Issuu on Google+

Uruguaiana, de 11 a 17 de março de 2011 - Ano VII nº 333 Uruguaiana - Barra do Quaraí e Paso de los Libres - Visite nosso site: www.jornalmomentodeuruguaiana.com.br

R$ 3,00

Prefeito de Barra do Quaraí é empossado presidente da AMFRO PÁGINA 5

VERA IONE MOLINA

RURAL

Governo federal quer mudanças na estrutura administrativa do Incra PÁGINA 14

Comissão de Agricultura da AL aprova audiência pública em Uruguaiana PÁGINA 14

GERAL

Entidades Classistas Oficializam Criação de TV Comunitária

Café da Praça modificou hábitos dos uruguaianenses PÁGINA 6

BARRA DO QUARAÍ

PÁGINA 7

Município sediará o 3º Seminário Faixa de Fronteira do MERCOSUL PÁGINA 9

Quinta 333.p65

1

SEGURANÇA

Faz programa e perde a carteira Preso no João Paulo II por tando portando ar ma com numeração raspada arma

Maher Jaber entrega principais demandas dos municípios da Amfro ao Governador do Estado

1º BPAF realizou Operação Balada Segura durante o carnaval

PÁGINA 5

PÁGINA 8

11/03/2011, 09:06


Uruguaiana, de 11 a 17 de março de 2011

Abertura A Frase Quando serão retomadas as obras do Teatro Municipal? No dia 20 de março, será apresentado em Uruguaiana o filme “Isto é Pelé”. A apresentação faz parte do projeto CineSesc de Rua, promovido pelo Arte Sesc – Cultura por toda parte. Este projeto tem como principal objetivo facilitar o acesso da comunidade ao cinema, através de exibições gratuitas ao ar livre. Em Uruguaiana, o evento acontecerá no Parque Dom Pedro II, às 20h. O documentário narra a vida de Edson Arantes do Nascimento, o Pelé, contando sua carreira de 17 anos de futebol. Ao lado do gênio Pelé, são focalizadas as grandes conquistas do futebol brasileiro, com ênfase nas Copas do Mundo de 1958 e 1970. Para a nova geração, que não viu Pelé jogar, ou para aqueles que tem saudades de rever o gênio do futebol, uma grande oportunidade.

Radar

“Se o criador, seja de artes gráficas, música, literatura, teatro, dança, fotografia ou de qualquer outra área, perder o direito a receber pelo seu trabalho, vai viver do quê?” (Marilia Pirillo)

Editorial “A carne brasileira é um grande produtor de dióxido de carbono. Se este aspecto não for levado em consideração, haverá o risco de mandarmos o sinal errado para os políticos e consumidores, e nos sentiremos culpados por subestimar o impacto da carne brasileira na mudança climática”. A declaração é de Sverker Molander, professor do Sistema de Análises do Meio Ambiente e um dos pesquisadores responsáveis por um artigo publicado no Environmental Science & Technology que aumenta a culpa da produção de carne brasileira no impacto climático. O artigo chama a atenção para o aumento na produção devido à maior exportação da produção pecuária na última década. Para Molander, o impacto indireto também deve ser levado em consideração quando a pegada ecológica da carne for calculada. Segundo ele, no Brasil, a produção de carne é o maior causador do desmatamento da Amazônia. Em seu artigo ele afirma que, cerca de 60% a 70% das áreas desmatadas sejam usadas pela pecuária. O professor, assim como muitos pesquisadores europeus, parece ter verdadeira obsessão pela produção primária brasileira. Na realidade, os europeus destruíram suas florestas há muitos anos para aumentarem suas escassas áreas agrícolas. De uma área estimada em 5,65 milhões de Km² de áreas de florestas, destruíram 2,14 milhões, ou seja, 53,22%. Mesmo

assim, com exceção da Rússia, sua produção de grãos e de carne, além de subsidiada é ridícula. Já na América Latina, grande produtora de alimentos, foram desmatados 4,76 milhões de km2, o que corresponde a quase 41% da área original. Também no Brasil, temos uma área de preservação de 37 milhões de hectares apenas na Amazônia. O Governo anunciou também mais 4 novas Unidades de Conservação, duas no Rio de Janeiro, para preservar uma área de restinga (Parque Nacional de Jurubatiba) e uma área de Mata Atlântica (Reserva Biológica da fazenda União), e duas em Roraima, para proteger a Floresta Amazônica (Parques Nacionais de Viruá e da Serra da Mocidade). As unidades somam juntas uma área de 596 mil hectares. Na Europa, somente 1,87% de sua área restante de florestas é protegida por lei. Cientistas e ONGs, a soldo de agricultores europeus e produtores de petróleo, são uma nova praga no mercado midiático, assim como “movimentos sociais” sustentados por sindicatos de produtores estrangeiros, interessados em manter seus subsídios milionários. O ecologista Sverker não está preocupado nem com as minas de carvão chinesas (maior fonte poluidora do planeta), nem com o petróleo extraído no Alaska, nem com a matança anual de golfinhos e baleias do Japão. Mira na criação de gado do Brasil.

PESAR Também faleceu, na semana que passou, Toni Duarte, pai de nossos amigos Laura, Jorge, Marcelo e Pedro. Estamos solidários com a família. PREVENÇÃO A Secretaria Municipal de Saúde desenvolveu, nos dias 09, 10 e 11 de março, a Semana de Prevenção e Combate à Doença Renal, com palestras e informações nas emissoras de rádio, atividades no Parque D. Pedro II e na Praça Barão do Rio Branco, consistindo em ações de orientação sobre medidas de prevenção da doença renal, aferição de pressão arterial, teste de glicemia, aplicação de um questionário e distribuição de folders com informações sobre doenças renais.

SESSÃO SOLENE A Câmara Municipal realizou sessão solene no Poder Legislativo alusiva ao Dia Internacional da Mulher no dia 03 de março. ALTA NOS MEDICAMENTOS Os preços dos medicamentos controlados pelo Governo deverão sofrer alta de 3,54% a 6,01% à partir do final do mês de março, com validade até o mesmo período de 2012. A resolução publicada no Diário Oficial da União. A alta valerá para 20 mil medicamentos, como antibióticos e remédios de uso contínuo.

Rua Duque de Caxias, Gal. Barcelona - S/17 CEP 97.510-180 – Uruguaiana RS Redação e Administrativo: 3414-2814 Comercial e Assinaturas: 3402-3614 e-mail:momentodeuruguaiana@gmail.com contato@jornalmomentodeuruguaiana.com.br Editor: Ricardo Peró Job (MTB 14010) Diretora Adm.: Vera Ione Molina (MTB 14344) Diagramador: Marcio Lopes (9928-5414) Impressão: Jornal do Povo - Cachoeira do Sul

MAIORIA O Rio Grande do Sul tem 628 magistrados atuando no estado. Desse total, 315 são mulheres, 313 homens. As mulheres ultrapassaram os homens na magistratura.

COLABORADORES: Alberto Moura, Wolmer Jardim, Dudu Ferreira, Nei Duclós, José Édil de Lima Alves, Frank Finoqueto, Colmar Duarte, Tunico Fagundes, Joel Neimann Lopes, Alvaro Guez Velo, Gilce de Faria Correa, Newton Alvim, Vera Ione Molina Silva, Guilherme Socias Villela, Luiz Barbará Dias Jr., Elder Filho e Lúcia Silva e Silva.

O Jornal Momento de Uruguaiana não se responsabiliza pelas opiniões emitidas nas colunas assinadas por seus colaboradoes

2

FALECIMENTO Faleceu na terça-feira, 8, aos 87 anos, a senhora Edine Matte Cobelli, viúva de Renê Walter Cobelli, fundador da Rádio Charrua. Dona Edine era mãe de nosso amigo João Renê Cobelli, diretor-executivo da Rádio Charrua. A redação do Momento de Uruguaiana se solidariza com a família Cobelli neste momento de dor.

AUDIÊNCIA PÚBLICA Na segunda-feira, 14, às 18h30min será realizada Audiência Pública, no Plenário da Câmara Municipal, para debater temas relacionados aos Problemas Enfrentados pelos Orizicultores.

O descaso do poder público municipal para com a arborização de nossa cidade. Além dos constantes e injustificados cortes de árvores, a reposição é quase inexistente. Quando ocorre, não há cuidados posteriores, como dendrocirurgia em ramos no pé das mudas ou aguamento. Nas já existentes, também o abandono é total. Até mesmo na Praça Barão do Rio Branco, a mais popular da cidade, várias árvores estão ameaçadas por pragas (erva-de-passarinho, bromélia e outras espécies), sem que nenhuma providência seja tomada. Numa terra de sol inclemente, não cuidar da arborização é mostrar desprezo pela população.

Quinta 333.p65

2

11/03/2011, 09:06


Uruguaiana, de 11 a 17 de março de 2011

3

Se achando o dono PONTO LIVRE wolmerjardim@yahoo.com.br

Texto e fotos: Wolmer Jardim

O silêncio conivente de ZH Abri a ZH de desta quinta-feira, dia 10, na página assinada por Rosane de Oliveira na expectativa de ler algo sobre o fato político mais marcante do dia, na Capital, a audiência marcada para as 14h30min na 2ª Vara Cível do Foro Central, relativa ao processo em que o empresário Humberto Busnello processa a ex-deputada Luciana Genro, por crime de calúnia, injúria e difamação. Nenhuma linha sobre o assunto. Postura

antagônica à adotada pela mesma colunista quando deu abrigo, generosamente, às denúncias vazias perpetradas por Luciana e outros boquirrotos do PSol contra a governadora Yeda Crusius. Da mesma forma Zero Hora silencia acerca do fato de Luciana Genro haver amealhado R$ 500 mil em patrocínios para fazer funcionar um cursinho de inglês, tramoia eleitoreira mascarada de finalidade social, usando recursos

inclusive da Icatu Seguros, que é o braço do banco oficial do Estado, o Banrisul, no setor de seguros. O jornal dos Sirotsky ajudou a desconstruir o governo de Yeda, pactuando com denunciadores sem eira nem beira, acolhendo denúncias e suspeitas infundadas. Agora, silencia sobre fatos gravíssimos, que precisariam ser trazidos ao conhecimento da opinião pública, mas que são sonegados em nome sabe Deus de que interesses.

A chapa dos Cristãos Novos Minha admiração pelo PMDB de Uruguaiana se baseia no fato de ser esta agremiação a mais ideológica entre as siglas tradicionais em atividade na cidade. Quem é do PMDB em Uruguaiana muito raramente troca de sigla ou dela se afasta. Nesse sentido o advogado Lauro Delgado é um bom exemplo. O colunista presenciou situações em que Lauro foi intensamente assediado para deixar o PMDB, mas fiel a princípios

ideológicos e de fidelidade a antigos companheiros decidiu permanecer, mesmo que às vezes se sentindo desconfortável, como foi quando do ingresso de Neíto Bonotto e Mauro Brum na sigla. A mesma solidez conceitual e pragmática quase não se vê em outros partidos locais. O PDT, por exemplo, minguou em Uruguaiana, vitimado por debandadas periódicas de seus quadros. O caso mais recente de desapego a preceitos ideo-

lógicos é o do PSDB, que inchou depois de chegar ao poder municipal. Até mesmo seu cacique maior, o prefeito Felice, perambulou por alguns outros partidos, até acomodar-se no ninho tucano. Partido com tal perfil de volubilidade não deve causar estranheza quando a chapa do prefeito ao diretório municipal está crivada de cristãos novos, alguns deles tendo desembarcado no partido somente depois de garantirem algum cargo na Prefeitura.

De olho em 2012 A disputa entre as chapas do prefeito e da vereadora Josefina Soares é, sem dúvida, um fato novo e relevante na política citadina, ao revelar que o domínio monolítico até então exercido por Sanchotene Felice na grei tucana está no mínimo sendo contestado. Ele já não reina absoluto nem pode dizer que tem o partido absolutamente na mão. E Josefina não é uma contendora qualquer. Ela tem voto e tem tradição dentro do partido. A vereadora e radialista não chegou ao PSDB de paraquedas. Portanto, qualquer que venha a ser o desfecho no episódio eleitoral que abala as estruturas tucanas o partido já não mais será o mesmo em Uruguaiana. Talvez episódios como aquele em que o prefeito Felice barrou o nome de José Francisco Valls para concorrer a vereador não mais aconteçam. Tudo porque, aparentemente, acabou a unanimidade no seio partidário. A escolha do novo diretório tem importância fundamental no processo eleitoral do ano que vem, pois quem obtiver agora o comando irá dar as cartas na convenção, cabendo-lhe, praticamente, indicar o concorrente tucano à Prefeitura.

Quinta 333.p65

3

Encontro em um restaurante da capital um acatado e querido conterrâneo e ele relata que um bonito projeto social em Uruguaiana foi colocado em xeque a partir da relutância do Executivo em renovar o convênio. Tudo porque o prefeito Felice não gostou de ver na mídia um anúncio do referido projeto associado a um nome que ele hoje detesta e que integra sua vasta relação de contendores e desafetos. Mais um “inimigo do nosso governo”. Embora a

credibilidade insuspeita do interlocutor, preferi não acreditar no que me foi relatado, pois, se verdadeiro, o fato estaria revelando uma mediocridade de comportamento absolutamente incompatível com o perfil de nosso prefeito. Lamentamos juntos que um homem tão brilhante quanto o chefe do Executivo por vezes se dê a atitudes que em absoluto o engrandecem como homem público e como ser humano. A questão é que desde o início de suas gestões

nosso prefeito comete um equívico. Ele que foi eleito para governar a cidade em nome de seus concidadãos, acha que, na verdade, Uruguaiana lhe pertence. No seu conceito, as urnas não lhe deram um mandato, mas o premiaram com o direito de ser dono de Uruguaiana e, consequentemente, dono de tudo que nela existe, como a Santa Casa, o Carnaval, a Unimed, a Califórnia, a Mídia e tudo o mais que até hoje ele desapropriou e/ou se apoderou, administrativamente falando.

Uma luz no fim do túnel Quem ousa se insurgir a essa insólita visão de poder, corre o risco de passar a sofrer permanente processo de desmoralização. Nesse intento, a verdade dos fatos propagados vale menos do que o objetivo a ser alcançado, que é o de minar o antagonismo até prostrá-lo como uma massa disforme e amorfa. Muitos de seus desafetos, por questão de índole ou de sopesar ganhos e perdas, decide abrir caminho. Passam a ser anta-

gonistas silenciosos de uma escalada de poder que parece não se limitar a oito anos de mando na Prefeitura. Entretanto, há sinais evidentes de saturação ante os métodos e a praxis adotados. Nesse cenário, há sim espaço para o surgimento de um movimento que vise resgatar, pelo voto, a normalidade das relações interpessoais e institucionais em Uruguaiana, acabando com a vigência do temor e da atemorização,

deste tempo de verdade única, do messianismo e do mandonismo. O que falta é um nome que detenha idênticas virtudes intelectuais e morais e que, de sobra, acene com o diálogo, com o respeito mútuo, com o partilhamento de responsabilidades e de possibilidades, no que tange a se conduzir Uruguaiana para um futuro onde a sociedade tenha vez e voz, não precisando ser tutelada nem levada de a cabresto.

Mascarando os problemas Foi gostoso ver o Grêmio ganhar o titulo do primeiro turno do campeonato gaúcho, mas, de outro lado, o título, que é pequeno, poderá ter mais adiante um gosto muito ruim, na medida em que a vitória de calças na mão terá tido o condão de mascarar evidentes problemas que a equipe vem tendo. O time gremista, hoje, é inconfiável, especialmente por não dispor de uma mecânica de jogo adequada. O treinador, respaldado pelo carisma e aceitação junto à torcida e a outros setores do clube, insiste em mandar a campo um time mal escalado, com alguns atletas que não podem ser titulares. O erro mais contundente de Renato Portaluppi é insistir em jogar com dois centro avantes. Está claro que eles não podem jogar juntos.

