Issuu on Google+

Uruguaiana, de 3 a 9 de dezembro de 2010 - Ano VI nº 321 Uruguaiana - Barra do Quaraí e Paso de los Libres - Visite nosso site: www.jornalmomentodeuruguaiana.com.br

R$ 2,00

Formalizada vitória da Odebrecht para prestação dos serviços de água e esgotamento sanitário

A empresa privada deverá permanecer por 30 anos no município. Agora, as outras concorrentes têm cinco dias de prazo para apresentarem, se julgarem pertinente, alguma impugnação. PÁGINA 4 RURAL CNA traça proposições para a nova política agrícola brasileira PÁGINA 10

Remate Integração Ideal confirmou o bom momento da ovinocultura PÁGINA 11

28º Remate Conjunto Corriedale fechou o circuito de leilões de primavera PÁGINA 11

Diretores eleitos da UERGS são designados para seus cargos

Grande manifestação de estudantes, professores e profissionais da Saúde assinala o Dia Mundial de Luta contra a AIDS

PÁGINA 6

PÁGINA 21

Comissão da AL quer aprovação urgente de projeto que autoriza Zonas Francas na fronteira PÁGINA 8

Audiência pública discutiu problemas do IPE na Câmara Municipal PÁGINA 4

Quinta 321.p65

1

SEGURANÇA

Enquadrado na Maria da Penha

Setores do Comércio Exterior reivindicam melhorias nas vias de acesso ao Porto Seco

PÁGINA 17

PM temporário preso vendendo arma PÁGINA 17

PÁGINA 16

03/12/2010, 09:12


Uruguaiana, 3 a 9 de dezembro de 2010

Abertura A Frase Se o governo municipal está com sobra de caixa, por que o Município está novamente no CADIN?

A criação do Foro de Integração para o fortalecimento do ponto de fronteira Paso de Los Libres/Uruguaiana. Os órgãos e entidades pertencentes ao Foro já se reuniram por duas vezes buscando resolver os entraves existentes nas aduanas vizinhas, Brasil e Argentina. Nas reuniões, são discutidos procedimentos e possíveis soluções a serem solicitadas aos administradores das Aduanas (AFIPI em Libres e Receita Federal em Uruguaiana) para minimizar os problemas que há anos assolam nossa fronteira.

As periferias de cinco das nove principais regiões metropolitanas brasileiras cresceram, em termos populacionais, a percentuais superiores aos de suas próprias capitais e até mesmo da média nacional. O dado consta de um levantamento que o Instituto de Pesquisas Econômicas Aplicadas - Ipea divulgou a partir dos números do Censo 2010. A análise revelou a dinâmica de crescimento das regiões metropolitanas de Belém, Belo Horizonte, Curitiba, Fortaleza, Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro, Salvador e São Paulo. Isto demonstra que as capitais tem índices inferiores de aumento populacional em comparação com suas periferias. Em todas elas, à exceção do Rio de Janeiro, as taxas das áreas periféricas se sobrepõem às das capitais. Sabe-se que é nas periferias das grandes cidades que reside a população mais carente, grande parte oriunda de regiões interioranas dos Estados onde não há emprego. Portanto, o número daqueles que mais necessitam da ajuda do Estado para sobreviver segue em crescimento descontrolado no Brasil.

Radar

“Em alguns meses, os negócios do tráfico serão retomados, muito provavelmente pelas milícias. As milícias são formadas por policiais assassinos e ladrões; contra estes o governo do Estado nada faz”. (Marcos Rolim)

Editorial O Rio Grande do Sul possui o melhor índice de qualidade no aprendizado no país. Uma boa notícia? Ledo engano. Detém o título pelo simples fato de ter conseguido a “façanha” de fazer com que 19,4% do total de seus estudantes, somadas as redes pública e privada, obtivessem um conhecimento compatível aos concluintes do ensino médio. No Brasil, a média é ainda pior. De cada 100 alunos matriculados no último ano do ensino médio, apenas 11 aprendem o esperado, após a conclusão desta fase escolar. A pior situação é a do Maranhão, Estado mais miserável do país e feudo da família Sarney (no poder desde a época da ditadura militar), onde apenas 4,3% atingem os conhecimentos esperados. Os dados são do relatório “De olho nas Metas”, feito anualmente pela Ong Todos Pela Educação. O grupo criou cinco metas para acompanhar a escolaridade no Brasil: acesso, alfabetização até os 8 anos de idade, aprendizado adequado à série, conclusão na idade correta, financiamento e gestão da educação. Isso significa que 89% das nossas crianças estão concluindo a edu-

cação básica sem aprender o mínimo necessário para seu crescimento profissional no mundo moderno. Alunos que concluem o ensino básico sem uma alfabetização completa e sem as noções mínimas de matemática são uma constante, segundo o relatório da organização. Além disto, a Ong constatou que 3,7 milhões de crianças ainda estão fora da escola. Portanto, a educação não está fazendo seu papel de criar mobilidade social no país. Enquanto isto, no Congresso, como se vivêssemos num país sem problemas com a educação básica tramitam diversos projetos tornando obrigatórios os estudos de xadrez, cultura afro, música e até mesmo tupi-guarani nas escolas de ensino básico. Para que haja uma verdadeira mobilidade social no país, urge uma reforma do ensino. Não podemos perder mais tempo. Países que corrigiram seus sistemas educacionais e investiram de maneira adequada na educação, como Coréia do Sul e Taiwan, conseguiram em poucas décadas alcançar um desenvolvimento sócioeconômico semelhante ao da Europa ocidental. Está na hora de imitarmos o que deu certo.

COLABORADORES: Alberto Moura, Wolmer Jardim, Dudu Ferreira, Nei Duclós, José Édil de Lima Alves, Frank Finoqueto, Colmar Duarte, Tunico Fagundes, Joel Neimann Lopes, Alvaro Guez Velo, André Guerin, Newton Alvim, Vera Ione Molina Silva, Guilherme Socias Villela, Luiz Barbará Dias Jr., Elder Filho e Lúcia Silva e Silva.

O Jornal Momento de Uruguaiana não se responsabiliza pelas opiniões emitidas nas colunas assinadas por seus colaboradoes

2

BINGO BENEFICENTE Dia 06/12, às 20h30min, no Orion Clube, bingo beneficente em prol da menina Marina Moreira (3 anos) que se encontra em tratamento no Hospital Universitário, em Santa Maria. Valor da cartela: 2 por R$ 5,00; 5 X R$ 10,00. Premiação – 1 fardo de refrigerante; 1 fardo de cerveja em lata; 5kg de coxa; 5Kg de salsichão, 1 cafeteira; 1 edredon; 5Kg de costela; 01 ventilador; meia ovelha e uma bolsa de carvão; meia ovelha, uma bolsa de carvão e 1 fardo de cerveja em lata. Contatos pelo telefone 8136-8439 com João Pedro Carrazoni Moreira. EMPREENDEDOR De 6 a 10 de dezembro, o SEBRAE, em parceria com a Prefeitura Municipal de Uruguaiana, realizará, em frente ao Mercado Público Municipal, exposição alusiva à Semana de Formalização do Empreendedor Municipal. Solicite informações em horário comercial, na Agência Municipal de Empregos, na Rua XV de Novembro, esquina Presidente Vargas, ou pelo telefone 3412-6669. OPERAÇÃO PAPAI NOEL Na terça-feira, 30, o Tenente Coronel Arlindo Filadelfo Alves de Araújo Rego, comandante do 1º BPAF, participou do CDL 12 horas, onde apresentou a Operação Papai Noel 2010 aos lojistas e autoridades presentes. Na oportunidade, foram expostas as metas do 1ºBPAF para que o período que antecede as festas de final de ano seja mais seguro para os comerciantes e para os clientes. UNIPAMPA A Unipampa oferece Especialização em Desenvolvimento de Regiões de Fronteira. As inscrições estão abertas desde 2 de dezembro. O curso será desenvolvido no Campus Santana do Livramento. A seleção dos alunos encerra no dia 7 de janeiro de 2011. As aulas serão quinzenais, sextas-feiras à noite e aos sábados pela manhã e à tarde, na sede do Campus. Serão oferecidas 33 vagas. O edital indica que graduados em qualquer área podem se habilitar a uma vaga. Concluintes também podem se inscrever para disputar uma vaga, mediante a apresentação de uma Declaração de Provável Formando. O processo seletivo está definido no edital, em http://cursos.unipampa.edu.br/ cursos/pgdrf/files/2010/11/Edital_147-2010_11.pdf.

Rua Duque de Caxias, Gal. Barcelona - S/17 CEP 97.510-180 – Uruguaiana RS Redação e Administrativo: 3414-2814 Comercial e Assinaturas: 3402-3614 e-mail:momentodeuruguaiana@gmail.com contato@jornalmomentodeuruguaiana.com.br Editor: Ricardo Peró Job (MTB 14010) Diretora Adm.: Vera Ione Molina (MTB 14344) Diagramador: Marcio Lopes (9928-5414) Impressão: Jornal do Povo - Cachoeira do Sul

Quinta 321.p65

2

03/12/2010, 09:12


Uruguaiana, 3 a 9 de dezembro de 2010

3

Rixas que são rotineiras PONTO LIVRE Wolmer Jardim

Crônica de uma licitação anunciada

Falando em rixa, a mais recente desinteligência do prefeito teria acontecido com o médico Luiz Antonio Marty. As informações são de que Sanchotene Felice teria sido destemperado em suas manifestações, chegando a descer para o campo da ofensa pessoal. Primeiramente, torço para que assim não tenha sido o episódio, mas dele não duvido, diante do histórico de destemperos dos quais por vezes o chefe do Executivo é acometido. Terá de haver alguma motivação pessoal muito significativa que explique a sistemática ojeriza do prefeito para com integran-

tes da classe médica. Talvez a elucidação desse mistério possa acontecer sob a ótica da psicologia. À luz da normalidade não se vê guarida a tal pendor ao confronto e ao desmerecimento. Insondáveis meandros mentais talvez tenham de ser deslindados até que se chegue às razões objetivas que justifiquem tantas e tão sistemáticas arremetidas contra uma categoria profissional. No caso específico, acho pouco provável que tenha partido do doutor Marty a iniciativa da agressividade, pois quem o conhece como cidadão e profissional sabe-o incapaz de grosserias de qualquer jaez.

O jujo é recomendável O prefeito já manteve atritos com boa parte dos médicos que integram a Unimed de Uruguaiana, desentendeu-se com outros tantos profissionais da Santa Casa e, mais recentemente, ampliou o território de suas desavenças ao conflitar-se com o Sindicato Médico do Rio Grande do Sul, na pessoa de seu

Assim pode ser resumido o desfecho das tratativas quanto à concessão para exploração dos serviços de água e esgotos em Uruguaiana. Desde quando o Executivo municipal há tempos denunciou o contrato com a Corsan, tornou-se voz geral na cidade que a empresa

Odebrecht Engenharia e Construção seria mais adiante a detentora do serviço, o que agora se confirmou. O teor destas observações não vão além da constatação do fato, pura e simplesmente. É de se imaginar que o processo de licitação tenha transcorrido em clima

da mais absoluta transparência, até porque fiquei sabendo que da parte final dos trabalhos participou o engenheiro Ordoque, homem acima de qualquer suspeita e cidadão inatacável, como inatacáveis parecem ser os demais que cuidaram dos trâmites, em nível do Executivo.

Uruguaiana que abra o olho Agora é ficar atento para ver se todos os compromissos assumidos pela empresa perante o município serão efetivamente cumpridos. Cacife a Odebrecht possui para levar adiante a empreitada, além de know-how, adquirido principalmente no interior de São Paulo. Caberá à Oposição na Câmara Municipal importante papel fiscalizatório, como é de sua obrigação constitucional, para ver respeitados e atendidos os interesses dos consumidores. Afinal, uma das razões apontadas pelo prefeito Felice para não renovar o contrato com a Corsan foi o fato de a Companhia sistematicamente haver deixado de cumprir com suas obrigações, especialmente no que se refere à

Quinta 321.p65

3

expansão da rede de esgotamento. O importante é saber se os prazos e os investimentos serão respeitados. É bom lembrar que em cerca de dois anos a Prefeitura mudará de comando e não se tem, obviamente, nenhuma certeza de que o futuro mandatário municipal terá o mesmo interesse em torno do assunto, como agora demonstra Sanchotene. Porém a questão é de tal magnitude que, repito, caberá ao conjunto da sociedade ficar atento para que se salvaguardem seus interesses e que o resultado final dessa drástica e dramática mudança venha em seu benefício e não configure apenas o desfecho de uma rixa entre o prefeito e a Corsan.

presidente Paulo Argolo. A rigor, o prefeito só não teve atritos com a dupla de irmãos que veio de Santa Cruz do Sul e cuja passagem por Uruguaiana foi marcada por insólitos fatos, incluindo uma reafirmada denúncia de tráfico de armas. Da forma como tem facilidade para brigar com médi-

cos, seria de bom alvitre que o prefeito providenciasse em um substancial estoque de ervas medicinais, para diferentes necessidades. Isto porque se, desgraçadamente, vier a acontecerlhe o que ninguém deseja e ele precise de medicação, imagino ser recomendável que ele se socorra exclusivamente de jujos.

Confraria mudou e patrono foi junto Lastimavelmente perdi a festança da última segunda-feira na Confraria do Funcho, quando foi adequada e merecidamente comemorado o aniversário do confrade Willy Ramos. Segundo me informa Alberto Moura, aconteceu uma das mais memoráveis sessões etílico-artístico-gastronômicas do grupo. Dezenas de pessoas participaram, e Willy, que não se notabiliza por possuir expressiva envergadura vertical, foi de fato pequeno para tantos abraços. Alberto, por sinal, me informa que a Con-

Paradoxo Moacyr Scliar cuida frequentemente de nomes que se atrelam ao destino e Alegrete acaba de dar um exemplo nesse sentido. Acontece que da nova leva de delegados, a cúpula policial gaúcha mandou para esta cidade com a missão de evitar a venda e o consumo da “erva” ninguém mais que um delegado de sobrenome Vier.

fraria do Funcho mudou de sede, após vários anos funcionando em um mesmo local. Está agora no Bar da Beth, que não fica tão longe assim da sede antiga, apenas mais próximo do Rio Uruguai. Naturalmente que na mudança a Confraria carregou junto o espírito do patrono, pois Funcho não abriria mão de seguir conosco, nem nós de tê-lo permanentemente em nossos fraternais convescotes. Neste sábado uma pucherada de enorme potencial explosivo será servida, batizada por Gordo Villela com o sugestivo nome de Pucherada do Complexo do Alemão.

Argentinos seguem sendo inconfiáveis Não adianta, argentino é mesmo inconfiável. Justamente agora quando imaginávamos que o Independiente iria patrolar o sofrível time do Goiás, os hermanos vêm ao Brasil e proporcionam uma exibição fiasquenta, deplorável, a ponto de permitir ao adversário um escore bastante vantajoso. Dessa forma, acho que caberá mesmo ao Grêmio contentarse com a Sulamericana. Libertadores novamente só em 2012. Já o Internacional está com o coração e a mente voltados para os Emirados. Na ânsia permanente que os colorados têm de superarem os feitos gremistas, eles sonham com o bicampeonato mundial. Pelo que tenho ouvido dizer, não será tarefa tão difícil assim. Os adversários anunciados andam todos de mal a pior. A confiança no título é tanta que a maior preocupação dos vermelhos, nesta altura, é saber quem será o novo Gabiru. Um palpite: será Andrezinho (convenhamos, trata-se de um Gabiru melhorado).

03/12/2010, 09:13


Política O DANO MORAL DESMORALIZADO Por Frank Finoqueto - Advogado Surgiu com a Constituição de 1988, como primado do Estado Democrático de Direito, em grau elevado de importância, na valoração e proteção aos cidadãos e à pessoa jurídica, a tutela aos chamados direitos da personalidade, entre eles a criação de mecanismos jurídicos de proteção à honradignidade das pessoas, sendo assim, disposto que seriam amparadas pela legislação, a intimidade, a vida privada, a honra e a imagem das pessoas. Então, na década de 90, entrou em ebulição a pesquisa da ciência do direito, propondo até a criação de uma teoria geral dos direitos da personalidade, em vista que o mundo pós-guerra favorecia o ‘Ser’ e não o ‘Ter’ monetarista, dado a importância do tema. Surgiram então, as decisões judiciais no cenário nacional das reparações (indenizações) contra os que maltratavam os direitos da honra-dignidade das pessoas físicas e jurídicas. Nesta mesma ordem de tempo, surgiu o Estatuto que protegeria os direitos do Consumidor, micro-sistema de leis que amparariam e regulariam os direitos dos consumidores deste país. Assim tudo parecia evoluir civilizadamente no rumo do aperfeiçoamento das relações sociais. Passou-se o tempo, e atualmente o que se vê é a falência, o falecimento deste instituto jurídico, que tinha por finalidade dois aspectos maiores: a) o de ressarcir alguém de maneira justa que foi atingido indevidamente na sua esfera da honra-dignidade; b) o de firmar o caráter pedagógico com a indenização ao agente causador da conduta danosa, para que este agente, ao ter invadido seu patrimônio, não voltasse a praticar tal conduta lesiva. Entrou em cena, como em tudo que mexe nos interesses dos grandes grupos econômicos deste país, mecanismos de pronta aniquilação do instrumento jurídico de proteção aos cidadãos. O Judiciário que presta a jurisdição, o de condenar aqueles que desobedecem e contrariam as proteções legais, invadindo indevidamente a esfera da honra-dignidade das pessoas; são esses agentes agora, premiados, brindados por reparações risíveis, ridículas que fugiram por completamente das finalidades do mecanismo jurídico de proteção aos bens extrapatrimoniais das pessoas atingidas. Os interesses econômicos conseguiram criar um antídoto político, se intrometendo na política judiciária, que atualmente as indenizações dos danos morais, caíram completamente no menosprezo, principalmente no momento de aquilatar as indenizações. Nos Juizados Especiais, antes nominados de Pequenas Causas, as Turmas Recursais criaram um teto padrão para as indenizações, o mesmo acontece nas Câmaras dos Tribunais Regionais, e nas Cortes Superiores. Enfim, o poder econômico terminou por implodir um Instituto jurídico sério, ultrajando um sistema legal estabelecido na Lei Maior e, de suma importância para o avanço das relações sociais desta nação. E mais, o artifício do poder econômico se tornou tão letal a finalidade social do instituto jurídico protetivo das pessoas, que há uma previsibilidade contábil das empresas frente à realidade das decisões judiciais padronizadas e depreciativas aos comuns, sob o argumento que se tornou banal a veiculação do dano moral no Judiciário. Muito embora, se há a massificação do dano moral em juízo, só existe tal prática, em vista de haver fartura do desrespeito aos direitos da personalidade nesta economia de mercado. Mais uma vez, verificamos que estamos na contramão do avanço social, e na direção do nefasto e infeliz ‘retrocesso social’ político, diante do Poder econômico e seus interesses, que em tudo, lança seus tentáculos, sobrepujando o sistema das leis, o princípio da legalidade que deveria trazer segurança às relações socais e aos interesses públicos deste país. Mas não. Configurou-se novamente, a vitória manifesta do ‘Ter’ sobre o ‘Ser’.

