Page 1

INSTITUIÇÃO, ORGANIZAÇÃO E EMPRESA Prof. Dante Garcia danteconcursos@gmail.com.br


O Ambiente das Organizaçþes


O contexto

Ambiente Externo – conjunto de variáveis e forças diferenciadas, não controladas pela organização e que provocam mudanças. Ambiente Interno – forças e limitações internas.


O Ambiente Externo z

z

z

Para compreender o ambiente e seus efeitos sobre as organizações é necessário visualizálas como sistemas que trocam recursos e dependem dele. A organização eficaz consegue adaptar-se, reagindo às condições externas alcançando situações de sobrevivência e crescimento. O diagnóstico ambiental é o primeiro passo para um planejamento. Serve para mapear o ambiente e colher informações que possibilitem a eficácia.


O Ambiente Externo z

MAPEAMENTO AMBIENTAL: z Consiste em sondar, explorar e discernir o ambiente para reduzir incertezas. z Serve para que a alta direção conheça quem são seus concorrentes, produtos/serviços substitutos, grau de dependência em relação a fornecedores e consumidores. z Dificuldades: Seleção ambiental, Percepção, Consonância e dissonância, Limites e fronteiras.


O Ambiente Geral É constituído por um conjunto amplo, complexo e difuso que influenciam as organizações. - Variáveis Tecnológicos – todo conhecimento utilizado pela empresa para a realização de suas tarefas. - Variáveis Políticas – envolvem decisões tomados pelos governos. Tendências ideológicas definem os rumos das políticas econômicas, fiscal ou tributária, de saúde, de educação, etc. - Variáveis Econômicas – dependem do contexto econômico geral podendo determinar o volume de operações, o nível de preços e de lucratividade potencial, a facilidade ou dificuldade na obtenção de recursos básicos, os mecanismos de oferta e procura do mercado em geral, etc


O Ambiente Geral - Variáveis Legais – conjunto de normas e leis que controlam o comportamento organizacional. - Variáveis Sociais – representam as características da sociedade onde a organização opera. - Variáveis Demográficas – características da população (raça, cor, religião, densidade demográfica, etc) - Variáveis Ecológicas – a preservação do meio ambiente deve ser um objetivo organizacional. -Variáveis Culturais – valores, pressupostos básicos e hábitos.


O Ambiente Específico Constitui o contexto ambiental mais próximo que fornece as entradas (insumos) e absorve as saídas (produtos e/ou serviços) das organizações. - Clientes: Constituem o mercado consumidor da organização. Eles trocam recursos, geralmente sob a forma de capital financeiro, pelos produtos ou serviços de uma organização - Fornecedores de recursos: Suprem as necessidades de recursos produtivos (capital, recursos naturais, mão-de-obra), matéria-prima e/ou serviços da organização. - Concorrentes: Disputam tanto o mercado consumidor quanto o mercado fornecedor de recursos. - Grupos reguladores: São instituições que impõem controles, limitações ou restrições sobre as organizações, uma vez que regulam, normalizam, monitoram, avaliam ou fiscalizam a ação organizacional.


Dinâmica Ambiental O ambiente é muito mais complexo que parece. A dinâmica ambiental tenta mostrar um pouco desse comportamento. As organizações sofrem várias influências que dificultam as operações: - restrições: são limitações que reduzem o grau de liberdade da empresa. Por exemplo, tabelamento de preços; - coacões: são imposições do ambiente às quais a organização não pode deixar de atender. Por exemplo, intervenção do Banco Central; - contingências: são eventos prováveis que afetam muito a organização. Por exemplo, guerras e greves; - problemas: são eventos correntes. Por exemplo, quebra de equipamento; - oportunidades: são situações favoráveis à organização. Por exemplo, queda da taxa de juros.


