Page 1

elaborado por KAMILLE EMANUELLE CORRÊA

Implantação de um Centro Musical sob um aspecto de integração urbana e arquitetônica

RIBEIRÃO PRETO | 2017


“Sem música, a vida seria um erro.” (FRIEDRICH NIETZSCHE)


elaborado por KAMILLE EMANUELLE CORRÊA

Implantação de um Centro Musical sob um aspecto de integração urbana e arquitetônica

Trabalho Final de Graduação, submetido como requisito parcial necessário à obtenção do título de bacharel em Arquitetura e Urbanismo, outorgado pelo Centro Universitário Moura Lacerda.

RIBEIRÃO PRETO | 2017

Fonte imagem: FREEPIK | licença gratuita


elaborado por KAMILLE EMANUELLE CORRÊA

Implantação de um Centro Musical sob um aspecto de integração urbana e arquitetônica

Banca examinadora

_____________________________ Rosa Sulaine Silva Farias Orientadora

_____________________________ Fabiana Miano Mori Examinadora interna

RIBEIRÃO PRETO | 2017

_____________________________ Examinador externo


CORRÊA, Kamille Emanuelle.

Implantação de um Centro Musical sob um aspecto de integração urbana e arquitetônica. Ribeirão Preto, São Paulo - 2017 (77 número de páginas) Orientadora: Profª Drª Rosa Sulaine Farias Trabalho Final de Graduação (graduação) - Centro Universitário Moura Lacerda (CUML). Graduação em Arquitetura e Urbanismo. 1. Arquitetura e Urbanismo. 2. Música. 3. Centro Musical. 4. Auditório. 5. Integração dos espaços. 6. Equipamento de cultura. 7. Aberto e fechado

Fonte imagem: PICHOST | licença gratuita


RESUMO

Este trabalho busca resgatar um pouco de arte e

ABSTRACT

This work seeks to retrieve some art and culture

cultura a partir da implantação de um Centro Musical, para a

from the implantation of a Musical Center for the city of São

cidade de São Joaquim da Barra no estado de São Paulo. O

Joaquim da Barra in the state of São Paulo. The project itself

projeto em si considera a intenção de que as pessoas dentro

considers the intention that people within an environment

de um ambiente possam se sentir envolvidas pela música,

can feel involved by the music, being able to stop for a

podendo parar por um momento e sentir. São Joaquim da

moment and feel it. São Joaquim da Barra suffers, like most

Barra sofre, como a maioria das cidades interioranas, com a

of the country cities, with a lack of equipment for culture

ausência de equipamentos destinados a cultura e lazer, assim

and leisure, so it is considered the effects that the music

sendo, considera-se os efeitos que a música transpassa para

transpasses for the human being, to proportionate it the

o ser humano, e ainda, proporcionar ao mesmo a possibilidade

possibility to study more, to learn more with other ones, and

de poder estudar mais, de poder aprender com os demais, e

yet, be able to listen more.

ainda, poder escutar mais.

A intenção projetual busca relacionar o projeto com

its external, so that the green spaces, accesses and other

o seu externo, de maneira que os espaços verdes, acessos e

circulations are linked together and enabling the interaction

demais circulações estejam ligados entre si e possibilitando

of the inside with the outside. With the implantation we

a interação do dentro com o fora. Com a implantação temos

have paths and curved lines referring to the fluid sense

caminhos e linhas curvas remetendo o sentido fluído no qual

in which it permeates music, however, we have a building

permeia a música, entretanto, temos um edifício com formas

with more rectangular and straight forms, where, evidence

mais retangulares e retas, onde, evidenciam o outro lado

the other musical side, the rational, used for rhythms,

musical, o racional, utilizado para criação de ritmos, sinfonias,

symphonies, among others. In this way, we have two cultural

entre outros. Desta forma, temos duas manifestações

manifestations produced by man and for man, architecture

culturais produzidas pelo homem e para o homem, arquitetura

and music.

The design intention seeks to relate the project to

e música.

Palavras-chave:

arquitetura,

música,

centro,

musical, auditório, fluidez, integração, ambientes.

Key words: architecture, music, center, musical, auditorium, fluidity, integration, environments.

Fonte imagens: PICHOST | licença gratuita


AGRADECIMENTOS

Agradeço primeiramente aos meus amados pais

Aos meus amigos queridos, principalmente a Adisson,

Rosângela e Luís Carlos, dedico a minha formação não

Nathalia e Lucas, futuros companheiros de profissão,

apenas como arquiteta, mas inclusive como ser humano, afinal

agradeço pelo apoio e companheirismo, e por permitirem que

apenas consegui realizar tal sonho graças a criação e aos

esses períodos vividos na faculdade fossem transformados

ensinamentos que me deram.

em momentos mais inteligíveis e acolhedores.

Ao meu irmão, Vinícius, no qual observou toda a

Aos meus demais amigos, que sempre me incentivaram.

minha dedicação nestes cinco anos de graduação, onde sempre

E, ainda um agradecimento especial a minha amiga Franciellen

me apoiou e me elogiou em meus trabalhos.

Tonetto, que por diversas vezes foi uma das pessoas que

Agradeço a minha orientadora Rosa Sulaine, pelo

mais acreditou em mim, me apoiando e me empurrando para

incentivo, pela parceria e pela confiança no qual fora

continuar.

depositada neste trabalho, e ainda, por todo o auxílio

prestado para a realização deste trabalho.

a oportunidade da realização do estágio, onde me passara

maior parte de suas experiências sendo primordiais a minha

Ao meu namorado, Renato Stabile, pois não apenas

A arquiteta Rosângela Guaraciaba, oferecendo-me

esteve presente desde o meu primeiro dia de faculdade, mas

formação.

como também me incentivou, apoiou e me auxiliou em todos os

meus trabalhos e estudos. Agradeço pela sua ajuda, paciência

(in memoriam), onde também sempre me viu como uma pessoa

e companheirismo que me fizeram seguir em frente com este

esforçada e estudiosa.

sonho.

Aos meus familiares, em especial a minha tia Rosa

Obrigada a todos os envolvidos, que mesmo não

Agradeço também a professora Fabiana Mori, minha

foram aqui citados de alguma forma fizeram presença em

banca examinadora interna, no qual me instruiu e auxiliou com

minha formação, e contribuíram para o alcance deste sonho e

diversas dicas que viriam a proporcionar um projeto de maior

conclusão desta etapa.

qualidade.


Fonte imagem: PICHOST | licenรงa gratuita


SUMÁRIO

1

INTRODUÇÃO .................................................................................................14

5

REFERÊNCIAS PROJETUAIS ........................................................................52 5.1

2

5.2

A MÚSICA .......................................................................................................16

casa

música valley

da

música

e

artes

da

faculdade

de

..............................................53 ................................................................55

5.3 centro de música victor mcmahon .........................58

2.1 música e o seu significado .................................17 2.3 importância da música ..................................................19

6

A PROPOSTA ..................................................................................................60 6.1

acerca da proposta ..................................................................61

6.2 estudo preliminar ......................................................................62

QUADRO TEÓRICO DE REFERÊNCIA .......................................................20

6.3 conceito e diretrizes genéricas .........................................63 6.5

4

de

wenatchee

2.2 breve histórico ..................................................................18

3

centro

programa de necessidades ...................................................64

6.6 sistema estrutural ...................................................................65

APRESENTAÇÃO, CONTEXTUALIZAÇÃO E ANÁLISE .......................23 4.1

histórico da cidade ...............................................................24

4.2

breve histórico da área .....................................................24

4.3

delimitação do objeto ..........................................................25

4.4

uso do solo ...........................................................................26

4.5

gabarito ..................................................................................29

4.6.1 hierarquia física .................................................................31 4.6.2 perfil das vias ...................................................................33

6.7 materialidade ..............................................................................66 6.8 desenhos técnicos ....................................................................67 6.9

memorial .......................................................................................70

6.10 imagens da proposta ..............................................................71

7

CONSIDERAÇÕES FINAIS ..............................................................................76

4.6.3 hierarquia funcional .........................................................34 4.7

equipamentos .......................................................................36

4.8

polos geradores .................................................................40

4.9

transporte público ............................................................42

4.10

análise visual .......................................................................44

4.11

topografia (declividade) ..................................................47

4.12

ventilação/Iluminação ........................................................49

4.13

vegetação ...............................................................................51

8

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS ................................................................77


“Acredito que as coisas podem ser feitas de outra maneira, que a arquitetura pode mudar a vida das pessoas e que vale a pena tentar.� (ZAHA HADID)


1. APRESENTAÇÃO

Fonte imagem: VECTEEZY| licença gratuita


1. INTRODUÇÃO

14 | INTRODUÇÃO

O presente trabalho tem como objetivo geral o

musical em escolas de educação básica e determina um prazo

desenvolvimento de um projeto arquitetônico caracterizado

máximo para a adequação até o ano de 2011, entretanto, até

como um Centro Musical para o município de São Joaquim da

os dias atuais, muitas das escolas ainda não cumpriram com

Barra, visando principalmente a integração de tal equipamento

tal determinação.

com o espaço urbano da cidade, além de fornecer suporte ao

ensino musical, e contribuir com o resgate da inserção das

Barra conta com uma banda municipal inserida na cidade há

pessoas em equipamentos culturais. A pesquisa ainda se volta

cerca de 93 anos, sendo passada de geração a geração, e

para a temática de cidade contemporânea, promovendo as

também com uma escola municipal de música, onde acabam

definições acerca da inserção de espaços públicos e privados

por contribuir com a história do município. Entretanto, ambos

que garantem uma melhor compreensão dos conceitos de

elementos não estão sendo tratados com a devida atenção,

ambientes abertos e fechados. Consequentemente, o tema

visto que, necessitam de recursos para se manterem, desta

proposto assegura a implantação de um espaço público que

maneira, suas atividades acabam por serem praticadas em

garante a sua relação arquitetônica e urbana, baseando-

condições pouco favoráveis considerando os locais de onde

se em um questionamento relativamente a sua influência na

estão inseridos. Com base em todas estas dificuldades, pode-

cidade contemporânea. Desprende-se de um questionamento

se dizer que todo este histórico musical da cidade está sendo

de como as pessoas tratam e utilizam tais espaços, e como o

esquecido com o passar dos anos devido à falta de incentivo

poder público promove os eventos ali especificados, ademais

e divulgação. Outra questão é de que, conforme os dados

como mantém a preservação de todos aqueles locais.

foram sendo levantados, percebe-se que evidentemente

A música causa grande impacto em nossas vidas, se

diversos equipamentos de grande valor cultural já foram

fazendo presente em quase todos os nossos momentos e tendo

perdidos ou estão em condições inacessíveis devido à falta

a sua história inserida na própria história da humanidade. É

de investimento que necessitam. Contudo, a importância maior

vista como uma modalidade que desenvolve a mente humana,

do projeto visa não apenas a inserção de um equipamento

promove o equilíbrio e ainda consegue proporcionar sensações

diferencial, mas também considerar que o mesmo possa atuar

de bem-estar, no qual favorece e mantém o que há de melhor

fortalecendo a necessidade em resgatar esta história da

nos fenômenos emocionais do homem. Consequentemente, a

cidade que vem se perdendo, considerando tanto a banda

sua inclusão no âmbito escolar se tornou cada vez mais

como os diversos equipamentos culturais existentes, mas

necessária, porém ainda é tratado com um ensino de pouco

ainda atuar de forma com resgate toda essa população para

valor. No Brasil, foi sancionada a Lei nº 11.769, no dia 18 de

espaços de usos coletivos e difundidos.

agosto de 2008, que estabelece a obrigatoriedade do ensino

Considerando a temática musical, São Joaquim da

Outra questão voltada ao projeto se dá pelo


conceito de espaço público, podendo ser definido como um

adequar um espaço privado fazendo-o servir de suporte ao

informações acerca da história e do cenário atual da música em

meio físico com caráter de uso comum e posse coletiva,

público.

