Page 1


Estúdio VIII: Edifícios Complexos e Arquitetura de Interiores

GABRIELA FRANCO . LARISSA LOUZADA . LÍVIA HUBNER . HÉLIO VITOR


CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS

Estudo dos fundamentos da humanidade e sociedade para aprimorar as relações interpessoais, culturais, econômicas, políticas, etc.

CIÊNCIAS HUMANAS

CIÊNCIAS SOCIAIS

HUMANIDADE E SOCIEDADE COMUNICAÇÃO ARTES

CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS


Criação de obras de artes e exposições

Pesquisa e estudo de ciências políticas

CIÊNCIAS HUMANAS

Proceder edição de veículos de comunicação

Estudar civilizações antigas

Trabalhar em museus, patrimônios culturais

Investigar as estruturas e a dinâmica das sociedades atuais analisando processos históricos

Atuação, direção, produção, cenografia

Atuação na áreas jurídicas para a ordem social

Comunicação por intermédio de linguagem corporal

Coletar e analisar dados sobre diferentes acontecimentos e a reação de grupos sociais em relação a eles

CIÊNCIAS SOCIAIS

Dar aulas nos Ensinos Fundamental e Médio

Projetos arquitetônicos e urbanísticos no geral

Gerenciamento de recursos humanos de micro, pequenas e grandes empresas e ONGs

Relações comerciais e sociais entre organizações de diferentes países

Analisar os sistemas e as instituições políticas

Atendimento, mídia, criação e planejamento

CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS

Gestão de patrimônio de empresas

Estudar as diferentes culturas Criação, produção, edição, direção e técnica de programas de rádio, TV e cenografia em geral

Solucionar casos de dificuldades e necessidades sociais entre famílias e indivíduos

Gerenciar empreendimentos de turismo, como hotéis, pousadas, agências de viagens e planejar roteiros para passeio


CULTURA

ECONOMIA CRIATIVA

SOCIEDADE

PESQUISA E ENSINO

NO BRASIL

FORMAÇÃO DE POLÍTICAS PÚBLICAS

EDUCAÇÃO

FÁCIL ACESSO

ECONOMIA

FORTE

VALE DO AÇO

DEMANDA

MINAS GERAIS

VALOR

CULTURA

HISTÓRICO

MARCANTE


7,39% 69,39% 23,22%

CORONEL FABRICIANO 110 326 habitantes

6,26% 71,8% 21,85%

IPATINGA 261 203 habitantes

5,65% 68,05% 26,30%

SANTANA DO PARAÍSO 32 828 habitantes 7,26% 70,07% 22,67%

TIMÓTEO 88 931 habitantes

+65 ANOS 16 - 64 ANOS -15 ANOS

POPULAÇÃO DO VALE DO AÇO


Estação Ferroviária VALE Aperam South America

Usiminas Terminal Rodoviário Ipatinga Ipatingão

Parque Ipanema

Unileste

Hospital Márcio Cunha Parque Ecológico Oikos

Aeroporto Regional do Vale do Aço Cocais

Shopping Vale do Aço Parque Estadual do Rio Doce

Usipa

Coronel Fabriciano Ipatinga Santana do Paraíso Timóteo BR 458 BR 381 BR 232

PONTOS IMPORTANTES VALE DO AÇO


Praça da Estação Coronel Fabriciano

Centro Cultural Fundação Aperam

Teatro Zélia Olguin Praça do Coliseu

Centro Cultural Usiminas

Coronel Fabriciano Ipatinga Santana do Paraíso Timóteo

PONTOS CULTURAIS RELEVANTES VALE DO AÇO


Igreja

Banco

Restaurante

Lanchonete

Bar

Hospital

Hotel

Clube

Praça

Posto de Gasolina

Escola/Faculdade

Autoescola

Shopping do Vale do Aço

Supermercado/ Mercearia

Centro Cultural Usiminas

Farmácia

Mata da Usipa

Usiminas

Urbanização

Lote

Parque Estadual do Rio Doce

Rio Piracicaba


Lote Fluxo intenso a todo momento Fluxo moderado e constante Fluxo moderado em horรกrio de pico Fluxo baixo

FLUXO/VIAS DE ACESSO


ÁREAS EDIFICANTES E NAO EDIFICANTES

Áreas edificantes - zona industrial Áreas non aedificandi - zona restrita à ocupação


impulsionar

Dar incentivo, estimular, motivar.

Impulsionar a arte no Vale do Aço e fixá-la aqui, impulsionar as pessoas a passarem por ali, a visitarem os locais e impulsioná-las a conhecer o que não conhecem, adquirindo diversidade cultural e convivência entre os mesmos.

