Issuu on Google+


Sumário

4 5 6 10 14 17 19 22 28 29 30

Mensagem da Presidência

Retrospectiva de um ano que voou.

Apresentação A Confebras

Principais Realizações Representação

Principais Realizações Educação Cooperativista

Principais Realizações Eventos

Planejamento Metas para 2010

Demonstrações Contábeis

Notas Explicativas

Parecer do Conselho FIscal

Nominata da Estrutura

Quadro de Filiadas


MENSAGEM DA PRESIDÊNCIA

Retrospectiva de um ano que voou. Para todos da Confebras, o ano foi cheio de realizações e talvez, por isso, pairou no ar a sensação de ter passado tão rápido. Literalmente, 2009 foi o ano “do novo” para a Confebras. Durante os dois semestres, novidades batiam na porta da Confederação. Nova diretoria, nova logomarca, novo estatuto, novos projetos.

4

além das atividades decorrentes de todos os anos em prol da educação cooperativista no Brasil. Tudo que foi realizado em 2009 pela Confebras teve o espírito da união e da ajuda mútua entre os colaboradores e as cooperativas de crédito.

Com o esforço e a dedicação de todos os Conselheiros de Administração e Fiscal e colaboradores Primando pela execução do Planejamento Estra- da Confebras, este será mais um ano que passará tégico criado em 2008, a Confebras, no ano de voando, porque quando temos gosto pelo trabalho 2009, seguiu e segue – cumprindo o cronograma que fazemos tudo passa mais rápido. com total perspicácia. Focada principalmente na educação cooperativista, vem incentivando a realização de importantes trabalhos sociais e educacionais com crianças carentes, adultos e colaboradores de cooperativas. O empenho de todos os colaboradores da Confebras foi enorme. Realizaram um árduo trabalho em 2009 e mantiveram as suas realizações pautadas em metas, com gastos e ganhos registrados. As demonstrações contábeis apresentadas estão dentro da total normalidade, mostrando a transparência que as filiadas merecem. O ano que passou foi regado por viagens internacionais, comemoração do dia festivo do cooperativismo de crédito, lançamento de projetos sociais,

“Com o esforço e a dedicação de todos os Conselheiros de Administração e Fiscal e colaboradores da Confebras, este será mais um ano que passará voando.” Que em 2010, muito trabalho e reconhecimento permaneçam com todos, e que o sucesso e os bons resultados continuem batendo na porta da Confebras ano após ano.

Na foto, da esquerda para a direita: Altevi Oliveira da Costa, Rui Schneider da Silva e Wilson José da Silva.


APRESENTAÇÃO

A Confebras Dona de uma história digna de total respeito, na luta pela disseminação da cultura cooperativista por meio de cursos e viagens para estudos, bem como o apoio representativo às cooperativas de crédito, a Confebras, que em breve completará 25 anos, tem um currículo recheado de realizações, que fizeram toda diferença no Sistema de Cooperativo de Crédito Brasileiro. Com acontecimentos que marcaram sua existência, a Confederação busca inovar em suas ações de fomento a educação cooperativista, assim, oferecendo novas opções de aprendizado que contribuirão, consideravelmente, para o crescimento e amadurecimento das cooperativas de crédito brasileiras.

NOSSA MISSÃO – Representar institucionalmente o sistema de crédito cooperativo brasileiro, difundindo a cultura cooperativista, com ênfase na Educação. VISÃO – Ser reconhecida como órgão máximo de representação política institucional do sistema de crédito cooperativo brasileiro, difundindo a educação cooperativista

5


PRINCIPAIS REALIZAÇÕES

Nova missão, nova Marca. A Confebras está em constante evolução. Para uma instituição, modernizar a logomarca e a identidade visual é muito mais do que simplesmente trocar de assinatura institucional. Mais até do que assumir publicamente o compromisso de renovação é demonstrar que a evolução já começou e está a todo vapor.

6

na história da Confebras, que ao longo dos anos se transformou, evoluiu e trouxe benefícios aos seus associados, sem, contudo, perder sua essência. Traços inferiores: representam o segmento da Educação. O ato de educar, orientar, acompanhar, nortear, trazer e desenvolver as potencialidades de cada indivíduo. Representam a educação institucionalizada nos projetos desenvolvidos pela empresa, onde se destaca a formação das pessoas na prática social para a cidadania.

Caminhando nesta direção desde o 1º semestre de 2009, toda a comunicação administrativa, institucional e promocional da Confebras está envolvida pela nova assinatura. Reunindo elementos gráficos simples e dinâmicos, a nova logomarca busca comunicar a determinação de seguir as tendências mais atuais, com foco na nova missão, na eficácia da gestão, no aprimoramento de processos e no A junção dos traços (superiores e inferiores): o moviatendimento das necessidades e expectativas das mento formado por ambos os traços remetem à solientidades associadas. dariedade como horizonte do cooperativismo. Indicam ainda, o contínuo processo de emissão e recepção no Saiba o que significam os elementos da nova logo- processo da comunicação entre a Confebras e seus marca: diversos públicos: interno e externo, traduzindo grafiMapa do Brasil: representa a totalidade da em- camente a ideia de parceria e apoio mútuo de crédito presa no território nacional juntamente ao número entre a instituição e seus beneficiários. de seus associados. Traços superiores: transmitem a ideia de transfor- O emprego das cores azul, preto e cinza possui uma mação e evolução. Esses conceitos estão presentes lógica visual que também agrega na construção do

novo símbolo. O azul faz referência à compreensão. Está ligado ao pensamento, ao intelecto e às ciências exatas (crédito). Simboliza a lealdade e a produção de segurança. Já o preto e o cinza remetem ao clássico e à dignidade. O preto também se destaca pela solidez que a instituição representa. É perceptível a harmonia dos elementos na construção e adequação dos mesmos como marca. Tudo se encaixou e caiu como uma luva na atual fase que a Confebras vive. Por essa razão o design se estendeu para outras marcas da Confederação, como a Editora Confebras. A logomarca da Editora Confebras se apresenta com linhas semelhantes e dentro do contexto que propõe a marca institucional da Confederação. Realmente, foi uma mudança completa, lançada nas várias vertentes de comunicação interna e externa da instituição. O apoio à nova marca da Confebras no universo virtual é importantíssimo para fortalecer e concretizar essa nova fase da Confederação. Assim esse suporte vem com a produção do seu novo site, que teve grande parte do 2º semestre de 2009 preenchida na constante elaboração estrutural dessa ferramenta essencial para a instituição. Com a finalidade de focar num trabalho detalhado, a previsão para lançar o novo site no ar virtual está programada para o 1º semestre de 2010.


PRINCIPAIS REALIZAÇÕES

Um upgrade no Estatuto Social ampliou as fronteiras da Confebras. São inúmeras as cooperativas singulares de crédito espalhadas pelo Brasil, muitas estavam sem o apoio educativo para o progresso, sem usufruírem de serviços de qualidade, como também, sem a representação que merecem para lutar pelos seus interesses. Diante desse quadro, a Confebras teve o dia 28 de Abril de 2009 como uma data de enorme importância para a evolução do seu Estatuto Social. Nesse dia, uma solenidade revigorou a Confederação – a Assembleia Geral – que reuniu toda Diretoria Executiva, o Conselho Administrativo, Conselho Fiscal e os Suplentes.