Quinta 321.p65

4

Uruguaiana, 3 a 9 de dezembro de 2010

4

Formalizada vitória da Odebrecht para prestação dos serviços de abastecimento de água potável e esgotamento sanitário em Uruguaiana A empresa privada deverá permanecer por 30 anos no município. Agora, as outras concorrentes têm cinco dias de prazo para apresentarem, se julgarem pertinente, alguma impugnação.

Na quarta-feira, 1º de dezembro, o processo licitatório que visa à outorga da concessão da prestação dos serviços públicos de abastecimento de água potável e esgotamento sanitário do município de Uruguaiana foi concluído. Segundo boletim da Prefeitura, após análise, foram concedidas as seguintes notas: Nota Técnica Foz de Uruguaiana obteve 834 pontos, CAB Galvão somou 706 pontos, e Christiani-Nielsen Engenharia totalizou 621 pontos. A Nota Comercial foi de 100 pontos para Foz de Uruguaiana; 99 para o Consórcio CAB/ Galvão, e 99 para a empresa carioca Christiani Nielsen Engenharia S/A. A Nota Final foi de 88,38 para o consórcio Consórcio Foz de Uruguaiana/ Odebrecht Serviços de Engenharia e Construção; 79,12 para o Consórcio CAB Ambiental e Galvão Construtora; e 73,17 para a empresa Christiani Nielsen Engenharia S/A. Todas as empresas estiveram representadas e acompanharam todos os procedimentos. A Comissão Municipal de Licitação foi presidida pelo advoga-

do Hélvio Kotz e composta pelos servidores Everton Barragan e Júlio Adornes Jacques. A empresa vencedora – Consórcio Foz de Uruguaiana/Odebrecht Serviços de Engenharia e Construção, deverá investir R$ 160 milhões em Uruguaiana, universalizar os serviços de esgoto em até 5 anos, pagar taxa de outorga de R$ 16 milhões à Prefeitura Municipal de Uruguaiana, conceder desconto de 14% nos

preços que eram praticados pela Corsan, apresentar garantia contratual de R$ 70 milhões, e substituir toda rede de água e os hidrômetros. Agora, as empresas têm cinco dias de prazo para apresentarem, se julgarem pertinente, alguma impugnação. Decorrido este prazo, o prefeito Sanchotene Felice homologará o processo, dando 30 dias de prazo para que a empresa vencedora assine o contrato.

Audiência pública discutiu problemas do IPE na Câmara Municipal A Câmara Municipal de Uruguaiana promoveu audiência pública na quarta-feira, 01, no plenário da Casa Legislativa para discutir as deficiências na oferta de especialidades

médicas e a contribuição de inativos, entre outros temas relativos ao Instituto de Previdência do Estado -IPE. O evento foi proposto pelo vereador José Clemente Corrêa (PT) e foram

03/12/2010, 09:13

convidados a participar da audiência o responsável pela Divisão de Assistência Médica, o chefe do escritório local do IPE e o diretor presidente do instituto.


Geral

Uruguaiana, 3 a 9 de dezembro de 2010

Brincadeira tradicional entre formandos do ensino médio leva direção a chamar a BM

5

A TÊNUE DIFERENÇA ENTRE A RELAÇÃO DE EMPREGO E A REPRESENTAÇÃO COMERCIAL POR NATHALIE SUDBRACK DA GAMA E SILVA BELMONTE - OAB/RS 62.305

Na hora do almoço, a direção e o setor admistrativo permaneceram dentro da escola com policiais guardando a porta

Na manhã de terça-feira, 30, por volta das 12h, alunos do terceiro ano do ensino médio do Colégio Marista Sant’Ana estavam comemorando sua formatura através da antiga brincadeira do jogo de bexiguinhas e farinha, quando foram surpreendidos por policiais que foram acionados pela direção da escola para desfazer a junção. Conta um dos estudantes que alguns deles foram “agarrados por um braço” para que deixassem o grupo. Segundo uma mãe que correu para a escola quando soube da presença da Brigada Militar, “a direção está revoltada porque tomou medidas muito brandas em casos mais graves e agora está descontando nos outros alunos”. Depois que os estudantes se retiraram, mais policiais chegaram de motocicleta, juntamente com um táxi, de onde desceram pessoas que os alunos informaram fazerem parte do setor administrativo. A direção permaneceu fechada na escola durante o horário do almoço. Os mesmos alunos que chamaram a reportagem do jornal Momento de Uruguaiana pediram para não serem citados, nem mesmo suas iniciais, por temerem represálias. Às 17h nos dirigimos à escola e fomos recebidos pela diretora Marisa Crivelaro, acompanhada de sua assessora de comunicação, Renata.

Segundo a diretora, na semana passada os estudantes já haviam feito essa brincadeira, a seu ver, bastante perigosa para os outros alunos, pois “o jogo de bexiguinhas foi muito forte e provocou muita correria, inclusive causando transtorno para pais e crianças menores. Uma mãe foi acertada nos óculos, uma menina da sexta série, ao correr, derrubou seu telefone celular, que foi quebrado, além de automóveis terem sido atingidos nos vidros”. Marisa Crivelaro diz que este incidente não tem nenhuma relação com nenhum outro. O termo “expulsão”, segundo ela, não é mais utilizado nas escolas modernas. No incidente que levou alunos, pais e professores a passarem a utilizar uma porta lateral para terem acesso à escola, ela ofereceu

transferência para os alunos. Aquele que entrou com recurso e obteve liminar permaneceu na escola, pois a ela só caberia acatar a ordem judicial, “o outro tem visitado a escola, os colegas, entrando em horário de funcionamento”. A diretora esclarece que chamou, juntamente com a BM, o Conselho Tutelar, para garantir a segurança e o direito de ir e vir dos alunos que não participavam da brincadeira, dos pais, professores e funcionários e, ainda assim, recebeu reclamação de uma mãe que não admitia estar sua filha ou filho de dez anos (as 6ªs séries estudam de manhã) correndo risco de ser atingido ou sofrer um acidente naquela hora em que o trânsito em frente à escola fica bastante congestionado.

A doutrina é uníssona quando entende que a distinção entre o contrato de trabalho e o contrato de representação comercial, no plano fático, é extremamente difícil, porquanto a atividade do empregado se assemelha em quase tudo à do representante comercial. Com efeito, a atividade deste é essencial à consecução dos fins perseguidos pela empresa representada, sendo, por definição legal, não eventual (art. 1º da Lei n. 4.886/65) e, em regra geral, sujeita a controle, aproximando-se à situação dos vendedores empregados com serviço externo e sem sujeição de horário. Do contrato de representação se pode verificar, de forma plena, todos os elementos caracterizadores do vínculo de emprego, como a pessoalidade, a não-eventualidade, a contraprestação e, em alguns aspectos, até mesmo a subordinação. A distinção exsurge, muitas vezes, do gozo de características exclusivas do representante comercial, como a autonomia e a liberdade e, como defendido por alguns, o elevado percentual da comissão percebida. O representante autônomo pode ser caracterizado, ainda, pelo desenvolvimento do negócio às suas expensas e risco, enquanto o empregado é assim definido, principalmente, por estar subordinado ao empregador. Todavia, o que distingue, verdadeiramente, o contrato de emprego do contrato de representação comercial autônomo é a subordinação, que consiste na sujeição do trabalhador às ordens do empregador que orienta, controla e determina como o serviço deve ser prestado, subordinação esta que assume caráter jurídico, do qual decorre o poder diretivo do empregador que legitima as advertências, as suspensões e, até mesmo, a despedida por justo motivo. A Lei nº 4.886, de 09-12-65, define o representante comercial autônomo como "a pessoa jurídica ou a pessoa física, sem relação de emprego, que desempenha em caráter não eventual por conta de uma ou mais pessoas, a mediação para realização de negócios mercantis, agenciando propostas ou pedidos, para transmiti-los aos representados, praticando ou não atos relacionados com a execução dos negócios". A mesma lei dispõe, ainda, em seu art. 28, que é dever do representante promover os produtos e expandir os negócios da representada e, quando solicitado, fornecer informações detalhadas sobre o andamento dos negócios a seu cargo, o que significa dizer que há uma espécie de subordinação entre o representante e a representada, embora não tão acentuada como a do empregado e empregador, além de o representante desenvolver atividade diretamente relacionada com a atividade econômica da representada. Portanto, haja vista esta sutil distinção entre relação de emprego e representação comercial é que as partes envolvidas neste tipo de contrato devem ficar atentas, pois as conseqüências e direitos previstos nestas relações são bem diferentes!

Porta em conserto, alunos, professores, pais e visitantes estão utilizando a porta lateral

Câmara realiza sessão especial em solidariedade ao povo palestino Por proposição do vereador José Clemente Corrêa (PT) a Câmara de Vereadores realizou uma sessão especial, na terça-feira, 30, em comemoração ao Dia Internacional de Solidariedade ao Povo Palestino. A sessão contou com a presença dos representantes da comunidade árabe-palestina e da Sociedade Beneficente Árabe-Palestina Brasileira de Uruguaiana. O dia internacional de solidariedade aos palestinos é comemorado em todo o mundo desde 1977, quando a Organização das Nações Unidas decidiu declarar o dia 29 de novembro como dia de reflexão sobre a diáspora palestina e a situação dos refugiados palestinos dos territórios ocupados por Israel no Oriente Médio. O vereador Clemente lembrou a contribuição da comunidade árabe-palestina para o desenvolvimento do município, principalmente no setor do comércio e de supermercados. O vereador e o presidente da Câmara Municipal, Adalberto Silva (PP) fez a entrega de um certifi-

Quinta 321.p65

5

cado ao presidente da Sociedade Beneficente Árabe-Palestina Brasileira, Read Barakat Mahamad Jaber, em reconhecimento aos serviços prestados pela entidade à cidade de Uruguaiana. Barakat presenteou com um lenço típico da Palestina cada um dos vereadores e agradeceu a homenagem e a demonstração de solidariedade prestada pela Câmara Municipal.

no Município de Uruguaiana, com atuação nas seguintes áreas do Direito: Cível, Contratual, Trabalhista, Agrário, Internacional e Ambiental. CLÁUDIO PETRINI BELMONTE - OAB/RS 42.579 - Professor Universitário (Dir. Contratual, Dir. Agrário e Dir. Internacional); - Mestre pela Universidade de Coimbra (Portugal); - Doutorando pela Universidade de Salamanca (Espanha). NATHALIE SUDBRACK DA GAMA E SILVA BELMONTE - OAB/RS 62.305 - Especialista em Direito e Processo do Trabalho (PUC – POA/RS) Porto Alegre/RS: Av. Loureiro da Silva, n° 2.001, sala 515, CEP 90050-240, Fone: 55 51 3225-3178 Uruguaiana/RS: Rua Gal. Bento Martins, n° 2.497, sala 1.502, CEP 97510-001, Fone: 55 55 3402-3733 Itaqui/RS: Rua Rodrigues Lima, n° 376, sala 602, CEP 97650-000, Fones: 55 55 3433-1626 / 2650 www.belmonteadvogados.com.br

03/12/2010, 09:13


Geral JORNALISMO LITERÁRIO Por Nei Duclós

Uruguaiana, 3 a 9 de dezembro de 2010

Grande manifestação de estudantes, professores e profissionais da Saúde assinalam o Dia Mundial de Luta contra a AIDS

Ação militar “purga” pecados civis Lembro bem de 1964. O Bem, representado por carolas, reacionários e anti-trabalhistas tomou conta das ruas pedindo intervenção contra o estado de Direito, que estaria preparando um golpe sindicalista, ou seja, encarnava o Mal. O resultado todos sabemos: os anos de chumbo, uma ditadura interminável que acabou gerando um democracia de araque, essa em que vivemos hoje. Violência e miséria crescentes, sucateamento da infra-estrutura, expulsão da população do interior e amontoamento nas grandes cidades. Uma endemia tão antiga que parece de nascença, como diria Drummond sobre a viuvez em Boitempo. Agora voltamos à vaca fria. A ação militar nos bairros pobre do Rio de Janeiro, essa Bagdá que vive ao lado do Canadá da Zona Sul, foi saudada como uma maneira de purgar os pecados civis, ou seja o tráfico de drogas, a violência, a corrupção. Celebrado no início pelo consenso de uma mídia irresponsável, que só viu grandeza na operação, sabemos agora o que houve: invasão indiscriminada, saques de domicílios e matança pesada. Os mortos, claro, eram todos culpados. Inocente é o Estado, que deixou medrar um exército de facínoras nas suas fuças e agora tenta tocá-los como ratos de esgoto, sem intervir na essência do problema, que é o abandono da população à própria sorte. Vendo assim do alto, o Rio de Janeiro mais parece um favelão. Só tem favela por todo o lado. O que permanece de cidade é o que existia na época do Brasil soberano (1930-1964). Sem políticas públicas de urbanização, saneamento e moradia, o povo é jogado na vala comum da barbárie, ficando na mão dos bandidos de todas as espécies. Primeiro eram os traficantes, depois as milícias e depois dessa operação o que será? A justificativa é que o crime estava tocando fogo na cidade e precisava de uma ação fulminante. O crime tocou fogo porque queria negociar, como sempre fez, com os podres poderes. Pois tem o país na mão, basta querer, como fez o PCC em 2006 em São Paulo, quando a cidade ficou refém dos bandidos. “O Rio precisa de política de segurança e não de uma ação bélica” disse Paulo Sergio Pinheiro, um sociólogo a serviço da ONU. Sábias palavras. O quem seria uma política de segurança? Primeiro, não colocar blindado em bairro pobre, só na fronteira, por onde entra arma e droga. Segundo, não deixar que os invasores façam o quem quiserem com os moradores. Terceiro, manter-se permanente em todos os bairros e não apenas em alguns deles, como acontece com as UPPs. Quarto, urbanização, saneamento, medicina, educação, policiamento incorruptível. Por que um cronista se interessa por esses assuntos e ainda resolve dar pitacos sobre as soluções? Porque é óbvio demais. Não precisa ser estadista para fazer a coisa certa. Mas parece que os governantes optaram pelo que há de mais desastrado, mais nocivo, mais perigoso, mais espetacular. Trabalhar todos os dias sem posar bêbado para as câmaras no carnaval, como acontece todo ano entre os grandalhões cariocas seria um bom começo. Mas não temos estadistas, temos gentinha no poder.

Quinta 321.p65

6

6

Ao som de um rap que fazia qualquer pessoa deixar às pressas sua casa, escola, local de trabalho, uma caminhada de estudantes, munidos de faixas e cartazes, profissionais da área da saúde e professoras distribuindo folders, seguia o caminhão de som, às 10h da manhã, no dia 1º de dezembro, Dia Mundial de Luta Contra a AIDS. Em todas as cidades do mundo estão acontecendo manifestações em diferentes horários e com diferentes segmentos da população. Em Uruguaiana, o movimento educativo-preventivo foi coordenado pela psicóloga Maria Aparecida Bofill, responsável pelo Setor de Doenças Sexualmente Transmissíveis – DST/AIDS, da Secretaria de Saúde. Além da caminhada e da formação do laço na cabeceira da ponte, todas as escolas municipais e estaduais integrantes do Projeto Saúde e Prevenção nas Escolas estão realizando atividades simultâneas nas suas comunidades. Uma grande comitiva de Paso de los Libres viajou para participar de um movimento em Buenos Aires, por essa razão, neste ano

havia menos manifestantes do que em 2009, já que Uruguaiana e Libres fazem um trabalho integrado nesse setor. Esta data (1º de Dezembro) foi instituída como forma de despertar a necessidade da prevenção, promover o entendimento sobre a pandemia e incentivar a análise sobre a AIDS pela sociedade e órgãos públicos. No Brasil, a data começou a ser comemorada no final dos anos 1980, envolvendo os governos federal, estaduais, distrital e municipal e organizações sociais. No ano de 2010, a campanha do Dia Mundial tem como público alvo os jovens de 15 a 24 anos. Essa escolha foi feita ao se levar em consideração dados comportamentais, como o maior número de parceiros casuais dos jovens em relação aos não-jovens e o elevado índice de jovens (40%) que declaram não usar preservativo em todas as relações sexuais. Também para este ano o foco são as populações de baixa renda. A proposta, segundo a técnica, é dar maior visibilidade às questões de viver com HIV/AIDS, além de com-

03/12/2010, 09:13

bater o estigma e a discriminação e mostrar a proximidade da doença do universo dos jovens.O slogan da campanha é “A AIDS não tem preconceito. Você também não deve ter”. Os objetivos da campanha são desconstrução do preconceito sobre as pessoas vivendo com HIV/AIDS e a conscientização dos jovens sobre comportamentos seguros de prevenção. Para isso, o tema da campanha é: “O preconceito como aspecto de vulnerabilidade ao HIV/AIDS”. POR QUE UM LAÇO VERMELHO? Símbolo de solidariedade e comprometimento na luta contra a AIDS, o laço vermelho foi escolhido por sua ligação à idéia de sangue e paixão. Inspirado no laço amarelo que honrava os soldados americanos da Guerra do Golfo, a proposta de utilizar o laço vermelho partiu de um grupo de artistas nova-iorquinos que queriam homenagear as pessoas mortas pelo HIV. A imagem do laço se tornou um forte símbolo na luta contra a AIDS, reforçando a necessidade de ações e pesquisas sobre a epidemia.


