Issuu on Google+

Outubro 2012

by

Na nova economia mundial, com um contexto que gira em torno de parcerias e relacionamentos, a capacidade de estabelecer, ampliar e restaurar confiança com todos os stakeholders – clientes, fornecedores, colaboradores – tornou-se uma competência-chave de liderança.

_09 & negócios Tendências sobre educação

CREDIBILIDADE Nunca em outra época líderes foram tão examinados de perto quanto à sua credibilidade e ética. Em tempos de mudança e incerteza, a confiança tem sido cada vez mais valorizada na liderança. Afinal, líderes confiáveis obtêm muitas recompensas: colaboradores engajados, retenção de talentos, cultura organizacional positiva e – o mais importante – maior produtividade e resultados. Como um componente crítico da estratégia de gestão de talento, a credibilidade do líder acaba impactando a performance das organizações. Mas por que tão poucos percebem o poder da integridade e da confiança como ferramentas de negócio? Dennis e Michelle Reina, autores do livro Trust & Betrayal in the Workplace, sugerem que líderes devem entender de forma integral as dinâmicas complexas que envolvem a geração de confiança, comprometendo-se com práticas que apoiem a construção dessa virtude intangível com colaboradores. Tais práticas incluem: gerenciar expectativas; estabelecer limites; delegar de forma adequada; incentivar intenções de apoio mútuo; manter acordos; apresentar comportamento consistente. Nesse sentido, será cada vez mais importante investir em líderes que sejam honestos, proativos, responsáveis, competentes e inspiradores. Afinal, o nível de confiança dos seguidores é o que mede o grau da legitimidade de um líder. Fonte: “Trust Me: Credible Leadership Delivers Results”, Douglas J. Matthews. CLO, 2010.

CINCO DIMENSÕES

1

Autoconfiança

Credibilidade

2

Confiança nas relações

Comportamento consistente

3

Confiança organizacional

Alinhamento

4

Confiança no mercado

Reputação

5

Confiança na sociedade

Contribuição

Fonte: “The Speed of Trust”, Stephen Covey & Rebecca Merrill, 2008.

Princípios fundamentais

Para Stephen Covey, que criou o modelo “Five Waves of Trust”, confiança é um ativo de negócio quantificável, que pode agregar valor tangível às organizações. Segundo este modelo, os princípios essenciais que embasam cada dimensão da confiança, dentro e fora da companhia, são:

além www.labssj.com.br


em quem

confiamos

Estudo realizado anualmente em 20 países pela Edelman oferece um termômetro sobre o grau de confiança no mundo. Segundo os resultados da última pesquisa, as fontes mais confiáveis para obter informação sobre uma empresa são:

Se tivesse que obter informação sobre uma empresa, quais seriam as fontes com maior credibilidade?

2011

2012 70%

Expert acadêmico

64%

Especialista técnico da empresa

53%

Analista financeiro

50%

CEO

Especialista técnico da empresa

66%

Uma pessoa como você

65%

Uma pessoa como você

Analista financeiro

Regulador governamental

43%

CEO

34%

Maior aumento desde 2004

+22 +16

50%

Representante de ONG

43%

Colaborador comum

50%

Colaborador comum

47%

Representante de ONG

68%

Expert acadêmico

46% 38% 29%

Regulador governamental

-12

Maior declínio na história deste índice

-14

Fonte: “Edelman Trust Barometer: Annual Global Opinion Leaders Study”. Edelman, 2012.

confiança é produto.

não ingrediente REGRA CLARA

QUESTÃO DE COMPETÊNCIA

DANÇA DA DESCONFIANÇA

Em geral, normas e regras moldam

De acordo com o Organizational Trust Index (OTI), “competência” – profissionalismo, capacidade de superar desafios, julgamento realista das situações e boas relações interpessoais – é um dos fatores mais importantes para obter confiança. Esse índice mensura o nível de confiança organizacional por meio de cinco aspectos, votados por 4 mil colaboradores de 53 organizações: • Competência Efetividade de colaboradores e líderes. • Abertura e honestidade Quantidade, precisão e sinceridade da informação compartilhada. • Preocupação pelos colaboradores Demonstração de empatia, tolerância, respeito. • Confiabilidade Ações consistentes e confiáveis. • Identificação Compartilhar objetivos comuns, valores e crenças.

Inspirar confiança é um dos fatores que diferencia um gestor de um líder. Ainda assim, muitos gerentes hesitam em revelar o que pensam e sentem. Isso gera uma dança destrutiva da desconfiança, que geralmente começa dentro daqueles que estão no topo – não em subordinados. Esses líderes temem perder o controle se não forem os únicos a “saber”, se não estiverem acima de tudo. Acham que compartilhar informação pode reduzir seu valor ou poder dentro da organização. No entanto, a divulgação é uma técnica poderosa para construir confiança. Quando gestores trocam ideias e capacitam a equipe a se responsabilizar pelas coisas, os colaboradores passam a compreender melhor a posição do líder, seu comportamento e decisões – aumentando o nível de confiança. E isso será cada vez mais relevante para agregar valor ao negócio.

Fonte: “Measuring Organizational Trust”. IABC Research Foundation, 2000.

Fonte: “Trust in the Workplace”, Robert W. Rogers & Sheryl Riddle. DDI, 2011.

comportamentos sociais dentro de certos parâmetros, tornando-os mais previsíveis – ou seja, confiáveis ou não. E embora não exista garantia de que as pessoas seguirão as regras, há uma tendência nesse sentido. Assim, é mais provável que comportamentos sejam consistentes quando as regras institucionais são claras. O fato é que atitudes antiéticas e incompetentes nas organizações não acontecem sem oportunidade. Na verdade, podem até ser facilitadas se a cultura for disfuncional, a estratégia inconsistente, a liderança deficiente e estruturas e processos de contenção ineficientes. Nesse sentido, institucionalizar regras e normas será cada vez mais importante para reforçar o sistema de confiança organizacional.

Fonte: “Restoring Institutional Trust: a Systemic Approach”. Rotman Magazine, 2012.

O Top Trends tem como objetivo promover a divulgação de tendências em aprendizagem, aumentando o acesso e a disseminação de conteúdos relevantes e originais sobre educação & negócios, para criar repertório e gerar maior troca de ideias e conhecimento estratégico entre nossos stakeholders.

Direção: Alexandre Santille

• Concepção, pesquisa, redação e edição: Isadora Marques • Diagramação: Fabiana Reis

Envie sugestões e comentários para: toptrends@labssj.com.br


Top Trends 9