Page 1

Ano VI - N潞 76

Par贸quia Santo Ant么nio

de

Gopo煤va

fevereiro

2012


Voz Viva

02

Fevereiro 2011

“A Esperança não decepciona. Sejamos a presença do Verbo na vida do outro.” (Tema central do Tríduo Nossa Senhora de Sion)

Editorial

“Nossas fadigas não são em vão” Pe. Otacílio Lacerda Pároco

Começando mais um Ano Pastoral é preciso firmar os passos na caminhada evangelizadora, com paixão incondicional pelo Senhor, na força do Espírito em total fidelidade ao Deus de Amor. Se envolvidos pelo Amor Trinitário, não haverá cansaço, sensação indesejável de tempo perdido, desgastes com futilidades. Vivemos numa cidade que clama por uma Palavra de Luz. Uma cidade em que se multiplicam os gritos dos famélicos, dos dependentes químicos, dos desesperados, enfim, dos marginalizados que esperam que alguém lhes estenda a mão criando a possibilidade de uma nova etapa em sua existência. Nesta Edição o leitor encontrará belos sinais de que a Luz de Deus brilha em meio a realidades sombrias (se não escuras), bem como reflexões imprescindíveis que renovam o ardor e a chama profética e missionária. Um dos momentos significativos de nossa Diocese foi a posse do Bispo D. Joaquim Justino Carreira, que continuará o pastoreio de nosso Bispo Emérito D. Luiz Gonzaga Bergonzini, em fidelidade ao Evangelho, lançando as redes em águas mais profundas, pois esta é a essência da

evangelização Um acontecimento também marcante foi a Missa no Seminário Imaculada Conceição quando os seminaristas Cássio (de nossa Paróquia), e Pedro receberam o Ministério de Leitor, dando o primeiro passo para a Ordenação Presbiteral. Para aqueles que não puderam participar, oferecemos uma breve síntese da riqueza que foi o Tríduo em louvor a Nossa Senhora de Sion e a Missa Solene com a presença de D. Luiz. Olhando para frente tornamos conhecida a Apresentação do Planejamento Paroquial, em que somos interpelados a fortalecer a atitude que deve marcar cada atividade pastoral de nossa paróquia: “Faça bem e com amor o que lhe é próprio.” Esperamos com muita expectativa a Quaresma que se aproxima, e com ela mais uma Campanha da Fraternidade tão preciosa como o são todas. Seu tema e lema não poderiam ser mais oportunos: Fraternidade e Saúde Pública - “Que a saúde se difunda sobre a terra” (Eclo 38,8) Certamente, teremos mais um ano com grandes desafios, e entre eles as Eleições municipais e as dificuldades próprias da realidade urbana. Evidentemente, nada teria sido possível e nada acontecerá se não firmar-

Recados

Visita Pastoral Dia 02 de março visita Pastoral do Bispo Diocesano Dom Joaquim Justino Carreira à Paróquia Santo Antônio de Gopoúva. 19h – Missa 20h – Assembleia com todo povo de Deus Ao longo do dia haverá atividades que serão divulgadas nas missas.

Confissões Quaresmais Dia 08 de março às 15h e 20h – Capela Nossa Senhora de Sion Dia 09 de março às 20h – Capela São Judas Tadeu Dia 27 de março às 15h e 20h – Paróquia Santo Antônio de Gopoúva

mos nossos passos no esplendor e na solidez da Palavra de Deus, Pão que nos alimenta e que nunca nos falta, sobretudo, quando Eucarísticos o somos e às Missas não apenas vamos, mas nos entregamos e nos comprometemos na mais frutuosa comunhão das Mesas: da Palavra, da Eucaristia e do quotidiano. Que o Apóstolo Paulo nos ilumine: “Sede firmes, inabaláveis, progredindo sempre na obra do Senhor, certos de que vossas fadigas não são em vão, no Senhor” (1Cor 15,58). E, se ainda não fomos despertos de nosso sono, que Paulo fale mais uma vez e com ele repitamos, fazendo nossas suas palavras: “Ai de mim se eu não evangelizar” (1Cor 9,16). Blog – http://peotacilio.blogspot.com

FALE COM A PASCOM vozviva@gmail.com Reportagem, Críticas e Sugestões

Bingo com SORVETE Convidamos você e sua família para participar de nosso BINGO COM SORVETE, que terá a renda revertida para obras e despesas da nossa comunidade. Na primeira Rodada Especial, o brinde será um Mixer Mondial Versatile, e na segunda Rodada Especial, o brinde será um Netbook Philco Intel®

Dia 03 de março 2012 Horário: 19h30

PARÓQUIA SANTO ANTÔNIO DE GOPOÚVA Largo Santo Antônio, 7 - Gopoúva

CF 2012 - Reflexão Se você também deseja uma política pública de saúde com qualidade, dignidade e excelência nos serviços, participe de um dos grupos de reflexão da campanha da fraternidade de nossa paróquia.


“ Deus encontra graça diante de nós diariamente. E,para sentirmos essa graça temos que estar sempre com o coração aberto.” (Tiago 1ª noite do Tríduo de Sion)

Voz Viva

03

Fevereiro 2011

Calendário Religioso

Anos A, B e C – O que isso significa?

