Page 1


Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” Faculdade de Arquitetura, Artes e Comunicação Projeto de Conclusão de Curso Design Gráfico Fevereiro de 2014 Kaori Yorado Yamazaki R.A.: 1033689 Orientação: Profª Fernanda Henriques


AGRADECIMENTOS Este projeto de conclusão de curso é dedicado aos meus pais, Mary e Sergio, que me ensinaram a sempre batalhar pelo que me faz feliz, não importa o que seja; Que sempre me apoiaram em todas as minhas decisões e sempre me incentivaram a perseguir meus sonhos; Que me ensinaram a nunca desistir, e perceber que as coisas acontecem para aqueles que se esforçam; Que me ensinaram a felicidade, e a privilegiar a saúde e a vida que temos; Que me ensinaram o amor, e o quanto fui privilegiada por ter crescido ao lado de pessoas que me querem bem. À vocês, gostaria de agradecer todos os dias, e mesmo assim, minha gratitude não seria expressa por completo. Agradeço também a toda a minha família. Apesar da distância, essa pessoa nunca deixou de estar presente; Com todo o incentivo e otimismo, cada palavra de encorajamento e consolo, ele faz tudo parecer mais fácil. Por isso e muito mais, quero agradecer ao Victor, por ser a pessoa mais incrível que já conheci, e por me fazer perceber que sempre estamos juntos; com cada obstáculo, cada despedida, me ensinou a manter a cabeça erguida e o coração forte, pois onde há uma vontade, sempre há um caminho. Agradeço às minhas amigas de infância, Daniela e Isabela, por sempre me darem o conforto de uma amizade forte e antiga, daquelas que duram para a vida toda. Vocês são minha inspiração e minha fé sobre amizade verdadeira. Agradeço também aos amigos que fiz ao longo desses 4 anos de faculdade, em especial aos que moraram comigo: Camila, Jéssica, Junior, Karol, Pedro e Liara; agradeço pela companhia do dia a dia, pelas conversas no almoço, pelos churrascos, pelos filmes na madrugada, por todas as risadas intermináveis, por cada abraço, conselho, sorriso. Sem vocês ao meu lado, essa fase da vida não teria sido tão maravilhosa. Agradeço aos amingos que apesar de não terem morado comigo, tiveram uma partipação imensa nesse projeto, seja ajudando ou apoiando: Julie, Mari, Vinícius, Natalia, Daniel, Carolina, Lia, Caio, Ronni e William. Serei eternamente grata por ter conhecido vocês. À Ferdi, por ter aceitado ser minha orientadora; obrigada pela inspiração, pelas referências, pelos ensinamentos na faculdade e também pelas conversas; admiro sua paixão pela profissão. Sem vocês, nada disso seria possível; por isso, um imenso obrigada.

9


10


SUMÁRIO INTRODUÇÃO O PROJETO EMILY DICKINSON CALIGRAFIA

13 15 19 23

REFERÊNCIAS ESRA RØISE KELLY THOMPSON JENNY MÖRTSELL GABRIEL MORENO BEC WINNEL SEBASTIAN LESTER JACKSON ALVES GREG COULTON

25 27 29 31 33 35 37 39

DESENVOLVIMENTO INTRODUÇÃO POEMAS 41 GRIEFS 42 A WORD 43 ASPIRATION 44 XCI 45 SUCCESS 46 LOVE 47 FOTOS REFERÊNCIA 49 PÁSSAROS REFERÊNCIA 53 SKETCHES 55 CALIGRAFIA 61 DESENHOS 75

IDENTIDADE VISUAL 81 83 85

LOGOTIPO VARIAÇÕES PALETA DE CORES, ALFABETOS

O PROJETO FINAL 88 90 92 94 96 98

WONDER METAMORPHOSE CALLED TO RISE TIME IS A TEST OF TROUBLE SOREST NEED BREATH OF LIFE

101 CONCLUSÃO 103 BIBLIOGRAFIA

11


12


INTRODUÇÃO

O universo da poesia é intrigante e mágico, tendo ilimitáveis interpretações e significados. Um lugar em que todos podemos ser expressivos e livres, no qual é possível encontrarmos um significado único para cada um de nós em cada verso e cada palavra. Podemos nos identificar e refletir, sem que ninguém nos julgue ou critique. A poesia é uma maneira de nos conectarmos com sentimentos que carregamos dentro de nós, sentimentos que muitas vezes já nos definiram ou nos definem nesse exato momento. Sentimentos que ficaram marcados dentro de nós devido a uma experiência, uma memória, um desejo. Para mim, ilustrar sentimentos e o que sinto no momento, sempre foi uma das minhas maneiras favoritas para me expressar, podendo dar forma e retratar o que sinto do jeito que quiser. Sempre gostei de reproduzir a beleza feminina, me atentando a expressões e observando os diferentes traços de cada mulher. Sendo assim, criei esse projeto, o qual surgiu após ler uma coletânea de poemas que me conectou com meus mais sinceros sentimentos e experiências, manifestados através da beleza feminina, ilustrada juntamente a caligrafia.

13


14


O PROJETO Entender o significado do design é compreender os papéis que a forma e o conteúdo desempenham e perceber que o design também é comentário, opinião, ponto de vista e responsabilidade social. Criar um design é muito mais do que simplesmente montar, formatar ou mesmo editar; é acrescentar valor e significado, é iluminar, simplificar, esclarecer, modificar, dignificar, dramatizar, persuadir e talvez até mesmo entreter. Design, em inglês, é tanto um verbo como um substantivo. É o início e o fim, o processo e o produto da imaginação. (SAMARA, 2010, p. 06)

(...) A força da ilustração está na comunicação com uma sensibilidade visual que é emocional, poética, orgânica e inatamente humana. Uma ilustração também pode ser integrada com outro material visual, como tipografia, elementos gráficos abstratos e até mesmo diferentes tipos de papel ou outras técnicas de acabamento. (SAMARA, 2010, p.173)

Em meu projeto, trabalhei com duas técnicas de desenho, o desenho a lápis, e o desenho digital. Para integrar e complementar as ilustrações, trabalhei também com a caligrafia., que foi manipulada, modificada e reajustada, transformada em ‘lettering’, para que houvesse melhor harmonia de construção e planejamento com a ilustração. Por meio da caligrafia, escolhi palavras e versos que transmitissem o significado principal de cada poema para mim. Este projeto foi criado com a intenção de representar de maneira artística uma seleção de seis poemas, sem intenção comercial ou público alvo. Ele foi desenvolvido com o propósito de conectar cada pessoa de maneira visual através das ilustrações, após a leitura do poema e interpretação de tal, expondo dessa maneira, a minha interpretação. As ilustrações são divididas em 3 partes: ‘Passado’, ‘Presente’ e ‘Futuro’, sendo duas ilustrações para cada parte. Cada ilustração representa um sentimento, um momento ou uma experiência. Como referência, utilizei fotografias tiradas por mim, algumas são fotografias em que tento capturar momentos e expressões que passam despercebidos, de pessoas em seu cotidiano; Outras são fotografias de amigos que tirei há algum tempo, que apesar de não serem espontâneas, transmitem exatamente o sentimento e possuem a expressão que eu buscava para retratar o poema e criar a partir dela, a ilustração. Desde pequena, sempre fui encantada por asas. Poder desenhar a partir do movimento e da desenvoltura das asas de pássaros sempre foi mais uma referência em meus desenhos.