Geral 5º Seminário da Administração na Saúde realizado através de parceria AURA e CRA/RS

PUBLICAÇÃO LEGAL ASSOCIAÇÃO URUGUAIANENSE DE ADMINISTRADORES – AURA WWW.AURA-ADM.COM.BR EDITAL DE CONVOCAÇÃO Nº 001/2010 A AURA – Associação Uruguaianense de Administradores, vem por meio deste convocar seus Associados para a Assembléia Geral Ordinária – 2010, que se realizará no dia 13 de dezembro de 2010, na sede da Associação Comercial e Industrial de Uruguaiana, em primeira convocação às 19h, com maioria dos Associados e, em segunda convocação, às 19h30min com os Associados presentes. Pauta: - Prestação de Contas - Assuntos Gerais Contamos com sua presença. Uruguaiana, 3 de dezembro de 2010.

Adm.Otilia da Costa e Silva Gomes CRA/RS Nº 25645 Presidente do Conselho Deliberativo Fone: (55) 3411-0093 aura@aura-adm.com.br Rua XV de Novembro, 2167/ sala AURA 97500-510 – Uruguaiana

A AURA – Associação Uruguaianense de Administradores, que encontra-se localizada na Rua XV de Novembro, 2167 - Centro, no auge dos seus 10 anos de criação, em nome de seus diretores e associados, tem a satisfação de agradecer a Comunidade Uruguaianense, que está sempre prestigiando nossos eventos, garantindo o status alcançado de uma entidade de classe ativa em nossa cidade. Acesse www.logicom-comex.com.br.

7

A NAVE DA NOSTALGIA (FINAL)

Por Cláudio Noronha

Na sexta-feira, 26, a AURA, em parceria com o CRA/RS, promoveu o 5º Seminário de Administração na Saúde. Com o objetivo de abordar temas importantes na saúde pública, o evento contou com um público representativo e interessado. Aproximadamente 70 participantes – administradores, enfermeiros, funcionários da Secretaria de Saúde do municipio, acadêmicos da Unipampa e da PUC/RS – discutiram aspectos centrais da gestão na área. De acordo com a presidente da AURA, Adm. Otilia da Costa e Silva Gomes, o encontro propôs a reflexão sobre questões importantes da saúde pública: “Nossa intenção era chamar a atenção da sociedade para problemas atuais da nossa saúde, buscando maior entendimento destas discussões”, disse.

Quinta 321.p65

7

Uruguaiana, 3 a 9 de dezembro de 2010

Quando se acalmou um pouco, experimentei meus argumentos. O nível tecnológico havia aumentado exponencialmente na última década. Esta geração que, hoje, beira os vinte anos, já foi criada de forma distinta, nasceram com joguinhos eletrônicos nas mãos. É natural que só conheçam esta forma de comunicação. Nesse meio tempo, as mães também passaram cada vez mais a trabalhar fora. As crianças ficavam em berçários, escolinhas. É o preço que estamos pagando pela modificação da estrutura familiar. Em compensação, a renda dos casais aumentara e com ela o conforto, o acesso a novos bens e por aí afora. Fui falando de improviso o que me vinha à mente. Confesso que, eu mesmo, me questionava, mas vamos lá; pajeava alguém embriagado, triste, confuso. Teria que ser assim. -E nas escolhinhas não dâo educação para esses boçais? Não ensinam a respeitar os mais velhos? Não lecionam os primórdios da matemática financeira para saberem que o dinheiro sai de algum lugar, que alguém está pagando a conta? Não havia argumento que servisse. Comecei a tudo aprovar com cadenciados meneios de cabeça. Meu silente concordar foi exercido à exaustão. Foi o que bastou para que ele começasse a acalmar-se. Bateu no meu ombro, me disse que eu era um cara legal, enfim, os mesmos cacoetes de todo aquele que bebeu demais. Quando achei que tinha terminado tudo, levantou-se de forma abrupta e vociferou, aos berros: -Foi para isso que mudamos o mundo, fizemos a revolução sexual, alteramos regras sociais, costumes e enfrentamos a milicada? Foi para isso que saímos em passeatas, levamos bordoadas, vimos companheiros tombarem nos subterrâneos dos quartéis por excessivas torturas? Foi para isto que vimos amigos começarem a morrer pela enorme ingestão de drogas até então desconhecidas? Foi para esses bundinhas que fizemos tudo isso? Entregamos a eles um mundo melhor e recebemos o quê de troco? Desprezo, falta de reconhecimento, deboche! Sabe de uma coisa: quero mais é que se fodam! Sentou-se e começou a soluçar. Os olhos logo se turvaram; lágrimas, ao saltar longe, molhavam meu casaco. Por fim, um pranto convulsivo instalou-se por completo. Perdera o pai, desatara-se do mundo de cima, não conseguira a proximidade física e a cumplicidade dos filhos, ficara entregue a um estranho com quem não conseguia estabelecer qualquer vínculo, receber qualquer afeto. De repente parou, levantou-se, abraçou-me apertando-me contra si e, desferindo vigorosas palmadas nas minhas costas, falou com a voz ainda embargada: -Obrigado, Pintacuda, pelo aluguel dos teus ouvidos e pelas tentativas de me fazer ver a coisa de outro jeito. Fico te devendo esta! Quer saber de uma coisa? Complicou demais o século XXI, não te parece? -Quer saber de uma coisa? Vou é engrenar uma marcha à ré! Vou dar volta para trás. E vou arrastar comigo, para dentro da minha embarcação, todos os que me ouvirem. Um novo Noé. O Almirante da nave da nostalgia! Depois, repovoaremos o mundo. Só com a nossa gente! E lá se foi trôpego, abatido, mas com um novo sonho para sonhar.

03/12/2010, 09:13


Geral

8

Uruguaiana, 3 a 9 de dezembro de 2010

COTIDIANO Por Vera Ione Molina

Comissão da AL quer aprovação urgente de projeto que autoriza zonas francas na Fronteira

Histórias de culpa e redenção que resultaram em grandes filmes Temas polêmicos exigem muita coragem e talento, seja na literatura, seja no cinema. Eu tinha uma obsessão por um filme que deve ser discutido com extremo cuidado, agora, tenho duas histórias que me incomodam e, ao mesmo tempo, me enchem de esperança no ser humano. Uma delas é contada em uma produção nacional e baseada em fatos verídicos, a outra é ficcional e desenvolvida em uma produção americana que trata de tema ainda mais difícil. Tratam-se dos filmes O Lenhador e Meu nome não é Johnny. O Lenhador, filme de 2004, dirigido por Nicole Kassel, lida com um tema execrável, que é a pedofilia. O personagem principal acabou de cumprir doze anos de cadeia por molestar menininhas. Ele é Walter (Kevin Bacon), um homem infeliz, querendo se livrar de suas taras, ao sair da prisão. O pedófilo é assistido por um psiquiatra que, em suas conversas, passa-lhe a sensação de que “ele anda num carrossel”, já que não responde as suas perguntas, ou melhor, responde-as com outras. Walter vai trabalhar em uma madeireira, na tentativa de levar uma vida “normal”. Um dia, após receber a visita do Sargento Lucas (Mos Def), que está vigiando seu comportamento e odeia pedófilos, Walter ouve a insinuação de que não deveria ser reintegrado à sociedade. O policial lhe relembra a história de Chapeuzinho Vermelho, lamentando que, ao contrário da fábula, em que o lenhador cortou a barriga do lobo para libertar a Chapeuzinho, “o mundo não tem mais lenhadores”. Ironicamente, Walter corta madeiras na madeireira, ainda que com serra elétrica. Também seus colegas de trabalho ficam a par de seu passado por uma secretária que se insinuou para ele e não despertou seu interesse, a família não quer mais saber dele e só lhe resta o contato de um cunhado (Benjamin Bratt) que lhe faz pequenas visitas. Tudo nos indica que ele terá uma recaída, sensação que chega ao seu auge numa cena em que ele entra num bosque atrás de uma menininha e conversa com ela. Enquanto isso, observa a ação diária de um pedófilo na escola infantil que ele enxerga de sua janela. A trama que gira em torno desta personagem tem como base de apoio, Vickie (Kyra Sedgwick), a colega de trabalho e namorada, o Sargento Lucas, seu cunhado e o terapeuta Bob que o faz questionar quem ele quer ser agora. O mais inquietante e que ao mesmo tempo nos traz mais esperança é que ao invés de mostrar o drama da vítima, ou da família da vítima, e deixar as pessoas com raiva do culpado, como seria de se esperar de um filme que aborda a pedofilia, a história nos leva a observar como se porta e o que leva uma pessoa a ter tal perfil. O retorno a sua cidade natal, ponto inicial do filme, é uma analogia à “volta à origem”. E nesse retorno, Walter tem que combater seus medos, desejos e conflitos para assim poder se tornar o novo homem, que deseja ser. Diferente do que vemos em muitos filmes, as expressões do protagonista constroem uma personagem que quase nem precisa de falas para ser compreendida. O Lenhador nos prende como se fosse uma história real e faz com que nos solidarizemos com Walter, torcendo para que ele não caia em tentação novamente. Já “Meu nome não é Johnny”, com direção de Mauro Lima, de 2008, baseado em fatos verídicos, tem em seu elenco Selton Mello, que faz o personagem principal, João Guilherme Estrella; Cléo Pires, a namorada Sofia; Cássia Kiss, a juíza; e Julia Lemmertz, a mãe. A trilha sonora vem reforçar a simpatia pelo traficante João Estrela, quando reconhecemos melodias que estavam praticamente esquecidas e foram influências tão fortes em nossa juventude, como “Mestre Jonas”, escrita por Luis Carlos Sá, Zé Rodrix & Guarabira e interpretada por Luis Carlos Sá, Zé Rodrix & Guarabira; e “It’s a Long Way”, escrita por Caetano Veloso e interpretada por Olivia Broadfield. Desta vez é contada a história de João Guilherme Estrella, um típico jovem da classe média, que viveu intensamente sua juventude. Inteligente e simpático, tinha pais (separados) que o amavam e era popular entre os amigos. Com espírito aberto a experimentar tudo, mergulhou em todas as paradas permitindo-se tudo, conforme ele próprio declara para a juíza em audiência: “Eu nunca pensei no que era legal ou ilegal, eu simplesmente ia fazendo as coisas”. João é capaz de quebrar as regras até no Tribunal, quando interrompe o depoimento de uma amiga também envolvida na contravenção para defendê-la, tomando toda a responsabilidade para si. No início dos anos 1990, João tornou-se o rei do tráfico de drogas da zona sul do Rio de Janeiro. Sem nenhuma autopiedade, a história mostra cenas com as quais não podemos deixar de nos solidarizar: um pai, doente do pulmão e depressivo, “fazendo as paradinhas dele como se fosse um vizinho”, segundo João Estrela explica para a namorada, tossindo muito e acordando com o barulho das festas da moçada da zona sul dentro da casa dele. Investigado pela polícia, o traficante é preso e seu nome chega às capas dos jornais. Sua história revela sonhos e dramas comuns a todos os jovens em qualquer lugar do mundo. A atuação de Selton Mello durante suas peripécias com os bandidos nos presídios comprova a opinião de muitos cinéfilos que o consideram o melhor ator do cinema nacional. E Julia Lemmertz, como mãe, consegue expressar todo o espanto e dor que alguém pode sentir ao descobrir que seu filho foi preso como o bandido mais procurado do momento.

Comissão do Mercosul e Assuntos Internacionais - CMAI realizou audiência pública na segunda-feira, 29, para debater o comércio entre os países do Mercosul, principalmente a possibilidade de instalação de lojas francas, os chamados “free shops”, nas cidades de fronteira. A proposta está prevista no PL 6316/2009, do deputado federal Marco Maia (PT), em tramitação na Câmara Federal, e no projeto substitutivo do deputado federal Ibsen Pinheiro (PMDB). Participaram da audiência os prefeitos de Jaguarão, Claudio Martins, e de Chuí, Hamilton Lima. Também se fizeram presentes vereadores, empresários e dirigentes lojistas de Jaguarão, Livramento, Aceguá e Quarai. A reunião foi proposta e coordenada pelo presidente da comissão, deputado Paulo Azeredo (PDT). A Comissão irá encaminhar uma carta solicitando a aprovação urgente do substitutivo aos deputados federais gaúchos e às comissões de Desenvolvimento

Econômico, Indústria e Comércio e Constituição e Justiça, da Câmara Federal. Também irá reunirse com a coordenadora da bancada gaúcha na Câmara Federal, deputada Manuela D’Ávila (PC do B), para tratar do mesmo tema. O objetivo é garantir que o projeto possa ser aprovado em todas as instâncias sem necessidade de passar pelo Plenário. O projeto, que autoriza a instalação de lojas francas nas áreas urbanas dos municípios localizados na linha de fronteira do território nacional com o Uruguai, Paraguai e Argentina, é considerado prioritário para estancar o empobrecimento e êxodo populacional dessas regiões. Nele, são beneficiadas as cidades de Quarai, Santana do Livramento, Aceguá, Jaguarão, Chuí (fronteira com Uruguai), Uruguaiana (fronteira com Argentina) e Foz do Iguaçu (no Paraná, fronteira com Paraguai). O projeto e o substitutivo permitem que estabelecimentos brasileiros credenciados recebam o mesmo tratamento tri-

butário que recebem os instalados nos países vizinhos. “Estas áreas podem ser caracterizadas como economias regionais atualmente isoladas dos centros dinâmicos e de decisão nacionais e com potencial de desenvolvimento reprimido por esta situação”, justifica o texto. O comércio tipo “free shop” é responsável pelo extraordinário desenvolvimento urbano das cidades uruguaias, paraguaias e argentinas de fronteira em função da geração de novos empregos que promoveu ao longo do tempo. Por outro lado, as chamadas cidades gêmeas do lado brasileiro, empobreceram e continuam perdendo habitantes. Segundo dados da Receita Federal, os brasileiros gastaram nos “free shop” das cidades vizinhas, em 2009, cerca de R$ 1 bilhão. Na justificativa do projeto, o parlamentar proponente cita o exemplo de Santana do Livramento que, nos últimos 15 anos, perdeu em torno de 400 empresas de médio e grande porte, provocando desemprego para cerca de 10 mil pessoas.

ABANDONO DE EMPREGO Walter Diaz, residente na rua Marechal Floriano, 3420, em Uruguaiana; CTPS 99907, série 042 UFRS; filho de Juan Diaz e Anaurelina Freitas; nascido em 26/04/1958, natural de Artigas, Uruguai; capataz da Estância Princípio, de propriedade de Maria Cristina Bastos Fernandes, no município de Barra do Quaraí, encontra-se desaparecido desde o dia 14 de outubro de 2010.

Quinta 321.p65

8

03/12/2010, 09:13


9

Uruguaiana, 3 a 9 de dezembro de 2010

Tradição

Lançamento do CD de Flávio Saldanha

VOZES DO CAMPO colmar_duarte@hotmail.com

Por Colmar Duarte

O livro na praça

O jantar\show de lançamento do CD de Flávio Saldanha, “Este jeito de Rio Grande”, acontecerá no dia 08, às 21h, no Clube Comercial. Os ingressos estão sendo comercializados a R$25,00 o individual e R$100,00 reais a mesa com quatro lugares. Estão incluídos no valor o jantar, o show e dois CDs por mesa. Não serão comercializados ingressos na hora. A compra da mesa pode ser feita através dos telefo-

HÁ MUITO TEMPO NA ESTRADA

nes: 9976.2703, 3412-1435, 99722180 e 99771724 ou do e-mail flsaldanha@hotmail.com. Participarão do show os cantores Miguel Bicca, Jorge Freitas, João Quintana Vieira, Francisco Oliveira, Tuny Brum, Leonardo Paim, Cesar Lindemayer, Adams Cezar e Miguel Marques, acompanhados pelos músicos Sabani Felipe de Souza, Samuel Costa, Digo Oliveira, Marcelino de Carvalho e Paulo Bracht.

