Page 1


CARTAS Liquidificador da Polishop com voltagem errada. Refrigerador Electrolux congela demais. TV Gradiente tem DVD que não funciona. Sky não instala. Ligações de celular Vivo repetidas.

Paguei R$ 474 por um liquidificador Westinghouse 220 volts em uma Polishop na Praia Grande (SP). Pedi que o aparelho fosse testado no momento da compra, mas o atendente disse que não era necessário porque qualquer problema poderia ser imediatamente sanado com um simples contato com a loja. Ao tentar utilizá-lo, porém, percebi que ele simplesmente não ligava. Frustrado, retornei à loja com o produto e com a esperança de ele ser imediatamente substituído. Não honrando a palavra, a empresa se negou a efetuar a troca, afirmando que havia sido enviado apenas um lote daquele aparelho e que este já se esgotara. Fui instruído a procurar uma assistência técnica e lá, após breve análise, chegou-se à conclusão de que o aparelho não funcionava unicamente porque se tratava de um modelo de 110 volts, ao contrário do que indicavam tanto a caixa quanto a nota fiscal. Arlindo S. Mongaguá – SP

Marcos Guilherme

Energia diferente da anunciada

A PRO TESTE procurou a Polishop e exigiu a substituição do aparelho por outro similar, novo e em perfeitas condições de uso. A empresa se dispôs a realizar a troca do produto de nosso associado por outra mercadoria da loja, à escolha dele, acordo que foi aceito. O Código de Defesa do Consumidor estipula a responsabilidade solidária entre os fornecedores pelos produtos postos no mercado. Dessa forma, não só o fabricante deve responder pelos vícios de seu produto, como também os pontos de venda e os serviços autorizados. Nosso associado esco-

Um espaço para você Nesta seção há relatos de experiências como consumidor de nossos associados, que podem servir de exemplo para ajudar a evitar ou resolver problemas. Se você precisar de uma orientação por causa de problemas com algum produto ou serviço, entre em contato com o nosso serviço de orientação (veja os contatos na página ao lado). Em alguns casos, a PRO TESTE pode intermediar o contato com fornecedores que não agiram corretamente. Se, após a nossa intermediação, o seu caso foi à Justiça, conte-nos o desfecho. Sua história pode servir de exemplo e estímulo para cada um.



PRO TESTE 67 • março 2008

lheu reclamar na loja, que errou ao não atender a solicitação do consumidor para testar o liquidificador no momento da compra e em não ser ágil na solução de um problema tão simples. O fornecedor deve ter a oportunidade de resolver o problema – no caso, por meio da assistência técnica autorizada. O que não poderia ter acontecido foi o erro na informação na embalagem e na nota fiscal em relação à voltagem do aparelho. As características e condições de uso dos produtos devem ser informadas com clareza, adequação e veracidade ao consumidor.

Conserto fica congelado Comprei um refrigerador Electrolux, mas, em poucos meses, constatei a formação de gelo na parte superior. Entrei em contato com a assistência técnica autorizada Nova Tec, que enviou um especialista até minha casa. Ele disse que o problema não era normal e o aparelho foi retirado para

conserto. Um mês depois recebi-o de volta e notei que ele não era mais capaz de gelar os alimentos, permitindo que se deteriorassem rapidamente. Novamente a assistência foi acionada e ficou constatado que o eletrodoméstico havia sido devolvido com vazamentos no sistema de refrigeração a gás. Os reparos foram feitos e acreditei ter solucionado o problema. Infelizmente, não foi o que aconteceu, pois, em pouco tempo, o refrigerador voltou a produzir blocos grandes de gelo no gabinete interno. Tentei mais uma vez o conserto, de novo sem sucesso. José E. São Bernardo do Campo – SP Quando se trata de defeitos em produtos dentro do prazo de garantia, o CDC dá ao consumidor a opção de escolher uma, entre três alternativas, sempre que o fornecedor não apresentar solução após 30 dias da reclamação. O consumidor pode escolher entre a troca do bem sem custos adicionais, o abatimento proporcional no preço ou a devolução da quantia paga, corrigida monetariamente, sem prejuízo de perdas e danos. A escolha pode ser imediata quando se tratar de produto essencial, como uma geladeira, razão pela qual nosso associado não precisaria ter enfrentado todas essas dificuldades. Por isso, a PRO TESTE pediu à Electrolux a substituição do eletrodoméstico por um novo, o que aconteceu. Lamentamos a demora porque tudo levava a crer que o aparelho veio com defeito de


CARTAS

fabricação e o serviço autorizado deveria ter sido mais eficiente, propondo desde o início a troca do produto por outro em perfeitas condições de uso.

Estresse desde a instalação Comprei uma TV Gradiente com DVD acoplado. Só que ao instalar o aparelho, percebi que o leitor de DVD não funcionava muito bem, pois a leitura não ocorria integralmente. Entrei em contato com o SAC da empresa e me orientaram a procurar uma assistência técnica autorizada para solucionar o problema. Deixei, então, meu televisor na Oficina Comercial Teletrônica, única autorizada da cidade, retirando-o uma semana depois. Infelizmente, o problema não foi solucionado e o produto retornou à assistência. Após quase um mês, soube que o conserto não seria possível, pois a Gradiente não havia enviado a peça de reposição necessária. Surpreso, entrei em contato com a empresa, solicitando o cancelamento da compra e o ressarcimento de todos os valores pagos, conforme me garante o CDC. A Gradiente, entretanto, vem dificultando o procedimento, recusandose a cumprir seus deveres. João C. Blumenau – SC Segundo o CDC, tanto o fabricante como a assistência técnica respondem solidariamente por problemas apresentados pelo produto que o tornem impróprio para uso ou lhe diminuam o valor, tendo prazo de 30 dias para apresentar uma solução. Não o fazendo, o consumidor tem o di-

reito de exigir, à sua escolha, a troca do produto, um abatimento no preço ou a devolução da quantia paga. Entramos em contato com a Gradiente e exigimos a imediata devolução do valor pago pelo produto, alternativa escolhida por nosso associado. Ainda alertamos a empresa pela falta de respeito ao CDC, que também determina que ela deve oferecer peças de reposição aos produtos que fabrica. A Gradiente propôs a troca do aparelho por outro de modelo superior, sem custo e com um ano de garantia. Apesar de não ter obrigação de aceitar a proposta, nosso associado preferiu firmar o acordo.

Faltou a instalação Assinei a TV Sky Digital. No mesmo dia comprei a antena e o decodificador. O valor dos aparelhos foi de R$ 239, que seriam pagos em 12 parcelas de R$ 19,91 nas mensalidades futuras da Sky. A empresa disse que os aparelhos seriam instalados após no máximo 72 horas. Seis dias depois, eles foram entregues na minha residência e desde então tento que sejam instalados pela Sky. Liguei várias vezes para a empresa, só que nenhum técnico foi enviado para fazer a instalação. Inconformada, pedi o cancelamento do serviço e agora quero que a empresa pague o que gastei na tentativa de obter seus serviços. Maria M. Itaporanga – SP Houve descumprimento do acordo com a Sky, o que demonstrou uma preocupante desorganização interna, pois, quatro meses depois da contratação do servi-

ço, ninguém comparecera à casa da consumidora para instalar os aparelhos. Como a empresa abusou da paciência da consumidora, ao menos deveria ter atendido o seu desejo com mais agilidade. Notificamos, então, a Sky, solicitando o cancelamento do contrato e a devolução imediata dos valores pagos pela consumidora, com a devida correção monetária, o que ocorreu. Os serviços de TV por assinatura, de modo geral, vêm se mostrando muito aquém das expectativas dos consumidores. A PRO TESTE, preocupada com a situação, está reivindicando mudanças na legislação do setor e maior fiscalização da Anatel. Em casos semelhantes, o CDC prevê que a empresa responde ainda por perdas e danos sofridos pelo consumidor, originados pela má prestação de serviços.

Conta aparece duplicada Sou titular de uma linha da Vivo. Examinei a fatura de dois meses seguidos e notei

que havia ligações repetidas nas contas, ou seja, a empresa me cobrara duas vezes por um mesmo serviço. Entre as ligações existem vários interurbanos quando eu estava viajando. Tentei diversas vezes resolver o problema, mas a Vivo alega que as cobranças são devidas. Paguei as faturas e desejo a devolução dos valores. Luis F. Três Rios – RJ O Código de Defesa do Consumidor é claro quando se refere a cobranças indevidas: o consumidor que entender estar sendo cobrado sem justa causa pode reclamar e, caso já tenha efetuado o pagamento, tem direito ao ressarcimento do valor pago em dobro. Não só o CDC, como a própria legislação da Anatel, garante ao consumidor o direito de questionar os débitos lançados. Por isso, pedimos para a Vivo devolver em dobro a quantia paga indevidamente. A empresa admitiu o erro e efetuou um crédito em dobro na fatura seguinte de nosso associado.

Fale conosco Entre em contato conosco: y por correio – Cartas PRO TESTE Av. Lúcio Costa, 6420 – Barra da Tijuca Rio de Janeiro – RJ – CEP 22630-013 y por fax – (21) 3906-3999 y por e-mail – proteste@proteste.org.br • Por razões de espaço, nem todas as mensagens poderão ser publicadas e as que forem poderão ser resumidas. • Não publicamos mensagens que não estejam assinadas. • Por favor, inclua em sua mensagem, além do endereço, um telefone para que possamos entrar em contato, caso seja necessário. Coloque ainda o seu número de associado (está na etiqueta de endereçamento da revista). Conheça nosso site: www.proteste.org.br

PRO TESTE 67 • março 2008




CURTAS Massagem retarda o aparecimento de rugas. Cafeína reduz a absorção de ferro pelo organismo. Otite pode causar perda de audição temporária. O que muda nos financiamentos com o CET. Massagem contra as rugas

Pode não ser só apatia

Imagens Getty Images

Você anda angustiado? Sentindo-se desvalorizado e sem esperança? Houve alteração no seu sono ou em seu apetite? Cuidado, pode ser que você esteja sentindo não apenas cansaço. Em todo o mundo, cerca de 100 milhões de pessoas sofrem de depressão. Isto sem contar as pessoas que não procuram tratamento ou porque não sabem que estão deprimidos, ou porque têm vergonha de admitir o problema. Se você está sentindo os sintomas acima freqüentemente e por longos períodos, talvez seja uma boa idéia procurar ajuda de um médico ou de um psicólogo. Em casos extremos, a depressão pode levar ao suicídio. Nos casos mais leves, altera a rotina social e a produtividade no trabalho dos afetados. É bom ficar de olho!

Para combater rugas, não há milagres. Tampouco está comprovada a eficácia de cremes, loções, etc. Entretanto, massagens diárias podem retardar o seu aparecimento. E melhor: você pode fazê-las sem ajuda de ninguém. y Para as rugas da testa, apóie as pontas de dois dedos de cada mão entre as sobrancelhas e deslize-as até as têmporas. Faça movimentos circulares para a direita e para a esquerda. y Para as rugas do nariz, faça uma massagem circular nas narinas com as pontas dos dedos e continue deslizando os dedos por todo o nariz. y Para os pés-de-galinha, coloque um pouco de hidratante nas pontas dos dedos polegares e indicadores e dê beliscões de leve nas têmporas, massageando-as da frente para trás. y Para as rugas dos lábios, massageie suavemente ao redor da boca. y Para a face, dê palmadinhas de leve e faça massagens de baixo para cima com as palmas das mãos sem curvá-las. y Para evitar o “papo”, dê tapinhas de leve com as costas das mãos.



PRO TESTE 67 • março 2008

Sem ferro, não há como se sustentar Imagine construir um edifício alto sem usar ferro em sua sustentação, equilibrando apenas os tijolos e cimento. Essa construção não seria nada resistente. Pois bem, em analogia, é o que acontece com o nosso organismo quando a ingestão ou retenção de ferro é menor do que a necessária para nos livrar da anemia. Como o ferro é um dos componentes que participam do transporte de oxigênio, produzindo energia, a deficiência de ferro causa redução dos níveis de hemoglobina, apatia,

inatividade física, baixo rendimento escolar ou no trabalho e maior risco de infecções. Para evitar a anemia, consuma alimentos ricos em ferro, como fígado e carnes, ou ainda vegetais folhosos escuros e feijão. A vitamina C ajuda na absorção do ferro, por isso, acompanhe as suas refeições com sucos de laranja, manga, caju, goiaba, maracujá, limão e acerola, ou consuma essas frutas como sobremesa. Evite chá, café, mate, refrigerantes, leite e derivados durante ou pouco após as refeições porque essas substâncias reduzem a absorção de ferro.


CURTAS

Assistência técnica: todo cuidado é pouco Diante do resultado do teste que fizemos com 24 assistências técnicas da cidade de São Paulo, em que constatamos diversas fraudes, se você precisar consertar algum eletrodoméstico, melhor seguir as dicas: y Sempre que precisar de assistência técnica, ligue para o fabricante do produto e peça a indicação de uma autorizada. y Antes de levar o aparelho à oficina, informe-se sobre as condições (se pode ser feita uma visita técnica) e se o serviço (de visita, orçamento, etc.) é pago. y Leve toda a documentação de compra para a oficina. y Exija um recibo de guarda quando entregar seu aparelho. y Peça um orçamento por escrito discriminando o reparo, as peças, o prazo e o custo. y Da mesma forma, peça uma nota fiscal discriminada para ter direito à garantia. y Só aceite reparos que sejam feitos após sua autorização. y Exija que todas as peças substituídas sejam devolvidas. y Teste o aparelho na presença do técnico. y Saiba que danos ocorridos na assistência são de responsabilidade do técnico. y Avalie a possibilidade de contratar a garantia estendida da loja na hora da compra. y Se você descobrir que foram cobradas peças que não foram substituídas ou serviços não realizados, denuncie o caso ao Procon, ou em uma delegacia, se não quiser entrar na Justiça. Isso é crime.

Uma prova de que vale a pena denunciar os crimes é o fato de que a publicação de nosso estudo sobre assistências técnicas motivou uma audiência pública em Brasília com representantes das assistências e o governo no final do ano passado. Agora, o assunto está sendo discutido na Câmara dos Deputados. Veja mais na PRO TESTE no 58, mai/07.

