Page 1


Voz interior! ISBN 323-314-591-474 Direitos autorais reservados.

Antonio Ilson Kotoviski Filho Edição Independente. 2006


Dedicatória. “Esta nova obra poética é dedicada a todos aqueles que gostam de poesias e principalmente aos que foram as minhas fontes provedoras de inspirações.”


Apresentação.

A voz interior soa alto. Ditando cada palavra e versos, que unidos deram a vida a duzentas expressões poéticas. A voz interior é romântica. Canta o amor, chora de dor, expressa a alegria, mas demonstra a sensação de tristeza. A voz interior é sabia. Observa e tira da vida, os conhecimentos básicos para tornar nossos dias melhores nesse planeta. A voz interior é ambientalista! Pois reconhece e sabe, que a Natureza é a nossa mãe. Diante disso, a voz clama que se respeite o nosso planeta, ou melhor, a nossa casa no Universo. A voz interior é esportista. Demonstra de forma simples, o quanto o esporte é interessante e apaixonante. A voz interior é cidadã. Eis que se preocupa e sente as diversas manifestações e consequências ocorridas dentro da sociedade. Não dá soluções! Mas demonstra o que todos verem, mas poucos se preocupam ou tem coragem de enfrentar. A voz do interior se admira, com certas personagens da sociedade, com certos locais. Por isto homenageia aqueles que fazem desse mundo, um lugar melhor e mais justo. A voz interior fala sobre o fim. O misterioso e complexo mundo da morte. Que esta presente em tudo que um dia nasceu. A voz interior é uma obra de ideias complexas que não devem ser interpretadas apenas sob os olhos da leiga leitura. Mas com o parecer da alma.

Antonio Ilson Kotoviski Filho aikf@bol.com.br


Capítulo I

Vozes do coração!

“Não há nenhuma vergonha em alguém ser feliz, mas seria vergonhoso ser feliz sozinho. (CAMUS, Albert)


Palavras introdutórias Uma sintética introdução, Do que foi exposto pelo coração. Que não puderam ser contidas pela razão. Estas palavras querem demonstrar, O mundo mágico que irão encontrar, Em cada verso, Que representa um universo. Grandes viagens, Algumas mensagens, Ilusórias paisagens. Cada página esconde um mistério, Contendo um conteúdo sério, Ocultado entre metáforas e fantasias, Representada pelas posteriores poesias. O que me resta! O que me resta, É escrever uma poesia, Com uma certa quantia, De melancolia. O que passou, Muita coisa levou. Mas o pouco que ficou, Muito marcou. Vivo com o destino demarcado, Completamente cercado, Por um passado, Que nunca foi esgotado. Só lembrança, Utópica esperança. Sem confiança, Numa futura bonança.


Desculpe por te amar assim Desculpe por te amar assim, Ama-la com um sentimento sem fim. Que nunca trouxe você para mim. Desculpe se te amo, Se em meu leito te chamo, Se nos meus sonhos eu vivo, Um relacionamento tão afetivo. Mas entenda que estou apaixonado, E no tempo fiquei parado, Vivendo do passado. Desculpe por querê-la demais, E não ter feito nada mais, Do que escrever, Um sonho que gostaria de um dia ter. Sentimentos contraditórios Ao mesmo tempo, Penso em você, E tento te esquecer. Uma contradição, Carregada de paixão, Movida pela ilusão, Desfeita pela decepção. Mil motivos para amar, Outros mil para te deixar. E um receio em qual escolher, Evitando sofrer (?). Só sei que quero de tocar, beijar,... E depois viajar sem te carregar, Só para ver o que vai dar. Senhorita do destino O preço por te conhecer, É o desejo. O preço por te querer; É a solidão.


Um amor platônico, Que não é correspondido. Mas é vivido, Em um mundo perdido. Onde o preço para achá-lo, Recai no destino. Um preço muito alto, Por algo que não se conhece. O futuro então é corrompido, De um ser que vive de passado. Que sonha por vossa senhorita, Sabendo que nada para ti representa. Apenas um pensamento Um belo rosto, Ornado com duas lindas esmeraldas. Um corpo escultural, Com medidas geometricamente perfeitas. Ares de princesa, Jeito de mulher. Espírito adolescente, Sedutora por natureza! Um sonho, Uma realidade, Um destino; Uma grande mudança. Um universo, Onde tudo gira ao seu redor. Menos o tempo, Que passa sem ser percebido. O que fica, Uma imagem, A ser cultuada e desejada, Apenas em pensamento.


Fase nova Aos poucos vou escrevendo minha história, Dentro de um mundo em decadência, O mesmo mundo que inspirou-me, A viajar pelas mais de mil biografias sentimentais poéticas. Quando abro meus livros, Vejo um grande sonho. E as poucas realidades que encontro, Aos poucos estão virando memórias. Tento extrair palavras, Mas nenhuma traz um nexo explicativo, Para definir a calmaria que se instalou, Sobre minhas limitadas ideias. Talvez eu não esteja conseguindo captar, Os ensinamentos que a atual fase da vida, Esta tentando me mostrar, E fazer-me aceitar. Gostei! Antes eu achava, Que você não me gostava. A pouco tempo atrás, Eu achava, Que não te gostava. Ontem achei que nós, Não nos gostávamos. Hoje eu acho que te gosto muito. E você gosta-me um pouco. E amanhã? Quem vai gostar, Ou não gostar de quem? E de que forma será este gosto, Que faz parte das infinitas novelas, Do gostoso mundo do amor. O amor é um risco Temo que os sentimentos me traiam, E sobre mim recaiam, A tristeza do desamor, Que se expressa na dor,


De um coração partido sonhador. Quero acreditar sem desconfiar, Ter fé sem precisar fazer você provar, Que você também quer sonhar, Conjugando o verbo amar, Sem se preocupar. Mas o amor é um risco, Que se torna rabisco. Uma historia sem fim, Uma ilusão para mim. Quarto Nesse quarto, Em que as chamas se alastraram, E o momento virou eternidade; O mundo ficou para fora, E a vida ficou retida, Entre quatro paredes! Queria que quando a porta se abrir, Que por ela se fosse apenas os sonhos, E depois retorna-se como realidade, Cheia de caridade. Doando prazer, Até o Sol nascer. Mesmo sabendo, Que um dia poderei desaparecer. Você vai ler? Você vai ler, O que vou escrever? Ou rir? E depois mentir, Que esta poesia é legal, Porque carrega um sentimento especial? Se for realmente ler, Tente ver, Além do meu ato de escrever, Que existe um ser, Que quer encontrar, Alguém para amar.


Amanda F. Amanda, amada, amante. Gaúcha com desejo escaldante. Apreciadora de brincadeiras excitantes. Mais cheia de mistérios intrigantes. Em seus olhos vejo, O reflexo de meu desejo. Totalmente perdido. Em um eterno conflito. Minha confidente, De um volátil, presente, Totalmente imprudente, Consolidado, por uma solidão eminente. Amanda S. O seu sabor, Fundiu-se ao nosso calor. Uma bela tarde de amor! Germânica maravilhosa, Extremamente fogosa. Espírito aventureiro, Desafiando-me de corpo inteiro. Seu corpo rosado, Foi explorado; Estudado; Reverenciado! Extasiante recordação, Onde o desejo foi a inspiração, E a poesia tornou-se ação! Andréa Vestida com uma mine camiseta, E uma saia enxadrezada, estilo escocesa; Você chamou minha atenção, Desfilando de forma sensual, pelo salão. Tocava uma romântica canção, Despertando-me uma súbita sensação,


Que corrompeu minha razão. Convidei-a para dançar. Começamos a conversar. E sem perceber, comecei a te beijar. Sentia que você adorava, Quando eu te tocava. Bela lembrança daquela danceteria, Onde fiz as pazes com a alegria! Eduarda Minha amada, Polaca Eduarda. Uma garota calada; Mais muito assanhada. Em seus braços confortei-me, E com seu prazer, deliciei-me, Como posso explicar, Esse seu maravilhoso jeito de amar? Sua sinceridade, Fez-me entender a realidade. Fria e vazia, Que me corrompia. Em seu lado eu cresci, Porque vivi, Em universos, Diversos! Andressa Encontro marcado, Em uma bela noite de sábado. Uma conversa em um barzinho, De repente, beijos e carinhos. Deixei-me levar pela emoção. Não escutei a razão. Cai em tentação. Foi uma loucura, Inesquecível aventura, Que não virou tortura.


Mais infelizmente foi efêmero, Pois o coração estava em desespero. Procurando respostas, Que sempre estiveram expostas. Comemorando só Mais um Doze de Junho. Solitariamente comemoro, O amor que um dia, Tornou-se uma vazia poesia. Conforto-me com lembranças, Que alimentam a esperança, Vivida em poéticas utopias. Onde o amor me trazia alegria. Neste Domingo, Sinto-me um mendigo. Implorando para ser amado. E não enganado. Meu namoro com a solidão, Não é fruto do coração. Mas, consequência da razão, Que um dia confundiu minha decisão. Fernanda Uma pagina de jornal, Expunha uma foto, Com um anuncio especial. Por algum motivo, O que li, Muito me interessou. E uma grande expectativa se formou. Mal sabia, Que o que eu arriscaria, Colheria em prazer e alegria. Foi um programa memorável, Que por pouco não virou uma relação estável. Mas nem tudo na vida é perfeito, Mesmo quando não encontramos defeitos!


Geovana Santa Catarina, Possui uma ardente menina, Loira e vivente, Ainda em minha mente. Não fui te procurar, Mas o destino fez-me te achar, Aqui na Capital, Em uma tarde informal. A partir daquele dia, consegui entender, Que não se consegue viver, Apenas de prazer. Descobri no calor da paixão, A fria solidão, Guardada em meu coração. Giseli Moça formosa, Expressivamente fogosa. Cheias de desejos, Que aumentavam com meus beijos. Procura ser, Uma fonte de prazer. És inspiração, Forjada no calor da paixão. O sangue quente que escorre, É o meu espírito que percorre, Seu corpo e mente, Num breve presente. Deveria ser uma fantasia. Mas preencheu minha alma vazia, Com a sensação que eu queria, Fazendo valer mais um dia!


Janaina Jovem menina, Minha bela Janaina. Sonhadora e delicada, Vi ser desejada. Fez-me sonhar, Com teu olhar. Mas sua simpatia, Era sua magia. Seus segredos adolescentes, Estavam sempre dependentes, De um sonho romântico, Cheios de encantos. Meus sonhos eram parecidos, E estavam envolvidos, Com seus pedidos, Romanticamente atendidos. Kelly F. Se hoje te eternizo, É porque você me levou ao paraíso; Das sensações carnais, Com virtudes libidinosas especiais. Seria uma demagogia, Escrever que você foi uma poesia. Eis que você foi realidade, Em indescritível intensidade. Detalhar aquele momento, É se perder no tempo, Vagar pelo horizonte, E parar não se sabe onde! Karin Serei virtual, Que vive em um mundo real. Cantou o amor, Para um solitário navegador.


Entre e-mails e telefonemas, Nossa historia poderia ir para o cinema. Porem virou poesia, Sobre um momento cheio de fantasia. Que o destino tornou realidade, Quando me fez descobrir que você estudava, Na mesma Universidade, Que eu também frequentava. O que parecia tão distante, Tornou-se perto em um instante. E todas as palavras virtuais, Tornaram-se atitudes reais. Letícia O sabor do prazer, Confundiu-se com seu gosto de mulher, Em uma noite que eu vou lembrar, Até o dia que meu coração parar. Nessa noite maravilhosa, Você estava saborosa, Foi deliciosa, Enchendo-me com uma sensação gostosa. Preocupou-me minha voracidade, Carregada de irresponsabilidade. Mesmo eu estando transbordando de felicidade. Mas o que me acalmou, Foi seu olhar de que adorou, Tudo o que se passou. Micheli K. Lembranças de uma época colegial, Em que via-te como um sonho especial, Que nunca consegui tornar real. Mas que merece minha poética recordação. Porque você tangeu minha alma e coração, Com seu olhar e atenção, Que tirava-me a ação. Queria ter a coragem de arriscar,


Para te dizer que quero te amar. Mas não efemeramente, Mas se possível; eternamente! Porem temo me queimar, E por você chorar, Por não consegui te conquistar. Patrícia B. Garota legal, Amiga especial. Que aprendi a respeitar, Sem a intenção de te conquistar. Talvez eu tenha perdido a oportunidade, De ter experimentado, O amor de verdade, Se eu fosse seu namorado. Resolvi apenas sonhar, E preferi não acreditar, Que poderia te amar. O tempo passou, E este bonito sentimento levou, Mas a lembrança; ficou! Patrícia K. Polaquinha, Do bairro da Barreirinha, Minha doce coleguinha, Que virou minha namoradinha. Muito gatinha! Delicadinha, Uma donzela poética, Com perfeita estética. Você recitava em versos, Que eu era o centro de seu universo, De forma tão carinhosa, Proporcionando uma sensação gostosa. Pena que um dia acabou, E em lembranças tudo virou.