11/03/2011, 09:06

Porém, o treinador, para mostrar que tudo sabe, escala-os e com isso o Grêmio, de dois, na verdade fica sem nenhum. E a lateral esquerda tem de ser de Lúcio e mais ninguém. E o argentino Escudero tem de entrar logo na equipe. E os zagueiros centrais têm de trocar de lado. E é urgente achar o lugar certo para Carlos Alberto, porque bom jogador ele é, o que falta é acomodá-lo taticamente. Por isso é que o resultado de quarta-feira é enganador. Ele mascara equívocos que poderão resultar em mais um fracasso na Libertadores. A única coisa realmente positiva da jornada diante do Caxias foi ver a eminência na flauta ter de ser trocada no dia seguinte pelo convívio com a verdade mais uma vez confirmada: a Imortalidade Tricolor.


Política BALAIO DE ESCRITOS Por Newton Alvim O guri que era Pierrô Lembro que era um guri miudinho e risonho, que vivia pelas bandas do Rio Uruguai, nas proximidades da Ponte Internacional de Uruguaiana. Ora estava engraxando sapatos, ora vendendo laranjas que recolhia à beira do rio, na descida das chalanas carregadas de frutas. Dizia se chamar Pierrô e ficava por isso mesmo, pois ninguém se interessava pelo que era realmente ou fazia. Nos dias próximos ao Carnaval, ele parecia alargar o sorriso e sua ginga ficava evidente no jeito de andar, nos passos que ensaiava ao acaso, nos saltos que prenunciavam o balé da vida. O que se dizia é que um fuzileiro naval - desses como Seu Veludo, que vinham do Rio de Janeiro e por isso mesmo amavam a folia - lhe dera o nome burlesco e ele gostara tanto que acabou esquecendo o nome de batismo – que nunca soubemos qual era. E tentava esquecer as miudezas do cotidiano com aquele sonho que somente o Carnaval lhe dava, quando saia na escola de samba de seu coração, A Cova da Onça. Fazia malabarismos impressionantes e ainda aplicava aquele salto que o mocinho Giuliano Gemma dava em seus filmes, quando caía e se levantava como se fosse uma mola. O guri ficara treinando sozinho, durante semanas, até conseguir dar o salto de cinema, que passou a ser sua marca registrada. Era o único que fazia aquilo, na época, na folia da cidade. O pequeno Pierrô sabia o que significava esse nome porque costumava fazer muitas perguntas à sua professora do Grupo Escolar Romaguera Correa. Ao saber também de Colombina, seus olhos brilhavam na pergunta: “Mas onde tá essa guria?” A professora ria com a facilidade que ele tinha em confundir realidade e fantasia. “Tudo tem sua hora”, orientava a mestra, tentando anular aquele personagem teatral que se infiltrava no guri. “Então eu vou amar Colombina?”, inquiria ele, numa insistência tão engraçada quanto comovente. Sobre Arlequim, a professora emudecia, para não complicar mais aquela vidinha de mentira. Sim, Pierrô amava Colombina, que amava Arlequim, que, por sua vez, também desejava Colombina. Complicaria para o guri, como se vê, essa história do trio enamorado entre as brincadeiras de Carnaval. Que ela ficasse sozinho, fingindo ser o Pierrô de Uruguaiana, matutava a mestra, para não entortar a cabeça do guri. Colombina era um lindo nome, pensava o guri, repetindo isso para quem conhecia, nas ruas e esquinas por onde circulava. Foi num dos ensaios da escola que viu a menina, esguia nos malabarismos, ágil nos passos do samba sincopado. O guri viu e pensou no que dissera a professora, imaginando aquela guria como a Colombina sonhada. Pensou em aplicar ali o “salto do Giuliano”, mas ela lhe dera as costas. No meio do samba, houve um intervalo e ele se chegou dizendo ser Pierrô e que procurava Colombina. A guria não entendeu nada, mas sorriu, o que já bastava naquela hora. Aquele intervalo dera a Pierrô a chance de apresentar outras acrobacias sem qualquer relação com o Carnaval. “Legal isso”, disse ela, olhando diferente para o pequeno equilibrista cheio de manhas. “Tenho outros truques”, adiantou o guri, piscando para a menina, que disse se chamar Maria e que também iria desfilar. Ambos se olharam e pareciam ganhar o mundo. Na escola de samba ele queria ser mesmo o Pierrô, o mais pobre dos serviçais? Vestiram-lhe roupas feitas de sacos de farinha e pintaram seu rosto de branco. Explicaram que tinha que parecer estar sofrendo e suspirando de amor pela Colombina. “Ai, ai”, suspirava de verdade o guri, pensando na Maria e se vendo como um palhaço solitário desses circos que vez e outra se instalavam na cidade. Virou um galanteador desajeitado para chamar atenção da menina, que olhava para outros lados, para outros personagens daqueles dias burlescos. Não, ali não havia nenhum Arlequim, o espertalhão que vivia saltitando e cheio de movimentos esquivos. O guri desconhecia esse ser debochado que adorava pregar peças nos outros e depois usava sua agilidade para escapar das confusões criadas. Não, ninguém estava ali com uma roupa de losangos. Em meio ao desfile, os aplausos correram pela avenida e abrindo o sorriso do guri. Ele olhou em volta e viu Maria sambando. Aproximou-se e lhe um beijo no rosto. Ela sobressaltou-se e sorriu com um jeitinho manhoso de Colombina. Depois deu um beijo de leve na boca dele e voltou a cantar e dançar graciosamente. Tão cheia de graça que chamou atenção dos malandros em volta, dos Arlequins profanos, enquanto o apaixonado Pierrô singrava pela avenida como se fosse o senhor daquela folia de descompassos com a vida, sem nos dar uma pista de que conseguiria burlar a ordem do que era mito, para fazer a sua história.

Quinta 333.p65

4

Uruguaiana, de 11 a 17 de março de 2011

4

Conselho Regional de Enfermagem disponibiliza atualização profissional gratuita Documentos podem ser encaminhados diretamente através da subseção em Uruguaiana Os profissionais que atuam na Enfermagem do Estado, durante o mês de março, podem registrar suas Especializações sem taxa junto ao Conselho de Enfermagem do RS - COREN-RS. A medida visa facilitar a atualização profissional dos documentos de enfermeiros e técnicos que concluíram cursos de capacitação na área, uma vez que o registro das especialidades na carteira de identidade profissional do Conselho é exigido na maioria das empresas e instituições de saúde para comprovar qualificação específica na hora de efetivar uma contratação. Para graduados em Enfermagem, os cursos tem de ser oferecidos por Instituições de Ensino Superior e devem estar de acordo com a Resolução COFEN nº 261/2001 que fixa Normas para

Registro de Enfermeiro com Pós-Graduação. Já para as Especializações em nível técnico, são reconhecidos os cursos desenvolvidos por escolas que tenham seus planos de Curso de Especialização para Técnico de Enfermagem devidamente autorizados pelo órgão educacional competente. Os documentos necessários para o registro de Especialização de Pós-Graduação em Enfermagem são: diploma original do curso de Especialização; cópia do diploma do curso de Enfermagem; Histórico Escolar onde constem disciplinas, nome do professor responsável e sua titulação, carga horária mínima de 360 horas, monografia (TCC) e avaliação do aluno; cópia da cédula de identidade profissional do CO-

REN-RS e original da carteira de identidade do COREN-RS (livreto). Já para o registro de Especialização de Técnico de Enfermagem são solicitados: diploma original do curso de Especialização, constando a carga horária mínima de 360 horas; data do início e término do curso; cópia do Histórico Escolar no curso; cópia da cédula de identidade profissional do COREN-RS; original da carteira de identidade profissional do COREN-RS (livreto) e cópia do diploma do Curso de Técnico de Enfermagem. O serviço de registro de especialização é oferecido durante todo o ano pelo Conselho. O valor para o profissional que solicitar a atualização é de R$ 75,00 nos demais meses. Outras informações em www.portalcoren-rs.gov.br.

Mesa Diretora da Câmara busca dados sobre crianças especiais na rede escolar municipal e estadual Estão sendo encaminhados ao Poder Executivo requerimentos assinados pelos cinco membros da Mesa Diretora da Câmara Municipal, nos quais são solicitadas informações sobre o número de crianças portadoras de necessidades especiais, matriculadas na rede municipal de ensino, e sobre o fornecimento de materiais específicos para a educação especial, como materiais esportivos, máquinas de escrever em braile, livros e papéis adequados. Foi aprovado o envio de indicação com pedido, no mesmo teor em relação às escolas da rede estadual, à Coordenadoria de Educação, assim como, a reforma da Escola Moacyr Ramos Martins está contemplando a acessibilidade

dos alunos portadores de deficiência física, através, por exemplo, da adaptação de banheiros e do acesso por rampas. Em outro dos requerimentos, é solicitado que sejam disponibilizados os materiais para escrita e leitura em braile na Biblioteca Municipal, como forma de proporcionar a utilização pelos munícipes, em especial estudantes, de obras literárias e informações indispensáveis ao desenvolvimento do conhecimento. A Mesa Diretora da Câmara Municipal é composta pelos vereadores Ronnie Mello (PP), presidente, José Clemente (PT), vice-presidente, Luiz Gilberto Risso (PMDB), Mauro Brum (PMDB) e Adalberto Silva (PP), secretários.

SMS realizou Semana de Prevenção e Combate a Doença Renal A Secretaria Municipal de Saúde promoveu nos dias 9, 10 e 11, a Semana de Prevenção e Combate a Doença Renal. Na quarta-feira foram ministradas palestras e divulgadas informações nas emissoras de rádio. Na quinta-feira, das 16: h às 20h e na sexta-feira, durante todo o dia, foram desenvolvidas atividades educativas no Parque D. Pedro II e na Praça Barão do Rio

Branco, como orientação sobre medidas de prevenção da doença renal, aferição de pressão arterial, teste de glicemia, aplicação de um questionário e distribuição de folders. As atividades foram coordenadas pelo responsável pela Clínica Renal Municipal de Uruguaiana, Leonardo Betin. O rim é uma parte do sistema urinário responsável por remover as substâncias tóxicas em

excesso, como uréia, creatinina, potássio, além de regular o volume de líquidos. Essas funções são realizadas através da produção de urina numa quantidade normal de 400 a 3000 ml ao dia. O rim também produz hormônios fundamentais para o funcionamento de nosso organismo. Quando da não realização destas funções, o rim poderá estar sofrendo de alguma doença renal.

Mauro Br um apresenta projeto facilitando acesso de idosos e deficientes às ur nas Brum urnas Durante a reunião ordinária de terça-feira, 8, o vereador Mauro Brum (PMDB) apresentou um projeto de lei que dispõe sobre o acesso de eleitores com deficiência, dificuldade de locomoção e idosos às sessões eleitorais. O vereador justificou o projeto dizendo que, a cada eleição, nos deparamos, ano após ano, com acessos inadequados para pessoas idosas, portadoras de

11/03/2011, 09:06

necessidades especiais ou com mobilidade reduzida nos locais onde são instaladas as seções eleitorais. “Entendemos que nos últimos anos, tem se notado uma progressiva preocupação da sociedade nas questões de acessibilidade a essas pessoas. No entanto, isso ainda não é vislumbrado nos recintos eleitorais”. O projeto foi apoiado por unanimidade pelos outros vereadores.


Uruguaiana, de 11 a 17 de março de 2011

Barra do Quaraí

Prefeito é empossado presidente da AMFRO No mês de fevereiro, na sede da Federação das Associações de Municípios do Rio Grande do Sul (Famurs), em Porto Alegre, o Prefeito de Barra do Quaraí, Engº. Maher Jaber, foi eleito, por unanimidade, para presidir a Associação dos Municípios da Fronteira Oeste - AMFRO, com um mandato de 01 (um) ano. A AMFRO é composta por 13 municípios: Barra do Quaraí, prefeito Maher Jaber; Uruguaiana, prefeito José Francisco Sanchotene Felice (PSDB); Santana do Livramento, prefeito Wainer Viana Machado (PSB); São Gabriel, prefeito Rossano Dotto Gonçalves (PDT); Maçambará,

prefeito Alderico Domingos Copatti (PMDB); Itacuribi, prefeita Ione Andrade Goulart (PP); Itaqui, prefeito Gil Marques Filho (PDT); Alegrete, prefeito Erasmo Silva Guterres (PMDB); Quaraí, prefeito João Carlos Vieira Gediel (PMDB); São Borja, prefeito Mariovane Gottfried Weis (PDT); Manoel Viana, prefeita Ione Olarte Caminha (PP); Rosário do Sul, prefeito Ney da Silva Padilha; e Santa Margarida do Sul, prefeita Claudia Mara Goulart Brasil (PDT). A nova Diretoria Executiva da Amfro ficou assim constituida: Presidente - MAHER JABER, prefeito de Barra de Quarai; 1º Vice-Presidente - NEY

DA SILVA PADILHA, prefeito de Rosário do Sul; 2º Vice-Presidente - CLÁUDIA MARA GOULART BRASIL, prefeita de Santa Margarida do Sul. No Conselho Fiscal ficaram como Membros Titulares: ERASMO GUTERRES SILVA, prefeito de Alegrete; MARIOVANE GOTTFRIED WEIS, prefeito de São Borja; IONE OLARTE CAMINHA, prefeita de Manoel Viana. Membros Suplentes: JOSÉ FRANCISCO SANCHOTENE FELICE, prefeito de Uruguaiana; WAINER VIANA MACHADO, prefeito de Sant’Ana do Livramento; GIL MARQUEZ FILHO, prefeito de Itaqui.

Maher Jaber entrega principais demandas dos municípios da Amfro ao Governador do Estado Após a posse, o novo Presidente da AMFRO e Prefeito da Barra do Quaraí, Engº. Maher, iniciou seu mandato entregando ao Governador do Estado, Tarso Genro, e ao Presidente da Assembléia Legislativa, Adão Villaverde, no Palácio Piratini, um documento com as principais demandas dos municípios que compõem a Fronteira Oeste. A comitiva estava integrada por 11 prefeitos da região. Na documentação estão apontadas prioridades nas áreas da saúde, infraestrutura, desenvolvimento econômico, entre outras. De acordo com o prefeito de Barra do Quarai, o Governo do Estado já sinalizou que vai contribuir com os municípios. Um grande exemplo disso foi a criação de uma secretaria que atende o gabinete dos prefeitos, tendo como Secretário, Afonso Motta, uma demons-

tração de que a gestão Tarso Genro está comprometida com os municípios, com as prefeituras e com as comunidades de nossas cidades. Ele também destacou a interiorização do Governo, realizada no sábado, 19 de fevereiro, em São Borja, que possibilitou a discussão de demandas importantes para os municípios da Fronteira Oeste. E na oportunidade, o prefeito Maher esteve reunido ainda, com representantes da Corsan, Alexandre Stolten, Diretor de Expansão e Ricardo Machado, Diretor de Operações da Companhia. Na pauta do encontro foi solicitado pelo prefeito Maher providência da Renovação de Contrato de Água e Esgoto e a renovação de Convênio de Prestação de Serviços. Será marcada uma nova reunião para debater um assunto de tanta importância para o município.