E a Feira do Livro de Uruguaiana aconteceu. Modesta, como a falta de recursos para a cultura permitiu, mas bem organizada e alcançando seu propósito de reunir na praça escritores, livros e leitores. Em boa hora, e graças a seu prestígio pessoal, o Secretário de Cultura do Município, César Lafayette Blanco de Lima, conseguiu que pessoas preocupadas com o assunto lhe dessem a “quarteada” necessária para a realização da feira. Não fosse assim, ficaríamos apenas com a feira realizada pela Escola Estadual Dom Hermeto, iniciativa inteligente, valiosa e digna de todos os elogios, que bem poderia ser copiada por outras escolas da cidade. Seria um enorme trabalho de valorização e conscientização dos alunos para a importância da boa leitura para a formação dos cidadãos. Pois uma feira do livro nunca atingirá seu objetivo mais importante se não contar com a participação direta também, da Secretaria de Educação. Ela dispõe de armas para incentivar o interesse dos alunos pela arte literária, pela valorização de nossa língua e pelo enriquecimento de seu vocabulário. Certamente, assim estaríamos proporcionando um melhor conhecimento de nossas próprias origens culturais e minimizando essa importação permanente das mazelas alienígenas, para nossa juventude. Glória àqueles que na hora da escuridão lembram do vaqueano Confúcio, e acendem uma vela. Quem sabe o Negrinho do Pastoreio entende que é uma súplica e ajuda a descobrir algum “enterro de dinheiro”, e proximamente tenhamos recursos para uma grande Feira do Livro, como nossa terra merece. Que envolva toda a comunidade, não apenas os abnegados que tentam convencer os que decidem e escolhem caminhos, que vale a pena caminhar por essa estrada. Quem sabe, até, se o Negrinho da lenda faz com que apareça um Conselho de Cultura, como a lei determina? Uruguaiana merece. Voltando à feira, só pela presença dos palestrantes e escritores, na programação de sábado à tarde, vale nosso aplauso aos organizadores. Os conterrâneos, Nei Machado, Cícero Lopes e Maria da Graça Rodrigues falaram de suas atividades nas letras. Nei, discorreu sobre o livro que está lançando, contando facetas da vida do poeta missioneiro Jayme Caetano Braun. Um depoimento de quem conviveu por largo tempo com o extraordinário pajador. O professor Cícero, encantou os presentes com suas sábias considerações à obra do escritor Simões Lopes Neto, em razão de centenário de seu ”Cancioneiro Guasca”. Em sequência ouvimos a escritora Maria da Graça, falar de seu livro de estréia – Helena de Uruguaiana. Uruguaiana segue descobrindo talentos, desde sempre.

LEMBRANDO JORGE LUIS BORGES O conceito do livro sagrado, do Corão ou da Bíblia,ou dos Vedas – onde também está dito que os Vedas criam o mundo – pode ter passado, mas o livro ainda possui certa santidade, que devemos fazer com que não se perca. Pegar um livro e abri-lo contém a possibilidade do fato estético. Que são as palavras impressas em um livro? Que significam esses símbolos mortos? Nada, absolutamente. Que é um livro, se não o abrimos? É simplesmente um cubo de papel e couro, com folhas. Mas, se o lemos, acontece uma coisa rara: creio que ele muda a cada instante. .............................. Fala-se do desaparecimento, ou da extinção do livro. Creio que isso é impossível. Dir-se-á: que diferença pode haver entre um livro e um jornal ou um disco? A diferença é que um jornal é lido para ser esquecido; um disco é ouvido, igualmente, para ser esquecido – é algo mecânico e, portanto, frívolo. O livro é lido para eternizar a memória. (O Pensamento Vivo de J.L.B.)

Pery Souza

Quinta 321.p65

9

03/12/2010, 09:13


Rural

Uruguaiana, 3 a 9 de dezembro de 2010

CAMPEREANDO Por Tunico Fagundes Formado há apenas dois meses como médico-veterinário, em fevereiro de 1968, recebi um honroso convite, junto com o também recém formado Dr. Alti Ceratti. O convite era para lecionarmos uma cadeira no 3° ano da primeira turma de Zootecnistas, na recém criada faculdade da PUC em Uruguaiana. Aceitamos o desafio e “enfrenamos” a carreira. Melhoramento aplicado nos animais domésticos, ou genética animal aplicada, esse era o título da cadeira que deveríamos lecionar. Estudei muito mais do que já havia estudado até então, garanto por mim, com o Ceratti acredito que também aconteceu o mesmo, era um enorme desafio e uma grande responsabilidade. Os alunos, na imensa maioria, além de serem mais velhos que nós, eram também grandes amigos, o que torna as coisas muito fáceis e paradoxalmente muito mais difíceis. Alguns tinham a idade de meu pai, outros eram grandes proprietários rurais, outros ainda, graduados e conhecidos funcionários do Banco do Brasil. Tratava-se da primeira turma de Zootecnistas da PUC que estavam cursando, como disse anteriormente, o 3º ano e entrariam para a história como os primeiros Zootecnistas do Cone Sul. O polêmico curso de Zootecnia havia iniciado em 1966, polêmico porque tínhamos, na ocasião, um grande número de colegas, veterinários e agrônomos, contrários à instalação da faculdade, queriam uma faculdade de veterinária e agronomia. É bom lembrar que a matéria zootecnia faz parte do currículo dessas duas faculdades. A grande questão era por que criar uma faculdade específica para uma cadeira que já existia, ou até falava-se em “diminuir” o mercado de trabalho para técnicos que trabalhavam especificamente nessa área. Árdua luta, a que o embaixador Luzardo, o atual prefeito Felice, e outras tantas conhecidas e anônimas personalidades enfrentaram com muita coragem e denodo e uma exemplar visão de futuro. Era a primeira faculdade de Zootecnia, ciência e arte da criação de animais domésticos, palavra formada a partir dos radicais gregos “zoon” e “tecne”, reunindo a beleza e a eficiência da seleção em ambiente equilibrado e com sustentabilidade deste sistema de produção. Informa-nos o Dr. Zootecnista Guilherme Minssen que no dia 10 de novembro de 2010, em Brasília, DF, o projeto de lei para criação do Conselho Federal de Zootecnistas-C.F.Z. foi aprovado no Senado Federal ( já foi devidamente aprovado na Câmara Federal), faltando apenas a sanção presidencial. Os zootecnistas, junto com seus colegas veterinários e agrônomos, promovem a qualidade dos produtos do campo, consolidando o moderno modelo da empresa rural ou viabilizando a agropecuária familiar, construindo no Brasil o maior potencial do agronegócio mundial para esta próxima década, via genética, nutrição e manejo de qualidade. Foi muito bom, 43 anos atrás termos, eu, o Ceratti e tantos outros colegas, participado desse processo inicial, mesmo sendo criticados e, muitas vezes, não entendidos. A evolução da Zootecnia no Brasil aconteceu de forma natural, da mesma forma que a conquista agropecuária do Oeste-Norte, a adaptação de gramíneas e leguminosas forrageiras ao nosso solo, a dieta da suplementação mineral animal, a adubação do solo e a genética de várias espécies e raças, também adaptadas ao nosso país.

CNA traça proposições para nova política agrícola brasileira de 2011 A consolidação de um cadastro único com a conversão de todos os dados a respeito do produtor rural e a estruturação de um planejamento sanitário são duas das propostas que fazem parte das ações que estão sendo formatadas pela Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil. As proposições fazem parte da nova política agrícola brasileira, apresentada no Encontro de Dirigentes do Sistema CNA/Senar, que aconteceu de 26 a 28 de novembro em Bonito, Mato Grosso do Sul. O encontro reuniu os presidentes de federações e superintendentes do Senar de todo o País e traçou as diretrizes institucionais do setor agropecuário para 2011. “A consolidação de dados do produtor agrícola possibilitará a obtenção de informações precisas sobre o grau de endividamento do setor e o planejamento sanitário prevê

a revisão da legislação a respeito do assunto”, disse a superintendente técnica da CNA, Rosemeire Santos, durante palestra sobre as proposições da entidade para a reestruturação da política agrícola brasileira. Na programação conjunta, os dirigentes assistiram a uma apresentação da verificação de informações da agricultura encomendada pela CNA a Fundação Getúlio Vargas com base nos dados coletados no Censo do IBGE de 2006. O estudo tem o objetivo de buscar alternativas de melhorar as condições da casse C, ou a classe média do produtor brasileiro, e constatou, entre outros aspectos, que cerca de 40% dos produtores rurais tem renda proveniente de outra atividade, e não somente da produção agrícola, tais como de aposentadoria, auxílios federais e exploração de outras atividades como o tu-

Técnicos da Secretaria da Agricultura participam de treinamento de análise de risco no Chile Dois técnicos da Secretaria da Agricultura, Pecuária, Pesca e Agronegócio Seappa, os veterinários Ana Carla Vidor e Diego Viali dos Santos, participaram do 3º Curso Internacional de Análise de Risco, no Chile. A participação dos veterinários do Serviço de Epidemiologia e Estatística, do Departamento de Defesa Agropecuária no curso ocorrido em Valdívia, entre os dias 22 e 26 de novembro, foi uma parceira entre a Seappa e o Fundo do Desenvolvimento e Defesa Sanitária Animal - Fundesa. A viagem teve como objetivo o treinamento de profissionais da área de epidemiologia para o uso de princípios e técnicas de análise de risco em situações de saúde animal e saúde pública. As aulas foram ministradas por especialistas do serviço oficial da Holanda, Canadá e Chile. No total, 15 profissionais participaram do encontro, oriundos do Peru, Venezuela, Chile, Holanda e Brasil.

PRODUTOS VETERINÁRIOS

ERNANDO CIDADE & CIA LTDA RUA GENERAL HIPÓLITO, 3265 - FONE: (55) 3412-4054 - FAX: (55) 3412-2784 /

URUGUAIANA - RS - e-mail: cidadevete@uol.com.br

Quinta 321.p65

10

10

03/12/2010, 09:13

rismo. A presidente da CNA, senadora Kátia Abreu, disse que as informações serão apresentadas posteriormente em um grande seminário e que os números servem para desfazer as mentiras que o uso deslocado de dados do Censo sustentam sobre o setor agropecuário. O estudo, reforça a senadora, serve como subsídios para a entidade ajudar mais essa faixa de produtores, formada por 664,3 mil estabelecimentos rurais no País. “Precisamos acabar com essa diferença entre grandes e pequenos produtores e assumir eticamente a representação do campo inteiro e não somente os 1,5 milhão que representamos”, ressaltou. O evento teve ainda uma apresentação do Superintendente de Planejamento da Agência Nacional de Águas, Ney Maranhão, sobre o tema ‘Recursos Hídricos – situação atual e cenários futuros’.

Schardong diz que o leilão de PEP da Conab atendeu objetivos O presidente da Câmara Setorial da Cadeia Produtiva do Arroz e coordenador da Comissão do Arroz da Farsul, Francisco Schardong, disse que o leilão de PEP, realizado na terça-feira, 23, pela Conab, atendeu seus objetivos, diminuindo os estoques, abrindo mercado, recuperando preços e tendo garantido, na pior das hipóteses, o preço mínimo de R$ 25,80 por saca de 50 quilos. O leilão comercializou 87,9 mil toneladas das 110 mil previstas no RS, o equivalente a 80% da oferta. Em SC, foi comercializada toda a oferta de 15 mil toneladas. O próximo leilão está programado para o dia 7 de dezembro e o edital deverá ser lançado ainda nesta semana.


Uruguaiana, 3 a 9 de dezembro de 2010

11

28º Remate Conjunto Corriedale fechou o circuito de leilões de primavera

RURAL

Elder Filho elder.filho@bnet.com.br

20º Integração Ideal confirmou o bom momento da ovinocultura

Caiboaté Ideal 450

Qualidade da oferta alavancou o pregão

“Nos próximos 10 anos temos garantida a excelência mercadológica da ovelha”: Assim, Carlos Leal, timoneiro da Cooperativa Tejupá e presidente da Associação de Criadores de Corriedale, lançou lenha à “Fogueira” e abriu os trabalhos no recinto de remates da Agrícola e Pastoril em Uruguaiana. Em pista a fina flor do Ideal brasileiro. Recanto, BT Junco, Vale do Camoaty e Quizília – esta em processo de manutenção da boa marca que possui – ofereceram a uma seleta platéia que lotava as arquibancadas, uma gama de bons produtos. Abrindo o pregão, a Vale do Camoaty, colocou em pista Caiboaté Ideal 450, raçador integrante do trio Grande campeão, melhor rústico da Expofeira de Uruguaiana e Campeão Borrego e Grande Campeão (Melhor Velo) da Exposição de Alegrete. O aquecimento da pista foi moto contínuo: R$ 4,8 mil impulsionaram as compras da qualidade IDEAL, adquirida pela senhora Eneida Ormazabal Sastre. O idealista Crescêncio Fabrício da Silva não deixou por menos, lançou, e levou Caiboaté Ideal 422 –M- Ideal por R$ 3,2 mil (Crescêncio acabou por tornar-se o maior comprador do evento). Luíza Ribeiro Tellechea (BT Junco), ao final do leilão, tornou-se a maior vendedora da tarde noite de remate. Presenças ilustres se fizeram presentes. Juan Lorenzeli, Pedro Malgor- citando estas duas pessoas homenageamos todos os aficionados do Ideal- ilustres criadores e conhecedores do Ideal por lá andaram. O leilão rendeu R4 107,6 mil. E perfez uma média geral de R$ 555,00. Na tábua de maiores compradores aparecem Crescêncio Silva, Ottoni Píffero Monteiro e Clóvis Fabrício Sanchez. A frente dos trabalhos Lauro Mandarino Fittipaldi e a T&B leilões Não é à toa que o IDEAL está na moda.

Bom público acompanhou o remate

Carlos Leal e Roberto Boffil

Ottoni Píffero Monteiro

Juan Lorenzelli

Lauro Fittipaldi e carlos Leal na abertura dos trabalhos

Crescencio Silva e seu filho. Futuro a vista para o Ideal

Quinta 321.p65

11

Idealistas revisaram os animais antes do pregão

03/12/2010, 09:13

Na sexta-feira, 26, o Remate Conjunto Corriedale encerrou o circuito de leilões da primavera, confirmando o bom momento da ovinocultura. Com uma oferta diferenciada, onde muita qualidade foi colocada em pista, o tradicional pregão de ovinos arrecadou R$ 290 mil, perfazendo média geral de R$ 546,00. Os carneiros PO obtiveram médias de R$ 2,7 mil. Os Borregos Po alcançaram valores médios de R$ 1.778,00. O total de machos oferecidos foi de 138 animais que foram comercializados por R$ 1.346,20 em média. Já as fêmeas, em número de 392 exemplares, valeram R$ 263,69. O presidente da Associação Brasileira de Corriedale, Carlos Leal, instigou os criadores, chamando a atenção para o excelente momento em que se encontra a ovinocultura, “em franco processo de recuperação”, lembrou. O criador Roberto Boffil, Cabanha Recreio, foi objeto de homenagem na abertura do evento, o que levou os presentes a testemunharem um gesto de apreço e de muito carinho por parte dos corriedalistas. Lauro Mandarino Fittipaldi esteve no comando do leilão pela Trajano Silva Remates e, ao final do pregão, disse encontrar-se “satisfeito com os negócios realizados, pois os produtos tiveram 100% de liquidez e foram objeto de disputa entre os presentes no recinto de remates da Agrícola e Pastoril em Uruguaiana”, analisou.


Social

Uruguaiana, 3 a 9 de dezembro de 2010

Sociedade

12

Na quinta-feira, 25, a Espaço Útil, através da proprietária Ivana Bom, assessorada por amigas e profissionais, entre elas, Ângela Silva, recebeu grande grupo de senhoras para lançamento da exposição de peças decorativas e arranjos natalinos, com coquetel e desfile de modas do qual participaram as lojas femininas da Galeria Centenário.

Laura Starlit

laurastarlit@hotmail.com

Vista aérea do coquetel de lançamento da feira de arranjos natalinos

Ivana Brusque Bom, Virginia Jardim Tellechea, Angela Silva e Thaís Aramburu

Letícia Botelho e Angela Rillo da Silva

Opera Paris Flávia Molina Bom, Claudia Cantarelli, Zenaira Machado, e Bia Cantarelli

Claudia Nunes, Irene Silva, Rosana Mozzaquatro e Beth Brusque no bonito ambiente, aguardando as iguarias preparadas por Isabel Bitencourt

Quinta 321.p65

12

Turma de jovens que foram para o desfile

03/12/2010, 09:13


Social

Uruguaiana, 3 a 9 de dezembro de 2010

13

O Baile dos Administradores, realizado no sábado, 27, no Tênis Clube, reuniu cerca de 200 pessoas, entre Administradores e autoridades. Na ocasião, foram homenageados: Ruy Pedro Baratz Ribeiro, Presidente do Conselho Regional de Administração-RS, que recebeu o Prêmio Administrador edição 2010; Paulo Pavin, diretor das Lojas P&S, situadas nos municípios de Uruguaiana, Passo Fundo, Santa Maria e São Gabriel, Prêmio Empresário edição 2010.

Silvia Rocha Guedes da Luz e Athos Guedes da Luz em noite artistica no Iate Clube Tamandaré

Adm. Otilia da Costa e Silva Gomes, Empresário Paulo Pavin e Sr. Jorge Prestes Lopes (Presidente da CDL)

Alceu e Adriana Both com os filhos num fim de tarde no Café da Praça

Ângelo Ceolin e Isadora Braccini no belo Resto Casaredo, em Paso de los Libres

Adm. Otilia da Costa e Silva Gomes, Adm.Ruy Pedro Baratz Ribeiro (homenageado) e Adm. Miguel Angelo Evangelista

Posse

Na terça-feira, 30, um coquetel de posse da diretoria da Associação e Sindicato Rural de Uruguaiana, biênio 2011-2012, foi realizado no salão nobre do parque Agrícola e Pastoril.

Quinta 321.p65

13

03/12/2010, 09:13


Uruguaiana, 3 a 9 de dezembro de 2010

14

A Realeza e a influência no estilo clássico BOM-TOM

Gilce Faria Correa

Carla Bruni, ex-modelo e primeira-dama francesa, sabe como ninguém dominar esse estilo. Aliás, essa fórmula de sucesso é usada com maestria pela realeza feminina desde sempre. Princesas que marcaram época como Lady Di e, hoje, remanescentes como a princesa Letízia da Espanha e a noiva do príncipe William da Inglaterra, Catherine Elizabeth Middleton, chamada de Kate, reafirmam o estilo em eventos reais. Se deslumbre com a beleza das rendas, dos tons de bege e com o corte impecável de um “terno branco”. Branco PE ponto alto nas passarelas do mundo todo. É muito chique!

