Issuu on Google+

Revista

Carnaval Ano I n Edição nº 10 n Agosto/2012

Superação é o lema das escolas da Intendente A ordem de desfile no Rio e de São Paulo Acessos A e B formam a nova Série Ouro

Entrevista

Agosto / 2012

O comandante da folia mirim Revista Carnaval l 1


EDITORIAL

Classificação 2012

(Grupo Especial e Grupos de Acesso A, B e C do Rio de Janeiro) Grupo Especial 1º Unidos da Tijuca 2º Acadêmicos do Salgueiro 3º Unidos de Vila Isabel 4º Beija-Flor de Nilópolis 5º Acadêmicos do Grande Rio 6º Portela 7º Estação Primeira de Mangueira 8º União da Ilha do Governador 9º Mocidade Ind. de Padre Miguel 10º Imperatriz Leopoldinense 11º São Clemente 12º Unidos do Porto da Pedra ** 13º Renascer de Jacarepaguá **

Grupo de Acesso A 1º Inocentes de Belford Roxo * 2º Império Serrano 3º Império da Tijuca 4º Acadêmicos do Cubango 5º Unidos do Viradouro 6º Acadêmicos de Santa Cruz 7º Estácio de Sá 8º Acadêmicos da Rocinha 9º Paraíso do Tuiuti

* Sobe de grupo. ** Rebaixada de grupo.

Grupo de Acesso B 1º Caprichosos de Pilares * 2º Alegria da Zona Sul 3º Unidos de Padre Miguel 4º Sereno de Campo Grande 5º Tradição 6º União do Parque Curicica 7º Unidos da Vila Santa Tereza 8º União de Jacarepaguá 9º Mocidade de Vicente de Carvalho *** 10º Difícil é o Nome *** 11º Arranco do Engenho de Dentro ***

Grupo de Acesso C 1º Unidos do Jacarezinho * 2º Unidos de Vila Rica 3º Unidos de Vila Kennedy 4º Em Cima da Hora 5º Império da Praça Seca 6º Acadêmicos do Sossêgo 7º Favo de Acari 8º Unidos da Ponte 9º Rosas de Ouro 10º Boi da Ilha do Governador 11º Arrastão de Cascadura ** 12º Unidos do Cabuçu ** 13º Acadêmcos da Abolição ** 14º Lins Imperial ** 15º Independentes de São João de Meriti **

O futuro como inspiração

C

omo será o amanhã? O verso do belíssimo samba de João Sérgio, para o Carnaval de 1978 da União da Ilha do Governador, poderia servir de inspiração para a expectativa para o desfile de 2013. Mudanças como a criação da Série Ouro geraram desconfiança em torno do acerto da junção dos Grupos de Acesso A e B. O sucesso da medida só o futuro dirá. Aliás, preparar o futuro do Carnaval é o que faz a Associação das Escolas de Samba Mirins do Rio de Janeiro (Aesm-Rio). O presidente da entidade, Édson Marinho, que gostou da ida do desfile das crianças para a terça-feira, em entrevista à REVISTA CARNAVAL, garante muito empenho e trabalho para a garotada se esbaldar na Sapucaí e pede uma melhor subvenção e a construção do Planeta do Samba Mirim, que contribuirá enormemente para a folia e para o trabalho social das agremiações. REVISTA CARNAVAL mostra também que as escolas já podem pensar o futuro e planejar seus cortejos em função da hora e do dia da apresentação. A ordem de desfile está definida. E nossas páginas ainda trazem os preparativos das agremiações de todos os grupos para o Carnaval 2013. O futuro das escolas da Intendente Magalhães não se mostra muito promissor. Apesar da mudança no comando da Associação das Escolas de Samba da Cidade do Rio de Janeiro (Aescrj), as agremiações dos Grupos C, D e E convivem com muitas dificuldades para produzirem seus desfiles. Enquanto o futuro não chega, especialmente a folia de Momo, REVISTA CARNAVAL continua contando o dia a dia da maior manifestação cultural da Cidade Maravilhosa. Boa leitura! Revista

Carnaval

EXPEDIENTE

A Revista Carnaval é uma Publicação Portifolyo Produções Rua Garcia Redondo, 30, Cachambi, Rio de Janeiro-RJ. Tel.: 9835-1828 Editor: David Júnior. Diretor Executivo: Otávio Sobrinho.

Diretor Comercial: Lúcio Bairral Email: revistacarnaval@revistacarnaval.com.br. www.revistacarnaval.com.br. Foto de capa: Divulgação / Riotur / Elisângela Leite. Os artigos assinados são de inteira responsabilidade de seus autores.

Agosto / 2012

SUMÁRIO ENTREVISTA Édson Marinho

4

ESPECIAL Ordem de desfile

12

HOMENAGEM Paulo da Portela

14

LITERATURA Compositor, pintor e poeta

15

ACESSO A nova Série Ouro

16

ACESSO A Academia da Viradouro

18

ACESSO nova direção na Aescrj

18

POPULAR A difícil Intendente

22

INESQUECÍVEL A explosão da Estácio

28

SAMPA Hora e data dos shows

30

Revista Carnaval l 3


Foto: A. Pinto.

ENTREVISTA

Édson Marinho

conversa com a Riotur, com a Liesa e com a Lierj. Nós trouxemos esta possibilidade para a nossa reunião plenária e resolvemos trocar o dia, com o intuito também de ajudar no fortalecimento do Carnaval. A terça-feira nos permitirá fazer um grande espetáculo. Foi uma questão administrativa, junto com a valorização da cultura carioca. Desta forma, teremos em 2013 uma sexta-feira forte, um sábado forte, domingo e segunda indiscutivelmente são o ponto alto do Carnaval e, na terça-feira, vamos fazer um grande espetáculo com as crianças. Já adianto que o Carnaval de 2013 será um dos maiores de todos os tempos na terça-feira. Vamos, de certa forma, revitalizar o dia.

ENTREVISTA

Nós trouxemos a possibilidade de desfilar terçafeira para a nossa reunião plenária e resolvemos trocar o dia, com o intuito também de ajudar no fortalecimento do Carnaval.

Vocês foram chamados para discutir ou apresentaram uma proposta pronta? Nós sentamos antes para conversar e decidimos trocar, mediante o interesse da TV GloFoto: Divulgação / Riotur / Raphael David.

