Issuu on Google+


2

design.zip | novembro 2013


3

design.zip | novembro 2013


SUMÁRIO. DESTAQUE . renascimento

06

CINEMA . o renascimento na sétima arte

09

GAMES . assassin’s creed

12

(RE)CRIANDO . cem mona lisas com mona lisa

14

Uma breve história do que foi este movimento artístico e seus grandes artistas.

Uma seleção dos melhores filmes com temas renascentistas.

Um jogo que se passa no período do Renascimento, onde você encontra vários lugares que marcaram esse período.

Conheça uma exposição que conta com mais de cem recriações da pintura mais conhecida do mundo.

PERFIL . melissa murillo

Uma artista que usa referências renasentistas para criar suas obras.

FICADICA . parc leonardo da vinci

Um parque feito em homenagem a Leonardo Da Vinci que conta com várias de suas invenções em miniaturas e, também, em tamanho real.

Renascimento p6

Cem Mona Lisas com Mona Lisa p6

Assassin’s Creed p6

O renascimento na sétima arte p9

4

design.zip | novembro 2013

Parc Leonardo da Vinci p6

Melissa Murillo p6

16

17


EDITORIAL .

EDITORIAL N

essa edição especial da revista Design.zip, trazemos matérias super interessantes com base no Renascimento. Por que sim, sabemos que é entediante ficar nas aulas de história da Arte para quem está na faculdade ou curso técnico, e por isso mesmo formulamos essa edição com o intuito de tornar o conhecimento sobre o Renascimento algo mais legal e dinâmico. Tem game, exposição, matéria especial sobre a exposição Mestres do Renascimento e muitas outras coisas.

Tamires Yumi Oshiro Designer/Editora

Fizemos essa edição para poder mostrar á você leitor, que o Design se abastece de todo tipo de arte, até das que julgamos “chatas” ou “ultrapassadas”. E é assim que a nossa revista, como uma pasta zipada, trás essa mega edição para ser o seu guia de referências.

Tatiane Alves dos Santos Redatora

Boa leitura.

Vinícius Tifoski Ianoni Designer/Editor

DESIGN ZIP 5

design.zip | novembro 2013


RENASCIMENTO de Donatello a Veronese, a exposição Mestres do Renascimento: Obras-primas italianas, no Centro Cultural Banco do Brasil, abrange em 57 obras, um panorama do florescimento cultural dos séculos XV e XVI. O movimento Renascentista, que começou na Itália no século 14, influenciou a arte, a literatura e a ciência ao valorizar mais o homem e a razão do que a igreja. A exposição faz uma viagem pela Itália, e se divide em 6 partes, sendo elas: FLORENÇA. Não há, até hoje, uma data específica para o início do Renascimento. Porém, segundo historiadores, se fossemos agregar uma data para tal, a data seria no início do século XV, em Florença, tendo como cenário inicial o monumento do Battistero di San Giovanni. Em 1401, os cônsules da poderosa Corporação de Arte dos Mercadores de Calimala, responsáveis pela construção do batistério, instituíram um concurso para uma segunda porta de bronze, setenta anos depois da primeira de Andrea Pisano (c. 1290-c. 1349), colocada do lado sul.

01

D

as sete placas produzidas para o concurso, apenas duas chegaram a nossa época: a de Filippo Brunelleschi (1377-1446) e a de Lorenzo Ghiberti(1378-1455). A partir de então, a relação direta com a herança da Roma clássica, o ímpeto expressivo e o vigor compositivo, bem como os princípios da perspectiva linear se manifestaram

nas obras. O homem passava a se colocar no centro de todas as coisas, alinhado com o pensamento humanista. Estavam ativos naquele tempo artistas como Donatello (c. 1386-1466), Luca Antonio Della Robbia (1400-1482), Michelozzo (1396-c. 1472), Fra’ Angelico (1395-1455) e Paolo Uccello (1397-1475).