Entenda a TAEG

Tic-tac ajuda a identificar otite

A otite média é uma inflamação na orelha média, situada logo após o tímpano, com a produção de líquido, bem freqüente entre as crianças. Como este tipo de otite não provoca dor em alguns casos, nem sempre ela é facilmente detectada. De todo modo, como ela leva à perda temporária e parcial da audição, é bom sempre ficar alerta! Uma boa dica para ajudá-lo a identificar se sua audição (ou de seu filho) está perfeita é colocar um relógio analógico bem próximo à orelha e tentar escutar o seu “tictac”. Caso você (ou a criança) não escute, ou o escute muito, muito baixo, procure um otorrinolaringologista.

Neste mês, começa a vigorar a obrigatoriedade de usar um índice único para apontar o custo real de um financiamento. É a TAEG (Taxa Anual Efetiva Global de Encargos), que a PRO TESTE defendia desde 2002, mas só agora o governo formalizou seu uso e batizou de CET (Custo Efetivo Total). Entenda como ela é composta e como ela pode vir a beneficiar suas finanças na animação que criamos: www.proteste. org.br/map/src/456621.htm.

É a hora da verdade Popularmente se diz só depois do carnaval é que o ano começa de verdade. É a hora em que muitos voltam a prestar atenção na saúde e começam a reparar os danos causados pelos excessos das férias. Descubra se você está acima do peso usando nosso simulador de índice de massa corporal. Basta informar seu peso e altura no link www.proteste.org.br/default. aspx?show=161696&src=449881. A resposta lhe dirá se você pode relaxar ou deve procurar um médico com urgência.

PRO TESTE 67 • março 2008




Getty Images

AUTOMテ天EIS

Os carros que menos visitam as oficinas Pesquisa com nossos associados revela quais os modelos e marcas que menos apresentam problemas. Na frente, ficaram os japoneses. 

PRO TESTE 67 窶「 marテァo 2008


AUTOMÓVEIS

U

ma preocupação que todos deveriam ter ao comprar um carro é em relação a sua manutenção, que envolve, entre outros gastos, as visitas à oficina mecânica. Alguns veículos têm tantos problemas que representam uma grande dor de cabeça para seus donos. Por isso, a exemplo do que as associações de consumidores da Europa e dos EUA já fazem regularmente, resolvemos pesquisar a confiabilidade dos automóveis. E quem nos deu as respostas foi você. Em abril do ano passado, enviamos questionários a uma amostra de nossos associados, com perguntas sobre os principais tipos de problema que os veículos podem apresentar, e assim conhecer sua experiência. Recebemos 3.027 respostas válidas, ou seja, que poderiam ser levadas em consideração para fins estatísticos.

Os resultados apresentados a seguir foram agrupados de acordo com o fabricante, ano de fabricação e modelo dos automóveis. Para a apresentação do índice de confiabilidade, os veículos foram divididos em dois grupos: os fabricados antes e a partir de 2002. Afinal, carros mais antigos tendem a apresentar mais problemas. Não foram considerados para os resultados as visitas periódicas de revisão por quilometragem, nem os reparos decorrentes de acidentes. E os problemas mais graves, que fazem o veículo parar ou afetam a segurança do motorista ou passageiros tiveram pesos mais altos que casos mais simples, como defeitos no arcondicionado, por exemplo. Note ainda que nem todos os modelos tiveram um número de respostas suficiente para registro estatístico.

Sedan é maioria Os veículos que fizeram parte de nossa pesquisa são: Tipo de Veículo

Quem respondeu à pesquisa

54,2%

86,4%

Rodam em São Paulo

Seus motoristas têm entre 35 e 55 anos

Rodam em áreas urbanas

Sedan

38,3

Hatch

30,3

Station Wagon (SW)

6,2

Utilitário esportivo

5,8

Pick-up

4,6

Minivan

4,3

Esportivo

3,8

Van

1,0

Conversível

0,2

Baixa fidelidade

Os veículos que fizeram parte de nossa pesquisa têm as seguintes características:

34,2%

%

67,7%

A maioria dos respondentes (62%) revelou não ser fiel à uma determinada marca ou montadora de veículos: seus automóveis atuais não são da mesma marca que os anteriores.

Rodam apenas com gasolina

Garantia extra

37,0%

Rodam por dia entre 11 e 50 kilômetros

52,6%

Foram comprados de segunda mão

54,3%

Foram comprados em concessionárias

Quase todos os respondentes (96%) preferem não pagar por uma garantia extra quando compram seus veículos.

PRO TESTE 67 • março 2008




AUTOMÓVEIS

Acessórios refletem a insegurança do país Entre os acessórios presentes nos veículos que fizeram parte de nossa pesquisa, o item mais recorrente é o alarme sonoro contra furto, instalado em 70,5% dos carros. Isso demonstra o medo que os motoristas sentem de ter os seus veículos furtados, justificado pelos altos índices de furto no país, principalmente nas grandes cidades. Logo atrás dos alarmes, vêm os vidros elétricos, o ar-condicionado e a direção hidráulica, presente em praticamente dois terços dos veículos. Diferentemente do que acontece na Europa, em que a mesma pesquisa aplicada na França, Bélgica, Espanha, Itália e Portugal apontou que 95% dos veículos possuem airbags e mais de 80% trazem freios ABS, tais itens, que deveriam ser obrigatórios para que os

motoristas tivessem maior segurança, só aparecem em pouco mais de 20% da frota brasileira pesquisada. Por acreditar que a segurança no trânsito não pode ser opcional, desde 2006, a PRO TESTE desenvolve uma campanha para estimular as montadoras a vender apenas veículos que tragam encostos de cabeça ajustáveis para todos os ocupantes; airbag duplo para motorista e passageiro; cintos de segurança retráteis e com pré-tensionadores para todos os passageiros; sinal sonoro que alerta caso os passageiros não estejam usando o cinto e vidros não-estilhaçáveis. Com isso, a PRO TESTE espera que diminua o número de vítimas nos acidentes de trânsito, que no Brasil mata mais que muitas guerras. Veja mais sobre segurança de automóveis em nosso site (www.proteste.org.br) e na PRO TESTE no 56, mar/07.

Combustível não pode ser criativo

Se esta opção não tiver sido marcada por engano, os motoristas que estão usando combustíveis criativos podem estar correndo sérios riscos e ainda danificando os seus veículos. Não raro a mídia cita casos de carros movidos a gás de cozinha (aquele vendido em botijões e que não tem nada a ver com o GNV) que explodiram, matando várias pessoas. Por isso, fica o alerta da PRO TESTE: para a sua segurança, não banque o “cientista maluco”!

Uma das perguntas de nossa pesquisa era em relação ao tipo de combustível usado pelo veículo e, curiosamente, três de nossos respondentes marcaram a opção “outros”, indicando que seus carros rodavam com outro tipo de combustível diferente dos tradicionais: gasolina, álcool, óleo diesel, GNV (gás natural veicular) ou ainda as variações flex (GNV + gasolina, GNV + álcool ou GNV + álcool e gasolina).

Japoneses são mais confiáveis Perguntamos a nossos associados quais reparos precisaram ser feitos em seus carros nos doze meses anteriores ao recebimento do questionário e pontuamos esses reparos de acordo com gravidade de cada resposta. Os problemas que põem em risco a vida do consumidor (como nos freios) ou que impedem o carro de andar (como no motor) tiveram o maior peso na construção do índice de confiabilidade dos veículos. Quanto mais próximo de 100, mais confiável é o veículo e menor a probabilidade de você ter que levar o seu carro para a oficina. As marcas japonesas foram as que deram menos problemas a seus clientes.

Segurança para poucos Dos itens de segurança que deveriam ser obrigatórios, os veículos que fizeram parte de nossa amostra possuem: Equipamentos

10

%

Posição

Marca

Confiabilidade 0

1

Honda

2

Toyota

20

40

60

80

89,5 89,4

Airbag para o motorista

22,8

3

Citroën

Freios ABS

22,0

4

Peugeot

Airbag para o passageiro da frente

19,4

5

Renault

Airbags laterais para o motorista e passageiros da frente – proteção do tórax

1,8

6

Ford

73,4

Airbags para o passageiro do banco de trás

0,8

7

Chevrolet

73,0

Airbags laterais para a proteção da cabeça

0,8

8

Fiat

72,5

Airbags laterais para o motorista e passageiros do banco de trás – proteção do tórax

0,4

9

Volkswagen

PRO TESTE 67 • março 2008

87,6 85,2 79,5

67,6

100


AUTOMÓVEIS

Honda e Toyota no pódio

Índice de confiabilidade

TOYOTA Corolla HONDA Fit FIAT Palio FORD Fiesta

20

40

60

100

80

95,0

MAIS CONFIÁVEL >>>

HONDA Civic

0

94,2 92,8 89,3 88,6 88,6

FIAT Siena

88,5

Volkswagen Fox

88,3

RENAULT Clio

88,2

GM CHEVROLET Astra

87,8

GM CHEVROLET Corsa

86,3

PEUGEOT 206

86,1

Volkswagen Gol

85,6

Volkswagen Polo FIAT Uno FORD Eco Sport FIAT Palio Weekend

<<< MENOS CONFIÁVEL

FORD Focus

GM CHEVROLET Celta

Fotos Divulgação

Para evitar distorções nos resultados decorrentes da idade dos veículos, visto que, quanto mais antigos, maior a probabilidade de apresentarem problemas causados por desgaste natural das peças, apresentamos o ranking de confiabilidade incluindo apenas os veículos fabricados de 2002 em diante. Estes são, entre os modelos mais novos, os que menos apresentaram problemas. Note que nem todos os modelos presentes no mercado tiveram um número de respostas suficiente para que pudessem ser comparados estatísticamente. Por isso eles não aparecem no gráfico abaixo.

A japonesa Honda teve excelente resultado entre nossos associados. Fit (em cima) e Civic (abaixo) foram, respectivamente, terceiro e primeiro colocados em nossa pesquisa, entre os veículos mais novos.

85,2 84,8 83,2 82,8 77,2

Mais caro não quer dizer mais confiável Nossa pesquisa concluiu que ter um carro mais caro não significa, necessariamente, se aborrecer menos com as idas às oficinas. Por exemplo, o Ford Fiesta apresentou menos problemas que o Ford EcoSport e ainda é mais barato que o seu companheiro de montadora. O mesmo acontece com os modelos da Volkswagen Fox e Polo.

Entre os modelos fabricados a partir de 2002, a Palio Weekend, da Fiat, foi a última colocada entre os nossos associados.

PRO TESTE 67 • março 2008

11


AUTOMÓVEIS

Idade nem sempre é problema Alguns carros fabricados antes de 2002 conseguiram índices de confiabilidade mais elevados em nossas pesquisas que modelos mais recentes. Por exemplo, em nossa pesquisa, o índice de confiabilidade para os Corolla fabricados antes de 2002 foi mais alto que o índice de confiabilidade dos Palio Weekend mais novos. Por isso, se você for comprar um carro usado, preste atenção nesta tabela: Índice de confiabilidade

HONDA Civic RENAULT Clio FORD Fiesta FIAT Palio

20

40

60

73,2

64,6 63,6 62,2

GM CHEVROLET Vectra

61,3

GM CHEVROLET Astra

60,6

GM CHEVROLET Corsa

60,5

Volkswagen Gol

58,6

Volkswagen Santana FIAT Palio Weekend Volkswagen Parati FORD Escort

Divulgação

56,7

<<< MENOS CONFIÁVEL

FIAT Siena

Entre os problemas detectados em nossa pesquisa, os relacionados a equipamentos elétricos, seja de dentro ou de fora do motor, juntamente com a direção, as rodas, o rolamento, o eixo e o sistema de combustível foram os mais freqüentes. Outras partes dos carros que apresentam diversos problemas são o escapamento, a parte mecânica do motor e seu sistema de refrigeração, e os freios. Por outro lado, quase a metade (45%) dos associados que responderam à nossa pesquisa nunca teve problema que realmente impedisse o veículo atual de andar.

65,7

FIAT Uno

FIAT Tempra

100

80

84,3

MAIS CONFIÁVEL >>>

TOYOTA Corolla

0

Problemas em quase toda parte

55,3 55,0 53,4 52,9

O Escort, da Ford, teve o menor índice de confiabilidade de toda a nossa pesquisa, não chegando a 50 pontos na escala de 100 pontos.

48,8

Vários com mais de dez anos Entre os carros que fizeram parte de nossa pesquisa:

10,2%

13,5%

tinham mais de 10 anos

tinham entre 8 e 10 anos

15,5%

tinham entre 6 e 7 anos

15,2%

Perkins

tinham entre 4 e 5 anos

12

PRO TESTE 67 • março 2008

21,9%

tinham até 2 anos

23,7%

tinham entre 2 e 3 anos


AUTOMÓVEIS

De amigo para amigo Neste gráfico estão as respostas dadas à pergunta “Você recomendaria seu carro a um amigo?” para cada modelo. O ranking de recomendação para as marcas foi: Honda, Toyota, Chevrolet, Peugeot, Volkswagen, Fiat, Renault, Ford e Citroën.

HONDA Fit TOYOTA Corolla HONDA Civic Volkswagen Golf GM CHEVROLET Vectra Volkswagen Santana

20

40

60

80

100

MAIS RECOMENDADOS >>>

0

Na compra de um usado, faça uma revisão minuciosa nos principais componentes para saber seu estado geral.

FORD Focus RENAULT Clio FIAT Palio Weekend

Quem confia, recomenda

Volkswagen Parati

Perguntamos aos nossos associados não apenas sobre os defeitos que seus veículos apresentaram como se eles recomendariam a seus amigos comprar um carro semelhante. Note no gráfico ao lado que os veículos que apresentaram os três maiores índices de confiabilidade foram também os mais recomendados.

PEUGEOT 206 GM CHEVROLET Monza GM CHEVROLET Astra GM CHEVROLET S10 GM CHEVROLET Corsa RENAULT Scénic Volkswagen Gol Volkswagen Fox FIAT Palio

Pechinche ao comprar um carro

Volkswagen Polo

FIAT Uno GM CHEVROLET Celta FORD Fiesta FORD Escort FORD Ka FORD Eco Sport

<<< MENOS RECOMENDADOS

FIAT Siena

Sim, certamente

Sim, provavelmente

Se você pretende comprar um carro, seja ele novo ou usado, além de levar em consideração os resultados de nossa pesquisa de confiabilidade de modelos, deixe para comprálo no fim do mês ou do ano. Estas são boas épocas para comprar veículos porque os vendedores possuem metas a cumprir e, se eles não as tiverem cumprido, suas chances de negociação são muito maiores.

