Page 1

24 2013

LONGEVIDADE

|

S A u´ D E

|

CONHECIMENTO

TERmografia

A temperatura do corpo

Kurotel utiliza tecnologia em diagnósticos por imagem

Lareira nas dependências do Kur, Inverno em Gramado

n NOVIDADE PLANO ESPECIAL PÓS-TRATAMENTO DE CÂNCER

n SAÚDE BUCAL SAIBA COMO TRATAR O BRUXISMO

n NUTRIÇÃO n GASTRONOMIA INTOLERÂNCIA AO GLÚTEN


MELHOR SAÚDE, MAIS VIDA.


Kurotel - Centro MĂŠdico de Longevidade e Spa. O Kurotel ajuda vocĂŞ a criar um ambiente saudĂĄvel no seu dia a dia. Com uma equipe

Conheça nossos tratamentos: t-POHFWJEBEF4BVEĂˆWFM t"OUJUBCBHJTNP t$POUSPMFEP&TUSFTTF t&NBHSFDJNFOUP t$PSQPSBUJWP

transdisciplinar, preparamos planos focados e exclusivos que, atravĂŠs da vivĂŞncia, vĂŁo trazer

t1SĂ?PQFSBUĂ˜SJP

uma consequĂŞncia sustentĂĄvel no seu cotidiano, gerando benefĂ­cios no curto, mĂŠdio e

t,JOEFS,VS

longo prazos.

Novidade Exclusiva: t1Ă˜TDÉODFS

Central de reservas tLVSPUFMDPNCStSFTFSWBT!LVSPUFMDPNCS KurotelGramado

@KurotelGramado

ResponsĂĄvel TĂŠcnico: MĂŠdico Victor Hugo Canto da Fonseca Cremers 10.251


REVISTA KUROTEL • 24

8

K

Up-to-date – Notas e Notícias

K

Vitamina D e bom sono para adolescentes

K

Kur dá o tom em música

K

Depoimentos

K

Termografia, aliada em diagnósticos

K

Recomeço saudável pós-tratamento oncológico

K

Dermatologia – Regeneração da pele

K

Tratamento contra bruxismo

K

Vida e delícias sem glúten

17

18

26

52

54

33 50

44


61 Luminosidade e beleza

K

62 Produtos Kur Conceito

K

66 Multiplicação de encantos no Kur

K

75 Prática das caminhadas

K

81 A arte de Adriana Varejão

K

87

A água em nossas vidas

K

93 Roteiro pelo norte tailandês

K

98 Visão do Futuro

K


REVISTA KUR é uma publicação do Kurotel - Centro Médico de Longevidade e Spa Rua Nações Unidas, 533 95670-000 | Gramado | RS Fones | (54) 3295-9393 • Fax | (54) 3286-1203 • DDG 0800 970 9800 www.kurotel.com.br • reservas@kurotel.com.br Missão Melhor Saúde, Mais Vida Nossos Valores Pioneirismo, Credibilidade, Requinte, Respeito do Cliente e Dedicação Sócios-Fundadores Luís Carlos Silveira e Neusa Silveira Diretor-Executivo | Luis Cusin Gerente Comercial | Victoria Winter Responsável Técnico | Médico Victor Hugo Canto da Fonseca - Cremers 10.251

PRODUÇÃO Coordenação Editorial | Marília Rizzon Textos | Carmen Langaro | Elena Correa Ivan Vieira | Roberto Carlos Ribeiro Diagramação | José Carlos Hofmeister Revisão | Roberto Carlos Ribeiro Foto da capa | Liane Neves|Divulgação Kurotel revista@kurotel.com.br Comercialização Binotto Comunicação Fone | (51) 3209-2041 silvia@binottocom.com.br Tiragem | 14 mil exemplares Impressão | Gráfica Pallotti Distribuição gratuita | Cadastro Kurotel • Nos artigos assinados, todas as opiniões são de responsabilidade dos respectivos autores.

Leia a Revista Kur em nosso site, acessando o QR-CODE ao lado.

6 | REVISTA KUR


Pr i m e i r a s Pa lav r a s

Sempre pelo cliente

M

ais uma edição da nossa Revista está chegando em suas mãos. Sempre com assuntos que dizem respeito à sua vida, à saúde e principalmente à longevidade. Tudo isso baseado em uma Filosofia que aplicamos há mais de 30 anos. E da qual não arredamos pé nem mesmo quando incorporamos as mais modernas tecnologias em prol dos nossos clientes. Nossa reportagem principal fala do uso da Termografia em diagnósticos por imagem. Ela pode nos dizer muito sobre vários males que atingem o ser humano, inclusive detectar uma doença que ainda nem se manifestou, o que em medicina preventiva é um excelente aliado. Também tratamos de um plano específico para aqueles que já passaram por tratamentos contra um câncer e aqui no Kurotel buscam resgatar o vigor corporal, através de um recondicionamento físico, psicossocial e até estético. Nas páginas que seguem, o nosso leitor-cliente vai encontrar ainda assuntos diversos, como saúde bucal, nutrição, dermatologia, novidades nas marcas Kur, sustentabilidade. E muito mais. Cada vez nos conhecendo mais e melhor. Boa leitura. E até breve.

Luís Carlos e Neusa Silveira Sócios-Fundadores do Kurotel

REVISTA KUR | 7


up-to - dat e

Todos sabem da importância de uma noite bem dormida. Agora, uma recente pesquisa realizada no Hospital Henry Ford, em Detroit, nos Estados Unidos, evidencia mais uma vantagem. Dormir 10 horas por noite pode combater dores, mais do que alguns analgésicos. O estudo observou o sono de 18 voluntários durante quatro noites e constatou que aqueles que dormiram por mais tempo tiveram maior resistência para dor em testagens provocativas do que os que dormiram menos. Verificou ainda que os maiores benefícios ocorrem em pessoas que dormem 10 horas ou mais. Estes resultados foram ainda superiores a trabalho anterior, que observava a reação analgésica de 60mg de codeína em indivíduos submetidos aos mesmos testes e análises. Dessa forma, o sono passa a ser cada vez mais uma prescrição médica quando houver queixas de dor crônica. Além disso, as oito horas de sono por dia, tradicionalmente recomendadas, devem ser revistas para esse grupo de pacientes. K

8 | REVISTA KUR

relação do sono com a dor

Ilustrações Rose Tesche


tempero para o cérebro

A curcumina, presente no açafrão (um dos componentes do tempero curry), é uma das seletas substâncias que consegue cruzar a barreira hemato-encefálica e afetar as atividades bioquímicas no cérebro, evitando a formação de substâncias tóxicas aos neurônios que levam à doenças neurológicas, como o Mal de Parkinson. A boa notícia está em publicação do Parkinson’s & Movement Disorders. K

A  epigalocatequina-3 -galato (EGCG), um composto do chá verde, pode ajudar a controlar o aumento do açúcar no sangue, que ocorre após o consumo de alimentos ricos em amido, beneficiando as pessoas com risco de desenvolver diabetes. A informação está em publicação do Molecular Nutrition and Food Research. K

10 | REVISTA KUR

o chá verde no controle da glicose


up-to - dat e vitamina D e o baixo risco de câncer de próstata A vitamina D é uma vitamina lipossolúvel, que pode ser formada na exposição ao sol ou na ingestão de alimentos como óleo de peixes, vegetais, sardinha, atum, salmão, leite e ovos. Estudos demonstram que a suplementação de vitamina D pode ser estratégia de intervenção eficaz no tratamento do câncer de próstata em homens com baixo risco da doença. As informações estão no Journal of Clinical Endocrinology & Metabolism. K

mastigação relacionada com redução no risco de demência Pessoas que têm dificuldade para mastigar alimentos duros, como uma maçã, apresentam um risco maior para desenvolver problemas cognitivos e demência. Uma razão para isso, dizem pesquisadores, poderia ser que poucos dentes ou nenhum tornam a mastigação mais difícil, o que leva a uma redução do fluxo sanguíneo para o cérebro. Os dados foram publicados no site da NewsRx, uma das maiores fontes mundiais em saúde. K 12 | REVISTA KUR

extrato de sementes de uvas tem efeito antitumoral Um estudo

in vitro recente, publicado na revista Cancer Letters, revelou que o extrato de sementes de uva teve um potente efeito contra células de câncer colo-retal, levando à morte de células cancerígenas, principalmente nos estágios mais avançados da doença, no qual a quimioterapia já não apresenta resultados tão significativos. K


up-to - dat e Uma das apostas para retardar o processo de envelhecimento é atuar nas substâncias que controlam o tempo de vida da célula, entre elas uma estrutura chamada telômero. Artigo recente da Brain, Behavior and Immunity revelou que a suplementação com ômega 3 reduz a degeneração prematura dos telômeros, mantendo a função celular por mais tempo. K

ômega 3 contra o envelhecimento precoce

mais benefícios do brócolis O

sulforafano, composto encontrado nos vegetais crucíferos, como o brócolis, além de ter efeitos preventivos contra tumores e benefícios terapêuticos, também se mostra eficaz no tratamento da leucemia linfoblástica aguda. A revelação veio de estudo publicado na revista científica on line PLoS One. K

14 | REVISTA KUR


up-to - dat e

vitaminas e sais minerais x humor

Uma metanálise (trabalho que verifica o resultado de diversos estudos frente à uma hipótese) mostrou que pessoas que usam suplemento de vitaminas e minerais têm melhor humor do que aqueles que não utilizam. O resultado foi publicado no Psychosomatic Medicine: Journal of Biobehavioral Medicine. Os pesquisadores analisaram oito trabalhos duplocegos, em um total de 1.292 homens e mulheres saudáveis. Os suplementos continham variação nos níveis de vitaminas e minerais e foram administrados por pelo menos 28 dias. As pessoas que faziam suplementação revelaram 65% menos risco de se perceberem estressadas dos que aquelas que receberam placebo. A análise mostrou 70% menos risco para sintomas psiquiátricos moderados, 68% menos risco de ansiedade, 73% menos fadiga. K

16 | REVISTA KUR


Pr e v e n i r é

Vitamina D e Cama para a saúde de adolescentes Por mais de uma década, a Medicina está alertando que o estilo de vida com excesso de açúcar, gordura e sal está vagarosamente levando pessoas à morte. Dois terços da população têm sobrepeso e, se esta tendência for seguida, até 2050 esse índice aumentará para 90% da população. A obesidade já é grande fator causador de mortes prematuras. Pesquisadores holandeses prevêem que, se continuar assim, essa geração possa vir a falecer antes que seus pais. Isso significa que apesar de estarmos tendo muito mais acesso aos recursos para tratamentos de doenças e gastando muito mais, não estamos sabendo fazer o básico que a saúde pede: melhorar as escolhas do modo de viver o dia a dia. Entretanto, prevenir é possível sim. Novos estudos trazem alertas simples e efetivos para melhorar o controle da obesidade. Um trabalho da Universidade da Pensilvânia, publicado no Journal Pediatrics, mostrou que poucas horas de sono estão associadas com maior peso corporal. Os adolescentes entre 14 e 18 anos que dormiam cerca de 10 horas por noite tinham significativamente menor índice de massa corporal (IMC) quando comparados com os que dormiam pouco. Ficar muitas horas assistindo televisão também é fator de risco para obesidade. Os pesquisadores do Hospital da Criança de Boston encontraram forte associação entre esses dois quesitos. A vitamina D continua trazendo boas novidades. Pesquisadores da Universidade de Missouri, do programa da prevenção de obesidade e diabete, constataram que sua suplementação em crianças e adolescentes obesos pode ajudar a controlar os níveis de açúcar no sangue, o que é importante na prevenção de diabete tipo 2. O trabalho publicado no American Journal of Clinical Nutrition alerta para a importância de crianças e adolescentes obesos fazerem dosagem no sangue de vitamina D para poder suplementar, se for o caso, e reduzir a resistência insulínica e a chance de diabete. K REVISTA KUR | 17


NOVIDADES K U R

Sintonia para seus ouvidos

Desde o ano passado, quando comemorou seus 30 anos de atividade, o Kur tem um hino e atualmente ele pode ser ouvido duas vezes ao dia pelos corredores de suas instalações. O hino traz uma mensagem positiva que estimula a vontade de mudança e de melhoria de vida. Agora, novos ritmos foram incorporados ao repertório musical que propaga a filosofia que conduz o dia a dia do Kurotel – Centro Médico de Longevidade e Spa. Hoje já são cinco músicas com a marca Kur. Elas são usadas, por exemplo, como inspiração nas aulas de ginástica. O autor de todas as canções e também do hino é o músico André Staehler. Segundo ele, as novas músicas possuem estilo da música popular brasileira, com várias tendências que vão do reggae, rap, xote baião (este conta com parceria na letra de Mariela de Oliveira Silveira, médica diretora do Kur) e uma com estilo balada (em fase de gravação) . “Elas têm o objetivo de colaborar com a metodologia do Kur”, afirma André. Fonte de inspiração não falta. “Tenho muita afinidade com a Filosofia do Kurotel, de proteção à vida e cuidados com o ser. Também acredito muito no potencial humano e principalmente na necessidade de um despertar para uma nova humanidade que cuida de si e do planeta. Sinto-me muito afinado com a Filosofia do Kur que exerce esse pensamento em todas as suas ações pela saúde.” 18 | REVISTA KUR


Kur da Estação canção Kurtir o sol, Kurtir a vida, Kurtir as águas Voar, livre pelo ar, Ser livre prá viver, ser! Kurtir o som, entrar no tom, ser a vitória, E a glória da vida, fonte da fonte. Eu Vou kurtindo o azul, Kurtindo o tom da doçura, Recordando o ser! No Kur da estação, Despertar saúde e mais coração.

Filho do mar de luz xote baião Quero caminhar tão livre Quero caminhar em paz Quero gritar liberdade Quero a felicidade Alma com jovialidade, mente leve que não cai Eu vejo a luz, sou filho de um mar de luz, sou neto do avô luz Sou terra, fogo, ar e águas, águas doces águas, águas, Águas prá valer Quero expressar, recriar Quero poder escolher Quero estar presente, ao respirar e comer, Quero exercitar o corpo, quero amar e viver Eu vejo a luz, sou filho de um mar de luz, sou neto do avô luz Sou terra, fogo, ar e águas, águas doces águas, águas, pra valer.

Kur da cura reggae O corpo saudável se faz com alguns ingredientes, O amor, o afeto, o carinho, a confiança. O amor, o afeto, o carinho, a confiança. O corpo saudável se faz com alguns ingredientes, O poder das plantas, das águas. Do pensamento que percorre todas as células, E a alma, que a calma, que reflete arte e vibra com tudo e com todos. Eu vou, nesse mar azul, eu vou! Esse sol que brilha sou, Nesse Kur da cura vou, Ser mais ser saudável, vou, Caminhar nas águas vou.