Maher Jaber leva reivindicações da AMFRO às secretarias do Estado Na segunda-feira, 21, ainda cumprindo agenda na Capital do Estado, o Prefeito Municipal de Barra do Quaraí e Presidente da AMFRO, Engº Maher Jaber, esteve visitando as secretarias do Governo do Estado do Rio Grande do Sul, a fim de levar as demandas dos municípios da fronteira oeste. SEGURANÇA PÚBLICA Foi solicitado ao Secretário de Segurança Pública do Estado, Airton Michels, aumento de efetivo para a Brigada Militar de Barra do Quaraí, que hoje se encontra em déficit em seu Grupamento. Na oportunidade, Maher falou sobre as particularidades dos municípios de fronteira nesse setor. Ainda, foi buscada uma articulação com a Polícia Federal para o deslocamento de Agentes Federais permanentes na Fronteira.

do de Ajuste Complementar da área de saúde da fronteira, e a Gestão Compartilhada do Parque Estadual do Espinilho, ambos envolvendo a República Federativa do Brasil e República Oriental do Uruguai. Manteve audiência com o coordenador da Assessoria de Cooperação e Relações Internacionais do Gabinete do Governador, Tarson Nunez. A Secretaria de Meio Ambiente, através da Secretária Jussara Cony, declarou que o Governo é parceiro nesta Gestão Compartilhada entre Estado e Município, e posteriormente, poderá fazer parte o Parque Rincón de La Franquia, localizado na República Oriental do Uruguai. Para tanto, haverá uma reunião, provavelmente na Barra do Quaraí, para firmarem este convênio com representantes do Uruguai e assim formar uma única reserva natural da tríplice fronteira, possibilitando a visita de estudantes de várias cidades e o aumento de turistas nesta região.

SAÚDE NA FRONTEIRA E GESTÃO COMPARTILHADA DO PARQUE DO ESPINILHO Marcada reunião para o dia 18 de março em Porto alegre, com a Assessoria de Cooperação e Relações Internacionais do Gabinete do Governador, onde será deliberado o Acor-

DESENVOLVIMENTO URBANO E RURAL Em visita ao Secretário de Obras Públicas, Irrigação e Desenvolvimento Urbano, Luiz Carlos Busato, foram encaminhadas providências para a perfuração de poços artesianos no interior do município.

Prefeitura Municipal concede bolsa de estudo para servidores Prefeito Maher, dentro das atribuições que lhe confere a Lei Municipal Nº 745/2005, concedeu, no dia 23 de fevereiro de 2011, Bolsa de Estudos para dois servidores do quadro. Foram beneficiados a aluna e servidora, Patrícia Nunes Miranda, estudante do Curso Técnico de Enfermagem da Escola Técnica Cenecista Uruguaiana – CNEC e o aluno e servidor, Gerson Gomes da Silveira, estudante do Curso de Tecnólogo em Gestão Ambiental, na Universidade Norte do Paraná – UNOPAR.

Quinta 333.p65

5

Conselho Tutelar de Barra do Quaraí recebe nova sala para atendimento à comunidade No mês de janeiro, foi entregue para o Conselho Tutelar de Barra do Quaraí, a nova sala para o atendimento de demandas da comunidade. A coordenadora do órgão, conselheira Elaine Sagardia, agradeceu o tratamento que o Governo Municipal tem dispensado ao Conselho, visando à melhoria no atendimento aos cidadãos que necessitam deste serviço. “Agradeço a assistência prestada pelo Governo Municipal, onde obtivemos significativas melhoras neste órgão, tais como, nova sala com espaço físico adequado, ar condicionado, linha telefônica, viatura, disponibilização de motorista e também novos móveis. Com isto, podemos assim desenvolver melhor o trabalho prestado em nossa comunidade”, disse a Coordenadora do Conselho Tutelar. A nova sala de atendimento do Conselho Tutelar de Barra do Quaraí está situada na Rua Quarai, anexa ao prédio do GGI-M, Fones 3419-1510 ou (55) 99768689.

5

A PASSAGEM DE ÁGUA PELO CAMPO LINDEIRO Por Cláudio Petrini Belmonte - OAB/RS 42.579 Há alguns dias atrás, numa conversa informal, surgiu o questionamento de quais os direitos e deveres do proprietário rural pelo fato de sobre seu campo haver uma passagem de água em benefício do proprietário vizinho. Na falta de dados mais aprofundados e sem a verificação de documentos, o que pudemos responder foi o clássico “depende do caso concreto”... Não que quiséssemos fugir da pergunta, ocorre que na verdade é assim mesmo! Através das brevíssimas palavras abaixo (considerando a amplitude do tema), procuraremos demonstrar justamente que as características de cada caso é que determinarão os direitos e deveres do caso concreto. O direito de uma pessoa passar água (p. ex., para irrigação de sua lavoura) no campo do vizinho pode ser embasado num contrato (direito obrigacional) ou numa servidão (direito real). No caso de um contrato, o proprietário do prédio A pode reconhecer que o proprietário do prédio B tem esse direito, pagando (“a título oneroso”) ou não (“a título gratuito”) por isso. Como se trata de um contrato, pode ser extinto por descumprimento, distrato, onerosidade excessiva, etc., sempre pertinente a obrigatoriedade de pagamento de indenização, quando for o caso. No caso de uma servidão (o que não se presume), especificamente de aqueduto (passagem de água), entendida esta como o direito “real” que A tem de passar água pelo prédio de B, tal direito também pode ter início em um contrato, e, também, em outras circunstâncias, tais como, um testamento, a usucapião, o fato de um prédio ser encravado (p. ex., sem acesso à via pública). Para que todas as pessoas, indistintamente consideradas (não somente os contratantes, portanto), tenham que respeitar o direito de servidão, deve ela, como regra, ser averbada na matrícula do imóvel registrada no Cartório de Reg. de Imóveis (por isso, p. ex., que se a área for vendida, essa “cicatriz” a acompanha). Vale destacar que a usucapião (aquisição de um direito em face da posse exercida com determinadas características e no tempo adequado) é uma das fontes pelas quais pode-se dar origem à servidão de aqueduto, pelo fato de entenderse que o proprietário não se opôs durante um período de tempo a que o vizinho passasse água por seu campo; verificadas todas as condições, este vizinho terá o direito de permanecer usufruindo dessa servidão, respeitados os limites estabelecidos em lei. Uma das maneiras usuais que se tem utilizado para proteger o proprietário que permite (na intenção de ajuda) que o vizinho passe água por seu campo são os contratos de Comodato (assim, demonstra-se que tal proprietário “sabe o que está acontecendo” em seu campo e, portanto, é protegido). Portanto, como o genérico direito de passar água no campo do vizinho pode ter sua origem em diferentes fundamentos, é a análise de cada caso que determinará quais as questões especificamente relevantes, como, p. ex.: a) analisar a validade do testamento; b) analisar a validade do contrato; c) em sendo bilateral o contrato, se o proprietário beneficiado está cumprindo com suas obrigações; d) se houve o transcurso de tempo necessário para a usucapião; e) se é “justo” o título referido na usucapião; f) se a servidão já não está extinta; g) se a posse apresenta as características adequadas ao usucapião, mesmo que tenha transcorrido o prazo necessário; etc. A análise de cada circunstância específica é que poderá resolver, p. ex., a seguinte questão: se o proprietário A permitiu que B passasse água no seu campo de forma gratuita, agora poderia cobrar por isso? Então, para responder esse questionamento, deve-se verificar por quanto tempo foi essa permissão, se há “justo título”, se o contrato ou o testamento são válidos, se o prédio é encravado, ... Portanto, “depende do caso concreto”!

NO MUNICÍPIO DE URUGUAIANA, com atuação nas seguintes áreas do Direito: Cível, Contratual, Trabalhista, Agrário, Internacional e Ambiental. CLÁUDIO PETRINI BELMONTE - OAB/RS 42.579 - Professor Universitário (Dir. Contratual, Dir. Agrário e Dir. Internacional); - Mestre pela Universidade de Coimbra (Portugal); - Doutorando pela Universidade de Salamanca (Espanha). NATHALIE SUDBRACK DA GAMA E SILVA BELMONTE - OAB/RS 62.305 - Especialista em Direito e Processo do Trabalho (PUC – POA/RS) Porto Alegre/RS: Av. Loureiro da Silva, n° 2.001, salas 514/ 515, CEP 90050240, Fone: 55 51 3225-3178 Uruguaiana/RS: Rua Gal. Bento Martins, n° 2.497, sala 1.502, CEP 97510-001, Fone: 55 55 3402-3733 Itaqui/RS: Rua Rodrigues Lima, n° 376, sala 602/603, CEP 97650-000, Fones: 55 55 3433-1626 / 2650 www.belmonteadvogados.com.br

11/03/2011, 09:06


Geral JORNALISMO LETRAS LITERÁRIO Por José Édil de Lima Alves

Uruguaiana, de 11 a 17 de março de 2011

6

O Café da Praça modificou hábitos dos uruguaianenses

Dia Internacional da Mulher? Um dos traços mais acentuados da hipocrisia – tão antiga quanto a própria criatura dita humana – é instituir no calendário civil datas comemorativas para assinalar aquilo que, em circunstâncias comuns em uma civilização que se preza, seriam despiciendas, tais como Dia das Mães, Dia dos Pais, Dia do Professor, Dia dos Namorados e por aí à fora. Já minha mãe costumava dizer, apoiada em sua filosofia rústica, que aprendeu na grande Universidade da Vida: “Ou todos os dias são Dia das Mães ou nenhum dia deve ser a ela dedicado. E não me venham com churumelas.” E acostumounos a não lhe darmos presente no tal Dia das Mães. Contrário senso, apreciava sobremaneira cada beijo que lhe dávamos a cada manhã, antes ainda do café, e à noite, antes de irmos dormir. Evidente que não quero atribuir-me um atestado de troglodita – o que talvez não fosse ofensa para mim que nunca chegarei a ser um poliglota... . Claro que posso admitir que, assim como há os interesses comerciais por trás de cada data comemorativa – o próprio Natal já não foi transformado em festa eminentemente laica com o fito de movimentar a ‘roda da fortuna’ dos comércios de todo o mundo? -, aqui ou ali pode haver a sadia intenção de registrar para a memória dos povos algo de excepcional. Mas, convenhamos, isso é muito raro. Dedica-se um dia à mulher. Manifestações as mais piegas, particularmente as ‘assinadas’ por órgãos governamentais, homenageando a ‘garra da mulher’ e as suas condições de mãe, esposa e trabalhadora... Registros do quanto a mulher já conquistou, particularmente nos últimos cem anos etc., etc., etc. No entanto, basta olharmos as estatísticas em todos os quadrantes para vermos como ainda persistem os salários mais baixos para as mulheres, num mesmo ramo de atividades, as dificuldades que têm de enfrentar para conseguir uma vaga no disputadíssimo mercado e, como corolário de todas as iniquidades, a tripla jornada que implicitamente a sociedade, como um todo – porque traço profundo cultural do Ocidente -, cobra particularmente das que são casadas: a tríplice jornada de trabalho, pois são sobre suas largas costas que caem as responsabilidades pelo bom funcionamento do ‘lar, doce lar’. Já na “Economia Doméstica”, Livro Terceiro, Capítulo I, assevera Aristóteles, cuja autoridade ainda perdura em nossa dita ‘civilização’: “A boa esposa deve ser a senhora de sua casa, tendo sob sua responsabilidade o cuidado de tudo o que nela existe, de acordo com as normas que damos mais abaixo. Não deve permitir que ninguém entre em sua casa sem o conhecimento do seu marido, temendo sobre todas as coisas as conversas com as mulheres desocupadas e rueiras, que só tendem a envenenar a alma. Deve tão somente ter conhecimento do que ocorre dentro (de sua casa), enquanto que se lhe vem algum dano das coisas de fora, seu marido sofrerá a recriminação por isso. (...) Essas são, pois, as coisas em que uma mulher deve ocupar sua vida para levar uma ordenada norma de conduta, porque não parece necessário que um homem deva conhecer tudo o que se passa em casa. Mas em todas as outras coisas sua meta deve ser a de obedecer a seu marido, sem interessar-se pelos assuntos públicos, nem desejar qualquer parte no encaminhamento do matrimônio de seus filhos.” (Aristóteles, Obras. 2. ed. Madrid: Aguilar, 1977, p. 1395. Tradução:J.E.A.) Desnecessário dizer qualquer coisa sobre o preconizado pelo filósofo grego, porquanto a realidade em que vivemos permite a qualquer um notar o quanto ainda perduram das lições do Estagirita. Em nosso meio chegaram a tal ponto as agressões físicas às mulheres que a indignação pública terminou por impor a elaboração da Lei Maria da Penha. Pergunta-se: ‘Em caso de uma educação voltada para os valores republicanos e democráticos, teríamos chegado ao que se chegou – e que ainda perdura em todos os quadrantes deste país continente? Em casa, no geral, pouca atenção se dá ao comportamento que reduz a mulher a mero objeto do desejo – excetuando-se logicamente, quando se trata de mulheres muito próximas a nós, como mães, esposas e filhas... – Os BBB da vida aí estão nas telinhas, vistos por milhões de voyeurs, mergulhados em delírios e fantasias. E que dizer-se das ‘Folias de Momo’ – que hoje já nem necessitam de datas nas folhinhas, pois a nossa Uruguaiana jacta-se de promover “O maior carnaval da Terra fora de época”, com direito a celebridades que desfilaram na Beija Flor e que sei eu?... Festeje-se o Dia Internacional da Mulher, quando o machismo nosso de cada dia ruir definitivamente, valorizando-se a mulher pela pessoa humana que ela é, sem ser mais nem menos do que qualquer outra pessoa humana.

Quinta 333.p65

6

Em observação de conversas de uruguaianenses, escutam-se várias vezes referências a um local chamado Café da Praça. Seu primeiro nome, à época de sua inauguração, foi Café Temático. Não pegou. Os amigos começaram a marcar encontros no café da praça, sem saber que nome tinha. Há poucos dias atrás, líamos uma conversa entre várias pessoas que moram fora de Uruguaiana com outras que moram na cidade, através de um site de relacionamentos e uma frase nos marcou muito: O que é que nós fazíamos antes do Café da Praça? Pessoas que vêm visitar a cidade comentam que aqui sempre se encontram pessoas para conversar. Se não se está enturmado ainda, a gente vai ao café e lá estão pessoas lendo jornais, esperando alguém para conversar, fazendo seu lanche e tomando os diversos tipos de bebidas. Em diversas oportunidades aconteceram apresentações de poemas,

leituras de contos e se apresentaram grupos musicais até vindos da Argentina. Pode-se dizer que esse local modificou a vida das pessoas, especialmente das mulheres. Faz pouco tempo que “mulher direita” senta a uma mesa e pede um café, lendo um jornal. E como tudo que vira rotina passa a integrar a cultura de um povo, nós, uruguaianen-

ses, passamos a usar o antigo viveiro como se fosse nossa sala de visitas. O lugar para onde nos dirigimos quando concluímos nossas tarefas e nos damos o direito de conversar com nossos amigos, nossos sócios, nossos namorados. E não precisa nem endereço, pois está localizado exatamente no coração de Uruguaiana.

