Issuu on Google+

Uruguaiana, de 17/12 a 6 de janeiro de 2011 - Ano VI nº 323 Uruguaiana - Barra do Quaraí e Paso de los Libres - Visite nosso site: www.jornalmomentodeuruguaiana.com.br

R$ 3,00

Sonho do asfalto se dissolve em poucos meses Muitos uruguaianenses hoje lamentam a qualidade do calçamento de suas ruas

PÁGINA 10

RURAL

Nesta Edição Suplemento Rural CADERNO ESPECIAL

Estudo aponta que 4% das propriedades responde por 70% da produção de alimentos do país PÁGINA 12

BARRA DO QUARAÍ

Chefe do Executivo Bar rense par ticipa de Barrense participa reunião com Prefeitos e Intendentes da fronteira Brasil – Ur uguai Uruguai PÁGINA 5

Prefeitura promove a 2ª Etapa do Projeto Música em Todos os Cantos PÁGINA 5

Dobra a média de pessoas crismadas no município

SEGURANÇA

Barco naufraga em barragem na Santana Velha

PÁGINA 18

Eleito o mais jovem presidente da história da Câmara Municipal PÁGINA 4

Corsan atrasa mais uma Preso por tentativa vez o saneamento de homicídio básico de Ur uguaiana Uruguaiana PÁGINA 21

Quinta 323.p65

1

Anúncios a preços promocionais Durante os meses de verão estaremos dando desconto nos anúncios veiculados no jornal Momento de Uruguaiana. Aproveite para anunciar seu produto: sua loja, sua empresa, sua cabanha, até mesmo seu trabalho intelectual, como currículo com amostra de seus poemas, contos, trechos de romances, telas e outros trabalhos de artes plásticas. Esses anúncios irão também para o site www.jornalmomentodeuruguaiana.com.br

PÁGINA 8

16/12/2010, 17:02


Uruguaiana, 17/12 a 6 de janeiro de 2011

Abertura A Frase

O leitor escolhe o jornal pela qualidade? A eleição para a presidência da Câmara Municipal do jovem vereador Ronnie Mello, tendo como vice o vereador Clemente Correa. Com atuações exemplares no Legislativo Municipal, ambos tem se destacado no cumprimento de suas funções parlamentares de fiscalizar o Poder Executivo e na apresentação de Projetos de Lei de alto interesse público. O jornal Momento de Uruguaiana cumprimenta aos dois parlamentares e demais membros da chapa vencedora no pleito legislativo, desejando-lhes êxito em seus mandatos.

“Além de incompetentes, prepotentes e cor corrruptos, pelas explicações que dão quando acuados, eles ainda acham que você é débil mental”.

(Millôr Fernandes)

Editorial Em junho de 2009, era rodada nas gráficas do Jornal do Povo, de Cachoeira do Sul, a edição de número 250 do jornal Momento de Uruguaiana. Hoje, um ano e meio e 73 números depois, comemoramos a edição 323 de nosso jornal. Não foi fácil a jornada, embora gratificante, por termos a certeza de que, ao assumirmos o controle do Momento de Uruguaiana, mantivemos a proposta inicial do semanário de seu primeiro editor, nosso colaborador Wolmer Jardim, de independência, pluralidade e seriedade. As dificuldades foram muitas, mas, amparados por um time de colaboradores de primeira grandeza conseguimos levar adiante este, hoje já importante, veículo de comunicação. Não sucumbimos às tentações de uma vida fácil, baseada numa linha oficialista, tampouco da crítica exacerbada e contumaz. Sempre buscamos informar, da forma mais imparcial possível, embora algumas pessoas mal informadas

vejam a publicação de fatos acontecidos como uma crítica aos envolvidos. O objetivo de um jornal é a informação e, subtraí-la, seja por qual motivo for, é não honrar este princípio, fundamental no bom jornalismo. Portanto, acho que cumprimos até agora com nossa proposta. Após este número, em função das festas de fim de ano, que levarão muitos de nossos colaboradores a um merecido descanso, faremos um intervalo de alguns dias em nossa publicação, voltando a circular na sextafeira, dia 7 de janeiro. Em função deste fato, os assinantes de nosso semanário receberão dois números a mais após o vencimento de seus contratos, além de um caderno a mais nesta última edição do ano de 2010. A direção e os colaboradores do jornal Momento de Uruguaiana desejam a todos os seus assinantes, leitores, patrocinadores e amigos um feliz Natal e um Ano Novo cheio de alegrias!

A perda das verbas públicas destinadas ao Centro de Zoonoses em Uruguaiana, no valor de R$ 400 mil. Por não ter dado início às obras no prazo legal, a Prefeitura Municipal teve de devolver o dinheiro. Aliás, a perda de verbas por parte do Executivo Municipal está se tornando uma constante. Além do Centro de Zoonoses, verbas para a compra de medicamentos, para o Caps e para a Educação também foram denunciadas na Câmara Municipal, reflexos de uma centralização exacerbada e da desorganização do Executivo. Perde a população de Uruguaiana.

VISÃO O vice-prefeito e secretário municipal da Saúde, Luiz Augusto Schneider informa que, por meio do Setor de Tratamento Fora de Domicílio, no período dezembro 2010, foram encaminhados ao Centro Médico da Visão em Rosário do Sul (RS), 90 pacientes com deficiência visual em mais de 80% da visão, para cirurgia com o médico Humberto Scheuermann, especialista em cirurgia de cataratas. Os pacientes já foram submetidos ao procedimento e tiveram sua visão recuperada. VISÃO II 40 pacientes/mês foram avaliados em primeira consulta (triagem) e acuidade visual pelo médico Ricardo Teixeira; 20 pacientes/mês foram atendidos pelo médico Cássio Villamarim, em consulta, cirurgia de retina e diabéticos; e 20 pacientes/mês, atendidos pela médica Roxana Nunes da Rosa, em pequenas cirurgias: yog-laser, colózio, pterízio e via lacrimal. PANIFICAÇÃO O SEBRAE, em parceria com a Prefeitura, está elaborando cadastro de pequenas e micro empresas de panificação, padarias e confeitarias, para participação em um projeto social que envolve consultoria, visitas técnicas e curso de capacitação. Informações, em horário comercial, na Agência Municipal de Empregos, na Rua XV de Novembro esquina Presidente Vargas, ou pelo telefone 3412-6669.

CDS E LIVROS Temos CDs da Rhosammaria e livros de autores uruguaianenses por excelentes preços. Rosa canta, além dos cantos de Leontina das Dores e do Gaudêncio 7 Luas, Cantiga por Luciana, de Paulinho Tapajós e Edmundo Souto, Versejando em Campo Aberto, de Airton Pimentel e Luiz Coronel e Chinita, de Enio Rodrigues e Ubirajara Raffo Constant.

COLABORADORES: Alberto Moura, Wolmer Jardim, Dudu Ferreira, Nei Duclós, José Édil de Lima Alves, Frank Finoqueto, Colmar Duarte, Tunico Fagundes, Joel Neimann Lopes, Alvaro Guez Velo, André Guerin, Newton Alvim, Vera Ione Molina Silva, Guilherme Socias Villela, Luiz Barbará Dias Jr., Elder Filho e Lúcia Silva e Silva.

O Jornal Momento de Uruguaiana não se responsabiliza pelas opiniões emitidas nas colunas assinadas por seus colaboradoes

2

Radar

MÚSICA A população em geral pode assistir, no dia 16, às 20h, na Concha Acústica do Parque D. Pedro II, apresentação do Conjunto Musical Fuzi-Pampa, da Banda de Música do Grupamento de Fuzileiros Navais de Rio Grande (RS).

Rua Duque de Caxias, Gal. Barcelona - S/17 CEP 97.510-180 – Uruguaiana RS Redação e Administrativo: 3414-2814 Comercial e Assinaturas: 3402-3614 e-mail:momentodeuruguaiana@gmail.com contato@jornalmomentodeuruguaiana.com.br Editor: Ricardo Peró Job (MTB 14010) Diretora Adm.: Vera Ione Molina (MTB 14344) Diagramador: Marcio Lopes (9928-5414) Impressão: Jornal do Povo - Cachoeira do Sul

Quinta 323.p65

2

16/12/2010, 17:02


Uruguaiana, 17/12 a 6 de janeiro de 2011

3

O vermelho amarelou PONTO LIVRE Wolmer Jardim

Da imor talidade e do pangaré sulino imortalidade

O campeonato mundial interclubes ficou definitivamente prejudicado em sua conformação geográfica já que a Ásia passou a

ter dois representantes na competição e a América do Sul nenhum. Isto depois que o Inter “amarelou” contra os zulus.

Golpe de vista O Internacional contra o time do Congo me fez lembrar um goleiro que vai fazer defesa considerada trivial, fácil, e que já fica olhando o campo à sua frente, para fazer a resposição. Esquece da bola, que entra mansamente por entre suas pernas. O colorado mirou na Internazionale e esqueceu que primeiramente teria de ganhar dos congoleses.

Um caso de desonestidade intelectual Não se chega ao patamar da imortalidade por acaso ou por um estalar de dedos. É algo só alcançável por uns poucos, predestinados a uma intangível condição sobrenatural, forjada em feitos de homéricas dimensões e sedimentada em façanhas de contornos míticos, capazes de sensibilizar até mesmo os Deuses do futebol, de quem se tornam eleitos. O Grêmio é um desses. E há descomunal diferença de trajetórias dos que

habitam o Panteon dos Imortais e dos que precisam sujeitar-se à iníqua condição de reles e falíveis mortais. Isso explica porque uma iminente humilhação, como seria a permanência na Segunda Divisão foi transformada em um episódio heróico, a já lendária Batalha dos Aflitos, enquanto que a antevisão do gozo etéreo do bicampeonato mundial se esfarelou e virou um vexame de dimensão planetária. Por isso, tam-

Mesmo reconhecendo-o por vezes ta- bom ou muito ruim me acontecerá nos próbém, que na retina dos grelentoso, não sou de muito apreciar Paulo San- ximos dias”. Após a derrota colorada, comenmistas a imagem fixada por tana como colunista, por achá-lo em geral tou com proverbial narcisimo: “Às vezes destoda a eternidade será a do oportunista. É useiro e vezeiro em esperar confio que tenho parte com Deus. Não raras másculo guerreiro charrua que se forme um conceito crítico coletivo e vezes esta coluna foi profética, mas na crôHugo De Leon, escalavra- mais ou menos homogêneo sobre determi- nica de ontem me sublimei, antecipando-me do, com o rosto banhado nado assunto para só então abordá-lo, en- ao que aconteceria em Abu Dhabi à tarde”. em sangue, erguendo o tão fazendo seu juízo de valor coincidir com Ora, “algo de muito bom ou muito ruim” vacisímbolo olímpico da vitória. o da maioria dos leitores. Mas o que ele fez nava sua opinião quanto a qualquer resultado Enquanto que na memória nesta semana foi pior. Revelou-se um este- do jogo. Deu uma de Mãe Diná bombachuda. dos colorados a lembrança lionatário intelectual ao escrever antes do Profético nem tanto, mas desonesto intelecque os acompanhará como jogo do Internacional: “Sinto que algo muito tualmente, verdadeiramente sim. uma maldição até o fim dos DE MARES E OCEANOS tempos será a de um conA torcida do Internacional chegou a Abu Dhabi como um “mar vermelho”. Está saindo de golês, em bizarro deboche, lá como o “mar morto”. simulando cavalgar em um trôpego pangaré sulino.

Pernas para que te quero Depois que um jacaré congolês comeu a perna restante do saci, este não sabe como fará para voltar ao Brasil. Cogita-se até que Sérgio Zambiasi faça uma campanha emergencial e para ele consiga uma cadeira de rodas.

Alhos e bugalhos Uma coisa é cair na finalíssima, no fortuito e imprevisível cobrar de penalidades e tendo antes um pênalti calhordamente sonegado pela arbitragem e sendo adversário o poderoso Ajax. Outra coisa, muito diferente, é cair já no primeiro jogo, vitimado por um time tribal de zulus primitivos, que na delegação invés de um médico provavelmente levaram um pajé. Aliás, diante da apatia dos vermelhos, até nem sei se os silvícolas fardados não se utilizaram de dardos paralisantes, disparados de zarabatanas escondidas nos calções.

Quinta 323.p65

3

16/12/2010, 17:02


Política QUANDO A PROPAGANDA É BEM MAIOR DO QUE O CONTEÚDO Por Frank Finoqueto - Advogado A performance do Esporte Clube Internacional no mundial interclubes, além de ter sido vexatória mundialmente, demonstrou uma lição às pessoas, a de que nunca se deve engolir o que a mídia produz, sem que se faça uma reflexão acurada, pois, a política clubista da Instituição esportiva colorada investiu tanto na imagem de uma Super Equipe, que a reiteração da mídia abarrotada pelo dinheiro pago pelo Clube sito na beira Rio vender a idéia que o Colorado gaúcho possuía um time quase que imbatível, que muitos Gremistas e outros tantos torcedores e jornalistas do centro do país estavam acreditando piamente na propaganda vendida pelo Marketing do Internacional, veiculado pela imprensa gaúcha. Muitos também acreditavam que a planificação e estratégia do Clube, em preservar o time para os jogos do Brasileirão, estavam perfeitas. Ledo engano! Quem viu as atuações da equipe do Colorado, em especial a do último Grenal, viu que a equipe não era nada de especial. Então, o que fez a diretoria do Clube? Criou um ‘artifício imediato’, o discurso e a prática de ‘preservar’ a equipe esportiva, quando até os quero-queros do estádio da Beira-Rio sabem que um time de futebol precisa é de ‘ritmo de jogo’ para estar apto a qualquer enfrentamento, pois isso é o que mais um atleta pede no futebol. Mas, o que a diretoria marqueteira queria, em verdade, era ‘esconder’ da sua torcida e do resto do país a grande fragilidade técnica em setores da equipe. É lógico que tudo tem uma explicação razoável, na medida em que, depois de passar longos 26 anos de inferioridade de títulos internacionais, em comparação ao seu eterno rival, qualquer subterfúgio valeria a pena, em se tratando de chance de ultrapassar o Clube da Azenha. De outro lado, no tocante à soberba tão propalada pelos comentaristas esportivos, como ficou a posição do dirigente Fernando Carvalho que proferiu palestras a peso de ouro, até mesmo aqui em Uruguaiana, no Clube Comercial, a respeito de como se fazer um grande planejamento vencedor? Agora com esse rotundo fracasso e erro grosseiro de estratégia, ficamos nos perguntando: o que estariam pensando aquelas pessoas que pagaram para assistir à palestra, espraiada por tantos lugares desse país pelo dirigente? Tiremos, então, boas lições desses fracassados e tristes episódios em que, mesmo que seja deveras difícil controlar nossas emoções, especialmente nas searas em que a emoção mexe com nossas ações e termina por turvar nossos pensamentos. Quando se trata de planejamento, a emoção deve ficar num distanciamento suficiente em que as vaidades, soberbas, não consigam prejudicar o objetivo que se busca. Assim, que a incursão desafinada e desastrosa do Esporte Clube Internacional no Mundial sirva de lição ao Brasil e à seleção brasileira que irá sediar a Copa do Mundo de 2014. Sejamos humildes e bons anfitriões para alcançar o sucesso, ao passo em que, mais um exemplo de extremado fracasso está ai a denotar que não se devem maquiar defeitos a qualquer preço!

Quinta 323.p65

4

Uruguaiana, 17/12 a 6 de janeiro de 2011

4

Mais jovem presidente da história da Câmara Municipal foi eleito nesta terça-feira Nesta terça-feira, 14, o vereador Ronnie Mello (PP) foi eleito com seis votos para exercer a presidência da Mesa Diretora da Câmara Municipal no ano de 2011. Aos 28 anos, o parlamentar será o mais jovem presidente da história da Câmara Municipal de Uruguaiana. Ronnie Mello está em seu primeiro mandato e nesse ano exerceu a presidência da Comissão de Serviços Municipais, Saúde, Educação, Segurança Pública e Desenvolvimento Econômico. A eleição foi aberta e nominal, cumprindo a antecipação de tutela deferida pela juíza Cristina Lohmann, da 1ª Vara Cível de Uruguaiana. A juíza acolheu o pedido liminar feito pelo Partido Progressista em um mandado de segurança contra o presidente da Câmara Municipal. No entendimento do Partido Progressista, o art. 88 da Lei Orgânica de Uruguaiana não admite em nenhuma hipótese o voto secreto. Ronnie Mello irá presidir os trabalhos legislativos de 2011 com o auxílio do vereador José Clemente Corrêa (PT), eleito para exercer a vice-presidência. Também integram a chapa os vereadores Luis

Adalberto Silva (PP), Clemente Correa (PT), Ronnie Mello (PP) Luis Gilberto de Almeida Risso (PMDB) e Mauro Brum (PMDB)

Gilberto de Almeida Risso (PMDB), Mauro Brum (PMDB) e Adalberto Silva (PP) que exercerão, respectivamente, as funções de primeiro, segundo e terceiro secretários da Mesa Diretora. A sessão de votação contou com a presença dos representantes dos diretórios municipais do PP, PMDB e PT. Após a eleição, o vereador Ronnie Mello falou sobre como deverá conduzir a Câmara Municipal em 2011. “O objetivo principal será resgatar a harmonia e o respeito entre os poderes e engajar o poder legislativo no trabalho desen-

volvido pelos mais diversos setores da comunidade como o Rotary e Lions. Precisamos fomentar a geração de emprego e renda, dando respaldo ao setor primário, ao transporte internacional, aos despachantes aduaneiros e ao comércio. Não deixaremos de atender às demandas das áreas de saúde e segurança pública. E, em relação ao desenvolvimento de nossos jovens, a educação, a cultura e o esporte também serão áreas para as quais estaremos atentos e dispostos a contribuir ao máximo”, declarou o futuro presidente.

Câmara Municipal aprova projeto de vereador Rafael Alves Na última reunião ordinária de 2010, a Câmara Municipal aprovou o projeto de lei de autoria do vereador Rafael Alves (PSDB), que dispõe sobre o bem-estar e o controle da população animal de pequeno e grande porte, visando ações de

combate às zoonoses (doenças transmitidas pelos animais), no município. O projeto, segundo o parlamentar, visa regulamentar a responsabilidade dos proprietários sob a permanência dos animais em áreas públicas e o controle de zoonoses

pela administração municipal. “Espero que o município possa agir de forma mais incisiva a partir da sanção deste projeto”, disse o vereador. O projeto aprovado seguirá para a sanção do prefeito José Francisco Sanchotene Felice (PSDB).

Projeto de Clemente Cor rêa dispõe sobre implantação do Proerd no município Corrêa Nesta terça-feira, 14, foi aprovado pela Câmara o Projeto de Lei proposto pelo vereador José Clemente Corrêa (PT), que dispõe sobre a implantação do Programa Educacional de Resistência às Drogas e à Violência

16/12/2010, 17:02

- Proerd no município. O projeto, segundo Clemente, autoriza o município a fazer convênio com a Brigada Militar para a implantação do programa na rede municipal de ensino.


Geral

Uruguaiana, 17/12 a 6 de janeiro de 2011

BARRA DO QUARAÍ

Chefe do Executivo Bar rense par ticipa de reunião com Barrense participa Prefeitos e Intendentes da fronteira Brasil – Ur uguai Uruguai

Maher (1º à esquerda) se reuniu com autoridades do Brasil e do Uruguai

Prefeito Maher esteve cumprindo agenda na última semana, na cidade de Pelotas, juntamente com o Secretário Municipal de Saúde, Professor Richard de Souza, onde participaram da reunião dos Prefeitos, Intendentes e Secretários Municipais de Saúde da fronteira Brasil – Uruguai, na Universidade Federal de Pelotas, com o objetivo de discutir as próximas ações do programa de ação integrada, promovido pela Universidade, com o apoio institucional dos governos dos dois países. No encontro, outros temas entraram na pauta:

Discussão da implementação das Unidades Fronteiriças de Saúde, cujo projeto conta com aval do Ministério de Saúde; UFPel e o município de Barra do Quaraí; unidades de porte um, voltadas para cidades de 50 a 100 mil habitantes, contemplando os municípios de Aceguá/Acegua, Barra do Quaraí/ Bella Unión e Quaraí/ Artigas; enquanto as unidades de porte dois, para cidades 101 a 200 mil habitantes, estão direcionadas para Jaguarão/Rio Branco, Santa Vitória do Palmar/Chuí e Santana do Livramento/Rivera. De acordo com o

projeto, as unidades prestarão atendimento a pacientes das duas cidades fronteiriças. Com a adesão do município a este programa, será disponibilizado, Telemedicina, Raio X e Eletrocardiograma e, ainda, quatro médicos da Universidade, que estarão residindo no município. Este projeto está em tratativas para a adesão do município e trará grandes benefícios para a comunidade. Outro tema em discussão foi o Projeto de Saneamento Básico que inclui o Programa de Preservação do Meio Ambiente da região da Lagoa Mirim e Aquífero Guarani.