REVISTA KUR | 19


NOVIDADES K U R

Saúde íntima Fisioterapia Uroginecológica é a área da fisioterapia que ajuda a recuperar ou potencializar a função da musculatura do períneo, região do tronco localizada abaixo do diafragma pélvico, que recobre a abertura inferior da pelve. Assim como qualquer outro músculo do corpo humano, a região do períneo deve ser fortalecida. Atualmente, além de exercícios de percepção corporal, a fisioterapia dispõe de equipamentos que auxiliam no diagnóstico e no tratamento de possíveis disfunções dessa musculatura. Com isso, pode se evitar perdas indesejadas de urina e até mesmo melhorar a satisfação sexual da mulher, explica Jaqueline de Souza Correa, fisioterapeuta da equipe do Kurotel. A Organização Mundial de Saúde (OMS) sugere que a vida sexual satisfatória é uma condição inseparável da questão da saúde, na qual a falta de prazer pode desencadear múltiplos problemas como tensão, mau humor, depressão e insônia. K

20 | REVISTA KUR


Avaliação Geriátrica Ampla

O Kurotel possui uma avaliação multidimensional para determinar as deficiências, incapacidades ou desvantagens do ponto de vista médico, psicossocial e funcional decorrentes do envelhecimento. Chama-se global ou ampla por fazer uma abordagem abrangente, avaliando três dimensões do estado de bem-estar: definir o diagnóstico funcional, desenvolver um plano de reabilitação e facilitar o gerenciamento dos recursos necessários para o tratamento. A médica Ariane Rocco Torrez explica que sua área, a Geriatria, pode ser útil tanto para pessoas idosas, quanto para jovens que querem pensar em prevenção de doenças e na longevidade. Depois da revisão detalhada das histórias clínica e familiar e estilo de vida (que pode ou não ser protetor), são aplicados testes e escalas que facilitam a compreensão objetiva da saúde e podem ser usados para comparar a evolução. K

REVISTA KUR | 21


Pe r f i l

Luis Cusin

Uma realização em 25 anos

22 | REVISTA KUR

No primeiro dia de novembro de 1987, Luis Cusin se uniu à equipe de funcionários dedicada à consolidação do Kurotel. Naquela época, assumiu o cargo de gerente. Com formação superior em Hotelaria, Cusin logo estava familiarizado com as rotinas e particularidades de um estabelecimento ao estilo do Kur, que coloca toda sua estrutura e expertise a serviço da saúde e da qualidade de vida de seus clientes. Hoje, mais de 25 anos depois, agora como diretor-executivo, Cusin está sempre preparado para receber antigos e novos clientes com um sorriso de boas vindas. “O Kur oferece a seus clientes conforto e requinte, excelente atendimento, serviços personalizados e alimentação saudável e funcional, servida com a sofisticação encontrada nos melhores restaurantes internacionais. Aqui cada um faz a sua parte para oferecer o melhor atendimento possível.” Para o diretor, completar 25 anos de trabalho no Kur significa realização profissional e a comprovação das expectativas experimentadas no início da carreira. “Eu acredito que qualquer profissional gostaria de conquistar uma trajetória longa em uma mesma organização e ser bem sucedido na profissão. Trabalhar no Kur acrescentou experiência à minha vida, conhecimento, conquistas familiares e reconhecimento no meio social em que vivo”, avalia o diretor. Em razão de sua experiência, Cusin conhece como poucos os desafios da gestão de um complexo hoteleiro como o Kur. Entre os requisitos, segundo ele, estão uma equipe bem treinada, comprometida, estável e voltada para o cliente, manter a persistência na busca da atenção integral aos detalhes e necessidades dos clientes, promover a atualização constante da infra estrutura de conforto e atenção aos anseios e necessidades do público consumidor. O tratamento personalizado, afirma Luis Cusin, é fruto da atenção dedicada a cada detalhe que envolve o cliente em sua estada no Kur. “Temos esta oportunidade, pois ele convive conosco ao longo do dia, nas suas atividades, e interage com um grande número de profissionais. O que fazemos é registrar a maioria dos requisitos de conforto, bem-estar e satisfação que são importantes para determinado cliente, e nos preocupamos em transmitir isso aos colegas. Com o passar do tempo, muitos detalhes e sugestões são transformados em processos de organização. Não existe fórmula mágica, mas dedicação e disciplina”, afirma ele.


Em 25 anos, Luis Cusin absorveu para a própria vida uma série de princípios do Kurotel. A alimentação na sua casa, por exemplo, é saudável e balanceada. Ele e a esposa deixaram de fumar há muito tempo, e assumiram uma rotina de controles periódicos da saúde. Um dos filhos, que tinha sobrepeso na adolescência, passou por uma reeducação alimentar e dedicou-se à prática de exercícios físicos, e hoje mantém um peso saudável. “Sempre que possível, no círculo familiar, procuro compartilhar experiências e conhecimentos adquiridos no trabalho”, diz. Luis Cusin assim define o passado, o presente e o futuro do Kur: No passado, foi uma ideia inovadora e pioneira de abordar da saúde em lugar da doença, com dedicação e personalização. No presente, o Kur significa respeito ao cliente, credibilidade, requinte e personalização, somados à experiência adquirida. No futuro, o Kur manterá a característica de inovação, absorvendo todas as tecnologias, técnicas e vivências que agregarem valor à sua missão. K REVISTA KUR | 23


Pe r f i l

viki ariela de andrade

Uma agenda personalizada, um sorriso Ela tem sempre um sorriso, e muita atenção, para oferecer. É assim que conduz a agenda de cada um dos clientes do Kurotel. Em maio, Viki, como simplesmente é chamada por todos, completa dois anos de Kur. Sobre o segredo de tanta sintonia, ela conta: “Dou o melhor de mim sempre, desempenho minha função com amor e dedicação. Procuro sempre me posicionar na ótica do cliente, para que a agenda que estou organizando seja a mais perfeita possível.” A agenda de atividades de cada cliente é personalizada de acordo com o plano de tratamento, com as orientações que são passadas pela equipe transdisciplinar, indicações, contraindicações e principalmente com as preferências e individualidades de cada um. “O contato com o cliente é fundamental para isso. As agendas são revisadas com eles diariamente afim de promovermos a satisfação completa com as atividades, de acordo com os desejos do cliente e a disponibilidade do profissional.” E como dar essa atenção especial e personalizada num cotidiano com tantas diferentes pessoas? Viki é tranquila ao responder: “conversando com o cliente captamos todas as informações indispensáveis para a montagem da agenda. Procuramos também dar preferência aos horários e às atividades que ele deseja realizar, inclusive identificando com quais os profissionais gostaria de realizar essas ações. Cada cliente é único, e estas características têm que ser percebidas para que a agenda seja sempre a mais agradável possível”.

24 | REVISTA KUR


Viki define os clientes que atende. “São pessoas que valorizam a qualidade de vida, vêm em busca das melhores inovações médicas, dos tratamentos que tornarão suas vidas mais saudáveis, da qualidade e equilíbrio na alimentação, da inclusão de atividades físicas em suas rotinas, do requinte em hospedadem e da excelência no atendimento e serviços prestados.” Ela comenta que sua maior satisfação é ver o cliente alcançar os seus objetivos. É perceber essa mudança para um novo estilo de vida, mais saudável e com mais qualidade. “Me faz muito feliz rever os nossos clientes e notar o quanto o Kur modifica e faz bem para suas vidas. É muito gratificante fazer parte dessa equipe e poder contribuir cada vez mais para os resultados positivos na saúde dos clientes. Sinto que o esforço e a dedicação dispensados por mim e pela equipe Kur despertam, de forma significativa, a mudança de comportamento que nossos clientes apresentam ao final de suas estadas. Nosso objetivo principal é de que todos possam seguir esses ensinamentos em suas rotinas, melhorando de forma definitiva a qualidade de suas vidas. Este é o melhor reconhecimento que podemos ter a respeito de nosso trabalho.” K

REVISTA KUR | 25


De p o i m e n to

Levando o Kur para casa GILSE BOSCATO, de Caxias do Sul/RS Gilse Boscato Muratore é de Caxias do Sul, tem 79 anos e três filhas. Viúva há 24 anos, continua na ativa como tradutora juramentada e professora de francês. Amigas de várias pessoas que frequentam o Kurotel, esta foi a sua primeira vez no Centro Médico de Longevidade e Spa. “Gostei de tudo, do atendimento, das palestras, da alimentação – não senti fome nenhuma, porque tudo é muito bem dosado -, dos exercícios físicos. Enfim, estou levando muitas coisas comigo, para o meu dia a dia.” Nessa sua passagem, destaca o contato com a equipe de profissionais do Kurotel. “Todos muito gentis. Tudo tão intenso e tão bom que se torna difícil destacar algo. Encontrei um acolhimento muito grande, desde o momento da chegada até a saída. Me senti em casa.” Estar sempre trabalhando e ter hábitos saudáveis são trunfos de sua vitalidade, diz, revelando ainda um outro segredinho. Até em função de seu trabalho, está em contato permanente com pessoas de todas as idades. “Tenho alunos dos 13 aos 80 anos, passeio muito, vou a jantares”, ensina com seu inseparável bom humor: “Vou a tudo”. K 26 | REVISTA KUR


REVISTA KUR | 27


De p o i m e n to Leveza e equilíbrio

ALICE MARINHO GUIMARÃES, do Rio de Janeiro/RJ “À equipe do Kurotel (sem citar nomes ou setores para não ser injusta), o meu agradecimento, a minha admiração por tanto profissionalismo, excelência, bom gosto! Volto renovada com a ajuda de toda a estrutura fantástica de aparelhos, procedimentos, exercícios, avaliações médicas, estéticas, físicas. Volto com o coração leve, emocionalmente equilibrada! Estar no Kur com certeza é uma desintoxicação física, mental e emocional. Parabéns por nos trazer de volta a esperança de saber o quão os nossos empresários brasileiros são competentes! Passar meu aniversário com tamanha alegria e rodeada por tanto carinho foi indescritível. A todos vocês, mais uma vez, obrigada!!! Parar de fumar...o meu grande, enorme presente. Mil vezes obrigada pelo suporte! Muita paz, saúde e que todos vocês continuem a realizar este belo trabalho.” K

Totalmente diferente

LUCIANA ANGELICA SOLOMON CARDOSO, de São Paulo/SP “O Kur é realmente totalmente diferente! Tive atenção 24 horas por dia, tudo personalizadíssimo. Não é à toa que é top 10 do mundo! Todos me trataram pelo nome (garçons, recepcionistas, todos) e os especialistas se comunicavam instantaneamente. Eu fiz um teste que se chama “food detective” e vi que tenho certa intolerância à lactose - não fazia ideia e como eu toma(va) leite todos os dias, o corpo foi apresentando sinais de irritação, tipo enxaqueca, alergias, sinusites, rinites. Assim que a médica viu o resultado, já repassou a informação e os garçons já me trouxeram a refeição livre de lactose. Foi uma experiência incrível para alimentar a alma e o corpo.” K 28 | REVISTA KUR


Momentos especiais

DAYANA BORTOLUZZI, de Joaçaba/SC

“Amanhã encerro 168 horas inteiramente aproveitadas no Kurotel, com gostinho de quero mais. Todos os momentos foram especiais, me senti em casa com os companheiros de descanso, funcionários e profissionais sempre prontos a ajudar com muito carinho, dedicação e principalmente com muita competência. Posso dizer que a pessoa que entrou no Kurotel há sete dias não é e nunca mais será a mesma. Física, mental e emocionalmente fui trabalhada de forma integral, suavemente, com muita discrição e sutileza, uma perfeição. De maneira indescritível, os bons hábitos vão sendo incorporados à rotina de boa alimentação, exercícios físicos e relaxamento em doses ideais. No terceiro dia, já sentia o corpo mais dinâmico, humor restaurado e mente em equilíbrio. Todo atendimento foi impecável.” K

Atos de amor Rita Biagi, de Ribeirão Preto/SP

(Na foto com a mascote Chica da Silva)

“Fazer algo que privilegie o próximo, é um ato de amor. Atos de amor, competência e seriedade, é o que encontramos aqui! Não posso deixar de ressaltar o acolhimento carinhoso, a deliciosa cozinha, o bom gosto e o cuidado em cada detalhe! Levo do Kur saúde!! O que me faz muito mais feliz! Obrigada a cada um de vocês. Um grande beijo.” K REVISTA KUR | 29


De p o i m e n to De mãe para filha LUCIANA PERONDI DE ANTONI e a filha LUÍSA, de Porto Alegre/RS “Gostei muito do tratamento do Kinder. Não tinha certeza se funcionaria para criança na idade de minha filha (3 anos), a Luisa. E foi maravilhoso. Enquanto eu fazia os tratamentos e atividades, ela fazia os passeios com a babá e a equipe da Juseph Turismo e o Toni. Foi em todas as programações de Gramado, tais como GramadoZoo, Mini Mundo, Aldeia do Papai Noel, Parque da Florybal. Então, todas as manhãs, ela fazia um passeio. À tarde, aprendeu a nadar com o professor Clayton. A alimentação dela foi maravilhosa durante a estada aqui, ideal para criança em fase de crescimento. A atenção de todos foi especial. Depois dessa experiência, eu passei a ver o Kur como uma opção de férias também, pois realmente superou todas as expectativas. É uma opção segura, tranquila e com muitas opções. Eu perguntei: Luisa, você está gostando das férias aqui em Gramado. ‘Estou adorando, mamãe’, ela respondeu. Antes, eu achava que o ambiente mais sóbrio do Kur poderia não ser tão agradável para crianças. Mudei completamente de opinião. Aqui, a opção é sóbria, quando tem que ser sóbria; infantil, quando tem que ser infantil; alegre, quando tem que ser alegre. Essa foi a melhor estada dela no Kurotel, de todas às vezes.” K

30 | REVISTA KUR


REVISTA KUR | 31


K ur E special

32 | REVISTA KUR


Termografia Calor, um grande aliado no diagnóstico por imagem no Kurotel

Todo mundo sabe que a dor existe, mas identificar sua causa ou a forma como uma inflamação vai evoluir nem sempre é tão simples pelos métodos diagnósticos tradicionais. A termografia pode diagnosticar situações em fase inicial quando somente alterações funcionais e bioquímicas estão presentes e acompanhar a evolução após tratamento. Desde o ano passado, o Kurotel – Centro Médico de Longevidade e Spa vem utilizando a termografia infravermelha, ou termometria cutânea, como novo método complementar de diagnóstico por imagem. Já em 1996, o Kur começou a estudar pioneiramente no Brasil essa tecnologia quando o médico e seu fundador Luis Carlos Silveira trouxe da Alemanha o conhecimento termográfico (CRT – Termografia de Regulação Computadorizada). A Termografia Infravermelha, exame sem contraste, indolor, não invasivo, sem radiação e sem contraindicações, permite mapear o corpo humano distinguindo áreas de diferentes temperaturas. O procedimento é rápido. Em cerca de 60 minutos é feita a preparação do cliente e a filmagem. REVISTA KUR | 33


K ur E special

termografia

De posse das imagens, a equipe de profissionais do Kurotel analisa as simetrias corporais. O padrão de normalidade é que duas regiões contralaterais do corpo tenham a mesma temperatura. Caso seja observada alguma anormalidade, o cliente recebe orientação e inicia o tratamento imediatamente. Conforme estudos publicados, a termografia abre caminho para uma nova forma de abordagem diagnóstica na medicina, especialmente quando os sintomas são alterações funcionais ou queixa de dor. Por esse método de diagnóstico por imagem é possível avaliar a existência de atividade inflamatória lesiva em estruturas como tendões, músculos, nervos e vasos sanguíneos, muito antes das manifestações de dor, explica Mariela de Oliveira Silveira, Médica Diretora do Kurotel. O exame permite avaliar o prognóstico clínico e, consequentemente, resolver mais objetivamente as questões médicas. As indicações do exame são amplas e beneficiam desde pessoas com dor crônica ocasionada por doenças como fibromialgia, cefaleia e dor lombar até aquelas com lesões por esforço repetitivo por trabalho ou por esporte. Como qualquer outro exame, a termografia infravermelha não deve ser utilizada isoladamente em substituição ao exame clínico ou aos demais meios complementares de diagnóstico.

