Page 1

 Por Gabriela Lamounier

Orientadora: Raquel Naves Blumenschein

Trabalho Final de Graduação Universidade de Brasília - Faculdade de Arquitetura e Urbanismo

O OBJETIVO

OS CONCEITOS

O ciclo de vida de uma edificação se desenvolve em diversas etapas, desde o estudo de viabilidade, de projeto e de planejamento, passando pela execução do edifício e pela sua ocupação e manutenção, chegando à etapa de desconstrução. Dentro do processo construtivo, o canteiro de obras tem a função significativa de transformar um projeto em realidade.

Estética – criação espaços mais agradáveis para trabalhar e descansar, à medida que se adotem estratégias projetuais que proporcionem o bem-estar do usuário e a qualidade ambiental.

Por se tratar de espaço de trabalho, no qual há pessoas que despendem significativo tempo, é preciso pensar e projetar um ambiente que atentada às demandas dos usuários e à destinação a que se propõe: UM ESPAÇO HUMANIZADO, PRODUTIVO E COM DESEMPENHO AMBIENTAL. Nessa perspectiva, o projeto de um canteiro de obras significa o alinhamento entre a logística e o layout do local da construção, onde abarcam soluções relativas às instalações provisórias e fluxos dentro do espaço de trabalho, buscando uma proposta que favoreça a produção do edifício com eficiência, sustentabilidade e qualidade.

0

Integração – articulação de aspectos logísticos e espaciais com o entorno da obra e, principalmente, com as instalações provisórias do canteiro de acordo com as demandas de cada fase. Fluidez – Otimização dos percursos de pedestres, veículos e materiais, evitando cruzamento de fluxos que gerem interrupções, a partir de trajetos bem delimitados. Sustentabilidade – adoção de estratégias promovam impactos positivos e diminuam as consequências negativas sobre o meio ambiente e a sociedade. Flexibilidade – adaptação das instalações provisórias às demandas de cada etapa da obra e sua mobilização para obras futuras. Racionalização – eficácia na organização de acordo com a modulação e a programação visual das fachadas dos edifícios Pós- produção das imagens por LinhArquitetura

A PROPOSTA A partir da necessidade do estudo desse arranjo, foi proposta uma configuração para instalações provisórias do edifício da Confederação Nacional do Comércio em Brasília, o CNC Brasília. Segundo as necessidades construtivas desse edifício, foram definidas três fases nas quais o canteiro sofre alterações FASE 1 Infraestrutura

FASE 2

Pedestres Veículo Caminhão guindaste Munck 1. Guarita 2. Lava rodas 3. Lava bicas 4. Resíduos 5. Residuos tipo A 6. Subestação 7. Central de formas 8. Central de armação 9. Administração 10. Vestiário 11. Almoxarifado dos empreiteiros 12. Almoxarifado da empresa 13. Refeitório 14. Área de lazer 15. Caixa d’água

10

9

9

100m

5 10 4

11

13 14

12

3

2

1

Estrutura e Obra bruta

Obra fina, Acabamentos e Desmobilização

Fase 1 - Implantação + Zoneamento + Fluxos Perspectiva Aérea

Fase 1- Corte do terreno Pedestres Veículo Caminhão guindaste Munck

BRASÍLIA

Perspectiva - Área de lazer e vestiários

O SISTEMA CONSTRUTIVO

FASE 1

FASE 2

FASE 3

FASE 1

FASE 2

FASE 3

Área cercada por tapume: 34838m² Área construída das instalações provisórias:1917 m² Duração: 13 meses Nº de usuários: Pico – 451 pessoas | Média – 296 pessoas Quantidade de containers: 82

Área cercada por tapume: 38930m² Área construída das instalações provisórias: 5479m² Duração: 14meses Nº de usuários: Pico – 961 pessoas | Média – 687 pessoas Quantidade de containers: 198

A decisão foi estabelecida considerando os conceitos de projeto, o porte da obra e a perspectiva de reutilização dos módulos construtivos em futuras obras, tornando o método economicamente viável e atrativo. Dessa maneira, as edificações do canteiro são moduladas seguindo o padrão do volume do Container ISO 20 ft HC, que são transportadas em caminhões e içadas com caminhão guindaste (Munk).

Área cercada por tapume: 28365m² Área construída das instalações provisórias: 2676 m² Duração: 12 meses Nº de usuários: Pico – 753 pessoas | Média – 510 pessoas Quantidade de containers: 158

1. Guarita 2. Lava rodas 3. Lava bicas 4. Resíduos 5. Residuos tipo A 6. Baia de materiais 7. Subestação 8. Central de formas 9. Central de armação 10. Administração da empresa 11. Administração dos empreiteiros 12. Almoxarifado da empresa 13. Almoxarifado da empresa 14. Vestiário 15. Refeitório 16. Área de lazer 17. Caixa d’água 18. Carga e descarga da grua

0

10

7 18

6

11

5 10 18

10

12 8

9

14

4

15 16

13

3

2

1

Fase 2 - Implantação + Zoneamento + Fluxos

Módulo explodido proposto

Isométrica

Fase 2 - Corte do terreno 0

10

50

Pedestres Veículo Caminhão guindaste Munck

ção -  0 1

0 1

5

5

10m

10m

ção - 

1. Guarita 2. Lava rodas 3. Lava bicas 4. Resíduos 5. Residuos tipo A 6. Baia de materiais 7. Subestação 8. Administração da empresa 9. Administração dos empreiteiros 10. Almoxarifado dos empreiteiros 11. Almoxarifado da empresa 12. Vestiário 13. Refeitório 14. Área de lazer 15. Caixa d’água 16. Carga e descarga da grua

7 16 10 11

6

8 9

9 13

Fase 3 - Implantação + Zoneamento + Fluxos

ção -  0 1

5

10m

Fase 3- Corte do terreno

5 12

4

14

3

2 1 15

Corte AA - Fase 3

50

8

15

O terreno se localiza no SETOR DE AUTARQUIAS NORTE (SAUN), Quadra 05 Lote C, BRASÍLIA-DF. Está em uma área central da cidade, porém pouco construída, A via de acesso rápido é a L2 Norte, sendo possível a chegada pela 201/202 Norte e a via adjacente ao Setor Bancário Norte. O transporte público alimenta a área através, principalmente, da via L2 Norte, sendo possível chegar pelo Eixo L Norte ou pela Rodoviária que dista cerca de 2,5 Km.

Corte AA - Fase 2

100m

7

FASE 3

A LOCALIZAÇÃO

Corte AA - Fase 1

50

100m

Painel da aluna Gabriela Lamounier  

O ciclo de vida de uma edificação se desenvolve em diversas etapas, desde o estudo de viabilidade, de projeto e de planejamento, passando pe...

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you