Page 1

www.Juventude.sP.gov.br

II CIClo de enContros regIonaIs de PolítICas PúblICas de Juventude


Secretaria de Relações Institucionais José Henrique Reis Lobo Coordenadoria Estadual de Juventude Mariana Montoro Jens Secretaria de Economia e Planejamento Francisco Vidal Luna Fundação Prefeito Faria Lima - Cepam Felipe Soutello

Produção Editorial | Gerência de Comunicação e Marketing do Cepam Coordenação | Adriana Caldas Editoração de Texto e Revisão | Eva Célia Barbosa, Marcia Labres (estagiária), Maria Thereza Venuzo, Michele Yogui (estagiária) e Silvia Galles Direção de Arte | Jorge Monge Assistente de Arte | Carlos Papai Estagiários | Ivan Varrichio, Janaína Alves da Silva e Joice Yukie Kariya Tiragem | 500 exemplares

www.Juventude.sP.gov.br

Governo do Estado de São Paulo José Serra


Coordenadoria Estadual de Juventude Coordenadora Mariana Montoro Jens Equipe técnica Carol Godoi Hampariam, Eneida Moratto Lopes, Raquel Cristina Dias Rodrigues, Renata Carolo Nepomuceno e Tathiana Segolim Anselmo

A realização do II Ciclo de Encontros Regionais de Políticas Públicas de Juventude é um sinal de que Fundação Prefeito Faria Lima – Cepam

as ações do governo e as políticas públicas voltadas para os jovens estão caminhando no rumo certo. Em

Centro de Estudos e Pesquisas de Administração Municipal

2008, durante o I Ciclo de Encontros Regionais, a participação de centenas de gestores, representando mais de 150 municípios, proporcionou o início de um amplo debate no Estado de São Paulo entre os vários

Coordenadoria de Gestão de Políticas Públicas Coordenadora Fátima Fernandes de Araújo Equipe técnica Juçara Morelli Terra Rodrigues, Júlio Carreiro, Silvia Regina da Costa e Sueli Galhardo (consultora) Contribuição corpo técnico da Coordenadoria de Gestão de Políticas Públicas e da Escola Cepam de Gestão Municipal

atores que executam políticas públicas para a juventude. O II Ciclo, que está começando, vem para consolidar o trabalho da Coordenadoria Estadual de Juventude e a nossa parceria com a Fundação Prefeito Faria Lima – Cepam – Centro de Estudos e Pesquisas de Administração Municipal. O objetivo é ampliar as discussões sobre os diversos temas que envolvem a juventude, não só entre os gestores, mas também com os jovens participantes dessas ações. Neste ano, os encontros serão ampliados para 30, dois dias de trabalho em cada região, multiplicando as iniciativas relacionadas à juventude em todo o Estado. Vale lembrar que ações como o Mapeamento de Arte e Cultura para Jovens, projeto inédito do governo de São Paulo, em parceria com a Coordenadoria Estadual de Juventude, o Centro de Estudos de Políticas Públicas (Cepp), e o Portal da Juventude Paulista, são instrumentos que garantem, aos quase 11 milhões de jovens, o acesso às informações e programas desenvolvidos por eles ou para eles. Registro aqui minha satisfação em colaborar com centenas de gestores e milhares de jovens na elaboração de políticas públicas voltadas para a juventude. O trabalho e o comprometimento de cada um de vocês, nos Encontros Regionais, têm especial relevância, uma vez que são os principais atores na divulgação e do êxito obtido pelos programas para a juventude oferecidos pelo governo. Bom trabalho e sucesso!

José Henrique Reis Lobo secretário de Relações Institucionais


Os gestores municipais de juventude e a sociedade civil organizada são parceiros do governo do Estado na desafiante tarefa de implementar políticas públicas de juventude adequadas para quase 11 milhões de jovens espalhados nos 645 municípios de São Paulo. Essa parceria foi confirmada e as expectativas superadas durante o I Ciclo de Encontros Regionais de Políticas Públicas de Juventude, realizado em 2008, juntamente com o Centro de Estudos e Pesquisas de Administração Municipal (Cepam). Naquele momento, foi possível conhecer e conviver com muitos gestores comprometidos, dedicados e envolvidos com a juventude paulista. Ao fim do projeto, porém, detectou-se que um dos principais desafios encontrados por eles consistia na obtenção de recursos técnicos e financeiros para as ações voltadas aos jovens de seus municípios. Isso nos motivou a realizar, em 2009, o II Ciclo de Encontros Regionais priorizando a demanda diagnosticada. Assim, foi planejado este novo ciclo de encontros. Um dos primeiros passos da coordenadoria consistiu na elaboração de material de referência para auxiliar os gestores de juventude das prefeituras e organizações não governamentais na elaboração de projetos e captação de recursos. Procuramos uma consultoria externa, visando à realização de tal pesquisa, uma vez que, além do governo do Estado, existe uma infinidade de instituições que oferecem recursos financeiros ou técnicos às prefeituras e organizações não governamentais (ONGs) dedicadas à causa juvenil. O resultado da pesquisa foi o levantamento de dezenas de instituições públicas e privadas, nacionais e internacionais. Para transformar todas essas informações em material acessível, contamos, mais uma vez, com o apoio e a colaboração do Cepam, que tem como missão fortalecer os municípios paulistas, desenvolvendo projetos, atuando na área de capacitação e na produção e distribuição de publicações temáticas de interesse dos gestores públicos. Também em parceria com o Cepam elaboramos uma oficina (de um dia inteiro de trabalho) com o objetivo de transmitir informações e dicas úteis sobre como elaborar um projeto e apresentar os resultados dessa pesquisa.


APRESENTAÇÃO PREFÁCIO Esperamos que este material forneça elementos ricos para que projetos de juventude sejam ampliados e fortalecidos em todos os municípios do território paulista. Assim acreditamos estar cumprindo a nossa missão!

INTRODUÇÃO .............................................................................................. 10

1. apresentação técnica ....................................................................... 17

A experiência do I Ciclo de Encontros Regionais de Juventude também nos motivou a inovar em outro aspecto: realizar um dia de trabalho dedicado exclusivamente aos jovens de cada região. O conteúdo da oficina para jovens abordará técnicas de comunicação, um assunto que, além de despertar

2. textos de apoio ................................................................................... 31

muito interesse por parte desse grupo populacional – que vive cada vez mais na era da comunicação – possibilitará a expansão e o crescimento dos Correspondentes Regionais1 do Portal da Juventude. Para quem quiser saber mais, há um material preparado exclusivamente para esta oficina, à disposição

3. modelos de projetos ......................................................................... 51

na Coordenadoria Estadual de Juventude. Esses dois dias de trabalho e a complementaridade entre os públicos e os temas trabalhados, com certeza, farão deste II Ciclo de Encontros Regionais de Políticas Públicas de Juventude um enorme sucesso.

4. fontes de recursos ............................................................................ 73

Bom trabalho a todos! Mariana Montoro Jens Coordenadora Estadual de Juventude Felipe Soutello Presidente do Cepam

1

Jovem que envia regularmente notícias para o Portal da Juventude, contando fatos sobre a sua cidade.

5. índice remissivo ................................................................................ 154


partir do início de 2007, a faixa etária que compreende a juventude foi expandida de 15 a 24 anos para 15 a 29 anos. De fato, a decisão de colocar a coordenadoria entre as competências da Secretaria de Relações Institucionais diz muito a respeito do que se planeja para ela, para o jovem no Estado de São Paulo e para a sociedade paulista: reafirmar que há uma preocupação destacada com a juventude, mas que dela não se tratará isoladamente. A mudança entre secretarias pautou-se na compreensão de que a juventude é um assunto transversal a todos os demais temas de interesse da população e do próprio governo. É muito satisfatório verificar que a juventude tem tido importância crescente dentro do nosso país, atraindo investimentos em estudos, pesquisas, elaboração de políticas, programas, criação de órgãos por parte do Poder Público e de redes com o apoio da sociedade civil organizada. O governo do Estado, por meio da Coordenadoria Estadual de Juventude, tem incentivado e acompanhado a criação de órgãos e estruturas voltados a este público em todo o território paulista. Isso reflete a importância e a relevância que este público – que representa 25% da população do Estado – tem para o Poder Público estadual. Porém, as questões da juventude são bastante complexas e desafiadoras, demandando renovação e articulação constantes, de todos os atores envolvidos. Assim, a Coordenadoria Estadual de Juventude decidiu promover o II Ciclo de Encontros Regionais de Políticas Públicas de Juventude. Seu principal objetivo é contribuir com o fortalecimento e a integração dos trabalhos desenvolvidos pelos gestores municipais de juventude e representantes de organizações não governamentais em todo o Estado. Para atingir tal objetivo, os encontros foram estruturados de forma a proporcionar uma capacitação básica em elaboração de projetos, disponibilizar possíveis fontes de captação de recursos e oferecer subsídios e esclarecimentos para que os gestores possam acessá-las. Este documento sintetiza um processo de reflexão da coordenadoria e foi elaborado como material de apoio para que os gestores possam acompanhar a oficina de capacitação e dar mais um passo para tirar seus projetos do papel ou ampliar os já existentes. Histórico da Coordenadoria Estadual de Juventude

Colocada em uma posição de articulação, a coordenadoria tem sua atuação potencializada: promove condições para que as mais diversas políticas públicas, relacionadas a diferentes temas, atendam às particularidades do público jovem tanto em suas características e potencialidades, como em suas necessidades. Vale ressaltar que os jovens são um público estrategicamente muito importante, em um cenário de mobilização social, desenvolvimento e mudança, pois aqueles que têm entre 15 e 29 anos estão assumindo as rédeas da sua vida e decidindo quem vão ser para si, para a família e para o mundo. Esta coordenadoria age, portanto, visando ao pleno desenvolvimento da juventude, pois essa também é a chave para o crescimento e a melhoria de toda a sociedade paulista, em todo seu potencial. Justificativa A missão da Coordenadoria Estadual de Juventude é contribuir para a articulação, eficácia e eficiência das políticas públicas voltadas à população jovem em aplicação no território do Estado de São Paulo. Diante desse desafio, a coordenadoria realizou, no primeiro semestre de 2008, o I Ciclo de Encontros Regionais de Políticas Públicas de Juventude, a fim de acelerar a interface do governo estadual com os 645 municípios e retomar a Rede Estadual de Gestores de Juventude. Naquele momento, foram executados 14 encontros, tendo como público-alvo os gestores municipais de juventude e a sociedade civil organizada. Os encontros reuniram quase 500 pessoas, de 150 municípios. Como resultado deste I Ciclo, foram levantadas as principais demandas dos municípios e construída a pauta do II Ciclo,

A Coordenadoria Estadual de Juventude foi criada dentro do governo do Estado devido à necessidade de um olhar

que terá a duração de dois dias em cada região: um inteiramente dedicado aos gestores municipais e sociedade civil

diferenciado e uma definição de prioridades e abordagens específicas na condução das políticas públicas voltadas a

organizada e outro ao público jovem local.

pessoas com idades entre 15 e 24 anos. Desde sua criação, até o ano de 2006, a coordenadoria fazia parte da Secretaria da Juventude, Esporte e Lazer. Era uma instância realizadora de ações voltadas diretamente à população jovem dessa faixa etária. No entanto, em 2007, ocorreu a transferência da Secretaria do Esporte para a recém-criada Secretaria de Relações Institucionais. Como decorrência, veio também uma atribuição diferente da anterior: a coordenadoria passou a constituir uma instância articuladora das diferentes secretarias e gestores de políticas públicas relacionadas à juventude. Além disso, também a

O primeiro tem como objetivo realizar uma capacitação básica em elaboração de projetos, disponibilizar possíveis fontes de captação de recursos e oferecer subsídios e esclarecimentos para que os gestores possam acessá-las. O segundo, para jovens, consiste em oficinas de formação em comunicação, que tem por objetivo prepará-los para atuar como Correspondentes Regionais do Portal da Juventude e, assim, formar uma rede de jovens participantes e ativos em seus municípios e interligados com o que acontece no Estado.


Foi possível perceber, também, durante o I Ciclo de Encontros Regionais, que muitas ações já são desenvolvidas, pelos

para o gestor de políticas de juventude, foram incluídas também algumas que têm programas relevantes e diretamente

diversos municípios e pela sociedade civil organizada, com foco na juventude. Porém, essas práticas não são difundidas

voltados para os jovens (na seção a quem se destina, esses programas foram assinalados como diretamente para

e, tampouco, seus aprendizados compartilhados. Por isso, este II Ciclo será acompanhado de um georreferenciamento das

os jovens).

políticas para a juventude que acontecem nos municípios paulistas, para que assim possamos construir um abrangente Observatório de Práticas de Juventude. Objetivos

Algumas ações voltadas aos adolescentes também são encontradas neste material, porque há uma sobreposição entre adolescência e juventude (ao menos em termos de idade, esta começa antes que aquela tenha terminado). Ademais, alguns dos projetos incluídos no levantamento não são especificamente direcionados aos jovens, mas podem

• Estabelecer efetivo diálogo entre a sociedade civil organizada, os gestores de juventude e a Coordenadoria Estadual

proporcionar ações relevantes para este público (como, por exemplo, bibliotecas públicas) e, por isso, foram acrescen-

de Juventude.

tados à base de dados.

• Promover a troca de experiências entre os diversos municípios paulistas.

Preferencialmente, foram incluídas fontes que indicavam claramente como acessar seus programas, fundos ou recursos.

• Colher subsídios para que a Coordenadoria Estadual de Juventude possa aperfeiçoar as ações desenvolvidas. • Atualizar o mapeamento das principais iniciativas/ações em prol da juventude nos municípios do Estado. • Fortalecer a Rede Estadual de Gestores de Juventude. • Sensibilizar os gestores quanto à importância e aos caminhos possíveis para fortalecer as políticas públicas municipais de juventude.

Instituições que possuem apenas programas institucionais e não informam, como é o caso de prefeituras, ONGs, se os jovens podem participar deles, foram excluídas da base de dados, a não ser quando os programas são exclusiva e especificamente voltados para a juventude. Nesses casos, entendeu-se que o vínculo do público-alvo das instituições com o objeto da pesquisa era motivo suficiente para incluí-las na base de dados. Exceto quando muito relevantes, o levantamento deixou de fora todos os prêmios oferecidos por instituições públicas e privadas, bem como as ações baseadas em deduções fiscais da Lei Rouanet. De qualquer forma, entende-se que os gestores públicos e privados devem estar atentos e buscar também esses recursos para promover ações para a

• Criar a rede de Correspondentes Regionais do Portal da Juventude.

juventude.

Metodologia

Quase todas as grandes empresas aplicam 1% do valor devido do Imposto de Renda nos fundos da infância e adolescência

Quando pensamos em produzir um material de referência para os gestores de juventude, havia a preocupação de que as informações ali contidas fossem padronizadas e de fácil utilização.

gerenciados pelos Conselhos Municipais de Direitos das Crianças e dos Adolescentes. Quando essa era a única ação direcionada à juventude que encontramos em seus websites, essas empresas não foram incluídas na base de dados, a não ser que tivessem um programa específico para este fim. Incluir todas as empresas que adotam essa prática de

Para elaborar este conteúdo, contamos com a realização (pro bono) da Acesso Consultoria em Gestão Estratégica e

responsabilidade social corporativa significaria ter uma publicação demasiado extensa e pouco executiva. Acreditamos

Cooperação Internacional, sob coordenação de João Marcelo Borges e assistência de pesquisa de Kleber Araújo e

também que os gestores públicos e da sociedade civil organizada, contudo, devem se aproximar dos conselhos e das

Renato Rabinovitch. Foram eles, também, os corresponsáveis pelas considerações com relação ao material final, que

empresas sediadas em seus municípios para apresentar projetos e acompanhar a aplicação desses recursos.

seguem abaixo.

No caso de empresas ou instituições/fundações empresariais, na maioria das vezes, é impossível saber como determinada

A metodologia do levantamento foi, inicialmente, a consulta de dados disponíveis na Internet. Depois disso, foram

organização da sociedade civil foi selecionada para receber recursos e executar projetos. Dessa forma, incentivamos

enviadas cartas da coordenadoria às instituições que disponibilizaram endereços de e-mail para contato. Todos os

que as ONGs e prefeituras se aproximem também dessas instituições, levando em consideração suas políticas de

respondentes concordaram com a divulgação dos dados públicos de suas instituições.

sustentabilidade, com vistas a se tornarem, ao menos, conhecidas.

Além disso, uma série de ligações telefônicas permitiu confirmar alguns dados e alcançar um padrão para as fichas. Por

Este material não tem a pretensão de ser um fim para viabilizar recursos para os municípios. Pretende ser uma referên-

fim, e-mail encaminhados para todas as instituições solicitaram alteração e/ou confirmação dos dados.

cia, apontando um caminho pra os gestores. É preciso empenho e dedicação para que as ideias possam ser colocadas

Houve discrepância em termos de transparência, objetividade e qualidade das informações disponibilizadas por organizações públicas e privadas. Alguns sites são claros, objetivos e com navegabilidade facilitada. Outros nem tanto. Além das instituições públicas e privadas, nacionais e internacionais, que disponibilizam recursos (técnicos ou financeiros)

no papel e ganhem forma. Bons projetos, isto é, sólidos, transparentes, eficientes e efetivos, quando liderados por bons gestores, usualmente, encontram financiamento.


www.Juventude.sP.gov.br

1. aPresentação téCnICa


ão técnica

taç 1. apresen

.br

ude.sp.gov

www.juvent

Oficina de Elaboração  de Projetos para de Projetos para  Captação de Recursos

PRESSUPOSTO

Todo projeto deve transformar  Todo projeto deve transformar a realidade diagnosticada

17

1


gerenciando problemas X liderando a transformação necessária

ESTRUTURA DE UM PROJETO  Identificação do projeto • Título

MUDANÇA

• Local de realização Local de realização • Valor total do projeto • Valor solicitado ao apoiador

PROBLEMAS

• Duração • Início e término

SOLUÇÕES

• A quem se destina, público‐alvo  • Quais os parceiros 

PERGUNTAS QUE ESTRUTURAM UM PROJETO  QUANDO SE PERGUNTA

ESTRUTURA DE UM PROJETO 

SE DEFINE

Que está acontecendo?                                               O problema                                                Conheço a realidade onde vou atuar?                      O diagnóstico Quem são as pessoas?                                                 O público‐alvo                                              Por quê?                                                                         A justificativa q j Para quê?                                                                       Os objetivos Como?                                                                            A metodologia                                Que tarefas serão executadas?                                  As atividades  Quais etapas terei que cumprir?                               As metas  Quando?                                                                        O cronograma                                   Vale a pena?                                                                  A avaliação (antes) O caminho está certo?                                                O monitoramento (durante) Estou atingindo os objetivos?                                    Avaliação de resultado                            Quanto?                                                                        Os recursos Com quem?                                                                  Os parceiros

Introdução e/ou justificativa • Qual o problema? • Qual a causa do problema? • Dados populacionais, geográficos, situação socioeconômica • Comunidade envolvida • Fatores que favorecem a realização do projeto • Fatores que dificultam a realização do projeto

ESTRUTURA DE UM PROJETO 

ESTRUTURA DE UM PROJETO 

Apresentação da organização

Objetivos

• Ano de fundação

• Qual a finalidade do projeto

• Experiência • Estrutura organizacional

• O que se quer

• Foco de atuação

• Onde

• Dados gerais de identificação da organização: endereço, telefone,  fax, e‐mail, CNPJ, responsável legal, responsável pelo projeto 

• Quando • Atenderá ao problema • Quais os benefícios do projeto

18

19

2 1. aPresentação téCnICa

3


ESTRUTURA DE UM PROJETO 

ESTRUTURA DE UM PROJETO 

Plano de ação

Metodologia

• Detalhamento das atividades

• Como fazer? Como fazer?

• Cronograma das atividades

• Qual estratégia vou usar?

• Quem é o responsável pela atividade

• De que maneira realizo os objetivos?

• As atividades estão em sequência lógica • São coerentes com os objetivos

ESTRUTURA DE UM PROJETO 

ESTRUTURA DE UM PROJETO 

Atividades

Recursos • Quais recursos materiais 

•Q Que fazer para atingir os objetivos? p g j

• Quais recursos humanos 

• Quais ações devo realizar?

• Quais recursos financeiros

• O passo a passo do projeto

• Quais recursos físicos

• As atividades estão coerentes com os objetivos? 

• Quais recursos tecnológicos

ESTRUTURA DE UM PROJETO 

ESTRUTURA DE UM PROJETO

Metas

Orçamento • Custo do projeto Custo do projeto

• Objetivos quantificáveis Objetivos quantificáveis • Estabelecidas para o alcance dos objetivos do projeto

• Qual o valor a ser financiado pelo apoiador

• Relacionadas com o público‐alvo

• Qual o valor de contrapartida da organização • Qual o valor financiado por outro parceiro

20

21

4 1. aPresentação téCnICa

5


ESTRUTURA DE UM PROJETO 

ESTRUTURA DE UM PROJETO 

Cronograma físico‐financeiro

Sistema de avaliação

• Os recursos estão dimensionados conforme as atividades Os recursos estão dimensionados conforme as atividades

• O que precisa ser medido e quando O que precisa ser medido e quando

• Quais as fontes

• O que vai ser avaliado

• Estão disponíveis

• Tem indicadores claros

• Definir atividades x desembolso

• Os meios de verificação estão definidos

ESTRUTURA DE UM PROJETO  Parcerias • O projeto tem parceria • Que tipo de parceria: pontual ou estratégica • Qual sua atribuição • São voluntárias • São institucionais • São permanentes

ESTRUTURA DE UM PROJETO  Sustentabilidade do projeto • Ao término desse projeto, minhas ações terão continuidade Ao término desse projeto minhas ações terão continuidade • Como garanto a continuidade • A comunidade está receptiva ao projeto 

22

23

6

7 1. aPresentação téCnICa


SUgESTÃO ESTÃO DE ROTEIRO PARA FORMULAÇÃO ORMULAÇÃO DE UM PROJETO

ExERCííCIOS coMbine o núMero coM A letrA

• Apresent ApresentAção dA orgAnizAção 1. vale a pena?

A. a metodologia

2. Com quem?

b. o diagnóstico

3. Que está acontecendo?

C. o monitoramento (durante)

4. Que tarefas serão executadas?

D. o problema

5. estou atingindo os objetivos?

E. o público-alvo

6. Quanto?

F. os parceiros

7. Conheço a realidade onde vou atuar?

g. avaliação de resultado

8. Quando?

H. as metas

9. Como?

I. a justificativa

10. o caminho está certo?

J. os recursos

11. Quais etapas terei que cumprir?

K. o cronograma

12. Quem são as pessoas?

L. as atividades

13. Para quê?

M. os objetivos

14. Por quê?

N. a avaliação (antes)

• identificAção do projeto • introdução e/ou justificAtiv AtivA Ativ tivA • objetivos • MetodologiA • AtividAdes • Met MetAs • plAno de Ação • recursos • cronogrAMA físico-finAnceiro • sustentA ustent bilidAde do projeto ustentA • sisteMA de Av AvA vAliAção e MonitorAMento

24

25 1. aPresentação téCnICa


sisteMAtiz MA Ando conceitos1 MAtiz • Capacitar profissionalmente cem jovens no Município de Paraibuna e criar um Balcão de Empregos envolvendo, no mínimo, 20% dos empresários locais. • Reduzir os casos fatais de desidratação infantil no bairro de Brasília Teimosa, em Recife, com a utilização do soro caseiro. • Instalar uma horta comunitária no bairro de Terra Dura, em Aracaju, a ser mantida por jovens, para lhes dar trabalho e renda. • Desinfetar contra o barbeiro, causador do mal de chagas, 200 casas na comunidade de Curiaú, em Macapá. Marcar, nas colunas da direita, o que cada frase é em relação ao projeto identificado FRASES

objetivo

ATIvIDADE

METODOLOgIA

RESULTADO PARCIAL

FINAL

Visita de 30 agentes de saúde aos moradores da comunidade Desinfetar 200 casas contra o barbeiro causador do mal de chagas A alimentação da creche do bairro melhorou de qualidade Seleção dos candidatos aos cursos Criar um balcão de empregos envolvendo, no mínimo, 20% dos empresários locais 80 jovens empregados Realização de um módulo básico e um módulo específico integrados A avaliação do projeto será realizada em três momentos: antes de seu início, durante sua execução e, no final, na avaliação de resultados Capacitação dos professores para o módulo básico Visita aos empresários locais Identificação dos atores sociais envolvidos no problema Mortalidade infantil de 0-2 anos, na região, reduzida para 25 óbitos em cada mil nascimentos Mobilização de recursos financeiros Entrevistas semiestruturadas com os adolescentes, identificando contexto familiar, aspirações, percepções de seus direitos e possibilidade de mudanças

1

adaptação do exercício do curso de elaboração e Gerenciamento de Projetos, da Partners do brasil, 1996.