Sala dos professores

Blocos

Coordenação

Ambulatório

Farmácia

Auditório

Dormitório

Lanchonete

Secretaria

Banheiro Público

Restaurante

PROGRAMA

Apoio para funcionários

Reitoria Gráfica

Suporte Técnico

DE USOS

Atendimento Psicológico

Estacionamento

Teatro

Mercado

Trilhas

Sala de Professores

Área de convivência


0m

Mirante Quiosque Espaços culturais Blocos universitários Coordenação/S ala para professores Secretaria / Suporte técnico / Gráfica

200

300

Dormitórios Restaurante Estacionamento Atendimento psicológico Biblioteca Mercado

Artérias

Farmácia

Ciclovia

Apoio p/ funcionários

Rua impermeável

Pontos de ônibus

Estratégias

100

500


1 turma - média 8 períodos

39 cursos

39 turmas - média 312 períodos

Média 45 alunos por turma

Média de 21.040 alunos no total

Média alunos

15 pessoas por vaga (2,5m x 5m)

21.040 pessoas 1.402 vagas no total

Média vagas de estacionamento

25 salas de aula em cada bloco

+

10 salas de informática

+

4 banheiros

Média salas de aula; informática; banheiros

.Sem fins lucrativos com financiamento público; .Transferência de bens móveis e imóveis integrantes do patrimônio da União; .Concessão à iniciativa privada (comércio nas dependências); .Inserção mediante atendimento de demanda regional e expansão da rede pública de ensino superior, garantindo uso e aproveitamento. .Possibilidade de parcerias com empresas locais, através de leis de incentivo à cultura.

Viabilidade


CONCURSO PARA A PRAÇA CENTRAL DE GUARATUBA

Escritório: Arthur Eduardo Becker Lins, 2017 Local: Guaratuba (PR), Brasil. Projeto que conecta a história da cidade, o cotidiano e a área de preservação existente ao redor através dos espaços de convivência e circulação. Esses elementos e seu desenho ortogonal abrem a praça para a cidade, permitindo sua integração ao contexto. Fonte: <https://www.archdaily.com.br/br/878655/primeiro-lugar-no-concurso-par a-a-praca-central-de-guaratuba-pr>

EDIFÍCIO DE USO MISTO NO CENTRO CRIATIVO DE LONDRES Escritório: AQSO arquitectos, 2017 Local: Londres, Inglaterra. Edifício que abrigará um hotel em frente à famosa esquina, além de um cinema, espaços comerciais e lojas. Edificação de uso misto cujo design arrojado e possibilidade de uso diversificado marcarão a nova porta de entrada para o coração criativo de Londres. Fonte: <https://www.archdaily.com.br/br/895628/aqso-arquitectos-projeta-edifici o-de-uso-misto-no-centro-criativo-de-londres>

Referências


ESCOLA DE ARQUITETURA ABEDIAN

Escritório: CRAB Studio, 2013 Local: Queensland, Austrália. Edifício de design arrojado com dois a três níveis articulados, formando espaços de funções diferentes. Fonte: <https://www.archdaily.com.br/br/01-177510/escola-de-arquitetura-abedi an-slash-crab-studio>

COMPETIÇÃO PARA REGENERAÇÃO DE "AGIA SOFIA ACHEIROPOIETOS Escritório: OFFICETWENTYFIVEARCHITECTS e VANDOROS ALEXIOS. Local: Salonica, Grécia. Parque em meio à cidade. Espaços com grande vegetação, passagens secretas, bancos e áreas de lazer conectada diretamente com o dia-a-dia dos habitantes. Vegetação como barreira acústica. Estacionar é proibido ao longo das ruas, pois existirão locais apropriados para o estacionamento. Fonte: <https://www.behance.net/gallery/5008823/Competition-of-the-Agia-Sofia -Acheiropoeitos-axis>

Referências


PRAÇA CÍVICA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA (UFJF) Local: Juiz de Fora (MG), Brasil. Área da UFJF utilizada como espaço de lazer disponibilizada à população.

SESC ITAQUERA

Projeto: Eduardo de Castro Mello e Cláudio Cianciarullo, 1992 Local: São Paulo (SP) Complexo que abrange, além de espaços culturais e área de lazer, trilhas curtas próximas ao perímetro urbano da Zona Leste paulistana. Fonte: <https://www.archdaily.com.br/br/878655/primeiro-lugar-no-concurso-par a-a-praca-central-de-guaratuba-pr>

Referências


OIKOS

Projeto: Aperam South America, 1995 Local: Timóteo (MG), Brasil Reserva de Mata Atlântica remanescente ao Parque Estadual do Rio Doce e vizinha ao perímetro urbano de Timóteo. Mantida pela Aperam South America, é equipada com trilhas, centro de educação ambiental, atendimento ao turista, circuito arborístico e brinquedos. Aberto à população. Fonte: <http://brasil.aperam.com/sustentabilidade/fundacao-aperam-acesita/oik os/>