15


Assim sendo, decidi que iria utilizar fotos de pássaros de diferentes espécimes em cada ilustração. Para isso, queria que cada pássaro tivesse uma conexão mais profunda com cada sentimento e expressão representada nas ilustrações. Todos nós já ouvimos falar sobre histórias em que pássaros são símbolos e mensageiros, e até mesmo que representam algum tipo de presságio. Não há uma exata definição de simbolismo para eles; todos são interpretados de maneira aberta. Seus significados podem variar muito dependendo de cada cultura e religião em que está inserido. Porém, o pássaro em si é geralmente símbolo de liberdade e de vida eterna. A escolha dos pássaros para o projeto foi

feita de uma maneira mais intuitiva, escolhidos a partir das cores da penagem, forma, e pela interpretação que para mim se conectava mais com os sentimentos e que fosse mais associável com cada poema. O estilo e a característica deste projeto como um todo, deve-se a beleza feminina que é retratada em todas as ilustrações, e um dos detalhes que mais se destacam são a expressão de cada mulher ilustrada e seu cabelo, que é trabalhado e desenhado de forma fluida e fantasiosa, que por fim se mescla com o formato do pássaro respectivo da ilustração, completando a fluidez e dando a forma final do desenho. As cores utilizadas se relacionam ao sentimento retratado e também as nuances da penagem de cada pássaro.

PASSADO: Os poemas escolhidos para a parte ‘Passado’, pertencem ao Livro I da coletânea, intitulado ‘Life’. São eles ‘Griefs’, e ‘A Word’, representados pelas ilustrações ‘Wonder’ e ‘Metamorphose’, respectivamente. Eles retratam experiências que tive no passado, e o que aprendi com cada uma.

PRESENTE: Os poemas escolhidos para a parte ‘Presente’, pertencem ao Livro I da coletânea, intitulado ‘Life’, e ao Livro IV da coletânea, intitulado ‘Time and Eternity’. São eles ‘Aspiration’, e ‘XCI’, representados pelas ilustrações ‘Called to Rise’ e ‘Time is a Test of Trouble’, respectivamente. Elas retratam sentimentos que tomei conhecimento principalmente nesses anos de faculdade, a importância de nunca desistir, e a dor da distância, respectivamente.

FUTURO: Os poemas escolhidos para a parte ‘Futuro’, pertencem ao Livro I da coletânea, intitulado ‘Life’, e ao Livro II da coletânea, intitulado ‘Love’. São eles ‘Success’, e ‘Love’, representados pelas ilustrações ‘Sorest Need’ e ‘Breath of Life’, respectivamente. Elas retratam meus anseios para o futuro, sentimentos que fazem a vida valer a pena.

16


Todos os poemas foram tirados da colet창nea de poemas de Emily Dickinson, uma das maiores poetas dos Estados Unidos.

17


EMILY DICKINSON Emily Dickinson nasceu em Amherst, Massachussets, no dia 10 de dezembro de 1830, e faleceu no mesmo local no dia 15 de maio de 1886. Apesar de ter sido de uma família bem-sucedida, Emily levou uma vida introvertida e reclusa. Ela estudou na Academia de Amherst por 7 anos quando jovem, e veio a retornar a casa de seus pais após isso. Com o passar dos anos, ela mal saia de seu quarto, e mantinha contato com seus poucos amigos através de correspondências. Apesar de não sair de casa, Emily apresentava um poder de imaginação extraordinário através de seus poemas. São visões profundas e originais da natureza e da vida, palavras e versos exibindo uma deslumbrante vividez e poder de descrição. Seus poemas eram únicos, intensos e intrigantes para a época em que foram escritos, pois fugiam dos padrões e regras. Assim como quadros impressionistas, a falta de formas convecionais chamam atenção em seus poemas. Dickinson escrevia seus versos de acordo com sua “música rítmica interior”, sendo cada linha construída de modo ousado, e o uso frequente do “pensamento-rima”, mais atraente, de fato, ao serem ouvidos do que lidos. Ela chegou a enviar quatro de seus poemas para Thomas Wentworth, na época um profissional na área de Letras. Porém todos eles foram rejeitados, por representarem um novo, livre e heterodoxo estilo de poesia.

Após sua morte em 1886, Lavinia, sua irmã, encontrou uma caixa em seu quarto, que possuia centenas de poemas que Emily Dickinson havia escrito. Ela então enviou a um aconhecido, o qual a ajudou a ‘decifrar’ a caligrafia de Emily Dickinson, a qual era dificil de ser compreendida. Foram então feitas pequenas modificações e alterações antes de publicarem seus poemas. A primeira coletânea foi publicada em 1890, sendo lançada a segunda coletânea em 1891. A terceira foi publicada em 1896. Dessa maneira, a poeta que antes era considerada idiossincrática, heterodoxa e muito delicada, era finalmente considerada uma poeta de visão, e havia ganho o reconhecimento de uma poeta de mais alto grau. Ela então foi considerada uma poeta que estava a frente de seu tempo, por ter desviado da aproximação clássica da poesia, e mergulhado em uma profunda e real experiência psicológica. Ela explorou com cuidado e a fundo sua personalidade complexa, escolhendo palavras que afetam cada um de nós, não importa onde e quando vivemos. Apesar de ter se isolado do mundo, conseguimos ver através de sua poesia que um intenso mundo de imaginação estava sempre na ponta de seus dedos. A coletânea que li é de 1982, e é constituída de poemas retirados dos três volumes mencionados anteriormente. Ela é separada em quatro categorias, sendo elas ‘Life’, ‘Love’, ‘Nature’ e ‘Time and Eternity’.

19


Um dos poemas encontrados de Emily Dickinson, comprovando o quanto sua caligrafia era difícil e trabalhosa de se ler e entender. Podemos imaginar o trabalho que os editores tiveram ao organizar todas as coletâneas durante os anos.

A direita é possível ler poema, já editado e modificado na época pelos editores.

20 20


II. LOVE XIII. RENUNCIATION. There came a day at summer’s full Entirely for me; I thought that such were for the saints, Where revelations be. The sun, as common, went abroad, The flowers, accustomed, blew, As if no soul the solstice passed That maketh all things new. The time was scarce profaned by speech; The symbol of a word Was needless, as at sacrament The wardrobe of our Lord. Each was to each the sealed church, Permitted to commune this time, Lest we too awkward show At supper of the Lamb. The hours slid fast, as hours will, Clutched tight by greedy hands; So faces on two decks look back, Bound to opposing lands. And so, when all the time had failed, Without external sound, Each bound the other’s crucifix, We gave no other bond. Sufficient troth that we shall rise -Deposed, at length, the grave -To that new marriage, justified Through Calvaries of Love!