26

27 1. aPresentação téCnICa


www.Juventude.sP.gov.br

2. teXtos de aPoIo


de apoio 2. textos .br

ude.sp.gov

www.juvent

O QUE É PROJETO Projeto: Que É Isso? Caso você consulte mais de uma publicação sobre elaboração de projetos, certamente encontrará diferentes definições. Na verdade, todas tratam da mesma coisa e, de modo geral, são complementares. Veja algumas: “Projetos são empreendimentos planejados que consistem em um conjunto de atividades inter-relacionadas e coordenadas para alcançar objetivos específicos dentro dos limites de um orçamento e de um período de tempo dados. É a unidade mais operativa do planejamento”. “Projetos são meios utilizados, por tempo determinado, para fomentar a autonomia e a eficácia do trabalho de grupos e instituições no desempenho de suas funções”. “Projetos são um conjunto de ações planejadas que ajudam a resolver um problema da comunidade. Essas ações devem provocar mudanças que melhorem as condições de vida coletiva”. “Projetos são um conjunto de ações planejadas que devemos comunicar com clareza para que outras pessoas e organizações possam, também, colaborar de alguma maneira e apoiar economicamente”. “Projeto é a unidade mínima de investimento de recursos que, através de um conjunto integrado de atividades, pretende transformar uma parcela da realidade, diminuindo ou eliminando um déficit ou solucionando um problema”. “Projeto é algo que traz mudanças e tem exigências de tempo, custo, tecnologia, complexidade e abrangência, além de contribuir significativamente para o sucesso ou fracasso de um empreendimento”.1 tos rela tivo s a projeto s: Fic am bem claros alg uns pon ar mu dan ças ; • Têm a inte nção de pro voc urs os; • Têm lim ites de tem po e rec os; ões de vid a dos ben eficiári • Vis am a melho rar as con diç ren tes ent re si. • São açõ es planejada s e coe

1

Todas as fontes estão contidas nas Referências Bibliográficas.

31


um projeto deve ser, então, cuidadosamente elaborado e bem executado. Por quê? em primeiro lugar, pelos

IDEIAS E OPORTUNIDADES PARA O PROJETO

benefícios que traz para os destinatários. a contribuição para o fortalecimento institucional é a segunda

normalmente, os organismos financiadores interessam-se por propostas criativas.2 nesse sentido, vale

razão, não menos importante do que a primeira. Claro que os patrocinadores em potencial se dispõem a olhar

relatar o que declarou um porta-voz de uma grande fundação internacional de financiamento de ações

com mais simpatia para propostas de entidades cujas experiências anteriores foram bem-sucedidas.

sociais. “recebemos, em média, uns cinco projetos por dia. desses, escolhemos, a cada trimestre, os qua-

É importante esclarecer que a montagem do projeto, embora cuidadosa, como citado anteriormente, não representa nenhum obstáculo intransponível.

É pre cis o ter um a boa ide na qual se vai

mas, também, para a infraestrutura de entidades de portes médio e grande, de reconhecida atuação na área social. Questionado sobre a barreira que isso cria para pequenas instituições, afirmou que elas não

s da região ia, con hec er as car act erís tica

a mão na ma ssa . As des env olv er a ação e bot ar

(de prim eira s ten tati vas pod em acaba- se peg and o o jeit o.

tro ou cinco melhores.” disse, ainda, que costuma destinar recursos não só para a execução de projetos,

vem) ser um pou co frus tran

Afinal , só se apr end e a faz

tes , ma s

er faz end o...

estão excluídas da possibilidade de se candidatar, embora tenham que apresentar proposta diferenciada, inovadora, que justifique sua inclusão no rol de selecionados. este, como outros apoiadores de projetos, deixam claro que uma ideia original faz a diferença. isso quer dizer que o financiador passa a avaliar com melhores olhos a proposta inovadora de solicitação de recursos. a r ao sol, não ba st co ns eg uir um lu ga pr eciso dar as as be m elab or ad o. é o nt me cu do um só ap re se nt ar . M as , pacidade cr iado ra do af lo rar su a ca an ix de , ão aç in à im ag e, as tar da re alid ad e vo cê de va se af qu a fic ni sig o nã at en ção! issssoo .É vai se r re alizado em qu e o pr ojet o rio ná ce do , or lh ou me a co nh ec en do be m an tado s no ch ão , pl s pé os er nt ma fu nd am en tal

te , para Co ns eq ue nt em en

vale lembrar que é recomendável que a instituição faça um planejamento global, antes de elaborar seus projetos. outro aspecto que precisa ser lembrado é a definição das áreas em que a entidade atua ou vai atuar, em vez de navegar ao sabor das ondas, ou melhor, ao sabor dos possíveis financiamentos. se, por um lado, esse ponto reforça a necessidade de se planejar institucionalmente, por outro, evita inspirar desconfiança nos organismos financiadores.

ár ea na qu al pr et

Fica clara a falta de diretrizes e de ética de uma instituição que opta por trabalhar com aids, porque é

en de at uar.

uma causa que dá dinheiro. Pelo mesmo motivo, se volta para a ecologia ou para o trabalho com creches ou qualquer outra coisa ou causa que esteja disponibilizando recursos. É preciso definir um foco. É indispensável planejar o percurso institucional. Mesmo quando a entidade tem recursos assegurados para sua sobrevivência, como é, por exemplo, o caso de institutos ou fundações de empresas, ter um foco é fundamental. os problemas sociais do País são tão numerosos e graves que atacá-los sem estabelecer uma prioridade pode significar a pulverização de ações e o empobrecimento dos resultados. os projetos são os meios pelos quais vão ser postos em prática os planos e programas definidos no processo de planejamento. Por isso é que se diz que os projetos são a unidade operativa do planejamento, já que transformam em ação o que se pensou em realizar. Conhecendo bem a sua instituição, qual a missão

e as boas ideias, de onde elas vêm? uma estratégia importante é ficar antenado com as coisas que estão acontecendo à sua volta, porque uma ideia pode surgir durante um bate-papo, na leitura de jornais e revistas, nas telas da tevê, entre outras situações. Juntar toda a equipe e deixar que as ideias brotem sem censura é uma forma de somar esforços para, mais adiante, chegar a uma proposta criativa. alguns exemplos ilustram o que foi afirmado.

dela, quais os seus pontos fortes e fracos, fica mais fácil a montagem de projetos que, evidentemente

em determinadas regiões metropolitanas brasileiras, um organismo financiador lança, periodicamente,

têm que ser coerentes com todos esses aspectos.

concursos para capacitação de jovens de baixa renda, entre 16 a 21 anos. um dos requisitos básicos para 2

rolo May, citado por Ângelo dalmás em Planejamento Participativo na Escola, define criatividade como o processo de dar vida, aventurando-se por caminhos ainda não trilhados e ainda desconhecidos. diz também que “a coragem criativa é a descoberta de novas formas, novos padrões, segundo os quais uma nova sociedade pode ser construída”.

32

33 2. teXtos de aPo Io


aprovação dos projetos que concorrem às vagas existentes é o caráter inovador da proposta. entretanto,

coMo elAborAr projetos1

com frequência, chegam projetos para formação de manicures, cabeleireiros, costureiras, marceneiros, empregadas domésticas e outras tantas profissões muito comuns. Podem ser lançados, e deve-se, desafios maiores, incomuns e adequados ao aproveitamento ou criação de um nicho de mercado. na busca de originalidade, uma instituição concorrente enviou a proposta de capacitação de consertadores de pianos. de onde partiu essa ideia? de uma simples conversa da diretora de uma organização não Go-

Não existe um modelo/roteiro único para elaborar um projeto. Diversos modelos/roteiros podem ser utilizados, de acordo com a natureza do projeto. deve-se optar por aquele que contenha o maior volume de informações necessárias ao entendimento e aprovação da proposta.

vernamental (onG), com o diretor de um museu, que comentava a dificuldade de se conseguir um afinador

Muitas agências financiadoras têm modelos/roteiros próprios para a apresentação de projetos sociais,

de piano competente. os poucos que existiam, estavam com a agenda cheia e demoravam a atender aos

além de exigências específicas sobre a documentação a ser anexada.

chamados. nasceu ali a convicção de que essa era uma área fértil para abrigar um projeto de capacitação de jovens. a representante da onG entrou em contato com um profissional especializado, que botou abaixo suas pretensões, quando informou que um bom afinador de piano não se forma em menos de três anos. o financiamento previsto era de seis meses... entretanto, um raio de esperança novamente brilhou,

A seguir, apresentamos um roteiro para a elaboração de projetos sociais. é uma proposta que assegura os tópicos essenciais para a compreensão global do leitor, evidenciando a correlação entre as diferentes partes.

quando o mesmo profissional revelou que, em seis meses, seria possível formar consertadores de pianos

TíTULO

competentes e que esse era um mercado carente de mão de obra especializada. o projeto foi aprovado!

deve ser claro e oferecer uma ideia geral da proposta e ter significativo impacto para o leitor.

Cabe a observação de que não se pode repetir uma proposta como essa muitas vezes, já que o mercado

APRESENTAÇÃO DA INSTITUIÇÃO

se esgota e, a partir daí, não são mais alcançados os resultados pretendidos.

nesse campo, devem ser registrados:

a ideia, além de ser criativa, tem que ser viável, o que implica inteirar-se sobre recursos humanos, fi-

• Os dados formais da organização – nome, endereço, telefone, e-mail, CGC, data da fundação, nome dos

nanceiros e do tempo disponíveis. no caso do exemplo, coube, também, uma sondagem, em termos de

diretores, organograma, missão da organização, nome do responsável pelo projeto.

mercado, que absorvesse a mão de obra capacitada.

• Os dados históricos – como e porquê foi fundada, diretrizes gerais, principais ações, resultados alcançados, projetos em andamento, principais fontes de recursos e/ou financiamentos, parceiros e colaboradores.

e mai s: é indi spe nsável veri fica tem fôle

r se a inst ituição pro pon ente

põe e da form a com o se go par a exe cutar o que se pro

ar ao plan ejam ento e reve r a pro põe . p ara isso , voc ê dev e volt , o pon tos fort es da inst ituição mis são e o que foi definido com par a efet ivar o projeto . além das con diçõ es exte rna s

SUMÁRIO ExECUTIvO (RESUMO DO PROJETO) Deve permitir, ao futuro parceiro/financiador, a compreensão geral da proposta, informando, resumidamente, o que é o projeto. deve apresentar: • O problema que será enfrentado; • As ações; • Os resultados esperados;

em resumo: a boa ideia pode aparecer em qualquer situação do dia a dia, mas é preciso estar sempre alerta e fazer dela uma oportunidade. tem-se que considerar a viabilidade dessa ideia, ou seja, verificar

• Como e quando as ações serão executadas.

se pode ou não ser posta em prática dentro das condições disponíveis.

1

texto extraído da cartilha Elaboração de Projetos, série oficina em Papel, Cieds, 2002.

34

35 2. teXtos de aPo Io


JUSTIFICATIvA v (ANÁLISE DO CONTExTO DO PROJETO) vA

objetivos específicos – são os resultados, mensuráveis quantitativamente, a serem obtidos no final

deve demonstrar a importância do projeto em relação à situação-problema, justificando, claramente, como

do projeto. Cada objetivo específico será traduzido em uma ação do projeto. Para saber se o projeto está

a proposta poderá contribuir para a resolução. Esse item deve possibilitar que o futuro parceiro/financiador

dando certo, é necessário apontar os indicadores para cada ação, os quais serão usados para avaliar o

evidencie a correlação entre o contexto externo, as necessidades locais e as potencialidades efetivas de

desempenho do projeto.

intervenção/solução apresentadas pela proposta.

público-Alvo e locAlizAção

Lembre-se de destacar porque a sua iniciativa é importante e o que ela acrescenta às demais. Para que a justificativa seja adequada, deve basear-se em um diagnóstico local ou situacional.

descreve a população beneficiada em números e, se necessário, em características e também o local onde será desenvolvido o projeto.

METODOLOgIA (COMO?)

deve informar:

nesse tópico, descrevem-se, com detalhes, como os objetivos específicos serão operacionalizados. Cada

• Identificação, análise e extensão do problema;

objetivo específico tem um conjunto de atividades, que serão desenvolvidas pelos membros da equipe

• Contexto social, cultural, econômico, político e ambiental da área na qual o projeto será desenvolvido; • Mapeamento das iniciativas locais – listar ações sociais implementadas, na área, pelo Estado, sociedade civil e empresas, com as suas respectivas limitações.

do projeto. na ttabela 1, apresentamos um modelo que possibilita correlacionar diretamente o objetivo específico, as atividades e o responsável técnico. Tabela 1: Exemplo de tabela para metodologia

• Mapeamento/relato de futuras parcerias locais.

objetivos (pArA que serve o projeto?)

objetivo específico

nesse campo, deve ser descrito o que se espera alcançar com a proposta. É preciso responder, com cla-

A

ATIvIDADES

RESPONSÁvEL

1

Coordenador A

2

Técnico A

reza, para que serve o projeto que está sendo apresentado. os objetivos é que orientam o planejamento,

3

Técnico A

a execução e a avaliação de qualquer projeto.

1

Coordenador B

2

Técnico B

3

Técnico B

B

antes de defini-los, considerar: • Aceitabilidade – É aceito por quem o executa e pelo beneficiário. • Factibilidade – É possível operacionalizá-lo no período de tempo de execução. • Governabilidade – está dentro da possibilidade de execução. • Motivação – É a razão que motiva o grupo executor a se esforçar para concretizá-lo. • Simplicidade – É facilmente compreendido por todos. • Comunicação – É conhecido por todos os que o executam. o objetivo é dividido em dois subtópicos:

no início desse tópico, é importante indicar as estratégias de ação que a equipe desenvolverá para atingir os resultados esperados. Por exemplo: Para alcançar a meta de conscientizar os jovens de uma comunidade sobre os riscos de uma gravidez precoce e a importância de sua prevenção, mobilizaremos as associações de moradores para realizarmos uma campanha de esclarecimento.

CRONOgRAMA DE ATI A vIDADES (QUANDO?) É um instrumento que auxilia no controle do projeto, pois descreve as atividades a serem desenvolvidas ao longo do tempo de execução do projeto. Possibilita correlacionar as atividades (no tempo) aos resultados alcançados, identificando desvios do planejamento inicial e reorientando as ações. Para facilitar a visualização e possibilitar melhor acompanhamento o cronograma, em geral, é apresentado

Objetivo geral – define o impacto social que se pretende alcançar em relação à situação-problema

sob uma forma (tabela ttabela 2) que correlaciona atividade x tempo.

identificada. na verdade, é a transformação de uma realidade, alcançada nos médio e longo prazos.

36

37 2. teXtos de aPo Io


Tabela 2: Exemplo de cronograma de atividades objetivo específico

A

B

ATIvIDADES

JAN.

IMPORTANTE FEv.

MAR.

Abr.

MAIO

p ara obter o custo total de cada item, você deve inserir a memória de cálculo, isto

1

é, o custo unitário de cada item multiplicado pelo número de vezes que ele será

2

utilizado durante o projeto. exemplo: xemplo: see você tirar cem cópias de xerox, a r $ 0,07

3

cada cópia, em cada um do cinco meses de duração do projeto, a conta é:

1

100 x 0,07 x 5 = r $ 35,00 (custo total do subitem xerox, que está no item materiais).

2 3

Cronograma de desembolso – aqui você descreve quanto o projeto gastará em cada item, durante a

Lembre-se: Um projeto tem início, meio e fim. É uma ação pontual, que tem um prazo de validade. Por isso, é importante planejar o tempo de duração de cada atividade de forma realista. Faça a seguinte pergunta: quanto tempo leva para se executar essa atividade?

cronogrAMA físico-finAnceiro e coMposição do orçAMento (quAnto?)

sua implementação. ou seja, mostra as despesas ao longo do tempo. a ttabela 4 apresenta um cruzamento do tópico Cronograma de atividades com o orçamento. Lembre-se de colocar o custo de cada item, que foi calculado durante a memória de cálculo, no decorrer dos meses. As linhas representam os itens e, as colunas, os meses ou prazo.

deve conter a previsão de todos os custos do projeto por item de despesa e o planejamento de sua composição.

embora a maioria dos gestores sociais alegue não ter habilidade ou interesse em lidar com o cronograma

Para tornar mais claro, dividimos esse tópico em dois subtópicos: orçamento e cronograma de desembolso.

físico-financeiro, o instrumento é essencial, pois a adequada gestão financeira é que possibilitará a exe-

Orçamento – engloba a descrição dos recursos que serão utilizados para realizar o projeto e quanto custa cada item. É importante informar a sua contrapartida, em cada item, ou seja, quanto já está disponível, em dinheiro,

cução das atividades propostas e o alcance dos objetivos do projeto. tabela 4 - exemplo de cronograma de desembolso

para executar o projeto. o restante você coloca para financiar, que é o que interessa ao patrocinador. Lembre-se: Se o projeto estiver sendo enviado para mais de um financiador, você deve deixar claro isso, destacando qual patrocinador vai pagar o quê.

prAzo

RECURSOS JANEIRO

FEvEREIRO

MARÇO

TOTAL (item) Abril

MAIO

Humanos

a divisão do pagamento pode ser feita por cotas ou por item. exemplo: um patrocinador pode querer pagar só 25% (ou um quarto) do custo total do projeto, ou somente o custo do item Material. o patrocínio sempre é negociado. na ttabela 3, as linhas indicam os itens, e as colunas os custos de cada item. você

Materiais Equipamentos Outros TOTAL (mês)

(Total do projeto)

vai colocar, nas linhas, os itens e, nas colunas, os meses ou prazos. Tabela 3: Exemplo de tabela para orçamento

sisteMA de MonitorAMento ento e Av AvAliAção (coMo sAber se deu certo?) esse último tópico é um dos mais importantes, para a continuidade do projeto. refere-se a dois momentos

RECURSOS

CUSTO

CONTRAPARTIDA

Humanos

A FINANCIAR

do processo de análise do projeto: acompanhamento das atividades do projeto (monitoramento); e avaliação dos resultados, ao final do projeto.

Materiais

no tópico objetivos, comentamos a importância dos indicadores. indicador é aquilo que mostra se você

Equipamentos

está certo ou errado. Para cada atividade, você e a equipe do projeto devem escolher um ou mais indi-

Outros

cadores. existem variadas formas de coletar as informações para os indicadores. Podem ser obtidas em

TOTAL

reuniões, relatórios, visitas, oficinas, etc. veja, na ttabela 5, um exemplo de como estruturar um sistema de análise do projeto.

38

39 2. teXtos de aPo Io


tabela 5 - exemplo de monitoramento e avaliação

a qualidade diz respeito à opinião dos cidadãos beneficiados, direta ou indiretamente, pelo projeto. Por exemplo: o que as crianças acharam do projeto, o que as mães gostaram no projeto, o que a comunidade

objetivo específico

ATIvIDADES

INDICADORES

1

Variável 1

Coordenador A

2

Variável 2

Técnico A 1

3

Variável 3

Técnico A 2

4

Variável 4

Coordenador B

5

Variável 5

Técnico B 1

6

Variável 6

Técnico B 2

A

B

RESPONSÁvEL

a análise do projeto, portanto, é um processo que se divide em quatro fases, a saber: Análise da proposta – ocorre antes do início do projeto. após ter terminado de escrever todo o projeto (inclusive o tópico Monitoramento e avaliação), você entrega o texto final aos possíveis parceiros (patro-

acredita que melhorou com o projeto, o que foi possível perceber de melhoria na qualidade de vida do público-alvo. o importante é contar as ações e identificar as opiniões sobre elas.

referênciAs bibliográficAs Ávila, Célia M. gestão de projetos sociais. são Paulo: aaPCs, 1999. ASHOKA/MCKINSEY. plano de negócios para organizações do terceiro setor, 2001. tenório, Fernando. elaboração de projetos comunitários. Cedac,1999. raPoso, rebecca. Elaboração e avaliação de projetos sociais. tecnoarte, 2000. santos, telma. O que é projeto social. Cieds, 2001.

cinadores, organizações sociais e comunidade), para que todos façam uma análise crítica da proposta, identificando os erros e sugerindo modificações para melhorá-lo. somente após a aprovação dos patrocinadores o projeto deve ser iniciado. Monitoramento – envolve o acompanhamento contínuo das atividades do projeto. a equipe responsável pode corrigir o erro em tempo. a análise pode ser feita em reuniões de equipe e consolidada em relatórios mensais. Avaliação de resultado – acontece no final do projeto. você e a equipe analisam se os resultados esperados foram alcançados, em cada um dos objetivos específicos. É importante que a equipe seja muito crítica com o próprio desempenho, pois o relatório final do projeto será encaminhado aos patrocinadores, que querem resultados positivos. Caso algum objetivo específico não tenha sido alcançado, é necessário justificar o que aconteceu, pois, às vezes, ocorrem fatos que não podem ser controlados. Mas, se isso acontecer, não desista: procure sempre fazer o melhor! Avaliação de impacto – só ocorre um ano após o término do projeto e tem relação direta com o objetivo geral, que é a meta maior. É a mais difícil e, talvez por isso, não seja muito exigida. Lembre-se: o impacto social é a transformação da vida de um grupo de pessoas que foram beneficiadas pelo projeto, ou seja, o público-alvo. são, pelo menos, dois tipos de informações que os parceiros querem saber: quantidade e qualidade. a quantidade refere-se aos números do projeto. Por exemplo: Quantas aulas foram dadas, quantas crianças foram atendidas, quantas famílias foram beneficiadas, quantas comunidades foram atendidas, etc.

40

41 2. teXtos de aPo Io


COMO PLANEJAR A AvALIAÇÃO AvALIAÇÃO DE UM PROJETO SOCIAL?1

os processos de avaliação de projetos sociais envolvem, geralmente, as seguintes atividades: • Planejamento/desenho do processo de avaliação; • Levantamento dos dados/trabalho de campo; dalberto adulis

na maior parte das organizações do terceiro setor, a avaliação ainda é vista como uma atividade isolada, realizada geralmente ao término de um projeto, com o propósito de controle ou fiscalização. em alguns casos, o desprestígio das atividades de avaliação é tão grande, a ponto de muitas organizações deixarem de realizá-las ou fazê-las apenas para cumprir as exigências de um financiador. os resultados de uma avaliação realizada nessas condições tendem, realmente, a ser pobres e pouco úteis para os gestores da organização, o que os leva a desprestigiarem ainda mais essa atividade. no brasil, a avaliação formal de projetos sociais ainda é incipiente, mas é possível identificar onGs, algumas contando com apoio de financiadores, que têm aumentado significativamente seus conhecimentos na área nos últimos anos, utilizando a avaliação como

• Sistematização e processamento dos dados; • Análise das informações; • Elaboração de relatório(s) com os resultados encontrados e recomendações; • Disseminação e uso das conclusões para diferentes públicos, como funcionários, usuários, financiadores e parceiros. dentre todas as etapas, a de planejamento é a mais complexa, não apenas porque envolve questões metodológicas e decisões estratégicas, que demandam tempo e energia dos gestores, mas também porque, se realizada de forma inadequada, pode comprometer as demais etapas do processo.

ferramenta para melhorar sua atuação direta sobre o público-alvo e sobre o processo

o planejamento de um processo de avaliação inicia-se com a definição dos objetivos e das questões cen-

de gestão interna, além de ser utilizada como estratégia para captação de recursos e

trais que a avaliação se proporá a responder. em seguida, é necessário decidir em que momento avaliar

divulgação de seu trabalho (CianCa, 2001:19).

o projeto (início, durante ou ao término), qual o objeto da avaliação (o que será avaliado) e, finalmente,

apesar de ter nascido sob a égide do controle, a avaliação pode ser uma grande aliada das organizações do terceiro setor, que podem integrá-la às demais atividades de gestão da entidade. a principal finalidade de uma avaliação deveria ser gerar informações e conhecimentos para que os gestores possam tomar decisões que aumentem a eficácia, a qualidade e a eficiência da organização. Conforme afirma reis (1999), o melhor sentido da avaliação é que seja utilizada como meio de melhorar os projetos existentes, aprimorar o conhecimento sobre sua execução e contribuir para seu planeja-

quais serão as variáveis e os indicadores utilizados. Com essas questões definidas, o grupo responsável pela avaliação pode dar continuidade à etapa de planejamento, decidindo quais os tipos de avaliação que pretende desenvolver e escolhendo a abordagem metodológica que será empregada.

TIPOS DE AvALIAÇÃO Av Há diferentes formas de classificar os tipos de avaliação que uma organização pode desenvolver, entre as quais a apresentada a seguir.

mento futuro, tendo como pano de fundo sua contribuição aos objetivos institucionais.

Avaliação ex-ante – É realizada antes da implementação do programa, também chamada de avaliação

neste sentido, é um exercício permanente e, acima de tudo, comprometido com as

de viabilidade. Possibilita avaliar a viabilidade e a sustentabilidade financeira, política e institucional do

repercussões de um projeto ao longo de sua realização.

programa. as informações produzidas podem subsidiar processos de tomada de decisão sobre implementar

a avaliação de um programa social consiste, basicamente, em formular perguntas precisas a respeito de um ou vários aspectos do programa, que podem estar associadas ao planejamento, execução ou resultados

ou não um programa ou, ainda, a seleção e priorização de alternativas de ação, para maximizar o retorno do investimento social.

do mesmo. empregando processos de avaliação, os gestores podem obter informações importantes para

Monitoramento – realizado durante a implementação do programa, indaga e analisa em que medida

conhecer melhor as necessidades e a percepção dos usuários/beneficiários, testar a viabilidade de seus

as atividades e os resultados correspondem ao planejado. Possibilita identificar os pontos fortes e a

projetos, certificar-se de que as ações desenvolvidas levarão ao alcance dos resultados previstos, ou,

deficiência do projeto, as oportunidades e necessidades de ajuste.

ainda, conhecer e mensurar o impacto de suas ações. 1

ttexto escrito originalmente para avaliação de projetos do terceiro setor, porém é extensivo às organizações governamentais e às organizações privadas.