Além disso, não feche negócio na primeira empresa que procurar. Pesquise preços e deixe isso claro ao vendedor. As condições podem ser bastante diferentes mesmo entre concessionárias que vendem as mesmas marcas. Portanto, não limite a sua pesquisa de preços à loja mais perto de sua casa. Se sua opção é pela compra de um carro usado, procure informações na mídia especializada sobre o valor aproximado de mercado do modelo escolhido, em função do ano de fabricação. E fique de olho na quilometragem do veículo: aqueles que rodaram mais de 20 mil quilômetros por ano tendem a ter maior desgaste de peças. Por fim, não deixe de consultar os documentos e o livro de revisões do veículo e de fazer, além de uma inspeção visual, um test-drive. Assim, suas chances de levar para casa algo diferente do que imaginou são bem menores. PRO TESTE 67 • março 2008

13


MOUSES E TECLADOS

Getty Images

À prova de acidentes Testamos periféricos com fio e sem fio e descobrimos que há boas opções que são resistentes e baratas. Para Windows Vista, só os da Microsoft

P

equenos acidentes já não são, necessariamente, fatais para a maioria dos mouses e teclados disponíveis no mercado brasileiro. Deixar o mouse cair ou fazer um lanchinho ao lado do teclado do computador não é mais uma situação de alto risco, na maioria dos casos. Testamos 23 periféricos de computador (10 mouses ópticos com fio, 10 teclados com fio e 3 combos sem fio) e descobrimos que muitos deles resistem até mesmo à queda de líquidos. Quando se compra um computador na caixa, ele já vem acompanhado de um teclado e de um mouse, e muitas vezes nem nos preocupamos com seu desempenho. Mas quando se monta um computador ou quando se quer tornar o trabalho em um laptop mais ergonômico, a escolha de um bom teclado e de um

14

PRO TESTE 67 • março 2008

bom mouse pode fazer a diferença. Você pode também querer trocar seu antigo par de periféricos que não estão funcionando bem por algo mais moderno e versátil. Mas, para não fazer um mau negócio, é bom você saber quais as características que lhe interessam. Por isso, nós indicamos o melhor para o seu perfil com o melhor preço.

Verificamos quais os sistemas operacionais (o programa-base de seu computador, aquele que abre quando você liga e que contém todos os demais programas de sua máquina) com que os periféricos são compatíveis. As informações utilizadas são as fornecidas nos manuais e embalagens. Todos os periféricos são compatíveis com o Windows XP, que é o mais usual, e outras versões mais antigas do Windows. Já para os adeptos do Windows Vista (o sistema operacional mais recente da Microsoft), a única opção são os periféricos da própria Microsoft (veja na tabela da pág. 17 as compatibilidades de cada um). A interface (plugue ou canal de conexão) mais usada hoje em dia é a USB. Alguns computadores novos só possuem essa entrada. Já os modelos

um pouco mais antigos ainda utilizam a PS/2. Por isso, convém verificar qual entrada o seu computador possui antes de comprar o periférico. Alguns dos modelos testados possuem adaptadores para que qualquer uma das opções seja compatível. Os mouses mais fáceis de configurar são os da Clone, GoldShip e Microsoft. Já o teclado é o da Logitech (A). Além de não precisarem de software adicional, todos esses periféricos possuem um guia de configuração rápida fácil de utilizar. No caso dos teclados sem fio, há a necessidade de instalação de software adicional. O único que não o exige é o Bright, que, no entanto, não possui guia de instalação rápido e nem programa de instalação de software adicional (para o caso de você querer refazer alguma configuração).


MOUSES E TECLADOS

O que avaliamos no teste

Mouses ópticos e teclados multimídia

Configuração – Verificamos a necessidade de instalar software adicional ou se o produto é plug-and-play (conecte e use). Observamos ainda, quando o produto oferece um software adicional, a facilidade de instalação do programa. Avaliamos também o uso do guia de configuração rápida (caso possua), a existência de programa de configuração de teclas especiais (para teclados) e, no caso dos combos sem fio, se a conexão é automática. Manuais de instruções – Nos produtos que traziam manual, avaliamos a facilidade de entendimento, qualidade das ilustrações, se o roteiro descrito casa com o operacional na prática, a clareza e a facilidade de utilização das informações e se os dados são completos. Também observamos a ajuda digital dada pelos fabricantes, quando fornecido. Versatilidade – No mouse, avaliamos o tipo de interface presente e se possui adaptador para outras interfaces, se possui botão de rolagem e botões extras, os diferentes sistemas operacionais com quais o produto é compatível e se fornecem CD de instalação. No teclado, levamos em conta o tipo de conexão e se possui adaptador, a quantidade de teclas especiais de atalho (rolagem, copiar/colar, log off, sleep, play, pause, e-mail, calculadora, etc.), e quais delas funcionam também no Linux (sistema operacional livre, desenvolvido para baratear o custo da informatização). Observamos também se os produtos possuem descanso para pulso, iluminação noturna, indicação de funcionamento (num lock, caps lock, etc.) e se há entrada USB no próprio teclado. No combo, foi verificado ainda se eles vêm com pilhas recarregáveis inclusas. Resistência – Avaliamos se os mouses resistem a quedas e se os teclados são à prova também de acidentes com líquidos. Além disso, verificamos se a limpeza danifica (apaga) as inscrições das teclas. Painel de usuários – Verificamos a apreciação de consumidores comuns quanto ao uso. No mouse, foram avaliados o uso dos dois botões principais, a sensibilidade e o uso do botão de rolagem, o uso de botões adicionais, a precisão e fixação do ponteiro na tela, a conveniência para usuários que utilizam a mão esquerda e a sensibilidade em diferentes superfícies. Nos teclados, pedimos que os usuários observassem a sensibilidade, o tamanho, a separação e o barulho das teclas; as características de apoio dos pulsos; se é possível ler bem os símbolos sob iluminação forte, layout, entre outros. No caso dos combos sem fio, foram avaliados ainda a distância e o ângulo de atuação dos produtos.

Existem os mouses mecânicos e os ópticos, mas testamos apenas os ópticos porque são os mais encontrados atualmente no mercado. Já os teclados são diferenciados entre aqueles que possuem teclas multimídia e os que não possuem. Optamos por avaliar a versão mais completa. Testamos ainda três combos de teclado e mouse sem fio, para saber se isso não interfere no desempenho dos periféricos.

Na prática, o periférico poderá funcionar mesmo que você utilize um sistema operacional com o qual ele não é compatível. Porém, o funcionamento poderá não ser completo. Em geral, nesse caso, as teclas comuns funcionam perfeitamente, mas as teclas especiais (como as de multimídia do teclado) não funcionam ou trabalham incorretamente. Por isso, é bom sempre prestar atenção no seu sistema operacional antes de comprar um periférico.

O mouse mecânico utiliza uma bolinha de borracha que movimenta roletes internos. Sua precisão é um pouco menor em relação ao óptico e, quando acumula sujeira nos roletes, a sua resposta aos movimentos fica prejudicada.

Os mouses ópticos são mais recentes no mercado e funcionam com feixes de luz (bastante sensíveis ao movimento). Esse foi o modelo testado.

O teclado multimídia possui algumas teclas especiais que servem como atalho para facilitar o acesso a certas funções.

Este é um dos exemplos de teclas multimídias que facilitam a vida do usuário. Se você gosta de ouvir música no computador, pode aumentar e diminuir o volume, parar e iniciar a música de novo, sem ter que usar o mouse.

Estes são outros exemplos de teclas multimídias. Com elas você pode abrir seus programas de internet e e-mail com apenas um toque no teclado. Há ainda teclas específicas de atalho para as funções mais utilizadas nesses programas.

Os periféricos sem fio precisam de uma base receptora conectada ao computador.

PRO TESTE 67 • março 2008

15


MOUSES E TECLADOS

Muitos não possuem manual de instruções Em geral, o manual de instruções para este tipo de produto é de pouca complexidade. Mas, mesmo assim, a quantidade de fabricantes que não entregam nenhum tipo de manual ao consumidor é grande. Em nosso teste, praticamente metade dos produtos analisados (todos os classificados como E nesta etapa da avaliação) não possuía nenhum manual – quando muito, havia algumas instruções na caixa, o que está longe do ideal, já que a caixa vai para o lixo e não será possível recorrer a ela mais tarde se aparecer alguma dúvida. Os melhores manuais de instrução são os da Microsoft e o do teclado Logitech (A). Eles são completos, claros, fáceis de entender e usar, além de possuírem boas ilustrações.

O mais versátil tem 34 teclas de atalho Os mouses mais versáteis foram os da Pleomax Samsung e da Genius (B), que possuem adaptador e são compatíveis com o sistema operacional da Apple, com o Windows XP e ainda com outras versões mais antigas. Já os teclados mais versáteis são o Bright e o Clone (B), que possuem descanso de pulso, entre outros: o Clone possui uma entrada USB (ótimo para conectar o pen drive) e o Bright é o que possui mais teclas de atalho (34 no total, das quais 11 funcionam também no Linux). O combo mais versátil é o Clone (B), que possui um mouse com sete botões extras, interessante para alguns jogos e para

16

PRO TESTE 67 • março 2008

aplicações gráficas, e pilha recarregável, além de um teclado com 35 teclas de atalho, enquanto os outros dois possuem apenas 14. Porém, nesse a pilha não é recarregável.

Teclados resistem a acidentes com líquidos Na avaliação da resistência, a boa notícia é que os novos periféricos já não são tão frágeis. Os mouses sobrevivem a quedas, sem despedaçar, e a maioria dos teclados não precisa ser descartada só porque você deixou cair um pouco de refrigerante. Entre os mouses testados, somente o Bright e o Genius sofreram algumas avarias nos botões de rolagem após serem submetidos ao teste de queda. Porém, os produtos permaneceram funcionando. Os teclados se saíram muito bem na avaliação de resistência à remoção dos símbolos e letras das teclas ao serem limpos. E muitos deles também merecem mérito na resistência à líquidos. Os únicos que apresentaram problemas foram os teclados da Benq e da Clone (D), que tiveram algumas funções danificadas após o teste de resistência a líquidos, e o da Bright (E), que deixou de funcionar completamente após este teste.

Teclas barulhentas desagradam usuários Em geral, os mouses foram bem apreciados no painel de usuários. Apenas o Genius e o Microsoft apresentam alguns problemas (“falhas no acionamento do botão de rolagem”, “ruim para uso de canhotos” e “falta de precisão do ponteiro na tela”).

Para o Windows Vista somente os produtos da Microsoft são compatíveis. Para o Mac, existem outras versões.

Apenas 3 produtos fizeram A B C D E

O melhor do teste A escolha certa O barato do teste Muito bom Bom Aceitável Regular Ruim

Marca e modelo Mouses Logitech Óptico M-SBF96 Goldship Óptico 0790 Ice Mouse Microsoft Basic Optical Mouse Creative Mouse Optical Pleomax Samsung Óptico SPM 8000 Clone Óptico MP015 Mtek Óptico B80 Leadership Mouse Óptico Ergonômico 1542 Genius Netscroll Óptico Traveller 100 Silver Bright Óptico 0085 Teclados Pleomax Samsung Multimídia PKB-7000x Leadership Black Multimídia 7640 Trust Multimedia KB - 1150 Logitech Multimídia Black Internet Keyboard Microsoft Multimídia Comfort Curve 2000 Genius Multimídia Slim Star 310 Clone Multimídia Office KB04 Goldship Flat Multimídia 0140 Bright Multimídia Office 0030 Benq Multimídia Slim x800 Combos sem fio Microsoft Wireless Optical Desktop 1000 Clone Combo teclado e mouse sem fio Bright Combo teclado + mouse sem fio


MOUSES E TECLADOS

O Pleomax Samsung e o Clone possuem entrada USB no teclado para conectar um pen drive ou mesmo o mouse.

Embora muitos venham com essa opção, apenas nos teclados com fio da Bright, Leadership e Logitech, e no sem fio da Clone, o descanso de pulso é realmente eficiente.

Configuração

Manual

Versatilidade

Resistência

Painel de usuários

•••

USB

[B]

[C]

[C]

[A]

AFB

B

35,99

36,00

••

USB

[A]

[B]

[C]

[A]

B

B

46,90

98, Me, NT 4.0, 2000, XP

3

46,90

••

USB

[A]

[A]

[C]

[A]

C

B

49,00

59,99

••

USB

[C]

[C]

[D]

[A]

B

BFC

49,00

59,00

•••

PS/2 - USB

[C]

[E]

[B]

[A]

B

BFC

69,00

86,40

3

98, 98SE, Me, 2000, XP 95, 98, NT 4.0, 2000, Me, XP

3

0

100

máximo

Interface

3

2000, Me, XP

Avaliação final

mínimo

Peso 2

98, 2000, Me, XP

Preço (R$) 4

Mac OX

Vista

Windows

Sistema operacional

Descanso de pulso (teclado)

feio no teste de resistência

98, Me, 2000, NT, XP

••

PS/2

[A]

[E]

[D]

[A]

AFB

BFC

25,00

35,00

1

••

PS/2 - USB

[C]

[E]

[C]

[A]

B

BFC

47,50

47,90

2000, Me, XP

••

PS/2

[C]

[E]

[C]

[A]

B

BFC

56,90

79,90

XP, Me, 2003, 2000, 98SE

3

•••

PS/2 - USB

[B]

[B]

[B]

[B]

C

BFC

39,00

42,00

Me, 2000, 98, XP

3

••

PS/2 - USB

[C]

[E]

[C]

[B]

BFC

BFC

25,00

39,90 99,99

2000, Me, XP

•••

USB

[C]

[E]

[C]

[A]

AFB

B

89,99

2000, Me, XP

••••

PS/2

3

[C]

[E]

[C]

[A]

AFB

B

36,90

59,90

ME, 2000, XP, 2003

••

PS/2

3

[C]

[B]

[C]

[A]

AFB

B

99,90

106,905

98, 2000, Me, XP

••••

PS/2

3

[A]

[A]

[D]

[A]

AFB

BFC

49,00

69,90

XP, 2000

•••

USB

129,00

98, 2000, Me, XP, 2003

•••

PS/2

68,90

98, 2000, NT, Me, XP

••

PS/2 - USB

2000, Me, XP

95, 98, 2000, XP 2000, Me, XP

3

3

[B]

[A]

[D]

[A]

B

BFC

99,00

[B]

[B]

[D]

[A]

B

BFC

59,00

3

[C]

[E]

[B]

[D]

B

BFC

59,00

70,00

PS/2

3

[C]

[E]

[C]

[A]

BFC

BFC

139,00

139,00

••••

PS/2

3

[C]

[E]

[B]

[E]

C

C

62,00

65,00

•••

PS/2 - USB

[B]

[B]

[D]

[D]

BFC

C

59,90

69,99

3

3 XP, 2000 2000, XP 2000, Me, XP

3

3

•••/••••

USB

3

[B]

[A]

[C]

[A]

AFB

B

175,00

199,99

•••/•••

USB

3

[C]

[B]

[B]

[C]

B

B

139,00

150,00

3

[B]

[E]

[C]

[B]

BFC

C

99,00

129,90

•••/•••• PS/2 - USB

1 Não há informações sobre compatibilidade na embalagem do produto. Ele foi testado com o Windows XP. 2 Quanto mais ••, mais pesado é o periférico. 3 Peso do mouse/peso do teclado. 4 Valores coletados em novembro de 2007, no Rio de Janeiro e em São Paulo. 5 O teclado da Trust não foi encontrado em lojas físicas, os preços mencionados são os encontrados na internet. PRO TESTE 67 • março 2008

17


MOUSES E TECLADOS Os teclados mais bem apreciados foram o Pleomax Samsung, o Leadership, o Trust e o Logitech (AFB). Eles possuem, na visão dos painelistas, um bom tamanho e separação das teclas principais, além de um ótimo layout da teclas especiais (como as de multimídia). O Pleomax é também “bastante silencioso e possui um boa sensibilidade das teclas”. O Leadership “possui um ótimo apoio de pulso e mantém a legibilidade dos símbolos sob diferentes condições de iluminação”. O Bright (C) foi criticado por não possuir apoio de pulso, ter “péssimo layout nas teclas multimídia” e ser “o mais barulhento de todos”.