Prefeitura promove a 2ª Etapa do Projeto Música em Todos os Cantos Difundir a musicalidade rítmica e poética na Barra do Quaraí e cidades vizinhas - este foi o objetivo do projeto Música em Todos os Cantos, promovido pela Prefeitura Municipal, através da Secretaria de Eventos, Desporto e Integração Fronteiriça, tendo como Secretário responsável da pasta, Rogério Blanco Neto. A 2ª Etapa do evento foi realizada na última semana, 04 de dezembro, na pracinha do Loteamento Popular, no Bairro Norman Irio Gutierres, anexo à Quadra Poliesportiva, recentemente inaugurada. O evento é realizado bimestralmente e teve as seguintes apresentações: Articulo 29 (Bella Unión – ROU); Força Jovem da Igreja do Evangelho Quadrangular (Barra do Quaraí); Perro Negro (Bella Unión – ROU) e Contraband (Uruguaiana).

Prefeitura realiza o 8º Domingo da TTransparência ransparência O Domingo da Transparência, neste ano, foi realizado no mesmo dia do Projeto Música em Todos os Cantos, no sábado, 04, sendo uma iniciativa do Prefeito Municipal da Barra do Quaraí, Engº. Maher Jaber em 2005, baseado no Controle Social e visando à participação popular. O evento é uma forma inovadora de demonstrar e compartilhar com a comunidade a gestão pública, atra-

Quinta 323.p65

5

vés da prestação de contas referente ao recebimento e aplicação de recursos, projetos e atividades que se encontram em implementação, possibilitando à sociedade o exercício da cidadania. Também foram expostas as conquistas do Governo Municipal no exercício de 2009/2010, as que já foram entregues à população e ainda, conquistas que em breve estarão sendo entregues para nossa comunidade.

5

ARRENDAMENTO RURAL: ALGUMAS PECULIARIDADES Por Cláudio Petrini Belmonte - OAB/RS 42.579 1) Afirmar que o Arrendamento Rural consiste num contrato típico (como de fato o é), significa dizer que seus efeitos obrigacionais estão conformes à legislação aplicável (Estatuto da Terra – Lei 4.504/64 – e seu respectivo Regulamento – Decreto 59.566/66). Os efeitos obrigacionais (leia-se, as obrigações dos contratantes) consistem no elemento caracterizador mais importante de um contrato, superando, inclusive, a linguagem utilizada pelas partes. Desse modo, se no documento contratual constar a linguagem típica de uma Parceria, p. ex. (parceiro outorgante, parceiro outorgado, etc.), mas os efeitos obrigacionais (aos quais as partes estão efetivamente obrigadas, conforme as obrigações verificadas na aplicabilidade prática daquele contrato) forem de um Arrendamento (p. ex., obrigação de pagamento de uma quantia fixa em dinheiro), o contrato será um Arrendamento. Numa linguagem coloquial, o contrato é o que é, ou ainda, o contrato é de acordo com o que as partes estão efetivamente obrigadas. No exemplo acima, o contrato é de Arrendamento, pois verifica-se a cláusula típica de pagamento de preço fixo, muito embora no documento conste linguagem típica de uma Parceria (novamente: para fins de caracterização, efeitos são mais importantes que mera linguagem – art. 112 do Cód. Civil). Pode parecer, num primeiro momento, que as considerações acima geram interesse eminentemente teórico, mas, de fato, não cremos que seja assim. Muitas discussões jurídicas são solucionadas conforme a análise de qual contrato está efetivamente em jogo, pois, feita tal identificação, basta a aplicação das respectivas regulamentações jurídicas estabelecidas em lei. Exemplificando: se o contrato for um Arrendamento, o possuidor (Arrendatário) goza do tão almejado Direito de Preferência na compra da área arrendada, mas, por outro lado, se o contrato for uma Parceria, o possuidor (Parceiro Outorgado) não se beneficiará desse direito! Nessa linha, para identificar-se se tal possuidor tem ou não Direito de Preferência na compra do imóvel, tem-se que, previamente, identificar-se se o mesmo consiste num Arrendatário ou num Parceiro Outorgado (além do contrato, analisa-se notas fiscais, Carteiras de Trabalho dos empregados, recibos, etc., sempre com o intuito de interpretar-se qual o contrato que efetivamente acontece). 2) O Direito Agrário é caracterizado por fortes influências costumeiras (prática negocial, tradições, etc.), e não há problema algum nisso, já que usos e costumes também são fontes do Direito pátrio (de onde nascem soluções jurídicas). Ocorre que, como vivemos num sistema legalista, a norma escrita é hierarquicamente superior à norma consuetudinária (costume) – art. 4º. da LICC. Sabe-se que talvez a grande maioria dos contratos de Arrendamento Rural sejam celebrados estabelecendo o preço em produto (p. ex., 3.000 quilos de boi, por quadra, por ano), ocorre que essa circunstância contraria frontalmente o disposto no art. 18 do Regulamento do E.T., que determina que tal preço seja estabelecido em quantia fixa de dinheiro. Ou seja, aplicando friamente a legislação, é inválido o Arrendamento nessa parte (cláusula onde se fixou o preço em produto)! Não havendo qualquer litigância entre as partes no caso concreto, não haveria problemas em termos práticos, pois o Arrendatário efetua o pagamento conforme o estabelecido contratualmente e o Arrendador passa-lhe o respectivo recibo (quitação = conformidade com o que recebeu). Contudo, se a discussão sobre a validade de tal cláusula chegar ao Judiciário, pode haver contratempos, pois o Tribunal de Justiça do RS entende pela validade do preço estabelecido diretamente em produto (reconhecendo a Fonte usos e costumes), mas o Superior Tribunal de Justiça (instância superior ao TJRS) apresenta várias decisões no sentido de que somente haverá validade contratual se a cláusula for estabelecida exatamente conforme o art. 18 do Regulamento, ou seja, em quantia fixa de dinheiro. Nestes casos, o STJ não nega que um valor é devido ao Arrendador, mas deverá haver um arbitramento judicial desse montante, o que, sabidamente, poderá ser bastante demorado (produção de prova pericial, etc.). Através das problemáticas acima, procurou-se demonstrar exemplificativamente a importância de uma análise jurídica anterior à celebração do Arrendamento, pois, eventuais dissabores ou litígios muitas vezes podem ser totalmente afastados ou bastante minorados.

no Município de Uruguaiana, com atuação nas seguintes áreas do Direito: Cível, Contratual, Trabalhista, Agrário, Internacional e Ambiental. CLÁUDIO PETRINI BELMONTE - OAB/RS 42.579 - Professor Universitário (Dir. Contratual, Dir. Agrário e Dir. Internacional); - Mestre pela Universidade de Coimbra (Portugal); - Doutorando pela Universidade de Salamanca (Espanha). NATHALIE SUDBRACK DA GAMA E SILVA BELMONTE - OAB/RS 62.305 - Especialista em Direito e Processo do Trabalho (PUC – POA/RS) Porto Alegre/RS: Av. Loureiro da Silva, n° 2.001, sala 515, CEP 90050-240, Fone: 55 51 3225-3178 Uruguaiana/RS: Rua Gal. Bento Martins, n° 2.497, sala 1.502, CEP 97510-001, Fone: 55 55 3402-3733 Itaqui/RS: Rua Rodrigues Lima, n° 376, sala 602, CEP 97650-000, Fones: 55 55 3433-1626 / 2650 www.belmonteadvogados.com.br

16/12/2010, 17:02


Geral JORNALISMO LITERÁRIO Por Nei Duclós

Uruguaiana, 17/12 a 6 de janeiro de 2011

6

Receita Federal doa Mamógrafo Digital à Santa Casa

Revelações para quê? O ano de 2010 foi de transparência geral. O site wikileaks (que significa “vazamentos compartilhados”) entregou todas na diplomacia e foi o auge de uma tendência hegemônica no ano todo. Começa com a explosão do twitter e do facebook, em que multidões se colocam por inteiro. Temos agora condições de conhecer as pessoas, que se manifestam com suas qualidades e defeitos autorais, em todas as suas nuances políticas, culturais e até físicas, já que as mídias sociais são uma soma de instrumentos digitais de comunicação. Na política, ficamos sabendo mais do que o normal, o passado dos eleitos, suas performances públicas ou privadas. As imagens e diálogos rolam pela rede. Artista, intelectual, candidato rezam na mesma igreja: a exposição completa. E daí? Essa é a pergunta. O que se faz com tanta informação antes segredada? O que Hillary Clinton fez das revelações de que teria ofendido algum país estrangeiro, como mostraram os documentos? Pediu desculpas e pronto. E trancafiaram o editor chefe do wikileaks. No fundo, ninguém dá a mínima para os segredos. Ninguém lê tudo. O que faz as autoridades reagirem com fúria é a ameaça de perderem o emprego. O escancaramento total leva à desmoralização pública, perda de eleições e de cargos. Então há uma movimentação para dizer que isso é um absurdo, vamos coibir, tomar providências. Há medo de parecer tão vulnerável nesta era de terrorismo, mas ninguém abandonará seus hábitos. Talvez matem as fontes e só. Imagino que essa transparência vá provocar um enorme bocejo coletivo. No Brasil, de que adiantou as investigações sobre caixas arrombados, cofres roubados, desvios de verbas, tráfico de influências? Os acusados estão aí, lampeiros. Sempre desconfiei dos movimentos como o ficha limpa. Acabam na mão de quem deveria ser investigado. Serve para limpar a barra de quem fez alguma coisa. Os EUA torturaram no Iraque e daí? Estão arrombando no Afeganistão e o que tem isso? A indiferença poderá se seguir (ou se manter) depois de tanta revelação. Ou então teremos alguns escapes, talvez a volta do swing, uma nova grande Voz, um gênio inédito fazendo grandes filmes, um comportamento coletivo prazeroso e saudável. Será otimismo demais? Muita gente lembra a grande criatividade cultural durante a guerra. Hoje, as criações tendem a se uniformizar e o diferencial do talento custa a marcar definitivamente a época. Há de tudo no ar, acontecendo simultaneamente. Ao mesmo tempo, convivemos com precariedades grosseiras, já que não existe formação escolar para a cultura, escritores continuam amargando problemas básicos de publicação e distribuição, somos ainda um país de analfabetos e a leitura marca passo entre nós, apesar dos megaeventos e das megastores. Parece que falta uma sentada na poeira, um aprofundamento do que temos disponível em excesso ou uma consolidação de recursos tradicionais que nos escapam. Precisamos ter cacife para peitar a avalanche de informação que nos chega. Fazer de 2011 um ano não tão espetacular como 2010, mas mais consequente. É o que deveria acontecer.

Quinta 323.p65

6

Na segunda-feira, 13, às 10h, o prefeito Sanchotene Felice, acompanhado do vice-prefeito e secretário municipal de Saúde, Luiz Augusto Schneider, recebeu da Receita Federal do Brasil a doação de um moderno Mamógrafo Digital – Senographe 2000D, avaliado em R$ 2,8 milhões. A entrega foi realizada pelo Superintendente Regional da Receita Federal (RS), Paulo Renato da Silva Paz, e pelo Delegado da Receita Federal do Brasil em Uruguaiana, Jorge Hergessel. O “Senographe” (“pintura do seio”, em francês), como foi denominado, o primeiro modelo comercial desse mamógrafo, foi lançado em 1967. A seguir, a empresa CGR começou a trabalhar com a geração seguinte de equipamentos de mamo-

grafia dedicada, um modelo apresentado no final da década de 70. Recentemente, a GE lança o maior avanço em mamografia dos últimos 30 anos – Senographe 2000D- o primeiro sistema de mamografia digital de campo total, que mudou definitivamente o cuidado com a mama, propiciando eficiência digital, confiabilidade e assistência às pacientes. A GE continua a desenvolver e fabricar tubos de Raios-X dedicados para mamografia e detém várias patentes referentes à tecnologia de seus tubos, contribuindo de forma marcante para qualidade de imagem. O desenvolvimento avançado de sistemas de mamografia e de outros tipos de equipamentos para aquisição de imagem das mamas, reflete seu papel contínuo como líder mundial na área de

16/12/2010, 17:02

imagem da mama em saúde da mulher. O rastreamento do câncer de mama, feito pela mamografia, com periodicidade de um a três anos, reduz significativamente a mortalidade em mulheres de 50 a 70 anos. Nas mulheres com menos de 50 anos, existe pouca evidência deste benefício. O Instituto Nacional de Câncer recomenda que o Exame Clínico das Mamas - ECM seja realizado a cada três anos pelas mulheres com menos de 35 anos, a cada dois anos pelas mulheres entre 35 e 39 anos e anualmente pelas mulheres entre 40 e 49 anos. As mulheres na faixa etária entre 50 e 70 anos devem submeter-se ao exame anual ou semestralmente, sendo a mamografia indicada em casos suspeitos e de alto risco.


Geral

Vereadora Josefina propõe ficha limpa no âmbito Municipal Projeto da vereadora impede contratação de condenados para cargos comissionados A vereadora Josefina Soares (PSDB) protocolou, nesta segunda-feira, 13, na Câmara Municipal, o Projeto de Lei que institui a obrigatoriedade da ‘ficha limpa’ para ocupantes dos cargos em comissão e de confiança no âmbito dos órgãos do Poder Executivo e Legislativo do Município. Pessoas que tenham contra si representação julgada procedente pela Justiça Eleitoral, em decisão transitada em julgado ou proferida em primeira ou única instância, em processo de apuração de abuso do poder econômico ou político não poderão ocupar estes cargos. A autora, na justificativa do projeto, argumenta que a proposta não interfere no ato de nomeação, que é de livre escolha do chefe do Poder Executivo. “O objetivo é condicionar o exercício dos cargos de primeiro escalão às mesmas restrições de quem os nomeou”, diz. De acordo com Josefina, vários municípios estão adotando a mesma medida. Se a proposta for aprovada, pessoas condenadas por sentença transitada em

Vereadora Josefina Soares

julgado pela prática de delitos contra a economia popular, a administração pública e o patrimônio público; contra o sistema financeiro; lavagem ou ocultação de bens, dentre outros, ficará impedida de assumir o cargo. Em nível nacional, a Lei da Ficha Limpa foi uma Iniciativa Popular e contou com a as-

sinatura de mais de 1,5 milhão de eleitores, com grande repercussão nacional. Foi proposta pelas entidades Articulação Brasileira contra a Corrupção e a Impunidade ABRACCI e Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral - MCCE e recebeu o apoio de mais de 1,6 milhão de assinaturas.

Uruguaiana recebe “Consultório de Rua” A coordenadora do CAPS de Uruguaiana, sanitarista Elinar Maria Stracke, informa que Uruguaiana receberá “Consultório de Rua” do Ministério da Saúde. Os chamados “Consultórios de Rua” oferecem ações de promoção de saúde, cuidados básicos e redução de danos a pessoas que moram ou estão em situação de rua e são usuárias ou dependentes de álcool e drogas. Geralmente estas pessoas não costumam procurar os serviços de saúde e, por viverem em situação de extrema vulnerabilidade, tornam-se facilmente vítimas de dependência e de outros problemas de saúde. Os Consultórios de Rua funcionam com equipe multiprofissi-

Quinta 323.p65

7

7

Uruguaiana, 17/12 a 6 de janeiro de 2011

onal que fazem a primeira abordagem, para falar com as pessoas em situação de rua e oferecer ações de promoção, prevenção e cuidados básicos em saúde, para mais tarde, facilitar o acesso a outros serviços. A característica mais importante desta intervenção é oferecer cuidados no próprio espaço de rua, preservando o respeito ao contexto sócio-cultural da população. Apenas três cidades do Rio Grande do Sul foram contemplados com este serviço. O CAPS Centro de Atenção Psicossocial, localiza-se na avenida Presidente Vargas, 2948, altos da Policlínica Municipal. Fone/fax: 3412-9480 - E-mail: caps.uruguaiana@yahoo.com.br

A MÃO DE DEUS (PARTE1)

Por Cláudio Noronha Não fazia muito que chegara à cidade o tal do Delegado Piva. Vinha cercado de boas referências. A comarca tinha ficado quase cinco anos sendo atendida pelo Dr. Vilar que se deslocava, semanalmente, de Santana. Era a primeira vez que saíamos para uma diligência juntos. Eu era o inspetor encarregado da zona rural. Excetuando algum roubo de gado que outro ou um chibo mais grosso, por denúncia decorrente de escuso interesse, nada acontecia. Hoje sim; uma mulher fora encontrada morta numa propriedade perto do Passo dos Prestes. Um vizinho fora chamado por um menor. Presumindo tratar-se de envenenamento, mandara um próprio, a cavalo, nos avisar. Chovera muito. A camioneta da Delegacia, com pneus já sem sulcos, atrapalhava-se para manter-se nos trilhos afundados pelos caminhões que puxavam arroz naquele fundão. Eu não iria me botar a correr sem necessidade. Levaríamos umas duas horas para cobrir o percurso. Dava para aproveitar e conversar bastante. Pretendo conhecer melhor o homem. Tinha muita fama, bastante jovem, de uns 35 anos, quando muito. Uma águia, segundo advogado local que o tivera como colega na faculdade. Comecei puxando conversa. Conhecia bem a finada. Era até meio aparentada com uma cunhada do meu irmão. Tinha sido pega, à força, por um tio que bebia, quando novinha, e embuchara. Lá pelos idos dos anos quarenta, quando o fato se sucedera, isso era mais normal que nos dias de hoje. Dolores, a velha parteira, que vivia nas cercanias, por súplica da mãe chorosa e temente das conseqüências, fora chamada, às escondidas. Nervosa, com medo, sabendo que o que fazia não era certo, tratou de remover a criança às pressas, meio de qualquer jeito e machucou muito a pobre da moça. Diziam que tinha ficado capona. Casou com um viúvo, já com uns trinta forte. Não tiveram filhos. Ele trazia um casal, uma mocinha e um piá. A filha não suportou o convívio com a madrasta, logo arrumou um jeito de ir morar com uma tia na cidade, a pretexto de fazer o Curso Normal. Dizem que era muito malvada mesmo, a defunta. Beliscões, desses de deixar roxo na volta e sangrar no meio, era o que havia de mais comum. O pobre do guri, o pai sempre distante, trabalhando de pião por dia, fora a gritos, taponas nas orelhas e a laçaços de relhador no lombo, nos casos de pecados mais fortes. Tudo segundo a finada. Ela não fazia nada. Passava o dia se embalando numa cadeira velha, de palhas bastante puídas, a ouvir um radio de pilhas. E meta ordem! O menino, além da lida da volta da casa, varrer pátio, colher frutas, cuidar da horta, encerrar vacas, racionar galinhas, ainda cozinhava e mantinha limpa a vivenda que habitavam. E sempre debaixo de puteadas. -Para que o Doutor Delegado avalie bem o que era maleva a tal da sem-vergonha, ela conseguiu convencer o marido de que ela própria trataria da educação do enteado, que o faria aprender a ler e a escrever. E melhor do que na escola rural. Logo ela, Doutor, que mal e mal acolherava meia-dúzia de letras. Era para não perder o escravo, para poder seguir ouvindo seu radinho, suas novelas. E para comer infindáveis mingaus de aveia com canela. Seu vício. O pobre guri cresceu assim, analfabeto, trabalhando de sol a sol, de domingo a domingo. E quando o pai voltava para casa, à noite, por vezes, aplicava ainda surras de cinto, sempre pelo lado da fivela, fazendo justiça a mentirosos queixumes da megera. Não tinha amigos, distração, nada. Trabalho, castigos, mentiras e medo. Muito medo. Do pai, da madastra, do universo do seu convívio. O Doutor Piva a tudo ouvia. Comia minhas palavras com seus ouvidos. Perguntava muito, prestava atenção como ninguém. Aposto que seria capaz de repetir tudo o que dissera, sem esquecer uma frase sequer. Assim estávamos quando, depois de uma curva à esquerda, divisamos a funesta moradia.