São Joaquim da Barra. Desta forma, serão aplicados métodos

assim, ele pertence e serve de uso para todos. Quando temos

Para alcance do resultado final, planeja-se descrever

que considerem a leitura de obras relativas a tema musical

uma integração urbana junto com um elemento arquitetônico

a realidade em que se encontra a área escolhida, identificar

e equipamentos multifuncionais, identificar obras que mantém

asseguramos uma relação não apenas de um elemento, mas

as reais necessidades do bairro e/ou da cidade como um todo,

o aspecto de integração urbana e arquitetônica, garantir

de todos os componentes presentes naquele entorno, ou seja,

sistematizar os pontos para a ocorrência dos problemas e

o estudo de projetos referentes a “Centro Musical” e a

as influências irão se focar mais do que um único local, e

dos pontos positivos, conhecer os principais conceitos acerca

importância da música para as pessoas, e ainda, considerar

desta forma, serão incluídos mais aspectos de âmbito social.

de música e do seu ensino, compreender as estratégias

os completemos de pesquisa que são levantamento de dados,

O caráter musical proposto visará não apenas promover a

de conforto acústico para o tipo de edificação proposta,

objetos, questionários e informações disponibilizadas com o

área, mas também servirá de influência para toda a cidade

pesquisar sobre a definição de um espaço memorial e reunir

auxílio da prefeitura da cidade.

que carece de elementos de cultura e lazer.

É importante destacar que espaços e/ou edifícios

públicos asseguram o direito de que todas as pessoas têm acesso, entretanto, em alguns casos alguns destes podem apresentar uso determinado e indicar atividades já préestabelecidas. Como, por exemplo, uma biblioteca mesmo sendo de uso público assegura horários de funcionamento e a pessoa que usufrui do ambiente deve obedecer às devidas regras propostas para uma melhor aproveitamento e convivência de todos, porém, uma praça não possui usos pré-determinados e pode ser utilizada a qualquer momento, sendo caracterizado como um local de uso coletivo e não específico. Sabemos que espaços públicos e privados apresentam suas diferenças, respectivamente um é mantido pelo poder público e o outro por pessoas e/ou empresas. Entretanto, faz parte de um bom planejamento urbano inserir ambos espaços de maneira que criem relações com os equipamentos existentes da cidade e também com os que ainda pode ser inseridos. Pode-se dizer que existe um bom planejamento quando se consegue

Fonte imagem: ORPHEUS| licença gratuita

15 | INTRODUÇÃO


2. A MÚSICA


2.1 MÚSICA E O SEU SIGNIFICADO

O conceito de música pode ser definido como um

definição reservada ou primordial. Este conceito pode ser

conjunto de sons e silêncios combinados entre si, organizados

explicado de maneira que se pensarmos no nosso mundo, com

no tempo. Ela não é necessariamente produzida apenas por

distintas tipologias musicais, a música ainda é um elemento

instrumentos musicais, pois também pode ocorrer a partir de

que dificilmente apresentará uma única definição, assim, a

vozes de pessoas.

mesma se vincula a partir de uma esfera sensível e intuitiva

acerca das emoções humanas.

A música fora considerada por diversos autores não

apenas como uma prática cultural, mas também humana. De

Mesmo com toda a diversidade musical que nos

acordo com a teoria musical, a música se forma a partir de

rodeia, cada pessoa, na sua maior parte do tempo se contenta

três elementos principais, sendo eles: o ritmo, a harmonia e

com um estilo ou artista pessoal, desta forma, cada pessoa

a melodia.

associa informalmente seu gosto particular a escolha sonora.

Melodia é um conjunto de notas sucessivas, ou ainda,

Portanto, a constante mutação no qual permeia a temática

a melodia é quando tocamos uma nota de cada vez. Já a

musical, nos leva a pensar que tentar identificar uma definição

harmonia é um conjunto de notas simultâneas, ou seja, uma

única nos levaria a um exercício pessoal e não geral, por fim

sobreposição de notas que servem de base para a melodia.

entendemos que cabe a cada um de nós alcançar a definição

Ritmo é a marcação do tempo de uma música. Assim como o

que melhor nos identificamos e nos mantém formalizados.

relógio marca as horas, o ritmo nos diz como acompanhar a música. Podemos dizer que ele é a base e o fundamento de toda expressão musical.

A música é como uma linguagem, uma forma de

expressão que remonta as origens da humanidade, podendo inclusive ser comparada como um idioma dos sentimentos e sensações, no qual se torna capaz de traduzir visualmente ou mesmo, sem fazer o uso de palavras, percebemos como ela consegue transpassar todo seu conteúdo para cada alma humana. Atualmente a música pode vir a apresentar duplo sentido: temos de um lado uma expressão artística que se constitui de uma das mais ricas e difundidas atividades

“A música é, ao mesmo tempo uma arte e uma ciência. Portanto, ela deve ser, ao mesmo tempo, emocionalmente apreciada e intelectualmente compreendida”. (KÁROLYI, Otto. Introdução à Música)

culturais da nossa atual sociedade, e por outro lado, temos um caráter de abstração capaz de resistir a qualquer

Fonte imagem: SKALGUBBAR| licença gratuita

17 | MÚSICA E O SEU SIGNIFICADO


2.2 BREVE HISTÓRICO

O homem primitivo se comunicou muito antes do aparecimento dos primeiros instrumentos, o homem fazia a sua música, imitando os sons da natureza: com gritos, sons corporais, batendo com paus, ramos, pedras, conchas.

Nas grandes civilizações antigas - Egito, Grécia, Roma - a música tinha um papel fundamental em todas as atividades do dia-a-dia.

A igreja passa a ter um papel decisivo na evolução da música. São os monges que, nos mosteiros, continuam o trabalho iniciado pelos Gregos, desenvolvendo a teoria e a escrita da música.

Época de grandes mudanças na Europa. A Igreja tornou-se menos rígida, permitindo uma aproximação entre a música sacra e a música profana.

NASCIMENTO DE CRISTO ATÉ 400 D.C

400 A 1450

PRÉ-HISTÓRIA

MÚSICA NA ANTIGUIDADE

MÚSICA MEDIEVAL

MÚSICA RENASCENTISTA

1900 ATÉ A ATUALIDADE

ROMANTISMO

MÚSICA CLÁSSICA

MÚSICA BARROCA

ANTES DE CRISTO

1750 A 1810

A época das experiências, da procura de novos caminhos na música e nas artes em geral. É o demonstrar das formas convencionais e a valorização de novas perspectivas, a procura de novos materiais e a utilização de recursos trazidos pelos avanços tecnológicos.

18 | BREVE HISTÓRICO

A fantasia, a imaginação e o espírito de aventura desempenham um papel importante na música deste período

1750 A 1810

Época em que a música torna-se mais leve e menos complicada. Predomina a melodia com acompanhamento de acordes, as frases são bem delineadas e mais curtas que anteriormente.

1450 A 1600

1600 A 1750

O Barroco é um período em que a música instrumental atinge, pela primeira vez, a mesma importância que a música vocal. Final fora marcado por Johann Sebastian Bach.

Fonte imagens: Biblioteca do Google | licença gratuita


2.3 IMPORTÂNCIA DA MÚSICA

“A área da Musicoterapia tem muitos estudos que atestam melhora nas condições de saúde de pacientes a partir da música.” (BENENZÓN, 2008, GASTON, 1982)

Com o advento da modernidade ouvir qualquer tipo

de a escuta musical buscar algum tipo de referencial, ou

de música está se tornando cada vez mais simples e rápido,

mesmo situações humanas baseadas em experiências de vida.

diversos estudos já apontaram que se nos dedicamos alguns

Tudo isso que ocorre nos faz pensar em como a música exerce

minutos do nosso tempo para ouvirmos alguma música de

um vasto poder sobre nós humanos, e se formos ao menos

preferência, teremos um dia menos estressante e menos

um pouco sensíveis podemos inclusive constatar que nossa

descarregado. Em junho de 2013 o programa Bem-Estar, da

vida é uma trilha sonora, onde cada etapa que passamos

emissora Rede Globo, entrevistou o músico e empresário

pode ser representada por algum tipo de som, ou seja, ela

Alexandre Casa Nova, onde ele ressalta que a música vira

está presente quando nascemos, na infância, adolescência,

a ser um estímulo importante para quem a pratica, visto

vida adulta, e até mesmo, no fim da vida. Por assim dizer,

que, ela ameniza as sensações que sofremos devido as

não há como não relacionar a música com as emoções das

ocorrências em nosso cotidiano, sendo: cansaço, fadiga e até

pessoas, pois ela é a porta de saída para tudo, e no qual nos

mesmo algumas dores, pois a música substitui tais efeitos

possibilita realizar ou mesmo estar presentes nas infinidades

por sensações positivas como a alegria e euforia, tornando a

de coisas que faremos em nossa vida. Onde começara desde

pessoa capaz de enfrentar seu longo dia da melhor maneira

a nossa existência, sendo resumido pelo sentido como a arte

possível.

de se viver, ou mesmo, a arte de ser e sentir.

