Issuu on Google+

Os efeitos das alterações climáticas sobre a biodiversidade.


Alunas: Ana Letícia Franco Bezerra Fernanda Rolim de Moura Born Kauhany Bruna Oliveira de Souza Tais Bischof Pian Série: 1ºano Turma: C

números:4 16 32 42

Período: Manhã Sede: Ahú

Peixe - boi e relativos Trabalho apresentado às Ciências da Natureza, sob. Orientação do Professor Anderson.

Curitiba 2010


Diversos ecossistemas já estão sendo atingidos pelo aquecimento global, dentre eles o aquático. Inúmeros fatores estão alterando o habitat das criaturas aquáticas. Com o calor, mares e rios passam a ficar mais quentes, sendo assim, algumas espécies de peixes e outros animais estão sendo prejudicadas, dentre elas o:


Nome comum: Peixe-boi ou Manati, também chamados de guaraguá e, no caso da espécie marinha,vaca-marinha. Família: Triquequídeos Classe: Mammalia Filo: Chordata Subfilo: Vertebrata Ordem: Sirênios. Espécie marinha: Trichechus manatus. Espécie fluvial africana: Trichechus senegalensis Espécie fluvial sulAmericana: Trichechus inunguis Massa: 700 kg Comprimento: Até 4,5 m


Modificado de Geraci e Lounsbury, 1993.


O peixe-boi tem por hábito estar sozinho. Dificilmente é visto em grupo fora da época de acasalamento. Possui baixa taxa reprodutiva, nascendo um filhote a cada 3 anos, sendo um 1 ano de gestação e 2 de amamentação. Vive cerca de 50 anos. Habita a Costa Atlântica Americana, desde a Georgia até Alagoas. As duas espécies fluviais vivem, uma, no oeste da África, e a outra, nas bacias dos rios Amazonas e Orinoco. Os peixe-bois aproveitam cerca de 50% do oxigênio em seus pulmões, enquanto o homem, de 10 à 20%.


Alimentam-se de algas, aguapés, mangue, capins aquáticos entre outras plantas. Esta alimentação contém sílica, elemento que desgasta os dentes com rapidez, mas também a isso os manatis estão adaptados.


O termo sílica refere-se aos compostos de dióxido de silício, SiO2, nas suas várias formas incluindo sílicas cristalinas; sílicas vítreas e sílicas amorfas. O dióxido de silício, SiO2, é o composto binário de oxigênio e silício mais comum, sendo inclusive composto dos dois elementos mais abundantes na crosta da Terra. A sílica e seus compostos constituem cerca de 60% em peso de toda a crosta terrestre.


Os manguezais são os amortecedores vitais entre a terra e o mar. Suas árvores e arbustos são adaptados especialmente ao lamaçal, solo com pouco oxigênio e à água salgada da zona de marés com raízes resistentes ao sal. Sua vegetação densa protege a vida marinha, do vento e das ondas. Suas áreas alagadas rasas, ricas em nutrientes, são

berçários essenciais para os peixes e os moluscos. O Peixe-boi depende muito dos mangues, também em função de serem os principais provedores de seus alimentos.


No entanto, 20% dos mangues do mundo desapareceram desde 1980, em parte porque foram usados como lixão. São vulneráveis a derramamentos de óleos, desenvolvimento litoral e ao cultivo de camarão que é responsável por 38% da perda do mangue, o que implica, em parte, no desaparecimento gradual do peixe-boi, já que dificulta o processo de reprodução. Um dos grandes problemas ocorridos nos manguezais é a salinização da água. Graças às mudanças climáticas. Cientistas prevêem que por conta do aquecimento global o nível do mar suba, causando –além da salinização da águainundações, e conseqüentemente, a extinção de várias espécies que ali residem.


A preservação dos mangues não é importante apenas para os peixes-bois, já que os manguezais também são uma dos melhores formas da natureza para combater o aquecimento global devido a sua enorme capacidade de seqüestrar carbono. Essa é a característica dos manguezais que requer nossa mais imediata e unificada atenção. Uma das maiores contribuições que oferecem os manguezais é sua enorme propensão a seqüestrar carbono da atmosfera e armazená-lo em seu substrato.


Os peixes-boi preferem ambientes onde a temperatura é superior a 68°F (20ºC), pois temperaturas inferiores podem causar stress no animal e levar a morte. Estudos recentes mostraram que estes animais preferem ambientes onde a salinidade é de 25ppt (partes por mil).