A Assembleia foi rica em tomadas de decisões, porém dentre todas as mudanças, a que chamou a atenção pelos benefícios se enquadra no quesito Filiação, no qual as Cooperativas Singulares agora podem filiar-se diretamente à Confebras, como também sua ilimitação no número de filiadas.

federação, os descontos se estendem para cursos, viagens de intercâmbios e seminários (nacionais e internacionais), no Congresso Brasileiro do Cooperativismo de Crédito, na aquisição da campanha de livros, além de poderem aplicar na sua cooperativa projetos desenvolvidos pela Confederação, tais como o Cooperacriança, em comemoração ao A Cooperativa de Crédito Singular ou Central, que DICC e à Campanha de divulgação do próprio Dia é da família Confebras, já tem conhecimento das Internacional do Cooperativismo de Crédito. vantagens de ser uma filiada. Podem fazer parte, seja dos conselhos ou diretorias, todos eleitos em O upgrade no Estatuto proveio para o progresso Assembleia. Essas cooperativas e seus colabora- recíproco da Confebras com o Sistema Cooperadores também podem usufruir dos descontos em tivo de Crédito, no qual atender as cooperativas de todos os produtos e serviços prestados pela Con- crédito solteiras, tais como Luzzattis e tantas outras, é o apoio educacional e representativo como o elo de comunicação com todas Cooperativas de Crédito do Brasil. Essa é uma conquista que há muito tempo a Confebras vem almejando. Hoje esse anseio é a realidade que ampliou o perímetro de alcance às várias categorias de cooperativas de crédito, derrubando fronteiras e possibilitando um maior apoio educativo e representativo da Confebras para as Cooperativas de todo o Brasil. Assembléia Geral Ordinária e Extraordinária da Confebras realizada em 28/04 na sede do Bancoob.

7


PRINCIPAIS REALIZAÇÕES

Em 2009, a Confebras elegeu o seu novo Conselho de Administração A Confebras realizou no dia 28/04/2009, na Sede do Bancoob, em Brasília-DF, a Assembléia Geral Ordinária e Extraordinária. Com foco no crescimento e na sustentabilidade da Confederação, foi deliberado dentre outros assuntos, a Reforma Geral do Estatuto, que em sua nova versão permitirá a filiação direta de cooperativas singulares.

8

Com unanimidade nos votos, foram eleitos: Como novo Presidente: Rui Schneider da Silva (Sicoob Central SC) Vice-Presidente: Altevi Oliveira da Costa (Sicoob Central DF)

Com a participação de 90% de suas filiadas, foi Secretário: eleito por aclamação o novo Conselho de Administ- Wilson José da Silva ( Sicoob Central MT/MS) ração e Fiscal, para um mandato de dois anos.

Demais Membros: Antonio Geraldo de Freitas Filho (Federalcred Central) Celso Ramos Régis (Sicredi Federal MS) George Hiraiwa (Sicoob Central PR) Manoel Messias da Silva (Sicoob Central Cecresp) CONSELHO FISCAL Membros Efetivos: Ednéa de Fátima Ramos Cabral (Sicoob Centra Amazônia) Iris Fernando de Castro (Sicoob Central Norte) Moacir Krambeck (CECRED) Membros Suplentes: Irecê Teixeira Firmino (Sicoob Central Amazônia) Graças à colaboração de todos, o ano de 2009 foi de grande progresso. Que 2010 partamos desse ponto para um mais alto.

Rui Schneider da Silva e Manoel Messias da Silva selam a passagem de mandato.


PRINCIPAIS REALIZAÇÕES

Mais duas Cooperativas de Crédito Singulares fazem parte das realizações do agora e do futuro. operativa de Crédito Rural de Primavera do Leste, situada no estado do Mato Grosso, a PRIMACREDI se iniciou com 85 produtores em 1990, tendo de lá para cá, uma enorme participação no desenvolvimento econômico social da região de Primavera do Leste.

A Família Confebras cresceu. PRIMACREDI – A Cooperativa de Crédito Rural participativa. Após a notícia da Reforma Estatutária da Confebras, que visa o progresso da Instituição e, principalmente, das Cooperativas de Crédito filiadas, desde o 1º semestre de 2009, as Singulares já podem filiar-se diretamente à Confebras, tendo ainda como complemento da mudança a decisão de tornar o número de filiadas ilimitado. Com essa notícia, duas Cooperativas de renome se associaram à Confederação Brasileira das Cooperativas de Crédito.

de Janeiro. Passou por uma história de muita luta contra a extinção das Luzzattis, em 1965. Sobreviveu por sua personalidade “raçuda” de persistir e hoje totalmente consolidada, a CREMENDES vem fomentando a região com crédito imobiliário, crédito agrícola, crédito hipotecário e outras linhas disponíveis de acordo com o seu capital e sua legA Confebras tem orgulho de ter como filiada e par- islação vigente. ceira uma Cooperativa de Crédito Rural que participa ativamente na melhoria social e econômica de Com mais de 1620 associados, pessoas de todas sua região, a PRIMACREDI é um perfeito exemplo. as classes e categorias trabalhistas carregam um mesmo sentimento: satisfação e felicidade com os A Família Confebras cresceu mais. CREMEN- serviços prestados pela CREMENDES. DES – A Cooperativa de Crédito Luzzatti que é histórica no Brasil. A Confebras traz em si o mesmo sentimento e continua adepta à causa das Luzzattis para juntos subir A Confebras sempre teve uma imensa simpatia, ao progresso ainda maior. sendo apoiadora plena da causa das cooperativas de categoria Luzzatti. Hoje a primeira Confederação das Cooperativas de Crédito do Brasil, Confebras, tem como ente da família a mais antiga e tradicional Cooperativa de Crédito Luzzatti, a CREMENDES.