Princesa Letizia da Espanha

Os tempos modernos permitem vários estilos. Esquecido por algum tempo pelas mais aficionadas por fashion, o estilo clássico volta com tudo e fica entre os its da moda. A silhueta reta nunca perdeu totalmente seu lugar e agora ganha força para assumir o posto de uma das prediletas de mulheres chiques mundo afora. Nesse estilo, a cartela de cores usa muito branco e vários tons de bege: palha, nude, dourado e camelo. As estampas são em menor quantidade e terninhos são clássicos dentro do clássico e as bolsas são pequenas. A combinação do branco com o nude é certamente o mix mais trendy dessa mistura.

Quinta 321.p65

14

Carla Bruni

03/12/2010, 09:13


Geral

Uruguaiana, 3 a 9 de dezembro de 2010

Associação Nacional de Equoterapia par ticipa participa uguaiana do 3º Curso Básico em Ur Uruguaiana

15

BALAIO DE ESCRITOS Por Newton Alvim

No reino da fofoca

O Centro de Equoterapia de Uruguaiana General Fidélis (C.E.U.) realiza de 6 a 10 de dezembro o 3º Curso Básico de Equoterapia no Círculo Militar. O evento irá reunir, em turno integral, os melhores profissionais do país para dividir seus conhecimentos sobre a prática, além de informar sobre diversas atividades em Saúde e Educação. Confira a seguir entrevista com o representante da Ande-Brasil, Sergio Cazarim que estará esta semana na cidade para dividir seus conhecimentos com os participantes do evento. Há quanto tempo trabalha com Equoterapia e na Ande-Brasil? Trabalhei na ANDE-BRASIL durante seis anos. Hoje trabalho para a ANDE e em outros cursos apenas quando solicitado ou indicado pela entidade. Minha função era de coor-

denador de cursos e controlador dos centros de equoterapia no Brasil, além de palestrante. Qual é a importância deste tipo de curso? O curso básico é o principal para a formação dos futuros profissionais que irão trabalhar com a equoterapia nos diversos centros.Os conhecimentos transmitidos no curso dão a base para o bom atendimento, impedindo que pessoas não habilitadas coloquem em risco os praticantes, por falta do conhecimento técnico necessário. 4- Qual é a sua opinião sobre Equoterapia e seus resultados? Sou suspeito para falar, visto que já trabalho, direta ou indiretamente, há alguns anos com equote-

rapia. Após ouvir os pais ou responsáveis pelos diversos praticantes, todos são unânimes em afirmar a rapidez dos ganhos, quer sejam nas áreas físicas ou psicológicas. A equoterapia não dispensa as outras tão importantes terapias existentes. É uma terapia complementar. 5 - Na sua opinião, o que a Equoterapia pode proporcionar de melhor aos Praticantes? A prática da equoterapia objetiva benefícios físicos, psíquicos, educacionais e sociais de pessoas com deficiências causadas por lesões neuromotoras de origem encefálica ou medular; patalogias ortopédicas congênitas ou adquiridas; disfunção sensóriomotoras.Também se aplica para pessoas com necessidades educacionais especiais ou distúrbios evolutivos, comportamentais e de aprendizagem.

Aprovado Projeto de Lei que garante Meia Entrada para professores A Câmara Municipal de Uruguaiana aprovou, nesta quinta-feira, 02, o Projeto de Lei de autoria da vereadora Josefina Soares (PSDB), que institui a meia entrada para professores da rede municipal em eventos e estabelecimentos que promovam a difusão da cultura. O projeto ganhou três emendas, apresentadas pelos vereadores Ronnie Mello (PP), Francisco Barbará (PMDB) e José Clemente Corrêa (PT). Com esse desconto, segundo Josefina, haverá uma maior presença dos professores nos eventos culturais, o que possibilita que, nas salas de aula os jovens possam contar não apenas com as matérias da grade curricular, mas também com dados, opiniões, discussões sobre conceitos e informações geradas em

Quinta 321.p65

15

diferentes partes do mundo. “A aprovação deste projeto demonstra a preocupação do legislativo com a classe”, diz Josefina. De acordo com o texto final, cada evento deverá reservar 10% dos lugares para os professores, que pagarão meia entrada como ingresso. O projeto também autoriza o município a conceder estímulos fiscais aos organizadores dos eventos para compensar as perdas com o benefício da meia entrada. A proposta aprovada também sugere a criação de um cadastro permanente de professores da rede municipal de ensino interessados em usufruir do benefício. A cada evento a prefeitura disponibilizaria o cadastro de professores para os organizadores.

Certa vez, escrevi que todos nós temos um fofoqueiro de plantão e alguns chegaram a perguntar o que eu quis dizer com isso. Ocorre que a fofoca é tão enraizada nas comunidades, especialmente nas pequenas e médias, que todos acham normal o ato de mexericar ou pelo menos ter um fofoqueiro ao lado. Alguns se excedem e ganham fama de linguarudos, boateiros, chocalheiros e parleiros, entre outros sinônimos desabonadores que fui pinçar do “Dicionário Analógico da Língua Portuguesa”, de Francisco Ferreira dos Santos Azevedo, que fica à disposição na nossa redação, como um imprescindível auxiliar de valorização da escrita de cada dia. Aliás, a origem da palavra “fofoca” vem do verbo mexericar, que significa falar mal de alguém e que deriva do forte odor que a fruta mexerica (bergamota) deixa na mão. Por isso, não há como esconder que se comeu uma mexerica. Essa mesma inclinação reveladora tem o fofoqueiro, pois lhe pedir segredo é como rogar a alguém que não revele que comeu uma mexerica. Um caso perdido, como se vê. Agora, carregar esse adjetivo, com as inúmeras variações citadas acima, é dose paquidérmica para toda a vida. A fama se incorpora na pessoa e ela até que gosta, já que o ato de mexericar tem o dom de atrair a atenção das pessoas. É só falar que tem uma fofoca para contar que a pessoa passa a receber atenção de todos em volta, como se precisasse disso para dar algum sentido à sua insípida vida. E lá vai o fofoqueiro estabelecendo a primeira regrinha, ao acentuar “que fique só entre nós”. É a senha para passar a informação adiante, certamente com muitos mais detalhes. E todos nós sabemos que a fofoca ganha outros rumos, de boca em boca, não raro fazendo estragos. Mas como eu ia dizendo, os mexeriqueiros estão sempre de plantão, com orelhas iguais antenas para qualquer fato que possa contar a intimidade de um conhecido ou denegrir a vida alheia, motivos que fazem a fofoca existir. Mas por que espiar a vida alheia é tão interessante? A psicologia explica, de várias maneiras, claro. Alguém disse que a fofoca foi feita para circular, como se o mexeriqueiro buscasse um motivo plausível para o que anda fazendo. Hoje, tudo parece tão corriqueiro, como revela essa onda de reality show que invadiu a TV brasileira. São programas para enaltecer os fofoqueiros, que usam a língua afiada para alcançar o prêmio milionário. Claro que, vez e outra, é preciso pensar um pouco no que falamos por aí, com seus reflexos e prejuízos. Sempre há um momento adequado para refletir sobre esse hábito tão presente na sociedade. Fica a certeza de que fazer fofoca não é engraçado e nem passatempo. Seu objetivo nunca foi educativo, construtivo ou de auxílio. Na verdade, o mexerico visa, na sua essência, atingir o outro - e o faz da pior maneira possível, pelas costas. A fofoca tem alvos certeiros, como acabar com casamentos felizes, denegrir a imagem de personalidades governamentais ou mesmo de pessoas comuns, promover dispensa de funcionários em empresas e por aí vai. “Ninguém fofoca sobre as virtudes dos outros”, escreveu o escritor irlandês Bernard Shaw, ao mostrar o real objetivo do fofoqueiro: a maldade. Quem está saindo com quem, quem vai ganhar uma promoção e quem levou uma bronca do chefe são temas constantes na boca do leva-e-traz. Uma tática contra o mexeriqueiro? Não perguntar nada e nem repetir o que ele disse. Depois de um tempo, deixa de incomodálo, porque vai saber que com você não funciona. Outra tática, que li não sei onde, mas nunca esqueci, é dizer o seguinte: “Não falo nem ouço falar de pessoas ausentes. Vamos falar de nós?’. Isso corta a onda de qualquer boateiro. Necessário destacar o quanto a fofoca é destrutiva, contamina o ambiente de trabalho e pode fazer um grande estrago na imagem da vítima – e ela nem saber. Isso acontece quando simples rumores, baseados em suposições e achismos, ganham algum jeitinho de verdade. E como fica o sentimento de culpa para quem transporta a boataria? Problema dele, do linguarudo, né? Se ele vai dormir direito, não sabemos. O que fica é a má impressão em volta, na comunidade que ele frequenta, mesmo que o mexerico pareça inofensivo. É por aí que se perde o exercício da autoestima e autoconfiança. É por aí que ele se vê como marionete sem ambiente e sem esperança para uma vida verdadeira.

03/12/2010, 09:14


Geral

Uruguaiana, 3 a 9 de dezembro de 2010

DESENVOLVIMENTO Por Guilherme Socias Villela

16

Setores do Comércio Exterior reivindicam melhorias nas vias de acesso ao Porto Seco A comissão de Comércio Exterior também está preocupada com a falta de iluminação nos trevos de acesso à cidade.

Educação – quem compreende o Brasil? Não é demais repetir. Para a democracia brasileira se expandir é indispensável o investimento prioritário em pelo menos três setores da sociedade: saúde, educação (cujos efeitos se fazem sentir no longo prazo) e segurança pública. (Outras áreas sociais são também importantes, tais como a administração da justiça, o parquet e a infra-estrutura da economia – e assim por diante.) É muito provável que o atendimento dessas demandas sociais sejam atualmente difíceis. O pensamento, o viés e as tradicionais práticas da classe política – representante de uma sociedade em formação – mostram isso. Notícias referentes aos avanços desesperados, por vezes patéticos, dos congressistas nacionais quando da elaboração dos orçamentos federais mostram, à vista desarmada, que eles estão noutro nível. Nessas ocasiões, suas vontades se dirigem para demandas caseiras, paternalistas, populistas. Baseados nas iniciativas do executivo, raramente atentam para as necessidades dos setores mencionados. Especificamente no que tange à educação no Brasil, surgem algumas esperanças. Uma delas diz respeito à eventual adoção – até 2020 – da jornada mínima de sete horas diárias para as escolas públicas do País. Há inclusive uma inusual emenda à Constituição Federal isso determinando. (A Coréia do Sul fez isso, por influência norte-americana, desde o final da Guerra da Coréia – 1953). Hoje criou, por exemplo, até mesmo, tecnologia própria para a fabricação de automóveis. (Ah! A educação – compare o nível de desenvolvimento com a triste, pobre e faminta Coréia do Norte.) Todavia, há uma luz no fim do túnel. Recentemente, uma escola estadual gaúcha, com mais de mil alunos, do município de Canela, recebeu um prêmio de reconhecimento: a melhor escola do País. Ela houvera adotado, com êxito, o turno integral para os seus alunos. Um exemplo notável. Essa escola compreendeu mais o Brasil do que os políticos e improvisados estadistas brasileiros. Economista.

Comissão solicitou duas pistas na BR 290, nas imediações do Porto Seco, e iluminação dos trevos de acesso ao município.

Na manhã desta sexta-feira, 26, representantes do Sindicato dos Despachantes Aduaneiros do Estado do Rio Grande do Sul, Associação Brasileira de Transportadores Internacionais, Cootranscau, Sindimercosul, EADI Sul e Polícia Rodoviária Federal reuniram-se com o engenheiro do DNIT, Carlos Vieira, para solicitar mudanças nas vias de acesso ao Porto Seco Rodoviário de Uruguaiana. De acordo com os profissionais de Comércio Exterior, deviam

ser disponibilizadas as duas pistas sob o viaduto para ingresso à EADI Sul, uma para veículos de passeio e outra para caminhões. “Nós multamos os motoristas dos carros que entram na contramão, porque é nosso dever, porém, diante da falta de alternativas à população que acessa o bairro, consideramos que esta via (contramão) poderia ter seu sentido de fluxo invertido, de modo que permitisse esta possibilidade aos veículos”, afirmou o chefe da 13ª delega-

cia da PRF, Nilson Gomes. A comissão de Comércio Exterior também está preocupada com a falta de iluminação nos trevos de acesso à cidade. Além representar perigo para o motorista que dirige à noite, a falta de iluminação gera insegurança no local. De acordo com Vieira, o DNIT/Uruguaiana pode solicitar que seja recuperada a fiação e a substituição das lâmpadas nos trevos, porém, a responsabilidade de manutenção não é do DNIT.

ALL investe em campanhas de conscientização no trânsito em Ur uguaiana Uruguaiana Ação foi realizada no sábado, 27, com orientações para motoristas e pedestres. No sábado, 27, colaboradores da América Latina Logística - ALL realizaram, a partir das 10h30, uma campanha de segurança em parceria com a Polícia de Trânsito, na Passagem de Nível (PN) da Rua Joaquim Murtinho, no Centro de Uruguaiana. O objetivo da ação é minimizar o risco de acidentes envolvendo veículos, pedestres e trens nas passagens de nível do município. A blitz educativa faz parte da campanha de segurança de PN, realizada anualmente pela

ALL, para orientar motoristas e pedestres sobre os cuidados necessários ao transpor a linha férrea. Na oportunidade, houve distribuição de material informativo sobre os riscos de não obedecer à sinalização. As campanhas de conscientização em passagens de nível são realizadas pela ALL há nove anos e já atingiram mais de um milhão de pessoas. Neste ano, serão 76 cidades beneficiadas pela campanha por todo o Brasil.

LEI DE TRÂNSITO De acordo com o Código Nacional de Trânsito, a linha férrea é sempre preferencial, e transpô-la sem parar é infração gravíssima, sujeita à perda de sete pontos na carteira. A multa para esta infração é de 175,84 UFIRs (R$ 186,39). Isso porque o trem, ao contrário dos demais veículos, precisa de mais de 500 metros para parar totalmente, mesmo após o maquinista acionar os freios.

AULAS DE INGLÊS Dou aulas a domicílio. Para pessoas que não gostam de falar em público, não tem tempo de ir a uma escola de idiomas, quer ficar em casa e desenvolver uma habilidade específica: leitura/ conversação/gramática... Tratar com Laura pelos telefones

(55) 3402-3614 (55) 3414-2814 (55) 9946-8846

Quinta 321.p65

16

03/12/2010, 09:14


Segurança

Uruguaiana, 3 a 9 de dezembro de 2010

Reunião para tratar de reforço policial na Barragem Sanchuri ocorrerá na sexta-feira

17

AS CRIANÇAS E A PUBLICIDADE Por Marcos Rolim

Será na sexta-feira, 03, às 18 horas, no Restaurante dos Motoristas, a reunião para tratar do reforço policial na Vila da Barragem Sanchuri. O presidente da Câmara Municipal, vereador Adalberto Silva (PP), e o

comandante do 1º Batalhão de Policiamento de Área de Fronteira - 1º BPAF, tenente-coronel Arlindo Filadelfo Alves de Araújo Rego, estarão presentes na reunião para debater o reforço policial para a Vila da Barragem

Sanchuri no início da temporada de verão. Os moradores da vila da Barragem Sanchuri, de João Arregui, de São Marcos e da Vila do Açude estão convidados a comparecer no local para participar da reunião.

Congraçamento entre BM Mirim de Ur uguaiana e Bar ra do Quaraí Uruguaiana Barra No domingo, 28, cerca de noventa integrantes da Brigada Mirim de Uruguaiana e da Barra do Quaraí participaram do “Campo de Integração”, um dia de campo onde as crianças puderam se conhecer e participar de diversas atividades. O evento ocorreu no Marco Bra-

PROERD realiza palestra sobre “bullying” e drogas em Escola Municipal Na quarta-feira, 24, nas dependências da Escola Municipal Marechal Castelo Branco, o Sargento Paulo César Trindade Rolandi, do 1º BPAF, instrutor do Programa Educacional de Resistência às Drogas e a Violência – Proerd realizou palestra para um grupo de professores e pais de alunos do educandário. Os temas abordados foram o “Bullyng”, um tipo de violência moral bastante comum no meio de crianças e adolescentes e de como os pais podem detectar mudanças de comportamento de seus filhos em caso de estarem se envolvendo com drogas. Os presentes interagiram com o palestrante, expondo situações vividas no seu cotidiano familiar.

Quinta 321.p65

17

sileiro, localizado no município da Barra do Quaraí. Parte do deslocamento foi realizado em marcha até o local. As atividades propostas foram de instrução e manuseio com o equipamento de combate a incêndio, pista de reação e uma palestra sobre a história do Marco Brasileiro.

Foragido preso na Praça do Barão No domingo, 28, um policial do 1º BPAF efetuava patrulhamento a pé na Praça Barão do Rio Branco, quando reconheceu um homem que se encontrava na condição de foragido, pois havia um mandado de prisão contra ele. Após efetuar a prisão, o PM conduziu-o à DP para o registro e posterior encaminhamento ao sistema prisional.

Enquadrado na Maria da Penha Ainda no domingo, uma guarnição do 1º BPAF se deslocou até o Bairro Rio Branco, onde uma mulher fora agredida por seu companheiro. Como resultado da agressão, a mulher, além de outras escoriações, teve um dente quebrado. O agressor, além da violência física, ainda havia queimado as roupas da vítima. Após a detenção, o autor foi encaminhado à DP, onde foi lavrado o flagrante por Violência Doméstica, enquadrando-o na Lei Maria da Penha.

