Issuu on Google+

Bebedouro

www.redebrasilatual.com.br

Jornal Regional de Bebedouro

nº 1

carga pesada

Agosto de 2010

eleições 2010

o pedágio mais caro do mundo divulgação

Valor cobrado em São Paulo é doze vezes maior do que nas estradas federais

Dilma na frente Pesquisas dão vantagem à candidata do presidente Lula

Pág. 2

mauro ramos

crise política

sururu na cidade A briga dos acusados de corrupção acaba em pizza

Pág. 3

mídia walter mesquita

turma do riso

divulgação

Uma grande palhaçada Favela on-line

Grupo de artistas amadores distribui alegria na cidade

As periferias do Brasil mostram a cara para o mundo

Pág. 7

Pág. 6


2 eleições 2010

Dilma na frente Candidata de Lula vence em todos os institutos de opinião As últimas pesquisas dos institutos de opinião pública do Brasil trazem dados semelhantes sobre a intenção de voto dos eleitores para o primeiro turno da eleição presidencial no país: todos eles, com pequena diferença, apontam a liderança da candidata do presidente Lula, a petista Dilma Roussef, seguida de José Serra (PSDB), Marina Silva (PV), Plínio de Arruda vox populi 45

Caro leitor, você está recebendo o primeiro número do Jornal Brasil Atual, edição de Bebedouro, cujo compromisso é o direito à informação, que traz em si o debate das ideias. O jornal circulará mensalmente, em formato tabloide. Ele será um veículo de comunicação que trará notícias do Brasil e do mundo e noticiará os problemas locais, privilegiando os interesses da comunidade e unindo, por meio da informação, as pessoas que nela vivem. Por isso, caro leitor, convidamos você a fazer parte desse novo projeto de comunicação. Leia, discuta, opine, sugira, critique. Enfim, participe. Já a partir da próxima edição, o leitor terá um espaço para dar sua opinião sobre qualquer assunto. Inclusive sobre o nosso projeto. Então, mãos à obra. E boa leitura!

espaço do leitor As mensagens podem ser enviadas para jornalba@redebrasilatual. com.br ou para rua São Bento, 365, 19º andar, Centro, São Paulo, SP, CEP: 01011-100. As cartas devem vir acompanhadas de nome completo, telefone, endereço e e-mail para contato.

Dilma

Serra

33

32 Dilma

Serra

16/08

17/08

sensus 41.6

41

29

Dilma

Serra

15/08

31.6 Dilma

Serra

05/08

Todos os institutos dão vantagem à Dilma

recursos de brasília

Como se move a nossa economia Até o dia 1º julho, o governo Lula enviou para Bebedouro R$ 17.849.901,58. Discutese no meio político sobre a necessidade de descentralizar os

recursos públicos – há quem diga que eles se concentram muito no governo federal. “Esses recursos são tratados de forma republicana, sem

Ano: 2010 Valores em R$

Brasil Atual

datafolha

Ibope 43

editorial

havia na técnica de pesquisa que, por economia, só considerava as opiniões de quem tinha telefone (fixo ou celular), para ficar mais fácil checar os dados dos entrevistados. Além disso, não aparecia no Datafolha a população rural brasileira, que representa 16% do eleitorado, onde a diferença de Dilma representa 4 pontos no universo total de eleitores.

Sampaio (PSOL) e dos demais candidatos, a maioria deles sem a preferência sequer de 1% do eleitorado. A discrepância ficava com o Datafolha, instituto ligado ao jornal Folha de São Paulo, que não apontava a vantagem de Dilma e ainda a colocava um ponto atrás do presidenciável tucano. Mas a última sondagem do instituto reparou um erro que

privilégios” – diz o governo. Discussões à parte, o dinheiro tem ajudado bastante os municípios brasileiros. Bebedouro é um deles.

www.portaldatransparencia.gov.br

10.000.000 8.000.000 6.000.000 4.000.000 2.000.000

Repasse ao município R$ 10.025.623,90 Saúde R$ 5.272.447,57 Assistência Social R$ 1.602.886,10