16/12/2010, 17:02


Uruguaiana, 17/12 a 6 de janeiro de 2011

Geral COTIDIANO Por Vera Ione Molina Nós, uruguaianenses, criamos nossas próprias celebridades “Oito cartas pessoais que a princesa Diana enviou a um mordomo de confiança da família real britânica foram vendidas, há cerca de três anos, por mais de 19 mil libras (23.750 euros) em um leilão realizado em Colchester, no sudoeste da Inglaterra”. Num primeiro momento, poderia parecer futilidade escolher para leitura este tipo de notícia, mas não conheço ninguém que em algum momento da vida não tenha dito eu-queria-ser-uma-formiguinha-para-escutaraquela-conversa, ou para-assistir-àquela-cena. No caso da princesa Diana, existem muitas razões para um colecionador adquirir parte da correspondência que fala de sua vida íntima. A morte dela não ficou bem esclarecida, sua história admite muitas interpretações, o material pode ser aproveitado para literatura, cinema, matérias. Mas o acesso à vida privada de outras pessoas é uma coisa fascinante e, quanto mais diferenciadas elas são, tanto maior o interesse. Tenho ouvido falar que “Uruguaiana tem muitos jornais e que os uruguaianenses não vivem sem coluna social e que isso é um atraso, nos outros lugares não é assim”. Existem até mesmo jornais que tentam fazer páginas sociais mais populares, mas quem se interessa por saber da vida de pessoas comuns? Esse espaço das celebridades é universal, no Brasil existem muitas revistas que dão conta do tema. Nós, uruguaianenses, que vivemos tão longe da capital de nosso Estado, temos uma cultura própria, damos valor a um produto híbrido que resulta das influências do Uruguai, da Argentina, da convivência com brasileiros de todos os estados, já que tivemos três quartéis do Exército, representação da Marinha e batalhão de fuzileiros navais que deixaram suas marcas. Convivemos com pessoas cheias de estilo e nos achamos mais importantes que os demais gaúchos, somos o supra-sumo da arrogância. Tivemos o primeiro festival de música nativista, o melhor carnaval do Estado e terceiro do Brasil, alguns dizem, nosso município é o maior produtor de arroz, o que tem os melhores campos, tivemos a primeira refinaria de petróleo e uma vinícola que produzia vinhos premiados nacionalmente, anterior às da serra. Para aplacar a sensação de afastamento de grandes acontecimentos e tomadas de decisões, criamos nossa própria metrópole: UruguaYork, expressão cunhada por uma jovem colunista social faz uns cinco anos. Aquela piada que fazemos a respeito do argentino, sobre seu sentimento de superioridade, aplica-se também ao habitante de Porto Alegre e potencializa-se no extremo-oeste. Daí surgirem nossas próprias celebridades em todas as áreas e querermos saber notícias delas: se elas estavam presentes em determinado acontecimento, de quem estavam acompanhadas, onde vão passar as férias e seus planos para o futuro. Não chegamos ao ponto de tentar comprar correspondências trocadas por pessoas notáveis, mas nos interessamos por suas origens, relacionamentos e vida social. Isso é facilmente observável em nossa relação com os jornais locais e com os sites de relacionamento mais utilizados, nos quais, em muitos casos, a página de alguns usuários se transforma em suas salas de visitas, com álbuns de fotografias contendo legendas que contam suas vidas e que chegam a ser acessadas mais de 100 vezes por dia. O resultado disso são colunas sociais bem diferentes umas das outras, onde existe a queridinha dos que desfrutam de uma melhor posição ou estão lutando por ascenção social. Não importa que esteja em um jornal relativamente novo, ou que não fique bem claro quem a escreve e organiza, é aquele espaço que confere prestígio porque tem um texto mais bem escrito, se ocupa das pessoas que já são e não das que estão sendo construídas, mistura as notícias sociais com cultura com muita propriedade. Não nos venham aconselhar a fazer uma segunda coluna social, mais popular, por duas razões: primeira delas - porque ninguém gosta de jogar no segundo time; segunda, porque as pessoas só fazem questão de “ser o filho do que tem banca de frutas, enquanto o outro candidato é filho de um rico empresário” quando concorrem a cargo político, jamais em sociedade. Vá conferir se aquelas senhoras “finas” que mandavam e-mails nas eleições apontando as diferenças e considerando a origem humilde uma grande vantagem faz essa opção ao elaborar a lista de convidados para suas recepções.

8

Corsan atrasa mais uma vez o saneamento básico de Uruguaiana A Prefeitura de Uruguaiana recebeu na segunda-feira, 13, a comunicação do Tribunal de Contas do Estado - TCE, suspendendo a autorização da concorrência dos serviços de água e esgotos. A decisão tem por base em pedido do Ministério Público de Contas - MPC que na semana passada ingressou com recurso para suspender o processo. No recurso o órgão especial

sustentou que, mesmo com a concorrência suspensa por força de medida cautelar, antes do julgamento pelo pleno do TCE, o município deu andamento ao processo sem autorização. Segundo o MPC, a medida feriu os princípios que regem as concorrências. A Prefeitura alega que o Município, depois de intimado, imediatamente suspendeu a licitação, retomando-a quando devidamente

autorizado. Na própria notificação foi concedido prazo de 15 dias. A suspensão ocorreu no primeiro dia e, portanto, não procede a alegação. A Corsan, em 2008 fez proposta para renovar sua parceria com o município de Uruguaiana, prevendo investimentos superiores a R$ 100 milhões nos sistemas de água e esgotos sanitários, que não foi aceita pela Prefeitura, devido ao não cumprimento de contratos anteriores e à flagrante falta de investimentos ao longo dos anos em que aqui atuou a empresa estatal, embora retire de Uruguaiana cerca de R$ 1 milhão por mês. Desde a manifestação do Executivo de não renovar o contrato com a Corsan, a empresa, através de medidas judiciais, tem evitado que o Município contrate, através de edital, outra empresa, embora jamais tenha concorrido nas licitações, sob a alegação de que os editais restringiam a sua participação. Assim sendo, Uruguaiana continua sem saneamento básico.

José Paulo Cairoli recebe a Medalha do Mérito Far roupilha Farroupilha O presidente da Federasul, José Paulo Dornelles Cairoli, recebeu na terça-feira, 14, a Medalha do Mérito Farroupilha, honraria máxima do Parlamento gaúcho, concedida aos cidadãos que desenvolvem um trabalho de destaque. A homenagem foi proposta pelo presidente da Casa, deputado Giovani Cherini (PDT). Antes de entregar a medalha, Cherini fez um resumo da trajetória do empresário. Natural de Porto Alegre formou-se em Engenharia Civil em 1974. Foi diretor de Marketing e de Assuntos do Mercosul da Ipiranga, diretor-presidente do BRDE e sócioproprietário da Agropecuária Reconquista e da Privatto Investimentos. Também presidente da Associação Brasileira de Angus e, desde 2006, presidente da Federasul. Em 2009, tornou-se presidente da Confederação das Associações Comerciais e Empresariais do Brasil - CACB. “Sua atuação na condução da Federasul caracteriza-se pela defesa dos interesses da classe que representa dentro de um interesse maior, o Rio Grande do Sul. Neste sentido, à frente desta gigantesca federação, tem proporcionado a promoção do conheci-

Cairoli (C) agradeceu a honraria

mento e do debate reflexivo acerca de nosso futuro, o fortalecimento das entidades e das comunidades e a inovação permanente”, disse o deputado. Cairoli agradeceu a honraria e afirmou que, segundo seu ponto de vista, a medalha não é dirigida a ele, mas à Federasul. “A nossa entidade tem pautado suas ações por ideias claras, defendendo sempre os mesmos ideais, independentemente de partidos”, disse. O líder empresarial ressaltou que gostaria de homenagear também os seus colegas de Federação, que têm atuado voluntaria-

mente pela entidade e reforçou que ela não pertence a nenhum partido, embora esteja disposta a dialogar com todos os políticos. Participaram da solenidade os deputados Raul Carrion, Kalil Sehbe, Zilá Breitenbach e Edson Brum, o secretário da Fazenda, Ricardo Englert, que representou o governo do Estado, o prefeito de Porto Alegre, José Fortunati, o presidente da OAB/RS, Claudio Lamachia, e o presidente da Câmara de Vereadores de Porto Alegre, Nelcir Tessaro, além de diversas lideranças empresariais.

Lançada pedra fundamental do Foro TTrabalhista rabalhista Na quinta-feira, 09, às 17h, na Esplanada da Justiça, em solenidade presidida pelo DesembargadorCorregedor Regional do Tribunal Regional do Trabalho da 4ª. Região, Juraci Galvão Júnior, com a presença do prefeito de Uruguaiana, José Francisco Sanchotene Felice, do diretor do Foro do Trabalho e juiz Titular da 1ª.

Quinta 323.p65

8

16/12/2010, 17:02

Vara do Trabalho de Uruguaiana, Marco Aurélio Barcellos Carneiro, do Juiz do Trabalho Substituto em Uruguaiana, Tiago Mallmann Sulzbach, do presidente da OAB/Uruguaiana, Roberto Duro Gick, e de advogados, servidores e convidados, foi lançada a pedra fundamental do futuro Foro Trabalhista de Uruguaiana


Tradição

‘RODEIOS RIO GRANDE DO SUL’

O 31° Rodeio Crioulo Internacional de Osório 2011 acontece em maio de 2011 no Parque de Rodeios Jorge Dariva em Osório/RS. No rodeio de Osório 20101 são esperadas a participação de ginetes do Chile e do Uruguai. Entre as

9

Uruguaiana, 17/12 a 6 de janeiro de 2011

atrações do Rodeio Internacional de Osório 2011 haverá provas artísticas e campeiras, bailes e shows. Dentro do evento, ainda acontece a 4ª Exposição de Cavalos Crioulos, o 3º Remate de Potros Crioulos e a 13ª Feira Agropecuária.

2º Rodeio Internacional de Arroio Grande – Rodeio de Arroio Grande 2011

VOZES DO CAMPO colmar_duarte@hotmail.com

Por Colmar Duarte

Fim de ano Não mal comparando, o sol entrando é assim... Como um boi sangrado bem no sangrador. E o céu fica ensanguentado como copa de carmim no tempo que dá flor. Ao passar por São Borja, um dia desses, me vieram à lembrança os poemas de Vargas Neto, poeta ali nascido, cuja genialidade foi fundamental para que a poesia regional gaúcha conquistasse sua cidadania. Anos mais tarde, outro grande poeta fez daquela terra vermelha a matéria prima de seus poemas, quando adotou São Borja como querência – Apparício Silva Rillo. Não seria necessário mais do que isso para passar por ali como se transpusesse a porta do templo do sol, o Korikancha dos Incas. Descubro a cabeça e me curvo em reverência. Na praça central de São Borja há um memorial, mas não é em homenagem a nenhum dos dois poetas.

Depois - não sei se vacê já reparou – As estrelas vão chegando no tranquito, Como um rodeio branco mui bonito, Que vem berrar, Que vem rezar, Pelo rastro do sol que se sangrou... (Carniça – Vargas Net)

O 2º Rodeio Internacional da cidade de Arroio Grande/RS acontece em maio de 2011 no Parque Guilhermino Dutra (Sindicato Rural de Arroio Grande). O Rodeio de Arroio Grande conta com diversas atrações como Praça de Alimentação, Playgound para crianças, Mostra de Artesanato e alguns eventos paralelos ao rodeio como Mateadas, Motras Artística de Inverno, Remates e muito mais. O Rodeio Internacional de Arroio Grande receberá em torno de 10 mil visitantes nos 3 dias de festa incluindo cerca de 150 ginetes do Brasil, Uruguai e Argentina. Na programação do rodeio, teremos competições

HÁ MUITO TEMPO NA ESTRADA

de gineteada em equino e bovino, competição entre as maiores tropilhas do estado e um grande desafio entre nações (Brasil, Uruguai, e Argentina) com premiações altas como um carro e uma moto 0km além de prêmios em dinheiro. Um super palco foi montado para o Rodeio de Arroio Grande 2011 para receber show de artistas como Joca Martins, Cristiano Quevedo entre outros. Outra atração é a “Lona de Bailantas” que abrigará os bailes nas três noites. O 2º Rodeio Internacional de Arroio Grande está no calendário de eventos da cidade como um dos maiores eventos da região sul do estado.

Como recebi a informação de que a partir de hoje, estaremos em férias coletivas, aproveito esta última oportunidade em 2010, para desejar aos leitores do MOMENTO, de Uruguaiana, Paso de los Libres e adjacências internacionais, um guapo e feliz Natal e um novo ano com muitas alegrias e realizações. E, acima de tudo, com muitas esperanças. Esperanças de que a justiça sempre prevaleça; que os tiranos, os déspotas e os hipócritas continuem sendo minoria; que políticos e tradicionalistas não se juntem para fazer nada (pois não vai dar certo); que tenhamos sempre mais acertos a comemorar e menos desavenças a lamentar; que se reúnam confrarias e congregações para realizar algo de proveito, e não para celebrar os prazeres etílicos e criticar as realizações dos outros; que aqueles que carregam o cetro ou o arreador sejas lembrados pelos caminhos que abriram e não pelos inimigos que fizeram.

Nazareno fui chamado, Por sobrenome – da Cruz Nazareno da Cruz, um seu criado, Por acaso tocaio de Jesus. Tropeiro sou. Ele Pastor. Irmãos de ofício, Embora algumas diferenças que hão de por. Todo pastor tem o seu pouco de tropeiro, Todo tropeiro alguma coisa de pastor... Há quem O chame de Pai Nosso e Lhe tem medo E há quem não ouça um ó-de-casa! que Ele dá. É que não sabem, como eu sei, que meu tocaio É bom e simples como um sonho de piá. Mateamos juntos, estradeamos lado a lado, Embora o olho da descrença não O veja. Talvez porque hajam levado meu tocaio Do sol dos campos para a sombra das igrejas... Nazareno sou chamado Por sobrenome – da Cruz. Nazareno da Cruz, um seu criado, Por acaso tocaio de Jesus. (Coplas de Nazareno—Apparício S. R.) Tenho certeza que 2011 nos reserva grandes alegrias e muitas conquistas a serem comemoradas. Quem sabe Deus transforma esse gelo da terra do Papai Noel em açúcar, e adoça o coração de todos nós? Assim espero.

LEMBRANDO O GAÚCHO CONFÚCIO Foge por um instante do homem irado, foge para sempre do homem hipócrita.

Jairo Rodrigues

Quinta 323.p65

9

16/12/2010, 17:02


Geral

Uruguaiana, 17/12 a 6 de janeiro de 2011

10

Sonho do asfalto se dissolve em poucos meses A alegria de ter a sua quadra asfaltada, livrando-se para sempre do barro, da poeira e das poças de água, durou pouco para Maria Gorete. Moradora de uma das muitas quadras asfaltadas pela atual administração, viu, em pouco tempo, seu sonho se deteriorar, juntamente com o asfalto de sua rua, nas proximidades do Centro Esportivo Nova Esperança. Assim como ela, muitos uruguaianenses hoje lamentam a qualidade do calçamento de suas quadras, muitas em ruínas, poucos meses depois de entregues à população. Buracos, calombos e, em muitos trechos, a volta do chão batido. A reportagem do Momento de Uruguaiana, após diversas denúncias sobre a má qualidade do calçamento asfáltico da cidade, visitou e fotografou algumas das quadras calçadas pela atual administração, seguindo os quatro pontos cardeais. O resultado, os leitores poderão observar através das fotografias desta matéria. O que ocorre, segundo um profissional do ramo, que pediu para não ser identificado, é que a rua, antes de terra, é apenas patrolada, buscando uma superfície regular para aplicação da camada asfáltica. Não é realizado o abaloamento da via e, em muitos casos, não existe sarjeta. Também a falta de esgoto, assim como a falta de drenos e canalização contribuem para a contaminação da camada asfáltica. Segundo o profissional, o solo de nossa cidade possui uma primeira camada de terra com características vegetais (solo sem resistência à compressão), sendo fundamental sua retirada para chegar a um solo que ofereça melhor resistência Depois de realizada a escavação, é de extrema necessidade que seja refeito, o chamado reforço de subleito, com material adequado, com, por exemplo, basalto bastante comum em nossa região. Antes de repor o material se faz necessária a construção de drenos para escoar as águas vindas do subsolo. A finalidade do dreno é evitar que as águas do lençol freático venham a atingir a camada superficial. As camadas de basalto possuem granulometria especifica e são compactadas e vibradas com rolo campactador. Após a colocação do basalto, geralmente coloca-se uma camada de brita com graduação especificada em projeto (granulometria e espessura da camada), que também é compactada e vibrada e colocada na caixa de rua, respeitando a marcação topográfica que indica o devido abaloamento do meio para as laterais a fim de que as águas da chuva sejam dirigidas à sarjeta para serem encaminhadas às bocas de lobo, que nada mais são

Fundos do Colégio Santana

Tiradentes fundos do colégio Santana

14 de Julho próximo ao Centro Esportivo Nova Esperança

14 de Julho próximo ao Centro Esportivo Nova Esperança

Perpendicular ao Centro Esportivo Nova Esperança

Tiradentes antes dos trilhos

Proximidades da Esplanada do Judiciário

do que os coletores da rede de tubulação pluvial. Após este procedimento, toda a superfície é molhada e rolada para que se atinja a conformação desejada. Feito isto, toda a superfície receberá uma pintura para que haja a liga do asfalto com a base preparada. Por último, vem a camada asfáltica, que nada mais é do que o acabamento de uma super-

fície sem irregularidades. Segundo nossa fonte, o Tribunal de Contas já teria encaminhado uma intimação para ver o projeto e o responsável pela execução do mesmo. Caso não exista responsável, além de responder ao Tribunal por desperdício de dinheiro público, o Executivo também terá que responder ao CREA por exercício ilegal da profissão. General Hipólito

Quinta 323.p65

10

16/12/2010, 17:02


Geral

Uruguaiana, 17/12 a 6 de janeiro de 2011

Reforma do Albergue Estadual de Uruguaiana está autorizada

Odir Baccarin (D)

Nesta semana, a Secretaria de Obras Públicas do Estado do RS, através da 10ª Coordenadoria Regional de Obras, em Uruguaiana, anunciou a assinatura da ordem de início

das obras de reforma do Albergue Estadual de Uruguaiana. As obras consistem na geral da instalação elétrica, orçadas em R$ 195 mil. A empresa Conbase Estacas Ltda execu-

tará a reforma num prazo de 90 dias. O Diretor do Departamento de Gestão de Obras da Secretaria Estadual de Obras Públicas, Odir Baccarin já autorizou o início dos serviços.