A PRIMACREDI foi quem inaugurou o Renovado Com 80 anos de história, a CREMENDES é natuEstatuto da Confebras. Como uma importante Co- ral da cidade de Mendes, situada no estado do Rio

9


PRINCIPAIS REALIZAÇÕES

Reproduzindo a Cultura da Cooperação e da Poupança 10

Em pleno desenvolvimento desde outubro de 2009, o Projeto Cooperaeduca realizado pela Confebras em parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo (Sescoop/DF), terá o pontapé inicial de funcionamento em 2010, com a meta de disseminar e fomentar a educação cooperativista e financeira para um público que será o futuro da capital do nosso país, crianças de 06 a 12 anos, residentes no DF. No ano passado, o Cooperaeduca teve seu pré lançamento no 7º Cooperacriança, apoiado ao lema “Cooperar e Poupar também é coisa de Criança”, tema que irá compor os materiais do projeto durante a sua realização. Nessa prévia, foram distribuídas revistinhas educativas produzidas pelo BACEN e pelo SERASA. Como complemento, a Confebras produziu uma história em quadrinhos do Clubinho do Coopera, onde no enredo, a mascote Fortumiga (uma

formiga) ensina as crianças do Clubinho a cooperar e poupar o dinheiro. A partir dessa historinha, as crianças foram convidadas a participar do concurso de desenho e retratar o que absorveram da história. O resultado foi surpreendente, muitas captaram a essência de cooperar e poupar. Para uma maior eficácia no aprendizado do conhecimento básico sobre a cultura da cooperação e da poupança, foram estudados métodos visando o melhor custo/benefício para o sucesso dessa iniciativa. Dentre os materiais que serão produzidos está o desenho animado com o Clubinho do Coopera e a Mascote do programa – a formiga Fortumiga, símbolo da ajuda mútua e poupança – e como suporte ao desenho, serão distribuídos às crianças, livretos e cofrinhos, dentro da temática do desenho.

A cultura cooperativista será abordada de forma simples, com fácil entendimento sempre tendo como exemplo principal as formigas de um formigueiro e a ajuda mútua que existe entre elas. Em relação à educação financeira, a importância de poupar será o assunto principal, ligados à prosperidade e ao uso inteligente do dinheiro. A gestão organizacional do projeto será feita da seguinte maneira: instituições beneficiadas pelo projeto serão distribuídas entre as cooperativas do DF legalmente cadastradas. As ações de fomento serão realizadas pelas cooperativas dentro das respectivas instituições. E assim se forma e fortalece a cultura da cooperação e da poupança, plantando sementes no coração das crianças de hoje e colher atitudes e prosperidade num futuro próximo.


PRINCIPAIS REALIZAÇÕES

Aperfeiçoar é a palavra-chave para 2010. O Cooperativismo está em constante evolução, a destacar, principalmente, o ramo Crédito. O Cooperativismo de Crédito Nacional e Internacional propõem a todo instante, testes de novos serviços e maneiras de melhorar o atendimento e a solução das necessidades financeiras dos seus cooperados.

Prova disso é a demanda pela reimpressão do livro do BACEN - Governança Cooperativa.

Aperfeiçoar é a palavra-chave para o amanhã das Cooperativas de Crédito. A par dessa situação, a Editora Confebras está sempre oferecendo o aperfeiçoamento do conhecimento cooperativista, auxiliando na evolução intelectual e, consequentemente, no desempenho dos serviços dos colaboradores. Não importa o cargo, o objetivo é atingir todas as hierarquias produtivas das instituições.

11

As cooperativas de crédito brasileiras estão cientes das condições para o aperfeiçoamento que visa à sobrevivência do mercado. De olhos bem abertos, já estão no caminho certo, no caminho da excelência. O novo ano já começou bem e devido à alta procura pelo livro - Governança Cooperativa – e por esse, ser uma obra de extrema importância para os Diretores Cooperativistas, a Confebras ao receber no final de 2009 vários pedidos, reimprimiu no inicio de 2010 cerca de 1000 exemplares para as diversas cooperativas de crédito do Brasil.

EDITORA

Confebras

Multiplicar o conhecimento cooperativista é uma tarefa que a Confebras abraça.


PRINCIPAIS REALIZAÇÕES

Coop Online No ano passado, o Coop Online teve uma atuação respeitável perante os números de alunos formados, foram mais de 1.200 em todo o Brasil. Com o seu conteúdo atualizado a cada ano, o Coop Online vem há 5 anos sendo a melhor forma de oferecer as primeiras informações sobre o conhecimento cooperativista para toda a classe cooperativa do Brasil. Prova disso são as muitas Cooperativas de Crédito brasileiras, exatamente cerca de 25 que se tornaram parceiras na aquisição dos serviços da Confebras após a participação nos cursos.

12

Avançada metodologia de ensino à distância aliada aos atuais recursos tecnológicos. Assim é o Coop Online - um produto desenvolvido pela Confebras para promover, por meio da educação à distância, o ensino cooperativista. Cursos práticos, rápidos, flexíveis e dinâmicos, que podem ser feitos até no ambiente doméstico, no ritmo e de acordo com a disponibilidade do aluno, sem imposição de qualquer ordem, a não ser a dedicação.

O Coop Online está a serviço de todas as cooperativas, filiadas ou não à Confebras, para aquisição para seus dirigentes, conselheiros, funcionários ou associados.

Educação sem limites


PRINCIPAIS REALIZAÇÕES

Montreal virou cenário cooperativista verde-amarelo. A Confebras organizou a viagem dos Dirigentes cooperativistas brasileiros até a Universidade de HÉC, em Montreal, com objetivo de aperfeiçoar os seus conhecimentos sobre a Doutrina Desjardins. Lá tiveram participação em cursos e visitas técnicas. No dia 27 de setembro (domingo), os membros desembarcaram no Brasil com a bagagem cheia de histórias e novas experiências para passar.

“Por tudo isto foi profundamente salutar conhecer esse manancial de informações cujos modelos, aplicados em nossas cooperativas, sem dúvida, culminará em resultados positivos.” Napoleão Almeida, Diretor Financeiro Unicred Belém.

Essa realmente foi uma viagem que agregou conhecimento, experiência e um certificado internacional para cada um desses participantes cooperaAlém das aulas nas modernas salas na universi- tivistas brasileiros. dade, todos os participantes fizeram visitas aos locais históricos do Cooperativismo de Crédito Canadense, como por exemplo, a casa de Alphonse Desjardins, o pioneiro da doutrina na América do Norte, além de muitos outros locais interessantíssimos que fizeram a história cooperativista de crédito do Canadá. “O Movimento Desjardins é, pois, uma organização forte, dotada de princípios e regras devidamente elaborados, cujos pilares da sua organização estão lastreados no cumprimento rigoroso das normas, com absoluta transparência e profissionalização dos serviços prestados. Tem assim, a dominância focada no mercado de Quebec, embora haja muitos desafios a enfrentar.”

13


PRINCIPAIS REALIZAÇÕES

7º Cooperacriança 14

Realizado nos dias 13 e 14 de outubro de 2009, época de Dia das Crianças, cerca de 1.300 crianças carentes e especiais sorriram e se divertiram de verdade com o Cooperacriança. Aproveitando a proximidade das datas, foi comemorado também o Dia Internacional do Cooperativismo de Crédito e nós, como engrenagem do Cooperativismo, comemoramos a importância desse dia com milhares de crianças de 19 instituições do DF e entorno, afinal elas precisam de mais atenção da iniciativa privada. O 7º Cooperacriança foi um evento lindo nos seus 2 dias. No dia 13, levamos 200 crianças especiais ao Águas Claras Shopping para assistir ao filme “ Tá chovendo hambúrguer”, a reação não poderia ser melhor, todas saíram da sala com sorrisos estampados na cara. Após o filme, contaram com o show de mágica do Tio André, que deixaram adultos e crianças com um brilho no olhar, além de receberem sacolinhas de guloseimas e vários brinquedos.