01. Cristo Benedicente, 1506 (Raffaello Sanzio) 02. Ritratto di Savonarola in sembianze di San Pietro Martire, 1499-1500 (Fra’ Bartolomeo) 03. Madonna con bambino e San Giovanni Battista, 1495 (Piero di Cosimo) 04. Morte di Lucrezia, 1525-1530 (Il Sodoma) Imagens de divulgação: mestresdorenascimento.com.br 02

6

design.zip | novembro 2013

03

04


DESTAQUE . renascimento 05. Ritratto di Elisabetta Gonzaga, c. 1503-1504 (Raffaello Sanzio) 06. Madonna del latte e angeli, 1470-1475 (Giovanni Boccati) 07. Madonna col Bambino in trono tra due angeli, 1514-1517 (Ludovico Mazzolino) 08. Sant’ Antonio Abate, 1474/1475 (Piermatteo d’Amélia) Imagens de divulgação: mestresdorenascimento.com.br 05

06

URBINO. A cidade alcançou o ápice do esplendor no tempo de Federico da Montefeltro (1422-1482), que enriqueceu com campanhas militares e foi nomeado duque em 1474. Federico acolheu literatos e artistas de excelência que fizeram de Urbino um vivo centro de cultura. À grande oficina artística de Urbino dos anos 14601470 afluíram os florentinos Paolo Uccello, Piero della Francesca (1415-1492), Pedro Berruguete (1450-1504) e Joos van Wassenhove (1410-1480).

07

enfrentou, favoreceu a papas e cardeais, e a Igreja Católica como um todo. Numa cidade remodelada pelas colossais intervenções arquitetônicas promovidas por Niccolò V (1397-1455), uma empresa grandiosa foi iniciada por Sisto V (1520-1590) com a construção e posterior decoração em afresco da majestosa capela por ele chamada de Sistina, no Palazzo Apostolico, no Vaticano. O estilo solenemente narrativo dos afrescos corresponde ao cunho humanista do papado de Sisto V. Dentre os pintores escalados para tal obra, estavam: Perugino (c. 1446/1450-1523), e os florentinos Botticelli, Ghirlandaio e Rosselli (1439-1507).

FERRARA. Se a cultura figurativa dos Montefeltro compunhase de geometria, perspectiva, equilíbrios cromáticos imersos em atmosferas límpidas, Ferrara viveu uma época de excelência artística a partir de Leonello d’Este (1407-1450). No Palacete de Belfiore, Leonello iniciou o Studiolo, ambiente de supremo refinamento ornado com marchetaria em madeira e com as Musas de vários pintores; imagens fantasiosas e sofisticadas, inspiradas pelo humanista Guarino Veronese (c. 1370-1460) e os outros artistas que criaram obras caracterizadas por um estilo inconfundível de atormentado e ferrenho vigor, nunca superadas por sua carga visionária. O ápice da “officina Ferrarese” foi alcançado com os afrescos do Salone dei Mesi, do Palazzo Schifanoia (1468-1470). ROMA. Após Brunelleschi, Donatello e Pisanello, em 1402, ter investigado as majestosas ruínas clássicas para retirar delas proporções e sugestões para levar para suas obras, mais tarde, um número cada vez maior de artistas dirigiuse a Roma não apenas para estudar, mas também para servir às renovadas encomendas da cúria pontifícia. O cosmopolitismo a que o ambiente artístico romano

7

design.zip | novembro 2013

08


DESTAQUE . renascimento 09. Ritratto del medico Arsilli, 1522 (Sebastiano del Piombo) 10. Leda e il Cigno, c. 1504-1508 (Leonardo da Vinci) 11. Allegoria della Battaglia di Lepanto, c. 1571 (Il Veronese) Imagens de divulgação: mestresdorenascimento.com.br