A música ainda pode ser definida como uma figura

de ajustamento ao mundo, ou seja, que busca trabalhar a autoestima do indivíduo, a chave para se obtiver um bom desenvolvimento educacional. Assim a música deve ser encarada como um fator importante na construção da personalidade, e ainda auxiliar na cura de doenças ou pequenas dificuldades. O psicólogo Kenneth Bruscia defende que “a utilização de sons e da música em uma relação psicoterapêutica” (BRUSCIA, 1998, p. 298)” entendemos que a forma como a música é utilizada pode interferir no processo psicológico do cidadão, e assim, se transforma em uma arma para auxiliar o seu desenvolvimento psíquico. É perceptível que quando estamos ouvindo alguma música, geralmente a associamos com algum acontecimento vivido ou que será vivido, este fato ocorre em circunstância

Fonte imagens: SKALGUBBAR e FREEPIK| licença gratuita

19 | A IMPORTÂNCIA DA MÚSICA


3. QUADRO TEÓRICO


3. QUADRO TEÓRICO DE REFERÊNCIA

Fonte imagem: SKALGUBBAR| licença gratuita

Conduzindo-se em questões teóricas a temática

culturas.

aborda exclusivamente uma intervenção com personalidades

A falta ou a má distribuição de equipamentos culturais

musicais, desta forma, é importante ressaltar as principais

não é um problema restrito de São Joaquim da Barra, mas

informações acerca do conceito música considerando seus

também é encontrado na maior parte das cidades do Brasil.

benefícios em todos os aspectos. A influência que a música

O que se mantém perceptível são cidades desequilibradas,

transporta para as pessoas e seu poder de atuação é tão

onde se tem baixa proporção entre o tamanho que vem se

vasto, que consegue atingir e beneficiar qualquer indivíduo,

expandindo com a distribuição dos equipamentos culturais

não pertencendo apenas aqueles que a praticam, mas também

ali existentes. Esta questão ocorre em virtude de diversos

aqueles que com suas deficiências auditivas conseguem senti-

fatores, entre eles estão a falta de investimento do poder

la através de vibrações.

público, o descuidado que a população tem com os equipamentos

Em todo momento buscamos estabelecer ligações com

existentes e também a mobilidade territorial com o uso dos

distintas culturas, espaços e situações, desta forma, nada

equipamentos, que se convertem cada vez mais para as classes

melhor do que a elaboração de uma intervenção capaz de unir

de maior poder aquisitivo.

todas as diferenças em um único lugar. A partir de reflexões

é possível considerar projetos urbanos e arquitetônicos, que

Faculdade de Wenatchee Valley, situado nos Estados Unidos,

aspirem em primeiramente pensar nas pessoas e suas distintas

o mesmo é considerado por muitos musicistas, amadores ou

formas de viver.

profissionais, como uma segunda casa, devido seu acolhimento

Dentro de um sistema, pode-se dizer que a

com as pessoas e seu caráter pedagógico. Mesmo o espaço

arquitetura e o urbano exibem uma figura disciplinar, porém

adotando outras tipologias artísticas, a temática musical fora

complexa, contornada por inúmeros elementos, porém, é

valorizada em diversos aspectos, sendo eles: conexões com as

através dos seus equipamentos que agregam maior valor

alas, respeito a topografia e valorização acústica por todos

social que ela se destaca. Quando se classifica os espaços

os ambientes. Entretanto, com base no tema proposto, um

direcionados a cultura e lazer, a arquitetura consegue

dos projetos mais inovadores e de maior influência sobre a

carregar conhecimentos e distintos acessos para as atividades

proposta se dá pela Casa da Música em Portugal, o projeto

relacionadas, as informações e as formas de recreação, esta

se tornou ícone de Porto onde conseguiu resolver diversas

tipologia assegura a construção de laços não apenas com a

questões urbanísticas, entre elas a dificuldade de visibilidade

comunidade no qual está inserida, mas também com tudo o

e acesso que a maior parte da cidade enfrentara. A proposta

que ocorre na cidade, promovendo uma integração a partir

deste trabalho segue totalmente os parâmetros impostos pela

de práticas que estabeleçam relações com diversas classes e

Casa da Música, onde buscará tratar da relação do público com

Temos como referência o Centro de Música e Artes da

21 | QUADRO TEÓRICO DE REFERÊNCIA


o privado, de como inserir um equipamento que vá conseguir inibir totalmente ou parcialmente os problemas sofridos pela sua área de intervenção, e ainda, a implantação de um projeto que visa tomar partido pelo caráter fluído e uma forma orgânica, mesmo esta última sendo representada pelos acessos externos. Todos estes gestos só podem serem feitos quando se pensa de dentro para fora, deste modo, se alcança soluções de como expor um ambiente com características para o público e o privado.

Contudo, é com base em todas estas questões

apontadas que a intervenção de um Centro Musical sofrerá grandes influências para a pequena, porém promissora, cidade de São Joaquim da Barra, considerando que um tal espaço não apenas trará benefícios para o caráter individual humano, mas também surtirá efeitos em todo um contexto social, dado que a inexistência de lazer e cultura é um fator preocupante nacionalmente. É importante a realização de análises concretas, para que assim, consiga-se atingir o objetivo da proposta em inserir uma edificação considerando não apenas o caráter arquitetônico, mas também todo o entorno que ali se insere, pensando antes mesmo, que o projeto deve ser considerado em funções das necessidades e características dos moradores da cidade.

22 | QUADRO TEÓRICO DE REFERÊNCIA

Fonte imagem: SKALGUBBAR| licença gratuita


4. APRESENTAÇÃO, CONTEXTUALIZAÇÃO E ANÁLISE DA ÁREA DE INTERVENÇÃO


4.2 BREVE HISTÓRICO DA ÁREA

4.1 HISTÓRICO DA CIDADE

São Joaquim da Barra de imediato contou com

A expansão da mancha urbana, em um primeiro

diversos nomes, entre eles temos Jussara, São Joaquim de

momento ocorreu nas regiões norte e leste do município,

Nuporanga, Capão do Meio e, posteriormente, apenas São

com a ocupação de áreas desapropriadas e loteadas que

Joaquim. Algum tempo depois acrescentou-se o “da Barra” em virtude de este ser o nome dado ao córrego da Barra no qual

Vista áerea da cidade

faziam limites com os córregos Olaria e São Joaquim – esta área recebeu a denominação de “baixada”, este por si só,

faz a divisão dos municípios de Ipuã e São Joaquim da Barra.

é o bairro onde está inserido a área de intervenção para

O município era visto pelos moradores do sul da

a proposta. Esta denominação também está acrescida com

Província de Minas Gerais como uma terra rica e de clima

base nas características topográficas mais identificadas

agradável, desta forma, seu surgimento aplica-se por volta

nesta região, tendo em alguns pontos ondulações de 400

do século XIX devido ao deslocamento destes moradores,

a 600 m., entretanto, o bairro da baixada começou a se

assim, a cidade começa a nascer e se expande com a

expandir na década de 70 devido a desativação da ferrovia.

implantação dos trilhos da companhia Mogiana e da primeira

A área para a implantação da proposta está situada

casa de comércio que ligava Batatais e Nuporanga. Com o

entre as ruas São Luís, Goiânia, Quinze de Novembro

passar dos anos, os moradores que ali já residiam sentiram

e Paraná, próximo inclusive do eixo central da cidade.

a necessidade de um maior povoamento, assim, começaram a criar fundos para adquirir novas terras que constituíssem

Centro principal da cidade, Praça Sete de Setembro

De acordo com informações passadas pela prefeitura

municipal, a quadra nunca sofrera com qualquer tipo de

patrimônio de uma povoação. Começam a chegar novos

intervenção, seja ela, habitacional, comercial, institucional,

povos, entre eles, italianos, espanhóis e portugueses que

entre outras tipologias, entretanto, a prefeitura tem

reconhecem estes patrimônios e passam a gerar influência

ciência de que a população utiliza o espaço para cortar

sob o município devido ao caráter religioso e tendo como

a quadra, insere seus veículos, inclusive alguns contendo

orientação a criação das primeiras capelas, assim, surge em

cargas pesadas e deposita caçambas e entulhos no terreno.

1901 o padroeiro da cidade São Joaquim. Foi apenas em 30

Desta forma, é necessário fazer a limpeza diversas vezes,

de novembro de 1944, pelo Decreto Lei Estadual nº 14.374,

pois o espaço é amplo e está rodeado de habitações.

que o nome foi oficialmente mudado para São Joaquim da Barra. O aniversário da cidade é comemorado no dia trinta de maio com a realização da tradicional Festa da Soja.

Músicos da cidade, década de 1930 fonte (figuras): FALLEIROS, Lúcio de Oliveira. Conto, canto e encanto com a minha história ... São Joaquim da Barra. São Paulo: Ed. Noovha América. 2007. 64 págs. Notas: Inclui bibliografia. Patrocinado por: Usina Alta Mogiana e Ministério da Cultura

24 | HISTÓRICO DA CIDADE E DA ÁREA

Antiga foto da cidade com vista para o bairro de estudo, a baixada. A frente temos a área de intervenção.


4.3 DELIMITAÇÃO DO OBJETO Mapa 01 – Mapa do Brasil com delimitação do estado de São Paulo

Mapa 04 – Delimitação da quadra de intervenção

Com os mapas temos uma sequência de delimitações

chegando até a área de intervenção, localizada no bairro da Baixada, na cidade de São Joaquim da Barra, estado de São Paulo.

1 2 3 4 Mapa 02 – Mapa do estado de São Paulo com delimitação da cidade de São Joaquim da Barra Fonte (mapa 01): <https://upload.wikimedia.org/wikipedia/ commons/1/10/Brazil_Blank_Map.svg>. Acesso em abr. 2017, alterado pela autora.

Mapa 03 – Mapa do município de São Joaquim da Barra com delimitação da área de estudo Fonte (mapa 02): <http://comercial3.redeglobo.com.br/ mapadamina/Mapas/SP/SP_cinza.png>. Acesso em abr. 2017, alterado pela autora.

RUA SÃO LUÍS RUA QUINZE DE NOVEMBRO RUA GOIÂNIA RUA PARANÁ ÁREA DE INTERVENÇÃO

Fonte (mapas 03 e 04): Prefeitura Municipal de São Joaquim da Barra, fornecido em 03 de mar. 2017, alterados pela autora.

25 | DELIMITAÇÃO DO OBJETO


4.4 USO DO SOLO

HABITACIONAL COMÉRCIO INSTITUCIONAL SERVIÇO ÁREAS VERDES EM CONSTRUÇÃO VAZIO/SEM USO ÁREA DE INTERVENÇÃO

Fonte (mapa 05): Prefeitura Municipal de São Joaquim da Barra, fornecido em 03 de mar. 2017, alterado pela autora.

26 | USO DO SOLO


Com base no mapa de uso inserido ao lado, fica

Centro da cidade, uso comercial

evidente que a cidade apresenta uma demanda habitacional maior que os demais tipos de usos. Tal fato ocorre por todos os bairros da cidade, onde, mesmo na região central ainda temos uma grande quantidade de casas.

A área de intervenção se situa próxima ao centro

da cidade, devido a isso fora possível denotar espaços destinados ao comércio, alguns pontos institucionais, como algumas escolas, temos ainda a representação da principal igreja da cidade, a Matriz, e demais usos também aparecem como, serviços, áreas verdes, e alguns pontos sem uso/ vazios, ou mesmos alguns locais estão em fase de construção.