O maior desafio foi o segundo dia, no qual reunimos cerca de 1.100 crianças carentes no Nicolândia Center Park. Lá todas brincaram, lancharam e desenvolveram atividades de educação financeira. Para incrementar o evento e oferecer às crianças uma prévia do Cooperaeduca (o próximo projeto da Confebras), foi distribuído revistinhas voltadas à educação financeira infantil e realizado o concurso de Desenho com o tema “Cooperar e Poupar também é coisa de criança.”, tema que guiou a história em quadrinhos do Clubinho do Coopera com a participação de uma nova mascote, a Fortumiga. Nesse concurso, as crianças foram incentivadas a desenhar no papel o que aprenderam sobre cooperar e poupar. Pelo que vimos, elas entenderam tudo. Após comerem bolo, picolés, cachorro-quente, algodão doce, todas ganharam cofrinhos e muitos brinquedos doados por instituições cooperativas de Brasília.

O clímax da solidariedade em comemoração ao Dia das Crianças e ao Dia Internacional do Cooperativismo de Crédito. Ao final dos dois dias, fica o sentimento de dever cumprido, não só da Confebras, mas também da CECRED, que levou o evento solidário para BlumenauSC, colocando em prática o 5º (Educação, formação e informação) e o 7º (Interesse pela comunidade) princípios cooperativistas, tudo para fazer essas crianças mais felizes e preparadas para o futuro.


PRINCIPAIS REALIZAÇÕES

Em 2009 o DICC no Brasil foi um sucesso. A maior repercussão de todas as comemorações em território nacional.

Com alusão ao tema “Seu Dinheiro. Sua Escolha. Sua Cooperativa de Crédito.”, o Dia Internacional o Cooperativismo de Crédito teve essa temática escolhida pelo WOCCU – Conselho Mundial das Cooperativas de Crédito – a partir de um concurso entre as cooperativas de crédito dos EUA, sendo o vencedor e criador dessas palavras, Stan Cowan da Cooperativa de Crédito Federal de Austin, no Texas. Com a incumbência de divulgar essa importante data no Brasil, a Confebras produziu todo o material que inclui hot site, cartaz, bloco de notas, móbiles, mouse pad, camisetas e várias outras peças para que as cooperativas ajudassem a divulgar e comemorar o dia histórico. Neste contexto a Confederação incentivou de forma maciça as cooperativas brasileiras a aderirem ao Dia, para que durante a semana comemorem e relembrem toda a luta que os ícones do cooperativismo de crédito realizaram em prol da categoria cooperativista no mundo. A recompensa veio com grande alegria até a Confebras, ao receber a notícia que a sua campanha surtiu efeito positivo. A Coopercret, uma instituição financeira formada por servidores do IFPB (Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba), realizou as suas comemorações ao DICC. Iniciadas no dia 13 de outubro, com a apresentação do roteiro comemorativo, a festividade teve fim no dia 17. As portas da Cooperativa ficaram abertas para mostrar a logística e o funcionamento da Coopercret aos visitantes. Além dos sorteios de camisetas da Campanha do DICC 2009, alinhados às palestras, distribuição de brinquedos e atividades recreativas em comemoração também ao Dia das Crianças e do Professores.

Nesse mesmo período, houve várias outras cooperativas que realizaram suas comemorações. Esse é o real motivo para a Confebras se sentir lisonjeada por ter feito a campanha com maestria e atingir os resultados almejados.

15


PRINCIPAIS REALIZAÇÕES

PARTICIPAÇÃO NO IV SEMINÁRIO SOCIOECONÔMICO DA AMAZÔNIA, ORGANIZADO PELO SICOOB AMAZÔNIA.

Confebras, com presença no Seminário Socioeconômico do Sicoob Central Amazônia. Atenta e presente nos principais eventos cooperativistas do Brasil, a Confebras mostrou a diferença que pode fazer na vida das cooperativas de crédito nacionais.

16

O stand era singelo, porém o que foi mostrado é grandioso, de importância não só para as cooperativistas de crédito, mas para qualquer outro ramo cooperativista. O ensino cooperativista é o carrochefe nos planos da Confebras, instruir e formar colaboradores cooperativos totalmente ativos, que compreendam o valor do movimento. No evento, estavam presentes várias personalidades veteranas do universo cooperativista brasileiro, dentre eles um dos precursores da Confebras, o Sr. Adilson Tadeu de Araújo, que merecidamente foi homenageado por tudo que prestou ao cooperativismo no Brasil. O presidente da Confebras, Senhor Rui Schneider da Silva apresentou e reforçou para muitos, quem é a entidade, a sua nova missão e os novos rumos da Confebras com a sua reforma estatutária. Dentre as principais mudanças, está além da filiação direta das Cooperativas Centrais, a notícia que agora as Singulares também podem se filiar, o que

E não para por aí, a Confebras foi homenageada pelos bons serviços prestados em prol do cooperativismo de crédito. Um reconhecimento para todos os colaboradores e filiadas se orgulharem de traé ótimo para elas, destarte terão acompanhamento balhar e ser parceira de numa instituição que faz educacional e representativo de ponta. a diferença e ajuda o sistema cooperativista para estar em constante desenvolvimento. Além da palestra do presidente, a Analista de marketing, Srª. Brunna Patrícia, colaboradora da Con- Por fim, o Seminário Socioeconômico do Sicoob febras, fez a apresentação do Coop Online, o curso Central Amazônia foi um belo evento, imporà distância sobre todos os ramos cooperativistas tantíssimo para reunir as cooperativas de crédito que é via internet. Explicou ponto a ponto, como brasileiras na troca de experiências e para firmar funciona e quais as vantagens dos cursos promovi- laços de amizade e companheirismo nos negódos pela Confebras por meio do Coop Online. cios cooperativistas.


PLANEJAMENTO

Metas para 2010 • Lançar o Site da Confebras; • Iniciar Projeto Cooperaeduca; • Realizar as Viagens para Mondragón/Espanha e Região da Baviera/Alemanha; • 8ª Edição do Concred em Foz do Iguaçu – em parceria com Sicoob Paraná; • Lançar Curso de Educação Financeira Online; • Abrir 1ª Turma de Pós Graduação de Gestão em Cooperativas de Crédito – pela UNISUL; • Ampliação do acervo cooperativista com os livros “Cooperativismo de Crédito Brasil - Reedição” e dois novos “Gestão Econômica e Financeira das Cooperativas de Crédito” João Batista.

CONSTRUÇÃO DO NOVO SITE DA CONFEBRAS A estrutura do novo site da Confebras já foi construí- dades e um design inovador que agrega em si toda a credibilidade que a Confebras conquistou da. Agora é questão de detalhes para entrar no ar. ao longo dos anos. O novo site da Confebras no ano de 2009 teve grande progresso em sua edificação. Inserido nos planos de metas de 2010, com o objetivo de dar suporte e maior visibilidade à nova marca, o novo site será lançado com novas funcionali-

Em fase final de construção, nesse ano será dado atenção aos detalhes de design e funcionalidades, com a realização de teste até ser constatado a perfeição em sua usabilidade.