Competição Nacional e Internacional

Globalização Exige

Educação Conhecimento

Informação

Modifica

Ambiente


Ambiente Interno • Qualquer empreendimento estruturado e constituído para um determinado fim, sem considerar ramo de atividade, forma de constituição legal ou finalidade. • As organizações são compostas por pessoas e seus inter-relacionamentos, interagindo entre si para realizar funções essenciais que auxiliem a alcançar metas. • Organizações são instituições sociais, e a ação desenvolvida por seus membros é dirigida por objetivos. Projetadas como sistemas de atividades e autoridade, deliberadamente estruturados e coordenados, elas atuam de maneira interativa com o ambiente que as cerca.


As Organizações z

z

As organizações são entendidas como uma unidade ou entidade social, na qual as pessoas interagem entre si para alcançar objetivos específicos. Nesse sentido, a palavra organização denota qualquer empreendimento humano, moldado intencionalmente para atingir determinados objetivos. As empresas constituem exemplo de organização social. Henry Fayol – Teoria Clássica


As Organizações z

z

A organização é um sistema de atividades conscientemente coordenadas de duas ou mais pessoas (BARNARD). A cooperação entre elas é essencial para a existência da organização. Uma organização somente existe quando: z

Há pessoas capazes de se comunicar e que Estão dispostas a contribuir com ação conjunta

z

A fim de alcançarem um objetivo comum

z


As Organizações z

Teoria das Organizações (Fayol) z Divisão do Trabalho: especialização, designação de tarefas específicas z Autoridade e Responsabilidade: oficial e pessoal z Unidade de Comando: ordens de apenas um superior z Unidade de Direção: grupo de pessoas com o mesmo objetivo deverão ter apenas um chefe z Centralização: concentração de autoridade no topo da estrutura z Hierarquia ou cadeia escalar


As Organizações z

Tipos de Organização z Clássicos: z Formal z Informal z Neoclássicos z Linear z Funcional z Linha-staff


As Organizações z

Sistemas da Organização z Autoridade z Responsabilidade z Comunicação z Decisão


As Organizações z

Há uma enorme organizações: z z z

z z

variedade

de

Empresas industriais Empresas comerciais Organizações de serviços (bancos, hospitais, universidades, trânsito, etc.) Organizações militares Organizações públicas


Por que organizações são necessárias? • Servem à sociedade • Realizam objetivos • Preservam o conhecimento • Proporcionam carreiras • Influenciam um ambiente em rápida mudança • Criam

valor

para

seus

proprietários,

clientes

e

funcionários • Lutam com os atuais desafios da diversidade da força de trabalho • Promovem sinergia


As Organizações z z z

z

À medida que as organizações são bem sucedidas, elas tendem a crescer. O seu crescimento se faz pelo aumento do número de pessoas Para que esse maior número de pessoas possa ser administrado, há um acréscimo do número de níveis hierárquicos. À medida que esse número de níveis hierárquicos aumenta, ocorre um gradativo distanciamento entre as pessoas – com os seus objetivos pessoas - e a cúpula da organização – com seus objetivos organizacionais


As Organizações são Complexas, pois possuem as seguintes características: a) b) c) d) e) f)

Complexidade (complexidade estrutural; refere-se à

diferenciação horizontal e vertical); Anonimato (a ênfase é colocada sobre as tarefas ou operações e não sobre as pessoas); Rotinas padronizadas (para operar procedimentos e canais de comunicação); Estruturas personalizadas e não oficiais (constituem a organização informal que funciona em paralelo com a estrutura formal); Tendência à especialização e à proliferação de funções (que tendem a separar as linhas de autoridade formal daquelas de competência profissional ou técnica); Tamanho (número de participantes e de órgãos que formam sua estrutura organizacional).


As Organizações como Sistemas Sociais z

z

O homem moderno passa a maior parte do seu tempo dentro de organizações, das quais depende para nascer, crescer, viver, aprender, trabalhar, ganhar seu salário, curar suas doenças, obter todos os produtos e serviços de que necessita, etc. Numa abordagem ampla: as organizações são unidades sociais (ou agrupamentos humanos), intencionalmente construídas e reconstruídas, a fim de atingir objetivos específicos.