Educação R$ 410.716,26

0

Total até junho – R$ 17.849.901,58

Expediente Jornal Brasil Atual – Bebedouro Editora Gráfica Atitude Ltda – Diretor de redação Paulo Salvador Editor João de Barros Revisão Betto Ferreira Diagramação Leandro Siman Redação (11) 3241-0008 Tiragem: 10 mil exemplares Distribuição Gratuita


3 crise política em bebedouro

Confusão na cidade Italiano, acusado de envolvimento com as fraudes nas licitações, outra contra Spido, acusado por pessoas ligadas ao prefeito de cometer irregularidades no Departamento de Desenvolvimento Econômico, quando este esteve sob seu comando – soma-se ao imbroglio o fato de Italiano não cumprir várias de suas promessas de campanha. Instalou-se um sururu. Há mais de um mês, dezenas de viaturas policiais cercaram o Paço Municipal, o SAAEB e o Departamento de Educação

para cumprir mais de uma dezena de mandados de prisão. Depois, a Câmara Municipal aguçou ainda mais esse sentimento quando, na sessão de 2 de agosto, rejeitou a abertura das Comissões Processantes (CPs) que poderiam cassar os mandatos do prefeito e do vice. Houve protestos. Pizzas foram distribuídas aos vereadores e cidadãos presentes à sessão. Uma coroa de flores foi colocada em frente à casa de leis, simbolizando a morte do poder legislativo local. Bebedouro já foi mais feliz.

Briga do poder em Bebedouro terminou em pizza

mauro ramos

A operação da polícia e do Ministério Público, denominada “cartas marcadas”, que investiga suposto esquema de fraudes nas licitações da prefeitura municipal, proporciona um clima de melancolia jamais vivido na cidade. Para agravar a situação, há uma briga aberta entre o prefeito João Batista Bianchini, o Italiano (PV), e o vice Gustavo Spido (ex-PV, agora sem partido). Duas Comissões Parlamentares de Inquérito (CPIs) foram criadas na Câmara, uma contra

mauro ramos

Sentimento da população oscila entre decepção e raiva

Coroa de flores na Câmara: sem epitáfio

jardim santa terezinha

mauro ramos

Moradores sofrem com o descaso

Ruas esburacadas, um transtorno do bairro

Um problema antigo no Jardim Santa Terezinha é o fluxo de caminhões que trazem soja à empresa Granol. Além dos buracos no asfalto e dos acidentes com os postes e a fiação de energia elétrica, o barulho dos caminhões atrapalha o sono de

todos, pois eles transitam em todos os horários, inclusive de madrugada. A solução seria a prefeitura prolongar a Rua Barretos e fazer um acordo com a indústria de óleo vegetal que garantisse a entrada dos caminhões pela frente

da empresa, à margem da rodovia Armando Salles de Oliveira. Mas, até agora nenhum prefeito tomou as providências. “Será que somos moradores de segunda classe?” – questiona Aparecido Donizete de Freitas, morador do bairro.

trabalho no campo

O Sindicato dos Empregados Rurais de Bebedouro quer o fim dos condomínios rurais, que surgiram para substituir as cooperativas de trabalhadores – apelidadas de coopergatos ou gatoperativas –, mas, na prática, continuam aviltando a mão de obra no campo.

Para o presidente da entidade, Gonçalves dos Santos, o ‘Salo’, é comum encontrar gente sem registro em carteira. “O ideal – diz ele – seria que os trabalhadores fossem contratados pelas indústrias de suco.” O sindicato já fez várias

denúncias ao Ministério do Trabalho e Emprego, mas as dificuldades de fiscalização são grandes. Faltam fiscais para atender a demanda. Os condomínios mudam a razão social a cada período e, assim, evitam responder ações trabalhistas.

mauro ramos

A exploração continua

Ônibus usado no transporte de trabalhadores rurais


4 carga pesada

São Paulo tem o pedágio mais caro do mundo Valor cobrado aqui é doze vezes maior do que nas estradas federais