O ANO DE 2010 SERÁ MARCADO PELO MAIOR EVENTO DO COOPERATIVISMO DE CRÉDITO DO BRASIL, O CONCRED. CONCRED – CONGRESSO BRASILEIRO DO COOPERATIVISMO DE CRÉDITO

Esse é o principal evento realizado pela Confebras, em que nutri as relações cooperativistas entre as cooperativas do Brasil e da América Latina.

O ano de 2010 será de muitas tarefas para a Confebras, um exemplo é a 8ª edição do Concred. O evento acontece a cada dois anos e é considerado o melhor e maior evento do cooperativismo de crédito do Brasil, o qual está previsto para acontecer nos dias 25, 26 e 27 de agosto.

A cada edição, uma cidade turística do Brasil é palco do evento. O 8º Concred será realizado em Foz do Iguaçu - PR no Hotel Mabu Thermas Resorts, atrelado ao tema Cooperativismo de Crédito: Seus principais desafios rumo a Sustentabilidade dos negócios.

O profissional do cooperativismo de crédito brasileiro ou sul-americano não vai ficar fora desse evento, que reúne as autoridades que ditam o rumo da união de crédito cooperativo do país e da America Latina.

A expectativa para essa edição é de superar o número de participantes, em vista de obter mais discussões e tomadas de decisões para serem postas em prática num futuro próximo.

17


PLANEJAMENTO

EDUCAÇÃO COOPERATIVISTA EDUCAÇÃO FINANCEIRA PARA ADULTOS. UM CURSO PARA ESTIMULAR MUDANÇAS. Rodeados por um mundo de consumo desenfreado, muitas vezes não se consegue controlar os gastos, causando resultados negativos em nossas finanças pessoais. Com a visão de reverter essa situação que assola cada vez mais pessoas, a Confebras lança um Curso Online de Educação Financeira, que vem como uma maneira de ajudar as Cooperativas de Crédito do Brasil para não apenas oferecerem vantagens, mas ensinar seus cooperados na realização do uso correto e inteligente desses benefícios, (como por exemplo, o crédito) por meio da educação financeira.

18

A Confederação tem em sua essência a convicção que o estudo, em qualquer fase da vida, condiciona o aprendizado. Aproximando da realidade das cooperativas, nas quais oferecem várias vantagens aos seus cooperados, e que esses, mesmo desfrutando desses benefícios muitas vezes ainda ficam no Vermelho. Esse será um curso que poderá proporcionar aos cooperados, colaboradores ou cidadãos de quaisquer categorias trabalhistas, o conhecimento, que se praticado paralelamente ao estudo, gera soluções para suas finanças pessoais. O objetivo principal é mostrar o caminho para as pessoas fecharem seus balanços financeiros com números positivos a cada mês. Rápido e de fácil entendimento, o Curso de Educação Financeira da Confebras prima por desenvolver a expertise dos usuários para um controle eficaz das suas finanças pessoais e familiares. Assim o Azul será a cor de todo mês.

CONTRATO DE PARCERIA COM A UNISUL PARA LANÇAR CURSO DE PÓS GRADUAÇÃO EM AGOSTO DE 2010.

A CONFEBRAS NÃO PERDE TEMPO, E COMEÇA 2010 INSERINDO NO ACERVO DA LIVRARIA DOIS NOVOS LIVROS E REEDITANDO UM SUCESSO DE LEITURA.

A Confebras firmou parceria com a Universidade do Sul de Santa Catarina e lançará, em 2010, um curso Lato Sensu de Pós Graduação em Gestão de Coop- Primando pelo incentivo à leitura de obras cooperaerativas de Crédito, para as Cooperativas de Crédito tivistas do ramo crédito, a Confederação reeditará o livro “O Cooperativismo de Crédito no Brasil” do Valdo Brasil inteiro. decir Manoel Affonso Palhares, que, por ventura, foi O curso será à distância e está com sua grade cur- um grande sucesso de aquisição, essa obra passará ricular em pleno desenvolvimento. Em pouco tempo, por atualizações de dados e assim será reimpresso. a especialização em Cooperativismo de Crédito será uma realidade, para os colaboradores das filiadas à Os livros “Gestão Econômica e Financeira das Cooperativas de Crédito“ de João Batista e “O Socialismo Confebras usufruírem. Aguardem. com um rosto humano”, que serão traduzidos, são as A UNISUL é uma Universidade tradicional de Santa duas novas obras que farão parte do acervo literário Catarina, com 4 décadas de história, ocupa lugar de da Confebras. Mais livros, mais conhecimento à disposição das filiadas. destaque entre as Universidades do Sul do Brasil.

VIAGENS QUE AGREGAM EXPERIÊNCIA DO COOPERATIVISMO INTERNACIONAL. A Confebras acredita que vivenciar de perto respirando o ar das cooperativas internacionais é a maneira eficaz adquirir conhecimento cooperativista de outros países. Visitas técnicas e palestras diárias enriquecem e agregam mais experiência para os colaboradores cooperativistas que participam das viagens organizadas pela Confebras. Em 2010, será a vez de Mondragon/Espanha, para receber as delegações brasileiras. Serão duas turmas para conhecer e viver a experiência do cooperativismo de crédito espanhol. A Confebras estuda viagens de estudos para lugares inéditos. Em vista está a Região da Baviera/Alemanha, o centro do cooperativismo de crédito alemão. Experimentar a experiência cooperativista do ramo crédito de outros países é a forma prática de agregar mais conhecimento pessoal e profissional.


DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS ATIVO CIRCULANTE Disponibilidades (Nota 4) Outros créditos (Nota 5) Adiantamentos e antecipações salariais Valores a compensar Valores a receber de filiadas Outros valores e bens (Nota 6) Material em estoque Despesas Antecipadas - Concred NÃO-CIRCULANTE (Nota 3b) Investimentos (Nota 7) Ações e cotas Outros investimentos Imobilizado (Nota 8) Instalações Moveis e equipamentos de uso Sistema de comunicação Sistema de processamento de dados Depreciações acumuladas (-) Intangível (Nota 9) Licenças e Programas Amortização acumulada do intangível (-) Diferido (Nota 10) Gastos com desenvolvimento de programas Amortização acumulada do diferido (-) TOTAL DO ATIVO

2009 142.452,98 20.248,21

2008 137.774,66 8.569,29

25.513,18 0,00 612,78 24.900,40

29.922,78 2.442,97 0,00 27.479,81

96.691,59 92.047,79 4.643,80

99.282,59 99.282,59 0,00

57.148,39 6.826,59 49.257,26 1.715,00

124.483,81 60.938,56 59.223,56 1.715,00

33.745,13 6.826,59 29.563,18 1.738,00 42.605,31 -46.987,95

34.909,65 6.826,59 28.827,71 1.738,00 38.047,54 -40.530,19

2.218,64 6.134,37 -3.915,73

0,00 0,00 0,00

14.358,03 71.387,88 -57.029,85

28.635,60 71.387,88 -42.752,28

199.601,37

262.258,47

Balanço Patrimonial

EM 31 DE DEZEMBRO DE 2009 - EM REAIS PASSIVO CIRCULANTE Outras obrigações Sociais e estatutárias

