Issuu on Google+

Edição 33 - Ano 3


- Você faz uma avaliação e recebe um CERTIFICADO para cada curso estudado e um CERTIFICADO DE ESPECIALISTA para todos os cursos - Cada curso é composto de um completo LIVRO INTERATIVO com FILMES que MOSTRAM A PRÁTICA - CERTIFICAÇÃO pela UOV - Universidade On-line de Viçosa, afiliada mantenedora da ABED - Associação Brasileira de Educação a Distância. - Tecnologia da HOTEC - Faculdade de Tecnologia em Hotelaria, Gastronomia e Turismo de São Paulo - Os professores e pesquisadores são da HOTEC - Para você estudar Sem sair de casa

CURSO PROFISSIONAL DE

ág. 36 p in. m o: 2 Livr es: 60 Film

. pág 260 min. 0 ro: Liv es: 12 Film

PANIFICAÇÃO

Prog. do Curso: O mofo e seu controle; estocagem dos produtos; prazo de validade dos produtos elaborados; padronização da produção; elaboração de vinte e um produtos. Professor: Profª. Marina Queiroz da HOTEC - Faculdade de Tecnologia em Hotelaria, Turismo e Gastronomia de São Paulo. Formada em Gastronomia, especialista em Panificação e Confeitaria. Livro: 252 pág. Filmes: 84 min. Cód.: 5575.

Livro: 178 pág. Filmes: 64 min. Cód.: 5539.

Livro: 206 pág. Filmes: 77 min. Cód.: 5581.

ág. 22 p in. m o: 2 Livr es: 81 Film

Livro: 172 pág. Filmes: 72 min. Cód.: 5591.

Prog. do Curso: aspectos importantes (fermentação, temperatura e umidade relativa, conversão de medidas, método da percentagem e cálculo do rendimento); e elaboração de vinte produtos. Professor: Profª. Marina Queiroz da HOTEC - Faculdade de Tecnologia em Hotelaria, Turismo e Gastronomia de São Paulo. Formada em Gastronomia, Especialista em Panificação e Confeitaria. Livro: 154 pág. Filmes: 79 min. Cód.: 5578.

Prog. do Curso: equipamentos indispensáveis à panificação; ingredientes e suas características; etapas da panificação; elaboração de dez produtos básicos; e defeitos: causas e soluções. Professor: Profª. Marina Queiroz da HOTEC - Faculdade de Tecnologia em Hotelaria, Turismo e Gastronomia de São Paulo. Formada em Gastronomia, Especialista em Panificação e Confeitaria. Livro: 194 pág. Filmes: 77 min. Cód.: 5572.

ág. 84 p in. m o: 2 Livr es: 84 Film

CURSO PROFISSIONAL AVANÇADO DE

PANIFICAÇÃO

PANIFICAÇÃO

Livro: 196 pág. Filmes: 77 min. Cód.: 5595.

CURSO BÁSICO DE

ág. . 4p : 22 7 min o r 1 v Li es: 1 m l i F

ág. . 2p : 23 11 min o r v Li es: 1 m l i F

VISITE NOSSO SITE OU LIGUE E FAÇA SEU PEDIDO

2

Solicite GRATUITAMENTE a revista “Tecnologia e Treinamento” com o catálogo completo de Cursos CPT e matérias assinadas pelos professores. E-mail: vendas@cpt.com.br - Caixa Postal 01 - CEP: 36570.000 - VIÇOSA /

MG

ág. . 8p : 23 24 min o r v Li es: 1 Film


Editorial Temos buscado em todas as nossas edições tratar das questões que envolvem a cadeia trigo – pão. Tem sido uma jornada preciosa. Quanta riqueza de detalhes nos cerca, quantos fatos e histórias marcaram as nossas vidas de alguma forma. Hoje pensar na panificação brasileira, é olhar o seu potencial de participação na mesa do brasileiro. E para que isso aconteça hoje e no futuro, o pão deve encarar a questão da saudabilidade. Apresentamos um caderno especial com a cobertura dos GRANDES EVENTOS DO BRASIL E EXTERIOR, com três importantes feiras, congressos e premiações: • • • • • • • • •

Congresso Abitrigo – Rio de Janeiro Rota 25 – Abima – Rio de Janeiro Feira Internacional Anuga – Alemanha Salón Du Chocolate – Paris Congrepan – Foz do Iguaçu Paranapão – Foz do Iguaçu Maiores & Melhores da Panificação Brasileira – São Paulo 100 Melhores Padarias do Brasil – São Paulo Fispal Food Service e 100 Melhores Padarias do Nordeste - Recife

Todos os eventos são ricos de informações, tendências e inovações que trazemos para os nossos leitores. Como destaque da edição vamos trabalhar a questão da SAUDABILIDADE, que foi amplamente desenvolvido no evento da Abitrigo. Esse tema é expandido para o PÃO E A SAUDABILIDADE. Falamos ainda sobre a “padaria” Centro de Negócios, é onde está o grande astro “o pão”. Não poderíamos deixar de fora as oportunidades trazidas pelos Panetones, o Pão do Toni, sua tradição e valorização dentro da panificação brasileira, o qual é destacado. Outro ponto alto, foi o lançamento do oitavo livro deste editor, intitulado: O PÃO FRANCÊS E SUAS VARIEDADES. O livro apresenta parâmetros técnicos de farinha de trigo para produzir pão francês, definição do que seja o bom pão francês, tradicional ou original e o que tem sido feito com as massas oriundas na preparação de várias receitas. Nessa oportunidade as questões ligadas a NR 12 - Capacitação dos Operadores de Máquinas e Equipamentos de padarias e confeitarias, as quais influenciam na obtenção de um BOM PÃO FRANCÊS. Esse tema vem sendo tratado pelo Centro de Excelência da Panificação Brasileira – CEPAB, com a realização de mais cursos conduzidos pelo especialista eng° Luiz Rodelli. Muitas novidades são apresentadas na seção: Painel – Novidades. Desejamos um 2012 de sucesso pessoal e profissional para todos os nossos amigos e leitores.

Edição 33 - ano 3 Diretor Augusto Cezar de Almeida Neto Conselho:

Armando Junior Darcy Mendes Divanildo Junior Geraldo Dellano Luiz Farias Pery Carvalho Roger Mizushima Wilson Pimentel João Gomieiro Mario Costa Jumar Pedreira

Correspondentes:

Nordeste: Prof. Xavier Sul: Cicéro Vitório Sudeste - RJ: Samuel Barros Sudeste - Minas: Carlos Padeiro

Coord. Publicidade

Cleber Eduardo Affonso publicidade@panificacaobrasileira.com.br

Executivos de Vendas

Karen Ponce marketing@panificacaobrasileira.com.br Karla Galante karla@panificacaobrasileira.com.br Lidia Álvares lidiaalvares@panificacaobrasileira.com.br

Atendimento ao Leitor datafoods@panificacaobrasileira.com.br

Direção de Arte Karen Ponce karenfj@gmail.com

Revisão:

Vivian Navarro Vargas Brandáo

CTP e Impressão: Print Express

Tiragem:

Augusto Cezar

17.000 exemplares.

Fale com a Redação:

Rua Teodoro Sampaio, 352 cj. 103 - Pinheiros Cep: 05406-000 - São Paulo - SP (11) 2507-3917

Panificação On-Line:

www.panificacaobrasileira.com.br sac@panificacaobrasileira.com.br


Sumário

32

34

48

Editorial 3 Palavras do Editor

48 Prêmio 100 Melhores Padarias do Brasil.

Tradição 6 O Nascimento do Habitante 7.000.000.000

Campanha - Fature Esta Idéia 58 Panetone 2011

Lançamento 10 Literatura da Panificação

Moinhos, Moagem & Farinhas 62 Farinhas de Trigo e Pré - Misturas para Panetone.

Padaria - Centro de Negócios 13 Venda de Pães Cobertura dos Eventos 14 Abitrigo 26 Congrepan 30 Abima 32 Salon Du Chocolat Entrevista 34 Ex - Ministro da Econômia Maílson da Nóbrega. Cobertura das Feiras 36 Fispal Nordeste 38 Anuga Premiação Maiores & Melhores 42 Prêmio 100 Maiores e Melhores Fornecedores.

4

42

Consumidor 64 Novo Consumidor Saudabilidade 66 Pão e Saudabilidade Tudo Sobre Pães 68 Conceituação dos Pães 74 Segurança Alimentar 76 Alimento e o Mundo Indicadores 78 Padarias 80 Indústrias de Pães e Confeitaria Industrial. 82 Notícias


5


Tradição

O nascimento do habitante de número

7.000.000.000 Por Augusto Cezar

O

crescimento populacional na velocidade atual é preocupante, principalmente, no que se refere à sustentação do fornecimento de alimentos. Basta lembrar que em 1999, foi reconhecido o habitante de número 6 bilhões, o Adnan Nevic, nascido em Sarajevo (Bósnia-Herzegóvina). Para a ONU as preocupações se estendem às questões como desemprego, escassez de recursos naturais e educação. Jornais do mundo, como Le Devoir – Canadá, Nation Media Group – Quênia, Le Soir – Bélgica, Diário do Povo – China, L’Orientle Jour – Líbano e Herald Sun – Austrália e a Folha de São Paulo, participaram da divulgação desse momento histórico, o nascimento do sete bilionésimo consumidor de pão. A disputa entre países como Filipinas, Índia, Rússia, Iraque, Geórgia e Grécia declaram que lá nasceu esse novo consumidor.

6

Christian Delson, funcionário da UNFPA (Fundo da ONU para a população) declarou ao Jornal Folha, que: “Ninguém pode saber qual é a criança 7 bilhões”. E reforça: “Não há data ou local específicos”. Não importa muito onde. O importante é saber o quanto o pão será atrativo para esse consumidor diante de tantas opções de alimentos que ele terá. É um momento histórico para a panificação que luta para não perder consumo, e que busca alternativas para reverter e voltar a crescer. Assim como diz Christian Delson, que os nascimentos servem principalmente de alerta, considerando que: “ São um marco para chamar a atenção para a questão da população”, podemos dizer que esse é “o marco para chamar a atenção para O CONSUMO DE PÃES NO BRASIL E NO MUNDO”.


7


8


9


Lançamento

Literatura da Panificação! Pão Francês Augusto Cezar de Almeida e suas variedades Augusto Cezar de Almeida

Coleção Todos os Pães e suas Variedades - Teoria e Prática

Volume 1

Pão Doce

e suas variedades Augusto Cezar de Almeida

Coleção Todos os Pães e suas Variedades - Teoria e Prática

Volume 2

O

setor de panificação agora tem mais literatura para apoiar o seu crescimento ! O livro que agora vem às mãos do setor chama-se, O Pão Francês e Suas Variedades. Esse livro é muito especial para mim. Ele tem um componente muito forte do que venho realizando com o FÓRUM NACIONAL PELA MELHORIA DA QUALIDADE DO PÃO FRANCÊS. Já estamos no terceiro ano desse fórum. A nossa leitura da necessidade para que esse produto símbolo seja produzido com mais esmero e com todos os recursos técnicos, nos levou a fazer uma pesquisa a nível nacional, demonstrando ao seu final o quanto o produto estava sendo mal trabalhado, destaca o eng. Augusto Cezar de Almeida. O especialista em panificação continua: “Com o novo livro, espero contribuir para a melhoria da qualidade do pão francês, pois o livro traz, além dos aspectos da tecnologia de produção, informações sobre as farinhas adequadas à produção do pão francês. Também representa um modelo de avaliação que havíamos divulgado em outras oportunidades e que reforçamos à sua aplicação diária. O livro também apresenta as variedades possíveis de serem geradas a partir de uma massa de pão francês”.

Próximo lançamento: O especialista reforça que na seqüência, será lançado o Livro Pão Doce e Suas Variedades. Esse livro seguirá o mesmo conceito do Pão Francês e Suas Variedades, e fazem a composição da coleção, Todos os Pães e Suas Variedades. Outros livros de autoria de Augusto Cezar de Almeida: Dicionário da Panificação Brasileira. ABC da Panificação. O Pão e sua Simbologia. Marketing na Panificação. Pães no Brasil. Pães Internacionais – com sotaques. A História da Panificação Brasileira.

10


11


12


Padaria - Centro de Negócios

O pão no universo dos negócios de uma padaria.

Como temos trabalhado neste tema,dividimos a padaria em negócios: confeitaria, cafeteria, lanchonete, restaurante,etc. O que estamos dizendo é que, olhando a PADARIA COMO CENTRO DE NEGÓCIOS, você verá cada uma desses negócios na sua individualidade. Quanto você fatura na CAFETERIA e qual é a margem de lucro que ela deixa? Assim também para os outros NEGÓCIOS: CONVENIÊNCIA, LANCHONETE, ETC.

Venda de Pães

Por Augusto Cezar

C

omo essa edição é especialmente dedicada ao pão, vamos conversar sobre o NEGÓCIO : VENDA DE PÃES nas padarias. Não poderia ser um momento mais oportuno para tal, pois alguns estabelecimentos estão dando muito espaço para outros negócios e estão esquecendo a base de sustentação. Isso pode parecer meio piega ou nostálgico, mas não é. Dois aspectos podem ser levantados para despertar o interesse dos empresários: - margem na venda de pães - barreira para outros concorrentes

Margem Com o mix de pães que é possível colocar nos balcões de uma padaria

e com a margem elevada que a sua maioria permite aplicar, pão volta a ser um assunto prioritário. Os consumidores estão com o poder aquisitivo maior e com disposição para comprar mais e mais variado. Também está ávido em testar novos produtos. As classes C e D, emergentes querem fazer parte do consumo mais sofisticado.

Barreira O grande avanço que as padarias fizeram sobre a alimentação fora do lar é algo excepcional e digno de citação internacional. Contudo, é importante lembrar que o mercado é muito aberto para modelos de pequenos, assim foi com as refeições ao peso.

Pensar que as padarias não podem ser atacadas em seus negócios paralelos ao pão é perigoso. Um caso para se pensar,seria de uma padaria que esteja muito dependente de almoços. Abrindo restaurantes na sua cercania os riscos são elevados.

Os Pães Manter os pães tem dois aspectos: - atratividade: ir a padaria é valorizado em muitas cidades - sinergias: o pão pode ser usado nos outros negócios da padaria, por exemplo, na lanchonete, no restaurante, etc. “É tempo de avaliar o seu mix de pães, a qualidade e a forma como eles estão sendo apresentados aos consumidores. Pão é padaria e padaria tem que ter pão de boa qualidade”.

13


Evento - Abitrigo

CONGRESSO 2011

ABITRIGO Embaixador Sergio Amaral, Congresso Abitrigo 2011.

Congresso Abitrigo 2011.

Fonte: site da Abitrigo.

Fonte: site da Abitrigo.

A Associação Brasileira da Indústria do Trigo (Abitrigo) promoveu o XVIII Congresso Internacional do Trigo – Brasil. O evento é considerado o maior da cadeia do trigo e reuniu cerca de 500 participantes, do Brasil e do exterior. Entre eles produtores de trigo, representantes de Moinhos, da panificação, das indústrias dos produtos derivados, de governos e de entidades ligadas ao agronegócio. Durante o Congresso, especialistas avaliaram e discutiram os desafios da cadeira do trigo em palestras, debates e apresentações. Em paralelo, ocorreu a Feira de Negócios, com a apresentação de produtos e serviços de importantes empresas ligadas ao setor. A Revista Panificação Brasileira e a Revista Cerealtec, estiveram presentes ao evento realizado na cidade do Rio de Janeiro, no Hotel Rafain. O tema do Congresso, foi conduzido pelo Embaixador Sergio Amaral, presidente da Abitrigo. O Congresso teve como tema – SAUDABILIDADE Os especialistas seguiram nas apresentações que contou com platéias bastante interessadas pelos temas abaixo: Durante o Congresso Internacional do Trigo aconteceu a Feira de Negócios, onde foram apresentados novos produtos e tecnologias de ponta para moagem, produção de farinhas, misturas, embalagens e distribuição de trigo e derivados. Participaram como expositores e parceiros da Associação Brasileira de Indústria de Trigo (Abitrigo) na Feira de Negócios:

AB Enzymes, ADM World, Bolsa de Rosário, Bulher, Candon Aditivos, Cargill, Coppi, Danisco, Embrapac, Fiabesa, Globalfood, Haver & Boacker, Idugel, Italpack, Klabin, Maxmill, Overall, Pingle Group, Prozyn, Granotec, Robuschi, Sangati Berga, Unormak e Vitti Molinos.