Praças de pedágio: mais 27 delas estarão operando nas estradas paulistas

Este ano surgiu também o Movimento Estadual contra os Pedágios Abusivos de São Paulo. José Matos, morador de Indaiatuba, é o coordenador do movimento que reuniu grupos descontentes com as praças de pedágios do Estado. Segundo ele, de 1998 a 2009, o governo de São Paulo arrecadou R$ 8,4 bilhões de outorga, uma espécie de aluguel que as concessionárias pagam para o governo e que aumenta o valor das tarifas de pedagiamento. O movimento, afirma Matos, é a favor do modelo

saída

bebedouro

adotado pelo governo federal, em que não há outorga e as tarifas são menores porque o leilão dos trechos concedidos busca o menor preço e dispensa outorga. “Pedágio é tarifa, não é imposto; e tarifa se paga pelo uso, como água, telefone” – propõe. Exemplo disso são os 20 km do trajeto Indaiatuba - Campinas. Cobra-se pelos 62 km disponíveis, ao custo de R$ 8,80. “O justo seria pagar R$ 2,80, não R$ 8,80 – avalia. E completa: “Sem a outorga, o valor seria ainda menor: R$ 0,40”.

Taiúva R$

5,30

Rod. Brig. Faria Lima, km 357 - SP-326

desde Piracicaba (165 km), pela rodovia dos Bandeirantes, desembolsa R$ 17,60. De acordo com dados do pedagiômetro, as praças de pedágio arrecadam R$ 168,08 reais por segundo, mais de R$ 43 milhões todos os meses. O valor cobrado aqui é 12 vezes maior do que nas estradas federais – na rodovia Fernão Dias, para ir de São Paulo a Belo Horizonte (586 km) o motorista paga R$ 7,70. Já nos 454 km que separam São José do Rio Preto de São Paulo, o viajante gasta R$ 59,15 – uma diferença de quase 600%.

www.pedagiometro.com.br

Segundo estimativa do Pedagiômetro, ao fechamento da matérias às 14h10min de 16 de agosto, os pedágios de São Paulo arrecadaram mais de R$ 3,3 bi.

pedagiometro.com.br

Preços abusivos

No planeta, as tarifas variam de R$ 0,02 a R$ 0,04 por km rodado. Em São Paulo, elas vão de R$ 0,07 a R$ 0,16 e chegam a R$ 0,56 no caso da Marginal da rodovia Castelo Branco. Há 227 praças de pedágio espalhadas nas estradas paulistas. Em 2010, mais 27 praças entram em operação no estado. Cada lugar cobra um preço. Para ir de Marília à capital, o motorista gasta R$ 46,30 em oito pedágios existentes – cinco na rodovia Marechal Rondon e três na Castelo Branco. Quem se desloca

Um pedagiômetro calcula, desde 1º de julho, a arrecadação das 227 praças de pedágio estaduais de São Paulo. A ferramenta virtual estima em tempo real a arrecadação dos pedágios paulistas com base nos relatórios das concessionárias. Os idealizadores do pedagiômetro, Eric Mantoani e Keffin Gracher, calculam que dobrada

5,20

os pedágios paulistas arrecadam R$ 168,08 por segundo ou R$ 605,1 mil por hora, chegando perto de R$ 435,6 milhões por mês. “Quisemos criar algo que impacte e sensibilize as pessoas para perceberem que os valores são realmente muito altos e para que se analise que pedágio não deveria servir para lucro”, diz Gracher.

araraquara

11,25

R$

R$

Rod. Brig. Faria Lima, km 326 - SP-307

Rod. Washington Luiz, km 282 - SP-310

rio claro

12,05

R$

Rod. Washington Luiz, km 181 - SP-310


5

Motorista agora tem de ter troco

Irmãos na agonia

mauro ramos

Claudemir e Washington: vítimas do pedágio

Claudemir Natale, 31 anos, e Washington Marcelo Roberto Martinelli, 33 anos, são microempresários, amigos e sócios. Eles moram em Bebedouro e têm duas farmácias, uma em Colina e outra em Jaborandi. Eles têm outra coisa em comum: para trabalhar, ambos têm de pagar pedágio. Todos os dias, Claudemir faz o caminho de ida e volta a Barretos, passando por Colina. Para percorrer apenas 45 quilômetros de distância, ele deixa R$ 12,30 no pedágio. “Gasto quase 300 reais por mês de