Silvana Oliveira Pascom

A

Igreja, para se organizar, estabeleceu ao longo dos séculos um calendário de datas a serem seguidas, denominado Ano Litúrgico. O Ano Litúrgico é o “Calendário Religioso”. Contém as datas dos acontecimentos da História da Salvação. Não coincide com o Ano Civil, que começa no dia primeiro de janeiro e termina no dia 31 de dezembro. O Ano Litúrgico começa e termina cerca de quatro semanas antes do Natal (1° Domingo do Advento) e compõe-se de três ciclos, também chamados de anos A, B e C. Este ciclo se repete a cada três anos, nos domingos e nas solenidades. A cada ano, há uma sequência de leituras próprias. Esta sequência foi estabelecida pela Igreja no Rito Romano. Para saber de que ciclo é um determinado

ano, parte-se do princípio: o ano que é múltiplo de 3 é do ciclo C. Para saber se um número é múltiplo de 3, basta somar todos os algarismos, e se o resultado for múltiplo de 3, o número também o é. No ano A proclama-se o Evangelho de São Mateus; o B é dedicado a São Marcos, e no ano C proclama-se São Lucas. Já o Evangelho de São João é reservado para as ocasiões especiais, principalmente as grandes Festas e Solenidades. Neste ano, estamos no ano B, com as leituras do Evangelho de São Marcos, aos domingos. A liturgia Católica segue um ritmo anual, durante o qual todo o mistério da vida de Jesus aparece diante de nós, em cada missa, em cada festa, alimentando nossas almas com os textos extraídos das Sagradas Escrituras. Como a vida humana, no seu aspecto natural, se desenvolve no clima do ano cósmico, as-

sim também a vida cristã, na plena comunhão com Deus, vai viver o projeto do Senhor numa dinâmica litúrgica própria de cada ano específico. O centro de toda essa divisão litúrgica tem como coração o Mistério Pascal, centro vital de nosso organismo, onde palpitam as pulsações do coração de Cristo, enchendo da vitalidade de Deus o corpo da Igreja e a vida dos cristãos. O Calendário Litúrgico da Igreja Católica Apostólica Romana foi feito para cobrir todo o ano litúrgico cristão, abordando várias passagens bíblicas, considerando as duas principais celebrações cristãs: Natal e Páscoa. Entre estas celebrações, situa-se o Tempo Comum. Junto com a abundância dos textos, a distribuição do ano litúrgico com seus sinais, cores, cantos e celebração dos principais mistérios de nossa fé nos ajudará a viver a “espiritualidade

Fidelidade à Doutrina

“Faça bem e com amor o que lhe é próprio” Pe. Otacilio F. Lacerda Pároco

A

o debruçarmos sobre as avaliações do ano, bem como sobre os objetivos e estratégias traçadas pelas pastorais, vemos que ainda muito nos falta fazer para que o Senhor cresça e seja conhecido e amado por todos. No entanto, não podemos deixar de reconhecer que a presença do Ressuscitado em nosso meio nos alcança a graça da paz necessária, que pode ser traduzida por shalon, ou seja, a plenitude dos bens e graças divinas que nos enriquecem em cada momento do nosso existir e no desenvolvimento das nossas atividades dentro e fora dos espaços da Igreja. Há que se renovar em nosso coração um momento inesquecível de nossos Conselhos em que refletimos sobre o Princípio da Subsidiariedade, que tem seus momentos nascentes na Encíclica “Quadragesimo Anno” (1931), quando o Papa Pio XI chamava o mundo para

a necessária busca de caminhos para uma verdadeira ordem internacional. Princípio que consiste essencialmente em “cada um fazer bem e com amor o que lhe é próprio.” Mais do que nunca, para que em perfeita comunhão com a caminhada Diocesana, no fortalecimento da Pastoral de Conjunto é preciso que insistamos neste Princípio que há muito norteia a ação da Igreja, pois se vivido, a alegria, o amor, a gratidão, gratuidade, ardor, vigor, desprendimento, coragem, empenho, discernimento, sabedoria se farão presentes no coração de cada agente. Não haverá divisões nem cansaços inúteis na procura dos primeiros lugares, pois faremos do poder expressão de amor e serviço, a exemplo de Jesus que veio servir e não para ser servido, num permanente lava-pés com ressonâncias eucarísticas. Que Jesus cresça, as pastorais se revigorem. Que avancemos para águas mais profun-

das e não nos percarmos com questões pequenas, insignificantes que nos desviam do essencial: “Ai de mim se eu não evangelizar” (1Cor 9,16), pois “É necessário que Ele cresça” (Jo 3,30). A paz será notável em nossos corações e dentro das pastorais, ultrapassará nossos espaços, estruturas, porque seremos como as primeiras comunidades, notabilizadas pela perseverança e fidelidade à Doutrina dos Apóstolos, à Comunhão Fraterna, à Fração do Pão e à Oração (At 2,42-37). Crescerá a Igreja, o nosso Batismo ganhará nova expressão, será fortalecida a Evangelização, que se renovará em expressões e métodos, e a Paz tão sonhada não será uma ilusão, mas um projeto, uma construção em mutirão, em que mãos e corações que amam se comprometem com a vida, da concepção ao declínio natural e com o meio onde ela floresce: – “A Paz esteja convosco!.”

litúrgica”, que é base de todas as demais, e nos alimenta em nossa caminhada. A base de toda espiritualidade é a boa participação dominical que cria no coração de cada membro do povo de Deus o amor e o entusiasmo que devem nos conduzir como discípulos-missionários, vivendo permanentemente em estado de Missão. Quem participa das Missas aos domingos, através desta sequência de leituras bíblicas dos anos A, B e C, ao final de três anos terá escutado quase toda a Bíblia proclamada,

cantada e rezada na liturgia. O convite da Igreja é para que aproveitemos cada instante para participarmos de todos os atos litúrgicos, da celebração dos sacramentos e em especial da Missa. Somos convidados a caminhar a cada ano, celebrando os Mistérios de nossa Fé e buscando viver a Palavra de Deus em nosso dia a dia. A palavra proclamada nos atualizará às orientações do Senhor, e a liturgia, com suas características próprias de cada tempo, nos conduzirá na espiritualidade.