34 | REVISTA KUR


Sincronia com a Filosofia Kur Prevenção sempre foi uma das grandes missões do Kurotel. Detectar uma alteração antes que pudesse trazer sintomas ou que não possa mais ser tratada, é um grande desafio desde 1971, quando o Método Kur foi desenvolvido. A termografia é um marco na compreensão osteomuscular e visceral do cliente. Ela consegue identificar áreas disfuncionais de forma muito precoce, até mesmo antes que uma doença se instale. Desta maneira, a termografia tem grande sincronia com a Filosofia Kur.

Comprovações A termometria cutânea é um procedimento médico regulamentado pelo Conselho Federal de Medicina e pela Associação Médica Brasileira, uma vez que serve como coadjuvante no diagnóstico para diversas patologias. O Departamento de Pesquisas do Kurotel Centro Médico de Longevidade e Spa se dedica agora a estudar a termografia e sua relação com os achados da prática clínica. Os resultados do projeto-piloto de trabalho que será concluído até o final de 2013 já mostram que é possível se detectar disfunções em 84,6% de pessoas que se consideravam assintomáticas.

REVISTA KUR | 35


K ur E special

termografia

Quem pode fazer o exame? Como se trata de um exame seguro, indolor, não invasivo, sem contato físico e sem contrastes, não há contraindicações. Pode ser feito em crianças, gestantes, idosos, pessoas saudáveis ou pessoas com queixas de dor (para avaliar e guiar o tratamento).

A realização do exame Inicia-se uma sequência mínima de 38 fotos com o cliente, em uma sala de temperatura controlada. O equipamento de termografia é uma câmera que capta imagens da superfície da pele, que se diferenciam entre si de acordo com a temperatura da região. Tem a capacidade para avaliar até um décimo de grau centígrado e ainda mais. Cada área da pele se comunica com um determinado órgão, articulação ou músculo, através do sistema nervoso. Quando há alguma alteração nestas estruturas, o exame acusa a ocorrência de temperaturas anormais para a região. As imagens são analisadas e laudadas por especialistas. Médicos e fisioterapeutas da Equipe Kur se reúnem para a avaliação das impressões diagnósticas, as quais são relacionadas com o histórico e estilo de vida de cada cliente, buscando a melhora do quadro encontrado e orientando com recomendações pertinentes.

36 | REVISTA KUR


Dores crônicas Diagnóstico e acompanhamento terapêutico Em cerca de 86% dos casos de dores, os exames anatômicos tradicionais não conseguem explicar a causa. As imagens de corpo total para mapeamento e registro gráfico proporcionadas pela termografia podem diagnosticar e acompanhar a evolução e a resposta terapêutica de doenças de forma objetiva e em fase inicial, quando somente alterações funcionais e bioquímicas estão presentes, explica Prof. Dr. Marcos Leal Brioschi, co-coordenador da Especialização em Termologia Clínica e Termografia do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo e consultor do Kurotel. A termografia demostra a presença de alterações vasomotoras nas mesmas áreas de projeção da dor. De acordo com a clínica-geral Sabrina Fetter Scherer, da equipe médica do Kurotel, número crescente de artigos a respeito das aplicações desse exame tem definido seu papel na prática médica tornando-o de grande valor no estudo da dor, especialmente na documentação por imagem das alterações vasomotoras envolvidas. Diversos estudos descrevem a alta acurácia, sensibilidade e especificidade da termografia na avaliação de discopatias lombares. A imagem infravermelho tem correlação positiva com outros estudos diagnósticos (eletroneuromiografia, tomografia, mielografia) em pacientes com discopatia lombar associada à radiculopatia. Em estudos cegos comparando termografia com mielografia, tomografia e/ou cirurgia, a sensibilidade da imagem infravermelho foi 80%-100% e a especificidade 58%-75%. O pesquisador Richard Sherman, da Universidade do Colorado, demonstrou em estudo cego a alta sensibilidade entre os achados radiográficos, termográficos e a presença de dor crônica em pacientes em uma variedade de condições. Muitos estudos prospectivos e retrospectivos com imagem da termografia lombar ou cervical mostraram especificidade entre 75% a 100%.

REVISTA KUR | 37


K ur E special

termografia

Importante aliado na prevenção O exame fornece um mapa que mostra os padrões de calor emitidos pelo corpo. Na análise do médico, estas alterações nos padrões podem servir de alerta para alguma doença ou anormalidade. A fisioterapeuta especialista em osteopatia Graziele Turkienickz Silva Schwengbe, da Equipe do Kurotel, explica que o exame é um dos métodos mais modernos de diagnóstico por imagem digital. É capaz de detectar inúmeras doenças, muitas vezes não detectadas por outros métodos, e de forma muito precoce. Por sua avaliação de alterações funcionais, a termografia pode assinalar doenças em desenvolvimento mais cedo que os exames anatômicos, como radiografia e ecografia. Por sua capacidade de identificar a origem de uma alteração funcional, torna-se extremamente útil no diagnóstico, tratamento e monitoramento de doenças como câncer, processos inflamatórios, disfunções vasculares e lesões neuro-músculo-esqueléticas, comenta Ariane Rocco Torrez, da Geriatria do Kur. É muito útil pela capacidade de identificar a origem da dor. “A termografia permite que a doença comece a ser tratada mais cedo e que o tratamento possa ser monitorado por análises subsequentes”, afirma Ariane.

Conferindo a qualidade do sono A termografia também ajuda a avaliar se o sono de uma pessoa é ou não reparador. Quando não temos uma boa qualidade no sono, ocorre o aumento da circulação sanguínea na região dos olhos, o que provoca uma congestão vascular nesta área, explica a psicóloga Jacqueline Trindade. O estudo realizado no Kur mostrou que 53,4% dos investigados tinham algum sinal sugestivo de sono não suficientemente reparador, vistos por esse exame. Além disso, o grupo que apresenta congestão ocular apresentou uma tendência média de cortisol (hormônio do estresse) mais elevado do que o grupo que não apresentou. Através do registro térmico dos olhos (imagem infravermelha) e da região periocular, foram detectadas alterações nos padrões de emissão de calor. Essa informação, juntamente com a história clínica, permite a indicação de condutas específicas para esse indivíduo.

38 | REVISTA KUR


Uso na área da nutrição A nutricionista funcional Talita Drescksler conta que os resultados da termografia complementam substancialmente o trabalho da Nutrição. O equilíbrio nutricional tem relação direta com os processos adequados de digestão, absorção e metabolização, e qualquer alteração nesses mecanismos pode comprometer a resposta a uma dieta. “Muitas vezes, mesmo antes de apresentar sinais e sintomas clínicos que nos levem a suspeitar de algum desequilíbrio nessas áreas”, afirma a profissional do Kur. O estudo realizado no Kurotel detectou 4,9% de doença de refluxo gastroesofágico, 34,4% de alterações gástricas, 14% de sobrecarga hepática e 55,7% de disfunções em intestino. Esses achados condizem com o perfil clínico da amostra com elevada prevalência de hábitos alimentares inadequados, uso crônico de laxativos e outros medicamentos e aumento da ingesta de álcool. “A partir desses dados, já poderemos focar nossas condutas na prescrição de uma rotina de alimentação, hábitos de vida e suplementação que seja individualizada e vise um melhor equilíbrio do metabolismo.” É também viável realizar o teste de tolerância alimentar, por exemplo, à lactose, explica Mariela Silveira. “Uma vez verificado o estado padrão basal do indivíduo, é possível fornecer o alimento estressor e verificar a alteração térmica que deve ocorrer em decorrência de uma reação imunológica muitas vezes imediata. Isso pode elucidar os casos de difícil diagnóstico”, complementa a médica.

Doenças vasculares O diagnóstico de anormalidades vasculares por imagem infravermelho é baseado na assimetria entre os lados normal e sintomático, mudança no gradiente de radiação normal dos membros ou entre os lados medial e lateral, ou um distúrbio no padrão normal fisiológico de distribuição da radiação. Em muitos casos, pode identificar alteração no fluxo sanguíneo seja nos membros inferiores, torácico ou até mesmo carotídeo e vertebral. Se isso for apontado, requer seguimento na investigação, no acompanhamento clínico e exame de imagem.

Nos EUA, uso no rastreamento da gripe H1N1 Todo processo inflamatório ou ainda que envolve microorganismos como vírus, bactérias e fungos pode alterar a temperatura corporal. Portanto, a termografia é um procedimento adjuvante no diagnóstico de processos inflamatórios e infecciosos. Em aeroportos dos Estados Unidos, durante a epidemia de gripe H1N1 em 2009, a termografia foi usada como instrumento de rastreamento para pessoas que pudessem apresentar manifestações infecciosas.

REVISTA KUR | 39


K ur E special

termografia

Aliado no diagnóstico precoce do câncer de mama O principal objetivo da termografia para avaliar a saúde das mamas é poder fazer diagnóstico de câncer de mama o mais precocemente possível. Os primeiros sinais aparecem na termografia entre 8 a 10 anos antes de qualquer outro método. A imagem alterada neste exame, com sinais indicativos de malignidade, é fator de risco 10x maior do que a história familiar de câncer de mama. Segundo a Associação Brasileira de Termometria, a termografia consegue mostrar 91% de tumores não palpáveis e isto pode aumentar em mais de 61% a sobrevida de um paciente. Isto representa um aumento entre 10-20% no diagnóstico precoce tradicional. É importante lembrar que nenhuma técnica sozinha fechará 100% o diagnóstico. Alguns trabalhos mostram que associação da clínica com a termografia somada à mamografia consegue concluir em até 97% dos diagnósticos da mama. É importante lembrar que a termografia não invalida ou exclui os exames de imagem indicados pelo especialista e a revisão ginecológica deve ser mantida periódica e cuidadosamente.

Controle do metabolismo O exame possibilita ver se a glândula da tireoide está apresentando padrão de normalidade ou padrão relacionado alguma disfunção, como hipotireoidismo e hipertireodismo. Se isso for encontrado, o médico verifica valores dos hormônios TSH, T4, relacionados a tireóide. Dependendo do caso, se faz necessário encaminhamento ao endocrinologista. Além disso, o exame pode inferir se a temperatura corporal relacionada à taxa de metabolismo basal está compatível com o esperado para aquela faixa etária, gênero e IMC. Esse dado pode ser útil para a compreensão do processo de emagrecimento saudável. 40 | REVISTA KUR


Quando a criança não verbaliza, o exame fala

Frequentemente, o diagnóstico pode ser arrastado neste grupo devido a dificuldade de expressão ou verbalização do que está sendo sentido. Por ser um exame não invasivo, indolor, sem radiação ionizante ou contraste, feito de forma rápida e com uma abordagem global, pode ser realizado em crianças com uma resposta muito favorável. Um bebê com recorrentes crises de choro, exemplifica Roberto Durli, fisioterapeuta do Kurotel capacitado em Termografia pela Universidade de São Paulo, pode sentir dores de diferentes etiologias como cólicas intestinais, refluxo gastroesofágico, contraturas entre outras. Com a termografia é possível definir o local da alteração, favorecendo uma investigação e atuação muito mais precisa e rápida.

Tratamento mais assertivo Victor Hugo Canto da Fonseca, professor e médico acupunturista conta que a abordagem contemporânea da acupuntura trabalha diretamente com a desativação e desbloqueio de pontos e áreas que se encontram hiperativadas do ponto de vista neurológico-funcional. Essa hiperirritabilidade tecidual pode ocorrer em planos locais como pele e dermatomos, zonas medulares e áreas centrais (córtex cerebral, neurohipófise - desregulando a liberação dos neurohormônios-neuropeptídeos). Isso pode levar a sintomas de dor, disfunções autonômicas e autoimunes, como por exemplo, refluxo gastroesofágico, cólon irritável, psoríase e alterações psicoemocionais, além de distorções do mecanismo de propriocepção (como distúrbios de equilíbrio, vertigem, tonturas e desvios posturais). A termografia pode identificar as manifestações mais frequentes que são presença de pontos-gatilhos e áreas de bandas de tensão. Ao identificar exatamente o local, o tratamento da acupuntura se torna ainda mais assertivo e eficaz. Em alguns casos, essa compreensão pode mudar completamente a abordagem terapêutica. Esse exame já possibilitou, por exemplo, que tratássemos a coluna lombossacra para aliviar a dor referida em joelhos, o que resultou em grande melhora, comenta. O fisioterapeuta Roberto Durli explica que o maior benefício do exame para seu trabalho é a possibilidade de comparação imediata da melhora funcional logo após o tratamento. É possível realizar a imagem, proceder a intervenção fisioterapêutica e logo em seguida submeter a nova imagem que evidencia a correção dos padrões disfuncionais levando a homeostase (equilíbrio), como no caso de dor, por exemplo. REVISTA KUR | 41


K ur E special

termografia

Termografia, em resumo

A termografia é mais eficaz na detecção de quais doenças?

42 | REVISTA KUR

• É um exame inócuo, indolor, não invasivo, sem radiação ionizante. • Pode ser feito por pessoas de todas as idades e condições. • Ideal para ser realizado por gestantes. • Faz análise do corpo total de forma rápida.

