Issuu on Google+

ENCHENTES Cidade de Goiás receberá R$ 500 mil para reparos [2

ANO II - NÚMERO 11

VALE DO ARAGUAIA, JANEIRO DE 2011

R$ 0,50

TRANSPORTE

Agetop abre luta por verbas para recuperar as rodovias C

om 10 mil quilômetros de rodovias pavimentadas, Goiás sofre com quedas de pontes e buracos no asfalto, provocados pelo período intenso de chuvas e pela falta de atenção do governo anterior. Empresário do setor logístico, o presidente da Agência Goiana de Transportes e Obras (Agetop), Jayme Rincon, revela que todo trabalho da Agência está focado na manutenção e no atendimento das situações de emergência para garantir o tráfego nas rodovias. Rincon, que fez um diagnóstico completo da situação, ressalta que, mesmo antes das chuvas, as rodovias já estavam em estado de calamidade. A situação é de emergência, mas governo ainda busca alternativas para obter verbas. [7

BR-070, entre Jussara e Aragarças: além das rodovias estaduais, também as federais estão em péssimas condições

‘Cidade Esperança’ está de volta

IT APIRAPUÃ ITAPIRAPUÃ

Uma cidade tranquila, mas nem tanto O delegado Humberto Teófilo considera Itapirapuã uma cidade tranquila, embora por vezes seja palco de crimes pesados. Ele fala sobre tráfico e uso de drogas e comenta o crime de empresários e advogados envolvidos em pedofilia. [5

ARA GU AP AZ ARAGU GUAP APAZ

MP aciona ex-prefeito

O deputado e apresentador Tulio Isac anuncia que seu programa “Cidade Esperança” volta a ser veiculado nas tardes de segunda a sexta-feira, pela Televisão Brasil Central, dia 28 de fevereiro. O programa foi tirado do ar em agosto do ano passado, por retaliação do então governador Alcides Rodrigues. [8

A promotora de Justiça Andréia Zanon Marques propôs ação civil pública contra o ex-prefeito de Araguapaz, Antônio Abadia Assunção Pinto, por ato de improbidade administrativa. No último ano do seu mandato, o ex-prefeito realizou despesas superiores à disponibilidade financeira do município. [4


2

JORNAL DO VALE

VALE DO ARAGUAIA, JANEIRO DE 2011

Campo

VALE TUDO Usina O consórcio EDP/Grupo Rede, vencedor do leilão para explorar o potencial hidrelétrico Couto Magalhães, pediu o apoio do governador Marconi Perillo (PSDB) para a implantação do projeto, que ainda depende de um estudo do Ibama sobre o impacto ambiental. O Aproveitamento Hidrelétrico (AHE) Couto Magalhães foi incluído no PAC (Programa de Aceleração do Crescimento), do governo federal, e deverá ser implantado no trecho do Alto Rio Araguaia, a cerca de 90 km da nascente, nos municípios de Alto Araguaia (MT) e Santa Rita do Araguaia (GO).

Socorro! A Agetop colocou em funcionamento, na segundafeira 10, o telefone gratuito destinado a atender os usuários das rodovias estaduais. Os motoristas poderão acionar o número 0800-6494000 para registrar informações e reclamações sobre as condições da malha rodoviária estadual. O serviço funciona 24 horas por dia, todos os dias. As demandas recebidas pelo telefone serão encaminhadas pela equipe de atendimento da linha ao setor competente.

Barragem O projeto da Usina prevê a construção de uma barragem sobre o rio Araguaia, com 918 metros de extensão, 500 metros acima da Cachoeira Couto de Magalhães e deverá ocupar uma área de 911 hectares na zona rural. A previsão de investimentos é de R$ 500 milhões, com a geração de 800 empregos e produção de 150 megawatts.

Samba-tango Depois de passar o dia, em Buenos Aires, negociando a primeira viagem exterior da presidenta Dilma Rousseff, que irá à Argentina no próximo dia 31, o ministro das Relações Exteriores do Brasil, Antonio Patriota, afirmou que as presidentas Dilma Rousseff, do Brasil, e Cristina Kirchner, da Argentina, representam “liderança e coragem” na região. Na agenda de conversas que Dilma terá há discussões desde energia nuclear até questões da área social.

Trânsito Conscientizar motoristas e pedestres a fim de reduzir o índice de acidentes nas rodovias goianas é um dos principais enfoques do presidente do Detran, Edivaldo Cardoso de Paula. Uma nova equipe para coordenar as campanhas de conscientização já está sendo montada. Será criado um plano de ações para combater a violência no trânsito. Outro desafio nesta gestão é elevar a qualidade no atendimento dos serviços prestados pelo Departamento.

O novo presidente da Emater, Luiz Humberto Guimarães, diz que a empresa vai trabalhar tendo como foco o agricultor familiar.

Cidade de Goiás receberá R$ 500 mil para reparos A ministra da Cultura, Ana de Hollanda, durante visita à Cidade de Goiás, na quarta-feira 13, anunciou o repasse de R$ 500 mil para o Iphan, para reparar os estragos causados pelas chuvas (foto). A ministra visitou a cidade na companhia do presidente da Agepel, Gilvane Felipe, e do presidente do Iphan, Luiz Fernando de Almeida. Por conta das fortes chuvas dos últimos dias, cerca de 50 casarões estão comprometidos, dois foram totalmente destruídos, 123 pessoas foram desalojadas e oito pontes estão intransitáveis.

Polícia Para os próximos três anos, o secretário de Segurança Pública, João Furtado, pretende aumentar em 25% o número de policiais militares em Goiás. Em relação às demais instituições, está em fase de realização um levantamento para verificar o número necessário. A estimativa é que este crescimento gradual se inicie a partir de 2012. Segundo Furtado, a ampliação do efetivo é fundamental para evitar a “estrangulação” do sistema. Hoje, há cerca de mil PMs em fase de treinamento. No entanto, esse número apenas substituirá aqueles que se aposentaram, foram afastados por algum motivo ou morreram. Na Polícia Militar há um déficit de aproximadamente 4 mil policiais.