Voz Viva

04

Fevereiro 2011

“Maria, transbordando da graça de Deus, não quer retê-la só para si, vai partilhar com a sua parenta, de idade avançada que está grávida e necessita de cuidados.”.(Sivana 2ª noite do tríduo Sion)

Fraternida e Saúde Pública

Campanha da Fraternidade 2012 Laurindo Vanícola Pascom

N

o próximo dia 26 de fevereiro, a nossa Igreja estará celebrando o 1º Domingo da Quaresma e iniciando, assim, as comemorações de mais um Tempo da Quaresma. E inicia com um convite muito próprio para o Tempo: “Arrependeivos e crede no Evangelho”(Mc 1,12-15). E, como acontece todo ano, na Igreja do Brasil, a CNBB – Conferência Nacional dos Bispos Brasileiros – lança, como parte de sua missão evangelizadora, novamente a CF – Campanha da Fraternidade do ano, com o tema “Fraternidade e a Saúde Pública” e cujo lema é “que a saúde se difunda sobre a terra” (Eclo 38,8). Toda CF que, anualmente, é lançada pela Igreja, tem os seus objetivos que são permanentes: - despertar o espírito comunitário e cristão no povo de Deus, na busca do bem comum; - educar para a vida em fraternidade, a partir da justiça e do amor; - renovar a consciência da responsabilidade de todos pela ação evangelizadora da Igreja, em vista de uma sociedade justa e solidária. E, desta vez , a Igreja nos convida a uma reflexão e ação sobre a realidade da saúde pública em nosso país, tendo em vista a melhoria da qualidade dos serviços, do acesso e da vida da população. Estes são o tema e o lema sobre os quais vamos ouvir e falar muitas vezes. Mas a grande pergunta que deve ficar para cada um de nós, leitores assíduos que somos do Jornal Voz Viva é: Quais as ações e atitudes que haveremos de colocar em prática, nos ambientes onde atuamos, para que esses objetivos sejam alcançados? Para iniciar a reflexão, vamos esclarecer alguns conceitos: quando se fala em saúde pública, é preciso entender que não apenas nos referimos à ausência da doença, que se apresenta como um mal, tanto físico quanto psíquico, mas que significa o bem-estar geral da pessoa como um todo – é preciso, para haver saúde, que a pessoa esteja bem, “tanto das pernas quanto da cabeça”.

Ah, como eu gostaria de ouvir nos avisos paroquiais, notícias como: quem nasceu, quem casou, quem está doente, quem morreu, quem chegou, quem foi embora. Acaso não são esses avisos a realidade de como anda a Saúde da comunidade? Creio que muitos dos integrantes da nossa Comunidade não apenas passariam adiante as informações como procurariam, o mais depressa possível, fazer uma visita fraterna...”à sua prima Santa Isabel” como fez a mãe de Jesus, mesmo estando grávida. Onde há irmãos, necessariamente, deve haver a fraternidade, pois ser fraterno, é ser irmão – a existência do amor entre os irmãos de fé. E o que mais haveremos de fazer para atender aos objetivos da Campanha? Mais que o remédio, o que pode efetivamente curar uma pessoa, muitas vezes, é ela sentir-se amada por todos. Lembrem-se de que a doença pode não ser apenas física. O amor e a alegria ajudam muito a curar qualquer mal, seja do corpo ou d’alma. Ultimamente, a Júlia e eu temos praticado muito tal experiência de vida – vale a pena, tanto para quem dá quanto para quem recebe. E por que não divulgar, também, as informações que ajudam a melhorar a saúde física? Como está o estoque de remédios da nossa farmácia? As pessoas têm feito doações substanciais? Há a preocupação permanente em fazê-lo? Será que todos já conhecem o endereço, em Guarulhos, da Farmácia de Alto Custo que fornece remédios caros de graça? Fica na Av.Emílio Ribas, 1.126 (próxima ao Fácil Empresarial) fones: 2408-5887/5883 Será que as pessoas tem conhecimento de que vários Laboratórios (fabricante do remédio) concedem bons descontos em remédios de alto custo, bastando que a pessoa, por telefone, faça a sua inscrição nesses laboratórios? Serviços não faltam; basta querer fazê-los. Há muitas informações boas sobre saúde pública que infelizmente não são conhecidas. A Internet é um bom caminho para procurá-las e usá-las. Fiquem todos com Deus.