Restando-me sonhar, Com uma dama parecida, para amar! Sheron É difícil esquecer, Uma noite regada de prazer; Atrapalhada apenas pelo amanhecer. É difícil não pensar, Sem parar para sonhar, Na mulher que domina a arte de amar. Puro desejo, Que floresce com um molhado beijo, Acompanhado de caricias; Extasiante delicia! Amor fervente, Totalmente imprudente, Perigosamente envolvente, Que me deixou carente! Silmara De sonhos, Fizeram-se as poesias. Da realidade, Nasceu a melancolia. Um jovem ferido, No universo grita perdido. Pede socorro a uma princesa, Que só lhe trouxe tristeza. Silmara! Salve-me com sua atenção. Escute o seu coração. Talvez você seja minha ultima missão, Que a muito necessita de conclusão. Meu tempo esta se esgotando, E eu aqui viajando, Por um mundo de ilusões e lembranças, Que conseguem me encher com uma confusa esperança. Silmara! Escute meus pedidos, Mesmo sendo estes indefinidos.


Pois não sou um bandido, Que irá invadir o seu coração tão protegido. Silmara! Venha comigo viajar. Quero te mostrar, Que o mundo que quero chegar, É um universo que está além do ato de sonhar. Sunsiarai Sunsiarai! Como vai? Minha sereia do litoral, Que carrega uma energia especial. Garota independente, Fez-me ser tão prudente, Que me transformei, Em algo que não sei. Mas você me fez pensar, Sobre os passos que eu costumava dar, Sem muito me preocupar, Onde eu iria chegar. Talvez eu tenha errado, Em ter me aproximado, Tão resguardado, De um amor derradeiramente sonhado. Valéria Minha ética profissional, Atrapalhou um sonho, Que tinha tudo para ser real. Uma bela aprendiz, Com personalidade de imperatriz. Que me confundia, Quando simplesmente sorria. Um sorriso cheio de alegria, Carregado de energia, Que espontaneamente me fazia, Viajar por um mundo de fantasia. Mas a realidade,


Foi ver você virar saudade, Como consequência de minha vaidade. Vanessa Mulher sensual, Com excitante visual, Que chamou minha atenção, Sem impor uma ousada ação. Você me seduziu, Depois partiu. Mas voltou! E comigo ficou. Foi uma grande aventura, Cheia de loucuras, Mas que já se sabia, que tudo iria acabar, Porque nós não nos permitimos sonhar. Viviam Fantasia adolescente, Viva em minha mente. Um namoro de bilhete, Que deixava-me contente. Uma lembrança saudosa, De uma época gostosa, Vivida de primórdias sensações amorosas. Responderia com certeza, Que era um sentimento carregado de pureza, Cheio de nobreza. Sentimentos de amor e amizade, Confundiam-se nessa realidade, Gerando felicidade, Em alta intensidade. Obcecado por mulheres? As mulheres não são apenas minha fascinação. É a minha perdição! Fonte de inspiração.


São meus sonhos; Momentos de ilusões. Meus desejos; Desenfreadas paixões. Não vejo mulheres; Vejo sentimento. Não vejo cor ou raça; Vejo sabores. Respeito as proibidas; Desfruto as perdidas; Amo as escondidas. Garota proibida? Garota proibida, Que pode mudar minha vida. Porteira do céu; Mas responsável pela chave do inferno. Menina; mas mulher! Que com seu olhar, me quer. Possui com certeza uma indefinida intenção, Que coloca em risco minha ação. Moça presente, Que sorri em minha frente. Cercada de muralhas e abismos, Criados pelo meu pessimismo. Queria apenas exaltar, Que gostaria muito te amar! Porém preciso primeiro entender, Por que insisto tanto em sofrer? Esquece-la sem morrer! Para poder te esquecer, Talvez seja necessário morrer! Para não ter que enfrentar, A tristeza de não conseguir te amar. Admitir que a maior paixão, Foi uma grande ilusão, Que me dominou, Mesmo depois que o fogo apagou.


Amei um fantasma sem perceber, Mas não posso me arrepender, Porque conheci uma das visões do amor, Que é aquela que nos faz sofredor. Aprendi muito com o sofrimento, Mas vi o tempo me tocar como o vento, O que me resta é enfrentar, Um novo caminho para ver onde vai dar! Mas te esquecer! É algo com que não posso se comprometer. Pois ainda não consigo entender, A tamanha necessidade de lhe ter! Your love Seu amor! Nunca senti. Mas seu silencio; Me faz sofredor. Seu amor! Nunca despertei; Porque apenas com ele sonhei. Your love! Foi um sentimento mal traduzido, Que sempre me pegou desprevenido. Seu amor! Só são palavras de uma poesia, Colhidas na Ilha da Fantasia, Que corromperam os meus dias. Resumo vital Sou um cavaleiro de gelo, Viajando pelo meu reino boreal. Sempre pensando e sonhando, Com a princesa de cristal. Sou um amante da liberdade, Não ligo para a sociedade, Tento viver intensamente,


Antes de ficar doente. Possuo dois fantasmas; Um é uma paixão, Outro é minha imaginação. Não quero parar no tempo, Por isto vou vivendo, E minha vida vou descrevendo. Trilha sonora! O “Destination unknown” me desafiou. E pela “Infinita highway” eu andei, Sempre procurando a “Sereia”, Que um dia me encantou com seu “Olhar 43” esmeraldino. Eu me comportava como os “Garotos II – Outro lado”, E não compreendia que você havia se tornado minha “Dona”. “Heaven” só meu destino. “Wish you where here”, “Listen to your heart”, por favor! Quero que meus sonhos “Viva forever”, Pois o meu amor é “Forever yong”. Não quero “Close to you”, Não quero me consolar com as “Louras geladas”. Só quero poder dizer um dia que “Esta noite foi maravilhosa”. Mesmo sabendo que eu posso perder minha honra nesse “Games”. Pámela Atenção e carinho, Parecia que ela sabia o caminho, Na imensidão de minha solidão, Para chegar ao meu coração. Falava da vida, De suas conquistas, E recaídas. Eu escutava, A admirava, E nem percebia que ela me conquistava. Foi uma relação casual, Uma troca sentimental, Que nunca vive igual. Nesse dia me senti especial!


Ana Bela paraibana, De lábios doces, Como o caldo de cana. Sua lembrança me chama, Sensação que me inflama, Quando me ama. Seu jeito carinhoso, Deixava o clima gostoso, Um momento inesquecível, Perfeitamente indescritível. Foi uma tarde em que eu ria, Totalmente contagiado pela alegria, Que você irradiou, E me conquistou. O regresso do fantasma O fantasma regressou; De mãos dadas com o destino. Mais um capítulo, Redigidos com mistérios e ilusões. Coincidências? Sem referências. Delírios de um apaixonado, Consciência de um renegado. Começa a assombração, Volta a inspiração. Espedaçado coração, Que não escuta mais a razão. Basta de sonhar, Com que esta longe de se realizar. Chega de se iludir, Com amor que não pode conseguir.


Só queria; Queria aprender, Interpretar os sentimentos, Nos raros momentos, Em que algo inusitado acontecer. Queria poder decidir, Sem se confundir, Com algo que possa iludir. Como poderei caminhar, Sem me enganar? Só queria interpretar, Cada situação, Cada emoção, Sem precisar sonhar. Só queria arriscar, Sabendo o que irei encontrar. Só queria poder esquecer, O que não posso ter. Elaine Não merecia esta poesia, Mas a magia, É como a inspiração; Foge na imensidão. Teu corpo sedutor, Desprovido de calor, Era pura ilusão; Uma grande decepção. Foi uma tarde para esquecer, Pois não consegui se aquecer, Nas chamas da paixão; Fria solidão! Gabriele Ruiva maravilhosa, Extremamente fogosa. Esquentou meu coração,


Afastou para longe a solidão. Sua companhia, Me encheu de euforia, Fez valer o dia. Te conhecer, É ser apresentado ao prazer, É viver! Foi um encontro casual, Porém especial, De status universal, Nada convencional. Mariana Típica curitibana, Mas muito bacana. Apareceu chamando atenção. Foi o foco de minha observação. As coisas foram acontecendo, Aos poucos fui me envolvendo, Sem muito pensar, Sem nada para atrapalhar. Parecia-me conhecida, Até pensei, Que fosse minha alma gêmea perdida! Foi uma agradável experiência, Apesar da consciência, Gritar por prudência. Alguém que nunca existiu! Meu verídico amor; Uma mulher que nunca existiu. Sua vida; Uma metáfora oculta. Meu trabalho; Distração. Meu destino; Vagantes questionamentos. Ela e seu destino.


Eu e minha solidão. Ela amando alguém; Eu sofrendo por ela. Ela sai para viver, Eu! Fico morrendo pensando nela! Mais um dia de solidão Mais um dia de solidão, Sinto na alma, O poder de uma paixão. Mais um dia morrendo, Aos poucos se perdendo, Por algo que não estou vendo. Mais um dia sonhado, Por quem nem sabe que estou amando; Que nem sabe que existo. Por que ainda insisto? Estou sem ação, Perdi a razão. Sangra o coração. Mas uma noite de depressão. Domingo de Carnaval Domingo de Carnaval, Não fiz nada de especial. Vivi a velha rotina, Que pouco ensina. Talvez seja a esperança, Que vem em cada lembrança, Que me faz sonhar, Com a mulher que quero amar. É justo viver, Sonhando com quem não se pode ter? É normal plantar amor, E colher a dor? O destino é engraçado; Um dia nos deixa extasiados, No outro, angustiado! Mas tudo que quero; é ser amado!


Viciado no sonho Tentativas em vão, Dê convencer o meu coração, Que a sua paixão, É uma grande ilusão. Ele não me escuta, Pois nunca escutei-o, Culpada é a razão; Que manipula minha decisão. Só queria poder esquecer, Para voltar a viver, E parar de sofrer. Mais estou viciado, Num sonho condenado, Que não morreu com o passado.


Capítulo II

Vozes da razão!

“O dicionário pode ser o “pai dos burros”, mas só as pessoas inteligentes o consultam” (CAMARGO, Julio)


Repetições Repetitivos; Poemas muito parecidos. Mesmas historias e palavras, Apenas reordenadas. Algo diferente, Só nasce de algo quente! De uma alma que ascende, Além do universo vivente. Mas mesmo assim existe uma mescla, Do repetitivo, Com o alternativo. Por que o passado me prende, Num lugar que ninguém entende, Mas deixa a vida diferente. Aprendiz Não nasci para ser professor. Mas para ser um eterno aprendiz. Que vê em cada mistério, Uma nova aventura, Que sempre traz um conhecimento, Cercado de sedutoras curiosidades, Que nos levam novamente a desbravar, O desconhecido. Satisfazendo os nossos ociosos desejos, De conhecer e viver, Tudo que nos rodeia, E muitas vezes, Que entra em nossos caminhos, Inconscientemente descobrimos mais, Do que queríamos saber, Mas nem percebemos. Porém não conseguimos entender tudo, Mas conhecemos o básico, Para viver sem se perder. Grande pensamento Um grande pensamento, É sempre uma grande atitude.


Fácil de compreender, Simples de realizar. O grande pensamento, Não carrega palavras bonitas, E sua pratica, Não são atos heroicos. O grande pensamento, Nasce espontaneamente, E não de séculos de estudos. O grande pensamento, Tem o poder de modificar o mundo, Porque não fantasia as atitudes. Raridades Tão raro quanto ás esmeraldas, É encontrar na atualidade, Pessoas que expressem as sentimentalidades, Com a mais pura credibilidade. Muitos dizem acreditar no amor. Mas o confundem com o ardor, Do intenso fogo do prazer, E não percebem, o coração se corromper. Mas quem entende a lógica do amor? Só aqueles que acreditam nesse sentimento. Sem nenhum constrangimento, E sem medo de ser um sofredor. Raro é o verdadeiro amante, O legitimo romance. Puro é o primeiro sonho de amor, Mas o desejo, é o caminho para o desamor. Faca de dois gumes O dom da sinceridade, É a maldição de quem sofre, Por dizer somente a justa verdade. A sinceridade é uma faca de dois gumes. Que fere nossa imagem, Mais pesa na balança da justiça.