despesa extra de condução; isso é um absurdo” – diz ele, que acrescenta: “Engulo a raiva todos os dias na praça do pedágio”. Washington, por sua vez, considera o valor cobrado no pedágio “muito alto”, o que, segundo diz, “encarece o preço dos medicamentos”. “Quem acaba pagando tudo é o consumidor que muitas vezes nem usa a estrada”. As distribuidoras das quais esses sócios compram os produtos farmacêuticos estão sediadas em cidades como Barretos, Agudos e Rio Preto, entre outras.

Troco: transtorno adicional para os motoristas

O reajuste da tarifa de pedágios trouxe um transtorno adicional para os motoristas. Além de ter de pagar mais, o valor cobrado em várias praças é quebrado,

o que aumenta a necessidade de moedas de cinco centavos. Na rodovia dos Bandeirantes, por exemplo, os pedágios de Itupeva e Caieiras custam

R$ 6,35. Com isso, há perda maior de tempo para efetuar o pagamento e o risco do arredondamento resultar em prejuízo do motorista é mais que evidente.

wordpress.com/cesar ogata

O protesto de 1º de julho

Dia de luta contra os pedágios abusivos: protesto limeira

4,25

nova odessa

5,60

Durante todo o dia 1° de julho, manifestantes se reuniram nas rodovias Castelo Branco, Raposo Tavares, Anhanguera, Santos Dumont e na Estrada Velha de Campinas e realizaram passeatas, com paralisações de corredores rodoviários, no Dia de Luta Contra os Pedágios Abusivos.

O movimento aproveitou o reajuste dos 227 pedágios em até 5,22% para alertar e mobilizar a sociedade sobre a política do governo estadual em favor das concessionárias. As tarifas abusivas estabelecem graves barreiras ao desenvolvimento econômico, social e cultural dos municípios.

itupeva

6,35

caieiras

6,35

R$

R$

R$

R$

Rod. Anhangüera, km 152 - SP-330

Rod. Anhangüera, km 118 - SP-330

Rod. dos Bandeirantes, km 77 - SP-348

Rod. dos Bandeirantes, km 36 - SP-348

chegada

São Paulo Total:

R$

56,35


6 mídia

Favela on-line Projeto de correspondentes comunitários se estende por todo o Brasil Por Maurício Thuswohl*

O Brasil é um grande usuário de internet no mundo. O país tem 70 milhões de “navegantes”, 36 milhões deles muito ativos, segundo relatório Ibope/Nielsen. E, à medida que a rede mundial de computadores se aproxima das periferias,

aumentam a democratização do acesso ao conhecimento­e o uso que se faz dela. O site Viva Favela, criado no Rio de Janeiro, em 2001, pela ONG Viva Rio, é um belo exemplo. No início, sua principal atividade era promo-

Reconhecimento O projeto é premiado. Em outubro passado, faturou o Mídia Livre, do Ministério da Cultura. Antes, o Viva Favela havia sido “diplomado” em 2008 como Excelência no Uso de Tecnologia da Informação, pelo Stockholm­Challenge Awards, da Suécia. Em 2005, o site recebeu nos Estados Unidos o prêmio oferecido pelo Open Society Institute, ligado à Fundação Georges­ Soros, e uma menção hon-

rosa do prêmio Vladimir Herzog de Anistia e Direitos Humanos, do Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo.

ver cursos, oficinas e inclusão digital. Mas, como o uso da tecnologia permitia aos moradores das comunidades atuar como comunicadores e produtores de conteúdo informativo sobre a realidade que os cerca, logo essa rede rendeu frutos