História do TJ O Tribunal de Justiça do Estado (TJGO) lançou dia 7 o livro Presença do Tribunal de Justiça na História de Goiás. De autoria de Maria Augusta de Sant’Anna Moraes e Ursulino Tavares Leão, a publicação remonta a história do Poder Judiciário goiano, aborda o ordenamento jurídico no mundo, no Brasil e em Goiás e a modernidade do TJGO. Traz ainda uma galeria de presidentes, de José Ascenço Ferreira, em 1874, até o desembargador Paulo Teles, presidente durante o biênio 2009/2011.

Soldados do Exército durante o trabalho de montagem da ponte metálica

É lento trânsito sobre ponte na GO-070 O trânsito na ponte metálica que foi instalada provisoriamente na GO-070, sobre o Rio das Pedras, em Itaberaí, é lento. A ponte foi liberada para o tráfego de veículos leves, mas, como permite a passagem de um carro de cada vez, filas de veículos são comuns. Rotas – Conforme levanta-

mento da Agetop, os motoristas podem utilizar as seguintes rotas alternativas: na GO-070, ao sair de Goiânia em direção a Anicuns, pela GO-060 e 326, passar por Americano do Brasil (GO-156) e retornar na GO-070. Total da rota: 134 quilômetros; deixando Goiânia, também em direção a Anicuns, pela GO-060 e 326, seguir na GO-

326 para Sanclerlândia, passar por Mossâmedes, na GO-164, retornando à GO-070. Total: 166 quilômetros; ainda ao sair de Goiânia e na mesma direção, ao chegar em Sanclerlândia seguir na GO-326 até Novo Brasil e retornar à GO-070, na cidade de Jussara. Total: 216 quilômetros.

JORNAL DO VALE (Vale do Araguaia) – Editado por Vale Comunicação Ltda - CNPJ 10.304.281/0001-20 - Av. João Mariano Costa, Qd. 75, Lt. 17 Centro - Itapirapuã-GO - Telefones: 9908.0793 • Diretora: Marcela Suassuna • Diretor Comercial: Marcelo Fabiano (9958.4003) • Edição: Fernando Martins (Fenaj 1074-JP) • Colaboradores: Mara Suassuna • Contato com a Redação, sugestões e críticas: redacao@jornaldovale.inf.br • Site:www.jornaldovale.inf.br • Este jornal não mantém vínculo empregatício com seus colaboradores. • Tiragem desta edição: 5.000 exemplares • Os conceitos emitidos nas matérias assinadas não refletem necessariamente a opinião do jornal • Produção: Gráfica Liberdade - Redação e impressão de jornais, revistas e livros - Avenida Rui Barbosa, 109 - Setor Serrinha - Goiânia-GO - Telefone: (62) 3255.1616 - grafica@editoraliberdade.com.br


JORNAL DO VALE

VALE DO ARAGUAIA, JANEIRO DE 2011

3

GOVERNO

Marconi desarma primeira armadilha de Alcides nas finanças do Estado

A

ziu inovações que serviam de exemplo para o Brasil, como o pagamento do 13º salário no mês de aniversário e o salário antes do mês a vencer”.

Wagnas Cabral

o contrário do que se podia prever, o governador Marconi Perillo desarmou a tempo a primeira armadilha deixada pelo antecessor Alcides Rodrigues nas finanças do Estado – liberou na segunda semana de janeiro os R$ 340 milhões que Alcides deixou em atraso da folha de pagamento dos servidores estaduais. Com isso, evitou a possibilidade de parcelamento do débito, o que chegou a ser cogitado num primeiro momento. O funcionalismo não recebeu dezembro porque Alcides Rodrigues privilegiou o pagamento de empreiteiras – preferiu pagar R$ 526 milhões a empresas privadas e deixou 100 mil famílias de servidores públicos sem receber, segundo revelou o Sindipúblico. Em nota oficial, o sindicato considerou “irresponsável e absolutamente inaceitável” essa “priorização” de empreiteiras em detrimento de mais de 100 mil famílias de servidores públicos estaduais, que amargaram o pior Natal e Ano Novo dos últimos doze anos, ferindo gravemente os princípios constitucionais de moralidade e isonomia, já que alguns servidores foram pagos e outros não. “Foi a primeira vez, neste período”, destacou o Sindipúblico, “que os servidores deixaram de receber o mês de dezembro antes do Natal, depois que o governador Marconi Perillo introdu-

Marconi: corte de despesas e menos cargos comissionados

JANEIRO O governador informou que o Estado tem procurado reunir recursos para tentar quitar a folha de janeiro deste ano até o dia 31 próximo. “Só ontem conseguimos completar o montante que faltava para pagar o mês de dezembro. Vamos agora buscar novas fontes de recursos para tentar pagar janeiro ainda neste mês”, disse. Para conseguir dinheiro suficiente para colocar a folha de pagamento em dia, Marconi disse ter se socorrido de empréstimos junto aos Tribunais de Justiça e de Contas do Estado, além de ter solicitado a colaboração do Ministério Público e de grandes contribuintes. “Estamos trabalhando incansavelmente para resolver essa questão da folha. No dia 31 vamos anunciar se teremos condições de pagar a folha de janeiro ou, caso contrário, quando poderemos fazê-lo”, anunciou. Marconi informou ainda que o total arrecadado pelo Estado neste mês de janeiro está sendo direcionado exclusivamente para pagar a folha de dezembro e o serviço da dívida, que vence no dia 20 próximo e demandará recursos da ordem de R$ 68 milhões. “Essa é