A gótica de textura é diferenciada especialmente por possuir um efeito de trama apertada e modulação de traços verticais acabados em curvas. Ela surgiu por volta do século XIV, e era característica de uma região da Ilha de França. (imagem a esquerda)

Outra escrita utilizada como base foi a cursiva inglesa, que possui uma grafia mais ágil, em que as letras se conectam umas com as outras. Todavia, ao desenhar as letras em cursiva, acabei por optar uma maneira mais livre, baseada em minha própria caligrafia. (imagem a esquerda)

22


CALIGRAFIA A importância da caligrafia neste projeto é enorme, tendo em vista que constitui juntamente com a ilustração, o resultado final do projeto. Sempre gostei de escrever, as palavras representam uma das minhas formas de expressão favorita. Usar palavras, letras e versos nas ilustrações dão mais significado e transmitem maior exatidão em relação a intenção do autor e a mensagem a ser transmitida. Para este projeto, utilizei diferentes técnicas na criação caligráfica, iniciando-se pelo estudo e seleção de cada palavra/verso que seriam usados em sua respectiva ilustração. A partir disso, defini qual escrita seria mais adequada para cada ilustração, levando em conta o formato que cada desenho projetava no papel e como a caligrafia completaria de maneira equilibrada e harmonica cada uma delas. Além disso, utilizei diferentes espessuras de penas, e também outros materiais para criar o efeito que desejava. A caligrafia foi feita no papel para obter um resultado que conversasse melhor com as ilustrações, que também foram feitas inicialmente no papel. Foi utilizada a escrita Gótica Textura como escrita de base para a maioria, e em outros foi utilizada a escrita cursiva. Serviram como escrita de base pois não reproduzi ou desenhei as letras de uma forma controlada e fechada as regras dos traços; A caligrafia refere-se a cada indivíduo como única, sendo que cada pessoa possui um estilo próprio e pessoal quando escreve com fluidez.

23


fig. 1

fig. 3

24

fig. 1 - Bloody Fingers

fig. 2 - Tough Grrls

fig. 3 - Tough Grrls

fig. 2

fig. 4

fig. 4 - Ilustração para Nylon Magazine


REFERÊNCIAS E S R A RØISE Esra Røise é uma ilustradora norueguesa, que mora em Oslo. Ela começou a ilustrar quanto tinha dois anos como estudante na Escola de Arte Einar Granum, e se formou em Comunicação Visual pela Academia de Artes de Oslo. Suas inspirações são momentos que passam despercebidos no cotidiano, assim como fotografia espontâneas, tiradas sem a preocupação de angulação ou centralização. Também se inspira no universo da moda, música e momentos não convencionais. Esra possui clientes como a Vogue chinesa,, Levi’s, Nike, Vice e United Airlines.

fig. 5

fig. 6 fig. 7 fig. 5 - Dirty Blonde

fig. 6 - Hey Jane

fig. 7 - Iustração para Nylon Magazine

25


26

fig. 1

fig. 2

fig. 3

fig. 4

fig. 1 - Ruthie2

fig. 2 - Halina

fig. 3 - Bannie

fig. 4 - Sem Nome


REFERÊNCIAS K E L LY THOMPSON Fotógrafa e ilustradora freelancer, Kelly Thompson possui um diploma de bacharelado em Design de 2004, pela Universidade Massey. Após isso, ela começou a fazer exibições ao redor do mundo. Ela define seu trabalho como sendo refinado, porém sensual e sugestivo. Atualmente, suas ilustrações são muito conhecidas em sua área, e são mundialmente vendidas. Kelly possui clientes como Escada, Nintendo, Women’s Health Magazine, WWF, The London Sunday Times.

fig. 5

fig. 6 fig. 5 - She Sees

fig. 6 - Darci

27 27


28 28

fig. 1 - Human Behaviort

fig. 1

fig. 2

fig. 3

fig. 4

fig. 2 - Misc. Portraits

fig. 3 - Gantz

fig. 4 - COACD Top 25 Faces of 2009


REFERÊNCIAS JENNY MÖRTSELL Jenny Mörtsell é uma ilustradora de Estocolmo, Suécia. Ela se formou em design pela Universidade de Artes de Konstfack em 2004. Desde então ela tem trabalhado como ilustradora em tempo integral, para revistas, propaganda, livros e editoriais de moda. Sua inspiração vem de fotos encontradas por acaso em Tumblrs, Flickr e até mesmo do Google. Atualmente ela mora em Nova Iorque., e seus trabalhos já foram publicados em revistas como Nylon e New York Times.

fig. 5

fig. 6

fig. 5 - The Girl Stays In The Picture

fig. 6 - NYC

29 29


fig. 1

fig. 2

fig. 3

30 30

fig. 1 - Daya

fig. 2 - FantasĂ­as

fig. 3 - China


REFERÊNCIAS GABRIEL MORENO Situado em Madri, Gabriel Moreno tem trabalhado em diferentes estúdios de design e agências, desde que se formou pela Universidade de Artes de Sevilla. Além de ser conhecido mundialmente, e requisitado por inúmeros clientes, ele gosta de pintar e desenhar projetos pessoais, por lazer. As obras de Gabriel Moreno trazem a combinação da sensualidade com a elegância das linhas pretas. São clientes de Gabriel Moreno o Mc Donald’s, Kellogg’s, Nike, Men’s Health Magazine, Coca-Cola, GAP..

fig. 4 - Pavo Real

fig. 5 - Pato

fig. 6 - Perfil

fig. 4

fig. 6

31

fig. 5


32 32

fig. 1

fig. 2

fig. 3

fig. 4

fig. 1 - Honor

fig. 2 - Bonnie

fig. 3 - Signal Fire

fig. 4 - Niadiat


REFERÊNCIAS B E C W INNEL Bec Winnel é uma artista autodidata, que mora em Victoria, Austrália. Suas ilustrações são compostas de delicados e detalhados retratos femininos, que geralmente são complementados por elementos da natureza e nostalgia. Ela gosta de trabalhar com tons pasteis, e seus trabalhos são feitos no papel e finalizados digitalmente. Tem como clientes a Hurley, Wrangler, CLEO Magazine, Element Eden Australia. fig. 5

fig. 6 fig. 7

fig. 5 - Farewell

fig. 6 - Nancy Drew

fig. 7 - Mieka

33


fig. 1

fig. 2

fig. 3

34 34

fig. 4 fig. 1 - Flames

fig. 2 - Sem Nome

fig. 3 - Sketch

fig. 4 - Sketch


REFERÊNCIAS SEBASTIAN

LESTER Sebastian Lester, mais conhecido como Seb Lester, estudou design gráfico na Central de Saint Martins, e trabalha atualmente como designer de tipo, ilustrador e artista na Lewes, East Sussex. Anteriormente, ele era Designer Sênior de Tipos na Monotype Imaging, por nove anos. Sua edições limitadas de impressos tem se tornado cada vez mais populares, já que a cada criação ele leva seu trabalho para caminhos novos. Ele criou tipos e ilustrações tipográficas para algumas das maiores empresas do mundo, como Apple, Nike, Intel, The New York Times, H&M, British Airways.