09

10

Mas a afluência e a presença em Roma de artistas de várias proveniências abririam outros caminhos, também novos e peregrinos. De Mântua, veio Mantegna a serviço de Innocenzo VIII(1432-1492). Os pintores florentinos, entre os quais Filippino Lippi (1457-1504), os bolonheses Aspertini e Jacopo Ripanda (séc. XV-c. 1516), das regiões próximas, os umbros Perugino e Pinturicchio (c.1454-1513), com o grande escultor lombardo Andrea Bregno (1418-1506) iriam conjugar linguagens cultas e excêntricas, baseadas numa ornamentação exuberante retirada de exemplos antigos e especialmente das pinturas romanas antigas do Quarto Estilo. MILÃO. Generoso com os artistas de sua cidade, Lorenzo il Magnifico havia enviado, em 1482, para Ludovico Maria Sforza, um artista que já havia se distinguido como pintor no atelier de Andrea del Verrocchio Leonardo da Vinci. Leonardo submeteu ao duque um pedido de emprego que elencava seus numerosos saberes em vários campos artísticos e científicos, e foi admitido na corte. À serviço de Il Moro, no refeitório do complexo de Santa Maria delle Grazie, Leonardo pintou a célebre parede com Ultima Cena [Última Ceia] (1495-1497). São do período milanês de Leonardo, de 1482 a 1499, pinturas sobre madeira célebres como a Vergine delle Rocce [Virgem dos rochedos], Dama con l’ermellino [Dama com arminho], Belle Ferroniére, o Musico, com as quais se formou a geração dos “leonardianos”: Ambrogio de Predis (1455-1508), Francesco Melzi (c. 1491-1570), Salaì (1480-1524), Bernardino Luini (1482-1532), Marco d’Oggiono (c. 1470-c. 1549) e outros. Na perspectiva histórica, Milão parece ter conservado, na própria identidade criativa, a habilidade fabril e a paixão tecnológica que a haviam caracterizado no século XV, graças também à exposição à universalidade de interesses de Leonardo.

8

design.zip | novembro 2013

11

VENEZA. Até o início do século XV Veneza cultivou uma arte gótica impregnada de ascendências bizantinas. Uma renovação profunda deveu-se a Giovanni Bellini, que uniu a esfera do sagrado e do humano numa doce harmonia de relações tonais entre as tintas, imersas no respiro profundo da natureza com águas fundas, rochas ásperas, céus sulcados por nuvens ou cintilantes, dentro de ambientes preciosos. No século XVI, Veneza conhece uma ascensão vertiginosa das artes, em que a pintura apresenta-se como protagonista indiscutível, tocando vértices excelsos tanto nos temas sacros de todas as dimensões, quanto nas evocações de agradáveis mitologias profanas, nas cenas históricas e nos retratos. Alessandro Bonvicino, Giovanni Girolamo Savoldo e Girolamo Romanino formam a tríade dos grandes de Bréscia, disseminando uma linguagem artística cotidiana, próxima às pessoas, que corresponde às exigências de renovação no sentimento religioso. Desse humus naturalista de origens locais e profundas, fecundado por Leonardo e por Lotto, teria se originado a revolução, não apenas luminosa, da pintura de Caravaggio (1571-1610). Em São Paulo a exposição aconteceu de 13 de julho a 29 de setembro de 2013, e em Brasília irá de 12 de outubro de 2013 a 05 de janeiro de 2014. Com curadoria da historiadora de arte Cristina Acidini, superintendente para o Patrimônio Histórico, Artístico e Etno-antropológico e para o Museu da Cidade de Florença, a exposição Mestres do Renascimento: Obras-primas italianas é um projeto da Base7 Projetos Culturais, idealizado pela Start e com coordenação geral da Civita.


CINEMA . o renascimento na sétima arte

O RENASCIMENTO NA SÉTIMA ARTE E

m toda sua trajetória, a sétima arte sempre busca retratar, de alguma forma, o caminho da humanidade: através de seus erros, acontecimentos marcantes, glórias, conflitos e etc. Não obstante, muitos filmes retratam momentos

históricos da arte, religião e cultura como um todo. Por este motivo, selecionamos uma lista de 5 filmes que retratam, de forma abrangente, pontos importantes do Renascimento, que foi, e ainda é, um grande ponto de referência para as artes, de forma geral.

AGONIA E ÊXTASE. Charlton Heston e Rex Harrison interpretam duas das personalidades mais marcantes da Renascença. O drama histórico, baseado no best-seller de Irving Stone, é ambientado no início do Século XVI, quando o Papa Júlio II encomenda a Michelangelo a pintura do teto da Capela Sistina. A princípio o artista recusa, mas virtualmente forçado por Júlio a fazer o trabalho, ele foge de Roma por não considerar-se ‘capaz’. Posteriormente, quando retorna à pintura, o projeto se torna uma batalha de vontades alimentada pelas diferenças artísticas e de temperamento que são o ponto central deste filme: o foco nos conflitos entre a igreja e a mentalidade renascentista.

