Page 1

KARINA MELEGARE PORTFÓLIO

1

arquitetura


Karina Melegare Teixeira Salvador 04.10.1995

karinamelegare@yahoo.com.br +5521 98476-4222 Rua Marquês de Piendo, 81; apto. 102 Larnajeiras - Rio de Janeiro- RJ Brasil

Educação 2014 - Atualmente 2006 - 2013

Pontifícia Universidade Católica Colégio Liceu Franco-Brasileiro

Idiomas Português

língua nativa

Inglês

leitura e escrita avançados

Francês

leitura e escrita avançados

Espanhol

leitura e escrita intermediários

Habilidades e Cursos Extracurriculares AutoCad

avançado

Adobe Photoshop

curso avançado - Instituto Bramante

Adobe Illustrator

avançado

Adobe InDesdign

avançado

Rhinoceros5

curso avançado - DEF Projetos

SketchUp

curso avançado - Instituto Bramante

Pacote Office

pacote completo - avançado

Vray

rendering avançado

Monitoria

projeto de revitalização 2


ESCOLA DE DANÇA

04

LIVRARIA CATETE

06

PROJETO URBANÍSTICO EM VARGENS

08

GLÓRIA 88

10

SANTO CRISTO

12

PARQUE TEVA

14

PROJETO DE ESPAÇO COLETIVO (2015)

PROJETO DE REVITALIZAÇÃO (2016)

PROJETO URBANO (2016)

PROJETO RESIDENCIAL MULTIFAMILIAR (2017)

PROJETO RESIDENCIAL MULTIFAMILIAR (2017)

PROJETO DE ARQUITETURA E PAISAGISMO(2017)

3


ESCOLA DE DANÇA

PROJETO DE ESPAÇO COLETIVO (2015) A Escola de Dança se localiza no centro do Rio de Janeiro. Além do terreno estar inserido em uma área ligada a atividades comerciais, esta é também uma região muito relacionada a história da cidade, como a Santa Casa da Misericórdia e o Ministério da Fazenda. O edifício está implantado próximo as duas testadas do terreno, com uma fachada voltada para a Avenida Presidente Antônio Carlos e a outra para a Rua Praça do Expedicionário. Assim, cria-se uma praça atrás da escola, onde também se encontra um anfiteatro semi enterrado.

Planta térreo

Planta 1º pavimento

Planta 2º pavimento 4


A escola conta com o conceito de “vitrine” nas suas fachadas voltadas para a rua estabelecendo uma conexão visual entre os usuários e o passante através do fechamento feito em pano de vidro e apresença de um corredor “varanda” em toda a periferia da construção. As salas de alta têm mecanismos de fechamento que permitem unir duas salas ou, até mesmo, abrir para esse corredor, afirmando ainda mais o conceito “vitrine”.

5

Curso de Arquitetura e Urbanismo PUC Rio


LIVRARIA CATETE

PROJETO DE REVITALIZAÇÃO (2016) O sobrado escolhido é o de número 129, na Rua Catete. A volumetria está intacta, porém outros aspectos da construção estão comprometidos, como a laje do primeiro pavimento e o telhado, que faltam inúmeras telhas. Ao visitarmos o local, percebemos uma “sobra” de terrenos adjacentes ao sobrado, que foi anexada ao projeto. Por ser um bairro bem equipado no geral, buscamos algo incomum para a região do Catete, uma livraria. A livraria se dá de maneira tradicional ao longo do imóvel histórico e, ao atravessar para os fundos do terreno, este conceito se desdobra em uma diversidade de atrativos também relacionados ao programa primeiramente sugerido. No térreo, contamos com um grande espaço de leitura e convívio, juntamente com um pátio interno, um espaço de troca de livros e um bistrô. Desse modo, esse conjunto de atividades podem potencializar o uso do terreno de modo que todos os ambientes se misturem de maneira que não haja limites concretos para cada uso. No primeiro pavimento, tem-se um espaço mídias digitais e auditivas, com módulos individuais ou para pequenos grupos, de maneira que o usuário possa usufruir livremente. No segundo e último pavimento, criou-se um espaço para exposições que pode ser usados por artistas ou até, pelos próprios moradores do bairro.