Referências


https://www.mundovestibular.com.br/articles/18019/1/Ciencias-Humanas/Paacutegina1.html https://www.guiadacarreira.com.br/cursos/ciencias-humanas/ https://pt.wikipedia.org/wiki/Ci%C3%AAncias_humanas https://www.thecities.com.br/Brasil/Minas-Gerais/Cultura/1757/ http://www.fumec.br/a-fumec/unidades/fch/ http://atlasbrasil.org.br/2013/pt/perfil_m/coronel-fabriciano_mg http://atlasbrasil.org.br/2013/pt/perfil_m/ipatinga_mg http://atlasbrasil.org.br/2013/pt/perfil_m/santana-do-paraiso_mg http://atlasbrasil.org.br/2013/pt/perfil_m/timoteo_mg ftp.ibge.gov.br/Estimativas_de_Populacao/Estimativas_2017/estimativa_dou_2017.pdf http://brasil.aperam.com/sustentabilidade/fundacao-aperam-acesita/a-fundacao/cultura/

ReferĂŞncias BibliogrĂĄficas


MAPA GERAL Universidade Federal de Ipatinga


Baixa Complexidade Guarita Ponto de Ã&#x201D;nibus Quiosque Mirante


fluidez

Qualidade, espontaneidade, inovação

Ondulações que simulam criatividade, vivência, mutabilidade, impulsionando o lado humano das pessoas. Também remetem ao rio Piracicaba e ao relevo local. Retas que representam o foco, determinação e seguir em frente, seja nos estudos ou na vida em geral.

REFERÊNCIAS CONCEITUAIS (GERAIS) Centro Heydar Aliyev - Baku, Azerbaijão Projeto: Zaha Hadid Architects, 2013 Ondulações que remetem à quebra das ordens rígidas da arquitetura da União Soviética, da qual o país se desmembrou em 1991. Formas que trazem inovação e otimismo em uma relação contínua e fluida entre as edificações. Fonte: <https://www.archdaily.com.br/br/01-154169/ centro-heydar-aliyev-zaha-hadid-architects>


Concreto

Madeira

Durabilidade

Área de preservação no entorno

REFERÊNCIAS CONCEITUAIS (GERAIS) Teatro Popular Oscar Niemeyer - Niterói, RJ, Brasil Projeto: Oscar Niemeyer, 2007 Complexo cultural baseado em linhas que reverenciam o movimento das ondulações marítimas, aproveitando assim as curvas da paisagem. Bastante uso de concreto armado. Fonte: <http://www.arcoweb.com.br/noticias/noti cias/projetado-por-niemeyer-teatro-popularde-niteroi-reabre-no-rj>

Masterplan Campus WU - Viena, Áustria BUSarchitektur, 2013 Campus universitário cujos setores são interligados por elementos retilíneos e detalhes ondulados expressos nas praças, caminhos e espaços verdes. Fonte: <https://www.archdaily.com.br/br/01-15553 7/masterplan-campus-wu-slash-busarchitekt ur>


0m

Guaritas

Sol Nascente

Quiosques Pontos de ônibus

Sol Poente Vento predominante

Mirante

Artérias Ciclovia Rua impermeável

100

200

300

500


GUARITA

As guaritas da UFI buscam conectar as pessoas levando o contato direto com a natureza através de seu interior e do entorno.

PROGRAMA

CONCEITO

Vigiar Assegurar Transitar Entrar/Sair (Pedestres e veículos); Conexão com a natureza

RELAÇÃO INTERNO X EXTERNO a partir da visão ampla dos funcionários que estão dentro da guarita; CONTEMPLAÇÃO DA NATUREZA por ser um local cercado de vegetação e pelo trabalho paisagístico realizado na faculdade;

O PROJETO/ESTRATÉGIAS Foi desenvolvido projeto de GUARITA possui apoio para necessidades básicas funcionários;

um que as dos

Harmonizar ambiente de trabalho a partir da integração dos funcionários, local de trabalho + convivência;


O PROJETO/ESTRATÉGIAS

Relação de funcionários/ estudantes/ visitantes com a natureza;

A forma da cobertura remete aspectos naturais encontrados no entorno do lote (montanhas e rio);

Relação entre interior e exterior a partir de respiros na construção (brises) e janelas panorâmicas que contornam a guarita;


REFERÊNCIAS CONCEITUAIS

Fundação Nacional de Pesquisa de Cingapura Arquitetos: Perkins + Will Localização: Cingapura Área: 65.000 m2 Projeto do ano: 2013 Fotos: Tim Griffith Estabelece conexão entre três edifícios de pesquisa que busca estimular as pessoas através da natureza e uso da sustentabilidade ambiental

Qian’an Sanlihe Greenway Projeto: Turenscape Local: Qian’an Tamanho: 135 Hectares Projeto do ano: 2010 Além da densa vegetação e da conexão direta da população com a natureza, no projeto também foram usadas estratégias de cor forte, materiais que agridam a natureza o mínimo possível e áreas de lazer que possuem coberturas com formas variadas.


