Issuu on Google+

divulgação

Cultura

Aguinaldo Silva e José Mayer voltam a trabalhar juntos na próxima novela das oito, “Fina Estampa”.

Porto Velho-RO.19 e 20 de março de 2011

editor: larissa tezzari

cultura@diariodaamazonia.com.br

Página c2

Cinema. “As Mães de Chico Xavier”, mais um longa sobre a história do médium, estreia dia 1° de abril

Espiritismo em evidência nas telas Após o sucesso em 2010 dos filmes “Chico Xavier”, do diretor Daniel Filho, com público recorde na estreia, levando cerca de 3,5 milhões de pessoas às salas de cinema, e “Nosso Lar”, com 4 milhões de espectadores, estreia no próximo dia 1° de abril mais um longa metragem abordando a história de vida do médium mineiro: “As Mães de Chico Xavier”. O produtor do filme, Luis Eduardo Girão, esteve em Porto Velho na última quintafeira, como parte do roteiro de divulgação do longa. Girão conta que os três filmes se complementam. “O primeiro foi sobre a vida dele; o segundo, a maior produção da história do cinema brasileiro, fala sobre sua obra literária; e esse último vai complementar os outros dois e encerrar o centenário do Chico, que termina no dia 1° de abril, data de lançamento do filme”, explica. “As Mães de Chico Xavier” conta a história de três mães, vivendo momentos distintos de suas vidas e que vêem sua realidade se transformar repentinamente: Ruth (Via Negromonte), cujo filho jovem enfrenta problemas com drogas; Elisa, que tenta superar

Novo movimento

divulgação

LARISSA TEZZARI cultura@diariodaamazonia.com.br @larissatezzari

Luis Eduardo aponta um novo viés para o cinema brasileiro. De acordo com o produtor, o filme que iniciou todo esse movimento cultural, que a mídia está chamando de “cinema transcendental”, foi “Bezerra de Menezes – O Diário de um Espírito”, lançado em 2008, com Carlos Vereza no papel principal. “O filme foi um mega sucesso no Brasil, com 500 mil espectadores”. Após esse pontapé inicial, vieram os sucessos “Chico Xavier” e “Nosso Lar”, mas Luís afirma que essa não é apenas um momento passageiro para os filmes espíritas: “Isso não é uma onda, esse é um novo gênero que veio pra ficar”, afirma, levando em consideração que

“os livros que mais vendem no mercado se transformam em filmes e os livros espiritualistas são sucesso de venda”. Os números confirmam essa realidade: Chico Xavier possui 412 livros, com 45 milhões de cópias vendidas, traduzidos para 27 línguas. Quanto ao boom do cinema no Brasil, Luis afirma que se deve a um maior nível de exigência do público e ao fato dos produtores terem partido para uma ótica de mercado. “Um exemplo é o Daniel Filho, que fez sucesso com os dois ‘Se Eu Fosse Você’. A gente sabe que o brasileiro funciona com a comédia”, explica. Para ele, o destaque nacional só tende a crescer.

Cena do filme “As Mães de Chico Xavier” com o marido a perda do filho, o pequeno Theo; e Lara, uma professora que enfrenta o dilema de uma gravidez não planejada. Suas histórias se cruzam quando elas recebem conforto e reencontram a esperança de vida através do contato mantido com Chico Xavier. Baseado em fatos reais, o filme foi inspirado no livro “Por Trás do Véu de Ísis”, de

Marcel Souto Maior, que faz uma investigação jornalística sobre a psicografia. Dos diretores Glauber Filho e Halder Gomes, essa é uma produção da Estação Luz Filmes, com distribuição da Paris Filmes e apoio promocional da Globo Filmes e Telecine. O Filme traz em seu elenco nomes como Nelson Xavier, Caio Blat, Vanessa Gerbelli, Herson Capri, Via

Negromonte e Tainá Muller, entre outros. O filme foi rodado nos meses de abril e maio de 2010, com locações nas cidades de Guaramiranga, Pacatuba, e também em Fortaleza, no Ceará, tendo as filmagens sido concluídas em Pedro Leopoldo (MG), terra natal de Chico Xavier. Cerca de 400 salas de cinema farão parte da estreia nacional.

Vanessa Gerbelli interpreta uma das mães

“Som na Leste”.

Alunos recebem aulas gratuitas

Escola de música abre 160 vagas A secretaria municipal de Educação, por intermédio do Departamento de Apoio ao Desenvolvimento ao Ensino (Dade), abre inscrições a partir do 2º semestre, para seleção de alunos interessados nos cursos gratuitos da escola de música “Som na Leste”. A vice-diretora da Escola, Rosário Meira Rocha, explica que a escola municipal foi inaugurada em 2008, e atende atualmente mais de 400

alunos da zona Leste da capital. Serão abertas 160 vagas distribuídas por meio de sorteio para todos os inscritos nos cursos disponíveis na escola. Para se inscrever em qualquer um dos cursos, a criança deve ter no mínimo oito anos e estar alfabetizada. Adultos com mais de 16 anos também podem se inscrever. Durante o período diurno são ministradas aulas de musi-

calização infantil, violão, contrabaixo, teclado, flauta, sax, trompete e trombone, no qual são atendidos os alunos de 8 a 15 anos e na parte da noite, as aulas são destinadas exclusivamente para o público maior de 16 anos. A escola municipal de música “Som na Leste” está localizada na rua Mamoré, 4263, bairro Tiradentes. Mais informações pelo telefone 3901-2866.

Sesc.

Teatro em cartaz Para quem gosta de uma boa dramaturgia, começa hoje, às 20h30, no Teatro Um do Sesc, mais uma temporada de “É Crime Não Saber Ler”, produzido pelo Grupo de Teatro Evolução. O espetáculo participa do projeto Teatro Em Cartaz, desenvolvido pelo Sesc/RO, e será apresentado nos dias 19, 26 de março e 2 de abril. A peça é um monólogo apresentado pelo ator Eules Lycaon, com participação de Mika Cardoso e André Ri-

beiro. O texto é de Luíz Antônio de Araújo, e a direção é do próprio Lycaon. A entrada custa R$10 reais e estudantes pagam apenas a metade. Mais informações por meio dos telefones (69) 8413-5465 e 3227-0125 ou pelo e-mail gte-pvhro@hotmail.com. O PROJETO Teatro Em Cartaz é mais uma iniciativa do Sesc/RO que visa estimular e valori-

zar os artistas de teatro, atores, produtores e diretores locais. O objetivo principal é trazer para a cena as produções do estado oportunizando aos comerciários e comunidade em geral o acesso a estas produções. Os grupos selecionados realizam uma temporada de um mês, no Teatro 1 do SESC, utilizando e desfrutando de toda a estrutura que o Sesc oferece, como forma de estimular as companhias a produzirem mais.


Espiritismo em evidência nas telas