fig. 5

fig. 6

fig. 7

fig. 5 - Sketch

fig. 6 - Break Bad News Gently with Calligraphy

fig. 7 - Believe in Yourself

35


fig. 1

fig. 2

fig. 3

36 36

fig. 1 - Daily Calligraphy

fig. 2 - Daily Calligraphy

fig. 3 - Custom Types


REFERÊNCIAS JACKSON A L V E S Jackson Alves é um tipógrafo e designer gráfico de Curitiba. Sua inspiração é a caligrafia tradicional, a qual influencia em sua filosofia moderna de design. Ele cria tipos customizadas e ‘lettering’ para diferentes projetos e empresas usando os princípios básicos de caligrafia, e depois os transfere para finalização no digital. Ele gosta de trabalhar com ferramentas variadas, sempre experimentando algo novo para criar.

fig. 4

fig. 5

fig. 7 fig. 4- Terry Wunder (tattoo project)

fig. 5 - Ossanes Images

fig. 6

fig. 6 - Notes On The Roads

37

fig. 7 - Daily Calligraphy (tattoo project)


fig. 1

fig. 2

38 38

fig. 1 - Let’s Have a Conversation

fig.3

fig. 2 - Love Spreads

fig. 3 - SI Wanna Be Adored


REFERÊNCIAS G R E G COULTON Greg Coulton é um designer e ilustrador britânico que ‘entende’ de tipografia. Depois de passar 12 anos trabalhando como designer gráfico em Londres, ele percebeu que estava na hora de seguir seus sonhos de se tornar um ilustrador. Desenhar sempre foi sua paixão, e então tem seu estúdio própio atualmente, onde trabalha e cria para seus clientes. Ele utiliza a tipografia como o veículo de movimento em seus desenhos.

fig. 4

fig. 6

fig. 5

fig. 7

fig. 4 - Roses Are Read

fig. 5 - This Is The One

fig. 6 - ‘S’ for Spring

fig. 7 - Greg Coulton Logo

39 39


40


DESENVOLVIMENTO

Depois de feita a pesquisa teórica e fundamentação sobre o projeto, separei os poemas escolhidos e comecei a analisá-los. Levei em consideração todos os poemas que se relacionavam melhor com os seis sentimentos mais fortes e relevantes para mim, que se despertavam a cada poema que lia. No total, separei 34 poemas, que novamente foram estudados, tentando alcançar um número mais baixo e seleto. Ao chegar ao número de poemas desejado, comecei a escrever minha interpretação sobre cada um deles, explicando de que maneira eu sentia e me conectava com cada poema. Também defini juntamente à interpretacão, os sentimentos/palavras-chave para cada um, sendo essas a essência principal que eu queria transmitir através das ilustrações. Sendo assim, nas próximas páginas coloquei os poemas selecionados e suas traduções, seguidos com uma breve interpretação pessoal. Não há muitos poemas de Emily Dickinson que foram traduzidos para o português, e as que eu encontrei geralmente traziam a tradução literal, sem que fosse feita a tradução poética. Assim sendo, reescrevi alguns versos, para que o sentido e a essência de cada poema não fosse perdido.

41


BOOK I. LIFE LXI. Griefs

LIVRO I. VIDA LXI. Lamentos.

I measure every grief I meet With analytic eyes; I wonder if it weighs like mine, Or has an easier size.

Eu meço cada lamento que encontro Com olhos analíticos; Pondero se esse pesa como o meu, Ou se tem um tamanho menos difícil.

I wonder if they bore it long, Or did it just begin? I could not tell the date of mine, It feels so old a pain.

Pondero se o carregam há muito tempo, Ou se acabou de começar? Eu não poderia dizer a data do meu, Parece uma dor antiga demais para contar.

I wonder if it hurts to live, And if they have to try, And whether, could they choose between, They would not rather die.

Pondero se dói viver, E se eles têm que se esforçar, Ou se, pudessem eles escolher, Não prefeririam morrer.

I wonder if when years have piled— Some thousands—on the cause Of early hurt, if such a lapse Could give them any pause;

Pondero se ao longo dos anosAlguns milhares-no caso de mágoa prematura, se esse lapso poderia dar-lhes algum descanso;

Or would they go on aching still Through centuries above, Enlightened to a larger pain By contrast with the love.

Ou se eles prosseguiriam com a dor Através dos séculos, Atentos a uma dor maior Em contraste com o amor.

The grieved are many, I am told; The reason deeper lies,— Death is but one and comes but once And only nails the eyes.

Os que lamentam são muitos, me dizem; A razão é mais profunda,A morte é só uma e só uma vez vem E só os olhos perfura.

There’s grief of want, and grief of cold,— A sort they call ‘despair,’ There’s banishment from native eyes, In sight of native air.

Existe o lamento da necessidade e o lamento do frio,Um tipo que eles chamam de ‘desespero,’ Existe exílio dos olhos nativos, À vista de ar nativo.

And though I may not guess the kind Correctly yet to me A piercing comfort it affords In passing Calvary, To note the fashions of the cross Of those that stand alone Still fascinated to presume That some are like my own.

E embora eu não possa adivinhar o tipo Exato ainda para mim Oferece um consolo penetrante No Calvário passageiro, Perceber os estilos das cruzes Daqueles que permanecem sozinhos Ainda fascinados em presumir Que algumas delas são como as minhas.

PALAVRAS CHAVE: Confusão, Preocupação, Lamentos, Dor.

42

Não importa o quão trágico pareça aquele momento em sua vida, o quão doloroso e desesperador. Cada pessoa nova que entra em sua vida, traz de sua jornada seus próprios lamentos, e elas não sabem dos seus; Dessa maneira, a nós, só cabe imaginar o que poderia ter sido. Cada um sabe os lamentos que carrega.


BOOK I. LIFE XLII. A Word.

LIVRO I. VIDA XLII. Uma Palavra

A word is dead When it is said, Some say. I say it just Begins to live That day.

Uma palavra é morta Quando dita, Alguém diria. Digo que apenas Começa a viver Naquele dia.

PALAVRAS CHAVE: Verdade, Confiança, Mudanças, Fé. Quando somos crianças, nos contam muitas coisas. Nós escolhemos em quem acreditar, afinal, procuramos nossas próprias verdades desde então. Cada palavra possui uma importância diferente para cada um de nós. Todavia, todos nós nascemos com vontade de acreditar em algo, vontade de sonhar. Quando crescemos, percebemos que muita coisa não era como parecia; Temos que nos adaptar, mudar, passar por uma metamorfose. Entretanto, para as que ainda permanecem em nós como verdade, sabemos o quão forte é nossa fé naquela palavra.