• É eficaz na identificação de processos inflamatórios relacionados aos traumas em articulações e tendões, artrites, lesões de nervos e alterações da circulação como no caso do pé diabético. São muitas as patologias beneficiadas pela termografia: úlceras, feridas, isquemia, infecções, cicatrização, traumas, microcirculação de tumores, neuropatias periféricas e centrais, ciatalgias, distrofia simpático-reflexa, disautonomias, disfunções viscerais, cefaleias, lesões do esporte e do trabalho, artrites, lombalgias, tendinopatias, fibromialgia e dor miofascial. • No Kurotel é possível fazer o exame e já intervir exatamente nos focos de possíveis alterações. • Equipe transdisciplinar inicia precocemente terapêuticas para melhorar os sinais e sintomas apresentados, através da melhora do sono, adequação da nutrição, melhora da funcionalidade dos músculos, articulações e ossos e do controle persistente da dor.


Histórico

Embora a termografia como ferramenta de diagnóstico tenha estreado na medicina moderna somente em 1957, sua origem remonta ao grego Hipócrates (400 a.C.), considerado o pai da Medicina. Ele cobria o corpo do paciente com lama e observava onde secava mais rápido, o que indicava alteração da temperatura local e a existência de patologias nos órgãos.

Anos 50 Sistemas infravermelhos foram originalmente desenvolvidos para uso militar, em uma primeira tentativa das tropas terem visão noturna para se movimentar à noite.

1957 Primeiro uso diagnóstico da termografia. O físico canadense Ray Lawson descobriu a diferença de temperatura na pele entre uma mama com tecido normal e uma com câncer.

1993 Um estudo do neurologista norteamericano H. Hooshmand, especialista em distrofia simpático reflexa (DSR), aponta que a termografia infravermelha aumenta a exatidão de diagnóstico da DSR em quatro vezes. Em outras palavras, sem a termografia o diagnóstico da DSR passa geralmente despercebido. Muitos pacientes poderiam ser tratados e prevenidos de uma incapacidade funcional pela DSR ao serem diagnosticados precocemente com ajuda da termografia.

1996 O médico Luis Carlos Silveira, fundador do Kurotel, trouxe o conhecimento termográfico (CRT-Termogradia de Regulação Computadorizada) da Alemanha sendo um dos pioneiros a estudar essa tecnologia no Brasil.

1980 A tecnologia da Termografia de infravermelho evolui e um software é adicionado às câmeras para conferir maior precisão à medição das mudanças de calor.

1983 O Food and Drug Administration (FDA), organismo norte-americano que controla a utilização de equipamentos médicos, aprova a termografia como exame coadjuvante na detecção de câncer de mama.

1990 Softwares mais avançados são incorporados às câmeras, proporcionando grandes avanços na exatidão e análise das imagens.

2011 Pacientes do SUS têm acesso a tratamento com acupuntura termoguiada no ambulatório da Dor do Hospital Geral de Fortaleza (CE), indicada para enxaqueca, artrite, artrose, fibromialgia e dores de coluna, entre outros.

2012 O Kurotel – Centro Médico de Longevidade e Spa começa a utilizar a termografia infravermelha, ou termometria cutânea, como novo método complementar de diagnóstico por imagem. K REVISTA KUR | 43


S ERVI Ç O K U R

Um novo começo pós-tratamento oncológico Vencer um câncer é uma vitória cada vez mais frequente e possível. Superar o rigor e os efeitos de um tratamento oncológico, com suas marcas e até alguns traumas, é um passo seguinte. Foi pensando nesse momento, que o Kurotel implantou um programa póscâncer destinado a clientes que buscam uma inserção nesse novo mundo pósdoença. É hora de voltar ou resgatar a vida, dentro de uma nova realidade, adotando mudanças e hábitos que vão garantir mais bem-estar nesse recomeço e ressignificado da vida.

44 | REVISTA KUR


REVISTA KUR | 45


S ERVI Ç O K U R

Saúde e bem-estar possíveis Recuperar a alegria de viver e até mesmo reinventar a vida, em um novo estilo saudável de estar no mundo, é o que propõe a seus clientes o plano de pós-tratamento do câncer do Kurotel Centro Médico de Longevidade e Spa, composto por terapias médicas, de condicionamento físico, estéticas e psicossociais que estimulam a autoestima e ajudam a recuperar o vigor corporal. Ultrapassada a fase desgastante de quimioterapia, radioterapia e pós-cirúrgico imediato, o processo de recuperação pode ser definitivo para o resultado e adesão ao seguimento terapêutico proposto, e a adoção de um estilo de vida saudável e otimista é de extrema importância para o sucesso do tratamento médico. Mesmo que breve, uma temporada de conforto e tratamento no Kurotel, desfrutando do sol e do ar puro da montanha, em meio a jardins e belas paisagens típicas da Serra gaúcha, possibilita a quem se submeteu ao tratamento do câncer melhorar a percepção, o bem-estar e a saúde. Os procedimentos terapêuticos são variados e complementares, para cercar o cliente de cuidados e proporcionar resultados satisfatórios. Ao final do programa, o cliente recebe um kit com exames, avaliações, plano alimentar específico e recomendações para manutenção do tratamento. “Para aumentar ainda mais o bemestar e a tranquilidade do cliente, definimos em conjunto com seu médico oncologista um programa personalizado, adequado às suas necessidades e objetivos”, explica Mariela de Oliveira Silveira, médica diretora do Kurotel.

46 | REVISTA KUR

Forças de um astro antes da cena Em 2012, depois de um tratamento quimioterápico e antes de voltar aos palcos e à televisão, curado, o ator Reynaldo Gianecchini escolheu o Kurotel para fazer o que ele mesmo chamou de uma “desintoxicação depois de tanta química no corpo”. Queria também uma alimentação que fosse balanceada, mas que não fosse dieta de perder peso, e também retomar os exercícios físicos com um acompanhamento. Em resumo, esteve em Gramado para recompor o corpo do estresse vivido. E os objetivos foram alcançados? Na época, antes de deixar Gramado, afirmou: “me sinto totalmente relaxado e com disposição para fazer atividades. Recuperei o bem-estar e o ânimo pra fazer as coisas. É um lugar que estimula você a cuidar de si mesmo, prestar atenção no seu corpo e na sua mente ao mesmo tempo.” Atualmente, o ator pode ser visto diariamente como o cômico Nando na novela Guerra dos Sexos da TV Globo.


As principais linhas de tratamento do programa Check-up e monitoramento

Agilidade em exames como avaliação bioquímica completa, marcadores tumorais, marcadores inflamatórios e de risco cardiovascular, marcadores de turn over ósseo, avaliação de vitaminas, minerais e metais, entre outros, em laboratório filiado ao Complexo Hospitalar da Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre. A Clínica Médica do Kurotel dispõe de eletrocardiograma, Monitorização Ambulatorial da Pressão Arterial (Mapa), teste de esforço ergométrico (realizado por cardiologista em sala com carro de parada cardiorrespiratória), espirometria, baropodometria e estabilometria, termografia computadorizada, densitometria óssea, avaliação corporal por imagem por Dual Energy X-Ray Absorptiometry (Dexa) e ecografias (carótidas, tireoide, mamas, abdome total, transvaginal, transretal, membros inferiores).

ANALGESIA

Para reduzir o uso de medicamentos e evitar interações medicamentosas, são empregadas técnicas mecânicas que, especialmente somadas, levam o paciente a uma melhora significativa. Após a avaliação clínica e de termografia computadorizada, uma combinação de técnicas que unem osteopatia (realizada por fisioterapeutas especializados), acupuntura médica, ultrassom, diatermia, estimulação nervosa elétrica transcutânea (TENS), hidroterapia com banhos de contraste, fangoterapia com lama rica em salicilato, entre outras. As terapias combinadas permitem que os medicamentos sejam usados em apenas 30% dos quadros de dor, e mesmo assim durante menor período e em doses mais baixas do que o habitualmente utilizado pelo cliente.

Melhora do humor e da cognição

A prevalência de transtornos mentais, incluindo os diagnósticos de depressão e transtorno de ansiedade generalizada, é pelo menos duas vezes maior na população submetida à neoplasia, quando comparada com pessoas sem câncer e sem tratamento. O suporte intensivo e focado nas questões emocionais pode ser crucial para o bem-estar do cliente. Além disso, distorções cognitivas podem ser comuns nesse momento e seu ajuste é importante para a continuidade do tratamento. ► REVISTA KUR | 47


S ERVI Ç O K U R Os psicólogos do Kur são especializados em Terapia Cognitivo Comportamental e Neuropsicologia, e contribuem de forma objetiva com o tratamento, com respostas de inventários que retratam o estado de humor (ansiedade, depressão), estresse, atenção e memória, além de ajudar o indivíduo a repensar sua agenda de atividades e valores e a enfrentar as dificuldades do dia a dia. Com base na literatura especializada e na prática clínica do Kur, é sabido que as habilidades cognitivas podem apresentar benefícios em apenas uma semana de treinamento diário. Em termos de resultados, é feita também a avaliação hormonal do estresse (como cortisol e prolactina) na chegada e na saída do cliente, comparando a resposta após uma semana de tratamento.

DESINTOXICAÇÃO

A dieta é definida por médicos e nutricionistas funcionais e visa fortalecer o sistema imunológico, por meio da melhora da flora intestinal e da absorção de nutrientes fundamentais. De acordo com cada neoplasia são feitas adaptações dietéticas, como por exemplo, nos casos de câncer de mama hormôniodependentes, a retirada de soja, laticínios e frangos de granja. A alimentação é sempre individualizada, podendo ser hipocalórica, normocalórica ou hipercalórica (quando houver necessidade de aumento de peso saudável).

AUMENTO DA MASSA MAGRA

De acordo com a recomendação médica, o cliente participa de um programa de exercícios específico, incluindo treinamento cardiorrespiratório, alongamento e reforço muscular. Uma completa avaliação médica da Equipe Kur precede a atividade física, caso a pessoa já não venha com prescrição do seu oncologista. Para aumentar a fidedignidade da avaliação e da resposta dietoterápica e de atividades físicas, é empregado o Dual Energy X-Ray Absorptiometry (DEXA), avaliação corporal por imagem que visa a identificar exatamente onde está a concentração de gordura corporal, além de identificar com precisão a quantidade de massa gordurosa, massa magra e componente mineral óssea. Passados 10 dias do tratamento, é realizada nova aferição no último dia da estada para fins comparativos.

RELAXAMENTO

O Centro de Controle do Estresse do Kurotel disponibiliza uma série de terapias de relaxamento, que possibilitam selecionar a prática mais adequada a cada pessoa. Estão disponíveis também aulas de ioga, watsu e diversas massagens relaxantes.

MELHORA DO CONDICIONAMENTO FÍSICO

A área de fisioterapia realiza atividades e acompanhamento diário, visando à eliminação ou melhoria de limitações físicas, sejam elas de força muscular, recuperação respiratória, equilíbrio e locomoção, reabilitação de cadeias musculares ou redução de dores. Em determinadas fases do tratamento oncológico, o aumento da autonomia do indivíduo pode ser determinante para que ocorra a interação social, o aumento da autoconfiança e o reforço positivo com vistas ao seguimento da terapêutica.

ABANDONO DO TABAGISMO

A Clínica Médica do Kurotel tem 31 anos de experiência e bons resultados em cessação do tabagismo. Atualmente, por meio de cuidados diários e intensivos da equipe transdisciplinar, cerca de 85% dos clientes conseguem abandonar o cigarro e 60% seguem sem fumar seis meses depois do tratamento. K

48 | REVISTA KUR


A RTIGO

A vida! A

vida é uma grande dádiva, fomos projetados para ela. A grande incoerência é que muitos a adoram, mas não se dão conta dela; outros vivem na sensação de eternos, mesmo sendo uma inverdade, principalmente no período da juventude. Com perplexidade, profissionais da área da saúde física e mental, observam nas clínicas, hospitais e consultórios pessoas que necessitariam modificar comportamentos maléficos, mas seguem os mesmos padrões, que, às vezes, as levem a doenças e à morte. Seres humanos que cultivam em si escolhas que, na visão profissional, é absurda. Essa é, talvez, a maior frustração de um profissional da área de saúde: lidar com a impotência de não motivar o seu cliente para o processo de mudança e acatar seu livre arbítrio, ou seja, sua escolha. Na observação de comportamentos maléficos à saúde, podemos citar: o tabagismo, o sedentarismo, a alimentação inadequada, o uso abusivo de bebidas alcoólicas, o estresse crônico... Uma das doenças de maior prevalência nos dias atuais é o câncer. Doença que na sua palavra vem carregada de medo, com associação à morte. Verdade que muitos pacientes não resistem a essa patologia, mas tem pessoas que a superam, a vencem com coragem, transformam seus hábitos e seus costumes. Uma das explicações para superação é o conceito da auto-eficácia. Este bastante pesquisado por Albert Bandura, que é descrito como o senso de autoestima ou valor próprio, o sentimento de adequação, eficácia e competência para enfrentar os problemas, ou seja, é a capacidade interna de reagir e sentir-se capaz frente às adversidades. Os médicos oncologistas têm diversos exemplos, de pacientes que conseguem êxito no tratamento. O Kurotel é um Centro Médico de Longevidade e Spa que, nesses 31 anos de existência, celebra a vida e a modificação de comportamentos maléficos à saúde. Por isso,

o Kur está iniciando um trabalho para pessoas em fase de recuperação do câncer, objetivando a reflexão do estilo de vida, refletindo sobre padrões de comportamentos anteriores à doença, avaliando e tratando as emoções em relação ao quadro, ao sentimento momentâneo e a reflexão sobre possíveis aprendizados dessa situação. No campo das emoções é muito importante o acompanhamento psicológico, pois a questão psicossomática é comum nas doenças crônicas, sendo o corpo físico o depositário dessas emoções não elaboradas. Nesse sentido o psicólogo vai acolher esse cliente que, muitas vezes, não expressa suas emoções para não preocupar seus entes queridos; ouvir os sentimentos, refletir sobre possíveis modificações de comportamentos e gerenciamentos das suas emoções, a partir dessa experiência de vida. Do limão, a limonada, ditado popular muito utilizado, quando superamos adversidades e tornamos o obstáculo suave e doce ao transpor. Uma experiência dessa ordem, ser acometido pelo câncer e superar, pode ser uma bela lição de vida, pois apreender a reciclar conceitos, percepções de mundo, podem ser lições de grande valia nesses casos traumáticos. Uma vez ouvi o relato interessante de um jornalista: “se pudesse participar da cobertura de uma guerra, com a certeza de que sairia ileso, seria uma grande oportunidade de crescimento pessoal e profissional”. Cabe a comparação, pois a doença crônica é imposta de forma agressiva, transforma a vida das pessoas e da família numa guerra incerta, cercada de fantasias do medo da morte - mas os que superam, trazem consigo uma bagagem de vida inigualável.