14


15


Evento - Abitrigo

O XVIII Congresso Internacional do Trigo destacou a saudabilidade:

Com cerca de 450 inscritos, foi aberto na manhã desta segunda-feira o XVIII Congresso Internacional do Trigo, que tem como tema central a “Saudabilidade”, com destaque para as mudanças no comportamento do consumidor brasileiro e seus reflexos nos produtos derivados do trigo.  Promovido pela Associação Brasileira da Indústria do Trigo – ABITRIGO, o congresso reúne, no Rio de Janeiro, várias autoridades governamentais e representantes da cadeia do trigo do Brasil e do MERCOSUL. “Estamos avançando juntos – produtores de trigo, moinhos e a indústria de alimentação – na direção do que a sociedade brasileira quer: mais saudabilidade”, destacou o presidente da Associação Brasileira da Indústria do Trigo – ABITRIGO, Embaixador Sergio Amaral, na cerimônia de abertura do congresso. Participaram da cerimônia de abertura, o ministro interino da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, José Carlos Vaz, o presidente do Conselho Deliberativo da ABITRIGO, Luiz Martins, o presidente da Associação Comercial do Rio de Janeiro, Antenor Gomes de Barros Leal Filho, o secretário de Desenvolvimento Econômico, Energia, Indústria e Serviços do Rio de Janeiro, Julio Cesar Carmo Bueno, o subsecretário de Agricultura do Rio, Alberto Messias Mofati (representando o governador Sérgio Cabral), e os deputados federais Duarte Nogueira e Otávio Leite.

O consumidor mudou e a ABITRIGO está atenta:

“A sociedade brasileira mudou e os hábitos de alimentação, também. A migração do campo para a cidade e o aumento do poder aquisitivo impactam os padrões alimentares. O brasileiro está disposto a gastar mais para se alimentar melhor”, lembrou o Embaixador. Citando dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), ele destacou que o brasileiro não tem mais tempo para cozinhar.”Os gastos com alimentação fora do lar já são maiores do que nos países desenvolvidos”, afirmou, observando que, ao mesmo tempo, o consumidor quer uma alimentação mais prática e saudável. A saúde pública também passa por um processo de mudança, dando ênfase à prevenção, à redução do excesso de consumo de produtos considerados vilões da alimentação saudável: sal, açúcar e gordura. “A ABITRIGO se antecipou a esse movimento, iniciando há pouco mais de dois anos a campanha Trigo é Saúde, com o lançamento do livro Trigo na Dieta Saudável e do site Trigo é Saúde. O trigo se encontra em posição privilegiada na dieta, porque não contém sal, açúcar e gordura, contribuindo de forma importante para uma alimentação saudável”, ressaltou Sergio Amaral”. Segundo ele, a cadeia do trigo trabalha em conjunto para incorporar e atender às exigências do consumidor e da sociedade brasileira.

Ministro José Carlos Vaz: A importância de uma cadeia sustentável:

O ministro interino da Agricultura, José Carlos Vaz, apresentou os quatro pilares da agenda de trabalho do MAPA (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento): o pilar institucional, tornando a pasta mais presente na formulação da política econômica; o de gestão, resgatando a capacidade de servir à sociedade; o da política agrícola, para que seja previsível, efetiva e confiável; e o da sustentabilidade, ambiental e dos negócios. “O futuro do Brasil é o futuro do mundo. Trabalhamos em parceria com Ministério do Meio Ambiente para uma agricultura sustentável, que mantenha integridade do solo, qualidade da água, mas também com mais tecnologia no campo”, destacou. Segundo o ministro, é preciso dar um salto na qualificação dos agricultores, com foco em produtividade e qualidade. José Carlos Vaz destacou importância do tema do Congresso, a Saudabilidade, lembrando que esse é o interesse atual dos consumidores. Para ele, trabalhar com esse foco exige investimento e, para isso, é preciso que a cadeia de produção seja previsível e organizada. “A construção de uma cadeia produtiva de acordo com suas especificidades é fundamental para que a gente consiga – governo, produtores, empresários - elaborar estratégias de longo prazo para uma atuação eficiente.” Sobre a alíquota zero do PIS/COFINS para a produção dos moinhos, que vencerá em dezembro, o ministro adiantou que a questão está sendo negociada e ainda este mês o setor terá notícias tranqüilizadoras.

16


OUT | 2011

+ Validade + Qualidade

É TUDO DE BOM!

Neste Natal prepare seus panetones e chocotones com

Gemas Líquidas Pasteurizadas EGGBOX Itaiquara. O maior prazo de validade do mercado é sinônimo de maior qualidade para as suas receitas! A Itaiquara deseja a você, sua família e seus clientes

UM NATAL TUDO DE BOM!

www.eggboxitaiquara.com.br

17


Evento - Abitrigo

O Novo Consumidor dita as Tendências de Mercado: Em Busca da Alimentação Saudável

A mesa que discutiu o novo perfil do consumo do brasileiro foi integrada, também, por Marcello Bronstein, professor de endocrinologia da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo e um dos autores do livro O Trigo na Dieta Saudável, lançado pela ABITRIGO, como parte da campanha Trigo é Saúde. O moderador da mesa foi o presidente do Sindicato da Indústria do Trigo do Estado do Paraná, Marcelo Vosnika.

Discorrendo sobre as estratégias de prevenção e tratamento o Dr. Marcello Bronstein apontou: Atividades Física, Orientação Dietética, Mudança na conduta (estilo de vida) e os Cuidados Médicos (medicamentos, cirurgia).

As conclusões: O conflito entre genética dos nossos ancestrais e o estilo de vida moderno levou à epidemia da obesidade, com suas repercussões sobre co-mordidades como diabetes, hipertensão, doenças cardíacas,etc. Os modismos sem o menor fundamento científico acabam levando à exclusão de cereais da dieta. É preciso separar o joio do trigo para não privar o organismo de nutrientes importantes. Somente modificações de hábitos de vida, com a adoção de dieta equilibrada em macro e micronutrientes como valor calórico adequado e exercícios físicos poderão reduzir este grave distúrbio metabólico.

18


Novo Consumidor Foco de investimentos e da atenção de empresas e do mercado internacional, o Brasil é a “bola da vez”. “Estamos em um momento ímpar na economia do mundo, com um crescimento contínuo, superior e mais acelerado do que os países desenvolvidos”, situou o diretor comercial da Nielsen Brasil, Mario Ruggiero, no painel O Novo Consumidor, durante o XVIII Congresso Internacional do Trigo, realizado entre 16 e 18 de outubro de 2011 no Rio de Janeiro. Mario Ruggiero trouxe ao encontro dados que mostram que, em menos de suas décadas, houve um crescimento de 108% nas diferentes cestas de produtos de consumo. De acordo com o diretor da Nielsen, a evolução se deve a quatro principais fatores: • Procura por produtos e alimentos saudáveis. • Busca de sofisticação, em categorias ou marcas de produtos com maior valor agregado. • Merecimento (consumo de sorvetes e chocolates, por exemplo). • Praticidade e conveniência.

Mario Ruggiero apresentou diversos dados econômicos do Brasil, destacando os sinais positivos e os que estão exigindo mais atenção do governo.

Esses vetores são acompanhados de outra mudança de hábito, relacionada ao local de compra. O hipermercado, que já foi símbolo do crescimento econômico no Brasil, perde lugar para o supermercado de vizinhança. Mesmo assim, o apelo de preço não foi deixado de lado: as lojas que vendem em grandes quantidades, apelidadas de “Atacarejo”, responderam por 27% das compras em 2010.

Novo ciclo: O consumidor quer, ao mesmo tempo, praticidade e conveniência. Privilegia a compra perto de casa, mas também procura produtos que atendam, de modo personalizado, às suas necessidades. Com isso, o mercado vive um novo ciclo de evolução, de acordo com Mario Ruggiero, em função do aumento da renda e migração de um grande contingente de brasileiros das classes D e E para a classe C. Isso tem gerado um aumento de produtos voltados a esse público, ampliando a competitividade no ponto de venda. “São mais de 3 mil produtos novos a cada ano . Neste cenário, a diferenciação é fator-chave”. O enfoque em valor agregado tem alterado a cesta de derivados de trigo, de acordo com dados da Nielsen. Os biscoitos, por exemplo, tiveram uma retração de 1,4% em volume no último ano, mas registraram um aumento de 6,3% no faturamento. Os pães industrializados cresceram 13%, enquanto os pães especiais, que têm forte apelo de saudabilidade, cresceram 20%.

19


Evento - Abitrigo

É científico? Marcello Bronstein falou sobre a evolução do homem e seus hábitos alimentares e destacou o que há de cientifico por trás da discussão sobre saudabilidade. “Os carboidratos foram fundamentais para o desenvolvimento cognitivo da espécie humana”, afirmou. Segundo ele, o mito de que os carboidratos são responsáveis pela epidemia de obesidade levou ao surgimento de dietas à base de supressão de massas e pães, que por vezes são substituídos por proteínas e gorduras. “Está comprovado que uma dieta rica em gorduras leva a complicações cardiovasculares”, reforça o endocrinologista. Além disso, tais dietas são de difícil aderência, comprometendo o processo de emagrecimento. Outro aspecto comprovado por estudos é a contribuição dos cereais integrais na prevenção e tratamento da síndrome metabólica, em geral, relacionada à obesidade e caracterizada por alterações nos níveis de colesterol, triglicérides e pressão sanguínea. Algumas reflexões: Observa-se uma melhoria na qualidade do consumo na base da pirâmide, estimulada por um contexto econômico favorável e maior renda do consumidor. • maior acesso a categoria de valor agregado. • diferenciação e inovação. • conhecimento das reais necessidades do shopper. Também destacou algumas expectativas: Os consumidores estão mudando: consolidação da classe média e no novo estágio de consumo do NSE Baixo, destacando a busca por novidade e variedade. Desse forma, pode-se esperar: • • • • • •

aumento da quantidade de lançamentos e da competitividade. dificuldade na administração do portfólio. aumento da complexidade da gestão do PDV. fortalecimento de novos canais (como o Cash & Carry). aumento da precisão na execução por meio de ferramentas mais assertivas. desenvolvimento de produtos sob o vetor Sofisticação.

Ajustamento da Indústria Moageira: Steven Rumsey, Gerente Pesquisa & Desenvolvimento - Bunge S.A. apresentou a palestra Inovação Sustentável para Saudabilidade demonstrando as ações da empresa nessa direção e do que tem acontecido a nível mundial. Ao discorrer sobre as macro tendências dos consumidores: conveniência, customização, base da pirâmide, indulgencia, sustentabilidade e saudabilidade, situou a todos os empresários os desafios de trabalhar a saudabilidade como estando interligada com as outras tendências.

20


21


Evento - Abitrigo A seguir apresentamos os resumos das palestras realizadas durante o XVIII Congresso Internacional do Trigo.

Da Nutrição à Saudabilidade

O consumidor está cada vez mais consciente de que as escolhas que faz no dia a dia, inclusive na hora de se alimentar, são determinantes para sua saúde e qualidade de vida. É o que mostrou Lucia Helena de Oliveira, diretora de Redação da Editora Abril, em sua palestra.

O trigo na era da saúde: O trigo na era da saúde

Lúcia Helena de Oliveira

Lucia Helena, apresentou diversos dados de mercado e resultados de pesquisas desenvolvidos pela Editora Abril.

Os cenários de consumo foram destacados apontando questões pertinentes a alimentação moderna e seus problemas, tais como: obesidade, doenças coronárias e outras.

Dentre outros temas importantes como a questão da comunicação aos consumidores quanto aos itens que podem influenciar na sua saúde. Outra ferramenta de valor que foi destacado, que é a mídia, com sua força de comunicação. No slide a Revista Saúde aponta o valor da nutrição aos seus leitores.

22


O aumento da expectativa de vida, o acesso à informação e a inclusão de uma significativa parcela da população no mercado consumidor, entre outras mudanças na sociedade, têm contribuído para uma rápida evolução da mentalidade dos brasileiros no que diz respeito à saúde e alimentação – como revela uma pesquisa realizada no ano passado com cerca de 900 mil leitores da Revista Saúde. Para 91% desse público, a principal aspiração é tornar a dieta mais equilibrada. Essa percepção também foi captada na pesquisa Saúde do Brasileiro, que ouviu 800 leitores de revistas da Editora Abril em seis capitais. Confira os principais resultados: - 82% dos entrevistados consideram que alimentação é o fator mais importante para uma vida mais saudável. - 17% acham que boa alimentação significa ingerir ingredientes capazes de prevenir doenças e manter o organismo em bom funcionamento. Os derivados do trigo foram apresentados de forma muito positiva e combativa quanta as informações mal expostas. Ficou bem claro a importância dos derivados do trigo na dieta humana.

A discussão teve como moderador Antenor Barros Leal, presidente da Associação Comercial do Rio de Janeiro. Claudio Zanão, presidente da Associação Brasileira das Indústrias de Massas Alimentícias – ABIMA integrou a mesa, como convidado para comentar o tema.

Mudanças à mesa Apesar de estar mais consciente, o brasileiro ainda não mudou seus hábitos. No país, 52% dos homens e 44% das mulheres estão acima do peso. O mesmo acontece com as crianças: 32% dos meninos e 34% das meninas de 5 a 9 anos têm sobrepeso. “A boa notícia é que nossos consumidores lêem mais os rótulos atrás de prazos de validade, teores de caloria e gordura e de ingredientes mais saudáveis”, afirma Lucia Helena. Neste contexto, segundo ela, há uma enorme oportunidade para a indústria de trigo e seus derivados. Para isso, destaca, é importante que as empresas reforcem a comunicação sobre as características de saudabilidade de seus produtos. O fato é que ainda prevalecem mitos na hora de se alimentar, como o de que pão e macarrão engordam. Outra pesquisa citada por Lucia Helena mostra que, no imaginário da população, pães e massas ainda são os itens mais associados ao ganho de peso. “Os derivados de trigo têm alto valor nutricional, mas poucos têm clareza desse fato”.

Ação conjunta O presidente da ABIMA, Claudio Zanão, afirmou que a entidade tem trabalhado, junto com a Associação Brasileira da Indústria do Trigo – ABITRIGO, para levar ao consumidor e à classe médica informações sobre a saudabilidade dos derivados de trigo. Outra importante ação, de acordo com ele, é o acordo firmado com o Ministério da Saúde para tornar os alimentos industrializados ainda mais saudáveis. O acordo já resultou, por exemplo, na redução do sódio e gorduras de alimentos bolos, macarrões instantâneos e bisnaguinhas. Ele citou ainda os esforços das duas entidades para desonerar o PIS/ COFINS do macarrão.

23


Evento - Abitrigo

Steve informou sobre as ações da Bunge no Brasil e no exterior no que se refere ao alinhamento da empresa com as tendências e o uso dos seus recursos.

Também atualizou o publico quanto aos trabalhos que estão sendo desenvolvidos pelas principais entidades, empresas e especialistas para a redução do sódio nos derivados do trigo. Na apresentação ilustrou com um dado importante sobre o consumo de sal no Brasil que é o dobro do recomendável pelos órgãos internacionais de alimentos. Outro item apontado pelo Steven foi relativos aos trabalhos semelhantes aos dos sal, com a gordura. Para finalizar utilizou como exemplo o portfólio da Bunge no que se refere as farinhas de trigo, premisturas e outros produtos. Luiz Martins, Presidente do Conselho Deliberativo da Abitrigo, atuou como moderador do painel e os comentários foram efetuados pelos Luiz Eugênio Lopes Pontes, Diretor da M.Dias Branco e Alberto Gerente Indústria da Bunge.

24


Antimofo Líquido Conserv Conserva alimentos. E sorrisos dos seus clientes. Pão sem mofo é saúde para quem consome e lucro para quem vende. O Conserv é o antimofo líquido mais eficiente e concentrado do mercado, somente 50 ml por litro de solução representam no mínimo 20% menos em relação à concorrência. E você sabe: sem mofo, acabam as devoluções, a validade dos produtos aumenta e o lucro também. PANTEC, há 18 anos valorizando seus produtos e seu negócio.