BISTRÔ ÁREA LIVRE LIVRARIA+ ESPAÇO DE TROCA

EXPOSIÇÕES

MÍDIAS DIGITAIS E AUDITIVAS

6


Espaço de leitura com vista para o pátio interno do porjeto. Ao fundo é possível notar o Bistrô. O pátio interno amplo possibilita o acontecimento de eventos como shows, feiras e etc.

Nesta imagem é possível observar o espaço criado de exposições e a conexão visual muito forte de toda a periferia do projeto com o seu pátio interno.

A entrada da Livraria Catete é marcada pelas suas estantes que acontecem durante todo o percurso no sobrado. Além disse, nota-se a relação entre o existente e o novo, ressaltando as paredes de tijolos portantes com a estrutura metálica de tirantes do mezanino.

7


PROJETO URBANÍTICO EM VARGENS PROJETO URBANO (2016)

8


刀䔀䌀伀刀吀䔀 ㄀

INTERVENÇÃO DE PROJETO NA ÁREA DO RECREIO

㄀⼀㄀   

䔀焀甀椀瀀愀洀攀渀琀漀猀 倀切戀氀椀挀漀猀 渀漀瘀漀猀

匀攀爀瘀椀漀猀 攀 䌀漀洀爀挀椀漀

倀爀搀椀漀猀 搀攀 ㄀ 愀 ㈀ 瀀愀瘀椀洀攀渀琀漀猀

倀爀搀椀漀猀 搀攀 ㌀ 愀 㐀 瀀愀瘀椀洀攀渀琀漀猀

㄀ⴀ 䌀氀渀椀挀愀 倀漀瀀甀氀愀爀     ㈀ⴀ 䔀猀挀漀氀愀 倀切戀氀椀挀愀

伀猀攀爀瘀愀渀搀漀 愀 爀攀最椀漀Ⰰ  瀀攀爀挀攀瀀琀瘀攀氀 漀 最愀戀愀爀椀琀漀 搀攀 ㄀ 愀 ㈀ 瀀愀瘀椀洀攀渀琀漀猀 栀漀洀漀最渀攀漀  攀洀 琀漀搀愀 愀 爀攀最椀漀⸀ 倀漀甀挀愀猀 瘀愀爀椀愀攀猀 搀攀 ㌀ 愀 㐀 瀀愀瘀椀洀攀渀琀漀猀⸀ 䄀氀洀  搀椀猀猀漀Ⰰ  漀猀  攀猀瀀愀漀猀  瘀愀稀椀漀猀  昀漀爀愀洀  愀瀀爀漀瘀攀椀琀愀搀漀猀  瀀愀爀愀  挀爀椀愀爀  渀切挀氀攀漀猀  搀攀  戀愀椀爀爀漀Ⰰ 挀漀洀 挀漀洀爀挀椀漀猀 搀漀 ᰠ搀椀愀ⴀ愀ⴀ搀椀愀ᴠ ⠀昀愀爀洀挀椀愀猀Ⰰ 瀀愀搀愀爀椀愀猀Ⰰ 攀琀挀⸀⤀⸀ 䔀 愀椀渀搀愀 昀漀椀  挀漀渀猀琀爀甀搀愀 甀洀愀 攀猀挀漀氀愀 瀀切戀氀椀挀愀 攀 甀洀愀 挀氀渀椀挀愀 瀀漀瀀甀氀愀爀 瀀愀爀愀 猀甀瀀爀椀爀 愀猀 渀攀挀攀猀猀椀ⴀ 搀愀搀攀猀 搀愀 爀攀愀⸀