Michael Zanchet

Psicólogo do Kurotel

REVISTA KUR | 49


D ERMATOLOGIA

Método simples e natural para regenerar a pele O Kurotel - Centro Médico de Longevidade e Spa disponibiliza a seus clientes um tratamento dermatológico para eliminar ou suavizar marcas e outros problemas da pele do rosto e do corpo, tais como flacidez, estrias e cicatrizes. Trata-se do microagulhamento, técnica que se baseia na utilização de microagulhas para promover a indução percutânea de colágeno. É um método alternativo a outros procedimentos de resurfacing (reconstrução) da pele ablativos, como os peelings e dermoabrasão, alguns tipos de laser e métodos não ablativos, como a luz pulsada. Durante o procedimento, microagulhas perfuram a pele superficialmente, estimulando a reação natural do organismo e liberando fatores de crescimento molecular, que proporcionam a proliferação de células formadoras de novas fibras de colágeno (neocolagênese) e de novos vasos sanguíneos (neoangiogênese). De acordo com o dermatologista Damiê De Villa, da Equipe Médica do Kurotel, o processo gera novas estruturas de tecido em forma de elastina e fibras de colágeno, assim como vasos capilares que se integram à camada superior da derme, sem deixar vestígios ou sequelas na região. “Os tecidos preenchem as antigas cicatrizes e a capilaridade renovada permite um melhor suprimento de sangue, com a consequente melhoria na pigmentação da pele”, diz ele. Um estudo realizado em 2006 na Alemanha, comparando biópsias de pele após seis semanas de microagulhamento e biópsias de pele sem o procedimento, apontou um crescimento exato de 1000% de fibras de elastina e colágeno na pele tratada, tendo como resultado a formação de novo colágeno em até 0,6 mm de profundidade. A nova formação de colágeno é fortemente eficaz no combate à flacidez, na medida em que melhora substancialmente a firmeza da pele. O microagulhamento tem vantagem de ser um procedimento feito em consultório, bem tolerado, praticamente sem dor e com rápida recuperação. “A possibilidade de complicações é remota e temporária. Nos primeiros dias ocorre uma vermelhidão, parecida com a de quem toma sol sem filtro solar, que costuma ceder entre um e três dias”, afirma o dermatologista do Kurotel, Maurício de Quadros. Os resultados positivos aparecem já após a primeira sessão, em um tempo que varia de quatro a seis semanas. Conforme o resultado inicial e indicação médica, outras sessões podem ser realizadas para melhora adicional.

50 | REVISTA KUR


Principais indicações do microagulhamento

• Flacidez de pele facial • Flacidez da pele corporal • Estrias • Cicatrizes de acne • Cicatrizes de cirurgias • Cicatrizes de queimaduras

REVISTA KUR | 51


S A Ú DE B U CAL

Dê adeus ao bruxismo Dores de cabeça e na articulação temporomandibular, desgastes ou fraturas de dentes, dor de dente, mobilidade dentária. Se você tem um desses sintomas, pode estar padecendo do bruxismo, um problema cada vez maior e que atinge de 6 a 20% dos adultos e em torno de 14% das crianças, sendo que as pessoas de 15 a 35 anos e as mulheres são as mais atingidas. Para muitas pessoas, o bruxismo é um hábito inconsciente. Podem nem mesmo perceber que estão fazendo isso, até que alguém comente que elas fazem um horrível som de ranger de dentes enquanto estão dormindo. Para outras pessoas, é quando fazem um exame dental rotineiro e descobrem que seus dentes estão desgastados ou o esmalte está rachado. O Kurotel diagnostica e trata casos de bruxismo, através de uma abordagem transdisciplinar envolvendo profissionais de odontologia, fisioterapia e psicologia. “Além do desgaste e amolecimento dos dentes, dor de cabeça é o sintoma mais comum do bruxismo”, explica o dentista Ernani Calvete, da equipe do Kurotel. O bruxismo consiste no ato de ranger os dentes ou apertar os dentes uns contra os outros. Ocorre com maior intensidade à noite durante o sono, mas pode também ocorrer durante o dia. O bruxismo pode ocorrer em qualquer idade, mas é mais frequente e intenso em adolescentes e adultos perdendo intensidade na 3ª idade. Segundo o dentista, a principal causa do bruxismo é o estresse podendo ser agravado por má oclusão dentária. “O diagnóstico é normalmente clínico a partir da história clínica e do exame físico da articulação e dos dentes. Em casos mais severos, onde há comprometimento da articulação, radiografias e tomografias podem ser necessárias.”

52 | REVISTA KUR


Ilustração Rose Tesche

Perguntas & Respostas

- Como é feita a abordagem do bruxismo junto aos clientes do Kurotel? Tipos e tempo de tratamentos que o Kurotel oferece? Ernani Calvete – Em fase aguda é tratado com analgésico e relaxante muscular e com fisioterapia. Passada a fase aguda fazemos ajuste oclusal, placas de bruxismo (aparelhos para evitar o ranger de dentes) e fisioterapia. A fisioterapia inclui aplicação de laser de baixa intensidade, aplicação de calor e exercícios de relaxamento. Como a principal causa é o estresse, acompanhamento psicológico é indicado. A abordagem no Kur é transdisciplinar envolvendo os profissionais de odontologia, fisioterapia e psicologia.

- O que ocorre com uma pessoa que não tem diagnosticado e tratado o bruxismo? O não tratamento do bruxismo leva a dores crônicas; desgaste severo dos dentes gerando limitações mastigatórias, danos estéticos e até fraturas de dentes. K

REVISTA KUR | 53


N U TRI Ç Ã O

Vida sem glúten

Michele Troitinho: proteína tem difícil digestão e pode causar diversos sintomas no organismo

54 | REVISTA KUR

O glúten é uma proteína encontrada na semente de muitos cereais. Representa 80% das proteínas do trigo e é composta de gliadina e glutenina. O glúten é responsável pela elasticidade das massas, o que permite sua fermentação, assim como a consistência elástica esponjosa dos pães e bolos. Está presente no trigo, cevada, centeio, aveia, triticale, malte e painço e em todos os seus derivados, como a farinha, farelos, germe, etc. Os produtos industrializados são obrigados a declarar na embalagem se contêm ou não glúten. Isso porque o simples fato manipular alimentos com e sem glúten no mesmo equipamento faz com que o alimento que não contém o glúten pode ser contaminado com o mesmo. Por ser uma proteína de difícil digestão para algumas pessoas, o glúten pode ativar o sistema imune e causar várias reações que se manifestam em diversos sintomas no organismo, explica a nutricionista Michelle Mileto Troitinho, da equipe do Kurotel. A doença celíaca é a mais conhecida consequência de reações do organismo contra o glúten. “É caracterizada pela ausência de enzimas que realizam a digestão do glúten, resultando em agressões à parede do trato intestinal e ativação do sistema imune, ou seja, o intestino fica inflamado e perde a capacidade de digerir e absorver nutrientes, resultando em sintomas como diarréia, obstipação (prisão de ventre), cólicas abdominais e distensão abdominal (barriga inchada), sangramento intestinal, dores articulares e musculares.” Pesquisas científicas realizadas nos últimos anos mostram que os problemas causados pela ingestão de glúten vão bem além da doença celíaca, que atinge cerca de 1% da população mundial. Estima-se que 7% da população apresente algum grau de hipersensibilidade ao glúten, que pode ou não manifestar sintomas gastrintestinais após a ingestão. A nutricionista, observa, no entanto, que os sintomas podem aparecer tardiamente sem prejuízos severos no trato gastrintestinal, e sim, um aumento no risco de desenvolver doenças auto-imunes (tireoidite de hashimoto, diabetes mellitus tipo I, psoríase, fibromialgia, lúpus, artrite reumatoide), alterações neurológicas (depressão, autismo, déficit de atenção, hiperatividade, esquizofrenia), alterações do humor, agressividade, perda da memória, redução da capacidade intelectual e da disposição física, enxaqueca e obesidade.


Testes Existem testes de sensibilidade ao glúten ou doença celíaca realizados em laboratórios de análises clínicas que podem auxiliar no dignóstico e no tratamento. Entre eles, destacam-se: • IgA antigliadina • IgG antigliadina • IgA antiendomísio • Anticorpos transglutaminase tecidual (IgA e IgG) • Total de anticorpos IgA • HLA DQ2 e DQ8 genotipagem para a doença celíaca (usado ocasionalmente para detectar susceptibilidade genética) • Biópsia intestinal O Kurotel realiza exame que avalia a hipersensibilidade alimentar, que são reações imunológicas (tardias) medidas po IgG. E também análise genética de intolerância ao glúten.

Outras fontes de carboidratos Quando existir o diagnóstico de doença celíaca ou de hipersensibilidade ao glúten, deve-se utilizar nas preparações dos alimentos outras fontes de carboidratos como: farinha ou fécula de arroz, fécula de batata, polvilho doce ou azedo, fubá, farinha ou amido de milho, farinha de linhaça, farinha de mandioca, araruta, tapioca, trigo sarraceno (mourisco), amaranto, sorgo, chia e quinoa. Atualmente a oferta de produtos sem glúten nas redes de hipermercados e lojas especializadas em alimentos tem aumentado cada vez mais, tornando a alimentação sem glúten uma prática bastante facilitada. As opções são inúmeras e facilmente podem ser encontrados: pães, biscoitos, cookies, torradas, bolos, massas, pizza, barras de cereais, farinhas e granola. O glúten não é um nutriente essencial para a saúde, e a sua retirada da alimentação não causa prejuízos, ao contrário, pode trazer grandes benefícios, adverte Michelle. K

REVISTA KUR | 55


G ASTRONOMIA | RECEITAS

Delícias sem Glúten

Pão Sem Glúten

Ingredientes 1 xícara de farinha de arroz 1/2 xícara de polvilho azedo ou fécula de batata 1 colher (sopa) de fermento em pó 1 colher (chá) de açúcar mascavo 1/2 colher (chá) de sal 3 colheres de sopa de semente de linhaça 1 xícara de água 1/2 xícara de óleo de canola 3 ovos Modo de Preparo Liquidificar os ingredientes: primeiro os líquidos, depois os sólidos. Untar uma forma com óleo e colocar a massa. Leve para assar em forno médio pré-aquecido por aproximadamente 30 minutos. Variações Substitua a semente de linhaça por: 3 colheres (sopa) de gergelim torrado ou 1 colher (sopa) de farinha de sementes de uva ou 10 nozes picadas ou 3 colheres (sopa) de erva doce ou 10 unidades de damasco picado

56 | REVISTA KUR


Bolo de Quinoa com Frutas Secas e Amêndoas

Ingredientes 1 e 1/2 xícara de leite de soja 1 e 1/2 xícara de flocos de quinoa 1 xícara de farinha de arroz integral orgânica ou farinha integral 1 colher de sopa de fermento 1 xícara de frutas secas picadas (ameixa, passas, banana passa, damasco) 1 banana amassada 1/2 colher de chá de canela em pó 1/4 de xícara de flocos de quinoa ou aveia para cobrir levemente 1 colher de chocolate em pó Forma de pão com 26cm X 13cm e 5 cm de altura Modo de Preparo Misture o leite com os flocos de quinoa. Deixe descansar um pouco para absorver a umidade. Adicione as frutas secas e o restante dos ingredientes. Polvilhe com a quinoa e leve para assar por aproximadamente 1 hora (após 45 min fazer o teste do palito).

REVISTA KUR | 57


G ASTRONOMIA | RECEITAS

Delícias sem Glúten

Ingredientes 3 bananas maduras, ou o equivalente a 1 e 1/2 copos 1 colher de sobremesa de açúcar de baunilha 1/4 copo de óleo de coco 2 copos de amaranto ou quinoa em flocos 2/3 copo de amêndoas trituradas no processador 1/3 de copo de coco ralado, não adicionado de açúcar. 1/2 colher de sobremesa de canela em pó 1 colher de sobremesa de fermento em pó 170 gramas de chocolate amargo (70% de cacau), picado em pedaços pequenos Modo de Preparo Pré-aqueça o forno a 180°C. Forre 2 tabuleiros com papel manteiga e reserve. Numa vasilha, misture as bananas amassadas com um garfo, a baunilha e o óleo de coco. Reserve. Em outra vasilha, misture os secos: aveia, amêndoas trituradas, coco ralado, canela e o fermento. Adicione a banana aos secos e misture bem com um garfo. Junte os pedacinhos de chocolate. A massa vai ficar um pouco líquida, mas é assim mesmo. Faça pequenas bolinhas com uma pequena colher (ou use as próprias mãos) e disponha-as no tabuleiro preparado. Asse por 15 minutos e deixe esfriar antes de retirá-los do tabuleiro com uma espátula.

58 | REVISTA KUR

Cookies de Chocolate


Ingredientes 1 xícara (chá) de quinoa 1 colher (chá) de óleo 1/2 xícara (chá) de cebola picada 2 xícaras (chá) de alho poró picado 1 xícara de aipo picado 1 xícara (chá) de tomates sem pele, sem sementes picados 1 xícara (chá) de suco de tomate 1/2 colher (café) de sal 2 xícaras (chá) de caldo caseiro de frango 2 xícaras (chá) de frango cozido, desfiado e temperado a gosto (mantenha aquecido) 3 colheres (sopa) de tempero verde picado

Risoto de Quinoa com tomate e frango

Modo de Preparo Coloque em uma panela o óleo para aquecer. Acrescente a cebola para dourar. Junte o alho poró, o aipo e mexa até que fiquem levemente cozidos. Reserve. Coloque a quinoa numa panela adicionando o caldo caseiro e o sal. Leve para cozinhar até que as bolinhas fiquem transparentes. Reserve. Misture o suco de tomate, o tomate e deixe cozinhando até que o tomate esteja bem macio. Junte o frango e deixe no fogo até que incorpore bem o molho com o frango. Misture tudo e salpique o cheiro verde. Acompanha Salteado de legumes (berinjela, abobrinha e cenoura).