CONHEÇA TODA NOSSA LINHA DE PRODUTOS: ADITIVOS • ÁLCOOL DE CEREAIS CONSERVANTES • ENZIMAS • PRÉ-MISTURAS

Economize e lucre, ligue agora: Serviço de Atendimento ao Cliente:

10 Colocado em Antimofo Líquido pelo segundo ano consecutivo

www.pantec.com.br

25


F

oz do Iguaçu sediou o mais importante evento da panificação e confeitaria do Brasil, o XXIX CONGREPAN – Congresso Brasileiro da Indústria de Panificação e Confeitaria, que aconteceu nos dias 25 a 28 de outubro, no Raffain Palace Hotel e Convention Center. O evento foi realizado simultaneamente ao VI PARANAPÃO, e contou com a participação de mais de 2.500 empresários do segmento, palestrantes nacionais e internacionais, criando, paralelamente, oportunidades de negócios. Alexandre Pereira, presidente da ABIP – Associação Brasileira da Indústria de Panificação e Confeitaria – ressaltou a importância do encontro, que tratou das questões pertinentes a um dos maiores segmentos varejistas do país, o qual registrou faturamento de R$ 56 bilhões de reais em 2010 e gera mais de 700 mil empregos diretos e 1,8 milhão de empregos indiretos. Mais de 2.200 personalidades entre empresários, técnicos, parlamentares e autoridades participaram do XXIX Congresso Brasileiro da Panificação e Confeitaria, realizado em Foz do Iguaçu, pela Associação Brasileira da Indústria da Panificação e Confeitaria (Abip). O encontro foi marcado não apenas pela enorme adesão de representantes da panificação, como também por ações inovadoras, que conferiram grande dinâmica ao evento. “Esta edição do Congrepan, certamente, merece um capítulo à parte na história do evento, pelo impacto das inovações apresentadas”, diz o presidente da Abip, Alexandre Pereira. Várias personalidades prestigiaram o evento, como o prefeito de Foz do Iguaçu, Paulo Mac Donald, o presidente da Federação das Indústrias do Estado do Paraná (Fiep), Edson Compagnolo, a Assessora Especial do Governo do Estado do Paraná, Tatiana Gutierrez, e o presidente do Sindicato da Panificação do Paraná e do Congrepan, Joaquim Cancela. Paralelamente ao Congrepan foi realizado o Paranapão, evento que reuniu mais de 60 expositores, das áreas de equipamentos, produtos e serviços e movimentou negócios da ordem de R$ 1,5 milhão. O evento apresentou as mais novas tecnologias e tendências mundiais de panificação e confeitaria. Durante o congresso, os visitantes reciclaram seus conhecimentos nas palestras de diversos profissionais do Brasil e do exterior. Um dos destaques foi Dominique Ecale, perito francês com uma vasta experiência na área panificação e confeitaria . Além das palestras técnicas, diversos palestrantes trataram sobre gestão e negócios, como é o caso do Eduardo Shana com a palestra “O custo de não planejar”. A importância da panificação brasileira, que ocupa a segunda posição no ranking do setor de comidas do país, com um faturamento de R$ 49 bilhões e contribuindo com a economia nacional na geração de 700 mil empregos diretos e 1,8 milhão de indiretos, foi valorizada em todas a falas dos profissionais do setor. Para o presidente do Congrepan, Joaquim Cancela Gonçalves, os dados da panificação comprovam a im-

26

Evento - Congrepan

Congrepa O que

portância do segmento para a economia do país. No seu ponto de vista : “Já representamos um importante papel econômico para o Brasil e o congresso vai focar nas inovações tecnológicas para o setor ser ainda mais competitivo no futuro”. Para apresentar as tendências e tecnologias aos visitantes, o congresso contou com uma padaria gigante de 900 m² e 16 toneladas de equipamentos. A grande novidade do Congrepan foi o Congrejovem, que buscou ensinar os herdeiros da panificação a gerenciar um estabelecimento e a dar continuidade aos negócios da família. Visitas técnicas às padarias no Brasil e na Argentina. El Arbor Real, O Salame Maluco, Prestinaria Queijo e Cia, Con-


an 2011

aconteceu! feitaria Jauense, entre outras.

Painéis de debates : Palestras com os consultores do PROPAN - Programa de Qualidade e Gestão da Panificação e Confeitaria) levaram aos empresários os temas mais relevantes do momento. Dentre outras, foram feitas as seguintes exposições: • “Como atrair e reter talentos na panificação”, com Márcio Rodrigues;

• “Tecnologias e seus impactos nos processos de produção” com Carolina Câmara; • “Congelamento – Garantia de produtividade, qualidade e inovação” por Luisa Mandetta; • “Atendimento ao Cliente – equipe de vendas em alta performance” , ministrada por Emerson Amaral.

Um Painel de Debates com um grupo de consultores do PROPAN, SEBRAE e palestrantes foi a grande atração do dia 27 de outubro, momento em que os empresários foram instigados a pensar e repensar nas perspectivas de crescimento e melhorias do setor. Visitas Técnicas às

27


Evento - Congrepan padarias brasileiras e argentinas serão oportunidades de conhecer tendências e novidades do setor.

Padaria Conceito:

Foi uma grande atração durante a Congrepan 2011. Trata-se de uma padaria montada conforme os últimos conceitos da panificação brasileira. Esteve funcionando com demonstrações, como uma padaria real, durante todo o evento.

28

Um dos objetivos era reunir em um único espaço, tudo o que hoje é identificado como tendência e inovação no setor da panificação e confeitaria. Foram 900 m2 de área incluindo a padaria e a central de produção. O Congresso apresentou ainda a esperada PADARIA CONCEITO, um espaço montado de uma padaria, que reuniu todas as tendências do setor, mostrando que as padarias assumiram características “gourmet”, com um diversificado leque de serviços e produ-

tos, como Foods Service. Tecnologia, Lay-Out, Produtos e Equipamentos que garantem maior qualidade e produtividade.

Personalidades premiadas Congresso de Jovens Panificadores. Com o tema PADARIA GOURMET, o CONGREPAN abrigará, ainda, o I CONGREJOVEM, presidido pela jovem empresária Katherine de Moura Souza,


evento que reunirá herdeiros e empresários do segmento. Esse evento se justifica, porque cresce de forma vigorosa a nova geração de empresários da panificação – filhos e netos –, utilizando novas ferramentas de gestão e tecnologia da informação. Durante a XXIX Congrepan, foi apresentada a oportunidade para os jovens sucessores e empreendedores de vivenciarem as melhores práticas de gestão e inovação do setor através do CongreJovem. Outra inovação do evento foi a organização do I Congrejovem, uma iniciativa direcionada para jovens empresários e às novas gerações da panificação, com o objetivo de injetar “sangue novo” na atividade. Foi criado um espaço exclusivo para os jovens terem

acesso ao conhecimento e que possam se preparar melhor para o processo de sucessão do negócio de sua família.

Palestras: “Troca de experiência e um vasto e avançado conhecimento técnico sobre as tendências de mercado são oportunidades únicas para os jovens empresários”, afirma Joaquim Cancela, presidente do CONGREPAN. Palestras de Eduardo Shana, da HomoSapiens, Enzo Donna e Victor Barbosa, convidados internacionais, darão tempero especial ao evento. O Congrepan também abriu espaço para palestras técnicas e motivacionais, como as conduzidas pelo especialista francês Dominique Ecale e pelo consultor brasileiro Eduardo Shana.

Próximo Congrepan 2013: Como ocorre durante o congresso de panificação, é escolhido a sede do próximo evento. Estiveram concorrendo três importantes centros regionais, em uma disputa de bastidores, onde as cidades que almejavam ganhar colocaram seus stands, distribuíram brindes, degustações etc. Almejaram sediar o próximo evento: Recife (Pernambuco), Campo Grande (Mato Grosso) e Belem (Pará). O vencedor foi Campo Grande. Assim todos os panificadores já voltam seus olhares e planos de viagem para o próximo ano em Campo Grande.

29


Evento - Abima

Associação Brasileira das Indústrias de Massas Alimentícias

E

leito recentemente o prato mais apreciado em todo o mundo e presente em praticamente 100% dos lares brasileiros, o macarrão será tema de evento gastronômico que acontece no Rio de Janeiro entre os dias 14 e 30 de outubro. O “Rota 25 – Caminho do Macarrão”, uma iniciativa da Abima (Associação Brasileira das Indústrias de Massas Alimentícias) em comemoração ao Dia Mundial do Macarrão, em 25 de outubro, reunirá dez dos mais renomados restaurantes cariocas que incluirão em seus cardápios pratos à base de massa desenvolvidos especialmente para o evento. Os estabelecimentos participantes estão espalhados pelos bairros da Zona Sul e Centro: Alessandro & Frederico (Rio Design Leblon), Artigiano, Bar d’Hotel, Brasserie Rosário, Gula Gula, La Ficucia, Lorenzo Bistro, Osteria Dell`Angolo, Quadrifóglio e Stuzzi Bar. Em sua terceira edição – a primeira foi realizada em São Paulo, em 2009, e a segunda no Rio Grande do Sul, em 2010 – o evento tem por objetivo fomentar o consumo e o conhecimento dos diferentes tipos de massas existentes no mercado. “Por esta razão, desafiamos os chefs dos restaurantes participantes a criarem um prato a partir de um tipo de massa que não

30

será repetida em outro restaurante. Queremos que as pessoas provem novas receitas e conheçam as várias possibilidades de preparo de ‘una bella pasta’”, diz Claudio Zanão, presidente da Abima. Os preços dos pratos da “Rota 25 – Caminho do Macarrão” vão variar de R$ 34,50, valor cobrado pelo Pappardelle farciti di taleggio com asparagi freschi alle nocciole, do restaurante Artigiano; a R$ 61 – que é quanto sai o Fazzoletti Al Gamberi, do restaurante La Fiducia.

...os fabricantes de massa, apoiadores do evento, doarão um pacote de macarrão ao Instituto Nacional de Câncer... O cliente que solicitar o prato especial em algum dos participantes receberá um livreto com as 10 receitas elaboradas para o evento, além de um Espaguetômetro, utensílio para medir a quantidade de espaguete de acordo com o número de pessoas que se pretende servir.

A Rota 25, que conta com o apoio das marcas Barilla, Cadore, Piraquê e Renata, tem também caráter social. A cada prato consumido, os fabricantes de massa apoiadores do evento doarão um pacote de macarrão ao Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (INCA). A expectativa da Abima nesta terceira edição é ultrapassar a marca de uma tonelada de macarrão destinada à doação. Zanão lembra que faz parte dos planos da Abima estender a Rota 25 – Caminho do Macarrão para os demais estados do país, de forma marcar ainda mais a data de 25 de outubro – Dia Mundial do Macarrão -, e impulsionar o consumo de macarrão em todo o do território nacional.

Restaurantes participantes Veja as fotos dos pratos, suas receitas e o perfil dos chefs e dos restaurantes que compõem a “Rota 25 – Caminho do Macarrão” clicando nos links dos restaurantes participantes abaixo: Restaurante Alessandro e Frederico, Restaurante Artigiano Restaurante Bar D’Hotel Restaurante Brasserie Rosário Restaurante Gula Gula Restaurante La Fiducia


Restaurante Lorenzo Bistrô Restaurante Osteria Dell’Angolo Restaurante Quadrifoglio Restaurante Stuzzi A economia no Brasil continua em ascensão, a despeito da crise internacional. Um setor que ilustra este bom momento é o de pães e bolos industrializados que registrou aumento de 12,2% no faturamento do primeiro semestre de 2011, na comparação com o mesmo período do ano passado, totalizando 1,85 bilhão de reais. Quando analisado separadamente os pães industrializados tiveram alta de 4,7%, enquanto o de bolo teve crescimento ainda mais expressivo, de 14,5%. Os números são de pesquisa realizada pela Abima – Associação Brasileira das Indústrias de Massas Alimentícias, que representa também os setores de pães e bolos industrializados, em parceria com a consultoria Nielsen. Entre os pães, o segmento

que mais se destacou foi o de lanches, com 7,5%. A pesquisa também apontou que os produtos são negociados em 176 mil pontos de venda, bem difundidos entre todas as regiões do País. A exceção fica por conta do Nordeste, que mostra má distribuição. Já entre os bolos, as monoporções ganham força e atingem 11,9% de aumento, e contam com 140 mil pontos de distribuição, a maioria no Estado de São Paulo. O ganho foi alto na maior parte das regiões, exceto no interior de São Paulo e Grande Rio de Janeiro, únicas que apresentaram resultados negativos. Destaque para a região Sul, que teve aumento de 12,3% no segmento de pães e 30,8% no de bolos industrializados. A pesquisa também ressaltou o aumento da frequência de compra das classes C e D/E nos pequenos varejos, os chamados “cash and carry”, que detiveram 54% das compras no período.

Linha de Fornos Forno Pompéia Modular

Linha Grill Combinado Frangueiras - Linha Grill Max Fornos Rotativos

Forno Convector Titan

Linha de Máquinas Brasforno Cilindros 540 e 600mm

De 06 a 72 frangos - elétrico e gás

Linha Aço Inox 304

Modeladora

Batedeiras

de 12 lts á 38 lts

Amassadeiras de 15 kg á 50 kg

Amassadeiras Inox 304 De 25 kg á 160 kg

Laminadora Inox 304 Batedeiras Inox 304

De 12 lts á 80 lts

Modelos disponíveis também na linha branca.

www.brasforno.com.br / www.combibras.com.br

31


Evento - Salon Du Chocolat

32


tradec.com.br 6ROXÍŋHV&ULDWLYDVHP$OLPHQWRVH%HELGDV

0800 770 1176

www.nestleprofessional.com.br

33


Entrevista

Maílson da

Nóbrega

A trajetória de Maílson da Nóbrega, filho de alfaiate, nascido numa cidade de dois mil habitantes no interior da Paraíba, é emocionante. Ele começou a trabalhar antes de completar dez anos de idade, como descastanhador de caju e vendedor ambulante. Com muito esforço, seu, da família e até da sorte, chegou a comandar a política econômica do Brasil e, depois de deixar o governo, se tornar um bem sucedido palestrante e consultor econômico. Maílson se envolveu em ações governamentais desde os 20 anos de idade, no Banco do Brasil, que então exercia funções típicas do Tesouro Nacional e de principal fornecedor de crédito, especialmente para a agricultura e a indústria. Aos 35 anos, em 1977, passou a trabalhar nos ministérios que criavam as regras e geriam a intervenção do Estado na economia brasileira. Entre 1983 e 1984, como secretário geral do Ministério da Fazenda, coordenou com

sentido de missão o complicado esforço de criar e desenvolver o sistema brasileiro de contas públicas. Liderou os estudos que resultaram em profundas transformações institucionais, incluindo a criação da Secretaria do Tesouro Nacional, a extinção do Orçamento Monetário e a reestruturação das funções do Banco Central, que o prepararia para assumir a posição de credibilidade e prestígio de que hoje goza, no país e no exterior. Foi ministro da Fazenda entre janeiro de 1988 e março de 1990, um dos períodos mais difíceis da economia brasileira. Restabeleceu as relações com a comunidade financeira internacional, depois da equivocada moratória da divida externa de 1987. Também consolidou as reformas que modernizaram institucionalmente as finanças públicas, que haviam começado em 1986, com base nos estudos que liderou. No cargo, sofreu pressões lícitas e nem tão lícitas. Afinal, ele tinha o poder de determinar o preço de milhares de produtos e serviços, de pão francês a mensalidades escolares; de aprovar subsídios, aumentar e diminuir impostos; de orientar a política de crédito; autorizar a constituição de companhias de seguro; renegociar a dívida externa, entabular negociações com FMI e por aí afora. Embora esta não seja a percepção geral, em sua gestão foram dados os passos fundamentais para a abertura da economia, as privatizações e a modernização das finanças nacionais. Depois de deixar o governo, passou a se dedicar às atividades de consultor. Em 1997, foi um dos criadores da Tendências, uma consultoria que está sempre se atualizando. Passou a escrever semanal ou quinzenalmente colunas em veículos como os jornais Folha de S. Paulo e O Estado de S. Paulo e, posteriormente, a revista Veja. Publicou quatro livros. Um sobre crédito rural, em 1985. O Brasil em transformação, uma coletânea de artigos, de 2001. O terceiro, O futuro chegou, de 2005, aborda o papel das instituições no desenvolvimento de uma nação. Em 2010, publicou sua autobiografia, Panificação Brasileira - Qual a im- PB - Na sua opinião quais as principais PB - Entre as dificuldades citadas, nos fale portância do setor de alimentos para a dificuldades para o desenvolvimento desse um pouco mais sobre a influência da carga economia brasileira? setor? tributária, e o impacto que ela traz para a economia? MAILSON DA NÓBREGA - Como qualquer MAILSON - São as comuns a todos os setor, o de alimentos também é fun- segmentos da atividade econômica MAILSON - A carga tributária é talvez damental para a economia. Além de no Brasil, com destaque para a exces- a nossa maior fonte de ineficiência gerador de renda, emprego e tributos, siva carga tributária, as altas taxas de econômica. Nenhum país emergente o setor é essencial para prover segu- juros, a anacrônica legislação traba- arrecada mais de 35% do PIB em rança alimentar para a sociedade lhista e as dificuldades de operação tributos como o Brasil. Há pelo menos oito incidências diretas sobre o brasileira. eficiente da logística.