A verdade não é difícil de ser expressada, Mais difícil de ser recepcionada. Porém, a mentira; É uma ilusão sem precedente. Pra ser sincero; Mentir ás vezes é preciso (?)! Mais nada que fuja ao juízo, Trazendo um inconsequente prejuízo. Os sentidos do tempo Existem sons que não quero escutar. Existem imagens que não quero ver. Existem palavras que não queria falar. Há sentimentos que quero expressar. Há sentimentos que quero entender. Há sentimentos que quero evitar. Existem sons que só se percebem com o silencio. Existem imagens que só são vistas entre as sombras. Existem palavras que se expressam com atitudes. Mas são as emoções que nos fazem ver, Mas são as emoções que nos fazem escutar, Mas são as emoções que nos fazem falar. Mas é só as palavras escritas que nos fazem pensar. Mas é só os erros que nos fazem mudar. E é só o tempo capaz, de tudo isto mostrar! Relaxar Há momentos que temos que parar, Deixar a vida nos levar, E prazerosamente relaxar. O mundo torna-se infinito, É um momento finito, Onde os prazeres que quiser, Você realiza com a companhia de uma mulher. Não é segredo, Porém existe o medo.


Do desconhecido, Mas rapidamente este é vencido. Então faz-se uma viagem, Em que a paisagem, É feita de uma feliz imagem. Decisões e escolhas É difícil decidir, Entre ficar, E partir. É difícil crescer, Quando se tem que escolher. Entre uma vida dependente, Ou uma vida independente. É difícil ser realizado, Um mundo sonhado. Se este não for galgado, E conquistado. Mas é fácil lamentar. Ver a oportunidade passar. Se nunca arriscar. Milagres divinos Existem momentos na vida, Em que as alternativas se exaurem. E a esperança se apaga. Nessas horas, Coisas absurdas passam pela cabeça, Culpados começam a aparecerem, Mascarando a nossa exclusiva culpa. O mal nos testa! Mas a consciência então nos questiona: Por que piorar o que resta? Então encaramos o problema de frente, Suas consequências, por algum motivo, Parecem terem sido atenuadas. O que houve? Então o impossível acontece; Algo nem sequer imaginado! E o problema desaparece.


Sem explicação? Ou uma misteriosa mão? Que nos abençoa; Por termos enfrentado nossos problemas, E termos reconhecido nossos erros. Mas principalmente, Porque sabíamos, Que o problema era insolucionável, E mesmo assim, fomos enfrentar e resolve-lo! A missão de minhas palavras Um dia minhas poesias tiveram uma missão. Incompleta por sinal! De tanger um especial coração. Engrandeceram e viraram uma edição, De um livro cheio de paixão. Então viajaram pelo mundo, Mas não se contentaram! Resolveram falar da vida, E das coisas que com ela se relacionam. Porém cumprir a missão que é bom, nada! Por algum motivo, Resolveram viajar pelo tempo! Mas por quê? Seria para cumprir a missão? Lembro que eram apenas oito quilômetros físicos. E um desconhecido caminho, Até o coração de Lady Crystal. Porém chegaram, mas nem passaram próximo, Ao coração desejado. E hoje suas rotas remontam o desconhecido. O que realmente minhas palavras resolverão buscar? Só o tempo dirá! Demônio? Se queres encontrar, E combater o demônio; Pare enfrente a um espelho, E olhe e reflita sobre a imagem que vê! O amor, a paz, as alegrias, O mal, o demônio; Não são encontrados no mundo exterior. Mas apenas no universo interior.


O bem e o mal, Ganham vida; Através de nossos exclusivos atos, E suas consequências, São os acontecimentos que nos cercam! Se queres enfrentar o mal, Vença o mal que vive em cada atitude. Se queres fazer o bem; Não invente; Apenas siga os mandamentos divinos! Sonhadoras Da mesma forma que sonho com uma garota especial, Muitas moças desejam-me com pretensão sentimental. Não vejo nisso, nenhum mal. Pois o amor é um sentimento natural. Porém tenho que admitir, Que nem sempre consigo sorrir, Para quem deseja-me com fervor. Pelo simples fato de não haver o amor. Lamento por minhas sonhadoras, Porque as faço sofredoras. Esperançosas numa paixão impossível, Que as vezes tenho dificuldade em tornar visível. Porem agradeço suas devoções, Pois são de seus corações. Pois mexem com minhas emoções, Em certas ocasiões. Mas este sentimento muitas vezes não correspondido, Faz-me pensar no tempo perdido, Que dedico a uma princesa, Cujo o seu silencio, só me traz tristeza. Muito aprendi com minhas pretendentes, Mas a lição maior foi o de não deixar pendente, Assuntos relacionados a sentimentos, Para não criar tormentos.


Insônia É difícil dormir, Quando se esta sonhando. Vivendo e enfrentando, As horas para um novo dia. Noites de reflexões, Dias cheios de perspectivas, Mas com uma única realidade. A noite parece querer conversar, Tenta nos aconselhar, Mostrando-nos por onde devemos caminhar. Porém estamos sonhando, Acordados, mas atordoados, Por sentimentos tão intensos, Que nos impede de ver nossos passos. Exemplos pessoais As atitudes das pessoas, São fontes inspiradoras. Que carregam soluções, Para nossas mais variadas aflições. É fácil criticar, Não é difícil ajudar; Mas fazer uma pessoa mudar; Só se esta desejar. Porém devemos aprender, Que nossos problemas, precisamos conhecer. Para não se meter, Em assuntos que não conseguiríamos resolver. Principalmente quando podemos observar, Pessoas que vivem a lutar, Outras a se conformar, Por problemas adquiridos sem pensar. A vida nos mostra e nos dá alternativa, Mas só nossas reflexões e decisões, Tornam nossas ações ativas, Para evitar e solucionar quaisquer negativas situações.


Libertino errante Queria aprender a viver, Para ter medo de morrer. Deixar de pensar, E de forma louca, Tudo realizar. A toda hora renascer, Crescer sem envelhecer, No passado voltar, Para não perder tempo em solucionar, As consequências do ato de errar, Apenas se divertir; Gastar-se de tanto rir. Buscar a felicidade, Fora da realidade, E facilmente dormir, Para na alvorada tudo repetir. Manifestando a realidade Felicidade é um momento, Não uma constante, Deixa de ser rotina, Porque atinge o grau máximo, Da sensação de alegria e harmonia, Mesmo no meio da dura realidade, É o que nos empolga a viver, Que nos faz acreditar, Que podemos realizar, O que vivemos a sonhar. Não é uma ilusão, Mas uma exclusiva sensação, Que tudo pode ser revisto por uma nova visão, Que não parte do coração, Mas da ação e compreensão. Louca teoria? Se as pessoas deixarem de sonhar, Não nascerão mais poetas; Se extinguirá a Filosofia; E os cientistas desaparecerão. Mas a sabedoria resistirá. Mesmo em um mundo cheio de ignorâncias.


Onde o conhecimento se restringirá, A ser apenas repetido. Um mundo sem poesia; É como uma escola sem alunos, Silenciosamente fria! A vida é a inspiração do poeta. E os versos; É a observação simplificada do sábio. Sumiram as palavras Sumiram as palavras, Talvez porque deixei de acreditar nelas. Sei que não existe uma verdade absoluta, Mas as mentiras sempre afrontam a moral. Mas teorizar o amor, É conversa de sonhador. Que consegue atropelar a razão, Com expressões poéticas do coração. Redigir um sentimento, Sem senti-lo neste momento, É apenas imaginar, O que poucos realmente conseguem provar. Somem as ideias! Porque quero descrever o indefinido, Completamente desprovido, Do sentimento que acho estar perdido. Indiferença Existir, mas não ser percebido, Uma sensação de estar perdido, De não saber o que fazer; Prefere-se morrer! Falta de atenção, Insuportável aflição, Carregada de tensão, Indefinindo qualquer ação. Falar ao vento, Escrever para o papel,


Chorar pelo sonho, Ver a esperança no silencio. Apenas não existir! Para alguém que mesmo nos fazendo mal, Nos faz sorrir, Porque ainda acreditamos no sentimento especial. Adultério Juramento de fidelidade, Afrontado pela falta de responsabilidade, Ferindo o respeito e a moralidade. Momentos de prazer, Que fazem uma pessoa esquecer, Que possui uma família para amar, E muitos princípios para respeitar. É uma paixão sem justificativa, Geradora de uma felicidade relativa, Que arde e queima como o fogo. Mas que vira pó e se espalha como o vento, Quando acaba. O praticante do adultério, Geralmente acaba no cemitério. E o traído na prisão, Por que sua alma ferida, Não soube lidar com a decepção. Xérox O xérox da alma de um poeta, São suas poesias. Que perfeitamente registram, Cada sentimento, ação e pensamento, Surgidos em certos momentos, Especiais e inesquecíveis. Que para não serem esquecidos, Viram versos para serem lidos, Relidos... Interpretados e duplicados, Para serem recitados, Em outros momentos especiais, Que não fazem parte do universo do mágico das letras, Mas que faz reviver este universo, Ascendendo o clima, De duas ou varias almas, Que recriam o seu mundo,


A partir da imaginação, Do mundo que verem, Nas cópias das eternas páginas, Onde está gravado um espírito. Não cobiçaras coisa alheia O que alguém consegue com o fruto do seu trabalho, Não deve ser cobiçado; Ou melhor, invejado! Mas deve ser respeitado. A cobiça alheia, É a inveja; É o desejo doentio de ser ou ter, O que só com trabalho e dedicação é conseguido. Mas o invejoso não vê os esforços, No que tanto cobiça. Apenas quer ser ou ter, Algo sem merecer. A cobiça a coisa alheia, É uma afronta ao mandamento divino, Com consequência no destino, Que acaba virando areia. Transcendência Um poeta não escreve, Ele transcende, Por um universo complexo, Totalmente sem nexo, Cheio de elementos, Ligados aos sentimentos. Que não fogem a realidade, Porque o que é redigido, É o reflexo da identidade, De quem se identifica com o que esta sendo lido, E talvez repetido. Em cada linha preenchida, É a história no tempo refletida, Mas deforma diferente vivida, Mas carregada de explicações,


Fundadas nas emoções. O que poucos verem Um dia aprendi escrever, Porém não consegui entender, O que as palavras expressavam realmente, Talvez por ser inocente. Um dia descobri que repetia, O que alguém escrevia, E de forma indireta me moldavam, E eu nem reparava. Um dia me rebelei, E expressei, Minha indignação, Contra esta manipulação. Se sou sonhador, É porque ainda sou um inquisidor, Que vê a verdade, Através de infinitas e inexploradas realidades. Folhas inúteis Que destino está reservado, Para estas folhas carregadas de passado. Que conta um presente, Corrompido e doente. Qual será o futuro, De algumas frases que deveriam estar em um muro, Para iluminar o escuro, Desse mundo impuro. A poesia fala da vida, Totalmente redigida, Sob o ponto de vista, De uma realidade que não pode ser prevista. Folhas inúteis cheias de frases, Expressão de analises, Que mal compreendidas, Se tornam perdidas.


Falso testemunho Reconhecer o próprio pecado, É um ato abençoado. Mas apontar um culpado, Para ver este pecado ocultado, É um fato difícil de ser perdoado. Atitude de covarde, Fugir da verdade, Roubando a liberdade, De um inocente, Acusado com ares de credibilidade. Medo ou maldade? Pura crueldade! Não justificada, Que deve ser condenada, Com a frieza da mesma pedrada! Não furtarás O ladrão pode ser: Um viciado, Um invejoso, Um ganancioso. Não roubar! É não invejar; É não se drogar; É não se corromper pela ganância. Quem rouba, Furta sonhos; Os esforços e noites mal dormidas, E os sacrifícios de um trabalhador. Não furtar, É aceitar; Que devemos nos esforçar, Para conquistar o que vivemos a sonhar. Pois o que vem fácil, Se desfaz rápido, Pois não tem o valor, Expressado em gotas de suor.


Pensamentos obscuros O ato de pecar corrompe a carne. Mas o pensamento maligno, Contamina a alma. Da mesma forma que as boas ideias, Ganham vida em teorias, O mal se alimenta, Das simples idealizações maléficas. Todos estamos sujeitos a imaginar, Mas deixar o mal nos influenciar, Mesmo que seja no nosso intimo, É um pecado grave. Devemos buscar o bem, Imaginar ele também. Para podermos colher dias melhores. Honrar pai e mãe Hoje somos filhos; Amanhã seremos pais. O que não entendemos agora, Cobraremos amanhã! Entrar em conflito com a experiência, É um ato de desobediência. Atitude de certa forma aceitável, Pois estamos sendo moldados. Mas a desonra aos pais, É um grande mal. Que afronta um mandamento divino. Honrar pai e mãe; É um ato abençoado, Carregado de sabedoria. Guardar o sétimo dia e feriados O trabalho é divino, O descanso é sagrado! Pois até Deus descansou, Após a sua grande criação.


