Page 1

ANATOMIA caderno ilustrado de exercícios

lYíanole


ANATOMIA caderno ilustrado de exercĂ­cios


ANATOMIA caderno ilustrado de exercícios

Fábio César Prosdócimi Mestre em Neurociências e Comportamento. Universidade de São Paulo (USP) Especialista em Anatomia. Departamento de Anatomia da Universidade de São Paulo (ICB-USP)

Maria Inês Nogueira

Livre-docente. Instituto de Ciências Biomédicas da Universidade de São Paulo Departamento de Anatomia (ICB-USP).

À

Mariole


Copyright © Editora Manole Ltda., 2009. por meio de contrato com o autor.

Capa: Editora Manole

Editoração eletrònica: JLG Ilustração:Vutaka Kawase

Dados Internacionais de Catalogação na Publicação (CIP) (Câmara Brasileira do Livro. SP. Brasil) Prosdócimi, Fábio César Anatomia: caderno ilustrado de exercícios/ Fábio César Prosdócimi. Maria Inês Nogueira; (ilustrador Yutaka Kawase] — Barueri. SP: Manole. 2009.

ISBN 978-85-204-2818-4

-

1. Anatomia humana Estudo e ensino I. Nogueira. Maria Inês. II. Kawase. Yutaka. III. Título.

09-01929

CDD-6 11.007

índices para catálogo sistemático: Todos os direitos reservados. Nenhuma parte deste livro poderá ser reproduzida. por qualquer processo, sem a permissão expressa dos editores, é proibida a reprodução por xerox.

Edição - 2009

Editora Manole Ltda. Av. Ceci, 672 - Tamboré 06460- 120 -Barueri -SP -Brasil Tel.: (11)4196-6000 - Fax: (11)4196-602 1

www.manole.com.br info@manole.com.br

Impresso no Brasil Printedin Brazil


Autores

Andréa Beatriz Bonsi Doutora em Biologia e Patologia Buco-Dental. Fa¬ culdade de Odontologia de Piracicaba (FOP). De¬ partamento de Morfologia - Área de Concentra¬ ção em Anatomia.

Marcelo Betti Mascaro Doutor em Ciências Morfofuncionais. Universi¬ dade de São Paulo. Departamento de Anatomia (ICB-USP). Especialista em Anatomia. Departa¬ mento de Anatomia da Universidade de São Paulo

(ICB-USP).

Arthur Georg Schimdt Mestre em Neurociéncias e Comportamento. Universidade de São Paulo (USP). Especialista em Anatomia. Departamento de Anatomia (ICB-USP). Claudia Aparecida Xavier Prosdócimi Graduação em Odontologia. Universidade de San¬ to Amaro (UNISA).

Maria Inês Nogueira Livre-docente. Instituto de Ciências Biomédicas da Universidade de São Paulo (ICB-USP). Mônica Rodrigues de Souza

Mestre em Ciências Morfofuncionais. Universida¬ de de São Paulo (USP). Departamento de Anato¬ mia (ICB-USP).

Fábio César Prosdócimi Mestre em Neurociéncias e Comportamento. Uni¬ versidade de São Paulo (USP).

Rodrigo Álvaro Brandão Lopes Martins Doutor em Biologia Celular e Molecular. Fundação Oswaldo Cruz (FIOCRUZ).

Lara Cristina Picoli

Mestre em Ciências Morfofuncionais. Universi¬ dade de São Paulo. Departamento de Anatomia (ICB-USP).

Luciane Soares Teixeira Mestre em Reabilitação. Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP).

Rosana Cristina Boni Doutora em Biologia Patologia Buco-Dental. Uni¬ versidade Estadual de Campinas (UNICAMP). De¬ partamento de Morfologia Área de Concentra¬ ção em Anatomia.

-

Lúcio Frigo Doutor em Ciências (Biologia Celular e Tecidual). Universidade de São Paulo (USP). Departamento de Anatomia (ICB-USP).

v


Sumário

Prefácio Apresentação

VII VIII

.

1 Introdução ao estudo da anatomia humana 1

Fábio César Prosdôcimi e Claudia Aparecida Xavier Prosdôcimi 2 Sistema esquelético

6

Fábio César Prosdôcimi 3 Sistema articular

18

Mônica Rodrigues de Souza 25 4 Miologia Andréa BeatrizBonsi 5 Sistema circulatório 39 MarceloBetti Mascaro e Fábio César Prosdôcimi 6 Sistema respiratório 49 Rosana Cristina Boni 7 Sistema digestório

55

Arthur Georg Schmidt 8 Sistema urinário Lúcio Frigo e Rodrigo Álvaro Brandão Lopes Martins

62

9 Sistema genital masculino

66

Luciane Soares Teixeira 10 Sistema genital feminino 70 Arthur Georg Schmidt e Fábio César Prosdôcimi

nervoso 74 Maria Inés Nogueira e Fábio César Prosdôcimi 85 12Sistema tegumentar Lara Cristina Picoli 1 1Sistema

Gabarito

vi

90


Prefácio

Trata-se de um livro de exercícios, destinado aos estudantes de graduação na área da saúde ou das ciências biológicas, no estudo da Anatomia Humana. O objetivo desse livro é auxiliar os estudantes no estudo da Anatomia Humana; representa um sub¬ sídio, principalmente uma revisão no intuito da preparar o estudante para as avaliações e estudos diri¬

gidos. O livro contém 12 capítulos organizados segundo os sistemas do corpo humano e permite ao es¬ tudante testar-se, utilizando um relacionamento de conceitos através de várias opções didátícas e com boas ilustrações anatómicas. Apresenta um estilo com boas perspectivas pedagógicas; um excelente auxiliar para o principiante, ainda mais levando em consideração os atuais currículos resumidos de anatomia. Ao final, os autores colocam à disposição o gabarito relacionado aos vários sistemas, permitindo assim que o estudante verifique adequadamente seus conhecimentos. Esperamos que o resultado desse esforço venha a ser de grande utilidade ao estudante. Foi para nós especial consideração, feita pelos autores. Prof. Fábio Prosdócimi e Profa. Dra. Maria Inês Nogueira, para prefaciar essa obra.

J. C. Prates

Prof. Titular de Anatomia do Departamento de Morfologia e Genética da UNIFESP/EPM

VII


Apresentação

Este é o Caderno de Exercícios de Anatomia que preparamos para você com o objetivo de que seja um companheiro na aventura da compreensão da Organização do Corpo Humano. Tenha-o, tanto quanto possível, com você, use-o com sabedoria e dedicação, faça anotações, desenhe, pinte ou o que desejar para que reflita seu empenho. A cada tópico, procure reconhecer, em você ou no seu semelhante, as estruturas e regiões indica¬

das, afinal o seu corpo é Humano e é o seu objeto de estudo mais próximo. Estudar Anatomia, de qualquer ser vivo, é um processo instigante, pois busca conhecer as partes componentes, estabelecer suas relações, desvendar os princípios que nortearam essa organização, descobrir as funções que pode desempenhar. Explore em cada tópico, quais condições ou fatores po¬ dem alterar Forma e Função, que estão intimamente relacionadas, induzindo assim distúrbios, doenças ou patologias. Procure conhecer um pouco da história da Anatomia, verá como foi, e é, importante tanto na medicina, ciência e artes. Você encontrará histórias fascinantes como a de Andre van Wesele, poste¬

riormente latinizado para Andreas Vesalius e assim conhecido como o Pai da Anatomia Moderna. Ele nasceu em Bruxelas entre 1 SI 3-1 514, em Little Hell Street (Rua do Pequeno Inferno), cresceu à sombra das forcas. Estudou o farto material humano fornecido pelo Palácio da Justiça. Ampliou os estudos em animais. Essa vivência e orientação familiar o direcionaram para a faculdade de medicina. Questionou as fontes clássicas: Hipócrates, século IV aC. e Galeno, século II dC. Revolucionou a forma de ensinar, insistindo na observação direta com os cinco sentidos, introduziu a dissecção, ilustrou seus cursos com esquemas, desenhos meticulosos do esqueleto com veias, artérias e nervos. Estes esquemas foram de¬ pois compilados na publicação "De Humani Corporis Fabrica", de 1 543. Inclusive Leonardo da Vinci, entre outros famosos arquitetos e artistas, foi um explorador da Anatomia Humana. é esse espírito audacioso, crítico e invesiigativo que desejamos você exercite durante o curso, que amplie o estudo nas aulas, em livros, na internet, porém de forma criteriosa e seletiva, e que as desco¬ bertas sejam compartilhadas com colegas de curso e da vida. Desenhe seus esquemas ou reproduza os sistemas em modelos que sua imaginação sugerir. Dessa forma, como Vesalius, estará fazendo amigos, aprendendo, ensinando, se divertindo e construindo saber. Maria Inês Nogueira

Fábio César Prosdôcimi

viii


Introdução ao Estudo da Anatomia Humana Fábio César Prosdócimi

Claudia Aparecida Xavier Prosdócimi

[1] Relacione as definições aos diferentes tipos de anatomia:

Anatomia

_ Sistémica _ Topográfica _ Por imagens

_ Aplicada

_ Antropológica

_

Comparada

_ Constitucional

_ De superfície _ Artística

Definições (1.1) Estudo das estruturas por meio de raio-x. tomografia

computadorizada, ressonância magnética nuclear etc. [ 1.2) Observação das estruturas anatómicas que se situam superficialmente, sem dissecação.

[1.3] Estudo macroscópico dos diversos sistemas orgânicos. [1.4) Estudo da anatomia considerando-se os diferentes grupos

étnicos.

[1.5] Estudo da anatomia considerando-se as diferentes espécies. [1.6] Registro da anatomia de uma espécie de modo artístico. [ 1.7)

Estudo da anatomia baseado nos diferentes tipos de

construção corporal. f 1.8) Estudoda anatomia humana considerando-se as relações anatómicas entre os diferentes órgãos e sistemas. [1.9) Estudo da aplicação dos conhecimentos anatómicos na prática clínica.

[2] Organize uma sequência adequada para a correta organização do corpo humano:

_

Tecido - Célula - Sistema - Órgão - Corpo (2.1)

_ (2.3) _ (2.4) _ (2.5) _

12.2)

O corpo apresenta fases de desenvolvimento denominadas na sequência:

_ 12.7) _ [2.8] _ [2.91 _

12.6]

[2.101 _

[2.11] _ 12.12) _

_ [2.141 _

[2.13]

1


[4.79]

(3] Relacione as abreviaturas oficiais ao seu

respectivo significado:

[4] Complete a [4.1]

[3.4] R.

_ Ramos

[3.2] V.

[3.8] M.

_ Veias _ Músculos _ Ligamento _ Nervo

[3.9] Rr.

_ Artéria

[3.5] Ligg. [3.6] Nn. [3.7] Vv.

[3.10] N. [3.11] Lig. [3.12] A.

_ Artérias _ Veia _ Ramo

frase:

_

é aquilo que acontece com maior frequência, do ponto de vista estatístico, em uma determi¬

nada população. [4.2]

_

se caso, pode-se observar uma diferença

_

aspecto

[3.3] Mm.

_ Músculo _ Nervos _ Ligamentos

[3.1] Aa.

e [4.4]

não é mais frequente, entretanto não causa prejuízo funcional. Nes¬ externa ou em órgãos internos, respectivamente denominadas

[4.3]

_ . Quando observamos algo que difere do

mais frequente, entretanto com prejuízo funcional, denominamos essa situação como [4.5] _

.

Quando a alteração torna a vida incompatível, ou seja, o indivíduo irá morrer em decorrência dessa grave alteração, denominamos [4.6] _

.

Existem fatores que determinam variações, ou seja, alterações que diferem do normal, porém sem prejuízo à função. Os critérios mais observados desses fatores gerais de variação anatómica são:

_ (4.8) _ _

[4.10] _ 14.11]

_

_ , [5.2] _ ,[5.3] _ ,subdividido em [5.4] _ superiormente e [5.5] _ inferiormente e. ainda. nos [5.6] _ divididos em [5.7] _ e [5.8] [5] O corpo humano pode ser dividido em grandes regiões denominadas: [5.1] ,

2


__

_ _

_

16] A posição anatómica determina que o indivíduo seja estudado em uma posição-padráo prees

_

tabelecida. que permite observar o individuo em posição {6.1)

(6.5]

_

olhar para o {6.3]

inferiores [6.7]

__

face voltada para (6.2)

, membros superiores {6.4]

_e

ao tronco, palmas das mãos voltadas para {6.6]

membros

pontas dos dedos dos pés para (6.8]

17] Existem seis planos que tangenciam o corpo, delimitado-o e formando um paralelepípedo. Relacione as colunas: Planos

Posterior (dorsal)

[7.1] Plano horizontal tangente à cabeça.

Superior (cranial)

[7.2] Planovertical tangente ao lado esquerdo do corpo.

Anterior (ventral)

[7.3] Planovertical tangente ao ventre.

Lateral direito

[7.4] Planovertical tangente ao ladodireito do corpo.

Inferior (podálico)

[7.5] Plano horizontal às plantas dos pés.

Lateral esquerdo

[7.6] Planovertical tangente ao dorso.

(74J

r76.

Q

3


[81 Podemos seccionar (cortar) o corpo em qualquer direção. Entretanto, com finalidade didática, observamos um adequado paralelismo entre os planos de delimitação e os planos de secção. Desse modo, os planos de delimitação compreendem os de secção. Complete as frases:

_ _ .Aquele esquerda e outra direita, desiguais, é [8.2] _ que divide o corpo em uma O plano que divide . o corpo em desiguais, superior e inferior, é denominado [8.3] _ .Quando a secção determina desiguais, uma anterior e outra posterior, o plano é denominado [8.4] _ . Desse modo. o plano Um plano de secção que divide o corpo em partes direita e esquerda é denominado [8.1] parte

partes

partes

_

de secção paralelo ao plano lateral é [8.5] [8.6]

_,

o plano de secção paralelo ao plano superior (ou inferior) é

,e o plano de secção paralelo ao plano anterior (ou posterior) é [8.7]

_.

183]

[9] Relacione os eixos do corpo humano:

[9.1] Sagital [9.2] Longitudinal [9.3] Transversal

ou látero-lateral. ou ãntero-posterior. ou súpero-inferior. eixo que uneo centro dos planos ventral e dorsal. eixo que uneos centros dos planos lateral direito e esquerdo. eixo que uneo centro dos planos superior e inferior.

[10] As estruturas são estudadas de modo a se posicionar mais próxima do que outras em relação a determinados planos de delimitação ou secção. Complete adequadamente com os lermos de posição:

_ Um órgão mais próximo do plano lateral em relação a outro é denominado [10.2] _ Um órgão mais próximo do plano anterior em relação a outro é denominado [10.3] _ Um órgão mais próximo do plano posterior em relação a outro é denominado [10.4] _ Um órgão mais próximo do plano mediano em relação a outro é denominado [10.1]

Um órgão mais próximo do plano superior em relação a outro é denominado [10.5]

consideramos apenas os órgãos ou as estruturas da cabeça, do pescoço e do tronco. 4

Nesse caso,


Um órgão mais próximo do plano inferior em relação a outro é denominado (10.61

_ . Nesse caso.

consideramos apenas os órgãos ou as estruturas da cabeça, do pescoço e do tronco.

No caso de estruturas localizadas nos membros superiores ou inferiores, os termos superior e inferior não são adequa¬

_.

dos. Portanto, uma estrutura mais distante do cíngulo do membro superior (ou inferior) em relação à outra é denomi¬ nada [10.7]

Uma estrutura mais próxima do cíngulo do membro superior (ou inferior) em relação à outra é denominada [10.8]

_ .Entretanto, como exceçào, uma estrutura localizada entre um órgão lateral e outro medial é denominada [10.10] _ . O coração em relação ao osso esterno é (10.1 1] _ O osso esterno em relação ao coração é [10.12] _ . O coração em relação à coluna vertebral é [10.1 3] _ A coluna vertebral em relação ao coração é [10.14] _ Quando comparamos estruturas que se situam entre outras duas. diz-se que são [10.9]

.

_ .

O coração em relação ao esterno e à coluna vertebral é [10.15]

_. O ombro em relação à orelha é [ 10.1 7] _ . O olho em relação ao nariz é [10.18] _ . O nariz em relação ao ombro é [1 0.19] _ . O olho em relação ao nariz e ao ombro é [10.20] _ . O olho em relação à boca é [10.2 1] _ .

.

A orelha em relação ao ombro é [ 1 0.16]

O umbigo em relação à boca é [10.22] _

.

_ O umbigo em relação ao olho é ( 10.24] _ . A boca em relação ao umbigo e ao olho é [10.25] _ . A boca em relação ao olho é [10.23]

.

A mão em relação ao antebraço é [10.26] _ O antebraço em relação ao braço é [10.27]

.

_. O antebraço em relação à mão é [10.28] _ . O braço em relação ao antebraço é [10.29] _ .

O antebraço em relação ao braço e à mão é [10.30] _

.

mana 5


Sistema Esquelético Fábio César Prosdócimi

_. Quando os ossos estão todos interligados, diz-se que o esqueleto é do tipo [1.2] _ Quando os ossos [1] O conjunto de ossos e cartilagens que interagem e formam o arcabouço é denominado [1.1]

.

estão isolados entre si. o esqueleto é do tipo [1.3) _ .Quando o arcabouço do animal situa-se externa¬ mente, o esqueleto é do tipo [1.4] _ . Quando apresenta-se internamente [1.5] _ e

quando apresenta-se interna e externamente é do tipo (1.6] _

.

fins didáticos, o nosso esqueleto pode apresentar uma divisão, na qual a grande parte mediana é consti¬ , [2.2] e [2.3] tuída pelos ossos da [2.1] . Essa divisão que abrange os ossos dessas regiões é denominada esqueleto [2.4] _ . Já os ossos dos membros constituem o esqueleto [2.5] _ . Unindo essas duas grandes áreas observamos o [2.6] _ e [2.7] , formados respectivamente pelos ossos [2.8] . e [2.9] [2] Com

_

_

_

_

_

_

[3] Com relação ao número de ossos, relacione as colunas, considerando-se os fatores que podem alterar o número total de ossos:

_ Etário

[3.1] Critérios observados por anatomistas para considerar alguns ossos do

esqueleto.

_ Individual _ Critério de contagem

[3.2] Alterações na quantidade de ossos determinadas pela idade do indivíduo.

[3.3] Alterações de cada individuo.

Indique qual fator está relacionado aos seguintes ossos: [3.4] Ossos sesamóides

_.

[3.5] Sutura metópica (entre os ossos frontais) persistente no adulto [3.6] Sinostose (soldadura entre ossos do crânio)

[3.7] Ossiculos da orelha média

_.

_.

_.

[3.8] União entre ilio. ísquio e púbis

[4] Os ossos podem ser classificados seguindo-se alguns critérios.

Quando são considerados apenas fatores externos e que descrevem a relação comprimento x largura x altura, esta¬ mos falando do critério [4.1]

é [4.2]

_.

_ .Quando falamos da função de um determinado

osso, sua classificação

Desse modo, um osso com comprimento maior que a largura e a espessura, assemelhando-se a um tubo. é conside¬ rado osso [4.3] . Quando as dimensões são relativamente aproximadas, assim como em um cubo. o

_


osso é considerado (4.41

_

Quando o comprimento e a largura prevalecem sobre a espessura, como em

_ .Quando não existe relação geométrica correspondente ao osso, ele é

um livro fechado, o osso é (4.5]

. Um osso que apresente cavidades revestidas internamente por mucosa é denominado

do tipo (4.6] (4.71

_

.Essas cavidades são denominadas (4.81

em português, ou (4.91

em latim. Um osso que se desenvolva no interior de um músculo (intratendíneo) ou ao redor de uma articulação (pe¬ riarticular) é considerado (4.10]

_.

A seguir, determine a classificação dos seguintes ossos:

_ (4.12] Palatino _ [4.13] Maxila _ [4.14] Temporal _ [4.15] Clavícula _ [4.16] Vértebra _ [4.17] Costela _ [4.18] Osso do quadril _ [4.19] Úmero _ [4.20] Rádio _ [4.21] Ulna _ [4.22] Ossos carpais _ [4.11] Parietal

[4.23] Metacarpals _ [4.24] Falanges _

_ [4.26] Tíbia _ [4.25] Fémur

[4.27] Ossos tarsais _

[4.28] Metatarsals

_ _

__ _ _

extremidades denominadas [5.1] e um corpo denominado [5.2] . No interior do corpo, existe um canal denominado [5.3] . Naqueles ossos que se apresentam em desenvolvimento, observa-se um disco cartilagíneo denominado disco [5.4] .A medula e [5.6] óssea, que pode preencher o interior dos ossos, apresenta -se de dois tipos: [5.5] . [5]

Os ossos longos

_

apresentam

[6] Existem dois tipos de disposição do tecido ósseo, por isso há dois tipos de substância óssea: quando as lamínulas ósseas se dispõem fortemente unidas entre si, a substância óssea é denominada [6.1] .Quando as . [6.3] _ lamínulas formam espaços entre si. a substância óssea é denominada [6.2] é o nome dado à situação na qual, geralmente em um osso plano, observamos duas camadas delgadas de substância óssea compacta com uma camada também delgada de substância óssea esponjosa.