42

43 2. teXtos de aPo Io


Avaliação de resultados – acontece no final da etapa de execução do projeto. avalia se foram alcan-

em meio ao debate entre abordagem quantitativa ou qualitativa, é importante lembrar que a escolha de

çadas as metas previstas para cada um dos objetivos. oferece elementos importantes para conhecer a

uma ou de outra depende dos objetivos e das questões que se pretende responder com o processo de

efetividade, eficácia e eficiência do projeto ou programa.

avaliação. esses são os elementos-chaves para que os gestores ou pesquisadores escolham a abordagem

Avaliação de impacto – ocorre após a conclusão do projeto. analisa mudanças nos indicadores identi-

e o método de levantamento dos dados adequado para o seu caso.

ficados inicialmente com o propósito de verificar se o projeto ou programa produziu impactos/alterações

além disso, as avaliações podem ser vistas e se valer da chamada triangulação, empregando diferentes

em determinadas condições de vida da população.

abordagens e métodos de pesquisa. Para muitos, esse é o tipo ideal de avaliação, por combinar as van-

Avaliação participativa – Pode ser utilizada em qualquer etapa do projeto. incorpora a perspectiva da

tagens de cada uma das abordagens. Porém tende a ser mais caro e demorado.

população beneficiada na análise de aspectos e problemas relacionados ao planejamento, execução e

PRóxIMOS PASSOS

resultados do projeto. a avaliação participativa procura superar deficiências da abordagem tradicional,

ao ter clareza sobre os objetivos, o tipo de avaliação e a abordagem que se pretende utilizar, os responsá-

abrindo canais de participação entre usuários e gestores.

veis podem avançar no processo de planejamento da avaliação, tomando outras decisões metodológicas

após definir que tipo de avaliação será realizada, os gestores podem continuar o planejamento da avaliação,

importantes, como:

selecionando as abordagens e metodologias que serão empregadas.

• Determinar as fontes de informação que serão utilizadas (dados secundários e primários);

diferentes AbordAgens: quAlitA litAtiv litA AtivA tivA ou quAntitA ntitAtiv ntitA AtivA tivA?

• Identificar o universo de estudo e os informantes;

o debate entre defensores de abordagens qualitativas e quantitativas, que é histórico, nas ciências sociais, se reproduz nas discussões sobre avaliação de projetos sociais. os defensores da abordagem qualitativa destacam a necessidade de conhecimento profundo sobre os fatos analisados, ao passo que os avaliadores voltados à abordagem quantitativa valorizam a possibilidade de

• Definir a população, a amostra e os procedimentos de amostragem que serão empregados; • Escolher os métodos e desenhar os instrumentos para a coleta de dados (entrevistas, estudo de casos, observação, oficinas ou experimentos);

mensuração, comparação e generalização dos resultados obtidos com suas abordagens.

• Elaborar um plano para a realização do trabalho de campo (coleta de dados);

a abordagem qualitativa permite o estudo de questões, casos ou eventos em maior profundidade, e que

• Elaborar um plano de análise das informações que serão levantadas.

o pesquisador conheça com mais riqueza as experiências estudadas. as desvantagens dessa abordagem seriam a impossibilidade de generalizar os resultados encontrados ou poder aplicá-los em outros casos, além do custo mais alto, em relação à abordagem quantitativa. a pesquisa e a avaliação qualitativa ge-

ao término desta etapa, os responsáveis passam a contar com um plano que deve nortear todas as demais atividades do processo de avaliação.

ralmente empregam métodos como estudos em profundidade, entrevistas abertas, oficinas, focus groups, observação direta, estudo de casos, pesquisa-ação e análise de documentos. Já a abordagem quantitativa possibilita a realização de levantamento de informações com um maior número de respondentes, a um menor custo, análises estatísticas e, usualmente, a comparação e generalização de resultados. a desvantagem é que o levantamento quantitativo não oferece a mesma profundidade que o quantitativo. a pesquisa e a avaliação quantitativa geralmente empregam métodos como a aplicação de questionários e a coleta e processamento de informações quantitativas.

44

45 2. teXtos de aPo Io


referênciAs bibliográficAs CHianCa, thomas. avaliando programas sociais: conceitos, princípios e práticas. Desenvolvendo a cultura de avaliação em organizações da sociedade civil. são Paulo: Global, buenos aires: Fondo de Cultura económica de argentina s.a., 2001. reis, liliane da Costa. avaliação de projetos como instrumento de gestão. Apoio à gestão. rio de Janeiro, 1999. disponível em: site da rits, artigo. SIEMPRO/UNESCO (1999). gestión integral de programas sociales orientada a resultados: manual metodológico para la planificación y evaluación de programas sociales. tasHereau. evaluating the impact of training and institutional development: a collaborative approach. Washington: economic developmente institute of the World bank, 1998. valarelli, leandro. indicadores de resultados de projetos sociais. Apoio à gestão. rio de Janeiro, 1999. disponível em: site da rits, artigo.

46

47 2. teXtos de aPo Io


www.Juventude.sP.gov.br

3. modelos de ProJetos


s de ProJeto s o l e d o m 3. .br

ude.sP.gov

www.Juvent

PROJETO: ASSISTENTES TééCNICOS DE MONTAIN BIKE E AFINS dAdos sobre A instituição

nome: CGC: endereço: Tel./Fax: ee-mail: -mail: representante epresentante legal:

HistóriCo Co somos uma instituição nstituição constituída por um pequeno grupo de incansáveis pessoas, heterogêneas na apa aparência, jovens e idosos, mulheres e homens, negros e brancos, mas homogêneos nos propósitos – colocar nossa capacidade teórica e nossa vivência prática à disposição daqueles que, muitas vezes, têm história no trabalho comunitário, mas lhes faltam a experiência em instrumentalizar seus conhecimentos e, assim, realizar as nossas sonhadas transformações sociais. noo ano de 1996, participamos da elaboração de vários projetos que vieram a ser financiados pela aaPCs. aa em m 1997, não só elaboramos como executamos um projeto, com muita dedicação, o que nos proporcionou um certificado pelos bons serviços e uma carta convidando-nos para este concurso.

dAdos sobre o projeto Capacitar 40 jovens, visando não só gerar ocupação produtiva por meio da capacitação profissional e formação ético-moral, assim como orientá-los para uma cidadania plena, principalmente preparando-os para serem os agentes do seu próprio desenvolvimento e também da sua comunidade. a ... foi convidada por um grupo de pessoas organizadas, mas não formalmente, da comunidade de ... para

51


representá-lo junto à aaPCs, com este projeto.

que o morador de ... seja obrigado a pagar altos fretes para levar sua bicicleta ao centro de ..., para,

responsável pelo projeto: vale explicar que a responsabilidade técnica e financeira de projetos cabe a...

muitas vezes, fazer um pequeno reparo.

dado ao fato de o grupo carecer de assessoramento técnico, além de não ser pessoa jurídica. Porém, todo o

Mas o problema não se limita ao bairro de ..., pois até mesmo no centro de ... ou do ..., as oficinas exis-

trabalho de campo cabe aos membros da comunidade, qualificados para as diferentes funções, a destacar

tentes carecem de mão de obra qualificada em montain bike e afins.

a coordenação de Joubert Martins.

Fomos a algumas casas de conserto desses veículos e conversamos com esses mecânicos, e ninguém

• Abrangência: comunidades carentes do bairro de ... . • Clientela: jovens de 15 aos 21 anos, de ambos os sexos.

havia feito especialização: “somos todos curiosos”, nos disseram muitos deles. apesar da prática, falta a todos uma formação mais abalizada. o gerente das oficinas visitadas foram unânimes ao dizer que essa capacitação é sinônimo de rendimento.

• Duração do curso: 5 meses. • Duração do estágio: 1 mês (100 horas).

JUSTIFICATIvA v vA

• Custo do projeto: R$ 38.490,00.

a garantia de oportunidade de trabalho, somada ao preenchimento de uma necessidade real da comunidade é a melhor justificativa para a implantação de um projeto como esse na comunidade de ... . ressalta-se

• Bolsa-Auxílio + encargos: R$13.849,00.

que a própria comunidade é que solicita e especifica a atividade a ser desenvolvida.

• Orçamento total: R$ 52.339,00. • Custo-Benefício: R$ 962,25.

FINALIDADE Fazer com que floresçam as capacidades positivas dos jovens carentes, dando-lhes formação para o trabalho – com a soma da capacitação profissional e do desenvolvimento de habilidades e conheci-

APRESENTAÇÃO um levantamento do perfil socioeconômico cultural dos habitantes de ... e circunvizinhança, realizada por uma equipe de técnicos da secretaria regional, coletou dados que servem de base à implementação de projetos e programas de ação social em toda a região. este levantamento também identificou que ...

mentos voltados para o crescimento de sua autonomia, apontando sempre para a responsabilidade e a reflexão crítica, considerando a ética e o espírito cooperativista, isto é, preparando-os para o exercício da plena cidadania.

é o bairro mais pobre, dentro da região mais pobre do Município de ... . e que sua população é bastante jovem e carece de ocupação.

objetivos

daí a ideia do curso de capacitação. somando os dados da pesquisa com as informações colhidas no contato

PrinCiPal

com a população, observamos que a bicicleta passou a ser o transporte mais usado pela população, o que

Preparar o segmento jovem das comunidades carentes da região de ..., capacitando-o e elevando sua au-

fez com que o bairro também se revertesse para o esporte das duas rodas. o ciclismo é, na comunidade,

toestima para que possa se fortalecer e assim sentir-se capaz de ultrapassar o forte bloqueio que impede

o primeiro esporte, praticado por mulheres e homens, jovens e idosos; passeios ciclísticos e competições

a sua inserção no mercado de trabalho.

fazem parte do calendário anual de eventos locais. É também daí que nasce a ideia de um curso para capacitar jovens que possam fazer a manutenção desses veículos. Há, na comunidade, apenas uma pequena oficina para consertos de bicicleta. É um estabelecimento muito pouco equipado e conduzido por pessoas pouco preparadas. esse fato faz com

esPeCíFiCos • Transmitir, de maneira adequada, técnicas para a formação de profissionais na área de mecânica de bicicleta, capacitando-os no sentido de reforçarem a participação comunitária, além de geração de rendimento.

52

53 3. modelos de Pro Jetos


• Preparar os jovens para assumirem as novas oportunidades no mercado de trabalho, que se configuram

visando sempre desenvolver a capacidade de reflexão dos jovens, observando o fortalecimento da

com as mudanças comportamentais, relacionadas à utilização mais intensa de veículos de duas rodas,

autoestima e preparando-os para uma sociedade globalizada.

não só como transporte mas também no esporte. esta brecha que se apresenta no mercado faz com que possamos alcançar nosso objetivo, qual seja, proporcionar aos jovens condições que facilitem sua inserção no mercado de trabalho.

DESCRIÇÃO DAS ATI A vIDADES Curso esPeCíFiCo • Profissionais: mecânico de montain bike, mecânico de bicicleta de corrida, pintor de auto especializado em jet e professor de matemática. aulas teóricas e práticas.

CARACTERíSTICAS nossos jovens serão recrutados naquelas comunidades mais carentes de ... e circunvizinhanças. utilizaremos a rádio local, as escolas, os templos religiosos e clubes, para distribuir informativos. Poderão ser pessoas de ambos os sexos, na faixa etária de 15 a 21 anos; é importante que estejam matriculadas na escola, sejam alunos da 8a série ou já tenham terminado o primeiro grau, mas estaremos abertos para relativizar essas exigências, se assim for necessário. Pretendemos trabalhar com 40 jovens e o curso terá duas áreas: a específica e a básica, com um total de cinco meses e 600 horas, sendo que 60 horas mensais

• Horário: 18 às 21 horas – 2a a 6a feira. • Carga: 60 horas mensais (cinco meses). • Período: 1o de agosto a 23 de dezembro de 1998. • Local: Garagem do Centro Cultural (aula prática) e Escola Municipal ... (aula teórica).

para o específico e mais 60 divididas entre as atividades ligadas ao curso básico. as aulas teóricas do curso específico serão administradas na escola ... que fica no ... e as aulas práticas na garagem da creche ... . a frequência mínima será de 75% e o acompanhamento será feito com avaliação semanal, por meio de fichas preenchidas pelos instrumentos do módulo específico e também durante as reuniões mensais, com a participação dos professores do específico, dos instrutores das atividades do módulo básico, da coordenação, da assessoria técnica e convidados também os monitores da aaPCs.

Mês 1 tema principal a ser abordado: apresentação e ambientação com as bicicletas. Proposta de sub-temas semanais: 1a semana: apresentação dos professores, do objetivo do projeto e história da bicicleta. 2a semana: tipos e principais diferenças.

PARCERIAS no momento em que estamos concluindo a elaboração deste projeto, já podemos citar várias parcerias confirmadas e formalizadas, conforme documentos anexos, a listar:

3a semana: acessórios e suas utilidades. 4a semana: marcas, sistemas e materiais.

• Bicicletas Caloi (...) • Casas de Bicicletas (...) • Oficina do ... (...) • Escola Municipal ... (...) • Secretaria de Desenvolvimento Regional de ... (...) sobre a metodologia, garantimos que trabalharemos sempre orientados pelos métodos participativos,

54

55 3. modelos de Pro Jetos


Mês 2

Mês 5

tema principal a ser abordado: Manutenção básica.

tema principal a ser abordado: encerramento do curso com recapitulação e dicas.

Proposta de subtemas semanais:

Proposta de subtemas semanais:

1a semana: regulagem de freio.

1a semana: dicas e truques de conservação.

2a semana: regulagem de câmbio.

2a semana: problemas mais frequentes.

3a semana: regulagem de raios.

3a semana: revisão geral do que foi dado.

4a semana: lavagem e lubrificação.

4a semana: avaliação e encerramento.

Curso esPeCíFiCo

Mês 3 tema principal a ser abordado: Manutenção básica. Proposta de subtemas semanais: 1 semana: montagem completa. a

2a semana: ambientação com as suspensões.

DIAS DA SEMANA

HORÁRIO

CARgA HORÁRIA MENSAL

totAl/HorAs CURSO

Mecânico de montain bike

3a e 5a feira

18 às 21

24

120

Mecânico de bicicleta de corrida

2a feira

18 às 21

12

60

Pintor de auto

6a feira

18 às 21

12

60

Professor de matemática

4a feira

18 às 21

12

60

DIAS DA SEMANA

HORÁRIO

CARgA HORÁRIA MENSAL

totAl/HorAs CURSO

PROFISSIONAIS

3a semana: pintura.

Curso bÁsiCo (dividido em duas turmas)

4a semana: treinamento variado.

PROFISSIONAIS

Mês 4

Educador social

3a e 5a feira

8 às 11 e 13 às 17

48

120/240

tema principal a ser abordado: estágio em oficinas da região.

Arte-educador

2a feira

8 às 11 e 13 às 17

24

60/120

1a semana: estágio.

Treinador físico

6a feira

8 às 11 e 13 às 17

24

60/120

2a semana: estágio.

Convidados/ Atividade dirigida

4a feira

8 às 11 e 13 às 17

24

60/120

3a semana: estágio. 4a semana: estágio.

56

57 3. modelos de Pro Jetos


curso básico

a atividades detalHadas do Módulo bÁsiCo MêS

Primeiro

ASSUNTO

Direitos e deveres

TEMAS

HORÁRIO

LOCAL

Legislação trabalhista Cidadania Autoestima

8 às 11 ou 13 às 17

Centro Cultural Frida Kahlo

Ética

Respeito Responsabilidade Honestidade

8 às 11 ou 13 às 17

Centro Cultural Frida Kahlo

Terceiro

Participação comunitária

Mobilização Organização Cooperação

8 às 11 ou 13 às 17

Centro Cultural Frida Kahlo

Capacitação Formação escolar Prática

8 às 11 ou 13 às 17

Mercado de trabalho

• Convidados de diferentes áreas afins. obs.: todos os profissionais indicados são pessoas que vivem na comunidade de ... e têm, ao longo dos anos, prestado serviços relevantes à população, participando do processo de melhoria da qualidade de vida da comunidade.

Centro Cultural Frida Kahlo

eQuiPe de assessoraMento tÉCniCo

3a e 4a semanas do 4o mês 1a e 2a do 5o mês Quinto 3a e 4a semana

• Arte-educador; • Treinador físico;

Segundo

Quarto

• Educador social;

Estágio e/ou vivência prática

Revisão e avaliação

8 às 11 ou 13 às 17

• Assessor de apoio; Centro Cultural Frida Kahlo

• Assistente administrativo-financeiro; • Auxiliar de serviços gerais. obs.: Com essa reduzida equipe, compromete-se a prestar assessoria técnica ao projeto e se responsabi-

RECURSOS HUMANOS

lizar por sua execução; são pessoas com comprovada experiência no desenvolvimento comunitário e todas envolvidas com a comunidade de ... .

eQuiPe do CaMPo curso específico • Coordenador (administrador e liderança da comunidade);

RECURSOS MATERIAIS Material Para o Curso esPeCíFiCo

• Mecânico de montain bike;

10 bicicletas do tipo montain bike (18 marchas), 10 câmaras de ar, 20 jets de cores variadas, 40 kits de

• Mecânico de bicicleta de corrida;

chaves allen, 40 kits de chaves de boca, 40 kits de chaves de fenda, 40 alicates, 40 chaves de abrir pneus, 40 chaves de corrente, 40 kits de remendo, 40 bombas de ar, 40 sacos de estopa, 20 latas de solvente, 40

• Professor de matemática;

pares de luva de borracha, 40 máscaras, 20 latas de solvente de graxa, 20 frascos de óleo para corrente,

• Pintor de auto (especialista em jet); jet

120 lixas para ferro, 20 latas de tinner, 40 jalecões.

• Auxiliar de serviços gerais; • Digitador.

Material Para o Curso bÁsiCo 6 caixas de caneta esferográfica, 3 caixas de lápis preto, 3 caixas de borracha, 80 cadernos médios, 7 resmas de papel ofício, 40 folhas de cartolina, 40 folhas de papel manilha, 40 folhas de papel vegetal,

58

59 3. modelos de Pro Jetos


40 réguas, 2 grampeadores, 80 pastas de plástico com elástico, 7 frascos médios de cola, 6 rolos de fita

transPorte

durex, 3 caixas de giz, 2 apagadores, 6 lâmpadas de 60 watts, apostilas, revistas e livros didáticos e 15

TOTAL

R$ 2.800,00

caixas de hidrocor. Total do custo do projeto – R$ 38.490,00

Material Para esCritório 15 resmas de papel Chamex, 2 grampeadores, 1 furador, 3 caixas de grampos, 3 caixas de clipes, 40 pastas suspensas, 6 caixas/arquivos, 10 caixas de disquetes, 3 tubos de cola, 3 rolos de fixador, 40 etiquetas para pastas, tinta para impressora HP660C, 6 bobinas para Fax, 1 caixa de etiqueta para disquete.

ORÇAMENTO (PARA CINCO MESES)

Taxa de administração

– R$ 3.849,60

Bolsa-Auxílio

– R$ 10.000,00

TOTAL GERAL

– R$ 52.339,00

Custo-Benefício – R$ 962,25

reCursos HuManos • Equipe de campo – R$ 2.200,00 x 5 = R$ 11.000,00 • Equipe de apoio – R$ 2.252,00 x 5 = R$ 11.260,00

ACOMPANHAMENTO E AvALIAÇÃO Av o acompanhamento do projeto é a parte mais importante, por isso, já está definido que o coordenador das atividades do campo será um morador da comunidade, com formação razoável e muito conhecimento do

TOTAL

= R$ 22.260,00

local em que mora, e, mais, com disponibilidade para acompanhar todas as atividades de perto. a assessoria técnica será feita diariamente, complementando a parte técnica. sempre que necessário,

Material didÁti Á Co-PedaGóGiCo Áti

principalmente para a formação específica, será utilizada a observação de profissionais gabaritados, da

Curso específico – R$ 3.870,00

rede pública de saúde, em relação ao conteúdo passado.

Curso básico

– R$ 1.800,00

Quanto à avaliação, utilizaremos uma bateria de fichas, aprovadas quanto à sua eficácia, pois já as apli-

Escritório

camos em outros projetos por nós acompanhados. nas fichas, avaliaremos: apreensão dos conhecimentos

R$ 800,00

adquiridos, habilidade técnica, assiduidade, relacionamento, entre outros. os aspectos qualitativos e TOTAL

– R$ 6.470,00

quantitativos serão sempre considerados. o monitoramento e a avaliação diagnóstica, somativa, formativa e de impacto serão sempre utilizados.

Material de ConsuMo

o mais importante a esclarecer é que a avaliação é contínua e permanente – não acontece, portanto,

TOTAL

apenas em determinados períodos – e todas as atividades são avaliadas. assim como todos os envolvidos,

R$ 2.200,00

inclusive os instrutores.

aliMentação TOTAL

R$ 4.760,00

obs.: o alto custo da alimentação recai no fato de que uma turma, que faz o curso básico à tarde, permanece no local até a noite, e janta no decorrer do período. 60

61 3. modelos de Pro Jetos


ROTEIRO PARA APRESENTAÇÃO DO PROJETO: QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL PARA ATUAÇÃO DOS jovens no MercAdo de trAbAlHo, nA áreA de serviços de eMbelezAMento

desde 2003, a Pró-Morato desenvolve projetos de capacitação de jovens para o mundo do trabalho na área de embelezamento. nesse período, foram capacitados 126 jovens, em um salão-escola montado na organização com o apoio e parceria da associação Caminhando Juntos - brasil. os indicadores de inserção desses jovens e, principalmente, as oportunidades de geração de renda, motivam nossa organização a buscar parceiros que possam participar desse processo de transformação social na comunidade de Francisco Morato.

DADOS DO PROJETO

no período de outubro de 2006 a maio de 2007, realizamos, em parceria com o Conselho Municipal da

o projeto será realizado na sede da organização (localizada no Centro de Francisco Morato) que já tem

Criança e do adolescente (CMdCa) de Francisco Morato, o Projeto beleza Jovem i. os resultados nos

o salão-escola em condições para a aplicação teórica e prática do curso, com 30 jovens, na faixa etária

indicam que, de fato, a proposta é efetiva, no que se refere à geração de renda para jovens. identificamos

de 15 a 21 anos.

que há demanda e oportunidades de trabalho, principalmente, nos bairros onde os jovens residem.

a proposta é formar esses jovens para que atuem profissionalmente na área de embelezamento.

Segundo dados da Fundação Seade/2006, Francisco Morato tem 35.140 jovens e, como as demais periferias

ass oficinas específicas de formação na área de embelezamento serão: manicuro, pedicuro, produção visual,

urbanas, a juventude é, em sua maioria, economicamente excluída. essa realidade é facilmente constatada

maquilagem, corte e escova, empreendedorismo e plano de negócios na área de beleza. no período de

por nós, pois muitos jovens chegam, diariamente, à organização, buscando uma oportunidade.

capacitação, será priorizado o atendimento de modelos jovens, no salão-escola, como oportunidade de

Considerando esse contexto e os resultados efetivos da inserção de jovens na área de embelezamento,

embelezamento e também como meio de compartilhar informações com outros jovens do município.

em Francisco Morato, a Pró-Morato busca um parceiro que possa fazer esse investimento e, com certeza,

noo salão-escola haverá um painel para que as jovens compartilhem informações sobre cidadania, serviços

possibilitar a inclusão social de 30 jovens e de suas respectivas famílias.

do município, oportunidades de cursos para jovens, eventos, inscrições em vestibulares, inscrições em escolas públicas, palestras sobre prevenção de DST/Aids dentre outras a serem sugeridas pelos jovens.

obJetivos e resultados Que se Pretende atin a Gir CoM a CaPaCitação ProPosta

oss familiares serão convidados a participar do projeto, nas atividades de formação, informação e outros eventos (concertos, teatro, oficinas temáticas, palestras) oferecidos pela organização.

objetivos específicos

RESULTADOS ESPERADOS

Tipo de Capacitação Proposta

Capacitar 30 jovens (feminino e masculino), para o trabalho em serviços de embelezamento incluindo manicuro, pedicuro, produção visual e cabeleireiro.

30 jovens gerando renda por meio do trabalho na área de embelezamento.

Qualificação profissional que promova a atuação dos jovens no mercado de trabalho, na área de serviços

Favorecer o retorno e/ou a permanência do jovem no ensino formal.

Jovens cursando o ensino formal.

Possibilitar o atendimento de pessoas da comunidade (preferencialmente jovens) em serviços que serão oferecidos no salão-escola do projeto durante a formação dos jovens.

Ampliar a participação da comunidade local na Pró-Morato, por meio da frequência no salão-escola e acesso às informações que serão nele divulgadas.

Possibilitar a formação pessoal dos jovens em um programa de conteúdos e metodologias.

Jovens com competência pessoal desenvolvida e autoestima fortalecida.

Compartilhar informações sobre juventude; oportunidades de serviços de educação e saúde, cidadania e geração de renda, com jovens que venham até o salão-escola.

Os jovens e a comunidade participam das atividades do projeto para além dos serviços de embelezamento.

Incentivar e favorecer a ampliação dos vínculos familiares, com a realização de cinco encontros com os pais.

Pais e jovens com vínculos mais fortalecidos.

de embelezamento. justificativa com Análise do contexto ontexto (descrição clara e sintética das razões que levaram à propo proposição da capacitação, com análise das potencialidades locais ou regionais, a situação do público-alvo e as perspectivas da capacitação proposta em relação ao desenvolvimento pessoal, à inserção social e às possibilidades de trabalho/geração de renda): localizada em Francisco Morato, município da região egião Metropolitana de são são Paulo, a a associação ssociação Cultural Comunitária Pró-Morato é uma onG G que atua com o desenvolvimento comunitário e com a juventude. desde esde sua fundação, em 1998, busca compor projetos articulados com as forças e desafios da juventude moratense. neste este percurso, durante o qual já participaram da organização 2.100 jovens, identificamos oportunidades em diferentes áreas, inclusive em serviços de embelezamento.