O Carnaval mirim pensando grande

Qual a sua avaliação sobre o desfile mirim na terça-feira de Carnaval? Para a administração, por questão de segurança, a terça-feira é um dia melhor, porque estarão fechadas a Rua Frei Caneca e as duas pistas da Avenida Presidente Vargas, sentido Candelária. Na sexta-feira, a Frei Caneca funcionava em meia-pista e uma das pistas da Presidente Vargas ficava aberta. Isto poderia trazer riscos para as crianças. As escolas mirins desfilam há 29 anos, 30 anos fará em 2013, e nunca aconteceu, mas poderia acontecer, e a responsabilidade, enquanto administrador do desfile, poderia ser da Aesm-Rio. A maioria dos órgãos é a favor da mudança por uma questão de segurança das crianças. No entanto, os presidentes não tinham interesse em que o dia fosse mudado. A criação da Série Ouro, com a possibilidade de transmissão de TV para o Rio de Janeiro, o que ajudaria o crescimento do Carnaval, permitiu esta

O Presidente da Associação das Escolas de Samba Mirins (Aesm-Rio), Édson Marinho, aprovou a mudança do dia de desfile e antecipa que o Carnaval das crianças em 2013 será o maior de todos os tempos. A segurança das crianças aumenta com a passagem do desfile mirim para terça-feira. n

4 l Revista Carnaval

Agosto / 2012

Agosto / 2012

Revista Carnaval l 5


ENTREVISTA

O desfile mirim já formou muito sambista bom, e esta mudança ajudará a despontar mais profissionais para o Carnaval.

A descoberta de novos talentos deve se intensificar com a possibilidade dos dirigentes das escolas do Grupo Especial e da Série Ouro poderem ver a apresentação das crianças. Foto: Divulgação / Riotur / Marina Herriges.

n

6 l Revista Carnaval

bo de fazer a transmissão, o que acredito que só acontecerá em 2014. No ano que vem, creio que cederá os direitos para outra emissora e, como, tenho certeza, o Ibope será alto, transmitirá em 2014. Os presidentes reagiram de que forma? Houve unanimidade? Participaram da plenária 15 escolas, com 13 votos a favor e dois contra.   Você acredita que o desfile de terça-feira possa aumentar a visibilidade das escolas mirins no mundo do samba, a partir do momento em que todas as agremiações já desfilaram e as atenções se voltem para as crianças? O presidente da Liesa, Jorge Luis Castanheira, por quem temos muito carinho e respeito e de quem eu sou fã, procurando imitá-lo em muitas coisas, estará conosco na terça-feira, ajudando a organizar o Carnaval mirim. Em todos es-

tes anos, ele não teve a oportunidade de estar na Avenida no desfile das crianças. E os diretores das grandes escolas, seja do Especial ou da Série Ouro, que desejam conhecer melhor o trabalho e descobrir talentos? Há esta possibilidade. Eles estarão mais assíduos na terça-feira, porque o compromisso deles já acabou, seja na sexta-feira, sábado, domingo ou segunda-feira. Será a festa das crianças. O desfile mirim já formou muito sambista bom, e esta mudança ajudará a despontar mais profissionais para o Carnaval. A infraestrutura, pelo fato do Carnaval estar no final, poderá ser melhor? Em 2012, havia muita coisa a ser feita na sexta-feira. Não temos do que se queixar. Basta entregar a pista para a gente às 17h. Este ano tentaremos começar um pouco mais cedo, com uma abertura às 16h, estamos elaborando alguma coisa. Não há dificuldades. O que sempre houve foi coisa pequena, como uma falha de som. Em 2007, havia uma passarela móvel que deu um certo transtorno. Mas ela foi abolida. Na terça-feira as escolas vinham passando para um público bem reduzido, você teme que as arquibancadas não fiquem tão cheias como na sexta-feira? Este era um dia que eu gostava muito de assistir ao desfile. Agosto / 2012

Foto: Divulgação / Riotur / AF Rodrigues.

ENTREVISTA

O regulamento da Aesm-Rio prevê de duas a três alegorias nas escolas mirins. n

As escolas do antigo Grupo de Acesso B usam muito material alternativo, e nós, que ainda não temos condições de fazer um Carnaval luxuoso, eu espero um dia fazer um desfile à altura de nossas crianças, sob o ponto de vista financeiro, aprendemos com elas, com os carnavalescos destas escolas. Aliás, há carnavalescos muitos criativos nestas escolas. Estas agremiações estão mais próximas da nossa realidade. Mas eu tenho certeza que conseguiremos colocar um grande público na Sapucaí. Há muitas escolas reeditando sambas-enredo, o que ajuda. Eu, particularmente, gosto das reedições, porque elas dão a oportunidade para as crianças conhecerem grandes sambas e uma cultura maravilhosa. Já foram reeditados sambas com 40 anos. Este ano teremos a Herdeiros da Vila, a Aprendizes do Salgueiro, a Filhos da Águia, a Tijuquinha do Borel, a Petizes da Penha ... Isto motiva o público porque ele tem uma aproximação com os sambas reeditados. Às vezes o pai desfilou, a tia desfilou, alAgosto / 2012

guém da família desfilou. O público do desfile mirim é eclético ou reúne parentes e amigos das crianças que desfilam? Há famílias, mas também pessoas que vêm até de outros estados para assistirem ao desfile mirim. Gente que liga aqui para a sede da associação, até de outros estados, e nós disponibilizamos, da cota da Aesm-Rio, uma certa quantidade de frisas e arquibancadas. Como foram os 10 anos, completados recentemente, da Aesm-Rio? Estou há cinco anos na presidência e ainda tenho mais dois. Como vice, foram outros dois. É o tempo em que estou ajudando a associação. Nestes 10 anos, nós avançamos bem. Mas há muito o que fazer ainda. Conseguimos dar uma visibilidade maior ao Carnaval mirim, ter o reconhecimento dos órgãos públicos e da Liesa. Acho que estamos no caminho certo. Faltam algumas coisas que tentamos buscar,

Há famílias (entre o público das crianças), mas também pessoas que vêm até de outros estados para assistirem ao desfile mirim.

Revista Carnaval l 7


Os intérpretes e o CD das escolas mirins têm recebido muitos elogios dos grandes nomes do microfone.. n

como o Planeta do Samba Mirim, que é a Cidade do Samba das crianças. Se Deus permitir, vamos conseguir o mais rápido possível. Já temos alguns espaços, terrenos em mente. Este foi um sonho do primeiro presidente da Aesm-Rio, professor Sérgio Murilo, já falecido. Ele escolheu este nome. Acho que, por respeito a ele, devemos mantê-lo. Acreditamos que em um ou dois anos já teremos o espaço, ou estará em fase de construção. O que falta melhorar? Uma subvenção digna, por exemplo. A verba que a associação recebe hoje e passa para as escolas está fora de nossa realidade. Queremos melhorar isto. Quanto cada escola recebe? Hoje, em torno de R$ 30 mil. Precisaríamos de algo em torno de R$ 120 mil, R$ 150 mil.   As escolas mirins recebem uma quantia semelhante às do Acesso E. Mas são situações diferentes. Há escolas mirins que desfilam com até 3.500 crianças.