uma dívida que não podemos deixar de pagar. Por isso é tão prioritária quanto o pagamento da folha”, destacou. O governador voltou a lamentar ter assumido o Estado “com problemas tão graves”. Segundo ele, além do desvio de mais de R$ 520 milhões para pagamento de empreiteiras e agências de publicidade, o governo passado deixou mais de seis mil quilômetros de rodovias totalmente deteriorados, pontes caídas, bueiros danificados, caos completo na prestação de serviços na rede hospitalar, na segurança pública e em praticamente todas as áreas da administração. Mesmo diante de tantos problemas, Marconi disse que pretende, assim que colocar a folha de pagamento em dia, estabelecer um calendário anual, mês a mês, para o pagamento do salário dos servidores. “Vamos reeditar a norma de nossos dois governos. Vamos dar ao servidor uma data exata para que ele saiba quando receberá o seu salário”, salientou. O governador disse que determinou a todos os seus auxiliares que cortem despesas e promovam um enxugamento radical no número de cargos comissionados. “Esperamos ter economia para realizar mais, cortando gastos e eliminando da administração pública a corrupção, o pedágio e a comissão”, acrescentou.

Lailson Damásio

Preocupado com as vítimas das enchentes da Região serrana do Rio de Janeiro, o governador Marconi Perillo lançou na segunda-feira, dia 17, campanha de arrecadação de donativos para as famílias que foram vitimadas pela catástrofe e estão desabrigadas. A campanha, com sede na Praça Cívica, onde as doações são depositadas em tendas que foram montadas no local, será coordenada pelo Corpo de Bombeiros, Polícia Militar, Casa Civil e pela primeira-dama, Valéria Perillo, por meio da Organização das Voluntárias de Goiás (OVG). Unidades do Corpo de Bombeiros e Polícia Militar espalhadas pela capital e interior estarão funcionando 24 horas para que as pessoas possam fazer suas doações. Marconi destacou que, como cidadão e governador, ele não poderia ficar omisso a essas tragédias. Ele pediu que as doações de alimento fossem para consumo rá-

Iris Roberto

Campanha ajuda vítimas da chuva no Rio de Janeiro

Ceasa Marconi, na praça Cívica, faz o lançamento da campanha pido, já que as cidades atingidas não possuem locais para armazenamento dos alimentos. Solicitou materiais de limpeza, higiene pessoal e, principalmente, água. O governador exortou os goianos a ajudarem as vítimas e agradeceu àqueles que, mesmo antes de oficializada a campanha, já realizaram um

número expressivo de doações. Ele informou que a OVG irá abrir uma conta para que os goianos possam fazer doações, e o número será disponibilizado à população o mais breve possível. Marconi disse ainda que o governo irá entregar um certificado de solidariedade aos cidadãos que colaborarem.

– Foi empossado dia 13 o novo presidente das Centrais de Abastecimento de Goiás (Ceasa) Edvaldo Crispim da Silva. A nova gestão é composta ainda por João Augusto Machado, diretor financeiro, e Orlando Tokio Kumagai, na diretoria técnica. O novo presidente foi empossado pelo secretário Antônio Flávio de Lima, titular da Secretaria de Agricultura (Seagro) e presidente do Conselho composto por nove membros efetivos (foto). Dentre eles, Josué Lopes, gerente da divisão técnica e Edvaldo Gonçalves, auditor fiscal da Ceasa. Recém integrado ao conselho no mês de dezembro do ano passado estava Lourivan dos Santos, presidente da Associação dos Hortifrutigranjeiros do Estado de Goiás (Asphego).


4

JORNAL DO VALE

VALE DO ARAGUAIA, JANEIRO DE 2011

Projeto facilita as investigações de promotores Promotores poderão ter acesso facilitado a dados financeiros e bancários de pessoas físicas e jurídicas, desde que haja inquérito civil ou procedimento investigatório instaurado. Hoje, o integrante do Ministério Público que investiga determinada situação de crime só pode obter tais documentos com autorização judicial. A modificação na legislação foi proposta pelo senador Demóstenes Torres através de projeto de lei (PLS 219, de 2008) e se aplica quando houver processo administrativo instaurado ou procedimento fiscal em curso e tais exames sejam considerados indispensáveis pela autoridade administrativa. De acordo ainda com essa norma, os resultados das buscas serão conservados em sigilo. Além dos promotores, o mesmo benefício já é estendido atualmente às autoridades e agentes fiscais tributários da União, dos estados, do Distrito Federal e dos municípios. Esta concessão é feita através da Lei Complementar

número 105, de 2001. O senador Demóstenes Torres, argumenta que, com a modificação proposta, seria assegurada ao MP uma investigação mais eficaz e rápida de atos de improbidade administrativa e de crimes graves financeiros, econômicos, tributários ou contra a administração pública. Em relatório a favor do projeto, o senador Pedro Simon (PMDB-RS) assinalou que a proposição “não caminha contra o entendimento dos tribunais superiores de que é possível a quebra do sigilo bancário fora do âmbito exclusivamente jurisdicional”. Para o relator, que concorda com a proposição de Demóstenes, o tema que dá maior poder de investigação ao Ministério Público deve ser debatido a exaustão. Por requerimento do senador Março Maciel (DEM/PE), o projeto de Demóstenes passou a tramitar em conjunto com outras cinco proposições e deve ser votado no Plenário em fevereiro.