62

63 3. modelos de Pro Jetos


público-Alvo

das competências profissionais. a carga horária de formação será de 20 horas semanais, num total de

(informar a idade, escolaridade, origem, especificidades do público a ser capacitado, bem como a quan-

480 horas.

tidade de adolescentes que deseja capacitar.)

Prevemos, também, 40 horas de vivência prática no quinto mês do projeto.

Capacitaremos 30 jovens, na faixa etária de 16 a 21 anos, dos sexos feminino e masculino, com baixa renda familiar e excluídos socialmente, com ensino fundamental completo ou incompleto (com ciclo 1 concluído)

• Metodologia (procedimentos e técnicas utilizados para desenvolver as atividades): a fundamentação pedagógica está baseada, principalmente, na proposta de Paulo Freire. Consideramos as

e que residam em Francisco Morato. • Fontes de recrutamento e critérios para a seleção dos adolescentes: o projeto será divulgado entre os jovens que participam da Pró-Morato, nas escolas públicas de Francisco Morato e nas organizações cadastradas pelo CMdCa e Conselho Municipal de assistência social (CMas) de Francisco Morato.

condições de aprendizagem dos jovens e seu olhar para o mundo a partir de seu contexto social, econômico e cultural; propomos a construção coletiva de conhecimentos, que favoreça a entrada e a permanência do jovem no mundo do trabalho. no primeiro mês do projeto, os jovens elegerão dois líderes, os quais vão atuar integradamente com a equipe (educadores e coordenadora) e participar da co-gestão do projeto.

o processo de seleção será composto por três etapas: avaliação escrita (português e raciocínio lógico), entrevista individual, e assinatura do termo de compromisso. Participarão do processo de seleção a psicóloga, a coordenadora pedagógica e a diretora da Pró-Morato.

• Especificação da vivência prática (carga horária, forma de desenvolvimento e indicação de possíveis parceiros): será realizada vivência Prática a partir do quarto mês do projeto, em salões profissionais, com o total de 40 horas, distribuídas de acordo com a co-gestão dos jovens.

forMAto MAto e conteúdo do curso MA

serão parceiros cinco salões de beleza, localizados no centro de Francisco Morato: beleza da Mulher,

(Cronograma de conteúdos, detalhando as atividades dos módulos com respectivas carga horária semanal

ravaglias Cabeleireiros, Cida Cabeleireira, Cabeleireira neves e Graça Cabeleireira.

e total):

• Especificação das atividades complementares:

a composição curricular do projeto abrangerá: comunicação e expressão, raciocínio lógico, informática e relações interpessoais. integrarão, também, oficinas semanais com a psicóloga da equipe, abordando a temática sobre prevenção à violência doméstica e sexual e também encontros mensais com as educadoras em oficinas sobre sexualidade.

as atividades complementares acontecerão com dois focos: um no município, para que os jovens reconheçam sua cidade e estabeleçam novos vínculos de aproximação e também de identificação de oportunidades. são parceiros: Centro de integração da Cidadania de Francisco Morato, Câmara Municipal, prefeitura, associação dos Pais e amigos dos excepcionais (apae) e santa Casa de Misericórdia.

o cronograma de atividades prevê a participação das jovens nas atividades do dia Global do voluntariado Jovem – de 2008 – e também em outras ações de intervenção, identificadas e sugeridas pelos jovens, na comunidade.

no segundo foco, estão previstas outras quatro, que acontecerão em são Paulo, em locais a serem sugeridos pelos jovens e a equipe. Poderão ser incluídas feiras na área de beleza, exposição na Pinacoteca e no Museu da língua Portuguesa.

os conteúdos e as atividades de formação valorizarão o desenvolvimento da autonomia, da criatividade, da flexibilidade, de valores, da ética, do respeito, da convivência com a diversidade, solidariedade e do trabalho em equipe. essas atividades incluirão aulas diárias na organização, atividades complementares (visitas de estudo) e atividades culturais (museus, exposições, cinema – com ampliação do repertório dos jovens). o projeto será dividido em dois módulos: desenvolvimento das competências pessoais e desenvolvimento

• Horário de realização do curso: das 8 às 12 horas, de segunda a sexta-feira, por um período de seis meses. o projeto será dividido em dois módulos: desenvolvimento das competências pessoais e da competência profissional. a carga horária de formação será de 20 horas semanais e no total de 480 horas.

64

65 3. modelos de Pro Jetos


• Caracterização do local onde será desenvolvido o curso (endereço, breve descrição do local, características do espaço físico e condições de acesso):

ParCeiros envolvidos (citar todos os envolvidos, descrevendo suas atribuições e responsabilidades): prefeitura do município – apoio para alimentação (café-da-manhã e almoço).

o projeto será desenvolvido na sede da Pró-Morato, localizada na rua Progresso, 486, Centro, Francisco Morato (sP), próximo da estação local da Companhia Paulista de trens Metropolitanos (CPtM). o salão está equipado com equipamentos para cabeleireiros, tais como: lavatórios, secadores, tesouras, escovas, espelho, balcão e demais utensílios para serem utilizados nas aulas. ttambém há cadeiras universitárias, quadro de avisos e flip chart.

Empresa Wella – doação de produtos de beleza. instituto Hedging-griffo – remuneração parcial da coordenação. Lojas DonPaco – doação de produtos de limpeza e despesas de custo fixo. Instituto Kaplan – capacitação e supervisão das educadoras para o trabalho sobre prevenção contra

• Informar se o espaço físico e os equipamentos imprescindíveis para o desenvolvimento do curso são próprios ou de parceiros:

DST/Aids e gravidez na adolescência. Rede Nossas Crianças da Fundação Abrinq – discussão e articulação com outros projetos e trabalhos

o salão e os utensílios disponibilizados são de propriedade da organização.

com temáticas afins.

• Composição da equipe capacitadora envolvida no projeto, com as respectivas funções

Instituto Sedes Sapientiae – formação e supervisão da equipe na temática da violência doméstica

QUANTIDADE

CARgO

DESCRIÇÃO DA FUNÇÃO

1

Coordenador

Coordenação das atividades pedagógicas do projeto

1

Educador

Desenvolver conteúdos do núcleo de desenvolvimento das competências pessoais e profissionais.

1

Profissional cabeleireiro para as aulas específicas (manicuro, pedicuro, maquilador e cabeleireiro)

Psicóloga

Oficinas, dinâmicas de grupo e acompanhamento individual dos jovens e famílias, de acordo com as necessidades identificadas

1

Diretora

Gestão do projeto

1

Cozinheira

Preparo das refeições (café da manhã e almoço)

Assistente técnico-administrativo

1

Serviços gerais

instituto brasileiro de ttecnologia Avançada (ibtA) ibt – criação do site da Pró-Morato e divulgação do projeto.

Desenvolver os conteúdos específicos de formação de técnicas profissionais.

1

1

e sexual.

Apoio à administração do projeto Organização e limpeza do espaço físico

66

67 3. modelos de Pro Jetos


PLANILHA ORÇAMENTÁRIA (CUSTOS MENSAIS DO PROJETO,

reCursos FinanCeiros Para 12 Meses

ESPECIFICANDO OS gASTOS MENSALMENTE):

CENTROS DE CUSTOS

CronoGraMa FinanCeiro – MeMória de CÁlCulo CENTROS DE CUSTOS

QUANTIDADE

1. recursos humanos

unitário (r$)

totAl (r$)

totAl (r$)

1. Recursos humanos

13.320,00

2. Material didático-pedagógico

4.320,00

Mensal

1.520,00

13.320,00

3. Uniformes

1.320,00

Educador (módulo específico)

1

720,00

4.320,00

4. Transporte e ingressos para atividades complementares

2.400,00

Educador (módulo básico)

1

650,00

3.000,00

5. Material de consumo

2.570,00

Coordenador (parte)

1

1.200,00

6.000,00

6. Alimentação

7.200,00

4.320,00

7. Outros

2. Material didático-pedagógico

300,00

Cadernos

30

4,00

120,00

8. Despesa de manutenção

Papel sulfite (caixa)

4

95,00

380,00

9. Bolsa

14.400,00

Assinatura de revistas

4

450,00

1.800,00

Total

48.973,00

1 pacote

16,00

16,00

Papel crepom

40

0,40

16,00

Pasta catálogo

30

4,50

135,00

Cartucho para impressora

6

90,00

540,00

1 caixa

30,00

30,00

Cartolina

Pincel atômico Papel vergê

2 pacotes

35,00

70,00

Creme para cabelo

30

6,00

180,00

Tesoura para corte de cabelo

10

40,00

400,00

Máquina de corte

5

60,00

300,00

Máquina de pezinho

5

35,00

175,00

Alicate para unhas

10

12,00

120,00

Envelopes diversos

1 caixa

38,00

3. Uniforme

38,00

1.320,00

Aventais

30

20,00

600,00

Camisetas

60

12,00

720,00

4. Transporte e ingressos para atividades complementares Transporte para atividades complementares

4

600,00 (média)

5. Material de Consumo

3.143,00

CRONOGRAMA FINANCEIRO MENSAL (EM R$) CENTROS DE CUSTOS

1o MêS

2o MêS

3o MêS

4o MêS

5o MêS

6o MêS

TOTAL

1. Recursos humanos

2.220,00

2.220,00

2.220,00

2.220,00

2.220,00

2.220,00

13.320,00

2. Material didáticopedagógico (*)

2.220,00

420,00

420,00

420,00

420,00

420,00

4.320,00

3. Uniformes

1.320,00

4. Transporte e ingressos para atividades complementares (*) 5. Material de consumo (*) 6. Alimentação 7. Outros 8. Despesa de Manutenção

-

-

-

600,00

95,00

95,00

95,00

2.095,00

95,00

95,00

2.570,00

1.200,00

1.200,00

1.200,00

1.200,00

1.200,00

7.200,00

50,00

50,00

50,00

50,00

50,00

50,00

300,00

524,00

524,00

524,00

524,00

523,00

3.143,00

2.400,00

2.400,00

2.400,00

2.400,00

2.400,00

14.400,00

Total

10.029,00

7.509,00

7.509,00

9.509,00

7.509,00

6.908,00

48.973,00

2.400,00

(*) Valores médios

1,00

2.000,00

3,00

150,00

Copo descartável

5

28,00

140,00

Desinfetante

20

3,00

60,00

Detergente

60

1,00

60,00

Guardanapo

20 pct

8,00

160,00

7.200,00 7.200,00

300,00

Tarifas bancárias, correio

300,00

8. Despesa de manutenção

3.143,00

Telefone, água, luz, Internet

3.143,00 34.573,00

Total

2.400,00

2.400,00

2.000

2,00

-

524,00

50 pct

3600

600,00

1.320,00

2.400,00

Papel higiênico

Lanche e almoço

600,00

-

9. Bolsa

Fôlder

7. Outros

600,00

-

1.200,00

2.570,00

6. Alimentação

-

68

69 3. modelos de Pro Jetos


www.Juventude.sP.gov.br

4. fontes de reCursos


s de recurso s e t n o f . 4 .br

ude.sp.gov

www.juvent

A tentativa da Coordenadoria Estadual de Juventude foi reunir, neste material, informações de qualidade e referência para que os municípios “respirem um novo ar” e aprimorem ações e programas em desenvolvimento ou já desenvolvidos. As fichas estão apresentadas em cinco categorias para facilitar a consulta. São elas: Para o jovem, Sociedade civil, Prefeituras, Prefeituras e sociedade civil e Outros. A divisão indica quem pode solicitar os recursos aos financiadores. Desejamos que façam bom proveito e esperamos os resultados desse processo! Atenção: É importante que o gestor, ao identificar-se com um potencial financiador, entre em contato e se informe sobre a melhor forma de apresentar sua proposta. Os contatos das instituições, empresas ou fundações aqui apresentados foram colhidos pela Internet ou telefone no primeiro semestre de 2009. Ao manter contato, sugerimos que o interessado tenha em mente algumas perguntas importantes que podem não ter sido contempladas nas informações, como a existência de um teto para o apoio financeiro e a obrigatoriedade de contrapartida por parte da prefeitura, ONG ou dos próprios jovens.

73


Pronaf Jovem

Requisitos para inscrição Para acessar os recursos do Pronaf, é preciso que o jovem agricultor tenha concluído ou esteja cursando

Natureza da Instituição

o último ano em Centros Familiares Rurais de Formação por Alternância ou em Escola Técnica Agrícola de

Pública, federal

nível médio. Também podem acessar o crédito os jovens que tenham participado de curso ou estágio de

Dados da Instituição

formação profissional com carga horária de cem horas ou mais, voltados a atividades agropecuárias ou

Ministério do Desenvolvimento Agrário/Secretaria de Agricultura Familiar

não agropecuárias e de prestação de serviços no meio rural. Além disso, é necessário obter a Declaração

www.pronaf.gov.br

de Aptidão (DAP), documento que atesta a condição do jovem agricultor como beneficiário do Pronaf,

pronaf@mda.gov.br

ou seja, comprova que o jovem atende aos critérios básicos para enquadramento como beneficiário do

61 2191-9909/9910

crédito rural. A DAP, específica para o Pronaf Jovem, pode ser obtida na Empresa de Assistência Técnica

Setor Bancário Norte – Quadra 1 – Edifício Palácio do Desenvolvimento – Bloco D – 6 Andar

e Extensão Rural do Estado, no Sindicato dos Trabalhadores Rurais ou demais instituições credenciadas

CEP 70057-900 – Brasília - DF – Brasil

para emissão.

PROJETO DESENVOLVIDO

Contrapartida do jovem

Pronaf Jovem

Sim. Efetuar o reembolso em até dez anos, com taxa de 1% ao ano.

o

O programa disponibiliza crédito rural aos filhos de agricultores, enquadrados no Pronaf, com idades entre 16 e 29 anos, que pretendam desenvolver atividades agropecuárias e não agropecuárias no meio rural, gerando renda e melhorando as condições de vida da família. O crédito deve ser direcionado para a criação de animais, aquisição de equipamentos agrícolas e também

Abrangência Brasil

para atividades de turismo rural ou artesanato.

Programa Universidade para Todos (Prouni)

É uma linha de investimento disponível por intermédio do Banco do Brasil, do Banco da Amazônia e do

Natureza da Instituição

Banco do Nordeste do Brasil.

Pública, federal

A quem se destina

Dados da Instituição

Direto para o jovem

Ministério da Educação http://portal.mec.gov.br/prouni/index.php?option=com_content&task=view&id=124&Itemi=140

Tipo de apoio

prouni@mec.gov.br

Financeiro

0800-616161

Áreas de atuação

Esplanada dos Ministérios, Bloco L – CEP70200-670 – Brasília - DF – Brasil

Agricultura, emprego e geração de renda

PROJETO DESENVOLVIDO

Forma de acesso

Programa Universidade para Todos (Prouni)

Apresentação de proposta a qualquer momento. É necessário ter um projeto técnico ou uma proposta

Foi criado em 2004, pela Lei 11.096/2005, e tem como finalidade a concessão de bolsas de estudo inte-

de crédito.

grais e parciais a estudantes de cursos de graduação e de cursos sequenciais de formação específica, em instituições privadas de educação superior.

74

75 4. fontes de rec ursos

para o jovem

para o jovem


o Prouni tem ações conjuntas de incentivo à permanência dos estudantes nas instituições, como a bolsaPermanência, o convênio de estágio MEC/Caixa e o Fundo de Financiamento ao Estudante do Ensino superior (Fies), que possibilita ao bolsista parcial financiar até 100% da mensalidade não coberta pela bolsa do programa.

PROgRAMA DE ESTÁ STÁgIOS DA FUNDAP nAturez A Aturez A Pública, estadual

DADOS DA INSTITUIÇÃO

A QUEM SE DESTINA

secretaria estadual de Gestão Pública

direto para o jovem

www.fundap.sp.gov.br

TIPO DE APOIO

11 3066-5660

Financeiro

rua Cristiano viana, 428 – Cerqueira César – CeP 05411-000 – são Paulo - sP – brasil

ÁREA DE ATUAÇÃO

progrAMA/projeto

educação

ProGraMa de estÁG st ios da FundaP stÁG

FORMA E PERíODO PARA APRESENTAÇÃO DE PROPOSTA a inscrição deve ser feita pelo candidato e os períodos de inscrição são definidos todos os anos pelo MeC.

REQUISITOS PARA INSCRIÇÃO Para concorrer a uma bolsa, o estudante deve participar do exame nacional do ensino Médio (enem), na edição imediatamente anterior ao processo seletivo do Prouni, e obter a nota mínima estabelecida pelo

o objetivo é dar oportunidade ao estudante de ensino médio, superior ou técnico de estagiar no setor público, ampliando a oportunidade de aplicarem os conhecimentos teóricos obtidos em sala de aula; contribuir para a inserção destes no mercado de trabalho e despertar o interesse pela carreira pública.

A QUEM SE DESTINA estudantes de ensinos médio, técnico e superior

MeC. deve, também, possuir renda familiar de até três salários mínimos por pessoa e satisfazer a uma das

TIPOS DE APOIO

seguintes condições: ter cursado o ensino médio completo em escola pública ou em escola privada com

Financeiro, não financeiro, vagas em projetos

bolsa integral da instituição; ter cursado o ensino médio parcialmente em escola pública e parcialmente em escola privada com bolsa integral da instituição; ser pessoa com deficiência; ser professor da rede pública de ensino básico, em efetivo exercício, integrando o quadro permanente da instituição, e estar

ÁREAS DE ATUAÇÃO A emprego e geração de renda

concorrendo a vaga em curso de licenciatura, normal superior ou pedagogia. neste caso, a renda familiar

FORMA E PERíODO PARA APRESENTAÇÃO DE PROPOSTA

por pessoa não é considerada.

seleção pública promovida pela Fundação do desenvolvimento administrativo (Fundap). as inscrições são divulgadas no site.

CONTRAPARTIDA DO JOvEM durante o curso, o bolsista do Prouni deve apresentar aproveitamento acadêmico de, no mínimo, 75% nas

REQUISITOS PARA INSCRIÇÃO

disciplinas cursadas em cada período letivo, sob pena de encerramento da bolsa. em caso de aproveita-

estar cursando ensino médio, técnico ou superior.

mento acadêmico insuficiente, o coordenador do Prouni poderá ouvir o responsável pela(s) disciplina(s) na(s) qual(is) houve reprovação e autorizar, por uma única vez, a continuidade da bolsa.

AbrAngênciA todo o estado

AbrAngênciA brasil

76

77 4. fontes de reC ursos


progrAMA escolA dA fAMíli íliA/ A bolsA-universidAde A/

A QUEM SE DESTINAM Prefeituras, organizações da sociedade civil, escolas estaduais da rede pública de ensino e jovens

nAturez A Aturez A dA instituição

universitários

Pública, estadual

TIPO DE APOIO

DADOS DA INSTITUIÇÃO

Financeiro

Secretaria Estadual de Educação/FDE

ÁREAS DE ATUAÇÃO

http://escoladafamilia.fde.sp.gov.br

Cidadania, cultura, educação, esporte e lazer, qualificação para o trabalho

escoladafamilia@fde.sp.gov.br 0800-7700012

FORMA E PERíODO PARA APRESENTAÇÃO DE PROPOSTA

av. são luiz, 99 – república – CeP 01046-001 – são Paulo - sP – brasil

a apresentação de proposta pode ser feita a qualquer momento.

PROJETOS DESENvOLv OL IDOS OLv

REQUISITOS PARA INSCRIÇÃO

PROGRAMA ESCOLA DA FAMíLIA/BOLSA-UNIvERSIDADE

requerente deve ser escola estadual da rede pública de ensino

o objetivo do programa é abrir as escolas, nos finais de semana, para estimular a disseminação da Cultura de Paz, transformando-as em espaços privilegiados para a convivência das comunidades intra e extraescolares, contribuindo para a promoção do desenvolvimento sustentável das comunidades locais.

AbrAngênciA todo o estado

Com o programa, as escolas transformam-se em verdadeiros centros de convivência, com atividades nas áreas esportiva, cultural, de saúde e de qualificação para o trabalho. as atividades são desenvolvidas aos sábados e domingos, das 9 às 17 horas. Quem realiza essas atividades do Programa escola da Família são universitários egressos da rede pública de ensino do estado em troca de bolsas de estudos concedidas por meio do Programa bolsa-universidade.

progrAMA joveM cidAdão dão / Meu priMeiro trAbAlHo nAturez A Aturez A dA instituição Pública, estadual

as atividades englobam:

DADOS DA INSTITUIÇÃO

esportes – jogos pré-desportivos; jogos populares; brincadeiras; atletismo; esportes coletivos; ginástica e

secretaria do emprego e relações do trabalho

artes marciais. exemplo: xadrez, futebol de salão, pingue-pongue, skate, judô, boxe, taco, entre outros.

http://www.emprego.sp.gov.br/programas/jovemcidadao.html

Cultura – música; teatro; artes plásticas; dança clássica e danças populares/folclóricas; gincanas; feiras;

0800-7707133

leitura; exibição de vídeos/filmes. Exemplo: capoeira, hip-hop, canto coral, gibiteca, mostras de poesia,

rua boa vista, 170 – Centro – CeP 01014-000 – são Paulo - sP – brasil

rádio comunitária, jornal impresso ou eletrônico. saúde – formação de multiplicadores para ações preventivas diversas; palestras e encontros sobre temas variados. exemplo: planejamento familiar, prevenção ao uso indevido de drogas e de doenças sexualmente transmissíveis, primeiros socorros, cuidados na gravidez e puericultura, responsabilidade na criação de animais domésticos. trabalho – informática; idiomas; curso pré-vestibular; cursos básicos de qualificação profissional. Exemplo: noções básicas de Windows, internet, marcenaria, confeitaria, culinária, cerâmica, pintura, aulas de inglês ou espanhol.

PROJETO DESENvOLv OL IDO OLv PROGRAMA JOvEM CIDADãO / MEU PRIMEIRO TRABALHO oferece ao estudante a oportunidade de inserir-se no mercado de trabalho por meio de estágio remunerado, em parceria com empresas e entidades sem fins lucrativos. É administrado pela secretaria do emprego e relações do trabalho juntamente com a secretaria de educação e a secretaria da Ciência, tecnologia e desenvolvimento econômico. o público-alvo são estudantes regularmente matriculados e com frequência efetiva no ensino médio da rede pública estadual da região Metropolitana de são Paulo, com idades entre 16 e 21 anos.

78

79 4. fontes de reC ursos


A QUEM SE DESTINA

oferecidas, gratuitamente, aulas de instrumentos de cordas, cordas de arco, sopros, percussão e canto coral,

diretamente para o jovem estudante de 16 a 21 anos

proporcionando aos alunos o contato com valores implícitos no ensino musical, dentre eles a concentração, a disciplina, o trabalho em grupo, o respeito às diferenças e a apuração da sensibilidade.

TIPO DE APOIO

no Projeto Guri, cada novo integrante opta pelo aprendizado de um instrumento musical. nas aulas são

Financeiro, não financeiro, vagas em projeto

trabalhados os mais variados gêneros musicais, desde canções populares, como músicas folclóricas, até

ÁREAS DE ATUAÇÃO

composições eruditas.

emprego e geração de renda, estágios remunerados

FORMA E PERíODO PARA APRESENTAÇÃO DE PROPOSTA a inscrição do estudante é feita na secretaria da escola que frequenta e no site www.meuprimeirotraba lho.sp.gov.br, que disponibiliza também a inscrição das empresas interessadas no fornecimento de vagas para estágio.

A QUEM SE DESTINA diretamente para o jovem

TIPOS DE APOIO não financeiro e vagas em projetos

ÁREAS DE ATUAÇÃO

REQUISITOS PARA INSCRIÇÃO estudante regularmente matriculado e com frequência efetiva no ensino médio da rede pública estadual da região Metropolitana de são Paulo, com idades entre 16 e 21 anos.

Cidadania e cultura

FORMA E PERíODO PARA APRESENTAÇÃO DE PROPOSTA o jovem deve procurar um dos polos (escolas) mais próximo, acompanhado dos responsáveis, e efetuar a

AbrAngênciA

inscrição na data estipulada.

região Metropolitana de são Paulo

REQUISITOS PARA INSCRIÇÃO ter idade entre 8 e 18 anos e estar regularmente matriculado na rede escolar pública ou privada.

PROJETO gURI

AbrAngênciA

nA nAturez A dA instituição

Hoje já existem 335 polos do Projeto Guri distribuídos em todo o estado.