O eixo por estar próximo à rodovia Anhanguera,

aponta para uma parcela de zona industrial, um fragmento do distrito industrial da cidade totalmente importante para o desenvolvimento econômico, social e político, sendo fonte da maior parte dos empregos de morados de cidades vizinhas ou da própria São Joaquim da Barra.

Casas com tipologias comuns, uso habitacional

Fonte (figura): Acervo da autora, em mar. 2017

Fonte (figura): Acervo da autora, em mar. 2017

Escola infantil municipal, uso institucional

Fonte (figura): Acervo da autora, em mar. 2017

Igreja Matriz, uso institucional

Fonte (figura): Acervo da autora, em mar. 2017

27 | USO DO SOLO


QUESTIONAMENTO ACERCA DOS VAZIOS

Exemplo de vazio urbano próximo a área de intervenção

O conceito de vazios urbanos está diretamente

relacionado aos problemas urbanos, podendo gerar influências de caráter social e político. Maior parte dos arquitetos e urbanistas consideram estes vazios como espaços esquecidos e degenerados da cidade, entretanto são passíveis de intervenções e podendo apresentar distintas tipologias de revitalização e reutilização.

É importante pensar nos vazios urbanos como

elemento integrante da cidade, desta forma, não seria visto como um problema sem solução, mas sim um espaço utilizado por todos, possuindo uma interação maior com a população. Fonte (figura): Acervo da autora, em mar. 2017

Espaços verdes próximos a área de intervenção

IMPORTÂNCIA DOS ESPAÇOS VERDES

Proporcionar uma maior dinâmica nas cidades, sempre

será um assunto crucial quando se aborda planejamento urbano. Com estas características temos os espaços verdes públicos, demandando de uma vasta importância devido ao seu caráter de sustentar organizar a malha urbana. Através de espaços verdes públicos que a cidade consegue promover uma rede de distribuição de caráter ecológico, social e cultural, assim, respeitar e investir nestes espaços é fundamental para uma vida de qualidade. São Joaquim da Barra conta com diversos espaços verdes, porém mal utilizados ou com péssimas condições de uso, muitos carecem de uma intensa limpeza e manutenção público antes de ser feita qualquer intervenção. 28 | USO DO SOLO

Fonte (figuras): Acervo da autora, em mar. 2017


4.5 GABARITO

1A2 PAVIMENTOS 3A4 PAVIMENTOS 5 PAVIMENTOS OU MAIS

ÁREA DE INTERVENÇÃO

Fonte (mapa 06): Prefeitura Municipal de São Joaquim da Barra, fornecido em 03 de mar. 2017, alterado pela autora.

29 | GABARITO


O gabarito fica representado por ocupações de

até dois pavimentos, a cidade apresenta poucos locais com edificações de três ou mais pavimentos.

Os poucos prédios existentes são de caráter

multifuncional, ou seja, abrigam espaços para comércios, serviços e também áreas destinadas a habitações. Em sua maioria estão concentrados na região central da cidade. Prédio multifuncional na rua São Paulo

Fonte (figura): Acervo da autora, em mar. 2017

Quase todas as figuras exibem edificação da região

central, sendo a primeira imagem em frente a praça principal, Sete de Setembro. Tem-se a ocorrência de um condomínio com destino apenas para moradia, estando inserido no bairro residencial Jardim Paulista, conforme observamos na figura abaixo, apresentando cerca de 3 andares e tendo seus apartamentos subdivididos em blocos. Condomínio fora do eixo central

Fonte (figura): Acervo da autora, em mar. 2017

30 | GABARITO

Fonte (figura): Acervo da autora, em mar. 2017


4.6.1 HIERARQUIA FÍSICA

VIA EXPRESSA VIA PRINCIPAL VIA COLETORA VIA LOCAL

ÁREA DE INTERVENÇÃO

Fonte (mapa 07): Prefeitura Municipal de São Joaquim da Barra, fornecido em 03 de mar. 2017, alterado pela autora.

31 | HIERARQUIA FÍSICA


Como se aplicam as vias do entorno da área de intervenção

Fonte (figura): Acervo da autora, em mar. 2017

Fonte (figura): Acervo da autora, em mar. 2017

03 6

12

25m

Fonte (mapa): Prefeitura Municipal de São Joaquim da Barra, fornecido em 03 de mar. 2017, alterado pela autora.

Fonte (figura): Acervo da autora, em mar. 2017

32 | HIERARQUIA FÍSICA

Fonte (figura): Acervo da autora, em mar. 2017


4.6.2 PERFIL DAS VIAS

PERFIL DAS VIAS LOCAL E COLETORA ESCALA 1:150 Fonte (figura): Elaborada pela autora, em abr. 2017

PERFIL DA VIA PRINCIPAL ESCALA 1:150

Fonte (figura): Elaborada pela autora, em abr. 2017

33 | PERFIL DAS VIAS


4.6.3 HIERARQUIA FUNCIONAL

VIA DE ALTO FLUXO VIA DE MÉDIO FLUXO VIA DE BAIXO FLUXO

ÁREA DE INTERVENÇÃO

Fonte (mapa 08): Prefeitura Municipal de São Joaquim da Barra, fornecido em 03 de mar. 2017, alterado pela autora.

34 | HIERARQUIA FUNCIONAL


São Joaquim da Barra carrega as características de

Rotatória da rodovia Anhanguera, entrada para a cidade

uma cidade com a maioria das vias coletoras e de baixo fluxo. Conta uma via expressa sendo representada pela rodovia Anhanguera que dá acesso ao município.

São Joaquim apresenta uma única via principal,

ilustrada na figura abaixo, a avenida Orestes Quércia, onde traça a cidade em dois eixos e passa por quase todos os bairros. Esta via, por apresentar um fluxo maior e rotineiro é uma das poucas do município que possui condições asfálticas de qualidade, já tendo sofrido diversos recapeamentos. Entretanto, a figura ao lado exibe a situação da maior parte das ruas da cidade, com problemas de buracos, sujeiras e investimentos insuficientes. Falta investimento por parte da prefeitura e manter as manutenções em dia, e também consciência da população em não jogar lixo nas ruas. Preservar o público é tão importante quando preservar nossa casa.

Fonte (figura): Retirada da página eletrônica Edital Concursos. Disponível em: <http://editalconcursosbrasil.com.br/content/uploads/2016/02/ sao-joaquim-da-barra-sp.jpg>. Acesso em mar. 2017

Avenida Orestes Quércia, via principal da cidade

Problemas com frestas na cidade

Fonte (figuras): Acervo da autora, em mar. 2017

35 | HIERARQUIA FUNCIONAL


4.7 EQUIPAMENTOS

O munícipio de São Joaquim da Barra mesmo sendo uma

cidade pequena carece de equipamentos destinados a cultura e lazer, os poucos ali existentes não conseguem atender a demanda da população ou mesmo estão mal distribuídos. Esta talvez seja a maior exigência da população para com o poder público, visto que, não só os jovens visam aproveitar tais equipamentos, mas sim, todas as idades sentem que o investimento da cidade se torna fraco nesta temática, é necessário se locomover para cidades da região para assistir um filme no cinema, ir ao shopping, ir a um clube ou mesmo parques por estarem em melhores condições dos que o de São Joaquim da Barra.

TEATRO/ AUDITÓRIO ARTHUR PARADA

ESCOLA DE MÚSICA FABIANO LOZANO

GINÁSIO DE ESPORTES MUNICIPAL POLIESPORTIVO MUNICIPAL PARQUE DOS LAGOS ANTÔNIO SCARPELLINI

BIBLIOTECA MUNICIPAL PISTA DE SKATE

Fonte (mapa 09): Prefeitura Municipal de São Joaquim da Barra, fornecido em 03 de mar. 2017, alterado pela autora.

0 12 25

36 | EQUIPAMENTOS

50

100m


Temos nas figuras o Auditório Arthur Parada, onde

e artísticas, entretanto, sua dimensão comporta poucas

cidade, onde se dedica a atividades para caminhada e passeio,

são realizados eventos educativos e pequenos teatros,

pessoas fazendo com que o espaço, obrigatoriamente, atenda

o parque já vem sofrendo com a falta de manutenção, onde já

este talvez seja o maior equipamento cultural e com mais

a uma parte da população. Estes três equipamentos estão

é possível encontrar sinais de abandono.

possibilidades de atividades distintas. A cidade conta com

concentrados na região central. O Parque dos Lagos Antônio

uma biblioteca, e um espaço que abriga atividades musicais

Scarpellini localizado na entrada serve como cartão postal da

Auditório/Teatro Arthur Parada

Fonte (figura): Acervo da autora, em mar. 2017

Biblioteca municipal

Fonte (figura): Acervo da autora, em mar. 2017

Escola técnica municipal de arte e música Fabiano Lozano

Fonte (figura): Acervo da autora, em mar. 2017

Parque dos Lagos Antônio Scarpellini

Fonte (figura): Acervo da autora, em mar. 2017

37 | EQUIPAMENTOS


O município conta com um Ginásio de Esportes

Playground

concentrado no bairro Residencial Espigão, onde apresenta atividades como: vôlei, basquete, futebol, futsal, tênis, pista de corrida, pista de caminhada e playground para as crianças. Mesmo pertencendo ao contexto histórico da cidade, o ginásio não vem tendo a atenção que necessita, tanto pela comunidade, quanto pelo poder público. Atualmente, o espaço se encontra todo pichado, com diversos buracos e entulhos ao seu redor, dificuldade em acessar seus elementos e, ainda, algumas quadras estão inutilizáveis. Ainda é possível encontrar pessoas fazendo uso do local devido à ausência de equipamentos que a cidade carece, entretanto, os mesmos passam a necessidade da implantação de novos locais de lazer. O local é visitado em sua maioria por moradores de bairros próximos, porém, o local atende jovens onde participam de projetos esportivos patrocinados pela prefeitura com auxílio

Fonte (figura): Acervo da autora, em abr. 2017

de alguns profissionais. Quadra para vôlei de areia

Nas figuras desta página fica nítido o abandono do

espaço, observamos um playground descoberto e sem proteção para as crianças e quadras pichadas, com características internas e externas em péssimas condições de uso. Quadra coberta de futsal

Fonte (figura): Acervo da autora, em abr. 2017

38 | EQUIPAMENTOS

Fonte (figura): Acervo da autora, em abr. 2017


A pista de skate de São Joaquim concentrada no

Pista de skate da cidade

bairro Pedro Chediack oferece atividades e eventos para um público específico da cidade, em sua maioria são jovens, que mesmo não sendo skatistas apoiam o espaço pois oferece mais diversidade a toda a cidade.