_ _

[7] Existe um tecido conjuntivo que reveste externamente a superfície óssea, o [7. 1) _ . Este apresenta-se

_

_ .A primeira é responsável pelo cres¬

e a [7.3] formado por duas camadas: a [7.2] cimento ósseo em espessura, e a segunda, pela proteção do órgão.

ÿ

7


[81 Identifique nas figuras ao lado os ossos e seus respectivos acidentes indicados pela numeração:

8


B

9


(8.76] [8.77] 18.78] [8.79] [8.80]

[8.81] [8.82]

[8.83] [8.811

[8.84]

[8.82]

[8831 18.90)

[8.8S]

[8.86] [8.87]

18.911

[8.88] [8.89] [8.90]

[8.91]

. [8.93] . [8.92]

[8.94] [8.95]

[8.%]

[8.97] [8.98] [8.99]

[8. 103)

. . . . . .

[8.100]

[8.101] [898)

[8.102]

Í8.100)

[8.103] (8.100) = [8.103 + 8 104)

[8.104]

[8.105] [8.1061

[8.106] [8.107] [8.108]

[8.109]

(8.109) (a105) 18.107)

10


(8.110)

[8.111] [8110]

(8.111) (8.112) (8.113) [8.114]

[8112]

(8.115)

[8.116]

(8.117)

[8.1 IS)

(8.118) (8.119)

(8.1341 [8.1191

[8.120]

(8.120) (8.121)

(8.122) (8.123)

[8.124] (8.125) [8.126]

(8.127)

[8.128] [8.129] (8.130) (8.131)

[8.132]

(8.132) (8.133)

(8.134)

[8133]

8128

[8.130] [8131]

[8.135] [8.136] [8.137] [8.138]

[8.139] [8.140]

(

[8.141]

[8.142] [8.143] [8.144]

[8.145] [8.146] [8.147]

0

11


[8.148] [8.149] (8.158)

[8.150]

.18.160)

18150]

(8.157)

[8.151]

[8.152]

18.159}

[8.153] [8.154]

[8.155] [8.156] [8.157]

[8.158]

(8.153)

(8151)

18.152)

[8.159] [8.160]

[8.161] [8.162]

[8.163] [8.164] [8.165] [8.166]

[8.167]

[8.168] [8.169] [8.170] [8.171] [8.172] [8.173]

[8.174]

[8.175]

[8.176] [8.177] [8.178]

12

[8.166]

[8164] 18163]

18.167)

[8.165]


(8.1 79] [8.180]

18.181]

[8.182]

(8.181J

(8.176)

[8.183]

(8.178]

[8.184] (8.1771

[8.185]

8.180

(8.182)

[8.186]

[8.187]

(8.188) (8.186)

[8.188]

(8.187)

[8.189]

[8.190]

(8.195) (8.189)

[8.191] [8.192] [8.193]

18.191]

[8.194] [8.195]

(8. 194J

(8.199)

V

[8.196]

(8.198)

[8.197] [8.198] [8.199]

[8.200] [8.201]

[8.202] (8204)

[8.203] [8.204]

[8.205]

(8.205)

18.200] (8201) (8.203)

(8218)

(8.202)

(8209)

(8206)

[8.206]

(8207)

[8.207]

(8213)

[8.208]

18211)

(8212)

8 2C8

[8.209]

[8.2141

[8.210] Í8.211]

[8.212]

8220

-

8.219

8.215

[8.213]

[8.214] [8.215]

[8.216]

(8223)

B

13


(8.217] (8.218]

(8.219]

[8.220] [8.221]

[8.222]

[8.223] [8.224]

[8.225]

[8.226]

[8.227] [8.228]

[8.229] [8.230]

[8.231] [8.232] [8.233] [8.234] [8.235] [8.236] [8.237]

[8.229]

[8.238] [8.239]

[8.240]

[8.241] [8.242] [8.243] [8.244] [8.245] [8.246]

[8.247]

(8.248)

[8.246]

[8.248] [8.249] [8.250] [8.251]

18.244] [8.2SO]

14


(8.252) (8.253)

18255] 18253]

(8.254) (8.255) (8.256)

(8.257) (8.258)

(82561

18257]

(8258]

(8.259) (8.260)

(8.261)

(8262]

(8.262) (8.263)

(8.264) (8.265) (8.266) (8267]

(8.267)

- 18.264]

(8.268) (8265]

8270

(8.269) (8.270) (8.271)

(8.272) (8.273) (8.274)

[82741

18272]

O

15


(8.275) [8276]

(8.276)

[8.277] [8279]

18275]

(8.277) (8.278) (8.279)

(8.280)

[8.278]

18.282]

(8.281) (8.282)

_ (8.284) _ (8.285) _ (8.286) _ (8.283)

1828,1

(8.287) _

(8.288) _ (8.289)

_

(8.290)

_

_ (8.292) _ (8.293) _ (8.291)

[82187] [8.299]

(8.294) _

[8-288]

(8.295) _

[8.294]

(8.296)

_

_ (8.298) _ (8.299) _ (8.300) _ (8.301) _ (8.302) _ (8.297)

(8.303) _ (8.304) _ (8.305)

16

[8286]

_ («iwV

[82.90]

[8293]

[8.291]

[8.298] [8.295] [8301]

[8.296]

[8.300]

[8297] [8.305] [8.304]

[8303]


(8.306) (8.307)

(8.308)

(8.309) 18.307)

(8.310)

(8.311) (8.312) (8.313)

(8.314)

(8.315)

(8.3081

(8.316)

18.3221

(8.317)

18.310) (8317J

(8.318) (8.319) (8.320) (8.321) (8.322) (8.323)

(8.324)

(8.324) (8.325)

(8.3281

[8.3271

(8.326) (8.327) (8.328)

O

17


Sistema Articular Mônica Rodrigues de Souza

definição, que articulação é a 'união entre quaisquer estruturas rígidas" Com base nesse dado, vários critérios podem ser usados para classificar as articulações do corpo humano. Doisdeles são os mais usados: de acordo com o tecido interposto que conecta as articulações e de acordo com o movimento (imóvel, semimóvel. móvel) reali¬ [1] Sabe-se, por

zado pelas articulações. Baseado nesses critérios, complete os quadros abaixo: Tecido interposto

Articulações

Movimento

Articulações fibrosas

[1-1)

[1-2]

Articulações cartilagíneas

[1.3]

[1.4]

Articulações sinoviais

[1-5]

[1-6]

[2] Dé o nome dos tipos de articulações fibrosas (suturas, sindesmoses e gonfoses) de acordo com as setas apontadas

nos desenhos: [2.1]

[2.2] (rádio e ulna)

18

(tíbia e fibula)


(2.3)

[3] Relacione os desenhos com os nomes das suturas:

_ [3.2] _ 13.3] _ [3.4] _ 13.1]

[4] Há dois tipos de articulações cartilagineas: sincondroses e sínfises. Complete as frases:

A articulação cartilagínea presente entre os corpos das vértebras é chamada de [4.1] _ e

_ .Entre as epífises e diáfises dos ossos em crescimento, a articulação cartilagínea é classificada como (4.3] _ .

entre os ossos púbis do quadril é chamada de [4.2]

D '

19


[5J As articulações sinoviais caracterizam-se pela presença de componentes essenciais e acessórios. Preencha as tabe¬

las abaixo: Componentes essenciais

Componentes acessórios

[5.1]

Í5.7]

Í5.21

Í5.81

Í5.31

[5.9]

Í5.41

Í5.101

15.51

f5.ni

[5.6]

[5.12]

[6] Complete as legendas de acordo com as leiras apontadas

(6.1] A: _

_ [6.3] C: _ [6.4] 0: _ 16.2] B:

[6.5] E:

20

_

no desenho da articulação do joelho:


17] Podemos classificar as articulações sinoviais quanto às formas das superfícies articulares em sete tipos. Observe os

desenhos e coloque abaixo a classificação de cada articulação, citando um exemplo de cada uma delas:

_ _

Articulação plana [7.1] Articulação ginglimo [7.2] . Articulação irocóide [7.3] Articulação bicondilar [7.4] Articulação selar [7.5] Articulação elipsóide [7.6] Articulação esferóide [7.7]

_

Trocóide

Esferóide

B<ortd»!dr

Plana

Ginglimo

Selar

Elipsóide

[8] Em relação aos tipos de movimentos possíveis nas articulações sinoviais. complete:

__

A flexão é o movimento em que há diminuição do ângulo entre os segmentos que se articulam. Já no movimento de [8.1] ocorre afastamento dos segmentos entre si.

_ ,o segmento do corpo se afasta do plano mediano. O movimento articular conhecido como [8.3] _ é uma combinação sequencial de flexão. No movimento de [8.2]

abdução, extensão e adução.

O movimento de um osso ao redor de um eixo central, sem que ocorra deslocamento do eixo é chamado de rotação.

Caso a superfície anterior de um osso movimente-se para dentro, o movimento é chamado de rotação medial. No caso do movimento do antebraço para fora, esse movimento é denominado [8.4] e. quando o antebraço movimenta-se para dentro, o movimento recebe o nome de [8.5] _ .

_

B

M

21


[91 Relacione os movimentos especiais das articulações sinoviais com suas respectivas definições:

(9.1) Elevação [9.21 Depressão [9.31 Inversão [9.4) Eversão [9.51 Protraçào [9.6) Retraçào

Deslocamento de uma parte do corpo para a frente. Reposicionamento da parte do corpo protaída para a posição usual. Movimento no qual as plantas dos pés ficam voltadas para dentro, com sua margem interna elevada. Movimento no qual as plantas dos pés ficam voltadas para fora. com sua margem externa elevada. Movimento que suspende uma parte do corpo. Movimento que abaixa uma parte do corpo. [101 Cite os principais ligamentos de cada uma das seguintes articulações sinoviais:

Articulação temporomandibular

Articulação do ombro

22


Articulação do cotovelo direito - vista anterior

Articulação do quadril - vista lateral

Articulação do quadril

vista frontal

ÿ

ÿ

23


[ 10.9J . (10.10]

[10.11] [10.12]

Articulação do joelho direito - vista anterior

24


Miologia

4

Andréa Beatriz Bonsi

Miologia é o ramo da ciência que estuda os músculos. No corpo humano, há três tipos: músculos estriados esqueléticos, músculo estriado cardíaco e músculos lisos. No Capítulo "Sistema Cardiovascular", serão abordados exercícios referentes ao músculo estriado cardíaco. Os músculos lisos serão estudados simultaneamente nos demais sistemas do corpo. Neste capitulo, abordaremos os músculos estriados esqueléticos, assim denominados por apresentarem estriaçôes ao serem observados ao microscópio e geralmente se fixarem aos ossos do nosso esqueleto. [1] Preencha os campos vazios com os respectivos componentes anatómicos de um músculo estriado esquelético:

_ 11-21 _ [1.1]

[13] _

[1.4]

_

[2] Complete os espaços em branco:

Com exceção dos músculos da mímica, que se inserem na pele, todos os músculos estriados esqueléticos possuem dois pontos de fixação óssea denominados [2.1] e [2.2] .

_

_

25


(3] Assinale a alternativa correta:

a. ( ) Durante um movimento, a origem é o ponto que sofre deslocamento. b. ( ) Inserção é o tendão de fixação distai. c. { ) Músculos que apresentam dois tendões na inserção são classificados como biceps. d. ( ) Músculos bicaudados apresentam dois ventres interligados. [4] Correlacione a coluna da direita com a da esquerda.

{4.1] Aponeurose

M. reto do abdome

[4.2] M. gastrocnémio [4.3] M. temporal [4.4] M. poligástrico [4.5] Ventre muscular [4.6] M. flexor profundo dos dedos

Policaudado Compõe o m. triceps da perna Parte anatómica contrátil do músculo

[4.7] Tendão muscular

Forma de lâmina Forma de fita Músculos da rlUiiEuÿy

[5] Identifique, no desenho abaixo, os músculos do membro superior nas diversas vistas:

26


(5.9)

_

[5.10J [5.11]

27


28


([55..128901)]

_ _ _ _

[6] Assinale a alternativa que apresenta apenas músculos da mímica facial: a. ( ) M. orbicular do olho, m. risório, m. digástrico. b. ( ) M. orbicular da boca, levaniador da asa do nariz e do lábio superior, m. pterigóideo lateral. c. ( ) M. bucinador, m. zigomático maior, m. corrugador do supercílio. d. ( ) M. zigomático menor, m. risório, m. masseier.

[7] Assinale a alternativa que contém um músculo longo com fibras paralelas e um músculo peniforme. respectiva¬ mente: a. ( ) M. sartõrio; m. grácil.

b.

( ) M. reto femoral;

m. sartório.

c.

( ) M. sartório; m. reto femoral. d. ( ) M. vasto lateral; m. reto femoral.

[81 Preencha os campos em branco com o nome correto dos músculos envolvidos na mecânica respiratória:

[8.1] [8.2]

[8.3] [8.4] [8.5]

29


18.90]

_ _ [8.1 1] _ [8-12] _ [9] O músculo quadriceps femoral é assim classificado por apresentar quatro tendões na sua origem. Complete os

campos vazios da figura abaixo indicando o nome de trés músculos que o formam e um músculo longo com fibras paralelas [9.4].

30


19.1] [9.2] 19.3] [9.4] [10] A loja extensora do antebraço é formada por alguns músculos, cuja inserção se dá em ossos da mão. Tendo como orientação os desenhos abaixo, aponte os respectivos músculos:

[10.1]

[10.2] [10.3]

[10.4]

[10.5] [10.6]

o tronco e mantém um sinergismo durante os mo¬ vimentos de expiração. Preencha os campos indicando a origem desses músculos: _ [11.1] M. reto do abdome [11] A parede abdominal é formada por músculos que flexionam

[11.2] M. oblíquo externo do abdome [11.3] M. obliquo internodo abdome

[11.4] M. transverso do abdome

_

_ _ 31


do membro inferior, denominado pé, encontramos músculos flexores na região plantar e músculos extensores na região dorsal do pé. Identifique os músculos assinalados nas figuras abaixo: (12] No segmento distal

32


[[112.9] 2.2.180]]

[[11223] ..1124]] [1

_ _ _

_

_ _ _

[12.1

[13] Na região dorsal do tronco, encontramos músculos superficiais, músculos que compõem a camada média e músculos profundos, os quais possuem funções posturais e realizam movimentos do tronco. Nas figuras abaixo, as figuras representam o dorso em duas situações. Identifique os músculos nomeando-os.

[13.1] [13.2] [13.3]

[13.4] [13.5] [13.6]

[13.7] [13.8]

[13.9]

_

[13.10]

j*

33


[14J Tendões musculares são pontos de fixação dos músculos estriados esqueléticos nos ossos. Esses pontos são de¬ nominados de origem e inserção musculares. Preencha a tabela abaixo com as respectivas inervações dos músculos do

membro superior:

Músculo [14.1] Bíceps braquial

[14.1]

[14.2] Deltóide

[14.2]

[14.3] Braquiorradial

[14.3]

[14.4] Braquial

[14.4]

[14.5] Flexor superficial dos dedos

[14.5]

[14.6] Flexor profundo dos dedos

[14.6]

[14.7] Flexor ulnar do carpo

[14.7]

[14.8] Flexor radial do carpo

[14.8]

[14.9] Extensor dos dedos

[14.9]

[14.10] Extensor radial longo do carpo

[14.10]

[ 14. 1 1 ] Extensor radial curto do carpo

[14.11]

[14.12] Extensor ulnar do carpo

[14.12]

[15] Identifique, nos desenhos abaixo, os músculos do membro inferior nas diversas vistas:

[15.1]

_

_ [15.3] _ 115.4] _ [15.2]

[15.5]

34


[15.6] [15.7]

n [15.8L [15.9]. [15.10] [15.11] [15.12]

[15.13] [15.14]

115.16]

[15.15] [15.16] [15.17] [15.18]

j*

35


[15.19] [15.20]

[15.21] _ [16] Em relaçáo aos membros inferiores, preencha a tabela abaixo com os respectivos locais de inserções musculares

do membro inferior:

Músculo

[16.9] Semimembranáceo

_ [16.2] _ [16.3] _ [16.4] _ [16.5] _ [16.6] _ [16.7] _ [16.8] _ [16.9] _

[16.10] Bíceps femoral

[16.10]

[16.11] Gastrocnêmio cabeça lateral

[16.11]

[ 16. 12] Gastrocnêmio cabeça medial

[16.12]

[16.13] Sóleo

[16.13]

[16.14] Fibular longo

[16.14]

[16.15] Tibial anterior

[16.15]

[16.16] Tibial posterior

[16.16]

[16.17] Flexor longo dos dedos

[16.17]

[ 16.18] Flexor curto dos dedos

[16.18]

[16.1] Glúteo máximo [16.2] Glúteo médio

[16.3] Glúteo mínimo [16.4] Grácil [16.5] Adutor magno [16.6] Adutor médio [16.7] Adutor mínimo [16.8] Semitendíneo

[16.1]

(continua)

36


Músculo [16.19] Flexor longo do hálux

(16.20) Extensor longo dos dedos [16.21] Extensor longo do hálux

[16.22] Extensor curto dos dedos [16.23] Extensor curto do hálux [17] Identifique, nos desenhos abaixo, os músculos da cabeça e do pescoço nas vistas anterior e àntero-lateral:

I17.1) (17.3)

11721

[17.101

[17.71

[178]

[17.91

[17.1]_ [172)_

_

(173). [17.4]

[17.5]. [17.6]

_

[17.7].

_ [17.9] _ [17.8]

[17.10]

37


117.15! [17.1 1J

[17.11]

[17.12] [17.13] [17.14]

[17.15]

[17.16]

38


[(4.312)]

Sistema Circulatório

5

Marcelo Betti Mascaro

Fábio César Prosdócimi

11] Na figura ao lado. tem-se a vista ántero-posterior da cavidade torácica. Identifique

as estruturas numeradas: [1.1]

_

[1-2] _

11.3] _ [2] Qual o nome do espaço onde se localiza a estrutura [1.1]?

_

[3] O órgão [1.1] tem forma prismática, ou seja. apresenta trés faces relacionadas com as estruturas com as quais ele faz

_

contato. Portanto, as faces do órgão [1.1] são:

[3.1]

[3.2)

_ e [3.3] _

o interior do coração (seta), passamos por várias camadas. A camada tracejada representa o líquido pericárdico. e a listrada, mais espessa, representa o miocárdio, o músculo cardíaco. Quais são as outras? [4] Do meio externo até

_

_

_ 14.4] _

[5] A figura ao lado mostra a vista ántero-posterior do coração. Ele possui

uma região inferior mais afilada denominada ápice e uma região superior denominada base onde se localiza uma série de vasos sanguíneos. Assinale. na figura, os seguintes vasos:

[5.1] Artéria aorta [5.2] Tronco pulmonar [5.3] Veia cava superior [5.4] Veias pulmonares esquerdas

39


(61 As figuras abaixo representam o coração em três vistas diferentes. As setas indicam quais vasos da base?

16.1]

[6.11

(6.2)

[7] Se seccionarmos o coração e observarmos sua anatomia interna verificaremos que ele é dividido em quatro câmaras. As superiores são

separadas das inferiores pelas valvas atrioventriculares. Quais câma¬ ras são representadas pelas letras abaixo e que estrutura está sendo apontada pela seta?

_ _

A: [7.1] B: [7.21 C: [7.31 _

_ Seta: (7.5) _ D: [7.4)

[81 A

figura ao lado mostra a vista látero-lateral do átrio direito. Que estrutura está

assinalada pelo circulo?

18.11 _ Em que outros locais do coração esta estrutura está presente?

_ E as trabéculas cárneas, onde se localizam? [8.31 _ 18.21

40

dodeexerc*


3.2]

[91 0 fluxo sanguíneo, no interior do coração, sempre corre das câmaras mais superiores para as inferiores. As câmaras do ladodireito náo se comunicam com as do lado esquerdo devido a presença dos septos interatrial e interventricular.

Todas as câmaras cardíacas se relacionam com vasos da base para onde o sangue é bombeado. Complete a tabela abaixo: Vaso da base

Câmara cardíaca

[9.1]

Átrio esquerdo

Veia cava superior e inferior

[9.2]

19.4]

Í9.3]

Ventrículo direito

.