34


consumo, quando Muito além doo feijão padrão com mundial arroz. é normalmente de duas. O ICMS é um verdadeiro caos, particularmente por suas 27 diferentes legislações, inúmeros regimes fiscais, incontáveis alíquotas e mudanças quase diárias de suas regras. A empresa brasileira gasta em média 2.600 horas por ano lidando com questões tributárias, contra pouco mais de 300 nos países emergentes e menos de 200 nas nações desenvolvidas. Nenhuma outra área rivaliza na geração de custos de transação como a tributária. PB - Como avalia a atual crise econômica internacional ? MAILSON - A crise financeira que se iniciou em 2007 e atingiu o seu auge em 2008, com a quebra do banco Lehman Brothers, evoluiu recentemente para uma crise de endividamento público nos países ricos, especialemente na Europa. Seu ponto mais vulnerável neste momento é a Grécia. Da saída para a grave situação da economia grega depende o futuro da Zona do Euro e da própria economia mundial. Para piorar, a Europa carece de lideranças capazes de adotar as corajosas medidas que o momento exige, com vistas a evitar o colapso do euro. Creio que tudo será feito para evitar esse desfecho trágico, pois muito está em jogo, não apenas a preservação do euro mas a manutenção do longo período de paz por que passa a região desde o fim da Segunda Guerra. Data dessa época o lançamento do processo de integração regional que culminou com a criação da moeda única em 1999 e a circulação de notas e moedas do euro em 2002. O risco é a atual crise de endividamento público evoluir para uma nova crise financeira, que teria efeitos talvez piores do que os da quebra do Lehman Brothers. Creio que os lideres do mundo rico e os que com eles formam o G-20 tudo farão para livrar o mundo dessas catástrofe. PB - Quais são as suas expectativas para economia brasileira nos próximos anos? MAILSON - Admitindo que a crise europeia não evolua para o pior cenário, a economia brasileira tem tudo para

continuar crescendo nos próximos anos. Nos anos de 2011 e 2012, a economia sofrerá os efeitos das medidas monetárias e fiscais para lidar com o ressurgimento de pressões inflacionárias. Estas, como se sabe, são consequência do excessivo crescimento de 2010, de 7,5%, muito acima de nossas possibilidades. Este ano e no próximo, o PIB dificilmente crescerá muito mais do que 3% a 4%.

“Europa carece de lideranças capazes de adotar as corajosas medidas” Além disso, há sinais preocupantes de que o governo estaria conferindo maior prioridade ao crescimento, esquecendo o fantasma inflacionário que está à espreita. Inexistem, felizmente, riscos de volta da inflação que nos atormentou da segunda metade dos anos 1970 até o advento do Plano Real, em 1994. A sociedade brasileira se tornou intolerante à inflação. Deixá-la sair do controle equivale a suicídio político, pois isso impactaria tão negativamente a popularidade do governo e determinaria sua derrota nas urnas. Se por acaso a inflação atingir níveis considerados perigosos, o Banco Central agirá, inclusive porque precisará preservar a reputação da instituição e deus seus dirigentes. PB - Como o senhor tem visto a produtividade das empresas no país? MAILSON - Estudos recentes mostram que a produtividade estagnou nos últimos vinte anos. Ela aumentou na agricultura e decresceu na indústria. Isso é muito preocupante, pois a produtividade é fator chave para o crescimento. Por exemplo, antes da crise de 2008, a produtividade explicava 80%

da expansão da economia americana. Durante o governo Lula, a produtividade explicou cerca de metade do crescimento do PIB. A estagnação da produtividade brasileira lança enorme desafio para a sociedade e para a classe política, em particular. Sem reformas que melhorem o caótico sistema tributário brasileiro, dê cobro da deterioração da infraestrutura e melhore a qualidade da educação – para citar os principais desafios – o Brasil pode estar condenado a um longo período de estagnação ou baixo crescimento. PB - A baixa oferta de mão de obra, e o conseqüente alto custo, têm dificultado a vida dos empresários em todos os setores. O que o governo poderia/deveria fazer para minimizar o impacto nos custos, representados pelos empregados? MAILSON - É difícil dizer, tal a complexidade do problema. Como se viu, o caminho da desoneração da folha, prometido pelo governo para um grupo de setores, revelou-se quase um embuste. Em seu lugar, o governo criou um imposto de arrecadação semelhante. Alguns desses setores estão pedindo para serem “dispensados do benefício”. PB - Qual a importância que o senhor considera em eventos de premiação aos fornecedores, como o “Maiores & Melhores da Panificação Brasileira”, onde o senhor é convidado especial para ministrar uma palestra ? MAILSON - Premiar pessoas e organizações por seu desempenho é uma forma de realçar o esforço, destacar o mérito e estimular a busca de novos e melhores resultados.

“Premiar pessoas e organizações por seu desempenho é uma forma de realçar o esforço” 35


Feira - Fispal Nordeste

Fispal e ABF impulsionam negócios nas regiões Norte e Nordeste. Em novembro, a BTS realizou em Recife três feiras simultâneas nos setores de alimentos e bebidas, food service e franquias.

O

setor de alimentos vive um momento áureo no Brasil, reflexo do aumento do poder aquisitivo das classes C e D, que passa a se alimentar mais e melhor. Um estudo da Euromonitor aponta que o mercado de alimentos em geral cresceu 44%, de 2005 a 2010. A esse fato, soma-se o potencial de crescimento do mercado de alimentação fora do lar. Com o aumento da renda, o setor de food service dobrou de tamanho em seis anos, para R$ 185,5 bilhões em 2010. Segundo a Associação Brasileira das Indústrias da Alimentação (Abia), o crescimento previsto para este ano é entre 15% e 16%. Agendadas para o período de 8 a 11 de novembro de 2011, das 16h às 22h no Centro de Convenções de Pernambuco, em Recife, a Fispal Tecnologia Nordeste, Fispal Food Service Nordeste e ABF Franchising Expo Nordeste serão versões regionais das já tradicionais feiras organizadas pela promotora, que acontecem anualmente no mês de junho, em São Paulo. As três feiras devem reunir 320 marcas expositoras e atrair 28 mil visitantes qualificados. A Fispal Tecnologia Nordeste reuniu fornecedores dos setores de processamento, embalagem e logística na área de alimentos e bebidas. Já a Fispal Food Service Nordeste levará empresas de equipamentos, matérias primas e serviços para bares, restaurantes, pizzarias, padarias, cafeterias, buffets, hotéis e outros estabelecimentos de alimentação fora do lar, reunindo exclusivamente o público profissional deste segmento. “Trouxemos indústrias de alimentos e bebidas dos estados do Norte e Nordeste para conhecerem o que há de mais avançado em matéria de tecnologia para renovação de seus parques industriais”, conta Alexandre

36

Barbosa, presidente da BTS Informa.

Franquias

O mercado de franquias, aquecido em todo o País, também cresce a cada ano na região, o que levou a BTS Informa e a Associação Brasileira de Franchising (ABF) a decidirem repetir a parceria que já têm na feira de São Paulo, lançando em conjunto a ABF Franchising Expo Nordeste.

...o setor de food service dobrou de tamanho em seis anos, para R$ 185,5 bilhões em 2010... Franqueadoras de diversos segmentos e consultorias especializadas terão espaço na ABF Franchising Expo Nordeste, que será uma feira voltada para o público interessado em abrir franquias na região, um setor que gera mais de 700 mil empregos diretos. De acordo com a Associação Brasileira de Franchising (ABF), 524 empresas de 20 setores distintos planejam entrar no mercado nordestino, com a previsão de 2.620 novos empregos diretos. “Com 28 redes, Recife é o maior pólo de empresas franqueadoras no Nordeste, o que confere à capital pernambucana o sétimo lugar no ranking brasileiro de franquias. Segundo estudos, a região Nordeste aparece como nova rota de crescimento, com elevação de 7,8% nas vendas em 2009. A expectativa para 2011 é chegar a 10,6%, e em 2012 a 11,6%, enquanto as demais regiões devem permanecer estáveis”, diz Ricardo Camargo, diretor-executivo da

ABF.

Escolha estratégica

Alexandre Barbosa ressalta que o crescimento do Nordeste, associado ao interesse dos expositores em atuar mais fortemente na região, foram os principais motivos para a decisão de realizar as feiras. “A Fispal já acontece há anos no Nordeste, em Recife e Salvador, mas dentro de um formato que agregava tanto a indústria de alimentos e bebidas quanto o food service. Em virtude do tamanho de cada um desses mercados nos estados nordestinos, entendemos que agora se justifica realizarmos as feiras de modo independente e focado, ainda que na mesma data e centro de eventos”, explica. Segundo a Federação das Indústrias do Estado de Pernambuco (FIEPE), estima-se que o PIB do estado chegue a R$ 101 bilhões em 2012, com taxa de crescimento de 7,5% ao ano - maior do que a do Nordeste e do Brasil. A cidade tem localização estratégica, com fácil acesso tanto por via terrestre quanto aérea, com vôos regulares de todas as capitais do Norte e Nordeste. Conta ainda com ótima rede hoteleira e inúmeras opções de restaurantes, o que facilita a visitação. “Por todos esses atributos Recife é, sem dúvida, a capital nordestina com mais tradição em feiras de negócios e a única hoje com a infraestrutura adequada para receber, ao mesmo tempo, três feiras desse porte”, afirma o presidente da BTS Informa. O Centro de Exposições de Pernambuco é um local com toda a infraestrutura essencial para a realização do projeto, oferecendo aproximadamente 20 mil m2 de área total, ar


condicionado, estacionamento para 2.500 veículos, além de outras facilidades. Fispal Food Service Nordeste e Revista Panificação Brasileira premia as 100 Melhores padarias do Nordeste As 100 melhores padarias nordestinas serão escolhidas e premiadas pela primeira vez durante a feira Fispal Food Service Nordeste, no dia 09 de novembro, no Centro de Convenções de Pernambuco, no Recife. A feira será uma versão regional da já tradicional Fispal Food Service, maior feira do setor de alimentação fora do lar da América Latina, que é

realizada anualmente em São Paulo. O evento aconteceu nos dias 08 a 11 de novembro de 2011. Também ocorrerá simultaneamente a Fispal Tecnologia Nordeste e à ABF Franchising Expo Nordeste. Para serem selecionados, as padarias atenderam a critérios como mix de produtos, atendimento, ambientação e higiene. A premiação foi feita em parceria com a revista Panificação Brasileira, que elege anualmente as 100 Melhores Padarias do Brasil com o aval de distribuidores e fornecedores do setor. Os estabelecimentos rece-

beram certificados e troféus. Os prêmios serão entregues pelos diretores da revista, Augusto Cezar de Almeida e Cleber Affonso e outras autoridades convidadas. Atualmente, o Nordeste é a segunda região do país com maior número de padarias segundo dados do Sebrae Nacional. Além de apresentar novidades para o setor de panificação, a Fispal Food Service Nordeste reuniu empresas dos mais diversos segmentos ligados ao food service, como restaurantes , bares, hotéis, buffets, caterings, lanchonetes e pizzarias.

37


Novidades Feira - Anuga

Anuga

N 123 4

a 31ª edição da ANUGA, uma das maiores feiras de alimentos do mundo para o setor da alimentação, ocorrida entre os dias 08 e 12 de outubro de 2011, em Colônia (Alemanha), participaram 6.586 expositores procedentes de 100 países. A feira es-

Por Jumar Pedreira

tava dividida em dez pavilhões – 288.000 m2 –, oferecendo aos mais de 150.000 visitantes de 180 países uma divisão objetiva dos diversos segmentos de alimentos e bebidas.

. Fine Food . Bebidas . Alimentos Refrigerados e Frescos . Carnes . Alimentos Congelados . Lácteos . Panificação e Bebidas Quentes . Orgânicos . Tecnologia de Varejo . Food Service

567

Na versão de 2011, a ANUGA apresentou um pavilhão dedicado exclusivamente ao Food Service , com produtos e serviços voltados para este segmento da alimentação. Christopher C. Muller, Ph.D. da Universidade de Boston (USA), palestrante de um dos seminários da ANUGA, nos trouxe uma visão da Indústria de Hospitalidade 2020, promovendo 8 grandes tendências (desafios e oportunidades) que irão direcionar o Food Service no mundo. De acordo com Muller, o mundo está em crise, revoluções, redução de despesas de reestruturação, recessão, renovação - todos exigem uma nova mentalidade. As previsões para onde a indústria global de Food Service estará em cinco ou dez anos vai nos deixar perplexos. Não há claramente “respostas certas” em nossa indústria. Em última instância, como o ambiente global se tornou mais complexo, como pode alguém em nossa indústria acompanhar o ritmo acelerado das mudanças e a

38

8910

corrida para o “novo e melhorado”, quando nossos clientes nos perguntam: “Por que não pode ser apenas como o que costumava ser?”. Aqui está uma verdade: não pode ser como ele costumava ser, porque o mundo inteiro mudou nas últimas 24 horas e continuará mudando nas próximas 24. Dentre as tendências, restaurantes verdes serão vegetarianos, restaurantes azuis irão oferecer frutos do mar, restaurantes marrons irão fornecer carne. Preços e cardápios serão determinados pela escassez e custo social dos ingredientes alimentares, equipe de pessoas com segurança e visão é imperativo. Devemos, então, escolher entre uma seleção de tendências e decidir quais são as mais significativas para nossa empresa, olhando nosso ambiente social e cultural. A seguir apresentamos a descrição das 8 tendências hipotéticas para os próximos 5-10 anos , que focam nesse confuso, ainda completamente razoável, Food Service global.


Previsão 1: Tecnologia Sem Fio Com o enorme crescimento da telefonia móvel e redes sociais, significa que os nossos consumidores estão ganhando mais e mais controle sobre as decisões no Food Service , no nosso ambiente de negócios. Resultados Possíveis: Os estabelecimentos, desde o café da esquina e a padaria do bairro até o estrelado restaurante do Guia Michelain serão obrigados a ter pelo menos um funcionário de nível, em tempo integral, para gestão e controle destes meios de comunicação social (Twitter, Facebook, Google, Linked-in, YouTube, OpenTable Online, Yelp, Zagat, Wikipedia, iPhone, iPad), ou as dezenas de outros canais de mídia novas – inimagináveis hoje – que serão introduzidas nos próximos 10 anos. Portanto contrate hoje alguém, não espere para amanhã.

Previsão 2: Alimentos Geneticamente Modificados Em função da explosão populacional, pesquisas de alimentos geneticamente modificados irão expandir por todo mundo, desafiando o clima instável do planeta. Ao mesmo tempo, a aplicação generalizada desta pesquisa continuará a vir sob pressão de grupos ecológicos .

Aditivos alimentares serão proibidos ou controlados. Resultados Possíveis: Uma segunda “Green Revolution” que vai longe superar os avanços agrícolas que alimentou o mundo após a Segunda Grande Guerra, resultante do desequilíbrio ambiental. A aceitação de “orgânicos geneticamente modificados” vai ajudar a resolver a crise alimentar global, com culturas sendo cultivadas em áreas do mundo não utilizadas anteriormente para agricultura. Todos os alimentos se tornarão locais e combinarão sua sazonalidade histórica. Restaurantes verdes serão vegetarianos, restaurantes azuis irão oferecer frutos do mar, restaurantes marrons irão fornecer carne. Preços e cardápios serão determinados pela escassez e custo social dos ingredientes.