11

O TAMANHO DA ESPERANÇA

Por Cicero Galeno Lopes,

O menino chegou a estas plagas por volta de 1868, com dezessete anos de idade. Vindo inicialmente das províncias bascongadas, Espanha, e tendo passado aproximadamente quatro anos na antiga província Cisplatina, chegou a Uruguaiana. Com a basquita que lhe seria esposa, que conheceu aqui, dezessete anos mais nova, construiu casa de pedras lascadas, chão batido em quase toda, cobertura de quincha atada com couro de cavalo. Instalaram-se com tambo e horta. Ela chegara com mais ou menos catorze anos, acompanhando outra família basca, que vinha instalar-se aqui. Ele também fazia longas carreteadas pra mantimento e comércio. O fogão da cozinha foi construído também de pedras, com grade de ferro em cima. Um galpão de madeira abrigava animais, forragens, ferramentas e algum andante ou desabrigado. Era também o galpão do tambo. Outro, menor, de pedras, conservava a produção da horta, do pomar, da quinta, queijos, carnes. Árvores nativas, casuarinas, laranjeiras, palmeiras, tamareiras, figueiras, pessegueiros, marmeleiros e algumas outras compunham a arborização. Para cultivar, além das vinhas, implantadas na parte mais alta da propriedade, havia a horta, a quinta e o jardim. Para cuidar também havia pequenos animais e guaxos. No campo, ovelhas, gado bovino, cavalos. Abaixo da casa, um pequeno açude. No fim do renque de casuarinas, que se alongava entre a casa e o pomar, o poço de bocal alto, fundo e farto. Nos limites extremos do campo, serpeava o Salso de Baixo, na época, piscoso. O local passou a ser conhecido como Chácara Matias, porque o nome do senhor, aquele menino que partira da Espanha com treze anos de idade, era Matias Urroz. Depois do falecimento do casal, que teve sete filhos, dos quais apenas dois homens, havia quem se referisse ao estabelecimento como Chácara dos Matias, Chácara das Matias ou pelo nome original, que foi dado pelos que se referiam desse modo à chácara. Veio estrada, e ela cortou o campo. Chegou o aeroporto, construído sobre o campo do casal de imigrantes bascos, cuja área de terra foi desapropriada, mas jamais paga. Vieram as chamadas de revoluções. Dentre elas, a de 1923, dois anos antes do falecimento dele. Foi quando Uruguaiana sofreu (o segundo) cerco. Houve escavação de trincheira, roubaram ovelhas e outros animais, envenenaram sangas. Os dois filhos precisaram ser escondidos. Porões, com ferramentas e outros utensílios velhos, garrafas fechadas, garrafas vazias, poucas e pequenas armas bem guardadas, muita teia de aranha e poeira, podiam esconder colchões e pessoas. Olhando de fora, só se viam dois pequenos respiros gradeados no rés do chão. Sempre no escuro e no silêncio absoluto, foi possível passar dois ou três meses de olhos mais fechados que abertos, urinando em garrafas vazias e as tampando e guardando empilhadas como as de vinho, esperando a noite para receber comida e água e retirar excrementos, a fim de livrar-se das lâminas, do fogo e do sequestro de voluntários. Em tempos de paz, contudo, foi possível ser feliz. O casal, os filhos, a carreta, ora esperando ora sulcando o chão com seu vagar, o tambo, a horta e a quinta sustentando o essencial, e os cavalos mansos e os cavalos xucros construíram a condição da esperança. Para quem vinha da Europa de tradição medieval e colonialista, ter cavalos e montar neles era privilégio de poucos. Sempre imagino o que teria significado para aquele Matias Urroz, quando já maduro, poder montar a cavalo e tocar outros, soltos e xucros, no fundo do campo da pequena propriedade. Só muito ricos, os chamados de nobres, podiam montar a cavalo naquela Europa longínqua, de onde vieram os primeiros colonizadores e os primeiros possessores à nossa América. Certamente a família e a estabilidade econômica foram as compensações maiores daquele casal de meninos pobres, oriundo do norte espanhol, no solo uruguaianense. Posso também supor a satisfação pessoal daquele menino, então homem maduro, de ter encontrado nestas plagas o que não teria conseguido, pelo menos em parte, em seu país natal. Fica difícil imaginar, todavia, a reconstrução da nossa memória social. O imaginário social, atualmente, está marcado pelo que os meios de comunicação divulgam e com os quais se sustentam e se locupletam. A Chácara Matias depois, habitada por quatro irmãs, sobreviveu como pôde. Manteve o tambo, a criação de ovelhas e de pequenos animais. Caraterizou-se por abrigar simultaneamente várias pessoas necessitadas, às vezes transitoriamente, às vezes quase permanentemente. Entre essas pessoas, alguns talvez possam lembrar-se do Bubu, conhecido também como SeteTrouxas, de quem pretendo noutra oportunidade falar. A esperança encolheu. Atualmente, da Chácara Matias restam campos recortados, uma casa e um galpão, mas nada das primeiras construções. Já não se pode ver a primitiva casa de pedras, porque as pedras foram retiradas de lá. O aeroporto em breve terá a pista alongada. No prolongamento a oeste, vai avançar sobre a casa que resta e arrasar a arborização reduzida e mutilada que ainda resiste. *Professor, doutor em Letras, escritor.

Quinta 323.p65

11

16/12/2010, 17:02


Rural

Uruguaiana, 17/12 a 6 de janeiro de 2011

CAMPEREANDO Por Tunico Fagundes O tempo muitas vezes me assusta, não o tempo clima, o que me assusta, na verdade, é o tempo que passa sem nos darmos conta. Já é Natal outra vez, já faz mais de um ano que escrevo estas crônicas no Momento, já é hora de encerrar mais um ano, hora de “contabilizar” perdas e ganhos, de analisar o que foi feito, o que foi mal feito e o pouco que fizemos “bem feito”. A crônica ou as crônicas são feitas, principalmente, para agradar os leitores, elas estão sempre no mesmo local do jornal, pretendem criar assim, no transcurso da semana (no nosso caso), uma familiaridade entre quem escreve e quem lê, na verdade isso me parece muitas vezes assustador, pois revela minha intimidade, expõe minhas fraquezas, angústias, vaidades, anseios e, mais do que tudo isso, como disse o poeta Retamozo, “...estou do avesso e por fora mostro o carnal de auroras que nunca se animaram ser...”. Natal, Ano Novo, época de sentimentos “na flor da pele”, momento de muita reflexão, hora de, com muita honestidade, pensar no muito que temos a fazer e do pouco que fizemos. Espírito de Natal, um sentimento que deveríamos ter o ano inteiro, amor ao próximo, fraternidade, boas festas e tantas outras frases de efeito deveriam ser o vocabulário do cotidiano, não apenas deste momento. Esta é a última crônica de 2010, junto com ela, neste fim de tarde aqui na estância, termina mais um dia de trabalho, enquanto escuto o gorjeio das andorinhas, o canto dos bem-te-vis, a gargalhada do joão-de-barro e a quietude bonita da tarde adormecendo, que desperta em mim a vontade de abraçar a todos os que têm a paciência de ler o que escrevo, os que nunca leram e também, meus irmãos da mesma forma, que nem sabem que existo. Desejo a todos que o Cristo menino chegue montado num cavalo, crioulo, é claro, muito bom e que traga nos “pezuelos” muito amor, muita saúde, paz e compreensão entre todos. Feliz Natal e um 2011 cheio de realizações cristãs!

Estudo aponta que 4% das propriedades responde por 70% da produção de alimentos do país Um estudo encomendado pela Confederação de Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) revela que apenas 4% das propriedades brasileiras respondem por 70% da produção de alimentos. Para a presidente da entidade, senadora Kátia Abreu (DEM-TO), é necessário crédito e sustentabilidade dos preços para reverter esse quadro. Para a CNA, 2010 foi um ano de recuperação dos preços agrícolas pós-crise financeira de 2008. A projeção é de que o PIB do agronegócio feche em 7%, e as exportações dos produtos agropecuários rendam mais de US$ 76 bilhões. Para o próximo ano, a previsão é de um cenário positivo desde que a China tenha um crescimento superior a 8%. É que se o PIB do país asiático for menor, há o risco de o preço das commodities agríco-

las despencar. Um estudo da CNA encomendado à Fundação Getúlio Vargas revela um dado preocupante. Apenas 4% das propriedades rurais são responsáveis por 70% da produção de alimentos. Isso significa que mais de quatro milhões de propriedades produzem muito pouco ou nada. A presidente da CNA diz que algo precisa ser feito para reverter essa situação. – Nós precisamos atualizar a política agrícola brasileira, não só o crédito. O crédito é só um componente da política agrícola. Embora disponibilizado, o produtor não consegue tomar o crédito oficial hoje pelos riscos que se encontra e o crédito privado pelos riscos que o setor representa estão fugindo do setor. Então, é uma política agrícola ampla que vem a dar sustentabilidade aos pre-

“Uma das maiores potências do mundo está dando um passo gigantesco, unindo seu setor produtivo, governamental e científico, para que se possa duplicar a produção de alimentos sem desmatar”, disse a senadora Kátia Abreu, presidente da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), durante lançamento do projeto Biomas no Espaço Brasil, durante a Conferência das Partes sobre o Clima (COP16), da Organização das Nações Unidas (ONU), em Cancun, no México. Também esteve presente o pesquisador Gustavo Curcio, coordenador técnico do projeto, da Embrapa Florestas. Curcio afirmou que a árvore pode ocupar um papel crucial para vitalizar o uso da propriedade rural, trazendo benefícios socioeconômicos e socioambientais, além de gerar subsídios científicos para embasar o aprimoramento da legislação ambiental brasileira. A senadora Kátia afirmou que o projeto, por meio do qual serão estudados seis biomas brasileiros, funcionará como seis vitrines tecnológicas para os proprietários rurais, que poderão escolher o melhor para a sua propriedade, a partir de exemplos reais já colocados em prática. “Agora os pro-

ERNANDO CIDADE & CIA LTDA RUA GENERAL HIPÓLITO, 3265 - FONE: (55) 3412-4054 - FAX: (55) 3412-2784 /

URUGUAIANA - RS - e-mail: cidadevete@uol.com.br

12

ços – explica a senadora. A possibilidade de indicações políticas em cargos antes ocupados por técnicos do Ministério da Agricultura também preocupa a instituição representativa dos produtores rurais. – Eu fico bastante pesarosa de que a primeira presidente mulher do Brasil possa estar montando um governo com tanta pressão partidária. A manutenção política e o apoio político são essenciais, mas as cargas técnicas que devem ser colocadas, pessoas preparadas, com inteligência que o Brasil possui, estarem sendo divididos partidariamente é lamentável para a própria presidente – critica Kátia. A presidente da CNA também lamentou o fato de a proposta do Código Florestal ter ficado para ser decidida no ano que vem pelo Congresso Nacional

CNA: Brasil pode dobrar sua produção agrícola sem desmatamentos

PRODUTOS VETERINÁRIOS

Quinta 323.p65

12

16/12/2010, 17:03

dutores poderão produzir com segurança, tendo a certeza e o embasamento científico de que não farão mal ao meio ambiente”, constata a senadora. Segundo ela, o projeto Biomas dará as respostas e as diretrizes para que o Brasil possa dobrar a produção de alimentos sem derrubar uma árvore sequer. “Pelo contrário, introduzirá o componente arbóreo para a recuperação de áreas sensíveis e vitalização da produção rural.” Durante o debate foi perguntado se a mudança do Código Florestal causaria mais desmatamento. A senadora reiterou a posição da CNA, dizendo que em seu entendimento o projeto que tramita no Congresso em nenhum momento permite o avanço do desmatamento. Ele apenas libera as pequenas propriedades de manter a reserva legal, mas não permite que se destrua o remanescente de qualquer mata nativa. Carlos Rivaci Sperotto, vice-presidente da CNA e presidente da Federação da Agricultura do Estado do Rio Grande do Sul (Sistema Farsul), disse que se o Código Florestal não for alterado a maioria dos produtores de arroz do Rio Grande do Sul, que possuem suas plantações nas várzeas de rios, estará produzindo ilegalmente


Uruguaiana, 17/12 a 6 de janeiro de 2011

RURAL

Elder Filho elder.filho@bnet.com.br

A partir deste ano o Ranking Angus ganhou novo formato, visando dar visibilidade e incluir na competição um maior número de criadores, seja em suas regiões, através de seus núcleos, seja no âmbito nacional. Assim, a Associação Brasileira de Angus (ABA) premiou os criadores e os expositores do Ranking Regional e os criadores e expositores do Ranking Nacional. Da mesma forma foram premiados os competidores nos Rankings Regional e Nacional de Rústicos. De forma sintética, publicamos a seguir a relação dos vendedores do Ranking Angus deste ano. Na próxima edição do jornal Angus@newS será publicada ampla matéria explicando os detalhes das modificações realizadas e as exposições que pontuaram em cada certame - regional ou nacional, de rústicos ou de argola. A entrega Dos prêmios foi um dos pontos altos da Festa de Confraternização e Encerramento do ano da Associação Brasileira de Angus (ABA), no dia 2 de dezembro, na Associação Leopoldina Juvenil, em Porto Alegre, RS. PREMIADOS DO RANKING NACIONAL E REGIONAL, DE ARGOLA E DE RÚSTICOS DE CRIADORES E EXPOSITORES DA ABA EM 2010: Campeã do Ranking Nacional de Criadores e de Expositores Argola - Cláudia Indarte Silva, da Cabanha Rincón Del Sarandy, de Uruguaiana, RS. Vice-Campeão do Ranking Nacional de Criadores de Argola e 3º lugar no Ranking Nacional de Expositores de Argola - José Paulo Dornelles Cairoli, Reconquista Agropecuária Ltda., Alegrete, RS Vice-Campeões do Ranking Nacional de Expositores de Argola Luis Anselmo Cassol e Carlos Eduardo Santos Galvão Bueno, Parceria Cabanha da Corticeira e GB Agropecuária, São Borja, RS e Porecatu, PR 3º lugar no Ranking Nacional de Criadores de Argola - Luis Anselmo Cassol, Cabanha da Corticeira, São Borja, RS 4º lugar no Ranking Nacional de Criadores de Argola e 5º lugar no Ranking Nacional de Expositores de Argola - Antônio Maciel Neto, FSL Angus Itu, Itú, SP 4º lugar no Ranking Nacional de Expositores de Argola e 5º lugar no Ranking Nacional de Criadores de Argola - Eloy Tuffi, Fazenda MC, Espírito Santo do Pinhal, SP Campeã do Ranking Nacional de Expositores de Rústicos - Parceria Rotta Assis, Estância Tradição, Santa Vitória do Palmar, RS Vice-Campeão do Ranking Nacional de Expositores de Rústicos Carlos Inácio Talavera Campos, Agropecuária Albardão, Santa Vitória do Palmar, RS 3º lugar no Ranking Nacional de Expositores de Rústicos Sérgio Tessaro, Cabanha Santa Amábile, Pelotas, RS 4º lugar no Ranking Nacional de Expositores de Rústicos - Joaquim Francisco Bordagorry de Assumpção Mello, Estância Santa Eulália, Pelotas, RS 5º lugar no Ranking Nacional de Expositores de Rústicos Helena Rodrigues Rotta, Estância Santa Amélia, Santa Vitória do Palmar, RS Campeão do Ranking Regional de Expositores e Criadores de Argola da Região Oeste do RS - Angelo Bastos Tellechea, Cabanha Umbu, Uruguaiana, RS Vice-Campeão do Ranking Regional de Criadores de Argola e 3º lugar no Ranking Regional de Expositores de Argola da Região Oeste do RS - João Vieira de Macedo Neto, Cabanha Azul, Uruguaiana, RS

Quinta 323.p65

13

13

Confira os vencedores do ranking Angus 2010 e do Troféu Mérito Genético Angus - Luiz Alberto Fries

Parceria Rotta Assis, Estância Tradição, Santa Vitória do Palmar, RS Vice-Campeão do Ranking Regional de Expositores de Argola e 5º lugar no Ranking Regional de Criadores de Argola da Região Oeste do RS Antonino Souza Dorneles, Estância Olhos D’Água, Alegrete, RS 3º lugar no Ranking Regional de Criadores de Argola e 5º lugar no Ranking Regional de Expositores de Argola da Região Oeste do RS - Susana Macedo Salvador, Cia Azul Agropecuária, Alegrete, RS 4º lugar no Ranking Regional de Criadores de Argola da Região Oeste do RS - Antonino Souza Dorneles e Átila e Ximena Dorneles, Estância Olhos D’Água, Alegrete, RS 4º lugar no Ranking Regional de Expositores de Argola da Região Oeste do RS - Lila Franco Tellechea, Cabanha Paineiras, Uruguaiana, RS Campeã do Ranking Regional de Expositores de Rústico da Região Oeste do RS - Fazenda Querência, Tarumã Agropecuária, Alegrete, RS Vice-Campeão do Ranking Regional de Expositores de Rústicos da Região Oeste do RS - Ricardo Macedo Gregory, Estância da Barragem, Barra do Quaraí, RS Campeões do Ranking Regional de Expositores e de Criadores de Argola da Região Leste do RS - Mauricio e Fernando Lampert Weiand, Cabanha Maufer, Cruzeiro do Sul, RS Vice-Campeão do Ranking Regional de Expositores e de Criadores de Argola da Região Leste do RS - Jandir Ribas, Cabanha Castelo, Osório, RS 3º lugar no Ranking Regional de Expositores e de Criadores de Argola da Região Leste do RS - Lindo Cristaldo, Cabanha M3K, Viamão, RS 4º lugar no Ranking Regional de Expositores e o 5º lugar no Ranking Regional de Criadores de Argola da Região Leste do RS - Irani Bertolini, Fazenda Bertolini, Minas do Leão, RS 4º lugar no Ranking Regional de Criadores de Argola da Região Leste do RS - Fábio Luiz Gomes, Cabanha Catanduva, Cachoeira do Sul, RS 5º lugar no Ranking Regional de Expositores de Argola da Região Leste do RS - Milton Machado de Souza, Temil Agropecuária, Tapes, RS Campeão do Ranking Regional de Expositores de Rústicos da Região Leste do RS - Jorge de Lara, Estância Chalé, Cachoeira do Sul, RS Vice-Campeão do Ranking Regional de Expositores de Rústicos da Região Leste do RS - Angelo Domingos Zanela, Cabanha Umbu, Cachoeira do Sul, RS 3º lugar no Ranking Regional de Expositores de Rústicos da Região Leste do RS - Ruben Cesar Prates Kury, Cabanha Boca Negra, Cachoeira do Sul, RS 4º lugar no Ranking Regional de Expositores de Rústicos da Região Leste do RS - Luiz Henrique Sesti, Cabanha Seival Del Toro, Cachoeira do Sul, RS 5º lugar no Ranking Regional de Expositores de Rústicos da Região Leste do RS - Carla Sandra Staiger Schneider, Cabanha Santa Bárbara, São Jerônimo, RS Campeão do Ranking Regional de Expositores e de Criadores de Argola do Paraná - José Filippon, Estância Ponche Verde, Guaraniaçu, RS Vice-campeão do Ranking Regional de Expositores e de Criadores de Argola do Paraná - Antonio Zancanaro, Fazenda Rio da Paz, Cascavel, PR 3º lugar no Ranking Regional de Criadores de Argola do Paraná e 4º lugar no Ranking Regional de Expositores de Argola do Paraná - Carlos Eduardo Santos Galvão Bueno, GB Agropecuária, Porecatu, PR 3º lugar no Ranking Regional de Expositores de Argola do Paraná Carlos Eduardo Santos Galvão Bueno e Ivan Magalhães Siqueira,

16/12/2010, 17:03

GB Agropecuária, Porecatu, PR Campeão do Ranking Regional de Expositores de Argola de São Paulo e 3º lugar no Ranking Regional de Criadores de Argola de São Paulo - Eloy Tuffi, Fazenda MC, Espírito Santo do Pinhal, SP Campeão do Ranking Regional de Criadores de Argola de São Paulo - Valdomiro Poliselli Jr., VPJ Pecuária, Jaguariúna, SP Vice-Campeão do Ranking Regional de Criadores de Argola de São Paulo - Antônio Maciel Neto, FSL Angus Itu, Itú, SP Vice-Campeão do Ranking Regional de Expositores e o 4º lugar no Ranking Regional de Criadores de Argola de São Paulo - Elio Sacco, Agropecuária Fumaça, Paranapanema, SP 3º lugar no Ranking Regional de Expositores de Argola de São Paulo - Celso Guazzo, Angus Lago Dourado, Pirajú, SP 4º lugar no Ranking Regional de Expositores de Argola de São Paulo Luiz Henrique Campana Rodrigues, HR Agropecuária, Pontalinda, SP 5º lugar no Ranking Regional de Expositores e de Criadores de Argola de São Paulo - Paulo de Castro Marques, Casa Branca Agropastoril, Fama, MG AGORA OS AGRACIADOS COM O TROFÉU MÉRITO GENÉTICO ANGUS – LUIZ ALBERTO FRIES 2010 1º LUGAR: Eduardo Macedo Linhares, GAP Genética, Uruguaiana, RS 2º LUGAR: Antônio Martins Bastos Filho, Cabanha São Bibiano, Uruguaiana, RS 3º LUGAR: Susana Macedo Salvador, CIA Azul Agropecuária, Uruguaiana, RS 4º LUGAR: Fazenda Querência, Tarumã Agropeciária, Alegrete, RS 5º LUGAR: Antonino Souza Dorneles, Estância Olhos D’água, Alegrete, RS

Cláudia Indarte Silva, da Cabanha Rincón Del Sarandy, de Uruguaiana, RS.