As Organizações como Sistemas Abertos z

SISTEMA: z

É um conjunto de elementos dinamicamente inter-relacionados, desenvolvendo uma atividade ou função para atingir um ou mais objetivos ou propósitos. CHIAVENATO, Idalberto


As organizações como sistemas abertos

Elementos Essenciais do Sistema: A M B I E N T E

ENTRADAS (INPUTS) INSUMOS

PROCESSAMENTO OU OPERAÇÃO (CONVERSÃO OU TRANSFORMAÇÃO)

IMPORTAÇÃO

SAÍDAS (OUTPUTS) RESULTADOS

A M B I E N T E

EXPORTAÇÃO

RETROAÇÃO


Organizações x Empresas As organizações podem ser: - com finalidade lucrativa (empresas); - sem finalidade lucrativa (organizações não empresariais). Empresas: • são orientadas para o lucro; • assumem riscos; • são dirigidas por uma filosofia de negócios, devendo justificar sua existência atendendo às necessidades da sociedade; • são avaliadas, geralmente, sob um ponto de vista contábil; • devem ser reconhecidas como negócios pelas demais organizações; • constituem propriedade privada.


As funções das Empresas A Função Produção

O subsistema de produção fornece as saídas (outputs) de produtos e/ou serviços, estando aí agrupadas as atividades de transformação básica. -

Materiais Logística Organização e Métodos Engenharia de produto Engenharia de processo Engenharia de fabricação PCP Manutenção


As funções das Empresas A Função Financeira Tem como objetivo a obtenção de recursos financeiros para manter o negócio em operação, usando da melhor maneira o capital obtido. As principais áreas de decisão financeira são: investimento, distribuição de lucros e financiamento. - Contabilidade e orçamento - Finanças


As funções das Empresas A Função Mercadológica (Marketing) As atividades de marketing contribuem para determinar as necessidades e os desejos do consumidor e as formas de atendê-lo por meio de produtos e/ou serviços que o satisfaçam. O objetivo maior da função de marketing é levar o consumidor à repetição da compra do produto e/ou do serviço. - Marketing e vendas


As funções das Empresas A Função de Recursos Humanos Visa

promover

oportunidades

que

maximizem

a

contribuição individual, proporcionando condições de trabalho favoráveis ao desenvolvimento profissional e estimulando confiança, respeito e compreensão recíproca entre empregados e empregadores. -Planejamento de Recursos Humanos - Recrutamento e seleção - Educação, desenvolvimento e avaliação de desempenho


Níveis Hierárquicos da Empresa


Recursos da Empresa

Para seu funcionamento, a empresa dispĂľe de recursos, em geral escassos, que devem ser distribuĂ­dos e utilizados com eficiĂŞncia pelos administradores.


Os objetivos da Empresa

Objetivos são situações futuras que a empresa deseja alcançar. Eles são influenciados pelo ambiente, mas também constituem uma força que causa impacto no ambiente. Mudanças ambientais podem provocar mudanças de objetivos . • apresentam uma situação futura, porque indicam uma orientação que a empresa procura seguir; • constituem uma fonte de legitimidade, na medida em que justificam a vitalidade e a exis-tência da empresa; • servem de padrões para avaliar o rendimento e a eficiência da empresa; • servem de unidade de medida, a fim de expressar a produtividade.


A. EVOLUÇÃO HISTÓRICA DA EMPRESA EM 6 FASES

A. Evolução histórica da empresa em 6 fases: z

Fase artesanal (até 1780) Desde a antiguidade, até 1780, o regime de produção esteve limitado a artesãos e a mão-de-obra intensiva e não qualificada, principalmente mais direcionada para a agricultura. O sistema de comércio era de troca por troca (trocas locais).


z

Fase da industrialização (1780 a 1860) Com a revolução industrial, as empresas sofreram um processo de industrialização ligado as máquinas. O uso do carvão, nova fonte de energia, veio permitir um enorme desenvolvimento nos países. A empresa assume um papel relevante no desenvolvimento das sociedades, introduzindo novas máquinas consoante o material que se queria produzir, como a máquina de fiar, tear, máquina a vapor, locomotivas, etc.