Na internet produtos são mais caros Verificamos que, no caso de periféricos, preço não é sinônimo de qualidade. O mouse mais caro (Pleomax Samsung) não se saiu tão bem quanto o nosso melhor do teste, que custa metade do seu preço. Já o teclado Goldship pode custar mais de três vezes o valor do Leadership (nossa escolha certa) e nem foi tão bem na avaliação. Em geral, as lojas de informática apresentam os melhores preços para a aquisição de teclados. Já os mouses e combos variam muito de preço entre canais de distribuição, podendo ser encontrados por bons preços nos mais diversos tipos de loja. Nem sempre comprar pela internet é um bom negócio. Na maioria dos casos encontramos preços mais baixos em lojas convencionais que nas lojas virtuais.

18

PRO TESTE 67 • março 2008

A ESCOLHA CERTA Avaliamos 10 mouses ópticos e 10 teclados multimídia com fio e, ainda, 3 combos (teclado + mouse) sem fio e encontramos boas opções, com boa resistência aos acidentes mais comuns envolvendo esses periféricos. Mas não verificamos nenhum ganho (nem perda) na hora de trocar seu equipamento com fio por um sem fio. A grande vantagem de se utilizar um sistema sem fio é de poder estar longe do equipamento ao utilizá-lo. Se você vai utilizar o periférico em seu laptop, também pode ser um pouco vantajoso, mas leve em conta que os equipamentos sem fio necessitam de pilhas (ou baterias). Entre os mouses com fio, o melhor do teste é o Logitech Óptico M-SBF96, acumulando também o título de a escolha certa. Ele é compatível com diversos sistemas operacionais, é fácil de configurar, possui uma boa resistência a quedas e um dos menores preços do teste (R$ 35,99 a R$ 36,00). Porém, lembre-se que, se você utiliza o Windows Vista, sua única opção é o da Microsoft. Já entre os teclados testados, o melhor do teste foi o Pleomax Samsung Multimídia PBK-7000x (R$ 89,99 a R$ 99,99), enquanto a escolha certa ficou com o Leadership Black Multimídia 7640 (R$ 36,90 a R$ 59,90). Ambos possuem uma ótima resistência e foram muito bem apreciados no painel de usuários, mas o Leadership custa menos da metade do Pleomax. Aqui vale o mesmo alerta para os adeptos do Vista e, nesse caso, se estende também aos usuários do Mac OX: o único teclado compatível é o da Microsoft. Dos três combos sem fio testados, o melhor do teste foi Microsoft Wireless Optical Desktop 1000 (R$ 175,00 a R$ 199,99). Porém, ele é bem mais caro que o Clone Combo teclado e mouse sem fio (R$ 149,00 a R$ 150,00), que leva o título de a escolha certa. Mas lembre-se de verificar quais as opções de conexão que o seu computador oferece. No caso do mouse, se você não tem entrada USB, o melhor custo-benefício é o Clone. Já para o teclado, caso você não tenha entrada PS/2, sua melhor opção é o Pleomax Samsung. No combo, a única alternativa caso você não tenha USB é o Bright.

Leadership Black Multimídia 7640

Logitech Óptico M-SBF96

Microsoft Wireless Optical Desktop 1000

Pleomax Samsung Multimídia PKB-7000x

Clone Combo teclado e mouse sem fio


AROMATIZADORES

Tóxico escondido no cheiro

Corbis

Incensos deixam a sua casa perfumada, mas têm tantas substâncias cancerígenas quanto três cigarros.

A

o entrar em um ambiente agradavelmente perfumado por aromatizadores, a primeira sensação pode até ser de aconchego. Entretanto, a longo prazo, a fumacinha liberada por tais produtos que parecia inofensiva pode se transformar em um sério problema para a sua saúde. Testamos cinco incensos, três essências líquidas e duas velas aromáticas, e descobrimos que quase todos esses produtos exalam, junto com o aroma, substâncias tóxicas. Queimando um incenso todos os dias, você estará em contato com a mesma quantidade de benzeno, uma substância cancerígena, contida em três cigarros.

Tudo precisa estar claro Não há regulamentação para a venda de aromatizadores de ambientes. Por isso, apesar de o Código de Defesa do Consumidor afirmar que todos os produtos precisam trazer informações claras sobre as suas características, isso não acontece com os aromatizadores de ambiente. Como não são obrigados por uma regulamentação própria, os rótulos desses produtos não informam as substâncias usadas no processo de fabricação, nem trazem informações essenciais, como um SAC (serviço de atendimento ao cliente) ou o contato de um centro toxicológico que possa

Como fizemos o teste Levamos cinco incensos, três essências líquidas e duas velas aromáticas ao laboratório para avaliar se esses produtos, vendidos como aromatizadores de ambiente, são prejudiciais à saúde dos consumidores. Para tal, simulamos o uso desses produtos em um ambiente equivalente a uma sala de 6x3 metros, e medimos a emissão de poluentes VOCs (compostos orgânicos voláteis) e aldeídos gerada por tais produtos, entre eles substâncias passíveis de causar alergias (alergênicos), benzeno e formaldeído (formol), que são cancerígenos. Procuramos também por perturbadores endócrinos (ftalatos), que alteram as funções do organismo controladas por hormônios e que podem interferir na fertilidade e no desenvolvimento de fetos e recém-nascidos. As concentrações foram medidas após uma hora do acendimento das velas e meia hora após o uso das essências e do acendimento dos incensos, que queimaram por 45 minutos.

PRO TESTE 67 • março 2008

19


AROMATIZADORES ser procurado caso o consumidor tenha problemas de intoxicação com o produto. Já que os rótulos mostram apenas a composição básica dos produtos sem detalhamento (como “carvão” e “bambu”), os consumidores, além de não terem a quem recorrer em casos de acidentes, não podem evitar as substâncias a que são sensíveis e não ficam sabendo que tais produtos contêm substâncias cancerígenas. Também não há nenhum alerta de que os produtos não devem ser usados na presença de crianças, grávidas ou pessoas sensíveis, tampouco em ambientes fechados. Para que você tenha maior poder de escolha, a PRO TESTE solicitou à Anvisa a regulamentação para a venda dos aromatizadores de ambientes (veja mais no quadro abaixo).

Incenso equivale a três cigarros Quando em altas concentrações, os poluentes (VOCs) liberados no ambiente pelos aromatizadores podem causar desde irritação nos olhos, nariz e garganta a dores de cabeça, perda de coordenação motora, náuseas, problemas no fígado, rins e sistema nervoso ou, ainda, câncer em animais e pessoas. Os efeitos serão mais brandos ou mais fortes dependendo do tempo que você se expuser a tais substâncias. Entre os aromatizadores testados, os incensos liberaram as maiores quantidades de poluentes, em uma concentração até seis vezes maior que a adequada, de acordo com os estudos internacionais mais recentes, para não trazer problemas para a saúde das

A PRO TESTE quer regras Os aromatizadores de ambientes vêm sendo vendidos no mercado brasileiro sem nenhuma regulamentação ou fiscalização. Com isso, os consumidores, desavisados dos efeitos nocivos à saúde de tais produtos, ficam à mercê da propaganda que os tenta vender como produtos inofensivos ou até benéficos, já que poderiam trazer mais harmonia para o ambiente. Para dar um basta a esta situação, a PRO TESTE reivindica que seja criado um grupo de estudo na Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) para avaliar com mais profundidade o impacto dos aromatizadores na saúde da população e propor a elaboração de uma regulamentação adequada e exigente para a produção, importação e comercialização desses produtos. Essa norma deve proibir a veiculação de mensagens falsas, como as associações dos produtos com o relaxamento e o bem-estar, e obrigar a divulgação nas embalagens de todos os componentes alergênicos e cancerígenos presentes, assim como um alerta sobre os perigos do consumo dos aromatizadores por grávidas e asmáticos, e principalmente em ambientes fechados, sem circulação de ar. Todavia, de muito pouco adiantará a existência de uma norma se não houver fiscalização por parte da Anvisa para garantir seu cumprimento.

20

PRO TESTE 67 • março 2008

pessoas. Além disso, a maioria dos incensos apresenta substâncias que podem causar alergias tanto na pele como no sistema respiratório. Se não bastasse a presença de alergênicos, todos os incensos testados apresentam altas concentrações de benzeno, que são cancerígenos se utilizados diariamente por mais de um ano. O formol também está presente em altas concentrações nos incensos, o que pode levar você a ter sérias irritações nas mucosas, bronquite, edema pulmonar e até pneumonia. As grávidas e os recém-nascidos devem ficar longe dos incensos. Os produtos testados emitem uma concentração considerável de substâncias que podem comprometer o desenvolvimento do feto ou da criança, chamadas tecnicamente de perturbadores endócrinos. Diante de tais resultados, se você costuma queimar um incenso todos os dias, está em

contato com a mesma quantidade de benzeno liberada pela queima de três cigarros. Em outras palavras, será que o cheirinho vale o risco causado à sua saúde?

Essências, só de vez em quando Na medição feita após a evaporação das essências liquidas que testamos, também encontramos poluentes. Mas em menor diversidade que nos incensos e também em menor concentração. Como nesses casos a concentração encontrada (inclusive de benzeno e formol) estava abaixo do limite adequado para não trazer problemas para a saúde, você até pode consumi-las, contanto que esporadicamente. Entretanto, se você é mais sensível, cabe um alerta: duas das três essências apresentam substâncias que podem causar alergias tanto na pele como no sistema


AROMATIZADORES

Queimar um incenso todos os dias equivale a fumar 3 cigarros Perturbadores endócrinos

Cancerígenos

Avaliação final

Preço (R$)1

[D]

[E]

0,80

[E]

[D]

[E]

0,90

[E]

[D]

[E]

0,90

Velas são as mais seguras

Produto

Alergênicos

Muito bom Bom Aceitável Regular Ruim

Poluentes

A B C D E

Rotulagem

Se você não resiste a um aromatizador de ambiente, temos uma boa noticia: com exceção de baixas quantidades de formol, não detectamos a liberação de substâncias poluentes (VOCs) após a queima das velas testadas. As velas não causam alergias nem trazem benzeno ou perturbadores endócrinos. Então, se, em alguma ocasião especial, você quiser dar um charme à decoração ou iluminação de sua casa, pode usar as velas aromáticas. Mas não abuse. Devido à presença de formol, ainda que em baixa concentração, o uso constante e em excesso pode causar dor de cabeça ou rinite.

Agni Zen – Águas de Iemanjá

[E]

[E]

[C]

[D]

[E]

Big Brand – Sândalo Madera

[E]

[E]

[C]

[D]

Golden – Violeta

[E]

[E]

[D]

[E]

Todos os incensos testados devem ser evitados. Mas as marcas Golden e Mahalakshimi liberam tantas substâncias cancerígenas que não devem ser usados nem esporadicamente.

Benzeno Formol

INCENSO

Hem – Mirra

[E]

[E]

[E]

[D]

[E]

[D]

[E]

0,90

Mahalakshimi – Canela

[E]

[E]

[E]

[E]

[E]

[D]

[E]

0,90

Essência e Arte – Lavanda

[E]

[D]

[D]

[C]

[D]

[A]

[D]

4,50

Ornata – Capim Limão

[E]

[D]

[D]

[A]

[D]

[A]

[D]

6,99

Imaginarium – Oceâno

[E]

[A]

[A]

[A]

[D]

[A]

[D]

3,40

Dom Bosco – Canela

[E]

[A]

[A]

[A]

[C]

[A]

[C]

3,70

Chinvest – Limão

[E]

[A]

[A]

[A]

[C]

[A]

[C]

6,90

ESSÊNCIA

VELAS

1 Valores de compra dos produtos em outubro de 2007 na cidade do Rio de Janeiro.

Deixe o ar circular O uso de aromatizadores de ambientes deve ser evitado principalmente por quem já tem histórico de alergias, mulheres grávidas e por quem tem crianças e animais em casa. O verão é a pior época para usar esses produtos porque, nesta época do ano, a quantidade de ozônio no ar é maior que nas outras e o contato com o ozônio pode aumentar a concentração de formol liberada no ar pelos aromatizadores. Para manter a sua casa livre de odores indesejados, deixe o ar circular. O arejamento é o melhor ambientador que sua casa pode ter. Se apenas o ar não conseguir neutralizar o odor indesejado, dilua uma colher de sopa de bicarbonato de sódio em meio litro de água quente e passe nas superfícies que estão contaminadas pelo mau cheiro. Para pisos e carpetes, salpique bicarbonato de sódio no chão alguns minutos antes de usar o aspirador de pó. O bicarbonato de sódio neutraliza a acidez típica dos maus cheiros. Para perfumar os ambientes, prefira flores naturais ou espete pauzinhos de cravo-da-índia em laranjas inteiras e deixe-as em um vaso. Grãos de café torrados e inteiros também dão um toque de estilo e perfume em sua decoração. E, por fim, se você ainda não conseguiu abolir os cigarros de sua casa, uma boa dica para evitar o odor proveniente do fumo é misturar ervas aromáticas a um pouco de areia e deixar a mistura no fundo do cinzeiro.