Eduardo Macedo Linhares, GAP Genética, Uruguaiana, RS


Uruguaiana, 17/12 a 6 de janeiro de 2011

Sociedade Laura Starlit

Happy hour Idéia feliz e carinhosa foi a da marchand Gilda Barzoni Bastos de reunir clientes e amigos para happy hour de fim de ano com sorteio de uma obra de arte. Espumante gelado, canapés, muitos

encontros e Gilda acabou sorteando três telas. A primeira premiada foi Lilia Crespo; a segunda, nossa colunista de Moda, Gilce Faria Correa; e a terceira contemplada foi Verônica Pavin.

Overlap em Uruguaiana Norma Stricker e Karina Nunes estarão com sua coleção Shades of Summer do verão 2011 Overlap, inspirada nas cores e sensações dos sunsets e sunrises da estação. Coleção romântica, sensual e contemporânea espera por você na Opera Paris (Rua Tiradentes 2361), dias 18 e 19 de dezembro, das 18h30min às 23h30min. Informações pelo telefone (55)34119972 e através do site www.overlapcollection.com.br

Nilza Dornelles, Lila Crespo, a anfitriã Gilda e Lina Kuhn

Casaredo Verônica Pavin, Lina Kuhn, Zenaira Machado, Mireya Bastos e Gilda

Cônsul argentino José Luis Cassal e consulesa Graciela Cassal Diva Ceolin concorrendo no sorteio de uma obra de arte

Ricardo, Simone, Valéria, Ernani Hickmann, Chico Alves e Bebeto Alves que esteve durante o fim de semana em Uruguaiana e não pode deixar de ir encontra os amigos no Café da Praça

Quinta 323.p65

14

Maria Luiza Ormazabal Faria Correa e Ana Braccini

16/12/2010, 17:03

14


Social

Uruguaiana, 17/12 a 6 de janeiro de 2011

15

Jantar de confraternização

A Associação Comercial e Industrial de Uruguaiana promoveu jantar de confraternização de fim de ano para empresários, dirigentes de entidades, autoridades e amigos. Muitas presenças importantes, simpáticas e com boa conversa garantiu horas de muita alegria e comunicação.

Luiz Carlos Beheregaray e Claudio Sano

Vários nomes de destaque de nosso município, entre eles Lauro Delgado e Mauro Aymone Lopes

Giancarlo Ferriche da Fonseca, Jorge Prestes Lopes e Luciane Lopes

Eda Cunha Eichembrener, Fátima Winckler, Cristina e Alarico Moraes

Darcy Sano, Meliza Beheregaray, Maria Rita Schneider e Sandra Grecco

Ricardo Peró Job, Fernando Alves, Noca Martini e Luiz Augusto Schneider

Quinta 323.p65

15

16/12/2010, 17:03


Uruguaiana, 17/12 a 6 de janeiro de 2011

BOM-TOM

Gramado, São Paulo, Rio de Janeiro... Gilce Faria Correa

Dezembro, mês de Festas! Almoços, coquetéis, jantares, happy hours, Natal, Réveillon. Despedidas mil, reencontros, carinhos, votos felizes. Cidades se enfeitam para tornar esses dias inesquecíveis. O verão de Gramado hoje atrai mais visitantes que durante a tradicional temporada de inverno, graças ao Natal Luz, a maior festa natalina do Brasil, que recebe 1 milhão de pessoas ao longo de 74 dias. A árvore-símbolo do Natal Luz é apenas uma das atrações do megaevento que pipoca por pontos variados da cidade. O ápice é o grande desfile de Natal, uma parada estilo Carnaval na Sapucaí, que acontece três vezes por semana, logo

Quinta 323.p65

16

16

depois do acendimento da árvore, mas grandes espetáculos acontecem, ainda, em dois gigantes teatros a céu aberto, construídos especialmente para o Natal Luz. Sem falar em outros palcos menores, espalhados pela cidade com concertos e exposições, ou até na vila natalina, cheia de lojinhas e artesãos. O Réveillon em São Paulo terá 6 shows, 15 minutos de fogos de artifícios e 2 milhões de pessoas na Avenida Paulista. Caminhar nesta capital é ver um verdadeiro espetáculo de luzes e bom gosto em decoração natalina. No Rio de Janeiro, 4 palcos, 20 minutos de show pirotécnico e a expectativa de mais de 2 milhões de festeiros na Praia de Copacabana. A árvore de Natal da Bradesco Seguros, na Lagoa Rodrigo de Freitas, é a maior árvore flutuante do mundo. Com 85 metros foi apresentada ao público com queima de fogos e shows de Simone e Milton Nascimento, além da apresentação de Ana Botafogo e Carlinhos de Jesus. Há também uma novidade que Rio e São Paulo compartilham. Todo o dinheiro para sua realização virá da iniciativa privada, por meio de patrocínios. Em Uruguaiana, tradicionais clubes se organizam para fazerem uma passagem de ano com muito astral. Muitas casas e apartamentos estão se aprontando para receber familiares e amigos com ceias e músicas chamando 2011 com muita alegria. Independente do lugar onde se for esperar o próximo ano, a roupa deve ser descontraída. É hora de jogar com cores, acessórios e comprimentos das roupas. Pense em túnicas, colares grandes, brincos importantes, pulseiras, saias ou shorts de paetês, brilhos, estampas e muita atitude para fazer as escolhas das roupas das festas deste mês. Homens podem usar calças esportivas ou

jeans com camisa ou camisetas divertidas. Quem optar por vestidos longos pode usar uma rasteirinha com brilho e ainda ousar no decote. As jovens que preferirem as minissaias ou shortinhos podem escolher uma parte de cima mais comportada, com bordado, e uma maquiagem fluorescente ou perolada, sandálias altas e cabelos elaborados. DesdequeaestilistaMaryQuant tesourou o vestidodamodeloTwiggy, nos anos60,aminissaianãosaiumaisdoguarda-roupa feminino. Com certeza a moda neste Réveillon vai ser alegre e vibrante como há tempos não se via. Escolha seu destino, seu lugar e sua moda e Feliz Ano Novo!

16/12/2010, 17:03


Geral

Uruguaiana, 17/12 a 6 de janeiro de 2011

UNIPAMPA

Universidade do Pampa na expectativa de recurso do estado para PampaTec Na quinta-feira, 3 de dezembro, na Universidade Federal do Pampa, Campus Alegrete, a equipe diretiva e a reitora Maria Beatriz Luce receberam o deputado estadual Adão Villaverde. A ideia é expandir o PampaTec para outros campi, posteriormente. A visita do parlamentar, ex-secretário estadual da Ciência e Tecnologia, um dos articuladores da implantação do Centro Nacional de Excelência em Tecnologia Eletrônica Avançada (Ceitec) e que atuou no primeiro projeto de lei de incentivo à inovação tecnológico (LIT), foi organizada para que ele conhecesse o projeto do PampaTec, o Parque Científico e Tecnológico do Pampa, que terá o início de suas atividades no Campus Alegrete, através da implantação de uma incubadora de empresas de base tecnológica. Além do parlamentar e da reitora, participaram do encontro o coordenador do PampaTec, Émerson Oliveira Rizzatti, o diretor técnico da Secretaria Estadual de Ciência e Tecnologia, Lúcio do Prado Nunes, a vice-prefeita de Alegrete, Preta Mulazani, o secretário municipal de Indústria e Comércio, Arnaldo Paz, o presidente do Centro Empresarial de Alegrete, Deonir Martini, o coordenador acadêmico do Campus Alegrete, professor Alessandro Gonçalves Girardi, e coordenadores de cursos do Campus Alegrete. Émerson, a reitora e a arquiteta Laura Machado conduziram a apresentação dos diferentes aspec-

tos do Parque Tecnológico do Pampa. A apresentação do PampaTec também serviu como um pedido ao novo governo estadual para que o projeto receba atenção ágil para o seu desenvolvimento, sem prejuízos por conta da transição. O deputado e o diretor técnico Lúcio se comprometeram a ajudar no processo, para que a transição seja segura e eficiente. O parlamentar também solicitou esclarecimentos sobre detalhes do regimento do PampaTec, aprovado na última reunião do Conselho Superior Universitário (Consuni), no que a reitora explicou que o projeto contempla a característica multicampi da universidade. ALGUNS DETALHES DO PAMPATEC

O projeto preliminar contém uma área para a incubadora de empresas de base tecnológica (Praça da Inovação, com 4,5 mil m²), lotes para empresas (Condomínio Empresarial, com 38 lotes de 600 a 2 mil m²) e um espaço para a administração do PampaTec, com 4,6 mil m², além de área verde. Outros serviços serão oferecidos: sala de reuniões, secretaria, show-room, auditório, estrutura de comunicação como internet, fax e banda larga, serviço de videomonitoramento, portaria 24 horas, segurança, limpeza, consultorias especializadas, treinamentos, orientação para comercialização e exportação, integração com empresas e entidades e benefícios fiscais. Além dos recursos que se espera obter através do Edital 03/2010

do PGTec, o parque Tecnológico do Pampa terá condições de captar recursos de outras fontes públicas estaduais e federais e da iniciativa privada, segundo Rizzatti. Outro aspecto em destaque é o fato do PampaTec ser um órgão da UNIPAMPA que será instalado em Alegrete, cuja ação não se restringirá ao Campus local. Para a participação de empresas e de iniciativas na incubadora, o coordenador afirma que os critérios detalhados de seleção de projetos e áreas de desenvolvimento ainda estão sendo definidos, mas adianta alguns princípios gerais: - Os projetos serão priorizados levando-se em conta alguns critérios como: inovação; forte ligação com pesquisas realizadas nas unidades da UNIPAMPA ou de outras Instituições de ensino da região; plano de negócio bem elaborado, demonstrando a viabilidade do projeto e sua ligação com o desenvolvimento regional. Para a reitora da UNIPAMPA, Maria Beatriz Luce, “esse foi um dia muito importante, de apresentação do projeto ao deputado e lideranças de Alegrete. O projeto do PampaTec já desperta o interesse de Institutos e Fundações para ações conjuntas em diferentes campos de pesquisa e desenvolvimento”. O coordenador do Parque Tecnológico, Émerson Oliveira Rizzatti, frisa que a expectativa é que o Governo do Estado publique logo o resultado do edital no qual a UNIPAMPA inscreveu o PampaTec, com o objetivo de receber recursos financeiros.

UNIP AMP UNIPAMP AMPAA representada em evento de Neurociências e Inclusão Social na UNILA Pâmela Mello Carpes, do Campus Uruguaiana, pesquisadora na área de Neurociências, representou a Instituição no evento. A Cátedra Bernardo Alberto Houssay de Neurociências e Inclusão Social, promovida pelo Instituto Mercosul de Estudos Avançados - IMEA, da Universidade Federal da Integração Latino-Americana UNILA, ocorreu nos dias 29 e 30 de novembro na sede provisória da Universidade, no Parque Tecnológico Itaipu - PTI, em Foz do Iguaçu. Os professores Cháriston André Dal Bello, do Campus São Gabriel, e Pâmela Mello Carpes, do Campus Uruguaiana, ambos pesquisadores na área de Neurociências, representaram a Instituição no evento. O professor Cháriston integra o corpo docente do Mestrado em Ciências Biológicas, em São Gabriel, enquanto a professora Pâmela faz parte da equipe responsável pelo Mestrado em Bioquímica, no Campus Uruguaiana. Ambos os programas de pós-graduação da UNIPAMPA vão iniciar as atividades letivas em 2011. No evento, o pesquisador Miguel Nicolelis apresentou suas ideias para a educação no Brasil (na segunda foto, da esq. para a dir.: professores

Quinta 323.p65

17

Cháriston Dal Bello, Miguel Nicolellis, Hélgio Trindade (reitor da UNILA) e Pâmela Mello Carpes) A Cátedra Latino-Americana de Neurociências e Inclusão Social teve como fundador o neurocientista paulistano Miguel Nicolelis, escolhido por seu alto prestígio acadêmico-científico e com reconhecida competência internacional em sua especialidade. O patrono Bernardo Houssay, renomado pesquisador argentino premiado com o Nobel de Fisiologia/Medicina de 1947 por suas pesquisas sobre a glândula hipófise e sua relação com o metabolismo humano, é o homenageado pela relevante contribuição acadêmico-científica na área da Fisiologia. O professor Miguel Nicolelis apresentou sua experiência em tópicos avançados de neurociência, sobretudo o capital cultural, científico e tecnológico dessas pesquisas avançadas, que foi contextualizado em um cenário de inclusão social, a partir do projeto de educação científica que desenvolve no Instituto Internacional de Neurociência de Natal, RN.

17

BALAIO DE ESCRITOS Por Newton Alvim

O sonho de Laura Alvim Graças a sua rara beleza, esbelteza e traços finos, Laura Alvim é considerada a primeira Garota de Ipanema. Viveu no Rio de Janeiro, entre 1902 a 1984, e foi uma benemérita que lutou pelo sonho de transformar a sua casa, na Avenida Vieira Souto, em Ipanema, num centro cultural, que hoje é uma realidade que orgulha a Cidade Maravilhosa. Tenho que consultar minha árvore genealógica para saber se era minha parenta, o que é bem provável, pois, como dizia meu pai, os Alvim são de um ramo apenas, que veio lá de Portugal e se disseminou a partir de São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais, para o resto do Brasil. Mas Laura Alvim foi uma figura incomum, com uma vida similar a grandes personagens da literatura. O que sabemos é que quando tinha oito anos, em 1910, seus pais mudaram para um casarão à beira do mar de Ipanema, então um baita areal. Filha do médico Álvaro Alvim, introdutor do raio X no Brasil e neta de Ângelo Agostini, um dos maiores caricaturistas do Segundo Reinado, a linda guria cresceu num ambiente cheio de cultura. Ela gostava de ler e era fascinada pelas artes, com o sonho de ser atriz. Com o pedido negado pelos pais, resolveu abrir sua casa para artistas e intelectuais da então capital da República. Aparecia por lá Bibi Ferreira, Ernesto Nazareth, Burle Marx, Álvaro Moreira, Isadora Duncan, Fernanda Montenegro e Tônia Carrero. Belíssima, culta e charmosa, Laura Alvim despertou muitas paixões e, apesar de ter recebido 49 pedidos de casamento, nunca aceitou nenhum. Mas amou muito, e isso para ela era o mais importante. Tinha personalidade forte e ficou conhecida por sua irreverência e espírito de contestação. Preferiu, nos anos 50, dedicar-se ao projeto de transformar sua casa num grande centro cultural, numa espécie de homenagem ao pai, que morreu em 1928. Desde então, Laura viveu sozinha com a mãe e, mais tarde, com uma governanta cearense. Em meio ao início das obras, em 1969, sua casa se encheu de novo. Dessa vez, o casarão passou a ser habitado pelos parentes da governanta, que vinham do Nordeste. Como a casa era grande, cerca de 60 pessoas chegaram a morar ali até encontrar moradia e emprego. Tinha bom coração, a Laura. Apesar de ter vendido os terrenos que o pai possuía, ela perderia boa parte da grana investindo na Bolsa de Valores e ficou sem condições de tocar seu projeto. Por causa de uma doença na pele, tornou-se reclusa, pois já não se sentia tão bonita e apresentável para receber as pessoas. Sem dinheiro, alugava os quartos do casarão. Cercada por objetos, livros e revistas, ela passava dia e noite desenhando e dando forma a sua ideia fixa: transformar o casarão num centro cultural. Mesmo sem dinheiro, Laura não desistiu do ideal de usar o casarão como um meio de democratizar a arte. Consta que recusou propostas milionárias de construtoras e incorporadoras de olho na espaçosa propriedade de 2 mil metros quadrados da Avenida Vieira Souto, que já era o metro mais caro do Rio de Janeiro. Embora doente, ela continuou a opinar sobre todos os assuntos referentes ao sonhado projeto. No seu leito de morte, em 1984, doou a casa ao governo do Rio de Janeiro, legando à cidade o casarão onde viveu por quase 80 anos. O centro cultural seria inaugurado dois anos depois. Situada de frente para o mar, a Casa de Cultura Laura Alvim abriga hoje todas as manifestações artísticas e vem preservando o ideal de Laura, que era transformar o seu lar num palco aberto a todos que, assim como ela, amam a arte. Em endereço nobre de Ipanema, de frente para o mar, a casa passou por uma grande reforma e abriga três salas de cinema, o Teatro Laura Alvim, com 245 poltronas, e o Espaço Rogério Cardoso, com 70 cadeiras. O local tem ainda uma galeria de arte, o café do Ateliê Culinário e oferece uma série de cursos que variam da interpretação teatral a pintura botânica, além de contar com um barzinho incrementado. No terceiro andar, o Museu de Laura mantém em exposição permanente os seus móveis e objetos pessoais. O local possui facilidades para idosos e portadores de necessidades especiais. Quando você for ao Rio, não deixe de conhecer esse ambiente tão sonhado por Laura Alvim. ************* * Este escrevinhador dá uma paradinha estratégica e retorna remuniciado no início de fevereiro. Boas festas a todos os leitores e amigos, com a baita esperança de um 2011 bem melhor.

Casa onde morava Laura Alvim

16/12/2010, 17:03


Especial

Uruguaiana, 17/12 a 6 de janeiro de 2011

18

3º Domingo do Advento é celebrado com crisma de adultos na Capelania Militar Advento, no uso antigo, significava a vinda do rei, do imperador ou algum de seus colaboradores. Com o cristianismo, adquire um significado religioso, a vinda de Jesus, sendo assim, recebe um espaço litúrgico na Igreja, comemorando aquela mesma espera do Antigo Testamento. No domingo da alegria, o assim chamado domingo “lætare” (“alegrai-vos”) aconteceu também a celebração do sacramento da Crisma de vários adultos. Em 2010, tivemos mais do que o dobro da média de pessoas crismadas no município de Uruguaiana, segundo o bispo Dom Aloísio Alberto Dilli. Isso se deve a um constante trabalho missionário. A Igreja propõe a alegria, nos exorta a estarmos alegres. E estamos, pois temos muitas graças a agradecer neste ano de 2010. Prova disso era o número de pessoas que cantavam no interior da capela, tornando aquele lugar ainda mais santo. Na entrada dos fiéis que receberiam o sacramento formou-se uma fila muito longa, à frente dela, além de Dom Dilli, o capelão Fabrício, o diácono, a ministra, integrando

Vista geral da Capela Militar

Bispo Dom Aloísio Alberto Dilli e capelão Fabrício Prado

o cortejo. Estamos vivendo um tempo de feliz e piedosa expectativa, se compramos presentes, prepa-

ramos festas para nossas famílias é porque celebramos a chegada do filho de Deus que se fez humano para nos dar exemplo de como

devemos nos comportar, especialmente com relação à fraternidade, à solidariedade, à justiça. Cristo é o esperado, é o centro de tudo.