Previsão 3: Clima Crises climáticas irão desafiar seriamente o abastecimento mundial dos alimentos. Mesmo agora, em 2011, os preços das commodities de alimentos estão passando por níveis recordes. Países desenvolvidos em zonas de clima temperado irão controlar a maior parte da produção dos alimentos, assim como a população no mundo em desenvolvimento continuará a se expandir. Resultados Possíveis: O preço e a escassez dos alimentos irão flutuar mais dramaticamente. Distúrbios alimentares serão muito mais presentes que as convulsões políticas nacionais das últimas duas décadas. Novas alianças regionais irão aplicar intensa pressão sobre as tradicionais nações produtoras de alimentos, incluindo o “food super powers” da China, Brasil, Rússia, Índia, Canadá,

39


Feira - Anuga Zona Europeia e os EUA, para compartilhar suas abundâncias nacionais e tecnologias agrícolas. “Internacionalização” das vastas áreas agrícolas da Zimbabwe, Zâmbia e Botswana para criar um recurso alimentar regional em uma única zona. Ao mesmo tempo, o turismo de alimentos vai se tornar moda para viajantes em busca de novas experiências sensoriais em pequenos locais de abundância alimentar.

Previsão 4: Urban Micro-Agricultura “Micro-fazendas” serão criadas pelos governos para ajudar a nova oferta de alimentos e para a rápida expansão no interior dos estados com cidades mais pobres. Esta tendência será usada para aumentar a geração de empregos, procurando controlar as suas economias. Detroit, Rio de Janeiro, Cidade do México, Manila, Moscou, Lagos e Cairo terão essas novas áreas totalmente integradas aos seus planejamentos urbanos até 2020. Resultados Possíveis: Produção local, mais auto suficiência alimentar das cidades e controle do seu próprio abastecimento, gerando estabilidade política. Tecnologias sustentáveis para a captura de água da chuva e do sol vão ser criadas e aplicadas mesmo em zonas climáticas frias, assim como jardins hidropônicos e alta eficiência de estufas. Fábricas vazias em centros urbanos serão convertidos em zonas agrícolas produtivas. Troca de alimentos será utilizada pelos moradores locais em troca de refeições prontas.

Previsão 5: Aquacultura A aquacultura se tornará o segmento que mais cresce no mundo como fonte potencial de proteínas. Novas tecnologias serão desenvolvidas para o cultivo de espécies em áreas anteriormente áridas. Bio-combustíveis a partir de resíduos produzidos por essas fazendas / fábricas serão utilizados para suprir a energia para mantê-la, criando sistemas básicos autossustentáveis. Resultados Possíveis: Peixe se tornará mais abundante como fonte alimentar de uma população crescente. Frutos do mar, de todas as formas e tamanhos, irão substituir a carne vermelha e branca, como a favorita fonte de proteína do mundo. Segurança alimentar e questões de sustentabilidade serão a grande preocupação, especialmente para os peixes e mariscos crus. Restaurantes altamente segmentados irão tirar partido das novas classificações e controles governamentais de produção de peixes. Bifes e frangos serão servidos, mas serão vistos como mais exóticos similares à maneira como sushi / sashimi eram duas décadas atrás. Predominantemente dietas vegetarianas serão adaptadas por uma maioria crescente da população mundial. Restaurante criando novas oportunidades de cardápios.

40

Previsão 6: Convergência de Abastecimento Linhas tradicionais de divisão de distribuição entre os mercados de alimentos e restaurantes irão quebrar rapidamente com os avanços tecnológicos e restrições logísticas. A convergência de fornecimento vai acontecer com grandes fabricantes de alimentos, procurando combinar uma distribuição local. Uma denominação global – food courts – irá integrar todo o sistema de distribuição criando super lojas / mercados / restaurantes, onde alimentos frescos, semi-preparados e personalizados e refeições cozidas poderão ser comprados. Resultados Possíveis: Consolidação de supermercados e restaurantes vai se tornar uma ocorrência regular. Fusões e aquisições entre os dois canais serão muito ativas; restaurante comprando redes de supermercados, e grandes redes de supermercados efetuando aquisições de redes nacionais de restaurantes. Haverá uma convergência entre diferentes tipos de estabelecimentos; restaurante, padarias, locais de entretenimento (bares, discotecas, etc), supermercados , mercados etc , irão dividir o mesmo espaço.

Previsão 7: Disparidade de Riqueza Modelos de alta intensidade de serviço ao cliente tais como restaurantes full service, continuarão a prosperar, mas apenas como bens de luxo, enquanto o sistema quick service continuará a expandir seu domínio de mercado através da dependência cada vez maior sobre as novas tecnologias. A disparidade entre os ricos e os pobres continuará a crescer mais amplamente em todo o mundo. Se no passado os padrões de consumo nacionais foram pontos de diferenciação, mais semelhanças do consumidor estão se desenvolvendo através das fronteiras de renda e status social. Um rico alemão terá comportamento de compra em comum com um índio brasileiro. Acesso aos alimentos, juntamente com acesso à energia, será a medida da verdadeira riqueza, medida não apenas pelo acúmulo monetário, mas pelo estilo de vida global de grupos demográficos. Resultados Possíveis: A disparidade entre as “classes do conhecimento” e as “classes do trabalho” vai aumentar. Aqueles com acesso a tecnologia avançada terão mais tempo livre para realizar serviços mais competitivos. Compras sem dinheiro será a norma em todos os níveis da sociedade, permitindo as empresas de Food Service acompanharem as compras individuais e personalizar programas de marketing diretamente para as necessidades dos usuários.


Previsão 8: Projetando para Fontes de Energia Nova A continuidade de sistemas de energias tradicionais, causadoras de desequilíbrio ecológico , irá colocar muitas regiões e populações sob estresse extremo. Em contra partida novas formas de energia (solar, eólica e hidrogênio) serão utilizadas para atividades cotidianas como cozinhar, da mesma forma que tecnologias limpas irão ser usadas nos diversos processos culinários, estruturas de construções, embalagens e transportes.

Resultados Possíveis: Ofertas de novos sistemas de energias, necessitando de adaptações para restaurantes e supermercados. O negócio de design e produção de equipamentos para cozinhar irá expandir-se rapidamente. As cozinhas antiquadas, tanto comercial como domestica, serão substituídas por novos aparelhos. Chefs de cozinha serão encarados como provedores de soluções, ajudando a todos nas novas formas de adaptação das receitas tradicionais, para preparo nos novos tipos de aquecimentos. Novas oportunidades de empregos surgirão em função destas novas tecnologias. .

NOVIDADES DA ANUGA 2011: Macarons Industrializados

Design e produtos

A industrialização da tradicional confeitaria

Panquecas lúdicas

Inovação em embalagem para biscoitos

PRESENÇA BRASILEIRA

41


Maiores e Melhores

42


O

Instituto de Pesquisas – DataFoods, concluiu mais um levantamento de dados desenvolvidos nas pesquisas para apresentar as Maiores & Melhores empresas fornecedoras da Panificação Brasileira em 2011, nas categorias: Insumos, Produtos Prontos, Equipamentos & Acessórios, Aditivos & Ingredientes. Para realizar esse levantamento o DataFoods, que é uma das áreas da Max Foods Comunicação e Editora Ltda, utilizou uma equipe de profissionais para consultar o grupo-amostra, que esse ano totalizou 2360 pesquisados. As empresas constituintes do grupo-amostra tiveram o papel de reconhecer marca/empresa fornecedora

(esse ano os pesquisados puderam utilizar os formulários disponibilizados no site www.maioresemelhores.net e no www.panificacaobrasileira.com.br (extensão - pesquisa/ fornecedor). As empresas fornecedoras que venceram, não são, necessariamente, anunciantes da revista, sendo apenas reflexo da opinião dos pesquisados. As empresas que opinaram estão dentro e fora do escopo de circulação dos 17.000 exemplares mensais da Revista Panificação Brasileira, dos 10.000 da Revista Confeitaria Brasileira, dos 6.000 da Revista Cerealtec e a mesma tiragem da Revista O Empreendedor Food Service.

Os critérios para pontuação no formulário:

Para cada item desses, o pesquisado atribuiu uma pontuação dentro dos limites pré-estabelecidos. A somatória deu o posicionamento da referida empresa. Esse modelo foi aplicado dentro das categorias abaixo:

CATEGORIA INSUMOS: Principais Empresas Fornecedoras de Insumos, sendo a mais reconhecida proclamada a EMPRESA DO ANO – INSUMOS.

CATEGORIA PRODUTOS PRONTOS:

Principais empresas fornecedoras de Produtos Prontos, comercializados na área de vendas das padarias, no varejo com pão: supermercados, empórios, hortifruti

etc., e também com a mais indicada sendo a EMPRESA DO ANO – PRODUTOS PRONTOS.

CATEGORIA EQUIPAMENTOS & ACESSÓRIOS: Os mais importantes fabricantes de equipamentos e acessórios foram apontados e a empresa com maior número de indicações-pontuação é apresentada na categoria como EMPRESA DO ANO – EQUIPAMENTOS & ACESSÓRIOS.

43


Maiores e Melhores CATEGORIA ADITIVOS & INGREDIENTES: Consulta junto às Indústrias de Pães, no seu espectro de aditivos e ingredientes usados na produção de pães,que vai desde o ácido ascórbico, emulsificantes, enzimas até vitaminas, foram indicados os principais fornecedores e também apontado pelo maior número de indicações a EMPRESA DO ANO – ADITIVOS & INGREDIENTES PARA PANIFICAÇÃO INDUSTRIAL. Como sistemática do prêmio, todas as empresas apontadas na pesquisa numa determinada categoria, passam a ser indicadas para o prêmio EMPRESA DESTAQUE. No âmbito da pesquisa, ainda foi pesquisado qual empresa seria considerada melhor parceira em DISTRIBUIÇÃO, ou seja, na entrega, no mix de produtos, suporte técnico etc., e os resultados indicaram a EMPRESA DO ANO - DISTRIBUIDOR. Mais uma vez foi grande o interesse das empresas consultadas em indicar os seus fornecedoresparceiros. Outros prêmios foram instituídos e serão entregues àqueles que tiveram méritos reconhecidos em áreas especificas:

CATEGORIA TECNOLOGIA & INOVAÇÃO: Prêmio Inovação & Tecnologia – para empresas que investiram em pesquisa e desenvolvimento para aplicá-la nos seus produtos e serviços.

CATEGORIA ESPECIAIS: Prêmio Personalidade – como distinção àqueles que,

de alguma forma, fizeram ou fazem de sua atuação algo relevante para o setor no passado, presente e no futuro.

Prêmio Instituição de Ensino - prêmio de grande reconhecimento, pois a panificação brasileira tem crescido, a partir do nível de ensino ser elevado e com o preparo e/ ou critério maior de exigência do seu corpo docente.

Prêmio Instituição de Ensino - prêmio de grande reconhecimento, pois a panificação brasileira tem crescido, a partir do nível de ensino ser elevado e com o preparo e/ ou critério maior de exigência do seu corpo docente. Prêmio Fomento Empresarial - é outro prêmio de

grande reconhecimento, é destinado à instituições que principalmente podem apoiar com recursos financeiros, o setor de panificação do Brasil.

Prêmio – Programa de Apoio ao Empreendedorismo na Panificação – empresas e instituições têm desenvolvido ações de apoio ao setor de panificação e confeitaria. Como reconhecimento a importância dessas ações, no crescimento e fortalecimento do setor foi instituído este prêmio especial.

Prêmio Suporte ao Setor de Panificação – é o reco-

nhecimento de trabalhos desenvolvidos por empresas e entidades, no sentido do aprimoramento profissional do setor produtivo. A questão da qualidade e quantidade de mão de obra disponível ao setor é fundamental para o seu crescimento e estabilidade.

Prêmio – Melhores Anúncios da Panificação Brasileira – como incentivo e valorização da qualidade na

comunicação dos anúncios apresentados aos leitores das Revistas Panificação Brasileira e Confeitaria Brasileira, este ano instituímos o prêmio em duas etapas. Na primeira, serão escolhidos os cinco melhores anúncios e no dia do evento será apresentado o que se destacou nos itens: comunicação, criatividade e qualidade.

Prêmio – Quem é Quem na Panificação Brasileira

– sempre visualizando a importância das pessoas no processo histórico e empresarial no setor de panificação, a partir desse ano estaremos destacando as ações de pessoas que fizeram e fazem a nossa panificação. A lista de personagens é muito interessante e empolgante.

O Grande Evento: Com o sucesso dos Maiores & Melhores 2011, só poderíamos pensar em algo que desse uma dimensão proporcional ao crescimento do setor de panificação no Brasil. Essa dimensão é perceptível quando se olha a grandeza dos mais de 200 mil estabelecimentos onde o pão está presente, a crescente geração de empregos diretos e indiretos, e ao número dos que atuam nas padarias que já ultrapassam - um milhão de pessoas. Esses são elementos importantíssimos no contato produtivo ou comercial com o pão e os consumidores. Ressaltamos também o grande número de freqüentadores e consumidores diários de pão, a quem toda a panificação brasileira agradece. Outra parte importante desse dia é o Prêmio – 100 Melhores Padarias do Brasil, com a inclusão de uma etapa anterior a definição destas. Este ano serão premiadas as 1000 Classificadas na última etapa que destaca as 100 finalistas que estarão presentes na cidade de São Paulo, no dia 06 de Dezembro, em um dos melhores hotéis da cidade de São Paulo, o internacional Hotel Renaissance.

44


45


Maiores e Melhores

A

Max Foods Comunicação Empresarial traz ao mercado brasileiro uma grande novidade e principalmente, a possibilidade aos empresários de estarem em contato permanente com seus clientes. São stands funcionando em feiras permanentes e com eventos programados.

Como funciona?

Quando estará em funcionamento?

Os panificadores e interessados pelos setor acessam a feira, fazendo o seu cadastramento, necessitando ser empresa (ter CNPJ). Acessando a feira o panificador poderá buscar os produtos e serviços que lhe interessa. Conforme cada expositor há diferentes graus de interatividade, podendo por exemplo, o panificador entrar em contato direto com um fabricante estando dentro da feira.

A feira virtual Bakery 3D iniciará sua atividades plenas em março de 2012. Em junho ocorrerá a primeira grande feira com mais de 40 stands em funcionamento.

Outras atrações: O pavilhão de evento terá duas áreas de acesso, sendo uma livre para que o interessado possa assistir a diversas palestras. E outra onde ele pagará para assistir as palestras, que estarão ocorrendo nos salões Pão Francês e no salão Pão Italiano.

