Page 1


cardápio

NOSSO BAR + ................................. 03 bar do comercial .......................06 BARSÍLIO PETISCOS & GRILL.......08 BOTECO BOLONHA ...........................10 BOTECO DA VILA..............................12 BOTEKO DA VILLA ESPETINHOS ... 14 DESKOLADO POINT BEER ................16 TONINHO’S BAR ..............................18 TRECÃO............................................20 MAIS SABOR E LAZER ....................22 Guia de RECEITAS .........................24 negócio .........................................29 mapa da rede ..................................31

2


FOTO IVANA DEBÉRTOLIS

NOSSO BAR +

Boteko da Villa

Ponto de encontro

Conheça o Nosso Bar+, projeto piloto da Ambev para promover a cultura e a gastronomia nos bares nos bares que as pessoas se reúnem para comemorar conquistas, celebrar aniversários, bater papo, fazer planos... Centros sociais importantíssimos dentro do bairro e da região onde estão inseridos, os tradicionais botecos também são fundamentais para as economias locais: eles têm o poder para promover transformações com impacto direto no entorno. Levando tudo isso em conta e também por ser uma empresa que investe e promove cultura e gastronomia, a Ambev, pioneira no segmento de franquias de bebidas no Brasil, lançou no ano passado, em parceria com a marca Brahma, o projeto piloto Nosso Bar+ (NB+), da rede Nosso Bar, inicialmente implantado em 15 franquias, sendo 13 na capital paulista, duas

NOSSOtivaBAteRm+ como objetivo tornar

A inicia pleto, âmico e com in d s ai m ar ob orar a ade de melh com a finalid ueados q an nto dos fr ta ão aç sf ti sa alizar ntes, potenci ie cl s o d to an qu neles, xiste de bom tudo o que e tar o n e m ções, au estreitar rela a no local ci n ê a perman su a e co li b pú mente nciar positiva e u fl in , o ar cl e, o. nto do negóci no faturame

em Guarulhos e uma em Embu das Artes. Dessas, cinco ficaram com o tema cultura, cinco com gastronomia e outras cinco com os dois.

FATURAMENTO

Estima-se que iniciativas como essa aumentem o faturamento do bar em mais de 20%

3


NOSSO BAR + Cultural local Para atender o aspecto cultural, o projeto piloto do NB+ conta com a ajuda do rapper Emicida e do ativista social Alessandro Buzo. Muitos artistas da música, teatro, dança, literatura, entre outros – quase sempre naturais das próprias regiões onde os negócios estão inseridos – são convidados a se apresentar. Para Buzo, o mais bacana do projeto Nosso Bar+ é oferecer a oportunidade de agitação cultural para todos.

A arte de cozinhar Já na parte gastronômica, que conta com a curadoria do chefe e proprietário do restaurante Mocotó, Rodrigo Oliveira, a ideia é melhorar nesses bares tudo o que estava relacionado à comida – desde a questão física (com novos equipamentos) até a gestão (com o aperfeiçoamento das dinâmicas de preparo) – e fazer deles referências nas regiões em que se encontram. Para atingir esse desafio, Oliveira e sua equipe elaboraram um menu de petiscos

va é uma Essa iniciati o público, os ponte entre ar, para que artistas e o b am ver que todos consig e rotagonistas podem ser p r o sociedade p a r ia c n e u fl in meio da arte Emicida, rapper 4

Dica do buzo

“Bar não é local só para beber e comer. E mesmo os que já tinham alguma atração, com essa ação puderam agregar outras vertentes. Fora que o contato com novas culturas acaba plantando uma sementinha na comunidade, fazendo com que ela queira cada vez mais novidades” Alessandro Buzo, ativista social

GASTRONOMIA

“A ideia foi descobrir a essência e a história do bar para, a partir disso e com a expertise do Mocotó, tentar oferecer a eles uma estrutura melhor e novas ideias. A possibilidade de passar adiante nossos princípios, nossa visão de negócio, enfim, de poder compartilhar o que aprendemos aqui com colegas é mais do que um motivo, é uma alegria e uma responsabilidade”. Rodrigo Oliveira, chef e curador de gastronomia do Nosso Bar +

(confira nesta edição) e realizaram treinamentos no Mocotó e nos próprios bares para que os franqueados passassem a desenvolver pratos que tivessem a ver com o local e que também fossem viáveis.

Saiba mais s Nosso Bar+ obre o

O projeto piloto No ss foi realiz ado entre o Bar+ outubro e dezembr od ideia é qu e 2015. Agora, a e os estab elecimen participa tos ntes cont inuem realizand o as açõe s cultura gastronô is micas po r conta p e mas sem rópria, pre com o suporte u que a fra sual nqueado ra oferec e.


Conheça melhor os curadores do projeto do Nosso Bar+ Emicida O rapper Emicida, nascido em uma comunidade popular no bairro do Tucuruvi, na zona norte de São Paulo, transformou suas letras em um dos principais retratos da vida em locais humildes no Brasil. Importante representante da música, ele tem mais de dez Rapper Emicida anos de carreira. Lançou EPs, mixtapes e os álbuns “O Glorioso Retorno de Quem Nunca Esteve Aqui” (2013) e “Sobre Crianças, Quadris, Pesadelos e Lições de Casa” (2015). Por conta de seu ativismo social e por ser uma importante fonte de inspiração para artistas independentes, já que iniciou sua carreira em bailes na periferia de São Paulo, o cantor foi o escolhido para cuidar de toda a parte cultural do projeto Nosso Bar+.

Rodrigo Oliveira Aclamado como um dos embaixadores da comida brasileira, Rodrigo Oliveira está no comando do restaurante Mocotó, na zona norte de São Paulo, desde 2004. Filho do fundador da casa, José Oliveira de Almeida, aos 13 anos ele já ajudava no local – lavou pratos, limpou banheiros e serviu meira ive Ol igo sas, entre outras funções – até dr Ro Chef se tornar o “dono da cozinha”. Grande responsável pelo aperfeiçoamento e, consequentemente, pelo sucesso da casa, o chef, que em 2013 abriu um segundo restaurante – o Esquina Mocotó, com uma pegada mais autoral –, não poderia ficar de fora do Nosso Bar+, e sua história certamente servirá de exemplo para outros cozinheiros.