Cuidar da saúde de todos: um dever a ser cumprido Yone Rezende Pastoral da Saúde

T

odo ano a CNBB – Confederação Nacional dos Bispos do Brasil – busca um problema social para ser tratado durante a Quaresma, na Campanha da Fraternidade. Neste ano trabalharemos o tema: Fraternidade e Saúde pública. Este assunto é de interesse de todos os brasileiros, pois a saúde tem sido muito maltratada pelos governos de todas as esferas, e a população sofre para conseguir um atendimento, isso quando consegue. O objetivo geral desta Campanha será promover ampla discussão sobre a realidade da saúde no Brasil e das políticas públicas da área, para contribuir na qualificação, no fortalecimento e na consolidação do SUS – Sistema Único de Saúde – em vista da melhoria da qualidade dos serviços, do acesso e da vida da população. Vemos em nossos hospitais filas para se conseguir um atendimento, superlotação nas UBSs – Unidades Básicas de Saúde – e falta de médicos e especialistas, dentre outros problemas. Em âmbito nacional, os

maiores problemas de saúde, segundo dados do governo federal, são: mortalidade infantil, mortalidade por doenças não transmissíveis (como hipertensão e diabete), juntamente com óbitos causados pelo câncer, além da mortalidade provocada por causas externas (acidentes de trânsito, violência e suicídio). A saúde exige humanidade: a pessoa que procura e necessita do serviço público em saúde precisa ser tratada como gente, com respeito e dignidade. Devemos cobrar de nossas autoridades os princípios presentes na Constituição Federal de qualidade na saúde para todos. E nós, como estamos cuidando de nossa saúde? É papel de todos ter cuidado com a saúde e levar em consideração alguns aspectos, como a alimentação e a busca de melhor qualidade de vida. Devemos nos responsabilizar com atitudes que nos ofereçam uma vida mais saudável, como a prática de atividades físicas;

oferecer ao nosso organismo alimentos de boa qualidade, não fumar ou consumir álcool, ou outras drogas, e até mesmo termos cuidado ao dirigir e usar o cinto de segurança. Sabemos que nossos sistemas de saúde possuem problemas a serem resolvidos, mas também devemos fazer nossa parte: buscar uma melhor qualidade de vida e concretizarmos o lema da CF deste ano “Que a saúde se difunda sobre a Terra.” (Eclo 38,8).

Gesto Concreto

Estive doente e me visitastes Erika Freitas Pascom Caro leitor/leitora ocê certamente já esteve doente ou conheceu alguém nesta situação! Sabe, portanto, como é bom nestes casos receber a visita de quem nos quer bem, por que nos quer bem. Enquanto cristãos, não podemos ser apenas visitas, mas sim, ser ou levar Jesus até esse enfermo, pois, segundo Ele mesmo diz: se visitas, é a mim que visitas. Se levamos conforto, alento, alegria em estar com o outro, é Jesus

V

que se faz presente. Porque onde dois ou mais se reúnem ali Ele estará. Quando comungamos temos Cristo em nós e estamos com Ele. Ora, quem não aprecia, num estado de dor, de fragilidade, receber a presença confortadora e salvífica do Senhor da vida. Em visitas a hospitais, asilos e residências, a Pastoral da Saúde segue esse preceito. Mesmo os enfermos de outras religiões reconhecem o valor da Palavra, do sorriso, do desprendimento de alguém desconhecido estar em oração pelo seu pleno resta-

belecimento, se assim for da vontade de Deus. Faça essa experiência. Venha ser Jesus na vida do Cristo que sofre e “muito lhe será acrescentado” Procure um agente da Pastoral da Saúde. A messe é grande, são muitos os enfermos querendo ser visitados, mas poucos ainda não descobriram a riqueza dessa missão. Aproveite o Cristo que você comunga e o partilhe como gesto concreto com quem necessita. Fiquem em Paz e saúde sempre.


“Se na visitação Maria realizou a primeira procissão Eucarística, no nascimento com a chegada Voz Viva dos Reis Magos se deu a primeira Adoração Eucarística.” (Gustavo 3ª noite do tríduo Sion)

05

ENTREVISTA

T

Carlos Chnaiderman Secretário de Saúde

odos os anos durante o período quaresmal, a CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil) realiza a Campanha da Fraternidade, que tem por objetivo despertar a solidariedade de seus fiéis e de toda a sociedade em relação a um problema concreto que envolve toda a nação, buscando uma solução para o mesmo. Para o ano de 2012, a CNBB sugeriu o tema “Fraternidade e Saúde Pública” e o lema “Que a saúde se difunda sobre a terra. ”Pensando nisso, fomos em busca da palavra do Secretário de Saúde Carlos Chnaiderman que nos recebeu na Secretaria de Saúde. Quais são os desafios e dificuldades que a cidade de Guarulhos encontra na área da Saúde? Guarulhos é uma cidade que cresceu rapidamente na década de 60, chegando a multiplicar 4 vezes seu tamanho até os dias atuais. Esse crescimento no primeiro momento não foi acompanhado com a infraestrutura necessária.Nos últimos 11 anos vem sendo realizado um esforço para suprir essa carência na educação , saneamento básico e saúde. Na área de saúde, existe um problema no Brasil inteiro: garantir na realidade os princípios que estão na Constituição Federal e no SUS: o principio da igualdade e qualidade. Há avanços, mas falta muito. Nossa prioridade é melhorar a atenção básica, principalmente nas UBSs priorizando o atendimento e prevenção em gestantes, crianças, doenças crônicas, evitando os casos agudos. Nosso maior desafio é melhorar as Unidades Básicas de Saúde, diminuir a espera por um especialista e melhorar o atendimento