Frigorífico Silva lança Programa de Bonificação da Carne Certificada Pampa A Associação Brasileira de Hereford e Braford - ABHB e o Frigorífico Silva, de Santa Maria, lançaram um programa de bonificação para a carne proveniente de animais das raças Hereford e Braford. A fim de incentivar ainda mais a criação das referidas raças e atender a forte demanda pela carne certificada pela ABHB, foi instituído na quarta-feira, 4, o Programa Silva de Bonificação da Carne Hereford e Braford. A bonificação será para animais dente de leite (mais leves), e fêmeas enquadradas no Programa, em até 6% acima do preço base praticado pelo frigorífico. Para Fernando Lopa, presidente da ABHB, o novo programa é consequência do trabalho de qualidade realizado pelos criadores na produção dos animais de abate e pelo trabalho sério de certificação dos animais para o Programa Carne Certificada Pampa. “Nossa carne vem ganhando mercado pela

qualidade dos produtos oferecidos na gôndola e a demanda está aquecida”, considerou. O Programa Carne Certificada Pampa objetiva garantir um preço mínimo de negociação, baseado no indicador de cotação Esalq/Cepea, sempre acima dos valores médios praticados no mercado. “É garantido ao produtor receber, no mínimo, o valor Esalq/Cepea máximo para praça de negociação aos animais que estão enquadrados no Programa”, esclareceu Lopa. Para a Central de Compra de Gado do Frigorífico Silva, este programa de bonificação para animais que se enquadrem nas regras do Programa Carne Certificada Pampa incrementará o número de animais classificados no mesmo. A avaliação é de Diogo Soccal, gerente da compra de gado do Frigorífico Silva, que credita o aumento pela motivação do preço diferenciado pago aos produtores que serão atraídos a investir

11/03/2011, 09:07

nestas raças para fornecer animais. Ricardo Zambarda Vaz, consultor do Frigorífico Silva em Programas de Carnes de Qualidades, afirma que nos últimos meses ocorreu um aumento expressivo na demanda por carne de qualidade e oriundas das raças Hereford e Braford. Para referência ao produtor, a ABHB informa diariamente os valores do indicador de cotação máximo e médio Esalq/ Cepea para o Rio Grande do Sul no site da Associação: www.abhb.com.br e por e-mail para os cadastrados para recebimento das notícias da ABHB. Este cadastramento é gratuito e pode ser feito através do site ABHB na seção “Newsletter”. Outras informações sobre o Programa Silva de Bonificação da Carne Hereford e Braford podem ser acessadas nos seguintes contatos: no site www.carnepampa.com.br; na Central de Compras do Frigorífico Silva pelo telefone (55) 2103 2555, com Diogo Soccal.


Geral Entidades Classistas de Uruguaiana oficializam a criação de TV Comunitária Na manhã de quinta-feira, 03, foi fundada a Associação das Entidades Usuárias do Canal Comunitário de Uruguaiana, na sede da CDL. Coordenado pelo presidente, Jorge Prestes Lopes, o encontro contou com a presença dos representantes das entidades fundadoras da Associação do Canal Comunitário, que, juntas, formarão o conselho administrativo e operacional da emissora local. “A união das principais entidades representativas de Uruguaiana, em torno deste histórico projeto, que é a criação da TV comunitária, é fundamental para a difusão de um meio de comunicação local que irá amplificar as ações desenvolvidas em Uruguaiana”, disse Jorge Lopes. A TVU, como será denominado o Canal comunitário, deverá funcionar no sistema a cabo, geren-

ciado atualmente pela empresa NET Uruguaiana e terá como principal objetivo difundir e divulgar ações sócio-culturais de Uruguaiana, dando ênfase para o movimento social da comunidade. Segundo o presidente da Associação de Transportadores Internacionais - ABTI, José Carlos Becker, a participação das entidades neste projeto de comunicação será essencial para um melhor entendimento pela comunidade, das atividades exercidas pelas representatividades classistas do município. As entidades fundadoras do 1º Canal Comunitário de Uruguaiana são: Câmara de Dirigentes de Uruguaiana, Associação Uruguaianense de Administradores, Associação Brasileira de Transportadores Internacionais, Associação Comercial e Industrial de Uruguaiana, Ordem dos Ad-

vogados do Brasil/Subseção Uruguaiana, Sindicato dos Despachantes Aduaneiros do Estado do Rio Grande do Sul, alem da Câmara de Dirigentes Lojistas de Uruguaiana, Associação dos Arrozeiros de Uruguaiana e Sindicato Rural de Uruguaiana. A documentação já foi encaminhada para a superintendência da NET Uruguaiana, geradora local, que deverá dispor de um link para exibição da programação da TVU. Também estiveram presentes na reunião, o presidente da OAB/ Subseção Uruguaiana, Roberto Duro Gick, o presidente da ABTI, José Carlos Becker, o presidente do SDAERGS, Lauri Kotz, a presidente da AURA, Otilia da Costa e silva Gomes, e o Diretor de Assuntos Públicos e Políticos da CDL, Clarindo Martins Barbosa.

SDAERGS promove palestra gratuita para associados e colaboradores Na próxima quarta-feira, 16 de março, o Sindicato dos Despachantes Aduaneiros do Estado do Rio Grande do Sul - SDAERGS realiza palestra intitulada Interrupção – Retenção e Apreensão de Mercadorias no curso do Despacho Aduaneiro com o advogado especializado em Direito Aduaneiro e Comércio Exterior, Walter Veppo. O evento ocupará o auditório do Sindicato das 19h às 22h, com coffee break. A palestra é gratuita e se destina aos associados e seus colaboradores. As vagas são limitadas e as inscrições podem ser efetuadas até o dia 15 de março, em horário comercial. O objetivo do evento é obter uma análise dos atos administrativos vinculados, praticados pela administração aduaneira no curso do despacho aduaneiro de importação e exportação; propor estudo dentro do con-

7

Uruguaiana, de 11 a 17 de março de 2011

texto legal dos procedimentos de retenção de mercadorias nas aduanas e a apreensão em procedimento especial da IN 206 e 228; evidenciar os reflexos decorrentes das interrupções e retenções no curso do despacho aduaneiro e as respectivas respostas cabíveis a fim de que seja dada

continuidade, visando ao desembaraço aduaneiro e buscar mecanismos a fim de solucionar os problemas existentes no dia a dia do despachante aduaneiro. Informações e inscrições até 15 de março, com Priscila ou Eder, pelo telefone (55) 3411- 4324 ou priscila@sdaergs.com.br.

DESENVOLVIMENTO Por Guilherme Socias Villela

O grande estadista "De tanto se repetir uma mentira, ela acaba se transformando em verdade” (Joseph Goebbelt, ministro da propaganda de Adolf Hitler). Já se disse: “No Brasil, pessoas que se dizem esclarecidas ainda continuam acreditando em gnomos!” (Se ao menos acreditassem em boitatás estariam pateticamente mais próximas da fantástica realidade.) Ocorre que, em matéria de paixões ideológica ou política, acontece de tudo. Há quem considere o ex-presidente Lula – um emérito comunicador de massa – como o maior estadista da era republicana brasileira. Ele mesmo assim se considerava – especialmente quando fazia referência ao seu bordão predileto: “nunca antes neste país...” e em outras manifestações normalmente papagueadas por seus asseclas. Na área econômica, de onde comuns são essas manifestações, dados oriundos da Universidade do Rio de Janeiro indicam que a taxa média de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) do País, nos oito anos do governo Lula, foi de 4%. E que isso o coloca em 19º lugar na comparação com os governos dos presidentes da República, desde 1889. (Sim, a “marolinha” fez estrago no País.) Ademais, era comum a então oposição ao ex-presidente Fernando Henrique dizer que o governo dele adotava uma política econômica neoliberal. Ora, e como foi a política do governo Lula? Uma derivada genética. As políticas de taxas de juros, de controle inflacionário, de privatizações do setor energético, de favorecimento da banca foram idênticas. (Até o presidente do Banco Central do governo Lula foi um deputado federal tucano: o competente banqueiro Henrique Meirelles.) Por fim, convém observar que o governo de Dilma Rousseff vem sendo, nesta primeira quadra política e administrativa, diferente do seu antecessor. Está quieto. Ensimesmado. Nem vocifera contra as dívidas herdadas – da ordem R$ 128 bilhões – preço de sua própria eleição. Oxalá Dilma seja mais uma técnica realista do que política. Tomara que um dia possam dizer: foi uma grande estadista, como “nunca antes neste País...”

O palestrante é o advogado especializado em Direito Aduaneiro, Walter Veppo.

Economista.

Quinta 333.p65

7

11/03/2011, 09:07


Segurança COTIDIANO Por Vera Molina Em se plantando tudo dá – uma reflexão sobre cultura Uma jovem, os cabelos longos e sedosos, o sorriso largo, a despeito dos olhos tristes, entrou na Galeria Independência, em Porto Alegre. A surrada bata indiana, esticada pelo ventre protuberante de seus oito meses de gestação. Oferecia pares de brincos e óculos escuros argentinos para os lojistas. Houve um momento em que ela sentiu que enquanto se dirigia para a próxima boutique, os funcionários a seguiam com o olhar, as expressões faciais nada simpáticas. Um deles chegou a interpelá-la e ela respondeu que só estava vendendo objetos por um valor maior do que aquele pelo qual os adquirira. Qual era o problema de alguém ganhar dinheiro para adquirir o enxoval do seu bebê? Essa mulher, só muitos anos mais tarde, viria a saber que aquilo era contrabando, algo ilícito. Em Uruguaiana parecia natural, por quê? Por que era um costume, fazia parte da cultura do lugar. E, de volta a Uruguaiana, longos anos depois, pegou-se sentada no local onde tem seu pequeno negócio, casualmente uma galeria, escolhendo meias de lã de um outro jovem homem, que as retirava de uma discreta sacola plástica. Disse não, pois estava dentro de uma galeria comercial, os lojistas pagavam impostos, aquele papo todo do contribuinte. Então cultura não é promoção de lançamentos de livros, exposições de artes plásticas? Também é. Essas são manifestações da cultura institucionalizada, aceita, promovida, cultivada. Cultivar é o verbo, cultura o substantivo. Cultura é o conjunto de usos, costumes, produção artística, industrial, agropecuária. Tudo o que é produzido pela inteligência humana. O moço que entrou na galeria trazia uma discreta sacola, o que, ao leitor atento, leva a deduzir que não era tão ingênuo quanto à jovem gestante dos anos 70. Por que será? Por que embora alguns filólogos definam a cultura de determinada civilização como o conjunto de seus valores e conhecimentos perenes, a cultura é altamente dinâmica, já desde a era do rádio, agora, então, em tempos de internet, as mesmas informações influenciam imediatamente as diferentes sociedades. E certamente o moço sabe que há mais rigor na fiscalização, leu e escutou através de vários meios de comunicação que não é correto competir com quem paga impostos. O termo cultura tem origem na agricultura, em razão da flagrante analogia entre as etapas do cultivo do solo e da formação da cultura humana. Mas a cultura de um terreno pressupõe sua limpeza de toda a sujeira e ervas daninhas, a aragem e o cultivo dos vegetais ou cereais desejados. A plantação obedece a determinadas regras. Pessoalmente, não aceito a famigerada comparação, pois trata de pessoas como se fossem terra arrasada, já que teriam de sofrer um processo de limpeza das “ervas daninhas”. Quem limpa o quê? Os auto-proclamados intelectuais desprezam tudo o que vem da cultura popular. Eu acredito que todas as manifestações culturais podem conviver. Acredito que é melhor ler uma revista de amor, ou assistir a uma novela na TV, do que não ler nem assistir nada. Estes hábitos poderão despertar o gosto por desvendar tramas, e essa pessoa, tendo oportunidade, poderá vir a ser um leitor da chamada boa literatura. Isso acontecerá também com as outras manifestações culturais. E vamos à biblioteca, aos cinemas, ao teatro, vamos participar de oficinas de criação literária, de iniciação musical, de dança, que tudo isso faz parte de um caminho que estamos trilhando em direção a uma vida rica, mesmo quando estivermos solitários ou muito idosos.

Quinta 333.p65

8

Uruguaiana, de 11 a 17 de março de 2011

8

Noinha é preso por furto qualificado Na madrugada de domingo, 6, agentes de Inteligência do 1º BPAF receberam informações de que os autores de um furto qualificado estariam se deslocando em direção ao Peral do Sapo com o material furtado. Com o apoio de uma guarnição, os agentes abordaram um indivíduo conhecido por “Noinha”, portando uma mochila. No interior da sacola foram encontrados materiais reconhecidos pela vítima como sendo seus. Noinha foi preso e encaminhado a DPPA e, posteriormente, ao Sistema Prisional.

Preso no João Paulo II portando arma com numeração raspada

No sábado, 5, por volta das 20h, uma guarnição do POE realizava patrulhamento de rotina próximo ao Loteamento João Paulo II. Ao abordar um veículo Gol, os policiais encontraram, junto com o carona do veículo, um

revólver calibre 32, com a numeração raspada e com o tambor carregado com seis balas. O homem foi preso e encaminhado a Delegacia de Polícia, onde foi lavrado o flagrante por porte ilegal de arma de fogo.

Faz programa e perde a car teira carteira Um homem procurou pela Polícia, no último final de semana, para registrar o furto de sua carteira, contendo dinheiro e documentos. Segundo ele, a autora do delito teria sido uma garota de programa que conhecera nas proximidades da Cobec. A moça, de alcunha Jéssica, após manter relações sexuais com a vítima, furtou sua carteira com mais de 300 reais em dinheiro.

11/03/2011, 09:07

1º BPAF realizou Operação Balada Segura durante o carnaval O 1º Batalhão de Policiamento de Área de Fronteira, no período compreendido entre os dias 4 e 8, realizou a Operação Balada Segura, visando reprimir a violência no carnaval. Os PMS atenderam, na cidade e no interior do Município, ocorrências de delitos cometidos por pessoas sob a influência do álcool, substâncias análogas e crimes de trânsito. Foram atendidas ocorrências de lesão corporal, embriaguez ao volante, dano ao patrimônio público, desacato, desobediência e porte ilegal de arma branca. O Comandante do Batalhão, Laudemir da Rosa Gomes, considerou o resultado da operação positivo.

Pai agride filho de três anos com socos e pontapés Um ex-PM Temporário foi preso na noite de quinta-feira, 4 m depois de agredir o filho de três anos de idade com socos e pontapés. A criança, vítima das agressões, ficou com lesões no rosto, nas pernas e braços. O ex-soldado fora expulso da Brigada Militar após ter sido flagrado com maconha e cocaína. A Polícia Militar recebeu uma denúncia de que um homem havia sido rendido por populares, após agredir a criança. O agressor resistiu à ação da PM e, depois de preso, ainda tentou fugir da viatura. A ação da Brigada Militar foi acompanhada pela conselheira tutelar Ana Pereira. O autor do ato covarde foi levado à Delegacia de Polícia e posteriormente encaminhado à Penitenciária Modulada.


Geral

Uruguaiana, de 11 a 17 de março de 2011

Confraria do CDL participa de jantar promovido pela nova direção Na noite de quinta-feira, 03, foi realizada mais uma edição do tradicional jantar da confraria Cedelista, no salão de festas Carlos Martins, nas dependências da CDL. No comando das atividades, desde a cozinha até a recepção dos companheiros lojistas, o casal Sandra Mara Galarça Urquiza e José Luiz Urquiza. Os confrades, na ocasião, apreciaram um galeto assado acompanhado por uma massa à Bolonhesa. “Estou muito honrado por

ter sido indicado pela a diretoria para assumir as atividades do salão de festas de nossa entidade, acredito que este momento que passamos aqui, revigora a todos para seguir firme no trabalho diário”, disse José Urquiza. O presidente Jorge Prestes Lopes estava presente e falou sobre a importância da realização de encontros como estes para estreitar ainda mais os laços de amizade entre os companheiros Cedelistas. “Todos nós temos um dia a dia cada

vez mais acelerado, às vezes até turbulento, onde lidamos com nossos deveres e responsabilidades, por isso é fundamental que tenhamos momentos como este, em que nos reunimos com amigos para trocar e confraternizar. A escolha do companheiro José Urquiza, pela diretoria, para assumir essas atividades foi muita acertada, pois é uma pessoa íntegra e que certamente irá congregar ainda mais a entidade”, disse Jorge Lopes.