5


bar do comercial Do futebol para a mesa do bar

boux,

el : O anoel D Ç M I V m R o E S ço: Rua D ulo - SP

Endere uba, São Pa da a n ; irit s/nº, P mento: segu s às 24 horas a a n r Funcio a, das 18 ho 8 horas até feir o, das sextaoming d e o d sába te o clien o últim

A

história do Bar do Comercial começa bem antes da sua inauguração, há mais de vinte anos. Ele surgiu por causa do E. C. Comercial Pirituba, fundado em 29 de março de 1956. Formada pela garotada do bairro de Pirituba, na zona norte de São Paulo, a equipe tem diversos títulos em seu currículo – o último foi o de bi-campeão da Copa Pirituba de Futebol Amador, em agosto de 2015. Para oferecer um lugar mais agradável para jogadores e visi-

6

tantes, o time, que conta com o apoio de vários comerciantes da região e têm uma diretoria atuante, resolveu montar um bar no local. Além de servir como espaço de lazer, ele se tornou a sede do E.C. Comercial Pirituba. Comandado por Reinaldo Dantas, o Galo, de 47 anos, o estabelecimento é aberto para o público em geral. Lá são servidas bebidas, lanches e salgados. Este ano, a novidade deverão ser as porções. Por conta da participação no projeto Nosso Bar+, a casa começou a realizar shows ao vivo às sextas-feiras e aos sábados. “Depois disso, tanto o nosso público quanto o faturamento aumentaram 100%”, disse Dantas. Entre os artistas que já se apresentaram na casa estão a dupla Fábio Malakias e Marcão do Bongô e o Grupo Samba do Galo. Além disso, como conta

Dica de sucesso

“O mais importante para atrair e manter a clientela é tratar todo mundo bem e com respeito. Fora isso, é preciso servir os melhores produtos e ingredientes de qualidade” Reinaldo Dantas (“Galo”), administrador do Bar do Comercial


Pirituba Pirituba, na zona norte da capital paulista, nasceu a partir de uma fazenda adquirida pelo coronel Anastácio de Freitas, que mais tarde foi comprada pelo brigadeiro Rafael Tobias de Aguiar e pela Marquesa de Santos. Em 1917, passou para a Companhia Armour, e a área destinada à criação de gado de corte foi dada à Cia. City, que urbanizou a região. Hoje, o bairro conta com um comércio bem diversificado e é um dos principais pólos industriais da cidade. Também se destaca pela cena cultural, caracterizada, principalmente, pelo samba e pelo rap. a agitadora cultural responsável pelas atrações no Bar do Comercial, Raquel Almeida da Silva, por lá também passou bastante gente do rap como Reduto do Rap, Ativamente, Cartel Central, Projeto Essência e Murilo SBC. “Esse estilo sempre foi bem presente na região e o projeto Nosso Bar+ proporcionou o resgate dessa cultura.” O que também foi responsável por atrair mais gente para o bar foi a reforma do campo, promovida pela Ambev como parte do programa Viva o Campinho. A festa de inauguração, inclusive, contou a presença do ex-jogador Ronaldo e da apresentadora Sabrina Sato.

Bar do O melhor do o os amigos. Comercial sã te á cerca de vin Frequento h ei no time. anos, já jogu mo morando E agora, mes m Caieiras, mais longe, e ado à tarde, vou todo sáb ar o pessoal para encontr a. Quando sic e escutar mú ém vou às b consigo tam orei s à noite. Ad sextas-feira am que começar ao vivo. a ter shows do campo E a reforma sa u maravilho também fico to da Silva, Adriano Rober tor 39 anos, consul

Fábio Malakias e Marcão do Bongô A dupla Fábio Malakias (voz e violão) e Marcão do Bongô (voz e bongô) toca junto há cerca de um ano. Naturais de Pirituba, eles têm um repertório bem diversificado, com canções de artistas brasileiros consagrados como Djavan e Gilberto Gil, e grupos internacionais renomados, entre eles Comodores e Men at Work. Além de músico, Fábio é produtor e sócio na empresa Samalyon. Já Marcão do Bongô é fotógrafo.

7


BARSÍLIO PETISCOS & GRILL Bar de amigos

Dica de sucesso “Para conquistar clientes é preciso, especialmente no início, praticar preço baixo. Afinal, para pagar o mesmo preço dos demais locais, a pessoa vai onde já conhece. Aqui, quando abrimos, colocamos espetinhos a R$ 1,00. As pessoas nos chamavam de loucos. Mas, para nós, aquilo era um investimento. Com isso, conseguimos atrair bastante gente, mas o melhor foi que conquistamos e mantivemos esses clientes” Fernando Nogueira, sócio do Barsílio Petiscos & Grill

FOTO DIVULGAÇÃO

C

omandado por três sócios, Fernando Nogueira, de 47 anos, Luiz Severi, de 63, e Osmar Perrone, de 67, o Barsílios – Petiscos & Grill, na Aclimação, zona sul de São Paulo, em apenas quatro anos se tornou um sucesso total. A ideia de montar o bar, inaugurado em 2011, foi de Nogueira: “Meu sonho era ter uma casa de espetinhos, aí um dia, vendo uma revista, conheci a franquia Nosso Bar. Fiquei muito interessado e resolvi investir”, relembra. Junto com os sócios, o empresário encontrou um ponto no bairro onde ele e os sócios moram o que, segundo ele, foi essencial para a popularidade do estabe-

lecimento, pois, por serem conhecidos na região, isso facilitou na conquista da clientela. O que também ajudou foi o cardápio variado (com porções, pratos quentes, salgados e espetinhos) e as muitas ações culturais que os proprietários realizam. Lá, quatro vezes por semana tem música ao vivo e os artistas escolhidos são quase sempre moradores ou ex-moradores do bairro. além disso, todas às sextas-feiras acontece a Hamburgada di Boteco. Com luz estroboscópica e telão, o bar tem ainda outra atração: um enorme grafite com a imagem dos donos. “Sempre quis ter uma caricatura minha, e consegui com a ajuda do projeto

ha, : da Cun P O o Ç i l I í s V a SER ço: Rua B Paulo – S

e o Ender mação, Sã da-feira e i l c g A se un horas; terça 677, ento: m a n às 18 oras Funcio as 9 horas s às 2 h

ra ,d sábado eira, das 9 ho 06 f 2 a sexta (11) 2539-3

8

ne: Telefo


O cantor e violonista Thiago Barbosa e o guitarrista Jonathan Lima fazem parte do projeto de músicos Tang-U e, desde 2015, se apresentam juntos em diversos bares da noite paulistana. Oferecendo novas roupagens a clássicos da MPB, do pop rock e do reggae nacionais, os artistas tocam músicas de Legião Urbana, Nando Reis, Cássia Eller e O Rappa, entre outros, sempre com uma identidade marcante. No Barsílios – Petiscos & Grill eles começaram tocando às terças-feiras, e conquistaram um público fiel. Devido ao sucesso, tornaram-se residentes da casa e seus shows podem ser conferidos toda sexta-feira.

Nosso Bar+. O mais bacana é que o pessoal que vem aqui adora, e isso gera bastante comentário”, diz Nogueira. E ele ainda adianta os próximos passos do bar: “Queremos fazer uma parceria com algum foodtruck e acrescentar lanches no cardápio”. Bastante familiar, o bar conta, inclusive, com uma turma cativa e muito fiel: 12 amigos moradores do bairro, denominados “Cardeais do Barsílio”, que vão ao local todos os dias, faça chuva ou sol. Eles têm até uma mesa própria e um desenho de todos juntos decora a parede.

FOTO DIVU LGAÇÃO

Thiago Barbosa e Jonathan Lima

Barsílio Frequento o ar todos Pestiscos& B e que abriu, os dias desd do. Aqui e gosto de tu us amigos e encontro me ambém ouço como bem. T Aliás, os música boa. vida shows deram nova à casa os, (“Belo”), 61 an Antonio Puim membro dos empresário e arsílio” “Cardeais do B

Aclimação Tranquilo e ainda bastante residencial, o bairro da Aclimação, na zona Sul de São Paulo, conta com ótimas opções de bares como o Barsílio Petiscos & Grill, restaurantes e comércio. Outro atrativo é a fácil localização. Por fazer divisa com bairros como Paraíso, Liberdade e Vila Mariana, de lá é tranquilo acessar outras regiões da cidade, sendo muito bem servido de ônibus e metrô.