43


BOOK I. LIFE XLVI. Aspiration

LIVRO I. VIDA XLVI. Aspiração

We never know how high we are Till we are called to rise; And then, if we are true to plan, Our statures touch the skies.

Nós nunca sabemos o quão alto estamos Até sermos chamados para subir; E então, se nos mantermos leais ao plano, O nosso progresso alcançará os céus.

The heroism we recite Would be a daily thing, Did not ourselves the cubits warp For fear to be a king.

O heroísmo que recitamos Seria algo diário, Pois não deformaríamos o côvado Por medo de ser um rei.

PALAVRAS CHAVE: Auto-Confiança, Poder, Foco Metas , resoluções de ano novo, promessas. Se falhamos, nos sentimos desmotivados, com baixa auto estima, desacreditados e na maioria dos casos, conformados. É nesse último caso que erramos gravemente; Conformidade gera descrença, e aí cometemos o pecado: Entramos na zona de conforto; aquela que engana, te faz acreditar que está feliz, mas na verdade só está “deixando a vida te levar”. Quando levamos nosso potencial a sério, é inacreditável onde podemos chegar. Demoramos para nos acostumar, pois não importa qual era sua meta: quando permanecemos leais a nós mesmo, a felicidade entra em nossas vidas, e depois disso, não queremos mais desistir dela; Somos então chamados para nos erguer todos os dias.

44


BOOK IV. Time and Eternity XCI. They say that ‘time assuages,’-Time never did assuage; An actual suffering strengthens, As sinews do, with age.

LIVRO IV. TEMPO E ETERNIDADE XCI. Dizem “com o tempo se esquece” Mas isto não é verdade. Que a dor real endurece, Como os músculos, com a idade.

Time is a test of trouble, But not a remedy. If such it prove, it prove too There was no malady.

O tempo é o teste da dor, Mas não a solução – Prove-se e, se provado for, Não existiria mais sofrimento.

PALAVRAS CHAVE: Espera, Saudade, Paciência O tempo parecia ter parado naquele momento. Naquela despedida, naquele adeus, naquela partida. Desde então, a distância cresce no mesmo ritmo da saudade e da angústia de não poder estar perto. Nem imaginávamos que tanta saudade poderia caber dentro de nós.

45


BOOK I LIFE I. Success.

LIVRO I. VIDA I. Êxito

 Success is counted sweetest  By those who ne’er succeed.  To comprehend a nectar  Requires sorest need.

 O êxito parece a mais doce das coisas  A quem nunca venceu na vida.  Ter a compreensão de um néctar  Exige a mais dolorosa necessidade.

 Not one of all the purple Host  Who took the Flag today  Can tell the definition  So clear of Victory

 De entre o purpúreo Exército  Que hoje empunhou a Bandeira  Nenhum outro poderá dar uma tão clara  Definição de Vitória

 As he defeated--dying- On whose forbidden ear  The distant strains of triumph Burst agonized and clear! 

 Como o derrotado - agonizante  Em cujo ouvido interdito  A distante e tão esforçada vitória Ressoa nítida e pungente! 

PALAVRAS CHAVE: Esforço, Tentativas, Força de Vontade Tentar, errar, tentar de novo. Cair oito vezes, levantar nove. Enquanto não desistirmos, sempre teremos chance de vencer. Os desafios servem para nos deixar mais fortes, para mantermos a cabeça erguida e o coração forte. Serve para percebemos que quando se procura êxito, encontramos soluções e caminhos diferentes, e não mais desculpas e motivos para desistir. Afinal, o êxito pertence aqueles que acreditam na beleza de seus sonhos.

46


BOOK II. LOVE III. Love.

LIVRO II. AMOR III. Love

Love is anterior to life, Posterior to death, Initial of creation, and The exponent of breath.

O amor vem antes da vida, Posterior ao instante fatal, Princípio da criação, O próprio sopro vital.

PALAVRAS CHAVE: Motivação, Fundamento, Felicidade Precisamos nos amar primeiro, para amarmos melhor os outros. Reconhecer e ser grato àqueles que nos encorajam, apoiam e consolam. Entender a sorte que temospor termos pessoas que nos querem bem. Perceber que não há nada mais para a vida, a não ser amor.

47


48


DESENVOLVIMENTO Depois da análise dos poemas, comecei a tirar fotos de pessoas nas ruas. Para isso, fui a praças, parques, festivais e qualquer lugar aberto que havia movimentação. Meu foco e objetivo era captar a exatidão de cada expressão espontânea que passasse despercebida. Como dito antes, há uma foto, que foi tirada há um tempo por mim, que apesar de não ser espontânea, capta o sentimento que queria passar.

fig. 1 - Foto referência para o poema ‘Griefs’ fig.2 - Foto refêrencia para o poema A ‘Word’

fig.1

fig.2

49


fig. 3

fig. 4

50 50

fig.3 - Foto referência para o poema ‘Aspiration’. fig. 4 - Foto referência para o poema ‘XCI’.


fig. 5

fig. 6

fig. 5 - Foto referência para o poema ‘Success’. fig. 6 - Foto referência para o poema ‘Love’.

51 51


fig. 1

fig. 4

fig. 5

fig. 2

fig. 6 fig. 3

52 52


DESENVOLVIMENTO Como dito anteriormente, também utilizei fotos de pássaros como referência. As fotos foram selecionadas de acordo com a posição e desenvoltura do pássaro na foto, para que assim fosse mais fácil trabalhar posteriormente, tornando mais harmônico a junção entre a foto das pessoas e dos pássaros. Relembrando que o significado de cada pássaro não é pleno, eles são incertos e não há nenhuma explicação concreta, já que se tratam de significados místicos, dito por pessoas através dos séculos.

fig. 1 - Mergulhão: Desejos, Sonhos, Confusão Mental/Emocional

Poema ‘Griefs’

fig. 2 - Flicker: Ritmo, Crescimento

Poema ‘A Word’

fig.3 - Águia: Energia, triunfo

Poema ‘Aspiration’

fig. 4 - Robin: Paciência

Poema ‘CXI’

fig. 5 - Beija-Flor: Procura de felicidade na vida, otimismo

Poema ‘Success’

fig.6 - Cardinal: Amor, calor, paixão

Poema ‘Love’

53 53


fig. 2

54 54

fig. 2 - Sketch baseado no poema ‘A Word’ - Ilustração ‘Metamorphose’


DESENVOLVIMENTO Com as referências selecionadas, criei os sketches, desenvolvendo a mistura entre as fotos tiradas pelas referências dos pássaros.

fig. 1

fig. 1 - Sketch baseado no poema ‘Griefs’ - Ilustração ‘Wonder’

55 55


fig. 3

56 56

fig. 3 - Sketch baseado no poema ‘XCI’ - Ilustração ‘Time Is A Test Of Trouble’


DESENVOLVIMENTO

fig. 4

fig. 4 - Sketch baseado no poema ‘Aspiration’ - Ilustração ‘Called To Rise’

57 57


fig. 5

58 58

fig. 5 - Sketch baseado no poema ‘Success’ - Ilustração ‘Sorest Need’


DESENVOLVIMENTO

fig. 6

fig. 6 - Sketch baseado no poema ‘Love’ - Ilustração ‘Breath Of Life’

59 59


60


DESENVOLVIMENTO Após os sketches, desenvolvi a parte de caligrafia.