倀爀搀椀漀猀 搀攀 ㄀  愀 洀愀椀猀 瀀愀瘀椀洀攀渀琀漀猀

䴀甀搀愀渀愀猀 渀愀猀 瘀椀愀猀 䄀瘀⸀ 䜀甀椀漀洀愀爀 一漀瘀愀攀猀 攀 䄀瘀⸀ 䜀椀氀欀愀 䴀愀挀栀愀搀漀㨀 琀攀爀 搀甀愀猀 瘀椀愀猀  搀攀 洀漀 搀甀瀀氀愀 昀愀稀 挀漀洀 焀甀攀 琀攀渀栀愀 愀椀渀搀愀 洀愀椀猀 琀爀渀猀椀琀漀⸀ 䠀愀瘀攀渀搀漀 搀甀愀猀 爀甀愀猀  挀漀洀 甀洀愀 切渀椀挀愀 洀漀 攀 猀攀渀搀漀 攀氀愀猀 挀漀洀 猀攀渀琀椀搀漀猀 搀椀昀攀爀攀渀琀攀猀Ⰰ 漀 琀爀渀猀椀琀漀 琀攀渀搀攀  愀 昀氀甀椀爀 洀攀氀栀漀爀 攀 猀攀洀 瀀爀漀瘀漀挀愀爀 攀渀最愀爀爀愀昀愀洀攀渀琀漀猀⸀ 䄀  刀甀愀  匀攀渀⸀  刀甀椀  䌀愀爀渀攀椀爀漀  昀漀椀  昀攀挀栀愀搀愀  瀀愀爀愀  瀀攀搀攀猀琀爀攀猀  愀琀  愀  愀氀琀甀爀愀  搀愀  䄀瘀⸀  䜀攀渀愀爀愀 搀攀 䌀愀爀瘀愀氀栀漀Ⰰ 琀椀爀愀渀搀漀  昀氀甀砀漀 搀攀 挀愀爀爀漀猀 搀攀 甀洀愀 爀甀愀 挀漀洀瀀氀攀琀愀洀攀渀琀攀  爀攀猀椀搀攀渀挀椀愀氀⸀  䐀愀  䄀瘀⸀  䜀攀渀愀爀漀  搀攀  䌀愀爀瘀愀氀栀漀  愀琀攀  漀  吀攀爀爀攀爀漀Ⰰ  漀  猀攀渀琀椀搀漀  搀愀  爀甀愀  猀攀最甀攀 攀洀 猀攀渀琀椀搀漀  挀漀洀甀渀椀搀愀搀攀⸀

䔀猀挀漀氀愀 倀切戀氀椀挀愀

吀攀爀爀攀渀漀猀 嘀愀稀椀漀猀

䄀嘀䔀一䤀䐀䄀 䐀䄀匀 䄀䴀준刀䤀䌀䄀匀

㄀ 愀 ㈀ 倀愀瘀椀洀攀渀琀漀猀 ㌀ 愀 㐀 倀愀瘀椀洀攀渀琀漀猀

䌀氀渀椀挀愀 倀愀爀琀椀挀甀氀愀爀 一切挀氀攀漀 搀攀 䈀愀椀爀爀漀

䤀䰀䬀䄀 䴀 䤀䐀䄀 䜀 䄀嘀䔀一

䄀嘀䔀一䤀䐀䄀 䜀䔀一䄀刀伀 䐀䔀 䌀䄀嘀䄀䰀䠀伀

䐀伀

䄀䌀䠀䄀

䄀嘀䔀一䤀䐀䄀 䜀唀䤀伀䴀䄀刀 一伀嘀䄀䔀匀

䐀攀 ㄀  洀愀椀猀   倀愀瘀椀洀攀渀琀漀猀

匀攀渀琀椀搀漀猀 洀愀渀琀椀搀漀猀 匀攀渀琀椀搀漀猀 渀漀瘀漀猀 刀甀愀 昀攀挀栀愀搀愀 瀀攀搀攀猀琀爀攀猀

䬀愀爀椀渀愀 䴀攀氀攀最愀爀攀 倀爀漀樀攀琀漀 唀爀戀愀渀漀 䴀搀甀氀漀 㔀

9


GLÓRIA 88

PROJETO RESIDENCIAL MULTIFAMILIAR (2017)

10


O partido nasceu a partir da visita do terreno, na rua Benjamin Constant, no bairro da Glória. O rio de janeiro é uma cidade com clima tropical quente, e úmido. Quando se aproveita de artifícios naturais, como o vento e iluminação natural, o conforto do ambiente residencial é muito melhor. O processo foi iniciado pensando em aproveitar o máximo da ventilação natural devido à localização perto do mar e a iluminação natural, já que o terreno está encurralado entre dois edifícios de 35m de altura. A partir de artifícios como uma pele metálica e aberturas que permitem a ventilação cruzada, o objetivo é alcançado. Além disso, após uma série de pesquisas e visitas ao bairro, a presença de pátios comuns nos edifícios mais tradicionais era extremamente forte e com eles, o abandono desse espaços de convivência e interação dos moradores era grande. Por isso, readaptar esse espaço, dando a ele mais possibilidades de usos e de integração entre moradores surgiu como uma vontade.