01

01. Agonia e Êxtase. Diretor: Carol Reed. Ano: 1965. Duração: 138 min

9

design.zip | novembro 2013


CINEMA . o renascimento na sétima arte O RENASCIMENTO – A ERA DOS MÉDICI. O filme aborda os momentos mais importantes da história e da sociedade do Renascimento italiano, contados a partir da trajetória de Cosme de Médici (1389-1464), fundador da dinastia política dos Médici, e do arquiteto, pintor, filósofo e humanista Leon Batista Alberti (1404-1472). O filme traz um fascinante painel sobre a Florença do século XV.

02

1492: A CONQUISTA DO PARAÍSO. Narra toda a trajetória do navegador genovês Cristovão Colombo (1451-1506) e a descoberta da América em 1492. Desde os preparativos para a viagem, as intrigas palacianas, os percalços em alto-mar, a esperança de um homem marcado pelo mar, toda a emoção de pisar em terra firme e o primeiro contato com os habitantes naturais desta terra desconhecida, os índios. Uma terra selvagem que reserva muitas surpresas em seu coração. ROMEU E JULIETA. Em Verona, o jovem Romeu se apaixona e é correspondido por Julieta, uma donzela que pertence a uma família rival. No entanto, este amor profundo terá trágicas conseqüências. Definitivamente, uma história clássica de um amor proibido entre um homem e uma mulher. MARIA ANTONIETA. Baseado no livro biográfico escrito por Antonia Fraser, o filme retrata a princesa austríaca Maria Antonieta interpretada por Kirsten Dunst, a partir do momento em que a mesma é enviada ainda adolescente à França para se casar com o príncipe Luis XVI – interpretado por Jason Schwartzman, como parte de um acordo entre os países. Na corte de Versalles ela é envolvida em rígidas regras de etiqueta, ferrenhas disputas familiares e fofocas insuportáveis, mundo em que nunca se sentiu confortável. Praticamente exilada, decide criar um universo à parte dentro daquela corte, no qual pode se divertir e aproveitar sua juventude. Só que, fora das paredes do palácio, a revolução não pode mais esperar para explodir.

03

04

02. O renascimento - A era dos medici. Direção: Roberto Rossellini Ano: 1972. Duração: 255 min. 03. 1942: A conquista do paraíso. Direção: Ridley Scott. Ano: 1992. Duração: 148 min. 04. Romeu e Julieta. Direção: Franco Zeffirelli. Ano: 1968. Duração: 138 min. 05. Maria Antonieta. Direção: Sofia Coppola. Ano: 2006. Duração: 122 min.

05

10

design.zip | novembro 2013


11

design.zip | novembro 2013


01

N

o ano de 2007, a Ubisoft Montral lançou um dos jogos de videogame mais aclamados pela crítica e pelo público: Assassin’s Creed. A série gira em torno da rivalidade entre duas grandes sociedades secretas: a Ordem dos Cavaleiros Templários e a Irmandade dos Assassinos. Desmond Miles, um bartender nova-iorquino, após descobrir que vêm de uma linhagem de membros da Irmandade de Assassinos, vê-se forçado a utlizar uma máquina chamada Animus para reviver as memórias genéticas de seus ancestrais. Assim, o jogador visitará diversas partes do mundo em diversos períodos históricos, desde as Grandes Cruzadas até a Revolução Russa. No segundo título da série, intitulado Assassin’s Creed II, e suas duas continuações, Assassin’s Creed II:Brotherhood e Assassin’s Creed: Revelations, o jogador controla Ezio Auditore de Firenze, filho de um assassino que se faz passar por banqueiro enquanto ajuda os interesses dos políticos de Florença, acompanhando-o desde sua adolescência até a meia idade Ambientado no norte da Itália entre os anos de 1476 e 1506, Assassins Creed II leva o jogador a conhecer vários locais históricos da antiga Itália, como Veneza, Toscana