[9.5]

[10] Em relação ao fluxo cardíaco, qual a função das cordas tendíneas e dos músculos papilares?

[10.1] _ [11] Observando a figura ao lado. complete o texto:

_ circulação ou circulação pulmonar, o sangue deixa o ventrículo [1 1.2] _ pelo tronco pulmonar, segue pelas artérias pulmonares até os Na [11.1]

pulmões onde ocorre a hematose (troca gasosa). Então, o sangue rico em oxigénio chega ao

_ no átrio [1 1.4] _ ,passa para o ventrículo [ 1 1.5] _ quando terá início a grande circulação ou circulação [1 1 .6] _ como sangue saindo pela artéria [ 1 1.7]_ que o dis¬ coração pelas veias [11.3]

tribui para todo o corpo. O sangue rico em gás carbónico retorna ao coração pelas veias cavas superior e inferior que chegam no [ 1 1.8]

[12] A

_

.

figura ao lado representa dois vasos sanguíneos. Qual é a artéria e qual é a veia?

_ B: [12.2] _

A: [12.1]

[13] Complete as lacunas com o nome das camadas do vaso.

[13.1]

[1 [1

_ _ _

&

1

[14] Cite pelo menos três diferenças entre artérias e veias.

Veias

Artérias [14.1]

í14.21

[14.3]

í14.41

[14,5]

í14.61

41


(15)0 que são os capilares sanguíneos? Qual a sua importância?

[16] Em relação à irrigação e à drenagem cardíacas, assinale, nas figuras, os seguintes vasos sanguíneos:

[16.1] Artéria coronária direita [16.2] Ramo interventricular anterior [16.3] Seio coronário [16.4] Veia cardíaca magna [17] Relacione os vasos sanguíneos com região anatómica onde eles se localizam. [17.1] Artéria carótida comum

( ) Cabeça

[172] Veia ázigo

( ) Pescoço

[17.3] Artéria mesentérica superior

( ) Cavidade torácica

[1 7.4] Veia temporal superficial

( ) Cavidade abdominal

[17.5] Veia cefálica

( ) Cavidade pélvica

[17.6] Artéria ilíaca interna

( ) Braço

[1 7.7] Artéria tibial posterior

( ) Antebraço

[17.8] Artéria femoral

( )Coxa

[17.9] Veia braquial

( ) Perna

[181 A partir do arco da aorta (A), temos a saída de três artérias (B). (C) e (O). Como elas são denominadas?

_ _ D: [18.3] _

B: [18.1] C: [18.2]

[18.4] Localize, no desenho, a artéria vertebral esquerda.

42


[21.3567]

(191 Lateralmente, a margem superior da cartilagem tireóidea da laringe e a arté¬

ria carótida comum se dividem em artérias carótida externa e interna. A artéria ca¬

rótida interna (seta preta) penetra na basedo crânio pelo canal carótico e ao redor

da sela turca (A), para formar, com a artéria basilar (seta branca), o círculo arterial do cérebro. Quais artérias se formam a partir do circulo arterial (D), (E). (F)?

D: [19.1]

E: [19.2]

F: [19.3]

[201Observando o desenho abaixo complete: ( ) [20.1] Artéria carótida externa ( ) [20.2] Artéria temporal superficial

( ) [20.3] Artéria facial ( ) [20.4] Artéria tireóidea superior ( ) [20.5] Artéria occipital ( ) [20.6] Artéria maxilar ( ) [20.7] Artéria labial superior ( ) [20.8] Artéria lingual [21] Cite oito ramos da artéria maxilar

_ _

_

121.4] _

_

_ _ 121.8] _ [221 Em relação aos seios da dura-máter, assinale a alternativa correta

a. ( ) Eles sáo veias que transportam sangue rico em gás carbónico para o plexo pierigóideo.

b. ( ) O seio assinalado com a bola preta é o seio longitudinal inferior.

B

43


[27.5]

c.

{ ) Eles são dobras da dura-máter. com paredes rígidas e revestidos por endotélio que levam o sangue principalmen¬ te para a veia jugular interna.

d. ( ) O seio assinalado com a bola preta é o seio sigmóide.

e. ( ) Eles são veias com grande quantidade de músculo liso em suas paredes e levam sangue para a veia jugular externa. [23] Em relação às veias da face e do pescoço, complete:

_, forma a veia retromandibular (B). que se une à veia [23.2] _ para for¬ mar a facial comum (C). que se abrirá na veia [23.3] _ . A veia temporal superficial (A), quando se une à veia [23.1]

[24] O que são veias diplóicas?

[25] Quando a veia A se une à veia B, forma-se a veia C, que se abrirá no coração. Quais

são as veias:

_ _ C: [25.3] _ A: [25.1] B: [25.2]

Em qual câmara cardíaca se abre a veia C? [25.4] _

_

[26] Em relação à irrigação do tórax, complete o texto:

As artérias [26.1]

_

ramos da artéria aorta parte descenden¬

te. anastomosam-se com as artérias intercostais anteriores, ramos da artéria [26.2]

_ .que é um ramo descendente da artéria subclávia. Além da parede torácica, a irrigação de órgãos como o [26.3] _ e os [26.4] _ também é feita por ramos da artéria aorta.

[27] Em relação ao esquema de drenagem venosa do tórax representado ao lado. iden¬

tifique. na figura, as seguintes veias: [27.1] Cava superior [27.2] Cava inferior

[27.3] Hemiázigo [27.4] Hemiázigo acessória

Que veia está apontada pela seta maior? _

44 Anata


[32.]

[281 A artéria aorta descendente perfura o

diafragma e chega ã cavidade abdominal.

Complete o texto:

_ _ _ _, _ __ __

Nesta cavidade, a artéria aorta emite as artérias lombares bilateralmente, além das ar¬

_

térias [28.1]

e [28.2]

ou

ováricas que também são bilaterais. Anteriormente, a artéria aorta emite o tronco [28.3]

que se divide em artérias [28.4]

logo inferiormente a ele temos a

e [28.6]

artéria [28.7]

[28.5]

que irá levar sangue para o intestino delga¬

do, ceco, colo ascendente e transverso do intestino grosso. A artéria meseniérica inferior

_, [28.9] _ e [28.10] _ . (seta) levará sangue para parte do colo transverso, além do [28.8]

[29] Quais são os ramos terminais da artéria aorta? Para onde esses ramos irão se direcionar?

[30] A veia porta penetra pelo hilo hepático.

[30.1] Identifique, no desenho ao lado. a veia porta. [30.2] Por quais veias ela é formada?

[30.3] Qual a importância do sistema porta hepático?

[31] Como se forma a veia cava inferior?

[32] Cite quatro veias abdominais que se abrem na veia cava inferior:

[32.1] _

_

_ 132.4] _ [33] Em relação às artérias do membro inferior, localize nos desenhos:

[33.1 ] Artéria ilíaca interna

[33.5] Artéria tibial anterior

[33.2] Artéria ilíaca externa

[33.6] Artéria tibial posterior

[33.3] Artéria femoral

[33.7] Artéria fibular

[33.4] Artéria femoral profunda

45


(35.2]

[34] Em relação ã drenagem venosa do membro inferior, as veias

__

superficiais levam o sangue

para as veias profundas.Complete o texto:

A veia (seta) [34. 1]

que é a mais comprida do corpo humano, lo-

caliza-se medialmente ao membro inferior e se abre na veia [34.2] _ ,

_ ,que se localiza no compartimento posterior da [34.4] _ ,abre-se na veia [34.5] _ ,que é

que é profunda. Já a veia [34.3]

_ _ drena a ca¬ vidade pélvica e forma a veia [34.7]_ .Quando a direita se une à esquerda, forma-se a veia cava inferior, que se abre no [34.8] _ do coração. profunda e se localiza próxima à fossa que possui o mesmo nome. Após passar pelo canal

inguinal, a veia ilíaca externa se une à veia [34.6]

que

[35] Na vista posterior do membro superior, as setas pretas apontam quais artérias?

[3S.1]

_ _ _

46 Ar


(36] A artéria axilar, que passa profundamente ao

músculo peitoral menor, envia

alguns ramos para a irrigação das paredes da axila. Entre estes ramos, está a artéria

_

torácica superior (A), além das artérias B e C, que são chamadas:

B: [36.1] C: [36.2]

_

[37] Em relação às artérias do antebraço e da mão. responda: A artéria braquial dá origem a quais outras artérias (setas)?

[38] De onde surgem as artérias digitais?

[39] No membro superior, assim como no inferior, existem veias superficiais que dre¬

nam para veias profundas.Complete a tabela Veia superficial

drenagem

[39.1] [39.3]

Veia profunda

_ [39.4] _ [39.2]

[40] Qual é a veia apontada pela seta preta?

B

47


(41J O sistema [41.1J

_ apresenta-se como um sistema auxiliar de drenagem do [41.2] _

drenagem essa realizada principalmente pelo sistema venoso. O sistema venoso consegue drenar aproximadamente

[4 1.3)

_ do volume do líquido que se

__

apresenta entre as células, sendo o responsável pela drenagem de (4 1.4]

Inicialmente, a linfa é recolhida pelos [41.5) mente pelos (4 1.7)

que desembocam em (4 1.81

Os capilares linfáticos são mais [4 1.9] cego.

__

em seguida pelos (4 1 .6)

_ e final¬

_ de médio ou grande calibre.

_ que seus correspondentes sanguíneos e terminam em fundo

_

_ (assim como as veias) que conduzem a linfa em um único sentido. Um dos dois grandes vasos linfáticos, o (41.1 1] _ drena a área correspondente à metadedireita da Apresentam [4 1.10]

cabeça, do pescoço, do tórax, do coração, do pulmão direito e do membro superior direito. O outro tronco, maior, é

o [41.12]

_ ,que drena as áreas não drenadas pelo dueto linfático direito. Os vasos linfáticos sáo

ausentes no sistema nervoso central, na medula óssea, nos músculos estriados esqueléticos e

nas estruturas avascu-

lares.

_ são (41.14] _ localizados no trajeto dos vasos linfáticos. Servem como bar¬ reiras contra (41.15] _ e [4 1.16] _ é revestido por uma [41.17] _ e produz (41.18] _ uma vez que sáo elementos de defesa do organismo. Podem apresentar-se [41.19] _ ou agrupados em (4 1.20] _ . O [4 1 .21] _ é um órgão linfóide e situa-se no lado esquerdo do abdome, relacionado anatomicamente à Os (41.13]

_

.

cauda do pâncreas.

O [4 1 .22]

_ é também um órgão linfóide, assim como as (4 1.23] _ . Entretanto, sofre

regressão no período da puberdade e no adulto torna-se somente um tecido adiposo e fibroso. Esses órgãos linfóides também representam barreiras contra infecções.

48


Sistema Respiratório Rosana Cristina Boni O sistema respiratório é constituído por órgãos que conduzem o ar na inspiração e na expiração e por órgãos respon¬ sáveis pelas trocas dos gases (oxigénio e dióxido de carbono). (1) Organize a sequência correta do caminho percorrido pelo ar. nas vias condutoras, na inspiração até sua chegada

nos pulmões:

_

Laringe - Nariz Faringe Cavidade nasal - Brônquios - Traquéia

[1.1]

_ [1-3] _ [1-4] _ [15] _ [1-2]

[1-6] _ [2] Complete a frase:

_ ,onde ocorrem as trocas dos gases, é constituída pelos bronquíolos respirató¬ rios, duetos [2.2] _ ,sacos alveolares e [2.3] _ .

A porção (2.1]

[3] O nariz está localizado no plano mediano da face. O nariz externo tem a forma de pirâmide, no homem; sua parte

interna é denominada cavidade nasal. Relacione as colunas: Estrutura

_ Meatos nasais _ Cóanos _ Conchas nasais superiores e médias

[3.1] Projeções do osso etmóide nas paredes laterais da cavidade nasal. [3.2] Osso que constitui a concha nasal separada do etmóide. [3.3] Espaços, entre as conchas nasais, delimitados pela

mucosa, que os revestem.

_ Lâmina perpendicular do osso etmóide e osso vômer

[3.4] Comunicação da cavidade nasal, posteriormente, com a parte nasal da faringe.

_ Narinas

[3.5] Parte óssea do septo nasal.

_ Ossos nasais e porções das duas maxilas

[3.6] Porção anterior do septo nasal, não óssea.

_ Concha nasal inferior _ Cartilagem do nasal septo

[3.7] Aberturas em fenda na base do nariz. [3.8] Ossos que constituem o esqueleto do nariz e delimitam

a abertura piriforme. 49


__

[4] A cavidade nasal se comunica com espaços aéreos, presentes em ossos, revestidos por mucosae que contêm ar. Esses

espaços são denominados: [4.1]

e [4.4]

[4.2]

_ ,[4.3] _

_ .eles constituem os seios paranasais.

[5] Complete a frase:

Na inspiração, o ar. após passar pela cavidade nasal, segue para um tubo muscular, localizado na posição mediana,

_ , que apresenta três partes: [5.2] _ , [5.3] _ e [5.4] _ . Na primeira parte, nas paredes late¬ rais. existe uma abertura denominada [5.5] _ , que se comunica com

denominado [5.1]

a orelha média, de cada lado. Acima dessa abertura, existe uma projeção de cartilagem da tuba auditiva, revestida de

_ Na parede póstero-superior, uma massa de tecido linfóide denominada (5.7) _ .

mucosa, em forma de meia lua. denominada [5.6]

está presente

.

[6] A parede da faringe é constituída por músculos estriados esqueléticos, no sentido longitudinal e circular, que atuam

na condução do ar e do bolo alimentar. Assinale a alternativa que indica músculos da faringe: a. ( ) M. cricotireóideo, m. estilofaringeo e mm. constritores da faringe. b. ( ) Mm. constritores da faringe, m. estilofaringeo e m. palatofaríngeo. c. ( ) M. palatofaríngeo, m. salpingofaríngeo e m. levantado do véu palatino. d. ( ) Mm. constritores da faringe, m. salpingofaríngeo e m. hioglosso. [7] Complete a frase: A [7.1] _ é um órgão tubular localizado na posição mediana, no pescoço, que conduz ar para a traquéia. Tem, ainda, função fonatória e de proteção das vias aéreas inferiores. Nas paredes laterais, estão localizadas duas pregas transversais superiores, as [7.2] _ e duas inferiores, as [7.3] _ . Entre uma prega superior e outra inferior, existe uma invaginação denominada [7.4]

_

_ . A cavidade da laringe está dividida em três _ , que se estende da abertura da laringe até as pregas vesti¬ bulares: [7.7] _ espaço aéreo entre as pregas vestibulares e as pregas vocais; [7.8] _ abaixo das pregas vocais até a traquéia.

A abertura do tubo é o [7.5] partes: [7.6]

50


[81 0 esqueleto da laringe é constituído por cartilagens, que dão sustentação a vários músculos intrínsecos e extrínse¬ cos. Observe o desenho abaixo e correlacione as colunas:

Tireóidea

[8.1] ímpar, em forma de anel de sinete.

. Cricóidea . Aritenóidea

(8.2) Par. em forma de uma pequena pirâmide.

. Epiglótica . Corniculada e cuneiforme Cartilagens da laringe - vista anterior

[8.31 ímpar e mediana, em forma de folha. [8.4J Constituída por duas lâminas que se unem anteriormente.

em forma de escudo. [8.5J Pares, situadas acima do ápice das aritenóideas

Cartilagens da laringe - vista posterior

[91 Na laringe, existem músculos extrínsecos e músculos intrínsecos. Identifique, nos músculos abaixo, apenas os mús¬

culos intrínsecos da laringe: M. tireohióideo. M. aritenóideo transverso. M. cricotireóideo, M. estilohióideo, M. milohióideo, M. cricoaritenóideo la¬ teral. M. vocal. M. esternotireóideo. M. omohióideo. M. tireoaritenóideo. M. cricoaritenóideo posterior. M. aritenóideo oblíquo. [9.11 [9.2] [9.3]

[9.4]

[9.5] [9.6] [9.7]

[10] Complete a frase:

A traquéia apresenta-se em forma cilíndrica, na posição [ 1 0.1]

_

e estende-sedo pescoço ao tron¬

co. É constituída por anéis de cartilagem incompletos, em forma de C. denominados [10.2]

_, 51


_ .A parede posterior, que não tem carti¬ músculo liso. o [10.5] _ lagem. é chamada de [10.4] _ e _ . Na porção final da traquéia, ela um pequeno desvio para a direita, no qual se divide, dando origem aos [ 10.6] _ .Na região da bifurcação, internamente, existe uma crista de cartilagem chamada [10.7] _ que auxilia a direcionar o ar para os brônquios. sobrepostos e unidos pelos [10.3]

tem

_

apresenta

[11] Correlacione as colunas:

Brônquios

Definição

[11.1] Dividem-se em direito e esquerdo, levando ar para os pulmões direito e esquerdo, respectivamente.

Lobares

[1 1 .2] Dividem-se em três (direitos) e dois (esquerdos) levando ar

Segmentares

para os lobos pulmonares.

[1 1 .3] Dividem-se em dez para cada lado. levando ar para cada

Principal

segmento broncopulmonar.

[12] Relacionado aos brônquios principais, assinale a alternativa correia:

a. ( ) O brônquio principal esquerdo apresenta-se em posição mais vertical, tem calibre maior e comprimento menor em relação ao brônquio principal direito, que passa sob o arco da aorta e posteriormente ã aorta descendente, encontrando-se mais horizontal, mais comprido e com calibre menor em relação ao outro. b. ( ) O brônquio principal deireito apresenta-se em posição mais horizontal, tem calibre maior e comprimento maior em relação ao brônquio principal esquerdo, que é mais vertical, tem menor comprimento e calibre menor em relação ao outro. c. ( ) O brônquio principal direito é quase a continuação da traquéia. portanto, apresenta-se numa posição mais vertical, tem calibre maior e comprimento menor em relação ao brônquio principal esquerdo, que passa sob o arco da aorta e anteriormente à aorta descendente, encontrando-se mais horizontal, mais comprido e com calibre menor em relação ao outro. d. ( ) O brônquio principal esquerdo é quase a continuação da traquéia, portanto, apresenta-se numa posição mais vertical, tem calibre menor e comprimento menor em relação ao brônquio principal direito, que se encontra mais ho¬ rizontal. mais comprido e com calibre maior em relação ao outro. [13] Complete as frases: A [13.1]

_

_, nas fissuras, e a [13.3] _ continua em relação à

envolve os pulmões e apresenta dois folhetos: a [13.2]

que reveste os pulmões e penetra

anterior, que reveste a parede torácica e o diafragma. O espaço presente entre as duas membranas é denominado [13.4]

_

_ ,relacionada com o m.diafragma e [13.7] _

Os pulmões apresentam três faces, que são: [13.5]

o mediastino. onde está localizado o hilo pulmonar.

52 Ar

_

, relacionada com as

costelas: [13.6]

relacionada com


[[16.3] [1166..112345678]]

[14J Denomine as estruturas ou regiões indicadas nas figuras abaixo:

[15) Assinale a alternativa correta:

a. ( ) O pulmão direito se diferencia do esquerdo por apresentar trés lobos e uma fissura transversal e outra oblíqua. b. ( ) O pulmão esquerdo apresenta dois lobos, sendo que no superior encontramos a língula; e a fissura que o divide é a horizontal. c.( ) A incisura cardíaca está presente no lobo inferior do pulmão direito. d. ( ) Os pulmões direito e esquerdo apresentam a fissura oblíqua, sendo que o direito contém, também, a fissura horizontal.

[161 Correlacione os segmentos broncopulmonares, na figura abaixo:

Pulmão direito

[16.1]

[16.21

_ _ _

_ [16.5] _ _ H6.7] _ [16.8] _ [16.4]

Pulmão esquerdo

_ _ _

_ _ _ _ _

(continua) 53


[16.9]

.

[16.19]

[16.10]

Segmentos Broncopulmonares Vista Anterior

116.13}

116.14]

Segmentos Broncopulmonares

Vista Medial


[[33..124589]]

[[22..1234]]

[1] Complete a sentença:

"O sistema digestório pode ser dividido em [1.1]

Sistema

Digestório Arthur Georg Schmidt

_ _

_

esôfago, estômago, intestino delgado e intestino grosso, e em [1.2] órgãos como dentes, língua, glândulas salivares, fígado e pâncreas"

que consiste em: cavidade oral. faringe,

,que consiste em

[2] Relacione as colunas segundo as funções do sistema digestório:

Ingestão

Digestão

Absorção

Defecaçáo

_ envolve tanto um processo químico (por meiode enzimas) quanto um pro¬

cesso mecânico (como a mastigação) a fim de reduzir o tamanho dos alimentos ingeridos.