8 l Revista Carnaval

Eu não acredito que as escolas do Acesso E cheguem a este contingente. Eu não sei como elas fazem no E, mas as fantasias das escolas mirins são todas gratuitas. A gente não permite que se cobre. Claro que não conseguimos dar tudo que as crianças merecem, como uma sapatilha. Tem escolas que não têm condições de comprar. É preciso pagar o ferreiro, o carpinteiro, a costureira, o carnavalesco, os empurradores. Temos que fazer camisas para a diretoria, pagar um lanche para as crianças. O custo é alto. Nós ainda precisamos fazer os eventos. No dia 7 de agosto, vamos realizar o sorteio da ordem de desfile. Exatamente, um mês depois, no feriado, faremos o torneio de futebol das escolas mirins, no Clube da Light, no Grajaú. Depois, a escolha da Corte Mirim. Tudo está no calendário. É preciso dinheiro. Precisamos ficar pedindo aqui e ali. Além da despesa da premiação dos melhores do Carnaval, da gravação do CD. Não tem como deixar de fazer. E é uma agenda gratuita. Não há receita. Nós precisamos fazer estes eventos até para dar visibilidade ao Carnaval mirim. O reconhecimento melhorou ao longo destes 10 anos? Melhorou com a qualidade do trabalho de todo o grupo, não só da diretoria da Aesm-Rio. Os presidentes das escolas têm trazido para a plenária coisas boas e o pessoal tem acatado. Isto começou com o CD, que não tinha uma boa Agosto / 2012

qualidade. Com o falecimento do professor Sérgio Murilo, entrou o Paulo Alves na presidência e eu na vice-presidência. Passei a coordenar a produção do CD, que ganhou qualidade profissional. Os intérpretes do Grupo Especial passaram a elogiar o CD e pedir um. Depois vieram outras coisas. Este interesse de trocar a sexta-feira pela terça-feira existe há vários anos, mas a Associação sempre honrou seus compromissos, como os de horário, tanto para começar, quanto para terminar. Sempre procuramos fazer o certo, por isto cobramos muito. O intuito é que tudo aconteça da forma certa. Para se ter uma ideia, há escolas com 50% das roupas das crianças prontas, outras estão fazendo ferro, usando, é claro, cartas de crédito, com a ajuda da Associação.

conversando com o pessoal da Riotur.   Você acredita que saia em que mês? Não tenho como precisar. No último ano, foi em setembro, ou outubro, acredito.   Ao longo deste tempo, muitas revelações saíram para o Grupo Especial e a hoje Séria Ouro. Tem o Thiago Brito, da Inocentes de Belford Roxo; o Igor Sorriso, da São Clemente; o Daniel, da Paraíso do Tuiuti; o Leandro da Estácio, que teve sua formação toda na Mangueira. Há ainda o Feliciano Júnior, da Mocidade, que começou na Nova Geração do Estácio como intérprete, depois passista e, finalmente, mestre-sala. Eu disse para ele: agora você acertou. Posso citar o Dudu Nobre e a Lucinha Nobre, o Átila, presidente do A subvenção chega sempre Império Serrano, o Marcinho, em cima da hora? ex-mestre-sala da Viradouro, Estamos acreditando que este que era da Sementes da Estáano saia mais cedo. Isto é cio, na época. Há muita gente, uma das coisas que estamos ritmistas, diretores.

ENTREVISTA

Há escolas com 50% das roupas das crianças prontas, outras estão fazendo ferro, usando, é claro, cartas de crédito, com a ajuda da Associação.

Foto: Divulgação.

O Planeta do Samba Mirim, que é a Cidade do Samba das crianças, se Deus permitir, vamos conseguir o mais rápido possível.

Foto: Divulgação / Riotur / Raphael David.

ENTREVISTA

Édson Marinho calcula em R$ 150 mil o custo de um desfile mirim. n

Agosto / 2012

Revista Carnaval l 9


Foto: Divulgação / Riotur / Elisângela Leite.

ENTREVISTA

n

Todas as fantasias das escolas de samba mirins são doadas para os componentes. Você aposta em muita gente para aparecer? O intérprete da Estrelinha da Mocidade, Thiago Acácio, que está com 18 anos, a cantora da Nova Geração do Estácio, Tatiane Carvalho. Ela é muito afinada.

10 l Revista Carnaval

Como acontece o desfile? Número de componentes, alegorias ... Cada escola deve apresentar um mínimo de duas alegorias e um máximo de três. O mínimo de componentes é de 1.000 crianças. A Mangueira do Amanhã traz em torno de O tempo é que não permite 2.700. A Corações Unidos do ou é a divisão da subven- Ciep vem com 3.500. A Nova ção? Geração do Estácio vem com O tempo não deixa. Doze es- 2.000 crianças. Tem escola colas seriam o ideal para nós. com 1.500 outras com 2.000. Ou seja, há cinco a mais, que não podemos desfiliar. E a questão social? Esta é uma das questões em Há um acordo com a Vara da que precisamos avançar um Infância de terminar às 24h. pouco mais. Há escolas do Não é acordo. É uma determi- Grupo Especial que tem as nação e nós temos que cum- chamadas vilas olímpicas. prir. Nestas, as crianças ainda conAgosto / 2012

Como isto seria possível? Com o Planeta do Samba Mirim. O espaço não seria só para barracões. Haveria lugar para o social, para as oficinas, para o esporte, com uma quadra polivalente e pista de atletismo, um lugar para reforço escolar, para tratamento dentário, um auditório para palestras. Poucas escolas mirins conseguem fazer este trabalho social? Algumas não têm nem espaço para ensaiar. Nós queremos o Planeta do Samba Mirim não somente pelos barracões, que poderiam ficar ociosos uma boa parte do ano. Queremos o Planeta do Samba Mirim para atender estas necessidades, para ter um espaço para shows, um museu do samba mirim, um lugar para o social. Acontece até de crianças procurarem o social e nós a encaminharmos depois para uma escola. Fazem o processo contrário. Agosto / 2012

O público na Sapucaí fica em quantas pessoas? Eu achava que ficava próximo do Grupo Especial, mas, no seminário das escolas mirins, ficou constatado que chega a ser maior, por causa do entra e sai de pessoas. Não sei exatamente, mas creio que fique em 80 mil a 100 mil pessoas. Desfilam três ou quatro escolas, o público sai e enche novamente. Mais três escolas, sai e enche ... Só que não temos o número da roleta. Por que você acredita que o Carnaval 2013 será o maior de todos os tempos para as escolas mirins? Nós estamos elaborando um grande projeto para a abertura. Ainda não foi para o papel, mas é um plano nosso. Faremos uma grande abertura, em parceria com a Riotur, se tivermos o apoio que pensamos. Abertura e encerramento, com um artista se apresentando em toda a Sapucaí, no carro de som. Estamos planejando uma grande festa.

ENTREVISTA

Nós estamos elaborando um grande projeto para a abertura. Ainda não foi para o papel, mas é um plano nosso. Faremos uma grande abertura.

Os grandes nomes do Carnaval do futuro levam anualmente um público estimado de 100 mil pessoas à Sapucaí. n

Foto: Divulgação / Riotur / AF Rodrigues.

Doze escolas seriam o ideal para nós. Ou seja, há cinco a mais, que não podemos desfiliar.

