Page 1

Programa Maxi-leite Qualidade e Produtividade Leiteira

Cristiane Mª de Azevedo Médica Veterinária –UDESC/Lages-SC MDA Gestão em Bovinos de Leite Esalq/USP Consultora de Assistência Técnica Intervet/Schering-Plough - Regional MS e PR

Intervet Schering-Plough Animal Health


EficiĂŞncia na Produtividade & Qualidade do leite


Situação Pecuária Leiteira Brasil Nova Zelândia • 4.000.000 propriedades 11.618 propriedades • 16,7 milhões de vacas 4,25 milhões vacas • 27,5 bilhões de litros 16 bilhões de litros • 1.261 litros por lactação 3.710 litros lactação Fonte: Federação Internacional de Lácteos (FIL)


Produtividade Mundial • • • • •

EUA 65.000 prop 9,2 milhões de vacas 87,1 bilhões de litros 9.465 litros/lactação

• • • • •

CHILE 15.000 prop 350.000 vacas 1,8 bilhões de litros 5.050 litros/lactação


• 13 a 15% • Maior • Maior do total reserva extensão das de biodiversida de terras reservas • Maior rebanho bovino comercial do agricultáde de água 6 % veis mundo 12% de • 400 Mill 19% 17% 16% • Segundo produtor mundial carne ha 31% 41% • Maior exportador de carne bovina

No mundo

Força brasileira no agronegócio

• 3°exportador de cortes de frango • Maior exportador de carne de frango • Quarto exportador e produtor de carne suína • Quinto produtor de leite

5º 4º 1º


Potencial Média e melhores desempenhos na produção agropecuária no Brasil Kg / ha / ano de produção

Média

Melhores

Potencial de crescimento (da média para os melhores)

200

1.200

600 %

1.100

30.000

2.700 %

3.150

10.000

320 %

2.600

3.600

38 %

79.000

120.000

52 %


Mastite x CCS X Qualidade do Leite


Indicadores de Qualidade • Contagem Bacteriana • Contagem de Células Somáticas • Teor de Proteína, Gordura, Sólidos • Sem presença de água • Ausência de resíduos de antibióticos/ inibidores

IN 51 – Pagamento por Qualidade do Leite CCS< 750.000 CBT< 750.000 Gordura no mínimo 3,0% Protéina no mínimo 2,9%


Por que a Mastite ĂŠ um grande problema ?


Perdas Econômicas atribuídas a Mastite Clínica por Custo de Alimentação de Vacas Coliformes $100 a 200/vaca/ano de Descarte Custos Veterinários Perdas por Descarte de Vacas

1% 4%

4% 4%

9%

46%

Mão-de-Obra Gastos com Medicamentos

10% 10% 12%

Depreciação Comercial do Leite Perdas por Mortalidade Leite Descartado Perdas na Produção de Leite


Análise Financeira da MASTITE Vacas em Lactação

50

50

50

Média Produção

20,0

20,0

20,0

Produção/dia

1000

1000

1000

Produção Mensal

30000

30000

30000

CCS Tanque

250

500

1000

Perda de Produção/CCS

600

2400

5400

Preço de leite

0,70

0,70

0,70

Vacas em Tratamento

2

8

15

Dias em tratamento + descarte

5

5

5

Leite Descartado

200

800

1500

Perda Bonificação CCS

0,00

500,00

1000,00

R$ médio tto Ima/vaca (3 bisnagas)

30,00

30,00

30,00

R$ médio tto Inj/vaca (antibiótico/antiinflam)

80,00

80,00

80,00

Gastos total medicamentos

220,00

880,00

1650,00

Gastos total (tto+leite desc)

360,00

1440,00

2700,00

Perda produção mensal + leite descartado

800

3200

6900

*Descarte de vaca (Reposição R$3.500,00)

0

3.100

6.200

Mortalidade de vaca mastite

0

3.500

7.000

R$ 780,00

R$ 10.220,00

R$ 20.680,00

Perda Financeira Mastite


Perda de Produção após Mastite (de acordo com velocidade de tratamento)

L e it e ( k g /d ia )

40 30 20 10 0 0

20 40 60 80 100 120 140 160 180 200 220 240 260 280 300 320

Dias em lactação C ura rápida

C ura lent a


VACAS INFECTADAS

PRÁTICAS DE HIGIENE

PESSOAS

EQUIPAMENTO

AMBIENTE

1º ETAPA Diagnóstico Situação

TRATAMENTO TRATAMENTOS

MANEJO CAMAS

Culturas


Gestão da Mastite

 Quais são as taxas de infecção? Taxa de de Mastite clínica e Crônicas? Taxa de Novas infecções?  Quem são as bactérias ?  Quais os antibióticos eficientes para a minha propriedade?  As pessoas estão treinadas?