REVISTA KUR | 59


60 | REVISTA KUR


s pa

Para uma pele luminosa e suave Sempre buscando inovações e o melhor resultado para os seus clientes, o Kur Estação das Águas, o SPA do Kurotel, agregou mais uma novidade no seu menu de terapias. Trata-se da Facial Máscara de Ouro + TS. E é mais uma exclusividade Kur. Esta atividade reúne princípios ativos voltados para ações antioxidante, hidratante e efeito de lifting, explica a gerente do Estação das Águas, Cristiane Barcellos. “Ela é finalizada com uma aplicação de sérum à base de Toxina de Serpente (TS) que retarda o envelhecimento das células. Esta toxina já está bem descrita na literatura científica e é aprovada para uso estético seguro e efetivo.” Para fazer a máscara, o cliente não precisa de mais de uma hora. E não há restrições pós-uso. O resultado, que é percebido logo após o tratamento, é uma pele luminosa com linhas de expressão suavizadas e a atenuação dos efeitos dos radicais livres. K

REVISTA KUR | 61


ku r c o n c e i to L inha P rofissional

Creme com cafeína contra celulite e gordura localizada

A Kur Conceito, que assina a linha de cosméticos que carregam a marca, a tradição e a qualidade do Kurotel, dispõe em seus postos de venda, incluindo a concept store de Gramado, o Creme de Massagem com Cafeína. O ingrediente estimula a transformação da energia acumulada na forma de gordura e de celulite, como se quebrasse essas gorduras localizadas. A cafeína apresenta um bom coeficiente de partição, o que lhe assegura uma boa penetração epidérmica graças a sua lipossolubilidade, e uma boa difusão dérmica devido a sua hidrossolubilidade. Sabe o que significa? Que o creme que você aplica na pele, contendo cafeína, penetra mesmo. E os efeitos aparecem. K

62 | REVISTA KUR


L in h a FA C I A L

Gel-creme revitalizante

O Gel Creme Hidratante da Kur Conceito contém FPS 15 e tem em sua formulação o ácido hialurônico (crista de galo). Ele absorve 10 vez mais o peso da água, formando um filme na pele, o que fixa a umidade. Possui ainda Complexo antirradical livre com gingko biloba - Complexo de Vitamina A, E, Palmitato de ascorbila e Extrato Ginkgo Biloba, de ação antioxidante. Estimula a síntese de colágeno e tem ainda ação seborreguladora. K

REVISTA KUR | 63


L in h a capilar

Auxílio contra queda Para aquela inconveniente queda de cabelos, a Kur Conceito sugere um shampoo especial. Sua fórmula foi desenvolvida para auxiliar no tratamento da queda, devido à presença de proteína hidrolisada do tremoço, estimulando e revitalizando os cabelos, auxiliando no crescimento e fortalecimento dos fios. Favorece a renovação celular e a síntese dos queratinócitos (células que sintetizam queratina - substância que deixa o cabelo mais bonito, com brilho e também mais forte). K

64 | REVISTA KUR


ku r c o n c e i to L inha H AU S

Suavidade do pêssego

Com aroma frutal, o aromatizador de Pêssego leva para sua casa a suavidade e o perfume da fruta. Agora, também com embalagem com difusor (varetas). K

REVISTA KUR | 65


c a da d e ta l h e

ENCANTOS QUE SE MULTIPLICAM Circular pela multiplicidade de ambientes do Kurotel é se deparar com encantos em cada detalhe. Tudo pelo conforto e bem-estar do cliente. Sofisticação e tradição aliadas às abordagens mais modernas no que diz respeito à prevenção e longevidade.

66 | REVISTA KUR


Foto | LIANE NEVES

REVISTA KUR | 67


C ADA DETALHE

Foto | LIANE NEVES


C ADA DETALHE Foto | IVAN VIEIRA

A arquitetura do Kurotel acompanha o seu tempo, aliando traços da tradição com as curvas e a simetria da modernidade. Todos os caminhos levam à excelência que conquistou o mundo.


C ADA DETALHE

Foto | IVAN VIEIRA

Cores, formas e muita luz natural. SĂŁo os elementos que podem ser encontrados atĂŠ em um simples corredor de acesso. As gelosias brancas emolduram janelas e espelhos, oferecendo harmonia ao cliente. 70 | REVISTA KUR


C ADA DETALHE

A paisagem lá fora mostra que o clima mais esperado em Gramado está aí. Dentro do Kurotel, no entanto, nada muda. Temperatura regulada em todos os ambientes dá aconchego e acolhimento aos clientes, que nem percebem que lá fora é Outono ou Inverno.

REVISTA KUR | 71


C ADA DETALHE Foto | Fernanda Bigio Davoglio

Um detalhe chama atenção à entrada do restaurante. É um conjunto de viandas laqueadas. A arte é oriental e está ali para dar um toque a mais no ambiente, cheio de sabores.


C ADA DETALHE A gastronomia do Kurotel é uma arte à parte no cotidiano dos clientes. Tudo com o toque mágico de temperos, muitos deles vindos diretamente de uma horta não muito longe do restaurante.

Foto | Fernanda Bigio Davoglio


e st i lo d e v i da s a u d รก v e l Foto | mรกrcio blauth

74 | REVISTA KUR


Caminhadas & Caminhantes

Roteiros pelo Brasil elena correa | Rio de janeiro

REVISTA KUR | 75


e st i lo d e v i da s a u d á v e l

O

Rio de Janeiro é uma cidade que privilegia os amantes da prática de fazer caminhadas, seja para manter a boa forma física, seja para relaxar o corpo e a mente, oferecendo uma série de lugares aprazíveis para tal exercício. Mas, sem dúvida nenhuma, o local preferido por cariocas e turistas é o calçadão que se estende na orla da cidade, do Leme ao Leblon, na Zona Sul, e na extensão da Barra da Tijuca, Zona Oeste. É praticamente impossível não encontrar algum morador ou visitante caminhando ali, a qualquer hora do dia ou da noite. E, além do benefício do exercício, ainda é possível se admirar com a bela vista do mar. “Mesmo quando saio tarde do trabalho, não deixo de recarregar minhas energias caminhando pelo menos uma hora no calçadão”, afirma Flávio Peixoto, 50 anos, engenheiro gaúcho que mora em Copacabana há três anos e costuma caminhar à noite. Já Denise Alves Carneiro, 23 anos, estudante de Direito e moradora de Ipanema, acorda cedo, por volta de 6h, para fazer seu alongamento e caminhar por 40 minutos, antes de ir para a faculdade. “Prefiro caminhar na areia, na parte plana para não prejudicar a coluna. E vou de manhã, pois nunca sei se à noite terei tempo disponível”, explica a carioca, que geralmente caminha acompanhada de uma vizinha. Entre os parques mais procurados para caminhadas no Rio estão o Jardim Botânico e o Parque Lage, ambos no bairro Jardim Botânico, Zona Sul da cidade. Cercados e seguros, eles são uma opção também de um saudável passeio a ser feito por toda a família. Já a Lagoa Rodrigo de Freitas, um dos mais belos cartões postais do Rio, também é procurada de domingo a domingo. É possível se ver ali desde caminhantes assíduos buscando um exercício saudável, como também se vê muitas babás passeando com bebês em carrinhos e crianças brincando com seus velocípedes. Na ciclovia que circunda a Lagoa, a preferência é sempre dos pedestres, que deve ser respeitada pelos ciclistas. “Gosto de vir no entardecer para caminhar, tomar água de coco e curtir o belo por do sol”, diz Flávia Pereira, decoradora de interiores paranaense que mora no Rio há 6 anos. Muito procurada também é a Pista Cláudio Coutinho, também conhecida como Caminho do Bem-Te-Vi e Estrada do Costão, localizada na Praia Vermelha, em frente ao Pão de Açúcar, no bairro da Urca. Pela localização, nem precisa dizer que a vista da pista é um estimulante a mais para boas caminhadas. Seu nome é em homenagem ao ex-treinador da Seleção Brasileira Cláudio Coutinho. Ali, é mais frequente encontrar grupos de esportistas, corredores e turistas. Do fim da Pista sai uma trilha que leva até o Morro da Urca. “Gosto de ver o por do sol lá de cima. Subindo em ritmo normal levamos menos de meia hora para chegar lá em cima”, diz André Henrique, recém-formado em Medicina, que costuma fazer o passeio aos finais de semana com a namorada. 76 | REVISTA KUR

Foto | márcio blauth

Orla de Copacabana, moradores e turistas


Parque do Ibirapuera: ponto de encontro de paulistanos

parques paulistanos

S

em orla na capital de São Paulo, os parques são o principal ponto de encontro de caminhantes de todas as idades e de todos os pontos da cidade. Um dos mais famosos é o Parque do Ibirapuera, com pista de caminhada e corrida de 6 mil metros. Totalmente arborizado, é praticamente um refúgio para a poluição que castiga a capital paulista. “Mesmo não morando perto, venho regularmente desde quando era jovem para ter a sensação de respirar um ar mais puro em meio a esse verde”, destaca Suely Cortez, aposentada, 56 anos. Juliana Vital, 32 anos, moradora do bairro onde fica o parque, costumava ir de bicicleta, mas após nascer seu primeiro filho, hoje com 1 ano, vai à pé fazer sua caminhada empurrando o carrinho com o bebê. “Aqui a gente só tem que torcer para não chover”, brinca a web designer. Na relação de parques também estão o Alfredo Volpi, o Buenos Aires, o Anhanguera e o Villa Lobos, entre outros. Quase todos com pista para caminhadas e corridas,

ciclovias, aparelhos de ginástica de baixo impacto, área para piqueniques e trilhas, tudo cercado por muita vegetação. Já o Parque da Aclimação, conta com uma concha acústica, lago, pista de cooper e caminhada, bosque para leitura e um belo jardim japonês com espelho d´água. Mestre em Feng-Shui, Miguel Farias ensina sempre que caminhar é colocar-se em movimento, e quando as pessoas se colocam em movimento o Universo conspira para que também haja um movimento a favor da realização de tudo que elas desejam atingir. Fora dos parques, há também os passeios por trilhas organizados pelo Clube da Caminhada, criado pelo Sesc de São Paulo. A iniciativa prega a prática de exercícios físicos que levam em conta o condicionamento, as aptidões e os limites de cada indivíduo. O Clube leva grupos para fazerem trilhas em passeios e excursões realizadas não apenas em São Paulo, como em localidades em estados próximos, como o Pico das Agulhas Negras, no Rio de Janeiro. REVISTA KUR | 77


e st i lo d e v i da s a u d á v e l

Foto | ivan vieira

Pista de Caminhada nos jardins do Kurotel

Atividades no kurotel

D

iariamente, às 8 horas, clientes do Kurotel podem participar da Caminhada Matinal, atividade que ocorre por ruas de Gramado e também no Lago Negro, ponto turístico da cidade. Com duração média de 45 minutos, sempre tem a orientação de dois dos professores de Educação Física do Kur. Segundo Rafael Sabres de Carvalho, educador físico e terapeuta de Watsu no Kurotel, toda a pessoa pode praticar caminhadas, desde que não tenha restrição médica. “É sempre importante, primeiramente, ter liberação médica. A partir daí, a pessoa deve iniciar com um período mais curto e conforme sua evolução ir aumentando o tempo ou distância da caminhada. É interessante também realizar exercícios de fortalecimento muscular para diminuir a sobrecarga articular imposta pela caminhada e proporcionar melhor equilíbrio.” Ele também sugere que as caminhadas sejam realizadas em lugares arejados, ou ao ar livre, e, sempre que possível, beber pequenas quan78 | REVISTA KUR

tidades de água durante o exercício para manter a hidratação corporal. Outro alerta é nunca realizar a caminhada em jejum maior que 3 horas, o que pode gerar uma hipoglicemia e perda muscular durante o exercício. E existe tempo ideal para uma caminhada? Rafael diz que é relativo. “Recomendamos em média entre 30 e 60 minutos, dependendo de cada caso. É ideal que a pessoa caminhe ao menos 3 vezes na semana. Pode até ser feita diariamente, com um dia na semana de descanso.” E para garantir um bom resultado? “É importante a pessoa utilizar um calçado adequado que diminua o impacto articular. Durante o exercício, procurar ficar dentro de sua frequência cardíaca ideal de treinamento, assim terá certeza de que está na intensidade correta. Outro fator importante é procurar variar o estímulo do exercício, alguns dias caminhar mais rápido, ou com inclinação, ou aumentar a distância, enfim, mudar o estímulo é muito importante para estar evoluindo no exercício.”


Foto | ivan vieira

Paisagem de montanha no Lago Negro, em Gramado

ACADEMIA PÚBLICA EM GRAMADO

Grupo Agita Mundo A Rede Agita Mundo, lançado no Dia Mundial da Saúde de 2002 (7 de abril), é um grupo de instituições nacionais e internacionais que estimula a pesquisa e incentiva a disseminação da informação sobre os benefícios da atividade física e a realização de estratégias efetivas para aumentar o nível de atividade física da população. A rede também apoia o desenvolvimento de programas e redes de atividade física locais em todo o mundo. O objetivo do Agita Mundo é promover um comportamento saudável para pessoas de todas as idades, nações e características.

A

Secretaria Municipal de Saúde gramadense desenvolve dois programas disponíveis gratuitamente à população: o Gramado em Forma, desde 2006, e Academia do SUS, implantada em 2011. Atualmente, 200 pessoas participam das atividades que têm monitoramento de educadores físicos. Segundo a gerontóloga Milena Santos, coordenadora da Vigilância e Ações de Educação em Saúde de Gramado, o principal objetivo é proporcionar maior qualidade de vida aos pacientes com DANT’S - doenças e agravos não transmissíveis, bem como interação social, melhora do equilíbrio e marcha. E os resultados chegam. “Temos diminuição das internações hospitalares desses pacientes.” A academia funciona em uma sala do Ginásio de Esportes José Francisco Perine, o Perinão, e o Gramado em Forma em ginásios de bairros. Em alguns locais também são oferecidas atividades em academias ao ar livre. K REVISTA KUR | 79


M ODA

Grifes que se unem na arte

V

80 | REVISTA KUR

erdadeiros objetos de desejo feminino, os vestidos concebidos pelo paulista Samuel Cirnansck e os sapatos assinados pelo gaúcho Jorge Bischoff estiveram juntos, pela quinta vez consecutiva, na passarela da São Paulo Fashion Week de 18 a 22 de março. Além de encantar o público presente na mais importante semana de moda da América Latina, a dupla de criadores decidiu estreitar ainda mais sua bemsucedida parceria, assinando em conjunto uma coleção especial de sapatos para noivas e madrinhas. A previsão é de que a novidade chegue às lojas a partir de maio. Também na última edição da SPFW, o público pode conferir o Projeto Ápice, que reuniu os designers Jorge Bischoff (sapatos) e Gloria Corbetta (joias) para a concepção de cinco peças – todas com pele de serpente Python importada. “São duas áreas que se tocam em muitos pontos”, avaliou Jorge Bischoff ao falar sobre a parceria. Realizado pela Associação Brasileira das Indústrias de Calçados, através do programa Brazilian Footwear, e pelo Instituto Brasileiro de Gemas e Metais Preciosos (IBGM), o Projeto Ápice está em sua primeira edição. A exposição deve ser levada a outros destinos dentro e fora do País, evidenciando a preciosidade do design brasileiro. K


c u lt u r a

Uma artista visceral elena corrÊa | Rio de janeiro FOTOS | MÁRCIO BLAUTH

A

driana Varejão, primeira artista plástica brasileira viva a ter um trabalho adquirido por uma instituição de prestígio internacional como a Tate Modern, de Londres, não dá descanso a seus pincéis. A carioca de 48 anos tem entre seus projetos para este ano estender a itinerância da exposição “Adriana Varejão – Histórias às Margens” nos Museus de Artes de São Paulo e do Rio de Janeiro para além das fronteiras latinas. A mostra, que inclui uma seleção de 40 obras da artista, está no Museu de Arte Latino-americano de Buenos Aires (MALBA), na Argentina, até junho deste ano, com o nome “Adriana Varejão – Historias em los Márgenes”. Além disso, está programada uma exposição dela em outubro desse ano, no Galpão Fortes Vilaça, com obras inéditas.

