Issuu on Google+

REVISTA DIVERSIDADE DA LÍNGUA


EDITORIAL Etimologia e Editorial – Creusa Lira,Elis Nascimento, Késia Santana Entrevista e curiosidades do autor – Daiana Oliveira, Randale Aboboreira, Suzana Sanjuan Notícias do curso – Daiane Brito e Suene Predoza Notícias da hora – Creusa Lira,Elis Nascimento,Késia Santana PraticandoKleber Sotero, Josidalva Menezes Acontece Nádia Leal e Lucinéia Sousa Momento Literário Daiana Oliveira, Randale Aboboreira, Suzana Sanjuan Divulgando Aprendizados – Maristela Ramos Momento da tutoria – Lícia Caroline, Noéia Moreira Diálogo com as línguas Eizabete Bitar,Jiscelma Almeida


Etimologia A visão da educação na opinião do autor Paulo Freire. As experiências vividas sobre o curso de Letras,afinidades,motivação e normas da ABNT. Cleptomania Experiências exitosas sobre trabalho em equipe. Não perca: Professora pernambucana aprovada em 1° lugar em concurso público. Análise critica da pedagogia do oprimido. Divulgando aprendizado – comentários sobre exposições de trabalho. Momento da tutoria - narração de algo ligado a tutoria. Dialogando com as línguas - curiosidades sobre a língua portuguesa.


NOTÍCIA DO CURSO Os principais objetivos do curso de Letras são: formar profissionais competentes no que se refere ao domínio das teorias lingüístico-literárias; desenvolver atividades de ensino, pesquisa e extensão e consolidar a oferta de cursos de pós-graduação. Durante as experiências vividas neste curso, citaremos aqui várias, pois a disciplina nos trouxe grandes conhecimentos. O contato com o computador que foi algo novo para algumas colegas que nunca tinha tido contato com a máquina, a afinidade com os colegas que logo de cara fizemos novas amizades. Adquirimos afinidades e o interesse pelos estudos da Língua e da literatura, o gosto pela leitura, a fazer os trabalhos com as normas da ABNT, que foi novo para cada um de nós estudantes do curso de letras . Os trabalhos em grupo, o desempenho de cada seminário apresentado em fim são tantas experiência que se fossemos relatar aqui o texto tornaria muito extenso. As experiências que tivemos neste curso iremos levar para a vida profissional, proporcionando assim uma formação, mas abrangente a seus licenciados oportunizando-lhes o contato com diferentes grupos sociais. Se a educação tem como fundamento possibilitar caminhos de experiências para a aprendizagem, faz se mister rever em que condições e de que forma tais experiências serão vivenciadas e se elas se constituem como manifestações de apreender, e obviamente de ensinar.


EXPERIÊNCIA EXITOSA Essa experiência foi desenvolvida nas turmas do Ensino Médio com o objetivo de implementar a informática no âmbito pedagógico, sendo a tecnologia principal ferramenta de acesso à informações desconhecidas, curiosidades e questionamentos não respondidos. O trabalho foi iniciado solicitando aos alunos que fizessem uma pesquisa sobre assuntos desconhecidos e interessantes para eles, para isso, utilizaram a Internet como fonte de pesquisa única com o intuito de descobrir e estudar tais assuntos. A partir dessa etapa, descobriram a facilidade e a imensidão de informações disponíveis nesse ambiente virtual. Várias atividades foram desenvolvidas com a interação aluno x aluno, aluno x professor. Houve a troca de informações referentes a endereços eletrônicos e através dos mesmos, vários sites foram informados contendo os temas que os alunos deveriam pesquisar. Em seguida, apresentaram trabalhos referentes aos temas em forma de jornal televisivo, o professor filmou cada grupo, escolheu o melhor e publicou-o em um site aberto gratuito, enviando a todos o link onde estava o vídeo do vencedor. Essa experiência estimulou a pesquisa, a leitura, a produção de texto, bem como os alunos aprenderam a usar o computador como suporte textual e ambiente virtual, visto que ele é um dos recursos mediadores

de

uma

aprendizagem

dinâmica,

não

estará

substituindo o professor, mas auxiliando-o como ferramenta interativa na construção da aprendizagem. Sendo assim utilizado pelo professor, vem “enriquecer o ambiente para que as trocas simbólicas estimulem o funcionamento da representação mental.” Informatizar a educação não significa apenas colocar computadores na escola, mas a utilização de um recurso de ensino-aprendizagem mais rico e versátil à aprendizagem dos educandos.