Criar rotinas na fazenda Treinamentos teórico-prático Execução correta Compromentimento


Missão: Maxi-Leite® • Prestação de serviços • Trabalhar em parceria • Vender soluções e não produtos • Visar o bem-estar animal • Melhorar a sáude do úbere e a qualidade do leite • Aumentar a produtividade e a lucratividade • Construir relacionamentos de respeito e confiança !!!


Fechar Parceria

CANAL FAZENDA

VETERINÁRIOS

PROGRAMA MAXI-LEITE


2ª ETAPA Diagnóstico Situação


VACAS INFECTADAS

PRÁTICAS DE HIGIENE

PESSOAS

Identificar Fatores de Risco MANEJO CAMAS

EQUIPAMENTO

AMBIENTE

TRATAMENTO

Culturas


APLICAR O CHECK-LIST


3ª ETAPA: PLANO DE AÇÃO


Agenda de Módulos do Propec Treinamentos teóricos e Práticos • • • •

Propec: Conceitos Básicos da Mastite e Ordenha Propec: Tratamento da Mastite Propec: Manejo de Camas e Flambagem de úbere Propec: Trabalho em Equipe


PROTOCOLOS MAXI-LEITE


Tabela 2 - Influência do Manejo Pré-ordenha sobre a Contagem Bacterina do Leite

Lavagem com água

Pré-dipping

Secagem Manual

X

4 X X X

Fonte: Galton et al, 1986

% Redução Bacteriana

10 34

X

54


PROTOCOLOS TRATAMENTO


Programa Maxi-Leite速

Programa de Qualidade de Leite e Produtividade


Tratamento curto – 3 ordenhas 1ª, 2ª e 3ª ordenha – 8 ordenhas de descarte Molécula moderna e exclusiva Cefquinome – 4ª geração Alta sensibilidade


Custo Benefício do Tratamento Cobactan em Mastite Clínica Vaca de 20kg/dia R$/Bisn R$/Bisn..

Tto nº ord. (dias)

Perí Período Descarte

10,00

30,00

1ª, 2ª 2ª e 3ª 3ª (1,5 dias)

60 h

8

80

86,00

Spectramast (Ceftiofur) Ceftiofur)

6,70

20,10

1ª, 3ª 3ª e 5ª 5ª ( 3 dias)

72 h

12

120

104,00

Bovigan L (Ampicilina+ Ampicilina+Clox.) Clox.)

5,50

16,50

1ª, 3ª 3ª e 5ª 5ª ( 3 dias)

72 h

12

120

100,50

Uberlac (Cefoperazone) Cefoperazone)

4,50

13,50

1ª, 3ª 3ª e 5ª 5ª ( 3 dias)

96 h

14

140

111,50

Mastifin (Gentamicina)

4,10

12,30

1ª, 3ª 3ª e 5ª 5ª ( 3 dias)

96 h

14

140

110,30

Flumast (Neom.+ Neom.+ Espir.)

2,00

6,00

1ª, 3ª 3ª e 5ª 5ª ( 3 dias)

96 h

14

140

104,00

Newmast (Neom.+ Neom.+ Espiram)

1,50

4,50

1ª, 3ª 3ª e 5ª 5ª

144 h

20

200

144,50

Produto COBACTAN VL (Cefquinome) Cefquinome)

Descarte Descarte (nº (nº ordenhas) (Kg de leite)

Custo/Tto Custo/Tto (R$/kg leite a 0,70)

Tto vaca (R$)


Programa Maxi-Leite速

Programa de Qualidade de Leite e Produtividade


Custo Benefício do Tratamento Cobactan em Mastite Strep. agalactiae Vaca de 20kg/dia ( 2 ordenhas/dia) Produto

COBACTAN 100ml (Cefquinome inj) inj)

Penicilina 50 ml (injetá (injetável) Ampicilina+ Ampicilina+Cloxac (intramamá intramamário) rio)

R$/Bisn R$/Bisn..