z

Fase de desenvolvimento industrial (1860 a 1914) Os dois expoentes marcantes desta fase, são o aço e a eletricidade. O ferro é substituído pelo aço, como fonte básica da indústria, e o vapor é substituído pela eletricidade e derivados de petróleo. O desenvolvimento do motor de explosão e do motor elétrico, estabelecem uma relação entre a ciência e o avanço tecnológico das empresas. Isto fez com que se desse o desenvolvimento dos transportes e das comunicações, o que permitiu encurtar as distâncias entre diferentes áreas, o que permite o desenvolvimento rápido do intercâmbio comercial.


z

Fase do Gigantismo Industrial (1914 a 1945) Nesta fase as empresas atingem enormes proporções, passando a atuar em operações de âmbito internacional e multinacional. Surgem os navios cada vez mais sofisticados e de grande porte, grandes redes ferroviárias e autoestradas cada vez mais acessíveis. O automóvel e o avião tornam-se veículos cada vez mais usuais / correntes, e com o aparecimento da televisão as distâncias encurtam-se.


z Fase z

z

z

z

z

moderna (1945 a 1980)

Corresponde à fase em que o desenvolvimento científico e tecnológico das empresas se afirma de forma surpreendente e a utilização de meios tecnológicos cada vez é mais preciso. Cada vez é mais notório o contraste entre os países do norte e do sul, começando a ser classificados por países desenvolvidos (os da zona norte, mais avançados a nível tecnológico e empresarial), e países em vias de desenvolvimento (países da zona do sul, menos industrializados, e mais rurais). Nos países desenvolvidos começam a “circular” novos materiais básicos ( p.ex plástico, alumínio , fibras sintéticas, etc.). Ao petróleo e eletricidade são aumentadas novas formas de energia, como a nuclear e a solar. O surgimento de novas energias, como o circuito integrado e a informática, permitem a sofisticação da qualidade de vida quotidiana. O uso de TV a cores, computador, comunicação por satélite e os carros, permite dinamizar as empresas. Existe uma relação direta entre empresa, consumo, publicidade. Os consumidores cada vez passam a ser mais exigentes em termos de tecnologia. Surge então a competição entre as empresas no intuito de satisfazer os clientes, o que leva de forma direta e indireta ao avanço tecnológico.


z

Fase de incerteza Pós – Moderna (atualidade) Hoje em dia, as empresas encontram-se num clima de turbulência. O ambiente externo das empresas caracteriza-se por uma complexidade e mobilidade que os empresários não conseguem “gerir” de forma adequada. Nesta fase, as empresas lutam com escassez de recursos e cada vez é mais difícil colocar os produtos no mercado. As empresas tendem a estagnar, o que não é recomendável, pois a empresa deve assumir-se como um sistema aberto a mudanças e inovações a todos os níveis, nomeadamente a nível de produtos internos e gestão.


Quadro de síntese: z z z z z z

1ª Fase artesanal - Antiguidade até à revolução industrial 1780 2ª Fase da industrialização - Primeira revolução industrial 1780 - 1860 3ª Fase do desenvolvimento industrial - Segunda e terceira revolução industrial 1860 - 1914 4ª Fase do gigantismo industrial - Entre as duas grandes guerras mundiais 1914 - 1945 5ª Fase moderna - Do pós – guerra até à atualidade 1945 - 1980 6ª Fase de incerteza - Atualidade após 1980


B. CONCEITO ATUAL DE EMPRESA z

z

z

É uma organização que se constitui com o objetivo de produzir bens e/ou prestar serviços para a satisfação das necessidades dos consumidores. O lucro, na visão moderna das empresas, é consequência do processo produtivo e o retorno esperado pelos investidores. As empresas de titularidade do Poder Público têm a finalidade de obter rentabiliadade social.