Corbis

respiratório. E já que Essência e Arte – Lavanda apresentou benzeno, é bom ser ainda mais cauteloso com o seu uso, já que essa substância é cancerígena.

PRO TESTE 67 • março 2008

21


GELÉIAS DE MORANGO

Opção para seu café da manhã A grande maioria das geléias de morango que testamos mostrou ter boa qualidade.

E

la pode servir para comer sobre fatias de pão, torrada ou biscoito, para misturar com iogurte ou sorvete e, ainda, para rechear bolos ou doces. Independente do uso, geléias costumam ser muito apreciadas pelos brasileiros, especialmente a de morango, alvo de nosso teste alimentar do mês. Avaliamos 14 diferentes marcas e, com exceção de duas, as geléias se mostraram confiáveis. Problema grave, mesmo, só houve em uma geléia que continha amido, o que denota uma fraude.

Fora e dentro do pote Para avaliar a qualidade das geléias, além de checar os rótulos, fizemos várias análises. Rotulagem – Dividimos a avaliação em dois pontos. No primeiro, checamos a qualidade das informações. Para isso, vimos se diversas informações constavam nos rótulos, como data de validade, lote, lista de ingredientes, instruções de conservação depois de aberto, informação nutricional, SAC, entre outras. No segundo, analisamos a veracidade das informações para ver se os fabricantes declaram corretamente a quantidade de carboidratos, fibras, gorduras, proteínas e valor energético. Análises laboratoriais – Fizemos uma série de análises físico-químicas: macro e microscopia, sujidades leves, matérias estranhas, pH, esterilidade comercial, microbiologia, umidade, fibra alimentar, proteínas, cinzas, gordura, teor de pectina, grau brix (porcentagem de sacarose), presença de carbendazin (um pesticida) e de ácido sórbico (um conservante). Degustação – Feita em um laboratório especializado com um painel de consumidores.

22

PRO TESTE 67 • março 2008


GELÉIAS DE MORANGO

Cêpera – Senninha

Rótulos nem sempre legíveis No primeiro exame do teste, apuramos que todos os rótulos apresentavam muitos dados importantes, como data de validade, lote, lista de ingredientes e informação nutricional. Além disso, quanto a fibras, gorduras e proteínas, todas as marcas apresentaram informações corretas. Problemas mesmo só em alguns itens. Ritter Extra e Fugini (C) têm rótulos que não são de fácil leitura, pois não há contraste entre a cor da letra e o fundo da embalagem. Já Cêpera e Extra tiveram outro tipo de problema. Ambos declaram conter aproximadamente 30% menos carboidratos e calorias do que têm realmente. No caso da Predilecta Premium (D), a situação foi ainda mais grave, chegando a quase 40% de diferença nos mesmos itens.

No laboratório, geléias quase impecáveis A seguir, fizemos diversas análises laboratoriais e os resultados foram quase sempre satisfatórios. Nenhuma

Extra

marca apresentou indícios de problemas no modo de fabricação ou na conservação do produto. Além disso, as geléias não apresentaram resíduos de carbendazin, o pesticida mais freqüentemente encontrado em morangos, conforme apuramos em nosso teste publicado na edição anterior. Falhas, mesmo, foram poucas. A Fazenda & Casa (C) apresentou contaminação com ovos de drosófila (mosca das frutas). Apesar de não ser prejudicial à saúde, o fato demonstra falta de higiene na produção. A mesma geléia mostrou ser pobre, pois apresentou umidade em torno de 60% – ou seja, mais da metade do produto é composto por água. Nos outros produtos testados, esse percentual estava por volta de 20%. Caso grave encontramos na composição da geléia Superbom. Ela apresentou amido em sua composição. A adição pode ser caracterizada como fraude, pois reduz a quantidade de fruta e, conseqüentemente, o custo da produção. Por isso, a marca recebeu a pior avaliação (E).

Fazenda & Casa

Fugini

Na geléia de morango da França, assim como em todos da Europa e dos EUA, a porcentagem de fruta é indicada no rótulo, algo que não vimos nas nacionais.

A cor da letra de algumas embalagens não contrasta com a do fundo, dificultando a leitura das informações pelo consumidor.

PRO TESTE 67 • março 2008

23


GELÉIAS DE MORANGO

Great Value

Homemade

Uma destoou na degustação

A melhor foi a mais barata

A degustação, por ter maior peso, acabou sendo decisiva, até porque os treze primeiros lugares tiveram avaliações finais idênticas à deste item. Fugini, Queensberry Extra Premium, Predilecta Premium e Predilecta foram as mais bem apreciadas (A/B), sendo elogiadas principalmente pela textura e pelo sabor. Uma geléia, em especial, merece atenção. O destaque negativo foi a Fazenda & Casa (C/D), com muitas críticas sobre seu aspecto e sabor. Isso talvez se explique por ela ter água demais, conforme vimos em nossas análises laboratoriais. O produto se diz orgânico, fato que reflete até no seu preço, mas isso não impediu que fosse um dos piores de nosso teste.

Por fim, em nossa pesquisa de preços, descobrimos que, no geral, as geléias são mais baratas nos supermercados (comparando com os hipermercados), mas as diferenças não foram muito significativas, exceto para a Predilecta Premium e a Ritter Extra, que eram mais baratas cerca de 30% nesse tipo de loja. Como os potes têm peso diferente, na tabela da página ao lado uniformizamos os preços por porção de 100 gramas para facilitar comparação. Assim, as geléias Cêpera, Fugini, Great Value e Purifruti se destacaram por ter os preços mais baixos. E o produto mais bem avaliado foi justamente o que apresentou o menor preço de todos, o Fugini, que chegou a ser encontrado por R$ 2,35.

Pão de Açúcar

Predilecta

Predilecta Premium

Purifruti – Turma da Mônica

Queensberry Extra Premium

Red Indian

Ritter Extra

Superbom

Não dura mais que 15 dias Antes de consumir as geléias, alguns cuidados devem ser tomados: y As geléias devem ser mantidas em lugar fresco e arejado, evitando umidade, o que pode enferrujar a tampa e diminuir a durabilidade do produto. y Após a abertura, devem ser mantidas na geladeira pelo tempo indicado pelo fabricante. y A validade das geléias varia de 5 a 15 dias, dependendo da sua composição.

24

PRO TESTE 67 • março 2008


GELÉIAS DE MORANGO

Só duas geléias não chegam a ser boas

Marca

Capacidade (g)

Calorias por porção de 20g

Rotulagem

Análises laboratoriais

Degustação

mínimo

máximo

mínimo

máximo

Preço (R$) 1

Fugini

230

60,09

[C]

[A]

A/B

A/B

2,35

4,15

1,02

1,80

Queensberry Extra Premium

320

60,77

[B]

[A]

A/B

A/B

6,48

9,89

2,03

3,09

Predilecta Premium

420

65,07

D

[A]

A/B

A/B

5,95

8,39

1,42

2,00

Predilecta

230

67,85

[B]

[A]

A/B

A/B

2,78

4,52

1,21

1,97

Pão de Açúcar

270

61,26

[B]

[A]

B

B

5,49

6,87

2,03

2,54

Great Value

230

61,39

[A]

[A]

B

B

2,98

3,48

1,30

1,51

Homemade

320

61,94

[B]

[A]

B

B

5,39

8,29

1,68

2,59

Ritter Extra

270

68,40

C

[A]

B

B

3,90

7,88

1,44

2,92

Extra

230

63,62

[C]

[A]

B

B

3,55

3,99

1,54

1,73

Purifruti – Turma da Mônica

270

59,15

[A]

[A]

B

B

2,78

4,59

1,03

1,70

Cêpera – Senninha

230

60,11

C

[A]

B

B

2,69

3,69

1,17

1,60

Red Indian

230

67,42

[A]

[A]

B/C

B/C

3,78

4,95

1,64

2,15

Fazenda & Casa

230

30,48

[A]

[C]

C/D

C/D

9,18

12,99

3,99

5,65

Superbom

270

65,69

[A]

[E]

B

E

4,79

7,69

1,77

2,85

A B C D E

O melhor do teste A escolha certa O barato do teste Muito bom Bom Aceitável Regular Ruim

Por pote

Avaliação final 0

100

Por 100g

1 Valores coletados em outubro de 2007 nas cidades de Campinas, Guarulhos, Niterói, Rio de Janeiro e São Paulo.

Mudança representa retrocesso Uma recente legislação, de 2005, revogou uma mais antiga, de 1978, que era muito mais completa ao abordar as geléias de frutas. Antes o texto legal definia o que é geléia de fruta, qual sua classificação, designação e composição, quais os aditivos permitidos e os critérios de higiene, pesos, medidas e rotulagem. A norma em vigor atualmente não define a maioria desses parâmetros e limita-se a definir geléia só como “produto à base de fruta”. Portanto, a legislação, em vez de melhorar, piorou. Como se não bastasse, diferente dos EUA e Europa, a legislação sequer prevê limites para o teor de frutas no produto. Com isso, não dá nem para determinar se uma geléia pode ser Premium ou Extra, tipos que deveriam ter maior quantidade de fruta. Como você pode ver na foto da pág. 23, as geléias importadas informam a porcentagem de fruta em sua embalagem, diferente das nacionais. Talvez por isso tenha havido problemas com fraude e umidade em nosso teste. A PRO TESTE notificará a Anvisa para pedir uma total revisão das normas para melhor garantir a qualidade do produto que vai para a casa do consumidor.

A ESCOLHA CERTA Não encontramos grandes problemas nas geléias testadas. Das 14 avaliadas, 11 foram pelo menos boas (B), o que mostra ser possível confiar na qualidade do produto. Apenas a marca Superbom terminou como “ruim” (E) na avaliação final porque tinha amido em sua composição. A Fazenda & Casa foi ainda a única mal avaliada na degustação. No final, não faltam boas opções de compra para você. A Fugini (entre R$ 2,35 e R$ 4,15 o pote de 230g) acumulou os títulos de o melhor do teste e a escolha certa. Já a Great Value (de R$ 2,98 a R$ 3,48), por também apresentar uma boa relação qualidade-preço, recebeu igualmente o título de a escolha certa.

PRO TESTE 67 • março 2008

25


TRANSGÊNICOS Corbis

Se é diferente, tem que avisar Para que você saiba exatamente o que está comprando, as embalagens de alimentos transgênicos precisam deixar clara a diferença entre esses produtos e os tradicionais.

26

PRO TESTE 67 • março 2008

M

uito tem se falado sobre os alimentos transgênicos ou geneticamente modificados, que estão em praticamente toda parte do mundo. Mas você sabe como eles são feitos e a diferença entre eles e os alimentos tradicionais? Ou, ainda, como identificá-los? Os alimentos transgênicos resultam da modificação de seus genes e apresentam grande potencial de oferecer determinadas características interessantes para o homem, como o

aumento de seus valores nutricionais ou da resistência a pragas, aumentando o volume de sua oferta ao mercado. Em linhas gerais, para fazêlos, os cientistas isolam os genes de interesse, aqueles que trazem as características que serão somadas, e depois os enxertam na espécie a ser modificada. E a modificação não se restringe aos alimentos. A sigla OGM significa organismo geneticamente modificado e engloba plantas e animais.


TRANSGÊNICOS

De feijão a insulina, vale quase tudo Os exemplos de modificações genéticas aplicadas em nosso dia-a-dia são os mais diversos. Insulina é produzida a partir da inserção de um gene humano ao DNA da bactéria Escherichia coli. Adicionando-se um gene da castanha-do-pará ao feijão, este passa a produzir metionina, um aminoácido essencial para a vida. O arroz geneticamente modificado passa a produzir vitamina A. No Brasil, a soja é o único grão cujo cultivo de semente transgênica é autorizado pelo governo. Entretanto, como em outros países há a liberação do cultivo de outros alimentos, pode ser que produtos importados de tais países derivados desses alimentos contenham organismos geneticamente modificados. Veja neste exemplo como os cientistas podem criar um alimento transgênico.

1

O gene de interesse, ou seja, aquele que possui a característica que se quer adicionar alimento é rastreado. A PRÍMULA produz ÔMEGA 3

2

O gene responsável por tal característica é isolado em seu DNA.

3

A parte do DNA do gene de interesse é inserido no DNA do alimento a ser modificado.

4

DNA da PRÍMULA

Surge então um novo alimento com as características adicionadas.

LEITE DE SOJA

MACARRÃO SOJA

DNA da SOJA

DNA da SOJA

SOJA transgênica com ÔMEGA 3

ÓLEO com ÔMEGA 3 BISCOITO

São alguns exemplos de cultivo liberado em outros países:

União Européia – Tomate, canola, soja e algodão. Argentina – Soja, milho e algodão.

Estados Unidos – Melão, soja, tomate, algodão, batata, canola e milho.

Os dois lados da moeda As principais vantagens dos organismos geneticamente modificados são: a possibilidade de aumentar o valor nutricional ou de pureza dos alimentos; seu volume de produção e resistência a pragas, equilibrando os seus preços no mercado internacional; ou ainda de servirem para a produção de vacinas ou outros métodos para prevenir,

reduzir ou evitar doenças. Entretanto, se, por um lado, os OGMs oferecem tantas vantagens, por outro apresentam maior possibilidade de desenvolver alergias em quem entra em contato com eles. Além disso, não está completamente afastada a possibilidade de a inserção de um gene diferente causar efeitos colaterais inesperados, já que outras partes do organismo podem ser afetadas.