O local ainda serve de encontro para estes jovens

por concentrar em seu entorno espaços verdes, com grandes árvores que produzem sombras confortáveis, ali os próprios moradores colocam mesas e cadeiras para poderem interagirem entre si, socializar ou mesmo, comerem algo aproveitando não só como um local de encontro, mas também se caracteriza pela concentração arbórea. O local também visa de melhor atenção, visto que, o tempo vem passando e a pista está cada vez mais abandonada. Fonte (figura): Retirada da página eletrônica Avaaz. Disponível em: <https://avaazdo.s3.amazonaws. com/7db2948c59c067e124cec11747e09bfe.jpg>. Acesso em mar. 2017

Poliesportivo “Adilson Martins”

A prefeitura municipal fornece o poliesportivo

“Adilson Martins” concentrado no bairro da Lapa, onde apresenta aulas de natação para crianças e adolescentes que buscam se aperfeiçoar na modalidade esportiva.

Os jovens podem fazer uso do espaço semanalmente,

onde alguns são selecionados para participar de torneios e competições nas cidades da região e também em outros estados. Este é um projeto que possui forte incentivo por parte da prefeitura da cidade, o mesmo conta com professores no qual buscam encontrar crianças e adolescentes que sonham em fazer da natação como carreira profissional, desta forma, quanto mais o aluno se esforça mais incentivo ele recebe. Muitas crianças de São Joaquim da Barra conseguem ganhar várias medalhas pelas competições que ocorrem na região. Fonte (figura): Retirada da página eletrônica Inside Vip. Disponível em: <http://insidevip.com.br/noticia/426/festival-paulistinha-de-natacao>. Acesso em mar. 2017

39 | EQUIPAMENTOS


4.8 POLOS GERADORES

CENTRO DA CIDADE ESCOLA MUNICIPAL ESCOLA ESTADUAL ESCOLA PARTICULAR POSTO DE SAÚDE/UBS RODOVIÁRIA ÁREA DE INTERVENÇÃO

Fonte (mapa 10): Prefeitura Municipal de São Joaquim da Barra, fornecido em 03 de mar. 2017, alterado pela autora.

40 | POLOS GERADORES


Como ponto forte temos os setores de saúde e

Antigo terminal rodoviário no centro da cidade

educação, pois, facilmente nos deparamos com escolas municipais e postos de saúde, ambos bem distribuídos pelos bairros. Conforme o mapa acima e as figuras ao lado, São Joaquim também denota de escolas estaduais e particulares como um complemento a educação.

O principal terminal rodoviário, o José Alves Pereira

se localiza bem na entrada da cidade, a lado esquerdo, onde os ônibus podem se deslocar direto pela rodovia Anhanguera. Escola particular, auditório e posto de saúde principal

Fonte (figura): Acervo da autora, em mar. 2017

Novo terminal rodoviário inserido próximo a via Anhanguera

Fonte (figuras): Acervo da autora, em mar. 2017

41 | POLOS GERADORES


4.9 TRANSPORTE PÚBLICO

LINHA 1 LINHA 2 LINHA 3 VAPT-VUPT RODOVIÁRIA ÁREA DE INTERVENÇÃO

Fonte (mapa 11): Prefeitura Municipal de São Joaquim da Barra, fornecido em 03 de mar. 2017, alterado pela autora.

42 | TRANSPORTE PÚBLICO


Ônibus da Viação Marcussi

A viação Marcussi está inserido há cerca de 20

anos representando o sistema de transporte público para a população.

Conforme

informações

passadas

pela

própria

empresa, as linhas do Marcussi estão distribuídas entre a maior parte dos bairros do município, onde buscam atender exclusivamente aos moradores de menor renda em razão dos mesmos não possuírem condições de ter um veículo próprio.

Entretanto, este sistema é alvo de diversas críticas

por parte dos seus passageiros devido as condições em que a maior parte dos ônibus se encontram, não possuem acessibilidade para pessoas com deficiência e também a questão do excesso de velocidade que ocorre por parte dos motoristas.

Fonte (figura): Acervo da autora, em abr. 2017

Sistema Vapt-Vupt

No final do ano de 2014, São Joaquim da Barra recebeu

a implantação de um sistema viário denominado “Vapt-Vupt”. Contando com uma van disponibilizada para os passageiros que chegam a rodoviária próxima a saída da cidade, e desejam ir até a região central sendo desembarcadas no Terminal Rodoviário Urbano. Também ocorre quando os passageiros desejam realizar o percurso inverso, destinado as pessoas moradoras ou não da cidade, mas que se encontram no centro e desejam ir para a rodoviária José Alves Pereira, posteriormente, indo em direção a demais cidades da região.

O veículo possui 15 lugares e ar-condicionado,

funcionando em dias úteis, de segunda a sexta-feira. Na época a rodoviária José Alves Pereira estava ainda em fase de construção, portanto, tal sistema fora útil pois serviu como transporte rápido para os moradores. Fonte (figura): Acervo da autora, em abr. 2017

43 | TRANSPORTE PÚBLICO


4.10 VISÃO SERIAL

1

5

2

6

3

7

4

8

Fonte (mapa 12): Prefeitura Municipal de São Joaquim da Barra, fornecido em 03 de mar. 2017, alterado pela autora.

CAMINHO PERCORRIDO ÁREA DE PONTO VISUAL ESCOLHIDO

44 | VISÃO SERIAL

INTERVENÇÃO


Ponto 1 da Análise Visual

Ponto 2 da Análise Visual

2

1

O começo do trajeto se insere na rua Paraná, próximo à praça principal da cidade. A

Posteriormente, na segunda figura ocorre um destaque pelas tipologias das habitações,

primeira figura utilizada para análise visual se dá por uma perspectiva de via localizada no

que na cidade estão caracterizadas por não serem muito difundidas e apresentarem caráter

centro da cidade até o bairro de intervenção, a baixada, trazendo sensações de tranquilidade

monótono na maior parte dos bairros. Este fato se converteu em uma sensação de ausência

e monotonia.

de diversidade. Ponto 4 da Análise Visual

Ponto 3 da Análise Visual

4

3

Neste trecho a característica mais marcante se dá pelas vegetações existentes,

Ainda na rua Paraná já se tem nesta figura a percepção do terreno e um pouco do

observa-se que todas as casas apresentam ao menos uma árvore ou arbusto, mesmo estes

seu entorno, esta via é caracterizada pela existência de diversas lombadas. Temos calçadas

ainda estando em pequeno tamanho. Aqui se dá a sensação e o conceito de sombreamento e

um pouco estreitas, onde acabam por dividir o seu espaço com os pedestres, postes e árvores

clima mais agradável.

de pequeno porte. Aqui fica uma sensação de maior impessoalidade ao observador.

45 | VISÃO GERAL


Ponto 5 da Análise Visual

Ponto 6 da Análise Visual

6

5

Esta é a rua São Luís onde temos a Loja Maçônica da União Joaquinense, estando

Como o trajeto fora feito em algumas etapas de motocicleta, fora optado por uma

bem à frente da área de intervenção. Fica visível neste caso o conceito de perspectiva

visão do seu espelho refletor. Este efeito gerou uma perspectiva através de uma parte do

delimitado, pois é necessário se afastar bem para uma boa visão de todo a edificação.

terreno, de uma de suas vias e alguns elementos do seu entorno, e por fim, causando uma

Ponto 7 da Análise Visual

sensação de originalidade ao observador. Ponto 8 da Análise Visual

8

7

Outra rua que compreende o entorno da área de intervenção é a rua Goiânia, onde

O último ponto observado fica na rua Tiradentes na quadra acima ao Horto Municipal.

a imagem acima destaca para uma parte da frente do Horto Municipal. Este espaço era

Aqui temos uma via mais larga, porém, com diversas problemas de frestas, neste trecho fica

destinado a plantação de mudas arbóreas que são distribuídas para a população, entretanto,

a sensação de um bairro totalmente habitacional com a carência de equipamentos de cultura,

por falta de investimento o espaço não funciona como deveria.

lazer, saúde e educação.

46 | VISÃO SERIAL


4.11 TOPOGRAFIA (DECLIVIDADE)

< 3,5 m DE 5m A 3,5m DE 10m A 5m > 10m ÁREA DE INTERVENÇÃO

Fonte (mapa 13): Prefeitura Municipal de São Joaquim da Barra, fornecido em 03 de mar. 2017, alterado pela autora.

47 | TOPOGRAFIA (DECLIVIDADE)


São Joaquim da Barra apresenta poucas áreas com

topográficas, onde as poucas curvas de nível ali existentes

preservação ambiental, tanto pelos moradores quanto pelo

altimetria muito devassada, conforme observamos nas figuras

denotam um local plano e devido a inexistência de conflitos

poder público, que não fazem a manutenção e limpeza que

acima e com o mapa de declividade, percebemos que a área

consideráveis para implantação da proposta. Temos também

terrenos deste porte necessitam.

de intervenção é um local favorecido por suas questões

que o terreno está devastado pelos entulhos e pela má

Vistas posterior e frontal da área de intervenção

Fonte (figuras): Acervo da autora, em abr. 2017

48 | TOPOGRAFIA (DECLIVIDADE)

Vistas laterais da área de intervenção

Fonte (figuras): Acervo da autora, em abr. 2017


4.12 VENTILAÇÃO E INSOLAÇÃO

PERCURSO DO SOL VENTOS PREDOMINANTES

SOLSTÍCIO DE INVERNO EQUINÓCIO SOLSTÍCIO DE VERÃO ÁREA DE INTERVENÇÃO

Fonte (mapa 14): Prefeitura Municipal de São Joaquim da Barra, fornecido em 03 de mar. 2017, alterado pela autora.

49 | VENTILAÇÃO E INSOLAÇÃO


São Joaquim da Barra possui uma latitude 20º58’53”

Gráfico de variações de temperatura e diagrama de velocidade dos ventos

sul e a uma longitude 47º51’17” oeste, estando a uma altitude de 625 metros, o município ocupa uma área de aproximadamente 412,271 km². Os limites da cidade são dados pelos seguintes municípios: Guará (norte), São José da Bela Vista (leste), Orlândia (sudeste), Morro Agudo (sudoeste), Ipuã (oeste).

Carta solar de São Joaquim da Barra

O gráfico acima exibe como ocorrem as variações

Os dias quentes e noites frias (linhas vermelhas e azuis

de temperaturas e precipitações na cidade, assim, podemos

tracejadas) mostram a média do dia mais quente e da noite

observar que os meses mais frios compreendem entre maio e

mais fria de cada mês nos últimos 30 anos.

agosto. Época mais quente: são os meses de outubro a março.

Fonte (figura): Elaborada pela autora com auxílio do software Analysis SOL-AR, em abr. 2017

Temos com o diagrama acima a representação de

Considerando os dados geográficos foi possível

como ocorre a velocidade do vento em km/h nos 30 dias de

através do software “Analysis SOL-AR” a elaboração de uma

cada mês no município. Nos meses de dezembro a abril temos

carta solar para a cidade. Fator importante para o estudo de fachadas de uma edificação. 50 | VENTILAÇÃO E INSOLAÇÃO

fortes ventos constantes, já nos meses de Junho a Outubro os ventos são mais calmos.