Paulo Freire – A pedagogia do Oprimido

Análise Crítica

Paulo Freire propõe uma explicação da importância e necessidade de uma pedagogia dialógica emancipatória do oprimido, em oposição à pedagogia da classe dominante, que contribua para a sua libertação e sua transformação em sujeito cognoscente e autor da sua própria história através da práxis enquanto unificação entre ação e reflexão. Nesta pedagogia, o educador, através de uma educação

dialógica

problematizante

e

participante,

alicerçada na confiança no povo, na fé nos homens e na criação de um mundo onde cada homem seja valorizado pelo que é, onde a liberdade do povo deve atender à perspectiva do oprimido e não do opressor, procura conscientizar e capacitar o povo para a transição da consciência ingênua à consciência crítica com base nas fundamentações lógicas do oprimido. Assim,

caracteriza-se

por

um

movimento

de

liberdade que surge a partir dos oprimidos, sendo a pedagogia realizada e concretizada com o povo na luta pela sua humanidade.


DIALOGANDO COM AS LÍNGUAS (DICAS E CURIOSIDADES NAS ÁREAS DE LÍNGUA PORTUGUESA E LÍNGUA INGLESA. Entende-se que para formar um escritor competente, é preciso investir em uma proposta com base no diálogo, na liberdade para ler, escrever e interpretar o mundo e assim poder refletir sobre a realidade, criticá-la e transformá-la. Vivemos mergulhados num mar de palavras e nos acostumamos, desde pequeninos, a olhar através delas para enxergar o mundo dos significados, da mesma forma que olhamos através da janela para enxergar a paisagem. Se, no entanto, fixarmos o olhar na própria vidraça - isto é, se examinarmos os sons, as letras ou os elementos que constituem uma palavra, em vez de procurar o seu sentido, vai ingressar num campo de puro divertimento. Se você gosta das palavras, como eu, experimente recombinar morfemas, permutar letras, trocar sílabas de lugar, e vai ficar surpreso com as coincidências que vai descobrir. Você, meu caro leitor, certamente já tinha notado que a palavra anilina provém de anil (azul), embora hoje exista em várias cores; mas terá percebido, também, que ela é um palíndromo, isto é, que pode ser lida de trás para frente, com o mesmo resultado. Algumas dicas importantes: Coser vem de costurar que é com s e cozer vem de cozinhar que é com z. Ancião em três plurais: anciãos, anciães, anciões. A confusão é grande, mas se admitem as três grafias: enfarte, enfarto e infarto. Verbo anteposto ao sujeito ocasiona erro de concordância "Causou-me espécie duas declarações de Ronaldo em sua sabatina na Folha." O verbo concorda com o sujeito em número e pessoa. Essa é a regra básica da concordância verbal em português. É comum, entretanto, que, muitas vezes, o sujeito não seja percebido como tal. A situação em que isso mais freqüentemente ocorre é aquela em que o sujeito está posposto ao verbo, isto é, o verbo está no início da frase e o sujeito vem depois dele - exatamente como se vê na frase em epígrafe. O que causa espécie ao redator são as duas declarações de Ronaldo. Ora, uma declaração causaria espécie, duas declarações causam espécie. A inversão sintática, recurso de ênfase, levou ao deslize na concordância. Com um pouco mais de atenção, o problema não teria ocorrido. Veja, abaixo, a correção: "Causaram-me espécie duas declarações de Ronaldo em sua sabatina na Folha."


Curiosidades: Mudanças na ortografia da Língua Portuguesa a partir de janeiro de 2008 A partir de janeiro de 2008, Brasil, Portugal e os países da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa - Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor Leste terão a ortografia unificada. O português é a terceira língua ocidental mais falada, após o inglês e o espanhol. A ocorrência de ter duas ortografias atrapalha a divulgação do idioma e a sua prática em eventos internacionais. Sua unificação, no entanto, facilitará a definição de critérios para exames e certificados para estrangeiros. Com as modificações propostas no acordo, calcula-se que 1,6% do vocabulário de Portugal sejam modificados. No Brasil, a mudança será bem menor: 0,45% das palavras terão a escrita alterada. Mas apesar das mudanças ortográficas, serão conservadas as pronúncias típicas de cada país. Você sabe qual é a maior palavra da Língua Portuguesa? Pneumoultramicroscopicossilicovulcanoconiótico A