É possível haver novas escolas mirins? O horário atual não permite. Quem sou eu para dizer que não? Mas para se filiar à Aesm-Rio, não há condições. Há a da Rocinha e outras que querem ser constituídas. A procura é grande.

Como vocês fazem, uma vez que cada escola desfila 30 minutos e o desfile começa às 17h? De 15 a 20 minutos, entra uma escola. Quando chega na metade da pista, desligamos o som da primeira parte e entra outra.

seguem fazer alguma coisa. Muitas escolas mirins não têm este espaço. Aqui, por exemplo, temos capoeira, aula de percursão, de cavaquinho. Mas a gente gostaria de atender todas as escolas em igualdade de condições. Tanto a parte artística e musical, como canto e dança, a parte educacional, um reforço escolar, alguns cursos para as crianças e, até mesmo, os cursos de Carnaval, que seriam de adereço, de escultura, para ser um profissional de Carnaval.

Revista Carnaval l 11


Foto: Divulgação.

Foto: Divulgação / Riotur / AF Rodrigues.

ESPECIAL

Definida a ordem de desfile

Caberá a Unidos de Vila Isabel o encerramento do Grupo Especial. n

Ficou definido que a Portela encerrará a primeira noite de desfiles e a Unidos de Vila Isabel as apresentações de todas as escolas.

A

Liesa definiu na segunda-feira, 16, a ordem de desfile para o Carnaval 2013. Em sorteio realizado na Cidade do Samba, a entidade definiu as posições de apresentação nos dois dias do Grupo Especial da folia carioca. Apenas a Inocentes de Belford Roxo e a São Clemente já sabiam quando desfilariam, uma vez que o regulamento já previa que a campeã do Grupo de Acesso A, em 2012, e a 11ª colocada do Especial seriam, respectivamente, as primeiras

Domingo, 10 de fevereiro

de domingo e de segunda, 10 e 11 de fevereiro. Depois do sorteio e das tradicionais trocas, ficou definido que a Portela encerrará a primeira noite de desfiles e a Unidos de Vila Isabel as apresentações de todas as escolas, já na madrugada de terça-feira, 12 de fevereiro. As duas primeiras colocadas neste ano, Unidos da Tijuca e Salgueiro, serão, respectivamente, a terceira e a segunda a desfilar no domingo de Carnaval.

 Fevereiro,

11 de fevereiro

n

Inocentes de Belford Roxo

n

São Clemente

n

Salgueiro

n

Mangueira

n

Unidos da Tijuca

n

Beija-Flor

n

União da Ilha do Governador

n Acadêmicos

n

Mocidade Independente de Padre Miguel

n

Imperatriz Leopoldinense

n

Portela

n

Unidos de Vila Isabel

12 l Revista Carnaval

ESPECIAL

Carla Prata é a nova Rainha de Bateria da Acadêmicos do Grande Rio. n

do Grande Rio

Agosto / 2012

Fusca dá lugar ao petróleo

Troca-troca de coroas

R

enata Santos deixou o cargo de Rainha de Bateria da Mangueira, mas o posto não ficou vago por muito tempo. A Estação Primeira promoveu o retornou de Gracyanne Barbosa, que não permaneceu na Unidos da Tijuca, à escola. A senhora Belo havia reinado a frente dos ritmistas da Surdo Um em 2008 e 2009. Outra musa que deixou o posto de Rainha de Bateria foi Ana Furtado. A global pediu desligamento da função

Agosto / 2012

a Acadêmicos do Grande Rio alegando que seus projetos a frente do programa Vídeo Show e cobrindo a licença-maternidade de Angélica no Estrelas, a impedem de estar presente quando necessário. A apresentadora, que não se desligará da escola, já tem substituta. A direção da Acadêmicos do Grande Rio convidou Carla Prata, assistente de palco do Domingão do Faustão e que já desfila na tricolor de Caxias para ser a nova Rainha de Bateria.

O fusca ficou pelo meio do caminho. A Acadêmicos do Grande Rio anunciou o enredo para o Carnaval 2013 e, ao contrário do que era esperado, não levará a história do carango para a Avenida. O tema será Amo o Rio e Vou a Luta: Ouro Negro sem Disputa, sobre a batalha do estado do Rio de Janeiro pelos direitos aos royalties do petróleo. O carnavalesco Roberto Szanieck será o responsável pelo desenvolvimento do enredo.

Chocolate na Mangueira Marcelo Chocolate comandará a comissão de frente da Mangueira no Carnaval 2013. Ele substituirá a Jaime Arôxa e será o responsável pelo grupo que abrirá o desfile da verde e rosa no próximo ano. Formado na Casa de Dança Carlinhos de Jesus, ficou famoso pela participação no quadro Dança dos Famosos, do programa global Domingão do Faustão, onde este ano dá aulas para a atriz Claudia Ohana. Revista Carnaval l 13


Nélson Sargento lança livro

HOMENAGEM

A Paulo da Portela e do samba

A

Paulo da Portela batalhava incansavelmente contra o estereótipo de que sambista era malandro e vagabundo.

14 l Revista Carnaval

Portela voltará às suas origens em 2013 e homenageará o bairro de Madureira, sua cultura e personalidades. Com certeza, Paulo Benjamim de Oliveira não ficará de fora. Paulo da Portela é um dos fundadores da Águia e um ícone no Carnaval carioca. No início do século passado, já batalhava incansavelmente contra o estereótipo de que sambista era malandro e vagabundo, visão preconceituosa que há 80 anos estava muito mais acentuada do que podemos perceber atualmente. Paulo da Portela trabalhou incansavelmente para levar aos intelectuais, artistas e políticos do Rio de Janeiro o ritmo que emergia dos morros e subúrbios cariocas.

Sua contribuição à cultura brasileira foi inegável e incalculável e sua história de vida pode resumir a luta travada pelo samba para ser aceito e admirado pela sociedade. Compositor de mão cheia, foi cidadão samba em 1937, mas brigaria logo em seguida com a direção da escola que ajudara a fundar. Os diretores da azul e branco impediram que Heitor dos Prazeres e Cartola desfilassem na Portela por não estarem devidamente vestidos. Afastado da Portela, Paulo jamais voltaria à escola. O retorno esperado e iminente não aconteceu. O fundador da Águia de Madureira faleceu no dia 13 de janeiro de 1949, aos 47 anos. Agosto / 2012

segunda edição de Prisioneiro do Mundo, de Nélson Sargento, já está nas livrarias. Lançado inicialmente em 1994, o livro de poesia volta às prateleiras em uma versão acrescida editada pela Oficina Raquel. A obra mostra que o baluarte da Mangueira é, além de ótimo compositor, um lírico nota 10. Aos 88 anos, Nélson Sargento é um artista talentoso não só no samba. O autor de Agoniza mas Não Morre, além de compositor, cantor e literato, revelou-se um pintor de mão cheia. Seus quadros chamaram a atenção do amigo, jornalista e sambista Sérgio Cabral, que expôs as obras do sambista pintor em sua casa durante a festa de seu aniversário, em 1974. Foi a primeira galeria do mangueirense, que

já pôde mostrar seus traços em espaços consagrados. Nélson Sargento é o segundo sambista a ter um livro editado pela Oficina Raquel. Recentemente, a editora lançou Contos da Colina – 11 Ídolos do Vasco e Sua Imensa Torcida Bem Feliz, do vascaíno Nei Lopes.