Quem reserva um dia, Para um descanso intenso, E respeita e compreende os feriados, Vê seus frutos multiplicados. Pois renova suas forças, Produzindo mais, E com satisfação. Mas o contrario, Trás a doença, E a infelicidade. Não tomarás o santo nome de Deus em vão Deus é sábio; De sua sabedoria, Ele propaga a justiça. Deus é atencioso, Escuta cada pedido e pensamento. Sempre atende-os, Da forma mais justa. Porém antes de pedirmos, Ou clamar a Deus, Devemos analisar se realmente se necessitará, Da poderosa intervenção divina. Não tomarás o nome de Deus em vão, Principalmente quando a solução, Estiver em nossas mãos. Ciúmes Sentimento infantil, Que se torna hostil, E molda o perfil, De um caráter vazio. Ciúmes é sinônimo de possessividade, De falta de personalidade, Que distorce a realidade, Sem nenhuma propriedade.


Ciúmes é insegurança, É desconfiança, Intolerância. Ciúmes não é amor, Tão pouco desamor. É doença, que gera sofrimento e dor. Cruzada do amor VI Desbravar o mundo do amor, É conhecer a dor. Enfrenta-se consequências, Mas se ganha experiência. Se planeja conquistar. Porém volta conquistado, Carregando o passado. Foram muitas cruzadas, Mais nenhuma rompeu as muralhas; Decepcionantes jornadas. A cruzada final, Não é mais sentimental. Agora é guiada pela razão, Com o objetivo de desmascarar a ilusão. Carregar o passado Quem carrega o passado, Vê o futuro sonhado, Ser totalmente alterado. Acontecimentos mal vividos, Devem ser esquecidos, Ou o mais rápido resolvido, Para o destino não ser corrompido. O passado só serve como experiência, Desde que usado com prudência, Para não criar consequências. No tempo não se viaja, Pois é uma longa estrada, Que nos prende,


E deixa dependente. Pensando na efêmera vida Pensando na vida, Analisei se ela pode ser bem dirigida. Pois a vida não é uma certeza, Mais sim uma grande surpresa. Viver o momento, Ao toque do vento. Sentir o movimento, Dos nossos inúmeros renascimentos. Viver e morrer, Morrer e viver. É se perder, E não se arrepender! A vida não se traduz em pensamentos, Mais interpreta o desenvolvimento, De quem esta vivendo, De acordo com o seu recolhimento. Propagando sentimentos O sentimento não deve ser guardado, Mas, expressado. Pois ele é carregado de energia, Muitas vezes, uma grande magia. Ter uma alma sentimental, É ser especial. Uma dádiva universal. O sentimento nunca acaba, Pois ele se propaga. Muitas vezes vaga, Até encontrar a pessoa que receba esta energia encantada. Sentimento é interpretação, De ações, E intenções!


Sentimentos exaltados Entre a solidão, E a desejada realização, Existe um pedaço de chão, Pisado pela decisão. Ninguém decide ficar só. Mas sonha em se realizar. Esquecendo de ver onde vai pisar. Solidão e paixão; Uma única prisão! Que condena o coração. Paixão não é amor; É um sentimento exaltado, De quem quer ser amado, Que infelizmente só colhe a dor. Coração fragilizado Um coração debilitado, É típico de um ser apaixonado. Que perde a razão, Sendo levado pela emoção. Uma alma fragilizada, Esta condenada, A ser manipulada. É triste estar acompanhado, Sentindo-se solitário. Muitas vezes ser usado, E nem perceber que está sendo um otário. Como fugir da solidão, Se uma grande paixão, É a única solução. Verídico amor O amor não tem idade, Não importa a realidade, E nem o que diz a sociedade.


O amor é magia, Que torna a vida uma fantasia, Descrita pela poesia. Quem ama e é amado, É abençoado. Experimenta a felicidade, Com toda a liberdade. Quem realmente busca o amor, Nunca colhe a dor. Porque busca o bem, Em quem o tem! A complexidade da vida A vida é difícil de entender, Pois tudo pode acontecer. Imagino que ela seja planejada, E nossa viagem seja pré-determinada. Tudo vem com o tempo, O que não vem, Foi levado propositalmente pelo vento. Pois para algo se ter, É necessário alguma coisa aprender, Para não se perder, A vontade de viver. É um verso complexo, Aparentemente sem nexo. Mas que regula o universo. Soneto confuso! A poesia começou; Mas parece que já terminou! O pensamento viajou, Voltou? Raios de luzes, escuridão, E coisas que desconheço, Que não se consegue explicar com razão. Escrevo para encontrar respostas, Sobre situações opostas,


Daquelas um dia sonhada, Porém nem sempre realizada. Soneto confuso, Feito por quem parece, Estar “entrando em parafusos”! Palavras forçadas Meu cachorro latindo, São vinte e três horas. Gostaria de estar dormindo. Estou com preguiça de dormir (?) Estou se vontade de escrever (?) Coisa estranha para curtir! Poesia forçada; Que não “fala” nada! Seria a falta de sentimento? Ou um maior envolvimento? Fruto de uma imaginação, Em completo estado de confusão, Onde a emoção. Esta tutelada à razão! Rabiscos aleatórios O que o pensamento está ditando, Estou rabiscando. Sem uma exposição formal, Ou um caráter especial. Muitas questões, Poucas soluções, Derradeira inspiração, Que foge da real noção. A mente está nublada, Parece estar contaminada, Com ideias espalhadas, Que estão difícil de serem juntadas. Esta me faltando conhecimento, Para descrever este momento, Pesou a vontade de dormir.


Vou parar de redigir. Não deve ser amor Não é amor! É apenas sabor, De uma sensação, Experimentada no mundo da ilusão. Muito semelhante, Aparentemente constante, Mas não angustiante; Porém distante. Mas também não é paixão! Pois é algo de ocasião, Que por um tempo, Manipula o coração. Derradeiro sentimento, Que logo vira esquecimento, Pois não é profundo, Capaz de mudar algum mundo! Bordel Um grande deserto, Cheio de miragens. Muitas companheiras. Mas as louras geladas; Se tornam a melhor companhia. Um mundo limitado, Mas com muitas histórias. Uma falsa alegria, Que afasta alguns fantasmas Mas não os exorcizam. Lugar proibido, A casa do libido! Inferninho? Antro do pecado? Comentário fiado!


Voz interior! Os erros do passado, Nunca são completamente enterrados. Viram maldições, De complexas soluções. Uma grande assombração, Que não escolhe ocasião, Para perturbar a razão. O único jeito de esquecer, É morrer! Mas daí; deixamos de viver! O jeito é não errar. Tão pouco se arriscar, Antes de escutar, O que a voz interior, tem a nos falar. O que é relevante? Buscar no passado, As respostas para entender o presente, E transformar o futuro. Apagar o passado, É deixar cego o presente, E criar problemas no futuro. O certo é deixar a vida nos levar, Sem muito a se preocupar. Apenas viver, Pois nunca sabemos quando vamos morrer. O que é certo? Seria o que está perto? Ou o que está distante? O fácil ou o difícil? Viver até morrer! Se já nascemos condenados a morte, Devemos possuir um norte. Viver intensamente, O nosso efêmero presente.


Não devemos remoer as lembranças, Mas aproveitar o tempo, Como uma inocente criança! Viver não é sonhar, É não ter medo de realizar, O que começamos a desejar. Viver até morrer! É um pensamento que temos que aprender, E principalmente compreender, Para não se arrepender! O mar inspirador O mar é inspirador, Fala de amor, Nos lembra da dor. Se as ondas pudessem levar, A ilusão de amar, O mar seria mais salgado. Devido as lagrimas de um apaixonado. Mas as ondas vão e vem, De forma que ninguém, Consegue esconder, Os pensamentos não desejados em remoer. Procurar no horizonte, A única fonte, Que à as nossas perguntas; responde!


Capítulo III

Vozes da Natureza!

“O homem foi criado no sexto dia. Por isso não deve sentir-se muito orgulhoso, pois o mosquito foi criado antes dele.” (Do Talamide)


Carro elétrico Uma ideia futurista, Que já deveria ser vista, Como realista. Carro movido á combustão, É sinônimo de poluição, E dominação! Somos escravos do petróleo, Vitimas dos monóxidos. Veneramos a velocidade e a potencia, Mais esquecemos das suas consequências! Consequências apagadas pela eletricidade, Que diminuiria os problemas ambientais. Provocados por carros convencionais. Aumentando a qualidade de vida da humanidade. Coleta seletiva de lixo Coleta seletiva, É uma boa alternativa, Para o Estado conscientizar, O povo á reciclar. A coleta é simples, Só depende da vontade popular. De deixar separado, O lixo orgânico, do inorgânico. Papel, plástico, vidro e metal, Merecem uma atenção especial. Na hora da separação. Esta atitude de extrema responsabilidade, Transforma a realidade das cidades. Melhorando a qualidade de vida da humanidade. Agente modificador Para sobreviver, O homem precisa modificar, O lugar, Onde pretende viver.


Não é errado, criar condições, Para melhorar a qualidade de vida, De uma população. Mas se deve observar, O espaço que se pretende alterar, Para não criar, Um problema, que a todos irá prejudicar. Mas existem técnicas que podem ser aplicadas, Em áreas previamente estudadas, Para diminuírem as consequências negativas nas áreas modificadas. O tempo que a Natureza não tem! A vida que o homem desfruta, Infelizmente encurta, A reposição natural, De qualquer elemento vital. A Natureza está falindo; Pois não esta conseguindo, Manter o seu ciclo funcional, Dentro do prazo normal. O tempo que a Natureza não tem, É a contagem regressiva para a extinção, De quase toda a população, De animais e vegetação. O homem esta nesta lista, Por ele mesmo escrita, Com cada ação, Que não carregava o principio da preservação. Demorada decomposição A necessidade de tratar, Ou de reciclar, Pode ajudar, A Natureza transformar, O lixo produzido, Sem deixar o ambiente comprometido, Pois o lixo demora a se decompor e se tornar, Novamente um recurso natural,


Importante para manter o ciclo vital. Se as pessoas compreendessem, Que a quantidade de lixo produzido, Em relação ao seu tempo de decomposição, Causa uma grave poluição, Capaz de causar uma grande transformação, Na terráquea evolução. Trafico de animais O trafico de qualquer animal, É ilegal. Totalmente imoral, Atitude irracional. A recepção, Do produto dessa danosa ação, Colabora com a extinção. O animal traficado, Está condenado, A viver isolado; Indiretamente maltratado. Estes animais são partes vitais da Natureza, Que não poderão ser negociados por nenhuma riqueza, Simplesmente para serem admirados por sua beleza. Precipitação ácida Nuvens contaminadas, Que fazem pingar a morte, Em cada gota de um líquido, Que pouca água possui. Pingos que corroem construções, Estragam monumentos; Esterilizam o solo; Consomem florestas. Nossa atitude é esconder-se; Quando deveríamos combater, O que faz esse tipo de chuva aparecer. Porém falta vontade, Pois ainda não sofremos tanto,


Com esta nova realidade. Natureza em fúria Poluição; Devastação; Alteração; É tudo agressão. Que magoa a Natureza, Tão indefesa. Mas que tenta sobreviver, Para não deixar nenhum ser vivo perecer. Porém, sem alternativa, Ela fica na defensiva, Reagindo com extremo poder, Contra os que a fazem sofrer. Terremotos, maremotos, Tornados, tempestades, furacões; São apenas algumas atitudes de coerções, Que demonstram a sua insatisfação. Alerta ambiental A Natureza chora; Seu choro inunda, Onde antes não alagava. A Natureza suspira; E seu suspiro arrasa, Lugares até então, que mal passava ventos. A Natureza tem febre; Calor ardente, Que derretem geleiras. A Natureza esta doente; Sofre com os humanos, Apresentando sintomas que nos deveriam alertar. Alergia Poluição atmosférica, Uma agressão bélica,


