Page 1

SECRETARIA DE EDUCAÇÃO ESPORTE E LAZER DIRETORIA GERAL DE TECNOLOGIA EDUCAÇÃO E CIDADANIA UTEC – SANTO AMARO

Quando a acessibilidade é possível  diante da sensibilização do docente. 

RECIFE, JULHO 2011 TERESA VIEIRA – PROFESSORA MULTIPLICADORA.


AS TICS COMO SISTEMAS AUXILIARES OU PRÓTESE  PARA A COMUNICAÇÃO.

Talvez esta   seja   a   área   na   qual   as   TICs   tenham  possibilitado   avanços   mais   significativos   até   o   presente  momento. Em muitos casos, o uso dessas tecnologias tem  se constituído na única maneira pela qual diversas pessoas  podem   comunicar­se   com   o   mundo   exterior,   podendo  explicitar seus desejos e pensamentos. Essas   tecnologias   tem   possibilitado   a   otimização   na  utilização   de   Sistemas   Alternativos   e   Aumentativos   de  Comunicação (SAAC), com a informatização dos métodos  tradicionais de comunicação alternativa, como os sistemas  Bliss, PCS ou PIC, entre outros já desenvolvidos.


Deficiência x diagnóstico As deficiências não podem ser medida e definidas  unicamente   pela   avaliação   médica   e   psicológica.   É  preciso considerar a condição que resulta da interação  entre a deficiência e o ambiente em que a pessoa está  inserida, visão esta que reforça a importância do uso  de   tecnologia,   transformando   a   vida   da   pessoa   com  deficiência. O decreto federal nº 5.296 é, hoje, o instrumento  que define legalmente as deficiências, dividindo­as  em cinco grandes categorias:

a) Física; b) Auditiva; c) Visual; d) Mental (intelectual); e) Múltipla.


PARA  LER   E  APLICAR DICAS

OBJETIVOS

Iniciar com figuras ou fotos  grandes no tamanho  aproximado 10 cm x 10 cm.

Facilitar a aprendizagem e a  discriminação visual.

Utilizar objetos concretos ou  miniaturas. Apresentar figuras ou fotos  relacionadas à rotina escolar  do aluno.

Respeitar o nível de  compreensão do aluno.

Considerar a individualidade Facilitar aprendizagem. da pessoa e o contexto do aluno. Chamar atenção da pessoa que  Garantir a funcionalidade do  recurso. utiliza a CAA para  relacionar a imagem à atividade. Disponibilizar álbuns, cadernos  Favorecer a assimilação e o   uso. ou pranchas aos alunos contendo as figuras/fotos  importantes para sua comunicação em todos  ambientes.


DICAS

OBJETIVOS

Ampliar o número de pessoas  que ofereçam o recurso,  além do professor: familiares,  colegas de sala, profissionais  da escola, entre outros.

Utilizar a CAA em todos os  ambientes.

Aumentar gradativamente, de  acordo com o aprendizado, o número de figuras ou fotos apresentadas.

Favorecer a participação de   todos os envolvidos na implantação e utilização da   CAA.

Associar, sempre que possível,  Ampliar vocabulário. símbolos específicos como o PCS  (Picture Communication Symbols) com outras imagens. Perseverar no uso da CAA,  lembrando que ela é essencial  para o desenvolvimento da  comunicação e aprendizagem  desses alunos.

Enriquecer o processo de   comunicação.


REFERENCIAS BIBLIOGRAFICAS: TECNOLOGIA ASSISTIVA NAS ESCOLAS  Recursos básicos de acessibilidade sócio­digital  para pessoas com deficiência

tecnologias assistivas  

educacao especial deve ser algo trabalhado no cotidiano da escola