Uruguaiana sediará o 3º Seminário Faixa de Fronteira do MERCOSUL O evento, promovido pela Força Sindical, discute a necessidade de reduzir ou extinguir a chamada faixa de fronteira. A área limítrofe de 150 quilômetros, abrangendo 11 estados brasileiros e dez países vizinhos, tem no Rio Grande do Sul maior área delimitada, incluindo 49% do seu território, principalmente na região oeste. Segundo Lélio Falcão, dirigente da

Força Sindical, a existência deste enorme território, delimitada pela Lei Federal 6.634/79, impõe limites ao desenvolvimento dos municípios ali localizados. “É uma verdadeira faixa de exclusão, que atinge cerca de 200 municípios gaúchos”, diz. A entidade quer que o Parlamento do Mercosul inclua o tema em sua agenda. A Assembleia Legislativa participará do

seminário, que será realizado em Uruguaiana, nos dias 24 e 25 de março. O convite foi encaminhado pela comissão organizadora ao presidente da Casa, deputado Adão Villaverde (PT) na quinta-feira, 10. Além de garantir presença, o presidente da Casa informou que três comissões permanentes da Assembléia já confirmaram suas participações.

9

VOZES DO CAMPO colmar_duarte@hotmail.com

Por Colmar Duarte

Momento de Uruguaiana Com este título, recebi um e-mail enviado pelo Hildeberto Rubin Aléssio, em razão do comentário que fiz, na coluna assinada por mim neste jornal, intitulado Raízes no Pantanal. Nesse e-mail, enviado por ele a muitos amigos, anexou cópia da página do jornal Momento de Uruguaiana, onde aparece a coluna Vozes do Campo, relativa ao assunto. Num texto emocionado, o Aléssio renova a história de sua participação em um encontro no Sinuelo do Pago, onde estava em pauta a realização da primeira Califórnia da Canção Nativa. Volta a mencionar a participação interessada de seu amigo Carlos Ceccon Grecco. Chamou minha atenção esse fato. Pois, enquanto gente que não estava nem por perto tenta convencer os incautos que foi um dos responsáveis pela criação do festival, o cidadão Carlos Grecco, que pelo depoimento do Aléssio, poderia assinar, no cartório de registro de nascimentos, como testemunha e declarante, nunca reivindicou essa honraria. Obrigado, Aléssio, por reavivar nossas lembranças, obrigado Carlos Grecco, por ter estado junto conosco no nascedouro desse movimento cultural que, um dia, há de ser tratado com a seriedade e a importância que merece, aqui em nossa cidade, com a mesma seriedade que é tratado no resto do Rio Grande, em Santa Catarina, no Paraná e no Mato Grosso do Sul, terra adotada pelo amigo Aléssio. Pela importância desse depoimento, vai aqui reproduzido para conhecimento de quantos se interessarem pelo assunto. De: hildeberto rubin alessio (hralessio@yahoo.com.br) Amigos, assisto por gosto, dediquei-me a servir sem ser servil, aos movimentos a que fui convidado, não sabia que 35 anos depois receberia tal recompensa que fez meu ser balançar, as lágrimas correrem como águas, límpidas, cristalinas e alcalinas, por serem sinceras, honestas e corretas, podendo aqueles que passam enxergar o fundo do poço. CALIFÓRNIA DA CANÇÃO NATIVA DO RIO GRANDE DO SUL, MÃE DE TODOS OS MOVIMENTOS MUSICAIS DE RAIZES DO RIO GRANDE DO SUL. Certa tarde passou pela firma que eu trabalhava meu Amigo e Vereador Carlos Alberto Ceccon Greco, convidando-me para ir comer um Arroz Carreteiro no C T G Sinuelo do Pago, em companhia de Colmar Duarte, fazendeiro, escritor, poeta, e Patrão do CTG, homem de inteligência rara e do Dr.Henrique Dias de Freitas Lima, Promotor Público em Uruguaiana. O assunto tratado foi a criação de um movimento musical de raízes idealizado por Colmar Duarte, que seria presidido pelo Dr. Henrique com sua respeitabilidade, politicamente representado por Carlos Greco e, Assessoria de imprensa seria minha, como jornalista ARI-207-RS (Associação Riograndense de Imprensa), correspondente em Uruguaiana da Rádio Guaíba, Correio do Povo (70.000), Folha da Manhã (17.000) e Folha da Tarde (23.000), que tinha a época um total de mais ou menos 110 mil exemplares diários, o Correio circulava aos Domingos com 80.000 exemplares. Assim nasceu a Califórnia da Canção Nativa do Rio Grande do sul, morreu não, semente boa em terra fértil, nasce vigorosa, cresce, e aí estão os movimentos músicas espalhados pelo Rio Grande Amado e ela sempre lembrada como Mãe, aliás Deus Delegou "A Mãe o poder de perpetuar a espécie na face da terra, a Rosa desabrochar duas Rosas no mesmo Caule, cheias de vida e A Califórnia ser a mãe de todos os movimentos musicais de Raízes do Rio Grande do Sul, quem deixa o endereço na querência é por que Ama, Com a respeitabilidade que todos são merecedores, daqui de Cima da Serra de Maracajú, no divisor das águas do Rio Paraná, um grande abraço, Hildeberto Rubin Alessio

LEMBRANDO ANTÔNIO CHIMANGO Era um gaúcho atrevido Quer de a pé, quer de a cavalo; Cola atada ao Cantagalo; Prata em penca na guaiaca, Dispondo de muita vaca, Levava a vida em regalo! Amaro Juvenal

Quinta 333.p65

9

11/03/2011, 09:07


Social

Uruguaiana, de 11 a 17 de março de 2011

T ourSocial Laura Starlit

10

Casamento

Flavia Vianna Peró Mascia e Mauro Kaufmann Pereira casaram em fevereiro na Party Room, em Porto Alegre. Flávia é filha de Teresinha Maria (Ziza Vianna Peró Mascia e Paulo Peró Mascia; Mauro é filho de Juçara Kaufmann Pereira e Léo Afonso Einloft Pereira. As irmãs Laura e Lucia Mascia Chaves, bonitas e elegantes com os maridos, também irmãos, Eduardo e Pedro Feijó Chaves.

Cumple Victoria Ferreira Pucheta teve uma festa de 15 anos muito peculiar no “Salon de Scheidler”. A decoração criou uma onde positiva, segundo me contaram alguns dos convidados. Pela decoração deduzo que era uma festa relaxante, New Age. Uma festa bem diferenciada na vizinha cidade onde muitos argentinos têm sangue brasileiro. É o caso de Vicky, que tem o sobrenome Costa, de Uruguaiana.

Victoria Ferreira Pucheta faz 15 anos em festa alto astral

Coquetel de lançamento Victoria e Juliana Pucheta numa apresentação informal

O primeiro livro editado lançado pela Editora Proa, intitulado Umas e Outras, de autoria do médico psiquiatra Rônei Rocha terá coquetel de lançamento organizado por Margarete Bortolotto na sexta-feira, 11, no Sesc Uruguaiana, Rua Flores da Cunha, 1984, esquina com Rua Santana. O evento é aberto a todos os interessados em leitura e acontecimentos sociais.

Evana Garavano e Florencia Greforietti chegando no cumple de Vicky

Quinta 333.p65

10

11/03/2011, 09:07


Social Senhoras Cedelistas

Uruguaiana, de 11 a 17 de março de 2011

11

Uma dama faz aniversário

A CDL Uruguaiana promoveu na quarta-feira, 09, coquetel para homenagear as mulheres pelo Dia Internacional da Mulher, comemorado no dia 08 de Março. O coquetel foi produzido pelo Clube das Senhoras Cedelistas, que tem como presidente a empresária Luciane Lopes. O evento foi um sucesso, desde a ambientação, através de lounges que transformaram o salão nobre, passando pelo cardápio assinado pelo chef Nico Comis. A noite também contou com a participação do professor de dança de salão, Leandro Alves, que, após apresentação com sua parceira de baile, Karem Acosta, colocou todas a sambarem, através de uma aula de samba.

Alice Fabricio de Faria Correa fez 90 anos por esses dias. A festa foi no Tênis Clube Rio Branco no sábado, 5. Vieram amigos e pessoas da família que moram fora, além da turma uruguaianense. Não foi um aniversário comum, foi uma homenagem a uma mulher que se interessa por tudo e por todos. “Enquanto a Dona Alice não chega numa atividade cultural, não sinto firmeza na qualidade do que

será apresentado”, me confessou um escritor estreante, no dia de sua sessão de autógrafos. Pois Dona Alice é assim, ela vai, compra o livro e combina um horário com o escritor para discutir o conteúdo. Seus passeios diários são sempre acompanhados de conversas pelas calçadas, pois ela está sempre em sintonia com o lugar onde vive e tudo o que acontece. Longa vida para Dona Alice.

Cultura Maasai O jornalista e fotógrafo argentino, Justo Casal, com colaboração de Raul Valls, lança o projeto De Mãos Dadas com a África – Escolas para crianças carentes, às 19h de sexta-feira,11, no Salão Panorâmico do Tênis Clube Rio Branco.

Quinta 333.p65

11

Turma que está se espalhando entre cursos pré-vestibulares e universidades. Uruguaiana, Porto Alegre e Santa Maria

11/03/2011, 09:07


Social Uma onça na Sapucaí

Uruguaiana, de 11 a 17 de março de 2011

12

Baile infantil do Clube Comercial

Ana Lúcia Silva e Silva, que está advogando em Niterói desde os últimos meses de 2010, não podia ficar de fora do samba. Saiu na Beija Flor, a campeã, e, embora nunca tenha morado em Uruguaiana, como torcedora da Cova da Onça, foi na ala que falava da natureza e escolheu a fantasia: de onça.

Carmela, filha de Irene Nunes Silva e Ivan Ferreira da Costa Santos, fantasiada de espanhola.

Os blocos fizeram sucesso Aninha de onça desfilando na Beija-Flor de Nilópolis

Gabriela Simonetti, rainha do bloco Bota Bala

Após o desfile, já comemorando

Quinta 333.p65

12

11/03/2011, 09:07

O Bota Bala foi um dos blocos mais animados do salão, tendo comorainhaalindinhaGabriela Simonetti. OS GURIS: Mateus Cardoso, Guilherme Uhman, Gabriel Bortolotto,LorenzoSanguinetti,ViniciusBecker,ViniciosCiocca,LucasDorio,GabrielVargas, João Antonio Altermann,MarcelCampodônico, Matheus Lopes, Matheus e Martim Boffill. AS GURIAS:Marcela Saenger, Helena Guedes da Luz, GiovannaThevenet, a rainha Gabriela Simonetti, Luiza Alterman,ManuelaCiocca, Vitoria e Mariana Silveira.


Unipampa

Uruguaiana, de 11 a 17 de março de 2011

Edital para Programa de Bolsas de Desenvolvimento Acadêmico em 2011 O edital para seleção de candidatos aos benefícios do Programa de Bolsas de Desenvolvimento Acadêmico - PBDA da Universidade Federal do Pampa - UNIPAMPA foi publicado nesta quinta-feira, 3 de março. A pró-reitoria de Assuntos Estudantis e Comunitários - PRAEC, que gerencia o programa, indica no edital que a vigência das bolsas começa no dia 2 de maio, após todas as etapas de avaliação de projetos de trabalho e indicação de bolsistas, realizados durante os meses de março e abril.

O edital pode ser acessado através de link publicado no Portal UNIPAMPA (acessível em http:// 4c3.de/NM0). O documento expõe ainda que a quantidade das bolsas será definida com base nos critérios constantes no presente edital, considerando o aporte orçamentário. A proporção de bolsas para cada tipo de atividade é a seguinte: 25% dos recursos para a modalidade de Iniciação ao Ensino, 25% para a modalidade de Iniciação à Pesquisa, 25% para a

modalidade de Iniciação à Extensão e 10% para a modalidade de Iniciação à Gestão, ficando os 15% restantes alocados de acordo com a demanda por modalidade. O PBDA permite que acadêmicos adquiram experiência em uma das quatro modalidades de iniciação acima descritas, obtendo uma bolsa que ajuda nas despesas de manutenção. De acordo com dados fornecidos pela PRAEC, 1.952 alunos já foram contemplados pelo PBDA de 2008 a 2010.

Professor da UNIPAMPA participa de site em homenagem a Moacyr Scliar O texto Réquiem para Scliar, do professor Marcelo Rocha, do Campus São Borja da Universidade Federal do Pampa, foi incluído em site especial (em http:// 4c3.de/OLS) que o jornal Zero Hora criou em homenagem ao médico, escritor e articulista gaúcho Moacyr Scliar, falecido em 27 de fevereiro. O site conta com textos do escritor Ignácio Loyola de Brandão e do contista gaúcho Fernando Neubarth, entre outros.

No seu artigo, o professor Marcelo Rocha salienta a trajetória do escritor, sua vinculação com o bairro Bom Fim, em Porto Alegre, além de sua prolífera obra em diversos gêneros (romances, crônicas e ensaios). O professor aproxima, ainda, a imagem emblemática da novela “Max e os Felinos”, publicada por Scliar há trinta anos, à circunstância de proximidade pela qual todas as pessoas passarão: o enfrentamento de um grande desafio.

Quase nove mil voltam às aulas nesta quinta-feira A partir desta quinta-feira, 10, a Universidade Federal do Pampa - UNIPAMPA abre as portas de seus campi para cerca de 8.700 alunos que frequentarão um dos 53 cursos de graduação ofertados em dez cidades da região. Desses, só de calouros são 2.700 estudantes. Apenas o Campus Bagé começará as aulas uma semana mais tarde, no dia 17 de março, já em novo prédio. O vice-reitor da Universidade, Norberto Hoppen, dá as boas vindas aos estudantes que vem de todas as partes do País e destaca o início das atividades em cursos ofertados pela primeira vez: Geologia, em Caçapava do Sul; Bacharelado em Enologia, em Dom Pedrito, e Bacharelado Interdisciplinar em Ciência e Tecnologia, em Itaqui. “Os três novos cursos foram bem acolhidos pelos candidatos, o que nos deixa muito satisfei-

tos”, explica o vice-reitor. No dia 16 de março, uma nova chamada para as poucas vagas ainda remanescentes será realizada, e a sele-

ção levará em conta a nota do Enem. O edital com os critérios, datas, horários de matrículas e vagas disponíveis deve ser publicado ainda nesta semana.

13

JORNALISMO LITERÁRIO Por Nei Duclós

Pajaritos Éramos pregos, a mais baixa qualidade humana no colégio dominado pelos adultos. Por isso nos coube o pífaro, o estranho e insignificante instrumento da banda que estava sendo formada. Era um canudo preto cheio de furinhos. Não tivemos chance na disputa por bumbo, tarol, tuba, clarim, surdo. Por impossibilidade física, não brilharíamos na bateria ou no sopro nobre das afiadas cornetas, a que assustava os pássaros e as avós. Cabia a nós soprar melodias melífluas e anódinas para o deboche da bagacerada que não tinha aderido à moda, ou da turma de desocupados que se postava na rua para se divertir não apenas com o rififi do pífaro como do uniforme de gala espalhafatoso, que incluía calça branca, casaco brilhante azul e um quepe com penacho amarelo, parecido com as imagens dos bonecos das latas de flit, o inseticida da época. Hoje todos cuidam para não traumatizar os petizes. Naquele tempo não havia misericórdia. Até dentro de casa sofríamos com a gargalhada dos mais velhos, vizinhos inclusive. Compadres, irmãos, tias e pais de riso solto tiravam sua lasca. Como nossa música recorrente, a única que aprendemos de verdade, dizia “canta canta pajarito”, minha mãe apelidou a turma pré-adolescente dos trinados mínimos de pajaritos. Era cruel demais. O pior é que em pouco tempo cresci mais do que meus companheiros de infortúnio e arquei com dose extra de anedotas, pois não adiantava me curvar sobre o instrumento para disfarçar: minha altura já batia no teto e eu media o dobro em relação ao meu entorno. Implorei a migração para a ala das cornetas, no que fui atendido depois de ameaçar deixar a banda, o que causaria uma tragédia, pois ninguém mais queria ter o privilégio de participar da troupe. Pior para eles, pois nos divertíamos nas excursões, onde meninas de Libres ou Alegrete aglomeravam-se para ver os bravos rapazes da banda uruguaianense, garbosos em seus uniformes e arrancando suspiros generalizados. Quando minha ameaça deu certo, me deparei com novo problema: eu não sabia tocar aquele troço, o clarim. Não tinha pulmão, não conseguia tirar uma nota sequer, que dirá um dobrado. Jamais chegaria aos pés dos bambas da área, verdadeiros virtuoses que sustentavam todo o esplendor sonoro daquele grupo de alunos sem talento e improvisados de músicos. Mas como diz o ditado, “não tem tu, vai tu mesmo”, acabei ficando, sem deixar de ser um enganador nessa fase obscura de minha vida escolar. Não fazia mais parte dos competentes intérpretes do canta canta pajarito que, mal ou bem, já era um hit na cidade. Tentava desempenhar minha nova função, mas não dava nem para o gasto. Um dia me invoquei e resolvi enfrentar o impasse. Numa solenidade importante, decidi que extrairia o som mais espetacular, fruto do meu esforço e vocação sem reconhecimento. Foi baixarem a baliza para eu sair mandando mecha no bocal. Mas tive sorte. Não saiu um pio, como era natural, o que me salvou de um vexame, pois o sinal era para o bumbo, não para nós, do sopro. Depois dessa, encerrei minhas atividades de músico. Decidi tocar apenas rádio. Nisso, sempre fui um especialista.