_ consiste na eliminação de resíduos, microorganismos e substâncias indige-

ríveis por meio do ânus.

_ envolve tanto a preensão quanto a deglutição de alimentos e líquidos. _ consiste na passagem dos nutrientes e líquidos do interior do canalalimen¬

tar para dentro dos vasos sanguíneos.

[3] Organize a sequência correia correspondente às divisões e aos limites da cavidade da boca.

Palato -Vestíbulo da boca - Istmo das fauces - Palatoduro - Soalho - Cavidade própria da boca - Lábios - Palato mole

- Bochechas

_ é a região localizada entre lábios, bochechas,dentes e gengiva. _ corresponde à região entre os arcos dentais maxilar e mandibular, que é ocupada pela língua. _ são pregas cuianeomiomucosas (formadas por pele, músculo e mucosa), que limitam a cavidade

da bocaanteriormente.

_ formam as paredes laterais da cavidade da boca. _ é o teto da cavidade oral propriamente dita. sendo formado por uma predominantemente óssea, denominada [3.6] _ e outra muscular, chamada [3.7] _ . _ é o limite inferior da cavidade oral propriamente dita, onde são encontrados a lingua e o sulco parte

gengivolingual.

_ consiste em uma passagem estreita entre a cavidade da boca e a faringe.

55


[5.6] [[44..1234]]

[4] Dentes são os órgãos mineralizados de maior dureza do corpo, implantados nas maxilas e na mandíbula. Relacione

os nomes dos dentes apontados e das partes de um dente com os espaços em branco. Í4.1I

_ _ _ _

142]

[4.5]

(a parte visível)

[4.6]

{zona de estreitamento)

[4.7]

(parte não visível implantada no osso)

[5] Complete a sentença

_

e indique as partes apontadas da língua. A língua é um órgão miomucoso (muscular revestido por mucosa), cujas funções podem ser descritas como: [5.1]

_

,15.2]

_

[5.3]

_ e [5.4] _ .

|S.7b]

[5.7c]

15.7a]

[5.9]

_ é a mais anterior da língua. _ é a região que as papilas linguais (gustativas ou não). Estas papilas gustativas são de¬ nominas [5.7] _ , _ e _ . Enquanto as nào-gustativas são chamadas parte

apresenta

[5.8]

Í5.9]

sistema linfático.

56

é a porção de implantação da língua que apresenta a [5.10]

relacionada ao


[7.1] (7.2] [7.3]

(61 Relacione as glândulas salivares maiores e menores às colunas.

Labiais - Submandibulares - Bucais - Linguais - Parótidas - Incisivas - Molares - Palatinas - Sublinguais Glândulas salivares maiores

Glândulas salivares menores

(6.11

(6.4)

_ 16.2) _ (6.31 _

_ [6.51 _ 16.61 _ [6.7J _ [6.81 _

(71 Faringe é um órgão mediano comum aos sistemas respiratório e digestório. Indique as partes apontadas da faringe.

_ é a região posterior à cavidade nasal, relacionada

exclusivamente com a passagem do ar inspirado.

_ é a região posterior à cavidade oral propriamen¬

te dita. relacionada à passagem tanto de ar como do bolo alimentar e

líquidos.

_ é a região posterior à laringe, por onde passam

normalmente o bolo alimentar e líquidos ingeridos.

[81 indique nas lacunas as partes do esòfago.

_ é a encontrada diretamente inferior à porção laríngea da faringe. (8.2) _ é a porção mais deste órgão. [8.3J _ é a menor do esòfago e está relacionada ao estômago. [8.11

parte

extensa

parte

[91 A maioria das vísceras abdominais relacionadas ao sistema digestório encontra-se no abdome. Indique as partes do

abdome segundo:

A divisão do abdome em quadrantes pelo plano mediano e por um plano transverso,

ÿ

57


[10.1] (10. 2 ) [10.3

A divisão do abdome em nove regiões segundo dois planos transversos e dois sagitais.

[10) Relacione as colunas, indicando as partes do estômago:

_ é a parte contínua ao esôfago.

Corpo gástrico

_ é a região onde ocorre acúmulo de gases (bolha

Parte pilórica

gástrica) durante a deglutição.

_ é a maior parte deste órgão.

Curvatura menor e curvatura maior

_ é a região que antecede o duodeno, sendo subdividida em antro pilórico, canal pilórico e piloro. [10.5) _ e [10.6) _ relacionam-se [ 10.4]

Cárdia

Fundo gástrico

respectivamente ao omento menor e maior.

[11) Complete a sentença:

*Os intestinos constituem um tubo de 7 metros, que de acordo com seu diâmetro, pode ser dividido em duas principais regiões: [1 1.1) _ e [1 1 .2) _ . A primeira e maior parte do intestino (com cerca de 4

_

_ ,[1 1.4) _ e [1 1 .5) _ _ ,(1 1.7)_ .(11.8)_ , enquantoa segunda parteésubdivididaem[l 1.6) [1 1.9) _ ,[11.10) _ ,[1 1.1 1) _ ,[11.12) _ e seu orifício metros) é subdividida, respectivamente, em [1 1.3)

terminal, o ânus". [12) Duodeno é a primeira porção do intestino delgado, assim chamado desde a Antiguidade por corresponder à me¬ dida de 12 dedos. Complete as lacunas adequadamente em relação às partes do duodeno.

Parte descendente - Parte ascendente - Parte superior - Parte horizontal [ 12. 1)

[12.2)

é a região que segue imediatamente à parte pilórica do estômago.

_ é a região seguinte que

apresenta comunicações com o pâncreas e o fígado por

meio da am¬

pola hepatopancreática (na papila maior do duodeno) e exclusivamente com o pâncreas (por meio da papila menor do duodeno).

[ 12.3)

_ é a próxima região,

na forma de'V". [12.4)

58

presente em duodenos em forma de letra"U"ou"C'e ausente em duodenos

_ é a última região do órgão, onde este se comunica com o jejuno.


[13.3.12] ]

[[1144..S2367]]

e o íleo constituem a porção móvel do intestino delgado, não havendo limite anatómico nítido entre estes dois órgãos e ainda apresentando diferenças funcionais graduais (mais evidentes ao se comparar a porção inicial do jejuno coma parte terminal do iieo), sendo por esta razão comumente estudados como um único órgão jejuno-ileo. [13] O jejuno

Complete: [1

_ é a região seguinte ao duodeno. _ é a porção terminal do intestino delgado que comunica este órgão com o intestino grosso

por meioda parte terminal.

[14] Indique na figura e complete as lacunas referentes às partes do intestino grosso.

[14.1]

_ (parte que

apresenta o apêndice vermiforme e se comunica com o

e óstio ileal).

íleo por meio da papila ileal

[14.3]

I14.2J

114.11

_

(segue até a flexura cólica direita).

_ (é parte bastante móvel do intestino grosso que se relaciona ao omento maior).

_ (inicia-se na flexura cólica esquerda). _ (descreve uma forma de"S" seguindo em direção ao plano mediano). _ porção mediana do intestino grosso com cerca de 15 cm de comprimento e (é

apresenta

uma

dilatação denominada ampola do reto).

_ (é considerada região à

parte do reto por causa

de suas relações fitopatológicas e clinicas, ape¬

sar de apresentar apenas 3 cm de comprimento. Termina no óstio de comunicação do intestino com o meio externo

denominado ânus). [15] Complete a sentença:

"O fígado é a maior glândula do corpo humano estando diretamente em contato com o diafragma superiormente

_ e relacionado às outras vísceras abdominais por meio de sua face [15.2] _ Apresenta regiões anatómicas em vista inferior denominadas lobos [15.3] _ dos lobos), [1 5.4] _ (apresenta a impressão gástrica), [1 5.5] _ (localizado entre a fossa da vesícula biliar e a fissura do ligamento redondo) e [15.6] _ (o menor dos lobos do fígado, posterior à por meio de sua face [15.1] .

(o maior

quatro

veia porta)."

ÿ

59


7.123]

(161 Relacione as colunas indicando cor feiamente as estruturas encontradas no fígado.

_ separa os lobos direito e esquerdo sendo

Sulco da veia cava

[16.1]

Área nua

formado por duas lâminas do peritônio. [16.2] _ è remanescente da veia umbilical do feto, estendendo-se da veia porta até o umbigo.

_ pequena bolsa de armazenamento de bile, não sendo indispensável à vida. Apresenta fundo, corpo e colo. [16.4] _ escavação que aloja o respectivo vaso sanguíneo

Ligamento falciforme

[16.3J

Porta do fígado

_

que pode por vezes envolver totalmente o vaso.

Ligamento redondo

[16.5J

parte não revestida por peritônio, na qual o fígado

entra em contato direto com o diafragma.

[16.6] _ via de entrada e saída de estruturas hepáticas (como duetos hepáticos, a. hepática esquerda, v. porta, nervos e vasos linfáticos que formam o pedículo hepático).

Vesícula biliar

[171 Indique na figura e preencha as lacunas referentes aos respectivos duetos hepáticos:

[1 [1 [1

_ recebe a bile dos duetos hepáticos direito e esquerdo. _ recebe a bile armazenada na vesícula biliar. _ é formado pela confluência dos duetos provenientes do fígado e da vesícula biliar, levando a bile

até a ampola hepatopancreática no duodeno. [181 Complete a sentença referente ao pâncreas. "O pâncreas é uma glândula exócrina e endócrina, responsável pela produção do suco pancreático e de hormônios

__ _

como a insulina e o glucagon, respectivamente. Este órgão está diretamente relacionado ao [ 18.1]

__

é a porção inicial do intestino delgado. Pode ser dividido em quatro partes: [18.2]

dade do duodeno; [18.3]

região de transição; [18.4]

#

contida na concavi¬

,a maior parte do órgão e [18.5]

_ ,em conexão direta com o baço pelo ligamento pancreático-esplénico."

60

_ que


([19.213)]

[[220.0.1234567]]

(19] Indique na figura e preencha as lacunas com as partes relacionadas ao pâncreas. 119.2]

_ recebe a maior da secreção exócrina do pâncreas. _ se abre na papila duodenal menor.

_

maior.

parte

é formada pela confluência de duetos do fígado e do pâncreas e se abre na papila duodenal

[20) Peritónio é a maior túnica serosa do corpo que forma o revestimento interno da cavidade abdominal e pélvica.

Relacione as colunas completando adequadamente as lacunas. Omento menor

Peritónio visceral Mesentério Cavidade peritoneal

_

reveste diretamente as paredes internasdo abdome. reveste órgãos abdominais.

_ entre o peritónio parietal e visceral nosexo feminino é aberta, devido ao óstio abdominal das tubas uterinas. _ corresponde a uma prega do peritónio que recobre parte do intestino delgado e se estende desde a curvatura maior do estômago até o

Mesocolo Omento maior

Peritónio parietal

colo transverso. _ une o fígado ao esôfago, curvatura menor do estomago e duodeno.

_ fixa frouxamente o jejuno e o íleo à parede posterior do abdome. _ fixa o intestino grosso à parede posterior do abdome,

sendo, assim como o mesentério, local de passagem de vasos sanguíneos e linfáticos relacionados aos intestinos.

61


(3.124)

Sistema Urinário

Lúcio Frigo Rodrigo Álvaro Brandão Lopes Martins (1] Complete as frases sobre as funções do sistema urinário, preenchendo as lacunas com os itens logo a seguir.

Formação - Eliminação - Homeostase - Fluidos - íons - Sangue - Tecidos A. O sistema urinário é responsável pela (1.1) _ e (1.2) _ da urina, portanto, um sistema de grande

importância para a manutenção da (1.3) _ corpórea. Essa capacidade de manter a constância do meio

_ e (1.5) _ (1.6) _ e os (1.7) _ . interno se baseia na eliminação de (1.4)

, fundamentais

para manter o equilíbrio entre o

Renina - Eritropoietina

__ _ _

B. Além da sua função homeostática, o sistema urinário tem uma função endócrina. O rim produz, pelo menos, dois hormònios: a f 1.8) importante para a manutenção da pressão arterial, por meioda adsorção do sódio e da

vasoconstrição, e a (1.9) (2)

que estimula a produção de hemácias na medula óssea.

Relacione as colunas indicando as definições que dizem respeito a situação e aos revestimentos dos rins: Característica

_ Cápsula renal _ Rim direito _ Fáscia renal _ Cápsula adiposa renal _ Pedículo renal _ Retroperitoneals _ Supra-renal _ Hilo renal

Definição (2.1) Está localizado 1,5 a 2 cm mais inferiormente, devido ao posicionamento

do fígado. (2.2) Mais interna, resistente, fina e transparente, intimamente aderida à superfície renal.

(2.3) Massa firme de sustentação rica em células adiposas. (2.4) Camada mais externa composta por tecido conjuntivo denso que

ancora o rim ao peritônio. (2.5) Órgàos localizados posteriormente ao peritônio parietal.

(2.6) Conjunto formado pela a.e v. renal, ureter, nervos e linfáticos. (2.7) Orifício da face medial do rim por onde penetram a a. e v. renal, o ureter,

os nervos e linfáticos. (2.8) Glândula situada sobre o pólo superior dos rins.

(31 Dè o trajeto da urina desde sua formação até a eliminação:

Ureter - Pelve renal - Uretra - Bexiga urinária _

_ _ _

62


[4] Relacione as regiões do rim com sua localização e características:

Região

. Seio renal

Característica

(4.1] Região mais externa do órgão, em contato com a cápsula renal, marrom avermelhada e de aparência granulada devido aos numerosos capilares

sanguíneos.

Córtex renal

Medula renal

(4.2] Expansão a partir do hilo. preenchida por tecido adiposo, pelos cálices maiores e menores, por ramos da artéria renal e tributárias da veia renal. (4.3] Região intermediária do órgão, onde são encontradas as pirâmides renais e as colunas renais.

(5] Identifique os vários acidentes anatómicos do rim. na figura abaixo, de acordo com a sua localização: . Papila . Córtex

renal renal

. Cápsula renal . Pirâmide renal ,

15.13]

Pelve renal

.Coluna renal

. Artéria renal .Cálice renal maior .Veia renal . Ureter .Cálice renal menor

. Medula renal . Abertura do cálice rela na pelve renal [6] Em virtude da sua importante função de filtração do sangue, o rim é um dos órgãos que recebe maior aporte sangu¬

íneo. portanto, é necessário o conhecimento da distribuição do suprimento sanguíneo e da sua drenagem. Identifique as artérias (mais escuro) e as veias (mais claro) na figura abaixo: .Veia renal

.Veia interlobular .Veia segmentar .Veia arqueada .Veia interlovar . Artéria interlobular .

Artéria segmentar

. Artéria .

— (6.61

arqueada

Artéria interlobar

168]

[6.9]

, Artéria renal 16.10]

ÿ

63


171 0 nefrônio é a unidade de filtração do rim. Identifique suas partes na figura abaixo: Dueto coletor Corpúsculo renal (glomérulo renal e cápsula glomerular) Túbulo contorcido proximal

Alça do néfron

Túbulo contorcido distai

[8] Complete as frases relacionadas ao ureter:

__ __ _,

Oureteréum tubo musculomembranáceode aproximadamente 25 cm. Ele se inicia superiormente na [8.1]

_

terminando na bexiga urinária, inferiormente.

_

relacionada com o m. psoas na parede posterior do abdome; a parte É dividido em três partes: a parte [8.21 [8.3] que apresenta diferentes relações anatómicas nos diferentes sexos devido aos órgãos reprodutores;

e a parte [8.4)

que atravessa a parede muscular da bexiga.

Os ureteres penetram na bexiga urinária nas suas regiões [8.5} _ e [8.6] _ . [91 dentifique acidentes anatómicos da bexiga urinária e da uretra na figura abaixo:

_ Ostio interno da uretra _ Óstio dos ureteres _ M. detrusor da bexiga _ Uretra _ Esfíncter interno da uretra _ Óstio externo da uretra

_ Pregas da mucosa _ Esfíncter externo da uretra _ Trígono da bexiga _ Peritônio _ Osso do quadril

64


(101 Complete a frase:

_

A uretra é um órgão que apresenta dimorfismo sexual. No homem,é dividida em trés partes: a parte ( 1 0.11

é a porção proximal que atravessa a próstata, a parte [10.2) [10.3]

_ atravessa o diafragma urogenital, e a

_ percorre a maior parte de corpo esponjoso do pénis.

parte

65


Sistema Genital Masculino Luciane Soares Teixeira

O sistema genital masculino, juntamente com o genital feminino, é responsável pela perpetuação da espécie humana. Isso se dá por meiode um fenómeno biológico denominado reprodução, que consiste, na maioriados animais superio¬ res, na uniào de células especiais (gametas). formando o zigoto, que irá se desenvolver e dar origem ao novo ser vivo. Alguns hormônios influenciam diretamente na reprodução e são produzidos por órgãos deste sistema. (11 Assinale a alternativa correia:

a. (

) O órgão responsável pelo armazenamento dos espermatozóides é o escroto.

b. ( ) Testículos e epididimos são as gónadas do sistema genital masculino. c. ( ) Além de produzir parte do líquido seminal, a próstata participa da condução dos espermatozóides. d. ( ) As glândulas bulbo-uretrais terminam na uretra membranácea. e. ( ) Os corpos cavernosos e esponjosos do pénis constituem as estruturas eréteis do sistema genital masculino. [2] Relacione as colunas:

Estruturas [2.1) Dueto ejaculatório [2.21Testículo

[2.3] Glândula bulbo-uretral [2.4] Glândula seminal

[2.5] Escroto

Características, localização ou descrição

_ O esquerdo está, em geral, em um nível inferior ao direito. _ Dividido por um septo em dois compartimentos, cada um contendo uma gônada.

_ Tubo enovelado que termina em fundo cego. _ Situada próxima da membranácea da uretra. _ Tem quase todo o seu trajeto situado na próstata.

[3] Preencha os espaços em branco:

parte

_

O testículo é revestido externamente por uma membrana fibrosa denominada [3.1] emite septos e divide de maneira incompleta o testículo em [3.2] _ [4] Assinale a alternativa que não está relacionada aos epididimos: a. ( ) Sua cauda continua com o dueto deferente. b. ( ) Armazena os espermatozóides até a ejaculação. c. ( ) Apresenta três porções - cabeça, corpo e cauda. d. ( ) Participa da espermatogènese. e. ( ) Situa-se na margem posterior do testículo.

66

.

_

que


[5J O dueto ejaculatório representa a menor porção das vias condutoras dos gametas. Complete os campos vazios da figura abaixo, indicando os nomes das estruturas relacionadas a este dueto:

Dueto eiacuiaiófio 15.4]

[61 0 pénis é formado por trés cilindros, cujas extremidades posteriores fixas constituem a sua raiz. Além da raiz, apre¬ senta uma parte livre, pendente, coberta por pele. denominada corpo do pénis. Preencha os campos abaixo com base na descrição destes cilindros:

Extremidade posterior do corpo cavernoso que se fixa ao osso do quadril (ísquio e púbis).

[6. 1]

Terminação anterior dilatada do corpo esponjoso.

[6.2]

São dois dos trés cilindros que formam o pénis. Extremidade posterior do corpo esponjoso que se prende a estruturas do assoalho pélvico.

Camada dupla de pele que recobre a extremidade dilata-

_

_ [6.3] _ [6.4] _

[6.5]

_

da do corpo esponjoso. [7] O sémen é o produto eliminado na ejaculação.

í constituído de

espermatozóides, produzidos pelos [7.1]

_ e por componentes líquidos que ativam os espermatozóides e facilitam a sua progressão. As estruturas que contribuem com a produção destes componentes líquidos são [7.2] _ e [7.3]

_ ,sendo que esta última confere ainda ao sémen seu odor característico. [81Preencha os campos abaixo com os nomes dos componentes do testículo: Cabeço do Ejxdídimo

Túnica Albugínea

67


[91 Preencha os campos abaixo de acordo com os seus conhecimentos sobre a uretra masculina:

Localização

Aberturas/porções

_

Parte esponjosa da uretra

[9.1]

[9.21

Na bexiga urinária

_

_

óstio externo da uretra

[9.31

[9.4]

Atravessa o assoalho pélvico

_

_

Parte prostática da uretra

[1010 [ 10.1]

[9.51

_

é a estrutura do sistema genital masculino que aloja os [ 10.2] _

_

e propicia uma temperatura adequada para a espermatogênese. Apresenta uma camada de fibras musculares lisasde¬ nominada [10.3J _ que atua na constância desta temperatura. [1110 desenho abaixo apresenta algumas das estruturas do sistema genital masculino. Circule os números que identi¬ ficam quais delas pertencem às vias condutoras dos gametas: [i i.i) dueto deferente

111.2) glândula seminal

{11.7) due lo ejaculdlório

[121 Assinale a alternativa que não apresenta relação com o funículo espermáiico: a. ( ) O dueto deferente é um de seus componentes.

b. ( ) É constituído em parte por artérias e veias relacionadas aos testículos. c. ( ) Passa pelo canal inguinal. d. ( ) é a continuação da cauda do epidídimo. e. ( ) Nervos fazem parte da sua constituição.