O material utilizado para a criação da caligrafia foram: Pincel, Caneta Brush, Pedaço de papelão, pedaço de madeira, bicos de pena diferentes e nanquim.

61 61


62


DESENVOLVIMENTO

Caligrafia feita com pincel, para o poema ‘Griefs’, ilustração ‘Wonder’.

63


64


DESENVOLVIMENTO

Caligrafia feita com bico de pena 3mm, para o poema ‘A Word’, ilustração ‘Metamorphose.

65


66


DESENVOLVIMENTO

Caligrafia feita com caneta brush e pedaço de papelão, para o poema ‘Aspiration’, ilustração ‘Called to Rise’.

67


68 68


DESENVOLVIMENTO Caligrafia feita com bico de pena 5mm, para o poema ‘XCI’, ilustração ‘Time Is A Test Of Trouble’.

69 69


70


DESENVOLVIMENTO

Caligrafia feita com caneta brush, para o poema ‘Success’, ilustração ‘Sorest Need’.

71 71


72


DESENVOLVIMENTO

73

Caligrafia feita com pedaço de madeira e bico de pena 3/2m, para o poema ‘Love’, ilustração ‘Breath Of Life’.


74

Ilustração ‘Metamorphose’, ainda não finalizada.


DESENVOLVIMENTO Após a criação dos sketches e da caligrafia, preenchi com lápis 2B, 4B, 6B e 9B as ilustrações, criando o contraste no cabelo e no rosto. Após essa etapa, os desenhos foram digitalizados e com o programa Photoshop, criei as ilustrações finais, compostas pela mistura dos desenhos e das caligrafias.

Ilustração ‘Wonder’, ainda não finalizada.

75 75


76

Ilustração ‘Time Is A Test Of Trouble’, ainda não finalizada.


DESENVOLVIMENTO

Ilustração ‘Called To Rise’, ainda não finalizada.

77


78

Ilustração ‘Breath Of Life’, ainda não finalizada.


DESENVOLVIMENTO

Ilustração ‘Sorest Need’, ainda não finalizada.

79 79


80


IDENTIDADE VISUAL O nome escolhido para este projeto, ‘About Time’, foi pelo fato de se tratar de um trabalho que se expressa de maneira sentimental através de experiências e momentos durante o passar dos anos. Dessa maneira, ‘About Time’, que literalmente significa ‘Sobre o Tempo’, também pode ser traduzido como ‘Questão de tempo’, ou como uma expressão americana, significando algo como ‘Já estava na hora’, ou ‘Finalmente’. Assim sendo, em todos os sentidos o significado se aplica plenamente ao projeto; É uma questão de tempo para nós percebemos os sentimentos dentro de nós, e nada melhor para nos ajudar do que ler um bom poema. E por fim, finalmente tomar a coragem para se permitir, se conhecer e se entender; deixar os sentimentos virem `a tona, conectar-se com você mesmo.

81 81


Foi feito inicialmente um sketch no papel, com bico de pena 2m/m e nanquim. Em seguida o sketch foi digitalizado e vetorizado, sendo assim reajustado e melhorado. O logo se encaixa dentro de um circulo, para que ficasse mais equilibrado. Como característica principal do logo, foi utilizado uma imagem digitalizada das ilustrações, sendo recortada a parte do cabelo para constituir o logo final. O logo possui variações mais simplificadas, onde a utilização do círculo foi excluída, permanecendo apenas o nome, dando um ar mais sofisticado. Também foi criado um símbolo de apoio, utilizado ao fim de um texto e de página.

82


IDENTIDADE VISUAL C = 55 M= 75 Y = 50 K = 40

C=0 M= 0 Y=0 K=0

C = 30 M= 40 Y = 30 K= 0

83 83


IDENTIDADE VISUAL C= 0 M= 10 Y= 0 K = 70 C = 10 M= 20 Y = 20 K= 0 C = 30 M= 40 Y = 30 K= 0 C = 70 M= 75 Y = 50 K = 40 C= 5 M= 10 Y = 15 K= 0 C = 10 M= 15 Y = 15 K= 0

As cores do logo serviram como base para a criação da paleta de 6 cores utilizadas neste relatório. Os alfabetos utilizados foram:

GeosansLight abcdefghijklmnopqrstuvwxyz ABCDEFGHIJKLMNOPQRST VWXYZ 1234567890 !@$%^&*()_+-={[}]\ :;’”/?.<>,`´˜

GREAT VICTORIAN abcdefghijklmnopqrst vwxyz ABCDEFGHIJKLNOPQRSTVW YZ 1234567890 !@$%^&*()_+-={[}]\ :;’”/?.<>,`´˜

85 85


86


PROJETO FINAL

87


ILUSTRAÇÃO I. WONDER LIVRO I. VIDA LXI. Lamentos.

I measure every grief I meet With analytic eyes; I wonder if it weighs like mine, Or has an easier size.

Eu meço cada lamento que encontro Com olhos analíticos; Pondero se esse pesa como o meu, Ou se tem um tamanho menos difícil.

I wonder if they bore it long, Or did it just begin? I could not tell the date of mine, It feels so old a pain.

Pondero se o carregam há muito tempo, Ou se acabou de começar? Eu não poderia dizer a data do meu, Parece uma dor antiga demais para contar.

I wonder if it hurts to live, And if they have to try, And whether, could they choose between, They would not rather die.

Pondero se dói viver, E se eles têm que se esforçar, Ou se, pudessem eles escolher, Não prefeririam morrer.

I wonder if when years have piled— Some thousands—on the cause Of early hurt, if such a lapse Could give them any pause;

Pondero se ao longo dos anosAlguns milhares-no caso de mágoa prematura, se esse lapso poderia dar-lhes algum descanso;

Or would they go on aching still Through centuries above, Enlightened to a larger pain By contrast with the love.

Ou se eles prosseguiriam com a dor Através dos séculos, Atentos a uma dor maior Em contraste com o amor.

The grieved are many, I am told; The reason deeper lies,— Death is but one and comes but once And only nails the eyes.

Os que lamentam são muitos, me dizem; A razão é mais profunda,A morte é só uma e só uma vez vem E só os olhos perfura.

There’s grief of want, and grief of cold,— A sort they call ‘despair,’ There’s banishment from native eyes, In sight of native air.

Existe o lamento da necessidade e o lamento do frio,Um tipo que eles chamam de ‘desespero,’ Existe exílio dos olhos nativos, À vista de ar nativo.