MP aciona ex-prefeito de Araguapaz gastos no final do mandato O ex-prefeito de Araguapaz, Antônio Abadia Assunção Pinto, é alvo de ação proposta pela promotora de Justiça Andréia Zanon Marques Junqueira por ato de improbidade administrativa. De acordo com a ação, no último ano do seu mandato, o ex-prefeito realizou despesas com valores superiores à disponibilidade financeira do município. A ação civil pública proposta pelo Ministério Público aponta que, ao longo do mandato, Antônio Abadia não cumpriu a Lei de Responsabilidade Fiscal no sentido de promover o equilíbrio orçamentário municipal. O exprefeito fechou os anos de 1997, 1998 e 1999 deixando dívidas para os anos seguintes. Segundo o artigo 42 da Lei de Responsabilidade Fiscal, nos últimos dois quadrimestres do

mandato é proibido contrair receitas que não possam ser cumpridas integralmente dentro do período de gestão. No último quadrimestre de 2000, a disponibilidade financeira do Executivo era de R$ 674,46. Mesmo sem recursos suficientes, o exgestor contraiu despesas de R$ 98.454,54, deixando o montante para ser pago na administração posterior. Caso seja condenado, o exprefeito pode ter seus direitos políticos suspensos por um período de três a cinco anos e ainda arcar com multa civil de até 100 vezes o valor da remuneração recebida durante o mandato. O MP pede também que ele seja proibido de contratar com o Poder Público ou receber benefícios ou incentivos fiscais pelo prazo de três anos.

VIOLÊNCIA

Itapirapuã é uma cidade tranquila, afirma delegado Marcela Suassuna

E

m termos de violência, comparada às cidades vizinhas, Itapirapuã é uma cidade tranquila, afirma o delegado Humberto Teófilo de Menezes Neto, cuja jurisdição abrange também a cidade de Jussara, embora admita que, a cada três meses, em média, “acontece um crime que abala a cidade”. Nesta entrevista o delegado fala sobre o tráfico e uso de drogas e comenta o crime de maior repercussão, o de empresários e advogados envolvidos em pedofilia. Quanto ao tráfico e uso de drogas, os números são expressivos? – O tráfico e as drogas estão em todos lugares, não há como escapar, principalmente do crack, mas o tráfico pesado ocorre mais na cidade de Jussara, onde existe um número maior de traficantes, sendo que a maioria desta droga vem do Mato Grosso e de outras cidades de grande porte. E a frequência de assaltos aqui na cidade e na região? – Até que assaltos não há muitos. Nestes últimos dias ocorreu um, no qual três pessoas armadas assaltaram um posto de gasolina e fugiram do local e até hoje estamos à procura destes assaltantes. Mas há muitos meses não ocorria este tipo de crime aqui. E quanto ao inquérito do caso de pedofilia, ocorrido aqui na cidade. Sabemos que é um caso polêmico, já foi concluído o inquérito? – O inquérito foi desmembrado para apurar os outros investigados que estão soltos e até o momento já fizemos interrogatório de 6 envolvidos, que são pessoas de grande porte financeiro. Há empresários e advogados envolvidos. Eles serão indiciados por favorecimento da prostituição. Estamos analisando, parece que existe uma menor de 13 anos que também frequentou a casa e dependendo do caso será considerado estrupo de vulnerável. Estas adolescentes também já foram ouvidas, são adolescentes com idades de 13 a 16 anos e que frequentavam a casa e recebiam em troca uma certa quantia em dinheiro repassada pela agenciadora, que é a Meirivam, que foi presa em flagrante. O senhor disse que os envolvidos são empresários e pessoas de porte financeiro elevado aqui da cidade, só que os nomes

Delegado Humberto: combate à pedofilia e ao tráfico não podem ser citados? – Não podem ser citados para evitar qualquer novidade no inquérito, porque este tipo de crime o código estabelece que o inquérito tem que tramitar em segredo de justiça. Qualquer infligência pode tornar todas as provas ilícitas. Eles vão ser acusados do crime de pedofilia e do que mais? – Até o momento serão indiciados por favorecimento da prostituição, que é o crime de quem mantém relação sexual com adolescentes e oferece às mesmas uma certa quantia em dinheiro. Vamos analisar se existe outros crimes, que se interligam, como a corrupção de menores, o estrupo de vulnerável e, dependendo do caso, até formação de quadrilha. Mas até o momento estamos investigando e esperamos que nos próximos dias este inquérito seja relatado. O que foi feita destas meninas, elas foram encaminhadas aos seus familiares, são daqui de Itapirapuã ou de outro município? – As seis adolescentes são daqui de Itapirapuã e elas estão sendo encaminhadas ao Instituto Médico Legal (IML) para feitura do laudo de conjunção carnal. Se for constatado que realmente não são virgens serão encaminhadas para tratamento psicológico, porque lá também vai ser feito um laudo psicológico para ver como elas estão depois de viver numa casa de prostituição. E os indiciados? – Todos os envolvidos serão indiciados, e não havendo ameaças, nenhum constrangimento às testemunhas, eles responderão em liberdade, mas se houver uma certa perturbação durante o inquérito será feito o pedido de prisão em desfavor destes envolvidos. Como o senhor disse são pessoas de poder aquisitivo eleva-

do, não há riscos de “compra” de testemunhas? – Existe a possibilidade da mudança do depoimento na fase judicial, mas elas vão ter que justificar o porque da mudança do depoimento. Aqui na fase inquérito policial eles existe indícios de que serão indiciados. Houve manifestação das famílias das vítimas? – Houve manifestação das famílias que são também testemunhas no inquérito. As mães das vítimas detalham alguns fatos, detalham a mudança de comportamento dessas adolescentes que viviam nesta casa de prostituição infantil. Em relação a este caso fica bem claro que quem tomou a frente de investigação foi seu grupo de agentes. O senhor vê isto como um desafio a ser elucidado, um aprendizado a mais para na sua carreira? – Com certeza é um desafio, e quando a gente toma a frente destes inquéritos tem que ir até o final. Estes tipo de crime tem que ser combatido na sociedade. Crimes contra a dignidade sexual, crimes que arrebentam famílias, têm que ser severamente combatidos. Enquanto estivermos na região de Itapirapuã e Jussara, pode até ser que não acabem, mas vamos combater ao máximo este tipo de crime. Então que se cuidem os bandidos... – Exatamente, que fiquem espertos, porque se depender de mim vamos indiciar e prender, embora infelizmente na cadeia não caiba muita gente. Mas temos que cumprir a lei. Vamos continuar combatendo o tráfico, combatendo estes crimes sexuais, 24 horas por dia, sempre trabalhando em favor da sociedade para que este tipo de pessoas sejam banida do meio social. O lugar para este tipo de pessoa é na cadeia.


