigerador retrô, também em versão frigobar, que resgata um verdadeiro ícone daquelas décadas. Rádios antigos, telefones que imitam os mode-

4

los com fio (só que sem), toca-discos (sim! Para tocar vinil), torradeiras, cafeteiras de café expresso com design vintage, almofadas com fotos em preto e branco dos famosos do cinema e da música, convivem superbem ao lado de uma mega TV de plasma de 60”.


Até a famosa Vespa – uma scooter com ares antigos –, o Fusca e o Camaro são sucessos de público tanto em tamanho natural, para você se locomover pela cidade, quanto em miniaturas para enfeitar seu lar. PassaPorte Para se emocionar E o que dizer dos brinquedos! A cinquentona Barbie, juntamente com a Susi, continua a encantar as meninas de todas as idades. Da mesma maneira, a Moranguinho, o Pequeno Pônei, o Lego, o Genius, personagens de desenhos da década de 1980 e dos filmes – sucessos de bilheteria – daqueles anos, formam um rol de itens educativos que incentivam o universo lúdico.

azul de creme NIVEA ou um sabonete Phebo, tenho certeza, já se fizeram presentes no seu banheiro. O Leite de Rosas, então, teve como garotaspropaganda ninguém menos que Carmem Miranda e sua irmã, Aurora. Não era o máximo? Seja qual for a sua idade, relembrar é viver de novo um pouquinho daquilo que era tão bom e nos fazia felizes, mas que pode voltar sempre e ainda melhor! Fonte: Revista Ponto Encontro

linhas famosas Nos primórdios da “pharmácia”, em 1870, surgia a Granado, que foi se reinventado ao longo desses anos e ressurgiu recentemente com sua nova linha, Pink, com diversas opções para os cuidados do corpo. Da mesma maneira, podemos encontrar a pomada Minancora, cuja fórmula foi criada em 1912, e continua nas prateleiras de todas as drogarias com sua linha de produtos ampliada. E quem não se lembra da fragrância de Alfazema, com sua sensação de bem-estar e frescor inigualável? A lata 5


Segundo dados da Euromonitor, empresa de pesquisa e análise de mercado e consumo, o Brasil é líder mundial no segmento de fragrâncias. Pensando nisso, a Faculdade Santa Marcelina (Fasm), em São Paulo, lançou um curso de pós-graduação dedicado ao estudo dessa paixão feminina: “A Cultura do Perfume: Essência e Ciência”. Os alunos vão mapear o comportamento do consumidor em relação ao design da embalagem, estudar os métodos de adequação do produto ao mercado, conferir estratégias de marketing e de gestão de projetos especializados em produtos de prestígio, tendo como base a preocupação com a preservação do meio ambiente. Não é bacana? Fonte: mauren.terra.com.br

6


Marca líder de mercado em esmaltes, a Risqué, da Hypermarcas, desenvolveu um sistema para coleta e descarte de embalagens pós-consumo. São coletores em formato dos tradicionais vidros da marca, com capacidade para 750 embalagens cada. “O descarte adequado dos vidrinhos de esmaltes proporcionará benefícios ambientais importantes. O material recolhido será processado e transformado em fonte de energia para a indústria de cimento, reduzindo o impacto ambiental causado pelo uso de aterros sanitários”, explica Patricia Peters, diretora de qualidade, meio ambiente e assuntos regulatórios, A estimativa na fase de implantação é que cerca de 150 kg de embalagens de esmaltes sejam coletadas por mês. Inicialmente, a marca disponibilizará os coletores em algumas unidades da perfumaria Ikesaki. Fonte: Revista Embalagem e Tecnologia

7


A americana Revlon, presente no brasil há mais de 20 anos, estreia seu website em português, para atuar como um canal de comunicação entre os consumidores brasileiros e a marca e promover sua consolidação no país. O site brasileiro segue o layout internacional e tem o objetivo de informar os consumidores sobre as linhas de produtos, os lançamentos, os pontos de venda, além de direcioná-los para as redes sociais, criando uma relação mais próxima à marca. fonte: comesticosbr