9


BOTECO BOLONHA

AÇ FOTO DIVULG

ÃO

Sonho de família

P

ara realizar o sonho do pai, Aurindo Alexandre Nunes, de 74 anos, de ter o negócio próprio, Alexandre Nunes, de 39 anos, se uniu a ele, em 2008, e montou o Boteco Bolonha, no bairro do Jaguaré, na zona oeste de São Paulo. Instalado em uma casa bem tradicional na região, que abriga bares há 30 anos, o estabelecimento passou por uma completa reforma em 2013, quando os proprietários atuais se tornaram franqueados Nosso Bar.

SERVIÇoO::Avenida Bolonha, 160, Endereç

SP ão Paulo – Jaguaré, S da-feira a nto: segun e m a n io c n horas, Fu horas às 23 8 s a d , o d a horas sáb horas às 18 10 s a d , o g domin 714-8196 fone: (11) 3 Tele

10

Á direita, Alexandre Nunes, dono do Boteco Bolonha. No centro, João Gabriel, do Restaurante Mocotó

Frequentado, principalmente, por moradores da região, o local serve almoço, lanches, porções e salgados. Após a entrada no projeto Nosso Bar+,

Dica de sucesso “Com a minha experiência, aprendi que sempre devemos escutar o cliente, para entender o que ele pensa e quais são as suas necessidades. Mesmo aquele que entra uma única vez no bar precisa de atenção. E é necessário conhecer de verdade quem frequenta o negócio, além de oferecer novidades, tanto no preço e no cardápio quanto no paladar e na estrutura física” Alexandre Nunes, sócio do Boteco Bolonha


Jaguaré

Casas antigas, indústrias, prédios, favela... o bairro do Jaguaré, na zona oeste de São Paulo, tem de tudo um pouco. Nascido por volta de 1935, ele foi crescendo por conta das fábricas instaladas no local e, apesar de estar longe do centro, oferece aos seus moradores uma boa infraestrutura. Divisa com o município de Osasco, também é bem servido quando o assunto é comércio e serviços. E não é só isso. O bairro também oferece muitas opções de lazer como o Boteco Bolonha, claro, ponto de encontro de moradores, o Continental Plaza Shopping – em breve terá o São Paulo Plaza Shopping –, o Mirante do Jaguaré, com 28 metros de altura, e o Museu da Tecnologia de São Paulo. também passou a oferecer dois pratos elaborados pelo chef Rodrigo Oliveira: dadinho de tapioca e caldinho de feijão de corda. E, como conta Alexandre Nunes, eles fizeram o maior sucesso: “Depois que os coloquei no cardápio, os pedidos de porções aumentaram bastante”. Muito movimentado, especialmente após às 18 horas, o Boteco Bolonha, com a reforma que passou há cinco anos, além de atrair mais clientes, influenciou o bairro todo a melhorar. Segundo seus proprietários, a farmácia, o salão de cabeleireiro e açougue, entre outros comércios que ficam próximos, também resolveram se modernizar. Para o ano que vem, a meta deles, inspirados principalmente pelas iniciativas culturais do Nosso Bar+, é colocar música ao vivo, além de novos pratos. “Aqui é um local onde amigos se reúnem. É um ponto de encontro dos mora-

nha Boteco Bolo Frequento o smo os, antes me há muitos an do e e do Aurin do Alexandr . Ele é o ponto o comprarem es dos morador de encontro , ós, inclusive do bairro. N ão de ma associaç formamos u ó amos domin g jo e s o d ta aposen anhã. Somos lá todas as m do, vez em quan em 36. E, de o churrasco n s o m e z fa m també colhe cal que nos a bar. É um lo pre que está sem muito bem e o. Inclusive, se renovand eles vidades que adorei as no o cardápio. colocaram n to Forcella, Donato Rober tado 70 anos, aposen

dores do bairro. E queremos que cada vez mais as pessoas venham até aqui para ter momentos de lazer e descontração”, diz Alexandre.

11


BOTECO DA VILA

D

ono de bar há apenas um ano, José Ailton da Silva, de 42 anos, não entendia nada do assunto quando comprou o Boteco da Vila, no Jardim Cumbica, em Guarulhos, na Grande São Paulo. “Eu estava insatisfeito na empresa onde trabalhava quando conhecidos me ofereceram o negócio. Como esse já era um sonho antigo, abracei a ideia”, relembra. Apesar da pouca experiência no ramo, o proprietário fez uma verdadeira revolução no estabelecimento. Ele mudou tudo e, com isso, conseguiu atrair um público mais familiar. O que também contribuiu para o sucesso foram as atrações que Silva colocou no bar. Antes mesmo da entrada no

Dica de sucesso “Para atrair novos clientes, é fundamental investir em divulgação. Trabalho bastante com mídias sociais, distribuo flyers e panfletos e coloco carros de som nas ruas. Estou sempre atrás de novidades para os meus clientes. Também é importante interagir com a vizinhança, saber escutar o que as pessoas têm a dizer e procurar resolver os conflitos sem brigas” José Ailton da Silva, proprietário do Boteco da Vila

12

FOTO DIVULGA ÇÃO

Transformação completa e ambiente familiar

Ailton Sanches, proprietário do Boteco da Vila

projeto Nosso Bar+, ele diz que já realizava festivais gastronômicos (de acarajé, por exemplo) e shows.“O projeto Nosso Bar+ me proporcionou a oportunidade de dobrar a quantidade de eventos por mês. Passei a quatro, enquanto anteriormente realizava no máximo dois. E também consegui contato com outros artistas, o que tornou meu bar ainda mais eclético, agradando um público variado”, afirma o empresário. Entre os músicos que já passaram pelo local estão Grupo Pega Bem, Forró Loucura, Léo e Nando, Dio Mendez, Nina Oliveira, Vinho & Companhia e Bruno

SERVIÇO::R. Segundo Tenente-

3, lvarenga, 12 A o rt e b o R Aviador lhos - SP bica, Guaru m u C im rd Ja a a quintato: segund n e m a n io c s; Fun s às 22 hora oras; ra o h 8 s a d feira, às 24 h das 8 horas sexta-feira, s 4 horas s 8 horas à a d , s o d a b á s 8 1) 2488-822 Telefone: (1

Endereço


Vaz. E os frequentadores parecem ter aprovado todos eles, tanto que o movimento aumentou consideravelmente. Silva diz que os antigos donos do bar compravam entre cinco e dez caixas de cerveja por mês, enquanto ele já chegou a adquirir 70 no período. Com a ajuda da esposa Isabel e dos filhos Emerson, Monica e Edislene, o dono do Boteco da Vila, para garantir a diversão dos clientes, também realiza bingos e sorteios. Além disso, um sábado por mês promove pagode com feijoada e “niverbar”, para a comemoração de aniversários. No dia a dia, a casa serve porções e caldos.

ativa do Sou cliente n ui a, e venho aq Boteco da Vil todo final de praticamente e ais agora qu m a d in a , a n sema s ows e artista tem mais sh , ento é ótimo im d n te a O . s novo , proprietário o , n to il A é s e o Jo e está mundo bem recebe todo le om humor. E sempre de b o ara agradar faz de tudo p é e o ambiente u q a r o F . te clien ante r e aconcheg bem familia anos, Figueiredo, 42 Monica Lopes autônoma

Nina Oliveira

Natural de Guarulhos, Nina Oliveira, de 19 anos, começou a cantar aos 16 no coro da escola. Depois, fez parte do Coletivo Cantante de cantores e atores, mas, quando a turma resolveu se separar, decidiu que era hora FOTO LU CAS SILV ESTRE de seguir carreira solo. Além de cantar, ela compõe e toca violão. Em seu repertório, Nina mescla as músicas próprias com as de artistas que ainda não são muito conhecidos do grande público e outros consagrados como Milton Nascimento, Elis Regina e Belchior. Quando o assunto é o Projeto Nosso Bar+, a jovem cantora demonstra satisfação: “foi uma maneira de mostrar o meu trabalho e de ter contato com públicos diversos”.