68


[13] Indique, no desenho abaixo, as glândulas anexas do sistema genital masculino:

H3.1I

113-21

(133)

(14] Preencha os espaços vazios abaixo, relacionando as estruturas com as suas respectivas funções:

Funções

Estruturas

_ Produzem espermatozóides e hormònios. _ Conduz os espermatozóides e atravessa o canal inguinal. _ Órgão de cópula. _ Armazena os espermatozóides até a ejaculação. _ Canal comum para a micção e para a ejaculação.

[14.1] Pénis [14.2] Epididimo [14.3] Testículos [14.4] Uretra [14.5] Dueto deferente

[15] Num corte transversal do corpo do pénis. é possível a visualização das estruturas que o compòe. Identifique estas estruturas

no desenho abaixo:

[15.1]

[15.2] [15.3]

115.11 H5.3J

(15.21

69


10

Sistema Genital Feminino

Arthur Georg Schmidt Fábio César Prosdócimi

[3.234]

(1] Organize a sequência correia correspondente aos órgãos internos e externos do sistema genital feminino e do sis¬

tema tegumentar relacionados ao aparelho reprodutor. Útero Glândulas vestibulares Vagina Monte do púbis Mamas Lábios maiores e menores do pudendo Ovários Bulbo do vestíbulo Tubas uterinas Clitóris

-

-

-

-

-

-

-

-

_

_ , responsáveis pela produção de gametas, [1.2] de gametas e de fecundação. [1.3] _ responsável pela gestação e

Os órgãos genitais femininos internos são (1.1)

__

_ ,órgãos de [1.4]

transporte

órgão da cópula.

-

_ ,uma região proeminente coberta por pêlos,[1.6] _ ,dois pares de pregas cutâneas, [ 1 .7] _ e [ 1.8) _ ,órgãos eréteis femininos e { 1.9] _ ,

Os órgãos genitais femininos externos, quando estudados em conjunto, podem ser denominados vulva ou. ainda, pu¬

dendo feminino, sendo eles [ 1.5]

órgãos responsáveis pela produção de muco. [1.10]

_ são órgãos relacionados ao sistema genital feminino por participarem da nutrição do recém-

nascido sendo considerados aqui por fazerem parte do aparelho reprodutor.

[2] Complete a sentença:

"As gónadas femininas têm forma semelhante a amêndoas e são denominadas 12.1]

__

_ ,sendo responsá¬

veis pela formação dos gametas femininos denominados ovócitos. São órgãos bilaterais, localizados nas fossas ováricas.

_

fixados: posteriormente ao ligamento largo do útero por uma prega denominada [2.2] medialmente pelo [2.3] ,que os une ao útero e ainda pelo [2.4] formado por vasos e músculo liso que os fixam à parede da pelve. Estes órgãos possuem ainda na margem mesovárica o [2.5] _ , região por

_

onde entram e saem vasos e nervos relacionados a eles."

[3] As tubas uterinas são um par de cilindros tortuosos de aproximadamente 10 cm, responsáveis pelo transporte e pela captação de gametas e pela fecundação. Relacione as colunas quanto às partes das tubas uterinas:

Infundíbulo da tuba uterina

[3.1]

_ é uma porção curta e estreita com cerca de 3 cm que se

dirige diretamente ao corpo do útero.

Istmo da tuba uterina

Ampola da tuba uterina

_

com cerca de Icm, está situada na parede do útero e se abre na cavidade uterina por meiodo ôstio uterino da tuba uterino.

_ é a porção mais lateral da tuba, apresentando as fímbrias

da tuba uterina ao redor de uma abertura de cerca de 2 cm denominada ôstio abdominalda tuba uterina. Parte uterina

_ é a maior e mais longa

parte do órgão, sendo considerada

o principal local de fecundação do ovócito.

70


[4.1890]

[4] O útero é o órgão responsável pela implantação, manutenção e desenvolvimento do ovócito fertilizado em embrião

e feto até o momento do parto. Indique, na coluna abaixo, as regiões do útero apontadas na figura.

K21

(".71

[4.1]

(4.2)

[4.31

[4.4] [4.5]

[4.6]

[4.7]

Indique, nas lacunas abaixo, as camadas do útero apontadas.

1"9)

l"-81

_ (revestimento interno, formado por uma camada basal

permanente e

uma funcional que descama

na menstruação). _ (consiste de três camadas de musculatura lisa que se contraem no trabalho de parto). _ (revestimento externo que forma lateralmente o ligamento largo).

[5] Complete a sentença relacionada à vagina.

__

_

"A vagina é um órgão tubular miomembranoso (muscular revestido por mucosa) que tem como funções: [5.1] tação. Está situada entre a [5.4]

_

_

o ato sexual. [5.2]

__

para o ciclo menstrual e [5.3]

,anteriormente, e o [5.5]

_ ao final da ges¬

posteriormente. Relaciona-se

EE

71


(6.1234)

([77..4123))

ao útero superiormente, circundando o (5.6) (5.7)

_

por meio de um recesso de fundo cego denominado

_ .Suas paredes anterior e posterior normalmente

direto uma com a outra, na região do (5.8)

_

apresentam

_

as rugas vaginais e em contato

,o qual se estende inferiormente até o (5.9)

,

orifício na região inferior do órgão que se abre na região denominada vestíbulo da vagina Internamente a este orifício, , uma prega membranosa mucosa de forma muito variável que marca a fusão encontra-se o (5.10)

_

embriológica entre a cavidade da vagina e o seio urogenital."

femininos externos pode ser denominado vulva ou pudendo feminino . Com base na figura abaixo, relacione os órgãos que fazem parte deste conjunto.

(6) O conjunto de órgão genitais

_ é uma proeminência anterior à sínfise púbica e aos ramos superiores do púbis, formada por um

acúmulo de tecido adiposo abaixo da pele da região. A partir da puberdade apresenta pêlos púbicos.

_ são dois pares de pregas cutâneas que fornecem proteção à região.

_ são responsáveis pela secreção de muco para a região durante a excitação sexual. _ e (6.5) _ são os órgãos eréteis femininos.

(7) Relacione as colunas, indicando os órgãos e as regiões correspondentes ao pudendo feminino.

Bulbodo vestíbulo

_ é uma fenda no encontro mediano dos lábios maiores

do pudendo.

Glândulas vestibulares

Vestíbulo da vagina

_ é a região delimitada lateralmente pelos lábios menores do pudendo que contém: o óstio da vagina, os óstios das glândulas vestibulares e o óstio externo da uretra feminina.

_ são um par de pregas cutâneas que apresentam

pêlos púbicos a partir da puberdade, tecido adiposo e protegem

os óstios localizados no vestíbulo da vagina. São ainda os locais de terminação dos ligamentos redondos do útero. Lábios menores do pudendo

_ é um órgão erétil homólogo ao pênis. localizado no

encontro superior dos lábios menores do pudendo, sendo altamente

sensível especialmente na região de sua glande. (continuo) 72


[7.6] [7.7] [7.5]

_ são duas pregas cutâneas sem pêlos púbicos e sem

Rima do pudendo

gordura, mediais aos lábios maiores do pudendo, que contém glândulas sebáceas e terminações nervosas sensitivas.

_ é constituído por duas massas de tecido erétil

Clitóris

situadas sob a camada muscular ao redor do óstio da vagina que,

quando cheias de sangue, aumentam o contato entre pénis e vagina durante a cópula.

_ são divididas em maiores e menores, sendo

Lábios maiores do pudendo

que as maiores abrem-se lateralmente ao óstio da vagina e as menores distribuem-se pelo vestíbulo da vagina entre os óstios da vagina e externo da uretra. Ambas secretam muco que lubrifica os lábios e o próprio vestíbulo.

[81 0 termo períneo é utilizado de diversos modos em diversas circunstâncias. Envolve, em um sentido intermediário.

as estruturas superficiais dos trígonos anal e urogenital. A musculatura e as fáscias do períneo são importantes na [8.1] [8.2] [8.4] , [8.3] ,[8.5]

_

_

__

_

_

_ das vísceras pélvicas. Atuam também na _ ,[8.6] _ e no [8.7] _ .

_ apresenta uma rafe mediana que envolve o [8.9] _

O diafragma urogenital apresenta alguns músculos, a saber:

O músculo [8.8] [8.10]

O músculo [8.1 1] O músculo [8.12]

_

no homem, e o

na mulher. limita lateralmente o diafragma urogenital.

_

_

situa-se entre os músculos esfíncter externo do ânus e bulbo-

esponjoso. que se inserem no centro tendíneo do períneo. onde se fixam ainda seus músculos e fáscias.

_ forma a base do diafragma urogenital. Sua camada mais interna forma o [8.14] _ . O músculo [8.15] _ controla o fechamento voluntário do ânus. O músculo [8.16] _ forma verdadeiramente o [8.1 7] _ composto ainda pelo músculo [8.18] _ .O músculo levantador do ânus o músculo [8.19] _ , trés cujas fibras se entrecruzam com fibras do músculo esfíncter externo do ânus, o músculo [8.20] _ e o O músculo [8.13]

_

músculo [8.21]

_

_

apresenta

partes:

cujas fibras direita e esquerda formam uma sutura tendínea, preenchendo o espaço

entre o cóccix e o reto.

O músculo [8.22] _ delimita a porta neurovascular posterior da pelve, uma vez que encontra-se associa¬

do ao ligamento sacroespinal. que permite a passagem do músculo piriforme. O denominado [8.23]

_

compreende o compartimento situado superiormente pela

membrana do períneo e inferiormente pela fascia do períneo.

_ O denominado [8.25] _ O denominado [8.24]

é limitado inferiormente pela membrana do períneo. pode conter exiravazamento ou coleções no espaço subbeu-

táneo dessa região, acompanhando profundamente a camada membranácea da tela subcutânea no interior da parede

abdominal anterior, ao longo do clitóris ou pénis e no interior do escroto ou lábios maio e menor do pudendo, depen¬ dendo do sexo.

EB

73


11

Sistema Nervoso

Maria Inês Nogueira Fábio César Prosdócimi

O sistema nervoso é considerado o mais complexo, uma vez que coordena os demais sistemas e integra o indivíduo em seu ambiente. O homem apresenta o maior desenvolvimento do sistema nervoso na escala zoológica. Com isso, náo apenas desempenha atos voluntários (levantar-se de uma cadeira, por exemplo) e involuntários (como peristaltismo), como também é capaz de realizar atividades altamente elaboradas, como cálculos complexos ou expressões

artísticas.

_ e as [1.2] _ .Os neurónios sáo compostos por trés regiões: [1.3] _ , [1.4] _ e [1.S] _ . O corpo é responsável pela síntese protéica, os dendritos (do (11 As células nervosas sào os [1.1]

grego déndron. árvore) são especializados na captação de estímulos, e os axônios (do grego áxon, eixo) conectam-se com outras células, nervosas ou efetuadoras. Um axònio pode ser denominado [1.6) _ .Quando a fibra nervosa

está envolvida por uma camada de mielina. a fibra é [1.7] é denominada [1.8]

_

_

,quando

não está envolvida por esta camada

.

Fisiologicamente, apresentamos três tipos de neurónios: aquele que conduz a informação do meio externo em direção

_ ,aquele que conduz a informação do centro do sistema nervoso em direção à periferia do corpo, denominado motor ou [1.10] _ e aquele que realiza neurónios, denominado [1.1 1] _ . conexão As células da glia ou neuroglia tém como funções básicas [1.12] _ [1.13] _ [1.14] _ e [1.15] _ . Sáo exemplos de células da glia os astróciios, os oligodendrócitos e as células ependimárias, entre

ao centro do sistema nervoso, denominado sensitivo ou [ 1.9] entre

,

_

outros.

Em uma observação macroscópica, a [1.16] _ é formada pelas células da glia e fibras nervosas mielínicas, enquanto a [1.1 7] _ é formada pelas fibras amielínicas e corpos de neurónios. Anatomicamente, existem três tipos básicos de neurónios: (1.18) _ ,com um axònio e alguns dendritos. [1.19] ,com dois prolongamentos a partir do corpo neuronal (um axónioe um dendrito) e [ 1 .20]

_

_

com dois prolongamentos que partem do corpo celular como uma única estrutura, mas logo se dividem.

74

_


[2] Comunicação celular

Quando os neurónios comunicam-secom outros neurónios transmitindo informações forma-se uma (2.1]

Essa comunicação pode ser de dois tipos: [2.2]

_.

_ ou [2.3] _ .Um neurònio pode também comuni¬

casse com células musculares ou células secretoras, controlando assim suas funções. (3] Embriologia do sistema nervoso

Das trés camadas embrionárias, denominadas 13.1]

_ ,(3.2] _ e 13.3] _ ,da mais

superficial para a mais profunda, origina-se todo o sistema nervoso. Por volta do 20° dia de desenvolvimento, forma-se

_ .Durante o seu desenvolvimento, a placa neural evo¬ lui para (3.5] _ ,(3.6] _ e, finalmente, [1.7] _ e [3.8] _ .O tubo neural origina as vesículas primordiais, denominadas, de superior para inferior: (3.9] _ . [3.10] _ e (3.1 1] _ . A mais inferior do tubo neural origina a (3.12] _ .As vesículas primordiais irão originar as demais es¬ _ ,o mesencéfalo não truturas encefálicas, a saber: o prosencéfalo origina o (3.13] _ e o (3.14] se subdivide e finalmente o rombencéfalo origina o [3.15] _ e o (3.16] _ . um espessamento da ectoderma, denominado (3.4)

parte

EH

75


[41 Divisão do sistema nervoso

Podemos classificar o sistema nervoso de variadas maneiras, masas mais utilizadas são aquelas que seguem um critério anatómico e funcional. Do ponto de vista anatómico, o sistema nervoso é dividido em: [4.1)

_.

__ (4.21

__ _ _

O sistema nervoso central divide-se em [4.3] [4.61 e [4.7J

_

_

e

_ e (4.4) _ . O encéfalo é por (4.5) formado por [4.81 _ [4.91 _ e [4.101 _ , O composto

_

_

[4.121 . Os e [4.13] sistema nervoso periférico é composto por [4.1 1) nervos são divididos em pares [4.14] _ e [4.15] _ . Os nervos cranianos são assim nomeados:

_ [4.1 7] II Par _ [4.181 III Par _ [4.191 IV Par _ [4.20] V Par _ [4.21] VI Par _ [4.22] VII Par _ [4.161 1 Par

[4.23] VIII Par

_

_ [4.25] X Par _ [4.26] XI Par _ [4.27] XII Par _ [4.24] IX Par

Os nervos espinais são nomeados de superior para inferior, ou seja. Cervical I ou C I. C II, C III... até C VIII, Torácico I ou T I. T II... até T XII, Lombar Iou L I, L II... até L V, Sacral I ou S I, S II... até S V e Coccígeo.

As terminações nervosas são estruturas especializadas na captação de estímulos, sendo específicas. Os gânglios são acúmulos de corpos de neurónios fora do sistema nervoso central. Núcleos são acúmulos de corpos de neurónios dentro do sistema nervoso central.

76


_

Do ponto de vista funcional, o sistema nervoso é dividido em (4.28]

_

_ e (4.29) _ .

Ambos são subdivididos em partes aferente e eferente, sendo que a parte eferente do sistema nervoso visceral é deno¬

_

_

que se subdivide em (4.31] e (4.32] . Existem diferenças entre o sistema nervoso simpático e o sistema nervoso parassimpático. As principais diferenças po¬ dem ser resumidas nos quadro a seguir:

minada (4.30]

Sistema nervoso simpático

Sistema nervoso parassimpático

_

(4.33]

_

(4.34]

(4.35)

_

(4.36]

(4.37] _

(4.38]

(4.39]

_

(4.40]

Diferença fisiológica

(4.41]

_

(4.42]

Diferença do neurotransmissor nas

(4.43] _

Localização do corpo do neurônio

pré-ganglionar Localização do corpo do neurônio

pós-ganglionar Comprimento da fibra pré-

ganglionar Comprimento da fibra pós-

ganglionar

(4.44]

fibras pós-ganglionares

(5] Meninges e líquido cerebrospinal

_

Sáo estruturas que envolvem o sistema nervoso central, ou seja, o encéfalo e a medula espinal. São denominadas, da (5.2] _ e (5.3] _ .Os espaços relacionados às mais superficial para a mais profunda: (5.1]

_

_

_

_ entre a dura-máter e o periósteo do canal vertebral, (5.5] _ entre a dura-máter e a aracnóide-máter e (5.6] _ ,entre a aracnóide-máter e a pia-máter. O líquido cerebroespinal ou (5.7] _ é formado nos (5.8] _ ,situados nos ventrículos encefálicos. Situa-se nos espaço subaracnóideo e nos ventrí¬ meninges são: (5.4]

culos encefálicos, sendo pobre em proteínas e rico em cloretos.

EB

77


[61 Ventrículos encefálicos

_

_

__

As cavidades observadas no encéfalo são denominadas ventrículos encefálicos. As cavidades do telencéfalo são co¬

nhecidas como [6.1]

rombencéfalo é denominada [6.3]

a cavidade do diencéfalo é o [6.2]

_

[71 Dè os nomes das estruturas indicadas:

78

.

e a cavidade relacionada ao


D]

79


[8] Relacione as colunas, fazendo correspondência entre as regiões e suas estruturas:

Região

Estrutura

[8.1]Telencéfalo

Verme

[8.2] Diencéfalo

Oliva

(8.3) Mesencéfalo

Lâmina do teto

(8.4) Ponte

Lobo frontal

[8.5] Bulbo

Árvore da vida

(8.6) Cerebelo

Hipotálamo

Sulco basilar Lobo parietal

Corpo caloso Aderência intertalámica (continua) 80 Anato*


Estrutura

Região

Lobo occipital

Sulco central Lobo insular

Tálamo Sulco lateral Lobo temporal

Arqueduto

(9] Plexos nervosos

Os nervos espinais podem se organizar em redes de fibras denominadas plexos nervosos. Os plexos mais estudados ,composto por fibras entre C Iaté C IV; (9.2] são: [9. 1] ;composto por fibras entre C V até T Ie [9.3]

_ _ ,composto por fibras entre L II e S IV.

_

__

Desses, destacamos os plexos braquial e lombossacral (ver figuras).

_

_

Do plexobraquial,ou seja, das raízes dos nervos entre C V até T I,observamos a formação de três troncos: (9.4] formado pela união das raizes C V e C VI; [9.5]

composto

por C VII e [9.6]

_,

,formado pela união de

C VIII eT I. Os ramos dorsaisdos três troncos formam o [9.7] .Os ramosventrais dos troncos superior e médio . se unem para compor o [9.8] e do ramo ventral do tronco inferior forma-se o [9.9] ,responsável pela inervaçáo dos músculos anteriores do Do fascículo lateral originam-se o nervo [9.10] braço. Do fascículo medial origina-se o nervo [9.11] _ , responsável pela inervaçáo, entre outros, de alguns múscu¬

_

_

los anteriores mediais do antebraço e da mào.

_

Do fascículo posterior originam-se o nervo [9.12] dondo menor e o nervo [9.13]

O nervo [9.14]

_

_ ,responsável pela inervaçáo dos músculos deltóide e re¬

,responsável pela inervaçáo dos músculos posteriores do membro superior.

_ é formado pela uniào de fibras dos fascículos medial e lateral e é responsável pela inervaçáo

de alguns músculos anteriores laterais de antebraço e mào.

81


_

Do plexo lombossacral, ou seja. das raízes entre L II e S IV. podemos destacar a formação do nervo (9.1 5)

_

for¬

mado pela união dos ramos anteriores entre L II e L IV, responsável pela inervaçáo dos músculos adutores curto, longo

e magno, além do pectíneo e grácil; e do nervo [9.16]

formado pela união dos ramos posteriores entre L II

e L IV, responsável pela inervaçáo, entre outros, dos músculos pectíneo, ilíaco, sartório, vasto medial, vasto lateral, vasto intermédio e reto femoral.