Pública, estadual

DADOS DA INSTITUIÇÃO secretaria estadual da Cultura

PROgRAMA OFICINAS DE CULTURA

www.projetoguri.org.br

nA nAturez A dA instituição

adriananavarra@gurionline.com.br

Pública, estadual

11 3874-3355 av. Francisco Matarazzo, 682 – Água branca – CeP 05001-000 – são Paulo - sP – brasil

DADOS DA INSTITUIÇÃO Secretaria de Estado da Cultura/Centro de Formação Cultural

PROJETO DESENvOLv OL IDO OLv

www.oficinasculturais.org.br

ProJeto Guri

ouvidoria@assaoc.org.br

o Projeto Guri nasceu em 1995, na secretaria de Cultura do Governo do estado de são Paulo. e, desde

11 2627-8268/8145

2004, é administrado pela organização social de Cultura: associação amigos do Projeto Guri. a missão é

rua Mauá, 59 – CeP 01028-900 – são Paulo - sP – brasil

promover a inclusão sociocultural de crianças e adolescentes, por meio do ensino musical. Para tanto, são

80

81 4. fontes de reC ursos


PROgRAMA vÁ AO CINEMA

PROJETO DESENvOLv OL IDO OLv ProGraMa oFiCinas de Cultura o objetivo do programa é realizar, patrocinar e promover cursos, espetáculos, exposições, conferências, seminários, debates, congressos, conclaves de tipos e natureza diversos, intercâmbio entre profissio-

nA nAturez A dA instituição Pública, estadual

nais e entidades da área de cultura. os jovens interessados têm à disposição oficinas sobre cinema,

DADOS DA INSTITUIÇÃO

videodocumentário, fotojornalismo, formação de dJs, técnica vocal, sapateado, dança afro-brasileira,

secretaria de estado da Cultura

locução, grafite, filosofia, cinema, iniciação às leis de incentivo à cultura, painéis e murais urbanos,

www.apaacultural.org.br

sonoplastia, pintura, interpretação teatral, quadrinhos e uma dezena de outras frentes na área cultural.

renataabbud@apaa.org.br (renata abbud)

Participando das oficinas Culturais, o jovem adquire novos conhecimentos, novas vivências e contato com

11 3263-0111

os mais diversos tipos de linguagens artísticas, técnicas e ideias.

rua Conselheiro ramalho, 538 – bela vista – CeP 01325-000 – são Paulo - sP – brasil

A QUEM SE DESTINA

PROJETO DESENvOLv OL IDO OLv

organizações da sociedade civil

ProGraMa vÁ ao CineMa

diretamente para o jovem

É um programa de formação e fomento voltado para o cinema nacional, cujo objetivo é possibilitar aos alunos e professores da rede pública do ensino médio ingressos gratuitos para salas de cinema do circuito

TIPOS DE APOIO

comercial de sua cidade. o programa, que permite assistir a filmes nacionais inéditos projetados no formato

não financeiro e vagas em projetos

35mm, em sessões abertas também ao público pagante, é uma das ações mais relevantes nas áreas de

ÁREAS DE ATUAÇÃO

difusão cinematográfica e de formação de público do estado de são Paulo.

Cultura e capacitação profissional

A QUEM SE DESTINA

FORMA E PERíODO PARA APRESENTAÇÃO DE PROPOSTA Processo seletivo. o interessado deve fazer uma carta de apresentação e depois passar por entrevista. (sujeito a alteração conforme número de inscritos e oficina oferecida.)

REQUISITOS PARA INSCRIÇÃO dependem dos cursos. informações disponíveis nos Centros Culturais responsáveis pela execução das oficinas culturais e no site.

Jovens e professores do ensino médio da rede pública estadual.

TIPOS DE APOIO não financeiro e ingressos de cinema

ÁREA DE ATUAÇÃO Cultura

FORMA E PERíODO PARA APRESENTAÇÃO DE PROPOSTA

AbrAngênciA Capital, são José do rio Preto, araçatuba, ribeirão Preto, araraquara, são João da boa vista, Presidente

os alunos e professores devem procurar a diretoria da escola ou entrar em contato com salas de cinemas parceiras.

Prudente, Marília, bauru, são Carlos, limeira, Campinas, sorocaba, são José dos Campos, santos e iguape.

REQUISITOS PARA INSCRIÇÃO

na capital, são sete oficinas Culturais, nos bairros de itaquera, brás (em dois endereços), são Miguel

ser aluno ou professor do ensino médio de escolas da rede pública estadual.

Paulista, vila brasilândia, barra Funda e bom retiro. observações: a duração de cada oficina depende da atividade escolhida. embora sejam direcionadas aos jovens, as oficinas também atendem outras faixas etárias. Mas as atividades para este público são amplas.

AbrAngênciA todo o estado de são Paulo. Cada prefeitura deve realizar parceria com as salas de exibição locais. o governo do estado paga os ingressos. o programa já existe em: adamantina, amparo, bariri, boituva, embu, Garça, ibiúna, itatiba, ituverava, Matão, Pederneiras, Pedreira, Penápolis, Presidente venceslau, registro, são Carlos, são João da boa vista, são José da bela vista e são Manuel.

82

83 4. fontes de reC ursos


projeto iAM – iniciAtiv AtivA Ativ tivA joveM AnHeMbi MoruMbi

ÁREAS DE ATUAÇÃO assistência e desenvolvimento social, cidadania, cultura, direitos humanos e justiça social, educação,

nA nAturez A dA instituição

emprego e geração de renda, esporte e lazer, inclusão digital, meio ambiente e saúde

Privada, nacional

FORMA E PERíODO PARA APRESENTAÇÃO DE PROPOSTA

DADOS DA INSTITUIÇÃO

inscrição a qualquer momento na universidade

universidade anhembi Morumbi www.iam.anhembi.br

REQUISITOS PARA INSCRIÇÃO

contatoiam@anhembi.br

Jovens com idades entre 18 e 29 anos, autores de projetos sociais que estejam em desenvolvimento há,

11 3847-3034

no mínimo, um ano. avaliados por um comitê de seleção, os 20 melhores classificados são escolhidos

rua Casa do ator, 294 – 8o andar – vila olímpia – CeP 04546-001 – são Paulo - sP – brasil

para participar da iniciativa.

PROJETO DESENvOLv OL IDO OLv

AbrAngênciA

ProJeto iaM – iniCiativa JoveM anHeMbi MoruMbi

Jovens de todo o estado podem se inscrever, mas o curso é realizado na cidade de são Paulo.

A Anhembi Morumbi lançou-o em março de 2008. O programa integra o Youth Action Net, ação global criada em 2001 pela International Youth Foundation e que, a partir de 2005, passou a ser apoiada também pela laureate international universities, da qual a instituição brasileira faz parte. a universidade anhembi

PROJETO CRESCER

Morumbi foi escolhida pela instituição internacional para expandir o programa no brasil e criar um modelo

nA nAturez A dA instituição

próprio, adequado à cultura do País.

Privada, nacional

a cada ano, o Programa iam seleciona 20 jovens empreendedores para participarem do curso de formação em empreendedorismo social e ter seu projeto reconhecido e apoiado. no período, os jovens recebem bolsa-auxílio no valor de R$ 340,00 por mês, como ajuda de custo para transporte, alimentação e outras despesas. no evento de formatura, que acontece no final do segundo semestre, os jovens que atingirem o aproveitamento esperado são certificados e recebem um prêmio no valor de R$ 2 mil, como incentivo ao desenvolvimento de seus respectivos projetos. as iniciativas premiadas têm acompanhamento e avaliações sistemáticas pelos seis meses seguintes, mantendo-se em contato permanente com o Programa iam.

DADOS DA INSTITUIÇÃO basf www.basf.com.br comunicacao.social@basf.com 11 4347-1574 avenida Ângelo demarchi, 123 – bairro demarchi – CeP 09844-900 – são bernardo do Campo - sP – brasil

o objetivo do programa é, portanto, identificar e apoiar projetos de jovens empreendedores sociais,

PROJETO DESENvOLv OL IDO OLv

estimulando-os a dar continuidade às suas ações, para que possam contribuir com a solução de problemas

ProJeto CresCer

coletivos e promover o fortalecimento de suas comunidades.

Promove a transformação social por meio da profissionalização e da educação dos adolescentes de

A QUEM SE DESTINA

baixa renda, residentes nas comunidades onde a empresa atua. ttambém fornece atividades culturais, empreendedoras e apoio a jovens talentos com interesse em ciência. em 2008 o programa ganhou duas

diretamente para o jovem

novas vertentes: uma empreendedora, com o Crescer empreendedor, e outra voltada para a pesquisa, a

TIPOS DE APOIO

academia de Ciência.

Financeiro, não financeiro, assistência técnica e vagas em projetos

o Projeto Crescer empreendedor conta com a parceria do sebrae, senai, onG tesourinha, real Microcrédito (banco real) e Grupo abC para formar jovens empreendedores com idades entre 17 e 21 anos. o intuito é mostrar aos alunos como lidar com múltiplos problemas e oferecer opções de vida futura que lhes permitam

84

85 4. fontes de reC ursos


descobrir seu potencial para o trabalho. ao longo do ano, passam por cursos profissionalizantes, relativos

tanto prefeituras quanto organizações da sociedade civil. Critérios para patrocínio: Comunidade lo-

às cadeias de valor em que a basf atua, como, por exemplo, pintura e repintura automotiva, confecção

cal – eventos realizados pela comunidade local; Órgãos públicos – eventos realizados nas loca-

em couro e tecido, e podem contar com um espaço criado para auxiliá-los nos primeiros seis meses de

lidades em que a Basf está presente; e Relacionamento – eventos ligados ao ramo de atividade da

andamento do negócio.

empresa. Não serão dados patrocínios/apoio para o mesmo beneficiado, com intervalo inferior

o Projeto Crescer – academia de Ciência tem parceria com o instituto Fernand braudel e foco nos alu-

a 12 meses; a projetos com objetivo religioso ou político ou para esportes de prospecção nacional.

nos do ensino médio, com vocação para a ciência. dessa forma, além de contribuir para a formação de

a basf também doa produtos ou bens duráveis para instituições sociais sem fins lucrativos. são crité-

jovens empreendedores, a empresa também atende às exigências do mercado incentivando a habilitação

rios para doação: solicitação por escrito, em papel timbrado da instituição, com as seguintes informa-

profissional na área de ciências. o programa, iniciado em 2009, atenderá 90 jovens das escolas públicas

ções: razão social, CnPJ, inscrição estadual, endereço completo, nome e telefone para contato, des-

parceiras de Guaratinguetá.

crição do trabalho realizado, número de pessoas atendidas e como será utilizado o material solicitado. o pedido pode ser enviado pelo correio, aos cuidados de basf s.a., departamento de Comunicação social,

A QUEM SE DESTINA Prefeituras, organizações da sociedade civil e diretamente para o jovem

avenida Ângelo demarchi, 123 – são bernardo do Campo - sP – CeP 09844-900. ou, ainda, por e-mail: comunicacao.social@basf.com . após o envio, o contato é feito no período de três semanas.

TIPOS DE APOIO Financeiro, não financeiro, assistência técnica, vagas em projetos, e produtos e equipamentos

ÁREAS DE ATUAÇÃO Cidadania, cultura, educação, emprego e geração de renda e meio ambiente

FORMA E PERíODO PARA APRESENTAÇÃO DE PROPOSTAS edital. são abertas turmas em períodos variados ao longo do ano. Para saber, entre no site. a basf vai também às escolas e comunidades das regiões em que trabalha para anunciar

PROgRAMA FORMAÇÃO ORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA E PROgRAMA EDUCAÇÃO DUCAÇÃO PROFISSIONAL Té TéCNICA DE Nív NívEL Mé MéDIO nA nAturez A dA instituição Privada, nacional, fundação

DADOS DA INSTITUIÇÃO

novas vagas do Projeto Crescer.

Fundação bradesco

REQUISITOS PARA INSCRIÇÃO O jovem deve residir em São Bernardo ou em Guaratinguetá; ter renda média de R$ 300,00 e já ter concluído o ensino médio.

www.fb.org.br ep@fundacaobradesco.org.br – ept@fundacaobradesco.org.br 11 3684-2357/4172 Rua Mário Milani, s/n – vila Yara – Osasco - SP – Brasil

AbrAngênciA a basf dá prioridade a investimentos nas cidades onde atua. no estado de são Paulo, são: Guaratinguetá, Mauá, santo antônio de Posse, são José dos Campos, indaiatuba, são Paulo, são bernardo do Campo. o Projeto Crescer atua hoje nas cidades de são bernardo do Campo e Guaratinguetá.

PROJETOS DESENvOLv OL IDOS OLv ProGraMa ForMação iniCial e Continuada a Fundação bradesco oferece cursos de atualização e qualificação, preparando jovens e adultos com

observações: a basf desenvolve várias outras atividades de responsabilidade social empresarial não

diferentes níveis de escolaridade para a inserção ou permanência no mercado de trabalho.

necessariamente voltadas para a juventude. Critérios para avaliação e aprovação de projetos

os cursos são oferecidos tendo por base a demanda regional e as necessidades da comunidade local,

a basf faz investimentos sociais aprovados pelo comitê de sustentabilidade da empresa. inves-

com programas flexíveis, que permitem alterar a grade curricular de acordo com a realidade do mercado

timento social é toda locação de recursos humanos, técnicos, materiais e financeiros destinados de

de trabalho.

forma voluntária, por parte da empresa, para o benefício público (doações e projetos). são elegíveis

86

87 4. fontes de reC ursos


A QUEM SE DESTINA

A QUEM SE DESTINA

diretamente para o jovem

diretamente para o jovem

TIPOS DE APOIO

TIPOS DE APOIO

não financeiro e vagas em projetos

não financeiro e vagas em projetos

ÁREAS DE ATUAÇÃO

ÁREAS DE ATUAÇÃO

assistência e desenvolvimento social, educação, emprego e geração de renda, esporte e lazer, inclusão

educação, emprego e geração de renda

digital, comunicação, artes, indústria, turismo, tecnologia gráfica, etc.

FORMA E PERíODO DE APRESENTAÇÃO DE PROPOSTA Cadastramento durante o ano todo. Há uma lista de espera e todos são contemplados.

REQUISITOS PARA INSCRIÇÃO

FORMA E PERíODO PARA APRESENTAÇÃO DE PROPOSTA os jovens podem se cadastrar durante o ano todo.

REQUISITOS PARA INSCRIÇÃO varia de acordo com o curso.

depende do curso. em geral, jovem a partir de 16 anos, cursando o ensino médio.

AbrAngênciA

AbrAngênciA

Cursos oferecidos no Estado de São Paulo: Curso Técnico em Gestão – Marília e Osasco; Curso Técnico

No Estado de São Paulo, são oferecidos os seguintes cursos: Comunicação e Artes – Osasco; Gestão Or-

em Informática – Campinas e Osasco; Curso Técnico Agrícola com Ênfase na Cadeia Produtiva da Cana-

ganizacional e Gestão de negócios – cidades onde há escolas da Fundação bradesco (a lista encontra-se

de-açúcar – Campinas e Marília

no site); Imagem Pessoal – nas cidades com escolas da Fundação Bradesco; Indústria Elétrica – Osasco e

observações: a Fundação bradesco oferece, sozinha ou em parceria com outras organizações, diversos

Campinas; Tecnologia Gráfica – Osasco; Informática – Campinas, Registro e Osasco; Lazer e Desenvolvimento

outros cursos e atividades que podem beneficiar jovens no estado de são Paulo. dentre outros, vale citar:

Social (diversos cursos) – cidades com escolas da Fundação Bradesco; Turismo e Hospitalidade – cidades com

programa Adolescente Aprendiz – promove a inserção de jovens no mercado de trabalho, oferecendo-

escolas da Fundação bradesco.

lhes a formação teórica e a oportunidade do primeiro emprego. a partir desse programa, é possível

Observação: a Fundação bradesco observa que os cursos oferecidos influenciam a qualidade de vida

proporcionar ao aprendiz o desenvolvimento profissional e cidadão; a ampliação dos conhecimentos; o

das pessoas, na medida em que elas passam a utilizar os conhecimentos adquiridos para gerar renda,

incentivo no planejamento econômico e de carreira; além de contribuir para a melhoria da renda familiar.

produzindo para a comercialização ou para consumo próprio.

informática para portadores de deficiência visual – além de oferecer treinamento para deficientes visuais em algumas cidades do estado de são Paulo, a Fundação bradesco também oferece gratuitamente

PROJETO DESENvOLv OL IDO OLv ProGraMa eduCação ProFissional tÉCniCa de nível MÉdio a Fundação também oferece cursos técnicos que incluem palestras, videoconferências, visitas técnicas e seminários, além de participação em eventos setoriais, parcerias com universidades, entidades e órgãos de pesquisa, contribuindo para a troca de experiências e práticas coletivas. a premissa desses cursos é não só a inserção dos jovens no mercado de trabalho, por meio de organizações governamentais, empresariais e organizações sem fins lucrativos, mas também propiciar o desenvolvimento

treinamento de multiplicadores de outras instituições para que estas se capacitem a oferecer os cursos por conta própria. Educação de Jovens e Adultos – todas as escolas da Fundação bradesco no estado de são Paulo oferecem recursos para acompanhar os cursos via teleducação. Centros de Inclusão Digital – diversos Centros de inclusão digital espalhados pelo estado de são Paulo são mantidos pela Fundação bradesco e seus parceiros. todos oferecem acesso gratuito à internet para os jovens e os demais membros da população.

do espírito de iniciativa e autonomia, e o encontro de diversas alternativas na busca de trabalho e renda.

88

89 4. fontes de reC ursos


PROgRAMA ESTUDAR

REQUISITOS PARA INSCRIÇÃO Todos os candidatos devem: ser brasileiros (natos ou naturalizados); estar inscritos, ou em processo de aceitação,

nA nAturez A dA instituição

em instituições de alto nível; atender aos pré-requisitos da categoria de bolsa que desejam obter.

Privada, nacional, fundação

bolsas de graduação no brasil – o candidato deve estar matriculado entre o primeiro e o penúltimo ano

DADOS DA INSTITUIÇÃO

do curso em uma universidade que tenha notas “a” consistentes no exame nacional de desempenho dos

Fundação estudar

estudantes (enade), realizado a cada três anos pelo Ministério da educação (MeC) ou nas universidades com conceito máximo no Guia do estudante.

www.estudar.org.br

Graduação no exterior – o candidato deve possuir carta de aceitação na universidade pretendida. o do-

fundacao@estudar.org.br av. nove de Julho, 5.109 – Mezanino – CeP 01407-200 – são Paulo - sP – brasil

cumento não é exigido no ato da inscrição, mas sua apresentação torna-se obrigatória nas fases finais do processo seletivo.

PROJETO DESENvOLv OL IDO OLv

intercâmbio – candidato deve estar matriculado entre o primeiro e o penúltimo ano do curso em uma

ProGraMa estudar

universidade que tenha notas “a” consistentes no enade, realizado a cada três anos pelo MeC. deve

a Fundação estudar é uma instituição sem fins lucrativos que investe no desenvolvimento do brasil por

também possuir a carta de aceitação da instituição local organizadora do programa.

meio do incentivo à educação e à formação de futuros líderes. Para isso, realiza um processo seletivo

O regulamento completo encontra-se em: www.fundacaoestudar.com.br/asp/divulgacao/

meritocrático que permite identificar jovens com potencial para se tornarem líderes em suas áreas de

regulamento_completo.asp?hddIdioma=1

atuação e ajudarem no crescimento do País. uma vez aprovados, esses jovens recebem bolsas de estudo nas melhores instituições de ensino do brasil e no mundo para cursos de graduação e pós-graduação em áreas como administração, economia, engenharia, Políticas Públicas e relações internacionais. ttambém são concedidas bolsas para programas de intercâmbio para cursos nas mesmas áreas. os bolsistas contam com o acompanhamento e o apoio da instituição e de seus parceiros, que durante a vida acadêmica e pós-formatura atuam para garantir o desenvolvimento profissional e pessoal dos estudantes.

AbrAngênciA todo o estado observações: a porta de entrada da Fundação é o processo seletivo, composto de oito etapas consecutivas e eliminatórias e realizado todos os anos para garimpar estudantes com alto potencial intelectual e profissional, excelência acadêmica e profissional, elevado padrão ético, capacidade de liderança e compromisso com o País. o processo seletivo é composto de oito etapas eliminatórias. as fases iniciais (inscrição e provas) são feitas eletronicamente, via web, e as seguintes são presenciais, preferencialmente em são

A QUEM SE DESTINA

Paulo. Caso haja número suficiente de candidatos para a formação de turmas, as etapas presenciais podem

diretamente para o jovem

ocorrer em outras cidades brasileiras, como brasília, belo Horizonte e rio de Janeiro.

TIPOS DE APOIO Financeiro, não financeiro e vagas em projetos

PROJETO FUTURO EM NOSSAS MÃOS ÃOS

ÁREAS DE ATUAÇÃO

nA nAturez A dA instituição

educação, emprego e geração de renda

Privada, nacional

FORMA E PERíODO PARA APRESENTAÇÃO DE PROPOSTAS inscrição. o período varia de acordo com o tipo de bolsa pretendido. É preciso acompanhar os prazos no site.

DADOS DA INSTITUIÇÃO Grupo votorantim http://futuroemnossasmaos.com.br contato@institutovotorantim.org.br

90

91 4. fontes de reC ursos


PROgRAMA CONExÃO ÃO DIRETA COM O FUTURO

11 3167-6677 rua amauri, 286 – 1o andar – CeP 01448-000 – são Paulo - sP – brasil

PROJETO DESENvOLv OL IDO OLv

nA nAturez A dA instituição Privada, nacional

ProJeto Futuro eM nossas Mãos Promove a inclusão social de jovens entre 18 e 24 anos, por meio da qualificação profissional, para inserção no mercado de trabalho em setores ligados à cadeia de negócios do Grupo votorantim. são oferecidos cursos de construção civil, serralheria, entre outros. desenvolvido com apoio do serviço nacional de aprendizagem industrial (senai), do sindicato da indústria da Construção Civil (sinduscon) e das prefeituras das cidades onde é ministrado, o projeto forma jovens desenvolvendo neles habilidades técnicas, de cidadania e de gestão e apoiando sua colocação no mercado

DADOS DA INSTITUIÇÃO instituto nextel www.nextel.com.br kellyavelino@nextel.com.br 11 5524-5613 rua Padre José de anchieta, 677 e 685 – santo amaro – CeP 04742-000 – são Paulo - sP – brasil

de trabalho.

PROJETOS DESENvOLv OL IDOS OLv

os jovens recebem capacitação técnica (habilidades específicas) e conhecimentos de ética, cidadania,

ProGraMa Conexão direta CoM o Futuro

direitos e deveres, trabalho e empreendedorismo, o que lhes confere preparação adicional para os desafios

desenvolve atividades que levam à formação integral do jovem, capacitando-o profissionalmente nas áreas

do mercado de trabalho.

em que a empresa mantenedora do instituto apresenta especialização.

o curso, que tem duração média de 200 horas, também aborda conceitos sobre direitos e deveres do jovem

são abordados temas que reforçam conteúdos do ensino formal relacionados às disciplinas de português e

como cidadão, sobre o emprego de normas e procedimentos de qualidade e segurança e princípios básicos

matemática, além da formação para o atendimento a clientes e técnicas de vendas. em paralelo, engloba

de trabalho em equipe, empreendedorismo e criatividade.

temas atuais por meio de oficinas de discussão que levem a debates e exposição de ideias. as atividades acontecem de segunda a sexta, por quatro horas diárias, no período de seis meses.

A QUEM SE DESTINA

as oficinas modulares são desenvolvidas de maneira independente e também interligadas: teleatendimento

diretamente para o jovem

e televendas, cidadania, informática, reforço de língua portuguesa e matemática.

TIPOS DE APOIO

A QUEM SE DESTINA

não financeiro, vagas em projetos

diretamente para o jovem

ÁREAS DE ATUAÇÃO Cidadania, educação, emprego e geração de renda

FORMA E PERíODO PARA APRESENTAÇÃO DE PROPOSTA inscrição feita diretamente pelo site

TIPOS DE APOIO não financeiro e vagas em projetos

ÁREAS DE ATUAÇÃO assistência e desenvolvimento social, cidadania, educação, emprego e geração de renda e inclusão digital

REQUISITOS PARA INSCRIÇÃO não divulgados. o jovem precisa ligar para o saC (0800 701 9898) e se informar sobre quais unidades do senai oferecem os cursos financiados e qual é o período para inscrição.

AbrAngênciA Cidades onde existem negócios do Grupo votorantim.

FORMA E PERíODO DE APRESENTAÇÃO DE PROPOSTA inscrições feitas pessoalmente no instituto nextel. Para saber a data de abertura, acompanhar pelo site ou ligar para 11 5524-5613. as inscrições para 2010 acontecem entre junho e dezembro de 2009.

REQUISITOS PARA INSCRIÇÃO ter entre 16 e 24 anos.

92

93 4. fontes de reC ursos


AbrAngênciA

FORMA DE ACESSO

Hoje, o instituto nextel está em são Paulo e salvador e a meta é que até o final de 2009, mais de 240

edital divulgado anualmente no site das universidades e no do santander

jovens em são Paulo e mais de cem jovens em salvador estejam formados pelo curso. a terceira filial do instituto nextel, desta vez no rio de Janeiro, tem previsão de atender 35 jovens.

REQUISITOS PARA INSCRIÇÃO os candidatos devem preencher a ficha de inscrição (disponível no site do santander universidades) e entregá-la com os documentos exigidos em sua própria universidade. É importante entrar no site (www.santanderuniversidades.

progrAMA MobilidAde nAcionAl

com.br/site/ies/programamobilidadenacional.jsp) para conhecer as universidades participantes.

nA nAturez A dA instituição

AbrAngênciA

Privada, nacional

nas cidades do estado onde existem campi das universidades que participam do programa.

DADOS DA INSTITUIÇÃO banco santander www.santanderuniversidades.com.br/site/ies/programamobilidadenacional.jsp www.universia.com.br/premiosantander/ 0800-702-3535 rua amador bueno, 474 – santo amaro – CeP 04752-005 – são Paulo - sP – brasil

progrAMA fAz tudo, progrAMA cApAcitA cit ção pArA citA p A eMpregAbilidAde e progrAMA espAço ço belezA nA nAturez A dA instituição Privada, nacional

PROJETOS DESENvOLv OL IDOS OLv ProGraMa Mobilidade naCional

DADOS DA INSTITUIÇÃO

oferece oportunidades de desenvolvimento para estudantes de graduação, com condições socioeconô-

Associação Profissionalizante BM&F Bovespa

micas desfavoráveis e desempenho acadêmico destacado. além de agregar experiência enriquecedora à

www.bmf.com.br/apbmf

formação dos jovens e prepará-los para os desafios do mercado de trabalho, o programa contribui para

apbmf@bmf.com.br

estimular o diálogo e a reciprocidade entre as universidades brasileiras. distribui bolsas de estudo no

11 3229-9033

valor de R$ 2.500,00, por seis meses, para que os alunos realizem intercâmbio cultural em universidades

rua Monsenhor andrade, 331 – brás – CeP 03008-000 – são Paulo - sP – brasil

do norte ao sul do brasil.