Ao pulmão, E todos os órgãos responsáveis pela respiração. Primavera e inverno; Que inferno! Olhos coçando, Garganta secando, Nariz trancando, Corpo cansando. Um mal urbano, Que começa atingir o campo, Com mais frequência a cada ano. Um mal chamado: alergia, Que provoca agonia. Que só vai ser vencido, Se o ar foi despoluído! Vazamentos Um grave problema, Que compromete qualquer sistema, Que não pode ser evitado, Devido aos riscos potencializados. Mas pode ser diminuído, Quando os regulamentos são seguidos. Vazamento nuclear, Condena a terra, água e o ar. Vazamento de um oleoduto, Mancha a vida com óleo bruto. Vazamento de um petroleiro, Um risco potencial no mundo inteiro. Vazamentos de produtos químicos diversos, Um mal que pode se tornar muito perverso. Imperícia, irresponsabilidade, desatenção, Geram acidentes e a má manutenção, Na frágil proteção, Dos transportes e transformações, De produtos com alto grau de poluição. Espécies diferentes O espaço natural, É uma rede especial. Onde cada elemento possui uma função,


Que vai além da simples observação. Há vários tipos de espaços naturais, Cada um com características especiais, Que devem sempre ser observadas, Para a rede ser conservada. Por este motivo conservar ou restaurar um espaço, É um ato muito complicado, E danoso se não for observado, E muito bem estudado. Pois não adianta reflorestar ou povoar lugares comprometidos, Com espécies diferentes das lá encontradas. Este ato agravaria a situação, E ampliaria a destruição do espaço original. Parece estranho, Mas não é qualquer vegetal, Ou qualquer animal, Que irá salvar um conjunto ambiental. Agrotóxicos Defensivo? Que se torna ofensivo! Um mal necessário, Com consequências que fogem o imaginário. Rapidamente exterminam pragas e insetos, Vagarosamente mata os humanos. De forma indireta ou direta, Pois sua ação não acaba na lavoura. Ela se propaga pelo ar que respiramos, Na água que bebemos, Nos alimentos que comemos. A função do veneno é matar! Tudo que em seu caminho cruzar, Mesmo se controlar, A quantidade que irá usar. O agrotóxico é uma espada de dois gumes. Uma substância poluidora altamente perigosa, Que compromete o ambiente, Com o nosso consentimento, consciente! Rinha Animais sendo usados,


Totalmente condicionados, A lutarem para viver, Em um ringue onde matar é vencer. Atitude irracional, Pratica ilegal, Promovida por pessoas de caráter anormal. É triste ver, O sofrimento de dois animais, Brigando até morrer. Tudo para satisfazer, O doentio prazer, De ser o ganhador, De uma aposta com requintes de terror. Educação ambiental Se a língua é preservada a falando; Se os costumes são preservados os repassando; Se a cultura é preservada a ensinando. O mesmo principio deve valer, Para se proteger, O meio ambiente, Que nos possibilita sermos seres viventes. Educação ambiental, É uma solução pratica, Para se proteger o universo natural. Educar as crianças, Para ascender as esperanças, Em ver um mundo sonhado, E também conservado. Consumo extremo O consumo exagerado, Tem que ser repudiado. Pois coloca em risco a sobrevivência, De nossas descendências. Consumir, É poluir,


E destruir. Mas temos que sobreviver! Por isto temos que rever, A nossa maneira de viver. Esbanjar riqueza, É agredir a Natureza. Viver com quantidade, Nem sempre é viver com qualidade. Plataforma ambiental O mundo evoluiu, O nosso planeta se reconstruiu, Muitos problemas foram resolvidos, Porém, outros têm aparecidos. Os planos para essa nova realidade, Agora devem possuir diversas prioridades. Entre elas, os assuntos ambientais, Que se não tratados, poderão ser fatais. As novas políticas e administrações, Devem se preocupar em achar soluções, Para garantir o futuro, Das novas gerações. Políticos que não se comprometem com essas questões, Não podem ganhar votos nas eleições. Pois o progresso de uma nação, Não pode mais ser avaliada pela sua “capitalização” Lixo hospitalar O lixo produzido, É um problema que precisa ser resolvido. Que necessita ser melhor classificado, Para ser melhor tratado. Pois o lixo residencial, É diferente do lixo industrial, Que é diferente do lixo hospitalar, Que pode comprometer a terra, água e o ar. O lixo produzido no hospital, Deveria receber atenção muito especial,


Para não se tornar um grave problema ambiental. Pois doenças e a radiação; São as mais terríveis formas de poluição, Devido ao seu grande grau de propagação. Higiene Se as doenças se propagam na sujeira, O chão não pode ser lixeira. E a higiene pessoal, Deve ser prioridade fundamental. A higiene mental, É o desenvolvimento intelectual, Que combate o lixo “cultural”, Que corrompe o mundo atual. Higiene faz parte da boa educação. O primeiro passo para combater a poluição, Um costume positivo burguês! Um luxo, Que não é lixo! Mas que traz qualidade de vida real. Esgoto Esgoto residencial, É um grande poluidor ambiental, Que corrompe as águas superficiais de forma letal. O esgoto industrial, É um problema mundial, Que deveria ter uma atenção especial, Devido ao seu grande poder de causar o “mal”. O tratamento adequado, Deveria ser intensamente aplicado, Para o problema do esgoto, Ser quase totalmente solucionado. Um planeta sem água potável, É um mundo de fome, De guerras e doenças. É um mundo condenado a morte!


Capítulo IV

Vozes do esporte!

“A vida é curta demais para jogar xadrez.”(BYRON)


El Paranaense Só um clube tão querido, Tem sua marca reconhecida, Por seus carinhosos apelidos. Cada um possui um sentido, Que representam momentos históricos vividos. O Clube Atlético Paranaense é assim, Em casa é Furacão. O time suplente é o Ventania. Mas também é conhecido como Rubro-Negro. É o Clube Atlético dos Paranaenses. Na América Latina, É o temível El Paranaense. Não importa o nome ou apelido, A paixão é a mesma, Que mora no Joaquim Américo, Também conhecido como Baixada, Arena ou Calderão. Pedaladas contra o tempo Foi pedalando, Que percebi o tempo passando. Pois, ele era o meu oponente, Perfeito, objetivo e eficiente. Foi entre trilhas e estradas, Que estudei o tempo. Em sua infinita jornada. Descobri que ele valia mais que uma vitória, Pois é através dele que se escreve a nossa historia, E que não existe tempo perdido, Apenas mal aproveitado. Resolvi aproveitar o tempo, Para não senti-lo como o vento. Passando e levando meus momentos. Hóquei Não é um esporte de preferência nacional, Talvez pela necessidade de equipamentos e local, Exclusivamente especial. Mas é um esporte que chama atenção, Pela garra e emoção,


Proporcionados por atletas que usam curvados bastões, Para deslocar um pequeno disco pelo chão. Parece ser perigoso, Mas capacetes, cotoveleiras, caneleiras,... São uma grande proteção. Mesmo se jogando utilizando patins, Adaptados ou a quadras simples ou a de gelo. Mas tem o hóquei de campo! Que não utiliza patins. São várias modalidades desse esporte, Cada um com respectiva regra, E tipo de quadra. Mas a emoção é a mesma a de qualquer outra competição, Principalmente quando nossa seleção, Esta em ação, Mesmo sem possuir muita tradição, Nesse esporte que no gelo é tão radical, No salão é formal, E no campo é tradicional. Árbitro esportivo Jogos possuem regras. Aplicadas por um responsável; Em manter a lealdade e a harmonia, Entre os mais ferozes competidores. Não é uma tarefa fácil, Talvez um teste de nervos, Suportados apenas por quem tem coragem, De enfrentar de frente tal responsabilidade. As vezes a regra não é bem interpretada, Outras vezes, ocorrem erros. E a pressão e a cobrança, Explodem como uma bomba. Mas quem não erra, No calor de uma partida? Talvez aqueles que nunca enfrentaram tal desafio, Ou aqueles que não admitem a derrota. Saúde esportiva Atividade esportiva saudável, É a praticada de forma responsável. Requer prévia avaliação,


Do estado físico e funcional, Para evitar sustos e complicações. A prévia supervisão, De um técnico esportivo, Melhora o rendimento e ação, Sem prejudicar a condição corporal. Alimentar-se bem e com qualidade, É uma obrigação para melhor desenvolver, A esportiva atividade. Assim como a hidratação, Antes, durante e depois, De qualquer movimentação. Porém o repouso, dormir adequadamente e um dia de folga, São importantes para promover a recuperação, Evitando fadiga e contusões. Iniciação como torcedor Foi no Estádio do Pinheirão, A primeira vez, Que assisti o Furacão. O adversário era o grande Cruzeiro, Em jogo valido, Pelo Campeonato Brasileiro. Não vi o Rubro-Negro ganhar, Apenas empatar. Mas nem me importei, Pois apenas festejei. Ainda não sabia realmente torcer, Mas aos poucos comecei aprender, A ser um atleticano até morrer; E novamente se num futuro renascer! Tabu Seria a sorte ou o destino? Criadora da magia, Que ocorre em determinados jogos, Que privilegia exclusivamente um lado, E prejudica o outro, Por anos ou até décadas! Não importa a condição que se encontre o privilegiado, Pois a vitória estará sempre a seu lado.


Já ao não abençoado, O que resta é o desafio, De quebrar a escrita, De sempre sair derrotado, Um feito que se torna histórico! Mas desastroso para os que sempre venceram. Pois também entraram para a história, Como os atletas que não conseguiram, Defender os privilégios do tabu. Vice Campeão da América de 2005 Com pouca credibilidade e desconfiança, O time atleticano não inspirava confiança. Foi para Medelim enfrentar o Independiente, E voltou com um resultado surpreendente. Ainda sem credibilidade, Venceu na Arena o Libertad. Porém em Cali enfrentou o América, E por pouco não levou uma sova numérica. O segundo turno começou, E no Paraguai o Libertad desmoronou. Não é mole não! O “Diabo Vermelho” tremeu no Calderão. Porém um acidente, Reabilitou o Independiente. Mas o Atlético se classificou, E na segunda fase, o Cerro Porteño parou. No confronto nacional, O Santos de Robinho se deu mal. Veio os mexicanos, E o Chivas em pleno Asteca, entrou pelo cano. Final brasileira histórica e cheio de emoção, A guerra de bastidores afastou o Rubro-Negro do Calderão, E o Atlético não soprou como um furacão. Mas mesmo assim, se honra por ser Vice Campeão! último colocado. Não é fácil perder. E difícil é entender,


O que deu tão errado. Para ser o ultimo colocado. O pior dos derrotados. Sensação de fracassado. Um fato que fica no passado. Ser vencido por todos! Que desgosto, Fazer parte do esgoto. Esquecer! Porém aprender; Que o caminho da maior vitória, Passa pela estrada da pior derrota. O tempo no esporte O tempo é engraçado. Para quem esta vencendo; Ele passa lentamente. Para quem está perdendo, Ele passa rapidamente. Em outras competições, Ele é o referencial, Para determinar os campeões. Porém o tempo para muitos competidores, É o maior adversário. Para outros, é o limite entre a vitória e a derrota. Mas para muitos ele é o tempero, Que da mais gosto as emoções, Principalmente quando ele regula as decisões, Entre nações de paixões. Motovelocidade Rasgando o vento, Indescritível momento. Em alta velocidade, Prazerosa liberdade. Desafio ou libertinagem? Profissional pilotagem! De curta viagem; Delimitada pela cronometragem. Alta emoção;


Em alta rotação. Que sobre uma moto; Vira alucinação. Iatismo Navegando; Sob a vontade do vento. Cortando a imensidão do mar, Sem hora para parar. Na paz do horizonte, Na liberdade do ar, Poucos conseguem isto desfrutar. Navegar é sentir prazer; Sem precisar perceber. Sem poder descrever. Lazer e esporte, Definições que se interligam, Que carrega o equilíbrio, Entre a tranquilidade e o desafio. Oito de dezembro Assistindo um telejornal esportivo, Descobri algo significativo, Referente a um dia comemorativo. A reportagem e entrevistas, Eram exclusivas, Ao dia ciclista. Um atleta de coragem, Que vence muitas adversidades, Fora de sua realidade. Uma justa homenagem. Pois o ciclismo é um esporte, Para “homens” de alma forte. Que experimentam muitas sensações, Mesmo quando não é dia de competição.