Quaresma Quaresma: Itinerário de Amor e Penitência, Caminho de Conversão Foto: Pascom

Luzia Chacim Liturgia

M

hospitalar. O que o governo municipal vem realizando para sanar a problemática da saúde (demora em marcar consultas, falta de médicos, etc.)? Sabemos que não dá para resolver todos os problemas de um dia para o outro, mas estamos aumentando o número de especialistas, e procuramos aumentar a oferta de exames. Contratar novos médicos, mas ainda não chegamos a atender a demanda. Estamos construindo o 2°CEMEG no Jardim São João e reformando o CEMEG aqui do Gopouva e aumentamos o atendimento na Fisioterapia. Sabemos que há uma notória rotatividade dos profissionais de saúde em nosso município. Como explicar esse fato? É importante saber que há um grupo importante bem antigo trabalhando conosco. (Cerca de 400 médicos) que possuem um vínculo grande. Há certo apego à especialidade, clínicos que

após término da residência buscam se formarem em especialidades.Há também a ligação com instalações melhores, capacitação profissional. A secretaria reconhece que há esse desafio, apesar de tentar aumentar o vínculo e permanência dos médicos. Como o senhor vê a preocupação da Igreja Católica com os problemas sociais existentes em nossa cidade, em nosso país? A Secretaria de Saúde tem que trabalhar junto. A Pastoral da Criança vem auxiliando num trabalho fundamental desde o farelo até a investigação de casos de subnutrição.É importante a participação da Igreja nos Conselhos e na área da saúde não apenas criticando , mas colocando idéias, sugestões , problemas sociais.Não negamos que temos problemas. Enquanto existir uma pessoa necessitada não podemos dizer que está bom. Isso só será possível pela mobilização e o acompanhamento da Igreja.

as em que consiste o Tempo da Quaresma? É o tempo dedicado especialmente ao caminho da Conversão, para que nesses quarenta dias, de preparação para a Páscoa da Ressurreição do Senhor, avaliemos nossas decisões e possamos realmente assumir uma mudança profunda vital, pessoal e comunitária. Quaresma é tempo forte na vida da Igreja, de escuta mais intensa da Palavra de Deus na prática da oração, do jejum e da esmola entendidos como partilha e gestos de solidariedade para com os pobres e necessitados. Podemos dizer que a Quaresma é uma espécie de retiro espiritual, que começa na Quarta-feira de Cinzas e vai até a Quinta-feira Santa pela manhã. Mesmo que a conversão seja cotidiana e ininterrupta, deve-se dedicar um tempo à conversão da comunidade num todo, ou seja, toda a liturgia do tempo quaresmal deve ser celebrada a fim de encaminhar os fiéis na estrada da Conversão, numa dimensão comunitária e social, já que nesse período a Campanha da Fraternidade, implantada aqui no Brasil desde 1964, aborda sempre realidades que suscitem uma reflexão em âmbito nacional, conforme os artigos publicados nesta edição (pág. 04). Como caminho de conversão, Quaresma é o tempo de uma experiência mais viva da participação no Mistério Pascal de Cristo.”Participamos dos seus sofrimentos para

participarmos também da sua glória.”(Rm 8,17). Nesse período, haja maior envolvimento, mediante penitências, na ação purificadora e santificadora do Senhor. Ele se faz penitente , por nossa causa, recorrendo ao jejum no deserto, derramando seu sangue, morrendo na cruz e ressuscitando. Temos uma necessidade muito grande de entender a profundidade dos ensinamentos de Jesus Cristo, pois torna-se indispensável um esforço redobrado de transformação visando mudança interior, a renovação do coração e a penitência reorientando a vida para Deus e rompendo com o pecado. Exatamente, precisamos de um coração novo para reconhecer e assumir nossas faltas com humildade vivendo atitudes de reconciliação e perdão. A Ressurreição de Jesus é o maior horizonte da nossa fé. Os quarenta dias da Quaresma e, especialmente, os cinco domingos, a própria Semana Santa, incluindo o Tríduo Pascal servem de preparação para a celebração do Mistério Salvífico , Mistério do Amor de Deus por nós, o triunfo da vida. Viver com Cristo, por Cristo e em Cristo é ter a certeza de que com ELE podemos realizar um projeto de vida nova, uma sociedade mais justa e fraterna percorrendo o itinerário completo do verdadeiro caminho de Conversão. Baseado nos textos: Quaresma: Tempo Penitencial(Pe Antônio Sagrado Bogaz) e “A Cruz é o Trono do Senhor! (Pe Otacílio Ferreira de Lacerda)


Voz Viva

06

Fevereiro 2011

Padre Paulo: Ministro de Deus, na igreja de Cristo, para a salvação das Almas! (Lema da Ordenação Presbiteral do Pe. Paulo Afonso.)