Por isso, é essencial que os alimentos geneticamente modificados tragam claramente em suas embalagens, além da declaração de conter ingredientes transgênicos, informações sobre as possíveis alergias e outros efeitos colaterais. Há também toda uma discussão político-econômica acerca dos transgênicos porque, ao criar um tipo de semente mais resistente a pragas (ou ainda a agrotóxicos,

como é o caso da empresa Monsanto, que vende uma semente resistente a um agrotóxico produzido pela mesma empresa, aumentando o seu mercado em duas frentes) os tais produtores podem passar a engolir pequenos produtores que não terão acesso a essas sementes e não conseguirão desfrutar das mesmas vantagens, monopolizando o mercado e ferindo o direito de escolha do consumidor. PRO TESTE 67 • março 2008

27


TRANSGÊNICOS

Direito à informação acima de tudo

Getty Images

Os estudos sobre os organismos geneticamente modificados mundo afora ainda estão se consolidando, mas até o momento, com base nas informações científicas divulgadas, a PRO TESTE não vê razão para rejeitar os OGMs liberados para cultivo, ou seja, os ditos OGMs autorizados. Porém, quem decide o que vai ou não levar para casa é o consumidor. Portanto, para que seu direito de escolha seja preservado, a PRO TESTE defende que os alimentos geneticamente modificados tragam alertas em suas embalagens sobre as alterações sofridas e suas novas características, assim como dos possíveis riscos a saúde de quem os consome. Internacionalmente, os alimentos com mais de 1% de organismos geneticamente modificados trazem um triângulo de fundo amarelo com a letra T no centro (veja no

quadro ao lado). Aqui no Brasil, o Ministério da Agricultura não é favorável à adoção do símbolo, a fim de evitar o pânico na população (apesar do decreto presidencial que o exige, veja mais no quadro “Demorou, mas estão começando a aparecer”), e com a desculpa de que é muito difícil rastrear os alimentos por toda a cadeia de produção. Se lá fora é possível, por que aqui não o é? Se os consumidores europeus conseguem identificar alimentos com presença de OGMs nas prateleiras dos pontos de venda, por que nós brasileiros precisamos continuar levando para casa esses produtos sem saber? Já é hora de os alimentos transgênicos ou que contenham ingredientes geneticamente modificados trazerem indicações em seus rótulos, mesmo que não seja o símbolo-padrão, a fim de fazer valer o direito de escolha do consumidor.

Demorou, mas estão aparecendo O Brasil, teoricamente, passou a exigir a adoção do símbolo internacional de identificação nos rótulos de produtos destinados ao consumo humano e animal que contenham mais que 1% de OGM em um decreto presidencial de abril de 2003. Entretanto, de lá para cá, muito pouco aconteceu nesse sentido. Só recentemente chegaram às prateleiras, depois até de uma pendência judicial, os primeiros produtos com tal símbolo em seus rótulos: os óleos de soja das marcas Soya e Primor, produzidos pela Bunge.

Para o Ministério da Agricultura, este símbolo é muito parecido com o usado para elementos radioativos, o que poderia causar pânico na população.

PRO TESTE espera mudanças Em julho passado, a Anvisa iniciou uma consulta pública sobre transgênicos com o objetivo de aprovar o regulamento técnico com os procedimentos para avaliação de segurança de alimentos para o consumo humano que contiverem organismos geneticamente modificados ou seus derivados. Aprovados, esses procedimentos serão aplicados na análise a ser feita pela Anvisa nos processos da Comissão Técnica Nacional de Biossegurança (CTNBio). A PRO TESTE acredita que como está o regulamento não deve ser aprovado e portanto, enviamos para a Anvisa um documento com nossas sugestões. Mas, até o momento, a agência ainda não se pronunciou. A PRO TESTE gostaria que antes de haver a liberação no Brasil de novos OGM, houvesse um estudo independente feito por especialistas para analisar todos os riscos que tal organismo poderia causar na população e nos animais. Atualmente, para a PRO TESTE, ainda não há evidências de como o consumidor brasileiro pode tirar proveito dos transgênicos.


COMIDAS REGIONAIS

No tabuleiro da baiana tem... ...além de carboidratos, frituras e colesterol, frutas das mais variadas e saborosas. Faça bom proveito delas para equilibrar a comilança.

A

culinária nordestina é exaltada desde o Brasil Colônia e reflete, em sua mistura de sabores e temperos, a própria história da miscigenação do país. Porém, engana-se quem pensa que a cozinha do Nordeste, com suas pimentas e doces de coco, é de todo contra-indicada para uma dieta equilibrada. Devido à variedade de frutas ricas em vitaminas e aos frutos do mar, a culinária nordestina

também pode ser fonte de uma dieta saudável. Portanto, se você mora no Nordeste ou está nele a passeio (e não tem restrições médicas), pode comer alguns pratos típicos sem culpa de vez em quando. Só não vale abusar! Nas próximas páginas, para dosar o quanto você pode comer sem prejudicar a sua saúde, veja a descrição das especialidades nordestinas e quantas calorias elas contêm.

aiana

ab No tabuleiro d )

(Ary Barroso

baiana tem No tabuleiro da tem umbu , mungunzá, Vatapá, caruru Pra Ioiô cê me dá Se eu pedir vo seu amor O seu coração, De Iaiá tem baiana também No coração da ilusão rê, candomblé, Sedução, canje Pra você do Bonfim s, pelo Senhor Juro por Deu pra mim ha inteirinha in n ia ba cê vo Quero dois que será de nós o , is po de as M or cruel, enganad Seu amor é tão rê i até um canje m você Tudo já fiz, fu inhos juntar co ap tr s eu m z, Pra ser feli a ilusão i ser mais um Mas depois, va ração governa é o co em qu or am No

GOSTOS DO BRASIL A partir desta edição, a cada dois meses, a PRO TESTE apresentará os prós e os contras da culinária das diversas regiões brasileiras. Não perca!

Corbis

PRO TESTE 67 • março 2008

29


COMIDAS REGIONAIS

Todos os estados do Nordeste são banhados pelo mar, o que estimula o consumo de peixes e frutos do mar nas mais variadas receitas. Além disso, há no Nordeste diversas regiões de mangue, propícias ao crescimento de caranguejos e sururus (mariscos). Se você tiver oportunidade, abuse deles. Cem gramas de peixe, lagosta, camarão, ostra, marisco ou lula cozidos possuem menos de 100 quilocalorias, enquanto 100g de carne vermelha, dependendo do teor de gordura, pode chegar a 300kcal. No interior, reinam os pratos a base de carne de bode ou de boi, seja ela na forma de carne de sol ou de charque (carne seca). A carne de sol tem esse nome porque, como a carne seca, é deixada ao sol para secar. Para ficar mais macia, a carne de sol deve ficar de molho por um tempo em leite antes de ser assada. Já a carne de charque é aquela seca e salgada que deve ser consumida com moderação, principalmente por quem tem pressão alta. Além de reter líquidos no corpo por causa do excesso de sal, uma porção com 100g oferece 440kcal.

Acarajé É um bolinho frito no azeite de dendê e cuja massa é feita com a parte interna (branca) do feijão depois de cozido e amassado. O acarajé tradicional vem recheado por camarão seco e com casca e um molho apimentado. Se uma baiana perguntar se você quer o seu acarajé quente ou frio, cuidado, meu rei! Na verdade ela estará perguntando se você o quer com ou sem pimenta. Um acarajé médio (100g), sem recheio, tem 282kcal.

Bobó de camarão Pirão feito à base de mandioca cozida e amassada que leva camarão fresco, temperos, azeite de dendê e, em alguns casos, leite de coco. Em geral, é servido com arroz branco. Mas há quem o sirva em potinhos, principalmente em festas. A mandioca é rica em vitaminas, principalmente a C, e cada colher de sopa dessa mistura oferece 46kcal.

30

PRO TESTE 67 • março 2008

Bolo de macaxeira ou grude Os nordestinos chamam assim o bolo molhado feito com macaxeira (mandioca, aipim) e coco. É sempre uma boa pedida, principalmente se servido com café no lanche da tarde ou no café da manhã. Uma fatia média de grude oferece 243kcal.

Cocada Doce de consistência dura, em geral apresentado na forma de tabletes quadrados, feito com coco ralado, açúcar e leite condensado. Perdição para quem controla o peso, uma unidade média, com 70g, oferece 405kcal.

Cuscuz No Nordeste é mais comum encontrar cuscuz feito com farinha de milho, podendo ser doce ou salgado. O cuscuz doce leva coco ralado e pode ou não ser servido regado com leite de coco. Já a versão salgada é feita apenas com sal e pode ser servida com manteiga, queijo ou até pedaços de carne assada ou guisada – de boi ou de bode. Cada 50g de cuscuz de milho sem acompanhamento oferecem 181kcal.

Rapadura É um “tijolo” feito com açúcar mascavo e tem consistência bastante dura. Por isso há até um ditado popular que lembra: “rapadura é doce mas não é mole não”. A rapadura é usada, principalmente no interior do Nordeste, para fazer doces, acompanhar queijos e, em alguns casos, adoçar bebidas. Energia pura, um pedaço médio de rapadura com 55g contém 203kcal.

Vatapá É um prato de peixe e camarão que leva um creme à base de camarão seco, farelo de pão, leite de coco, gengibre, amendoim, castanha, pimenta malagueta e azeite de dendê. Em geral é acompanhado por arroz. Essa mistura é rica em vitaminas e cada porção de 100g oferece 126kcal.


COMIDAS REGIONAIS

As frutas do nordeste são ricas em vitaminas, principalmente A e C, além de cálcio, ferro e fósforo. Além disso, são uma boa pedida para hidratar o organismo e ajudar na digestão. Portanto, se você exagerou no prato principal, que tal uma sobremesa com frutas típicas da região?

AS FRUTAS DE PERNAMBUCO “...Pernambuco, tão masculino, que agrediu tudo, de menino, é capaz das frutas mais fêmeas e da femeza mais sedenta...” (João Cabral de Melo Neto)

Acerola Bastante ácida, a acerola é rica em vitaminas C e do complexo B, além de betacaroteno, cálcio, ferro e magnésio. Auxilia no combate à infecção e resfriados. Mais consumida em sucos, dez unidades médias oferecem menos de 10kcal.

Graviola Azedinha e suculenta, é uma fruta muito popular em sucos e sorvetes. Fonte das vitaminas C e do complexo B, e de cálcio, ferro e fósforo, a graviola é anti-reumática e anti-inflamatória. Possui um grande caroço e 100g de sua polpa têm 60kcal.

Mangaba Frutinha pequena e que deixa os lábios grudando, é uma diversão para as crianças. É possível comê-la ao natural, porém, o mais comum é vê-la em sorvetes e sucos. A mangaba é uma boa fonte de vitaminas A, C, do complexo B e de cálcio, ferro e fibras. Ela ajuda a baixar a febre e acelera a cicatrização. Cem gramas da polpa de mangaba oferecem 43kcal.

Cajá Rico em cálcio, fósforo e ferro, ajuda no combate à infecção e tem uma ação protetora de pele e mucosa. É mais consumido em sucos, assim como seu primo, o umbu-cajá. Tem um grande caroço no centro e uma carne macia, azedinha. Um cajá médio tem 28kcal.

Caju Abundante principalmente no Rio Grande do Norte, onde está o maior cajueiro do mundo (na praia de Pirangi), o caju é rico em fibras, vitaminas C e do complexo B, além de betacaroteno, cálcio, ferro e fósforo. Se você quiser comê-lo in natura, cuidado com a sua castanha, pois dela sai um leite que mancha e queima a pele. O caju ajuda a reduzir o colesterol. Um caju médio tem 27kcal.

Pitanga Frutinha delicada, tem um cheiro bastante agradável e é consumida tanto in natura, em sucos, sorvetes e até em molhos para pratos. Rica em vitamina C e ferro, a pitanga possui fibras que auxiliam o funcionamento do intestino e atuam na formação óssea. Três unidades médias oferecem 8kcal.

Pitomba “Chooora menina para comprar pitooomba...”, gritam os vendedores de pitomba pelas ruas de Recife. Essa frutinha que quase não tem polpa é vendida em cachos e é preciso abrir uma casquinha para chupá-la. Fonte de vitamina C, a pitomba combate os radicais livres e previne o envelhecimento precoce. Um cacho com 100g possui 34kcal.

Carambola As carambolas são muito usadas em pratos e doces no Nordeste, não apenas pelo seu sabor adocicado, mas porque, ao serem cortadas, ficam no formato de bonitas estrelas amarelas. A carambola também é rica em vitaminas A, C e do complexo B, além de cálcio, ferro e fósforo. Mas não deve ser consumida por quem tem insuficiência renal, pois pode ser fatal. Uma unidade média tem 32kcal.

Tamarindo Difícil encontrar criança que coma essa fruta azedinha e marrom sem fazer careta. Devido ao seu sabor forte, é mais consumida em forma de sucos ou sorvete. Rico em cálcio, fósforo, ferro e cloro, ajuda no funcionamento do intestino. Uma porção de 100g de tamarindo tem 230kcal.

PRO TESTE 67 • março 2008

31


EXAME DE SANGUE

Imagens Corbis

Na ponta da agulha O hemograma completo pode detectar diversas anomalias em qualquer parte do organismo e apontar doenças ocultas.

O

sangue é o meio de transporte e o correio utilizado pelo organismo. É através dele que o oxigênio, os nutrientes, as vitaminas e as enzimas, entre outros, serão enviados e recebidos nas mais diversas localidades do corpo. Devido a esse papel primordial na máquina humana, qualquer distúrbio ou disfunção em um órgão ou sistema se reflete de alguma forma no sangue. Por isso ele é uma grande fonte de informação para os médicos. O hemograma é o exame de sangue que se faz mais rotineiramente, pois é o estudo dos componentes do sangue (hemácias, leucócitos, plaquetas e hemoglobinas) que permite detectar se alguma anomalia está ocorrendo em alguma parte do corpo. Ele pode ser um exame conclusivo, fornecendo ou confirmando um diagnóstico, ou um ponto de partida para que o médico sai-

32

PRO TESTE 67 • março 2008

ba onde deve investigar mais a fundo, já que os resultados indicarão de que órgãos ou sistema podem estar partindo os sintomas do paciente.