Tto vaca Tto nº ord. Perí Período Descarte (R$) (dias) Descarte (nº (nº ordenhas)

Descarte (Kg de leite)

Custo/Tto Custo/Tto (R$/kg leite a 0,70)

100,00

50,00

1ª e 3ª 3ª (2 dias)

12 h

2 (1 dia)

20

64,00

20,00

20,00

1ª e 3ª 3ª (2 dias)

96 h

12 (6 dias)

120

104,00

5,50

16,50

1ª, 3ª 3ª 5ª ( 3 dias)

72 h

12 (6 dias)

120

100,50


PROTOCOLO TRATAMENTO MASTITE CLÍNICA Mastite Clínica

Sem febre

Com febre

Sem febre ESCORE 1: Mastite leve Presenç Presença de leite com grumos

ESCORE 2: Mastite Moderada Úbere inchado + leite anormal (grumos)

Caso Novo Tratar rápido com antibiótico Intramamário: 1ª opção: Cobactan VL Acompanhar a evolução do caso após 24 horas 2ª opção: Supronal no teto

ESCORE 3: Mastite Grave (vaca doente) doente) Febre, , Inchaç ç o do ú bere e leite aguado Febre Incha

Caso Crônico Tratar rápido com antibiótico intramamário + injetável: 1ª opção: Mastijet + Borgal Acompanhar a evolução em 24 hsl 2ª opção: Cobactan+ Cobactan OBS: Inchaço severo e vaca usar Banamine .

Mastite repetida pela 3ª vez Fazer cultura individual dos quartos infectados. Caso grave tratar com antibiótico Avaliar histórico de CCS. Tomada de decisão conforme Resultado da cultura.

Tratar rapidamente a vaca Hidratação da vaca – Drench oral Terapia de suporte: Cálcio EV Banamine 30ml EV repetir com 24 hs Fazer Antibiótico injetável+ intramamário 1ª opção: Cobactan VL no teto Borgal EV + Cobactan IM 2ª opção: Mastijet forte no teto Borgal EV Ocitocina na ordenha durante 2 dias *Vaca deitada: Fazer Fenergan EV.


Espectro de Ação e % de Sensibilidade de Antibióticos Vaca Seca em 571 culturas em Fazendas Leiteiras no PR (Labvet 2008) Staph.aureus

Strep. agalactiae

Strepto.ambiental

E.coli

100 90 % Sensibilidade

80 70 60 50 40 30 20 10 0

Gentamicina

Ampicilina

Cloxacilina

Cefapirina

Cepravin


Sensibilidade frente a 187 isolados de E.coli (Labvet,2008)

Cefapirina Cloxacilina

Antibi贸ticos

Cef + Neomicina Gentamicina Ampicilina Amoxilina Cepravin Ceftiofur Cobactan Mastijet Nuflor

0

10

20

30

40

50

60

%Sensibilidade

70

80

90

100


A m il in a ox Ce ilin a fa pi r C e in a pr av in Nu flo M r as tij et

ac

Cl

ox

ft i

of

o. Ce

Ne

. m

f+

ta Ce

en

lin G

ci pi Am

ur

100,0 94,5 87,7 90,0 82,1 83,3 80,0 71,8 70,0 67,5 65,2 68,3 61,2 60,0 56,8 50,0 44,1 38,6 40,0 36,9 30 31,3 30,0 23,2 21 20,0 16,1 13,9 10,0 6,8 0,0

a

% Sensibilidade

Sensibilidade de diferentes antibi贸ticos frente a 384 culturas de Staph.aureus e Strepto.sp em fazendas leiteiras no PR.(2008)

Antibi贸ticos

Staph.aureus

Strepto. ambientais


4ª Etapa: MONITORAMENTO


5ÂŞ Fortalecer parceria e garantir resultados ReuniĂľes Maxi-leite


EficiĂŞncia na Produtividade


Como melhorar a produção de leite?


Como aumentar a produção de leite? • Aumento no número de animais no rebanho • Aumento na produtividade

Nutrição Melhora na relação:

Manejo & Ambiente Sanidade

Genética


Objetivos do aumento de produção no rebanho • Aumento da receita bruta

• Diluição de custos fixos: – – – – – – –

Mão-de-obra; Instalações: sala de ordenha, confinamentos, cercas, etc.; Equipamentos e máquinas; Custos de reposição (criação de bezerras e novilhas); Sanidade/manejos com custos/animal (exames, vacinas, reprodução, etc.); Terra; Depreciações e juros.