Jardim Cumbica (Guarulhos)

Terceiro distrito mais populoso da cidade de Guarulhos, na Grande São Paulo, o Jardim Cumbica, com seus 91.772 habitantes, abriga o Aeroporto Internacional de São Paulo e a Base Área de São Paulo (BASP). O bairro é cortado por três rodovias – Presidente Dutra, HelioSmidt e Ayrton Senna –, o que lhe garante um intenso fluxo, e possui uma forte área comercial. Além disso, tem uma agitada vida noturna e cultural, sendo que uma das principais atrações é o Boteco da Vila.

13


BOTEKO DA VILLA ESPETINHOS ÇÃO FOTO DIVULGA

Sonho antigo SERVIÇoO::Rua Dr. Augusto de

lo – SP pa, São Pau a L , 3 3 2 , a d xtaMiran e terça a se d : to n e m a Funcion horas; horas às 24 ras 18 s a d , a ir fe 4 ho s 13h30 às 2 sábado, da 4 7 2157-48 elefone: (11)

Endereç

T

C

Clientes do Boteko do Villa Espetinhos

om um público bem eclético, que varia de jovens de 18 anos até pessoas com mais de 60 anos, o Boteko da Villa Espetinhos, na Lapa, zona oeste de São Paulo, tem menos de dois anos de funcionamento. De propriedade de Luiz Henrique Martines, de 32 anos, seu pai José Edson Martines, de 63 anos, e o cunhado Danilo Bochesi, de 31 anos, a casa surgiu por dois motivos: “eu e o Danilo vivemos em boteco e temos muitos amigos no bairro, onde moramos há mais de vinte anos, então resolvemos unir o útil ao agradável. A outra razão é que meu pai, no passado, teve um snooker bar e o sonho dele era voltar para esse ramo”, conta Luiz Henrique. Já inaugurado como franquia Nosso Bar, o estabelecimento tem no cardápio espetinhos, porções e picanha no réchaud – no inverno também são colocados caldos. Na parte cultural, as atrações ficam por conta de

14

música ao vivo toda sexta-feira, como parte do projeto Nosso Bar+, e roda de samba dois sábados por mês. Alguns dos artistas que já se apresentaram na casa são Thiago Barboza, Dani Tonon, Leon Douglas, Dio Mendez, Grupo Niazi e Grupo da Villa.“Depois que iniciamos os shows, tanto o público quanto o faturamento aumentaram cerca de 25%”, comemora Luiz Henrique. “O público da casa é bem eclético, então procuramos diversificar as atrações. Teve sertanejo, pop rock, reggae, forró, rock e sam-

Dica de sucesso “Para que o bar tenha sucesso, o mais importante é não parar de investir em novidades. Quanto mais atrações oferecermos, mais o cliente vai querer vir. Também é preciso manter um bom relacionamento com os vizinhos. O ideal é escutar o que as pessoas têm a dizer e estar sempre aberto a sugestões e críticas” Luiz Henrique Martines, sócio do Boteko da Villa Espetinhos


ba”, comenta o agitador cultural responsável Rafael Alves. Para manter o ritmo, o Boteko da Villa Espetinhos também investe em ações pontuais, como festa junina, e promove aniversários dos clientes. E nos dias de futebol é certeza de casa cheia. Para o próximo ano, os sócios pretendem investir em shows de stand upcomedy e continuar com música ao vivo em alguns dias da semana. Mas, o principal desejo, é passar a abrir durante o dia, para servir refeições na hora do almoço.

illa Boteko da V o to n e u q e r F riu, desde que ab s o h n ti e p s E s amente todo c ti a r p u o v e ja e r uma cerve a m to s ia d s o to é O atendimen . ir a tr is d e m migo. o mundo é a d to , 0 1 ta o n o os shows, E curto muit e nte, a roda d principalme dos ola aos sába samba que r a, Soares de Lim Wilson Ronaldo a 36 anos, taxist

Grupo da Villa

Formado por Ricardo Gandolfi, de 33 anos, Luiz Felipe, de 25 anos, Marcos Vinicius, de 24 anos, e Marcelo Alves, de 34 anos, o Grupo da Villa, há 15 anos anima bares e casas de shows com seu samba. Moradores do bairro da Lapa, os componentes são todos amigos de infância. Tocando composições autorais e canções famosas de diversos artistas, o Grupo da Villa tem dois discos lançados – “Sem Demora”, de 2013, e “Nosso Povo”, de 2005. Atualmente, os rapazes fazem, em média, cinco apresentações por semana.

Lapa

Localizado na zona oeste de São Paulo, o distrito da Lapa ocupa, hoje, uma área de dez quilômetros quadrados e abriga quase 66 mil moradores, segundo dados da Subprefeitura do bairro. Em 1906, com a instalação das oficinas da Estrada de Ferro São Paulo Railway (SPR), que ligava Santos a Jundiaí e atravessava por São Paulo, o distrito foi divido em duas partes: a de Baixo e a de Cima. O rápido crescimento pelo qual passou o bairro nos últimos 50 anos lhe proporcionou muitas melhorias, tanto que, atualmente, ele é um dos mais bem servidos em infraestrutura urbana. E também é um local de muito lazer e cultura, com seus diversos bares e restaurantes.

15


DESKOLADO POINT BEER

ÇÃO FOTO DIVULGA

Uma galera descolada

E

m 2008, quando comprou o Deskolado Point Beer, na Vila Buarque, região central de São Paulo, Wilza Rangel de Mello, a Tuca, de 50 anos, nem imaginava o desafio que teria pela frente. “Na época, eu adquiri o bar para as minhas irmãs, mas depois decidi que iria tocá-lo. Só que eu não entendia nada do assunto, então, no começo, foi bem sofrido”, relembra a empresária.