C. OBJETIVOS DA EMPRESA Indicam a orientação da empresa e estabelecem as linhas mestras para a atividade da empresa z Legitimam as atividades da empresa. z Servem como padrões para avaliar o êxito da empresa. Princípios para a definição de objetivos z devem ser o mais descriminados possível; z devem ser quantificáveis; z devem ser fixados em datas; z devem constituir um desafio; z devem ser razoáveis e realistas. z


OBJETIVOS MUITO VAGOS 1. Aumentar a nossa quota de mercado 2. Aumentar o nosso lucro

MAIS ESPECIFICO 1. Aumentar a nossa quota de mercado de 15% para 25% no pr贸ximo ano 2. Gerar uma taxa de retorno do investimento de 20% no fim do pr贸ximo ano


D. Finalidades econômicas e sociais da empresa Obtenção do lucro dos seus trabalhadores

Satisfação dos clientes


E. A EMPRESA FACE AO MEIO z

Ambiente Contextual As empresas desenvolvem a sua atividade no âmbito de uma determinada sociedade, num meio altamente competitivo (concorrência) onde têm continuamente de lutar pela sua integração. Assim, as empresas procurarão desenvolver as suas atividades de forma aceitável e desejável por essa sociedade [...]

Ambiente contextual é, então, o conjunto de características que definem o exterior (culturais, éticas, sociais e econômicas) , as quais condicionam a sua atuação e ao mesmo tempo constituem a sua razão de existir.


z

AmbienteTransacional Conjunto de entidades, indivíduos ou organizações que entram em contacto direto com essa organização geralmente através de uma relação de troca – transação Cada uma das empresas que constituem o ambiente transacional tem algum interesse na existência dessa organização.


2. CLASSIFICAÇÃO DAS EMPRESAS A . Critério dos setores de atividade

• Setor Primário : Agricultura

BENS

• Setor Secundário: Indústria

BENS

• Setor Terciário: Serviço

SERVIÇOS

• Setor Quaternário: Informação

BENS/SERVIÇOS


z

À medida que o crescimento econômico vai avançando; o setor primário e secundário perdem terreno a favor do terciário.

z

Identifica-se o desenvolvimento de um país com o peso do setor secundário e terciário em relação ao setor primário.

z

Hoje fala-se já num setor quaternário, que engloba atividades que contribuem de forma indireta para a produção como: gestão, publicidade, engenharia, investigação, etc.


AS EMPRESAS SEGUNDO NOVO CÓDIGO CIVIL z

Quanto a Pessoa Jurídica: z

Associações (sem fins econômicos) O artigo 53 do NCC dispõe: "Constituem-se as associações pela união de pessoas que se organizem para fins não econômicos". Nessas entidades, os associados ou sócios devem convencionar se respondem ou não subsidiariamente pelas obrigações sociais

z

Sociedade (com fins econômicos) z z

Sociedade Simples Sociedade Empresária z z z z z

Nome coletivo Comandita simples Sociedade anônima Comandita por ações Responsabilidade limitada


Empresário

Considera-se empresário quem exerce profissionalmente atividade econômica organizada para a produção ou a circulação de bens e serviços. (Art. 966)


Estabelecimento

“Considera-se estabelecimento todo complexo de bens organizado, para exercício da empresa, por empresário, ou por sociedade empresária.” (Art. 1142)


Empresa, Empresário e Estabelecimento ƒ Empresa – atividade ƒ Empresário – exercente da atividade de empresa > pessoa física - empresário individual > pessoa jurídica - sociedade empresária ƒ Estabelecimento - conjunto de bens para o exercício da atividade de empresa


Não - Empresário Não se considera empresário quem exerce profissão intelectual, de natureza científica, literária ou artística, ainda com o concurso de auxiliares ou colaboradores, salvo se o exercício da profissão constituir elemento de empresa.