SEJA UM VISTORIADOR DE VEÍCULOS EM SUA CIDADE E REGIÃO

CURSO IDENTIFICAÇÃO VEICULAR E DOCUMENTAL Certificado e Registro com validade Nacional VAGAS LIMITADAS Se você trabalha ou quer trabalhar com veículos, torne-se um profissional no assunto. Os cursos serão realizados na CDL, aos finais de semana

INFORMAÇÕES FONES (55) 34124233 E 81078926

Quinta 333.p65

13

11/03/2011, 09:07


Rural CAMPEREANDO

Uruguaiana, de 11 a 17 de março de 2011

14

Remate Crioulos Fronteiriços

Por Tunico Fagundes Na data que escrevo esta crônica, celebra-se em todo mundo o Dia Internacional da Mulher. Sua origem está nas manifestações das mulheres russas por “Pão e Paz”-, por melhores condições de vida e trabalho e contra a entrada do seu país na Primeira Guerra Mundial. Essa idéia de celebrar um dia da mulher, já havia surgido desde os primeiros anos do século XX, nos Estados Unidos e na Europa. A data foi esquecida por longo tempo, até que nos anos 60 foi recuperada pelas feministas. A partir de 1977, por iniciativa da ONU, o dia Internacional da Mulher foi adotado pelas Nações Unidas, para lembrar as conquistas sociais, políticas e econômicas das mulheres. Nossa história, a história do Rio Grande do Sul, deve muito as mulheres notáveis que foram o alicerce, a guarida e o berço dos heróis que consolidaram nossas fronteiras. Mulheres como dona Caetana, mulher de Bento Gonçalves e Anita Garibaldi, nossa heroína mais notável. Embora diferentes nas atitudes, na formação e na maneira de ser, ambas representam muito bem a presença da mulher na história gaúcha. A primeira marcando a retaguarda, a dignidade, a coragem silenciosa da espera, a manutenção do patrimônio enquanto os maridos lutavam. A segunda, embora não sendo gaúcha, símbolo de bravura e companheirismo e também de muita coragem. Sábado, na missa da antiga Santa Casa, uma homenagem muito bonita e justa, para uma senhora festejando 90 anos, dona Alice Fabrício de Faria. No meu entendimento, uma senhora que nos reporta a “Caetana”, digna, altiva, fina, uma senhora de gestos comedidos, mas muito firmes, mulher de personalidade forte, de cultura invejável. Poucas pessoas “são”, sem ter a necessidade de dizer “quem são”, a senhora certamente é uma. Ter tido a sorte de na minha infância e adolescência ter convivido na intimidade de sua casa, junto com a Senhora e o Dr. Ney foi um grande privilégio. Parabéns dona Alice! Pela saúde, pelos filhos, genros e netos orgulhosos da Senhora e que certamente, seguem aprendendo com seu exemplo, a viver cada dia, com altivez e dignidade, levando adiante este dom maravilhoso que Deus lhe deu e a Senhora tem sabido corresponder tão bem.

Quinta 333.p65

14

Alguns dos principais criadores da Fronteira Oeste gaúcha estarão reunidos, no dia 19 de março, a partir da 20h, no Parque Agrícola e Pastoril de Uruguaiana, para promover o Remate Crioulos Fronteiriços. Em pista 45 lotes de éguas Crioulas com cria ao pé ou prenhas de renomados reprodutores, entre eles, AS Malke Sedutor, Grande Campeão de Esteio 2010, e Santa Teresa Ambicioso, importante garanhão Picaço Chileno. Segundo os criadores que integram o seleto grupo do Remate Crioulos Fronteiriços, várias categorias de animais serão ofertadas. “Iremos apresentar aos clientes perfis variados de animais, de reprodutores confirmados e domados, éguas mansas, potrancas e éguas com cria ao pé, ou seja, um vasto leque de opções co-

Comissão de Agricultura da AL aprova audiência pública em Uruguaiana Foram aprovados quatro requerimentos de audiências públicas em reunião ordinária da Comissão de Agricultura, Pecuária e Cooperativismo - CAPC da Assembleia Legislativa, na quinta-feira, 3. Entre os temas das audiências, está a reforma do Código Florestal Brasileiro. O órgão técnico é presidido pelo deputado Chicão Gorski (PP). Numa parceria com a Comissão de Saúde e Meio Ambiente, a CAPC irá promover audiência pública para debater a reforma do Código Florestal Brasileiro. O evento deverá contar com o autor do novo Código, deputado federal Aldo Rebelo. As especificidades das fronteiras como segurança, desequilíbrios econômico e tributário, além da migração social para as metrópoles, estarão entre os pontos a serem discutidos na audiência pública que ocorrerá dia 25 de março em Uruguaiana.

merciais, que deve atrair um público diverso”, ressaltou um dos cabanheiros. A união de estabelecimentos reconhecidamente conceituados, morfológica e funcionalmente, em um único evento, promete ser um dos grandes atrativos deste remate, que surge com a expectativa de se tornar um dos principais da Raça Crioula. Assim, os criadores esperam clientes e amigos de toda a região. A Trajano Silva Remates é a empresa responsável pelo leilão, que concretizará comercializações também através da transmissão via internet, pelo site: www.multiweb.ufsm.br . O evento acontece paralelo à credenciadora do Núcleo de Criadores de Cavalos Crioulos Flávio Bastos Tellechea.

Governo Federal quer mudanças na estrutura administrativa do Incra O governo federal estuda mudanças na estrutura administrativa do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária - Incra. Um dos objetivos, explicitado em minuta de texto que circula no Ministério do Desenvolvimento Agrário, é obter maior controle sobre as superintendências regionais da instituição, cujos chefes, atualmente, são nomeados por indicações de políticas. O governo quer reduzir a autonomia e dar um caráter mais técnico às regionais, cujas chefias são disputadas por correntes do PT, quase sempre ligadas ao MST e outros movimentos radicais. No Nordeste, segundo um alto dirigentes do Incra, o PT assumiu o papel das velhas oligarquias políticas. O Incra tem 30 superintendências pelo País, uma por Estado, com exceção do Pará, que possui três, e Pernambuco, que possui duas. Atualmente, cada uma tem ampla autoridade para definir os planos da reforma agrária e a aplicação dos recursos enviados pelo governo. A eficiência do órgão vem sendo questionada, e os escândalos referentes ao mau uso do dinheiro enviado pelo governo são constantes.

Seapa estuda possibilidade de participação de terneiros com peso menor nas feiras de outono Um pedido de associações e sindicatos rurais está em estudo na Secretaria da Agricultura, Pecuária e Agronegócio. O apelo é para que sejam aceitos terneiros com peso abaixo do permitido nas feiras de terneiros de outono, em função da estiagem que assolou o estado neste início de ano, afetando o desenvolvimento e o engorde dos animais. O diretor do Departamento de Produção Animal da Seapa, Eraldo Marques, prometeu estudar a viabilidade do pedido através de uma Portaria que permita que terneiros machos possam ser inscritos nas exposições com o peso mínimo de 150 Kg, enquanto as fêmeas com 140 Kg. Atualmente, o peso mínimo é de 160 para os machos e 150 Kg para as fêmeas. O instrumento que normatiza a nova regra deverá ter validade somente para este ano. A portaria não feriria nenhuma regra, pois se trataria de uma decisão extraordinária para atender uma situação climática eventual. O Rio Grande do Sul possui 1.273.376 terneiros de 0 a 12 meses registrados, sem contar os da última safra, que ainda não foram computados.

11/03/2011, 09:07


Rural

Uruguaiana, de 11 a 17 de março de 2011

15

Diretoria da ABHB faz primeira reunião de 2011 Definição do calendário de eventos esteve em pauta

Elder Filho elder.filho@bnet.com.br

Na primeira reunião de trabalho da diretoria da Associação Brasileira de Hereford e Braford (ABHB) estiveram presentes 18 pessoas, entre diretores, presidentes de núcleos regionais e equipe de trabalho da Associação para traçar o plano de ações de difusão e projetos da entidade para 2011. Entre estes, definição do calendário de exposições e eventos de 2011, ações do Brazilian Hereford & Braford e diretrizes para o Programa Carne Certificada Pampa®. A reunião aconteceu em Santana do Livramento (RS), na sede do Núcleo do Pampa Gaúcho. O calendário deste ano será ainda mais movimentado, com a participação em feiras em diversos estados do Brasil como a Feicorte (SP), onde os criadores de Hereford e Braford estarão pela 3ª vez consecutiva; a ExpoLondrina (PR) e a ExpoLages (SC). Além das exposições, foram acertados diversos eventos técnico e sociais. O calendário de trabalho da ABHB abre em março e termina somente em dezembro no Jantar de Entrega de Prêmios do Ranking Nacional das Raças Hereford e Braford.

O primeiro evento técnico-científico do ano já acontece em março, nos dias 23, 24 e 25, em Bagé. O pioneiro e já tradicional Curso de Melhoramento de Bovinos de Corte – PampaPlus deverá reunir, na sua terceira edição, mais de 100 alunos na sede da Embrapa Pecuária Sul para acompanhar palestras de importantes pesquisadores sobre o que existe de mais atual no Brasil e no mundo sobre melhoramento genético, além de aspectos da produção e nutrição animal. Este ano, a abertura do curso será feita pelo Presidente da Embrapa, Dr. Pedro Arraes. Como já é do perfil da ABHB, ao longo do ano serão realizadas também outras palestras, cursos e jornadas técnicas, visando difundir o conhecimento no meio produtivo da pecuária de corte, fortalecendo sempre o produtor e a cadeia como um todo. O Curso de Julgamento e Atualização das Raças Hereford e Braford Dr. Jacob Momm Filho, por exemplo, já está com data marcada para o dia 02/05 em Alegrete (RS), sendo previsto também, diversas palestras sobre o Programa Carne Certificada Pampa®

ABHB realizou sua primeira reunião em 2011

durante as feiras de outono. Abrindo a temporada 2011 do Ranking Nacional das Raças Hereford e Braford, o calendário de feiras será inaugurado pela Exposição de Outono do Núcleo Fronteira Sul, em Santa Vitória do Palmar (RS), que acontecerá nos dias 16 e 17 de Abril. Em seguida, vai ocorrer o grande evento do 1º semestre, a Exposição Nacional Nacional de Hereford e Braford, em conjunto com a 9ª Expofeira de Outono do Núcleo Fronteira Oeste de Hereford e Braford (NFOHB).

Este ano, pela primeira vez, a Nacional será realizada no outono, nos dias 4, 5, 6 e 7 de maio em Alegrete (RS). Trazer essa importante feira para o primeiro semestre é uma determinação da diretoria da ABHB buscando destacar a Nacional das raças, afastando-a cronologicamente da Expointer e polarizando o ano com uma grande exposição no outono e outra na primavera (Nacional e Expointer), desta forma permitindo a participação de todos os expositores em ambos os eventos, cada vez

maiores e mais importantes no universo da pecuária brasileira e internacional. Tivemos um 2010 de muito sucesso, mas a ABHB não para. Seguiremos difundindo tecnologia para o pecuarista, através de nossos cursos, difundindo a genética nacional das raças Hereford e Braford e buscando soluções reais para aumentar a rentabilidade do produtor que utiliza esta genética HB, afirma Fernando Lopa, presidente da ABHB. Muitas novidades virão para 2011, complementa Lopa.

Marfrig lança linha Seara Angus com carne dos animais participantes do programa Carne Certificada Angus

ABA e Marfrig Group lançaram linha Seara Angus

Boa notícia para os criadores participantes do Programa Carne Certificada Angus / Marfrig. A empresa está lançando uma linha completa de produtos com a marca Seara para comercialização em todo o Brasil. E somente com carne oriunda do programa. O lançamento dos cortes

Quinta 333.p65

15

Seara Angus ocorreu na primeira semana de março em São Paulo, Rio de Janeiro e Porto Alegre. Nos três dias, participaram mais de 200 supermercadistas e proprietários de restaurantes e churrascarias, além de jornalistas. O evento de Porto Alegre, ocorrido no dia 03 de março, contou com a presença do

Diretor da Área de Carnes da Associação Brasileira de Angus (ABA), Joaquim Mello, além da gerente Juliana Brunelli, e a subgerente Katiulci Santos. A linha Seara Angus é composta por 23 cortes especiais desenvolvidos com base nos menus das melhores churrascarias, parrillas e

steakhouses do Brasil e do mundo. Além dos cortes já consagrados como Picanha, Bife Ancho e T-Bone, a linha conta com vários cortes de dianteiro, como Short Ribs, proveniente do Acém, Peixinho, Coração da Paleta e outros. “Na linha Seara Angus não existe corte de segunda. “Seja dianteiro ou traseiro todos são de primeira”, explica Walter Scheufler, gerente de marketing da divisão Bovinos Brasil & Food Service do Grupo Marfrig. “Em função do Programa Carne Angus Certificada, iniciado em 2007 com a ABA, conseguimos aumentar a disponibilidade de animais para a indústria nos padrões e volumes que precisamos, o que é fundamental para manter a oferta constante dos cortes”, ressalta Luciano de Andrade, gerente de Fomento da Marfrig. “O Programa de fomento Marfrig Angus incentiva financeiramente pecuaristas a multiplicar o que há de melhor em termos de genética voltada à produção da carne bovina no Brasil e oferece suporte técnico a partir de parceria sólida e confiável entre indústria e

11/03/2011, 09:07

produtor, garantindo a compra dos animais e a orientação sobre como atingir a carcaça ideal”. “Todos os animais que geram os cortes Seara Angus são certificadas pela Associação Brasileira de Angus, cujos atributos incluem, entre outros, percentual mínimo de sangue Angus, idade precoce e grau de acabamento das carcaças”, complementa Andrade. A Marfrig também lançou sua linha Seara Cordeiro, oriunda de ovinos produzidos exclusivamente no Brasil, com qualidade diferenciada e garantia de origem Marfrig. A linha Seara Cordeiro é composta por 14 cortes porcionados e congelados de sabor suave e alto padrão de maciez e suculência. Além dos cortes tradicionais popularmente difundidos nas churrascarias, como a Paleta e a Costela, a linha apresenta uma série de cortes porcionados, como Carré Francês, Bife de Pernil e T-bone, de muito fácil preparo e que visa levar o consumidor menos familiarizado a experimentar o sabor dessa carne tão amplamente apreciada mundo afora.