JORNAL DO VALE

VALE DO ARAGUAIA, JANEIRO DE 2011

5

CRISE

Situação da Iquego é crítica, diz presidente A situação da Indústria Química do Estado de Goiás Iquego (o laboratório farmacêutico do Estado) é crítica. “A Iquego é diferente da Celg e da Saneago, porque mesmo endividadas, elas vendem água e energia. Já a Iquego não possui fluxo de caixa e, por isso, não existe um ativo”, explica o presidente da empresa, Olier Alves Vieira. Segundo ele, a fábrica está praticamente parada, trabalhando apenas a 5% da capacidade instalada, com a quantidade de matéria-prima ainda disponível. A empresa deve 35 milhões de reais somente em impostos federais. Outros 27 milhões de reais são devidos a fornecedores. Diante deste quadro, o presidente se vê de mãos atadas. “A Iquego está engessada. A minha tristeza é que deixaram a empresa

chegar a esse ponto, uma empresa que tem tradição, criada em 1964, com ótimas instalações, equipamentos, pessoal altamente qualificado e mercado consumidor”, destaca. Uma solução para a crise na Iquego, segundo Olier, seria a assinatura de um convênio com o Ministério da Saúde para o fornecimento de medicamentos antiretrovirais (o coquetel antiaids), no valor de 20 milhões de reais. Mas, para isso, o laboratório precisa antes quitar parte do débito e negociar o restante com a Receita Federal, com a finalidade de obter a certidão negativa e, assim, assinar o contrato. “Preciso pagar 10 milhões imediatamente e parcelar o resto. Mas não sei de onde virá esse dinheiro, uma vez que o Estado passa por uma situação financeira complicada”, comenta.

JUSSARA

Câmara devolve mais de meio milhão A Câmara Municipal de Jussara, presidida neste último biênio por Hélio Gonçalves Lara, devolveu à Prefeitura mais de meio milhão de reais economizados por ações de enxugamento e organização administrativa. Hélio Lara destaca que ajudou muito a Prefeitura nestes dois últimos anos a realizar importantes obras e que houve a cooperação de todos os vereadores. Outro feito importante realizado na gestão de Hélio Lara foi a reforma do prédio do Legislativo. FESTA O prefeito Paulo Carvalhaes organizou entre os dias 13 e 15 de novembro, uma das maiores festas de aniversário do município de Jussara, com o resgate do tradicional desfile e vários inaugurações de obras, tais como:

• Reforma do Ginásio de Esportes, parte elétrica, hidráulica, telhado, piso • Contrução do PSF Jovêncio Costa, localizado no setor Nova Jussara; • Contrução do PSF Honésia C. de Andrade, localizado no setor Vila Nova • Contrução do PSF Maria Rida do Nascimento, localizado no setor Planalto • Construção da Agroindústria e Derivados Lácteos Juvenal L. Cardoso O prefeito Paulo Carvalhaes inaugurou oficialmente a ponte do córrego da Divisa, que liga Jussara ao Distrito de Jacilândia, obra de extrema relevância, pois existe um tráfego muito grande nesta estrada. A obra vinha sendo reivindicada pela população há mais de dez anos.

Prefeito Paulo Carvalhaes fala na inauguração de PSF

Mulheres participam do curso de bordados: trabalho da Secretaria de Assistência Social

Assistência social é destaque em Itapirapuã Zubu Max

U

ma cidade se torna cada vez melhor pra se viver quando nela encontramos pessoas que não pensam só em si mesmas. Em Itapirapuã a assistencial social tem realizado um trabalho que é destaque na região. Não é necessário buscar muito para encontrar algum trabalho realizado pela assistência social. A Secretaria de Assistência Social, informa que há muito a comemorar hoje, pois desde o início da atual administração várias coisas boas têm sido promovidas. O primeiro passo foi ajudar a creche, para a qual foram doados uma geladeira, um som, duas piscinas e colchões. Outro fato, que marcou o final de 2010, foi a entrega de brinquedos para as crianças no Natal. Em parceria com a Conabi e fazendeiros que muito têm contribuído com a assistência social, foram doadas 500 cestas básicas de alimentos para as famílias carentes. Atualmente existem famílias que têm cadastro na Secretaria de Assistência Social e com isso recebem cestas de alimentos. A Assistência Social também promove cursos para gestantes que, ao final, recebem doações de enxovais. Em parceria com o Peti, está sendo realizado outro grande trabalho, em Jacilândia e Itapirapuã, com destaque para as aulas de violão e informática. Há um ditado que diz que a vida começa aos 40 não é? Pois o trabalho que a Assistência Social tem realizado com os idosos é simplesmente encantador: uma nova vida está sendo descoberta por esses idosos quem têm cada vez mais