Divisão dos tipos de custos na produção de leite • Custos Variáveis – Alimentação – Combustíveis e energia elétrica – Medicamentos terapêuticos

~ 60-65%

• Custos Fixos – – – – – – –

Mão-de-obra Instalações Equipamentos Sanidade e reprodução Terra Administração Juros, depreciações e encargos

~ 35-40%


AUMENTAR A PRODUÇÃO POR VACA

 Melhorar o conforto das vacas  Melhorar a alimentação das vacas


Gerenciamento de Conforto


AUMENTAR A PRODUÇÃO POR VACA Criar rotinas de trabalho Gerenciar as pessoas

PESSOAS SÃO AS FERRAMENTAS MAIS IMPORTANTES PARA O SUCESSO DA PROPRIEDADE!

TREINAMENTO é fundamental! OUVINDO E APRENDENDO.

COMPARTILHANDO EXPERIÊNCIAS. BUSCANDO EVOLUÇÃO CONTÍNUA. RESPONSABILIDADE COMPARTILHADA.


AUMENTAR A PRODUÇÃO POR VACA • Melhorar a genética do rebanho

• Usar o bST


bST: uma ferramenta de produtividade


Mecanismo do BST (Somatotropina) Hipó Hipófise FSH+LH+BST Somatotropina bovina + Vitamina E e Lecetina

IgF1

IGF 1- aumenta absorção de nutrientes na glândula mamária. (ác.graxos, glicose, aminoácidos e vitaminas) Produção de leite Vitalidade e eficiência e morte alveolar.


Curvas de lactação normais de acordo com a raça Alta produção de BST 60

Pico de produção

Moderada produção de BST Moderada produção de BST

40 30 20

Persistência

10

Dias em Lactação Holandesa

Mestiça

Zebuína

38 0

34 0

30 0

26 0

22 0

18 0

14 0

10 0

60

0 20

Kg Leite

50


Produção de Leite m ensal

Persitência de Lactação e Ganho em Produção de Leite com BST 35,0 30,0 25,0

30 25 25,0

23,5

20,0

28,8 22,1

27,9 20,8

27,1 19,5

26,3 18,3

15,0

25,5

24,7

17,2

16,2

24,0

23,3

22,6

21,9

15,2

14,3

13,5

12,7

10,0 5,0 0,0 FEV

MAR

ABR

MAI

JUN

JUL

AGO

SET

Dias em lactação Controle

Boostin

OUT

NOV

DEZ

JAN


Quanto Boostin pode aumentar a produção de leite? • Em média: acréscimo de 15 a 20% sobre a produção do momento.

• A qualidade do manejo é o fator principal que afeta o aumento da produção de leite em resposta ao uso de BST (Bauman,1992)


Quais animais posso aplicar Boostin? • Animais saudáveis • A partir de 60 a 80 dias pós-parto • Novilhas e vacas de abortos • Vacas gordas • Animais com dificuldade de emprenhar • Doadora de embrião • Na 1ª IA ou na IATF para aumentar tx concepção • Indução da lactação


Administração • Aplicar uma dose a cada 14 dias via subcutânea na fossa ísquio-retal ou na região da paleta, alternando-se os lados direito e esquerdo entre as aplicações. Massagear o local após a aplicação. • Alternar os lados a cada aplicação. • Realizar assepsia no local de aplicação para evitar reações locais devido infecção/abcessos.


Aplicação de Boostin 1. Locais de aplicação

• região

•fossa ísquioretal

sub-escapular


Quais os critĂŠrios para uso do bST ?


Critério de uso do BST  Condição Corporal  Estágio de Lactação  Estágio Reprodutivo  Produção de leite  Disponibilidade de alimentos  Condição Climática  Preço do leite


Qual ECC para aplicar o bST?.


Disponibilidade de Alimentos Então qual cuidado devo ter para aplicar bST?

• A vaca jamais deve ter restrição alimentar, principalmente a vaca que ganha BST, já que seu consumo aumenta cerca de 3% na ingestão.