Não-Empresário e Empresário Profissional intelectual (individualidade)

Organização empresarial (elemento de empresa)


Empresário e Não-Empresário Clínica

Médico

Hospital

Elemento de empresa


Sociedade

Celebram contrato de sociedade as pessoas que reciprocamente se obrigam a contribuir, com bens ou serviços, para o exercício de atividade econômica e a partilha, entre si, do resultado. (Art. 981, caput)


Sociedade

ƒ Personificada > Sociedade empresĂĄria > Sociedade simples


Sociedade Empresária

ƒ Sociedade que tem por objeto o exercício de atividade própria de empresário (Art. 982, caput)

As demais são sociedades simples.


Sociedade Empresária ƒ Sociedade em nome coletivo ƒ Sociedade em comandita simples ƒ Sociedade limitada ƒ Sociedade anônima ƒ Sociedade em comandita por ações


Sociedade Empresária z

Sociedade em Nome Coletivo tipo societário pouquíssimo utilizado, pois exige que os sócios sejam pessoas físicas, com responsabilidade solidária e ilimitada por todas as dívidas da empresa, podendo o credor executar os bens particulares dos sócios, mesmo sem ordem judicial. Nome da empresa: firma ou razão social (não podendo utilizar nome fantasia ou denominação), composta pelo nome dos sócios, podendo ser acrescentada a expressão "& Cia" ao final (ex: José e Maria ou José, Maria & Cia).


Sociedade Empresária z

Sociedade em Comandita Simples Também pouco utilizado, sendo formada a empresa por sócios comanditados (participam com capital e trabalho, tendo responsabilidade solidária e ilimitada) e comanditários (aplicam apenas capital, possuindo responsabilidade limitada ao capital empregado e não participando da gestão dos negócios da empresa). Empresa de capital fechado (não negociável em Bolsa). Nome: firma ou razão social (devem figurar apenas os sócios comanditados, sob pena de responsabilidade solidária e ilimitada do sócio que constar na razão social).


Sociedade Empresária z Sociedade

Limitada

Mais de 90% das empresas no Brasil são Ltdas, pois nesse tipo de sociedade a responsabilidade de cada sócio é restrita ao valor de suas cotas, mas responde solidariamente pela integralização do capital social, referente à parte não integralizada pelos demais sócios. Foi a espécie societária mais afetada com o NCC (artigos 1.052 a 1.087), pois era regulamentada por apenas 18 artigos do Decreto 3.708/19, o que dava ampla liberdade e flexibilidade ao contrato social dessas empresas. Nome: denominação ou nome fantasia, firma ou razão social, acrescidas da expressão "Ltda".


Sociedade Empresária z

Sociedade Anônima Utilizada principalmente nos casos de grandes empresas, onde o capital encontra-se dividido em ações e cada acionista é responsável apenas pelo preço de emissão de suas próprias ações (responsabilidade limitada e não solidária) (Lei 6.404/76). Possui várias espécies de títulos (ações, partes beneficiárias, debêntures e bônus de subscrição), é regulamentada por diversos órgãos (Assembléias Gerais e Especiais, Diretoria, Conselho de Administração e Conselho Fiscal), devendo publicar seus atos no Diário Oficial e em jornal de grande circulação editado no local da sede da companhia (atos arquivados no registro do comércio). Nome: denominação ou nome fantasia (não utiliza firma ou razão social), acrescidos da expressão "S/A" ou antecedido da expressão "Companhia" ou "Cia".


Sociedade Empresária z

Sociedade Comandita por Ações Também em processo de extinção, é regida pelas normas relativas às sociedades anônimas (artigos 280 e seguintes da Lei 6.404/76), salvo a restrição de que somente os acionistas podem ser diretores ou gerentes (sócios comanditados, nomeados no estatuto e destituídos por 2/3 do capital), respondendo ilimitadamente pelas obrigações da empresa, enquanto os sócios comanditários (demais acionistas não gerentes ou diretores) possuem responsabilidade limitada ao capital social. Assim como as S/As, pode ser empresa de capital aberto (ações em Bolsa de Valores). Nome: denominação ou nome fantasia, firma ou razão social, acrescidas da expressão "Comandita por Ações" ou "C/A".


Aula organizacao_empresa  
Aula organizacao_empresa  

organizacao_empresa

Advertisement