_

.Dos ramos posteriores entre L IV a S II forma-se Dos ramos anteriores entre L IV a S III forma-se o nervo [9.1 7] o nervo [9.18] .Os nervos tibial e fibular comum se unem para formar o maior nervo do corpo humano, o ,responsável pela inervaçáo dos músculos semitendíneo, semimembranáceo, bíceps femoral e nervo [9.19]

_ _

adutor magno. O nervo isquiálico irá formar novamente os nervos tibial e fibular comum por sua bifurcaçáo na regiáo posterior da coxa, geralmente em seu terço médio. O nervo tibial irá inervar os músculos posteriores da perna, ou seja.

__

gastrocnêmio. sóleo. flexor longo dos dedos, flexor longo do hálux e tibial posterior. Uma vez na planta do pé. o nervo

tibial irá se dividir, originando os nervos [9.20] [9.22]

_ e [9.21] _ O nervo fibular comum irá originar o nervo .

que inerva tanto o músculo fibular longo quanto o músculo fibular curto e o nervo [9.23]

_

responsável pela inervaçáo dos músculos tibial anterior, extensor longo dos dedos, extensor longo do hálux.

19.18]

(9.15}

(9.16]

(922)

(920] (921}

82

(923]

,


(10) Áreas motoras e sensitivas do cérebro.

Abordaremos, especificamente, as chamadas áreas de projeção, relacionadas à sensibilidade e à motricidade. Situam-

se basicamente na camada mais superficial ou [ 10. 1 )

_ .A área motora é restrita basicamente ao [10.2]

_ . Entretanto, a área responsável pela sensibilidade é dividida em geral e especial. A área de sensibilidade geral corresponde à área (10.3]

__

_

__

,localizada no giro pós-central. As áreas de sensibilidade especial são assim lo¬

calizadas: nos lábios do sulco calcarino lemos a área (10.4) no giro parahipocampal a área [10.6]

_

_

no giro temporal transverso anterior a área [10.5] ,na região inferior do giro pós-central a área (10.7]

_

e no lobo parietal a área (10.8] . O homúnculo é a representação da área sensitiva do córtex cerebral, mostrando a desproporção relativa às áreas cor¬ respondentes dos diferentes segmentos do corpo.

Homúnculo

Homúnculo

distribuído no córtex somatosensorial

83


[11] Grandes vias eferentes e aferentes. As vias eferentes são didaticamente divididas em vias [1 1.1]

_ e [1 1.2] _

_

ainda que do ponto de

vista funcional isso não seja observado.

_ _

As vias piramidais são aquelas que decussam (cruzam) parcialmente para o lado oposto ao nível das pirâmides bulha¬

_ ou seja, aquele que conecta o córtex cerebral e os neurónios eferentes medulares; e trato [1 1.4] _ ou seja, aquele que conecta o córtex cerebral aos núcleos localizados no tronco

res e são divididas em trato [1 1.3]

encefálico, não atingindo, desse modo, a medula espinal. As vias extrapiramidais originam-se superiormente à medula espinal e conectam-se a neurónios motores medulares

por meiode tratos que não atingem as pirâmides bulbares, assim denominados: [ 1 1.5]

_ ao originar-se do nú¬ ,

_

_ ,quando se origina do teto do mesencéfalo (formado pelos colículos superiores, coliculos inferiores e área pré-tetal); [11.7] _ ,quando se origina dos núcleos vestibulares e [1 1.8) _ quando

cleo rubro; [1 1.6]

_

se origina da formação reticular, localizada no tronco encefálico. , representado por uma terminação ner¬ Nas vias aferentes, observamos alguns elementos, a saber: [1 1.9] vosa; [11.10] , representado por um nervo (espinal ou craniano) e um gánglio sensitivo anexo; [11.11]

_ _

_

representado por núcleos de associação (relés) e uma área de [11.12]

projeçáo cortical for localizada no cérebro, a via é [11.13]

derada [11.14]

_,

_ . Quando a área de

_ e quando for localizada no cerebelo a via é consi¬

Existem três neurónios nessas cadeias neuronais das vias conscientes: o [1 1.15)

__

localizado geralmente em

um gânglio sensitivo e que apresenta seu prolongamento periférico relacionado ao receptor e seu prolongamento ,localizado na raiz posterior central relacionado à raiz posterior de um nervo (espinal ou craniano), o [ 1 1.16]

_

da medula ou em núcleos de nervos cranianos (exceto pares de nervos cranianos Ie II) e o [1 1.17] _ ,localizado no diencéfalo (especificamente no tálamo) e que se projeta para o córtex.

As cadeias neuronais das vias inconscientes são formadas apenas pelos neurónios I e II.

84


Sistema Tegumentar

12

Lara Cristina Picoli

(1] Relacione as camadas da pele com suas respectivas características:

[1.1) Epiderme [1.2) Derme

_ náo possui vasos sanguíneos ou linfáticos. _ camada superficial. _ camada profunda. _ apresenta muitas fibras colágenas. além de fibras elásticas.

_ a mesma origem embrionária que as glândulas. _ possui contato direto com a tela subcutânea. tem

[2) A pele forma o revestimento externo do corpo, estando conectada à fáscia dos músculos subjacentes por meio de

uma camada de tecido conectivo denominada tela subcutânea. Complete adequadamente as lacunas abaixo: A epiderme, camada superficial da pele, é constituída por um tecido epitelia! classificado como [2. 1 )

__

cuja espessura é variável nas diversas regiões do corpo. A superfície da epiderme acha-se recoberta por uma proteína impermeabilizante denominada (2.2)

_.

O tónus e a resistência da pele devem-se à presença de fibras protéicas na derme, cuja camada é formada predominan¬ . temente por um tecido denominado [2.3] , apresenta-se em pe¬ Em alguns locais do corpo, a tela subcutânea, também denominada [2.4]

_ _

quena quantidade. Como exemplos podemos citar a região anterior da perna e as pálpebras. Já no abdome, na região

glútea e nas mamas, há grande quantidade de tecido [2.5]

_ ,aumentando a espessura da

tela subcutânea.

Epiderme

Derme

85


(3] Complete as sentenças a seguir:

A cor da pele é determinada por um pigmento marrom-escuro denominado (3.1J por células epidérmicas chamadas [3.2]

_ ,produzido

_ .O que define a cor de pele mais clara ou mais escura

não é o número destas células na epiderme, mas, principalmente, a quantidade e a distribuição deste pigmento e o

grau de vascularização da pele. A exposição à radiação UV promove escurecimento da pele. devido ao aumento na

produção deste pigmento. Porém, o bronzeado é perdido na medida em que ocorre a renovação das células da pele. Outros pigmentos encontrados na pele são o (3.3]

_ ,de coloração amarelo-alaranjado, e a [3.4]

_ ,pigmento que transporta o oxigénio nos eritrócitos.

[4] Observe a figura e relacione as colunas abaixo, indicando a estrutura de cada camada encontrada na epiderme e

na derme: amada cornea

Smadâ lúcida-

Camada

Vas.

espinhosa

<'ÿ>

i

Camada

Estrutura

Camadas

_ Camada basal _ Camada granulosa

_ Camada lúcida _ Camada córnea

[4.1] Apresenta-se mais clara que o restante do epitélio, podendo estar ausente

em áreas de pele delgada. [4.2] Constituída por células mortas, intimamente unidas e preenchidas por queratina. [4.3] Apresenta células cujo citoplasma possui grânulos de querato-hialina.

[4.4] Camada mais superficial da derme, em contato com a epiderme, rica em

terminações nervosas de tato.

_ Camada papilar

_ Camada reticular 86

dodeexerc*

[4.5] Também denominada germinativa por apresentar-se em intensa atividade

mitótica. [4.6] Camada profunda da derme, rica em fibras protéicas.


[5] Na posição anaiòmica, uma vista anterior das mãos mostra, nas extremidades distais dos dedos, elevações e depres¬

_,

sões na pele denominadas, respectivamente (5.1]

visíveis nos dedos dos (5.2]

_ . Estas linhas e alças são também

sendo utilizadas na identificação dos indivíduos, por possuírem padrões únicos

determinados geneticamente. O estudo do padrão das impressões digitais é conhecido como dermatoglifo.

As porções distais dos dedos, vistos (5.3]

_

_

não apresentam a estrutura citada acima. Nestes

locais, estão dispostas as placas queratinizadas que formam as unhas. A porção central da unha. denominada [5.4]

_ ,é rosada por causa da vascularização subjacente; a margem livre estende-se além da extremidade distal do dedo. tendo coloração [5.5] _ ,porque não existem capilares subjacentes. Abaixo da margem livre, existe uma camada córnea denominada [5.6] _ que prende a unha à do dedo. Na ex¬ ,

ponta

tremidade proximal e nas margens laterais da unha. existe uma faixa estreita de epiderme formando a cutícula ou (5.7]

_ .A raiz é a parte da unha inserida sob a pele; o epitélio profundo à raiz da unha é conhecido como (5.8) _ da unha, sendo responsável por seu crescimento. Funcionalmente, as unhas fornecem proteção

e auxiliam na apreensão de objeios.

87


(6) Complete as sentenças a seguir com informações sobre as glândulas anexas da pele:

As glândulas [6.1]

_

distribuídas amplamente na pele auxiliam na termorregulaçào do corpo hu¬

mano. ao secretarem o suor. Estas glândulas sào abundantes, por exemplo, nas palmas das màos e nas plantas dos pés. As glândulas ceruminosas sào glândulas especializadas encontradas exclusivamente no [6.2]

_.

As glândulas da pele que secretam produtos oleosos na hastedo pêlo. a fim de lubrificar a pele.impedindo seu ressecamento e o

rompimento dos pêlos, são denominadas glândulas [6.3]

_ .O processo inflama¬

tório destas glândulas, quando a pele possui produção excessiva de óleo, é conhecido como acne. [7] Analise a figura e responda as questões abaixo:

88


[[88..34567912]]

Quais são as partes anatómicas de um pêlo. esquematizadas pelos números indicados abaixo?

_ (7.2) _

(7.11

Cada pêlo é composto por colunas de células queratinizadas mortas. Envolvendo a parte do pêlo que penetra na epi¬

derme ou na tela subcutânea, existe um tubo de células epidérmicas denominado (7.3] O [7.4]

_

_.

é um músculo liso associado ao folículo piloso. responsável pelo

levantamento do pêlo em resposta ao frio ou medo.

A glândula sudorípara representada na figura é classificada como (7.5]

_

por secretar através de

um dueto na superfície da pele. Quando um indivíduo possui um tumor maligno, muitas vezes é necessário o uso de medicamentos denominados quimioterápicos. Tais medicamentos interrompem o crescimento das células tumorais. mas também afetam outras

células do corpo que se dividem rapidamente, como as células do pêlo. O crescimento do pêlo deve-se à presença de do folículo piloso. base dilatada do folículo uma camada de células mitoticamente aiivas no [7.6]

_

piloso.

[8] indique as funções do sistema tegumentar:

_ _ _ _ _

. . .

. .

_

.

_

.

_ . _ . Í8.10] _ . 18.1 1] _ .

EB

89


Gabarito

Q

Introdução ao Estudo da Anatomia Humana

[1] (1.3}; [1.8); [1.1); (1.9); [1.4]; (15);(1.7); [1.2); [1.6) [2] (2.1) célula; [2.2] tecido; [2.3} órgão; (2.4) sistema; [2.5) corpo; [2.6) embrião; [2.7] feto; [2.8J recém-nascido; [2.9J infante; [2.10) menino; [2.1 1) púbere; [2.12) jovem; [2.13) adulto; [2.14] velho [3} [3.8]; [3.6]; [3.5]; (3.9); [3.7]; [3.3]; [3.11]; [3.10]; [3.12]; [3.1]; [3.2]; [3.4] [4] [4.1] normal; [4.2] variação; [4.3] variação externa; [4.4] variação interna; [4.5] anomalia; [4.6] monstruosida¬ de; [4.7] sexo; [4.8] evolução; [4.9] grupo étnico; [4.10] biotipo; [4.1 1] idade [5] [5.1] cabeça; [5.2] pescoço; [5.3] tronco; [5.4] tórax; [5.5] abdome; [5.6] membros; [5.7] superiores; [5.8] infe¬

riores [6] [6.1] ereta; [6.2] anterior; [6.3] horizonte; [6.4] estendi¬

dos; [6.5] próximos; [6.6] anterior; [6.7] unidos; [6.8] ante¬ rior [7] [7.6]; [7.1); [7.3]; [7.4]; [7.5]; [7.2] [8] [8.1] sagital mediano; [8.2] sagital; [8.3] transversal;

[8.4] frontal ou coronal; [8.5] sagital; [8.6] transversal; [8.7]

frontal ou coronal 19] [9.3]; [9.1); [9.2); [9.1]; [9.3]; [9.2] [10] [10.1] medial; [10.2] lateral; [10.3] anterior; [10.4] posterior; [10.5] superior; [10.6] inferior; [10.7] distai; [10.8] proximal; [10.9] médias; [10.10] intermédia; [10.11] poste¬ rior; [10.12] anterior; [10.13] anterior; [10.14] posterior;

[10.15] médio; [10.16] medial; [10.17] lateral; [10.18] late¬ ral; [10.19] medial; [10.20] intermédio; [10.21] superior; [10.22] inferior; [10.23] inferior; [10.24] inferior; [10.25] média; [10.26] distai; [10.27] distai; [10.28] proximal; [10.29] proximal; [10.30] médio

Q

Sistema Esquelético

[1] [1.1] esqueleto; [1.2] articulado; [1.3] desarticulado;

[1.4] exoesqueleto; [1.5] endoesqueleto; [1.6] misto 90

[2] [2.1] cabeça; [2.2] pescoço; [2.3] tronco; [2.4] axial; [2.5] apendicular; [2.6] cingulo do membro superior; [2.7] cíngulo do membro inferior; [2.8] clavícula e escápula; [2.9] osso do quadril [3] [3.2]; [3.3]; [3.1]; [3.4] é [3.3]; [3.5] é [3.3]; [3.6] é [3.2];

[3.7] é [3.1]; [3.8] é [3.2] [4] [4.1] morfológico; [4.2] funcional; [4.3] longo; [4.4] curto; [4.5] plano; [4.6] irregular; [4.7] pneumático; [4.8] seios; [4.9] sinus; [4.10] sesamóide; [4.11] plano; [4.12] irregular; [4.13] irregular; [4.14] irregular; [4.15] longo; [4.16] irregular; [4.17] longo; [4.18] irregular; [4.19] longo; [4.20] longo; [4.21] longo; [4.22] curto; [4.23] longo; [4.24] longo; [4.25] longo; [4.26] longo; [4.27] curto; [4.28]

longo [5] [5.1] epífises; [5.2] diáfise; [5.3] canal medular; [5.4] epifisário; [5.5] vermelha (rubra); [5.6] amarela (flava) [6] [6.1] compacta; [6.2] esponjosa; [6.3] díploe [7] [7.1] periósteo; [7.2] osteogènica ou interna; [7.3] fibrosa ou externa [8] [8.1] osso frontal; [8.2] osso zigomático; [8.3] osso mandíbula; [8.4] osso maxila; [8.5] osso nasal; [8.6] osso esfenóide; [8.7] osso temporal; [8.8] osso parietal; [8.9] osso lacrimal; [8.10] osso concha nasal inferior; [8.1 1] osso frontal; [8.12] osso maxila; [8.13] osso mandíbula; [8.14] osso temporal; [8.15] osso zigomático; [8.16] osso nasal; [8.17] osso esfenóide; [8.18] osso occipital; [8.19] osso parietal; [8.20] osso lacrimal; [8.21] lâmina cribriforme; [8.22] crista etmoidal; [8.23] processo clinóide anterior;

[8.24] processo clinóide posterior; [8.25] canal óptico; [8.26] forame redondo; [8.27] forame oval; [8.28] forame espinhoso; [8.29] forame magno; [8.30] forame jugular; [8.31] forame lacerado; [8.32] fossa hipofisial; [8.33] crista

occipital interna; [8.34] protuberância occipital interna; [8.35] sulco do seio sigmóide; [8.36] sulco do seio trans¬ verso; [8.37] sulco do seio sagital superior; [8.38] poro acústico interno; [8.39] fissura orbital superior; [8.40]

canal do nervo hipoglosso; [8.41] osso frontal; [8.42] osso maxila; [8.43] osso esfenóide; [8.44] osso etmóide; [8.45] osso vômer; [8.46] osso temporal; [8.47] osso parietal;


[8.48] osso occipital; [8.49] osso nasal; [8.50] osso concha nasal inferior; [8.51] osso palatino; [8.52] seio frontal; [8.53] seio esfenoidal; [8.54] dentes superiores; [8.55] sela turca; [8.56] osso frontal; [8.57] osso parietal; [8.58] osso occipital; [8.59] processo temporal do zigomático; [8.60] processo zigomático do temporal; [8.61] arco zigomáti¬ co; [8.62] processo palatino da maxila; [8.63] osso palati¬ no; [8.64] osso vòmer; [8.65] lâmina medial do processo pterigóideo do esfenóide; [8.66] lâmina lateraldo proces¬ so pterigóideo do esfenóide; [8.67] processo pterigóideo do esfenóde; [8.68] processo estilóide do temporal; [8.69] processo mastóide do temporal; [8.70] côndilo occipital; [8.71] fossa mandibular; [8.72] fissura orbital inferior; [8.73] forame oval; [8.74] forame magno; [8.75] forame jugular; [8.76] forame estilomastóideo; [8.77] tubérculo faríngeo; [8.78] forame incisivo; [8.79] forame palatino maior; [8.80] poro acústico externo; [8.81] coluna verte¬ bral vista anterior; [8.82] coluna vertebral vista posterior; [8.83] coluna vertebral vista lateral; [8.84] corpo vertebral; [8.85] forame vertebral; [8.86] forame transversário; [8.87] processo espinhoso; [8.88] processo transverso; [8.89] face articular superior; [8.90] dente do áxis; [8.91] corpo vertebral; [8.92] fóvea costal superior; [8.93] fóvea costal inferior; [8.94] fóvea costal do processo transverso; [8.95] incisura vertebral inferior; [8.96] processo espinhoso; [8.97] processo articular superior; [8.98] processo articular inferior; [8.99] processo transverso; [8.100] arco vertebral; [8.101] corpo vertebral; [8.102] forame vertebral; [8.103] pedículo do arco vertebral; [8.104] lâmina do arco verte¬ bral; [8.105] arco vertebral; [8.106] processo costiforme; [8.107] processo espinhoso; [8.108] processo articular superior; [8.109] processo acessório; [8.110] base do sacro; [8.1 1 1] processo articular superior; [8.1 12] forames sacrais anteriores; [8.1 13] vértebra coccígea I; [8.114] vér¬ tebra coccígea II; [8.115] vértebras coccigeas III e IV; [8.1 16] manúbrio do esterno; [8.1 17] corpo do esterno; [8.1 18] processo xifóide; [8.1 19] clavícula; [8.120] costela I; [8.121] costela II; [8.122] costela III; [8.123] costela IV; [8.124] costela V; [8.125] costela VI; [8.126] costela VII; [8.127] costela VIII; [8.128] costela IX; [8.129] costela X; [8.130] costela XI; [8.1 3 1 ] costela XII; [8. 1 32] vértebra T XII;

[8.133] vértebra L I; (8.134] processo coracóide da escápu¬ la; [8.135] cartilagem costal; [8.136] espinha da escápula; [8.137] fossa supra-espinhal; [8.138] fossa infra-espinhal; [8.139] acrómio; [8.140] cavidade glenoidal; [8.141] ângu¬ lo superior; [8.142] ângulo inferior; [8.143] cabeça do úmero; [8.144] tróclea do úmero; [8.145] sulco do nervo radial; [8.146] sulco do nervo ulnar; [8.147] colo cirúrgico;