PROJETOS DESENvOLv OL IDOS OLv

A QUEM SE DESTINA

ProGraMa Faz tudo

diretamente para o jovem

oferece formação básica para atuação em diferentes setores das áreas de manutenção predial, construção civil e também do comércio ou de serviços.

TIPO DE APOIO

assentamento de blocos e tijolos, colocação de pisos e azulejos, elétrica residencial, hidráulica, carpintaria

Financeiro

de formas, pintura, revestimento de paredes e telhado, são áreas também contempladas.

ÁREA DE ATUAÇÃO

A QUEM SE DESTINA

educação

diretamente para o jovem

TIPOS DE APOIO não financeiro e vagas em projetos

94

95 4. fontes de reC ursos


ÁREAS DE ATUAÇÃO

PROJETO DESENvOLv OL IDO OLv

assistência e desenvolvimento social, cidadania, emprego e geração de renda e inclusão digital

ProGraMa esPaço beleza

FORMA E PERíODO PARA APRESENTAÇÃO DE PROPOSTA entrega de senha, quatro vezes ao ano, para os jovens interessados. a primeira etapa é a inscrição, que é submetida à avaliação para o preenchimento de vagas nos programas. Caso o candidato seja aprovado, será convocado para matrícula por meio de correspondência.

oferece formação básica com sólida conceituação técnica e prepara os jovens para executar serviços em diversos setores da área estética e em cuidados pessoais. Há oficinas de cabeleireiro (corte, penteado, escova e química), manicure e pedicure, maquiagem e automaquiagem, depilação e massagem facial.

A QUEM SE DESTINA diretamente para o jovem

REQUISITOS PARA INSCRIÇÃO Ter entre 15 e 19 anos de idade; estar cursando a sétima série do ensino fundamental do ensino regular

TIPO DE APOIO

ou supletivo, e possuir renda familiar de até três salários mínimos.

não financeiro e vagas em projetos

AbrAngênciA

ÁREA DE ATUAÇÃO

região Metropolitana de são Paulo

Cidadania, educação, emprego e geração de renda e inclusão digital

PROJETO DESENvOLv OL IDO OLv

FORMA E PERíODO PARA APRESENTAÇÃO DE PROPOSTAS

ProGraMa CaPaCitação Para a eMPreGabilidade

entrega de senha, quatro vezes ao ano, para jovens interessados. a primeira etapa é a inscrição, que é

Forma profissionais polivalentes e fornece instrumental prático e básico para que os jovens possam atuar

submetida à avaliação para o preenchimento de vagas. Caso o candidato seja aprovado, será convocado

em funções iniciais de empresas, principalmente na área administrativa ou em vendas.

para matrícula por meio de correspondência.

A QUEM SE DESTINA

REQUISITOS PARA INSCRIÇÃO

diretamente para o jovem

ter entre 15 e 19 anos de idade, estar cursando escola pública, no mínino a sétima série do ensino fundamental, no período noturno, e possuir renda familiar de até três salários mínimos.

TIPOS DE APOIO

AbrAngênciA

não financeiro e vagas em projetos

região Metropolitana de são Paulo

ÁREAS DE ATUAÇÃO Cidadania, educação, emprego e geração de renda e inclusão digital

FORMA E PERíODO PARA APRESENTAÇÃO DE PROPOSTA entrega de senha, quatro vezes ao ano, para jovens interessados. a primeira etapa é a inscrição, que será submetida à avaliação para o preenchimento de vagas. Caso o candidato seja aprovado, será convocado para matrícula por meio de correspondência.

REQUISITOS PARA INSCRIÇÃO Ter entre 15 e 19 anos de idade; estar cursando o ensino médio no período noturno, e possuir renda familiar de até três salários mínimos.

AbrAngênciA região Metropolitana de são Paulo

96

97 4. fontes de reC ursos


Fundo Canadá de Apoio a Iniciativas Locais

relação de nomes, endereços e profissão dos atuais componentes da diretoria. Em caso de reforma ou construção: cópia autenticada de documentos que demonstrem regularidade e posse do terreno e do

Natureza da Instituição

projeto arquitetônico.

Pública, internacional, governo estrangeiro

No site da Embaixada do Canadá, as instituições interessadas podem obter o Guia de Apoio à Elaboração

Dados da Instituição

de Projetos do Fundo Canadá.

Embaixada do Canadá www.canadainternational.gc.ca/brazil-bresil/index.aspx?lang=por

Abrangência

fundocanada@gmail.com

Todo o Estado, prioritariamente as periferias das grandes cidades.

61 3253-7958 Av. das Nações, 803 – Lote 16 – CEP 70410-900 – Brasília - DF – Brasil

PROJETO DESENVOLVIDO

Observação: O teto para cada projeto é de aproximadamente R$ 55 mil.

Tem como objetivos: apoiar o esforço de desenvolvimento econômico e social das comunidades menos

Programa Desenvolvimento & Cidadania Petrobras

favorecidas; estimular a participação ativa e a organização das próprias populações para a solução de seus

Natureza da Instituição

problemas; e fortalecer a atuação de entidades não governamentais e das organizações de representação

Pública, federal

Fundo Canadá de Apoio a Iniciativas Locais

dos interesses dos segmentos menos favorecidos da população. Funciona como um balcão de projetos, a partir das milhares de propostas recebidas. Ocasionalmente, a coordenadoria do fundo procura propostas em setores ou áreas pouco contempladas. São selecionados projetos voltados para o fortalecimento da cidadania de crianças e adolescentes, direitos humanos (mulheres e crianças), saúde, educação, governança e desenvolvimento democrático (projetos estritamente comunitários).

A quem se destina

Dados da Instituição Petrobras www.petrobras.com.br 0800-728-9001 Fax 21 3224-6981 Av. Chile, 65 - Centro – CEP 20031-912 – Rio de Janeiro - RJ – Brasil

Organizações da sociedade civil

PROJETO DESENVOLVIDO

Tipo de apoio

Programa Desenvolvimento & Cidadania Petrobras

Financeiro

Objetiva contribuir para o desenvolvimento local, regional e nacional, gerando a inserção social, digna e

Áreas de atuação

produtiva, de pessoas e grupos que vivem em risco social no Brasil.

Assistência e desenvolvimento social, cidadania, direitos humanos e justiça social, educação, emprego e geração de renda, saúde, governança e desenvolvimento democrático.

As diretrizes são: respeitar a diversidade; priorizar a juventude; buscar a sustentabilidade dos resultados produzidos pelas ações; atuar em sinergia com políticas públicas; realizar ações estratégicas, sistêmicas e multi-institucionais; estimular o protagonismo social, a corresponsabilidade, o associativismo, o

Forma e período para apresentação de proposta

cooperativismo e o trabalho em rede; contribuir para a erradicação do analfabetismo; e colaborar para

Apresentação de proposta a qualquer momento

o desenvolvimento local nas áreas de influência do Sistema Petrobras. As ações estratégicas envolvem:

Requisitos para inscrição

investimento em projetos sociais (nacionais, regionais e locais); repasse de recursos, de forma planeja-

A entidade solicitante deve apresentar cópias do Estatuto Social, da ata de fundação, da publicação

da e monitorada, a iniciativas que promovam a transformação social das comunidades mais excluídas;

no Diário Oficial e do cadastro de Pessoas Jurídicas, da ata da eleição das duas últimas diretorias e a

fortalecimento de redes e organizações sociais; apoio à interação entre os agentes sociais, públicos e

98

99 4. fontes de rec ursos

Sociedade Civil

sociedade civil


privados, para a formação de parcerias e alianças, troca de experiências, produção de conhecimento e

DADOS DA INSTITUIÇÃO

formulação e debate sobre políticas públicas; difusão de informações para a cidadania; e campanhas de

Comgás natural

comunicação dirigidas para mobilizar e influenciar a opinião pública, as organizações sociais e o governo

www.fundocomgas.com.br

para a discussão de temas ligados à cidadania e aos direitos humanos.

11 4504 5343 tbielefeld@comgas.com.br

A QUEM SE DESTINA

rua Medeiros de albuquerque, 95 – sala 1 - vila Madalena – CeP 05436-060 – são Paulo - sP – brasil

organizações da sociedade civil

PROJETO DESENvOLv OL IDO OLv

TIPO DE APOIO

Fundo CoMGÁs de PatroCínio soCioCultural

Financeiro

tem por objetivo estimular a participação social, cultural e econômica, priorizando a geração e a dissemi-

ÁREAS DE ATUAÇÃO

nação de metodologias e tecnologias sociais sustentadas no desenvolvimento humano e no respeito ao

assistência e desenvolvimento social, cidadania, direitos humanos e justiça social, educação, emprego e

meio ambiente. apoia financeiramente projetos de desenvolvimento comunitário – com base em cultura,

geração de renda, inclusão digital e saúde

educação, saúde, meio ambiente e geração de renda - que sirvam de modelo para a sociedade como

FORMA E PERíODO PARA APRESENTAÇÃO DE PROPOSTA edital. anualmente há editais para seleção de projetos de organizações da sociedade civil em áreas distintas. É preciso acompanhar o site da Petrobras ou o site do Programa Desenvolvimento & Cidadania (www2. petrobras.com.br/minisite/desenvolvimento_cidadania) para saber quando serão iniciadas as inscrições para a próxima seleção pública de projetos.

um todo, ao realizarem seus propósitos com excelência, promoverem a reflexão sobre seus processos e resultados atingidos e enriquecerem o intercâmbio de conhecimentos no terceiro setor. o Fundo é exclusivamente destinado a projetos baseados em metodologias sociais que, simultaneamente e de forma participativa, permitam: promover a atuação sociocultural e a autonomia de crianças e jovens; democratizar a circulação de conhecimento e cultura; realizar com excelência ações socioculturais geradoras de oportunidades de aprendizado, respeitando e promovendo a diversidade e as liberdades culturais;

REQUISITOS PARA INSCRIÇÃO

contribuir para o desenvolvimento social sustentável de comunidades, considerando boas ideias como

variam conforme os editais

patrimônio intelectual público.

AbrAngênciA

A QUEM SE DESTINA

todo o estado

organizações da sociedade civil

observações: o programa tem como meta atender quatro milhões de pessoas diretamente e outros 14

TIPO DE APOIO

milhões indiretamente, em todo o território nacional, e pretende alcançar ainda, com ações de comunicação

Financeiro

e difusão da cidadania, outros 27 milhões de pessoas. a Petrobras também financia projetos nas áreas de esporte, cultura e meio ambiente.

ÁREAS DE ATUAÇÃO Cultura, educação, emprego e geração de renda, meio ambiente e saúde

FUNDO COMgÁS ÁS DE PATROCííNIO SOCIOCULTURAL nA nAturez A dA instituição

FORMA DE ACESSO edital lançado anualmente

REQUISITOS PARA INSCRIÇÃO

empresa privada, nacional

Projetos habilitados conforme o artigo 18 da Lei Federal de Incentivo à Cultura (Lei 8.313/91) em uma das sete áreas listadas a seguir e de acordo com o regulamento do Fundo disponível em www.fundocomgas.

100

101 4. fontes de reC ursos

Sociedade civil


com.br/regulamento. As áreas são: Teatro, dança, circo, mímica e outras expressões de artes cênicas;

A QUEM SE DESTINA

Produção de obras cinematográficas e videofonográficas de curta e média metragem e preservação e

organizações da sociedade civil

difusão do acervo audiovisual; Música erudita ou instrumental; Exposições e circulação de artes visuais; Preservação do patrimônio cultural material e imaterial; Livros de valor artístico, literário ou humanístico ou outros empreendimentos classificados na área de humanidades; Artes integradas.

TIPOS DE APOIO Financeiro, não financeiro e assistência técnica

ÁREA DE ATUAÇÃO

AbrAngênciA Municípios que fazem parte da área de concessão da Comgás. lista disponível em www.fundocomgas.

assistência e desenvolvimento social, cultura, educação, esporte e lazer e meio ambiente

FORMA E PERíODO PARA APRESENTAÇÃO DE PROPOSTA

com.br/municipios

apresentação de proposta a qualquer momento

REQUISITOS PARA INSCRIÇÃO

INvESTIMENTO SOCIAL

Cadastrar-se no site da Gerdau, enviar o projeto seguindo os requisitos indicados e aguardar contato.

nA nAturez A dA instituição

AbrAngênciA

Privada, nacional

Cidades onde existam unidades de negócios da Gerdau.

DADOS DA INSTITUIÇÃO

Observação: a Gerdau busca ampliar a abrangência dos projetos sociais que apoia por meio da mobilização

instituto Gerdau

de seus colaboradores, clientes, fornecedores, comunidades, Poder Público e instituições sociais.

www.gerdau.com.br vivian.okuda@gerdau.com.br 11 3094 4205 av. das nações unidas, 8.501– 6o andar – CeP 05425-070 – são Paulo - sP – brasil

seleção eleção de projetos do instituto WAl-MArt nA nAturez A dA instituição

PROJETO DESENvOLv OL IDO OLv

Privada, nacional

investiMento soCial estimula a difusão do conhecimento, potencializando a capacidade transformadora das pessoas de gerar

DADOS DA INSTITUIÇÃO

um ambiente de crescimento no entorno das unidades da Gerdau.

instituto Wal-Mart

a prioridade é apoiar projetos que atendam a organizações sociais carentes, geridas por empreendedores

www.iwm.org.br

sociais idôneos, com razoável organização e que se dediquem à infância e à juventude.

briwmedital@wal-mart.com

os focos de atuação da Gerdau são: Qualidade na educação – contribui, por meio de programas, para a

11 3032-1108 – Fax: 11 3032-1108

melhoria da gestão das instituições de ensino público e a capacitação dos educadores; Educação para o

rua itamirindiba, 1 – Pinheiros – CeP 05429-060 – são Paulo - sP – brasil

empreendedorismo e Competitividade – fomenta o espírito empreendedor e desenvolve talentos capazes de gerar riqueza para a comunidade; Educação pela Cultura e o Esporte - promove a educação e a inclusão social por meio da cultura e do esporte; Educação Ambiental – amplia a consciência da sociedade para uma relação sustentável com o meio ambiente. Mobilização solidária – promove ações sociais que atendam a necessidades pontuais das comunidades, mobilizando os colaboradores e demais agentes da sociedade.

PROJETO DESENvOLv OL IDO OLv seleção de ProJetos do instituto Wal-Mart investe recursos financeiros em iniciativas da sociedade que contribuam para o desenvolvimento local de forma sustentável, apoiando projetos de formação profissional para jovens e geração de renda em regiões nas quais a instituição atua. Por um período de dois anos, os beneficiários são capacitados para seguir

102

103 4. fontes de reC ursos

Sociedade civil


progrAMA novos brAsis

seus trabalhos de forma autônoma. as atividades são definidas pelas organizações sociais inscritas na seleção anual, podendo variar de um ano para outro. alguns projetos já contemplados trabalharam nas seguintes áreas: desenvolvimento econômico – projetos de geração de renda, fortalecimento de cooperativas e associações produtivas de economia popular; Desenvolvimento cultural – arte; artesanato; Desenvolvimento social e meio ambiente.

nA nAturez A dA instituição Privada, nacional

DADOS DA INSTITUIÇÃO oiFuturo

A QUEM SE DESTINA

www.oifuturo.org.br

organizações da sociedade civil

faleconosco@oifuturo.org.br

TIPO DE APOIO

21 3131-3060

Financeiro

rua dois de dezembro, 107 – 5o andar – Flamengo – CeP 22220-040 – rio de Janeiro - rJ – brasil

ÁREAS DE ATUAÇÃO

PROJETO DESENvOLv OL IDO OLv

assistência e desenvolvimento social, cidadania, cultura, educação, emprego e geração de renda e meio ambiente

ProGraMa novos brasis

FORMA E PERíODO PARA APRESENTAÇÃO DE PROPOSTA edital. acompanhar o site da instituição e ficar atento às datas.

o objetivo é desenvolver, apoiar e reconhecer ações educacionais e culturais que promovam o desenvolvimento humano, utilizando tecnologias da comunicação e informação. a seleção tem como foco o desenvolvimento de tecnologias sociais que possam ser replicadas por outras organizações sociais.

REQUISITOS PARA INSCRIÇÃO

são valorizados critérios como inovação, criatividade, capacidade de diagnosticar a comunidade atendida

os projetos sociais devem focar os eixos mencionados – desenvolvimento econômico, social e cultural – de

e de monitoramento do trabalho realizado. o oi Futuro apoia projetos de terceiros, estabelece parcerias e

preferência integrando os três; Envolver populações e famílias vulneráveis socialmente, especialmente as

desenvolve programas próprios nas áreas de difusão do conhecimento. acompanha de perto a aplicação

lideradas por mulheres. as organizações proponentes devem ser organizações da sociedade civil sem fins

de cada iniciativa parceira, monitora sua evolução e disponibiliza metodologias e experiências acumuladas

lucrativos e legalmente constituídas. os projetos devem ter a duração de 24 meses e demonstrar sua capa-

com seus programas e outros projetos que vem apoiando.

cidade de sustentabilidade socioambiental. Os orçamentos dos projetos devem ter um teto de R$ 250 mil, no período citado, e incluir: – recursos para custeio: recursos humanos diretamente envolvidos no projeto, despesas de apoio, comunicação, materiais didáticos e de apoio, avaliação do projeto e tributos; – Recursos

A QUEM SE DESTINA organizações da sociedade civil

para investimento no projeto: equipamentos e infraestrutura. Para participar, as instituições devem apre-

TIPOS DE APOIO

sentar, nos prazos previstos, o projeto e os seguintes documentos obrigatórios: Cópia do cartão do CNPJ;

Financeiro, não financeiro e assistência técnica

Cópia autenticada do estatuto da organização e da última ata de eleição de diretoria; Balanço financeiro do ano anterior.

ÁREAS DE ATUAÇÃO Cidadania, cultura, educação e inclusão digital

AbrAngênciA são Paulo, osasco, Guarulhos, são bernardo do Campo, santo andré, são Caetano do sul, barueri, taboão t da serra, Cotia, Jandira, Campinas, são José dos Campos, sorocaba, ribeirão Preto, são José do rio

FORMA E PERíODO PARA APRESENTAÇÃO DE PROPOSTA edital lançado anualmente

Preto, Franca, bauru, limeira, Mogi-Guaçu, araras, Piracicaba e americana.

104

105 4. fontes de reC ursos

Sociedade civil


REQUISITOS PARA INSCRIÇÃO

ÁREAS DE ATUAÇÃO

os requisitos para participar encontram-se no regulamento da seleção de projetos disponível no site do oi-

Cidadania, cultura, direitos humanos e justiça social, educação e saúde

Futuro. todas as organizações candidatas devem preencher o formulário do programa por meio do site.

AbrAngênciA

FORMA E PERíODO PARA APRESENTAÇÃO DE PROPOSTAS edital. anualmente, entre os meses de outubro e dezembro

todo o estado de são Paulo

REQUISITOS PARA INSCRIÇÃO Podem participar pessoas jurídicas não governamentais, de direito privado e sem fins lucrativos, políticos

SELEÇÃO ELEÇÃO ANUAL DE PROJETOS nA nAturez A dA instituição

ou religiosos. interessados devem preencher o formulário (disponível no site da Fundação) em conformidade com as regras apresentadas no regulamento.

AbrAngênciA

Pública, internacional

todo o estado de são Paulo

DADOS DA INSTITUIÇÃO brazil Foundation

PROJETOS SOCIAIS

www.brazilfoundation.org info@brazilfoundation.org

nA nAturez A dA instituição

21 2532-3029 / 2998 av. Calógeras, 15 – 13o andar – CeP 20030-070 – rio de Janeiro - rJ – brasil

Pública, federal

DADOS DA INSTITUIÇÃO

PROJETO DESENvOLv OL IDO OLv

eletrobrás

seleção anual de ProJetos a brazil Foundation é uma organização não governamental que oferece apoio financeiro e técnico às iniciativas de organizações da sociedade civil brasileiras que atuam nas áreas de educação, saúde, direitos humanos, cidadania e cultura, com potencial de transformar a realidade social. a fundação busca projetos com soluções criativas e efetivas, que possam se tornar referência e que sejam capazes de influenciar políticas públicas de longo prazo.

www.eletrobras.com.br prri@eletrobras.com comunicacao@eletrobras.com 21 2514-5151/ 5900/ 5920 / 4538 avenida Presidente vargas, 409 – 13o andar – Centro – CeP 20071-003 – rio de Janeiro - rJ -brasil

atua em todas as regiões do País por meio de cinco programas: seleção anual de projetos – para apoio

PROJETOS DESENvOLv OL IDOS OLv

financeiro e técnico a organizações da sociedade civil; Monitoramento e avaliação – acompanha a aplica-

ProJetos soCiais

ção dos recursos investidos nos projetos apoiados; Capacitação de gestores sociais – dá suporte técnico

Contribuem com soluções para os problemas sociais que afetam os segmentos populacionais em situação

continuado com o objetivo de qualificar as organizações apoiadas e seus líderes; Banco de projetos – nele,

de risco social. dessa forma, a eletrobrás destina recursos financeiros ao apoio e desenvolvimento de

os doadores encontram organizações sólidas e eficientes para apoiar; Doação recomendada – canal seguro

projetos sociais, prioritariamente, nas seguintes linhas de atuação: Geração de emprego e renda; Educação

que permite os doadores residentes nos eua apoiar causas e projetos no brasil.

e qualificação profissional para jovens e adultos. os temas transversais são: gênero, igualdade racial, comunidades tradicionais e rurais, direitos humanos e

A QUEM SE DESTINA

combate à discriminação, garantia dos direitos da criança e do adolescente, agricultura familiar, promoção

organizações da sociedade civil

da cidadania, educação ambiental.

TIPOS DE APOIO Financeiro, não financeiro e assistência técnica

106

107 4. fontes de reC ursos

Sociedade civil


A QUEM SE DESTINA

PROJETO DESENvOLv OL IDO OLv

organizações da sociedade civil

FUNDO ITAú DE ExCELÊNCIA SOCIAL Fundo de investimentos que destina recursos à organizações com boas práticas na área social e que

TIPO DE APOIO

demonstrem capacidade de gestão para sustentabilidade política, financeira e técnica.

Financeiro

reconhece e estimula o trabalho de organizações não governamentais e investe em programas sociais

ÁREAS DE ATUAÇÃO

de cunho educacional. as atividades são definidas pelas organizações sociais inscritas na seleção anual.

assistência e desenvolvimento social, cidadania, direitos humanos e justiça social, educação, emprego e

em 2009, o tema é educação e os programas a serem selecionados deverão ter pelo menos um ano de

geração de renda, meio ambiente e saúde

atuação nas seguintes áreas: educação ambiental – conscientiza crianças e adolescentes de 6 a 17 anos

FORMA E PERíODO PARA APRESENTAÇÃO DE PROPOSTA apresentação de proposta a qualquer momento. organizações interessadas devem preencher o formulário de apresentação de projetos seguindo as instruções no site da eletrobrás.

REQUISITOS PARA INSCRIÇÃO Estar incluído nas Diretrizes da Responsabilidade Social da Eletrobrás, aprovadas por resolução específica; Respeitar a missão, os valores e as estratégias corporativas da Eletrobrás; Estar alinhado com as políticas

e promove conhecimentos necessários para a preservação e melhoria da qualidade ambiental, com ações realizadas por organizações registradas nos Conselhos Municipais dos direitos da Criança e do adolescente (CMDCAs) de suas cidades; Educação para o Trabalho – prepara adolescentes e jovens de até 24 anos para a inserção no mercado de trabalho.

A QUEM SE DESTINA organizações da sociedade civil

públicas do governo federal e com os pressupostos das Metas de desenvolvimento do Milênio e do Pacto

TIPO DE APOIO

Global, da organização das nações unidas (onu).

Financeiro, não financeiro e assistência técnica

AbrAngênciA

ÁREA DE ATUAÇÃO

todo o estado de são Paulo

educação

FORMA E PERíODO PARA APRESENTAÇÃO DE PROPOSTA

fundo itA t ú de excelênci tA xcelênciA sociAl

edital. lançado anualmente, normalmente no mês de agosto.

nA nAturez A dA instituição

REQUISITOS PARA INSCRIÇÃO

empresa privada, nacional

Podem participar da seleção as organizações que preencham, cumulativamente, os seguintes requisitos: não possuam fins lucrativos; tenham sido constituídas no Brasil, de acordo com a legislação brasileira,

DADOS DA INSTITUIÇÃO

e com sede no território nacional; estejam adimplentes com suas obrigações fiscais; sejam responsáveis

Fundo itaú de excelência social (Fies)

diretas por um programa social relacionado ao tema educação, iniciado antes de 1o de agosto de 2007;

www.itau.com.br/fies/index.htm

formalizem corretamente, no prazo estabelecido, a sua inscrição. outros requisitos encontram-se no

fies@itau-unibanco.com.br

regulamento do Fies, disponível no site do Fundo.