LITERATURA

A obra mostra que o baluarte da Mangueira é, além de ótimo compositor, um lírico nota 10.

A segunda edição de Prisioneiro do Mundo é uma versão ampliada do livro lançado em 1994. n

Agosto / 2012

Revista Carnaval l 15


Foto: Divulgação / Riotur / Raphael David.

A Acadêmicos do Cubango será a quinta escola a desfilar no sábado de Carnaval. n

ACESSO

Sexta-feira, 8 de fevereiro

Sábado, 9 de fevereiro

n

Unidos do Jacarezinho

n

União de Jacarepaguá

n

Unidos do Porto da Pedra

n

Paraíso do Tuiuti

n

Tradição Império Serrano

n Acadêmicos

de Santa Cruz

n

Unidos de Vila Santa Tereza

n

n

União do Parque Curicica

n Acadêmicos

n

Estácio de Sá

n

Sereno de Campo Grande

n

Império da Tijuca

n

Caprichosos de Pilares

n

Unidos de Padre Miguel

n

Renascer de Jacarepaguá

n Alegria

da Zona Sul

n Acadêmicos n

da Rocinha

Unidos do Viradouro

do Cubango

Foto: Divulgação / Riotur / Elisângela Leite.

Série Ouro une escolas dos Grupos A e B As 19 escolas que compõe a nova divisão do Carnaval desfilarão nos dias 8 e 9 de fevereiro, sextafeira e sábado, no Sambódromo. 16 l Revista Carnaval

O

que já vinha sendo articula desde 2011 tornou-se realidade. Os Grupos de Acesso A e B foram unificados e passaram a formar a Série Ouro. As 19 escolas que compõe a nova divisão do Carnaval desfilarão nos dias 8 e 9 de fevereiro, sexta-feira e sábado, no Sambódromo. A apresentação das escolas de samba mirins acontecerá, a partir de 2013, na terça-feira.

A decisão de unificação foi articulada pela Lierj, presidida por Déo Pessoa, junto à Riotur, com o apoio do presidente da Liesa, Jorge Luis Castanheira. O anúncio da Série Ouro aconteceu durante o sorteio para o desfile do Grupo Especial, na Cidade do Samba. O acesso de uma escola para a principal divisão das escolas de samba está mantida. As três últimas colocadas serão rebaixadas.

Agosto / 2012

Escolas como a Sereno de Campo Grande, que estava no Grupo de Acesso B, ficaram a um passo do Especial com a Série Ouro. n

Agosto / 2012

Revista Carnaval l 17


Foto: Divulgação / Riotur.

ACESSO

Viradouro homenageia o Salgueiro

A

Unidos do Viradouro irá homenagear o Salgueiro no Carnaval 2013 no desfile da Série Ouro. O enredo Nem Melhor Nem Pior, que São Sai da Minha Mente. Inspiração para o Meu Samba, Eu Também Sou Diferente será desenvolvido por Max Lopes. O carnavalesco, aliás, começou sua carreira auxiliando Fernando Pamplona na própria vermelha e branco tijucana. Os grandes carnavais salgueirenses conduzirão o enredo da Viradouro. A escola niteroiense encerrará o primeiro dia de desfiles da Série Ouro, a sexta-feira de Carnaval, tentando retornar ao Grupo EspeRocinha Podem Acender a Chaminé da Sapucaí que a Fumaça É Branca este é o enredo que a Acadêmicos da Rocinha levará para a Avenida no próximo Carnaval. O carnavalesco Luiz Carlos Bruno desenvolverá o tema. O Presidente da Borboleta Encantada, Darlan Filho, promete uma nova concepção de desfile.   n

18 l Revista Carnaval

cial, de onde foi rebaixada em 2010. À frente dos ritmistas comandados por Mestre Pablo, estará a nova Rainha de Bateria da escola, Dandara Oliveira, que desfila na escola desde 2006. Já o pavilhão vermelho e branco será defendido pelo consagrado mestre-sala Ronaldinho, com passagens por Salgueiro, São Clemente e União da Ilha.

Cubango A coroa dos ritmistas da Acadêmicos do Cubango tem uma nova dona. A escola acertou em cheio escolher a ex-Rainha do Carnaval, Cris Alves, para reinar, em 2013, à frente da bateria comandada por Mestre Jonas. Ela é cria da comunidade de Niterói e morou em frente à quadra da agremiação. n

ACESSO

Unidos da Vila Santa Tereza se reforça para 2013 Tiãozinho Cruz, o novo reforço da Unidos de Vila Santa Tereza, tem no currículo passagens por tradicionais escolas de samba do Rio de Janeiro. Em 2012, defendeu as cores do Império Serrano. Agora, o intérprete, que começou na Unidos de Lucas, quer ajudar a azul e branco a fazer bonito na Sapucaí. A Unidos da Vila Santa Tereza tentará o título da Série Ouro com o enredo Axé, no Caminho das Águas Sagradas. O carnavalesco Guilherme Alexandre, estreante na escola, desenvolverá o tema da azul e branco em 2013. O artista já deu expediente na Império da Tijuca, na Unidos de Padre Miguel e na Boi da Ilha do Governador.

Agosto / 2012

Leandra Leal deverá ser a Rainha de Bateria da Alegria da Zona Sul. n

Bola Preta será enredo

A

Alegria da Zona Sul renovou o contrato do carnavalesco Eduardo Gonçalves, que nos últimos seis carnavais faturou quatro títulos pela Unidos do Jacarezinho, Lins Imperial e Paraíso do Tuiuti. Ele desenvolverá o enredo Quem Não Chora Não Mama ... em homenagem ao Cordão do Bola Preta. A madrinha da instituição que arrasta milhões de foliões pelas ruas do Centro

do Rio de Janeiro, Leandra Leal, deverá ser a Rainha de Bateria da escola de Copacabana. Fábio Junior e Elaine formarão a dupla de mestre-sala e porta-bandeira da Alegria da Zona Sul. O novo par dançará junto pela primeira vez, mas têm experiência no Carnaval carioca. Em 2012, ele estava na Renascer de Jacarepaguá, e ela na Acadêmicos do Cubango.