2009 41.955,82 41.955,82

2008 77.626,93 77.626,93

14.319,42

59.217,55

6.641,94

4.573,04

18.103,21 0,00 0,00 2.891,25

12.987,82 805,00 43,52 0,00

PATRIMÔNIO LÍQUIDO Capital social (Nota 12) Reservas (Nota 13) Fundo de reserva Sobras ou perdas acumuladas (Nota 14)

201.791,22 44.513,11

184.631,54 43.881,58

134.524,39 134.524,39

131.680,18 131.680,18

22.753,72

9.069,78

TOTAL DO PASSIVO

243.747,04

262.258,47

Fundo de Assist. Técn. Educ. e Social - FATES (Nota 11)

Fiscais e previdenciárias Impostos e contribuições a recolher Diversas Provisionamentos e encargos sociais Fornecedores Credores diversos Eventos Recebidos - Curso Formação Diretores

Demonstrações de Sobras ou Perdas Receitas operacionais Taxa de manutenção

2009 303.476,21 303.476,21

2008 320.799,17 320.799,17

Resultado bruto das receitas operacionais

303.476,21 -264.086,74 -254.508,54 -169.946,71 -1.878,86

Outras receitas / despesas operacionais Despesas de pessoal (Nota 15a) Despesas administrativas (Nota 15b) Despesas tributárias (Nota 15c)

EM 31 DE DEZEMBRO DE 2009 - EM REAIS

320.799,17

Outras receitas operacionais (Nota 15d) Outras despesas operacionais (Nota 15e) Resultado operacional

188.590,57 -26.343,20 39.389,47

97.810,09 -25.174,07 2.163,10

-318.636,07 -199.620,29 -189.109,87 -2.541,93

Resultado não operacional (Nota 16) Receitas não operacionais Despesas não operacionais SOBRAS DO EXERCÍCIO

-10.947,33 4.651,54 -15.598,87 28.442,14

9.174,12 18.190,57 -9.016,45 11.337,22

19


DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS

Demonstrações das Mutações do Patrimônio Líquido EM 31 DE DEZEMBRO DE 2009 - EM REAIS

EVENTOS

20

Saldos em 31 de dezembro de 2007 Diminuição de Capital Devolução de Capital Resultado líquido do período Destinações Das sobras de 2007 a Capital a FATES a Reserva Legal Das sobras de 2008 Reserva Legal (10% ) FATES (10% ) Saldos em 31 de dezembro de 2008 MUTAÇÕES DO EXERCÍCIO EVENTOS Saldos em 31 de dezembro de 2008 Diminuição de Capital Variações no Capital Resultado líquido do período Destinações Das sobras de 2008 a FATES Das sobras de 2008 Reserva Legal (10% ) FATES (10% ) Saldos em 31 de dezembro de 2009 MUTAÇÕES DO EXERCÍCIO

CAPITAL 35.190,93

RESERVA LEGAL 121.355,81

SOBRAS OU PERDAS ACUMULADAS 27.571,95

-500,00 11.337,22

11.337,22

-9.190,65 -9.190,65 -9.190,65

0,00 -9.190,65 0,00

1.133,72

-1.133,72 -1.133,72

0,00 -1.133,72

131.680,18 10.324,37

9.069,78 -18.502,17

184.631,54 512,85

RESERVA LEGAL 131.680,18

SOBRAS OU PERDAS ACUMULADAS 9.069,78

9.190,65

CAPITAL 43.881,58 631,53

44.513,11 631,53

184.118,69 -500,00

9.190,65

43.881,58 8.690,65

TOTAL

TOTAL 184.631,54 631,53

28.442,14

28.442,14

-9.069,78

-9.069,78

2.844,21

-2.844,21 -2.844,21

0,00 -2.844,21

134.524,39 2.844,21

22.753,72 13.683,94

201.791,22 17.159,68


DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS

Demonstração do Fluxo de Caixa para o Exercício EM 31 DE DEZEMBRO DE 2009 - EM REAIS DESCRIÇÃO Atividades Operacionais Sobras/Perdas do Exercício Ajuste de Exercícios Anteriores Constituição do FATES Depreciações e Amortizações Aumento (redução) em Ativos Operacionais Aplicações Interfinanceiras de Liquidez Títulos e Valores Mobiliários Relações Interfinanceiras Relações Interdependências Operações de Crédito Outros Créditos Outros Valores e Bens Aumento (redução) em Passivos Operacionais Depósitos a Vista Depósitos sob Aviso Depósitos a Prazo Outros Depósitos Outras Obrigações Relações Interdependências Caixa Líquido Aplicado em Atividades Operacionais Atividades de Investimentos Aquisição de Investimento Aquisição de Imobilizações de Uso Aplicação no Diferido Aplicação no Intangível Inversões em Imobilizado de Uso Inversões em Investimentos Caixa Líquido Aplicado / Originado em Investimentos

FINDO EM 31/12/2009

FINDO EM 31/12/2008

28.442,14

11.337,22

(15.926,43) (2.844,21) 28.585,09

(18.575,55) (1.133,72) 22.693,97

7.000,60 4.409,60 2.591,00

(24.105,13) 1.430,10 (25.535,23)

(35.671,11) (35.671,11) -

5.038,02 5.038,02 -

(18.856,06)

(16.082,41)

(9.966,30) 9.486,47 6.134,37 (4.193,23) -

(12.442,37) (11.517,92) 3.006,50 -

1.461,31

(20.953,79)

Atividades de Financiamentos Aumento por novos aportes de Capital Incorporação de Sobras Incorporação de Juros Devolução de Capital à Cooperados Pagamento de Sobras Líquidas Relações de Interdependências Obrigações por Empréstimos e Repasses Caixa Líquido Aplicado / Originado em Financiamentos Aumento / Redução Líquida das Disponibilidades/Equivalentes Modificações em Disponibilidades Líquida/ Equivalentes No Ínicio do Período No Fim do Período Variação Líquida das Disponibilidades/Equivalentes

631,53 -

9.190,65 (500,00) -

631,53

8.690,65

11.678,92

(17.008,33)

8.569,29 20.248,21

25.577,62 8.569,29

11.678,92

(17.008,33)

21


NOTAS EXPLICATIVAS

Notas Explicativas 1 - CONTEXTO OPERACIONAL A Confederação Brasileira das Cooperativas de Crédito Ltda - Confebras, tem por objetivo principal a promoção do cooperativismo de crédito em seus vários segmentos, congregando-os como organismo de cúpula, o fomento do cooperativismo de crédito, a promoção de intercâmbio de experiências, a representação das filiadas junto a órgãos nacionais e internacionais e a realização de ações educativas para a defesa, expansão e aprimoramento da prática e preservação dos valores e filosofia do crédito cooperativo brasileiro. 2 - APRESENTAÇÃO DAS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS

22

Sistemas e Equipamentos de processamento de dados: 20%; Imóveis: 4%; demais grupamentos: 10%; D - Ativos e Passivos Contingentes quando houverem: Ativos Contingentes: Os ativos contingentes não são reconhecidos nas demonstrações contábeis, exceto quando a administração possui total controle da situação ou quando há garantias reais ou decisões judiciais favoráveis, sobre as quais não cabem mais recursos, caracterizando o ganho como praticamente certo. Passivo Contingentes: Os passivos contingentes são reconhecidos nas demonstrações contábeis quando, baseado na opinião de assessores jurídicos, for considerado provável o risco de perda de uma ação judicial ou administrativa, gerando uma provável saída de recursos para a liquidação das obrigações e quando os montantes envolvidos forem mensuráveis com suficiente segurança.