11 5029-1984 av. eng. armando de arruda Pereira, 707 – 11o andar – Itaú Unibanco – Wealth Management & Services – Torre

AbrAngênciA

eudoro villela – Jabaquara – CeP 04344-902 – são Paulo - sP – brasil

todo o estado de são Paulo

108

109 4. fontes de reC ursos

Sociedade civil


bolsA de vAlores sociAis e AMbientA bient is (bvs&A) bientA

de álcool, bem como a orientação e tratamento da gravidez e de doenças sexualmente transmissíveis em adolescentes e jovens. oferece acolhimento de crianças, adolescentes e jovens portadores de patologias

nA nAturez A dA instituição

de longo tratamento e desenvolve programas de formação de agentes de saúde

Privada, nacional

A QUEM SE DESTINA

DADOS DA INSTITUIÇÃO BM&F - Bovespa de Responsabilidade Social e Ambiental

organizações da sociedade civil

www.institutobmfbovespa.org.br

TIPO DE APOIO

11 3233-2873

Financeiro

rua 3 de dezembro, 38 – 5o andar – Centro – CeP 01014-020 – são Paulo - sP – brasil

ÁREAS DE ATUAÇÃO

PROJETOS DESENvOLv OL IDOS OLv

Cidadania, cultura, direitos humanos e justiça social, educação, emprego e geração de renda, inclusão

BOLSA DE vALORES SOCIAIS E AMBIENTAIS (BvS&A)

digital, meio ambiente e saúde

o objetivo do instituto é estabelecer um ambiente de criação de valores, privilegiando projetos que mereçam ser apoiados, de forma transparente e confiável. Para tanto, a bovespa e suas corretoras associadas apresentam a carteira de projetos sociais e ambientais listados na BvS&A e buscam atrair recursos. São analisados projetos na área de educação, voltados ao atendimento direto de crianças, adolescentes e

FORMA E PERíODO PARA APRESENTAÇÃO DE PROPOSTA apresentação de proposta. as organizações interessadas em se candidatar devem preencher e enviar para a BvS&A a ficha de inscrição, disponível no site.

jovens na faixa etária de 0 a 24 anos. as áreas temáticas para os jovens são: Educação Cultural – res-

REQUISITOS PARA INSCRIÇÃO

gate e valorização da identidade cultural local, conhecimento e respeito às formas de manifestações de

Para que as ONGs sejam listadas na BvS&A são critérios mínimos: Serem brasileiras, constituídas legal e

expressão. Formação de centros culturais e de convivência por meio de teatro, dança, música, circo, artes

juridicamente há pelo menos três anos e possuírem sede em território nacional; Serem organizações não

plásticas e criação de bibliotecas comunitárias. desenvolvem projetos auto-sustentáveis de restauro e de

governamentais sem fins lucrativos do terceiro setor

preservação do patrimônio cultural, a partir da formação e capacitação da comunidade local. organizam

AbrAngênciA

projetos que estimulam a atuação dos jovens na vida social e cultural da cidade, a integração de gerações e o voluntariado. Educação para Capacitação Profissional – desenvolvimento de competências,

todo o estado de são Paulo

habilidades e atitudes necessárias à qualificação profissional e educação visando a empregabilidade e

observações: depois de analisados e aprovados, os projetos são listados no site www.bovespasocial.org.

o empreendedorismo. Criam projetos de capacitação para o uso de tecnologias digitais, de gestão, de

br, no qual o público pode escolher aqueles com os quais deseja contribuir, por meio de cartão de crédito

técnicas de produção, entre outras. Educação para Cidadania – desenvolvimento humano e social vi-

ou boleto bancário, e acompanhar o andamento do processo, garantindo transparência ao processo.

sando à melhoria da convivência em espaços comunitários e que estimulem a conscientização de crianças, jovens e adolescentes em relação aos seus direitos e deveres civis, assumindo uma postura positiva em relação ao meio que os cerca. Educação Especial – voltados aos portadores de necessidades especiais.

APOIO A PROJETOS

incluem formação escolar, capacitação para o trabalho, orientação e apoio terapêutico para responder às

nA nAturez A dA instituição

dificuldades específicas, tornando possível a proteção ou inclusão na sociedade. Educação para Compe-

Privada, nacional

tência em leitura e escrita – promovem melhor qualificação no desempenho educacional de crianças, adolescentes e jovens por meio de atividades que privilegiam a formação leitora e escritora. organizam e incrementam bibliotecas comunitárias, projetos de produção de textos, de inclusão digital e uso de novas tecnologias como meio de democratizar o acesso ao conhecimento. educação para a saúde – voltados à promoção da saúde. envolvem projetos de nutrição, prevenção e tratamento de dependentes químicos e

DADOS DA INSTITUIÇÃO Instituto C&A www.institutocea.org.br instituto@institutocea.org.br alameda araguaia, 1.222 – CeP 06455-000 – barueri - sP – brasil

110

111 4. fontes de reC ursos

Sociedade civil


PROJETO DESENvOLv OL IDO OLv

DADOS DA INSTITUIÇÃO

aPoio a ProJetos

instituto Hedging-Griffo

O Instituto C&A apoia projetos de Organizações da Sociedade Civil (OSC). Realiza operações que atuam

www.institutohg.org.br

na promoção da educação de crianças e adolescentes. organiza suas atividades em torno de três áreas:

instituto@cshg.com.br

Educação, arte e cultura, com o Programa Prazer em Ler e o Programa Educação Integral; Desenvolvimento

11 3704-8589

institucional e comunitário; Mobilização social.

av. Juscelino Kubitschek, 1.830 – torre iii – 7o andar – CeP 04543-900 – são Paulo - sP – brasil

A QUEM SE DESTINA

PROJETO DESENvOLv OL IDO OLv

organizações da sociedade civil

MerCado JoveM investe recursos financeiros em organizações para capacitar jovens de 15 a 24 anos com o objetivo de

TIPOS DE APOIO Financeiro, não financeiro, assistência técnica e material de apoio e seminários para troca de experiências

inseri-los no mercado de trabalho e promover o desenvolvimento de seu potencial para novas habilidades e competências profissionais.

ÁREAS DE ATUAÇÃO

as organizações recebem o recurso ao longo de um ano para o desenvolvimento do projeto e o iHG contribui

assistência e desenvolvimento social, cidadania, cultura e educação

com orientação técnica sobre as atividades pedagógicas e formativas.

FORMA E PERíODO PARA APRESENTAÇÃO DE PROPOSTA

A QUEM SE DESTINA

apresentação de proposta. as osC devem acompanhar o site do Instituto C&A (www.institutocea.org.br), que

organizações da sociedade civil

geralmente recebe propostas entre outubro e dezembro e apresentar o projeto em uma das três áreas mencionadas.

TIPOS DE APOIO Financeiro, não financeiro e orientação técnica

REQUISITOS PARA INSCRIÇÃO o projeto deve atuar na promoção da educação de crianças e adolescentes e estar situado em cidades ou regiões metropolitanas onde a empresa C&A opera. Os editais para apresentação de propostas incluem

ÁREAS DE ATUAÇÃO educação, emprego e geração de renda

FORMA E PERíODO PARA APRESENTAÇÃO DE PROPOSTA

outras informações.

as organizações devem preencher questionário disponível no site do iHG. o processo seletivo é anual.

AbrAngênciA dentre os municípios do estado de são Paulo estão: araraquara, barueri, bauru, Campinas, Carapicuíba,

REQUISITOS PARA INSCRIÇÃO

Franca, Guaratinguetá, Guarulhos, itu, Jundiaí, limeira, Mauá, Mogi das Cruzes, osasco, Piracicaba, Praia

os projetos são avaliados segundo critérios predefinidos por um comitê misto formado pela equipe técnica

Grande, Presidente Prudente, ribeirão Preto, rio Claro, santa bárbara d’oeste, santo andré, santos, são

do iHG, funcionários da empresa Credit suisse Hedging-Griffo, profissionais atuantes no terceiro setor e

bernardo do Campo, são Carlos, são José do rio Preto, são José dos Campos, são Paulo, são vicente,

na área de recursos humanos.

suzano, ttaboão da serra, ttaubaté e votorantim

AbrAngênciA todo o estado

MERCADO JOvEM

Observação: são realizadas visitas aos projetos e há contato permanente com a coordenação pedagógica. após um ano, é realizada uma avaliação.

nAturez A Aturez A dA instituição Privada, nacional

112

113 4. fontes de reC ursos

Sociedade civil


CRIANDO vALORES

APOIO A PROJETOS

nA nAturez A dA instituição

nAturez A Aturez A dA instituição

Privada, nacional

Privada, nacional

DADOS DA INSTITUIÇÃO

DADOS DA INSTITUIÇÃO

instituto azzi

united Way brasil

www.institutoazzi.org.br

www.acjbrasil.org.br

institutoazzi@institutoazzi.org.br

fernanda@unitedwaybrasil.org.br

11 5539-3949

11 3845-1170

rua Correia dias, 184 – Conjunto 93 – Paraíso – CeP 04104-000 – são Paulo - sP – brasil

rua Comendador Miguel Calfat, 128 – salas 801 e 802 – vila olímpia – CeP 04537-080 – são Paulo - sP – brasil

PROJETO DESENvOLv OL IDO OLv

PROJETOS DESENvOLv OL IDOS OLv

Criando valores

aPoio a ProJetos

o instituto azzi atua como intermediário entre investidores e organizações da sociedade civil. identifica

a united Way brasil (uWb) é uma organização social sem fins lucrativos, que atua captando recursos

projetos de excelência relacionados às causas sociais que sensibilizam cada um dos potenciais investidores,

(financeiros e materiais) de empresas e de seus funcionários para investir em projetos de instituições

monitora o investimento realizado e executa a prestação de contas e mensuração do impacto gerado. apoia

sociais voltados à educação, desenvolvimento comunitário e capacitação de jovens, com o propósito de

todos os tipos de organização de cunho social, envolvidas com as mais diversas áreas de atuação.

incluí-los no mercado de trabalho. apoia diferentes projetos de organizações sociais de base comunitária. além de gerenciar investimento em dinheiro, a uWb desenvolve um programa de voluntariado, que,

A QUEM SE DESTINA

por meio de cursos e atividades educativas, integra os funcionários das empresas associadas com os

organizações da sociedade civil

jovens dos projetos apoiados e estimula a atuação em prol de suas comunidades. a instituição realiza:

TIPO DE APOIO

Apoio a projetos de educação, juventude e geração de renda – selecionados periodicamente com

Financeiro

a premissa básica de que foquem na capacitação de jovens. Fortalecimento de ONgs de base comunitária – exerce suas atividades nas comunidades; identifica, apoia, sistematiza e divulga competências

ÁREAS DE ATUAÇÃO assistência e desenvolvimento social, cidadania, cultura, direitos humanos e justiça social, educação, emprego e geração de renda, esporte e lazer, inclusão digital, meio ambiente, saúde e infraestrutura

para outras onGs, enfatizando as melhores práticas de capacitação de jovens, para que possam ser disseminadas. sempre devem estar alinhadas às políticas públicas de juventude. Programa de voluntariado Corporativo – as atividades propõem a dedicação de funcionários às atividades de educação e

FORMA E PERíODO PARA APRESENTAÇÃO DE PROPOSTAS

aprimoramento da formação dos jovens beneficiários, bem como o trabalho dos jovens pela comunidade.

apresentação de proposta. a qualquer momento

programa bolsas culturais – apoio financeiro a jovens engajados nos projetos, para cobrir despesas de transporte e viabilizar sua participação nos cursos de qualificação profissional. Parte da bolsa (20%)

REQUISITOS PARA INSCRIÇÃO Preencher formulário para cadastro no instituto azzi e enviá-lo para bancodedados@institutoazzi.org.br

deve ser aplicada em atividades culturais.

A QUEM SE DESTINA

AbrAngênciA

organizações da sociedade civil

Grande são Paulo e litoral paulista

TIPOS DE APOIO Financeiro, não financeiro e assistência técnica

114

115 4. fontes de reC ursos

Sociedade civil


ÁREAS DE ATUAÇÃO

TIPO DE APOIO

assistência e desenvolvimento social, cidadania, educação, emprego e geração de renda e inclusão digital

Financeiro

FORMA E PERíODO PARA APRESENTAÇÃO DE PROPOSTA

ÁREA DE ATUAÇÃO

edital. lançado anualmente.

Cultura

REQUISITOS PARA INSCRIÇÃO

FORMA E PERíODO PARA APRESENTAÇÃO DE PROPOSTA

trabalhar com faixa etária dos 0 a 6 anos e de 14 a 29. ser organização idônea e situada em local de

edital. acompanhar o site.

vulnerabilidade. ttambém devem ser submetidos à avaliação de uma equipe técnica até a escolha final pelo Conselho deliberativo (formado por líderes das empresas parceiras).

AbrAngênciA estado de são Paulo, preferencialmente a capital.

MAIS CULTURA – MICROPROJETOS

REQUISITOS PARA INSCRIÇÃO as organizações devem acompanhar os editais lançados pelo MinC.

contrApArtidA do Município/osc apoio logístico

AbrAngênciA brasil

nA nAturez A dA instituição Pública, federal

PROgRAMA CULTURA vIvA v vA

DADOS DA INSTITUIÇÃO Ministério da Cultura/Funarte

nA nAturez A dA instituição

www.funarte.gov.br

Pública, federal

gabinete@funarte.gov.br

DADOS DA INSTITUIÇÃO

21 2279-8005 rua da imprensa, 16 – 5o andar – CeP 20030-120 – rio de Janeiro – rJ – brasil

Ministério da Cultura/Secretaria de Programas e Projetos Culturais www.cultura.gov.br/cultura_viva/

PROJETO DESENvOLv OL IDO OLv

minc.web@gmail.com ou cgm@minc.gov.br

Mais Cultura – MiCroProJetos

61 3316-2000 /61 3901-3810

o objetivo é descentralizar a política de fomento da produção sociocultural e artística, possibilitando

esplanada dos Ministérios – bloco b – CeP 70068-900 – brasília - dF – brasil

que pequenos produtores recebam até 30 salários mínimos para a realização de seus projetos culturais. Para tanto, incentiva atividades socioculturais de baixo custo, voltadas aos jovens, em territórios com dinâmicas sociais diferenciadas, mediante seleção pública de projeto de baixo orçamento. o público-alvo são instituições, grupos ou agentes socioculturais (pessoas físicas e jurídicas) não contemplados com os mecanismos tradicionais de financiamento ou fomento, localizados em regiões e municípios identificados como áreas de vulnerabilidade social, definida por seus índices de violência, renda e dinâmica sociocultural. são beneficiados jovens de 17 a 29 anos, pertencentes às classes C, d e e.

PROJETO DESENvOLv OL IDO OLv Cultura viva tem como objetivo contribuir para o acesso aos meios de formação, criação, difusão e fruição cultural. Contempla iniciativas culturais que envolvem a comunidade em atividades de arte, cultura, cidadania e economia solidária. as organizações são selecionadas por meio de edital público e passam a receber recursos do governo federal para potencializar seus trabalhos, seja na compra de instrumentos, figurinos, equipamentos multimídias, seja na contratação de profissionais para cursos e oficinas, produção de espe-

A QUEM SE DESTINA

táculos e eventos culturais. esta parceria entre estado e sociedade civil é o Ponto de Cultura. a partir dele,

organizações da sociedade Civil (osC)

o programa integra outras quatro atividades: Cultura digital, escola viva, Griô e agente Cultura viva. o

116

117 4. fontes de reC ursos

Sociedade civil


com o MinC, o Ponto de Cultura recebe a quantia de R$ 185 mil, dividida em cinco parcelas semestrais, para investir no projeto apresentado. Parte do incentivo recebido na primeira parcela, no valor mínimo de R$ 20 mil , é utilizado para aquisição de equipamento multimídia em software livre (os programas serão

PROgRAMA AÇÃO ÇÃO JOvEM nA nAturez A dA instituição Pública, estadual

oferecidos pela coordenação) composto por microcomputador, mini-estúdio para gravar Cd-roM, câmera

DADOS DA INSTITUIÇÃO

digital, ilha de edição e o que mais for importante. Com a Cultura Digital, cada ponto recebe um estúdio

secretaria estadual de assistência e desenvolvimento social

multimídia. o equipamento é composto por mesa em dois canais de áudio, filmadora, gravador digital e dois

www.desenvolvimentosocial.sp.gov.br/portal.php/apresentacao_acaojovem

computadores que funcionam como ilha de edição e permite gravar Cd-roM, produzir vídeo, colocar rádio

rsgoncalves@sp.gov.br (Coordenadora rose)

no ar e criar página na internet, a partir de programas em software livre. dessa forma, cada comunidade

11 2763-8000

pode gravar músicas, registrar suas imagens e colocá-las no ar, exercitando o processo de troca cultural

rua bela Cintra, 1.032 – CeP 01415-000 – são Paulo - sP – brasil

entre os pontos. a atividade Escola viva integra os pontos à escola, colaborando para a construção de um conhecimento reflexivo e sensível por meio da cultura. os pontos que optarem por esse tipo de ação recebem preparo e acompanhamento pedagógico especializado. a ação griô consiste em estimular a tradição oral nas comunidades, realizada por contadores de estórias, os griôs, adquirem conhecimentos de antepassados e assim os repassam. o Agente Cultura viva capacita e articula os Pontos de Cultura, seus agentes desenvolvem projetos ou apoiam grupos de jovens na construção de suas trajetórias pessoais; e possibilitam o acesso às manifestações culturais e aos espaços de sociabilidade nos quais esse público possa ter voz, poder de escolha e visibilidade.

PROJETO DESENvOLv OL IDO OLv ProGraMa ação JoveM a secretaria estadual de assistência e desenvolvimento social (seads) busca, por meio do Programa ação Jovem, somar esforços para a superação da situação de exclusão e vulnerabilidade social a qual se encontra parcela da população jovem do estado de são Paulo, criando oportunidades para aqueles que ainda não concluíram a escolaridade básica. Promove a inclusão social de jovens, mediante a transferência de renda, como apoio financeiro temporário para estimular a conclusão da escolaridade básica.

A QUEM SE DESTINA

A QUEM SE DESTINA

organizações da sociedade Civil

Prefeituras

TIPOS DE APOIO

TIPO DE APOIO

Financeiro, não financeiro e assistência técnica

Financeiro

ÁREAS DE ATUAÇÃO

ÁREAS DE ATUAÇÃO

Cidadania, cultura, educação e inclusão digital

assistência e desenvolvimento social e educação

FORMA E PERíODO PARA APRESENTAÇÃO DE PROPOSTA edital. informações sobre lançamento de editais devem ser consultadas no site do Ministério da Cultura.

REQUISITOS PARA INSCRIÇÃO

FORMA E PERíODO PARA APRESENTAÇÃO DE PROPOSTA a família do jovem deve entrar em contato com a assistência social da região que, mediante acompanhamento, fará o encaminhamento do jovem ao programa.

apresentar projeto, segundo orientações contidas no edital.

REQUISITOS PARA INSCRIÇÃO

contrApArtidA do Município/osc

Jovens na faixa etária de 15 a 24 anos, de ambos os sexos, que residam em regiões de alta vulnerabilidade

sim

social e concentração de pobreza. a renda deve ser de até meio salário mínimo por indivíduo da família. o jovem deve estar matriculado no ensino regular de educação básica ou ensino de Jovens e adultos

AbrAngênciA

(eJa) presencial.

brasil

118

119 4. fontes de reC ursos

prefeituraS

Ponto de Cultura é a ação prioritária do programa e articula todas as demais ações. Firmado o convênio


AbrAngênciA

REQUISITOS PARA INSCRIÇÃO

todo o estado

não há. o evento é aberto a toda a população.

PROJETO vIRADA CULTURAL

AbrAngênciA em 2009, as cidades foram contempladas foram: araçatuba, araraquara, assis, bauru, Caraguatatuba,

nA nAturez A dA instituição

Franca, indaiatuba, Jundiaí, Marília, Mogi das Cruzes, Mogi-Guaçu, Presidente Prudente, ribeirão Preto,

Pública, estadual

santa bárbara d’oeste, santos, são bernardo do Campo, são João da boa vista, são José do rio Preto, são José dos Campos e sorocaba. (sujeito a alterações.)

DADOS DA INSTITUIÇÃO secretaria de estado da Cultura

Observação: a programação procura contemplar públicos diferentes e todas as faixas etárias, com ênfase

www.cultura.gov.br

em atividades voltadas ao público jovem.

contato@cultura.sp.gov.br 11 2627-8268/8145 rua Mauá, 59 – CeP 01028-900 – são Paulo - sP – brasil

PROJETO DESENvOLv OL IDO OLv

cHAMAdA públic úblicA – tecnologiAs PARA O DESENvOLv OL IMENTO SOCIAL OLv nA nAturez A dA instituição

ProJeto virada Cultural a virada Cultural Paulista é o maior evento cultural do interior de são Paulo, com apresentações de

Pública, federal

espetáculos de dança, teatro, música, intervenções urbanas, cinema e exposições durante 24 horas inin-

DADOS DA INSTITUIÇÃO

terruptas. inspirado na virada Cultural da capital, este projeto tem como objetivo estimular o intercâmbio

Financiadora de estudos e Projetos (Finep)

entre atores, cantores, instrumentistas e outros artistas tanto das cidades participantes como de outras

www.finep.gov.br

regiões do estado, além de artistas de renome nacional.

cp_esp@finep.gov.br

diversas atividades artísticas e culturais são programadas especificamente para cada edição do evento.

11 3847-0300

A QUEM SE DESTINA

av. das nações unidas, 10.989 – 15o andar – vila olímpia – CeP 04578-000 – são Paulo - sP – brasil

Prefeituras

PROJETO DESENvOLv OL IDO OLv

TIPOS DE APOIO

CHaMada PúbliCa – teCnoloGias Para o desenvolviMento soCial seleciona propostas com o intuito de apoiar financeiramente a execução de projetos de tecnologia para

não financeiro e programação cultural e de lazer

o desenvolvimento social.

ÁREA DE ATUAÇÃO

neste ano, estão sendo realizadas chamadas para duas linhas temáticas:

Cultura

1. desenvolvimento de tecnologia social em contextos produtivos de empreendimentos econômicos soli-

FORMA E PERíODO PARA APRESENTAÇÃO DE PROPOSTA

dários, em territórios urbanos ou rurais, que contribuam para a redução da pobreza e das desigualdades

os municípios participantes são escolhidos pelo governo. a virada Cultural paulista acontece anualmente

sociais e para o desenvolvimento territorial sustentável e solidário.

no 1o semestre. (sujeito a alterações.)

2.instalação de centros de inclusão digital em territórios rurais, que contribuam para a democratização do acesso às tecnologias de informação e comunicação.

A QUEM SE DESTINA Prefeituras

120

121 4. fontes de reC ursos

prefeituraS


Financeiro

nA nAturez A dA instituição

ÁREAS DE ATUAÇÃO

Pública, federal

agricultura, assistência e desenvolvimento social, emprego e geração de renda, inclusão digital e meio ambiente

DADOS DA INSTITUIÇÃO Ministério dos Esportes / Secretaria Nacional de Esporte Educacional

FORMA E PERíODO PARA APRESENTAÇÃO DE PROPOSTA

www.esporte.gov.br/segundotempo

as propostas de financiamento devem ser apresentadas à Finep pela internet em resposta às chamadas

formalizacao_pst@esporte.gov.br

públicas. não há uma regularidade para o lançamento, por isso deve-se acompanhar o site.

61 3429-6804 esplanada dos Ministérios, bloco a – CeP 70068-900 – brasília - dF – brasil

REQUISITOS PARA INSCRIÇÃO o estado deve assinar o convênio com a Finep, mas as instituições intervenientes executoras podem ser

PROJETO DESENvOLv OL IDO OLv

órgãos da administração Pública municipal. todos os requisitos encontram-se no edital disponível no site

ProGraMa seGundo teMPo

da Finep.

idealizado pelo Ministério do esporte, destina-se a democratizar o acesso a atividades esportivas educacionais, no contraturno escolar, visando à inclusão social e ao desenvolvimento integral de crianças,

AbrAngênciA

adolescentes e jovens que participam ou não do sistema de ensino regular e vivem prioritariamente em áreas

todo o estado observações: Será exigida a contrapartida financeira e/ou não financeira nos convênios que vierem a ser firmados com instituições estaduais, municipais e com o distrito Federal, nos percentuais mínimos e máximos sobre o valor total concedido. Contrapartida: estados e distrito Federal localizados nas áreas da sudene e da sudam e na região Centrooeste: 10% a 20%, nos demais estados: 20% a 40%

de risco e vulnerabilidade social. o programa caracteriza-se pelo acesso a diversas modalidades esportivas (individuais e coletivas) e ações complementares que enfoquem o esporte educacional, desenvolvidas em espaços físicos da escola ou em espaços comunitários. as atividades são planejadas e desenvolvidas sob orientação de professores e estagiários de educação física, devidamente habilitados e capacitados para a função. Além das atividades estão previstos: reforço alimentar; atividades complementares; distribuição de material esportivo; capacitação de coordenadores e monitores.

A QUEM SE DESTINA Prefeituras e organizações da sociedade Civil

TIPOS DE APOIO Financeiro, não financeiro e assistência técnica

ÁREAS DE ATUAÇÃO educação, esporte e lazer

FORMA E PERíODO PARA APRESENTAÇÃO DE PROPOSTA apresentação de proposta pode ser feita a qualquer momento.