46


47


Maiores e Melhores

Prêmio - Melhores Padarias do Brasil O Prêmio: Melhores Padarias do Brasil, tem se destacado pelos critérios adotados e pela forma diferenciada de apresentar as melhores padarias em todo o Brasil. Isso significa que, dentro da proporcionalidade de cada Estado da Federação, haverá sempre ganhador(es) em cada um deles. Assim, temos o prazer de honrar panificadores que labutam em mercados altamente competitivos como São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais, como também, empresários em outras regiões do país que lidam com grandes concorrências dentro da sua realidade de mercado. O evento de entrega dos prêmios acontece no período da manhã do dia 6 de dezembro, onde para muitos empresários será um marco nas suas vidas. O evento já é antecipadamente um sucesso, pela confirmação de panificadores das mais distantes localidades do país. Um aspecto importante do evento é o mútuo incentivo dos empresários em suas falas de agradecimento. Principalmente, as grandes padarias presentes, que de forma positiva, incentivam a todos a buscarem o desafio de crescer. No evento 100 MELHORES PADARIAS DO BRASIL, serão divulgados os resultados das pesquisas realizadas pelo Datafoods, indicando as padarias de forma proporcional ao número de padarias de cada estado brasileiro. Esse ano também serão indicadas as classificadas na etapa final, indicadas pelos fornecedores do setor e dentro dos critérios:

Pontuação: Atendimento Atendimento aos fornecedores Atendimento ao público Mix de produtos Mix produtos de panificação e confeitaria Higiene Área de Produção Área de Vendas Treinamento Teórico e prático Manutenção - grau de realização Preventiva (+) Corretiva (-) Estacionamento

Pontuação 10 5 5 Pontuação 10 Pontuação 10 5 5 Pontuação 10 Pontuação 5 Pontuação 10

Número de vagas (+)/ Facilidade de acesso (+)/Manobrista (+) Lançamento de novos produtos Freqüência de novos produtos de panificação e confeitaria Divulgação/Marketing Freqüência (+)/ Qualidade dos materiais (+) / Criatividade (+) Adequação dos espaços Área de produção Área de vendas

48

Pontuação 10 Pontuação 10 Pontuação 10 5 5


49


Maiores e Melhores Assim, dentre as milhares de padarias do Brasil, foram classificadas 1000 e ao final foram apontadas as 100 melhores:

100 MELHORES

PADARIAS

As 1000 Melhores Padarias do Brasil receberão em seus estabelecimentos Certificados Especiais, junto a um exemplar da Revista Panificação Brasileira. As 100 Padarias do Brasil estarão reunidas no Hotel Renaissance – São Paulo, em cerimônia de entrega dos certificados, como apresentado ao lado, em uma moldura especial. Os empresários, como nos anos anteriores, irão expor em suas empresas, merecidamente, o reconhecimento a que fizeram jus. A premiação contará com a presença de importantes empresas, autoridades governamentais, representantes de entidades ligadas ao setor de panificação e imprensa em geral. Nesse dia haverá um importante relato do caso – Padaria xxx que além de ser uma padaria tradicional, no interior do estado de São Paulo, na cidade de Taubaté, atua com conceitos bastante interessantes a todos os panificadores: - uso do congelamento - tem ponto quente - atua em cidade tradicional - atua em cidade turística (Campos do Jordão). O jovem empresário Christian passará sua experiência relatando os sucessos e dificuldades para operar dentro dessas realidades.

O sucesso dos eventos:

Nosso especial agradecimento por todos que viabilizaram esta grande celebração, desde as empresas que patrocinaram, apoiaram e organizaram os eventos, aos profissionais de diversas áreas que se manifestaram pessoalmente com palavras de incentivo, abraços e até novas idéias, contribuindo para que esse seja mais um dos muitos eventos importantes para o crescimento e valorização desse setor de panificação em nosso País.

Organização: APRICOT A entrega dos Prêmios:

Com uma ampla divulgação junto ao setor, entidades de classe, autoridades e a mídia em geral, o evento mais uma vez aumentou sua visibilidade e importância. O conselho editorial, das Revistas Panificação Brasileira, Cerealtec e Confeitaria Brasil, além de convidados importantes, farão a entrega de prêmios aos vencedores. Abrilhantando o evento, contará com o show-man Dérico, por si só, uma personalidade carismática, e parte importante do Programa do Jô Soares, com sua competência em comunicação e importante carreira profissional. O Dérico dará o tom festivo e de descontração ao evento, fazendo a apresentação do evento e interagindo com o público.

50


Patrocinadores: Patrocínio Diamante:

Patrocínio Ouro: 6ROXÍŋHV&ULDWLYDVHP$OLPHQWRVH%HELGDV

Patrocínio Prata:

Patrocínio Bronze:

51


Maiores e Melhores

Apoio:

Circuito da História da Panificação Brasileira Além de toda movimentação do evento, haverá o lançamento do Circuito da História da Panificação Brasileira. Esse material estará a disposição de todos os convidados, ao acompanhamento e viagem pela história da panificação através de mais de 15 painéis. O material da Max Foods Comunicações e Editora em parceria com a Abip disponibilizará esses painéis para circularem pelo Brasil, nos sindicatos, escolas, etc. Para contatos sobre esses painéis contatar marketing@panificacaobrasileira.com.br.

Categoria Insumos A Empresa do Ano, dessa categoria foi escolhida como o fornecedor de insumos que reúne positivamente mais critérios para atender o dia a dia da produção de uma padaria.

EMPRESA DO ANO – CATEGORIA INSUMOS – VENCEDORA:

A Bunge é considerada a mais importante empresa do agronegócio e de alimentos no Brasil. Atua de forma integrada, do campo à mesa. É líder na comercialização de grãos como soja e trigo, além de atuar no comércio de milho, sorgo, girassol, caroço de algodão e açúcar. Em suas unidades, a Bunge produz farelo de soja e óleos vegetais, refina óleos, faz margarinas, gorduras vegetais e maioneses. É líder também na comercialização de farinhas de trigo para a indústria e de pré-misturas para o setor de panificação e confeitaria. A Bunge está no Brasil há mais de 100 anos e integra a corporação mundial Bunge Limited fundada em 1818, na Holanda, para comercializar grãos. A empresa está presente em 15 Estados brasileiros, com unidades industriais e de armazenamento, centros de distribuição de produtos para consumo, escritórios de negócios e terminais portuários. Segundo a Secex, é a maior exportadora do agronegócio, a quarta entre todas as exportadoras brasileiras e a segunda que mais gerou saldo positivo na balança comercial. A Bunge emprega, diretamente mais de 5 mil pessoas em suas unidades no Brasil, além de outros milhares indiretamente. Apresentou as características do melhor parceiro do setor de panificação, com a criação da academia Bunge e o cartão de crédito.

EMPRESAS DESTAQUES - CATEGORIA INSUMOS:

52


53


Maiores e Melhores

6ROXÍŋHV&ULDWLYDVHP$OLPHQWRVH%HELGDV

Categoria Produtos Prontos O DataFoods, analisou e contabilizou os dados da categoria de produtos prontos, onde várias empresas de renome se destacaram, todas elas com elevado grau de importância para as Padarias e o Varejo com Pão. Para essas empresas a panificação é fundamental, pela capilaridade das pequenas e médias empresas, possibilitando seus produtos chegarem nas mesas dos consumidores em todo o Brasil. Isso ocorre pelas padarias como, suas área de conveniência, pelos supermercados, empórios, hortifruti, etc.

EMPRESA DO ANO – PRODUTOS PRONTOS – VENCEDOR: Como a categoria é muito grande no numero de empresa: Coca Cola / Nestlé /Pepsico/Brasilfoods/Souza Cruz. Com atuação de destaque no País desde 1942, a Divisão Brasil é a terceira maior operação da Coca-Cola Company. O Sistema Coca-Cola Brasil é composto pela Coca-Cola Brasil e mais 17 grupos empresariais independentes, chamados de fabricantes autorizados, além da Minute Maid Mais e da Leão Junior que elaboram o produto final em suas 41 unidades industriais e o distribuem aos pontos de venda. Esta estrutura absorve cerca de 34 mil colaboradores diretos e gera mais de 310 mil empregos indiretos. Os fabricantes autorizados têm um contrato através do qual se comprometem a produzir, engarrafar e distribuir todos os produtos da Coca-Cola Brasil, observando o rigoroso padrão de qualidade mundial que é a marca da empresa. As fábricas do Sistema Coca-cola Brasil encontram-se estrategicamente localizadas em todas as regiões do País, garantindo o abastecimento de cerca de um milhão de pontos de venda, para hidratar e nutrir os consumidores brasileiros com um ampla linha de bebidas não-alcoólicas, que inclui águas, sucos, refrigerantes, chás, achocolatado, energéticos e isotônicos.

EMPRESAS DESTAQUE – CATEGORIA PRODUTOS PRONTOS

54


Categoria EQUIPAMENTOS & UTENSÍLIOS EMPRESA DO ANO – CATEGORIA EQUIPAMENTOS & UTENSÍLIOS – VENCEDORA

O prêmio este ano será partilhado por duas importantes empresas do setor de equipamentos. Cada uma delas com trajetória dinâmica e atuante na área de panificação e confeitaria. Suas ações dentro dos critérios da pesquisa atingiram forte pontuação nos itens de assistência técnica, qualidade dos produtos e divulgação/marketing. Ambas têm linha completa de fornos, equipamentos e representantes de vendas em todo o território nacional. Pela proximidade da somatória dos pontos, o comitê deferiu o empate entre as duas empresas. Ferri é a marca da Camargo e Gomiero Indústria e Comércio Ltda. A empresa, além da linha completa de equipamentos e equipe de representantes em todo Brasil, exporta para diversos países. São mais de 10 países que contam com a alta tecnologia em fornos e equipamentos para a Panificação e Confeitaria, da marca Ferri. A Prática, foi constituída em 1991 e, tem se dedicado a fabricação de fornos e equipamentos para a panificação e cozinhas profissionais. Os equipamentos da marca Prática se diferenciam em virtude do grande cuidado dedicado aos aspectos de desempenho, beleza e acabamento. Seus fornos ocupam menos espaço e garantem mais produtividade, economia, saúde, rendimento e qualidade. Com mais de 6.000 clientes, a empresa está entre as líderes do mercado e, desde agosto de 2003 é uma empresa certificada ISO 9001-2000. A linha de equipamentos para a Panificação e Confeitaria tem se destacado no mercado, sendo reforçado pela presença da empresa irmão Klimaquip, que também atinge esse mercado.

EMPRESAS DESTAQUE – CATEGORIA EQUIPAMENTOS & ACESSÓRIOS

55


Maiores e Melhores

Categoria Aditivos & Ingredientes para Panificação Industrial

A Revista Panificação Brasileira dentro da sua estratégia de cobrir toda a panificação, pesquisa sistematicamente através do seu departamento DataFoods, um dos setores mais importantes da cadeia pão – a panificação industrial. O resultado é apresentado abaixo, onde estão os principais fornecedores na pesquisa. São empresas de elevado nível de conhecimento tecnológico, que dispõe de equipe de engenheiros e pesquisadores especializados na melhoria dos processos e no desenvolvimento de novos produtos.

EMPRESA DO ANO – CATEGORIA ADITIVOS & INGREDIENTES PARA A PANIFICAÇÃO INDUSTRIAL – VENCEDORA:

A Granotec iniciou sua operação em 199l, desde então vem ampliando sua presença no mercado. Pelo segundo ano consecutivo é reconhecida como empresa do ano na categoria. Com portfólio amplo, desde enzimas, mixes e ingredientes dos mais diversos, a empresa tem alcançado uma ampla presença junto ao setor. Ela desenvolveu um modelo inovador de atuação, voltado para o aporte de tecnologia e para a evolução do setor.

EMPRESAS DESTAQUE – CATEGORIA ADITIVOS & INGREDIENTES PARA PANIFICAÇÃO INDUSTRIAL

Categorias – Especiais: Prêmio Personalidade : Como distinção àqueles que, de alguma forma, fizeram ou fazem de sua atuação algo relevante para o setor, no passado, no presente e no futuro. Os empresários homenageados foram: Empreendedor – David Remsen – Rich Empreendedor – Gilberto Poleto - Bralyx Tradição - Armando Tadei Junior Tradição – João Gomiero Ao misturar suas vidas com a de suas empresas, esses personagens fazem história dentro do setor da panificação brasileira.

Prêmio Anúncio do Ano Neogama - Bradesco / Y&R - Abecs / Olgivy - BNDES / GIACOMETT – BNDES / Winners - BUNGE / TALENT - Net. Na próxima edição você conhecerá o anúncio vencedor.

56


Prêmio Distribuidor do Ano GANHADOR DO PRÊMIO DISTRIBUIDOR DO ANO A eleita pelo terceiro ano consecutivo a Festpan Distribuidora, empresa do grupo Festpan. A Festpan atua no mercado nacional de panificação. Há mais de 30 anos. Foi fundada em 1982, sendo hoje uma das maiores fabricantes de produtos para panificação da America do Sul, ocupando uma área de 4500 m2 na cidade de São Paulo. Dentro da estratégia da empresa duas unidades foram estabelecidas, porém fazem um trabalho integralizado entre a unidade industrial e a sua distribuidora.

Prêmio Inovação e Tecnologia GANHADORES DO PRÊMIO INOVAÇÃO & TECNOLOGIA Grupo Provale - Procaucium Bralyx Poleto & Partners - Mini fábrica de salgados PICCOLA 1.8.

Prêmio Instituição de Ensino do Ano GANHADOR DO PRÊMIO INSTITUIÇÃO DE ENSINO DO ANO A CPT fundada no ano de 2000, nasceu da experiência de um dos seus diretores no Sindicato de Hotéis, Restaurantes e Bares de São Paulo. Entre os diversos cursos oferecidos pela entidades, os de panificação e confeitaria na área de qualificação são destaque da escola. Os cursos são apresentados desde nível básico ao avançado.

Prêmio Programa de Apoio ao Empreendedorismo na Panificação

Propan, desenvolvido pela empresa Marcio Rodrigues Consultoria. Com 5 anos de atuação, o programa já deu assistência a mais de 5000 padarias no Brasil. A parceria desenvolvida pelo Sindicato de São Paulo e Senai, tem levado o treinamento as mais remotas áreas do Estado de São Paulo. Isso tem sido realizado pela Unidade Móvel de treinamento em panificação e confeitaria. BNDES .

Prêmio sustentabilidade

Klabin – com embalagens de papel. Sua linha de sacos industriais de papel para embalar farinhas, premisturas e farelo de trigo, com destaque para o saco valvulado com manga soldável. È inviolável e não vaza, além de impedir a dispersão de farinha e de reduzir os riscos de contaminação do produto em áreas de estoques, tanto nos moinhos quanto nas padarias.

Prêmio Quem é Quem na Panificação Brasileira

Os eventos promovidos pela Max Foods Comunicação Empresarial, trazem ao setor de panificação: • • • • • • • •

Excelente oportunidade de manter o net working, A obtenção de indicativos para ações em 2012 Informações para reavaliar planos, introduzir novas ações de marketing, P&D e de vendas

RAFAEL VILA NOVA - AdimiX Sandra Ende Garrido - Arcor Gumercindo Dal’aqua - Emulzint Marcio Lopes - Xamego Bom Chef Boulangerie Johannes Roos - representou o Brasil no Mundial Du Pain este ano em

St. Etienne na França. O “Mundial do pão” é organizado a cada 2 anos pela Associação mais importante de panificação do mundo, Ambassadeurs du Pain. E a nossa classificação em 8º lugar deve-se a grande experiência do Johannes e ao trabalho em equipe do time da Puratos.

• Flavio Ribeiro Barros. - Vigor • Gabriel Gaioto - Harald • Lucas Piubelli - Mix

57


Campanha - Fature esta idéia

Campanha NacionaL

Panetone 2011 Lançamos em 2008, com exclusividade a Campanha Nacional de Apoio às Vendas de Panetones. De lá para cá a produção e consumo de panetones no Brasil tem crescido. Em parte podemos atribuir a esse crescimento a divulgação sistemática que realizamos.