PONTOS DE ÔNIBUS

Paradas de ônibus que serão utilizadas nas principais vias da universidade, favorecendo o fluxo dos estudantes. Além disso, serão integradas ao entorno.

PROGRAMA

CONCEITO

Esperar ônibus Descansar Conversar Estacionar bicicleta Situar-se

Condução Por ser um ponto de ônibus, trata-se de um local de passagem obrigatória para muitos estudantes, então pretende-se aprimorar o devido funcionamento. Dessa forma, há a devida condução dos usos do entorno, incluindo as atividades do ponto, a ciclovia, os pedestres e prédios próximos.

O PROJETO/ESTRATÉGIAS Canteir o

Árvore

Bicicletário e área de estar Espera de ônibus

Planta layout 0m

1

2

3

5


Abrigo e segurança em qualquer tempo

Ondulação forma uma espécie de concha que acolhe as pessoas. Brise e parede lateral retém atenção de quem espera o ônibus na direção que este vem, gerando amplitude visual Mapa de localização Uso de sombreamento natural

Foco na visualização do ônibus para quem o espera Recuo na calçada para parada do ônibus, evitando interferência no trânsito.


Sombreamento, vegetação, configuração formal da obra e interação com o entorno, mesmo que propositalmente limitada, favorecem o paisagismo e fazem o tempo de espera parecer mais curto.

Integração com a ciclovia e/ou entorno, gerando uma área de convívio.

Interação com o entorno: de um lado ponto de ônibus, do outro praça pequena coberta.


Integração com a ciclovia e/ou entorno, gerando uma área de convívio.

Integração com a ciclovia e/ou entorno, gerando uma área de convívio.

Espécie de árvore de copa alta e ampla, como o pau-ferro (Caesalpinia leiostachya), que também é típico da flora nativa, proporciona sombra em função de seu dimensionamento.


Canteiro traz elemento do entorno (vegetação) para o interior do ponto, além de ser um elo entre os dois lados.

Iluminação noturna

Iluminação noturna


Vista superior

REFERÊNCIAS CONCEITUAIS 3º lugar Concurso Parada de Ônibus Projetar.ORG Brasil | Vinicius Muller do Valle e Ana Montrucchio Ilkiu, 2017

Fonte: <http://cdn.projetar.org/arquivos/46603aaac9b79eda949233c1f428e56b.jpg >

Ponto de ônibus cuja estrutura, feita de concreto armado, tem seu formato ondulado que favorece a amplitude visual. Parte de sua laje fixada ao chão forma uma área de convívio e bicicletário.

Ponto de ônibus inteligente Paris, França | Régie Autonome des Transports Parisiens (RATP), 2016 Ponto de ônibus integrado ao contexto local através de área de convívio, estar e bicicletário. Fonte: <https://super.abril.com.br/blog/planeta/paris-testa-um-8216-ponto-de-onibus-do-futuro-8217/>


QUIOSQUE UFI

O quiosque baseou-se na ideia de “pausa”: pausa entre percursos pendulares, onde oferece um conforto para os estudantes e visitantes.

PROGRAMA

CONCEITO

Descansar Lanchar Encontrar Transitar Permanecer

PONTO DE ENCONTRO O projeto oferece um espaço de encontro, um respiro para descontração e proximidade entre os indivíduos.

O PROJETO/ESTRATÉGIAS

O projeto foi pensado para um quiosque modelo e ser inserido em locais estratégicos para um apoio aos blocos da Universidade.


O PROJETO/ESTRATÉGIAS

Sua forma curva, traz a leveza e o aconchego para o local. Refere-se ao rio e montanhas.

O brise não deixa com que o sol se incida diretamente nos alimentos, pois ele faz com que a iluminação natural seja sutil.

O quiosque tem aberturas laterais, que faz com que a ventilação seja eficiente independente do local onde ele for colocado.


O PROJETO/ESTRATÉGIAS

O mobiliário conta com a altura um pouco menor que o comum, já que essa "fluidez" traz uma sensação mais despojada, fora do padrão.

O quiosque oferece apoio aos blocos com lanches rápidos para os intervalos de aulas, trazendo uma maior comodidade aos alunos.


REFERÊNCIAS CONCEITUAIS

O Jardim Australiano / Taylor Cullity Lethlean + Paul Thompson

O Jardim Australiano envolve visitantes em seus ritmos sutis, formas fluidas e uma flora tenaz da paisagem, o que inspira muitos artistas e escritores.