motivos para viver felizes – são realizadas festas para os idosos, que também fazem crochê, tapetes e participam de viagens programadas. Assim a Secretaria de Assistência Social confere a essas pessoas a oportunidade de conhecerem lugares que, se não fosse por essa iniciativa da Assistência Social, jamais teriam conhecido. São iniciativas que conferem lazer e mais qualidade de vida aos idosos. Outro trabalho que é destaque e virou espelho para as demais cidades é uma parceria que a Assistência Social tem com a Prefeitura Municipal, onde todas as pessoas do município têm direito de receber gratuitamente o acompanhamento de psicólogo, nutricionista e fisioterapeuta. Com o trabalho da Assistência Social foram quase duplicados o número de pessoas que

têm acesso ao Bolsa Família, número que era de 523 e hoje já chega a 803. A Assistência Social faz acompanhamento diário a essas famílias que recebem esses benefícios. Outro ato de muita solidariedade é a doação de remédios feita para pessoas de baixa renda. Diante desta transformação enorme, procuramos então o motivo e vimos que é muito simples o por que, pois a Assistência Social de Itapirapuã está sendo feita por pessoas que trabalham simplesmente pelo simples ato de poder transformar a vida das pessoas. A Assistência Social tem hoje uma equipe que trabalha muito para poder sobressair cada dia mais, contando sempre com o apoio da Prefeitura. Muitas realizações foram feitas e muito ainda está para acontecer.


6

JORNAL DO VALE

VALE DO ARAGUAIA, JANEIRO DE 2011

Mara Suassuna, Psicóloga Clínica e Organizacional, Palestrante, mestranda em Psicologia Social pela PUC-Goiás,Pós Graduada em Administração de Empresas FAAP/SP, Especialista em Gerontologia e Saúde do Idoso.

PAPO DE GENTE MADURA mara suassuna

marasuassuna@ig.com.br www.marasuassuna.com.br

Tempo de chuva, tempo de solidariedade A ssistir as consequências desastrosas da falta de planejamento urbano, da omissão das autoridades públicas diante de episódios como os que assistimos nas últimas semanas, nos levam a inúmeros questionamentos: necessidade de seriedade das autoridades, do poder público [seja ele da União, do Estado ou dos municípios] no que diz respeito a vida dos cidadãos e de medidas urgentes para as diferentes necessidades que as populações apresentam. São constatações que têm uma moeda de pagamento sem possibilidade de restituição: a própria vida, cinúmeras perdas de famílias, dizimadas pela falta de planejamento, pela omissão dos governos. Fico estarrecida com tantas perdas, com vidas destroçadas pela negligência governamental somada a ausência do respeito ao meio ambiente. A quem devemos atribuir os fa-

tos: ao desrespeito do homem ao meio ambiente, aos governos, a ausência de cultura das pessoas em relação a ocupação urbana? Vejo que responsabilizar ou buscar culpados não elimina os fatos que temos assistido. De outro lado, vejo uma tempestade de solidariedade humana: pessoas alternando caminhos, disponibilizando amor, afeto e bens que possam minimizar as ausências de ordens variadas. Confesso que a dor sentida é imensa, dor da impotência diante das cenas ocorridas, dor da impossibilidade de alternar os fatos, dor compartilhada a dor de tantas outras pessoas. Assistir aos noticiários é simples, praticar a empatia é quase que impossível. Quem de nós, consegue imaginar o que é dormir em casa com a família, e quando se tem o milagre da vida concedido, abrir os olhos e se deparar com a

inexistência da família, da casa, do lar ou seja: acordar diante do nada, e constatar: que é preciso continuar. Todas essas catástrofes nos levam a reflexões que julgo importantes: a valorização da vida, a gratidão pela presença viva de nossos familiares, a possibilidade de continuar a incessante dança da vida... em meio a terra limpa, a caminhos livres. Vejo a vontade de muitas vítimas de continuar, de re-começar e re-começar, nos oportunizando uma grande lição de respeito à própria vida. Em tempo de chuva, resta-nos a água da solidariedade que vai tomando força no leito da vida e umidificando a esperança em meio as perdas humanas e materiais. Diante do mal, vemos o lado bom, o lado humano de amparar, de acolher e principalmente de estender ao outro a solidariedade humana.

“O óbvio que ignoramos” indica o diferencial para o sucesso Autor explica como podemos romper a zona de conforto e extrair o máximo do nosso potencial

Ao encararmos o conceito de sucesso de forma diferente, entramos em outra esfera de percepção, o que poderá nos abrir, de par em par, as portas para uma vida bem sucedida e próspera – em todos os sentidos. Um livro verdadeiramente inovador, no gênero, e cuja leitura leva a reflexão e mudança de comportamento.

O

que é preciso ter para alcançar o sucesso? Inteligência? Cultura? Beleza? Sorte? Tudo isto e mais alguma coisa? O jornalista e filósofo brasileiro radicado nos Estados Unidos, Jacob Pétry, oferece um amplo painel de explicações para a realização pessoal num livro original, muito bem escrito e de fácil entendimento: O óbvio que ignoramos (Lua de Papel). Graduado em filosofia, dedicado ao estudo da psicologia da cognição humana, Pétry derruba mitos acerca do sucesso e fracasso, nos oferecendo revelações surpreendentes sobre os problemas que interferem na realização de nosso potencial. Ele mostra, de forma objetiva, o que distingue as pessoas com excelentes resultados, em termos de realização, das outras, que não conseguem atingir o topo.