12

design.zip | novembro 2013

e Roma. O jogo conta com direção de arte impecável e as ricas cidades mercantes da Itália renascentista são muito bem retratadas, seja na arquitetura ou nas armaduras adornadas de soldados e mercenários. Em seu enredo, o jogo conta com vários personagens da real história européia. Durante o jogo, Ezio conhece Leonardo da Vinci, cientista, inventor e pintor; Niccolò Machiavelli, famoso cientista político italiano, autor da obra O Príncipe; Roderico Bórgia, o Papa Alexandre VI e antagonista da história; Catarina Sforza;Lorenzo de’ Medici, entre outros. Graças à tecnologia visual dos videogames atuais, a Ubisoft conseguiu retratar com extrema fidelidade diversas locações belíssimas da velha bota real, como a Piazza di San Marco, em Veneza, com suas pombas e gôndolas, o Palazzo Della Signoria e a Ponte Vecchio em Florença, além do icônico Coliseu de Roma e a magnitude e riqueza artística do Vaticano.

“ O jogo conta com direção de arte impecável...”


GAMES . assassin’s creed Outras localidades que o jogador poderá encontrar durante o jogo: Capela Sistina: Atual morada do Papa na Cidade do Vaticano, é muito conhecida por sua decoração em afrescos, pintada pelos maiores artistas da Renascença, incluindo Michelangelo, Rafael, Bernini e Sandro Botticelli. Também, é famosa pela sua arquitetura, inspirada no Templo de Salomão do Antigo Testamento. Panteão de Roma: Idealizado como um templo dedicado a todos os Deuses do panteão romano, acabou instituído no século VII como um templo cristão.

02

Coliseu de Roma: Famoso pela “política do pão e circo”, é considerado umas das sete maravilhas do mundo. O coliseu atualmente é a maior atração turística de Roma. O Coliseu foi construído em 80 a.C., com 48 metros de altura em 3 andares, e capacidade original para comportar 50 mil pessoas. Posteriormente, este número subiu para 90 mil espectadores e ganhou um andar adicional.

03

Basílica de São Marcos: a mais famosa das igrejas de Veneza, Itália, e um dos melhores exemplos da arquitetura bizantina. Localizada na Praça de São Marcos (Piazza di San Marco), ao lado do Palácio dos Doges, a basílica é a sede da arquidiocese católica romana de Veneza desde 1807. 04

Santa Maria Novella: Localizada em Florença, a igreja Santa Maria Novella foi inaugurada durante a Idade Média, por volta de 1360. A decoração das paredes externas conta com diversas linhas e faixas escuras contrastando com os tons claros predominantes.

05

01. Logotipo do jogo 02. Capela Sistina 03. Pantão de Roma 04. Coliseu de Roma 05. Basílica de São Marcos 06. Santa Maria Novella imagens retiradas das cenas do jogo

06

13

design.zip | novembro 2013


14

design.zip | novembro 2013


(RE)CRIANDO . cem mona lisas com mona lisa

CEM MONA LISAS COM MONA LISA A

quela que seria a obra prima das obras primas ou simplesmente um retrato de uma mulher com as mãos cruzadas, de olhar misterioso e sorriso tímido, pincelada há 510 anos no período renascentista, pelo pintor italiano Leonardo da Vinci, serviu de inspiração para a exposição “Cem Mona Lisas Com Mona Lisa”, em homenagem a uma das maiores obras de Leonardo da Vinci: a Mona Lisa. Sendo a maior exposição coletiva já realizada no mundo com o tema “Mona Lisa”, a mostra trouxe, em 2009, nas cidades de Brasília, Ouro Preto e Belo Horizonte, mais de 100 obras de artistas plásticos mineiros e renomados nas mais variadas técnicas, desvendando as superfícies, texturas, cores e camadas da obra Mona Lisa. O projeto foi idealizado pelo artista plástico Glauco Moraes – também curador da mostra – e teve apoio de Eugênio Ferraz, Gerente Regional do Ministério da Fazenda em Minas Gerais. Durante a abertura da mostra houve o lançamento de um livro sobre a mesma, com 224 páginas, contendo todas as obras da exposição. Entre os artistas expositores estão Regina Mello, Adão Rodrigues, Valdelice Neves, Yara Tupynambá, Fernando Pacheco, Jarbas Juarez, Gláucia Carleial, Marcelo AB e o Grupo Maison.