Body-boarder Esporte típico de verão, Garantia de diversão; Ou muitas emoções, Quando vira competição. O mar é o seu território, A onda é a sua pista, Para realizar manobras radicais. Para praticar este esporte, É necessário saber nadar, Ser responsável; E ter coragem! Emagrecer com saúde O melhor remédio para emagrecer, É se mexer! E não parar de comer. A prática de atividade física, Traz benefícios, Além de um corpo bonito. É uma grande ilusão, Usar os produtos que são demonstrando na televisão! Pois são substâncias que realizam um processo artificial, E não uma queima de calorias, ao natural. Regime saudável, É uma dieta balanceada, Exercícios físicos controlados, E principalmente, muita disposição. Futebol de salão O futsal, É uma modalidade do futebol universal, Por isso é especial. É simples de jogar, Não importa o lugar. Não é a toa que é tão popular. O futebol de salão, É o parente do futebol paixão,


Só que em vez de ser praticado em campos e estádios, É exclusivo de quadras e ginásios. Em vez de vinte e dois jogadores, É jogado por apenas doze competidores. Todos correndo atrás da pesada e pequena bola, Que perfeitamente rola, De pé em pé, Até virar olé. E quando atravessa as balizas, Também enlouquece as torcidas. Handebol Um esporte tradicionalmente alemão, Que aos poucos esta se difundindo entre outras nações, Pois é um jogo de fácil compreensão. Lembra o futebol de salão. Só que o handebol é jogado com a mão. O que aumenta a emoção. É um esporte olímpico, Esporte panamericano. Com o mesmo regulamento especifico. É um esporte de força e precisão, De muita velocidade e ação, Além de ser uma ótima recreação. Triatlo Com braçadas fortes, As águas devem ser vencidas, Para não ver a competição perdida. Pedalar com vontade, Alcançar alta velocidade, Com prudência e responsabilidade, Para não perder a competividade. A transição pode quebrar a concentração. Porém estamos numa competição, Tranquilidade nessa situação. Começa a corrida de resistência, Agora o que vale é a persistência. Você já é um vencedor,


Mesmo não sendo ganhador! Dawnhill Uma montanha. Um ciclo-montanhista com uma coragem tamanha. Um caminho de sensações, Sem muitas orientações. Quanto mais íngreme melhor, Descer lento pode ser pior. Mais velocidade, Mais rápido se vence as dificuldades. Bicicleta voando, Espectadores gritando, Competidor se acidentando. O mais “louco” é o vencedor, Pois não sentiu terror, De enfrentar o morro desafiador. Punhobol Um esporte muito antigo, Mas pouco difundido. Um desporto tipicamente europeu, Já que foi lá que ele nasceu. É um jogo de tradição germânica, Que possui muita dinâmica. Uma boa recreação, Com ares de competição. É de fácil adaptação. Pois, é jogado com o elemento desportivo paixão: A bola! Mesmo esta, sendo diferente da que rola.


Capítulo V

Vozes da sociedade!

“A guerra é o único remédio para os povos adoentados.”(TREITSCHKE)


Cidade grande Prédios, luzes, vida noturna,... Pessoas comprando, vivendo,... Um mundo de oportunidades; Um universo de desencontros. Símbolo do progresso, De uma nova vida, Cheia de encantos, Sonhados por muitos que moram no campo. Mas esta selva de pedra, Esconde predadores, desertos e tristezas. Sonhos que viram pesadelos, Que corrompem até os homens mais honestos. Muita gente nas grandes cidades, chegam. Muitos se arrependem, Poucos sobrevivem. E apenas alguns se realizam. Participação popular Reclamar sem participar, É o mesmo que aprovar, Os abusos na sociedade, E o mal que floresce nessa realidade. Exigir direitos, É um dever com benéficos efeitos. Cobrar de quem não participa ou que esta errado, É um grande passo para ver o mundo melhorado. Participar; é em primeiro lugar, Corrigir os próprios defeitos. Se auto organizar, E não teorizar problemas. Participação popular começa na família, Não se resume em achar culpados, Mas soluções práticas, Para problemas sociais diversos.


Zona rural Existe ainda um lugar, Onde o puro ar, É possível respirar. Onde o verde é predominante, E a paz se faz constante. Nesse lugar todos se conhecem, Porque juntos crescem. A influência do mundo artificial, Pouco afeta o costume natural. Não há tempo para coisas sintéticas, Quando se observam paisagens poéticas. O tempo passa lento, Ao toque do vento. Momentos sem pensamentos! Terrorismo O fanatismo ideológico, Tornando ilógico, A luta por um ideal, De forma mortal. Manifestação violenta, Que alimenta, Um sentimento de ódio e revolta, Na morte de cada inocente, exposta. O sangue derramado de inocentes, Rega a vingança. Fazendo florescer a destruição, Frutificando a fome, miséria e a morte. O terrorismo direto, É a resposta ao terrorismo indireto. Ódio versus ganância; Mal passivo versus mal ativo.


Cultura virtual Nesses tempos de globalização, O mundo vem sofrendo uma grande mutação, Onde a cultura e o costume regional, Miscigena-se a outras em nível mundial. Viajando por universos virtuais, Que são adaptados ao mundo real. Criando uma nova tendência social, Dividida entre o natural e o artificial. Talvez sejam os primeiros passos, De uma nova tendência mundial, Que muitos chamam de “Cultura Virtual”! Uma cultura que carrega indagações, Sobre estas novas perspectivas de relações, Que pode alterar profundamente nossas ações. Identidade manipulada Um povo sem personalidade, Sofre influencia em sua identidade. Pois discute e interpreta a realidade, Fundada numa ditada verdade. É um povo dominado, Pois é manipulado, Torna-se um potencial traidor, Do lugar que jurou amor. Uma cultura e costumes vendidos, Por um grupo de bandidos, Que se preocupam apenas com o lucro e o poder, Sem dar a mínima, se uma nação irá morrer. Nômades contemporâneos De um lado para outro, Para o Norte ou Sul. Não importa a distancia, Em cada novo lugar, Se renova a esperança. Um grande grupo de pessoas se forma, Com culturas e costumes diferentes,


Que são percebidos, Mas não repassado. Pois não dá tempo! Nessa vida onde a chegada é errante, E a partida é derradeira. Um povo que parece uma semente, Mas que cai entre pedras e espinhos, Muitas vezes no duro concreto, Não enraízam-se em lugar nenhum, Pois dependem do destino; Destino contaminado pelo capitalismo, Pai do êxodo rural, Avô de uma geração de nômades. Problemas sociais Rara é a sociedade, Cujo, a realidade, Não sofra as consequências da desigualdade. Desigualdade provocada por um sistema, Que por ser mal organizado, causa problemas, De difíceis soluções, Que atingem súditos ou cidadãos. Poucos são os países que erradicaram a pobreza; Mas muitos ainda possuem um cenário que dá tristeza. Muitas pessoas sofrem ou morrem de fome; Em um mundo onde existem alimentos suficientes para todos. Muita gente falece de doenças neste planeta, Simplesmente por falta de atendimento e remédio; E não por falta de conhecimentos da medicina! A vontade de possuir bens, Provoca a ganância em uns; E a cobiça em outros. O resultado é a violência, Representada pelos sequestros, assaltos, trafico,... Mas tudo que foi escrito e mais um pouco, Poderia ser evitado ou diminuído, Se os Governos investissem realmente na Educação; E não apenas na alfabetização. Mas o maior problema mesmo, É a falta de vontade de resolver estas questões! Pois infelizmente, É do sofrimento de muitos, Que certas pessoas tiram grandes lucros.


Produtos ilegais Quem compra produto furtado, Colabora para ser roubado. Pelo mesmo fornecedor, Ou até mesmo pelo vendedor. O lucro com a venda, Do fruto do roubo, É gasto com drogas, Ou patrocina a violência. Comprar produto roubado, É crime de interceptação, Cuja, a pena é a prisão. A ilegalidade, Gera impunidade, Que se reflete na nossa realidade. Balas perdidas Balas que se perdem, Viajam sem destino; Sem saber onde vão parar. Muitas param e viram esquecimento, Pois não deixarem marcas de sua passagem. Outras param onde não era para parar. Escrevendo com sangue sua viagem. De onde partiram, Ninguém sabe! Quem fez ela partir; Ninguém viu! Mas mesmo assim as balas continuam a se perderem. Aumentando as chances de uma pessoa morrer, Sem esta perceber! Web site Em mares virtuais, Já são incontáveis os portais, Que levam a mundos de diversões, E a lugares de infinitas informações.


Mas existem lugares proibidos, Pois estão extremamente poluídos, Por um problema crônico, Denominado de lixo eletrônico. Nesse universo de conhecimento, As informações mudam, a todo, momento, Influenciado por constantes acontecimentos. Mas nesse universo, Nem tudo é confiável, Da mesma forma que nem tudo é descartável. Predador do Norte O sistema deve funcionar, Para o gigante não tombar, Sem muito se importar, Com os meios que irá utilizar. A dor e o sofrimento, É espalhado em territórios em desenvolvimento. Para prover o sustento, Desse monstro sem sabedoria, mas com conhecimento. Um “bárbaro” que não respeito nem a natureza; Que carrega a tristeza, Em forma de ajuda e beleza, Com atitudes carregadas de frieza. Águia da falsa liberdade, Que dita a verdade, Manipula a realidade, Como se fosse uma divindade. Mas todo predador, Sofre as consequências do seu terror; Cai em desgraça, Porque se torna caça. Shopping Center A capital do capital; Parece tão especial. É praticamente perfeita!


Pois é fundada nessa ideia, que ela foi feita. Praças sem mendigos. Lojas que abrem aos Domingos. Não existe nada que lembre a pobreza, Apenas traços de luxo e riqueza. Conforto e segurança, Parque e locais para crianças. Nada de preocupação, Apenas satisfação. Mas este mundo esconde a realidade, Que esta fora da redoma dessa cidade, Que não é ilusão, Mas uma dura e triste situação. Heróis dos ignorantes Em nosso planeta, Existem três tipos de humanos. Os que observam o horizonte sobre uma montanha, Os que imaginam o horizonte de dentro de um buraco, E os que agem por instinto. Porém os que agem por instinto, Repetem o que ditam os que estão dentro do buraco. E os que estão sobre a montanha, Percebem a manipulação; mas se calam, Mesmo tendo a solução para o problema. Todos se culpam ou culpam alguém. E os problemas continuam, Fazendo surgir um tipo novo de homem. O que verem o horizonte, Nos olhos de um demagogo e inventado herói! Salvadores do mundo? Há pessoas que querem salvar o mundo, Outros querem salvar o seu próprio mundinho, E outros que não sabem o que está acontecendo. Muitos falam em ecologia, Mas não reciclam se quer o seu lixo, Nem utilizam bicicletas para ir a lugares próximos. Outros falam em combate a corrupção,


Mas não devolvem o troco a mais que recebem, Nem procuram o dono da carteira de dinheiro que acha. Muitos falam em fome e miséria, Mas se quer contribuem com doações, Ou até mesmo projetos para acabar com a fome e a pobreza. Muitos falam em violência, Mas esquecem que a alimentam, Com seus hábitos e atitudes. Muitos teóricos querem mudar a realidade, Mas esquecem que seu mundo, Se limita a biblioteca, universidade e o apartamento. Muitos falam de drogas, Porém não conseguem vencer o vicio do cigarro e da bebida. Muitos querem um líder que resolva, Mas esquecem que este líder que resolva, Mas esquecem que este líder sai do meio do povo; O mesmo povo que eu faço parte e você também. Viagem ao espaço Vai chegar o dia na Terra, Em que não se poderá explorar nenhum recurso mineral. Os humanos terão que reciclar, Ou comprar os minérios das colônias espaciais. Se antes navegar era preciso; Atualmente explorar o universo é necessário. Não temos mais a Escola de Sagres; Mas temos os Centros Aéreos Espaciais. Não temos mapas precisos do Espaço Sideral, Mas temos as estrelas para nos guiar. Do mesmo jeito que elas guiaram as caravelas. Ir para o espaço, Não é gastar dinheiro a toa, Mas é garantir, Que a miséria e a pobreza, Não aumentem! Que a independência econômica e social, Seja soberana. Desemprego global Problema global, Um grande mal, Que corrompe a sociedade, Degenerando a humanidade. Não sei se tem solução;


É quase que unânime a mesma opinião. Que traz preocupação, Para toda a população. Se tornar um desempregado, Passou a ser um legado, Desse sistema que já nasceu condenado. Não são palavras de um revoltado! Chega de ideologias, teorias e folia, Chega de rebeldia! Só não queremos surpresa, No final do dia! Garantir o trabalho é preciso, Para trazer ao rosto o sorriso, De ver na mesa o pão, Alimentando a esperança de cada cidadão. XV de Novembro! Cento e quinze anos de Republica, Mas de uma década de Ordem e Progresso. Viva a democracia! Viva a modernidade! Discurso típico republicano, Que a cada ano; Renova a esperança! Em cada voto de confiança (!) República, monarquia, Uma grande anarquia, Corrompidas por ideologias, Contestadas por desastrosas teorias. Viva ao XV de Novembro, Que poderia ser em setembro ou dezembro. Pois o povo ainda não entenderia, Que o Brasil deixou de ser monarquia. Os mesmos governam, Os filhos deles, netos... Uma dinastia republicana! Sustentada pelo voto popular. O mesmo voto do analfabeto,


Que possui o mesmo peso do voto do letrado, Que possui o mesmo peso do voto comprado. Viva a República! Guerra civil Teorias e ilusões, Que corrompem uma nação, Com o próprio sangue de sua população. Cidades destruídas; Campos devastados, Pessoas desnutridas. A peste domina o “cidadão”; Propaga-se a contaminação, Atacando rebeldes, quanto a situação. E o anjo da morte caminha com liberdade, Colhendo na realidade, Os frutos da radicalização. Destruir; Para reconstruir. E a pátria novamente voltar a sorrir!(?) será que estou “loucão”? Escrevo coisas malucas, Sobre coisas além da imaginação! Seria eu normal? Mas daí, observo a vida, A realidade que me cerca, E concluo que ser louco é melhor que ser normal. Pois os que dizem serem “normais”, Não fazem nada de concreto para acabar com a fome, Se preocupam com a guerra, Mas as alimentam. Reclamam dos governantes, Mas se quer obedecem e seguem as leis e regras do seu lugar. Falam da prostituição, Mas se casam por dinheiro e interesses. Não querem os traficantes, Mas os patrocinam comprando drogas. Falam de Deus, Mas não conhecem ou não seguem os Dez Mandamentos. Querem respirar ar puro, rio limpo, silêncio,...