PM temporário preso vendendo ar ma arma Um PM temporário tentava vender um revólver, calibre 38, na saída de uma boate, quando foi abordado por um delegado da Polícia Civil, que fingiu interesse pelo negócio. Sem saber com quem estava lidando, o policial ofereceu a arma por R$ 500,00 ao delegado. Foi preso em flagrante e posteriormente conduzido ao Quartel da Brigada Militar, onde se encontra detido.

A maior violência praticada através da televisão contra as crianças talvez seja invisível. Refiro-me à avalanche de mensagens publicitárias dirigida aos pequenos como se eles fossem, de fato, um público consumidor. Desde há alguns anos, uma série de produtos infantis têm sido anunciados através da televisão em horários matutinos e vespertinos. As mensagens manipulam o desejo das crianças e as induzem a possuir "signos de felicidade" na forma de marcas de produtos, brinquedos, jogos, ou mesmo roupas de grife. Tudo parece tão inofensivo e natural que poucos se dão conta de que essas mensagens são captadas diariamente por milhões de crianças pobres. A televisão, como se sabe, é, no Brasil, um produto mais popular que as geladeiras. Ora, parece evidente que os estímulos ao consumo dirigidos às crianças cujos pais não podem comprar a última sandália da Xuxa ou o mais fascinante videogame só podem produzir frustrações crescentes. Alijadas do consumo, mas convencidas de que a posse daquelas bugigangas todas é o equivalente à inclusão social, as crianças das nossas periferias experimentam, radical e precocemente, alguns dos nomes da tristeza. Melancolia, depressão, sentimento de inferioridade, estão entre eles. Elas sabem que não terão acesso à grande maioria dos bens e serviços oferecidos pela telinha e sabem, também, que algumas crianças usufruem deles. O que elas não sabem é que essa injustiça não é um castigo e que elas ou seus pais não são culpadas por esse resultado. Um olhar mais atento sobre alguns dos fenômenos aparentemente incompreensíveis da violência contemporânea permitiria identificar nessa infelicidade original de tantas crianças o começo de um processo de subjetivação que, em alguns casos pelo menos, será bastante funcional à produção de adolescentes violentos capazes de matar alguém por um tênis da Nike. "-Matam por um par de tênis", é o que exclamam tantos formadores de opinião sem que se dêem conta de que o objeto do crime e da covardia praticada é, na verdade, a promessa de pertencimento e cidadania que a marca oferece e que o modelo econômico proíbe. Há aqui uma vilania que deveríamos elencar entre o intolerável no mundo contemporâneo. Produtos infantis - sejam quais forem - só poderiam ser anunciados para o público adulto. Os adultos, afinal, são aqueles que podem tomar decisões sobre o consumo e que, por definição, devem decidir sobre o que é adequado ao consumo de suas crianças. Essa posição, positivada pelos suecos em uma legislação específica sobre televisão onde se estabelece que produtos infantis só podem ser anunciados em "horário adulto", foi incorporada por mim ao projeto de lei que apresentei na Câmara dos Deputados e que pretende a introdução de um código de ética da televisão brasileira. Penso que avanços dessa natureza devam ser introduzidos tão rapidamente quanto possível o que dependerá, por evidente, do apoio dos cidadãos e cidadãs comprometidos com o futuro do Brasil.

03/12/2010, 09:14


Esporte

Uruguaiana, 3 a 9 de dezembro de 2010

30ª Olimpíada Comerciária Sesc coloca Uruguaiana no 2º lugar em medalhas

18

Projeto Vem Ser participa do 2º aniversário do Centro Esportivo Nova Esperança

O evento aconteceu em Porto Alegre, reunindo em torno de 1,2 mil pessoas nos dias 14 e 15 de novembro.

Os uruguaianenses retornam da 30ª Olimpíada Comerciária Sesc com troféus em futebol de campo, futsal máster masculino, vôlei masculino e atletismo. Com isso, a delegação ficou com o 2º lugar no quadro geral de medalhas do evento, que aconteceu nos dias 14 e 15 de novembro, no Sesc Campestre, em Porto Alegre. Cerca de 1,2 mil atletas de 80 municípios gaúchos participaram da competição. A abertura contou com a presença da ex-jogadora de vôlei da Seleção Brasileira Ana Moser. Confira abaixo a classificação final das modalidades que premiaram os atletas locais. FUTEBOL DE CAMPO: 1º Crediário Osório (Pelotas); 2º Lojas Becker (Santo Ângelo/ Entre Ijuís); 3º Despachantes (Uruguaiana) FUTSAL MASTER MASCULINO: 1º Pole/Despachante (Uruguaiana); 2º Supermercado Dois Irmãos (Santo Ângelo); 3º Associação dos Funcionários do Grupo RBS (Porto Alegre) VÔLEI MASCULINO: 1º Promos (Santa Rosa); 2º Doña Justa (Uruguaiana); 3º Ability (Bento Gonçalves) ATLETISMO - SALTO EM DISTÂNCIA MASCULINO MASTER: 1º Roque Rohr (Santa Cruz do Sul); 2º Josemir Pereira da Silva (Santa Maria); 3º João Fonseca Padilha (Uruguaiana) 100M RASOS MASCULINO LIVRE: 1º Antonio

Juracy Vieira Sarmento Jr (Uruguaiana); 2º Elir Schereen (Santa Rosa); 3º Gil Gabriel P. Brum (Santa Rosa) 100M RASOS MASCULINO MÁSTER: 1º Mario Soni Góis de Lima (Uruguaiana); 2º Luis Fernando B. Freitas (Alegrete); 3º Ermes Duarte Saraiva (Alegrete) 100M RASOS MASCULINO SÊNIOR: 1º Roque Rohr (santa Cruz do Sul); 2º Mario Daniel Cabrera Sosa; 3º José Roberto Falcão Freitas (Uruguaiana)

SALTO EM DISTÂNCIA FEMININO LIVRE: 1º Paula Escobar Macedo (São Luiz Gonzaga); 2º Daiana C. Ferreira Nogueira (Uruguaiana); 3º Caroline F. dos Santos (Santa Rosa)

O segundo aniversário do Centro Esportivo Nova Esperança foi assinalado por muitos jogos e a participação do projeto “Vem Ser”, no último final de semana. Dos jogos escolares, participaram os educandários do bairro; e convidados participaram das modalidades de voleibol, basquete, futsal. Várias equipes de futsal participaram dos jogos abertos. O projeto Vem Ser apresentou para a comunidade do bairro atividades de meios ambiente, inclusive, com o plantio de seis mudas de árvores, dicas de trânsito (CFC Uruguaiana), orientação de uso do lixo seletivo (JC Lopes), orientação sobre trato de animais (Patran). Ainda, orientação de exercícios físicos (Unipampa) e danças e ginástica localizada (com SMEL e Projeto DAnt). A programação foi organizada pela secretaria municipal de Esportes e Lazer.

SALTO EM DISTÂNCIA FEMININO MÁSTER: 1º Ângela C. Noronha da Silva (Uruguaiana); 2º Sandra Patrícia da Cruz (Ijuí); 3º Marli Bottega (Marau)

Equipe uruguaianense de basquetebol obtém vitória contra a SOGIPA

100M RASOS FEMININO LIVRE: 1º Ita Gabriela Padilha Brum (Santa Rosa); 2º Daiana C. Ferreira Nogueira (Uruguaiana); 3º Caroline F. dos Santos (Santa Rosa)

SALTO EM DISTÂNCIA MASCULINO LIVRE: 1º Antônio Juracy Vieira Sarmento Jr (Uruguaiana); 2º Gil Gabriel P. Brum (Santa Rosa); 3º Elier Schereen (Santa Rosa) SALTO EM DISTÂNCIA MASCULINO MÁSTER: 1º Mario Soni Góis de Lima (Uruguaiana); 2º Jesus Benites Monteiro (Alegrete); 3ª José Arnaldo da Silva (Passo Fundo)

IMORTAL TRICOLOR a melhor maneira de se defender. - Estamos nos destacando pelo ataque no lado esquerdo, com dois laterais por ali. Quando você não ataca, acaba sendo atacado. Sem a bola vamos ter atenção, mas vamos atacar. Será um jogo bem aberto. As duas equipes disputam, na última rodada do Brasileirão 2010, a 4ª colocação. Um ponto à frente, o Grêmio tem a vantagem do empate. Lúcio resume em uma curta frase o significado do confronto para os tricolores: - Domingo é o Dia D, é decisão para a gente mesmo. EM TEMPO REAL, GREMISTAS LAMENTAM VANTAGEM DO GOIÁS NA SUL-AMERICANA

Renato Gaúcho inovou ao improvisar Lúcio no meio-campo do Grêmio. Assim que Souza sofreu lesão no tornozelo esquerdo, o lateral entrou em seu lugar, e não mais deixou a titularidade. A presença de Lúcio em faixa mais adiantada de campo fez ainda crescer o desempenho do lateral Fábio Santos. Ambos desdobram-se nas combinações defensiva e ofensiva pelo lado esquerdo. Contra o Botafogo, às 17h de domingo - no Estádio Olímpico - ele acredita que a dobradinha de canhotos será importante. Principalmente na hora de evitar os ataques. Para Lúcio, atacar o adversário será

Quinta 321.p65

18

PAIXÃO COLORADA Por Joel Neimann Lopes - neimannj@gmail.com

Fonte Globo.com

Atacar para se defender: arma de Lúcio no 'Dia D' contra o Botafogo

A equipe de basquetebol de Uruguaiana obteve vitória histórica contra a poderosa SOGIPA de Porto Alegre, por 74x72, nos segundos finais da partida, no sábado, 27, no Ginásio do Instituto União. A equipe de Uruguaiana terá mais dois compromissos no próximo final de semana. No sábado, 04, recebe a equipe do Java, de Estância Velha; e no domingo, 05, recebe a equipe de Pelotas. A vitória de sábado praticamente garantiu a presença de Uruguaiana nos play-offs que decidirão o título do basquete gaúcho de 2010.

Entre um treino e outro preparatório para enfrentar o Botafogo, no Olímpico, os jogadores do Grêmio não tiram a atenção do confronto que pode definir se uma vaga para a Libertadores estará em campo ou não no domingo. Nesta quarta-feira, o Goiás abriu vantagem de 2 a 0 sobre o Independiente-ARG e, se a mantiver na volta, daqui a seis dias, tira a chance tricolor, pois será o sexto brasileiro a se classificar para a competição de 2011. Via twitter, o volante Adilson e o zagueiro Ozeia não contiveram as emoções e criticaram algumas jogadas do time de Avellañeda, que teve má atuação no Serra Dourada.

Ontem, após o último jogo pelo Brasileirão, o Internacional finalmente livrou-se de um fardo e pode tratar abertamente da disputa do Mundial Interclubes Fifa que se aproxima. Nada mais existe entre o clube e seu sonho de voltar a ser Campeão do Mundo. Neste momento, colorados preparam as malas para a viagem ao deserto, para acompanhar mais uma façanha do Gigante que domina as Américas. Quem não pode ir, ou seja, a grande maioria da nação vermelha, organiza-se para acompanhar os acontecimentos de dezembro que chegarão via satélite. Cada detalhe é importante. Tudo que deu certo em 2006 será repetido: mesma camisa, mesma turma, mesmo local, enfim, cada colorado começará uma viagem no tempo para que as circunstâncias do primeiro título se reproduzam novamente. E com o mesmo resultado. Não há mais compromissos ou surpresas até a disputa. O campeonato terminou e a lista do Mundial já foi publicada. Boa ou ruim é com esses jogadores que tentaremos fazer frente aos melhores dos outros continentes. Para cada posição um reserva. E com cortes de importantes como Sorondo, Edu e Muriel. O último talvez seja a defecção mais importante, embora, se convocado, fosse para terceiro goleiro. Sorondo vem de lesão e precisaria de tempo para recuperar a forma física e técnica. Já o corte de Edu é a boa notícia. Trazido com grande expectativa, nunca mostrou as virtudes que o precederam. Nem mesmo o pensamento mágico de ser o novo Gabiru (até na rima) o justificou. Nesse ponto foi uma decisão mais do que acertada. Olhando o atual grupo do Inter vemos

03/12/2010, 09:14

que é mais homogêneo que o de quatro anos atrás, quando tínhamos Michel, W. Monteiro, Léo, Ediglei e Gabiru. De outro lado, nosso adversário anterior parecia mais poderoso. Porém no futebol nada disso tem valor. Até mesmo porque em Yokohama quem definiu foi o herói improvável, Adriano Gabiru. Na época ninguém conhecia o Internacional, hoje quem acompanha futebol sabe que é o grande titã do futebol brasileiro nos tempos atuais, responsável por sete títulos dos últimos sete trazidos para nosso País. A partir de agora é respirar Abu Dhabi e torcer como nunca. O Inter está a um passo de tornar-se o maior vencedor da década, do século e do milênio. O Campeão de Tudo quer mais, quer aumentar sua hegemonia, alargar suas fronteiras e ter súditos em todos os cantos do planeta. O privilégio de ser colorado é mundial, não se restringe mais ao ambiente local. De onde chegam as notícias, as referências ao Clube do Povo são de respeito reverencial. Isso por um lado é bom, mas por outro alerta os adversários. Essa história de ser o papa-tudo tem dessas coisas. Por isso, torço para que o Goiás ganhe essa sul-americana e ofusque um pouco essa fama do Inter. Será o primeiro clube em muitos anos, fora o colorado, a obter êxito no exterior. Não podemos assustar os adversários antes da hora. Agora é curtir a expectativa e viver dias mágicos que serão lembrados para sempre. “... nunca esquecerei, os dias que passei, contigo, INTER!” Saudações coloradas!


Mural

Uruguaiana, 3 a 9 de dezembro de 2010

AGERGS

cessária e urgente. (R.P.J)

Na terça-feira, 30, a Comissão de Segurança e Serviços Públicos realizou arguição pública de Vicente Paulo Mattos de Britto Pereira, indicado para o Conselho Superior da Agergs. Presidida pelo deputado Fabiano Pereira (PT), a CSSP apreciou, em reunião extraordinária, o requerimento do Poder Executivo com a indicação de Vicente Paulo Mattos Britto Pereira para compor o Conselho Superior da Agência Estadual de Regulação dos Serviços Públicos Delegados do Rio Grande do Sul - Agergs. (Vera Ione Molina Silva)

MENTIU PRO TIO O ministro da Defesa, Nelson Jobim, ligou para o secretário Samuel Pinheiro Guimarães, da Secretaria de Assuntos Estratégicos para negar ter dito que este "odeia os EUA" para o embaixador dos EUA no Brasil em 2008, em um dos telegramas vazados pelo site Wikileaks. Pode até não ter dito, mas que o Secretário odeia, odeia! (R.P.J) AQUECIMENTO GLOBAL

TEOCRACIA NAZISTA Está lá para quem quiser ver. O ministro da Cultura do Irã liberou o site irannazi.ir, do Centro de Estudos NazistaIranianos. Será que o governo e a diplomacia do Brasil seguirão acarinhando esta turma? (Ricardo Peró Job) CONGRATULAÇÕES Os vereadores de Uruguaiana aprovaram uma moção de congratulações para a direção do Serviço Social do Comércio – SESC pela brilhante participação na Olimpíada Comerciária do Estado. A moção é de autoria do vereador Mauro Brum (PMDB), que acompanhou a delegação de Uruguaiana na 30ª Olimpíada do SESC, em Porto Alegre. (V.I.M.S) MARCHAMOS DE NOVO A alegria durou pouco. Mal chegaram seis novos delegados de polícia e11 policiais da Brigada Militar de Uruguaiana já partiram para o Litoral para atuar na Operação Golfinho. A atuação dos policiais do município, durante a temporada de verão nas praias e balneários do Estado, torna-se a cada ano maior. (R.P.J) PROGRAMAÇÃO NATALINA O mês de dezembro, no Rio Grande do Sul, terá uma série de atividades programadas pelo Arte Sesc – Cultura por toda parte. Atividades culturais natalinas estão previstas para as cidades de Porto Alegre, Pelotas, Tramandaí, Farroupilha, Caxias do Sul, Novo Hamburgo, Uruguaiana, entre outras. O destaque da programação é a turnê do “Concerto de Natal”, com Fafá de Belém e Orquestra Unisinos, por cinco municípios gaúchos e com apresentações com entrada franca. O grupo Barlavento Quarteto de Saxofones será atração em cinco municípios, entre eles Uruguaiana, no dia 12 de dezembro com a apresentação de “Ventos de Natal”. (V.I.M.S) SEM FOLGUEDOS A Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia manifestou apoio “incondicional” ao juiz de Fortaleza, José

Quinta 321.p65

19

19

De sexta-feira, 26, à terça-feira, 30 de novembro, a 34ª. Feira do Livro de Uruguaiana ocupou a Praça Barão do Rio Branco, tendo como patrona a escritora Gelsa Soares Verdum. A escritora tem sido das mais assíduas presenças na Feira, tendo recentemente autografado também em Frederico Westphalen. Em Uruguaiana, autografou sua obra Os meninos astronautas. Gelsa sempre forma grande fila de crianças nos lançamentos de seus livros. Além de escritora, ela é educadora aposentada e muito preocupada em levar cultura às escolas, prova disso é que, como membro da Academia Uruguaianense de Letras, tem organizado anualmente um encontro de escritores, músicos e poetas com os alunos das escolas públicas.