REVISTA KUR | 81


c u lt u r a

Os caminhos de ADRIANA VAREJÃO

82 | REVISTA KUR

O caminho que levaria Adriana Varejão às artes começou a ser traçado cedo. Desde menina deliciava-se lendo os fascículos da série “Gênios da Pintura”, que sua mãe colecionava. Aos 9 anos, pintou sua primeira tela a óleo. Mas logo deixou os pincéis de lado e acabou indo cursar Engenharia. Descobriu que o mundo das ciências exatas não era o seu. E foi por acaso, aos 18 anos, após largar a faculdade, que o chamado de volta ao mundo artístico veio através de uma inspiração assistindo na televisão ao filme “Adeus às Ilusões”, de 1965, no qual Elizabeth Tayler interpreta Laura, uma pintora com ideais modernos para sua época. “Fiquei muito impressionada por aquele filme e no dia seguinte fui me matricular num curso de Arte”, lembra a artista plástica com 26 anos de carreira. O tempo mostrou que fez certo ao seguir sua inspiração, ou intuição. Em 2011, uma tela sua, pintada em 2001, “Parede com incisões à La Fontana II”, passou a ser considerada a obra mais cara de um artista vivo do Brasil ao ser leiloada por quase R$ 3 milhões na casa especializada Christie’s, de Londres. O feito, no entanto, não tirou de Adriana o ar de menina, nascida em Ipanema, na Zona Sul do Rio de Janeiro, onde cresceu e frequentava a feira hippie de artesanatos aos domingos. Seu tom de voz e seus gestos são suaves. Já sua obra tem uma marca forte, impactante, com referências ao barroco português, pinturas viscerais de corpos em que a carne é exposta, e ainda traz o contraponto da azulejaria. “Mais recentemente comecei uma série de pratos gigantes, baseados na obra de um ceramista português do século XIX, Bordalo Pinheiro”, conta Adriana, que, entre as muitas importantes exposições das quais já participou estão as da Bienal de São Paulo, no MoMA, em Nova York, e na Tate Modern, em Londres. Sua mais recente exposição individual aconteceu ano passado em Londres, na galeria Victoria Miro. A próxima será uma grande retrospectiva de todo seu trabalho, no Museu de Arte Moderna de São Paulo, em setembro.


ENTREVISTA

Rompendo FRONTEIRAS

Adriana tem sua obra presente em acervos de importantes instituições, entre elas a Fundação Cartier, em Paris, o Stedelijk Museum, em Amsterdã, o Guggenheim, em Nova York, e o Hara Museum, em Tóquio. Além de um pavilhão próprio com exposição permanente no Centro de Arte Contemporânea Inhotim, um complexo museológico de galerias e jardins localizado em Brumadinho, interior de Minas Gerais. Ela chegou a ser chamada de “Princesa de Inhotim”, por ter sido casada de 2005 a 2011 com o idealizador do Centro, Bernardo Paz. Da união, nasceu Catarina, hoje com 7 anos de idade. Em seu amplo ateliê localizado no Jardim Botânico, no Rio, a artista conta com uma equipe para tratar dos assuntos relacionados às partes de serviço, de comercialização e jurídica de sua obra. Foi lá, em meio a obras em produção, que ela deu esta entrevista para a Revista Kur, em que fala sobre sua trajetória.

yyO meio da arte também é competitivo. Você acha que as dificuldades para uma artista mulher são maiores do que para os homens?

No meio de arte o valor está na obra que você faz, não interessa o jeito que você é. Todo mundo está interessado no valor do trabalho. Uma carreira em arte se constrói a partir de uma qualidade dos trabalhos, uma presença em exposições importantes, a obra ser selecionada. Não acredito em outra maneira de se construir uma carreira.

yyComo sua obra conseguiu transpor fronteiras e ganhar o mundo?

Uma tendência da arte internacional é os curadores viajarem e fazerem exposições que incluam artistas de vários países. No início da minha carreira participei da minha primeira Bienal de São Paulo, em 94. Daí fui para a Bienal de Johanesburgo e para outra em Veneza. Quando se participa de Bienais, pessoas do mundo todo veem o trabalho, entre curadores, galeristas, e naturalmente chamam para participar de outras exposições ► REVISTA KUR | 83


c u lt u r a

importantes. Desde muito cedo, início dos anos 90, comecei a trabalhar com galerias internacionais. A galeria que eu trabalhava na Holanda, por exemplo, vendeu trabalhos meus para Stedilique, em Amsterdã. Em meados dos anos 90 começaram a surgir no Brasil galerias mais estruturadas. Desde muito cedo trabalhei na galeria Thomas Cohn, em Ipanema, que fazia feiras de artes internacionais. Depois mudei para a Camargo Vilaça, que tinha um trânsito internacional muito grande, participação ativa com colecionadores, então levava os artistas dele para as feiras e ia abrindo portas. É um conjunto de coisas.

yySua obra costuma mostrar opostos ou fazer contrapontos: vermelho sangue e azul do céu, limpeza e su84 | REVISTA KUR

Adriana Varejão tem o seu trabalho reconhecido pelo mundo


jeira. São questionamentos pessoais, subjetivos, ou apenas uma fonte na qual você resolveu beber?

Eu comecei desde muito cedo, final dos anos 80, a trabalhar sobre a herança barroca. Fiz uma pesquisa grande em cima do barroco português, no qual existe toda uma ideia de drama, de exacerbação dos opostos, de tensão, teatralidade, tudo isso passou a permear a minha obra no início. A partir dos anos 90 adquiriu um caráter mais político, comecei a me interessar por história, antropologia e a usar o barroco mais como uma forma de catequese cultural, perceber jogos que aconteceram no período colonial brasileiro. A azulejaria, por exemplo, é um elemento que sempre esteve presente nesse período, é uma herança que a gente tem de Portugal. Por outro lado, o azulejo pavimenta uma rota que vai ao mundo inteiro, desde a China, Islã, Portugal. Sempre procurei cobrir com a minha obra esses cruzamentos culturais do mundo. Isso aconteceu muito forte nos séculos XVI, XVII, XVIII. Tenho muitas referências desse período.

yyQue paradoxos você descobriu lidando com relações entre sensualidade e dor, violência e exuberância?

Cada um tem uma aproximação com o trabalho de determinada maneira. Na verdade, nunca faço uma obra com uma função, sigo um caminho que a própria obra me dá. Ela fala mais para mim do que se eu disser: “Vou fazer isso deliberadamente com esse objetivo”. A obra desperta nas pessoas o que cada um vê nela, mas existe essa história dos cortes, da presença da carne, do sangue. Para mim tem várias interpretações, o barroco tem isso muito presente: a exposição da matéria exacerbada, a profusão quase erótica de apaixonada, a exposição das

vem aí mais uma bienal do mercosul

feridas. E não é de hoje que os pintores têm uma atração pela carne. Goya, Rembrandt, pintaram carnes. Théodore Géricault levava pedaços de carne para pintar “Jangada da Medusa”. É uma constante. Eu faço parte dessa tradição. Acho que a carne, às vezes, pode até gerar essa espécie de dor ou corte, mas às vezes pode transmitir uma pulsão erótica. Ou, se colocar a carne em contraponto com uma azulejaria fria, geométrica, ela pode representar uma pulsão de vida, quente, enquanto o azulejo pode dar a sensação de morte, frio, previsível. Quando se juntam opostos, cria-se uma tensão dramática que gera muitas interpretações. É um jogo recorrente dentro do barroco.

yyComo se sente quando uma obra sua bate recorde em um leilão, como aconteceu com “Parede com incisões à La Fontana II”, vendida por mais de R$ 2 milhões, em Londres, ano passado? O que acontece é que a gente vende, colecionadores compram, colocam em leilão e revendem. Não foi sempre assim. Antes não atingiam valores tão altos. E esses valores que a gente acha estratosférico são considerados normais para qualquer artista inglês, americano da minha idade, entre 45 e 50 anos. Não são artistas jovens. Eu comecei minha carreira em 86, são 26 anos de trabalho.

yyTem alguma de suas obras que não venderia por valor algum? Várias! Todas que estão comigo, como: “Mapa de Lopo Homem”, “Quadro Ferido”, “Figura de Convite”, “Vouyer”, “Linha Equinocial”, dois azulejões da primeira série de azulejos. Guardei muitas obras minha. Não é que não venderia, mas para mim é mais importante ter a obra do que o dinheiro. K

Porto Alegre se prepara para sediar a 9ª Bienal do Mercosul, de 13 de setembro a 10 de novembro, que vai ocupar vários espaços da capital gaúcha. Esta edição do evento terá como tema “Se o clima for favorável”. O foco da proposta curatorial da diretora artística Sofía Hernández Chong Cuy são as interações entre natureza e cultura, experimentação e inovação. A exposição também se concentra em como diferentes distúrbios atmosféricos afetam a experiência e as percepções que temos do mundo que nos rodeia. Os principais locais expositivos são o Centro Cultural Usina do Gasômetro, Museu de Arte do Rio Grande do Sul Ado Malagoli (foto), Santander Cultural e Memorial do Rio Grande do Sul. Agende-se.

REVISTA KUR | 85


86 | REVISTA KUR


s u st e n ta b i l i da d e A água é vital para a manutenção da vida, do bem-estar e para o desenvolvimento social e econômico das nações. Mas as fontes são limitadas e, por isso, usar água exige colaboração. Somente dessa forma poderemos no futuro obter sucesso ao gerenciar as fontes finitas e frágeis de água.

Terra, Planeta Água Em 22 de março, comemorou-se o Dia Mundial da Água. A Assembleia Geral das Nações Unidas (ONU), por sua vez, declarou 2013 o Ano Internacional das Nações Unidas da Cooperação pela Água. O Kurotel utiliza água com abundância, rigorosamente dentro da racionalidade e do respeito ambiental. Com esta reportagem, sua Revista Kur presta homenagem a este recurso natural tão indispensável para a humanidade. REVISTA KUR | 87


s u st e n ta b i l i da d e

O Método Kneipp de cura pelas águas

88 | REVISTA KUR

A hidroterapia é básica nas linhas de tratamento do Kurotel - Centro Médico de Longevidade e Spa. Já em sua fundação, há mais de 30 anos, o Kur adotou como diretriz o método alemão de cura pelas águas, sistematizado e propagado ao mundo no século XIX pelo Monsenhor Sebastian Kneipp, vigário de uma aldeia da Baviera. Seu livro A Minha Cura d’Água, de 1886, foi traduzido para várias línguas e tem passado por dezenas de edições. Segundo Kneipp, a água exerce fortes estímulos sobre a pele, especialmente os banhos alternando água fria e água quente, que ajudam a estimular o corpo. Andar na água, na neve e na relva molhada de orvalho são recomendações do religioso, que baseava o seu método em cinco princípios: estilo de vida o mais natural possível, alimentação simples, terapia pelo movimento, plantas medicinais, aplicações de água. Foi, portanto, o precursor da terapia global. Além disso, não desconsiderava o estado de espírito dos que o procuravam, e sabia que só estando bem consigo é que uma pessoa pode curar-se.


s u st e n ta b i l i da d e

Terapias Kurotel utilizando a água como elemento vital • Banhos com lodo e com sal • Banhos contrastados de extremidades • Caminho das águas • Chás desintoxicantes • Ducha de espuma antioxidante • Fitness nas piscinas • Fonte de gelo • Hidromassagem • Piscina ozonizada com jatos e correnteza • Sauna • Unterwassermassage

Sólida, líquida e gasosa A hidroterapia é um ramo da fisioterapia que se ocupa do estudo da água e suas aplicações com finalidades terapêuticas. A água pode ter efeito estimulante, tônico, emético, asséptico e purgativo e pode ser usada nos seus três estados físicos: sólida, líquida e gasosa. Das centenas de aplicações hidroterápicas, a grande maioria utiliza a água fria (14 a 18 graus centígrados) por períodos curtíssimos (15 a 60 segundos). No local atingido pela baixa temperatura ocorre vasoconstrição da pele e vasodilatação muscular. À distância, por ativação do sistema nervoso autônomo, aumenta a circulação nos órgãos e diminui a frequência cardíaca. Após o estímulo frio, ocorre vasodilatação reativa e o aquecimento da pele, com a frequência cardíaca mantendo-se baixa durante longo período. A vasodilatação reativa e natural estimula as energias do corpo, proporcionando os efeitos benéficos. Tudo isso representa uma saudável reação do corpo para obter o equilíbrio das funções orgânicas. REVISTA KUR | 89


s u st e n ta b i l i da d e

As mulheres brasileiras e a água, no Sertão e no Sul

A psicóloga Jacqueline Germano Trindade, que é pós-graduada em neuropsicologia e integra a equipe de profissionais do Kurotel, desenvolveu um estudo acadêmico comparando a realidade de mulheres que habitam o Sertão semi-árido nordestino e o Sul do Brasil e sua relação com a água. Jaqueline passou períodos visitando famílias em cidades geograficamente opostas: Tejuçuoca, no Ceará, e Cachoeira do Sul, no Rio Grande do Sul. Em comum entre as duas, apenas particularidades demográficas. Observando o estilo de vida, a estrutura e os papéis sociais desempenhados pelos integrantes das famílias, especialmente o papel e a postura da mulher, ela buscava compreender as diferenças culturais e sociais da representatividade e do significado da água para esses indivíduos. “Interessou-me saber como as mulheres donas de casa percebiam e lidavam com a água nestas duas regiões, entender que tipo de mulher formava-se nestes diferentes contextos, conhecer qual seu papel e sua importância nestas duas realidades, compreender como se estabeleciam as prioridades no uso deste recurso natural”, esclarece a psicóloga, focada em esta-

90 | REVISTA KUR


s u st e n ta b i l i da d e

belecer a relação transcultural da representação social do binômio mulher/água. Para quem vive na Região Sul, segundo a pesquisadora, com estações definidas e chuvas que ocorrem durante todo o ano, a escassez da água é uma realidade distante. Para as pessoas da Região Nordeste, no entanto, que convivem com uma estação da chuva e outra estação da seca, é uma realidade presente. “O solo de rochas cristalinas impede a penetração da água e, consequentemente, a formação de reservatórios subterrâneos e superficiais, como rios e lagos. Toda a água proveniente das chuvas evapora-se, deixando uma paisagem infértil e produzindo um significativo ônus social”, diz ela, A psicóloga do Kurotel concluiu que a água não é um componente determinante na construção do gênero feminino das mulheres das duas regiões. O que existe é a presença de um discurso racional e consciente das mulheres do Sul a respeito da importância e da necessidade de preservar este recurso. Mas a necessidade de preservação também é evidenciada no relato das mulheres do Nordeste. A diferença sutil é que no Sul a conscientização sobre a finitude da água iniciou-se há alguns anos, enquanto que no Nordeste o uso econômico da água representa a própria sobrevivência. “A representação mental formada no binômio Mulher x Água está diretamente ligada à realidade de ambas. Se constitui a partir das experiências vividas na rotina de cada uma e atua moldando padrões de comportamentos diferentes e estabelecendo formas distintas no gerenciamento, na priorização e na economia deste recurso natural”, diz ela. “No Sertão não é preciso ensinar a criança a não desperdiçar água, ela aprende naturalmente, em suas vivências diárias”, conclui. K

Psicóloga Jacqueline Trindade

REVISTA KUR | 91


A ro u d t h e w o r l d

Doi Suthep, o templo mais venerado naTail창ndia

92 | REVISTA KUR


Encantos do Norte da Tailândia Visitar o Norte da Tailândia é fugir do tradicional circuito do litoral do país, tão decantado. Espiritualidade, beleza e tradições. Tudo bem pertinho .