Jacob Pétry e seu livro: dicas para uma vida de sucessos

DIFERENÇAS Traçar as diferenças entre as pessoas de sucesso e aqueles que atingiram apenas a média ou desistiram antes de alcançar seus objetivos não é um tarefa fácil. Além de desmistificar conceitos como talento, paixão e renda, Jacob Pétry observou outro fator que distingue os que desistem, porque a zona de conforto, apesar das limitações, é muito mais segura. Por outro lado, a zona do medo exige uma carga emocional muito forte para ser enfrentada e ocupa um espaço psicológico relevante. Entre esses dois pontos, está a zona de aprendizagem. O importante é se manter focado. Aos poucos, a zona do medo vai decrescendo e

a zona de conforto aumentando, explica Jacob. O maior sucesso musical da história, a banda inglesa The Beatles é usada pelo pesquisador para ilustrar esse problema. Diante do incessante período que os Beatles permaneceram na cidade alemã de Hamburgo, fazendo mais de 400 shows por ano para uma única casa de espetáculos, o primeiro contrabaixista da banda desistiu da carreira musical. Stuart Sutcliff, desmotivado com o incessante período na Alemanha, decidiu abandonar a banda e retomar sua interrompida carreira de pintor. “O problema não é apenas as dificuldades. Trata-se de um período sabático. Dificilmente, você encontrará motivação fora de si mesmo. A zona de conforto é muito tênue. Resume-se à família e poucos amigos”, completa Jacob. A disposição natural que temos para uma determinada área é fundamental dentro desse processo. “Se você não se sente motivado por conta própria dificilmente conseguirá completar o processo”, observa Jacob.


JORNAL DO VALE

VALE DO ARAGUAIA, JANEIRO DE 2011

7

TRANSPORTE

Agetop faz diagnóstico a espera de verba para recuperar rodovias Novo presidente da Agetop, o empresário Jayme Rincon assume a agência com a missão de recuperar a castigada malha viária do Estado

E

ste mês a Agência Goiânia de Transportes e Obras (Agetop) realizaou um diagnóstico da situação de toda a malha viária do Estado. Com 10 mil quilômetros de rodovias pavimentadas, Goiás sofre com quedas de pontes e buracos no asfalto, provocados pelo período intenso de chuvas. Empresário do setor logístico, o presidente da Agetop, Jayme Rincon, disse que todo o trabalho da agência está focado na manutenção e no atendimento das situações de emergência para garantir o tráfego nas rodovias. Rincon ressalta que, mesmo antes das chuvas, as rodovias já estavam em situação de calamidade. “Agravado pelo período chuvoso intenso não nos resta outra alternativa senão agir em caráter emergencial. Paralelo a isto nós já estamos fazendo um levantamento rigoroso de toda a malha viária do Estado. Junto com o diagnóstico, nós já pedimos as soluções e os investimentos necessários”, explica o presidente. De posse destes dados, serão definidas as prioridades.

TERCEIRA VIA O primeiro passo para garantir a manutenção das rodovias foi reativar de imediato o programa Terceira Via. De acordo com Jayme Rincon, o programa estava abandonado. “Chamamos as empresas responsáveis e determinamos às empresas que voltassem a campo e continuassem a fazer o serviço em caráter preventivo e emergencial.” A solução para a ponte da GO070, em Itaberaí, sobre o Rio das Pedras, é apontada pelo presidente da Agetop como exemplo de ação rápida do Estado para garantir a trafegabilidade das estadas. “O prefeito de Itaberaí nos relatou que quando a ponte rodou chegou na beira do rio e ficou desolado. Para sua surpresa, no outro dia, às 8 da manhã, o governador estava descendo em Itaberaí para, além de prestar solidariedade aos moradores da região, levar a solução que foi a ponte metálica instalada pelo Exército”. PATRULHAS Outra medida adotada pela Agetop para recuperar as rodovias em situação precária foi a criação de dez patrulhas para atendimento de emergência distribuídas em regiões estratégicas do Estado. As patrulhas são formadas por técnicos e máquinas para agir na recuperação de trechos com problemas de buracos.

Governo busca recursos junto ao Banco Mundial Na quarta-feira, dia 12, o governador Marconi Perillo esteve em Brasília reunido com o ministro das Cidades, Mário Negromonte, com dirigentes do DNIT e do Banco Mundial. O ministro Mário Negromonte se comprometeu a buscar, junto à Infraero e empreiteiras, a retomada da obra de construção do novo terminal de passageiros do aeroporto Santa Genoveva. No DNIT, governador reivindicou a recuperação de rodovias federais em Goiás, a construção de novas vias e ainda duas pontes sobre o Rio Araguaia, nos municípios de Cocalzinho e Luiz Alves. No Banco Mundial, Marconi Perillo pediu a retomada da parceria para o financiamento de obras de recuperação da malha viária estadual e da pavimentação de novos trechos. O governador voltou a Goiânia convicto de que as reivindicações

do Governo de Goiás serão atendidas. De acordo com o presidente da Agetop, Jayme Rincon, a reunião foi preliminar e não foram discutidos nem valores e nem sua possível aplicação. Segundo ele, o governador Marconi Perillo deu início às conversas com o Banco Mundial para na sequência a Agetop viabilizar projetos que possam ser contemplados. Em geral, o Banco Mundial dá preferência à intervenções nas rodovias na parte de restauração que hoje é a maior necessidade do Estado. “Antes de construirmos uma nova rodovia devemos colocar as que estão construídas em condições de tráfego. Esta foi a primeira determinação que recebemos do governador. Não construir nenhuma obra nova sem colocar as que estão prontas em condições de uso”, ressaltou Jayme Rincon.