Interatividade O acervo de reportagens e fotografias do Viva Favela está armazenado no banco de dados do site original e também nos sites subordinados, criados para explorar temas e linguagens específicos. Com o lançamento da versão 2.0, o site passou a contar também com conteúdos de áudio e vídeo: “Estamos consolidando parcerias em âmbito nacional e preparando um documento com nossa proposta metodológica. A ideia é que outros projetos aproveitem a experiência

na formação de comunicadores” – diz Rodrigo. Correspondente em Salvador, o jornalista Ivan Santana afirma que a sua participação no Viva Favela aumentou o reconhecimento do seu trabalho. “Em minha comunidade, passei a ser visto com mais credibilidade a partir do momento em que nossas produções ultrapassaram as barreiras da Bahia e se projetaram para outros Estados. Colaborou Tatiana Vieira *Publicado na revista do Brasil, número 49

Correspondentes

comunitários Para se tornar um correspondente co­munitário do Viva Favela, cadastrese e participe dos Fóruns de Sugestões de Pauta, quando é possível­saber o que cada correspondente pretende produzir e também estabelecer formas de parceria e colaboração de diversos correspondentes em torno de uma mesma pauta. Os Fóruns de Sugestões de Pauta também definem publicações especiais em torno de um tema. Como revistas virtuais, essas publicações contam com a coor­denação de algum jornalista convidado. “Toda revista tem um editor especial para estimulá-las. O primeiro editor convidado foi o Caco Barcellos. Imagina, um jovem comunicador recebendo dicas e elogios de um profissional consagrado como ele?” – diz Rodrigo.

walter mesquita/viva favela

Viva Favela: site criado em 2001 mostra a criatividade das periferias brasileiras

nas grandes favelas do Rio – Rocinha, Cidade de Deus, Maré e Complexo do Alemão. O resultado foi a criação do site www.vivafavela.com.br. Depois do lançamento do Viva Favela 2.0, em abril, o projeto já tinha uma rede de 334 correspondentes comunitários em todo o país e 30 mil novos acessos. Para o jornalista Rodrigo Nogueira, que foi editor de conteúdo por três anos, o site é uma ponte virtual entre o asfalto e a favela. “A meta é transformá-lo num modelo de jornalismo­ cidadão, feito de dentro das favelas e dialogando com o mundo” – diz. A homepage é dividida em quatro seções (textos, fotos, vídeos e áudios), e sua atualização é permanente. As notícias em destaque na página inicial são selecionadas com base no número de votos que receberam nos últimos dois dias.

Vale até usar rodinho como tripé de câmera


7

Turma do riso

Hoje tem palhaçada? Tem sim senhor

divulgação

A atuação do grupo que leva bom humor aos hospitais, asilos e creches da cidade

O grupo de palhaços amadores: só risos

A Turma do Riso é um grupo de humanização hospitalar, conhecido como “Palhaços de Hospital”, composta de pessoas comuns, jovens e adultos de Bebedouro, todas voluntárias. Esses “palhaços” amadores, sem nenhuma formação artística, contam apenas com a boa vontade de ajudar ao próximo. Inspirados no médico americano Patch Adams, eles se vestem de palhaço e usam brincadeiras, músicas, estó-

rias e conversas para atingir seu objetivo. A Turma visita hospitais, asilos e instituições infantis e levam alegria às pessoas – pacientes, internos, profissionais ou visitantes. A turma surgiu em abril de 2004, com o incentivo do dr. Jamiro Wanderlei, médico, residente em Campinas. Naquele dia, depois de proferir uma palestra em Bebedouro, ele reuniu sua esposa Suely e mais um grupo de pessoas da cidade e,

minha casa, minha vida

criança e adolescente

Bebedouro também está nessa

Prefeitura perde o Segundo Tempo

mauro ramos

Até o ano passado o Programa Segundo Tempo, do Governo Federal, atendia crianças e adolescentes de Bebedouro, na prática esportiva, em horários contrários ao da escola regular. O programa contemplava 1.500 estudantes em nove polos espalhados pela cidade.

Residencial dr. Pedro Paschoal: 572 casas estão sendo construídas na cidade

O programa Minha Casa Minha Vida, do Governo Federal, tem o objetivo de reduzir o déficit habitacional no país, estimado em 7,2 milhões de moradias. A meta é construir um milhão de casas para famílias de renda mensal

de até 10 salários mínimos. Desse total 400 mil serão destinadas às famílias que ganham entre zero e três salários mínimos, com prestação mínima de R$ 50,00 e de no máximo 10% da renda do beneficiário, pelo período de 10 anos.