Por Augusto Cezar

58


59


O

mês de outubro, deste ano, já sinalizou aquecimento nas vendas de panetones, não sendo apenas os tradicionais, pois esses cada vez mais estão dividindo espaço com panetones recheados de mousse de chocolate preto e branco, floresta - negra, coca-cola, sorvete e com as duas últimas invenções, doce de leite e goiabada. Sem dúvidas, o crescimento do consumo de panetone continua sendo promissor, pois: - a qualidade dos produtos tem aumentado; - o número de variedades é acrescido a cada campanha - as classes C e D, acessam cada vez mais a produtos especiais - surgem alternativas para aqueles que têm restrições alimentares. O que falta para você faturar mais? Talvez, planejar e disparar uma nova campanha de vendas de panetone, só isso. Esse é o selo que expomos na revista, significando que tem informação útil para você vender mais panetones e seus correlatos. Esse é o momento final para preparar as vendas desse importante produto. Lembrando que a oportunidade de venda de Panetone, pode ser para o ano inteiro, e não só no Natal. No ano passado em 2010, os anunciantes apresentaram aos seus clientes todas as possibilidades de produção e vendas de panetones e produtos correlatos, o que fortalece o sucesso da campanha. Criamos o logo de incentivo ao aumento nas vendas de Panetone que partiu da convocação: FATURE ESSA IDÉIA!!!. Panificador, você pode fazer produtos que tenham na embalagem esse selo. Os novos fornecedores interessados podem entrar em contato com o nosso departamento especializado

Fature essa idéia! 60

Campanha - Fature esta idéia através do email : marketing@panificacaobrasileira.com. br - sua empresa receberá o material com qualidade para aplicação onde você deseja divulgá-la. Com o foco dirigido às empresas de pré-misturas, melhoradores, embalagens para panetone, frutas cristalizadas, passas, caixas e etc, para agirem fortemente junto aos produtores de panetones em todo o Brasil. Novamente destacamos o esforço de todo o setor de panificação para o crescimento das vendas de PANETONE E PRODUTOS CORRELATOS. Esse esforço permitirá: 1-Gerar CRESCIMENTO DAS VENDAS DE PANETONE E CORRELATOS EM TODO O BRASIL, pela preparação e despertamento de todos da cadeia de produtos para panificação; 2- Que sua empresa possa se DESTACAR NO PERÍODO DE VENDAS DESSES PRODUTOS; 3- A consolidação de parceria com BONS FORNECEDORES DE PRODUTOS PARA PANETONE E CORRELATOS e assim você DISPONIBILIZARÁ O MELHOR PANETONE PARA OS SEUS CLIENTES; 4- TER ESTENDIDO O TEMPO DE VENDAS DOS PANETONES E CORRELATOS PARA TODO O ANO. 5- Atenção ao público infantil, que não é muito adepto ao panetone tradicional. Para eles é interessante apresentar alternativas, inclusive com embalagens mais atrativas. Queremos que você busque o apoio dos bons fornecedores!!! Em todo o Brasil, sua empresa encontrará excelentes parceiros fornecedores de misturas prontas, mixes, farinha de trigo, melhoradores, frutas cristalizadas, embalagens, etc. Essas empresas estão prontas para ajudar a todos os tamanhos de produção de panetone. Uma recomendação especial, é para as padarias, que também vendam Panetones de marcas reconhecidas pelos consumidores.


61


Moinhos, Moagem & Farinhas

O

mercado no passado tinha duas alternativas, uma era o uso de farinha de trigo com toda a formulação sendo preparada pelo padeiro, e outro era fornecida pela Emulzint, que disponibilizava o Pamix, que é uma base emulsionada, a qual se adiciona a farinha de trigo, e complementam-se com ovos, frutas cristalizadas e passas, além do liquido de ajuste. Esse produto com alto padrão de qualidade viabilizou a produção de panetones em todo o Brasil. Tal a qualidade deste que o produto permanece em linha na empresa. Muitos continuarem produzindo com farinha de trigo e formulação própria, outros seguiram o caminho apresentado pela novas empresas internacionais e empresas nacionais que colocaram no mercado novas alternativas de base e misturas. Muitos fabricantes de melhoradores para pães expandiram suas linhas de produtos, principalmente, para a produção de pré misturas. Claro, não poderia falta pré misturas para panetone. Algumas empresas seguiram o modelo “pasta” em balde. Outras foram na direção dos produtos em pó. Os avanços tecnológicos e melhores controles sobre as matérias primas, viabilizou a adição de gemas diretamente no produto, tanto base emulsionada como na forma pó. No mercado é possível encontrar grande variedade de fornecedores e de produtos e marcas. Além destes, os moinhos de trigo que expandiram e continuam acrescentando novas misturas prontas ao seu portfólio, tem olhado a possibilidade de atuar com pré misturas para panetone. É constatado que o consumo de panetone cresce em volume e variedade, mas que também tem ampliado o período de consumo, ou seja, o panetone não é mais consumido nos períodos pré natal e natal. Isso atrai a todos, indústrias de embalagens, fabricantes de chocolate e produtos alimentícios para decoração, empresas de equipamentos, enfim, todos da cadeia.

O Grande Moinho Cearense - fabricante de farinha de trigo com 52 anos de atuação nos mercados do Norte

62


e Nordeste - vai investir R$ 200 milhões na construção de uma unidade no Complexo de Suape. O empreendimento vai dobrar a capacidade de produção da empresa, que este ano chega ao topo no moinho em operação no Porto do Mucuripe, em Fortaleza. A estimativa é começar as obras em março do próximo ano para processar as primeiras sacas de trigo a partir de dezembro de 2013. O novo moinho vai se instalar em uma área de 50 mil m² nas proximidades do concorrente holandês, o Moinho da Bunge (maior em operação da América do Sul), na área portuária de Suape. “Hoje temos uma limitação de vendas na área que vai da Paraíba à Bahia, por conta da falta de capacidade de produção para atender essa região. Nos últimos dois anos crescemos a uma taxa de 29%”, diz o presidente do Grande Moinho Cearense, Roberto Schneider. A unidade cearense tem capacidade para processar 1.000 toneladas de trigo por dia e a de Suape poderá fazer 1.300 toneladas. “Vamos começar operando com pelo menos 50% dessa capacidade”, adianta. O moinho vai gerar 200 empregos diretos e otimizar a distribuição no mercado nordestino. “Pernambuco e Suape são estratégicos como localização”, diz Schneider, sem demonstrar muita preocupação com rivais como Bunge e M.Dias Branco. “Essa concorrência já existe e é natural a formação de polos moageiros porque as empresas procuraram regiões portuárias e com terminais de grãos”, diz. Atualmente, 80% das vendas do Moinho Cearense estão concentradas no segmento de panificação, tanto na venda direta para padarias, quanto a atacadistas. O restante é comercializado para indústrias de massas e biscoitos e para o mercado doméstico. O único produto para

o consumidor direto é a farinha de trigo de um quilo da marca Dona Maria. “Nosso diferencial é a qualidade do produto. Trabalhamos com itens premium com preços um pouco acima da média do mercado”, destaca o executivo. Ele explica que o trigo adquirido pelo Moinho Cearense vem da região argentina de Bahía Blanca, reconhecida pela excelência na fabricação do grão que resulta na melhor qualidade de pães, massas e bolos. O Nordeste responde por 23,6% do mercado nacional de trigo e tem espaço para crescer. A região tem um consumo per capita de 37 quilos de trigo ao ano, bem abaixo da média nacional que é de 54 kg/habitante/ano. Esse potencial de expansão explica o investimento do Moinho Cearense para dobrar a produção. “Em 2009 inauguramos uma ampliação da fábrica que consumiu investimento da ordem de R$ 50 milhões e permitiu dobrar a capacidade de produção do moinho. Mas ainda não foi suficiente para acompanhar a demanda. Dois anos depois da expansão, a unidade vai alcançar sua capacidade máxima”, observa. Em 2009, a produção anual do moinho era de 3,2 milhões de sacas de 50 quilos. Para este ano, a previsão é atingir 4,8 milhões de sacas. “Por isso precisamos correr para construir o moinho de Suape o quanto antes”, justifica. A diretoria do Complexo de Suape informa, por meio de sua assessoria de comunicação, que a autorização para liberação do terreno do moinho já foi encaminhada à Agência Nacional de Transportes Aquaviários e que o órgão tem seis meses para se pronunciar sobre o pleito. Fonte: Jornal do Commércio Pernambuco


Consumidor

O

s consumidores da Geração Y, composta por indivíduos nascidos entre os anos de 1978 e 2003 e que cresceram sob a influência direta da internet, são infiéis. Isso se deve ao fato de esses jovens não desenvolverem afeição a marcas ou empresas, por considerarem tal comportamento a expressão de um desejo comportamental coletivo e, o que eles buscam é justamente o contrário, ou seja, deixarem suas marcas individuais por onde passam. Impulsivos, individualistas, impacientes, antenados e liberais no consumo, esses “nativos digitais” querem novidades. Essas características foram registradas por pesquisa divulgada, recentemente, em janeiro de 2010 pela Bridge Research, empresa paulista fundada há pouco mais de um ano e especializada no público jovem, que entrevistou pessoas com idade entre 18 e 30 anos da Grande São Paulo, do Rio de Janeiro e de Porto Alegre, das quais 48% homens e 52% mulheres das classes

64

A, B e C. Como para esses clientes não há barreiras na comunicação, eles esperam que as empresas hajam da mesma forma. Portanto, além de lançar mão dos meios convencionais de divulgação do produto, as companhias precisam usar a tecnologia da informação corretamente e a favor de seus negócios, utilizando as novas mídias e os canais digitais. Nos plantões de vendas vêm aumentando a presença de jovens em busca de empreendimentos ao mesmo tempo sofisticados, funcionais, diferenciados e que caibam nos seus bolsos. Incorporadores e empreendedores imobiliários têm trabalhado para atendê-los e oferecem prédios com recursos muitas vezes inovadores demais para as empresas especializadas em administração de condomínios, responsáveis por auxiliar síndicos na tarefa de manter esses espaços funcionando plena e perfeitamente.

Operacionalizar novos edifícios ocupados por uma nova categoria de moradores significa um desafio para as administradoras, que deve se adaptar a essas inovações tecnológicas, treinar funcionários e apresentar diferenciais. É preciso deixar a zona de conforto e modernizar processos, sem deixar de cumprir as exigências legais das atividades de síndico e gestor predial. “Pessoas digitais” e empreendimentos modernos requerem especialização e capacitação de seus administradores e educação é a via de mão dupla para o sucesso empresarial em tempos de revoluções culturais. A era digital trouxe economia de tempo para que todos vivam mais e melhor. João Crestano é presidente do SecoviSP, da Comissão Nacional da Indústria Imobiliária da CBIC e reitor da Universidade Secovi.


65


Saudabilidade

66


67


Tudo sobre Pães

O

s pães Crocantes, Macios, com Fibras, Multicereais, Internacionais, sem glúten, e orgânicos, fazem parte do prazer de comer é característico do ser humano, nisso investe tempo e recursos. Atualmente, se tem acrescentado outros elemento ao ato de se alimentar, por exemplo, os cuidados com a saúde, que tem si tornado uma das maiores preocupações das pessoas. Para o setor de panificação, essa tendência aponta para perspectivas de desenvolvimento de uma linha de produtos saudáveis. O desafio de todos da cadeia trigo – pão é manter o sabor desses produtos tão bom quanto aos

68

que os consumidores já costumados. Pães Crocantes Casca grossa ou fina, não esfalenta.... Pão francês, baguete, .... Baguette e ciabatta Em todo o mundo o Baguette francês é considerado a especialidade número um. Pode ser produzido fresco ou (pré-assado) congelado, e provém de uma famosa cozinha: o autêntico Baguette à l’ancienne. Os melhoradores, sabores e soluções são desenvolvidos para manter a qualidade e a

uniformidade em um padrão alto e regular; ajudando-o a fazer o Baguette perfeito dia após dia. O pão ciabatta, uma especialidade italiana, apesar de não ser fácil de produzir, conquistou o mundo. As características típicas desse maravilhoso pão gourmet é o miolo aberto, a casca do pão grossa e crocante, e o sabor de massa madre natural.As empresas desenvolvem linha de múltiplas soluções para cada tipo de produção: fresco ou congelado, com ou sem prémassa, com processo de fermentação longo ou curto. Pães macios Alguns consideram o pães macios uma versão mais light do pão de hambúrguer. Observando a grande varie-


69


Tudo sobre Pães dade de pães doces em muitos países, esse tipo de pão merece identidade própria. O desafio número um nesse tipo de produto é atingir maciez máxima sem que o miolo colapse. NOVO - Pão de Hamburguer, hot dog e bisnaguinhas Produzir o pão perfeito é quase uma ciência, assim como a utilização de um condicionador correto para o pão de hambúrguer, hot dog e bisnaguinhas. Pães com miolo branco e qualidade inigualável para consumo é raramente obtido por acaso. A tecnologia de ingredientes tem desenvolvido para permitir a obtenção de pães de forma com padrão de qualidade. A adição de vitaminas tem sido estudada e discutida como uma possibilidade de enriquecimento desses tipos de pães que tem uma larga aceitação, principalmente, as bisnaguinhas entre as crianças. Pães com Fibras Pão integral O Pão Integral, com o acréscimo de trigo tem sabor e textura típicos. Sua preferência já é consolidada no mercado. O processo de produção e ingredientes utilizados devem ser de alta qualidade. O processo fermentativo para a formaçõa de ácidos orgânicos e os ingredientes que não deixam sabor residual, pois, desempenham papel importante no potencial de percepção dos consumidores dos diferenciais desse pão. Os ingredientes, enzimas e emulsificantes nesse tipo de pão são muito importantes para manter principalmente, o seu frescor. Versões light dependem ainda mais da qualidade das farinhas de trigo e dos ingredientes. Pão de centeio O Pão de Centeio com seu sabor e textura típicos tem atraído cada vez mais os consumidores. O processo de produção e ingredientes utilizados devem ser de alta qualidade. O processo fermentativo para a formaçõa de ácidos orgânicos e os ingredientes que não deixam sabor residual desempenham papel importante no potencial de percepção dos consumidores dos diferenciais desse pão. Os ingredientes, enzimas e emulsificantes nesse tipo de pão são muito importantes para manter principalmente, o seu frescor. Versões light dependem ainda mais da qualidade das farinhas de trigo e dos ingredientes. Pães Internacionais – pita, pão sírio... O mundo possui uma enorme diversidade de pães: pão italiano, ciabatta, pão indiano naan, pão árabe, pão grego choriatiko, baguette francesa ..... (mudado parcialmente) Os consumidores cada vez mais descobrem o prazer proporcionado pelos pães multiculturais. Os bons fornecedores se empenham em pesquisar esse mercado e a enfocar em seus planos de ação trabalho para sua áreas de pesquisa & desenvolvimento as possibilidade de acrescentar ao portfóli, novas misturas para pão e conceitos internacionais. A globalização dissemina novas idéias e produtos. A pizza, o pocket e o pão pita grego são exemplos perfeitos dos novos pães que podem ser encontrados em todas as partes do mundo. Mas, novos pães requerem também novas técnicas de produção e novos ingredientes. Brioche Nenhum outro pão fica tão próximo aos irresistíveis bolos quanto os brioches. Os frances es criaram toda uma cultura ao seu redor. O brioche perfeito possui um equilíbrio sutil entre uma sensação úmida a boca, um forte sabor amanteigado e um excelente prazo de validade. A Puratos, uma empresa vertical e horizontalmente integrada, ofe-rece soluções completas de ingredientes para todos os desafios enfrenta-

70


71


dos pelos produtores de brioche em todo o mundo. Pães Multicereais Pães Mistos, uma especialidade da Europa, têm o ponto de equilíbrio entre a textura densa de um pão de centeio puro e a leveza do pão de trigo. Baseiam-se em um delicado equilíbrio entre os dois princípios de produção dos dois pães. Pães Multicereais Existe uma grande diversidade de Pães Multicereais no mercado. No entanto, desenvolver o produto, é mais complicado do que somente misturar alguns grãos e sementes em uma massa padrão. A Puratos desenvolveu uma linha ampliada de misturas multicereais originárias de todas as partes do mundo, e obteve grande êxito no mercado. Tegral Light Pães sem glúten O glúten é uma substância encontrada no trigo e outros cereais, como a cevada e aveia. Consequentemente, os pães em geral feito com trigo contém glúten. Outros produtos da panificação e confeitaria também estão nesse grupo. È muito importante que todos os produtos embalados a base de trigo declarem que “contém glúten”, inclusive isso é obrigatório. Com uma demanda crescente no mercado, onde por indicação medica e nutricional algumas pessoas são indicadas para não consumirem alimentos que contenha essa substancia. Segundo os especialistas para essas pessoas a presença do glúten pode gerar, acelerar danos identificados nessas pessoas por sintomas tais como: intolerância alimentar, obesidade, baixa imunidade, intoxicação, demartites herpetiforme, depressão, etc. Os pães feito com ... podem declarar que “não contém glúten” em sua composição.. citando isso nas embalagens do produto... Algumas empresas estão se dedicando a oferecer essa alternativa para esses consumidores com restrições... o que vem em favor de atender a dificuldade destes de encontrarem no mercado tais produtos. Atualmente, é mais disponível encontra-los em casas especializadas, como lojas de produtos naturais. Contudo, já existem pequenas fabricas de pães se especializando nesse tipo de produção... São pães que a sua forma é composta de : Farinha de arroz, Fécula

72


de milho, Fécula de tapioca, Fécula de batata, melhorador, sal, gelatina, clara de ovo, óleo vegetal, vinagre, açúcar, fermento. Podendo ser encontrados formulas com: farinha de batata doce, estabilizante, gergelim. Pães orgânicos A preocupação com os aspectos ecológicos tem crescido no Brasil nos últimos anos. Paralelo a isso os alimentos que não afetem o eco-sistema tem crescido. Junto a isso tem-se o crescimento do cuidado das pessoas com a saúde e consequentemente com a busca por alimentos mais naturais. Assim cresce o consumo de alimentos orgânicos, ou seja, alimentos sem substãncias químicas, conservantes ou agrotóxicos. Isso na panificação é visto na fabricação de pães, bolos e biscoitos orgânicos. Já tem surgido pequenas fabricas de produtos panificados com linha de produção exclusiva para produtos organicos. Atualmente, o mercado já disponibiliza farinhas de trigo orgânico, açúcar mascavo, que foi um dos primeiros, ... A norma exige que 95% dos ingredientes sejam organicos e 5% podendo ser convencional... Atualmente, é possível encontrar pães: integral... Os pães orgânicos por não ter conservantes tem curta validade... Pães saudosistas Há um nicho de mercado para pães com apelo para receitas antigas, como da vovô, da fulana, do sicrano. Quando bem trabalho esse nicho pode ter um desenvolvimento muito interessante dentro da padaria.