Mas se quer reciclam o seu lixo produzido. Querem um salário digno, Mas se quer trabalham direito para o receber. Grupos raciais escondessem atrás de leis, E reclamam da discriminação. Seria eu louco em ser louco e negar tudo isso? Só para ser normal? Mensagem subliminar Uma inocente imagem Mas que carrega uma mensagem, Ocultada entre cores e letras. Uma mensagem captada pelo subconsciente. Mas não percebida pelo consciente, Que nos faz subservientes, Dê um pequeno grupo de gente. Nos meios de comunicações, Escritos ou pela televisão, Se propaga a manipulação, Da maior parte da população. Moldam a personalidade, Direcionam a liberdade, Roubam nossa vontade.


Capítulo VI

Vozes da admiração!

“Os erros de grandes homens...são mais fecundos que as verdades de pequenos”.(NIETZSCHE)


Presidente Prudente Como é bom recordar, Lugares que nunca deixamos de gostar, Mesmo estando distante, Do local que estou neste instante. Lembro-me com saudade, Do tempo que Presidente Prudente, Era minha cidade. Era uma satisfação, Andar por terra tão importante de minha nação. Um lugar de muita historia e tradição. Pois sabia que meus pés, Pisavam sobre o fruto do café. Vingado forte, No belíssimo oeste paulista. Papa João Paulo II Homem de fé, De exemplos a serem seguidos. Sua historia, São seus ensinamentos. Cidadão do mundo, Que carregava a difícil missão, De pregar a paz e o amor para a humanidade. Naturalmente o tempo venceu sua carne, Mas foi impotente frente a seu espírito. Que vive em cada um de nós, Através de sua lembrança. Seus passos foram abençoados, E abençoados serão os que os seguirem, Pois são passos que rumam a Deus! As pessoas que cruzaram meu caminho! Este é um agradecimento especial, Um agradecimento moral, Devido a sua importância vital.


O que seria de mim, Se não existissem as pessoas que me cercam? Não importando se conhecidas ou não! A vida dos que cercam-me, São fontes de inspiração, Que me permite encontrar soluções, Para as minhas mais diversas aflições. É por este motivo que você é importante para mim! Assim como espero que eu seja importante para outras pessoas. Pois as experiências são recíprocas, E um dia poderão ser aproveitadas. Ufólogos Malucos ou cientistas? Sensacionalistas; Ou realistas? Estudam uma realidade, Sem credibilidade, Que vai além da imaginação, Afrontando a razão. Relatam o que poucos dizem que verem. Tiram conclusões com o pouco que sabem, Mas revelam, O que muita gente importante esconde. Falam de mundos e vidas além do céu. Por isto, viram réu! De homens que não conseguem nem ler o que esta escrito, Num simples pedaço de papel. Nosso Planeta Terra Um pinguinho azul-celeste, Na negra imensidão do Universo. Solitariamente a fulgir. Tão frágil, Nem parece capaz de carregar a vida, Perfeitamente protegida por sua atmosfera. Astro iluminado,


Receptor da energia vital, A cada alvorecer, E de paz a cada anoitecer. Nossa casa no espaço sideral. Repleta de exuberantes jardins, De belas praias e majestosas montanhas, Alegrada por diversas espécies de animais. Pátria Amada Oh! Pátria que inspira-me, Em cada lugar de seu território, Belo e abençoado, Por cada sinal da Natureza, Que o cobre! Oh! Pátria que fascina-me, Por seu progresso, Presente em cada floresta de pedra, Fruto do esforço de cada brasileiro, Que vê em seu futuro, o reflexo do Brasil. Oh! Pátria magnífica, Que alegra o mundo com seu povo, Carregado de culturas diversas, Que se torna uma única. Na simples maneira de seu povo viver. Oh! Pátria que respeito, Na voz de cidadão, Nos versos de poeta, No sonho de um progressista, E principalmente como seu filho. Caridosos Abençoado é o caridoso, Que divide com gosto, Tudo que possui. Que proporciona a felicidade, Para os que pouco possuem. E ressuscitam a esperança, Naqueles, que nos homens, Perderam a confiança. Deus abençoe as pessoas caridosas, Que permitem de forma maravilhosa,


Que o bem se dissemine como o vento, Por todo o planeta e universo. O caridoso em seu gesto, Expressa o verdadeiro amor; O elemento mais importante, Na vida das pessoas. Padroeira do Brasil Divina protetora, Celestial pastora, Do povo brasileiro, E também do mundo inteiro! Tu és a esperança, A nossa confiança; Divina inspiração, Em cada oração. Nossa Senhora Aparecida, Irradiadora da vida, Que se propaga em cada alvorecer, Basta apenas querer ver. As suas graças, Vencem as desgraças. Trazem muitas alegrias, Para os nossos difíceis dias. Amar a Deus sobre todas as coisas Deus é amor; O sentimento mais puro, O ato mais perfeito, A ação mais eficaz, É a vida eterna, A felicidade constante. Deus é o soberano do Universo, Está presente em tudo e em todos. É justo; Mas misericordioso. Deus é o tempo, É o destino. É a sabedoria mais simples e completa. É o mistério mais complexo, É o milagre.


É o que devemos buscar, É o bem em essência, É o criador. Deus não cobra ou exigi, Mas nos pede algo simples, Que não custa nada, Que não cansa, Que não nos envergonha, Que não nos toma tempo. Nos pede apenas, que nós o ame! Desculpe, Hahahel Anjo que me protege, Que me carrega pela mão, Nas estradas escuras que teimo em enfrentar. Que fala baixinho, Mas que nem sempre eu escuto. Anjo que tanto clamo, Mas que pouco agradeço; E que nem por isto deixa de estar ao meu lado. Exijo sempre que você resolva o impossível, Mas não faço o simples possível para te ajudar. Meu guardião celeste, Às vezes duvidei de você, como já sabe. E mesmo assim não duvida de mim! Será que eu agiria assim com você? E mesmo assim você me defende! Sou um pecador potencial; Mas não poderia ser. Sou o seu fardo! Mas nada faço para isto mudar. Até seu nome esqueço! Desculpe, Hahahel. A missão de Cristo. Pela terra já caminhou um homem justo, Que pregava a paz. Era sábio; Sincero e objetivo. Via o mundo de forma diferente.


Era um rei, Mas não queria o trono de ninguém. Tão pouco o poder dos homens! Possuía o verdadeiro poder; A maior das riquezas, E a mais difícil das missões. Foi perseguido porque era perfeito; Era, o que todos queriam ser. Esta era parte de sua missão. Não terás outros deuses Criador dos criadores. Senhor dos senhores. Se manifesta de formas diversas, Cercadas de interpretações diversas. Não possui uma aparência definida, Pois sua imagem nos parece sempre conhecida. É um mistério, Que se deve levar a sério. Sua onipresença é sagrada, Não pode ser questionada. Apenas lembrada. É a divindade única, O único Deus a ser reverenciado, Porque ele é o nosso futuro, presente e passado. Harley Clovis Stocchero O Imortal viajou; Nas entrelinhas da infinita imensidão. Mas está presente em cada verso, Que narrou do seu querido universo. Um poeta de características nobres, Refletidas na sua obra; Ermida pobre. Uma pessoa de sentimentos profundos, Demonstrados no livro; Os dois mundos. Com sabedoria e criatividade, Redigiu mais sete obras de qualidade,


Que descreveu a realidade, Com propriedade. Almirante Tamandaré não perdeu um poeta, Ganhou uma lenda da literatura, O marco de uma cultura, O qual o mérito não se contesta. Botiatuba O bairro em que mor, Muito eu adoro. É uma região, De história e tradição. Cercada de morros e araucárias, Que dividem a paisagem. Com as indústrias e a agropecuária. Tem sangue Tinguí na denominação, Eslavo na tradição, E brasileiro no coração! Terra do butiá, Onde ainda canta o sabiá. Que é fonte de inspiração, Dessa resumida descrição. Capital exemplo Curitiba cresceu, Modernizou-se e evoluiu, No mapa aos poucos apareceu, E uma cidade modelo brotou. Das parcerias com a Natureza, Ganhou beleza e pureza. Desenvolveu-se com administração consciente e lógica. E isto lhe dá o status de Cidade Ecológica. Mas o processo de urbanização, Traz problemas diretamente a sua população. Que devem ser analisados de forma especial, Porque Curitiba também é a Capital Social. Curitiba parece ser perfeita, Porém é construída por humanos.


Por este motivo, existem muitas coisas nela imperfeitas. Mas são coisas, que serão corrigidas com o passar dos anos. Almirante Tamandaré novos rumos A filha dos minérios, Por um período não foi levada a sério. A população cresceu, Mas o município não desenvolveu. Erros administrativos, Corromperam a cidade, Mas a nova realidade, Fez surgir rumos alternativos. Almirante Tamandaré, Vai parar de andar de ré. Vai voltar a evoluir, E um novo horizonte construir. Este lugar é minha paixão, E me dói no coração, Observar o fenômeno da urbanização, Ser tratado sem responsabilidade e organização. A terra do Paraná O Paraná é um lugar, Que muitos vem para passear, Porém gostam, e voltam para morar. É um Estado de oportunidades, De um povo que constrói a realidade, Com extrema responsabilidade. É um Estado cercado de belezas naturais, Rico em recursos minerais, Desenvolvidos polos industriais, E grandes centros comerciais. O Paraná é um Estado, Que possui grandes centros universitários, Muito desenvolvidos e diversificados. Traços de um povo honorário!


Folha de Tamandaré Um jornal tradicional, Periódico quinzenal; Divulgador cultural, Prestador de serviço social. Informativo político, Imparcial e critico. Incentivador esportivo, Um meio de comunicação alternativo. “A verdade sem retoque”, Que traz sempre um importante enfoque, De assuntos oficiais, De diversas prefeituras municipais. É um jornal que possui uma historia de honrarias, Um reflexo de seu diretor-presidente, Leônidas Dias. Que faz de sua vida, Uma lenda a ser seguida. Polícia A lei e a ordem, Os combatentes da desordem. Os protetores do cidadão, Sob qualquer situação. Pessoas de coragem, Que enfrentam “seres selvagens”, Muitas vezes correndo o risco de morrer, Para nos proteger. Porém, nem sempre seus esforços são reconhecidos, Muitas vezes são agredidos, Por uma mídia sensacionalista, Que se aproveitam de ocorrências imprevistas. Mas o trabalho policial, É um serviço especial, Que não pode ser visto como mal. Pois a segurança é um bem fundamental.


Nasce 2006 Um novo ano nasceu. A esperança renasceu; No sonho que morreu. Saudações ano novo! Que renova a vida, Que estava abatida. Mais um ano, Muitos planos, Menos enganos. A grande virada. Deus abençoe esta nova jornada, De todas as maneiras desejadas.


Capítulo VII

Vozes do fim!