Z Café - Shopping Iguatemi / Aline Fuhrmeister O novo Projeto do quiosque Z Café, de linhas mais modernas, com a nova linguagem, tem um bar central e dois decks, ambos em madeira de demolição, cercados por floreiras, vidro, ferro e iluminação pontual trazendo um conforto e aconchego para as pessoas que estão transitando pelo shopping.


MIRANTE UFI

O mirante UFI conta com a paisagem favorável para trazer harmonia e sensibilidade aos estudantes e visitantes deste parque universitário.

PROGRAMA Leitura/Estudo Contemplar a vista, o céu Relaxar/Descansar Rezar Contato com os elementos naturais Atração turística popular

CONCEITO Máxima comunicação com o externo O projeto deve atuar como uma extensão da mata, do terreno, e da trilha. Essa comunicação vem da contemplação do pôr do sol, da natureza e desse respiro na relação interno x externo de uma universidade. Deve provocar sensações que tragam pertencimento ao local.

O mirante foi projetado na extremidade de uma curva de nível à beira do rio aproveitando a morfologia do espaço, e em direção ao Oeste, onde o sol se põe, que além de não “sujar” as visuais, proporciona uma linda vista aconchegante. PLANTA LAYOUT


Na área do terreno, ele é rodeado de árvores que sombreiam a trilha que leva até o mirante e causam sensação de harmonia e liberdade sobre a faculdade

Nele, possui também um mobiliário novo onde habita livros deixados pelos estudantes para outros estudantes utilizarem no local.

Procuramos proporcionar a experiência de contemplar também o céu, ao deitar sobre um “piso de rede” no deck.


Feito em madeira, pela durabilidade e para minimizar a interferência humana, a sua forma curva é a identificação dos elementos da faculdade, onde todos se conectam através de mobiliários fluídos que trazem a sensação de leveza e harmonia.

Para um melhor desempenho mental dos alunos, acreditamos que esse contato com a natureza é essencial para que se sintam pertencentes do espaço e não frustrados com a faculdade, o que é bastante comum.


REFERÊNCIAS CONCEITUAIS

Mirante para Koblenz / Dethier Architectures O mirante tem o formato de um triângulo oco posicionado no platô com vista para Koblenz. Um caminho, acessível aos visitantes e oferecendo nas curvas, vistas para o parque e para a própria estrutura. A escolha de materiais (madeira de espécies nativas para a estrutura e caminho significou o contato com a natureza.

Pavilhão Pine Forest / e2b arquitectos O Pavilhão nasceu do desejo por um lugar de contemplação e interação com o ambiente natural: uma floresta de pinheiros centenários que conformam uma exuberante paisagem. O edifício foi projetado para tomar proveito das qualidades do ambiente. O Pavilhão busca conexão com o exterior, transmitindo leveza e harmonia.


Média Complexidade Sala dos Professores Espaço Cultural


MĂŠdia Complexidade Sala dos Professores


CONCEITO GERAL FLUIDEZ QUALIDADE, ESPONTANEIDADE E INOVAÇÃO Ambientes que simulam criatividade, vivência, mutabilidade, impulsionando as relações/interações sociais.


RERFERÊNCIAS GERAIS

Bond Collective, rede de coworking nos Estados Unidos: locais de trabalho e reunião que valorizam o convívio entre os profissionais, através dos espaços que possibilitam pontos de encontro e conversação e ao mesmo tempo adaptação aos diferentes contingentes.

Second Home Lisboa Projeto: Selgas Cano Archtect Espaços amplos, fluídos e despojados que formam uma ambiente de trabalho que leva em consideração a espontaneidade das pessoas, o convívio e o bem estar

Empresas dos sonhos têm tobogã, pista de skate e funcionário pode levar cão As cores vivas se mesclam à geometria do espaço, que assim se torna dinâmico, estimulando a criatividade dos funcionários da Bogotá Coworking, na Colômbia


FLUXOGRAMA

Planta-chave do projeto de sala dos professores


Imagem externa representativa que mostra a intenção de projeto para a entrada da sala dos professores

Imagem externa representativa que mostra a intenção de projeto para o pátio externo (espaço de convivência)


Imagem externa representativa que mostra a intenção de projeto para o pátio externo (espaço de convivência)

AMBIENTE I CONCEITO INTEGRAR. CONECTAR QUALIDADE, ESPONTANEIDADE E INOVAÇÃO Ambiente que proporciona conexão intelectual e virtual. Onde os usuários literalmente se conectem um com o outro, mas de forma integrada com o trabalho.


RERFERÊNCIAS AMBIENTE I

Espaço 365, Brasília (DF) Espaço de coworking que tem objetivo de “Conhecer novas pessoas. Gerar conexões. Criar oportunidades.” As tonalidades de cores das paredes e do mobiliário e o próprio formato da mobília de sua sala de computadores geram um ambiente de trabalho alegre e despojado que incentiva a interação entre as relações dos usuários, mantendo um ambiente positivo e produtivo.