73


Segurança Alimentar

A

garantia e promoção da Segurança Alimentar e Nutricional (SAN), compreendida como o direito a uma alimentação de qualidade, em quantidade suficiente de modo permanente e para todos (CONSEA, 2004) ainda representa um desafio para a sociedade e uma meta a ser alcançada, assim como a construção de uma vida sustentável no planeta. Um sistema de produção é composto por todas as instituições, setores sociais e atividades relacionadas com o fornecimento do alimento, desde a produção agrícola, distribuição, comércio e consumo. Quando todas as etapas respondem ecologicamente, ou seja, quando todas as etapas colaboram para a preservação ambiental, este sistema é considerado sustentável. A sustentabilidade do sistema alimentar é essencial a fim de garantir o provimento futuro de alimentos que protejam tanto a saúde humana quanto a do planeta (PREUSS, 2009). Cada etapa do ciclo de vida do produto traz conseqüências ao meio ambiente, essas conseqüências dependem de fatores como: o tipo de alimento (origem animal ou vegetal, processado, da época), e as técnicas utilizadas (consumo de energia, uso da terra, água, toxicidade dos pesticidas, meio de transporte, distância percorrida e o empacotamento). Estas etapas têm continuidade até o

74

consumo: transporte do alimento até o estabelecimento a ser consumido (lar, restaurantes, empresas), acondicionamento (uso de energia), preparação (uso de energia através do cozimento ou descongelamento), e lixo (PREUSS, 2009). Diversos aspectos impactam o meio ambiente, como dito por Wendell Berry, fazendeiro e economista americano, “Comer é um ato agrícola”. É também um ato ecológico, além de um ato político. Fonte: CONSEA – Conselho Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional. Princípios e Diretrizes de uma Política Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional. Brasília: CONSEA, Brasília, 2004 PREUSS, K. Integrando Nutrição e Desenvolvimento Sustentável: Atribuições e ações do nutricionista, setembro, 2009. Disponível pelo site: http://artigos.netsaber.com.br/resumo_artigo_19289/artigo_sobre_integrando_nutricao_e_ desenvolvimento_sustentavel:_atribuicoes_e_acoes_do_ nutricionista. Fonte: Segurança Alimentar e Nutricional (SAN) & Sustentabilidade - Diário do Verde.


75


Alimento e o Mundo

ALTA NO R$ DOS ALIMENTOS A

nálise foi feita pelo representante da entidade em fórum sobre inovação da agricultura, que também destacou a importância do agronegócio brasileiro para a produção de alimentos A alta nos preços dos principais produtos alimentícios registrada nos últimos quatro anos empurrou cerca de 70 milhões de pessoas consideradas pobres para a linha de extrema pobreza, segundo os critérios da FAO – Organização Mundial das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação. “Essa situação de extrema pobreza é caracterizada por uma condição em que refeições deixam de ser realizadas e há a situação concreta de morte pela fome”, destacou Hélder Muteia, representante da FAO no Brasil durante a terceira edição do Fórum Inovação – Agricultura e Alimentos para o Futuro Sustentável, promovido em São Paulo nesta quinta-feira, dia 20, com o apoio da ABAG – Associação Brasileira do Agronegócio e da ANDEF – Associação Nacional de Defesa Vegetal, com apoio da FAO. Ainda de acordo com Muteia, a situação mais crítica na questão da fome é no chamado “chifre da África”, que engloba Somália, Eritréia e parte do Sudão. “Só ali, estão ameaçadas cerca de 12,4 milhões de pessoas”, lembra ele. Em sua palestra ele salientou que a situação tende a se agravar. “A tendência é de os preços agrícolas continuarem subindo, ao mesmo tempo em que a demanda segue em contínuo crescimento”. Nesse sentido, acrescentou, o consumo anual de soja da China, por exemplo, que era de 600 mil toneladas em 1995, saltou para impressionantes 52 milhões de toneladas, no ano passado. Para atenuar esse quadro,

76

PARA A FAO, ALTA NO PREÇO DOS ALIMENTOS EMPURROU 70 MILHÕES PARA A LINHA DA MISÉRIA NOS ÚLTIMOS 2 ANOS segundo Muteia, a FAO definiu como necessária algumas medidas. “A principal delas, sem dúvida é o combate às desigualdades. A pobreza é a mãe da fome”, diz o representante da FAO no Brasil. As outras iniciativas são: investimento para melhorar o acesso á tecnologia, água e terra por parte dos agricultores, criar uma rede de proteção social e fazer com que as lideranças mundiais abordem a questão da fome como uma prioridade.

...o Brasil tem a oportunidade de se tornar o grande supridor de alimentos do planeta...

Além do representante da FAO, que fez a palestra inaugural do Fórum, também participaram representantes de várias entidades ligadas à agricultura e também a secretária de Agricultura e Abastecimento de São Paulo, Mônika Bergamaschi. Segundo ela, nesse cenário crítico da alimentação no mundo, o Brasil tem a oportunidade de se tornar o grande supridor de alimentos do planeta. Outros palestrantes do evento, que contou com a presença de 150 pessoas, também enfatizaram as boas perspectivas brasileiras. Lembraram, por exemplo, que o País é hoje o terceiro maior exportador do agronegócio mundial; que a produtividade de grãos e oleaginosas cresceu 147% nos últimos 30 anos, chegando a 159 milhões de toneladas em 2010; e que atualmente o setor responde por 22% do PIB nacional. “Além disso, tivemos um ganho de produtividade expressivo na agricultura. Para se ter uma ideia, hoje

produzimos 350% a mais de arroz do que produzíamos em 1975”, lembra Filipe Geraldo de Moraes Teixeira, chefe da Assessoria de Inovação Tecnológica da Embrapa. Já a nutricionista Joana D´Arc P. Mura chamou a atenção para aspectos relativos a hábitos alimentares nocivos à saúde. Segundo ela, o sedentarismo, o estresse e o consumo excessivo de sal, açúcar e gordura tem sido o grande causador de diversas doenças. “Nós estamos chegando num ponto em que a alimentação errada da mãe tem provocado o registro de doenças coronarianas no feto já no terceiro mês de gestação”, afirmou. Segundo a nutricionista, doenças decorrentes de alimentação inadequada já representam um gasto anual de R$ 1,5 bilhão na conta do SUS. Segundo Luis Fernando Ceribelli Madi, diretor geral do Ital – Instituto de Tecnologia de Alimentos, é necessário adotar em relação à alimentação a mesma estratégia empregada, há muito anos, na questão da valorização da reciclagem. “Hoje as crianças já são um grande multiplicador nas famílias dos conceitos sobre a importância da reciclagem e da sustentabilidade ambiental. E isso foi aprendido nas escolas”, comenta ele. O Fórum Inovação foi encerrado com uma homenagem a José Graziano da Silva, que toma posse em janeiro no cargo de diretor geral da FAO, sendo o primeiro brasileiro a assumir o posto. Como José Graziano se encontra em viagem ao exterior, o prêmio foi entregue pelos dirigentes da Andef e da Abag a Hélder Muteia, representante do órgão no Brasil, que leu um contundente discurso de agradecimento elaborado por Graziano.


77


Indicadores: Padarias

100

95

75

O

25

5

s dados do Instituto de Pesquisas DataFoods, o único no Brasil especializado em panificação e confeitaria, apresentados mensalmente, apontam a variação comparativa dos preços do quilo do Pão Francês. Nosso objetivo é dar aos panificadores informa-

ções sobre as movimentações de mercado buscando auxiliá-los no posicionamento do melhor preço baseados no real custo de produção e comercialização. Abaixo temos as variações entre os meses de Agosto e Setembro, nas quatro regiões:

0

Sul: preço máximo e mínimo forma mantidos Sudeste: preço máximo caiu R$ 0,10 e preço mínimo manteve. Norte: preço máximo - manteve , preço mínimo - caiu R$ 0,05 Nordeste: preço caiu R$ 0,25, preço mínimo - caiu R$ 0,15.

Confira nos gráficos: Preço Pão Francês Sudeste Dezembro 2011 [PMC118]

Preço Pão Francês – Sul Dezembro 2011 [PMC118]

Preço Pão Francês – Nordeste Dezembro 2011 [PMC118]

Preço Pão Francês – Norte Dezembro 2011 [PMC118]

“Como temos apontado, tem ocorrido um crescimento nos preços mínimos, isso se torna mais importante quando cruzado com os gráficos abaixo que indicam os percentuais de faixa de preço. É perceptível quanto se compara com meses anteriores o deslocamento da quantidade com preços mínimos para as faixas superiores”. Região Sul

Região Sudeste

Região Norte

Região Nordeste 100

95

75

25

5

78

0


79


Indicadores: Industrias

´

O

gráfico abaixo trás novos resultados do levantamento realizado pelo Centro de Pesquisas – DataFoods, nas quatro regiões brasileiras: Sudeste, Nordeste, Norte e Sul, ADICIONAR com os preços dos produtos: forma branco, pão integral, bisnaguinhas e pão de leite.

~

A análise dos preços dos pães industriais foi tomada diretamente nas gôndolas. No comparativo de preços dos meses de Agosto x Setembro 2011 o comportamento do mercado foi o seguinte:

Preço Pão de Forma , Pão Integral, Bisnaguinha e Pão de Leite - Sul, Sudeste e Nordeste – Setembro 2011 [PMCIND25]

O pão de forma: preço máximo manteve, mínimo caiu R$ 0,10. O pão integral: preço máximo caiu R$ 0,09 e mínimo manteve. Bisnaguinhas:preço máximo e mínimo cairam R$ 0,26 e R$ 0,20, respectiva Pão de Leite: preço máximo manteve e mínimo caiu R$ 0,10. O acompanhamentos dos preços dos pães tomados nas gôndolas de padarias e supermercados apresentaram uma diferença em relação as Lojas de Conveniências em 9% mais elevados.

Confeitaria Industrial: Da mesma forma foram conduzidas as pesquisas com os produtos de confeitaria. Os produtos analisados foram: bolos de laranja, chocolate e coco. Os preços (kg) pesquisados dentro do panorama nacional das quatro regiões: Norte, Sul, Nordeste e Sudeste, tiveram o seguinte comportamento:

Bolo de Chocolate: preço máximo manteve e preço mínimo caiu R$ 1,58. Bolo de Laranja: preço máximo e mínimo subiram, respectivamente R$ 0,44 e R$ 0,28. Bolo de Coco: preço máximo e mínimo subiram, respectivamente R$ 0,37 e R$ 1,40

80


81


Notícias

Häagen-Dazs conquista os paladares

Xamego Bom oferece pasta de Doce de Leite

Sabores do oriente aterrissam no Brasil com lançamento Green Tea & Hibiscus que chega exclusivamente nas lojas Häagen-Dazs A Häagen-Dazs traz novo sabor para aqueles que não abrem mão do sorvete mesmo nos dias de inverno. O GreenTea&Hibiscus conquistou os requintados paladares asiáticos e europeu e desembarca no Brasil nas 12 lojas da Häagen-Dazs distribuídas pelo país, por tempo limitado. O exótico Häagen-Dazs Green Tea&Hibiscus traz a combinação perfeita e inesperada do chá verde, muito apreciado e usado na culinária japonesa, com notas florais e cítricas da calda de hibisco. Uma novidade que vai mexer com os sentidos. Além disso, os apreciadores poderão se deliciar com uma surpreendente receita elaborada com uma generosa bola do novíssimo sabor Green Tea&Hibiscus, juntamente com outra porção do inconfundível Vanilla Häagen-Dazs, acompanhada de pedaços de cones crocantes, coulis de framboesa servido com kiwi, avelãs caramelizadas e chantilly. Os sorvetes Häagen-Dazs são elaborados com ingredientes naturais selecionados, puros e de qualidade superior, trazendo sabores únicos e uma textura suave e cremosa. A HäagenDazs chegou ao Brasil em 1997, trazida pela multinacional General Mills - quinta maior empresa no ramo de alimentação do mundo e hoje possui doze lojas no país.

Atendendo as exigências do mercado, a Xamego Bom traz para o mercado o Doce de Leite Forneável, com as mesmas características do Doce de Leite, mas com a vantagem de suportar a temperatura de cozimento no forno até 300 graus. Por ser elaborado com gordura especial, na hora o produto forma um tipo de malha na superfície, evitando a umidade, que por sua vez, aumentaria a viscosidade. Esta evolução favorece a estabilidade do recheio, pode ser aplicado em pizzas, dentro do rocambole, croissants, roscas doces recheadas, muffins, entre outros.

Lançamento Ceratti Ceratti apresenta linha de presuntos fatiados espanhóis A Ceratti, marca de mortadelas e embutidos, apresenta duas linhas de fatiados importados: Jamon Serrano Fatiado e Jamon Ibérico Fatiado “Pata Negra”. Os presuntos espanhóis podem ser usados em sanduíches, tábuas de frios, petiscos, acompanhamentos e culinária em geral. Os lançamentos também buscam atingir pessoas que querem experimentar novos sabores ou que utilizam produtos Premium.

Panetones Panco Mantêm a Qualidade da Marca Já está sendo comercializada a linha de Panettones da Panco, lançada em 2009 e que agradou em cheio os consumidores. Mantendo a qualidade já reconhecida em outras linhas de produtos da marca, os panettones . Panco são elaborados com ingredientes cuidadosamente selecionados, livre de gorduras trans e com fermentação natural, que os deixam com uma textura macia e úmida.

82

Utilizado em balas e outros doces, como bolos, biscoitos ou sorvete, o Doce de Leite é um doce tradicional de diversos países da América Latina, é, também, famoso pela sua utilização no recheio de churros. A Xamego Bom, indústria de doces para recheios e coberturas, oferece a pasta de Doce de Leite. Prático e delicioso, o produto segue as exigências dos públicos de panificadoras, confeitarias, casas de café e chá, hotéis, restaurantes e lanchonetes, supermercados e mercearias, além dos buffets.

Panificação lança livro no CONGREPAN Com o objetivo de difundir a história da panificação no Paraná, o SIPCEP – Sindicato da Indústria de Panificação e Confeitaria no Estado do Paraná - lança um livro que conta desde a origem da profissão até as conquistas atuais. O Lançamento acontece no CONGREPAN – XXIX Congresso Brasileiro da Indústria de Panificação e Confeitaria no Paraná, que segue até o dia 28 de outubro, no Rafain Convention Center. A obra possui 104 páginas, com ilustrações coloridas e um texto leve e faz parte das comemorações de aniversário do SIPCEP, que completa 70 anos em 2012. O autor José Paulo Fagnani também reuniu a história do setor no Brasil, informações sobre o padeiro e o pão, além de discorrer sobre as atividades desenvolvidas pelo SIPCEP e toda a sua trajetória. Para o presidente do sindicato, Vilson Felipe Borgmann, o livro também serve para deixar registrado na história as conquistas do setor. “Um dos destaques é a entrada do Paraná no Guinness Book, com o maior pão do mundo, que pesou 1.571,25 kg”. “Fazer o lançamento de uma obra tão importante como o livro da panificação dentro do maior congresso do setor no Brasil aumenta a quantidade de leitores e de conhecedores da profissão como um todo”, afirma o presidente do CONGREPAN, Joaquim Cancela Gonçalves.


83



PB_33