8


Depois dos videogames e das salas para relaxamento, é a vez de as obras de arte entrarem em cena para estimular a criatividade e aumentar o desempenho dos funcionários. Nos escritórios contemporâneos são comuns os espaços abertos dotados de estações de trabalho compartilhadas por muitos funcionários e desprovidos de qualquer charme. Decorá-los com obras de arte é uma boa solução para imprimir personalidade ao ambiente e quebrar a monotonia. Um estudo feito na Universidade de Exeter, no sudeste da Inglaterra, mostrou um significativo aumento de produtividade em ambientes onde a mesmice é atenuada com a ajuda de obras de arte. “Os funcionários se consideram valori-

zados ao trabalhar em um ambiente assim”, afirma Mark Catchlove, diretor da fabricante de móveis Herman Miller e especialista em escritórios. Para o dono da construtora Carvalho Hosken, Carlos Carvalho, de 88 anos, sua coleção de esculturas, louças, mobília e pinturas é coisa seriíssima, a ponto de ser quase uma empresa, com uma equipe de treze museólogos e historiadores da arte contratados para administrá-la. O hábito de adquirir peças artísticas remonta aos anos 50. Desde então, ele construiu um acervo

Carvalho em uma das salas da construtora: 130 obras para suavizar o ambiente de trabalho. 10


de 4 000 peças. Elas vão de exemplares do século XVI a nomes de peso da arte contemporânea. Na sede da construtora, na Barra da Tijuca, há cerca de 130 obras distribuídas pelas recepções, corredores e salas de reuniões. A sede da FSB Comunicações, em Ipanema, chama atenção pela quantidade de telas penduradas em todas as paredes, como se estivessem em um museu ou uma galeria de arte. Todas são identificadas com o nome do artista e o ano de produção. O responsável pela escolha e pelas aquisições é o sócio Chico Soares Brandão, dono de uma coleção de mais de 500 peças de arte contemporânea distribuídas entre as filiais da empresa em São Paulo, Brasília e Belo Horizonte e sua nova unidade no centro do Rio. Os artistas Rubens Gerchman e Angelo de Aquino estão entre os preferidos do empresário, que era amigo dos dois. “Desde que inaugurei a primeira salinha, minha proposta sempre foi criar um bom ambiente para trabalhar. As pessoas

Chico Brandão com uma tela de Gerchman.

se sentem bem e produzem mais”, resume ele. Além de alavancar o moral dos funcionários, valorizar a imagem e reforçar a identidade de uma empresa, a introdução de obras de arte no universo corporativo é obviamente um ótimo negócio em si.

fonte:Veja Rio

No escritório da empresa Leite de Rosas, podem ser vistas muitas obras de artistas como Rene Machado (acima) e Abelardo Zaluar (à esquerda). Decoração assinada por Alay Ribas. 11


Quando a Estée Lauder abriu uma loja e começou a vender os cosméticos MAC em Lagos, na Nigéria, em fevereiro, ela não tinha muita companhia. Embora o país seja o maior produtor de petróleo da África, 68% dos nigerianos vivem com US$ 1,25 ou menos por dia, segundo o Banco Mundial (Bird). Mesmo assim, ir aonde há pouca ou nenhuma concorrência é um procedimento operacional padrão dessa fabricante de cosméticos criada há 29 anos. Há muito a MAC corteja os mais variados grupos étnicos, como os negros americanos, e a Estée Lauder vê a marca como importante para seu crescimento nos mercados emergentes. As elegantes lojas da marca são uma revelação em nações como a Nigéria, onde os varejistas que seguem o padrão ocidental são tão escassos que os consumidores abonados precisam viajar para fora para comprar muitos dos produtos de marcas mais sofisticadas. Assim que a MAC se estabelece em um mercado, a Estée Lauder envia suas outras marcas, como a Clinique e a Aveda. “A marca MAC é hoje a maior aposta para a corporação em termos de desenvolvimento de mercado, e ponto final”, diz o presidente do grupo John Demsey. “Ela é a maior fonte individual de crescimento para a companhia.” fonte: Valor Econômico

A MAC é a nossa maior aposta em termos de desenvolvimento de mercado”, diz John Demsey, presidente do grupo.


A Profarma anunciou a compra de 100% das ações da CSB Drogarias, que detém o controle das marcas Drogasmil e Farmalife, e ingressa no varejo farmacêutico. A transação ainda depende da aprovação do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade). A operação também precisa da ratificação do Conselho de Administração. Com aproximadamente 85 lojas, a CSB concentra sua atuação na região do Rio e Grande Rio e alcançou um faturamento de R$ 332,8 milhões em 2011. Pela transação, a Profarma desembolsará R$ 87 milhões, a serem pagos

líquidos dos saldos de dívida e caixa. Com a aquisição, a farmacêutica operará em um segmento com perspectivas de crescimento e consolidação e deve apresentar margens substancialmente maiores. São aguardadas sinergias com a integração das operações de atacado e varejo, especialmente nas áreas de logística e na sede corporativa. fonte: brasil econômico



Páginas Rosas