[8.148] colo anatómico; [8.149] fossa do olécrano; [8.150] tubérculo maior; [8.151] capítulo do úmero; [8.152] tró¬ clea do úmero; [8.153] fossa coronóidea; [8.154] colo anatómico; [8.155] tubérculo menor; [8.156] sulco intertubercular; [8.157] processo coracóide; [8.158] acrómio; [8.159] fossa subescapular; [8.160] cabeça do úmero; [8.161] cabeça da ulna; [8.162] processo estilóide da ulna; [8.163] tuberosidade da ulna; [8.164] processo coronóide; [8.165] olécrano; [8.166] incisura troclear; [8.167] incisura radial; [8.168] tuberosidade do rádio; [8.169] colo do rádio; [8.170] cabeça do rádio; [8.1 71] circunferência arti¬ cular; [8.172] fóvea articular; [8.173] processo estilóide do rádio; [8.174] incisura ulnar; [8.175] escafóide; [8.176] semilunar; [8.177] piramidal; [8.178] pisiforme; [8.179] trapézio; [8.180] trapezóide; [8.181] capitato; [8.182] hamato; [8.183] osso sesamóide; [8.184] metacarpal I; [8.185] metacarpal II; [8.186] metacarpal III; [8.187] meta¬ carpal IV; [8.188] metacarpal V; [8.189] falange proximal; [8.190] falange média; [8.191] falange distal; [8.192] cabe¬ ça do metacarpal; [8.193] base do metacarpal; [8.194] cabeça da falange proximal; [8.195] base da falange pro¬

ximal; [8.196] cabeça da falange média; [8.197] base da

falange média; [8.198] cabeça da falange distal; [8.199] base da falange distal; [8.200] escafóide; [8.201] semilu¬ nar; [8.202] piramidal; [8.203] pisiforme; [8.204] trapézio; [8.205] trapezóide; [8.206] capitato; [8.207] hamato; [8.208] osso sesamóide; [8.209] metacarpal I; [8.210]

metacarpal II; [8.21 1] metacarpal III; [8.212] metacarpal IV; [8.213] metacarpal V; [8.214] falange proximal; [8.215] falange média; [8.216] falange distal; [8.217] cabeça do metacarpal; [8.218] base do metacarpal; [8.219] cabeça da falange proximal; [8.220] base da falange proximal; [8.221] cabeça da falange média; [8.222] base da falange média; [8.223] cabeça da falange distal; [8.224] base da falange distal; [8.225] acetábulo; [8.226] face semilunar; [8.227] fossa do acetábulo; [8.228] incisura do acetábulo; [8.229] ramo do ísquio; [8.230] crista ilíaca; [8.231] incisura isquiática menor; [8.232] incisura isquiálica maior; [8.233] túber isquiático; [8.234] espinha isquiática; [8.235] espi¬ nha ilíaca ántero-inferior; [8.236] espinha ilíaca ânterosuperior; [8.237] espinha ilíaca pósiero-inferior; [8.238] espinha ilíaca póstero-superior; [8.239] forame obturado; [8.240] tubérculo púbico; [8.241] crista ilíaca; [8.242] inci¬ sura isquiática menor; [8.243] incisura isquiática maior; [8.244] túber isquiático; [8.245] espinha isquiática; [8.246] espinha ilíaca ántero-inferior; [8.247] espinha ilíaca ántero-superior; [8.248] espinha ilíaca póstero-inferior; [8.249] espinha ilíaca póstero-superior; [8.250] forame obturado;

91


[8.25 1J tubérculo púbico; [8.252] cabeça do fémur; [8.253] trocanter maior; [8.254] trocanter menor; [8.255] colo do fémur; [8.256] face patelar; [8.257] epicôndilo medial; [8.258] epicôndilo lateral; [8.259] cabeça do fémur; [8.260] colo do fémur; [8.261] trocanter maior; [8.262] trocanter menor; [8.263] côndilo medial; [8.264] cóndilo lateral; [8.265] fossa intercondilar; [8.266] linha áspera; [8.267] face poplitea; [8.268] tubérculo do adutor; [8.269] tuberosidade da tíbia; [8.270] côndilo medial; [8.271] côndilo lateral; [8.272] maléolo medial; [8.273] cabeça da fibula; [8.274] maléolo lateral; [8.275] linha do músculo sóleo; [8.276] côndilo medial; [8.277] côndilo lateral; [8.278] maléolo medial; [8.279] cabeça da fibula; [8.280] maléolo lateral; [8.281] ápice da patela; [8.282] base da patela; [8.283] tálus; [8.284] calcáneo; [8.285] navicular; [8.286] cubóide; [8.287] cuneiforme lateral; [8.288] cuneiforme intermédio; [8.289] cuneiforme medial; [8.290] metatarsal I; [8.291] metatarsal II; [8.292] metatarsal III; [8.293] meta¬ tarsal IV; [8.294] metatarsal V; [8.295] falange proximal; [8.296] falange média; [8.297] falange distal; [8.298] cabe¬ ça do metatarsal; [8.299] base do metatarsal; [8.300] cabeça da falange proximal; [8.301] base da falange pro¬ ximal; [8.302] cabeça da falange média; [8.303] base da falange média; [8.304] cabeça da falange distal; [8.305] base da falange distal; [8.306] tálus; [8.307] calcáneo; [8.308] navicular; [8.309] cubóide; [8.310] cuneiforme lateral; [8.311] cuneiforme intermédio; [8.312] cuneifor¬ me medial; [8.313] metatarsal I; [8.314] metatarsal II; [8.315] metatarsal III; [8.316] metatarsal IV; [8.317] meta¬ tarsal V; [8.318] falange proximal; [8.319] falange média; [8.320] falange distal; [8.321] cabeça do metatarsal; [8.322] base do metatarsal; [8.323] cabeça da falange proximal; [8.324] base da falange proximal; [8.325] cabe¬ ça da falange média; [8.326] base da falange média; [8.327] cabeça da falange distal; [8.328] base da falange

distal

[5]

Componentes

Componentes

[5.1] cartilagem articular

acessórios [5.7] ligamentos

[5.2] superfície articular

[5.8] discos

[5.3] cavidade articular

[5.9] meniscos

[5.4] cápsula articular

[5.10] bolsas sinoviais

essenciais

[5.5] líquido sinovial [5.1 1] bainhas dos tendões [5.6] membrana sinovial [5.12] lábios articulares [6] [6.1] A: cartilagem articular; [6.2] B: cavidade articular; [6.3] C: cápsula articular; [6.4] D: bolsa sinovial; [6.5] E: menisco lateral [7] [7.1] articulações entre os ossos do carpo (intercarpais); [7.2] articulação umeroulnar; articulações interfalângicas; [7.3] articulação radioulnar proximal; [7.4] ATM (articulação temporomandibular); [7.5] articulação car¬ pometacarpal do polegar; [7.6] articulação radiocarpal. articulação metacarpofalângica; [7.7] articulação do ombro e articulação do quadril [8] [8.1] extensão; [8.2] abdução; [8.3] circunduçáo; [8.4] rotação lateral; [8.5] pronação [9] [9.5]; [9.6]; [9.3]; [9.4]; [9.1]; [9.2] [10] [ 10. 1] ligamento esfenomandibular; [10.2] ligamen¬ to estilomandibular; [10.3] ligamento acromioclavicular;

[10.4] ligamento coracoclavicular; [10.5] ligamento coracoacromial; [10.6] ligamento anular do rádio; [10.7] liga¬ mento da cabeça do fémur; [10.8] ligamento iliofemoral; [10.9] ligamento cruzado anterior; [10.10] ligamento cru¬ zado posterior; [10.11] ligamento colateral tibial; [10.12] ligamento colateral fibular

Miologia [1] [1.1] tendão; [1.2] aponeurose; [1.3]

fáscia muscular;

[1.4] ventre muscular [2] [2.1] origem; [2.2] inserção

Sistema Articular [1] [1.1] tecido conjuntivo fibroso; [1.2] imóvel; [1.3] teci¬

do conjuntivo cartilaginoso; [1.4] semi-móvel; [1.5] líqui¬ do sinovial; [1.6] móvel [2] [2.1] sutura; [2.2] sindesmose; [2.3] gonfose [3] [3.1] sutura coronal; [3.2] sutura sagital; [3.3] sutura escamosa; [3.4] sutura lambdóidea [4] [4.1] sínfise intervertebral; [4.2] sínfise púbica; [4.3] sincondrose

92

[31 b [4] [4.4]; [4.6]; [4.2]; [4.5]; [4.1]; [4.7]; [4.3] [5] [5.1] m. bíceps, cabeça curta; [5.2] m. bíceps, cabeça longa; [5.3] m. corabraquial; [5.4] m. braquiorradial; [5.5] m. palmar longo; [5.6] m. pronador redondo; [5.7] m. fle¬ xor superficial dos dedos; [5.8] m. flexor radial do carpo; [5.9] m. triceps, cabeça longa; [5.10] m. triceps, cabeça curta; [5.11] m. infra-espinal; [5.12] m. extensor ulnar do carpo; [5.13] flexor ulnar do carpo; [5.14] m. extensor dos dedos; [5.15] m. abdutor do dedo mínimo; [5.16] m. fle-


xor curto do dedo mínimo; (5.17] m. oponente do dedo mínimo; (5.18] m. pronador quadrado; (5.19] m. oponen¬ te do polegar; (5.20] mm. lumbricais; (5.21] m. abdutor curto do polegar 16] c (7]c (8] (8.1] m. quadrado do lombo; (8.2] m. diafragma; (8.3]

m. ilíaco; [8.4] m. psoas maior; (8.5] m. psoas menor; (8.6] m. intercostal interno; [8.7] m. intercostal externo; [8.8] m. serrátil anterior; (8.9] m. reto do abdome; [8.10] m. oblí¬ quo interno; (8.1 1] m. peitoral maior; [8.12] m. transverso do abdome (9] [9.1] m. reto femoral; (9.2] m. vasto lateral; (9.3] m. vasto medial; (9.4] m. sartório (10] (10.1] m. extensor do indicador; (10.2] m. extensor curto do polegar; (10.3] m. extensor longo do polegar; [10.4] mm. interósseos dorsais; [10.5] tendão dos mm. extensores dos dedos; [10.6] mm. lumbricais (11] [11.1] cartilagens costais das V - VII costelas, proces¬ so xifóide; [11.2] V

- XII costelas; [1 1.3] aponeurose toraco-

lombar; [1 1 .4] cartilagens costais das V. VI, VII- XII costelas, processos costais das vértebras lombares, crista ilíaca [12] [1 2.1 ] m. tibial anterior; (12.2] m. fibular longo; [ 12.3] m. fibular curto; (12.4] m. extensor longo do hálux; (12.5] músculo extensor curto dos dedos; [12.6] tendão do m. extensor longo dos dedos; [12.7] m. extensor curto do hálux; (12.8] mm. interósseos dorsais do pé; (12.9] m. fle¬ xor longo do hálux; [12.10] m. flexor curto dos dedos; [12.11] mm. lumbricais do pé IV-I; [12.12] m. abdutor do hálux; [1 2.1 3] m. flexor curto do dedo mínimo; (12.14] m.

abdutor do dedo mínimo [13] [I3.l] m. redondo maior; [13.2] m. trapézio - parte ascendente; [13.3] m. trapézio - parte transversa; [13.4] m. trapézio - parte descendente; [13.5] m. latíssimo do dorso; [13.6] m. rombóide menor; [13.7] m. rombóide maior; [13.8] m. levantador da escápula; [13.9] m. serrátil póstero-superior; [13.10] m. serrátil póstero-inferior [14] [14.1] n. musculocutâneo; [14.2] n. axilar; [14.3] n. radial; [14.4] n. musculocutâneo; [14.5] n. mediano; [14.6] nn. ulnar e mediano; [14.7] n. ulnar; [14.8] n. mediano; [14.9] n. radial; [14.10] n. radial; [14.1 1] n. radial; [14.12] n.

dedos; [15.17] m. fibular curto; [15.18] m. fibular longo; [15.19] m. gasirocnémio- cabeça medial; [15.20] m. gastrocnémio-cabeça lateral; [15.21] m. sóleo [16] [16.1] tíbia e tuberosidade glútea; [16.2] trocanter maiordo fémur; [16.3] trocanter maior; [16.4] extremidade proximal da tíbia; [16.5] lábio medial da linha áspera; [16.6]

lábio medial da linha áspera; [16.7] lábio medial da linha áspera; [16.8] tuberosidade da tíbia; [16.9] extremidade proximal da tíbia; [16.10] cabeça da fibula; [16.1 1] tubero¬ sidade do calcâneo; [16.12] tuberosidade do calcàneo; [16.13] tuberosidade do calcàneo; [16.14] tuberosidade do I metatarso; [16.15] base do I metatarso. [16.16] cuneiforme medial; tuberosidade do navicular, cuneiformes (3); [16.17] falanges distais do II- V dedos; [16.18] falange médias do II - IV dedos; [16.19] falange distal do hálux; [16.20] aponeurose dorsal do IV dedo lateral; [16.21] base da falange distal do hálux; [16.22] aponeurose dorsal do II - IV dedos; [16.23] falange proximal do hálux [17] [ 1 7.1] m. epicránio (occiptofrontal); [ 1 7.2] m. orbicu¬ lar do olho; [17.3] m. corrugador do supercilio; [17.4] m. zigomático maior; [17.5] m. zigomático menor; [17.6] m. levantador da asa do nariz e do lábio superior; [1 7.7] m. abaixador do ângulo da boca; [17.8] m. abaixador do lábio inferior; (17.9) m. mentual; [17.10] m. orbicular da boca; [17.11] m. esternocleidomastóideo; [17.12] m. escaleno anterior; [1 7.13] m. escaleno médio; [17.14] m. digástrico; [1 7.15] m. omo-hióideo; [17.16] m. crico-tireóideo

Qj

Sistema Circulatório

[1] [1.1] coração; [1.2] pulmão esquerdo; [1.3] músculo

diafragma [2] mediastino

[3] [3.1] esterno costal; [3.2] diafragmática; [3.3] pulmo¬

nar [4] [4.1] pericárdio fibroso; [4.2] pericárdio seroso lâmina parietal; [4.3] pericárdio seroso lâmina visceral; [4.4]

endocárdio

radial [15] [15.1] m. sartório; [15.2] m. pectíneo; [15.3] m. adu¬ tor longo; [15.4] m. grácil; [15.5] m. glúteo máximo; [15.6] m. bíceps femoral; [1 5.7] m. semimembranáceo; [15.8] m.

semitendíneo; [15.9] m. glúteo médio; [15.10] m. glúteo mínimo; [15.1 1] m. piriforme; [15.12] m. gémeo superior; [15.13] m. gémeo inferior; [15.14] m. quadrado femoral; [15.15] m. tibial anterior; [15.16] m. extensor longo dos 93


(6J (6.1] veias pulmonares esquerdas; (6.2] veia cava infe¬

rior; [6.3] tronco pulmonar [7] [7.1] átrio esquerdo; [7.2] átrio direito; [7.3] ventrículo

esquerdo; [7.4] ventrículo direito; [7.5] valva atrioventri¬ cular esquerda [8] [8.1] músculo pectíneo; [8.2] aurículas direita e esquerda; [8.3] ventrículo direito e esquerdo [9] [9.1] veias pulmonares; [9.2] átrio direito; [9.3] ventrí¬ culo esquerdo; [9.4] artéria aorta; [9.5] tronco pulmonar [10] [10.1] sua função é prender a valva atrioventricular durante a contraçáo ventricular para que o sangue nào reflua para os átrios [11] (1 1.1] pequena circulação; [1 1.2] direito; [1 1.3] pul¬ monares; [11.4] esquerdo; [11.5] esquerdo; [1 1.6] sistémi¬ ca; [1 1.7] aorta; [11.8] átrio direito [12] A: [12.1] veia; B: [12.2] artéria [13] [13.1] túnica íntima; [13.2] túnica média; [13.3] túni¬ ca adventícia [14] [14.1] não possuem válvulas; [14.2] possuem válvu¬ las; [14.3] possuem grande quantidade de m. liso em

suas paredes; [14.4] possuem pequena quantidade de m. liso em suas paredes; [14.5] transportam sangue do cora¬ ção para a periferia do corpo; [14.6] transportam sangue da periferia do corpo para o coração [15] são vasos microscópicos que possuem apenas a túnica íntima e que separam as artérias das veias. Nos capilares sanguíneos ocorrem as trocas gasosas e de nutrientes entre sangue e tecidos [16]

[20.6] (H); [20.7] (F); [20.8] (E) [21] [21.1] a. meníngea média; [21.2] a. massetérica; [2 1.3] a. bucal; (21.4] a. alveolar inferior; [2 1.5] a. temporal profunda anterior; [21.6] a. temporal profunda posterior; [21.7] a. infra-orbital; [21.8] a. palatina descendente [22]

c

[23] [23.1] maxilar; [23.2] facial; [23.3] jugular interna [24] são veias que ligamos seios da dura-mater à veias extracranianas percorrendo a díploe. ou seja, a substância óssea esponjosa existente nos ossos da calota craniana [25] A: [25.1] veia branquiocefálica direita; B: [25.2] veia branquiocefálica esquerda; C: [25.3] veia cava superior; [25.4] átrio direito [26J [26.1] intercostais posteriores; [26.2] torácica inter¬ na; [26.3] esòfago; [26.4] brônquios principais [27] [27.5] veia ázigo

iti urir W

[19] D: [19.1] artérias cerebrais anteriores; E: [19.2] artérias cerebrais médias; F: [19.3] artérias cerebrais posteriores [20] [20.1] (A); [20.2] (C); [20.3] (D); [20.4] (G); [20.5] (B);

ÿr\

1,631

YJ

P621 j

[17] [1 7.1] pescoço; [1 7.2] cavidade torácica; [17.3] cavi¬ dade abdominal; [17.4] cabeça; [17.5] antebraço; [17.6]

cavidade pélvica; [17.7] perna; [17.8] coxa; [17.9] braço [18] B: [18.1] tronco branquicefálico; C: [18.2] artéria carótida comum esquerda; D: [18.3] artéria subclávia esquerda

[28] [28.1] renais; [28.2] testiculares; [28.3] celíaco; [28.4] esplénica; [28.5] gástrica esquerda; [28.6] hepática comum; [28.7] mesentérica superior; [28.8] colo descen¬ dente; [28.9] colo sigmóide; [28.10] reto [29] são as artérias ilíacas comuns direita e esquerda que irão se direcionar para a cavidade pélvica e para o

membro inferior

94


[41] [41.1] linfático; [41.2] líquido intersticial; [41.3] 90%;

[30] 130.11

[41.4] grandes moléculas; [41.5] capilares linfáticos; [41.6] vasos linfáticos; [41.7] troncos linfáticos; [41.8] veias; [41.9] calibrosos; [41.10] válvulas; [41.11] dueto linfático

direito; [41.12] dueto torácico; [41.13] linfonodos; [41.14] filtros; [41.15] microorganismos; [41.16] toxinas; [41.17] cápsula fibrosa; [41.18] linfócitos; [41.19] isolados; [41.20] cadeias; [41.21] baço; [41.22] timo; [41.23] tonsilas palati¬ nas e faríngeas

[30.2] veia esplénica e veia mesentérica superior; [30.3] levar os nutrientes ou fármacos absolvidos no intestino

delgado para iniciarem sua metabolizaçào no fígado [31] se forma pela união da veia ilíaca comum direita com a esquerda ou ováricas direitas; [32.2] veia supra-renal direita; [32.3] veias renais [32.4] veias hepáticas [32] [32.1] veia testicular

[33]

Sistema Respiratório [1] [1.1] nariz; [1.2] cavidade nasal; [1.3] faringe; [1.4]

laringe; [1.5] traquéia; [1.6] brônquios [2] [2.1] respiratória; [2.2] alveolares; [2.3] alvéolos [3] [3.3]; [3.4]; [3.1]; [3.5]; [3.7]; (3.8); [3.2]; [3.6] [4] [4.1] seio frontal; [4.2] seio esfenoidal; [4.3] células etmoidais; [4.4] seio maxilar [5] [5.1] faringe; [5.2] parte nasal da faringe; [5.3] parte oral da faringe; [5.4] parte laríngea da faringe; [5.5] óstio faríngeo da tuba auditiva; [5.6] toro tubário; [5.7] tonsila

faríngea Í6]

b

[7] [7.1] laringe; [7.2] pregas vestibulares; [7.3] pregas vocais; [7.4] ventrículo da laringe; [7.5] adito da laringe; [7.6] vestíbulo da laringe; [7.7] glote; [7.8] cavidade infra-

[34] [34.1] safena magna; [34.2] femoral; [34.3] safena parva; [34.4] perna; [34.5] poplítea; [34.6] ilíaca interna; [34.7] ilíaca comum; [34.8] átrio direito [35] [35.1] artéria subclávia; [35.2] artéria axilar; [35.3] artéria braquial [36] B: [36.1] artéria torácica lateral; C: [36.2] artéria

subescapular [37] a artéria branquial dá origem à artéria radial e à

artéria ulnar [38] as artérias ulnar e radial se unem distalmente para formar o arco palmar superficial e profundo dos quais surge a maioria das artérias que irão irrigar os dedos [39] [39.1] veia cefálica; [39.2] veia axilar; [39.3] veia basí¬ lica; [39.4] veia braquial [40] veia intermédia do cotovelo

glótica [8] [8.4]; (8.1); [8.2]; (8.3); [8.5] [9] [9.1] m. aritenóideo transverso; [9.2] m. cricotireóideo; [9.3] m. cricoaritenóideo lateral; [9.4] m. vocal; [9.5] m. lireoaritenóideo; [9.6] m. cricoaritenóideo posterior; [9.7] m. aritenóideo oblíquo [10] [10.1] mediana; [10.2] cartilagem traqueal; [10.3]

ligamentos anulares; [10.4] parede membranácea; [10.5] músculo traqueal; [10.6] brônquios principais; [10.7] cari¬ na da traquéia [11] [11.2); [11.3]; [11.1] [12] c [13] [13.1] pleura; [13.2] pleura pulmonar; [13.3] pleura parietal; [13.4] cavidade pleural; [13.5] costal; [13.6] dia-

fragmáiica; [13.7] mediastinal [14] [14.1] lobo superior do pulmão direito; [14.2] lobo médio do pulmão direito; [14.3] lobo inferior do pulmão direito; [14.4] lobo superior do pulmão esquerdo; [14.5] lobo inferior do pulmão esquerdo; [14.6] ápice do pul¬ mão; [14.7] base do pulmão [15] d