Ministry of New – Índia Escritório de coworking cuja sala de computadores mescla a modernidade expressa em sua arquitetura industrial com o despojamento de suas luminárias e mobiliário em destaque, gerando um ambiente fértil ao diálogo e à criatividade.


FLUXOGRAMA


Planta-chave demarcando ambiente a ser detalhado.

Imagem representativa da recepção/secretaria da sala dos professores


Imagem representativa do espaço para computadores da sala dos professores

AMBIENTE II CONCEITO INTEGRAR. RELACIONAR QUALIDADE, ESPONTANEIDADE E INOVAÇÃO Ambiente no qual os usuários irão se relacionar, criar vínculos e, com isso, desenvolverão trabalhos criativos. Eles terão total liberdade na hora de decidir onde trabalhar e de qual forma preferem.


Espaço Coworking / APPAREIL Os espaços foram desenhados para fomentar o desenvolvimento do trabalho de forma transparente, compartilhando ideias e estimulando as colaborações potenciais. Além de mesas flutuantes, o volume permanece vazio de forma deliberada Adota a concentração de criadores, designers, arquitetos, empresários de diversas atividades artísticas, tanto para aquelas que são desenvolvidas de forma manual quanto para aquelas que são equipadas com métodos de produção controlados de forma numérica: uma relação criativa dentro de um centro de atividades.

Sinergia Cowork Palermo / Emilio Magnone + Marcos Guiponi O projeto de estilo industrial utiliza uma paleta de cores neutras (branco e cinza claro), onde as outras cores surgem dos colegas de trabalho, vegetação e mobiliário. Os escritórios funcionam como um coworking: um conceito recente nos espaços de escritórios contemporâneos, onde o usuário se insere em um ambiente colaborativo heterogêneo que melhora seu trabalho e habilidades sociais.


FLUXOGRAMA


Planta-chave demarcando ambiente a ser detalhado.

Imagem representativa da entrada do ambiente Co-Working


Imagens representativas do ambiente Co-Working


REFERĂ&#x160;NCIAS BIBLIOGRĂ FICAS https://mufasa.agency/empresa/coworkings-pelo-mundo-10-espacospara-se-inspirar/ http://franmateos.com/lisboa/ https://noticias.bol.uol.com.br/fotos/entretenimento/2013/11/27/em presas-dos-sonhos-tem-toboga-pista-de-skate-e-funcionario-pode-leva r-cao.htm?fotoNav=4#fotoNav=22 https://espaco365.com.br/coworking-brasilia/ https://www.archdaily.com.br/br/874682/sinergia-cowork-palermo-em ilio-magnone-plus-marcos-guiponi https://www.archdaily.com.br/br/880071/espaco-coworking-appareil


Média Complexidade Espaço Cultural


CONCEITO GERAL FLUIDEZ QUALIDADE, ESPONTANEIDADE E INOVAÇÃO Ambientes que simulam criatividade, vivência, mutabilidade, impulsionando as relações/interações sociais.


MOODBOARD


CULTURA RELEVANTE O espaço cultural é voltado para exposição de arte e apresentações em geral.

FLUIDEZ + RELEVÂNCIA DA NATUREZA O princípio do projeto parte do maior estímulo ao contato com a natureza.


Ele conta com uma vegetação de grande porte ao redor e uma estrutura que as valorize e torna o espaço harmônico.

ESPONTANEIDADE, INTEGRAR E ALTERNAR Planta-chave do projeto do espaço cultural


Todo o espaço consiste numa fluidez intensa, onde a liberdade de se expressar transparece até nos mobiliários.

A fachada da "caixa estrtural" contém rasgos e arvores de grande porte em sua volta.


Uma estrutura em concreto com brises de madeira que facilitam a ventilação, barra a insolação e traz um visual incrível em conexão com as árvores.


AMBIENTE I CONCEITO ESPONTANEIDADE Facilidade de expressão e liberdade para se apropiarem do epsaço da maneira que quiserem transmitindo maior convivência e cultura


O anfiteatro não possui mparedes laterais, os brises de madeira trazem ventilação e ameniza a insolação para mais harmonia no espaço.

Os mobiliários são 4 módulos diferentes e com formas que possibilitam o encaixe no outro

Os mobiliários são 4 módulos diferentes e com formas que possibilitam o encaixe no outro


O revestimento ripado em madeira remete a natureza como conexão a ela também.

Assim, todos assumem o papel potencializar as relações interpessoais.


AMBIENTE II CONCEITO INTEGRAR E ALTERNAR O movimento e a mudança do espaço pelos espectadores e produtores é o que liga a convivência e a alternatividade nas exposições


Uma sala de exposição alternativa que possibilita diversas formas de um artista expor seu trabalho.