Mural LEGISLATIVO

REPRESENTAÇÕES NO EXTERIOR

As gaúchas tiveram muitas conquistas na 53ª Legislatura. O número de deputadas eleitas titulares aumentou 100% comparado à eleição de 2006 - de quatro vagas o número subiu para oito. Silvana Covatti (PP) foi a campeã em votos entre todos os candidatos a deputado estadual no RS, somando 85.604 votos; Miriam Marroni (PT) ocupa a liderança do governo na Assembleia Legislativa; ainda três comissões permanentes são presididas por mulheres.(Vera Ione Molina Silva)

Durante o governo de Luiz Inácio da Silva, o Brasil abriu 79 representações no exterior. Em 8 anos, criaram-se 57 embaixadas e 22 consulados. Média de 10 por ano. Quase uma por mês. Sob FHC, o Itamaraty fora mais comedido, durante seu governo, inauguraram-se 16 novas representações, 12 embaixadas e quatro consulados. O expansionismo diplomático da era Lula pautou-se pela flexibilização ideológica e pelo desejo de obter um assento permanente no Conselho de Segurança da ONU. (R.P.J)

DE ALÉM TÚMULO

REPRESENTAÇÕES NO EXTERIOR II

O ex-ditador cubano, Fidel Castro, voltou a atacar. Na semana que passou, acusou os Estados Unidos e a Organização do Tratado do Atlântico Norte de se aproveitarem da onda revolucionária que atingiu a Líbia para fazer uma intervenção militar no país. (Ricardo Peró Job) BANCADA FEMININA Silvana Covatti (PP) e Juliana Brizola (PDT) acreditam na criação de uma bancada feminina. Entre as outras deputadas, as opiniões estão divididas. A deputada Zilá Breitenbach (PSDB) reconhece o crescimento da participação das mulheres na Assembleia Legislativa, mas não acredita que se formalize uma bancada nesta legislatura; a deputada Ana Affonso (PT) diz que seria precipitado falar disso. “Ainda não debatemos sobre a criação de uma bancada. É um desafio que se coloca para nós”, diz. (V.I.M.S) BURRICE

No fim do mês de fevereiro, um grupo de artistas populares argentinos, integrantes da Gira H20, estiveram em Paso de los Libres para homenagear o falecido músico Jorge Cafrune. A homenagem, denominada “Cuando llegue el Alba”, teve como anfitriã a cantora Gicela Mendez Ribeiro e ocorreu na plazoleta 12 de Septiembre, com grande presença de público. vite aos seus amigos, colegas e familiares, numa irradiação do nosso apelo, que precisa sensibilizar o maior número de pessoas para transformá-lo num projeto de lei popular a ser encaminhado ao Congresso Nacional. (V.I.M.S)

O general da Reserva, Luiz Eduardo Rocha Paiva, em artigo para a Folha de São Paulo, comentou o descaso pelas Forças Armadas. Em 2011, mais uma vez, postergouse a aquisição de aviões de caça para a Força Aérea, que se arrasta há mais de dez anos, e houve cortes no orçamento de defesa, com prejuízo do desenvolvimento do submarino nuclear e de projetos do Exército. (R.P.J) PROFESSORES

GÊNERO Embora haja divergências sobre a constituição da bancada feminina, para a elaboração de projetos em conjunto há conver-

16

No final de fevereiro, em Porto Alegre, o prefeito de Barra do Quaraí, Maher Jaber, foi eleito, por unanimidade, para presidir a AMFRO – Associação dos Municípios da Fronteira Oeste, em reunião na sede Federação das Associações de Municípios do Rio Grande do Sul. (R.P.J)

ABANDONO

BURRICE II Confirmado o aumento, a cerveja e demais bebidas ficarão mais caras e a indústria deve cancelar investimentos de R$ 7 bilhões previstos para este ano. Investindo R$ 5 bilhões em 2010, a indústria de bebidas recolheu R$ 1 bilhão a mais em impostos. A equação burra é a mesma que o governo do Rio Grande do Sul usa quando mantém o ICMS nas alturas, realizando um verdadeiro desmonte na indústria de beneficiamento do arroz. (R.P.J)

Até então, eram levados em consideração para a criação das representações dois fatores: o interesse econômico e a presença de grande comunidade de brasileiros no país. Entre as novas embaixadas, está a da Micronésia, cuja força de trabalho soma 20 mil pessoas. Dedicam-se ao atendimento de turistas, à pesca e à agricultura do coco, banana, mandioca, batata doce e castanha. A maleabilidade política resultou em apoio a notórios ditadores. Abriram-se embaixadas em países famosos pelo desrespeito aos direitos humanos e pela democracia, como Guiné Equatorial, Sudão, Mianmar e Coréia do Norte. (R.P.J) AMFRO

gência, pois as sete deputadas concordam com essa possibilidade. Segundo Maria Helena Sartori, as parlamentares estarão unidas sobre os temas de gênero. “Acredito que projetos que envolvam mulheres poderão ser construídos coletivamente, superando conflitos ideológicos”, diz. (V.I.M.S)

NEM TANTO ANIMAL A presidente Dilma Roussef prometeu não aumentar ainda mais os impostos durante sua campanha. Não era verdade. Além de querer ressuscitar a CPMF, vai aumentar em 8% a carga tributária da indústria de bebidas geladas (refrigerantes, isotônicos, chás, cervejas e águas minerais). A indústria tenta negociar reajuste próximo da inflação, 5,5%, mas a Receita permanece irredutível. (R.P.J)

Quinta 333.p65

16

Uruguaiana, de 11 a 17 de março de 2011

Existe uma causa em uma rede de relacionamento que envia uma mensagem que diz: Nossa causa ganhará repercussão internacional na TV – Assista. E segue: A causa que defendemos - salário digno para os professores, e tudo o mais que a proposta representa como aprimoramento da educação - ganha repercussão internacional, com sua divulgação no programa "Manhattan Connection" deste próximo domingo, dia 13, às 23 horas, pela Globonews (Canal 40) nas televisões a cabo. Convidamos todos os nossos apoiadores a assistirem essa transmissão, sob o comando do jornalista Lucas Mendes, diretamente de Nova York. Sugerimos também que estendam este con-

No camarote de uma cervejaria da Marquês do Sapucaí, o ex-jogador e comentarista Edmundo disse que ficou surpreso ao descobrir que Alexandre, seu filho com a exmodelo Cristina Mortágua, não era feliz ao lado da mãe. O Garoto, de 16 anos, declarou que apanhava porque sua mãe não aceitava ter um filho gay. "Ele nunca se assumiu para mim. De qualquer forma, amo meu filho incondicionalmente", falou Edmundo. A reação do “animal” foi mais adequada que a da “cachorra”. (R.P.J) UTILIDADE PÚBLICA As ambulâncias e emergências médicas perceberam que muitas vezes nos acidentes da estrada os feridos têm um celular consigo. No entanto, na hora de intervir com estes doentes, não sabem qual a pessoa a contatar na longa lista de telefones existentes no celular do acidentado. O SAMU lança a idéia de que todas as pessoas acrescentem na sua longa lista de contatos o NUMERO DA PESSOA a contatar em caso de emergência. Tal deverá ser feito da seguinte forma: 'AA Emergencia' (as letras AA são para que apareça sempre este contato em prim eiro lugar na lista de contatos). (V.I.M.S)

11/03/2011, 09:07

ALTA NOS MEDICAMENTOS Os preços dos medicamentos controlados pelo Governo deverão sofrer alta de 3,54% a 6,01% a partir do final do mês de março, com validade até o mesmo período de 2012. A resolução foi publicada no Diário Oficial da União. A alta valerá para 20 mil medicamentos, como antibióticos e remédios de uso contínuo. (R.P.J) MAIORIA O Rio Grande do Sul tem 628 magistrados atuando no Estado. Desse total, 315 são mulheres, 313 homens. As mulheres ultrapassaram os homens na magistratura. (R.P.J) CRIME A Controladoria Geral da União tenta impedir na Justiça que o dono de um terreno em frente à sua sede, em Brasília, construa um prédio. A CGU alega um suposto risco à segurança, mas, na realidade, não quer perder o terreno que tem sido usado como estacionamento privativo de seus servidores há mais de cinco anos, sem pagar aluguel. (R.P.J)


Gastronomia Dudu Ferreira

17

Uruguaiana, de 11 a 17 de março de 2011

PARA PENSAR: "Nunca ande pelo caminho traçado, pois ele conduz somente até onde os outros já foram." Alexander Graham Bell

e-mail: duduferreira@bnet.com.br

Um carnaval gigante (?) O "gigantismo" do carnaval carioca o está destruindo. Salgueiro que o diga. A busca cada vez maior por uma apresentação teatral e circense faz com que as entidades esbarrem na dificuldade de apresentar seu enredo: carros enormes, muitos integrantes, alas coreografadas parecem fazer com que o relógio ande mais rápido e os 80 minutos de tolerância que elas disponibilizam já não são mais suficientes. O carnaval carioca está esquecendo de mostrar aquilo que mais gostamos de ver, pelo menos eu, que é o "samba no pé", a alegria dos foliões e a batucada bem marcada das baterias. Se vê pou-

co passistas, vejam só. Pois me alegrei, simultaneamente a isso, ao ver que os jurados, em sua grande maioria, observaram que este gigantismo não deve ganhar carnaval. Quem viu o desfile, deve ter observado a simplicidade, por exemplo, da Vila Isabel e a bateria eletrizante da Mangueira, do toque metálico das frigideiras da bateria da campeã Beija-Flor, além de sua retidão técnica na avenida. Lógico que o luxo, a beleza e a criatividade dos carnavalescos impressionam e torna admirável nossa visão do espetáculo em si, mas a cultura e a própria história, no melhor sentido do carnaval, não deve ser

esquecido ou trocado por mudanças ou buscas por esses "gigantismos". As coisas mudam, certo, mas acredito que a essência deve ser mantida. Aqui em Uruguaiana, o gigantismo que atingiu nosso carnaval de rua acabou por sepultar o carnaval oficial. Cadê os bailes de salão, outrora lotados e animados, os banhos d'água, os blocos de rua (blocos de "sujos")?? Hoje carnaval em Uruguaiana é ir para a Barragem, e colocar som a 200 db e escutar sertanejo universitário. Mas o que é isso? Minha sorte e de muitos leitores é que vivemos a "belle époque" dos antigos e saudosos carnavais...

Molho da vovó Vi esta receita na edição 211 da revista GULA e na época, me apressei em testá-la. Esta semana, revendo algumas revistas, encontrei-a de novo e decidi dar este presente aos leitores. Pois sugiro que façam em casa e indico como acompanhamento de lanches. INGREDIENTES: 1 noz-noscada ralada 1 colher de sopa de açúcar 1 colher de sobremesa de sal 20 folhas de louro 4 pimentas dedo-de-moça 1 cebola picada 4 dentes de alho 50 g de molho de tomate 60 ml de vinagre de vinho tinto 250 ml de óleo de canola PREPARO: - Colocar no liquidificador o vinagre, a noz-moscada, o açúcar, o sal, o louro e as pimentas, e bater por cerca de 30 segundos - Sem parar de bater, acrescentar a cebola - Despejar em uma vasilha - Acrescentar o molho de tomate e mexer com uma concha - Aos poucos, voltar o molho ao liquidificador e jogar o óleo, até a mistura ficar clara - Sem parar de bater, acrescentar os dentes de alho - Testar o sal e pimenta e peneirar o molho para que ele fique homogêneo

Receita da Semana: Tiramissu Quando assisti o filme argentino "O Filho da Noiva", com Ricardo Darín, me chamou a atenção a admiração que os argentinos tem por essa clássica sobremesa. Nunca tinha provado e quando feita com mascarpone é realmente deliciosa. Pois então passo na íntegra, sem faltar nada, a receita do Tiramissu a seguir: 12 PORÇÕES - INGREDIENTES (CREME) 120 g de gema 200 g de açúcar de confeiteiro 800 g de mascarpone PREPARO - Bater na batedeira a gema e o açúcar, até dobrar de volume e formar um creme

17

3 pacotes de biscoito champagne 300 ml de café com 1 dose de licor Amaretto - Molhar levemente o biscoito na mistura do café, um por um, e colocar lado a lado em uma forma de fundo falso. Por cima, distribuir metade do creme reservado - Repetir a camada de biscoito e completar com o restante do creme - Deixar na tigela de um dia para o outro. Retirar o aro e cortar na medida que desejar. Polvilhar o cacau em pó e servir.

VIA E-MAIL E RAPIDINHAS... * Festa maravilhosa comemorativa ao aniversário de Alice Fabrício de Faria, realizado no Tênis Clube, dia 5. Ambiente contagiado de muita alegria entre os convidados. * Cova da Onça já mudou melodia do samba e outros setores, como a Comissão de Frente, também teve de ser alterada em alguns pontos. Mas está tudo ok, garantem dirigentes da escola. * Marduque, com o campeonato da Beija-Flor, deverá se fortalecer com a presença de importantes componentes da escola carioca. Bom para nosso carnaval, claro. * Shoulder Steak, apelidada de picanha da paleta, é tida como grande novidade nas churrascarias do centro do país. Usei este corte alguns anos atrás no Grill Gourmet, mas, por ter uma nervura central, houve um pouco de rejeição. No geral, a carne é surpreendentemente macia e saborosa. * Recebi por e-mail um vídeo sobre a produção do Foie gras. É revoltante. Me pergunta o remetente, Carlos Luis Lima Sobrinho, se já experimentei esta iguaria. Respondo:

Não, ainda não tive a oportunidade, mas confesso que gostaria. * Festa a fantasia na Granja Carmencita domingo, dia 6, contou com presença de 40 pessoas, num belo churrasco de pátio, todas com fantasias muito criativas. Destaque para Pablo Clausell que foi de Ozzy Osbourne e de Enzo Bom, de "nerd". Fui de "Homem das Cavernas", mas confesso, por não estar habituado, que fiquei com um calor danado com aquela peruca preta... * Nossa cidade, já com garantia de hotéis lotados, deve se preparar, e muito, para a chegada de turistas no carnaval fora de época. Bares e restaurantes deverão redobrar cuidados para atender esta demanda. * Me perguntam quando retornará o jantar temático do Baby Búfalo, no Restaurante da Praça. Breve, já que os abates deverão iniciar em abril, me informou João Gaspar Osório de Almeida, proprietário do estabelecimento que fornece o produto à rede Baklizi. É aguardar que informaremos nesta coluna.

BOM FINAL DE SEMANA A TODOS!!