PASSADO

BOOK I. LIFE LXI. Griefs

And though I may not guess the kind Correctly yet to me A piercing comfort it affords In passing Calvary, To note the fashions of the cross Of those that stand alone Still fascinated to presume That some are like my own.

E embora eu não possa adivinhar o tipo Exato ainda para mim Oferece um consolo penetrante No Calvário passageiro, Perceber os estilos das cruzes Daqueles que permanecem sozinhos Ainda fascinados em presumir Que algumas delas são como as minhas.

PALAVRAS CHAVE: Confusão, Preocupação, Lamentos, Dor.

88

Não importa o quão trágico pareça aquele momento em sua vida, o quão doloroso e desesperador. Cada pessoa nova que entra em sua vida, traz de sua jornada seus próprios lamentos, e elas não sabem dos seus; Dessa maneira, a nós, só cabe imaginar o que poderia ter sido. Cada um sabe os lamentos que carrega.


89


ILUSTRAÇÃO II. METAMORPHOSE

PASSADO 90

BOOK I. LIFE XLII. A Word.

LIVRO I. VIDA XLII. Uma Palavra

A word is dead When it is said, Some say. I say it just Begins to live That day.

Uma palavra é morta Quando dita, Alguém diria. Digo que apenas Começa a viver Naquele dia.

PALAVRAS CHAVE: Verdade, Confiança, Mudanças, Fé. Quando somos crianças, nos contam muitas coisas. Nós escolhemos em quem acreditar, afinal, procuramos nossas próprias verdades desde então. Cada palavra possui uma importância diferente para cada um de nós. Todavia, todos nós nascemos com vontade de acreditar em algo, vontade de sonhar. Quando crescemos, percebemos que muita coisa não era como parecia; Temos que nos adaptar, mudar, passar por uma metamorfose. Entretanto, para as que ainda permanecem em nós como verdade, sabemos o quão forte é nossa fé naquela palavra.


91


ILUSTRAÇÃO III. CALLED TO RISE

PRESENTE 92

BOOK I. LIFE XLVI. Aspiration

LIVRO I. VIDA XLVI. Aspiração

We never know how high we are Till we are called to rise; And then, if we are true to plan, Our statures touch the skies.

Nós nunca sabemos o quão alto estamos Até sermos chamados para subir; E então, se nos mantermos leais ao plano, O nosso progresso alcançará os céus.

The heroism we recite Would be a daily thing, Did not ourselves the cubits warp For fear to be a king.

O heroísmo que recitamos Seria algo diário, Pois não deformaríamos o côvado Por medo de ser um rei.

PALAVRAS CHAVE: Auto-Confiança, Poder, Foco Metas , resoluções de ano novo, promessas. Se falhamos, nos sentimos desmotivados, com baixa auto estima, desacreditados e na maioria dos casos, conformados. É nesse último caso que erramos gravemente; Conformidade gera descrença, e aí cometemos o pecado: Entramos na zona de conforto; aquela que engana, te faz acreditar que está feliz, mas na verdade só está “deixando a vida te levar”. Quando levamos nosso potencial a sério, é inacreditável onde podemos chegar. Demoramos para nos acostumar, pois não importa qual era sua meta: quando permanecemos leais a nós mesmo, a felicidade entra em nossas vidas, e depois disso, não queremos mais desistir dela; Somos então chamados para nos erguer todos os dias.


93


ILUSTRAÇÃO IV. TIME IS A TEST OF TROUBLE

PRESENTE 94

BOOK IV. Time and Eternity XCI. They say that ‘time assuages,’-Time never did assuage; An actual suffering strengthens, As sinews do, with age.

LIVRO IV. TEMPO E ETERNIDADE XCI. Dizem “com o tempo se esquece” Mas isto não é verdade. Que a dor real endurece, Como os músculos, com a idade.

Time is a test of trouble, But not a remedy. If such it prove, it prove too There was no malady.

O tempo é o teste da dor, Mas não a solução – Prove-se e, se provado for, Não existiria mais sofrimento.

PALAVRAS CHAVE: Espera, Saudade, Paciência O tempo parecia ter parado naquele momento. Naquela despedida, naquele adeus, naquela partida. Desde então, a distância cresce no mesmo ritmo da saudade e da angústia de não poder estar perto. Nem imaginávamos que tanta saudade poderia caber dentro de nós.


95


ILUSTRAÇÃO V. SOREST NEED

FUTURO 96

BOOK I LIFE I. Success.

LIVRO I. VIDA I. Êxito

 Success is counted sweetest  By those who ne’er succeed.  To comprehend a nectar  Requires sorest need.

 O êxito parece a mais doce das coisas  A quem nunca venceu na vida.  Ter a compreensão de um néctar  Exige a mais dolorosa necessidade.

 Not one of all the purple Host  Who took the Flag today  Can tell the definition  So clear of Victory

 De entre o purpúreo Exército  Que hoje empunhou a Bandeira  Nenhum outro poderá dar uma tão clara  Definição de Vitória

 As he defeated--dying- On whose forbidden ear  The distant strains of triumph Burst agonized and clear! 

 Como o derrotado - agonizante  Em cujo ouvido interdito  A distante e tão esforçada vitória Ressoa nítida e pungente! 

PALAVRAS CHAVE: Esforço, Tentativas, Força de Vontade Tentar, errar, tentar de novo. Cair oito vezes, levantar nove. Enquanto não desistirmos, sempre teremos chance de vencer. Os desafios servem para nos deixar mais fortes, para mantermos a cabeça erguida e o coração forte. Serve para percebemos que quando se procura êxito, encontramos soluções e caminhos diferentes, e não mais desculpas e motivos para desistir. Afinal, o êxito pertence aqueles que acreditam na beleza de seus sonhos.


97


ILUSTRAÇÃO VI. BREATH OF LIFE

FUTURO 98

BOOK II. LOVE III. Love.

LIVRO II. AMOR III. Love

Love is anterior to life, Posterior to death, Initial of creation, and The exponent of breath.

O amor vem antes da vida, Posterior ao instante fatal, Princípio da criação, O próprio sopro vital.

PALAVRAS CHAVE: Motivação, Fundamento, Felicidade Precisamos nos amar primeiro, para amarmos melhor os outros. Reconhecer e ser grato àqueles que nos encorajam, apoiam e consolam. Entender a sorte que temospor termos pessoas que nos querem bem. Perceber que não há nada mais para a vida, a não ser amor.


99


100


CONCLUSÃO Este projeto era algo que eu queria fazer desde que li a coletânea de poemas de Emily Dickinson. Eles me inspiraram muito no primeiro ano de faculdade, e desde então venho pensando em uma forma de poder “por para fora” tudo aquilo que havia se conectado comigo mesma. Acredito que tenha sido uma forma maravilhosa de exercer a profissão de design como freelancer, explorando dentro de uma das minhas áreas favoritas, a ilustração, maneiras de me reinventar e conseguir criar e elaborar o meu própio jeito de transmitir a emoção daquela ilustração. Com certeza foi uma ótima experiência poder me aprofundar um pouco mais na área de caligrafia, a qual sempre tive enorme admiração; pude praticar muito e tentar desenvolver meu próprio estilo. Encerrar essa etapa da vida não poderia ter sido mais gratificante e satisfatória se não fosse por meio deste trabalho de conclusão de curso.