SERVIÇO:

r Cesário

Rua Douto ue, Endereço: 1, Vila Buarq

r, 58 Motta Júnio SP São Paulo da a : de segun to n e m a n io oras Func ras às 24 h o h 7 s a d , o sábad 8-8570 ne: (11) 247 Telefo

16

Frequentadoprincipalmente por universitários – “uma galera descolada”, como diz Tuca –, o local se tornou franquia Nosso Bar em 2013 e, de lá para cá, muito coisa mudou, especialmente depois da entrada no projeto Nosso Bar+. Agora, toda quinta-feira tem show ao vivo de MPB (entre os artistas que já se apresentaram por lá estão a dupla Thiago &Jhonny, Dio Mendez e João Rezende) e nas sextas-feiras, o DJ Shake anima o pessoal. Com as atrações musicais, chegam a passar pelo bar cerca de mil clientes por noite. “O movimento aumentou uns 15%, tanto que, por semana, tenho comprado, mais ou menos, 12 caixas de cerveja a mais”, comemora a proprietária que, além de bebida, serve café da manhã, pratos quentes, lanches e porções. Mais cultura e gastronomia Para atrair ainda mais gente para o Deskolado Point Beer, Tuca pretende, em breve, reformar o espaço; melhorar o cardápio, com a introdução de novas porções, inclusive os dadinhos de tapioca, receita do chef Rodrigo Oliveira; e ampliar a agenda musical.


Dica de sucesso “Participar do projeto Nosso Bar+ também é fundamental. De quintafeira, dia que antigamente não tinha nenhuma programação especial, meu público dobrou e, com isso, as minhas vendas aumentaram consideravelmente. Dos sete anos em que estou com o bar, 2015, sem dúvida, foi o melhor, e tudo por conta do Nosso Bar+” Wilza Rangel de Mello (“Tuca”), proprietária do Deskolado Point Beer

Dio Mendez

Compositor há cerca de dez anos, e cantor profissional há oito, Dio Mendez passeia pelos mais variados estilos, indo do pop ao forró, e do reggae a MPB. Tocando no esquema “voz e violão”, ele se apresenta em bares e faz festas particulares e participação em peças de teatro. Sucesso absoluto no Nosso Bar+, o cantor se diz bem animado com o projeto. “É muito bacana ter essa oportunidade e ver o quanto as pessoas curtem e se divertem”, diz o músico eclético - ele também já fez parte de uma banda de rock e cantou sertanejo.

Antes da Tuca administrar o bar, ele era apenas mais um boteco, sem infraestrutura nenhuma. Agora não, com ela cuidando mudou tudo. O ambiente ficou agradável, seguro, e está sempre cheio de novidades. E com os shows às quintas-feiras, ficou ainda melhor. Sou moradora do bairro faz 30 anos e sei que não preciso sair daqui para me divertir Eliamar Souza Maia, 50 anos, instrutora de trânsito

Vila Buarque

O bairro abriga importantes instituições como o Sesc Consolação, o Senac, a Escola e o Teatro Aliança Francesa, a Universidade Presbiteriana Mackenzie, o Instituto de Arte Contemporânea e a Santa Casa de Misericórdia. Por lá, o que não faltam são opções de lazer. Localizada entre o centro e a zona oeste de São Paulo, e cortada pelo Minhocão, a Vila Buarque sofreu com a degradação na década de 1970, porém, passou por processo de recuperação e, com isso, ganhou ares culturais e boêmios.

17


TONINHO’S BAR

ÇÃO FOTO DIVULGA

De pizza em pizza, o bar

D

ono do Toninho’s Bar há 15 anos, Antonio Rodrigues da Paz, 48 anos, natural do Ceará, sempre esteve na área de alimentação – durante 11 anos foi pizzaiolo. Então, para ele, ter o próprio estabelecimento para venda de comidas e bebidas era inevitável. Trabalhando ao lado da esposa Kátia, das cunhadas Gilmara e Maria, e da sobrinha Natália, o empresário, antes da entrada para o projeto Nosso Bar+, nunca havia realizado eventos culturais em seu boteco. Agora, tem atrações bem diversificadas – por lá já passaram DJ’s e grupos musicais e também foram apresentados esquetes teatrais, saraus e exposição de fotos. Os shows ao vivo acontecem toda sexta-feira

18

à noite e, com isso, o movimento aumentou consideravelmente. Na parte gastronômica, serve almoço todos os dias, inclusive aos sábados, além de petiscos, lanches e salgados. “Tudo é preparado com os melhores ingredientes”, garante o dono do bar, que adianta que sua meta para o ano que vem é aumentar as opões do cardápio. Por conta da participação no Nosso Bar+, Toninho também resolveu investir mais no local e até reformou a calçada da frente para receber melhor seus clientes. Com todo o empenho, o bar acabou passando por uma transformação geral e se tornou um ponto importante para toda a região.

SERVIÇoO::Rua Oiti, 90, Endereç

Feijó Vila Regente : segunda a ento Funcionam as 8 horas e sábado, d s 8 a ir e -f ta in qu a, da ; sexta-feir às 22 horas ras ho horas às 24 2966-0367 1) (1 : ne Telefo


Dica de sucesso “O segredo para o bar ou qualquer outro tipo de negócio dar certo é trabalhar bastante e ser correto. Nesse segmento, principalmente, temos de fazer tudo bem feito, arregaçar as mangas e ir para cima. Outra coisa importante é servir produtos de qualidade e alimentos preparados com os melhores ingredientes. E, para mim, foi fundamental a participação no Nosso Bar+. O movimento e as vendas aumentaram e houve maior envolvimento com os clientes” Antonio Rodrigues da Paz, proprietário do Toninho’s Bar

Parte do distrito da Água Rasa, na zona leste de São Paulo, a Vila Regente Feijó possui uma das maiores áreas verticalizadas da região. Apesar de ser altamente residencial, tem pontos fortes de comércio, especialmente nas avenidas Sapopemba, Salim Farah Maluf e Vereador Abel Ferreira. De fácil acesso, o bairro faz divisa com a Vila Invernada, o Alto da Mooca e a Água Rasa, e possui elevado nível de infraestrutura. E agora, com o projeto Nosso Bar+ no Toninho’s Bar, a região também passou a ter mais cultura e boa comida.

Americano

Sou cliente fiel do Toninho’s Bar. Mesmo agora que moro em outro bairro, continuo frequentando, especialmente às sextasfeiras, quando eles servem espetinhos e realizam shows ao vivo. Curto muito as apresentações e gosto bastante do atendimento e também do ambiente, é bem acolhedor Alexssandro Alves dos Santos, 29 anos, martelinho de ouro

Renato Tadeu Raimundo, mais conhecido como Americano, está no rap desde os 15 anos. No ano 2000, junto com dois amigos, montou o grupo Frequencia Alternativa, que durou dez anos. Depois, participou de outras duas bandas, a Estado C, focada em reggae, rap, funk e soul, e a Cultura Natural, só de reggae. Atualmente em carreira solo, ele mistura vários estilos com música eletrônica. Além disso, há sete anos começou a fazer mandalas, porém, somente em 2013 foi que passou a vendê-las pelas ruas da cidade e também em feiras de artesanato. Em um dos seus shows no Toninho’s Bar, inclusive, ele expôs as mandalas e vendeu quase todas.