Fonte (figuras): Retiradas da página eletrônica Meteoblue. Disponível em: <https://www.meteoblue.com/pt/tempo/previsao/modelclimate/s%C3%A3ojoaquim-da-barra_brasil_3448825>, em abr. 2017


4.13 VEGETAÇÃO

VEGETAÇÃO ALTA

VEGETAÇÃO MÉDIA QUADRAS GRAMADAS

Fonte (mapa 15): Prefeitura Municipal de São Joaquim da Barra, fornecido em 03 de mar. 2017, alterado pela autora.

51 | VEGETAÇÃO


5. REFERÃ&#x160;NCIAS PROJETUAIS


5.1 CENTRO DE MÚSICA E ARTES DA FACULDADE DE WENATCHEE VALLEY

RELAÇÃO DA REFERÊNCIA COM A PROPOSTA DE INTERVENÇÃO - Respeitar a topografia e a vegetação

- Conexão das alas com o externo

- Valorização da acústica

existente

O projeto conta com ambientes de

arte e música. De acordo com os arquitetos, fora implantado na área respeitando ao máximo a topografia e a árvores existentes. Uma característica crucial é que o projeto buscou conectar suas alas e forneceu uma integração com o externo. A proposta de São Joaquim da Barra, assim como o Centro de Música e Artes dos Estados Unidos, tem como principal foco manter o equipamento relacionando o público com o privado, assegurando a conexão do arquitetônico com

Espaço externo

o urbano.

Fachada principal

Fonte imagens e dados: ARCHDAILY

Auditório Ambiente interno

53 | REFERÊNCIAS PROJETUAIS


PLANTA DO PRIMEIRO PAVIMENTO

1. Entrada 2. Galeria 3. Estúdio de arte 4. Loja de madeira 5. Sala de informática

6. Sala de aula 7. Escritório 8. Sala de recital 9. Ensaio 10. Sala de gravação

11. Sala prática 12. Votações 13. Escultura ao ar livre 14. Jarda de serviço

PLANTA DE IMPLANTAÇÃO

SALA DE RECITAL (CANTO)

GALERIA - ESPAÇO PARA EXPOSIÇÕES CORTE LONGITUDINAL

54 | REFERÊNCIAS PROJETUAIS

Fonte imagens e dados: ARCHDAILY


5.2 CASA DA MÚSICA

RELAÇÃO DA REFERÊNCIA COM A PROPOSTA DE INTERVENÇÃO Relação dos espaços do público com privado

- Materialidade utilizada

- Utiliza arquitetura contemporânea

“O uso inovador de materiais e

cores por toda a obra foi outro imperativo: assim como as cortinas de vidro em cada extremidade do Grande Auditório, as paredes são revestidas de madeira compensada, sendo que suas nervuras possuem relevos dourados, gerando uma dramática perspectiva. A área VIP tem azulejos pintados à mão que retratam uma cena pastoral tradicional, enquanto o terraço é padronizado com um padrão geométrico de azulejos brancos e pretos; os pisos em áreas públicas são, por vezes, pavimentados em alumínio. ” (FONTE: ARCHDAILY)

Fonte imagens e dados: ARCHDAILY

55 | REFERÊNCIAS PROJETUAIS


Relação dos espaços públicos com o privado

As figuras acima demonstram que a Casa da Música

Inserção de pessoas em todos os espaços Apresentação de um show na parte externa do projeto

carrega em seu projeto múltiplas funções. Na sua área externa tem-se uma pista de skate e, ainda sua morfologia adota espaços para se sentar, seja este utilizado por quem passa e acaba por assistir as apresentações ou mesmo quem deseja descansar por alguns minutos.

Outra atividade desempenhada no espaço externo fica

por conta das apresentações ao ar livre, como observamos na figura ao lado. É interessante destacar que a própria forma do edifício, pela presença dos chanfros, propicia a criação de um espaço de maior destaque para tais apresentações, um espaço de relativa proteção, para que ali se configure um palco, mesmo que sem a ambiência formal do mesmo. Assim, proporciona uma apropriação maior do espaço público e da obra também.

56 | REFERÊNCIAS PROJETUAIS

Fonte imagens e dados: ARCHDAILY


10. Grande auditório 11. Entrada do público 12. Sala de música 13. Bar 14. Pequeno auditório 15. Espaço pedagógico 16. Espaço VIP 17. Restaurante 18. Terraço

1. Sala de ensaios 2. Provador 3. Restaurante dos músicos 4. Escritório 5. Entrada dos músicos 6. Carga/descarga 7. Sala de solista 8. Foyer 9. Bilheteria

CORTE LONGITUDINAL

PLANTA PAVIMENTO SUPERIOR

Com base nas plantas fica perceptível o objetivo do

arquiteto em elaborar um projeto que considere a sua forma como solução, tanto esteticamente quanto acusticamente.

O que temos são espécies de vários diagramas,

caracterizado como espécie de uma caixa que se fragmenta em várias faces, no qual se dividem entre os espaços de serviços e os de uso coletivo, dando ao projeto uma função

FORMA ORGÂNICA DO PROJETO

AUDITÓRIO PRINCIPAL

clara e ao mesmo tempo misteriosa.

FACHADA

PLANTA PAVIMENTO SUPERIOR

Fonte imagens e dados: ARCHDAILY

57 | REFERÊNCIAS PROJETUAIS


5.3 CENTRO DE MÚSICA VICTOR MCMAHON

RELAÇÃO DA REFERÊNCIA COM A PROPOSTA DE INTERVENÇÃO - Relação da utilização dos equipamentos internos com os

- Espaços internos convidativos que consideram conceitos acústicos

externos

e térmicos

Fatores estéticos e amplos espaços são pontos

fortes no qual caracterizam o Centro como um todo. Fez-se o uso de placas acústicas.

Ambientes internos e externos

Os interiores consideram tanto os aspectos acústicos e térmicos.

Assim, foram escolhidos materiais com propriedades acústicas e com beleza, como se fossem instrumentos de verdade. Outra característica importante do projeto é de que ele proporciona um senso de pertencimento e uma oportunidade de aprender música além dos espaços que foram devidamente projetos para tal finalidade. Assim, se torna chamativo a utilização de equipamentos que estão inseridos internamente mas resgatam os valores externos. As salas, exclusivamente as destinadas para práticas musicais foram bem trabalhadas e projetadas para melhor conforto dos alunos, professores e ouvintes.

Fonte imagens e dados: ARCHDAILY


As figuras exibem o contraste de

um espaço interno com um externo, mesmo assim, ainda fica perceptível que ambos conseguem manter a relação do que está fora sem desmerecer as atividades desempenhadas internamente. As cores externas são mais escuras, exibindo o lado rústico e muitas vezes agressivo, esse fator pode estar relacionado a música, visto que, algumas categoriais musicais podem ser bastante agressivas mantendo sua essência, de acordo com as preferências dos ouvintes.

FORMA ORGÂNICA PLANTA PAVIMENTO TÉRREO

Observamos nas figuras ao lado que o projeto

precisou se adaptar e ao mesmo integrar-se com os lotes já existentes. Temos ainda uma forma orgânica, logo no pavimento térreo temos as principais salas musicais, como orquestra, práticas, e ainda os principais acessos e circulações. PLANTA DE IMPLANTAÇÃO

ELEVAÇÃO OESTE

Fonte imagens e dados: ARCHDAILY

59 | REFERÊNCIAS PROJETUAIS


6. A PROPOSTA


6.1 ACERCA DA PROPOSTA

A proposta da implantação de um Centro Musical

visa não apenas a integração de todo o espaço como também a inserção de um local que promova atividades culturais acerca da temática musical, esta abrangente não apenas internamente mas apresentando um caráter de alcance mais expansivo externamente.

LOCAL: São Joaquim da Barra, São Paulo.

ÁREA TOTAL DO TERRENO: 12.715 m² (aprox.)

ÁREA TOTAL OCUPADA: 6.572 m² (aprox.)

PRINCIPAIS PILARES DO PROJETO

RELAÇÃO ABERTO E FECHADO

FLUIDEZ

SOCIABILIDADE

VISTA FRONTAL COM ENTRADA PRINCIPAL PARA O CENTRO MUSICAL E VISTA ÁEREA COM TODO O PROJETO E DEMAIS ESPAÇOS 61 | ACERCA DA PROPOSTA


6.2 ESTUDO PRELIMINAR

PRIMEIRO ESTUDO DE VOLUME

PRIMEIRA PLANTA REALIZADA (sem escala)

MODELO EM DESENHO DO ESTUDO PRELIMINAR

62 | ESTUDO PRELIMINAR

IMPLANTAÇÃO DO ESTUDO PRELIMINAR (sem escala)


6.3 CONCEITO

Com base na implantação observa-se que os caminhos

retas e em diagonais gerando o contraste da ideia curva,

se tem a fluidez como conceito e partido sob um projeto,

e passagens consideram as inspirações passadas pela poesia

porém fora pensando justamente para refletir o outro lado

temos uma proposta com características de naturalidade e

e o sentimento da música, por isso a presença das linhas mais

da música: o lado racional e matemático, no qual compreende

espontaneidade, por fim, o contraste das linhas curvas com as

curvas. Tal ideia fora direcionada também às próprias ondas

a divisão musical. Desta forma, temos o principal conceito

linhas retas remetem que há possibilidade da elaboração de

sonoras, onde conforme as linhas vão se expandindo enaltece

acerca da proposta: a fluidez. Esta, aliada a música, busca

algo suave e ao mesmo tempo, com uma perfeita organização

o pensamento de uma explosão dos sons. Entretanto, se tem

aproximar as pessoas e remeter nas mesmas os principais

espacial promovendo a qualidade dos espaços e de todos ao

ao mesmo tempo um conjunto de edifícios com linhas mais

sentimentos e valores que esta arte apresenta. Quando

seu redor.

6.4 DIRETRIZES GENÉRICAS Elaboração de um espaço multifuncional considerando um caráter contemporâneo; Ser um projeto de referência à cultura para a cidade e • • Oferecimento de distintas atividades direcionadas a temática musical; região, propondo a criação de espaços distintos dentro de • Criação de um café no qual será aberto inclusive para a população que não faz uso do Centro Musical; uma mesma edificação • Redimensionar espaços adequados para todas as pessoas considerando as questões de acessibilidade; • Implantação de espaços abertos e livres para que se realizem atividades variadas, como por exemplo: apresentações, pequenos shows, atividades pedagógicas, etc. Estabelecer uma relação entre a edificação e o seu • • entorno. Organização do tráfego de veículos motorizados

• • •

Criação de diferentes usos que considerem o interno e o externo; Estabelecer relações com o que é privado e o que é público. Propor um sistema de circulação de veículos, visando maior acessibilidade a área; Estudar a viabilidade de estacionamento subterrâneo ou que se adeque as questões visuais do projeto; Estudar a viabilidade de um transporte coletivo que acesse a área.