“Fatalidade é tudo aquilo que a gente só prevê depois que acontece”. (ELIACHAR, Leon)


Saber que vai morrer! Saber que vai morrer, Para uns o fim antes do fim. Para outros o medo do desconhecido. Uns não temem a morte. Mas sentem com tristeza o fato, De saber que vão perder de uma só vez, Todos aqueles que amam, E tudo aquilo que gostam. Saber que vai morrer, É diferente de saber que um dia, Todos vamos morrer. Pois isto nos pega de surpresa, E não nos da alternativa, Senão esperar por um milagre. Não há consolo capaz de confortar, Um ser com os dias contados. Mas existe a sabedoria, Capaz de mostrar de mostrar uma nova visão, Que existem nos últimos passos, Pelas estradas da vida. Cápsula do tempo Um dia escrevi; Que minhas palavras correriam o mundo. Um dia escrevi; Que minhas palavras eternizar-me-iam. Não menti! Elas já estão pelo mundo. E irão enfrentar o tempo. Poucos acreditaram; Muitos riram; Mas não me abalei! Redigi minha historia em versos, Viajei entre sonhos e a realidade. Mas não sei o que irá acontecer. Só sei que tentei fazer algo especial!


Meu legado O legado que deixo, Não é uma grande fortuna. Mas apenas um monte de palavras, Sem valor; para quem não ás compreende. Deixo o meu passado. Minhas paixões, Meus sonhos, E emoções! O meu legado são utopias, Que realizados; trarão a felicidade. Mas que valor possui a felicidade? Se não sabes, pesquise! Procurando minha alma gêmea Não procuro uma namorada! Procuro a alma, Que fundiu-se a minha, Pelo calor do verdadeiro amor. Em algum momento do passado! Não tenho ideia de onde ela esta. Talvez esteja muito próxima, Talvez esteja muito distante. Talvez nem fale minha língua. Ou talvez esteja esperando esta inusitada poesia! As estrelas dizem que por um meio de comunicação, Ou entre os amigos, Eu irei encontrar minha gêmea paixão. Talvez seja por isto que o destino me fez poeta. Pois ele sabia, que minhas palavras viajariam pelo mundo e tempo! Hoje descobri mais um dos objetivos de minhas poesias. O de achar quem pela eternidade irá me acompanhar, Em minha; em nossas missões! Se por algum motivo você tiver a sensação, De já ter me conhecido ou lido algo que redigi, Escreva-me!


Templo da alma Os mistérios da morte, Revelam os segredos da vida. Escritas nas paredes dos corredores do templo, Que abriga a alma. Os corredores desse templo formam um labirinto, Oculto e sombrio. Andar por ele; É vagar pelo Universo. Muito se vê, Pouco se entende. Porém se aprende, Que o templo não pode se tornar um cárcere. A alma vive, Apenas livre, Desprendida dos sentimentos materiais, Que tornam o templo um lugar real. Mil e duzentas poesias! Mil e duzentas obras criadas, Todas idealizadas, Referente a uma vida sonhada, Parcialmente realizada. Nesse universo de ideias, A sabedoria régia, Do grande Salomão, Era o exemplo que segui, Para formular minha expressão. Muitas vezes minhas palavras perderam a real noção, Talvez porque redigi coisas do coração, Os quais, só se entende sentindo, E não por uma efêmera explicação. Minha eternidade; Que louca realidade, Protegida do tempo, Por um exercito de palavras, Divididas em mil e duzentas brigadas!


Registro de uma vida Registro a minha passagem, Por este dadivoso planeta, Através de meus sonhos. Alguns viraram utopias, Que ficaram marcados, Na concreta realidade, Sempre cheia de surpresas. Outros sonhos viraram realidade, Que fizeram-me encarar altas viagens. Mas minhas marcas, Estão descritas em poesias, Nas atitudes solidárias, Em cada ação ecológica, Nas conquistas esportivas, Em cada pessoa que conquistei, No pouco que ensinei, Mas sobre tudo; Na forma que amei! último conhecimento Se um dia eu conseguir escrever, O que tento descrever. O mundo irá acabar; E o universo irá mudar! Porque é um segredo sagrado, Que não pode ser propagado, Entre seres degenerados, Que não aprenderam nada com seus antepassados. Pois, o caminho para o encontrar, Deve ser feito sem ninguém ajudar. Para que se aprenda com essa viagem, Os conhecimentos devem ser extraídos da eterna aprendizagem. Que foge a razão, E aos instintos do coração, Envolvendo a ação e a emoção, Numa complexa compreensão.


Lendas esquecidas Não escuto mais o canto das sereias, Que sempre enfeitiçaram-me. Não vejo mais as princesas, Que com suas belezas cagavam-me. Não falo e nem escrevo sobre o amor, Porque não sinto mais o seu sabor. Não arrisco-me mais em loucas viagens, Pois me falta vontade e coragem. Porém, nem o prazer, Consegue me satisfazer. No que eu acreditei; Eu mesmo sepultei! Tudo virou passado, Que esta para ser sepultado, Em um lugar, Onde nunca mais será achado. Envelhecimento precoce Tive que crescer, Para não sofrer, Quando envelhecer. Mas tento aproveitar o tempo, Para ele não passas como o vento. Levando minha juventude, E minha saúde. Nesses dias que passam tão rápido, Meus esforços parecem serem inválidos, A ponto de se escrever um passado, Com um mínimo lembrado. Tenho saudade, Da época que não conhecia a responsabilidade; Apenas a felicidade! Não mataras Não matar. Um divino mandamento, Que não se deve afrontar, Em nenhum momento. Não matar,


Não é simplesmente a vida de alguém tirar. É o momento que proibimos alguém sonhar, É a esperança de alguém que friamente conseguimos afastar. É o amor que se transforma em dor. É a mentira que um dia consegue se revelar. São todas nossas más atitudes, Que envenenam as pessoas que nos cercam, Que aos poucos vão perdendo os motivos para viver, Porque verem e escutam, O que mais temiam acontecer, Que é estar morto, Sem ainda ter morrido! Que também se tornaram um assassino, Mas nem perceberam! Depressão Falta de solução, Insuportável aflição, Eterna tenção. Sensação de profunda solidão. Falta de vontade, Para aprender com a liberdade. Em tudo acreditar, Cegamente sem desconfiar. Uma nova realidade, E tudo perde a credibilidade. Um eterno clima nublado e de lócus-fusco, Com o gosto do temor do amanhecer. Auto anulação, Sem perspectiva de reação. A alma então é corrompida, Só restando á vida física. Agravante situação, Resumida em resolver esta questão; Ascende uma alternativa; Tirar a própria vida! Depressão: Sinônimo de escuridão. O depressivo terminal; Um zumbi!


Cabelo branco As marcas do tempo fazem refletir, Se realmente se conseguiu viver, A ponto de fazer, A alma sorrir! É um aviso formal, Que o homem é um ser imortal, Que torna o seu destino, Um caminho infernal. É o primeiro sinal de envelhecimento, É o tempo dizendo, Para se aproveitar melhor, cada momento. Viver cada momento; É o melhor caminho, Para a satisfação de não morrer com arrependimento. Parar no tempo Quem vive, Não para no tempo. Mas quem faz o contrario; Morre para o mundo. Não é lembrado! Viver sem fronteiras. Deixar marcas, Para estar em essência, Em lugares e épocas, Fora da realidade mortal. Sonhar e realizar. Viver! Para morrer, Sem arrependimento, Ou sensação de algo não feito. Parar no tempo! É estar vivo como um zumbi. É perder vitais oportunidades; Morrer de tédio e solidão; Sem fazer nada para tudo isto mudar.


Flertando com a morte A morte é uma bela mulher; Que nos observa de longe. As vezes fica ao nosso lado, Sempre sem chamar atenção. Porém, as sensações nos tentam, E desafiamos o que já esta previsto, Adentrando nos limites, até onde ninguém foi. Atraímos a atenção da fatal dama, Que levemente nos toca. Deixando uma breve sensação de paz, A ponto de vermos o mundo diferente. Mas a morte se faz de difícil, Pois ela é dominadora! Ela sabe a hora de seduzir e surpreender com seu beijo. Mil e trezentas poesias A inspiração morreu. A qualidade; Não é mais a realidade. Apenas quantidade, Um amontoado de palavras, Que não enfoca nenhuma novidade. Mais uma poesia. Talvez a mais vazia, Porque não carrega a magia, De um belo dia. Palavras repetidas, Mensagens perdidas. Não deveria ser assim, Sinto que esta chegando o fim. Mais um ano se foi Um ano acaba. Uma vida com tempo pré-determinado, Que logo vira passado.


Adeus ano velho, Um envelhecimento precoce, Que na realidade, Se distorce. Todo ano; O ano morre, Para se criar novos planos. O ano se foi, Do mesmo jeito que eu lhe disse oi! O que ele levou? Foi o que ele sempre mostrou! Luto Alguém nos deixou. Virou lembrança, Para sempre viajou. Entender este momento, É descrever um tormento. É caminhar na escuridão, Ao lado da solidão. É a hora que se pensa na morte, Como o único norte. E se vê a vida, Como uma historia resumida. O luto, É morrer junto, Até achar as respostas para o nosso mundo. Destino desconhecido VIII O destino plantado, Nem sempre é o destino colhido, Por isto ele é desconhecido. O destino não planejado, Tão pouco reeditado. Porque o destino, É o caminho que leva ao fim. O destino não é viver,


É morrer! É o tempo que levamos para entender, Que vamos desaparecer. O destino só é desconhecido, Para quem esta perdido, Num caminho conhecido. Paletó de madeira A ideia de ficar dentro de um caixão, Para muitos da aversão. Causa terror! Que se reflete até no humor. Símbolo do falecimento. Sinônimo de último momento. Este fúnebre vestimento. O “paletó de madeira”, Um apelido feito de brincadeira, Que é levado muito a sério. Caixão; É a cama da solidão. O quarto da escuridão, E a última recordação.


BIOGRAFIA

Antonio Ilson Kotoviski Filho. Nasci em uma manhã de primavera austral do dia 10 de outubro do ano de 1976. Fui abençoado em nascer em “berço de ouro”; rico em carinho, amor, atenção e cuidados. Sou tamandareense nato com muito orgulho. Aprendi a gostar e admirar minha terra, desde os meus primeiros passos. E a cada dia a admiro mais. Sou formado licenciado em Estudos Sociais e História, bacharel em Direito, especialista em História do Brasil e Geografia do Brasil e Mestre em Ciências da Educação. Atualmente sou professor de História na Rede Pública de Ensino do Estado do Paraná, onde leciono até este momento em colégios e escolas do município de Almirante Tamandaré-PR. Sou um amante incondicional do esporte. Fui jogador de futebol do Clube Atlético Paranaense, categoria cobrinhas, mas o futebol não é minha única paixão. Pois pratiquei KungFu e Karatê. Porém o Mountain Bike me deu satisfações e lembranças inesquecíveis. Sou torcedor fanático do Clube Atlético Paranaense, tal paixão me faz escrever muitas colunas com comentários sobre a vida do Furacão, nas páginas da rede mundial de computadores. Já minha história como poeta surgiu como consequência de um ato romântico, o qual foi o percussor do desabrochar do dom de poeta que existia em mim.


Divulgando. A satisfação de um escritor é saber que suas criações foram bem aceitas pelos leitores. E mais ainda, é saber que existe uma busca e curiosidades sobre novas obras. Diante de tal fato meus livros são:

1. AMOR DESCRITO POR UM APAIXONADO PELA VIDA! (Poesias); 2. SONHANDO ESCREVI SOBRE O AMOR, (Poesias); 3. VERSOS IMPERFEITOS. INTENÇÕES VERDADEIRAS, (Poesias); 4. VIAGEM VERSADA, (Poesias); 5. POESIAS: O REFUGIO DE UMA ALMA ROMÂNTICA, (Poesias); 6. INSPIRAÇÃO DERRADEIRA, (Poesias); 7. ESCRITURAS ROMÂNTICAS, (Poesias); 8. VOZ INTERIOR! (Poesias); 9. REFLEXOS DE MUITOS MOMENTOS, (Poesias); 10. A HISTÓRIA DA HUMANIDADE EM VERSOS, (Poesias); 11. A HISTÓRIA BRASILEIRA EM VERSOS, (Poesias); 12. OS PAÍSES DO PLANETA TERRA EM VERSOS, (Poesias); 13. LIVRO NEGRO. O LADO OPOSTO DO AMOR, (Poesias); 14. HORIZONTE TERMINAL. (Romance); 15. A INDISCIPLINA NO CONTEXTO ESCOLAR. (Dissertação); 16. O INTEGRALISMO NO BRASIL. (Monografia); 17. RELATOS DE UM TAMANDAREENSE. HISTÓRIA DO MUNICÍPIO DE ALMIRANTE TAMANDARÉ, (Histórico Científico).

Voz interior!  

Coletânea de poesias, poemas, sonetos de contexto social e lírico.

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you