O FOTO DIVULGAÇÃ

Vila Regente Feijó

19


TRECÃO

ÇÃO FOTO DIVULGA

De funcionário a dono

SERVIÇoO::Rua Nova Louza, 66, Endereç

o Pinto Vila Firmian : segunda-feira a ento Funcionam s 22 horas s 6 horas à a d , o d a b á s 3210 : (11) 5061Telefone

E

m julho de 1987, Otacílio Silva Dantas, mais conhecido como Seu Tatá, de 56 anos, iniciou sua jornada de trabalho no Trecão, na Vila Firmiano Pinto, na zona sul de São Paulo. Naquela época, o bar pertencia ao seu cunhado, José Ferreira Miranda, e seu irmão, Raimundo de Carvalho Dantas. No local, ele foi ajudante de copa, garçom e gerente. Mas, com o passar dos anos e muito empenho, conseguiu comprar 20% da sociedade. Algum tempo depois, aumentou sua cota para

20

80% e, em 2001, adquiriu 100%, tornando-se então o único dono – hoje a sociedade é dividida com o filho Kléber, de 28 anos. Natural de Euclides da Cunha, na Bahia, Seu Tatá conheceu a franquia Nosso Bar em 2012. “Antes eu vendia dez caixas de cerveja por mês. Com a mudança, passei para 40 caixas por mês, e em alguns meses chego a vender 100 caixas”, comemora. Além de bebidas, o cardápio do bar tem pratos quentes (virado a paulista e feijoada são alguns), porções como de queijo, salame, lanches e salgados. Após ser escolhido para fazer parte do projeto Nosso Bar+,

Dica de sucesso “Passei por momentos difíceis quando assumi inteiramente o bar. O importante, em uma situação dessas, é não ficar sentado olhando para o céu. Tem que ir à luta e acreditar. E agradeço imensamente ao Nosso Bar+, porque, depois dele, os clientes passaram a consumir mais, especialmente cerveja e novas porções” Otacílio Silva Dantas (“Seu Tatá”), proprietário do Trecão


o local também passou a servir dadinhos de tapioca, petisco famoso elaborado pelo chef do Restaurante Mocotó, Rodrigo Oliveira. Hoje em dia, a clientela é bem variada. Segundo Seu Tatá, são pessoas que trabalham e moram na região e vão desde jovens até famílias. Atrações Por conta do projeto Nosso Bar+, o estabelecimento também passou a realizar shows ao vivo toda sexta-feira à noite, o que ajudou a aumentar o faturamento entre 20% e 30%. Outra atração de bastante sucesso no bar é a biblioteca. “As pessoas vêm aqui tomar um café ou comer alguma coisa e acabam

FOTO DIVULGAÇÃO

NegaSan

Há 11 anos na música, NegaSan, nascida Sandra Regina Pires dos Santos, já passou por diversos grupos como RAP Artesanal das Mc’s, Fúria Letal, Código Urbano, Bando da Rua, Banda Preto Soul e Banda Nego Véio. Com vários projetos musicais, de teatro e parcerias, no ano passado a cantora de voz potente se apresentou no Trecão ao lado da Banda Django Livre. Atualmente, ela está produzindo seu primeiro disco solo, que deve ser lançado ainda no primeiro semestre deste ano.

pegando um livro para ler. Todo mundo gostou dessa iniciativa e muita gente participa trazendo outros livros”, conta.

Frequento o Trecão há quatro anos. Para mim, é o melhor bar da região. O que me chamou a atenção foi o atendimento dado pelo Seu Tatá. Ele é super atencioso, trata todo mundo com carinho, fica amigo do cliente. E ele está sempre inovando. De uns tempos para cá, passou a realizar shows ao vivo e a oferecer porções diferentes Cristian Guilhen, psicólogo, 37 anos

Vila Firmiano Pinto

Localizada no Ipiranga, na zona sul de São Paulo, a Vila Firmiano Pinto é um ponto importante de comércio e fica em um lugar estratégico: próxima a estação Santos-Imigrantes do Metrô e perto da Avenida Ricardo Jafet. Além de abrigar o Museu do Ipiranga e o Parque da Independência, a região é morada de escolas de samba tradicionais como a Barroca Zona Sul e a Imperador do Ipiranga. De lá também saíram importantes artistas como os rappers Rappin Hood e Sabotage.

21


MAIS SABOR E LAZER Importância da comida e da cultura no bar

FOTO DIVULGAÇÃO

F

oi-se o tempo em que a comida e a cultura ficavam em segundo plano nos bares. Atualmente, é na cozinha e nas atrações que oferecem que esses estabelecimentos conseguem mostrar estilo e personalidade. Fora que o investimento em gastronomia e em opções de lazer têm o poder de estreitar os vínculos entre a população e o boteco. E tem mais. Um prato, um petisco de destaque ou um artista da música, da dança, da fotografia ou do teatro que caia nas graças da clientela, pode se transformar na marca registrada da casa, atraindo casa vez mais frequentadores, até mesmo de outras regiões. Falando especificamente de comida, foi exatamente isso o que aconteceu com o restaurante Mocotó, comando por Rodrigo Oliveira, um dos curadores do projeto Nosso Bar+.“Foi o famoso caldo

de mocotó elaborado pelo meu pai (seu José Oliveira de Almeida) que nos trouxe onde estamos hoje”, relembra o chef, que defende a tese de que a gastronomia deve ser algo “inclusivista”. Com a experiência de Oliveira, e para ajudar a transformar os bares participantes do programa Nosso Bar+ em referências gastronômicas nas regiões em que se encontram, ele ofereceu aos franqueados um treinamento em seu restaurante. Diversão para todos Quando o assunto é cultura, para o sucesso da empreitada é preciso, antes de mais nada, saber da comunidade e das pessoas que frequentam o bar o que elas desejam em termos de atra-

Minha principal intenção foi a de apresentar conceitos e ideias para despertar a curiosidade e a criatividade do empreendedor. Hoje, a própria realidade do mercado acaba forçando ou incentivando os empresários a encontrar seus diferenciais, e normalmente não vai ser a bebida, porque ela está disponível para qualquer um Rodrigo Oliveira, chef

22


Dica do CHEF

“Para conquistar o sucesso não é preciso fazer um cardápio gigantesco. Muito pelo contrário. O ideal é se concentrar em poucas receitas e prepará-las com primor”

ções. Também é fundamental conhecer os artistas da região e levá-los para o boteco. E quanto mais vertentes (música, teatro, sarau, exposição, entre outros) forem trabalhadas, melhor. Além disso, para o sucesso do evento, é importante oferecer um espaço bacana tanto para os clientes quanto para os artistas, para que todos fiquem confortáveis e à vontade. Dessa forma, a interação será maior. Outro passo é se preocupar com a montagem do som, para atrapalhar o menos possível os moradores do entorno. Se conseguir aperfeiçoar a acústica do local, melhor ainda. “O bar é um espaço de entretenimento. É lá que acontece o pagode, o time de futebol se reúne, as pessoas se juntam depois do trabalho, a galera para tomar uma cerveja...”, comenta o rapper Emicida, que também é curador do projeto Nosso Bar+ e começou sua carreira fazendo batalhas de freestyle em bares. Segundo ele, esses estabelecimentos têm potencial de serem mais do que lugares apenas de consumo.

A VISÃO DO EMICIDA

“Esses bares podem ser lo cais que fomenta m a cultura n as suas regiões e que ajudam as pessoas. E o bacana é que podem trabalhar co m várias lin guagens, construindo, assim, vária s pontes para trazer o máximo de p essoas para o mesm o ambiente”

FOTO IVANA DEBÉRTOLIS

Rodrigo Oliveira, chef do restaurante Mocotó

guiça Torradinha de lin

Para unir o útil ao agradável Ao preparar pratos e petiscos saborosos e investir em cultura e lazer, além de atrair mais gente para o boteco, o proprietário do negócio, consequentemente, terá seu faturamento aumentado no final do mês. E veja como os resultados podem ser promissores: o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE) revela que o brasileiro gasta cerca de 25% de sua renda com alimentação fora do lar, e a Associação Brasileira das Indústrias da Alimentação (ABIA) destaca que o setor tem crescido a uma média anual de 14,2%. Isso só comprova que as pessoas querem sair para comer algo diferente e, ao mesmo tempo, relaxar e se divertir.