Fé e o Mundo

Santo

Pastorais Sociais Maria de Lourdes S. Reis Pascom

E

screver sobre Pastorais Sociais é um desafio, assim como são estas pastorais, pois é ligar a fé à transformação. É o nosso compromisso com a fé e o mundo. Falar em Pastoral Social não se pode esquecer os fundamentos de caráter biblicossocial que sustentam a dimensão sociotransformadora e a ação social da Igreja. No Antigo Testamento, no Novo Testamento e Documentos da Igreja vemos essa dimensão. O Papa João Paulo II, na Carta Apostólica Novo Millennio Ineute integra a fé e o compromisso com a transformação da sociedade. Documentos do episcopado latino-americano desde Medellín(1968), Puebla(1979), Santo Domingo(1992) e Aparecida (2007), nos alertam sobre o trabalho para transformar e buscar alternativas na construção de uma sociedade justa, solidária e fraterna.Também as Diretrizes Gerais da CNBB trazem a dimensão da ação evangelizadora da Igreja no Brasil e a dimensão sociotransformadora. No Evangelho são muitos exemplos como em Mt 9,35-38(“...Vendo as multidões, Jesus teve compaixão,porque estavam cansadas e abatidas”...), no Antigo Testamento Deus escolhe muitos rostos como em Ex3, 7-10(“...ouvi o seu clamor contra seus opres-

sores, e conheço os seus sofrimentos...) Em nossos dias o povo também continua cansado e abatido de tantas promessas não cumpridas, corrupção, mau uso dos recursos públicos, o peso da exclusão, a desigualdade social que gera desemprego, violência, dependência química, destruição do meio ambiente, sistema de saúde deficitário etc. A Pastoral Social tem que integrar em suas atividades a fé e o compromisso social, a oração e a ação.”A fé sem obras é completamente morta”.(Tiago 2,14-17), a religião e a prática do dia a dia, a ética e a política.Cada Pastoral tem uma realidade específica. O trabalho destas pastorais é trabalho de formiguinha, é árduo. Muitas vezes o ,preço é a perseguição e a morte como Chico Mendes, Irmã Doroty, Pe. Lancelotti. Entre muitos e tantos que continuam ameaçados. Ainda são poucos que se arriscam por este caminho, embora o trabalho seja imenso. Hoje temos que ficar indignados sabendo que tem gente no mundo que morre de fome, tem quem esteja condenado ao analfabetismo, há quem viva privado dos cuidados médicos, há quem não tenha uma casa onde se abrigar. “Eu vim para que todos tenham vida e vida em abundância”. Jo 10,10. Referência :Cartilhas da CNBB sobre Pastorais Sociais.

São Marcos, o Evangelista

Natália Fontenele Pascom

N

este ano, estamos vivendo na nossa Igreja o Ano Litúrgico de 2012, que teve início no dia 27 de Novembro de 2011, estendendo até o dia 01 de dezembro de 2012. É o Ano B (2+0+1+2=5 ano B) e, portanto, onde predominará o período todo a leitura do Evangelho de São Marcos. Mas quem foi São Marcos? São Marcos, filho de Maria de Jerusalém e primo de Barnabé, era judeu da tribo de Levi com o nome de João, mas depois tomou o nome romano Marcos. Converteu-se à fé cristã após a morte de Jesus Cristo. Não pertenceu ao grupo dos doze apóstolos originais mas foi seguidor do Apóstolo Pedro, que o batizou. É considerado fundador da Igreja no Egito e da cidade de Veneza. Acompanhou inicialmente São Barnabé e São Paulo em viagens apostólicas, e depois num trabalho missionário com Pedro em Roma durante um tempo considerável, período em que escreveu seu Evangelho. Possuiu uma íntima amizade com Pedro, já que ele costumava frequentar a casa de seus pais, juntamente com Maria, mãe de Jesus e outros cristãos primitivos. Pedro chega a chamá-lo afetuosamente de filho. A tradição leva a crer que na casa de São Marcos teria acontecido a Santa Ceia celebrada

por Jesus, assim como o dia de Pentecostes, que marca o início da Igreja Católica. Ainda há entendimentos de que seria o próprio Marcos é o rapaz que foge na ocasião da prisão de Jesus (Mc. 14,51-52). O Evangelho de Marcos juntamente com os Evangelhos de Mateus e Lucas são conhecidos como Evangelhos Sinópticos, por retratarem uma grande quantidade histórica em comum na mesma sequência e, em algumas vezes, utilizando a mesma estrutura de palavras. São Marcos retrata ações e palavras de Jesus Cristo a partir de sua vida pública, preocupando-se em transmitir as mensagens de Jesus Cristo, o Filho de Deus, anunciando o Reino de Deus. Sendo Judeu e escrevendo para pagãos, São Marcos tem a preocupação de explicar características do povo judeu. Seu Evangelho destinou aos pagãos e usufrui de um estilo simples, possuindo 16 capítulos. Assim, o início de seu Evangelho começa com o próprio anúncio do Evangelho: “Começo (Princípio) da Boa Notícia (Evangelho) de Jesus, o Messias, o Filho de Deus” (Mc 1). O início da Boa Nova começa com João Batista no deserto, pregando um batismo de

Silêncio orante

Silêncio na liturgia: povoar a solidão do coração com a oração Tereza Braga Pastoral do Sobriedade