Eduardo Vilar Filho, que proibiu o Poder Público de gastar em festas e publicidade, enquanto não for reduzida a fila de 2.400 pacientes incapacitados ou deficientes que esperam uma prótese reabilitadora ou outra cirurgia recuperatória. Segundo o presidente da SBOT, Cláudio Santili, a limitação do número de operações é devido à falta de investimento do Poder Público. Só no ano passado o Ceará gastou 113 milhões de reais em comunicação social, enquanto a Prefeitura investiu 13 milhões em comunicação. Se a moda pega... (R.P.J) MEDICAMENTOS Os vereadores José Clemente Corrêa (PT), Mauro Brum (PMDB) e Ronnie Mello (PP), da Comissão de Saúde da Câmara Municipal, realizaram, na manhã de quarta-feira, 01, uma visita à farmácia central da Secretaria Municipal de Saúde. Os vereadores constataram a falta de medicamentos para atender a demanda de pacientes hipertensos e diabéticos. Segundo o vereador José Clemente Corrêa, a Comissão de Saúde também está apurando denúncias sobre possíveis irregularidades na emissão de faturas para aquisição de remédios. (V.I.M.S) MEDICAMENTOS II Os vereadores constataram também que o sistema de armazenamento dos remédios não é apropriado e que as licitações para aquisição de medicamentos são vagarosas. “Após as licitações, a burocracia faz com que os remédios cheguem ao município

três a quatro meses depois”, disse o vereador Ronnie Mello. A Comissão pretende elaborar um relatório das atividades de fiscalização e apresentá-lo em plenário. (V.I.M.S) INCOMPETÊNCIA A Prefeitura de Salvador recebeu verba da União, via Ministério da Integração Nacional, para realizar diversas obras na cidade, mas pode perder todo o dinheiro por causa da demora no início das operações. Entre as melhorias com investimento garantido estão a dragagem do canal da Suburbana e a recuperação de sessenta e quatro ruas do subúrbio ferroviário. A verba foi liberada no início do ano para a Prefeitura de Salvador, mas até agora nada fez para utilizá-la. (R.P.J) GATO DA SEMANA O ex-presidente da CPI do Futebol, senador Álvaro Dias (PSDB) afirma que a denúncia de que o presidente da Confederação Brasileira de Futebol - CBF, Ricardo Teixeira, teria recebido US$ 9,5 milhões de uma empresa de marketing esportivo deve ser investigada por autoridades brasileiras. Na semana que passou, o programa Panorama, da rede britânica de TV "BBC", revelou que Teixeira, bem como o paraguaio Nicolas Leoz e o camaronês Issa Hayatou, teriam recebido, na década de 90, pagamentos da empresa ISL, que havia ganhado os direitos de comercialização da Copa do Mundo. Para o senador, a realização da Copa do Mundo de 2014 no Brasil torna a apuração ainda mais ne-

03/12/2010, 09:14

Um total de 255 voos foram cancelados, nesta terça-feira, 30, no Aeroporto Internacional de Frankfurt, devido às fortes nevadas na Alemanha, informou um porta-voz do terminal. A onda de frio e as nevadas obrigaram, desde segunda-feira, o cancelamento de aproximadamente 400 voos nos terminais internacionais de Frankfurt e Munique, os de maior tráfego aéreo da Alemanha e dois dos principais aeroportos da Europa. Já a Irlanda, enfrenta o inverno mais frio dos últimos 30 anos. E dê-lhe aquecimento global! (R.P.J) TRECHOS DE ENTREVISTA “Qual foi o momento em que o Estado perdeu o controle da situação? O Estado nunca teve uma política de segurança de longo prazo. Nem de médio prazo. O Estado sempre operou com política de segurança de resultados. Há duas causas para o que nós estamos vendo. Uma, mais remota, e mais grave, que é a questão social. Outra, mais próxima, é restrita à área de segurança. A impressão é de que se trata de um grupo organizado. Quando ocorre esta ação espetacular, você pensa que o Estado venceu e que nós estamos derrotando um inimigo. Mas eles não são inimigos do Estado, eles são integrantes do Estado, mas foram marginalizados. O Estado criou estes caras. É produto direto do que nós fizemos. Num nível mais direto da segurança é resultado da corrupção das polícias do Rio. A polícia do Rio é corrupta como mostrou os filmes Tropa de Elite e Tropa de Elite II? É muito mais. Se fosse como o filme, seria ótimo. O grande problema é quantas vezes estes garotos foram presos e soltos? Foram para delegacia e liberados? Nem fichados são. Por quê? Porque tem acerto. Eles existem pela permissividade da polícia. Além disso, há questões de fundo. Eles prendem estes 200 que nós vimos fugindo, mas vão colocar onde? E os outros, sei lá, 20 mil que têm no complexo com a idade deles? Tem política para eles? Vai ser proporcionada uma vida decente para eles? Como será feita a manutenção da área ocupada”? Hélio Luz, ex-chefe da Polícia Civil do Rio é entrevistado por Carlos Etchichury. Entrevista publicada no jornal Zero Hora, 28-11-2010. (V.I.M.S)


Uruguaiana, 3 a 9 de dezembro de 2010

GASTRONOMIA Dudu Ferreira

PARA PENSAR: "Ninguém descobre novas terras, sem consentir em perder de vista a costa por um longo tempo." André Gide

e-mail: duduferreira@bnet.com.br

Viv er ou junt ar dinheir o?? (por Max Gehr ing er) iver juntar dinheiro?? Gehring inger) Numa destas revistas de negócios, jovens executivos davam receitas simples e práticas para qualquer um ficar rico. Comentavam que, por exemplo, que se tivesse deixado de tomar um cafezinho por dia, nos últimos quarenta anos, teria economizado 30 mil reais. Se tivesse deixado de comer uma pizza por mês, 12 mil reais. E assim por diante. Impressionado, peguei um papel e comecei a fazer contas. para minha surpresa, descobri que hoje poderia estar com muito dinheiro. Bastaria não ter tomado as cervejas

que tomei, não ter feito muitas viagens que fiz, não ter comprado algumas das roupas caras que comprei. Principalmente, não ter desperdiçado meu dinheiro em itens supérfluos e descartáveis. Ao concluir os cálculos, percebi que hoje poderia ter quase 500 mil reais na minha conta bancária. É claro que não tenho este dinheiro. Mas, se tivesse, sabe o que este dinheiro permitiria fazer? Viajar, comprar roupas caras, me esbaldar em itens supérfluos e descartáveis, comer todas as pizzas que quisesse

e tomar cafezinhos à vontade. Por isso, me sinto muito feliz em ser pobre. Gastei meu dinheiro por prazer e com prazer. E recomendo aos jovens e brilhantes executivos que façam a mesma coisa que fiz. Caso contrário, chegarão aos 60 anos com uma montanha de dinheiro, mas sem ter vivido a vida... "Não eduque seu filho para ser rico, eduque-o para ser feliz. Assim, ele saberá o VALOR das coisas e não o seu PREÇO". Que tal uma cervejinha?

A raiz da culinária brasileira Da comida indígena aos templos da alta gastronomia, a mandioca conquista seu espaço Aipim, macaxeira, candinga, castelinha, macamba, pão-da-américa, pão-depobre, pau-farinha, xagala. A lista é enorme e em cada canto do país, a mandioca é batizada de um jeito. Tão versátil quanto o nome é o uso deste tubérculo do qual tudo se aproveita: folha, raiz, casca e sumo. Bem antes da chegada dos portugueses no Brasil, os índios já sabiam tirar o máximo proveito do mais brasileiro dos ingredientes. A folha serve de base para o preparo da maniçoba (conhecida como feijoada paraense), um cozido típico da região amazônica com cortes e miúdos de porco. Também presente nas mesas do norte do país, o tucupi (caldo azedo extraído da mandioca-brava) aparece em receitas como o pato no tucupi (ave cozida com temperos e jambu, folha que causa leve dormência na boca) e no tacacá ( caldo com camarão seco, goma de mandioca cozida, jambu, ervas e pimenta). Este tacacá seria um dos pratos que faria parte da festa de casamento do Fábio Cargnelutti e Jan, realizado no Martim Pescador. Uma parente paraense de Jan acabou desistindo pela falta de alguns ingredientes básicos. Trata-se de um clássico da culinária nortista. No copo, quando destilada, a mandioca também mostra sua força como tiquira, aguardente de alto teor alcoólico. Depois de passar por processos artesanais ou industriais, surgem as farinhas, o polvilho e a goma, matéria-prima de receitas festejadas, como a tapioca.

Quinta 321.p65

20

20

Da culinária indígena para os templos da alta gastronomia, a mandioca deixou de ser apenas a base da alimentação indígena. Basta abrir os cardápios de casas estreladas para se deparar com criações sofisticadas como o consomê de bonito com tucupi e tapioca, servido no D.O.M., e o maniócas, prato do Restaurante Maní, ambos em São Paulo. Mas é na Bahia, ao lado das pimentas, que a mandioca reina nas mesas em forma de pudim, cuscuz, mingau, bolo e tapióca. Passo a seguir uma receita fácil e muito saboroso, além de diferente: a Tortilha de Mandioca TORTILHA DE MANDIOCA 4 porções de 7 bolinhos cada uma INGREDIENTES 800 g de mandioca cozida e congelada 1 colher (sobremesa), rasa, de manteiga 1 colher (chá) de queijo parmesão ralado 1 colher (chá) de sal Carne seca o quanto baste Abobrinha recheada o quanto baste PREPARO 1 Aqueça ao vapor a mandioca previamente cozida e congelada. 2 Mexa de vez em quando até ela começar a se desfazer. 3 Retire do fogo e, ainda quente, esparrame a mandioca em uma assadeira. 4 Acrescente o queijo, o sal e a manteiga e martele a massa até ficar homogênea; reserve. 5 Abra a massa com rolo; corte com aro de 12 cm de diâmetro e leve ao forno para tostar. 6 Com as tortilhas prontas, cubra os recheios a gosto. A dica é usar abobrinhas refogadas e carne-de-sol.

VIA E-MAIL E RAPIDINHAS * Já se nota um aumento significativo de movimento de clientes em busca de bares e restaurantes em nossa cidade, com a chegada do calor. Simultaneamente, parece que alguns restaurantes de Libres já começam a mostrar carências de qualidade nos serviços. Muita reclamação por parte de cá, de brasileiros insatisfeitos. Tendência? * Ricardo Carús merece nosso aplauso em estar constantemente incentivando a música e os músicos de nossa cidade. Fica aqui o convite de oferecer o Restaurante da Praça para ser também um paradouro de artistas locais. * Outro profissional que gostaria de destacar é o amigo César Lafayette. Assim como outros que o antecederam, como por ex.: Miguel Ramos, Ricardo Peró, Bebeto Alves, tem uma notável trajetória frente a Secretaria de Cultura. Escolhido pelo Prefeito Sanchotene Felice, Lafayette vem se destacando neste setor com brilhantes serviços prestados à comunidade. Feira do Livro, um sucesso. Parabéns! * Vou começar meu livro, se o tempo me permitir, baseado na vida de um chef autodidata espanhol, A. R. Godraude, passado na cidade de Durazno, no Uruguai. Chamar-se-á "Godraude, la arte de un viejo chef" . Com muitas fotos e receitas. Acompanhará um cd de músicas, uma para cada receita apresentada. Meus parceiros que serão convidados: Reinaldo Alves e Domênikos Maldonado nas fotografias, Deise Espelocin na publicação e Dj Robertinho e Álvaro Güez Velo no CD musical. Vamos ver no que vai dar... * Restaurante Casaredo comemorou nesta quinta dois anos de funcionamento com uma festa em seus salões. Parabéns aos proprietários pelo excelente trabalho que vem realizando na gastronomia de nossa região. * Com o fim temporário de funcionamento do Grill Gourmet do Tênis Clube, Restaurante da Praça se prepara para receber os clientes agora com o mesmo

perfil utilizado lá no clube. Com ambiente climatizado e a melhor vista panorâmica, que é a linda Praça Barão do Rio Branco, é a dica de verão da cidade. * Já notaram que foi só vir o dezembro e parece que o movimento das ruas do centro da cidade duplicaram? É o efeito Natal, com o fortalecimento do comércio local. Bom para todos. * O que aconteceu no Complexo do Alemão não foi só a cartada inicial contra o crime no Rio, que se prepara para as Olimpíadas e tem a Copa do Mundo pela frente, como uma das sedes. É o basta de uma sociedade que não aguenta mais estar a mercê da violência e da impunidade. É o grito de alerta de todos nós. Nós, brasileiros, somos um povo de pouca reação, e não digam que é por ser um povo pacífico. Por isso é que devemos nos orgulhar de sermos gaúchos de raíz, pertencente a uma cultura guerreira e de princípios. * Você sabia que a pimenta era usada pelos povos astecas e maias como arma? Cabaças eram recheadas com chiles habaneros e um pouco de água. Então fermentavam. lançadas contra inimigos, liberavam gases que tornavam praticamente impossível a respiração das pessoas em volta. No seu primeiro confronto com indígenas, Pizarro foi posto para correr pela fumaça de gigantescas fogueiras de chile "rocoto", assim conhecido porque seu cheiro teria capacidade de "levantar mortos". Barbaridade, chê...

Dica da semana: Omelete de Cogumelos INGREDIENTES: 300 g de cogumelos (shitake, champignon, shimeji e portobello) 4 colheres (sopa) de azeite 2 alhos-porós (somente a parte branca) 5 ramos de salsinha 2 dentes de alho comum 8 ovos 1 cebola grande fatiada bem fina 3 talos de cebola verde, sal e pimenta PREPARO: Limpe os cogumelos, retire os talos, piqueos e fatie as capelas finamente. Retire as folhas de salsinha e fatie a cebola e a cebolinha verde e corte

em pedaços maiores o alho-poró. Aqueça duas colheres de azeite em uma frigideira. Junte os talos, a cebola e o alho poró. Cozinhe em fogo brando mexendo de vez em quando. Descasque, esprema e pique o alho. Acrescente duas colheres de sopa de azeite, o alho e os cogumelos. Cozinhe entre três e cinco minutos. Durante este tempo bata os ovos usando um fuet junto com uma colher de sopa de um bom vinagre, sal e pimenta. Adicione a salsinha e verta os ovos batidos após ter aumentado o fogo. Deixe que uma camada dos ovos se fixe sobre a base antes de virar a omelete.

BOM FINAL DE SEMANA A TODOS!!

03/12/2010, 09:14


Geral

Uruguaiana, 3 a 9 de dezembro de 2010

Finalmente, diretores eleitos da UERGS são designados para seus cargos

Exatamente um ano após a realização da eleição para diretores regionais da Universidade Estadual do Rio Grande do Sul - Uergs os mesmos foram designados para assumirem seus cargos, poucos dias após a posse da nova reitoria eleita.

Na sexta-feira, 19 de novembro, no gabinete do reitor, reuniramse os cinco profissionais que estarão à frente de suas regiões, sendo que duas regiões ainda não têm nomes definidos. De acordo com o reitor Fernando Guaragna, a designa-

ção foi o primeiro passo. O segundo e o mais importante é a nomeação, que deverá acontecer somente após a publicação no Diário Oficial, uma vez que este ato que depende da governadora Yeda Crusius. Foi feito um breve relato dos acontecimentos desde a posse, em 5 de novembro, e Sita Mara Sant’Anna, vice-reitora, falou sobre a importância do papel dos diretores regionais, tendo em vista o novo quadro que se desenha e que envolverá maior atenção em relação a planejamento e avaliação das atividades da Uergs. Destacou ainda as atitudes que estão sendo tomadas pela administração superior, com o intuito de deixar documentadas as ações empenhadas, de forma que a próxima gestão tenha uma transição serena e organizada, como devem ser as relações democráticas.

Vereadores recebem direção da AES Sul para esclarecimentos Na terça-feira, 30, o superintendente da AES Sul, Luiz Alberto Krummenauer, e o diretor comercial, José Ricardo Azambuja, prestaram esclarecimentos aos vereadores de Uruguaiana a convite do vereador Rogério de Moraes (PSDB). Os diretores da AES Sul esclareceram que o serviço de religação de energia urgente não foi sus-

penso e que 600 postes da linha que atende o distrito de Plano Alto estão sendo substituídos. Também a direção relatou aos vereadores que a prefeitura já comprou as “cintas” para prender os braços das luminárias nos postes de concreto que estão sendo instalados nas vias públicas da cidade. Segundo os eles, 99% dos postes substituídos tiveram as luminári-

as repostas. O diretor comercial, José Ricardo Azambuja, disse que a empresa promoverá, no próximo ano, o Programa Hospital com Mais Saúde, assim que for concluída a negociação da dívida da Santa Casa com a prefeitura municipal. O superintendente reafirmou o compromisso da empresa em investir R$ 2 milhões em projetos culturais do município.