Entrada dos crismandos e padrinhos guiados pelo Bispo e capelão

Padrinhos e fiéis que receberam o sacramento da crisma recebendo cumprimentos dos familiares e dos amigos

Quinta 323.p65

18

16/12/2010, 17:03

A liturgia é, portanto, um hino à alegria. A 1ª leitura do profeta Isaías assim dizia: “O espírito do Senhor Deus está sobre mim, porque o Senhor me ungiu; envioume para dar a boa nova aos humildes, curar as feridas da alma, pregar a redenção para os cativos e a liberdade para os que estão presos; para proclamar o tempo da graça do Senhor e o dia da vingança do nosso Deus; para consolar todos os que choram, para reservar e dar aos que sofrem por Sião uma coroa, em vez de cinza, o óleo da alegria, em vez da aflição, o manto do louvor, em vez da tristeza...” Portanto, devemos encher nossos corações de esperança no tempo que está por vir. Não uma esperança mágica, devemos construir a nossa vida com boas ações, caridade, práticas de acordo com a ética e os bons costumes para podermos ser dignos das promessas de Cristo. A paz que mora na alma do fiel inspira uma alegria interior atraente, que se manifesta no humor e contagia até com a simples presença. Por isso aqueles que receberam o sacramento da Crisma estavam acompanhados de suas famílias, a capela tinha decorações natalinas, havia muitos fotógrafos registrando a confirmação do batismo, através do qual os fiéis recebem o Espírito Santo que o Senhor enviou. Toda essa celebração coincidiu com o dia dedicado a Nossa Senhora de Guadalupe, padroeira da América Latina. Mais um motivo para nos fortalecermos nestes dias que antecedem as festas de fim de ano, que certamente serão alegres para quem tem esperança e paz no coração. Nossos familiares falecidos gostarão de saber que estamos com Jesus no coração e fé na vida eterna. O 4º Domingo do Advento será no dia 19 de dezembro e último domingo antes do Natal. O 4º domingo do Advento anuncia a vinda iminente do Messias. José foi pré-advertido. Uma Virgem conceberá o Filho de Deus, Jesus Cristo, da estirpe de Davi. A notícia é comunicada a Maria. O trono de Davi será firme para sempre. O mistério calado por Deus durante séculos é agora revelado. Também Isabel agora sabe. De Judá sairá aquele que vai reger Israel. Ele vem para cumprir a vontade de Deus. A 4ª vela será acesa em nossa igreja.


Geral

Uruguaiana, 17/12 a 6 de janeiro de 2011

Senac Uruguaiana realiza Projeto Emancipar - Curso de Tricô, Crochê e Bordado em Rosário do Sul

O curso de tricô, crochê e bordado foi realizado para vinte mulheres residentes no Bairro João Alves, em Rosário do Sul, totalmente gratuito. O Senac Uruguaiana ministrou o curso, através de um convênio firmado entre a Administração Municipal e o Governo do Estado do Rio Grande do Sul, via programa

Alunos da Escola Dr. Maia se engajam na preservação ambiental Coordenados pela professora Ana Aparecida Pedroso, alunos do 2º ano da Escola de Ensino Fundamental Dr. Maia, se engajaram num projeto visando à preservação do meio-ambiente. Após ouvirem palestras ministradas pelos estagiários do curso de Biologia da Unipampa, realizaram coleta de pilhas e baterias usadas, encaminhando-as posteriormente para a reciclagem.

Quinta 323.p65

19

de Trabalho e Renda - Emancipar. Foram desenvolvidos 100h/aula no turno da tarde, sendo concluído no dia 03 de dezembro. A entrega de certificados ocorreu no dia 07 de dezembro, relata o Rodrigo Dora Bessow, responsável pela Rede de Relacionamentos do Senac Uruguaiana.

Comissão de Emergência pretende reativar Aeroclube Na terça-feira, 07, foi realizada na sede da Associação Comercial e Industrial de Uruguaiana – ACIU, uma Assembléia Geral Extraordinária do Aeroclube de Uruguaiana. Na ordem do dia, a destituição da diretoria e nomeação da junta administrativa, além de outros assuntos. Os trabalhos foram dirigidos pelo advogado Alfeu Brittes, secretariado por Gilberto Barth. Aprovada a dissolução da diretoria, foi eleita a Comissão de Emergência composta por Vânia Ceratti, Décio Bortolazzo e Leonel Carrilho Machado que, juntamente com empresas e associações, pretendem reativar o Aeroclube. O Aeroclube de Uruguaiana completou 71 anos em 2010, e faz parte da história do Município e do Estado, tendo formado, em 1942, a 1ª turma de mulheres aviadoras do Rio Grande do Sul.

19

MEDO DE PAPAI-NOEL Por Silvio Aymone Genro O Papai-Noel que marcou a minha infância tinha nome e apelido: Rafael Rios, o “Faéco”. Portanto, era um Papai-Noel conhecido, com CPF, RG e endereço fixo. Na verdade, o “Faéco” era Papai-Noel e locutor -naquele tempo se dizia assim da Rádio Alegrete e morava num apartamento vizinho dos meus tios, Romário e Elza. O Papai-Noel esse me distinguia pelo apelido de “pata de piola”, que era como meu pai nos chamava a mim a ao meu irmão, quando guris. Eu gostava do “Faéco” e daquele seu jeito manso e bondoso no trato com as crianças. Na verdade o que me incomodava nele era o personagem natalino que ele incorporava a cada dezembro. Não que eu não gostasse... Eu tinha era medo mesmo! Talvez por culpa e inabilidade de quem o maquiava, sei lá! Então, noite de Natal no Alegrete era sempre assim. Lá vinha o Papai-Noel magrelo do “Faéco” com sua macia e assustadora barba de algodão, a indisfarçável voz empostada de locutor de rádio AM, falsa barriga de travesseiro estrangulada pela guaiaca preta, tirando caramelos do bolso como um mágico tira coelhos da cartola, para o alvoroço da gurizada da vizinhança! Menos eu. O único e mais emburrado piá no mundo que tinha medo de Papai-Noel! Eu sabia que o “bom velhinho” e o “Faéco” eram a mesma pessoa. Sabia, sim! Mas tinha medo, ué! E não acreditava em nenhum dos dois. E fugia para abrigar-me no colo da minha mãe. E tapava os olhos para não ver, nem o “Faéco” e nem o Papai-Noel magrelo dele. E nada me demovia do meu ato de covardia infantil. Nem quando meus primos caçoavam de mim e me acusavam de fiasquento. E nem mesmo quando o “Faéco” me chamava pelo apelido de “pata de piola”, tentando comprar com caramelos minha simpatia e confiança. Pelo resto dos mais de cinqüenta natais da minha vida eu busquei uma explicação para o meu medo do Papai-Noel do “Faéco”, mas nunca achei uma resposta convincente para a minha esdrúxula fobia natalina! Seria uma Santaclaustofobia? Ou uma Noelfobia? Mais tarde descobri que muitas pessoas sofrem desse meu mesmo medo, mas que poucos têm coragem de confessar. No Natal passado lembrei do “Faéco”. Eu já tinha crescido, minha barba embranquecera e não senti mais medo dele. Prometi a mim mesmo que qualquer hora eu lhe entregarei um belo de um abraço. E sem traumas! Tenho certeza que desta vez vou encará-lo sem medo e flagrarei em seus olhos mansos um brilho de ternura quando relembrarmos essa nossa história de antigos natais no Alegrete. Engraçado! Algo me diz que a partir desse encontro eu vou voltar a acreditar em Papai Noel depois de tanto tempo. Mas, será que o “Faéco” ainda carrega caramelos no bolso?

16/12/2010, 17:03


Geral VOZES DA CIDADE Por Ricardo Peró Job

O crime compensa A 7ª Câmara de Direito Público do Tribunal de Justiça de São Paulo cassou, esta semana, a decisão que condenou o ex-prefeito Paulo Maluf por improbidade administrativa em uma compra superfaturada de frangos pela Prefeitura de São Paulo. A condenação revogada foi a que levou o deputado a ser enquadrado na Lei da Ficha Limpa, anulando os 497 mil votos que Maluf recebeu para a deputação federal nas últimas eleições. A decisão permitirá que o deputado entre com um recurso no Tribunal Superior Eleitoral contra a decisão do TRE-SP, liberando-o para ser diplomado como eleito na sexta-feira, 17. Além dele, também serão diplomados os "fichas-sujas”, candidatos a deputado federal Beto Mansur, do PP paulista; Augusto Maia, do PTB pernambucano; Manoel Salviano, do PSDB cearense; Eugênio Rabelo, do PP cearense e outros 54, que reverteram as decisões no TSE. Mais de um terço dos políticos julgados pelo Tribunal Superior Eleitoral, por conta da aplicação da Lei da Ficha Limpa, tiveram suas candidaturas liberadas após serem considerados "fichas-sujas" pelos Tribunais Regionais Eleitorais estaduais. E o que é pior: faltando menos de uma semana para a diplomação dos eleitos para o Legislativo, marcada para sexta-feira, 17, ainda há mais de 70 casos dependentes de julgamento final pelo TSE. A maior parte dos candidatos vitoriosos no TSE foi beneficiada por um afrouxamento na aplicação da lei. O afrouxamento da Lei também atinge ministros e secretários estaduais, muitos implicados ou investigados em casos de corrupção e desvio de verbas públicas, quando não em casos ainda mais graves. A conclusão é a de que, assim como os criminosos comuns, os de “colarinho branco” se beneficiam da frouxidão de nossas leis, para seguirem com suas carreiras de delinquentes. Está para ser analisada em uma das comissões do Senado Federal projeto que aumenta os anos de cumprimento obrigatório da pena (no Brasil ninguém pode ficar mais de 30 anos encarcerado, seja lá qual for a condenação). Não vai passar, pois, como podemos deduzir diante dos fatos, muitos dos diretamente interessados estarão legislando em causa própria. Há poucos dias assistimos horrorizados, polícia e exército desalojando bandidos encastelados nos morros do Rio de Janeiro, que, além de viverem do comércio de drogas, cometiam todo o gênero de atrocidades possíveis contra a população carioca, principalmente contra os que ali residiam e não contavam com o amparo do Estado, que os deixara à mercê de sua própria sorte. Como sempre acontece quando ações violentas são executadas, inocentes também foram atingidos, mas, diante do caos, não restava alternativa ao governo do Rio de Janeiro. Quem sabe uma ação destas na capital federal também não teria lá seus efeitos benéficos?

Quinta 323.p65

20

Uruguaiana, 17/12 a 6 de janeiro de 2011

20

Despachantes Aduaneiros esperam por inclusão no Simples Nacional O deputado Frederico Antunes (PP) reuniu-se na manhã de quarta-feira, 08, em Brasília, com os senadores Francisco Dornelles (PP-RJ), Paulo Paim (PT-RS ) e Pedro Simon (PMDB-RS) para tratar de detalhes do projeto de lei nº 123, de autoria da senadora Ideli Salvatti (PT-SC) que trata de mudanças do Simples Nacional. O presidente do Sindicato dos Despachantes Aduaneiros do RS, Lauri Kotz, participou do encontro, já que a categoria está incluída nas mudanças que aguardam votação final do plenário do Congresso Nacional. Segundo Lauri Kotz, em torno de quinhentos profissionais autônomos e trezentas empresas seriam be-

neficiadas. “A mudança representaria uma significativa redução de diversas taxas, como Imposto de Renda, PIS, Cofins e INNS, entre outros”, disse o presidente do SDAERGS. Estes profissionais trabalham em Porto Alegre e diversos municípios fronteiriços do Estado, como Uruguaiana, São Borja, Chuí, Itaqui, Rio Grande e Aceguá, entre outros. O projeto de lei tramitou por várias comissões e aguarda inclusão na pauta de votação do Congresso Nacional. Caso a matéria não seja apreciada nesta legislatura, a expectativa é de que a presidente eleita, Dilma Rousseff, remeta novamente o projeto nos mesmos termos, logo no início do ano.

SDAERGS reúne mais de cem pessoas para festa de final de ano No sábado, 11, o Sindicato dos Despachantes Aduaneiros do Estado do Rio Grande do Sul – SDAERGS reuniu mais de 100 associados para confraternização de final de ano. O jantar-baile teve lugar no salão de festas da entidade, com sorteio de brindes de natal e apresentação do novo vídeo institucional do Sindicato. Em seu discurso, o presidente Lauri Kotz falou da importância de se realizar um trabalho com respon-

Os anfitriões Lauri e Suzana Kotz.

sabilidade e transparência e a preservação de uma competição sadia da classe. Adiretoria da Confraria dos Despachantes, que se reúne mensalmente no SDAERGS para churrasco e conversa foi apresentada por Kotz aos convidados. O presidente da Confraria aproveitou a oportunidade para convidar os demais despachantes para participarem do grupo.Afesta se estendeu até as 6h com muita música e descontração. Despachantes e familiares aproveitaram o jantar-baile até às 6h.

16/12/2010, 17:03


Segurança

Uruguaiana, 17/12 a 6 de janeiro de 2011

Blitz na Baixada apreende materiais pirateados

A poucos dias do Natal, na quarta-feira, 15, uma equipe da Receita Federal, apoiada por agentes da Polícia federal e Brigada Militar, realizaram uma operação em busca de materiais falsificados na Baixada da Rua Duque de Caxias. Foram apreendidos 149 volumes, contendo centenas de mercadorias, avaliadas em R$ 200 mil.

TRAFICANTES E MAFIOSOS Por Marcos Rolim

Comandante da Brigada Militar é homenageado pela Polícia Civil Na quinta-feira, 2, em solenidade no Palácio da Polícia, na cidade de Porto Alegre, o Tenente Coronel Arlindo Filadelfo Alves de Araújo Rego, comandante do 1º BPAF, recebeu o Diploma Polícia Civil – Comunidade, pelos relevantes Serviços prestados em parceria com a Polícia Civil na cidade de Uruguaiana. A merecida homenagem deve-se à vitoriosa integração das forças de segurança pública no combate ao crime em nossa cidade.

Preso por tentativa de homicídio

Lucas Samuel Ferreira Fernandes foi preso sob acusação de tentativa de homicídio contra Leandro de Ávila Gomes, 22 anos. O fato aconteceu na madrugada de sábado, 11, na vila PróLar. Foi apurado que havia uma rixa antiga entre os dois. Leandro encontra-se na UTI. De acordo com a polícia, Lucas S. F. Fernandes tem várias passagens por delitos diversos e é acusado de autoria de um homicídio em 2007.

Quinta 323.p65

21

21

Barco naufraga em bar ragem na Santana VVelha elha barragem Dois homens desapareceram nas águas de uma barragem, na Santana Velha, quando o barco no qual pescavam, naufragou. Segundo os bombei-

ros, os ventos que alcançaram 85 km por hora no sábado, 11, teriam ocasionado a tragédia. A Corporação de Bombeiros foi chamada para auxiliar no resgate.

Não é admissível que grupos armados dominem territórios como ocorre há décadas no Rio. Por isso, recuperar para o império da lei comunidades assoladas pelo terror é tarefa civilizatória. Reside aí a importância da ofensiva desencadeada na Vila Cruzeiro e no Complexo do Alemão. Penso, entretanto, que é preciso afastar o delírio triunfalista que anestesia o País desde que a ocupação de favelas com uso de blindados foi comparada ao desembarque dos aliados na Normandia. Carlos Resa Nestares, da Universidade Complutense de Madrid, diferencia dois tipos de estruturas criminais: aquelas que vendem drogas e aquelas que produzem inteligência e proteção para qualquer comércio ilícito, inclusive com drogas. As primeiras formam grupos de traficantes, as outras formam máfias. No Rio de Janeiro, as facções do tráfico são o “Comando Vermelho”, o “Terceiro Comando”, o “Terceiro Comando Puro” e a “Amigos dos Amigos”. As máfias são as “milícias”, formadas por bandidos que trabalham nas polícias. As milícias já controlam áreas maiores que as facções. Ali, monopolizam a oferta de serviços ilegais, da venda de terras públicas e gás, ao transporte clandestino e à instalação de TV a cabo (a famosa “Netcat”). Quando conveniente, os milicianos alugam regiões para o tráfico (com a mesma naturalidade, alugam “caveirões” para as facções); quando não, deslocam os traficantes, assumindo a venda de drogas diretamente. As milícias – que já elegem candidatos ao parlamento - são, de longe, o mais grave problema de segurança pública no Rio. Por isso, a polarização pressuposta nas coberturas jornalísticas entre “polícia” e “traficantes” não existe no RJ. Traficantes mantém bases territoriais e pontos fixos de venda porque compram proteção dos segmentos criminosos das polícias. Tudo funciona como em uma S/A de capital fechado. Boa parte das armas do tráfico é fornecida por policiais que, assim, colocam em risco a vida de todos, sobretudo a vida dos policiais honestos, aqueles que – apesar dos baixos salários- honram sua missão e nos protegem. Estes estão fora da “sociedade” e, por isso, correm riscos extras em suas corporações. Os atentados com queima de ônibus e carros não foram uma “reação às UPPs” como o governo afirmou. Versão que - como de costume quando o tema é segurança - foi assumida sem perguntas pela mídia. Em breve saberemos os verdadeiros motivos e, então, haverá perplexidade. Mas o mais importante é compreender –como o demonstra a experiência mundial – que, em uma democracia, não é possível derrotar o tráfico de drogas com a “guerra”. Devemos impedir a existência da modalidade (já em declínio) do tráfico com domínio territorial e grupos armados. Mas quando alcan��armos isto o tráfico terá encontrado formas mais ágeis e baratas para abastecer o mercado. Para derrotá-lo será necessária uma política pública de redução de danos que permita segmentar o mercado com experiências progressivas de legalização das drogas. A opinião pública no Brasil, entretanto, por desinformação e preconceito, não está disposta sequer a fazer este debate. Os traficantes e seus sócios, é claro, agradecem.

16/12/2010, 17:03


Esporte Rústica de Encerramento fecha a temporada 2010 as, os vencedores foram:

A temporada de corridas de 2010 encerrou-se no sábado, 11, no Parque D. Pedro II, com a Rústica de Encerramento. O evento contou com as presenças do secretário de Esporte e Lazer, Vicente Majó da Maia, e de Luis Alberto Barbará Gonzalez, presidente da CAUL. A prova principal foi vencida por Andrés Esteban Altamirano, da cidade de Villaguay, província de Entre Rios, na Argentina, com o tempo de 24 minutos e 18 segundos. Na prova feminina, a campeã foi Rosane Alves Medeiros (ACORU), com o tempo de 32 minutos e 22 segundos. O percurso constava de duas voltas na pista de ciclismo do Parque e duas voltas na Avenida Presidente Vargas, no trecho compreendido entre a Rua dos Andradas e a Praça do Gaúcho, envolvendo 7 km. Nas demais categori-

- Pré-Mirim – 6 a 8 anos – 200 metros – Salvador Evandro Dinat Ribeiro (ACORU), no masculino e Mel Clara de Oliveira Fanti (Unidos pelo Esporte), no feminino; - Mirim – 9 a 11 anos – 720 metros – Marcelo Renan Pereira (Unidos pelo Esporte); - Infantil – 12 a 14 anos – 1.440 metros – Jean da Silva Carvalho (ACORU); - Juvenil Masculino – Cleiton do Nascimento da Rocha (8º R C Mec); - Masculino 20 / 24 anos – Julio César Silveira Zacarias (CMD Itaqui); - Masculino 25 / 29 anos – Marcelo Elias Schnewald Linn (Igreja Quadrangular); - Masculino 30 / 34 anos – Éderson da Rosa Montanha (Igreja Quadrangular); - Masculino 35 / 39 anos – Jordão Goulart Serpa (ACORU) – 3º lugar Geral; Masculino 40 / 45 anos – José Vanderlei da Silva (Quarai); Masculino 45 / 49 anos – Diógenes Cezar Rodrigues (ACORU) – 2º lugar Geral; - Masculino 50 / 59 anos – Mário Guillermo Gonzalez Garcia (Artigas – Uruguai); - Masculino 60 anos em diante – Otílio Gomez Rodriguez (Artigas – Uruguai); - Feminino 15 anos em diante – Adriana Fagundes Dornelles (ACORU).

O tradicional Encontro de Gerações reuniu o atleta mais veterano, Floravante D’Ávila Pedroso, de Quarai, com 70 anos e a atleta mais jovem, Ane Emanuely Dutra Costa, com 7 anos. Ao encerrar a temporada, a direção da ACORU agradeceu a parceria da Prefeitura Municipal e o apoio da 2ª Brigada de Cavalaria Mecanizada, Brigada Militar, Corpo de Bombeiros e todos os que, de uma maneira ou outra, participam desta caminhada da ACORU em busca do desenvolvimento do esporte.