23


Guia de RECEITAS Chef Rodrigo Oliveira | Restaurante Mocotó

Caldinho de Feijão de Corda Ingredientes

Modo de preparo:

Deixe o feijão de corda de molho de um dia para o outro. Dispense a água do molho e cozinhe somente em água, sem sal. Quando estiver cozido, escorra a água do feijão e reserve. Pique o alho, os tomates – com casca e sementes –, a cebola e o pimentão verde sem semente. Os legumes podem ser cortados grosseiramente pois serão utilizados para o refogado e serão processados depois. Esquente um caldeirão, ou uma panela alta, e acrescente a manteiga de garrafa. Deixe esquentar e coloque a cebola mexendo vez ou outra sem

Dica:

Experimente fazer com feijão mulatinho. Rende 30 porções (com 100ml por porção).

24

FOTO IVANA DEBÉRTOLIS

500g de feijão de corda 2l caldo de carne 3 tomates 1 cebola branca ½ pimentão verde 7g semente de coentro 7g cominho 7g colorau 3g pimenta do reino Manteiga de garrafa deixar queimar. Quando a cebola começar a ganhar cor, acrescente o alho e o pimentão. Durante todo o refogado não se deve mexer muito a preparação, para que ela não solte muita água. O intuito é fritar e não cozinhar. Deixe refogar até começar a grudar no fundo da panela. Quando chegar nesse ponto, acrescente os tomates, o cominho, colorau, a semente de coentro moída e mexa envolvendo todos os ingredientes. Deixe cozinhar até os tomates estarem bem cozidos e começarem mais uma vez a grudar na panela. Nesse momento acrescente o feijão e mexa para que todos os ingredientes possam se misturar e só então coloque o caldo de carne. Depois que ferver, desligue o fogo e bata aos poucos no liquidificador. Coe com uma peneira não muito fina e sirva quente com coentro picado.


FOTO IVANA DEBÉRTOLIS

Croc de mandioca Ingredientes

3kg mandioca cozida 800g catupiry 250g gema pasteurizada 300g parmesão 500g queijo coalho

Modo de preparo:

Misture todos os ingredientes em uma bacia, depois transfi-

ra-os para uma forma e asse em forno a 120 graus por 15 minutos. Retire do forno e deixe a massa amornar. Adicione a massa em um saco de confeiteiro, faça tiras com toda a massa e depois corte as tiras em pedaços de mais ou menos 2 centímetros de diâmetro. Frite em óleo a 180º.

Dica:

Sirva com molho agridoce da sua preferência. Rende 45 porções (com 12 unidades por porção).

25


Guia de RECEITAS

FOTO IVANA DEBÉRTOLIS

Chef Rodrigo Oliveira | Restaurante Mocotó

Dadinhos de Tapioca Ingredientes

1l leite integral 500g tapioca granulada 750g queijo coalho 15g sal Pimenta do reino branca

Modo de preparo:

Leve o leite ao fogo até que comece a ferver. Enquanto o leite aquece, rale o queijo de coalho no ralo fino, ou passe em um processador. Misture o queijo com a tapioca granulada, o sal e a pimenta-do-reino branca e reserve. Forre uma assadeira média

Dica:

com plástico filme, molhe a assadeira com água para facilitar o processo. Quando o leite começar a ferver, retire do fogo e acrescente à mistura de tapioca granulada e queijo, mexa bem com um batedor de ovos até que a tapioca granulada esteja hidratada. Despeje na assadeira forrada com plástico e deixe a superfície bem plana. Cubra com um plástico, para que não forme uma película. Deixe esfriar naturalmente e leve para a geladeira por uma hora. Desenforme e corte em cubos. Frite em óleo à 170 graus, até que estejam dourados.

Sirva com molho agridoce da sua preferência. Rende 45 porções (com 12 unidades por porção).

26


FOTO IVANA DEBÉRTOLIS

Pastel de Carne de Sol Ingredientes Recheio:

500g massa de pastel pronta 500g carne de sol assada 1 tomate 1 cebola roxa pequena Manteiga de garrafa para refogar 250g de queijo coalho processado 75g de requeijão cremoso (catupiry) Coentro picado

Modo de preparo:

Em uma panela esquente a manteiga de garrafa e refogue a cebola roxa até que esteja começando a dourar. Acrescente a carne de sol em

cubos pequenos e refogue. Corte o tomate sem semente em cubos pequenos e junte à panela. Mexa bem, deixe cozinhar por poucos minutos, tire do fogo e espalhe em uma travessa para esfriar. Ao refogado da carne de sol assada (já frio), acrescente o queijo de coalho processado, o requeijão cremoso e o coentro picado. Misture bem e leve para a geladeira para firmar e facilitar a montagem dos pastéis. Com cuidado, descole as fatias da massa do pastel, recheie e, com pincel e água, umedeça as bordas da massa para fechar. Com um garfo marque as bordas da massa. Frite em óleo a 185 graus.

Dica:

Experimente fazer os pastéis com carne de panela desfiada, ou até mesmo frango desfiado. Rende 30 porções (com 6 pastéis por porção).

27


Guia de RECEITAS

FOTO IVANA DEBÉRTOLIS

Chef Rodrigo Oliveira | Restaurante Mocotó

Escondidinho de Carne-Seca Ingredientes

Para o purê: 1kg de mandioca cozida - 250ml de leite - 50g de manteiga - Sal e pimenta branca a gosto Recheio: 500g de carne seca cozida e desfiada - 2 unidades de cebola roxa cortada em rodelas finas - 50g de manteiga de garrafa - 2 dentes de alho - 50g salsão cebolinha a gosto - 300g de requeijão Finalização: 50g de queijo de coalho ralado - Pimenta biquinho para decorar

Dica:

Modo de preparo:

Misture todos os ingredientes do purê até que se torne uma massa lisa e homogênea. Em uma frigideira, coloque a manteiga e refogue a cebola, alho, salsão, cebolinha e a carne. Monte o escondidinho nessa ordem: purê, carne, requeijão, purê para cobrir até esconder toda a carne, polvilhe queijo coalho sobre o purê e coloque a pimenta biquinho para decorar. Asse a 200 graus por 15 minutos ou até que o queijo esteja dourado.

Experimente trocar a carne seca por uma carne de panela desfiada, frango, ou até mesmo legumes e queijo de cabra (como uma opção vegetariana). Rende 15 minis escondidinhos.