Diagnóstico depende de outros fatores As informações fornecidas pelo hemograma podem ser interpretadas de muitos modos, dependendo de diversos fatores, como o histórico ou os sintomas do paciente (até mesmo o uso de alguns medicamentos pode distorcer os resultados). As análises sanguíneas não possuem validade absoluta isoladamente. Por isso, somente o médico poderá ler o exame e chegar a uma conclusão precisa. Mas saber o papel de cada componente na detecção de doenças pode aliviar um pouco a tensão de quem recebe o resultado do exame com alterações e ainda tem que esperar muito até a

Check up uma vez por ano É aconselhável fazer um hemograma pelo menos uma vez por ano, juntamente com outros exames de check up que o médico solicitará de acordo com sua idade, sexo e histórico de paciente. Havendo o pedido do médico, esse exame é coberto pelo plano de saúde sem limitação. Mas se você for pagar pelo procedimento, o custo é de aproximadamente R$ 20 (pesquise antes de marcar, pois há laboratórios que cobram bem mais caro e outros que até têm preços menores para idosos).

próxima consulta. Os valores de referência (VR), que vêm indicados ao lado ou ao pé de cada item da análise (veja o exemplo de um hemograma na página ao lado),

são calculados com base nos valores encontrados em um grupo de pessoas de boa saúde. Você não deve se assustar com possíveis observações no laudo, pois o seu organismo


EXAME DE SANGUE

Hematócrito Se os valores de hematócritos forem inferiores ao normal, pode haver uma anemia derivada de hemorragia, de déficit na absorção de ferro ou de alterações de hemoglobina. Valores superiores ao normal podem indicar desidratação devida, por exemplo, a diarréia, a uma queimadura extensa ou a uma anomalia da medula óssea com produção excessiva de glóbulos vermelhos.

Hemoglobina Quando os valores de hemoglobina estão aumentados, a alteração pode ser decorrente de redução no teor de água no organismo. Isto costuma ocorrer na seqüência de desidratação, diarréia, vômitos, suores excessivos, queimaduras graves e uso de medicamentos diuréticos. Tabagismo, altitude elevada, exposição ao monóxido de carbono e doença pulmonar crônica são outros fatores que podem contribuir para um aumento nessa contagem. Quando a hemoglobina apresenta valores baixos, existe, provavelmente, algum tipo de anemia. Neste caso, o índice de hemácias pode ajudar a caracterizar a anemia e identificar sua origem.

VGM Valores abaixo dos normais indicam anemia por deficiência de ferro, causada por hemorragia ou, ainda, uma talassemia (anomalia congênita na constituição da hemoglobina, uma espécie de anemia hereditária). Em um contexto de anemia, um VGM elevado deve-se a falta de vitamina B12 ou de ácido fólico.

HGM Valores reduzidos assinalam uma hipocromia, o que ocorre, por exemplo nas anemias por deficiência de ferro.

Hemograma completo

Esta observação se refere a uma alteração no tamanho e na coloração das hemácias, indicando uma possível anemia. Mas o diagnóstico só poderá ser confirmado pelo médico, pois, ao avaliar o conjunto, ele pode concluir que a suposta alteração sanguínea é, na verdade, uma característica normal daquele paciente ou de sua enfermidade.

pode ter, naturalmente, valores diferentes dos tidos como referência – daí a importância do histórico do paciente. Os valores de referência podem ainda variar de um laboratório para o outro, de acordo com a unidade de medida utilizada. Muitas vezes eles variam também de acordo com a idade e o sexo do paciente. Glóbulos vermelhos – também chamados de eritrócitos. Têm como função o transporte dos gases envolvidos no processo respiratório. Alterações nessa contagem indicam redução ou excesso de elementos (como oxigênio, presente também na água) e substâncias (como vitaminas), indicando a ocorrência de anemias ou desidratação, por exemplo.

Glóbulos brancos – também chamados de leucócitos. Têm a função de combater corpos estranhos. Defendem o organismo contra agentes que causam doenças e combatem infecções. A quimioterapia, a anemia aplástica (em que a medula óssea deixa de produzir glóbulos brancos), as infecções virais (como a dengue), o alcoolismo, a AIDS e o lúpus estão, por vezes, na origem de uma diminuição dos glóbulos brancos. Já o aumento de glóbulos brancos ocorre quando há uma infecção, uma inflamação, estresse físico (tal como febre ou cirurgias) ou emocional grave, queimaduras, insuficiência renal, tuberculose e leucemias. A contagem fora dos parâme-

tros de cada glóbulo branco pode indicar uma possível enfermidade. Veja na tabela abaixo. Glóbulos brancos

Causa provável de um aumento

Neutrófilos

Infecções de origem bacteriana.

Linfócitos

Infecções de origem viral, tuberculose.

Monócitos

Doenças virais.

Eosinófilos

Parasitoses, alergias, asma.

Basófilos

Alergias.

Índices heritrocitários (hematimétricos) – são parâmetros que podem dar informações adicionais quanto à causa de uma anemia. O VGM indica o tamanho dos glóbulos vermelhos e o HGM corresponde à cor. PRO TESTE 67 • março 2008

33


ALERGIAS DE CONTATO

O difícil é achar o culpado Manchas vermelhas e coceira na pele são indícios de reação alérgica ou irritação e é preciso conhecer sua causa.

Imagens Getty Images

V

ocê tem uma coceirinha irritante sempre no mesmo local? Aparecem manchas vermelhas e feridas na sua pele e você não sabe o porquê? Você pode estar sofrendo de eczema causado por alergia a algum produto, roupa ou acessório que esteja usando. Para evitar o problema, você precisa descobrir sua causa. É importante que você saiba que esse tipo de alergia não acontece no momento em que sua pele encosta no agente causador. Trata-se de uma reação retardada, pois se manifesta de 24 a 72 horas após o contato.

34

PRO TESTE 67 • março 2008

Não é alergia de contato A urticária é freqüentemente confundida com o eczema de contato, mas ela é diferente. Nesse caso, as erupções de pele são agrupadas e podem aparecer de forma muito rápida, em qualquer região do corpo. Ela costuma durar menos de 12 horas, mas geralmente aparecem novos focos em outras regiões da pele. E esse processo pode persistir por dias, meses ou até anos. Ela pode ser provocada por doenças, ingestão de alimentos ou medicamentos, vermes, entre outros. Há também as formas hereditárias de urticária. Não é aconselhável o banho frio para aliviar os sintomas, pois isso pode ser perigoso. Em alguns casos, o contato com água fria pode desencadear uma urticária generalizada, com queda da pressão arterial e desmaio.


ALERGIAS DE CONTATO

A questão é que o pequeno inconveniente pode se tornar um problema maior. Por isso, é preciso identificar seu causador e tratar de forma adequada. Até porque nem sempre essas irritações na pele são um sintoma de alergia. Existem algumas substâncias que usamos no dia-a-dia que têm efeito irritante – como detergentes ou produtos com formol –, e causam estorvo às pessoas cuja pele tem um pouco mais de sensibilidade.

Eczemas podem infeccionar a pele As alergias causadas pelo contato manifestam-se pela formação de manchas vermelhas (eritemas) com pequenas bolhas de líquido que, ao abrir, transformam-se em crostas. A sensibilização pode estender-se do ponto de contato a toda a superfície da pele. Só que as erupções cutâneas costumam causar bastante comichão e, ao se coçar, a pessoa acaba causando lesões mais graves do que as características do eczema. Muitas vezes as lesões de pele causadas pelas alergias de contato são passageiras e se resolvem sozinhas. Porém, o eczema pode também ser crônico (principalmente se você continuar tendo contato com o agente causador) e, além de não se resolver sozinho, pode levar a infecções na pele.

É possível diagnosticar a alergia Os sintomas aparecem no ponto em que houve contato e, eventualmente, se espa-

lham pela pele, permanecendo por alguns dias. De forma geral, eles surgem após exposição prolongada ou repetida à substância alergênica. E o eczema agudo também pode vir acompanhado de edema (inchaço) e febre. Um exame de sangue pode confirmar se você está sofrendo de alergia ou se é o caso de outra doença (algumas viroses, por exemplo, têm indícios semelhantes às dermatites de contato). Normalmente, os processos alérgicos elevam a taxa de eosinófilos, um tipo de glóbulo branco, no sangue (veja mais na pág. xx). No princípio, quando o eczema está bem localizado no ponto de contato inicial, o diagnóstico é relativamente simples. Mas, depois de algum tempo, é mais difícil determinar o motivo da alergia. Qualquer substância pode causar eczemas de contato e daí vem a dificuldade de se identificar o que gerou a alergia. Uma forma de solucionar o mistério é fazer testes de contato (exame em que se experimenta a reação do paciente a diversas substâncias), mas esse exame não deve ser feito enquanto persistir o eczema.

Cuidado para não piorar as coisas Quando aparece um eczema, a primeira coisa a se fazer é procurar um médico para confirmar se há uma alergia ou se você está sofrendo de outra doença. Para tratar um eczema, a primeira coisa a se

Piercings podem ser perigosos A colocação de brincos e piercings também pode causar eczema de contato. Nesse caso, a tendência é que o eczema tome rumos um pouco mais graves já que a pele foi perfurada e, portanto, o agente alergênico entrou em contato com uma camada do corpo que já não é superficial. Por isso, é preciso cuidado. Após a perfuração, os metais mais indicados para usar até que a pele cicatrize são o ouro e o aço cirúrgico (ainda assim, eles ainda podem, em casos mais raros, causar alergia). Não use nada a base de níquel – que é seguramente o mais alergênico entre os metais. Após a colocação do piercing, um inchaço pode ser normal, já que a pele foi lesionada. Mas se na área perfurada surgirem outros sintomas, como vermelhidão, dor e pus amarelo-esverdeado, recorra imediatamente a um dermatologista ou a um alergologista. Havendo uma infecção, não retire o brinco. Isso pode provocar um abscesso, por impedir a drenagem do pus correndo o risco de você precisar de uma intervenção maior posteriormente.

fazer é evitar por completo qualquer contato com a substância responsável pela reação alérgica. As pomadas à base de corticosteróides são muito eficazes para combater os sintomas e há diferença de composição dependendo da parte do corpo para a qual elas são próprias. Por isso, a pomada deve ser escolhida em função da região a ser tratada – daí a importância de se procurar o

auxílio de um dermatologista ou alergologista. É importante dar à pele o tempo necessário para a cicatrização total. Portanto, principalmente no caso de feridas, evite curativos e roupas que sufoquem a região afetada pelo eczema. E não use pomadas que contenham lanolina ou antibióticos, pois esses são agentes potencialmente irritantes e podem piorar a situação. PRO TESTE 67 • março 2008

35


ALERGIAS DE CONTATO

Até fone de ouvido pode dar alergia Apesar de não ser fácil identificar as causas de uma alergia de contato – devido à grande variedade de substâncias que podem gerar a moléstia e ao tempo que ela demora para se manifestar – existem os fatores mais comuns. Dependendo da parte do seu corpo que foi ou está sendo afetada, sua alergia pode ter uma das seguintes causas:

Couro cabeludo e testa – Tintura de cabelo, perfumes e loções, revitalizadores, xampu; frisadores, prendedores de cabelo (fivelas e arcos); chapéu de couro, capacetes.

Orelhas – Brincos; fones de ouvido; gotas para o ouvido; tinturas de cabelo.

Pálpebras dos olhos – Maquiagem, xampu, esmalte para unhas; medicamentos: colírios e pomadas.

Rosto – Perfumes, cremes de barbear, loções pós-barba; medicamentos, principalmente os antibióticos; produtos voláteis: formol, resinas epóxi; plantas ornamentais; óculos.

Lábios – Cosméticos (batom, brilho labial, hidratante); pastas de dentes; folhas de louro, alho, casca de laranja e limão; piteiras e bocais de instrumento de sopro.

Axilas e tronco – Desodorantes, cremes depilatórios; antisépticos; tecidos sintéticos, alças de top ou sutiã, fechos metálicos e jóias; sabão em pó e amaciante usado para lavar suas roupas.

Coxas e pernas – Objetos nos bolsos (chaves, canivete, isqueiro, fósforo); meias e tecidos elásticos; cremes e ceras depilatórios; tecidos.

Palmas das mãos – Detergentes; objetos à base de níquel; borrachas; cimento; tinta (de hidrocor, de jornal, etc.).

Cotovelos – Cimento; metais (níquel e cromo); serragem (pó de madeira).

Virilha – Cuecas; calcinhas; cintas; látex.

Dedos – Anéis e produtos retidos sob os anéis; detergentes, anti-sépticos; resinas sintéticas; analgésicos; cosméticos para unhas (esmaltes) e cabelos; acessórios de vestuário (botões, prendedores de cabelo, fechos de braceletes); borracha (luva de cozinha, antiderrapante da caneta, etc.).

36

PRO TESTE 67 • março 2008

Pulso – Jóias (níquel, cromo, resinas e colas); pulseira de relógio; cimentos.

Costas das mãos – Antisépticos; luvas (borracha ou couro).

Pés – Couro, borracha, plástico e fivelas de calçado; desodorantes e talcos antitranspirantes.


AÇÃO ACÃO

O verdadeiro problema dos capacetes Consumidores são obrigados a fiscalizar no lugar de autoridades enquanto regras para fabricantes são frouxas. Em janeiro, uma grande confusão mexeu com a vida dos motociclistas do país. No primeiro dia do ano, entrou em vigor uma resolução do Conselho Nacional de Trânsito (Contran) que estabeleceu novas regras para uso dos capacetes. A resolução já estava pronta desde maio de 2007, e boa parte de suas determinações já era esperada, como a confirmação da proibição dos capacetes sem proteção para queixo, olhos e orelhas (o “coquinho”), e a obrigação de uso do capacete também pelo passageiro. Mas um detalhe deixou muitos motoqueiros em polvorosa: o Contran decidiu que poderia ser multado o motociclista que viajasse com o capacete sem o selo de certificação do Inmetro. Muitos capacetes já não têm esse selo, simplesmente porque ele caiu ou foi arrancado. O próprio Inmetro pediu a suspensão dessa resolução porque não haveria sentido em exigir a presença de um selo que só é importante, segundo o organismo certificador, na hora da compra do equipamento. O selo é um aval das autoridades de que o capacete foi testado segundo as normas técnicas vigentes e aprovado para uso. Se existem capacetes sem certificação no

mercado, é responsabilidade das autoridades fiscalizar e recolher esses produtos, e não causar mais um prejuízo ao consumidor. Enquanto isso, o real problema é ignorado pelas autoridades. As normas técnicas vigentes no Brasil, que garantiriam a segurança do equipamento, são ultrapassadas. A PRO TESTE já fez um teste de capacetes no ano passado (PRO TESTE no 56, mar/07) e mostrou que a norma técnica brasileira está duas versões atrasada em relação à sua congênere européia, na qual se baseia. Um capacete como o vendido no Brasil nunca seria aprovado para uso na Europa. O produto brasileiro, por exemplo, é menos resistente a impactos que o europeu. Logicamente, é muito mais importante usar um equipamento de segurança que realmente proteja o usuário do que determinar se ele deve ou não exibir um selo. Ainda mais porque o selo, na prática, garante uma proteção muito menor do que deveria. Portanto, a PRO TESTE já espera há um ano que as autoridades cuidem do verdadeiro problema e adotem uma norma de segurança mais realista e condizente com o mercado mundial, com requisitos mais rígidos que os atuais.