A

sobriedade vai muito além de “não consumir drogas”, é uma experiência de vida que todos devem realizar diariamente, incluindo nas celebrações litúrgicas. O silêncio, ou melhor, praticar o silêncio na liturgia é um ato de sobriedade. Nas missas, existem momentos que devem ser de

total silêncio, para que haja reflexão dos mistérios do Pai pelo Filho no Espírito Santo. O Missal Romano orienta sobre alguns momentos importantes de silêncio na liturgia: após o ato penitencial, após a oração da coleta, após a primeira leitura, após o salmo responsorial, após a segunda leitura, após a homilia e após a comunhão (silêncio sagrado). Nesses breves momentos

de silêncio, sublime o sentido profundo do que se celebra, valorize o ato celebrado, nutre-se de Deus e reflita sobre sua vida cristã. Fazer silêncio é inunda-ser no Espírito Santo. O silêncio nada mais é do que valorizar o ato celebrado e estar em íntima comunhão com Deus e com os irmãos. Por isso, devemos sempre valorizar os momentos de silêncio na celebração litúrgica, pois não são momentos

de “apenas ficar quieto”, são momentos de ouvir a voz do coração, que muitas vezes está povoado pela solidão. E, assim, com o coração transbordando do Espírito Santo, que é amor e paz, com alegria podemos juntos cantar, rezar e abraçar o irmão, desejando a ele a verdadeira “a paz de Cristo”. Sobriedade e paz, só por hoje graças a Deus.

conversão para o perdão dos pecados: “Esta é a voz daquele que grita no deserto.” O símbolo de Marcos Evangelista é o Leão, geralmente alado, pois a sua narrativa começa com o choro de João Batista no deserto (onde ruge o leão). Outra visão designa Marcos como boi, porque ele retrata Cristo, o servo, sempre perseverante no trabalho para o qual foi enviado. A Igreja Católica festeja seu dia em 25 de abril, data em que o evangelista teria sido martirizado.


Padre Tito: 68 anos de Ordenação Sacerdotal! Vividos na Perseverança, na Gratidão, no Amor, na Paz e na Devoção á Nossa Senhora!

Voz Viva

07

Fevereiro 2011

Aconteceu Muitos foram os eventos da Paróquia Santo Antônio de Gopoúva nestes últimos meses: Curso de Comunicação, início do Crisma e Ca-

tequese, confraternização da Pastoral da Criança e Luau da Pastoral da Juventude. Foram momentos de aprendizado, alegria e comunhão

entre os irmãos (fotos acesse https://santoantoniodegopouva.blogspot.com e Facebook: Santo Antônio de Gopoúva).

Nesta edição contemplamos dois importantes acontecimento para nossa Igreja:

POSSE DE DOM JOAQUIM

Dia 22 de janeiro no Ginásio Thomeuzão

leitorado dos seminaristas cássio e pedro Dia 04 de Fevereiro no Seminário “Imaculada Conceição”no Jardim IV Centenário – Lavras

Dízimo

Dízimo, ato concreto de amor, gratidão e coragem Pastoral do Dpizimo Equipe A Pastoral do Dízimo da Paróquia Santo Antônio de Gopoúva, Capela Nossa Senhora de Sion e Capela São Judas Tadeu glorifica ao Senhor pela manifestação de amor, gratidão e coragem dos dizimistas e não dizimistas que aos na contribuíram com o Dízimo de Natal; uma experiência que a três anos vem sendo colocada em prá-

tica em nossa Paróquia e os resultado vem demonstrando a consciência de nossos paroquianos em relação ao dízimo, possibilitando à Igreja realizar sua missão maior, a evangelização em toda a sua plenitude. A sua coragem e perseverança através do Dízimo, torna a nossa comunidade um sinal de vida e salvação. Agradecemos sua colaboração. E para nossa meditação bíblica sobre o Dízimo esta

passagem é muito rica: “Dai glória a Deus de bom coração e nada suprimas das primícias (do produto) de tuas mãos. Faze todas as tuas oferendas com rosto alegre, consagra os dízimos com alegria. Dá ao Altíssimo conforme te foi dado por ele, dá de bom coração de acordo com o que tuas mãos ganharam, pois o Senhor retribui a dádiva, e recompensar-te-á tudo sete vezes mais” (Eclesiástico 35,10-13).

Tríduo em Honra a Nossa Senhora do Sion Isabel Araújo Catequista

N

a semana de 17,18 e 19 de janeiro aconteceu o Tríduo em honra a Nossa Senhora do Sion, momentos dedicados à oração e reflexão, que teve como tema central “A esperança não decepciona, sejamos Verbo na vida do outro. O Belo Mistério da Encarnação: anunciação, visitação e nascimento do Senhor. O Tríduo foi presidido pelo Pe. Paulo Afonso, vigário paroquial, que em suas breves e frutuosas palavras enfatizou a importância de Maria em nossa vida e a riqueza daquele momento mariano. As três noites em louvor a Virgem Maria tiveram como motivadores três amados jovens, que iluminados pelo Espírito Santo, nos edificaram com as suas belas reflexões. O jovem Tiago Januário, motivador da primeira noite, nos abrilhantou com uma belíssima reflexão tendo como tema “Ó belo mistério da encarnação : Anunciação.” Ao iniciar a suas palavras nos apresentou Maria, com uma bela citação: “Maria pouco se comunicou ou se comunicou com pequenas frases, mas no silêncio das pequenas frases, ela disse muita coisa”. Objetivo e dinâmico fez um paralelo entre a dúvida de Zacarias, que fechou o coração aos desígnios de Deus e o “sim” de Maria que após a anunciação, não hesitou e aceitou ser mãe do Filho de Deus, assim concebendo Jesus primeiro no coração, depois no ventre materno. Acrescentou, “quando Maria aceitou, ela cumpriu um ciclo na vida do cristão, que é acreditar em Deus, ouvir a Palavra de Deus e estar com o coração aberto para acolher”. E finaliza o seu belíssimo pensamento nos mostrando, quando Deus encontra graça diante de nós, temos que abrir o coração, imitar o “sim” de Maria e cumprir nossa missão de verdadeiro cristão. Na segunda noite, a jovem Silvana Oliveira, com o seu carisma nos presenteou com lindas palavras, “O belo mistério da encarnação: Visitação.” A jovem Silvana nos levou a conhecer a caminhada de Maria, discípula missionária, que após a anunciação se põe a peregrinar até a casa de Isabel e nos mostrou quão belo foi o encontro da mãe do precursor , com a mãe do Filho De Deus, encontro iluminado pela ação do Espírito Santo. Enfatizou o reconhecimento de Isabel à grandiosidade de Maria e ao Filho que a Virgem trazia em seu ventre e que Maria é bendita entre as mulheres.