Através dos mobiliários, o artista pode colocar seu trabalho na altura que quiser ou até mesmo nem utilizar os mobiliários.

Um jardim de inverno com bambu-mosso também é um elemento que remete o contato ao verde.


Como é uma sala mais descontraída, acreditamos que isso potencializa a convivência entre as pessoas.

Os brises tem possuem fita led em suas tabuas, o que transforma o visual da sala, já que chegam ao mesmo nivel.

Por si só, a sala exerce a função de exposição de arte e tambem possibilita aos outros a assistirem dali as apresentaçoes que aocntecem no anfiteatro.


REFERÊNCIAS HIROSHI SENJU MUSEUM KARUIZAWA O Museu conta com a presença da natureza em sua edificação, mantendo a importancia dela, sensibiliza os espectadores ainda mais na exposição.


MOBILIÁRIO URBANO A proposta é praticamente obrigar a convivencia entre "desconhecidos" nos mobiliários.


Alta Complexidade Biblioteca


BIBLIOTECA UFI CONCEITO FLUIDEZ A busca de conexões e relações entre os espaços internos e externos resulta em elementos entrelaçados que tornam os espaços descontraídos e atrativos, caminhos e mobiliários fluídos que levam ao que o estudante necessita para estudar/ler.


REFERÊNCIAS GERAIS BIBLIOTECA-PARQUE / MANGUINHOS - RJ O objetivo desse projeto é transformar as bibliotecas em espaços produtores de cultura. O conceito surgiu a partir da crença nas ideias de que um ambiente cheio de estímulos artísticos, com espaço para convivência e troca de ideias, que não apenas apresenta cultura, mas também a produz, é um grande incentivo à formação de leitores. A biblioteca localizada em Manguinhos possui até um cinema, que serve como apoio para a população local já que na região não há cinema nem teatro. BIBLIOTECA VIVA / SP Projeto que busca revolucionar o antigo pensamento sobre bibliotecas, aperfeiçoando as bibliotecas já existentes pelo Brasil e alertando quem pretende começar um projeto nessa área. Hoje em dia as bibliotecas têm que ser sinônimo de dinamismo, inclusão e, principalmente, vasta área de conhecimento que abranja a cultura no geral.

INSTITUIÇÃO EDUCATIVA LA SAMARIA / CAMPUZANO ARQUITETOS Essa escola situada na Colômbia parte do principio de uma certa setorização, onde no primeiro andar se localizam as atividades abertas ao público (sala de artes, laboratórios, bibliotecas) para que mesmo quando a escola esteja fechada, possa ser de caráter público, servindo de apoio para a comunidade através de equipamentos públicos e serviços.


PLANTAS GERAIS

SUBSOLO

Tร‰RREO

1ยบ PAVIMENTO


2ยบ PAVIMENTO

3ยบ PAVIMENTO


O PROJETO/ESTRATÉGIAS

Através do contato com a natureza, os espaços são fluídos, FACHADA FRONTAL

aproveitando o máximo de ventilação e iluminação natural. FACHADA POSTERIOR

Os mobiliários conversam entre si, alguns carregam a biblioteca aberta, PERSPECTIVA


e contém o que um estudante precisa para “relaxar” enquanto lê ou estuda. PERSPECTIVA

Uma “caixa de vidro” em cada bloco a iluminação zenital nos últimos pavimentos, FACHADA LATERAL DIREITA

e com janelas sempre mais largas o edifício tem tudo para ser um local arejado e confortável para o estudante.

FACHADA LATERAL ESQUERDA


BIBLIOTECA COMPARTILHADA FLUXOGRAMA Entrada > biblioteca compartilhada > sala de estudos > laboratรณrio de informรกtica

PLANTA ESQUEMรTICA AMBIENTE I (BIBLIOTECA COMPARTILHADA)


Referências conceituais BIBLIOTECA COMPARTILHADA / UFC Projeto desenvolvido na UFC para compartilhamento de livros sem necessidade de toda a burocracia da biblioteca em si. O acervo é obtido através de campanhas para doações e tem como objetivo o incentivo à leitura tanto dos estudantes quanto da comunidade vizinha.

B4i Hub / SP Projeto que foi desenvolvido com objetivo de favorecer a troca/ comunicação entre os profissionais que utilizam o imóvel através de ambientes para networking e espaços de lazer.


BIBLIOTECA COMPARTILHADA

INTERLIGAR A ideia do conceito é a junção de ambientes e espaços que se conectem (e conectem os usuários) para aprimoramento da Biblioteca.