EXISTEM DIFERENTES TIPOS DE AUTOAJUDA – DEVEMOS FICAR ATENTOS

Por Maria Clara Prati Fiquei muito impressionada com uma mensagem que recebi de uma sobrinha, na qual, entre outras coisas, ela me contava que assistira a uma palestra de um psiquiatra e ele abordava o tema da auto-ajuda, dizendo que essa literatura era como fazer uso de droga, depois que passava o efeito, o humor da pessoa ficava pior. Depois, refletindo sobre o assunto, cheguei à conclusão de que existem diferentes tipos de auto-ajuda. Uma pessoa que escreve livros ou artigos dando conselhos de comportamento que poderão levar a resultados positivos está ajudando, já aquele tipo de pessoa que passa o tempo todo te dizendo que tu tens que passar todo o tempo sorrindo, dizendo que está um lindo dia e pedindo para tu não te queixares nunca perto dela, fica na superficialidade e, realmente, é uma droga em todos os sentidos. Droga de amiga ou amigo porque não pode ouvir nada que não soe como música para os seus ouvidos, ou seja, vive na mentira, pois ninguém tem só coisas boas para contar. Conheço pessoas que estão sempre prontas para serem convidadas para passeios, para se enturmarem com os conhecidos que saem muito porque não tem o que fazer, enfim, gente furona. Essa mesma gente, quando os mesmos amigos que a levam para passear estão passando por uma pequena crise, não se dispõe a escutar, dar uma palavra de carinho, um conselho. São aqueles das horas boas, são pessoas infantilizadas, acostumadas a andar na carona da alegria dos outros. Muitas vezes fui aconselhada a não me aproximar de algumas pessoas e não dei ouvidos. Fiz bem porque eu tenho que ter minhas próprias experiências com os outros. Tem gente que não é boa para a minha amiga, mas que é para mim. Tem afinidade, é companheira. Mas, quando muita gente repete que aquela moça tem um certo problema, eu tenho que aguçar mais os sentidos para não me deixar prejudicar. Problemas todos temos, o que não temos é o direito de nos negarmos a escutar as verdades do outro. Se todos nós tivéssemos amigos, um amigo que fosse, disposto a nos escutar quando estamos mal ou temos um problema para resolver, nós tomaríamos menos ansiolíticos e iríamos menos ao psiquiatra, psicólogo, etc. Generosidade cura, vamos emprestar nossos ouvidos para os amigos. Não para aquele que só fala em doença, ou só conta tragédia, mas para aquele que tem a franqueza de nos contar um segredo porque está com dificuldade. E vamos ajudá-lo a encontrar a solução, se tivermos capacidade. Época que antecede o Natal é de alegria, por isso pedi para ilustrarem minha coluna com uma decoração natalina do Espaço Útil. Feliz Natal e Feliz Vida!

Reunião binacional discute funcionamento das aduanas O consenso é recuperar a agilidade e eficiência que o comércio exterior requer. A segunda reunião do Foro de Integração da fronteira Paso de los Libres-Uruguaiana foi realizada na quinta-feira, 25, na sede do Centro de Despachantes de Aduana em Paso de los Libres. O Foro de Integração foi formado em encontro realizado no dia 19 de novembro na sede do Sindicato dos Despachantes Aduaneiros do Estado do Rio Grande do Sul - SDAERGS, com representantes do mesmo, da Associação Brasileira de Transportadores Internacionais - ABTI, EADI Sul, Centro de Despachantes de Aduana de Paso de los Libres e Associação de Transportadores Librenhos. O objetivo era a elaboração de um pla-

Quinta 321.p65

21

no de ações concretas para eliminar tempos mortos na operação de ambas as aduanas, a fim de agilizar o fluxo de caminhões na fronteira. Na oportunidade, os membros elaborararam uma minuta descritiva com as deficiências e potencialidades das aduanas argentina e brasileira. As autoridades brasileiras farão uma análise da aduana argentina e a argentina da aduana brasileira. De acordo com o Centro de Despachantes de Paso de los Libres, esta foi a primeira reunião binacional realizada pela iniciativa privada para intervir nas operações de aduana de ambos os países. O consenso é recuperar a agilidade e eficiência que o comércio exterior requer.

21

Espaço Útil - Galeria Centenário - Monte Caseros, 2738

03/12/2010, 09:14


Uruguaiana, 3 a 9 de dezembro de 2010

22

50 ANOS DE COMUNICAÇÃO

NAQUELES TEMPOS

Alberto Moura

Inauguração Rádio Charrua - 1º de setembro de 1962

Final da Libertadores, Argentino Jr x América de Cali, rádio Gaúcha com Haroldo de Souza

Rádio Charrua - Anos 70

Estúdio da RCC com prefeitos da região, inclusive o Lasier Martins e o Sanchotene Felice

A propósito do transcurso, em 1o de dezembro deste ano, dos 50 anos de atividade do comunicador e nosso conterrâneo, Fernando Guahnon Moura, estamos publicando nesta página magníficas e históricas fotografias, bem como alguns dados de sua trajetória. Fernando iniciou na Rádio Charrua onde permaneceu 23 anos; por 10 anos esteve na TV Uruguaiana, passando pela Pampeana, São Miguel e Líder. Atualmente reside em Sant’Ana do Livramento onde, durante 2 anos trabalhou na Rádio Cidade, transferindo-se para RCC FM, onde está há 7 anos. Em Uruguaiana, Nando, foi vereador e é figura muito estimada nos meios esportivos e sociais. A primeira foto mostra uma solenidade em que Edília Aveiro recebia um diploma das mãos de seu colega, o radialista Mário dos Santos Pinto. Também aparecem na foto, da esquerda para a direita, Fernando Moura, Egidio Carvalho, Sady Gomes, presidente da Associação Uruguaianense de Imprensa; sentados: o então prefeito Municipal, Francisco Car-

los Barros Coelho; e o professor José Gomes de Souza. Esta foto é do final da década de 1970. A segunda foto, de 1o de setembro de 1962 quando da inauguração do prédio da Rádio Charrua em que aparecem Fernando Moura, professor Luiz Stábile, Luiz Perrone Pereira (Edson Luiz) e Antônio Souza. A terceira, da década de 1970, mostra o grupo de funcionários da Rádio Charrua, em pé: Fernando Moura, Antônio Souza, Carlos Garcez, Edenir Matte, João Rene Cobelli, Ubirajara Nolasco e Chico Alves; sentados: Beto Lima, Alberto Lhambi e Mário Dino Papaléo. A quarta, 1979, mostra Nando na apresentação do Jornal do Almoço, na TV Uruguaiana. A quinta, de 1985, mostra Fernando comentando a final da Libertadores entre Argentino Jr. e América de Cali, pela Rádio Gaúcha; ao seu lado o narrador Haroldo de Souza, hoje na Rádio Guaíba. A sexta e última foto e mais atual, foi colhida em Livramento na Rádio em que aparecem, além de Fernando, o prefeito José Francisco Sanchotene Felice, de Uruguaiana, e o comunicador da RBS, Lasier Martins.

Jornal do Almoço local - 1979

Quinta 321.p65

22

03/12/2010, 09:14


Cultura

Califór nia será no Parque D. Pedro II Califórnia

O CLUBE DA ESQUINA Álvaro Guez Velo CROSBY, STILLS, NASH AND YOUNG

A 37ª Califórnia da Canção Nativa do Rio Grande do Sul acontecerá de 9 a 11 de dezembro na Concha Acústica do Parque Dom Pedro II. A comissão organizadora do Festival transferiu o local de sua realização, na semana que passou, por motivos econômicos, tendo em vista não ter conseguido captar recursos para sua realização no Parque da Agrícola Pastoril, antes anunciado como sede do evento. O acesso aos espetáculos será gratuito, sem lugares marcados nas cadeiras. As tertúlias livres serão realizadas nas dependências do CTG Sinuelo do Pago. Na primeira noite serão apresentadas as seguintes músicas: 1. Campeira - Letra e música: Érlon Péricles 2. Sou além do que sou eu mesmo Letra: Tikeno Queiroz; música: César Santos, Rafael Constant, Francisco Bermúdez 3. Estrelas Castanhas - Letra: Silvio Aymone Genro; música: Afonso Machado Grecco (Pirisca) 4. Oração do pescador - Letra e música: Érlon Péricles 5. Por ter onde ir - Letra: Tiago Souza, Nelson Souza; música: Nelson Souza 6. Don Alejo e seus mijados - Letra e música: Rafael Ovídio da Costa Gomes 7. Pé de moleque - Letra: Diego Goulart Muller; música: Miguel Tejera 8. Milonga da saudade - Letra: Sérgio Napp; música: Pery (Alberto) Souza

Quinta 321.p65

23

23

Uruguaiana, 3 a 9 de dezembro de 2010

9. Pra poncho que topa vento - Letra: Gujo Teixeira; música: Luciano Maia. NA SEGUNDA NOITE: 1. De barro e luz - Letra: Martins César; Música: Paulo Timm; Intérprete: Marco Aurélio Vasconcellos 2. Por gratidão desencilho - Letra: Rodrigo Nolibos Bauer; Música: Mário Barbará Dornelles; Intérprete: Marcelo Oliveira 3. A luz da coragem - Letra: Tiago Suman \ Guilherme Suman; Música: Adriano Sperandir \ Cristian Sperandir; Intérprete: Adriana Sperandir 4. Horácio Luis - Letra: Vinicius Brum; Música: Tuny Brum; Intérprete: Vinícius Brum 5. A última redução - Letra: Hermeto Silva; Música: Afonso Falcão; Intérprete: Nélson Souza 6. Petiço mapa-mundi - Letra: Rafael Ovídio da Costa Gomes \ Pedro Ribas \ Fernando Saldanha Filho; Música: César Santos; Intérprete: César Santos 7. Pitaluga de Luzeiro - Letra: Rafael Teixeira Chiappetta; Música: Lizandro Amaral \ Guilherme Colares; Intérprete: Lizandro Amaral 8. Mi menor de coração - Letra: Jaime Vaz Brasil; Música: Pedro Guerra \ Adriano Sperandir; Intérprete: Adriana Sperandir 9. Que bueno - Letra: Fernando Soares \ Evair Gomes; Música: Mauro Moraes; Intérprete: Pirisca Grecco

A banda Crosby, Stills and Nash foi formada no início do ano de 1969, e poucos meses antes do festival Woodstock, o trio resolveu integrar um quarto componente. O tal novato era um sujeito bem mais jovem que os antigos membros, o nome do homem era Neil Young, um promissor guitarrista que viera do Canadá. O conjunto sempre esteve, com certeza, entre as três melhores bandas norte americanas. Além de serem grandes instrumentistas, e ótimos compositores, o quarteto é dono de um vocal invejável, vocais estes, que talvez sejam a principal característica do grupo. O álbum “Deja Vu”, de 1970, foi considerado como obra prima pelos críticos da música mundial. E canções como, “The Lee Shore”, que descreve um tranquilo ponto do Pacífico, onde gaivotas, e navegadores buscavam o abrigo do vento, e Almost cut my hair (Quase cortaram meu cabelo) que fala sobre a violência policial contra os hippies e músicos de Rock nos anos 1960, e ainda a belíssima Wooden Ships, cuja letra retrata poeticamente uma estória sobre barcos de madeira”, são obras de harmonia inigualável. NEIL YOUNG

alvaroguez@hotmail.com

rádio em que alguém deixe de pedir o cara para rodar. Cada vez que tiro do bolso minha gaita de boca, logo se ouve o pedido: - Oh Bicho, toca aí Hey, Hey, My, My, ou Sugar Mountain ! Defensor do meio ambiente e organizador de festivais para ajudar pequenos fazendeiros, como o Farm Aid, por exemplo, Young se torna respeitado também como homem. Sempre companhado pela ótima banda Crazy Horse, desde o início de sua carreira solo, Neil Young produziu vários álbuns, destaques para Rust Never Sleeps, Comes a Time e Live Rust. Nota: Convido os leitores a conferir os artistas acima, no programa Faixa Nobre, na 97.7 FM Rádio Charrua. PROGRAMA O CLUBE DA ESQUINA

Estou muito empolgado com a repercussão do programa “O Clube da Esquina”, no ar todos os domingos, das nove às 11 horas na rádio El Shaday 104.9 FM. O programa apresenta o melhor do Choro, Sambas de Raiz e o fino da MPB. A cada programa aumenta o número de ouvintes e de participações. O programa é produzido e apresentado por Álvaro Güez Velo, com participação do Prof. Galvani. Além de música, história e cultura, temas diversos são discutidos. No último domingo, o assunto foi segurança e teve como convidado o Dr. Mario César Braccini. Nota: Para quem estiver na área rural, em qualquer lugar do Brasil, o programa pode ser ouvido pela internet: http:/ /sisdera.com/radio/?canal=radio104fm MORANGOS Lugar tradicional na cidade, onde comer bem é lei, o restaurante oferece almoço diariamente com farto Buffet e opções a La carte para o jantar. Em um dos pontos mais centrais da cidade, na Rua Santana, quase na esquina com a praça, é possível também apreciar saborosos lanches, sucos e cervejas. A empresa oferece também sorvetes e picolés “Morangos” de vários sabores. Telentrega pelo fone 3412 2069.

Hoje, aos 65 anos, Neil Young ainda tem a mesma vitalidade da época do Woodstock. De olhos cerrados, Neil quase monta na alavanca da sua guitarra Gibson, de onde tira solos riquíssimos. É impressionante o carisma do homem, não há uma reunião musical, ou programa de

03/12/2010, 09:14

SIRI CASCUDO - O Sabor da Cidade Almoço e Jantar - Viandas, Marmitex e Almoço, a partir de R$5,00. Saborosos Cheeseburgers, Pizzas, Hot Dogs, Picados e Porções. Na Rua XV de Novembro n° 2143 – Fone: 3413 6474


Poesia NOS VVARAIS, ARAIS, TEUS LENÇÓIS BRANCOS (GhiGi ) Noites em tochas, dias escuros, terríveis, algemados no medo, na dor; perscrutador Amanhece favela carioca, teu alvorecer, que tanto cantei, quando estendias, nos varais, teus lençóis brancos, da Paz. Teu tesouro cruzou o tempo, estancou, vinha do rancor; teu prêmio, sedutor, caminhava em pedras perigosas, resvalosas, do ódio - infame, do ócio e da fome... ontem a guerra branca, aconteceu Alguns fugiram, a comunidade permaneceu com esperança, fé e amor, de suas crianças. É luta do bem contra o mal. É resgatar na alma, um FELIZ NATAL; Felizes medidas, hoje assistidas, amanhã e para sempre, consolidadas.

34ª Feira do Livro de Uruguaiana mobilizou bom público para assistir palestras Na sexta-feira, 26, às 10h, na Praça Barão do Rio Branco, foi aberta oficialmente a 34ª. Feira do Livro de Uruguaiana, que teve como patrona a escritora Gelsa Soares Verdum. Na solenidade de abertura, o secretário municipal de Governo e de Planejamento, José Alberto Leal, representou o prefeito Sanchotene Felice. À tarde, às 15h, Gelsa Soares Verdum autografou sua obra mais recente, Os meninos astronautas. A programação contou com colóquios, palestras, sessões de autógrafos e apresentações artísticas que aconteceram no centro da praça, junto ao busto do Barão do Rio Branco. Já as palestras e colóquios foram realizados no Salão Nobre da Prefeitura, em ambiente climatizado. Na sexta-feira, 26, às 17h, Rafael Bán Jacobsen, vencedor de 2 prêmios Açorianos, falou sobre sua obra e, às 18h30min, autografou Uma leve simetria. Também às 18h30min, a poeta uruguaianense Marina Fagundes Coello autografou Poemas de Luz & Sombra. No sábado, 27, a partir das 16h, no Salão Nobre da Prefeitura, puderam ser assistidas algumas palestras. Ney Machado conversou informalmente sobre Jayme Caetano Braun, contando fatos sobre sua vida pessoal, que deram oportunidade a que outros escritores e amigos das Letras como Colmar Duarte e o médico Lourival Gonçalves, também contassem algumas passagens com o payador. O professor, doutor em literatura, Cícero Galeno Lopes falou sobre a obra de Simões Lopes Neto como consolidadora da literatura gaúcha. Uma palestra com dados, informações e que seguia um roteiro, o que acrescentou muito aos assistentes. Depois das palestras, foi a vez de Lu Thomé e Maria da Graça Rodrigues terem um colóquio sobre produção ficcional. O público ficou muito interes-

sado no livro de Maria da Graça, Helena de Uruguaiana, editado pela Dublinense, pois se trata de uma história cujo espaço é a própria Uruguaiana, nos anos 1970. Ney Machado autografou obra sobre Jaime Caetano Braun, juntamente com os alunos da Universidade do Adulto Maior – UAM, do União, que autografaram seu segundo livro produzido na oficina coordenada pelo professor Luis Stabile. No domingo, 28, a partir das 11h aconteceram duas sessões de autógrafos: de Dualidade Cultural em Desfile, do professor Luiz Matias; e de Causos e estórias de um gaúcho da fronteira, de Alziro Ramos. Às 17h, o psiquiatra Rônei Rocha reuniu grande número de amigos e curiosos para uma conversa bem humorada na qual revelou suas inquietações diante da produção literária e falou de seu livro de crônicas que deverá sair pela Editora Proa. No estande de autógrafos, Maria da Graça Rodrigues autografou Helena de Uruguaiana e Lu Thomé, Ficção de Polpa. Segunda-feira, dia 29/11, às 17h, no Salão Nobre da Prefeitura, a conferência Ser feliz y/o tener razón, com os argentinos Marta Chemes e José Pérez Bahamonde, que, na sequência, às 18h30min, autografaram seu livro, com o mesmo nome. O casal já estivera em Uruguaiana em 2010, quando conversaram, na Secretaria da Cultura, com um público muito interessado e foram muito aplaudidos. Na terça-feira, 30, às 11h, os membros da Academia Uruguaianense de Letras autografaram antologia e, às 17h, no Salão Nobre da Prefeitura, o professor Pedro Câncio falou sobre sua obra, Correntezas, que autografou até as 22h, hora do encerramento da Feira.

Cícero Galeno Lopes proferiu palestra intitulada Centenário do Cancioneiro Guasca de Simões Lopes Neto

Rafael Bán Jacobsen e Benhur Bortolotto. Rafael autografou e palestrou sobre seu livro Uma leve Simetria

Comissão organizadora e patrona Gelsa Verdum Na plateia Ricardo Duarte, Gelsa Verdum, Lourival Gonçalves, Colmar Duarte, Mauro Aymone Lopes

Maria da Graça Rodrigues autografando Helena de Uruguaiana para o escritor editor Benhur Bortolotto

Quinta 321.p65

24

Rônie Araújo da Rocha manteve uma conversa informal sobre Crônica Citadina muito concorrida

Lú Thomé autografando seu livro Ficção de Polpa para Ricardo Peró Job

03/12/2010, 09:14


Jornal Momento de Uruguaiana