95


[16J [16.1] segmento apical; [16.2] segmento anterior; [16.3] segmento posterior; [16.4] segmento lateral; [16.5]

segmento medial; [16.6] segmento superior; [16.7] seg¬ mento basilar medial; [16.8] segmento basilar anterior; [16.9] segmento basilar lateral; [16.10] segmento basilar posterior; [16.11] segmento apicoposterior; [16.12] seg¬ mento anterior; [16.13] segmento lingular superior; [16.14] segmento lingular inferior; [16.15] segmento superior; [16.16] segmento basilar medial; [16.17] seg¬ mento basilar anterior; [16.18] segmento basilar lateral; [16.19] segmento basilar posterior observação: o segmento basilar medial não é considera¬ do uma unidade independente, mas um segmento fun¬ dido com o segmento basilar anterior

Q

Sistema Digestório

[1] [1.1] canal alimentar; [1.2] órgãos anexos ou órgãos

digestórios acessórios [2] [2.1] digestão; [2.2] defecaçào; [2.3] ingestão; [2.4]

absorção [3] [3.1] vestíbulo da boca; [3.2] cavidade própria da boca; [33] lábios; [3.4] bochechas; [3.5] palato; [3.6] palato duro; [3.7] palato mole; [3.8] soalho; [3.9] istmo das fauces [4] [4.1] incisivos; [4.2] caninos; [4.3] pré-molares; [4.4] molares; [4.5] coroa; [4.6] colo; [4.7] raiz [5] [5.1] mastigação; [5.2] deglutição; [5.3] fonação; [5.4] gustação (paladar); [5.5] ápice da língua; [5.6] dorso da língua; [5.7] circunvaladas. fungiformes e folhadas; [5.8] filiformes; [5.9] raiz da língua; [5.10] tonsila lingual [6] [6.1] parótidas; [6.2] submandibulares; [6.3] sublin¬

guais; [6.4] labiais; [65] da bochecha; [6.6] molares incisi¬ vas; [6.7] palatinas; [6.8] linguais [7] [7.1] parte nasal da faringe; [7.2] parte oral da faringe; [7.3] parte laríngea da faringe [8] [8.1] porção cervical; [8.2] porção torácica; [8.3] por¬

ção abdominal [9] [9.1] quadrante superior esquerdo; [9.2] quadrante superior direito; [9.3] quadrante inferior esquerdo; [9.4] quadrante inferior direito; [9.5] região hipocôndrica esquerda; [9.6] região epigástrica; [9.7] região hipocôn¬ drica direita; [9.8] região abdominal lateral esquerda; [9.9] Região umbilical; [9.10] região abdominal lateral direita; [9.11] região inguinal esquerda; [9.12] região púbica; [9.13] região inguinal direita [10] [ 10.1] cárdia; [ 10.2] fundo gástrico; [10.3] corpo gás¬ trico; [10.4] parte pilórica; [10.5] curvatura menor; [10.6] curvatura maior

96

[11] [11.1] intestino

delgado; [11.2] intestino grosso;

[11.3] duodeno; [11.4] jejuno; [11.5] íleo; [11.6] ceco;

[1 1.7] colo ascendente; [1 1.8] colo transverso; [1 1.9] colo descendente; [1 1.10] colo sigmóide; [11.11] reto; [1 1.12]

canal anal [12] [12.1] parte superior; [12.2] parte descendente;

[12.3] parte horizontal; [12.4] parte ascendente [13] [13.1] jejuno; [13.2] íleo [14] [14.1] ceco; [14.2] colo ascendente; [14.3] colo transverso; [14.4] colo descendente; [14.5] colo sigmóide; [14.6] reto; [14.7] canal anal [15] [15.1] diafragmática; [15.2] visceral; [15.3] direito; [1 5.4] esquerdo; [15.5] quadrado; [15.6] caudado [16] [16.1] ligamento falciforme; [16.2] ligamento redon¬ do; [16.3] vesícula biliar; [16.4] sulco da veia cava; [16.5] área nua; [16.6] porta do fígado [17] [17.1] dueto hepático comum; [17.2] dueto cístico; [17.3] dueto colédoco [18] [18.1] duodeno; [18.2] cabeça; [18.3] colo; [18.4] corpo [18.5] cauda [19] [19.1] dueto pancreático; [19.2]

dueto pancreático

acessório; [19.3] ampola hepatopancreática [20] [20.1] peritônio parietal; (20.2] peritônio visceral;

[20.3] cavidade peritoneal; [20.4] omento maior; [20.5] omento menor; [20.6] mesentério; [20.7] mesocolo

ÿ

Sistema Urinário

[1] A: [1.1] formação; [1.2] eliminação; [1.3] homeostase; [1.4] fluidos; [1.5] íons; [1.6] sangue; [1.7] tecidos; B: [1.8] renina; [1.9] eritropoietina [2] [2.2]; [2.1]; [2.4]; [2.3]; [2.6]; [2.5]; [2.8]; [2.7] [3] [3.1] pelve renal; [3.2] ureter; [3.3] uretra; [3.4] bexiga

urinária [4] [4.2]; [4.1]; [4.3] [5] [5.1] pirâmide renal; [5.2] cápsula renal; [5.3] coluna renal; [5.4] abertura do cálice rela na pelve renal; [5.5] pelve renal; [5.6] papila renal; [5.7] cálice renal menor; [5.8] cálice renal maior; [5.9] artéria renal; [5.10] veia renal; [5.11] ureter; [5.12] córtex renal; [5.13] medula renal [6] [6.1] artéria interlobular; [6.2] artéria arqueada; [6.3] artéria interlobar; [6.4] artéria segmentar; [6.5] artéria renal; [6.6] veia renal; [6.7] veia segmentar; [6.8] veia inter¬ lobar; [6.9] veia arqueada; [6.10] veia interlobular [7] [7.1] corpúsculo renal (glomérulo renal e cápsula glo¬

merular); [7.2] túbulo contorcido proximal; [7.3] alça do néfron; [7.4] dueto coletor; [7.5] túbulo contorcido distai


[8] [8.1] pelve renal; [8.2] abdominal; [8.3] pélvica; [8.4] intramural; [8.5] posterior; [8.6] inferior

dos ureteres; [9.2] pregas da mucosa; [9.3] peritônio; [9.4] irígono da bexiga; [9.5] óstio interno da uretra; [9.6] esfíncter internoda uretra; [9.7] esfincter exter¬

[9] [9.1] óstio

no da uretra; [9.8] osso do quadril; [9.9] óstio externo da uretra; [9.10] m. detrusor

da bexiga; [9.1 1] uretra

[10] [10.1] prostática; [10.2] membranácea; [10.3] esponjosa

Q

Sistema Genital Masculino

[1] e [2] [2.2]; [2.5]; [2.4]; [2.3]; [2.1] [3] [3.1] túnica albugínea; [3.2] lóbulos do testículo [4] d [5] [5.1] dueto deferente; [5.2] glândula seminal; [5.3]

próstata; [5.4] uretra prostática [6] [6.1] ramo do pênis; [6.2] glande do pènis; [6.3] cor¬

pos cavernosos; [6.4] bulbo do pènis; [6.5] prepúcio [7] [7.1] testículos; [72] glândulas seminais; [7.3] próstata [8] [8.1] túbulo seminífero contorcido; [8.2] rede testicu¬ lar; [8.3] túbulo seminífero reto; [8.4] lóbulo do testículo [9] [9.1] no corpo esponjoso do pènis; [9.2] óstio interno da uretra; [9.3] na glande do pènis; [9.4] parte membra¬ nácea da uretra [9.5] atravessa a próstata [10] [10.1] escroto; [10.2] testículos; [10.3] túnica dartos [11] [1 1.1); [11.3]; [11.6]; [11.7]

[12] d [13] [13.1] glândulas seminais; [13.2] próstata; [13.3]

glândulas bulbo-uretrais [14] [14.3]; [14.5]; [14.1]; [14.2]; [14.4] [15] [15.1] corpo cavernoso; [15.2] corpo esponjoso;

[15.3] uretra esponjosa

óstio do útero; [4.7] cornos do útero; [4.8] endométrio; [4.9] miométrio; [4.10] periméirio [5] [5.1] cópula; [5.2] via de menstruação; [5.3] canal de parto; [5.4] bexiga urinária; [5.5] reto; [5.6] colo uterino; [5.7] fórnice da vagina; [5.8] corpo; [5.9] óstio da vagina; [5.10] hímen [6] [6.1] monte do púbis; [6.2] lábios maiores e menores do pudendo; [6.3] glândulas vestibulares; [6.4] clitóris; [6.5] bulbodo vestíbulo [7] [7.1] rima do pudendo; [7.2] vestíbulo da vagina; [7.3] lábios maiores do pudendo; [7.4] clitóris; [75] lábios menores do pudendo; [7.6] bulbo do vestíbulo; [7.7] glândulas vestibulares [8] [8.1] sustentação; [8.2] defecação; [8.3] micção; [8.4] ereçào; [8.5] ejaculação; [8.6] cópula; [8.7] parto; [8.8] bulboesponjoso; [8.9] bulbo do pènis; [8.10] bulbo do vestí¬ bulo; [8.1 1] isquiocavernoso; [8.12] transverso superficial do períneo; [8.13] transverso profundo do períneo; [8.14] esfíncter da uretra, [8. 15] esfíncter externo do ânus; [8.16] levantador do ânus; [8.1 7] diafragma da pelve; [8.18] coccígeo; [8.19] puborretal; [8.20] pubococcígeo; [8.21] iliococcígeo; [8.22] coccígeo; [8.23] espaço superficial do períneo; [8.24] espaço profundo do períneo; [8.25] espa¬ ço subcutâneo do períneo

Hl Sistema Nervoso [1] [1.1] neurónios; [1.2] células da glia ou neuroglia; [1.3] corpo; [1.4] dendritos; [1.5] axônio; [1.6] Fibra nervo¬ sa; [1.7] mielínica; [1.8] amielínica; [1.9] aferente; [1.10] eferente; [1.11] interneurônio; [1.12] sustentação; [1.13] revestimento; [1.14] defesa; [1.15] modulação da atividade neuronal; [1.16] substância branca; [1.17] substância cinzenta; [1.18] multipolar; [1.19] bipolar; [1.20] pseudou-

nipolar

|fij Sistema Genital Feminino [1] [1.1] ovários; [1.2] tubas uterinas; [1.3] útero; [1.4] vagina; [1.5] monte do púbis; [1.6] lábios maiores e me¬ nores do pudendo; [1.7] clitóris; [1.8] bulbo do vestíbulo; [1.9] glândulas vestibulares; [1.10] mamas [2] [2.1] ovários; [2.2] mesovário; [2.3] ligamento próprio do ovário; [2.4] ligamento suspensor do ovário; [2.5] hilo

do ovário [3] [3.1] istmo da tuba uterina; [3.2] parte uterina; [3.3]

infundíbulo da tuba uterina; [3.4] ampola da tuba uterina [4] [4.1] corpo do útero; [4.2] fundo do útero; [4.3] istmo

do útero; [4.4] colo do útero; [4.5] cavidade do útero; [4.6]

[2] [2.1] sinapse; [2.2] química; [2.3] elétrica [3] [3.1] ectoderma; [3.2] mesoderma; [3.3] endoderma; [3.4] placa neural; [3.5] sulco neural; [3.6] goteira neural; [3.7] tubo neural; [3.8] cristas neurais; [3.9] prosencéfalo; [3.10] mesencéfalo; [3.11] rombencéfalo; [3.12] medula

primitiva; [3.13] telencéfalo; [3.14] diencéfalo; [3.15] metencéfalo; [3.16] mielencéfalo [4] [4.1] sistema nervoso central; [4.2] sistema nervoso periférico; [4.3] encéfalo; [4.4] medula espinal; [4.5] cére¬ bro; [4.6] cerebelo; [4.7] tronco encefálico; [4.8] mesencé¬ falo; [4.9] ponte; [4.10] bulbo; [4.1 1] nervos; [4.12] gànglios; [4.13] terminações nervosas; [4.14] cranianos; [4.15] espi¬ nais; [4. 1 6] nervo olfatório; [4.1 7] nervo óptico; [4.18] nervo 97


óculomotor; (4.19J nervo troclear; [4.20J nervo trigèmeo; [4.21] nervo abducente; [4.22] nervo facial; [4.23] nervo vestibulococlear; [4.24] nervo glossofaríngeo; [4.25] nervo vago; [4.26] nervo acessório; [4.27] nervo hipoglosso; [4.28] sistema nervoso somático; [4.29] sistema nervoso visceral; [4.30] sistema nervoso autónomo; [4.31] sistema nervoso simpático; [4.32] sistema nervoso parassimpático; [4.33] entre Tl e 12;[4.34] no tronco encefálico ou entre S2 e S4; [4.35] nos gânglios paravertebrals ou pré-vertebrais; [4.36] nos gânglios parassimpáticos; [4.37] curta; [4.38] longa; [4.39] longa; [4.40] curta; [4.41] reação de fuga ou luta; [4.42] homeostase; [4.43] adrenérgica ou simpatomimética; [4.44] colinérgica ou parassimpatomimética [5] [5.1] dura-máter; [5.2] aracnóide-máter; [5.3] pia-máter; [5.4] epidural; [5.5] subdural; [5.6] subaracnóideo; [5.7] liquor; [5.8] plexos corióideos [6] [6.1] ventrículos laterais; [6.2] terceiro ventrículo; [6.3] quarto ventrículo [7] [7.1] corpo caloso; [7.2] tálamo; [7.3] sulco calcarino;

18.1]; [8.1]; [8.1]; [8.2]; [8.1]; [8.1]; [8.3] [9] [9.1] cervical; [9.2] braquial; [9.3] lombossacral; [9.4] superior; [9.5] médio; [9.6] inferior; [9.7] fascículo poste¬ rior; [9.8] fascículo lateral; [9.9] fascículo medial; [9.10] musculocutâneo; [9.11] ulnar; [9.12] axilar; [9.13] radial; [9.14] mediano; [9.15] obturatório; [9.16] femoral; [9.17] tibial; [9.18] fibular comum; [9.19] nervo isquiático; [9.20] plantar medial; [9.21] plantar lateral; [9.22] fibular superfi¬ cial; [9.23] fibular profundo [10] [10.1] córtex cerebral; [10.2] giro pré-central; [10.3] somestésica; [10.4] visual; [10.5] auditiva; [10.6] olfatória; [10.7] gustatória; [10.8] vestibular [11] [11.1] piramidais; [1 1.2] extrapiramidais;[1 1.3] corti¬

cospinal; [1 1.4] corticonuclear; [1 1.5] rubroespinal; [11.6] tetoespinal; [1 1.7] vestíbuloespinal; [11.8] reticulospinal; [11.9] receptor; [11.10] trajeto periférico; [11.11] irajeto central; [11.12] projeçáo cortical; [11.13] consciente; [11.14] inconsciente; [11.15] neurônio I; [1 1.16] neurònio II; [1 1.17] neurônio III

[7.4] sulco parieioccipital; [7.5] sulco central; [7.6] ventrí¬

culo lateral; [7.7] terceiro ventrículo; [7.8] quarto ventrícu¬ lo; [7.9] aqueduto de mesencéfalo; [7.10] cerebelo; [7.1 1] plexo corióideo; [7.12] esplénio do corpo caloso; [7.13] hipotálamo; [7.14] hipófise; [7.15] joelho do corpo caloso; [7.16] mesencéfalo; [7.17] ponte; [7.18] bulbo; [7.19] medula espinal; [7.20] canal central da medula; [7.21] sulco central; [7.22] sulco pré-çentral; [7.23] sulco póscentral; [7.24] sulco lateral; [7.25] sulco temporal superior; [7.26] sulco temporal inferior; [7.27] sulco frontal supe¬ rior; [7.28] sulco frontal inferior; [7.29] giro pré-central; [7.30] giro pós-central; [7.31] giro temporal superior; [7.32] giro temporal médio; [7.33] giro temporal inferior; [7.34] giro frontal superior; [7.35] giro frontal médio; [7.36] giro frontal inferior; [7.37] giro angular; [7.38] lobo frontal; [7.39] lobo parietal; [7.40] lobo occipital; [7.41] lobo tem¬ poral; [7.42] sulco central; [7.43] sulco lateral; [7.44] sulco parietoccipital; [7.45] sulco lateral; [7.46] lobo insular; [7.47] esplénio do corpo caloso; [7.48] tronco do corpo caloso; [7.49] joelho do corpo caloso; [7.50] aderência intertalàmica; [7.51] hipotálamo; [7.52] hipófise; [7.53] ventrículo lateral; [7.54] terceiro ventrículo; [7.55] quarto

ventrículo; [7.56] tálamo; [7.57] teto do mesencéfalo; [7.58] fórnice; [7.59] aqueduto do mesencéfalo; [7.60] bulbo; [7.61] raiz anterior; [7.62] raiz posterior; [7.63] 'h" medular; [7.64] dura-máter; [7.65] aracnóide-máter; [7.66] pia-máter; [7.67] gánglio sensitivo; [7.68] periósteo [8] [8.6]; [8.5]; [8.3]; [8.1]; [8.6]; [8.2]; [8.4]; [8.1]; [8.1]; [8.2];

98

IH Sistema Tegumentar [1] [1.11; [1.1]; [1.2]; [1.2]; [1.1]; [1.2] [2] [2.1] estratificado pavimentoso queratinizado; [2.2] queratina; [2.3] conjuntivo denso náo-modelado; [2.4] hipoderme; [2.5] adiposo [3] [3.1] melanina; [3.2] melanócito; [3.3] caroteno; [3.4]

hemoglobina [4] [4.5]; [4.3]; [4.1]; [4.2]; [4.4]; [4.6] [5] [5.1] cristas e sulcos da pele; [5.2] pés; [5.3] posterior¬ mente; [5.4] corpo da unha; [5.5] branca; [5.6] hiponíquio; [5.7] eponíquio; [5.8] matriz [6] [6.1] sudoríferas; [6.2] poro acústico externo; [6.3]

sebáceas [7] [7.1] haste do pêlo; [7.2] raiz do pêlo; [7.3]

folículo

piloso; [7.4] músculo ereior dos pêlos; [7.5] exócrína; [7.6] bulbo (matriz do bulbo) [8] [8.1] regulação da temperatura corporal; [8.2] barrei¬ ra física contra invasáo de microorganismos e substân¬ cias estranhas; [8.3] proteçáo química devido à presença de substância bactericides; [8.4] proteção contra perda excessiva de água; [8.5] proteçáo contra o excesso de radiação ultravioleta; [8.6] proteçáo contra traumas e atrito; [8.7] secreção; [8.8] excreção; [8.9] absorção; [8.10] captação de sensibilidade geral e especial provenientes do meio externo; [8.11] síntese de vitamina D


Profissional de saúde, aluai e fuluro. desenvolvemos para você o Cdderno HusUado de exercícios.

Este caderno aborda a organização do corpo humano de forma sistémica. com objetivo de ser momento de reflexão e consolidação de conhecimentos anatómicos e funcionais.

Seus esquemas e textos são interativos. claros e ilustrativos. A nomencla¬ tura atualizada facilita a comparação com outras fontes. Faça deste caderno ilustrado de exercícios seu companheiro frequente. Ex¬ plore suas páginas, esquemas, contribua para fazê-lo de seu jeito, refletindo como você compreende e visualiza o corpo que é também seu. Dê-lhe cor e movimento como é a VIDA.

Insira-o nas rodas de discussão em qualquer espaço onde caiba o corpo hu¬ mano. Compare os dados em homem, mulher, criança, idoso, diferentes etnias. Aprender é um processo ativo e este caderno ilustrado de exercícios se dife¬

rencia por promover interaçáo com o seu usuário e permitir essa identidade. Que a Anatomia seja parte presente em seu exercício profissional!

A

Mánole

Anatomia caderno ilustrado de exercícios  
Anatomia caderno ilustrado de exercícios