BIBLIOTECA COMPARTILHADA


ÁREA DE CONVIVÊNCIA Fluxograma Entrada -> salas de aula > quiosque (lanchonete) > quiosque (xerox e venda de livros)


Referências conceituais

CENTRO DE ESTUDANTES NA UNIVERSIDADE DE GEORGETOWN Ampliação do centro de estudantes da universidade com intuito de incentivar e desenvolver experiências de estudo em espaços despojados e casuais. O projeto possui certificação LEED Gold e apoia espaços informais como meio de impulsionar os estudos.

NÓZ / Vertentes Arquitetura Projeto que, através de uma padaria, tem como objetivo ser um respiro de civilidade em meio a urbanização, buscando voltar com os “tempos antigos” e voltar com o convívio entre vizinhos e cidadãos no geral.


ÁREA DE CONVIVÊNCIA

AGREGAR Através do conceito geral da faculdade (FLUIDEZ), incorporar novas ideias, conceitos e técnicas para a Biblioteca.


ÁREA DE CONVIVÊNCIA


COBERTURA DE CONVIVÊNCIA Fluxograma Térreo -> Elevador -> Quiosque -> Área de convivência


Referências conceituais

WOMBATS CITY HOSTEL, MUNIQUE O hostel em Munique conta com uma área de convivência e de descanso na cobertura ao ar livre, tem mobiliários de todos os tipos, desde tapete até mesa para que o visitante se sinta confortável e por ser mais descontraída torna o hostel extremamente atrativo.

Centro de Estudantes na Universidade de Georgetown O "Riverside Terrace"da Universidade é uma zona ao ar livre que estende o espaço de vida da grande sala para o exterior, com vistas ao Potomac. Apoiando aos espaços informais e de estudo do centro de estudantes há uma cafeteria-pub que oferece lugares de comida alternativa ao refeitório do campus.


CENAS LARISSA INTERATIVIDADE O espaço dialoga com o usuário através de mobiliários

Quiosques de apoio para os estudantes


Atividades dinâmicas propõem uma interação entre os estudantes.

Espaço de convivência ao ar livre


CENAS LARISSA

Iluminação zenital que traz a luz natural para dentro do ambiente


PlatĂ´s que traz aconchego para os estudsntes


PÁTIO JARDIM Fluxograma Entrada principal -> pátio-jardim -> sala de exposição -> terraço jardim


Referencias conceituais

ROXBOROUGH POCKET PARK Este é um pequeno espaço de parque em um terreno baldio no bairro de Roxborough, na Filadélfia. Usando a arquitetura existente do espaço, a Groundswell reinventou o local e criou um espaço público exuberante e convidativo usando uma variedade de componentes de assentos, instalações de arte e programação sazonal, como caminhões de alimentos, ioga e noites de cinema ao ar livre. Materiais e práticas sustentáveis ​também foram integrados em todo o local usando pavers permeáveis ​em caminhos, um jardim de chuva e uma variedade de espécies nativas de árvores e plantas.

O JARDIM COBERTO / LABORATÓRIO PERMANENTE O projeto, do escritório Laboratorio Permanente, ocupa uma porção do jardim da escola. Por esta razão, todo o projeto centra-se na criação de uma nova estrutura que, através de diferentes estratégias, compensa essa ocupação: construindo uma cobertura acessível e, em parte, verde; criando grandes aberturas faceando as árvores do jardim existente; introduzindo um pátio com árvores no coração do edifício. O objetivo do projeto foi promover uma relação constante da nova estrutura com o exterio


PรTIO JARDIM

CONECTAR

O pรกtio conecta os dois elementos construtivos da biblioteca

e as pessoas ao espaรงo, interligando tudo ao mesmo tempo, expressivamente.


PÁTIO JARDIM

A sala de exposiçao contém os mesmos mobiliários dos espaços culturais, desa vez para expor livros e sentar

A caixa da escada serve de apoio para exposiçao de quadros dos artistas


REFERĂ&#x160;NCIAS BIBLIOGRĂ FICAS https://casa.abril.com.br/profissionais/coworking-quatro-espacos-de-trabalho-cole tivo-em-sp/ http://bloga.grupoa.com.br/e-uma-biblioteca-e-um-parque-e-a-superbiblioteca/ http://siseb.sp.gov.br/arqs/Notas5_web.pdf https://www.archdaily.com.br/br/869605/10-colegios-que-integram-os-conceitosde-comunidade-e-pedagogia-na-colombia?ad_medium=gallery http://portaldobibliotecario.com/biblioteca/bibliotecarios-implementam-projeto-ino vador-de-incentivo-a-leitura/ https://www.archdaily.com.br/br/776230/centro-de-estudantes-na-universidade-d e-georgetown-iko-architects?ad_medium=gallery https://www.archdaily.com.br/br/796504/n-z-vertentes-arquitetura?ad_medium= gallery


Estúdio VIII - Larissa, Gabriela, Lívia H, Hélio  
Estúdio VIII - Larissa, Gabriela, Lívia H, Hélio  
Advertisement