As demonstrações contábeis estão sendo apresentadas de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil e instruções do Banco Central do Brasil. 4 - DISPONIBILIDADES Do valor total das disponibilidades que representam os saldos das contas As demonstrações contábeis estão apresentadas em unidades de Real correntes e contas investimentos mantidas nos bancos abaixo relacionae utilizam a nomenclatura e classificação padronizadas pelo Plano Con- dos, e valores em caixa como numerários: tábil das Instituições Financeiras do Sistema Financeiro Nacional - COSIF, DESCRIÇÃO 2009 2008 determinadas pelo Banco Central do Brasil - BACEN, com adaptações Caixa apropriadas para cooperativa de 3o grau. 13,04 19,56 Caixa 3 - DIRETRIZES CONTÁBEIS A - Apuração do resultado: O regime contábil é o de competência, com as receitas e as despesas apropriadas mensalmente;

Bancos conta movimento Banco do Brasil Bancoob Bancoob Sicoob Coominagri Executivo Bancos conta investimento Bancoob Sicoob Coominagri Executivo TOTAL

B - Circulante e não-circulante: Os direitos são demonstrados pelos valores de realização, incluídos os rendimentos e as variações monetárias 5 - OUTROS CRÉDITOS incorridos e deduzidos das correspondentes rendas a apropriar, quando Os valores sobre Outros créditos referem-se a: cabíveis; DESCRIÇÃO C - Investimentos, Imobilizado, Diferido e Intangível: Estão registrados ao custo de aquisição, deduzidas depreciações e amortizações, que são calculadas pelo método linear, observadas as seguintes taxas anuais:

Adiantamentos salariais a funcionários Valores a compensar Valores a Receber - Taxas de manutenção TOTAL

3.880,44 15.499,25

4.577,17 2.493,82

855,48 96.691,59

1.478,74 99.282,59

2009 612,78 24.900,40 25.513,18

2008 2.442,97 27.479,81 29.922,78


NOTAS EXPLICATIVAS 6 - OUTROS VALORES E BENS Os valores sobre Outros valores e bens referem-se a: DESCRIÇÃO Curso de cooperativismo à distância - em estoque Livros sobre cooperativismo - em estoque Despesas antecipadas - Concred TOTAL

2009 11.537,15 80.510,64 4.643,80 96.691,59

2008 11.537,15 87.745,44 99.282,59

7 - INVESTIMENTOS Estão compostos de cotas de participações do capital junto a COLAC e COOMINAGRI respectivamente, sendo as participações da COLAC atualizadas monetariamente pela variação do dólar americano conforme instruções da Receita Federal; e dos direitos autoriais pagos para o Curso de Cooperativismo à Distância. Estando assim distribuidos: AÇÕES E COTAS COLAC SICOOB COOMINAGRI Executivo TOTAL

2009 40.373,54 8.883,72 49.257,26

2008 50.821,34 8.402,22 59.223,56

OUTROS INVESTIMENTOS Direitos autorais - Curso Cooperativismo à Distância TOTAL

2009 1.715,00 1.715,00

2008 1.715,00 1.715,00

TOTAL DE INVESTIMENTOS

50.972,26

60.938,56

8 - IMOBILIZADO Demonstrado pelo custo de aquisição. As depreciações foram calculadas pelo método linear com base em taxas determinadas pelo prazo de vida útil estimado. Os grupos foram depreciados conforme taxas de: instalações - 10% aa; móveis e equipamentos - 10% aa; sistema de comunicação - 10% aa e sistema de processamento de dados - 20% aa. O imobilizado teve a seguinte movimentação: DESCRIÇÃO Instalações Móveis e equipamentos Sistema de comunicação Sistema de processamento de dados TOTAL

2009

ENTRADAS

BAIXAS

DEPRECIAÇÕES ACUMULADAS

2008

6.826,59 28.827,71 1.738,00 38.047,54 75.439,84

735,47 8.751,00 9.486,47

(4.193,23) (4.193,23)

(3.021,17) (15.087,85) (1.381,39) (27.497,54) (46.987,95)

3.805,42 14.475,33 356,61 15.107,77 33.745,13

2009

DEPRECIAÇÕES NO PERÍODO

BAIXAS

2008

(2.324,61) (12.324,38) (1.151,59) (24.729,61) (40.530,19)

(696,56) (3.119,64) (229,80) (6.345,79) (10.391,79)

356,17 3.577,86 3.934,03

(3.021,17) (15.087,85) (1.381,39) (27.497,54) (46.987,95)

O grupo de depreciações acumuladas tiveram as seguintes movimentações: DESCRIÇÃO Instalações Móveis e equipamentos Sistema de comunicação Sistema de processamento de dados TOTAL

23


NOTAS EXPLICATIVAS 9 - INTANGÍVEL Demonstrado pelo custo de aquisição, refere-se aos custos com as licenças de uso de programas de processamentos de dados. As amortizações foram calculadas para o período de cinco anos a 20% aa. DESCRIÇÃO Licenças e Programas Amortizações acumuladas TOTAL

2008 -

ENTRADAS 6.134,37 6.134,37

AMORTIZAÇÕES (3.915,73) (3.915,73)

2009 6.134,37 (3.915,73) 2.218,64

10 - DIFERIDO Demonstrado pelo custo de aquisição, refere-se aos custos com o desenvolvimento do Curso de cooperativismo a distância via internet. As amortizações foram calculadas para o período de cinco anos a 20% aa. DESCRIÇÃO Gastos com desenvolvimento Amortizações acumuladas TOTAL

24

2008

ENTRADAS

AMORTIZAÇÕES

2009

71.387,88 (42.752,28)

-

(14.277,57)

71.387,88 (57.029,85)

-

-

(14.277,57)

14.358,03


NOTAS EXPLICATIVAS

25


NOTAS EXPLICATIVAS

26


NOTAS EXPLICATIVAS

27


Parecer do Conselho Fiscal

28


Nominata da Estrutura DIRETORIA EXECUTIVA

CONSELHO FISCAL

QUADRO FUNCIONAL

Rui Schneider da Silva Diretor Presidente Sicoob Central Santa Catarina

Ednéa de Fátima Cabral Ramos Sicoob Central Amazônia

Maria Telma da Silva Superintendente

Íris Fernando de Castro Sicoob Central Norte

Brunna Patrícia Barbosa Soares Analista de Marketing

Moacir Krambeck CECRED

Elisama Silva da Conceição Analista Financeiro

Suplentes:

Leiliane Nunes Raimundo Analista Administrativo / Coordenadora do NEAD

Gelásio Gomes CECRED

Terezinha Alves da Silva Serviços Gerais

Irecê Teixeira Firmino Sicoob Central Amazônia

Laércio Zipperer Villalba Contador

Altevi Oliveira da Costa Diretor Administrativo Sicoob Central DF Wilson José da Silva Diretor Financeiro Sicoob Central MT/MS

CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO Antônio Geraldo de Freitas Filho Federalcred Central Celso Ramos Régis Sicredi Federal MS George Hiraiwa Sicoob Central Paraná Manoel Messias da Silva Sicoob Central Cecresp

Roney Jackinson Ferreira de Jesus Estagiário de Pedagogia Gabriel Andrade Gomes Estagiário de Publicidade e Propaganda Guilherme Souza Diniz Estagiário de Sistemas de Informação Gustavo Saraiva de Oliveira Estagiário de Publicidade e Propaganda

29


Quadro de Filiadas CENTRAL

TEL/FAX

E-MAIL

ENDEREÇO

DIRETOR PRESIDENTE

CECRED - Cooperativa Central de Crédito Urbano do Estado de Santa Catarina

(47) 3231-4646 Fax: (47) 3231-4694

viacredi@viacredi.coop.br moacir@viacredi.coop.br cecred@cecred.coop.br

Rua Hermann Hering, 1125 - Bom Retiro Blumenau - SC - CEP 89010-600

Moacir Krambeck

SICOOB CENTRAL CECRESP - Central das Cooperativas de Crédito do Estado de São Paulo Ltda.

(11) 3327.1900 Fax: (11) 3327-1906 (11) 3313-4954

administracao@cecresp.org.br marcia.watzek@cecresp.org.br

Praça Alfredo Issa, 48 - 18º Andar - CJS 181/182 Santa Efigêni - São Paulo - SP - CEP 01033-040

Manoel Messias da Silva

(16) 3456-7400

secretaria@cocecrersp.org.br cocecrersp@cocecrersp.org.br

Av. Constabile Romano, 1271 - Riberânia Ribeirão Preto - SP - CEP 14096-380

José Oswaldo G. Junqueira

(73) 3214-3172 Fax: (73) 3214-3175

coopec@ceplac.gov.br

Km 22 da Rodovia Ilhéus - Itabuna Ilhéus - BA - CEP 45650-000

Mário Luiz de A. Tavares

FEDERALCRED CENTRAL - Central das Cooperativas de Crédito Mútuo dos Policiais Federais Ltda.

(82) 3214-6600

central@federalcred.com.br

Rua Estudante Antônio Carlos Moura Gama, 125 Stela Maris - Jatiúca - Maceió - AL - CEP 57036820

Noaman Raimundo Alencar

SICOOB CENTRAL AMAZÔNIA - Central das Cooperativas de Crédito do Estado do Pará

(91) 3323-9900

secretaria@sicoobamazonia.coop. br diretoria@sicoobamazonia.coop.br

Av. Conselheiro Furtado, 1693 - Bairro de Nazaré Belém - PA - CEP 66040-100

Valdecir Manoel A. Palhares

SICOOB CENTRAL NORDESTE - Central das Cooperativas de Crédito do Nordeste

(83) 3015-2400 Fax: (83) 3015-2427

central@sicoobne.com.br alessandra@sicoobne.com.br feitoza@sicoobne.com.br

Rua Dom Jose Tomas, 81 Bessa - Cabedelo - PB - CEP 58310-000

João Feitoza Neto

SICOOB CENTRAL NORTE - Cooperativa Central de Crédito do Norte do Brasil

(69) 2181-1007 Fax: (69) 2181-1012

centralnorte@centralnorte.com.br rosilda@centralnorte.com.br

Av. das Nações, 555 - Nossa Senhora das Graças Porto Velho - RO - CEP 76804-175

Jonas Tavares da Silva

SICOOB CENTRAL PARANÁ - Central das Cooperativas de Crédito do Estado do Paraná

(44) 3027-6940 Fax: (44) 3027-6941

denize@sicoobpr.com.br sicoobpr@sicoobpr.com.br

Av. Duque de Caxias, 882 - Ed. New Tower Plaza 2ª S/L - Novo Centro - Maringá - PR - CEP 87020025

Jefferson Nogaroli

SICOOB CENTRAL DF - Central das Cooperativas de Crédito do Distrito Federal Ltda.

(61) 3204-5000/07 Fax: (61) 3204-5032

sicoobdf@sicoobdf.coop.br

SCS - Qd. 06 - Bloco A, 50 - Ed. Sofia Sala 502 - Brasília - DF - CEP 70306-902

José Alves de Sena

SICOOB CENTRAL MT/MS - Central das Cooperativas de Crédito dos Estados de Mato Grosso e Mato Grosso do Sul

(65) 3314-1100 Fax: (65) 3901-1121

central@sicoobmtms.coop.br

Av. XV de Novembro, 734 - 2º Piso Porto - Cuiabá - MT - CEP 78020-301

Jadir Girotto

SICOOB CENTRAL SC - Cooperativa Central de Crédito de Santa Catarina Ltda.

(48) 3261-9000 Fax: (48) 3261-9000

sicoobsc@sicoobsc.com.br vivian@sicoobsc.com.br

Rua Tenente Silveira, 94 Ed. Schweidson - 3º Andar - CP 3285 Centro - Florianópolis - SC - CEP 88010-300

Rui Schneider da Silva

(67) 3323-6800

elizangela_silva@sicredi.com.br secretaria_federal@sicredi.com.br celso_regis@sicredi.com.br

Campos Universitário - Cidade Universitária Setor Bancário - Campo Grande - MS - CEP 79070900

Celso Ramos Régis

(66) 3498-1388 Fax: (66) 3498-0500

raquel@primacredi.com.br

Rua Blumenau, 325 - Centro Primavera do Leste - MT - CEP 78850-000

Darnes Egidio Ceruti

(24) 2465-2291

cremendes@cremendes.com.br

Av. Júlio Braga, 20 - Centro Mendes - RJ - CEP 26700-000

Márcio Nami

SICOOB CENTRAL COCECRER SP - Cooperativa Central de Crédito Rural do Estado de São Paulo COOPEC - Cooperativa de Economia e Crédito Mútuo dos Funcionários da Ceplac Ltda.

30

SICREDI FEDERAL MS - Cooperativa de Economia e Crédito Mútuo dos Servidores Públicos Federais em Mato Grosso do Sul. PRIMACREDI - Cooperativa de Crédito Rural de Primavera do Leste Ltda

CREMENDES - Cooperativa de Crédito de Mendes Ltda



Confebras