0

5m

10m

50m

11

0

5m

10m

50m


SANTO CRISTO

PROJETO RESIDENCIAL MULTIFAMILIAR (2017)

Situado no bairro do Santo Cristo, centro da cidade do Rio de Janeiro, o projeto residencial multifamiliar está localizado em uma área que vem passando por constantes mudanças já que a zona portuária da cidade tem voltado os olhos dos empreendedores para si. Devido a sua localização perto do centro financeiro e áreas residencias, o projeto tráz o “trabalhar”, o “vender e comprar” e o “morar” em um lugar só. No embasamento concentra-se a área comercial, com lojas, serviços e um mercado local no térreo, no primeiro pavimento acontece apartamentos de 60 metros quadrados. Contendo 3 níveis, foi possível criar entradas dinâmicas ao terreno, além de criar um percurso com movimento, que possibilita o usuário a chegar a 3m do térreo, onte se econtra a entrada do segundo bloco de apartamentos, mais a frente alcaça-se o nível de 6m e depois, 9m, onde localiza-se um restaurante e a entrada para o primeiro bloco. Dentre 240 apartamentos, existem 4 tipologias de apartamentos: apartamentos pequenos (32m²), apartamentos médios (60m²) e apartamentos grandes de (80m²) que podem transformar uma parte dele em escritório, juntando o morar e o trabalhar. ALGUMAS TIPOLOGIAS DE APARTAMENTOS 32 m² com varanda

60 m² com varanda

12

80 m² com área rversível para escritório


13


PARQUE TEVA

PROJETO DE ARQUITETURA E PAISAGISMO (2017)

ÁGUA

O Parque Teva é um Parque Urbano cujo programa é voltado para o esporte que, além de contribuir com a amenização da urbanização e ser um equipamento urbano para moradores e visitantes, também promove serviços ecossistêmicos para as proximidades. Como focos dos conceitos utilizados para desenvolvimento de tal, a topografia, o esporte, a vegetação e a água compõem o nome do projeto, que significa “natureza” em hebraico.

VEGETAÇÃO

ESPORTES

TOPOGRAFIA

O bowl de skate e as quadras poliesportivas se localizam nas bordas mais movimentadas para representar bem o conceito do projeto aos passantes. Além disso, estão na cota mais baixa do terreno, já que são peças importantes no sistema de drenagem. Os caminhos pavimentados circulam por todo o projeto, assim como a ciclovia, aproveitando a topografia para diferentes níveis de dificuldade. O centro Cutural Esportivo e o restaurante são um ponto de atrativo para a cota mais alta do projeto, criando uma agradável área de lazer ao redor. A água perene presente em todo o projeto busca evidenciar o sistema de drenagem que, na maioria das vezes, é escondido por toda a cidade. Elas estão em constante movimento indicando velocidades e ritmos propostos nas ambiências e o caminho natural da água.

VISTA Do RESTAURANTE PARA O PARQUE

PISTA DE SKATE COM OBSTÁCULOS DE ÁGUA + APOPIO 14


A partir do desenho da árvore foi pensado um módulo idealizado para o projeto, criando 2 tipos de equipamentos (coberto e solto) que servem de apoio para as atividades do parque, além de estar presente no desenho das arquiteturas.

A C

S C

S

A

A

S

S

A

ARQUITETURA

C

EQUIPAMENTO COBERTO

S

15

EQUIPAMENTO SOLTO


16

PORTFÓLIO KARINA MELEGARE  
PORTFÓLIO KARINA MELEGARE  
Advertisement