Em Bebedouro serão construídas 572 casas no Residencial dr. Pedro Paschoal. No futuro esse número poderá aumentar, pois há mais de sete mil pessoas cadastradas esperando pela casa própria.

caracterizados de palhaços, fizeram uma visita ao “Lar dos Pequeninos”. A partir daí, o grupo começou a se organizar e realizar as visitas, atualmente feitas aos sábados. Eventualmente, a Turma realiza apresentações de teatro amador e palestras e participa de campanhas como as de vacinação infantil. Para saber mais sobre esse trabalho, acesse o site www.turmadoriso.com.br.

De repente, e sem explicação, a prefeitura não renovou o contrato com o Ministério dos Esportes e interrompeu o programa. Várias mães reclamaram, pois seus filhos, que antes praticavam esportes com o acompanhamento de profissionais, não têm mais onde ficar, o que lhes causa preocupações.

saúde

Onde está o dinheiro? Há mais de dois anos, o exvereador Carlos Orpham (PT) conseguiu uma verba – via emenda parlamentar do deputado federal Ricardo Berzoini (PT) – para construir uma Unidade Básica de Saúde, no Residencial

Bebedouro. No final da gestão Hélio Bastos a terraplenagem foi feita no terreno. Foi afixada uma placa referente à obra. Depois, nada mais foi feito. A pergunta é: onde foi parar o dinheiro? Será que perdemos mais essa verba?


8

Respostas

palavras cruzadas 4

5

6

7

8

9

10

1 2

I

E

A R O A R E

D O R I

N O F

I

E O S

F O S

A M A R D

S T G S

I

L

A T O M O

M A S

E R

E N S

I

T V A

C A T A R A T A S Palavras cruzadas

2

L

1

E R

9

L

5

I

3

V

4

A D A

7

A R A

7

8

I

6

Vertical - 1. Fortaleza defensiva 2. Alma, espírito; Tempo de vida 3. Oxalá; Designa cólera 4. Associação Farmacêutica de Araraquara; Símbolo do rádio 5. Quadrúpede usado na alimentação humana; ardor 6. Alcoólicos & Neuróticos; Combinação da preposição a com o artigo o; Certo cumprimento; Escola Politécnica 7. Mosca africana; Áspera (ant.) 8. Formosos; Agência de Tecnologia da Informação 9. Iniciais de São Vicente; O que é impossível explicar 10. Roca; Cálice usado por Jesus na Última Ceia

A R C O

8

A

6

1

I

4

S T

2

R E

8

O D R

6

Horizontal - 1. Cachoeiras 2. Inócua 3. O santo conhecido como ‘Bom Ladrão’; Sufixo da 2ª conjugação verbal 4. Gostar muito; A menor quantidade de uma substância elementar 5. Sofrimento; Vestígio petrificado 6. Lavre; Um Volks cupê 7. Tomei conhecimento; Argola; Abreviatura de sargento, em inglês 8. Facção rival do Comando Vermelho; Reles; Nome de série americana de televisão 9. Segmento de uma curva; Mãe d’água 10. Observatório do Recife (abrev.); Feixe de luz 11. Observam; Depósito de pólvora

O L

1

I

3

11

P A

4

10

E M

4

8

V E

5

2

4

Sudoku

2 5

1

9 4 7 1 6 2 3 5 8

6

5

8 9

1

2

7

6 1 3 8 5 7 9 2 4

4

6

8 5 2 4 9 3 1 7 6

9

5

1 2 9 3 8 4 5 6 7

sudoku

4

5 7 8 9 2 6 4 3 1

andré bonacin

3

3 6 4 7 1 5 2 8 9

3

2 9 1 6 3 8 7 4 5

2

7 8 5 2 4 1 6 9 3

1

4 3 6 5 7 9 8 1 2

foto síntese


Jornal Brasil Atual - Bebedouro 01