IMORTAL TRICOLOR

Carta aberta ao torcedor gremista Mensagem do Presidente Duda Kroeff

Quinta 323.p65

22

Confraternização nos Emirados Árabes ameniza tristeza Futebol é assim mesmo, se ganha e se perde. Perdemos por nossa incompetência, mas a fiel torcida colorada que invadiu os Emirados está de parabéns. A confraternização com os árabes foi emocionante. A vida continua e continuaremos desfrutando da ILHA DA FANTASIA.... Saudações coloradas. Acompanhe os correspondentes do jornal Momento de Uruguaiana, Raul Valls e Rodrigo Steiner, em Abu Dhabi , através do blog (www.discovering.com.br)

Ao centro Raul Valls e a seguir Rodrigo Steiner

Olimpíada Rural em João Ar regui Arregui Na quarta-feira, 08 de dezembro, aconteceu a solenidade de abertura da XXIX Olimpíada Rural Estudantil (de 08 a 11/12) e inauguração da cobertura da quadra de esportes da Escola Municipal Alceu Wamosy, na vila de João Arregui, no interior do município. A Olimpíada foi concluída no dia 11 de dezembro.

PAIXÃO COLORADA Por Joel Neimann Lopes - neimannj@gmail.com

Fonte portal do Grêmio

Prezado Amigo Gremista Ao fim do nosso mandato, venho à presença do Amigo fazer um breve relato do que foi feito durante nossa gestão 2009/2010 a frente do nosso Grêmio. Estejam certos que a missão não é simples, nem fácil. Mas emociona ver a grande Nação Tricolor vibrando com conquistas e vitórias. Esta talvez seja a maior recompensa de um dirigente. Dois anos não são muito, mas são suficientes para que algumas importantes realizações pudessem ser realizadas e deixadas como legado para o futuro. Sobre estas, mencionarei a seguir, quem sabe, algumas das mais importantes. Levarei grandes lembranças dos momentos em que estive a frente do Grêmio. Da mesma forma, como acontece com todos, também levarei na memória alguns momentos de angústia que são próprias do futebol quando alguns resultados não aparecem. Como aspecto negativo, que é mister mencionar, levo a frustração de não haver conseguido equilibrar as contas do Clube na medida que gostaria de fazer. As altas despesas do Futebol atual, somadas as necessidades de um clube com a grandeza do Grêmio, a exigências de sua torcida na manutenção de um time altamente competitivo, mais receitas que embora em continuo crescimento ainda não

22

Uruguaiana, 17/12 a 6 de janeiro de 2011

são suficientes para cobrir as despesas integrais do Clube, nos obrigam ainda a negociar Atestados Liberatórios para equilibrar nossas contas. E quando o marcado não está comprador, como aconteceu na crise econômica internacional, a partir de 2008, ás vezes entendemos que é melhor segurar um bom atleta até que seu passe valorize mais, ao invés de negociá-lo por valor aquém do que realmente vale. Assim, se é verdade que temos um déficit financeiro a cobrir, também é verdade que deixamos contratado um plantel de alto padrão, com jogadores com presente e/ou futura conveniente valorização de mercado.

Quando se pensa que já viu de tudo, sempre acaba surpreendido de alguma forma. Só se molha quem anda na chuva. Quem escolhe o guarda-chuva da mediocridade não corre riscos. Mesmo assim a minha frustração e da nação vermelha é grande, mas ela passa longe de segunda divisão. Foi só um jogo errado, como na vida acontecem dias errados. Só que esse dia e esse jogo repercutirão por muito tempo. O descuido foi fatal e custou mais que uma derrota. Custou o sonho. Lamento mesmo pelos colorados que lá estavam, na maior invasão de torcedores brasileiros a outro continente. Mesmo assim foi uma demonstração de grandeza. Das coisas que ouvi depois do jogo, uma chamou especial atenção: um torcedor, em Abu Dhabi, no auge da tristeza, dizendo que sua paixão é muito maior que um momento de raiva e que logo estaria novamente torcendo com todo fervor. E é isso mesmo. Felizmente temos essa capacidade de esquecer o que foi ruim e lembrar só dos grandes momentos. Mas, e o mas é inevitável nesta hora, uma derrota dessas deixa suas lições. E elas são enormes. A primeira é que o Inter e a sua torcida tornaram-se megalomaníacos. Tudo agora é superlativo. Absoluto. Campeão de Tudo. Gigante. A soberba cobrou seu preço. Depois da derrota, ainda ouvi nas rádios quem dissesse que o Inter deveria ter escolhido ser campeão brasileiro como preparativo para o Mundial, mas preferiu descansar. É esse tipo de pensamento que se torna pernicioso. Ora, ser campeão brasileiro é um merecimento, não uma escolha. Você até decide disputar o título, mas para obtê-lo precisa merecer. Com a eliminação precoce encerra-se o

16/12/2010, 17:03

ciclo do treinador (espero) e de vários jogadores no clube: Alecsandro, Renan, Wilson Mathias, Índio, Nei, Guiñazu. Todos esses foram aquém da grandeza do Inter. O centroavante há muito, ou nunca, disse a que veio. O goleiro foi imposto no carteiraço. Wilson Mathias, além de comum, é lento. Índio foi um grande zagueiro. Dos melhores. Passou. Nei é um esforçado sem talento. E Guinãzu, um esforçado com grife. Volante que não guarda posição e, se abre espaço indo ao ataque, não conclui, não tem serventia. Joga prá torcida. Repito: joga prá torcida. E D’Alessandro? Na hora do craque, sumiu. Como o Kleber. No entanto, há material de primeira grandeza no elenco: Tinga e Sóbis, os incrivelmente substituídos, somam-se a Giuliano, Oscar, Andrezinho. Muriel. Há bons zagueiros na base: Romário e Dalton. Bons volantes: João Paulo Mior, Juliano e Augusto. A safra do Inter é muito boa. Unida a reforços pontuais vão dar liga. O fatídico 14 de dezembro vai atrapalhar um pouco, mas o planejamento está correto. O que não está certo é o poder que é dado ao treinador. Quando ele disse que se arrepiou ao entrar no estádio, a torcida ficou de cabelo em pé. Técnico covarde é tudo o que não precisamos. Passou. Vem aí 2011 e mais uma série de competições: Gauchão, Libertadores, Recopa, Brasileiro. Agora a paixão adormece para voltar ainda mais forte no final de janeiro, quando os desafios chamarem novamente. Boas Festas a todos e Feliz Ano Novo! Saudações Coloradas!


Mural AGÊNCIA REGULADORA MUNICIPAL

dia digital as “regulações” legais sobre rádio e televisão. A modificação da Lei de Responsabilidade Social em Rádio e Televisão foi enviada à Assembleia Nacional para "estabelecer um controle aos provedores de internet e mídia digital". Franklin Martins deve estar morrendo de inveja. (R.P.J)

Na quinta-feira, 09, foi realizada reunião para formação da Agência Reguladora Municipal, que contará com um representante da Associação Comercial e Industrial de Uruguaiana - ACIU, um representante da Câmara de Dirigentes Lojistas - CDL, um representante da Ordem dos Advogados do Brasil - OAB, um representante do Conselho Regional de Engenharia e Arquitetura - CREA, um representante do Conselho Regional de Medicina/RS - CREMERS, e dois representantes de Associações de Bairros e Vilas de Uruguaiana. (Vera Ione Molina Silva)

INVEJA II

SALÁRIO No apagar das luzes do ano, deputados aumentaram seus salários em 62%, e o da presidente em 133%. Já o salário mínimo... (Ricardo Peró Job) SALÁRIO II Aliás, a prática não é só federal. Aqui no Município, grande parte dos funcionários públicos recebe salários próximos ao mínimo, sem nenhum aumento desde o início da atual administração. Já os salários do primeiríssimo escalão... (R.P.J)

O coral do Centro de Convivência Maior Comendador Gabriel Vijante Bermúdez prestou uma homenagem de agradecimento à Câmara Municipal, na manhã de sexta-feira, 10. No saguão de entrada do Palácio Borges de Medeiros, o grupo coral cantou duas canções natalinas para os vereadores e funcionários do Legislativo Municipal. O presidente da Câmara Municipal, vereador Adalberto Silva, agradeceu a homenagem e desejou “saúde e muita força” aos integrantes do coral.

TÉCNICO-ADMINISTRATIVOS de segurança para hospitais. (R.P.J) O resultado final na prova objetiva do concurso para cargos Técnico-Administrativos da Universidade Federal do Pampa - UNIPAMPA foi divulgado na quarta-feira, 8, no site da Fundatec, realizadora da prova. Os candidatos do edital 156/10, exceto o cargo de Assistente em Administração, já podem conferir sua pontuação e classificação no site. (Vera Ione Molina Silva) TÉCNICO-ADMINISTRATIVOS II Os resultados do cargo de Assistente em Administração devem ser divulgados no dia 21 de dezembro, conforme informa a Pró-reitoria de Gestão de Pessoal, uma vez que para esse cargo foi feita a convocação para a perícia médica dos candidatos que se declararam portadores de deficiência. As perícias acontecerão no dia 17, segundo o Edital. (V.I.M.S)

COLETÂNEA Com o Salão Júlio de Castilhos lotado, foi lançada na noite de quinta-feira, 09, a segunda edição da coletânea A Ditadura de Segurança Nacional no Rio Grande do Sul (1964-1985): História e Memória. A obra é uma parceria entre a Assembleia Legislativa e a Universidade Federal do Rio Grande do Sul. O deputado Adão Villaverde (PT), presidente da Escola do Legislativo Romildo Bolzan e, representando o presidente da Casa, deputado Giovani Cherini (PDT), agradeceu a todos que colaboraram para a realização da coletânea. Ele destacou que a obra procura situar o que foi o regime militar no Brasil e seus reflexos no Rio Grande do Sul, além da importância do papel desempenhado pela Assembleia Legislativa durante todo aquele período. (V.I.M.S) FROUXIDÃO MORAL

GOVERNADOR BONZINHO Centro cirúrgico do hospital público de Ceilândia e UTI neonatal do hospital de Taguatinga, no DF, estão infestados de piolhos, sem contar com a bactéria KPC, que já matou 25 pacientes. Mas o governador Rogério Rosso, ignorando o problema, está renovando, sem licitação, um contrato de R$ 30 milhões com a empresa Dinâmica,

Quinta 323.p65

23

23

Uruguaiana, 17/12 a 6 de janeiro de 2011

O desvio de dinheiro público, por meio de entidades de fachada, foi estimulado por vetos do presidente Luiz Inácio da Silva. Os vetos abrandaram as exigências para o repasse de verbas do Orçamento a entidades privadas sem fins lucrativos. Em agosto de 2009, o presidente vetou dispositivo da Lei de Diretrizes Orçamentárias que cobrava das entidades a apresentação

de cópia de declaração de informações econômico-fiscais, emitida pela Secretaria da Receita Federal. Com o veto a essa exigência, as candidatas ao repasse ficaram obrigadas a apresentar apenas uma declaração de funcionamento emitida por três autoridades locais. E viva la Pátria! (R.P.J) NÃO APRENDEM A presidente eleita, Dilma Rousseff, convidou o aspone para Assuntos Internacionais, Marco Aurélio Garcia, declarado amigo de ditadores e inimigo da imprensa, para permanecer no cargo. Que os deuses nos protejam. (R.P.J) EL SUPREMO O ditador venezuelano, Hugo Chávez, disse no domingo, 12, que seu pedido de poderes especiais deve-se à urgência em aprovar leis para reconstruir a Venezuela. A oposição classifica como uma jogada para anular sua derrota eleitoral na votação legislativa de setembro. Chávez quer que a Assembleia Nacional, dominada pelo governo, lhe habilite a passar leis por decreto. (R.P.J) INVEJA O ditador venezuelano Hugo Chávez mandou para o parlamento uma reforma legislativa que procura estender à mí-

16/12/2010, 17:04

Na semana que passou, o presidente da Associação de Jornalistas do Irã, Mashallah Shamsolvaezin, foi condenado a 16 meses de prisão por ter "prejudicado o regime" islâmico e "insultado" o presidente Mahmoud Ahmadinejad. Shamsolvaezin dirigiu vários jornais reformistas fechados pelo governo entre 1998 e 2000. Foi preso em várias ocasiões, inclusive durante a repressão aos protestos da oposição contra a reeleição fraudulenta do presidente Ahmadinejad, em 2009. Que inveja hein, Franklin! (R.P.J) TERNO DE REIS O nosso homem do campo desconhecia as comemorações de Natal à maneira como há cerca de mais de meio século são usuais nas cidades, com uma árvore enfeitada de neve e de presentes ansiosamente esperados, com um Papai Noel atemorizando os guris travessos ou fazendo elogios ao bom filho. Isto não quer dizer que no campo os homens tenham se esquecido das mensagens cristãs de Natal, da entrada do Ano Novo e do Dia de Reis. Se o dia 1º de Janeiro é festivamente assinalado por churrascos e “ressacas”, não menos vibrante são os festejos de Natal, com os “Ternos de Reis” – grupos musicais que anunciavam, de rancho em rancho, de casa em casa, o nascimento do Salvador. (V.I.M.S) TERNO DE REIS II O objetivo desta visita variava de um Terno para outro: alguns visavam unicamente louvar a memória de Jesus Menino; outros Ternos visavam propiciar aos cantadores uma doce retribuição ao desgaste de suas cordas vocais, através de fartos comes e bebes que os donos das casas nunca se esquecem de oferecer. Finalmente, havia aqueles que, oprimidos pelas necessidades materiais que muitas vezes afligiam nossos trabalhadores rurais, saiam “pedindo ou tirando reis”, na certeza de que ao menos no campo, ainda não se esqueceram de todo, as lições de fraternidade que o Cristo legou aos homens de bem. Em outros estados são ainda os Ternos são uma prática, no Rio Grande do Sul, somente em algumas cidades do Litoral Norte. Fonte: Cyber Galpão – Vai um mate? (V.I.M.S)


24

Uruguaiana, 17/12 a 6 de janeiro de 2011

GASTRONOMIA Dudu Ferreira

PARA PENSAR: "Um aspecto essencial da criatividade é não ter medo de fracassar." Dr. Edwin Land

e-mail: duduferreira@bnet.com.br

Abu Dhabi: O fiasco do século

Para ler... A qualidade das crônicas do Jornal Momento, na verdade, não me causa surpresa. Ali estão presentes gente da melhor qualidade da nobre arte da escrita. Colmar Duarte, Nei Duclós, Cláudio Noronha, Vera Molina, Newton Alvim, Ricardo Peró, Cícero Galeno Lopes e tantos outros colegas que tem mostrado rara sensibilidade ao transmitir, em muitos casos, experiência, sensatez, realidade e história aos seus leitores, no qual me incluo, fielmente. A

cidade deveria agradecer por ter quilates de sabedoria concentrada em um só jornal. Não é tão comum assim encontrarmos tamanha qualidade de crônicas em um só espaço. Na última edição, gostei muito das colunas do amigo e ex-professor Cícero Galeno Lopes e do colega Noronha. Me identifico muito com eles, não só pela proximidade da faixa etária, mas que inegavelmente equaliza-se nos conceitos de vida e da dura realidade em que hoje vivemos.

Car ne de búfalo Carne Recebi um e-mail do pecuarista João Gaspar Almeida, produtor da carne de búfalo, sobre uma interessante pesquisa efetuada na Itália e publicada no European Journal of Clinical Nutrition com o tema "Impactos benéficos no risco cardiovascular do consumo de carne de búfalos". Os pesquisadores acompanharam durante 12 meses, 300 pessoas adultas divididas em consumidores recentes de carne de búfalos, indivíduos que nunca consumiram carne de búfalos e consumidores da carne a longo prazo. O consumo foi cerca de 600 g de carne semanais (com redução concomitante de carne bovina). Ao final do estudo, verificou-se que os consumidores de carne bubalina apresentaram redução significativa nos níveis de colesterol e triglicérides, redução da frequência cardíaca, bem como melhor res-

posta ao stress oxidativo comparativamente aos indivíduos que não consumiram carne de búfalos. Concluíram os autores que o consumo desta carne, que além de fonte protéica, pode conferir efeitos cardiovasculares significativos. Esta pesquisa pode ter um significativo impacto na bubalinocultura em todo o mundo. Até então, os indícios da composição mais adequada do ponto de vista cardiovascular da carne bubalina estava relacionada a uma melhor adequação teórica de seus componentes (menos gordura, melhor perfil destas gorduras, etc). A pesquisa clinica vem comprová-la. Destaque-se, porém, que qualquer benefício mercadológico que mais este aspecto particular do búfalo proporcione dependerá logicamente da capacidade dos produtores em organizar tal cadeia, um obstáculo a ser superado em boa parte do país.

A verdade dói e é cruel, mas em 101 anos da gloriosa história do Sport Club Internacional essa derrota prematura e inesperada frente ao Mazembe, do Congo, no Mundial Interclubes foi a mancha que se eternizará nos corações de todos os colorados, como o maior fiasco do clube gaúcho. Motivo soberba, salto-alto, autoconfiança demasiada, despreparo psicológico para a partida que antecederia a grande final e finalmente um time que enganou a todos. Lasier Martins, no Jornal do Almoço do

dia seguinte mencionava exatamente isto. Como um time que já vinha cambaleante no Brasileiro, não ganhando de quase ninguém no segundo turno poderia inspirar confiança à sua torcida? Para o Internacional, a preocupação e a concentração estava direcionada para a final do mundial, dia 18. Nada mudaria isto. Até que um tal de Mazembe entrou em campo e desfilou competência, preparo físico e objetividade nas conclusões a gol. Pronto: derrota histórica!

Hoje, pelo nivelamento técnico das equipes do mundo todo, nada pode ser prognosticado, muito menos resultados. Que sirva de lição. Soberba tem um gosto amargo quando cai por terra as previsões de otimistas infundados. Cést la vie... Tem o outro lado: atenção gremistas! É bom o time fazer bonito nas próximas competições porque senão a flauta vai ser pesada, amigos, com o devido e usual revanchismo raivoso dos colorados. Bom retorno aos pagos!!

Paraíso baiano

Receita da semana: Carpaccio de vegetais com vinagrete de açafrão

Novo Resort (Resort Makenna) no sul da Bahia mistura praia linda com arquitetura modernista, serviço de primeira e um toque gastronômico muito especial. A Costa do Cacau, no litoral da Bahia, é uma das poucas fronteiras ainda não totalmente desbravadas pelo turismo nacional. É possivelmente a região da costa brasileira onde a Mata Atlântica permanece mais preservada. É por essas e outras que a surpresa de encontrar ali, no meio da floresta, uma construção de impactantes traços modernistas que remetem imediatamente à Bauhaus ou as obras de Niemeyer é grande. E torna-se ainda maior quando se descobre que a impressionante estrutura abriga um hotel exclusivo e alto luxo, no qual a união entre gastronomia refinada, mordomia e mimos personalizados complementa a paz e o convívio com a natureza. O chef do local chama-se Paulinho Martins, 34 anos, 13 de cozinha. Lidera a empresa Panela Brasil, faz consultoria para as cozinhas de todos os tamanhos, especializando-se em hotelaria. Resort Makenna: diárias para casal a partir de R$ 1.300 com meia-pensão (café da manhã e jantar). Site: www.makenna.com.br. Estive na Bahia em 2004, quando minha filha Carolina trabalhava em um resort na Costa do Sauípe. Ali pude identificar locais, pequenos na época, que tinham uma gastronomia muito identificada com o local de origem. Muitos empreendedores gaúchos e europeus estavam desbravando zonas até então desconhecidas. Lembro bem de Imbassaí, onde Carlina morava, uma ilha de pescadores com uma praia magnífica. Passados 6 anos, já tem resort de luxo por lá e rodeado de excelentes restaurantes. Com a proximidade da Copa do Mundo ser aqui no Brasil, o nordeste, pilastra turística do Brasil promete revolucionar em investimentos no setor hoteleiro.