Vem aí o VI Seminário PRO TESTE No dia 15 de abril, em São Paulo, a PRO TESTE promoverá o seu VI Seminário de Defesa do Consumidor. Nos últimos cinco anos, a Associação tratou de vários temas em seus seminários, desde segurança alimentar até a proteção ao usuário da internet, sempre analisando, com a ajuda de especialistas, a situação com que o consumidor se defronta em cada área. Neste ano, o tema será os serviços financeiros. Depois da grande vitória da instituição da TAEG (agora chamada CET), quais os desafios que o cliente de banco ou o portador de um cartão de crédito deve enfrentar? E o que deve ser feito para que os direitos do consumidor sejam respeitados nessa relação? Veja em nosso site e na próxima edição da PRO TESTE mais informações sobre o programa do Seminário.

PRO TESTE 67 • março 2008

37


CONTATOS Redação: Airam Lima Jr. (editor); Martha Lavenère, Dhaniel Cohen, Tatiana Maia e Cristiane Crelier (redatores) Diagramação: Marcus Vinicius Pinheiro Projeto gráfico: Marcus Vinicius Pinheiro Jornalista responsável: Airam Lima Jr. (MTb 23629/SP) Informação & Serviços: Leonardo Diz (gerente); Rodrigo Alexandre (apoio administrativo) Área Técnica – Produtos: Alessandra Macêdo (coordenadora), Cristiane Souza, Fernanda Ribeiro, Frederico Cruz, Guilherme Barneche, Laila Vilela, Leonardo Castro, Marcelo de Souza, Marina Jakubowski, Priscila Grativol, Rafael Martins e Thiago Costa Área Técnica – Serviços: Hessia Costilla (coordenador), Luiz Felipe Domingues, Samasse Leal e Verônica Dutt-Ross Planejamento: Carla Costa (coordenadora) Produção gráfica: Leandro Carvalho (supervisor) e André Antunes Impressão: Esdeva – R. Espírito Santo, 95/117 – Juiz de Fora – MG PRO TESTE é uma publicação mensal (exceto em janeiro) da PRO TESTE – Associação Brasileira de Defesa do Consumidor. O associado à entidade recebe a revista.

Presidente do Conselho Diretor: Aloísio Barboza de Araújo Diretor Executivo: João Dias Antunes Relações Institucionais: Maria Inês Dolci (coordenadora geral), Ana Luisa Ariolli (supervisora), Karin Mazorca, Vanessa Vieira, Patrícia Figueiredo (apoio administrativo) e Elisangela Oliveira (serviços gerais) Gerente Administrativo: André Viegas Serviços Administrativos: John Cabral Neto (coordenador), Arthur Canuto, Monique Soares, Regiane da Silva e Thaís Vitória Contact-Center: Cláudia Massena (coordenadora), Ana Paula Rosa (supervisora), Claudenice Silva, Leslye Martins, Luane da Silva e Patrícia Gomes Serviço de Informação e Orientação: Marcio Melo (supervisor) e Patrícia Chaves Informática – Infra-estrutura: Edgard Simas (supervisor) e Márcio Santos Informática – Desenvolvimento: Marcelo Foss (supervisor), Ana Carolina Ferreira, Bruno Marcondes, Daniele Soares, George Limeira, Lucimara Pessoa, Marcelo Machado e Márcio Gonzalez Internet: Maurício Oliveira (supervisor), Gabriella Bougleux e Monique Paz Logística e Serviços Gerais: Fábio Arrigoni (supervisor), Alessandro Pinto, Leonardo Esteves e Necy Júnior Controladoria: Magno Azevedo (gerente), Elisangela Oliveira, Luciana de Moraes e Rodrigo Pontes Recursos Humanos: Paulo Bittencourt (gerente) e Joana Mucci Marketing: Sandro Leão (gerente) e Alexandre Bento Assessoria de Imprensa: Vera Lúcia Ramos – tel: (11) 5573-3595 r. 202 – imprensa@proteste.org.br PRO TESTE • Declarada Organização da Sociedade Civil de Interesse Público em 3/12/2003. • Faz parte da Euroconsumers, organização de defesa do consumidor que congrega associações de Bélgica, Portugal, Espanha e Itália. • Faz parte da International Consumer Research & Testing (ICRT), organização independente que congrega associações de consumidores de todo o mundo para a cooperação em testes comparativos. Anuidade 2008: R$ 129,00 (incluindo DINHEIRO & DIREITOS: R$ 192,00) Rio de Janeiro: Av. Lúcio Costa, 6420 – salas 101 a 106 – Barra da Tijuca – CEP 22630-013 São Paulo: R. Dr. Bacelar, 173 – cj. 52 – Vila Clementino – CEP 04026-000 Informações: (21) 3906-3800 e-mail: proteste@proteste.org.br internet: www.proteste.org.br

38

PRO TESTE 67 • março 2008

GELÉIAS (pág. 22)

MOUSES E TECLADOS (pág. 14)

Cêpera 0800-7703480 www.cepera.com.br

Benq 0800-8914733 www.benq.com.br

Extra 0800-152134 www.extra.com.br

Bright 0800-7705595 www.bright.com.br

Fazenda & Casa 0800-6464580 www.fazendaecasa.com.br

Clone www.clone.com.br Creative www.creativebrasil.com.br

Fugini 0800-7024337 www.fugini.com.br

Genius www.geniusnet.com

Great Value 0800-7710979 www.walmartbrasil.com.br Homemade/Purifruti (11) 4496-4190 www.homemade.com.br

Pão de Açúcar 0800-152134 www.paodeacucar.com.br Predilecta 0800-552727 www.predilecta.com.br Queensberry (11) 6875-4000 www.kiviks.com.br Red Indian (21) 2569-2155 www.red-indian.com.br Ritter (51) 3041-1919 www.ritter.com.br Superbom (11) 6842-1830 www.superbom.com.br

Goldship/Leadership (21) 3344-5400 (RJ); 0800-7222208 (demais localidades) www.leadership.com.br Logitech 0800-8914173 www.logitech.com Microsoft 0800-8884081 www.microsoft.com Mtek (11) 5524-6833 www.mtek.com.br Pleomax Samsung (11) 5105-5000 www.pleomax.com.br Trust www.trust.com


ÍNDICE Estes são os artigos publicados pela PRO TESTE nos últimos doze meses, do no 57 (abr/07) ao 67 (mar/08). Ao lado de cada item, estão o número e o mês da edição em que o artigo foi publicado. A abreviatura [TC] indica que a matéria é um teste comparativo. Todos os artigos podem ser consultados na íntegra (formato PDF) pelo associado em nosso site: www.proteste.org.br. A Absorventes [TC] 57-abr/07 Ácaros 61-ago/07 Álcoois [TC] 59-jun/07 Alcoolismo na adolescência 66-fev/08 Alergias de contato 67-mar/08 Alimentos diet e light 60-jul/07 mitos dos 59-jun/07 probióticos 63-out/07 rótulos de 61-ago/07 Aquecimento global 61-ago/07 Aromatizadores de ambiente 67-mar/08 Assistência técnica 58-mai/07 Autos, confiabilidade de 67-mar/08 Auto-rádios [TC] 66-fev/08 Azeites [TC] 58-mai/07 B Barras de cereais [TC] Bebê, exames do Brinquedos, segurança de

64-nov/07 61-ago/07 66-fev/08

C Câncer de mama 64-nov/07 Celular, tarifas de 63-out/07 Celulares GSM [TC] 62-set/07 Cirurgia a laser 63-out/07 Comidas regionais 67-mar/08 Computadores [TC] 63-out/07 Computadores, periféricos [TC] 67-jun/07 Compras pela internet 65-dez/07 Consultório Acupuntura 61-ago/07 Doação de medula óssea 57-abr/07 Ressonância magnética 65-dez/07 Teste de esforço 59-jun/07 Tomografia 63-out/07 Ultra-som transvaginal 66-fev/08 Crianças, perigos domésticos 58-mai/07

MAIS DE 50% DE DESCONTO PARA ASSOCIADOS!

D Dengue Depuradores [TC] Desinfetantes [TC] Diet, alimentos Dor DVD-recorders [TC]

65-dez/07 62-set/07 64-nov/07 60-jul/07 57-abr/07 65-dez/07

E Elétricas, instalações Escolar, toxicidade material Essências de ambiente Estresse Estufa, efeito

61-ago/07 66-fev/08 67-mar/08 62-set/07 61-ago/07

F Farinhas de trigo [TC] Feridas Ferros, segurança de Fibras alimentares Filmadoras digitais [TC] Filtros de linha Fornos de microondas [TC] Frigideiras [TC] Frutas, pesticidas em

62-set/07 64-nov/07 63-out/07 66-fev/08 65-dez/07 58-mai/07 63-out/07 60-jul/07 66-fev/08

G Geladeiras uma porta [TC] duas portas [TC] Geléias de morango Gravadores de DVD [TC] Gripe Guaranás [TC]

59-jun/07 59-jun/07 67-mar/08 65-dez/07 59-jun/07 59-jun/07

Hidratantes [TC] Homeopatia

H

62-set/07 57-abr/07

I Impressoras jato de tinta [TC] 64-nov/07 Incensos 67-mar/08 Infecção hospitalar 59-jun/07 Internet, compras pela 65-dez/07

L Ligações de longa distância, tarifas de 57-mai/06 Light, alimentos 60-jul/07 Liquidificadores [TC] 66-fev/08 M Mama, câncer de 64-nov/07 Máquinas de lavar roupas [TC] 61-ago/07 fotográficas digitais [TC] 57-abr/07 Microondas, fornos de [TC] 63-out/07 Microsystems [TC] 61-ago/07 Molhos para salada [TC] 66-fev/08 Mouses [TC] 67-mar/08 MP3-players [TC] 60-jul/07 N Nordeste, comidas do Notebooks [TC] Obesidade Olhos, cirurgia dos Osteoporose

O

60-jul/07 63-out/07 60-jul/07 63-out/07 58-mai/07

P Palmitos [TC].....................63-out/07 Pan-Americanos, Jogos 60-jul/07 Parasitoses intestinais 66-fev/08 Peixe fresco 57-abr/07 Pesticidas em frutas 66-fev/08 Petit suisse, queijos [TC].... 61-ago/07 Plugues ..........................61-ago/07 Pneu, troca de 59-jun/07 Pranchas de surfe 64-nov/07 Prebióticos, alimentos 63-out/07 Preços, guia de 62-set/07 PRO TESTE Jovem 60-jul/07 Probióticos, alimentos 63-out/07 Próstata, hiperplasia da 60-jul/07 Psoríase 58-mai/07

Q Queijos petit suisse [TC]..... 61-ago/07 R Renal, insuficiência Resfriado

62-set/07 59-jun/07

S Sangue, exame de 67-mar/08 Simbióticos, alimentos 63-out/07 Sopas em pacote [TC] 60-jul/07 Sorvetes [TC] 56-mar/07 Supermercados preços em 62-set/07 serviços oferecidos por 62-set/07 Surfe, pranchas de 64-nov/07 T Tarifas de ligações de longa distância 57-abr/07 Teclados de computador [TC] 67-mar/08 Televisores LCD 32” [TC] 64-nov/07 Tomadas .........................61-ago/07 Torcedor no Pan 60-jul/07 Transgênicos 67-mar/08 Trânsito, emergências no 58-mai/07 V Varizes 57-abr/07 Velas aromatizadas 67-mar/08 Ventiladores de teto [TC] 65-dez/07 Vertigem 61-ago/07 Videogames 65-dez/07 Vinhos brancos [TC] 65-dez/07 Você sabia? Certidões 64-nov/07 Ensino superior, instituições 58-mai/07 Mensalidades escolares 60-jul/07 Phishing 62-set/07

COMPLETE SUA COLEÇÃO! ADQUIRA EDIÇÕES ANTIGAS DA SUA REVISTA PRO TESTE.

De R$ 19,90 por

R$ 8,90

SIM, desejo receber as edições indicadas* na

relação abaixo, ao valor final de R$ _________.

FAÇA SEU PEDIDO ATRAVÉS DE: •

correio:

CAIXA POSTAL 5050 CEP 20299-999 Rio de Janeiro (RJ) •

e-mail:

loja@proteste.org.br •

ou ligue para:

(21)3906-3906 (2ª a 6ª – das 9h às 21h)

C01 C02 C03 C04 C05 C06 C07 C08 C09 C10 C11 C12 C13 C14 C15 C16 C17 C18 C19 C20 C22 C24 C25 C28 C29 C30 C31 C32 C34 C35 C36 C37 C38 C39 C40 C41 C42 C44 C47 C48 C51 C52 C53 C54 C56 C57 C58 C59 C60 C61 C62 C63 C64 C65 C67

O envio é GRATUITO FORMAS DE PAGAMENTO:

Marque um X nas edições que deseja adquirir.

C cheque nominal à PRO TESTE (enviar cheque com o cupom)

* As edições 21, 23, 26, 33, 43, 45, 46, 49, 50 e 55 estão esgotadas. As encomendas serão enviadas em até 15 dias após a confirmação do pagamento.

C a mesma forma de pagamento da minha associação (os mesmos dados fornecidos do cartão de crédito ou débito em conta)

Nome:__________________________________________________________________ Código do Associado: ______________________________________________________ Tel.:________________________ Assinatura:__________________________________ Preço da unidade: R$ 8,90 para associados e R$ 19,90 para não-associados.

PRO TESTE 67 • março 2008

39

Para evitar cortar a sua revista, você pode enviar uma cópia deste cupom.


Revista PRO Teste  

Na revista especializada em Defesa do Consumidor deste mês: Automóveis: nossos associados revelam os carros que vivem na oficina e aqueles q...

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you