Receber o fluxo de moradores e usuários da cidade, criando atividades que possam ser realizadas diariamente, como Criação de um equipamento que ofereça atividades tanto • oficinas e cursos profissionalizantes; para os moradores da cidade quanto da região • Atrair a população que trabalha e habita em outros municípios, propondo um auditório de uso coletivo porém, não restritivo, e também um espaço para refeições e comercial que funcione também no período noturno e nos finais de semana. Dar prioridade ao pedestre considerando as questões de • • acessibilidade •

Propor melhoras através de sinalização, redutores de velocidade ou passarelas; Gerar espaços nas vias públicas para a ampliação de calçadas e circulação de bicicletas; Adequação de todo o lote e seu entorno considerando a acessibilidade para todas as pessoas.

63 | CONCEITO E DIRETRIZES


6.5 PROGRAMA DE NECESSIDADES USOS ESPAÇOS PÚBLICOS ESPAÇOS DE USO COLETIVO

ESPAÇOS DE USO SEMIPRIVADO

ESPAÇOS DE USO PRIVADO

AMBIENTES

UNIDADES ESPACIAIS/ QUANT.

DESCRIÇÃO

ÁREA

Praças

-

Espaço público que promove a convivência e/ou recreação para seus usuários

-

Espaços de convivência/ circulação

Promovem acessibilidade

Espaços de permanência e integração social

-

Estacionamento subterrâneo

Uso de funcionários e visitantes

Disponibilidade de vagas para carros, motos e bicicletas

1.972 m²

Restaurante/Café

Espaço para mesas/ balcão/ copa e cozinha

Espaços com balcão para pequenas e grandes refeições; aberto 24h com acesso exclusivo, sem necessidade de se utilizar o Centro Musical

434 m²

Hall

Hall de entrada/ recepção

Hall principal com espaço amplo e recepção

185 m²

Corredores

Corredores e demais acessos

-

Circulação principal

Escada/Elevadores

Circulação vertical

67 m²

Sanitários 1 e 2

Para uso geral

Setor administrativo

75 m²

Secretaria e arquivo

34 m²

Diretoria

33 m²

Controle Contábil

Setor destinado a uso de professores e funcionários da área administrativa, exercendo funções pedagógicas e administrativas, respectivamente

17 m² 17 m²

Sala de professores/reuniões

59 m²

Copa uso professores

26 m²

Lojas de instrumentos e acessórios

Loja destinada a música

Espaço para compra/venda e exibição de materiais com temática musical

204 m²

Auditório principal com abertura externa

Palco/ Foyer/ Camarins/ Sanitários

Auditório principal com abertura posterior e seus complementos; uso para os artistas e profissionais

1.778 m²

Biblioteca

Espaço de leitura e estudo

Biblioteca semiabertas garantindo a relação do externo com interno

360 m²

Carga e descarga

-

Carga e descarga com acesso para depósito

310 m²

Circulação Vertical

-

Acessos elevadores/escadas

74,5 m²

Sanitários 1 e 2

-

Para uso geral

52/ 30 m² 14,5 m²

Salas de teclado

3 salas

Salas de aulas de ensino prático ao teclado em grupo ou individual

Salas de violão/guitarra (corda)

4 salas

Salas de aulas de ensino prático ao violão/guitarra

18 m²

Salas de coro

2 salas

Ensino de coro e coral; treinamento vocal

32,5 m²

Sala de manutenção

1 sala

Espaço para manutenção de instrumento e/ou acessórios musicais

21 m²

Salas de ensaio

2 salas

Salas para ensaio com diversos tipos de instrumentos

41, 42 m²

Controle acústico

1 sala

Sala para controle acústico dos ensaios

36 m²

Depósito

1 sala

Armazenamento de equipamentos e materiais

23 m²

Sala de orquestra sinfônica

1 sala

Sala de ensaio da orquestra sinfônica do Centro Musical

177 m²

Laboratório de informática

1 sala

Acesso a informática

85 m²

Salas workshop/multiuso

-

Sala para realização de eventos, pequenas apresentações

103 m²

Salas de aula teórica

6 salas

Aulas teóricas para os alunos

50 m² 50 m²

Salas de audição

2 salas

Salas para ensaio de canto lírico

Salas de ensaio individual

3 salas

Treinamento e ensino individual

18 m²

Salas de aula de piano

3 salas

Salas de aulas de ensino prático ao piano

25 m²

64 | PROGRAMA DE NECESSIDADES

ESPAÇOS DE USO PRIVADO

ESPAÇOS DE USO SEMI-PRIVADO

ESPAÇOS DE USO COLETIVO

ESPAÇOS DE USO PÚBLICO


6.6 SISTEMA ESTRUTURAL

DIAGRAMA MALHA DE VIGAS E PILARES DO CENTRO MUSICAL

ESTRUTURA E DISPOSIÇÃO DAS LAJES DO CENTRO MUSICAL

65 | SISTEMA ESTRUTURAL


6.7 MATERIALIDADE

O auditório contará com uma cobertura em telha metálica

com dupla acústica trapezoidal.

VISÃO FRONTAL DO PAINEL, escala 1:100

Para as salas de música foram utilizados painéis onde não

Acima temos um desenho técnico onde evidencia as

apenas tem a capacidade de reduzir ruídos, mas também apresentam

dimensões dos painéis em pelo menos um ambiente/sala do Centro

um caráter estético.

Musical.

Alguns ambientes serão utilizadas portas/painéis que se

abrem (se dobram) permitindo a ampliação e gerando multifunções para alguns ambientes.

PLANTA BAIXA DA COBERTURA DOBRÁVEL, escala 1:100

Em alguns locais de circulação foram utilizadas coberturas

No espaço vazio e multiuso foram implantadas coberturas

Assim, mesmo quando estão sendo utilizadas, ou seja, estão

em poliuretano, conforme exemplo acima de uma imagem reproduzida

transparentes onde podem ser dobráveis quando não estão sendo

abertas, não interferem na paisagem tampouco nas apresentações

para a proposta.

utilizadas.

que ali podem ocorrer.

66 | MATERIALIDADE


C

bikes

63 vagas para carros (4 vagas des com deficiência) 9 para motos 7 para bicicletas ÁREA OCUPADA: 2.018 m² (aprox.)

motos

B

A

A

N

N

PLANTA DE SUBSOLO ESCALA 1:300 C

PLANTA DE IMPLANTAÇÃO COM COBERTURA ESCALA 1:350

ELEVAÇÃO FRONTAL ESCALA 1:300

ELEVAÇÃO POSTERIOR ESCALA 1:300

CENTRO UNIVERSITÁRIO MOURA LACERDA

ELEVAÇÃO ESQUERDA ESCALA 1:300

ELEVAÇÃO DIREITA ESCALA 1:300

IMPLANTAÇÃO DE UM CENTRO MUSICAL SOB UM ASPECTO DE INTEGRAÇÃO URBANA E ARQUITETÔNICA

ARQUITETURA E URBANISMO TRABALHO FINAL DE GRADUAÇÃO

ALUNA: KAMILLE EMANUELLE CORRÊA ORIENTADORA: ROSA SULAINE FARIAS

67


C

C

LOJA TEMÁTICA MUSICAL

TECLADO INDIVIDUAL

terraço

CANTO

CANTO

CONTÁBIL CONTROLE

terraço

SALA PROFESSORES DIREÇÃO

B

CORDA

SECRETARIA

SALA DE MANUTENÇÃO

B SALA DE ENSAIO

17/18

19/20

1

2

3

4

5

6

7

8

9

10

11

12

13/14

15/16

FX 1

FX 2

MON 1

MON 2

MAIN 1

MONO

SALA DE controle

SALA DE ENSAIO

B

ESPAÇO/ ACESSO CAMARINS

arquivo ESPAÇO/ ACESSO CAMARINS

B

depósito geral

TECLADO INDIVIDUAL

depósito geral

BIBLIOTECA AULA DE CORO

02

SALA PARA WORKSHOP/ MULTIUSO

03

03

04

05

05

06

06 07

LAB. INFORMÁTICA

08

SALA PARA WORKSHOP/ MULTIUSO

09 11 12 02 03 04 05 06 07 08

05 07 08

A

06

05 06 07

A

sala de audição CORDA

09

09

ensaio individual

11 12

10

11 12

11 12

10

10

11 12

piano

10

A

AULA DE CORO

09

08

06 09

08

07

05

04

04

04

03

03

03

02

02

02

saída de emergência

saída de emergência

12

12

12

11

10

10 11

10

10 11

09

09

09

08

08

07

06 07

05

04

04

04 05 06 07 08

ORQUESTRA SINFÔNICA

RECEPÇÃO

saída de emergência

saída de emergência

A

CORDA

TECLADO EM GRUPO

03

03

02

02

02

CORDA

piano

ensaio individual

piano

ensaio individual

BILHETERIA BILHETERIA FOYER

depósito

FOYER

sala de audição terraço

CENTRO UNIVERSITÁRIO MOURA LACERDA

PLANTA PAVIMENTO SUPERIOR ESCALA 1:300

IMPLANTAÇÃO DE UM CENTRO MUSICAL SOB UM ASPECTO DE INTEGRAÇÃO URBANA E ARQUITETÔNICA

C

C

PLANTA PAVIMENTO TÉRREO ESCALA 1:300

ARQUITETURA E URBANISMO TRABALHO FINAL DE GRADUAÇÃO

ALUNA: KAMILLE EMANUELLE CORRÊA ORIENTADORA: ROSA SULAINE FARIAS

68


11,83 11,83 8,0

8,0

2,50

0,00

0,00

-4,80

-4,80

-8,80

-8,80

CORTE AA ESCALA 1 300

11,83 11,83

8,0

8,0

0,00

0,0 -1,20 -2,40

-4,80

-4,80

-8,80

-8,80

CORTE BB ESCALA 1 300

DETALHAMENTO CORTE PAREDE ABSORVENTE ESCALA 1 200

11,83 11,83 8,0

8,0

0,0

0,00

-1,20 -2,40 -3,60 -4,80

-8,80

-8,80

CORTE CC ESCALA 1 300

CENTRO UNIVERSITÁRIO MOURA LACERDA

IMPLANTAÇÃO DE UM CENTRO MUSICAL SOB UM ASPECTO DE INTEGRAÇÃO URBANA E ARQUITETÔNICA

ARQUITETURA E URBANISMO TRABALHO FINAL DE GRADUAÇÃO

ALUNA: KAMILLE EMANUELLE CORRÊA ORIENTADORA: ROSA SULAINE FARIAS

69


6.9 MEMORIAL

Uma das principais justificativas da escolha da proposta

Tem-se inserido neste local um grande espaço vazio, porém, com

por um Centro Musical é de justamente promover novos tipos de

acarretando em diversas utilidades, assim, quando o auditório não

equipamentos a sociedade e também de mudar a visão que as

estiver aberto ao público será possível a realização de distintos

pessoas detém sobre o ensino musical, visto que, o Brasil não

eventos ou mesmo como um ponto de encontro para as pessoas. Este

agrega os devidos valores a esta modalidade. Assim, começando de

local de interação resgata um dos mais fortes pilares da proposta, o

uma cidade como São Joaquim da Barra, as pessoas que buscam um

de manter as pessoas mesmo fora do edifício dentro do seu espaço.