INGREDIENTES: 1 dente de alho picado 1/4 de xícara de salsa picada 1/4 de colher (chá) de pimenta-dedo-de-moça sem semente, picada em cubos pequenos 50 ml de azeite extravirgem 50 ml de óleo de girassol 1/2 colher (chá) açafrão em estigmas 1/2 colher (chá) de mostarda 1/4 de xícara de pão branco em cubos pequenos 1 colher (chá) de vinagre balsâmico 1 colher (sopa) de vinagre branco sal a gosto 2 beterrabas pequenas cruas 1/4 de cabeça de funcho cru 5 flores de couve-flor cruas 1 nabo redondo cru 1 abobrinha crua 1 pimentão amarelo cru 1 abacate pequeno. PASSO A PASSO: Coloque o açafrão na água quente para que solte seu aroma. Reserve. Coloque o alho, a salsa e a pimenta numa bacia; derrame o óleo e o azeite em fio, sempre batendo com um batedor até que fique emulsionado. Acrescente o vinagre balsâmico, a mostarda e a água de açafrão. Deixe o pão de molho no vinagre por um minuto, amasse e acrescente o molho. Com uma faca afiada, corte os legumes o mais fino possível (o ideal é usar mandolin). Arrume os legumes nos pratos de forma atraente aos olhos, valorizando as cores, mas com cuidado para não encher demais. Regue com molho e sirva.

BOM FINAL DE SEMANA A TODOS!!

Quinta 323.p65

24

16/12/2010, 17:04


Geral

Uruguaiana, 17/12 a 6 de janeiro de 2011

Perspectivas de desenvolvimento para a Faixa de Fronteira

25

A VIDA NÃO ESTÁ PASSANDO MAIS DEPRESSA, ESSE SENTIMENTO É DAQUELES QUE QUEREM PASSAR A ETERNIDADE JOVENS E BELOS POR FORA

Por Maria Clara Prati

Jorge Unamuzaga

A Agência de Desenvolvimento de Uruguaiana – ADU, através de seu diretor Fernando Martins de Menezes, participou no último dia 7, em Brasília, do Seminário “Perspectivas para a Faixa de Fronteira”, que ocorreu no Anexo I do Palácio do Planalto. A Faixa de Fronteira é uma linha que atinge 150 km de extensão, partindo desde o início das cidades fronteiriças do Brasil e que possui 16.886 km de comprimento, sendo que mais de 600 cidades brasileiras encontram-se nestes limites. O seminário teve como finalidade discutir as perspectivas de desenvolvimento dentro dos limites da Faixa de Fronteira, o que naturalmente interessa ao município de Uruguaiana e cidades vizinhas. Existe uma preocupação das autoridades federais com as questões relativas à segurança, visto ocorrer nas fronteiras tráfico de drogas, armas e contrabando. Entretanto, segundo o diretor da ADU, o foco principal do seminário foi a região Amazônica, em razão de seus inúmeros problemas com tráfico, áreas indígenas, influência de ONGs e biopirata-

Fernando Martins de Menezes

ria. Apesar disso foi possível chegarse a conclusão de que os municípios situados na Faixa de Fronteira devem articular-se a partir de arranjos produtivos locais, promovendo a integração com os municípios dos países vizinhos e apresentando projetos ao governo estadual e federal, contando com o apoio dos ministérios. De acordo com Fernando Menezes não

podemos ficar de braços cruzados, esperando que o governo federal tome as decisões em relação à Faixa de Fronteira, é necessário que os municípios adiantem-se nessa iniciativa, salientou. Com relação à redução dos 150 km da Faixa de Fronteira o assunto ainda está em estudo e poderá ocorrer alguma decisão no próximo ano.

Bancos com horário especial no fim de ano Com a chegada das festas de fim de ano, as agências bancárias de Uruguaiana irão modificar os seus horários de atendimento. Os bancos deverão funcionar no dia 24, véspera de Natal, somente no período da manhã, entre 9h e 10h. Na sexta-feira, dia 31, as agências não abrirão, reabrindo somente na segunda, dia 3 de janeiro de 2011, ficando, portanto, a quinta-feira 30, como último dia do ano com atendimento bancário.

Quinta 323.p65

25

Chega de saudade. Além da música do Tom Jobim na qual sempre falo, pois aprecio muito, tenho dito muito essa frase para meus amigos e parentes que vem choramingar porque o ano passou rápido e a vida está passando cada vez mais depressa. A vida não está passando mais depressa, esse é um sentimento daqueles que não sabem envelhecer, querem passar a eternidade jovens e belos por fora. Quanta coisa útil aprendemos em 2010, quantas boas ações praticamos, quanta gente boa conhecemos ou reencontramos. É isso que temos que contabilizar para nos sentirmos felizes no aguardo deste novo ano, para o qual certamente temos muitos planos. Se não temos, está na hora de fazer, corram. Exercício bom de realizar é apanhar uma caneta e uma folha de papel em branco e anotar tudo o que nos aconteceu de positivo em 2010. Se possível, colar em uma porta do roupeiro, aquela que abrimos todos os dias e, quando estivermos meio deprimidos, nos determos por um tempo, agradecendo à vida e, principalmente a Deus. Isso é uma forma de oração, pois nessa ação sempre pensamos: Graças a Deus que o meu filho conseguiu aquele emprego, graças a Deus minha neta melhorou bastante o comportamento, graças a Deus estou aprendendo a perdoar as pessoas que me fizeram mal (já que não perdoar faz tão mal à saúde). Certa vez eu vivia um problema que parecia sem solução, estava desesperada e caminhava pela Rua Riachuelo, quando escutei uma oração em japonês. Curiosa que sou e como andava assim numa baita pua, entrei e percebi que era um ritual de fim de ano de uns adeptos de uma filosofia de vida japonesa. Lá eu aprendi a desenhar uma árvore, que faço há mais de quarenta anos em dezembro. Nas raízes do lado esquerdo, escrevo o nome do meu pai, abaixo, do pai e da mãe dele; nas raízes do lado direito, escrevo o nome da minha mãe e tenho o mesmo procedimento com avó e avô maternos. Desenho um tronco reto e nos galhos, que costumo numerar, coloco todos os meus desejos e planos para o próximo ano. Geralmente coisas que peço para os meus queridos, mas também peço para mim, sou uma pessoa cheia de esperança. O título, que vai acima da árvore, é Árvore da Prosperidade para 2011 de Maria Clara Prati. Experimentem tudo o que faz bem, principalmente rezar para Jesus, Maria e os santos de sua devoção, além de escutar músicas que transmitam tranquilidade. Quem tiver que passar o Natal sozinho, se gostar de cinema, vá à locadora e faça um estoque de filmes. Não de comédias bobas, de filmes que contem histórias bem contadas e com bons diretores e atores. É bom saber que o mundo está cheio de causas que precisam de nossa participação. Às vezes elas parecem pequenas, é uma vizinha que está se separando, é alguém que perdeu um parente e precisa desabafar. Ouvir quem precisa desabafar não é baixo astral, muito pelo contrário, isso nos faz nos sentirmos úteis e sabermos que vivemos num mundo que é cheio de problemas, mas onde podemos encontrar muito amor e solidariedade. Feliz Natal, Feliz Ano Novo, Feliz Vida!

16/12/2010, 17:04


Uruguaiana, 17/12 a 6 de janeiro de 2011

26

O BEBEDOURO

NAQUELES TEMPOS

Alberto Moura CURIOSIDADES

CAPELA

No local onde hoje está a Igreja do Carmo, havia uma capela que se chamava Nossa Senhora da Conceição. CONTRA MÃO

Até a construção da Ponte Internacional os veículos automotores na Argentina, transitavam na contra mão, isto é, pela esquerda. Com a abertura da ponte mudou a mão pela direita, no país todo. BARÃO DE URUGUAIANA

Moinho Riograndense

Era baiano, formado em direito pela Faculdade de Olinda. Magistrado, deputado em 1843 reelegendo-se várias vezes. Senador, Presidente do Rio Grande do Sul, Ministro da Fazenda e presidente do Conselho de Ministros. Foi ministro da Guerra por duas vezes.

EM ALGUM LUGAR NO PASSADO

Foto da década de 1950, mostra a Rainha do Clube Comercial, Lourdes Surreaux, que deixava o trono para a senhorita Vera Fabrício. As rainhas estão lade-

Quinta 323.p65

26

adas pelos Drs. Mário Valls e Luiz Martins Bastos. Esta foto é mais uma gentileza de nossa colaboradora, Regina Núria Beheregaray.

O Dr. João Fagundes foi o 8o intendente de Uruguaiana na era republicana. O seu mandato seria de 1928 a 1932, mas com o advento da Revolução de 1930, teve o período prorrogado até 1935, quando renunciou. Junto com Fagundes que teve Pedro Surreaux como vice, elegeram-se para o Conselho Municipal os seguintes cidadãos: Antônio Mary Ulrich, José Cândido dos Santos, Nemésio Fabrício, José Câmara Guimarães, Jaime Tarragó, Flodoardo Martins da Silva, Alfredo Lisboa Ribeiro, José Carvalho Peró e Arnaldo Pignone Balvé. João Fagundes realizou uma administração fecunda e progressista. Foi no seu governo a implantação de 25 quilômetros de esgoto cloacal e rede d’água na cidade. Esta obra havia sido projetada na administração de João Câmara Vasques (1908/1912) e contratada na de João Batista Arregui (1924/1928) que, inclusive, contraiu um empréstimo no exterior para a execução da obra, no valor de 513 mil dólares. Fagundes criou o Horto Florestal e a Guarda Municipal. Providenciou, ainda, na remodelação da iluminação pública. Na área da educação construiu nova escolas na cidade e interior do município, destacando-se a Escola Júlio de Castilhos, utilizando o prédio onde havia funcionado a “cadeia velha”. Em outubro de 1928, acabava de ser construído o prédio do Moinho Riograndense, pertencente à firma Stefanel, Cassaretto & Cia. na confluência das rua Benjamin Constant e 28 de setembro, atual Doutor Maia. No largo fronteiro a esse prédio se localizava a primeira estação férrea de Uruguaiana, com seus depósitos de cargas. Centenas de carroças tracionadas por cavalos ou mulas diariamente faziam o transporte de mercadorias no local. O governo municipal sentiu a necessidade da construção de um bebedouro para os animais. O bebedouro custou 3.600$000, dinheiro da época, três mil e seiscentos contos de réis. O fornecimento d’água era feito pelo Moinho, mediante convênio com a intendência. Feito de concreto, o bebedouro possuía, na parte de baixo, uma concha redonda que servia para recipiente da água. Ao seu redor havia uma artística guarda grega e na coluna central, constituída de uma espécie de obelisco de três faces com uma luminária para cada face. Em 1958 o bebedouro foi retirado do local, já que havia se tornado um problema para o trânsito que naquele tempo já era intenso no local. Foi transferido para rua Benjamin Constant, frente onde hoje está o Ginásio Municipal Gilberto Oscar Miranda Schmitt. Alguns anos depois foi removido para o Centro Cultural Dr. Pedro Marini. Hoje o bebedouro se encontra nos parques da Associação Rural, bem conservado o ocupando um lugar de destaque.

16/12/2010, 17:04


Cultura Eleição para Academia Uruguaianense de Letras teve chapa única A Academia Uruguaianense de Letras procedeu na quarta-feira, dia 15 de dezembro, a eleição da sua Diretoria para o biênio 2011/ 2012, contando a chapa única apresentada com os seguintes nomes: Presidente - Ricardo Pereira Duarte; Vice-presidente - Luiz Machado Stabile; Secretário - Gelsa Soares Verdum; Tesoureiro Gennaro Alfano; Diretor do Patrimônio Documental - João Carlos Fonttes; Conselho Fiscal - Daniel Fanti - Fernando Pereira da Silva Filho - Francisco Alves; I - Comissão de Sindicância e Crítica - Luiz Machado Stabile - Rafael Ovídio da Costa Gomes - Sílvio Ay-

mone Genro; II– Comissão de Relações Públicas - Rubens Calliava Montardo Junior Fernando Pereira da Silva Filho - Francisco Alves; III– Comissão de Assessoria Jurídica Gennaro Alfano - Luiz Machado Stabile - Rafael Ovídio da Costa Gomes. A reunião de Assembléia-Geral Ordinária estatutária aconteu às 18 horas na Biblioteca Pública Municipal Luiz do Prado Veppo e marcou o encerramento de atividades para o presente ano de 2010, reiniciando as atividades da Academia em março de 2011, após o recesso legal, quando será dada a posse festiva dos eleitos.

O CLUBE DA ESQUINA Álvaro Guez Velo CHICO BUARQUE – O ÚLTIMO GÊNIO

onadas por comissões julgadoras formadas por professores, escritores e sindicalistas em cada um dos municípios participantes. A promoção é alusiva ao Dia do Comerciário, comemorado em 30 de outubro, desde 1932, oportunidade em que foi publicado no Diário Oficial da União o decreto-lei 4.042/32, que regulamentou a jornada de trabalho, reduzindo a carga horária de 12 horas diárias para 8 horas. A nossa representante, Adriana Falcão Trindade, narrou, com muito humor e talento uma experiência vivenciada em 1986, na loja A Liquidatária, que vale ser conferida na página 102.

Lançamento de livro jurídico

na Biblioteca Municipal Prado Veppo. Compareceram muitos colegas, pessoas ligadas ao Direito em geral e amigos, tornando o coquetel de lançamento um local de conversas muito entusiasmadas.

Exposição Outono no Rio Grande do Sul pode ser visitada até 06 de janeiro Com entrada franca, a exposição Outono no Rio Grande do Sul poderá ser visitada até dia 06 de janeiro, das 9h às 21h e, aos sábados, das 14h às 19h no Sesc Uruguaiana (Rua Flores da Cunha, 1984). A mostra itinerante é “O Outono no Rio Grande do Sul” é resultante do VI Concurso Sesc de Fotografias.

Quinta 323.p65

27

Oswaldo Cruz e Matriz Que sempre souberam muito bem Que a Vila Não quer abafar ninguém, Só quer mostrar que faz samba também!

• O engenheiro químico Ivan Lins é, certamente, um dos maiores na história da música brasileira. Nascido no Rio, Ivan foi bem influenciado pelo pai, um militar apaixonado por marchas marciais, Jazz e Soul. Segundo uma pesquisa da revista Rolling Stone, Ivan Lins é o brasileiro mais respeitado no meio da música mundial. Compositor de canções belíssimas, o pianista é famoso É verdade que vivemos uma fase, já há tempos, de entressafra e falta de luminosidade de nossos grandes compositores, mas seria um crime esquecermos de alguns deles. O carioca Francisco Buarque de Holanda é o maior exemplo disso, pois, quanto mais o escuto, mais gosto, e mais descubro poesia e genialidade em seus versos, nos sambas, e em quase toda sua obra em geral. Graças a uma famosa editora, Chico está sendo mostrado em CDs nos quais, além das magníficas faixas, o público é também premiado com encartes que contam a história das músicas e da época em que elas foram compostas. Este é um grande presente de Natal, para nós, para nossos filhos e para nossos amigos. NOEL ROSA – O MAIOR GÊNIO

Dr. Cássio de Castro, Juiz da 2ª Vara Criminal de Uruguaiana, teve o livro intitulado Temas de Ciências Penais: na perspectiva neoconstitucional” lançado pela Editora Verbo Jurídico de POA no dia 15, às 18h30min,

alvaroguez@hotmail.com

IVAN LINS – O PREFERIDO DE CIDE GÜEZ

Coletânea resultante do Prêmio Comerciário do Ano está disponível no Sesc Uruguaiana Chegou ao jornal Momento de Uruguaiana o livro Era Uma Vez no Comércio, edição 2010, produto do Prêmio Comerciário do Ano do qual, em Uruguaiana, saiu vitoriosa Adriana Falcão Trindade, da empresa Sensor Comércio de Peças e Equipamentos Industriais. Iniciativa do Arte Sesc – Cultura por toda parte, o concurso consistiu da elaboração de um texto em prosa contando uma experiência interessante, de humor, marcante no ambiente de trabalho do comerciário. O resultado do concurso é um belíssimo livro colorido e ilustrado, com 120 páginas que contêm cinquenta e duas histórias seleci-

27

Uruguaiana, 17/12 a 6 de janeiro de 2011

Se alguém fosse falar sobre a vida de Noel Rosa, deveria começar assim: Essa é a história de um homem que realizou uma grande obra genial, com apenas 26 anos. Noel de Medeiros Rosa faria cem anos no último dia onze, ele era o poeta da Vila, o poeta do samba, dos pobres, dos ricos e dos iluminados, sua capacidade de criação e improviso era imensurável. Certa vez alguém entrou em um botequim exaltando várias escolas de samba, mas não mencionou a Vila Isabel. Noel Rosa prontamente lhe respondeu com um samba que começava assim: Quem é você que não sabe o que diz? Meu Deus do Céu, que palpite infeliz! Salve Estácio, Salgueiro, Mangueira,

16/12/2010, 17:04

por sua harmonia irreparável, assim, até hoje segue lotando shows nos Estados Unidos e na Europa. Quem me mostrou Ivan Lins pela primeira vez foi o maestro Cide Güez, grande admirador do pianista carioca. Quem ouviu jamais irá esquecer as noites no Bardo Cide, em que Cide interpretava Ivan Lins como ninguém. Hoje, infelizmente, o Bardo e seu maestro só estão presentes nas nossas boas lembranças. Ah, grandes noites aquelas! SIRI CASCUDO - O SABOR DA CIDADE Almoço e Jantar - Viandas, Marmitex e Almoço, a partir de R$5,00. Saborosos Cheeseburgers, Pizzas, Hot Dogs, Picados e Porções. Na Rua XV de Novembro n° 2143 – Fone: 3413 6474

2010 E 2011

Gostaria de agradecer aos leitores que me acompanharam durante o ano de 2010, espero ter levado boas informações e boas histórias sobre música. Assim como John Lennon escreveu em sua música, desejo a todos: Um Natal Muito Feliz, e um Feliz Ano Novo!!!


Poesia CEIA DE NA NATTAL (Ligia Chisté)

É ceia de Natal, é burburinho. O capinzinho seco, amarelinho, também enfeita, a mesa de renda. No castiçal, tremula a vela, a luz, a baixela. A eletrônica, comanda, ensurdece, nada ou tudo acontece, e juntos brindam entornam taças de cristal. Numa agitação um vai, outro vem, com direção, com marcação teatral: do maior ao menor. Geral. O capinzinho de repente, desbota entristece. Até que... uma cantata, ao aniversariante, levemente soou, “... um filho se nos deu ... ... Pai da Eternidade, Príncipe da Paz...” Tocou, deu sinal. O amor venceu! Jesus nasceu!

Artistas conversam informalmente sobre seus processos de criação Maria do Horto Bastos Kuhn, que já teve uma longa fase pintando tramas, trançados, cercas, está agora passando por um período dedicado às cadeiras. Instigante a enorme tela onde aparecem três cadeiras azuis, uma de frente para a outra e a terceira, distante, de costas. Segundo Marreca a forma e cor delas são inspiradas naquelas utilizadas no Colégio do Horto do seu tempo. Ela também trabalha com muitos padrões de mosaicos no seu trabalho minucioso e inquietante, resultante de muita pesquisa da obra de artistas como Gaudi e horas de trabalho solitário de experimentação no ateliê. Zenaira Machado agora investe algum tempo diário na atualização do seu blog de poesia. Conta ela em off que até 2008 escrevia “escondida”. Como toda a pessoa exigente, Zaina sentia-se insegura para submeter seus poemas a críticas. Hoje ela se expõe e tem grande apoio da família, pelo que temos observado, pois quando autografa as antologias das quais participa está sempre acompanhada de boa parte dela. Zenaira também escreve crônicas, recentemente publicou uma delas no Momento de Uruguaiana. Mas o importante é que Zenaira está em processo de descoberta de autores e está se expondo através de sua escrita poética.

Parte do acervo da galeria Graffiti

Artísta Plástica Maria do Horto Bastos Kuhn e poeta Zenaira Machado

Tela de Rogério Severo da Mostra Transparências

Feliz Natal Tela do argentino Maximo Arias

Quinta 323.p65

28

Telas de Soriano e Rogério Severo

16/12/2010, 17:04


Jornal Momento de Uruguaiana