Paraíso do Tuiuti O carnavalesco da Mangueira, Cid Carvalho, dará duplo expediente em 2013. Mas não precisará ir muito longe. Ele trabalhará na Paraíso do Tuiuti, que fica bem pertinho da Estação Primeira, e desenvolverá o enredo O Professor se Foi ... Que Pena! Mas a Escolinha Continua, em homenagem ao humorista Chico Anísio.   n Santa Cruz A dupla Sylvio Cunha e n

Agosto / 2012

Lane Santana será responsável pelo desenvolvimento do enredo da Acadêmicos de Santa Cruz em 2013. A verde e branco levará para a Avenida o tema O Dragão do Mar e a Lenda do Ceará na disputa da Série Ouro.   n Jacarezinho Nota máxima nos últimos quatro anos, Renata Monier acertou sua permanência na Unidos do Jacarezinho para a Série Ouro do Carnaval 2013. A renovação do con-

Quem Não Chora Não Mama ... será o enredo da Alegria da Zona Sul.

trato com a coreógrafa da comissão de frente é mais um trunfo da escola.    n Tradição Diego Machado e Natália Pereira formam o novo casal de mestre-sala e porta-bandeira da Tradição. A dupla, segunda da Unidos de Vila Isabel, é o segundo reforço da azul e branco do Campinho para a disputa da Série Ouro. Antes, a escola havia acertado com o intérprete Marquinhos Silva. Revista Carnaval l 19


AESCRJ tem nova diretoria

ACESSO

Moséis Fernandes, da Unidos do Anil, é o novo presidente da Aescrj, e Sandro Avelar, da Império da Praça Seca, assumiu a vicepresidência.

Vila Kennedy A cantora Juliana Clara, do grupo de samba Jaqueira, será a Madrinha da Bateria da Unidos de Vila Kennedy, do Grupo de Acesso C. Musa da Mangueira e tendo também brilhado na Paraíso do Tuiuti, ela venceu por duas vezes o concurso Musa do Caldeirão do programa global Caldeirão do Huck. n

Rodrigo Almeida e Ney Júnior. A verde e branco desfilará no domingo de Carnaval, pelo Grupo de Acesso C, na Estrada Intendente Magalhães.

Dendê As feiras livres voltarão a desfilar no Carnaval carioca em 2013. A Acadêmicos do Dendê, que disputará o Grupo de Acesso D, na segunn Praça Seca da-feira da folia, levará para A Império da Praça Seca a Avenida o enredo Pode exaltará o santo guerrei- Chegar Freguesa! O Dendê ro com o enredo Valei-me Mostra a Cultura e Alegria da Jorge!, de autoria de Diego Feira! O tema será desenAraújo e que será desen- volvido pelo carnavalesco volvido pelos carnavalescos Carlos Carvalho. 20 l Revista Carnaval

n

teio da ordem dos desfiles dos Grupos C , D e E, que será no dia 13 de agosto. Os vice-campeões de 2012 poderão escolher suas posições de apresentação. Unidos de Villa Rica, Mocidade Unida da Cidade de Deus e Chatuba de Mesquita terão direito ao benefício.

Abolição Sou Negro, Sou Raça, Sou Vida, Sou Abolição ... é o enredo da Acadêmicos da Abolição. O carnavalesco Márcio Puluker será o responsável pelo desenvolvimento do tema da escola do Grupo de Acesso D. n

Arrastão O samba receberá os mestres do picadeiro. A Arrastão de Cascadura, do Grupo de Acesso D, levará para a Intendente Magalhães, em 2013, o tema E com Vocês: o Palhaço a Desfilar, do carnavalesco Felipe Rocha.

A

Intendente Magalhães reviverá um belo momento da Sapucaí na segunda-feira de Carnaval, em 2013. A Lins Imperial reeditará o enredo Madame Satã, com que a verde e rosa ficou na 14ª posição no Grupo Especial, em 1990. O lançamento oficial do tema será no dia 11 de agosto. A versão original de Mademe Satã foi concebida pelo carnavalesco Sérgio Faria. Desta vez, caberá a Eduardo Pinho, com passagens por

A

Matriz de São João de Meriti levará para a Estrada Intendente Magalhães, na disputa do Grupo de Acesso E, o enredo Corcovado – A Matriz Embarca neste Trem. O tema que será desenvolvido pelo

n

Agosto / 2012

União de Vaz Lobo e Acadêmicos do Sossego, levar a vida do transformista da Lapa para a Avenida. A Lins Imperial também tem novo vice-presidente. É Max Kindler, que já ocupava a Direção de Carnaval da escola.

São João de Meriti vai de trenzinho do Corcovado

Foto: Divulgação.

A

nova diretoria da Associação das Escolas de Samba do Rio de Janeiro (Aescrj) tomou posse no dia 24 de julho. Moséis Fernandes, da Unidos do Anil, é o novo presidente, e Sandro Avelar, da Império da Praça Seca, assumiu a vice-presidência. A chapa foi eleita no pleito realizado na sede da entidade, no dia 17 do mesmo mês, superando outras três concorrentes, inclusive a encabeçada pelo ex-presidente, Eduardo José. Moisés e seus pares está em ritmo intenso de trabalho. A entidade já marcou o sor-

Reedição na Lins Imperial

ACESSO

Agosto / 2012

carnavalesco Nélson Costa, que já passou por Sereno de Campo Grande e Favo de Acari, contará a história do principal meio de transporte para o Cristo Redentor e mostrará a bela paisagem vista por quem se utiliza dele.

O trenzinho do Corcovado será o enredo da Matriz de São João de Meriti. n

Jorge Caribé desenvolverá a nova versão de Madame Satã.

História na Avenida Um dos maiores nomes da esquerda no Brasil será o enredo da Unidos de Cosmos, do Grupo E, que mostrará Apolônio de Carvalho, Herói das Três Pátrias. Um dos fundadores do Partido dos Trabalhadores, o homenageado terá sua vida contada no tema desenvolvido pelo carnavalesco Raphael Ladeira. Revista Carnaval l 21


As dificuldades financeiras não impedem a apresentação de belos desfiles.

n

POPULAR

Foto: Divulgação / Riotur / Alexandre Macieira.

POPULAR

Intendente Magalhães: o Carnaval da superação

D A criatividade é a maior arma contra a principal dificuldade das escolas de samba: a falta de dinheiro.

22 l Revista Carnaval

Agosto / 2012

Agosto / 2012

iz o ditado popular que nem tudo que reluz é ouro. Isto pode ser comprovado, especialmente, nos Grupos de Acesso C, D e E, do Carnaval do Rio de Janeiro, disputados na Estrada Intendente Magalhães. Nestas divisões do samba, a criatividade é a maior arma contra a principal dificuldade das escolas de samba: a falta de dinheiro. A questão financeira é uma unanimidade entre os presidentes das escolas de samba que desfilam na Intendente Magalhães. Para botar o Carnaval na rua, cada um tem sua fórmula, mas todos repetem que a maior dificuldade para produzir os desfiles das

agremiações que comandam é a pequena verba recebida dos órgãos oficiais. A chamada subvenção, segundo eles, poderia ser maior. O dinheiro, somando-se os recursos do Estado e da Prefeitura, em 2012 foi de, aproximadamente, R$ 80 mil para as escolas do Grupo de Acesso C. As que disputaram o Acesso D receberam pouco mais de R$ 70 mil. Enquanto as agremiações do Acesso E, ficaram com uma quantia em torno de R$ 20 mil. O presidente do Conselho Deliberativo da Unidos de Cosmos, do Acesso E, José Geraldo do Carmo, que presidiu a escola durante 13 anos, destaca que a dificuldade fiRevista Carnaval l 23


O projeto da Passarela Popular une a pista dos desfiles aos barracões.