palavra

possuí

46

letras

é

o

nome

dado

ao

portador

da

doença

Pneumoultramicroscopicossilicovulcanoconiose, uma doença rara causada pela aspiração de microscópicas partículas de cinzas vulcânicas. Agora que você sabe qual é a maior palavra da língua portuguesa, já pode contar para seus amigos e familiares, no entanto acredito que será um pouco complicado você decorar e falar ela. Esta palavra também é considerada a maior na língua Inglesa e tem o mesmo significado. Falando sobre a Língua Inglesa, são enumeras as dicas e curiosidades existentes sobre a mesma. Tecnicamente falaremos um pouco sobre a sua origem.


A História da Língua Inglesa A língua inglesa é resultado de uma história muito complexa que se deu num passado muito distante. Estudiosos afirmam que antes da última era do gelo, já havia presença humana nas ilhas britânicas. O Old English é também denominado Anglo-Saxon. Se comparado ao inglês moderno, é uma língua quase irreconhecível em sua pronúncia e vocabulário. No plano gramatical, no Old English, os substantivos têm gênero e os verbos são conjugados. O Modern English representou um período de padronização e unificação da língua inglesa. Com o surgimento da imprensa, em 1475 e a criação de um sistema postal possibilitou a disseminação do dialeto de Londres, o centro político, social e econômico da Inglaterra. Desde o início da era cristã até o século 19, seis idiomas chegaram a ser falados na Inglaterra: Celta, Latim, Old English, Norman French, Middle English e Modern English. Essa diversidade de influências explica o fato de ser o inglês uma língua menos sistemática e menos regular quando comparado às línguas latinas e até mesmo ao alemão. Poderia nos levar a dizer que o inglês hoje pode ser equiparado a uma imensa colcha de retalhos das mais diversas origens. Gírias da língua inglesa Inside out - Embora possa significar "ao avesso" (You've put your sweatshirt on inside out. = Você vestiu o moletom do avesso.), também pode representar uma coisa ou sentimento profundo (To love you from the inside out. = Pra te amar profundamente.); To roll up one's sleeves - Significa "arregaçar as mangas" (Let's roll up our sleeves and get to work! = Vamos arregaçar nossas mangas e começar a trabalhar!); Dude - Usado grandemente nas conversas informais, aproxima-se do que chamamos de "cara", no sentido de se referir a uma pessoa. (How are you dude? = Como você vai cara?)


Dicas O artigo definido the, é a palavra mais usada na língua inglesa. Ou seja, de todas as palavras que existem em inglês the é a que ocupa o primeiríssimo lugar. Em português, the significa o, a, os, as. É engraçado ver páginas e mais páginas em gramáticas da língua inglesa destrinchando todas as regras de uso de tal palavra. O pior é a perda de tempo que alunos e professores gastam tentando entender e explicar estas tais

regras.

O conselho que sempre dou a professores e alunos é aprender ou ensinar apenas as diferenças. Nada de ficar procurando chifre em cabeça de cavalo. O segredo é entender as diferenças e ponto final. Sem regras! Sem chatices! Sem enrolação! Por exemplo, em português podemos dizer 'meu carro' ou 'o meu carro'. Isto é, podemos usar o artigo definido [o, a, os, as] antes de adjetivos possessivos [meu, minha, teu, tua, seu sua, nosso, etc]. Em inglês nunca usamos o the antes de my, your, his, her, our, their.

My Language Exchange Partner Para quem busca alguém com quem conversar, segue uma dica: MyLanguageExchange.com Neste site você poderá encontrar alguém que quer aprender português e em troca você poderá aprender Inglês. O aprendizado de uma língua estrangeira consiste não apenas na assimilação de seus elementos gramaticais e lexicais, mas também em saber empregar o conhecimento adquirido sem a interferência negativa da língua mãe. Sendo esta interferência mais alarmante no oral, podemos também incluir a ocorrência no plano gramatical, levando os aprendizes de um idioma a produzirem frases desestruturadas e incompreensíveis. Na ânsia de se comunicarem e expressarem suas idéias, os alunos muitas vezes associam a estrutura usada no português à língua inglesa, criando assim uma grande confusão e uso inadequado de algumas palavras e expressões.


REVISTA DIGITAL FTC EAD ITABUNA C7 LETRAS