Page 89

Banco da calçada

Sentei no banco da calçada, Lá longe vi um broto me acenar, Então quando a garotada por ali passou, Com ela falei, E logo seu endereço, perguntei; Ela logo respondeu; Com aquele jeitinho descarado: Eu moro na rua do lado do mercado!

Do meu bolso o caderninho tirei, E seu endereço anotei. Então no outro dia meu carro acionei, E para lá me mandei. Mas aquele broto não mais encontrei. Logo cismei que a garota, Para atrás me passou.

Agora vou sentar no banco da calçada, E quando um broto por ali passar, Não vou com ela mais me importar.

89

Amor descrito por um apaixonado pela vida!  

Livro de poesias, poemas, sonetos e acrósticos de contexto lirico.

Amor descrito por um apaixonado pela vida!  

Livro de poesias, poemas, sonetos e acrósticos de contexto lirico.

Advertisement