POPULAR

n

realizados atualmente é de difícil acesso para a maioria das escolas. A Passarela Popular, cujo projeto prevê sua construção em Deodoro, seria um grande benefício para as escolas e para o público, uma vez que, além da pista com arquibancadas para a apresentação das agremiações, abrigaria um complexo de barracões.

A Passarela Popular ainda é um sonho, mas o Carnaval 2013 está chegando e as escolas precisam se preparar, mesmo diante das dificuldades. Édson Vieira afirma que o desfile da Arrastão de Cascadura está orçado em R$ 200 mil. Desta forma, a verde e branco procura gerar receitas para cobrir o custo da folia. “Produzimos eventos, contamos com a ajuda dos amigos. Assim estaremos na Avenida. Foto: Divulgação.

n

O Presidente da Arrastão, Édson Vieira, e o ex-Presidente da Império da Praça Seca, Sandro Avelar. n

Foto: Divulgação / Riotur / Alexandre Macieira.

A Passarela Popular, cujo projeto prevê sua construção em Deodoro, seria um grande benefício para as escolas e para o público.

nanceira é a maior, porém não a única. Ele lembra que o pouco dinheiro sempre demora a sair. “A verba chega em cima da hora. Não podemos ficar esperando.” José Geraldo também cita a falta de estrutura dos barracões. “Os espaços são muito precários.” A opinião é compartilhada pelo presidente da Arrastão de Cascadura, que desfilará no Grupo de Acesso D, Édson Vieira. Já o ex-presidente da Império da Praça Seca, do Acesso C, Sandro Avelar, que assumiu este mês a vice-presidência da Associação das Escolas de Samba da Cidade do Rio de Janeiro (Aescrj), salienta que a entidade que comanda os desfiles da Intendente Magalhães lutará para que o projeto Passarela Popular saia do papel. Sandro Avelar explica que o local onde os desfiles são

Foto: Divulgação.

POPULAR

Mesmo nos Grupos de Acesso, os segmentos das escolas são profissionais.

Patrocínio é uma coisa quase impossível no Acesso D.” José Geraldo, embora não estando mais a frente da administração da Unidos de Cosmos, sabe que a ajuda dos amigos é sempre bem vinda. “A quadra não proporciona uma receita grande. Temos a concorrência dos clubes da região. Precisamos fazer eventos diferentes.” O presidente do Conselho Deliberativo da verde e branco da Zona Oeste, aliás, espera que a Prefeitura olhe também para os Grupos de Acesso no que se refere à reforma de suas sedes e espaço para ensaios, assim como algumas coirmãs do Especial.

O desfile da Arrastão de Cascadura em 2013 está orçado em R$ 200 mil.

O presidente do Conselho Deliberativo da Unidos do Cosmos, professor José Geraldo do Carmo. n

24 l Revista Carnaval

Agosto / 2012

Agosto / 2012

Revista Carnaval l 25


As comunidades são bastante valorizadas pelas escolas dos Grupos de Acesso. n

As agremiações do Grupo C desfilam com, no mínimo, 600 componentes, enquanto as do Acesso D com, ao menos, 550 e as do Acesso E, 400.

A Império da Praça Seca, segundo Sandro Avelar, também realiza muitos eventos na quadra para ajudar na captação de recursos para o Carnaval. Segundo ele, as empresas do bairro sempre colaboram para que a escola apresente um bom desfile. Édson Vieira e Sandro Avelar destacam que o maior custo na produção de um desfile de Carnaval é com as alegorias. Mas José Geraldo lembra o valor alto do atelier. “As fantasias são bastante caras.

dura também fazem jus a uma remuneração. “O Carnaval é profissional”, destaca Édson Vieira. Entre estes artistas, um pode causar dor de cabeça ao presidente de uma agremiação. José Geraldo destaca que o carnavalesco, normalmente, é o mais caro, até pelo que se passa em sua cabeça. “Às vezes, eles têm ideias mirabolantes.” Sobre o investimento nos artistas de suas comunidades, os dirigentes afirmam que isto preferencialmente acontece, mas que sempre é necessário trazer alguém de fora. Eles acreditam que normalmente há um seguimento que precisa ser reforçado. A profissionalização das escolas, mesmo diante dos pou-

Além do material, há a mão-de-obra das costureiras.” O presidente da Arrastão lembra que este custo é realmente alto. “Todas as fantasias da escola são doadas. Isto encarece bastante, realmente.” O regulamento do Grupo de Acesso C obriga as agremiações a desfilarem com, no mínimo, 600 componentes, enquanto o do Acesso D estipula ao menos 550 e o do Acesso E, 400 desfilantes. O custo com os profissionais não são esquecidos pelos dirigentes carnavalescos. Sandro Avelar afirma que todos os segmentos da Império da Praça Seca recebem ao menos uma ajuda de custo. “Seja a prata da casa, seja o artista de fora, quando precisamos trazer, todos são de alguma forma remunerados.” Carnavalescos, diretor de bateria, mestre-sala e porta-bandeira, diretor de harmonia, intérprete, coreógrafo da comissão de frente ... Os artistas da Arrastão de CascaFoto: Divulgação / Riotur / Alexandre Macieira.

Foto: Divulgação / Riotur / Alexandre Macieira.

Foto: Divulgação / Riotur / Alexandre Macieira.

POPULAR

cos recursos, muitas vezes não é acompanhada pela organização dos desfiles. José Geraldo chama a atenção para a infraestrutura deficitária dos desfiles. “Na Intendente Magalhães, os carros de som só possuem quatro microfones. Houve um ano que gostaríamos de ter mais cantores e não pudemos. Isto pode ser resolvido com facilidade, mas não é.” A eleição da nova diretoria da Aescrj está motivando os dirigentes carnavalescos, segundo José Geraldo. Ele acredita em um novo tempo para as agremiações dos Grupos de Acesso C, D e E. “As escolas agora exigem transparência. Acabou a época em que era difícil de se obter uma simples informação da entidade.”

POPULAR

José Geraldo do Carmo chama a atenção para a infraestrutura deficitária dos desfiles.

O gasto com as fantasias é bastante elevado. n

As escolas investem em bons coreógrafos e desfilam com belas comissões de frente.

n

26 l Revista Carnaval

Agosto / 2012

Agosto / 2012

Revista Carnaval l 27


INESQUECÍVEL

O Bastou, porém que a vermelho e branco entrasse na Sapucaí para o Sambódromo acompanhar uma das maiores explosões de alegria que a Passarela do Samba já viu.