15

design.zip | novembro 2013

01.

02.

03.

04.

05.

06.

01. Gioconda de Vila Rica, acrílica sobre tela, Adão Rodrigues, 120x80cm 02. La Ventura, técnica mista, Abreuvalle, 120x80cm. 03. Mona Lisa Brasileira, acrílica sobre tela, Beth Muller, 120x80cm. 04. Mona Miranda, acrílica sobre tela, Clara Lima, 120x80cm. 05. Mulher do Século 21, técnica mista, Graça Pires, 120x80cm. 06. Tombamento, técnica mista, Yara Tupynambá, 120x80cm.


PERFIL . meyoko

MEYOKO M

elissa Murillo, também conhecida como Meyoko, nasceu no Equador, mas atualmente reside em Berlin, Alemanha. Toma como influência para seus trabalhos suas próprias emoções, a beleza mundana, o Pontilhismo, a Mitologia Grega, a Art Nouveau e retratos renascentistas. Executados em mão livre, com uma caneta de tinta preta e, mais recentemente, Ouro, suas obras são como portas abertas para um deserto microcósmico, povoado por entidades divinas e criaturas míticas, que se misturam uns ao outros até se assemelharem. Um mundo híbrido: parcialmente abstrato, parcialmente animal. Florestas feitas de cabelo luxuriante são habitadas por flores e plantas; por corvos e beija-flores com corpos estranhos. Uma apoteose orgânica executada com extrema minúcia e com uma sensibilidade criativa gritante. Seu trabalho muitas vezes incorpora emoções, como a melancolia , a vulnerabilidade , o medo do abandono , confrontados com dogmas como a utopia, o heroísmo ou o humanismo. Membro do conselho da Associação dos Artistas de Berlim, desde Janeiro de 2013, a artista descreve seu trabalho como “Orgânico e intenso, com seu próprio caráter”.

01.

01. VESPERTINE , GEL INK ON PAPER ,17 x 24 cm , 2009. 02.

03.

04.

02. ACHERONTIA MEDUSA ACRYLIC , GEL INK AND GOLD ON PAPER 29 × 42 cm , 2011. 03. ALECTO GEL INK ,ACRYILIC , AQUARELLE AND GOLD ON PAPER , 42x59 cm , 2012. 04. ANDROMEDA , INK ON PAPER 42 x 59 cm , 2009. 05. CONSPIRATION A LA REINE lll , INK ON PAPER 42 x 59 cm , 2009. 06. DESIRED CONSTELLATION , INK ON PAPER AND DIGITAL , 42 x 33 cm , 2011

05.

16

06.

design.zip | novembro 2013

07.

07. HUNTER NO.1 ,GEL INK ON PAPER , 29 × 42 cm 2010.


FICADICA . parc leonardo da vinci

PARC LEONARDO DA VINCI L

eonardo Da Vinci, um dos maiores artistas do Renascimento, se destacou como cientista, matemático, engenheiro, inventor, anatomista, pintor, escultor, arquiteto, botânico, poeta e músico. Contudo, por conta de um de seus estudos – sobre ótica – a mando do Papa Leão X, a igreja católica passou a perceber Leonardo, vendo seu conhecimento como uma ameaça, e o mesmo foi exilado da Itália por ordem da Igreja Católica e da Inquisição. Convidado pelo Rei Francisco I para residir na França, ganhou um castelo na região de Amboise, onde passou seus últimos dias de vida. Atualmente, esse castelo se tornou um museu, e nele há uma capela na qual Leonardo está enterrado. Ao lado do castelo existe um parque inteiro em sua homenagem, chamado Parc Leonardo da Vinci onde estão expostas todas as suas invenções em miniaturas e, também, em tamanho real.

17

design.zip | novembro 2013


FICADICA . parc leonardo da vinci

18

design.zip | novembro 2013


19

design.zip | novembro 2013



DESIGN.ZIP