101


IMAGENS ESRA RØISE: http://esraroise.com/portfolio/selected-works/ocean-betweenus/272/ http://esraroise.com/portfolio/selected-works/ocean-betweenus/273/ http://esraroise.com/portfolio/selected-works/tough-grrls/279/ http://esraroise.com/portfolio/selected-works/bloody-fingers/215/ http://esraroise.com/portfolio/selected-works/tough-grrls/278/ http://esraroise.com/portfolio/commissioned/nylon-magazine/86/ http://esraroise.com/portfolio/commissioned/nylon-magazine/83/ KELLY THOMPSON: http://www.kellythompson.co.nz/collections/illustration/products/ untitled-13 http://www.kellythompson.co.nz/collections/illustration/products/ bannie http://www.kellythompson.co.nz/collections/illustration/products/ she-sees http://www.kellythompson.co.nz/collections/illustration/products/ halina http://www.kellythompson.co.nz/collections/illustration/products/ darci http://www.kellythompson.co.nz/collections/illustration/products/ ruthie2 JENNY MÖRTSELL: http://www.behance.net/gallery/THE-GIRL-STAYS-IN-THE-PICTURE/13396021 http://www.behance.net/gallery/Misc-Portraits/757305 http://www.behance.net/gallery/NYC/730064 http://www.behance.net/gallery/HUMAN-BEHAVIOUR/465306 http://www.behance.net/gallery/COACD-top-25-/447444 http://gejst.blogspot.com.br/2008/09/blog-post_11.html GABRIEL MORENO: http://gabrielmoreno.com/wp-content/uploads/2012/12/EPS_ fantasias.jpg http://gabrielmoreno.com/wp-content/uploads/2012/12/Daya _gabriel m _ oreno.jpg http://www.gabrielmoreno.com/wp-content/uploads/2012/11/ gabrielmoreno c_ hina.jpeg http://www.gabrielmoreno.com/wp-content/uploads/2012/11/ gabrielmoreno c_anvas_ perfil.jpeg http://www.gabrielmoreno.com/wp-content/uploads/2012/11/ gabrielmoreno_ canvas_pato.jpeg http://www.gabrielmoreno.com/wp-content/uploads/2012/11/ gabrielmoreno_ canvas_pavoreal.jpeg BEC WINNEL: http://becwinnel.com/wp-content/files_ mf/1369907823Nancy D _ rewb_ ec_ Winnel.jpg http://becwinnel.com/wp-content/files m _ f/1387077551Bonnie B_ ec_ Winnel.jpg

102

http://becwinnel.com/wp-content/files_ mf/farewell.jpg http://becwinnel.com/wp-content/files_ mf/1358215960BecWinnelH _ onor.jpg http://becwinnel.com/wp-content/files_ mf/niadia.jpg http://becwinnel.com/wp-content/files_ mf/1358216417BecWinnel_ Mieka.jpg http://becwinnel.com/wp-content/files_ mf/1358216899BecWinnel_ SignalFire.jpg SEBASTIAN LESTER: http://www.behance.net/gallery/Flames-limited-editionprint/227870 http://www.behance.net/gallery/Believe-in-Yourself/11907441 http://www.behance.net/gallery/Break-bad-news-gently-withcalligraphy/7859249 http://www.behance.net/gallery/Burned-through-a-Moleskinein-a-weekend/4831343 http://2.bp.blogspot.com/-uKttirZmrnU/UTZ2wgNHRII/ AAAAAAAAFz0/zBc7lV772Y8/s1600/CiderS_ ebLester.jpg http://2.bp.blogspot.com/-uKttirZmrnU/UTZ2wgNHRII/ AAAAAAAAFz0/zBc7lV772Y8/s1600/CiderS_ ebLester.jpg http://cdn.ilovetypography.com/img/2010/11/StarsM _ idnightBlue. jpg JACKSON ALVES: http://www.behance.net/gallery/Sketches-Logos-2013/13678611 http://www.behance.net/gallery/Daily-Calligraphy/3200525 GREG COULTON: http://www.gregcoulton.com/s-is-for-spring.html http://www.gregcoulton.com/this-is-the-one.html http://www.gregcoulton.com/love-spreads.html http://www.gregcoulton.com/i-wanna-be-adored.html http://www.gregcoulton.com/roses-are-read.html http://www.gregcoulton.com/greg-coulton-logo.html PASSAROS: http://i1.ytimg.com/vi/2a7EFiZ9hyc/maxresdefault.jpg http://www.kostenlosewallpaper.com/wallpapers/tiere_ 134-hdwallpaper-kostenlos--2048x1536.jpg http://media-cache-ak0.pinimg.com/236x/a4/7b/4f/a47b4fbb0ff6ef455b3a3a7184b12702.jpg http://www.yankeemagazine.com/wp-content/uploads/legacy_ cms_ images/11327.jpg http://www.mendosa.com/fitnessblog/wp-content/uploads/2013/03/MG_ 7248.jpg http://www.mendosa.com/fitnessblog/wp-content/uploads/2013/03/MG_ 7248.jpg


BIBLIOGRAFIA LIVROS HIGGINSON,T.,W., Collected Poems Of Emily Dickinson, New York: Gramercy Books,1982 SAMARA, Timothy. Elementos do Design, Guia de estilo Gráfico,Porto Alegre: Bookman, 2010 HYLAND, Angus, LEWIS, Angharad. The Purple Book, London: Laurence King Publishing, 2013 KRULL, Anneke. The Beautiful, Illustrations for Fashion and Style, London: Gestalten, 2010 Grebenstein, Maryanne, Calligraphy, Expert Answers to the Questions Every Calligrapher Asks, New York: Quantum Publishing, 2011 HARRIS, David, A Arte da Caligrafia, Um Guia Prático, Histórico e Técnico, São Paulo: Ambientes & Costumes Editora Ltda, 2009 MEDIAVILLA, Claude. Caligrafía, Valencia: Campgràfic, 2005

WEBSITES Facultad de Diseño y Comunicación http://fido.palermo.edu/servicios_ dyc/publicacionesdc/vista/detalle_ articulo.php?id_ articulo=5648&id_libro=1 Air Animals Totems: Soaring to the Height of Understanding http://www.whats-your-sign.com/air-animal-totems.html Bird Symbol http://www.signology.org/bird-symbol/index.htm Monografia Sopa De Letrinhas http://issuu.com/tom_ oliveira/docs/monografia_issuu

103


About Time  

Relatório de trabalho de conclusão de curso - Bacharelado em Design Gráfico, UNESP - Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho...

Advertisement
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you