28 l Revista Carnaval

Curta-nos,

A Estácio explodiu de alegria

ano de 1992 foi especial para os amantes do Carnaval. A tradicionalíssima Estácio de Sá, autêntica fábrica de grandes sambistas, vinha de dois bons quintos lugares nos anos anteriores. Mas estava longe de figurar entre as favoritas. A poderosa então bicampeã Mocidade Independente e a Imperatriz Leopoldinense, de Rosa Magalhães, que estreava em Ramos, eram as mais cotadas para levar o título. A escola do Morro de São Carlos escolheu um belíssimo enredo Pauliceia Desvairada – 70 Anos de Modernismo no Brasil, mas não contava com um samba elogiado no período précarnavalesco. Bastou, porém, que a vermelho e branco entrasse na Sapucaí para o Sambódromo acompanhar uma das maiores explosões de alegria que a Passarela do Samba já viu. O canto liderado por Dominguinhos do Estácio, impulsionado pela bateria comandada por Mestre Ciça, fez a escola provocar uma autêntica catarse entre os espectadores. Claudinho e Selminha Sorriso bailaram

maravilhosamente, levando o pavilhão vermelho e branco. No alto de um dos carros alegóricos, Luciana Sargentelli, com pés ensanguentados, mostrava a paixão dos componentes. Monique Evans, a eterna rainha, brilhava à frente dos ritmistas. A plástica, comandada pelos carnavalescos Chico Spinoza e Mário Monteiro, apenas simples, ficou na medida exata. A exuberância no desfile da Estácio de Sá de 1992 saiu do coração dos componentes e da alegria dos presentes à Sapucaí. O título, único da escola, foi incontestável e inesquecível.

siga-nos, adicione-nos ...

Acompanhe REVISTA CARNAVAL Agosto / 2012

nas redes sociais.

Agosto / 2012

Revista Carnaval l 29


Foto: Divulgação.

A Águia de Ouro fechará a primeira noite de desfiles.

SAMPA

n

Escolas conhecem data e hora da apresentação A Acadêmicos do Tatuapé abrirá o desfile principal.

A

Liga das Escolas de Samba de São Paulo definiu no dia 19 de julho a ordem das apresentações das agremiações do Grupo Especial e do Grupo de

Acesso. A Acadêmicos do Tatuapé abrirá o desfile principal, na sexta-feira, 8 de fevereiro, que será encerrado pela Império da Casa Verde, no sábado 9 de fevereiro.

Grupo Especial Sexta-feira, 8 de fevereiro

Grupo Especial  Sábado, 9 de fevereiro

n Acadêmicos

n

Nenê de Vila Matilde

Unidos de Santa Bárbara

do Tatuapé

 Grupo de Acesso Domingo, 10 de fevereiro

n

Rosas de Ouro

n

Gaviões da Fiel

Unidos do Peruche

n

Mancha Verde

n

Mocidade Alegre

Camisa Verde e Branco

n

Vai-Vai

n

Tom Maior

Imperador do Ipiranga

n

X-9 Paulistana

n

Unidos de Vila Maria

Leandro de Itaquera

n

Dragões da Real

n Acadêmicos

n

Águia de Ouro

n

do Tucuruvi

Império de Casa Verde

Pérola Negra Estrela do Terceiro Milênio Morro da Casa Verde

Samba da Mancha Verde Primeira escola a escolher o enredo para 2013, Mário Lago - O Homem do Século XX, a Mancha Verde foi também a precursora na definição do samba. A obra, dos compositores Turko, Maradona, Didi, Ferracini, Fabiano Sorriso, Jorginho, Paulinho Miranda e Tucuruvi Mancha, venceu a disputa transmitida pela Internet, no dia 12 de julho. 30 l Revista Carnaval

Mazzaropi na Tucuruvi A Acadêmicos do Tucuruvi que já havia divulgado o tema para o Carnaval 2013 resolveu trocá-lo. No início de julho, a escola suspendeu o, então, escolhido Rondônia: das Trevas à Luz e, no dia do sorteio da ordem de desfile, 12 de julho, divulgou que Mazzaropi: O Adorável Caipira, 100 Anos de Alegria será o enredo da escola no próximo ano. O carnavalesco Wagner Santos será o responsável pelo desenvolvimento da homenagem ao humorista brasileiro. Agosto / 2012

Classificação 2012

(Grupos de Acesso D e E do Rio de Janeiro) Grupo de Acesso D 1º Unidos de Lucas * 2º Mocidade Unida de Jacarepaguá 3º Vigário Geral 4º Acadêmicos do Engenho da Rainha 5º Acadêmicos do Dendê 6º Corações Unidos do Amarelinho 7º Gato de Bonsucesso 8º Unidos de Cosmos ** 9º Leão de Nova Iguaçu ** 10º Unidos do Anil ** 11º Unidos de Manguinhos ** 12º Vizinha Faladeira ** 13º Flor da Mina ** * Sobe de grupo. ** Rebaixada de grupo. *** Passa a figurar como bloco de enredo.

Grupo de Acesso E 1º Boca de Siri * 2º Chatuba de Mesquita 3º Mocidade Unida do Santa Marta 4º Matriz de São João de Meriti  5º Arame de Ricardo  6º Mocidade Independente de Inhaúma 7º Unidos do Cabral *** 8º Imperial de Nova Iguaçu *** 9º União de Vaz Lobo *** 10º Delírio da Zona Oeste *** 11º Canários das Laranjeiras ***  12º Paraíso da Alvorada *** O Tradição Bairreirense foi o campeão do Grupo 1 dos blocos carnavalescos e disputará o Grupo de Acesso E das escolas de samba em 2013.

Classificação 2012

(Grupo Especial e Grupo de Acesso de São Paulo) Grupo Especial 1º Mocidade Alegre 2º Rosas de Ouro 3º Vai-Vai 4º Mancha Verde 5º Unidos de Vila Maria 6º Acadêmicos do Tucuruvi 7º Dragões da Real 8º Tom Maior 9º Gaviões da Fiel 10º X-9 Paulistana 11º Império da Casa Verde 12º Águia de Ouro 13º Pérola Negra ** 14º Camisa Verde e Branco **

Grupo de Acesso 1º Nenê de Vila Matilde * 2º Acadêmicos do Tatuapé * 3º Leandro de Itaquera 4º Estrela do Terceiro Milênio 5º Morro da Casa Verde 6º Unidos do Peruche 7º Imperador do Ipiranga 8º Unidos de São Lucas ** A Unidos de Santa Bárbara foi a campeã do Grupo 1 da Uesp e ascendeu ao Grupo de Acesso em 2013. * Sobe de grupo. ** Rebaixada de grupo.


Jornalismo Moda Fotografia Audio Video Internet Marketing Publicidade

Rua Garcia Redondo, 30, Cachambi, Rio de Janeiro-RJ. Tels.: 2229-7931 e 3079-0371. 32 l Revista Carnaval

Agosto / 2012


2012-8