28


negócio profissionalização E Conhecimento garantem sucesso Para sobrevir nesse segmento, é fundamental investir em três pontos. O primeiro é o atendimento. Nesse caso, é preciso eficiência e rapidez tanto para atender o cliente quanto para entender o que ele quer. O outroquesito é a infraestrutura: limpeza, o que inclui o espaço, os móveis e os utensílios, e disposição dos elementos no ambiente, para facilitar justamente o atendimento. O terceiro item é a gestão, pois um bar que não investe nisso certamente terá problema na administração, provocando impactos negativos, especialmente no caixa.

os pecialmente s e , s e r a b s o Muit eria, reas de perif á m e m a c fi que aram. rofissionaliz p e s o ã n a d ain e no Brasil Isso acontec eral, eles são porque, em g res ntos familia e im d n e e r p em

ÇÃO FOTO DIVULGA

P

rofissionalização. Essa é a palavra de ordem para se destacar em um segmento tão disputado quanto o de bares. Só para se ter uma ideia do tamanho da concorrência, existem no Brasil, segundo a Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel), um milhão de negócios no setor de alimentação fora de casa. Com expansão anual em torno de 10%, esse mercado gera cerca de 450 mil novas oportunidades de emprego por ano, a maioria para garçons. Mas, abrir um estabelecimento do tipo – ou apenas trabalhar no ramo – não é tão simples quanto parece. Para isso, é preciso conhecimento, qualificação e planejamento, que vai desde o capital inicial até o cumprimento de regras estabelecidas por órgãos municipais, estaduais e federais. Confira, a seguir, as dicas do especialista.

Escola Superior s, professor da ge em or B no ia ar e especialista Fabio M keting (ESPM) ar or M id e a um nd ns ga co to do de Propa comportamen

29


negócio Além disso, é preciso ter cuidado com elementos de contemporaneidade como a climatização e a decoração do local, e a elaboração de um cardápio atrativo, com pratos, bebidas e drinques diferentes e de qualidade, para chamar a atenção do cliente. Para conquistar o sucesso, as recomendações do professor da ESPM são fazer o máximo de cursos possível, a fim de se atualizar e, claro, profissionalizar o negócio, e solicitar a ajuda de entidades como o Serviço Brasilei-

o Gastos com alimentaçã fora de casa eza

te de incert Apesar do ambien ís está vivendo, pa econômica que o tação fora do lar o setor da alimen resultados. ns continua tendo bo s. turou R$ 140 bilhõe fa Em 2014, a área orçamento Na média, 31% do entação são im al doméstico com restaurantes, gastos em bares, entre outros pizzarias e cafés, do tipo. s estabelecimento distinções m te No entanto, exis sociais. Por ligadas às classes sto com comida ga exemplo, do total fo , a ra de casa na “Classe A” 1 gasto; na “Classe representa /2 do es C”, 1/4, nas “Class B”, 1/3; na “Classe gastos, nas s D/E”, 1/5. Quanto ao na casa dos am fic , “Classes A e B” e C”, é de R$ 1.000 R$ 4.600, na “Class é próximo de E” e nas “Classe D e de uma pesquisa o sã zero. Os dados ômica realizada de conjuntura econ eria com a rc pela Abrasel em pa e. ic rv Fispal Food Se

30

ro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e a Associação de Bares e Restaurantes (Abrasel). Outra ajuda muito positiva, e vista com bons olhos pelo especialista em comportamento do consumidor, é a dada pela Ambev, especialmente por meio do projeto Nosso Bar+. Borges apenas recomenda que os donos dos estabelecimentos tomem alguns cuidados na maneira como irão incluir a programação no espaço físico que têm disponível, de forma que seja agradável para o cliente. O que também é sugerido é checar se será necessário fazer alguma adaptação no cardápio por conta das apresentações no local, e estar preparado para atender um volume maior de clientes, já que shows e outras manifestações culturais costumam atrair mais pessoas. E, para saber como está a satisfação dos frequentadores, vale a pena investir em pesquisas. Elas podem ser feitas de duas formas: em um bate papo informal e também colocando no local uma caixa de sugestões ou críticas e um rápido questionário.


mapa da rede CONFIRA OS ENDEREÇOS DO NOSSO BAR + Bar da Praça Claudio Sorcinelli claudio@colegiojoao23.com.br e mvsorcinelli2015@gmail.com Rua Cananeias, 7 (11) 98972-8411 / 2538-3172 Vila Prudente - São Paulo

KY BAR Amarildo Fritoli Ednalda Fritoli amarildo.fritoli@outlook.com Rua São Martinho, 146 (11) 2488-9013 / 98064-0998 Cidade Industrial Satélite – Guarulhos

Bar do Comercial Reinaldo Dantas reinaldodantas2003@ig.com.br Dom Manoel Delboux, esquina com Edgard Faco (11) 9971-65499 / 94755-3095 Vila Pereira Cerca - São Paulo

Lazaro Resutarante Hilário de Oliveira borolazaro@hotmail.com e rodrigoreisdesouza@gmail.com Rua Augusta, 757 (11) 97616-3173 Consolação - São Paulo

Barsílios - Petiscos e Grill Fernando Nogueira da Silva nossobar.barsilio@terra.com.br Rua Barsilio da Cunha, 677 (11) 2539 3206 / 99931-5525 Cambuci - São Paulo

Museu da Cerveja Karine Manne rhtrentini@hotmail.com Rua da Matriz, 54 (11) 98077-2662 Centro - Embu das Artes

Boteco Bolonha Alexandre Nunes anxandao@yahoo.com.br Avenida Bolonha, 160 (11) 3714-8196 / 97166-7122 Jaguaré - São Paulo

Parapapa Karen Cristine Maxima Pereira karenmaxima@hotmail.com Rua Galvão Bueno, 603 (11) 3533-2274 / 98379-5649 Liberdade - São Paulo

Boteco da Vila José Ailton ailtonzaq@ig.com.br Rua Segundo-Tenente-Aviador Roberto Alvarenga, 123 (11) 2481-0660 / 2488-8228 Jardim Cumbica – Guarulhos

Seu Boteco Daniela Rocha Martins ri-martins@hotmail.com e daniromart@ hotmail.com Rua Tatsuo Okachi, 68 (11) 3473-1152 / 97635-2129 Chácara Inglesa/ Pirituba - São Paulo

Boteko da Villa Henrique Martines henrique@aliadoss.com.br Rua Dr. Augusto de Miranda, 233 (Rua Coriolano, 70) (11) 7874-0623 / 95327-9296 Lapa/Pompéia - São Paulo

Toninho’s Bar Antonio Rodrigues da Paz toninho30-967@gmail.com Rua Oiti, 90 (11) 2966-0367 / (11) 97014-6670 Vila Regente Feijó / Mooca - São Paulo

Brahmania Alexandre Carvalho de Lima contato.brahmania@gmail.com Rua Tito, 1141 (11) 98965-2816 / 2691-4114 Lapa - São Paulo Deskolado Point Beer Wilza Rangel de Mello tucarangel@yahoo.com.br Rua Doutor Cesario Mota Junior, 581 (11) 2478-8570 / (11) 99636-1203 Vila Buarque - São Paulo

Trecão Kleber Brito kleber.brito.dantas@gmail.com Rua Nova Louza, 66 (11) 5061-3210 / 95905-7263 Firmiano Pinto - São Paulo Editora Lamonica Conectada Rua Sabará, 566 7º andar - cjs 72, e 74 Cep: 01239-010 - São Paulo Tels.: (11) 3256-4696/ 3214-5938

31


Realização

Concepção e coordenação

GUIA É MUITO MAIS  

GUIA É MUITO MAIS