Paciência, qualidade essencial de um homem

Quinta 333.p65

esbranquiçado - Adicionar o mascarpone até encorpar. Reservar. MONTAGEM

11/03/2011, 09:07


18

Uruguaiana, de 11 a 17 de março de 2011

NAQUELES TEMPOS

Alberto Moura

Em 5 de 1880, nasce, em Sant’anadoLivramento, José Antônio Flores da Cunha que viria ser um dos políticos mais influentes e festejados na primeira metade do século XX. Flores da Cunha, ao longo de sua vida política sempre manteve uma estreita ligação com Uruguaiana. Em 1917, durante uma crise política no município, Borges de Medeiros, então presidente do Estado, nomeou Flores para a Intendência e para a subchefia de Polícia de Uruguaiana. Permaneceu nesse cargo até 1918 quando elegeu-se deputado federal. Em 1920, cessadas as turbulências políticas em Uruguaiana, Flores deixou a Câmara Federal e disputa a Intendência Municipal pelo voto e vence. Governou Uruguaiana até 1924, num período agitado de movimentos revolucionários, nos

quais teve decisiva participação. Flores continuou vindo regularmente a Uruguaiana, onde possuía uma casa. Sua filha, Maria, era uruguaianense. Em 1930, com a vitória da Revolução, Flores da Cunha foi escolhido para a interventoria do Rio Grande do Sul, permanecendo no cargo até a decretação do ‘Estado Novo’ pelo presidente Getúlio Vargas, em 1937, quando exilou-se em Montevidéu. Permaneceu no exílio até 1939 quando retornou e permaneceu preso por nove meses, no Rio de Janeiro. Foi eleito várias vezes deputado federal, retornando ao Rio Grande, em 1958, já enfermo. Faleceu em 4 de novembro de 1959. Em 11 de 1911, morre em Uruguaiana o empresário Luiz Bet-

O MÊS DE MARÇO NO PASSADO

tinelli. Na última edição do Jornal Momento de Uruguaiana, esta página publicou os dados biográficos de Bettinelli. Em12de1964,DomAugusto Petró é designado bispo de Uruguaiana, com o lema “Fac et vives”. Em 19 de 1970, morre em PortoAlegreopoetauruguaianense, Hermelindo Cavalheiro. Autor de vários livros de poesia e prosa, Hermelindo publicou o seu primeiro aos 17 anos, “Primeiros Harpejos”, e o segundo, 40 anos depois, “Negrinho do Pastoreio”. Deixou vários livros inéditos. Hermelindo Cavalheiro pertenceu à Estância da Poesia Crioula, de Porto Alegre, a Academia Uruguaianense de Letras, e ao CTG Patrulha do Oeste. Era nascido em Uruguaiana, em 2 de fevereiro de 1897. Em 19 de 1534, nasce em La Laguna de Tenerife – Ilhas Canárias, o padre José de Anchieta. Em Uruguaiana, não se sabe por-

EM ALGUM LUGAR DO PASSADO

Flores da Cunha Intendente de Uruguaiana

quê, Anchieta é homenageado dando nome a uma importante rua da planta urbana. Em 27 de 1881, morre, em Uruguaiana o general Bento Martins de Menezes. Bento Martins era nascido em Cachoeira, em 7 de setembro de 1818. Alistou-se com entusiasmo nas forças farrapas. Foi ferido várias vezes durante a guerra e desempenhou com brilho e inteligência todas as missões recebidas. Desde o final da Revolução Farroupilha já residia em Uruguaiana onde comandou a Guarda Nacional. Em 1865 criou novo corpo da Guarda Nacional para combater os paraguaios. Às suas expensas fardou e forneceu o equipamento ao Corpo, tendo sido seu comandante durante o cerco de Uruguaiana.

Bento Martins, em 1o de março de 1870, estava no local onde foi morto Solano Lopes sendo, por isso, considerado um dos heróis de Aquidaban. Como reconhecimento pelos serviços prestados, foi nomeado brigadeiro pelo governo imperial que ainda lhe outorgou o título nobiliárquico de Barão de Ijuí. Terminada a guerra veio para Uruguaiana onde participou ativamente da política local, sendo chefe do Partido Liberal. Em 30 de 1905, é fundada a Sociedade Agrícola e Pastoril de Uruguaiana. A 1a diretoria ficou assim constituída: presidente – Firmo Soares Leães; vice – João Câmara Vasques; 1o Secretário – Pedro Ranquetat; 2o Secretário – Theobaldo Souza e Tesoureiro – Carlos Cartell.

PRODUTOS VETERINÁRIOS

Foto colhida no Carnaval de 1952, mostra o “Bloco Big Ben”, no Clube Comercial. Na ala feminina, a maioria foi identificada. Sentadas no chão: Nenê Canaparro, Madalena Câmara Canto, Niura Gonçalves, Vera Fabrício, Nóris Gonçalves, Regina Iara Valls, Ieda Gonçalves, Beatriz Oliveira, Terezinha Pires, Carmem Maria Murilo, Virgínia Rocha e Carmem Maria Figueiredo; na

Quinta 333.p65

18

segunda fila: Terezinha Almeida, Laura Fabrício e, de branco, Mário Ferrari Valls, presidente do Clube, e a seguir, Gládis Gonçalves e Vera Ione Fernandes; na ala masculina, foram identificados: Fernando Silva, Newton Rodrigues de Freitas, Otto Pires, Luiz Alberto Kramer, Luiz Carlos Oliveira, Newton Gonçalves, João Pedro Papaléo, Alcides Muraro e Nelson Fagundes.

ERNANDO CIDADE & CIA LTDA RUA GENERAL HIPÓLITO, 3265 - FONE: (55) 3412-4054 - FAX: (55) 3412-2784 /

URUGUAIANA - RS - e-mail: cidadevete@uol.com.br

11/03/2011, 09:08


Esporte PAIXÃO COLORADA Por Joel Neimann Lopes neimannj@gmail.com

Enfim, voltamos ao futebol. Chega de treinar e treinar e nada de jogos oficiais. Agora é valendo e com direito a maratona. Já está estourada a cota de equívocos do Inter neste ano. Correndo atrás no Gauchão e com uma Libertadores em andamento, é necessário ter o equipe na ponta dos cascos e com várias opções para as batalhas que se avizinham. Neste retorno, ao menos o meio de campo voltou a ser escalado de forma equilibrada. Tinga, a exemplo do que fez no ano passado, quando estiver com ritmo de jogo em dia, fará toda a diferença no meio, servindo de ancora para que D’Alessandro brilhe. O tempo dos três volantes e de Guiñazu armador parece ter sido arquivado. Esperamos que o professor não tenha uma recaída. Ainda falta um pouco de ousadia na escalação do ataque, mas seria pedir demais ao comandante. E para a próxima terça-feira, está marcada uma das reuniões mais importantes da história do Conselho Deliberativo do Internacional, onde o futuro do clube será decidido. As propostas apresentadas são antagônicas e o assunto está polarizado. Tenho conversado com inúmeros colorados e notado que não há uma tendência firme para uma ou outra proposta. Há isso sim, o desejo que houvesse o meio-termo, algo inexeqüível no momento. Além do que o tempo obriga que uma decisão seja tomada rapidamente e sob essas condi-

IMORTAL TRICOLOR Por Ricardo Peró Job

Grêmio vence ao León mesmo com dificuldades de chegar ao ataque Num jogo preso e marcado pelo forte esquema defensivo do León, o Grêmio teve dificuldades em chegar á área adversária. Os gols só vieram em jogadas de bola parada. O León começou pressionando e marcando bem o meio de campo gremista. Aos 12 minutos, Orejuela recebeu livre atrás da zaga, mas não soube dominá-la, perdendo um gol feito, com Victor mandando para escanteio. A partida seguiu tensa, com a equipe peruana marcando forte. Apesar do domínio e da iniciativa, o Grêmio não conseguia penetrar no sistema defensivo do León. A arma gremista passou a ser as bolas paradas. Duas cobranças de falta, batidas por Flavio Rochemback e Douglas, levaram perigo ao gol peruano. Aos 42 minutos, Douglas cobrou falta da direita. André Lima se antecipou aos zagueiros e meteu a cabeça. A bola ainda desviou num defensor antes de entrar. Grêmio 1 a 0! Já no início do 2º tempo, aos 9 minutos, saiu o segundo gol Tricolor. Uma bola parada sobre a área peruana e dois jogadores gremistas foram derrubados. O árbitro chileno marcou penalidade máxima. Borges cobrou forte, no ângulo direito, sem chances de defesa para o goleiro Flores. Grêmio 2 a 0! Aos 13 minutos, novamente Borges teve a chance de marcar ao receber den-

Quinta 333.p65

19

19

Uruguaiana, de 11 a 17 de março de 2011 ções fica tudo mais difícil. O melhor seria justamente ganhar mais tempo para analisar detidamente as propostas, já que não foi feito antes. Se tivermos que arcar com os riscos pela demora, que arquemos. O tema é muito importante para ser decidido sem que haja uma convicção plena sobre o melhor caminho. O Gigante da Beira-Rio foi erguido por dirigentes abnegados que o fizeram surgir de onde antes só havia as águas do Guaíba. Na construção, que demorou uma década, a torcida teve papel determinante, seja na compra de títulos ou na doação de materiais. A torcida fiscalizava a obra. Era programa familiar ir ao local onde se erguia o estádio para ver o que havia aumentado e o que ainda faltava. O Gigante é um estádio com alma e não pode ter seu destino decido à galope ao prazer de uma ou outra corrente política que queira prevalecer sobre outra. Há mais em jogo que dinheiro, mas é o dinheiro que irá determinar o escopo do que será feito e a autonomia do clube sobre o complexo no futuro. Confesso que ainda não tenho opinião formada. Cada vez fico mais confuso, pois ambas as propostas são muito bem vendidas e com argumentos convincentes. Por tudo que já ouvi e tenho acompanhado, acredito que nada ainda se decida no próximo encontro e se houvesse uma proposta vencedora neste momento seria pela parceria. Mas o melhor é esperar e analisar com calma. Caso a FIFA nos pressione, podemos ver se o juiz da decisão do primeiro turno não pode nos conceder também um tempo extra para resolvermos nossos problemas e decidirmos com calma. Saudações coloradas!

O CLUBE DA ESQUINA Álvaro Guez Velo

alvaroguez@hotmail.com

CARNAVAL NO CLUBE COMERCIAL No sábado de carnaval, após desfilar no bloco “A Toca do Urtigão”, por curiosidade e nostalgia, resolvi dar uma olhada no baile do Clube Comercial, depois de pagar a entrada, já que perdi meu título por ter morado 21 anos fora de Uruguaiana. Fui diretor desta associação por dois anos e em alguns anos na menoridade trabalhei gratuitamente nas boates “Las Botejas e Málaga” em um total de 10 anos. Até aí tudo bem, mas ver seguranças truculentos batendo em menores não dá para agüentar. Se algum desses meninos fez algo errado merece punição, mas não na bordoada. Na tentativa de barrar a selvageria criminosa, fui ofendido e ameaçado o tempo todo por seguranças e diretores sem competência e sem educação. Como último registro, sou testemunha de ter visto vários sócios serem barrados na portaria, só entravam os amigos dos trogloditas. CLUBE COMERCIAL II Eram aproximadamente 21 horas da noite do último domingo, várias pessoas comentavam nas calçadas da Praça Rio Branco, sobre o baixíssimo nível das letras e das gemedeiras do estilo musical ao qual chamam de Funk, mas que na verdade não tem nada de Funk, a única coisa que tem é muita porcaria, baixaria e falta de musicalidade. E como o baile era de carnaval, eu pergunto: Cadê o Samba? CARNAVAL OUTRA VEZ

tro da área, mas ao driblar o goleiro, perdeu o ângulo. Aos 19 minutos o León teve a sua chance de marcar após bola levantada na área gremista. Rodriguez cabeceou forte, mas Victor fez uma grande defesa. Renato promoveu três substituições: aos 29 minutos, colocou Bruno Collaço no lugar de Carlos Alberto; aos 36, com Escudero no lugar de André Lima e aos 44, Mário Fernandes no lugar de Rodolfo, que saiu machucado. Com a vitória garantida, o time de Renato administrou a partida, tocando a bola. A vitória gremista garantiu ao Clube a liderança do Grupo 2 da Libertadores com 6 pontos ganhos em três jogos disputados.

Esperamos ansiosamente que não aconteçam ao nosso carnaval de rua deste ano as mesmas atrocidades cometidas no ano passado, quando nos foram lançados vários mísseis carregados com ogivas repletas de pagodes, funks e sertanejos. Naqueles intervalos infinitos, entre o desfile de uma escola e outra, o que tem que tocar é SAMBA, e o volume deve estar em um nível no qual as pessoas possam conversar. BLOCO “A TOCA DO URTIGÃO” Como nos velhos tempos do bom Carnaval de rua, cidadãos de todas as idades trocaram suas calças por saias e vestidos, perucas e turbantes, brincos e maquiagem, tudo na maior alegria e na maior paz. Os integrantes sambaram ao som das belas e velhas marchinhas. A concentração foi no armazém da Toca do Urtigão. Para sair neste bloco, só cadastrado e com convite. Bom Carnaval!!!

11/03/2011, 09:08


POESIA LUGAR DE MULHER (Dilan Camargo)

Lugar de mulher já foi lugar de abandono de chorar, perder o sono. Hoje é lugar de presença de viver a diferença renunciar ao falso trono. Lugar de mulher é engravidar a história lugar de Maria Vitória. Não só um lugar caseiro é voar o mundo inteiro feito ave migratória. Lugar de mulher não só de lençol e toalha é lugar de ter igualha de manter acesa a chama universo de quem ama procria, luta e trabalha. Lugar de mulher mais do que ser e estar lugar de se transformar de mover-se dentro e fora no perene e no agora é o lugar que ela ocupar.

Luiz de Miranda candidato a ABL Eduardo Jablonski* Com o falecimento do maior escritor da história do Rio Grande do Sul (em nível de texto), Moacyr Scliar, que ocupava a cadeira número 31 da Academia Brasileira de Letras (ABL), o mais talentoso poeta gaúcho, Luiz de Miranda, decidiu se candidatar à vaga. Nascido em Uruguaiana, tem a maior obra poética publicada no mundo - 2.706 páginas - totalizando 29 livros. Recentemente assinou contrato com a Edipucrs, para lançar mais seis antologias. E a mesma Edipucrs ainda pôs no mercado estudo literário e biográfico intitulado “Luiz de Miranda – o Senhor da Palavra”. Vários escritores possuem um ou dois títulos geniais. Machado de Assis está entre os raros que poderiam ostentar pelo menos cinco obras-primas. E Luiz de Miranda pertence ao mesmo time do Bruxo do Cosme Velho. Monolítico (2009), Nunca Mais Seremos os Mesmos (2005), Cantos de Sesmarias (2003), Trilogia da Casa de Deus (2002), Trilogia do Azul, do Mar, da Madrugada e da Ventania (2000) incluemse no que de melhor se produziu na história da literatura gaúcha, brasileira e talvez até mundial. Luiz de Miranda recebeu quatro prêmios nos Estados Unidos, dois no Paraguai, além de Panamá e Itália. Em maio de 2010, mereceu o Prêmio da Academia Francesa de Letras, Ciência e Artes. E, na cidade das luzes, teve publicado o livro “Trilogia do Azul, do Mar, da Madrugada e da Ventania”, que em francês ficou assim: Trilogie du Bleu, de La Mer, de

Quinta 333.p65

20

11/03/2011, 09:08

Laube ET Grands Vents. Em 2009, conquistou o prêmio do Instituto Literário e Cultural Hispânico, que já agraciou nomes internacionais como Augusto Roa Bastos e Mario Benedetti. Ainda em 2009, mereceu o Prêmio Açoriano de Melhor Livro de Poesia do ano, com “Monolítico”, evento organizado pela Secretaria Municipal da Prefeitura de Porto Alegre. Conhecido como o Poeta do Pampa, recebeu elogios dos maiores escritores do RS e do país. Um dos gênios da poesia gaúcha, Raul Bopp, disse que a poesia de Luiz de Miranda revela a sensibilidade do verdadeiro e grande poeta. Para Moacyr Scliar, Luiz de Miranda é o ápice da poesia nacional. Lygia Fagundes Telles o chamou de poeta maior. Juremir Machado da Silva garantiu se tratar do maior poeta vivo do Rio Grande do Sul. Não é a primeira vez que Luiz de Miranda se candidata à vaga. Nas outras oportunidades, alguns problemas políticos o afastaram. Espero que dessa vez seja diferente.

*Professor, mestre em Letras (UFRGS) e autor de “Luiz de Miranda – o Senhor da Palavra” (Edipucrs, 2010) NE: Em sua volta da Europa, onde foi receber premiação do Senado francês, Miranda lança VOZES DO SUL DO MUNDO pela editora da PUCRS, o primeiro da série de 6 livros. O lançamento será no dia 12 de abril, a partir das 18h30min, no Mezanino da Casa de Cultura Mário Quintana, na Rua dos Andradas, 736 - Ala Oeste - Centro, Porto Alegre.


Jornal Momento de Uruguaiana