Buracos nas rodovias: determinação é recuperar a malha viária antes de fazer novas rodovias

Valec anuncia obras de extensão da ferrovia Norte-Sul A Valec Engenharia, Construções e Ferrovias, responsável pela Ferrovia Norte-Sul, anuncia o início das obras da extensão sul da ferrovia, que ligará Ouro Verde, em Goiás, a Estrela D’Oeste, no estado de São Paulo, numa extensão total de 680 quilômetros. O presidente da construtora, José Francisco das Neves, visitou na quinta-feira 13, os municípios de Ouro Verde, Goianira, Jandaia, Indiara, Santa Helena de Goiás, Quirinópolis e São Simão para acompanhar o trabalho, que começa, segundo ele, com o desmatamento dos trechos. A Ferrovia Norte-Sul é uma obra que marca uma nova etapa do crescimento do Brasil. Ao todo serão 3.100 quilômetros de ferrovia, voltados para o desenvolvimento e o progresso do Brasil, que além de ampliar a malha ferroviária, garantem a continuidade do processo de crescimento do País. A ferrovia vai beneficiar as seguintes cidades: Anápolis, Campo Limpo de Goiás, Ouro Verde de Goiás, Petrolina de Goiás, Jesúsopolis, São Francisco de Goiás, Jaraguá, Rianápolis, Santa Isabel, São Luís do Norte, Uruaçu, Campinorte, Mara Rosa, Estrela do

Trecho já concluído da ferrovia Norte-Sul: extensão anunciada ligará Goiás a São Paulo Norte, Formoso, Santa Teresa de Goiás e Porangatu. A Ferrovia Norte-Sul reduzirá custos dos transporte no País, in-

terligando as regiões Norte e Nordeste ao Sul e Sudeste, proporcionando condições efetivas para a verdadeira integração nacional.


8

JORNAL DO VALE

VALE DO ARAGUAIA, JANEIRO DE 2011

Tulio Isac recebe convidados no Cidade Esperança: programa tem a marca da solidariedade

TELEVISÃO

Tulio Isac volta com ‘Cidade Esperança’ ça” inclui humanismo, solidariedade e fé no próximo e proporciona conforto, bem-estar, amparo e felicidade a milhares de famílias carentes. Mais que entretenimento, informação, diversão e shows, Tulio Isac idealizou uma sequência de quadros ao vivo que proporciona aos que participam do seu programa, pessoalmente, por carta ou através do telefone, a oportunidade de realizar sonhos. Os mais diferentes sonhos. Além de construir casas populares para famílias carentes com parte do seu salário de deputado estadual, Tulio permuta quase toda publicidade do seu programa por bens de consumo, serviços, vagas em cursos profissionalizantes, bolsas de estudo, atendimentos médicos, ambulatoriais, odontológicos e outros tantos que prontamente

Fernando Martins

Rio Bonito FM ganha título destaque regional A Rádio Rio Bonito Fm 88.5 ganhou no mês de dezembro do ano passado o título de destaque da região, concedido pelas pessoas através de uma pesquisa realizada pela Embrasp. A rádio hoje tem a direção geral de Marcela Suassuna e direção regional de Lindomar Gonçalves, tendo na sua grade de programação os locutores Marcos Magryne e Zubu Max, que também foi considerado como umas das maiores revelações do Oeste Goiano em Comunicação em 2010. A rádio agora está empenhada na realização da escolha da Garota Propaganda da Rádio, evento que acontecerá dia 19 de fevereiro, quando acontecerá um desfile com as concorrentes. A escolhida ganhará um prêmio de R$ 1 mil em dinheiro e mais entrada franca em todas as festas da região, lembrando que todas as garotas da região do Vale do Araguaia podem participar. As inscrições podem ser feitas através do telefone 062-3374-2611. Para quem tem beleza e gosta das passarelas essa é uma grande oportunidade.

Locutor Zubu Max, uma das maiores revelações e a diretora Marcela Suassuna exibem o certificado

Fernando Martins

Porangatu - GO

O

programa “Cidade Esperança”, do deputadoapresentador Tulio Isac, com transmissão nas tardes de segunda a sexta-feira pela Televisão Brasil Central, volta a ser apresentado dia 28 de fevereiro, data de aniversário do apresentador, que comemora 52 anos. “Cidade Esperança” foi tirado do ar, sem aviso prévio, em agosto do ano passado, por retaliação do então governador Alcides Rodrigues. O deputado-apresentador afirma que foi vítima de retaliação por não ter votado a favor da aprovação do empréstimo da Celg em sessão na Assembleia Legislativa. “Fui tirado do ar. Não consegui me despedir dos meus telespectadores”. O programa volta ao ar apresentado por Tulio Isac e seu filho, Tulio Isac Júnior. O estúdio está sendo reformado para combinar com a nova roupagem do Cidade Esperança, que retorna com novos quadros e muitas surpresas. A palavra de ordem, porém, continuará sendo a solidariedade. “O programa nasceu em 1999, de uma ideia do governador Marconi Perillo, e chega aos 11 anos registrando o atendimento a mais de 100 mil pessoas na realização de sonhos”, contabiliza Tulio Isac. O apresentador lembra que seu “Cidade Esperança” é um dos poucos programas de auditório apresentado diariamente no Brasil. Quando saiu do ar, por retaliação do ex-governador Alcides Rodrigues, a equipe de 42 funcionários ficou desempregada, mas Tulio manteve, do próprio bolso, o salário de todos. A receita para o sucesso de Tulio Isac com o “Cidade Esperan-

doa aos espectadores, em geral pessoas pobres que veem nele a única esperança de um futuro melhor ou de ajuda nas aflições do presente. “Ganhooooooou!”, o bordão, repetido pelo apresentador e por todos que estejam no auditório a cada vez que Tulio contempla alguém, é a expressão mais ouvida. Tornou-se um slogan do programa e uma espécie de caricatura de apelido do deputado e show-man. Na capital e no emaranhado de cidades, distritos e povoados servidos pelo sinal da Televisão Brasil Central, a frase, pronunciada com ênfase na sílaba tônica aberta, quando ouvida, instantaneamente remete à figura esguia do apresentador. Tulio, com apelos no ar e nos bastidores, emociona e incentiva a prática do bem, o querer ajudar o próximo.

Tulio Júnior dividirá com o pai a apresentação do programa


Jornal do Vale - edição 11 - janeiro de 2011