Ilya, peixe – boi encontrado nadando ao redor da costa leste dos EUA(2009). Ameaçada em função da temperatura da água que se encontrava entre 60 e 64ºF, podendo ocasionar hipotermia.


Se analisarmos o peixe-boi, poderemos perceber que esse animal não sofrerá com as mudanças climáticas, já que: •

Em primeiro lugar, a temperatura de rios e mares (na verdade, de todo o planeta) está aumentando, no entanto de forma geral, esse sirênio necessita de temperaturas maiores, e a temperatura média da terra é de 15ºC, o que não o prejudicaria tão já, quanto à outras espécies.


Além do que, cientistas dizem que principal fator prejudicial para os mangues (a base do peixe-boi) é o aumento da quantidade de silício, mas o peixe-boi tem sua alimentação baseada nesse componente, o que nos leva a crer que haverá mais alimento para ele durante o aquecimento global, outro fato que descarta sua extinção devido às alterações climáticas.


Esse animal de ordem sirênia, não será afetado pelas mudanças climáticas (aquecimento global, temperatura, aumento da quantidade de silício, etc...) visto que nenhum desses fatores oferece riscos à ele que necessitem de imediata atenção de nós, seres humanos. No entanto, se não por esses fatores, pode ser extinto devido à caça clandestina, que apesar de ter diminuído, não acabou, o que requer mais atenção de nossos governantes, em especial do Ministério do Meio Ambiente.

Apreensão de restos de peixes-bois deixados por caçadores. Disponível em http://revistagalileu.globo.com.


http://www.brazilianvoice.com 17/10/2009 10:51:00 Edição: 1118 por Leonardo Ferreira. http://www.wrm.org.uy/boletim/132/Manguezais.html http://br.answers.yahoo.com/question/index?qid=20080709134601AArJ1J3 http://www.google.com.br/imgres? imgurl=http://4.bp.blogspot.com/_pyHvy15EcO0/SguMV_4DAoI/AAAAAAAAADE/N3 CGkZlCZSU/s400/positivo.png&imgrefurl=http://marciomk.blogspot.com/2009/05/qua ndo-estiver-triste-pense-positivo.html http://www.google.com.br/imgres? imgurl=http://www.marcospiffer.com.br/blognews/wpcontent/uploads/2009/03/mangue_map4327 http://biosonialopes.editorasaraiva.com.br/navitacontent_/userFiles/File/SoniaLopes_ Powerpoints/SoniaLopes_Textos_Atualiza_o/extincao.pdf http://www.zirtec.com.br/areia/silica.htm http://gaea-habitat.blogspot.com/2010/06/primeiro-quadrimestre-de-2010-foi-o.html http://www.google.com.br/imgres? imgurl=http://genesis.brasilportais.com.br/webroot/img/arquivos/Aquecimento_Global _Grafico.jpg&imgrefurl


Christiane Schmidtke, 31 anos. Formada em Biologia. •O aquecimento global interfere como sabemos diretamente os animais aquáticos. O que especificamente os prejudica é a extinção de seu alimento ou há outros fatores envolvidos? “A maioria desses animais com risco de desaparecer, tem seu habitat interferido pela ação do homem, principalmente com o crescimento das construções imobiliárias em regiões litorâneas, devido as drenagens e aterramentos. Outros fatores que podem acelerar este processos são as poluições das águas como derramamento de óleos, poluição do ar e solo, a pesca descontrolada, caça deliberada, o comércio de peixes ornamentais, etc. Isso acaba interferindo diretamente na fonte de suas alimentação.”


A Alteração no PH da água, bem como em sua temperatura pode ocasionar deficiência na espécie? “Tanto o PH da água como sua temperatura tem influencia direta na vida aquática.” Já ocorreram casos onde a extinção de outros animais não provocou grande abalo no meio ambiente. Caso o peixe-boi for extinto, o que esperamos que não aconteça, há chances de ocorrer esse abalo? “Pode ocorrer um abalo, uma vez que o peixe boi ajuda no controle da cadeia alimentar, sendo ele o único mamífero herbívoro aquático, suas fezes são como um adubo para algas, que são alimentos dos zooplanctons que servem de alimentos para outros peixes. Outro ponto é que o peixe boi, controla o crescimento das plantas aquáticas.”


Caso haja a mudança na água afete o alimento desse animal, você acha que há possibilidade de ser criado algum tipo de ração para ele, mesmo que seja para o cultiva-lo em cativeiro? “Sim, na verdade já existem locais de proteção a este animal, onde ele é alimentado de uma ração a base de verduras. Outra forma são as ervas aquáticas.”


Projeto Interdisciplinar (concluído)