Por Dione Vasconcellos*

REVISTA KUR | 93


A ro u d t h e w o r l d

Visitar o Norte da Tailândia era um sonho antigo. Foge um pouco do circuito turístico do litoral tailandês. Sempre pensei que este lugar seria bem interessante, mas ao fim de 10 dias podemos afirmar que trouxemos muito mais do que aquilo que poderíamos lá ter deixado. Nossa chegada a Chiang Mai estava tomada de expectativas. A cidade fica ao Norte da Tailândia e é muito próxima do Triângulo de Ouro (Laos, Myanmar e Tailândia). Ela se situa às margens do Rio Ping, o que lhe dá uma beleza peculiar. Não tínhamos certeza de estarmos preparados para uma Chiang Mai tão cheia de contrastes, amável, colorida, trânsito louco, limpa, bastante povoada, extremamente espiritualizada, dourada, diferente e muito, mas muito apimentada. O sabor de Chiang Mai se confunde com a pimenta rosa, curry, capim limão e tantas outras especiarias tão coloridas como o próprio país. Para nós, a proximidade de Chiang Mai com tribos da montanha foi um fator importante na decisão do nosso primeiro destino na Tailândia. Entre essas tribos, estão as “mulheres- girafas” ou Long Neck”, da Etnia Karen, que são oriundas do Myanmar. Segundo os próprios tailandeses, nada se compara à beleza e gentileza dos habitantes de Chiang Mai. A cidade recebe milhares de turistas que querem desfrutar dessa hospitalidade e também viver, nem que seja por alguns momentos, a espiritualidade tão presente em cada rua da cidade. É uma quebra de paradigmas. Chiang Mai é o Centro Cultural do Norte da Tailândia e é considerada o berço das tradições budistas do país. A zona antiga de Chiang Mai é rodeada por um fosso e muralhas fortificadas, com centenas de ruelas com templos belíssimos e mercados, onde se pode comprar de tudo um pouco. Seu passado é onipresente. Palácios e templos seculares convivem lado a lado com a parte moderna da cidade, que é igualmente muito bonita, com a mesma configuração de centros financeiros das grandes cidades em uma dimensão reduzida. A cidade é rodeada por campos que

94 | REVISTA KUR

oferecem vários passeios interessantes. Aldeias tribais, escola de elefantes, templos e belezas naturais como cascatas, colinas verdejantes e imensas plantações de arroz. Os habitantes desse entorno são conhecidos mundialmente pelo artesanato em porcelana, madeira, prata, laca, seda e algodão. Conhecer Doi Suthep, o templo mais venerado da Tailândia que se situa em uma colina nos limites de Chiang Mai, é um dos passeios que não se pode perder.


Terra das mulheres-girafas

No nosso roteiro não poderia faltar a visita a aldeia das Karen Baan Thaton ou “mulheres-girafa”. Boa parte dos karens migrou da região do Triângulo Dourado, em Mianmar (a antiga Birmânia), para o norte da Tailândia. A etnia é composta por várias tribos com dialetos e costumes próprios. Nossa expectativa e curiosidade eram enormes. A expressão “mulher-girafa” (long neck, em inglês) deriva de um curioso costume das mulheres dessa tribo: elas usam grandes anéis de latão ao redor do pescoço. Isso os faz parecer muito mais compridos do que o normal. Elas são lindas e vestem-se com roupas coloridas, mas os anéis no pescoço nos causam sensações contraditórias. O pescoço tem cicatrizes e algumas nos disseram que é penoso. Outras não. Sinal de beleza e status, esses anéis começam a ser colocados nas meninas por volta dos cinco ou seis anos de idade. A cada ano que passa, outros anéis são adicionados. Uma mulher adulta chega a usar 37 anéis em volta do pescoço. Existem muitas explicações para essa tradição e nenhuma conclusiva, mas o fato é que não podem ser retirados, porque com o uso durante anos, enfraquecem os músculos do pescoço e se retirados a mulher não mais conseguirá ficar em pé (o pescoço não sustenta o peso da cabeça), sendo obrigada a passar o resto da sua vida deitada ou acabar por morrer. A sociedade Karen é matrilinear – sendo a mãe quem define a linhagem da família. O casamento é de extrema importância nessa cultura e se a mulher morrer antes de casar será enterrada com vestimenta de casada. O uso dos anéis no pescoço em jovens está sendo banido, já que as mesmas estão se integrando em uma nova sociedade (tailandesa). Ainda visitamos mais duas tribos. As de etnia Hmong, originadas da Mongólia, e as Lahu Shi Bala, vindas do Tibet. Todas elas possuem características singulares e interessantes. Se for para escolher uma visita, a favorita é a tribo Karen. REVISTA KUR | 95


A ro u d t h e w o r l d No caminho dos templos Todos ricamente decorados e de uma beleza impressionante. O mais visitado, principalmente na época de feriados budistas, e importante é o Doi Suthep, que se situa nas colinas que ficam no limite da cidade. De acordo com a lenda, uma relíquia de Buda foi magicamente replicada antes de ser colocada no santuário do templo. A relíquia teria sido colocada nas costas de um elefante sagrado e a ele teria sido dada a escolha de ir para onde quisesse. Ele subiu o Monte Suthep, tropeçou três vezes e morreu. Foi o sinal para o templo ser construído neste local no século XIV. Muito ouro, muito brilho, muita gente. Além de turistas, muita gente orando. E para chegar lá são uns 300 degraus de escada. Ou paga-se 20 bahts para subir de funicular (plano inclinado). O valor do ingresso é de 30 bahts para estrangeiros. O templo também tem uma boa vista da cidade de Chiang Mai. Legal ver como a cidade fica numa gigantesca planície. As mulheres só podem entrar se tiverem os ombros cobertos. Mas para quem não chega trajada de acordo com as regras, eles cedem grandes lenços, que serão devolvidos após a visita. Escrevemos nossos nomes e de pessoas queridas em um grande tecido, especialmente feito para este fim, desejando saúde, paz e prosperidade. Um monge nos fez uma oração e nos jogou água benta. Ele também amarrou uma cordinha no nosso pulso com desejo de vida longa e feliz.

Templo Wat Rong Khun chama atenção também por sua cor

96 | REVISTA KUR

O templo possui uma ornamentação rica e a atmosfera de plenitude e paz tomou conta de todos nós. A seguir fomos para o templo de Wat Chedi Luang que possui o maior chedi (cone sobre construção) da cidade e abriga o Buda de Esmeralda. Também fomos ao Wat Suan Dok, templo construído no século XIV e que abriga as cinzas da família real. Em Chiang Rai, a três horas de estrada de Chiang Mai, a visita obrigatória é ao templo Wat Rong Khun que fica a apenas 5 km da cidade. Foi idealizado por um dos mais renomados artistas da Tailândia, especializado em arte Budista. Chalermchai Kositpipat gastou toda sua fortuna para concretizar essa belíssima obra. O templo foi inteiramente construído na cor branca, que significa a pureza de Buda, e ornamentado com milhares de pequenos pedaços de espelho que formam mosaicos refletindo a luz do sol e bondade para a humanidade. O artista não cobra entrada e nunca pediu qualquer tipo de ajuda governamental. O templo está inacabado e à medida que os recursos vão surgindo, dá continuidade à obra. Na área ao redor do templo, tudo também é branco — estátuas, pontes, flores e até as carpas do lago. Impressiona todo e qualquer visitante. O prédio do banheiro feminino é dourado e ele quis proporcionar às mulheres um local lindo onde o corpo teria prazer em se desnudar.


Tigres dóceis como gatinhos Nosso próximo destino foi a visita a um parque onde estão 33 tigres tailandeses ou tigres da Indochina. O parque é bastante grande, limpo e muito bem conservado. Os tigres estão em jaulas divididos por tamanhos. Iniciamos com os bebês, que são fofos e brincalhões. A seguir os médios e por fim os grandes. Em todos, entramos nas jaulas, acompanhados dos treinadores que supervisionam a visita. Os tigres são bem cuidados. Procriam-se em cativeiro e devem estar acostumados aos turistas. Rolamos no chão com eles, demos beijos e afagos. Para dizer a verdade, dá certo medo, porque a pata do animal é algo que impressiona. A boca, então, nem se fala. Perguntamos qual a alimentação deles e a resposta foi que eles comem frango. Sim, porque carne deve ser a última coisa que eles devem comer, pensamos nós. De resto, ficamos com a dúvida se são ou não medicados para ficarem calmos. Enfim, são animais lindos. K

* Dione Vasconcellos tem 53 anos, é gaúcha de São Sebastião do Caí. Morou por mais de 20 anos na Europa. Vive hoje no Rio e é empresária no ramo da cosmética. A viagem ocorreu no começo desse ano e o roteiro incluiu ainda a Índia e o Nepal, com a filha Mariana de Vasconcellos Novais, 19 anos, e os sobrinhos Luiza Vasconcellos, 18 anos, Pedro Taguchi, 17 anos, e Daniel Sakê, 26 anos.

Dione e os quatro adolescentes têm contato próximo com o felino

É bom saber Como chegar A partir de Bangkok, voos diários pela Thai Airlines. Quando ir A melhor época para conhecer a Tailândia é de novembro a fevereiro, quando o clima é agradável (em torno de 25ºC) e não chove em demasia. Hospedagem Hospedamo-nos no Shewe Wana Boutique Resort. Situado em um belo jardim paisagístico, oferece um refúgio tropical no centro de Chiang Mai. Está a 10 minutos a pé do Bazar Noturno e muito próximo dos belos templos budistas. Como se locomover em Chiang Mai Turistas alugam motos ou bicicletas. Nós contratamos um simpático motorista na saída do aeroporto, com um tuk tuk adaptado, vermelho reluzente e pagamos R$ 100,00 a diária. Ficou conosco os cinco dias que ficamos em Chiang Mai.

Gastronomia Os pratos são perfumados e coloridos. Muito curry de todas as cores, capim limão, pimenta rosa, kao phad kung que é um arroz frito com ovos mexidos, camarão e especiarias. O Phad Thai (macarrão de arroz típico da Tailândia com ovos, suco de tamarindo, molho de peixe, pimenta rosa, broto de feijão, camarão/ frango/ tofu, amendoim e lima) é um dos pratos mais comuns e deliciosos. Moeda local Thai Baht Conversão 1 real = 15.28 Thai Baht Fuso Horário 10 horas a mais que o Brasil Sugestão Muita pechincha nos mercados da Tailândia. Sobre o preço inicial, negocie os valores em 60% a menos. Se não aceitarem, vire as costas e saia caminhando. Os comerciantes vão lhe chamar. REVISTA KUR | 97


V i s ã o d o f u t u ro

Está ficando quente V

endo a medicina como um intrigante quebra-cabeça, encontramos mais uma peça chave para a compreensão do mecanismo equilíbrio-desequilíbrio de saúde. Está ficando quente. Está ficando mais próximo. Respeitando o entendimento fisiológico, demos mais um passo em direção à possibilidade de tratamento e promoção de saúde. Apesar de termos aumentado a capacidade de fazer previsões e prognósticos para o futuro, o que aconteceu especialmente devido ao aumento do lobo frontal ocorrido no processo evolutivo nos últimos dois milhões de anos, ainda assim, nosso sistema de reconhecimento, às vezes, custa a admitir aquilo que está no campo da probabilidade. De uma forma geral, o ser humano tem mais facilidade em perceber aquilo o que já ocorreu, o que é visível, palpável e concreto. É por isso que falar em prevenção ainda é um desafio. Quando conseguimos trabalhar de maneira concreta e mensurável para mostrar alterações muito precoces no nosso organismo, aquelas que ainda não foram percebidas ou sentidas, avançamos na história da medicina. Isso ocorreu muitas vezes como na análise bioquímica, no reconhecimento de micro-organismos patológicos, em exames de imagem. Imaginemos ou não, quem nos ensina agora é o calor. A temperatura do nosso organismo já mencionada em 420 a.C. por Hipócrates como um instrumento diagnóstico importante, parece ter sido pouco lembrada ao longo da história da Medicina. Agora, a temperatura volta a ser valorizada, muito além daquela medida pelo termômetro na axila. Mais do que a temperatura corporal global, cada órgão e sistema expressa sua saúde através do frio e do calor. O corpo traz a informação de algo que já pode ter produzido sintomatologia ou ainda não. Respeitar estes sinais é prevenir doenças. A avançada tecnologia ressuscitou um conhecimento antigo e promete ainda fazer mais. Em seguida, deverá ser parte da inteligência diagnóstica de quase todas as especialidades médicas e também odontológicas. Sem radiação ionizante ou invasão, esta tecnologia estará presente desde consultórios obstétricos, berçários até lares de idosos. Quiçá servirá de triagem epidemiológica em campanhas de vacinação. Provavelmente, poderá evitar o aparecimento de dor crônica e intensa, uma das piores situações que uma pessoa pode viver. Talvez no futuro, com maior informação e segurança, possa ser ainda mais difundida, como objeto de interação entre comunidade leiga e comunidade médica. Quem sabe, daqui a muitos anos, a própria professora, ao invés de ter um termômetro, possa ter uma câmera de infravermelho para verificar seus alunos na escola e encaminhar para mãe e médico caso algum deles tenha alteração. Talvez possa ser rotina para identificar uma pessoa infectada em aeroportos e se evitar epidemia intercontinental. Enfim, a mera temperatura seguramente passará a ser cada vez mais compreendida e valorizada. Novamente, é algo simples mas envolvido em um desfecho extremamente complexo e impactante. K

Mariela de Oliveira Silveira Médica Diretora do Kurotel

98 | REVISTA KUR


Kur n24 maio2013  
Advertisement