18 /0 5 20 / 20 /0 1 0 5 22 / 20 /0 1 0 5 24 / 20 /0 1 0 5 26 / 20 /0 1 0 5 28 / 20 /0 1 0 5 30 / 20 /0 1 0 5 01 / 20 /0 1 0 6 03 / 20 /0 1 0 6 05 / 20 /0 1 0 6 07 / 20 /0 1 0 6 09 / 20 /0 1 0 6 11 / 20 /0 1 0 6 13 / 20 /0 1 0 6 15 / 20 /0 1 0 6 17 / 20 /0 1 0 6 19 / 20 /0 1 0 6 21 / 20 /0 1 0 6 23 / 20 /0 1 0 6 25 / 20 /0 1 0 6 27 / 20 /0 1 0 6/ 20 10 31,5 31,0 30,5 30,0 29,5 29,0 28,5 28,0 27,5 27,0 26,5 26,0 25,5 25,0

Fz Álvaro Mistura-Siqueira CamposPR 31,0 31 30,5 30,4 30,5

29,1

Boostin

30,5

29,9 29,9 29,8 29,3 29,1

Controle projeção

29,3 28,7

25,3 28,7 28,128,1 27,0

25,6


Funcionamento do Boostin® Produção (Kg) 25

Aumento médio de 3-7 kg/vaca/dia com Boostin

20

Ganho adicional com BOOSTIN

sem Boostin

15

10

2

4

6

meses

8

10

12


Taxa de Concepção no dia 74 em Vacas Cíclicas (n = 375) 70

58.1%

56.1%

Prenhez (%)

60 42.6%

50 40 30

34.2%

33.7% 25.3%

20 10 0

bST-63 bST-73 Control bST-63 bST-73 Control Não presincronizadas Presincronizadas Moreira et al. (2001)


Perda de prenhez, %

Tratamento com bST Reduz as Perdas de Prenhez Entre 31 e 45 Dias de Gestação 16 14

P= 0.03

12 10 8 6

19/136

4 2 0

9/134 bST

Cont rol e

bST

Controle

Santos et al. (2004) J. Dairy Sci. 87:868-881


M

ĂŠd

4

3

2

1

0

ia

D1

D1

D1

D1

D1

D9

D8

D7

D6

D5

D4

D3

D2

D1

D0

Resposta Individual

45

40

35

30

25

20

15


Efeito do Boostin sobre a incid锚ncia de Casos de Mastite 25 20 11 15 10 5 0

9

Total Casos 5

3

2

6

Cr么nicos

4 4 7

2 2

3

ANTES

DEPOIS

Controle

ANTES

DEPOIS

Boostin

Casos novos


Efeito do Boostin® sobre a Contagem de Células Somáticas Média de CCS Dez/09 a Mar/10 600 500

521

565

561 500 439 419

433

400

401

415

319 300 200 100 0

Dezembro

Janeiro

Fevereiro Controle

Boostin

Março

MÉDIA


Composição do leite: Proteína e Gordura Dez/09

Jan/10

Fev/10

Chácara Salomons

Gordura

Proteína

Gordura

Proteína

3,54

3,17

3,46

3,18

Chácara Salomons

Gordura

Proteína

Gordura

Proteína

3,49

3,21

3,45

3,17

Chácara Borg

Gordura 3,50

Proteína 3,02

Chácara Borg

Gordura 3,53

Proteína 3,11

Gordura 3,61

Gordura 3,53

Proteína 3,13

Proteína 3,10

Grupo Controle

Mar/10

Gordura

Proteína

Gordura

Proteína

3,88

3,28

3,77

3,35

Grupo Gordura Proteína Gordura Proteína Boostin® 4,42 3,30 3,91 3,31

Grupo Controle

Grupo Boostin®

Gordura 3,94

Gordura 4,21

Proteína 3,05

Proteína 3,19

Gordura 3,64

Proteína 3,26

Gordura Proteína 3,65 3,34


Gráfico de Produção Chácara Salomons + 4,1 litros

25,9

éd M

Produção Bootin

Produção Controle

32,732,5 28,728,4

ia

27,1

31,6

3

27,0

D6

8

28,2

D4

1

28,7

30,3

6

31,4

D4

28,7

4

29,9

33,0

D5

31,9

D3

2

29,5

34,3

33,9

7

32,6

D2

1

31,5 29,6

D2

28,9

4

3

31,8 30,2

D1

1

30,7

D1

30,1 29,3

D8

D0

D-

19

32,3 31,5

35,0

D2

35,3

D1

40 39 38 37 36 35 34 33 32 31 30 29 28 27 26 25 24 23 22 21 20 19 18 17 16 15 14 13 12 11 10