A visita de Maria à sua prima Isabel, não foi um simples encontro, foi algo além disso, Maria ao ser gerada por Santa Ana, já era a escolhida para ser a mãe do Salvador e esse contentamento podemos ver no canto de Maria, Magnificat, explosão de alegria e louvor, sinal de novos tempos. Encerrando a sua reflexão, a nossa querida Silvana nos enriqueceu com um belo trecho, “Com Maria acontece a grande manifestação da glória de Deus, pois o tempo da espera termina e começa com Jesus, o tempo do cumprimento de tudo que foi prometido por Deus e esperado pela humanidade.” Nossa motivadora almeja que Maria visite o coração de todos, todas as famílias, pastorais, assim aumentando nossa fé. No terceiro dia recebemos com muita alegria, o motivador Gustavo Lino, que refletiu sobre o nascimento do senhor. Ao iniciar a sua reflexão nos apresentou Maria e José, a doação destes dois iluminados personagens na história do nascimento de Jesus. Com sabedoria nos reportou ao grande acontecimento, a vinda do Salvador, nascido em um estábulo, junto a criação, momento glorioso, de amor e esperança para Maria, José e pastores e hoje para todos nós, relembra os momentos de aflição e perseguição a Jesus e a presença e adoração dos reis magos, e nos iluminou com uma sábia citação : “ Se a visitação de Maria é a primeira procissão Eucarística, então a presença dos reis Magos foi a primeira adoração Eucarística.” Atenciosamente o jovem Gustavo retrata Maria com mansidão e amor puro a seu Filho, pois ela sabe que é mãe do Filho de Deus e coloca-se como sua servidora, discípula, primeira cristã. Finaliza sua reflexão afirmando que Maria assume o seu papel e entende o que o Pai quer dela, e diz Sim a mensagem de Deus. No dia 20 de Janeiro foi realizada a Missa solene em honra a Nossa Senhora do Sion, uma Missa especial, celebrada pelo bispo emérito Dom Luiz Gonzaga Bergonzini e co-celebradas pelo nosso vigário paroquial, Pe. Paulo Afonso e pelo Pe. Daniel. Fomos agraciados com a presença do nosso querido Pe. Tito, que com sua luz, iluminou aquele belo momento. Foi uma Missa emocionante, com a coroação de Nossa Senhora, a despedida do Bispo Dom Luiz e os 68 anos de vida presbiteral do Pe. Tito. Momentos vividos e jamais esquecidos pelas três comunidades.


Voz Viva

08

Fevereiro 2011

A vida Cristã tem que ser de serviço, doação, respeito e amor verdadeiro.

Culinária

Suflê de Batata Ingrediente 1kg de batata 1 colher (sopa) margarina 1 colher (café) noz moscada sal a gosto 1 gema de ovo sem a pele 200g mussarela Ingrediente - molho branco 1/2 litro de leite 2 colheres de amido de milho 1 colher (café) de noz moscada

ACUPUNTURA POPULAR

sal a gosto 1 caixinha de creme de leite Modo de preparo Molho: Misturar todos os ingredientes e levar no fogo mexendo sempre. Suflê: Cozinhe a batata, passe no espremedor e misture o restante dos ingredientes, arrume em uma forma refratária, cubra com creme branco e por cima coloque mussarela ralada e leve ao forno.

Suco de agrião com abacaxi

Ingredientes: 4 galhos de agrião com talos 1 maçã com casca 6 fatias de abacaxi 4 copos de água

Modo de Preparo: Coloque o agrião, a maçã, o abacaxi e a água no liquidificador. Se preferir uma textura mais fina, coe o suco. Adoce como preferir e sirva. Experimente subistituir o abacaxi pelo suco de laranja, diminuindo o volume de água proporcionalmente. Rendimento: 04 copos

Oasis Terapias – Todas as quartas-feiras, das 14 às 18h. e sextas-feiras das 9 às 11h. Av. Emílio Ribas, 757 - Gopoúva. Tel: 2408- 6815 - GISELE MOYA AGENDA 21 Năo sabe o que fazer com as pilhas usadas? Traga para a secretaria da Paróquia Santo Antônio de Gopoúva, que a Pascom resolve.

PRESTIGIE NOSSOS COLABORADORES. ELES CONTRIBUEM NA EVANGELIZAÇÃO

Jornal Voz Viva Fevereiro 2007  

Jornal Voz Viva Fevereiro 2007

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you