aprimoramento voltado a esta área, ou ainda as que desejam melhor

aperfeiçoar as qualidades voltadas a cultura, podem se direcionar

com salas exclusivas para professores e funcionários. Esta

ao Centro Musical.

equipe será grande pois serão cerca de 30 salas com diferentes

O projeto busca interligar e inserir qualquer topologia que

práticas funcionando ao mesmo tempo, estas salas se dividem

considere usos de dentro e de fora, de maneira que mesmo que uma

entre: teoria, canto, coro, ensaios, teclado, piano, corda, entre

pessoa esteja fora do Centro Musical, ainda pode sentir as vibrações

outros. Serão 2 pavimentos (térreo e superior) e ainda um subsolo

por todo seu espaço. Quando dispomos de instalações com o objetivo

para estacionamento, o projeto também contará com uma loja de

de aliar e integrar ambientes e gerar e estímulos variados ao

acessórios e materiais voltados a temática musical, onde mesmo

expectador, temos usuários apresentando diversas experiências

separado servirá totalmente ao Centro. O térreo contará com um

sentimentais, sensoriais, acústicas e até físicas. A união entre

café/restaurante aberto a todos, uma biblioteca com aberturas para

elementos musicais e obras arquitetônicas ocorre como propósito

uma pequena praça bem ao meio. Por fim, o objetivo da proposta fora

desse movimento artístico e é tida de maneira subjetiva, visto que,

ligar todos os elementos através de pequenos parques, verdes e

dependeria de fatores como o próprio tema da instalação. Contudo,

grandes circulações.

o Centro Musical permeia por um fator que está presente em todos os nossos dias: a música.

O foco principal do projeto está na implantação de um

Centro Musical onde se voltará para a aprendizagem da maior parte da população da cidade, o edifício abrigará em sua categoria pedagógica as faixas etárias de 14 a 60 anos, separados entre turnos e salas. Entretanto, algumas atrações ocorrerão para todas as idades, está por sua vez serão feitas no auditório principal inserido e um bloco separado das salas de aulas, onde ainda, se abrirá em alguns momentos para o público que apenas estiver circulando pela quadra.

70 | MEMORIAL

O Centro Musical terá seu próprio setor administrativo,


6.10 IMAGENS DA PROPOSTA

AUDITÓRIO E FACHADA PRINCIPAL DO CENTRO MUSICAL

AUDITÓRIO E FACHADA PRINCIPAL DO CENTRO MUSICAL

ENTRADA SECUNDÁRIA DO CENTRO MUSICAL, ACESSO ABERTO COM ESPAÇO DE CONVIVÊNCIA

ENTRADA E DEMAIS ACESSOS AO CENTRO; CAMINHOS PARA LOJA

71 | IMAGENS DA PROPOSTA


VISÃO AÉREA DO CENTRO MUSICAL AO ENTARDECER (parte posterior)

ESPAÇO ABERTO COM PALCO EXPOSTO AO PÚBLICO

VISÃO DO ESPAÇO ABERTO, ELEMENTOS DE COBERTURA E BANCOS

VISÃO DO ESPAÇO ABERTO, ELEMENTOS DE COBERTURA E BANCOS


AUDITÓRIO

AUDITÓRIO

RESTAURANTE E CAFÉ


SALA DE INFORMÁTICA

SALA DE ENSAIO INDIVIDUAL (aulas práticas)

LOJA DE INSTRUMENTOS E ACESSÓRIOS MUSICAIS

SALA DE AULA TEÓRICA


SALA DE AULA DE CORO (aulas prรกticas)

SALA DE PIANO

75 | IMAGENS DA PROPOSTA


CONSIDERAÇÕES FINAIS

Considerando que, tanto a arquitetura quanto a música

Fora possível resgatar alunos, transeuntes e expectadores não

estão sempre em processos de mudança, devemos alcançar esse

apenas pela forma ou função em si, mas também pela própria

olhar quando pensamos nas pessoas. Com este trabalho fora

conexão com o entorno, transformando em um local plausível de se

possível demonstrar diversas temáticas no qual as pessoas fazem

estar. Internamente todos os ambientes foram pensados de maneira

parte, seja na música, na arquitetura ou mesmo no espaço que ali se

que alunos, visitantes e funcionários possam fazer uso valorizando

inserem. A principal proposta fora projetar um Centro Musical que

a integração entre a cultura, a educação e o dia-a-dia das pessoas,

virá atender as necessidades da cidade de São Joaquim da Barra,

transformando-se em um local de aprendizagem e convivência. Por

partindo para elaboração de um projeto com um dos fatores mais

fim, temos uma proposta, onde igual a música, apresenta espaços

carentes, a ausência de cultura nas pequenas cidades do Brasil.

livres e abertos, considera a fluidez em sua composição, mas ainda

Contudo, a proposta atingiu seus principais objetivos de manter

conta com locais privados para um melhor entendimento da sua

as pessoas dentro do mesmo espaço desfrutando de diversas

metodologia espacial.

atividades, interagindo com os demais e com todos os ambientes.

76 | CONSIDERAÇÕES FINAIS


REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS 44 Arquitetura. Disponível em: <http://44arquitetura.com. br/2017/09/solucoes-acusticas-bacanas-paredes/> Acesso em: 30 de jul. 2017

CRISTINE, Elen. A música e o desenvolvimento da inteligência. Disponível em: <http://www.mundoeducacao.com.br/educacao/ amusica-desenvolvimento-inteligencia.htm.> Acesso em: 01 ago. 2017

ARCHDAILY. Disponível em: <http://www.archdaily.com.br/br/627516/ centro-de-musica-e-artes-da-faculdade-de-wenatchee-valleyintegrus-architectureg> Acesso em: 10 mar. 2017

COMUNE, Agnes Costa Del. Estudo das relações entre a arquitetura e a música. 2010, 125 f. Monografia de Conclusão do Curso de Arquitetura e Urbanismo (Graduação em Arquitetura e Urbanismo). Universidade Presbiteriana Mackenzie, São Paulo.

ARCHDAILY. Disponível em: <http://www.archdaily.com.br/br/765378/ casa-da-musica-oma> Acesso em: 20 abr. 2017 ARCHDAILY. Disponível em: <http://www.archdaily.com.br/br/769770/ centro-de-musica-victor-mcmahon-baldasso-cortese-architects> Acesso em: 10 mar. 2017 ARQ BR. Centro Cultural de Cabo Frio. Disponível em: <http://arqbr. arq.br/projeto/centro-cultural-de-cabo-frio/>. Acesso em: 10 out. de 2017 AU. Debate: Conheça os cuidados exigidos por pequenos auditórios em relação à iluminação, ergonomia e materiais de acabamento. Disponível em: <http://au17.pini.com.br/arquitetura-urbanismo/206/ artigo214969-1.aspx> Acesso em: 06 jul. 2017 AU. José Augusto Nepomuceno escreve dez anos da Sala São Paulo: A acústica da Sala São Paulo. Disponível em: <http://www.revistaau. com.br/arquitetura-urbanismo/189/jose-augustonepomucenoescreve-dez-anos-da-sala-sao-paulo-158190-1.asp.> Acesso em: 30 mar. 2017 BRASIL. Lei nº 10.257 de 10 de julho de 2001. Disponível em: <http:// www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/LEIS_2001/L10257.htm. > Acesso em 26 abr. 2017. BRASIL. Lei nº 11.769 de 18 de agosto de 2008. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2007-2010/2008/lei/ L11769.htm. > Acesso em 20 abr. 2017. CAIADO, Elen Campos. A importância da música para a criança. Disponível em: <http://www.sagradomarilia.com.br/arqdownloads/ importanciadamusica.pdf.> Acesso em: 06 jul. 2017 CERQUEIRA, Daniel Lemos. Análise Sobre o Projeto do Centro de Música. Guarulhos. 9 págs.

DEL RIO, Vicente. Introdução ao Desenho Urbano no Processo de Planejamento. 1ª edição. São Paulo: Ed. Pini, 1990. 198 págs. DONOSO, José Pedro. Som e Acústica. São Paulo, IFSC/USP. FALLEIROS, Lúcio de Oliveira. Conto, canto e encanto com a minha história ... São Joaquim da Barra. São Paulo: Ed. Noovha América. 2007. 64 págs. Notas: Inclui bibliografia. Patrocinado por: Usina Alta Mogiana e Ministério da Cultura FONTERRADA, Marisa Trench de Oliveira - “De tramas e fios: um ensaio sobre música e educação” - UNESP, São Paulo (2005). HISTÓRIA DA MÚSICA: DA PRÉ-HISTÓRIA A IDADE MÉDIA. Disponível em: <http://www.falandodeartes.com.br/2014/09/historia-da-musicada-pre-historia.html> Acesso em: 06 out. de 2017 KÁROLYI, Otto. Introdução à Música. São Paulo: Martins Fontes. METEOBLUE. Disponível em: <https://www.meteoblue.com/pt/ tempo/previsao/modelclimate/s%C3%A3o-joaquim-da-barra_ brasil_3448825> em abr. 2017 MÚSICA, Casa da. A Casa . Disponível em: <http://www. casadamusica.com/CDMHouse/default.aspx?channelID=8CADCB69FD0E-4194-AC50-569CAF033DC6&id=74FA3DE2-1D4F-4F90-97B6745DBEE35CC5&l=8CADCB69-FD0E-4194-AC50-569CAF033DC6.> Acesso em: 20 abr. 2017 PITA, Juliano Veraldo da Costa. Dissertação de Mestrado “Os espaços para a música contemporânea. São Carlos. 2012. 336 págs. VAZ, Lilian Fessler; SILVEIRA, Carmen Beatriz. Áreas centrais, projetos urbanísticos e vazios urbanos. Revista Território. Rio de Janeiro, ano IV, n° 7. p. 51-66. jul./dez. 1999

77 | REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS


Profile for Kamille Corrêa

Implantação de um Centro Musical sob um aspecto de integração urbana e arquitetônica  

Trabalho Final de Graduação do curso de Arquitetura e Urbanismo outorgado pelo Centro Universitário Moura Lacerda elaborado por Kamille E. C...

Implantação de um Centro Musical sob um aspecto de integração urbana e arquitetônica  

Trabalho Final de Graduação do curso de Arquitetura e Urbanismo outorgado pelo Centro Universitário Moura Lacerda elaborado por Kamille E. C...

Advertisement