Lucratividade Aumento diário médio por vaca (kg de leite) Preço da dieta do animal/dia Kg ingestão de dieta / dia Preço do Kg da ingestão da matéria original R$ custo / Kg de MS ingerida R$ custo do aumento da produção N de vacas em ordenha Intervalo entre aplicações Número de aplicações de Boostin anual RS custo do produto R$ do leite Investimento com Boostin R$ alimentação adicional Investimento anual (Boostin + Alimentação) Receita mensal Receita anual GANHO LÍQUIDO TOTAL ANUAL

R$

R$ R$

R$ R$ R$ R$ R$ R$ R$ R$

4,1 8,58 78,0 0,11 0,22 0,45 30 14 26,07 16,50 0,75 495,00 189,42 17.843,81 1.318,95 33.671,25 15.827,44


Persistência Salomons P r o d u ç ã o d e L e it e m e n s a l

Persitência de Lactação e Ganho em Produção de Leite com BST 40,0 35,0 30,0 25,0 20,0 15,0 10,0 5,0

34,5 30,0 29,5

28,2

33,47 26,5

32,46 24,9

31,49 23,4

30,54 22,0

29,63

28,74

20,7

19,5

27,88

27,04

26,23

25,44

18,3

17,2

16,2

15,2

0,0 FEV

MAR

ABR

MAI

JUN

JUL

AGO

SET

Dias em lactação Controle

Boostin

OUT

NOV

DEZ

JAN


Gráfico Produção Chácara Borg

+ 5 litros

37

34,5 33

29,5 29

25 D0

D9 D11 D13 D15 D17 D19 D21 D23 D25 D27 D29 D31 D33 D35 D37 D39 D41 D43 D45 D47 D49 D51 D53 D55 D57 D59 D61 D63 D65

Boostin

Controle


Fazenda JotapĂŞ-MS


8/ /0 03

7/ /0

Data das pesagens

34,3

ED

IA

22

M

20

10

10

22,3

20

10 27

7/ /0 20

29,6

22,7

20

20 7/ /0

7/ /0

32,4

27,6 23

10

10 20 13

29

/0

6/

20

20

22

/0

6/

20

28,3 23,4

25,0 23,8

10

10

10

24,6

6/ /0

27,6 24,2

06

40,0 35,0 30,0 25,0 20,0 15,0 10,0 5,0 0,0

15

Produção

GANHO COM BOOSTIN

28,7 23,3


Lucratividade Aumento diário médio por vaca (kg de leite) Preço da dieta do animal/dia Kg ingestão de dieta / dia Preço do Kg da ingestão da matéria original R$ custo / Kg de MS ingerida R$ custo do aumento da produção N de vacas em ordenha Intervalo entre aplicações Número de aplicações de Boostin anual RS custo do produto R$ do leite Investimento com Boostin R$ alimentação adicional Investimento anual (Boostin + Alimentação) Receita mensal Receita anual GANHO LÍQUIDO TOTAL ANUAL

R$

R$ R$

R$ R$ R$ R$ R$ R$ R$ R$

5 9,55 41,0 0,23 0,47 1,16 30 14 26,07 16,50 0,75 495,00 489,15 25.658,10 1.283,70 41.062,50 15.404,40


Benefícios comprovados  Aumenta a produção de leite.  Reduz custos fixos da fazenda.  Rápido retorno do investimento inicial.  Extensão do período de lactação.  Maior lucratividade.  Fornecimento adicional de Vitamina E.  Fácil aplicação e manejo.  Total segurança para o consumidor.


Intervet

Schering-Plough Animal Health

CONSIDERAÇÕES FINAIS Competividade no mercado; signica PRODUTIVIDADE E QUALIDADE. O GERENCIAMENTO DA fazenda É FUNDAMENTAL. Aumentar produtividade, INVESTIR na GÉNETICA, NUTRIÇÃO, SANIDADE, MANEJO E BST. Criar rotina dentro da fazenda Controle da mastite; fazer o básico bem feito. ORDENHA, EQUIPAMENTO, AMBIENTE E TRATAMENTO CORRETO. Para garantir a execução correta dos processos – INVISTA EM PESSOAS!

MaxiLeite_Programa de Mastite  
MaxiLeite_Programa de Mastite  

Programa de Prevenção para Mastite

Advertisement