REQUISITOS PARA INSCRIÇÃO Credenciar e cadastrar a entidade proponente no Sistema de Convênio (Siconv); atender aos critérios

122

123 4. fontes de reC ursos

prefeituraS e Sociedade civil

PROgRAMA SEgUNDO TEMPO

TIPO DE APOIO


estabelecidos pelas Diretrizes da Psicologia Social e do Trabalho (PST) para formalização de convênios;

de convívio de assistência social, que integra as ações de proteção social básica do sistema único de

apresentar e obter aprovação da Proposta de Trabalho no Siconv; apresentar o Plano de Trabalho e o Projeto

assistência social. Complementa a proteção social básica à família, criando mecanismos que garantam a

Básico no Siconv; e atender aos demais requisitos da PI 127/08.

convivência familiar e comunitária e criem condições para a inserção, reinserção e permanência do jovem no sistema educacional. Saberes da Terra (ProJovem Rural) – proporciona a escolarização do nível

contrApArtidA do Município/osc sim. É obrigatória a aplicação de recursos próprios em complemento aos recursos alocados pela união, conforme estabelecido pela lei de diretrizes orçamentárias (ldo) vigente.

fundamental, integrada à qualificação social e profissional, para jovens agricultores familiares de 18 a 29 anos e aos profissionais dá a oportunidade de formação continuada com conteúdos inovadores. ProJovem trabalhador – prepara o jovem para o mercado de trabalho e para ocupações alternativas geradoras de

AbrAngênciA

renda. o público-alvo são os jovens desempregados com idades entre 18 e 29 anos, que sejam membros

brasil

de famílias com renda per capita de até meio salário mínimo. os participantes recebem um auxílio mensal de R$ 100,00, durante seis meses, mediante comprovação de frequência. Desenvolvido em parceria com os estados, a sociedade civil e a iniciativa privada, o programa estimula e fomenta oportunidades de trabalho

PROJOvEM

e negócios, promove a inserção social e incentiva a visão empreendedora.

nAturez A Aturez A dA instituição

A QUEM SE DESTINA

Pública, federal

Prefeituras e organizações da sociedade civil

DADOS DA INSTITUIÇÃO

TIPO DE APOIO

secretaria-Geral da Presidência da república – secretaria nacional de Juventude

Financeiro, não financeiro e assistência técnica

www.juventude.gov.br/programas juventudenacional@planalto.gov.br

ÁREA DE ATUAÇÃO

contato@projovem.gov.br

agricultura, assistência e desenvolvimento social, educação e emprego e geração de renda

61 3411-1160 / 0800 7227777

FORMA E PERíODO PARA APRESENTAÇÃO DE PROPOSTA

setor Policial sul – Área 5, Quadra 03, bloco J – CeP 70610-200 – brasília - dF – brasil

apresentação de proposta. acompanhar as informações sobre datas e locais de matrícula no site ou ligar

PROJETOS DESENvOLv OL IDOS OLv

para a Central de relacionamento do ProJovem, no telefone 0800 722 7777.

ProJoveM

REQUISITOS PARA INSCRIÇÃO

destinado aos jovens de 15 a 29 anos, em situação de vulnerabilidade social, que cursaram a quarta

Cada modalidade apresenta requisitos específicos para os jovens e/ou municípios envolvidos. As infor-

série, não concluíram a oitava série do ensino fundamental e não tenham emprego com carteira assina-

mações estão disponíveis no site.

da. atua nas modalidades adolescente, Campo, trabalhador e urbano. sua gestão é compartilhada com os Ministérios do Desenvolvimento Social e Combate à Fome; da Educação; e do Trabalho e Emprego. ProJovem Urbano –voltado aos jovens de 18 a 29 anos em situação de risco e vulnerabilidade social que, apesar de alfabetizados, não concluíram o ensino fundamental e pertencem a famílias com renda

contrApArtidA do Município/osc sim. as modalidades exigem, majoritariamente, diversas contrapartidas dos municípios, todas descritas nos editais específicos e contratos de adesão.

per capita de até meio salário mínimo. busca capacitá-los para atuarem como agentes de transformação

AbrAngênciA

de suas comunidades. as atividades visam garantir a permanência desses jovens no sistema educacional

brasil

e proporcionar-lhes experiências práticas que possam prepará-los para a futura inserção no mercado de trabalho. ProJovem Adolescente – voltado para a faixa etária dos 15 aos 17 anos. serviço socioeducativo

124

125 4. fontes de reC ursos

prefeituraS e Sociedade civil


progrAMA livro Aberto (MAis culturA)

contato diretamente com o MinC solicitando sua adesão ao programa.

nA nAturez A dA instituição

contrApArtidA do Município/osc

Pública e federal

o estado, município ou entidade privada viabiliza o espaço físico e a respectiva administração e manutenção da biblioteca. em caso de repasse mediante convênio, há contrapartida financeira.

DADOS DA INSTITUIÇÃO Ministério da Cultura/Fundação Nacional do Livro

AbrAngênciA

www.bn.br

as cidades do estado de são Paulo que constam na lista do MinC por não possuírem biblioteca pública são:

cgll@bn.br

arapeí, boraceia, Corumbataí, Guatapará, Guzolândia, ipiguá, Jambeiro, Macedônia, Meridiano, rifaina,

21 3095 3879

rubiácea, santa albertina, santa Clara d’oeste, são Francisco e sarutaiá. Qualquer outra cidade do brasil

av. rio branco, 219 – CeP 20040-008 – rio de Janeiro - rJ – brasil

que não possua biblioteca pública deve entrar em contato com o MinC e solicitar adesão ao programa. Municípios que já possuem bibliotecas públicas e osC que queiram ampliar ou modernizar as suas devem

PROJETO DESENvOLv OL IDO OLv

atentar aos editais lançados pelo Ministério e pela biblioteca nacional.

ProGraMa livro aberto (Mais Cultura) Promove a instalação e a modernização das bibliotecas itinerantes, de grande, médio e pequeno portes.

Observação: o programa pretende instalar bibliotecas públicas no maior número de municípios possível,

Compõem o kit para bibliotecas públicas: material bibliográfico (2.000, 1.000 ou 650 títulos de livros, de

a fim de criar novos espaços dedicados à leitura.

acordo com o tipo de biblioteca), software (os livros já são enviados catalogados e registrados no software), equipamentos eletroeletrônicos (ventiladores, computadores, aparelhos de tv, tv dvd player e de som com Cd-roM), mobiliários (móveis, estantes, cadeiras, porta-livros ambulantes) e artefatos decorativos

PROJETO ESPORTE SOCIAL

e necessários em rodas de leitura infantl (tapetes e pufes). além da modernização das bibliotecas, o

nA nAturez A dA instituição

programa proporciona orientação, assistência técnica e intercâmbio de publicações.

Pública, estadual

A QUEM SE DESTINA

DADOS DA INSTITUIÇÃO

Prefeituras e organizações da sociedade Civil (osC)

secretaria estadual de esporte, lazer e turismo (selt)

TIPOS DE APOIO

www.selt.sp.gov.br/esporte_social.php

não financeiro, assistência técnica, materiais, equipamentos, mobiliário, etc.

baugusto@sp.gov.br, mbignardi@sp.gov.br 11 3241-5822 ramais 1110 e 1194

ÁREAS DE ATUAÇÃO

Praça antônio Prado, 9 – 14o andar – CeP 01010-904 – são Paulo - sP – brasil

Cultura e educação

PROJETO DESENvOLv OL IDO OLv

FORMA DE ACESSO

ProJeto esPorte soCial

edital. acompanhar as datas lançadas pelo Ministério da Cultura e pela biblioteca nacional.

Criado com o objetivo de democratizar o acesso a prática esportiva e de lazer, o Projeto esporte social é

REQUISITOS PARA INSCRIÇÃO

uma iniciativa da selt que visa estabelecer convênios e parcerias com o governo do estado, prefeituras

o Ministério da Cultura (MinC) avalia e aprova os projetos apresentados para as bibliotecas itinerantes.

municipais, instituições e terceiro setor com natureza esportiva. os parceiros devem contar com locais

as pequenas, médias e grandes bibliotecas devem se cadastrar no sistema nacional de bibliotecas

próprios ou cedidos que possibilitem a execução do projeto (quadra, ginásio poliesportivo e/ou campo

Públicas (SNBP), da Fundação Biblioteca Nacional, e solicitar a ação a ser contemplada: criação e/ou

esportivo, etc.) e que ofereçam a infraestrutura necessária para tal (banheiros/vestiários, salas de aula,

modernização. os municípios que não possuírem bibliotecas públicas têm prioridade e devem entrar em

refeitório/cozinha, etc.).

126

127 4. fontes de reC ursos

prefeituraS e Sociedade civil


o projeto, voltado primordialmente ao atendimento de crianças e adolescentes na faixa etária de 7 a 18

PROJETO DESENvOLv OL IDO OLv

anos, que estudem em rede pública de ensino em situação de risco social, tem como objetivo organizar

ProGraMa de aPoio aos CMdCas

e manter núcleos de esporte e lazer, com caráter formativo-educacional, fomentando e democratizando o

alinhado à sua política de sustentabilidade e responsabilidade corporativa, a empresa financia projetos

acesso à prática esportiva e de lazer.

voltados ao atendimento de crianças e adolescentes, desenvolvidos em municípios pertencentes à sua

o projeto também prevê atividades físicas e complementares.

A QUEM SE DESTINA

área de atuação, por meio de incentivo fiscal (1% do imposto de renda), previsto na Lei 8.069/1990 do estatuto da Criança e do adolescente (eCa). a parceria também prevê o acompanhamento das atividades bem como a capacitação das entidades contempladas.

Prefeituras e organizações da sociedade civil

A QUEM SE DESTINA

TIPO DE APOIO

Prefeitura e organizações da sociedade civil

Financeiro

TIPOS DE APOIO

ÁREAS DE ATUAÇÃO

Financeiro, não financeiro e assistência técnica

assistência e desenvolvimento social, educação e esporte e lazer

ÁREAS DE ATUAÇÃO

FORMA E PERíODO PARA APRESENTAÇÃO DE PROPOSTA

assistência e desenvolvimento social, cidadania, direitos humanos e justiça social, educação, emprego e

apresentação de proposta a qualquer momento

geração de renda, esporte e lazer, e inclusão digital

REQUISITOS PARA INSCRIÇÃO

APRESENTAÇÃO DE PROPOSTA

Podem pleitear convênio no Programa esporte social, nas prefeituras e em entidades filantrópicas. são

Pode ser realizada a qualquer momento pelo cadastro da entidade ou conselho no site www.cpfl.com.br/

pré-requisitos: a prefeitura estar adimplente, inclusive com relação a outros convênios de outras secretarias,

cmdca/. Um profissional da CPFL Energia fará contato por telefone para confirmar os dados, em seguida,

e a entidade contar no seu estatuto com atribuições ligadas ao esporte e/ou lazer e não ter fins lucrativos.

um log in e uma senha serão encaminhados para o endereço eletrônico informado.

no site da secretaria há um Manual do Esporte Social disponível para download.

REQUISITOS PARA INSCRIÇÃO

AbrAngênciA

o CMdCa e a entidade devem cadastrar o projeto no site da CPFl. apenas serão apoiados projetos de-

todo o estado

senvolvidos em municípios da área de atuação da CPFL Energia (distribuição e geração); não será apoiado mais de um projeto por entidade, no mesmo município; os projetos precisam ser estritamente direcionados

PROgRAMA DE APOIO AOS CMDCAs

a crianças e adolescentes, por ser esse um princípio fundamental da Lei 8.069/90; projetos que tragam elementos de dúvidas sobre a exposição da imagem de crianças e adolescentes serão analisados com

nA nAturez A dA instituição

ressalvas; projetos que tragam elementos de dúvidas sobre riscos à integridade física de crianças e

Privada, nacional

adolescentes, não serão aprovados, tais como: máquinas industriais, lâminas, prensas, radioatividade, esportes radicais ou de contato físico, entre outros.

DADOS DA INSTITUIÇÃO

o cadastro do CMdCa é condição para que as instituições e seu(s) respectivo(s) projeto(s) possam participar

CPFl energia

do programa e assim passar por validação. Portanto, antes de concluir o formulário certifique-se de que

www.cpfl.com.br/cmdca

as informações fornecidas estão corretas.

sustentabilidade@cpfl.com.br

AbrAngênciA

19 3756-8865 rodovia Campinas Mogi-Mirim, km 2,5 – Jardim santana – CeP 13088-900 - Campinas - sP – brasil

Municípios do interior e litoral do estado de são Paulo, listados no site.

128

129 4. fontes de reC ursos

prefeituraS e Sociedade civil


observações: os cadastros de entidades sociais geram dados de acesso automaticamente, após concluído

REQUISITOS PARA INSCRIÇÃO

o preenchimento do formulário. os cadastros de projetos serão completados somente após o cadastro do

Podem se candidatar organizações sem fins lucrativos e prefeituras desde que realizem atividades de

proponente, seja ele um CMdCa ou uma entidade social.

desenvolvimento socioeconômico com a comunidade. Para tanto, devem preencher o formulário de requerimento disponível no site do Consulado-Geral do Japão em são Paulo.

PROgRAMA DE ASSISTêêNCIA PARA PROJETOS COMUNITÁRIOS OMUNITÁRIOS E DE SEgURANÇA URANÇA DO SER HUMANO

AbrAngênciA

nA nAturez A dA instituição

observações: a coordenação do processo de cooperação fica a cargo das missões diplomáticas do Japão

Pública, governo estrangeiro

(embaixadas e consulados) com sede nos países em desenvolvimento, devido ao seu conhecimento sobre

todo o estado de são Paulo.

a situação local. O teto para cada projeto é de aproximadamente US$ 90 mil.

DADOS DA INSTITUIÇÃO Consulado-Geral do Japão são Paulo www.sp.br.emb-japan.go.jp/pt/index.htm

prê rêMio fundAção ção bAnco do brAsil DE TECNOLOgIA SOCIAL

cgjeconomia2@arcstar.com.br 11 3254-0100 av. Paulista, 854 – 3o andar – Cerqueira César – CeP 01310-913 – são Paulo - sP – brasil

nA nAturez A dA instituição Pública, federal

PROJETO DESENvOLv OL IDO OLv PROGRAMA DE ASSISTÊNCIA PARA PROJETOS COMUNITá OMUNIT RIOS E DE SEGURANçA DO SER HUMANO OMUNITá

DADOS DA INSTITUIÇÃO

apoia com recursos financeiros projeto que promova o desenvolvimento socioeconômico de dada comu-

Fundação banco do brasil

nidade e a beneficie diretamente. esse tipo de cooperação econômica destina-se a projetos de pequeno

www.tecnologiasocial.org.br

porte encaminhados por governos locais, onGs (organizações não governamentais e sem fins lucrativos)

fundacaobancodobrasil@fbb.org.br

e entidades de atendimento básico em saúde e/ou educação. Podem ser financiadas iniciativas como:

61 3310-1900

construção ou reforma de imóvel próprio, aquisição de equipamentos e/ou bens permanentes e trabalho

rua sCn – Quadra 01 – bloco a – edifício number one, 9o e 10o andares – CeP 70711-900 – brasília - dF – brasil

educativo, projetos ligados às áreas de atendimento e às necessidades humanas básicas como saúde,

PROJETO DESENvOLv OL IDO OLv

educação básica, bem-estar público e meio ambiente.

PRÊMIO FUNDAçãO BANCO DO BRASIL DE TECNOLOGIA SOCIAL

A QUEM SE DESTINA

visa identificar, selecionar, certificar, promover e fomentar tecnologias que apresentem respostas efetivas

Prefeituras e organizações da sociedade civil

para diferentes demandas sociais e que tenham potencial de replicação no País. o prêmio é oferecido de dois em dois anos para permitir a alternância entre os períodos de captação e disseminação de soluções. as

TIPO DE APOIO

tecnologias abordadas incluem soluções para problemas voltados a demandas de alimentação, educação,

Financeiro

energia, habitação, renda, recursos hídricos, saúde, meio ambiente, dentre outras.

ÁREAS DE ATUAÇÃO A agricultura, assistência e desenvolvimento social, cidadania, direitos humanos e justiça social, educação, emprego e geração de renda, meio ambiente e saúde

A QUEM SE DESTINA Prefeituras e organizações da sociedade civil

TIPO DE APOIO

APRESENTAÇÃO DE PROPOSTA Contatar o consulado para averiguação de prazos.

Financeiro

130

131 4. fontes de reC ursos

prefeituraS e Sociedade civil


ÁREAS DE ATUAÇÃO

TIPO DE APOIO

agricultura, assistência e desenvolvimento social, cidadania, cultura, direitos humanos, justiça social,

Financeiro, não financeiro e assistência técnica

educação, emprego e geração de renda, esporte e lazer, inclusão digital, meio ambiente, saúde, segurança, habitação, energia, recursos hídricos, etc.

ÁREAS DE ATUAÇÃO agricultura, assistência e desenvolvimento social, cidadania, cultura, direitos humanos, justiça social, edu-

FORMA E PERíODO PARA APRESENTAÇÃO DE PROPOSTA edital lançado a cada dois anos, o próximo será em 2011.

REQUISITOS PARA INSCRIÇÃO

cação, emprego e geração de renda, esporte e lazer, inclusão digital, meio ambiente, saúde e segurança

FORMA E PERíODO PARA APRESENTAÇÃO DE PROPOSTA edital. acompanhar o site www.delbra.ec.europa.eu

a participação é aberta às instituições legalmente constituídas no País, de direito público ou privado, sem finalidades lucrativas. interessadas devem preencher os formulários seguindo as instruções.

AbrAngênciA

REQUISITOS PARA INSCRIÇÃO variam de acordo com os editais.

AbrAngênciA

todo o estado

todo o estado, mas pode variar de acordo com os editais.

PROgRAMAS DE COOPERAÇÃO OOPERAÇÃO DA COMISSÃO OMISSÃO EUROPEIA

observações: Para saber quando e quais editais destinam-se a organizações brasileiras, é preciso acompanhar o site da Comissão europeia no brasil ou, preferencialmente, o próprio site de lançamento de editais da união europeia. este último está disponível em inglês, francês e espanhol e seu endereço

nA nAturez A dA instituição Pública, internacional, agência intergovernamental

é: https://webgate.ec.europa.eu/europeaid/online-services/index.cfm?ADSSChck=1233099646708&do= publi.welcome&userlanguage=en

DADOS DA INSTITUIÇÃO Comissão europeia - união europeia

PROgRAMA APOIO FINANCEIRO A PROJETOS

www.delbra.ec.europa.eu delegation-brazil-cooperacao@ec.europa.eu

nA nAturez A dA instituição

61 2104-3122 rua sHisQi 07 – bloco a – lago sul – CeP 71615-205 – brasília - dF – brasil

Fundação privada, internacional

DADOS DA INSTITUIÇÃO

PROJETO DESENvOLv OL IDO OLv ProGraMas de CooPeração da CoMissão euroPeia no âmbito da cooperação temática, a união europeia eventualmente lança editais com solicitação de propostas para apoio a projetos de desenvolvimento social, econômico e institucional que têm organizações sociais e governamentais brasileiras como elegíveis aos recursos. atualmente existem três linhas temáticas: atores estatais e não estatais; promoção da democracia e dos direitos humanos; e meio ambiente.

Fundação Ford www.fordfound.org/regions/brazil/overview fordrioproposta@fordfound.org 21 3235-2100 rua Praia do Flamengo, 154–- 8o andar – CeP 22210-030 – rio de Janeiro - rJ – brasil

PROJETO DESENvOLv OL IDO OLv

A QUEM SE DESTINA

aPoio FinanCeiro a ProJetos

Prefeituras e organizações da sociedade civil

a Fundação Ford apoia financeiramente organizações da sociedade civil, instituições acadêmicas e até mesmo iniciativas governamentais com foco nas seguintes áreas: meio ambiente e desenvolvimento, governança e sociedade civil, direitos humanos, e saúde sexual e reprodutiva.

132

133 4. fontes de reC ursos

prefeituraS e Sociedade civil


as ações podem ter públicos-alvo específicos, como a juventude. as doações são feitas para desenvolver

PROJETO DESENvOLv OL IDO OLv

novas ideias e fortalecer organizações que contribuem para reduzir a pobreza e a injustiça e promover

aPoio FinanCeiro a ProJetos

valores democráticos, a cooperação internacional e o desenvolvimento humano.

o instituto HsbC solidariedade dá apoio financeiro a projetos nas áreas de educação, meio ambiente e geração de renda para a comunidade. em 2006, foram beneficiados mais de dois milhões de indivíduos por

A QUEM SE DESTINA

meio de 177 projetos priorizando temas como: escolas rurais, energias renováveis, capacitação profissional

Prefeituras e organizações da sociedade civil

para pessoas com deficiência, geração de renda para mulheres e jovens de baixa renda, além do apoio à

TIPO DE APOIO

Pastoral da Criança e a projetos aprovados pelos Conselhos Municipais ou estaduais dos direitos da infância

Financeiro

e adolescência, bem como a ações de responsabilidade social individual dos colaboradores do HsbC.

ÁREAS DE ATUAÇÃO

A QUEM SE DESTINA

assistência e desenvolvimento social, cidadania, cultura, direitos humanos e justiça social, meio ambiente,

Prefeituras e organizações da sociedade civil

saúde e governança.

TIPO DE APOIO

FORMA E PERíODO PARA APRESENTAÇÃO DA PROPOSTA Preencher uma ficha online disponível no site da Fundação Ford (www.fordfound.org/grants/inquiry/brazil/4/ em). a organização receberá uma carta confirmando a entrega das informações e, caso seja aprovada na primeira etapa do processo de seleção, a Fundação Ford entrará em contato para complementar os dados e dar início ao processo que pode eventualmente levar à doação dos recursos financeiros.

Financeiro

ÁREAS DE ATUAÇÃO educação, emprego e geração de renda, meio ambiente

FORMA E PERíODO PARA APRESENTAÇÃO DE PROPOSTA edital lançado anualmente. Para cada área de atuação, existe um período para inscrição. o regulamento

REQUISITOS PARA INSCRIÇÃO a proposta tem que ter foco nas seguintes áreas: meio ambiente e desenvolvimento, ou governança e sociedade civil e direitos humanos, ou saúde sexual e reprodutiva

e os formulários encontram-se no site do instituto.

REQUISITOS PARA INSCRIÇÃO ser organismo não governamental e comunitário, legalmente constituído no País, sem fins lucrativos, e

AbrAngênciA

que atue no terceiro setor brasileiro. organismos governamentais podem apresentar projetos por meio de

todo o estado de são Paulo

suas fundações e associações. Podem ser inscritos projetos novos ou em andamento que tenham como foco principal a seguinte linha de ação: investir na redução da vulnerabilidade de crianças e adolescentes

APOIO FINANCEIRO A PROJETOS

aliada ao sucesso escolar.

nA nAturez A dA instituição

AbrAngênciA

Privada, nacional

todo o estado, desde que o local de execução do projeto situe-se no máximo a 70 km de uma agência do HsbC ou do banco losango.

DADOS DA INSTITUIÇÃO

Observação: O teto de apoio financeiro para projetos é de R$ 40 mil.

instituto HsbC solidariedade www.porummundomaisfeliz.org.br hsbc.solidariedade@hsbc.com.br 41 3270-8402 rua vicente Machado, 2.100 – batel – CeP 80440-020 – Curitiba - Pr – brasil

134

135 4. fontes de reC ursos

prefeituraS e Sociedade civil


projeto juventude e trAbAlHo

à inserção desses jovens ou o desenvolvimento de projetos de geração de renda; Para trabalhar com a inserção dos jovens no mercado de trabalho, é recomendável que as organizações estejam articuladas com

nA nAturez A dA instituição

potenciais empregadores, no caso dos projetos de capacitação profissional, ou que as entidades tenham

Privada, nacional

definido um plano estratégico que garanta a geração de renda aos jovens.

DADOS DA INSTITUIÇÃO

AbrAngênciA

instituto ibi

regiões Metropolitanas do estado de são Paulo

www.institutoibi.org.br instituto@institutoibi.org.br

observações: o instituto ibis apoia e participa de iniciativas, como a criação de rede de trocas de expe-

11 2134-6179

riências entre organizações sociais, outros investidores sociais privados e o governo. são exemplos desse

alameda rio negro, 585 – 4o andar – Ed. Padauiri – CEP 06454-000 – Barueri / Alphaville - SP – Brasil

trabalho a participação no Grupo de institutos, Fundações e empresas (Gife) e no Conselho nacional da Juventude (Conjuve).

PROJETO DESENvOLv OL IDO OLv

além disso, procura encontrar o equilíbrio entre as demandas do mercado para jovens e suas voca-

Juventude e trabalHo Contribui para a inserção de jovens no mercado de trabalho. oferece apoios técnico e financeiro a organizações da sociedade civil que desenvolvem projetos em expansão, formação e inserção de jovens no mercado de trabalho e geração de renda. dessa forma, reconhece a competência das organizações parceiras e investe em sua qualificação para fortalecer o processo de capacitação. além disso, privilegia a formação dos jovens, o desenvolvimento de metodologias que possam ser aplicadas em escala (expansão) e propostas inovadoras de inclusão no mercado formal e também no desenvolvimento de cooperativas

ções e desejos profissionais. os projetos apoiados consideram a real existência de oportunidades de inserção na localidade onde o projeto é desenvolvido e nos setores da economia para os quais os jovens são formados. o instituto ibi estimula e financia pesquisas e publicações sobre a causa juvenil, como forma de embasar e contribuir para a definição de investimentos de outras organizações que trabalham com juventude e trabalho. ttambém sistematiza metodologias e dissemina boas práticas ligadas à causa.

juvenis e do empreendedorismo (geração de renda).

organizações da sociedade civil e conselhos

FUNDAÇÃO UNDAÇÃO INTERAMERICANA (inter-AMericAn foundAtion Ation - iAf) A

TIPOS DE APOIO

nA nAturez A dA instituição

Financeiro, não financeiro e assistência técnica

Pública e internacional, governo estrangeiro

ÁREAS DE ATUAÇÃO

DADOS DA INSTITUIÇÃO

educação, emprego e geração de renda, hotelaria, gastronomia e serviços, telemarketing, moda, corte,

Fundação interamericana (inter-american Foundation - iaF)

costura e modelagem, náutica, automotiva logística, segurança da informação e inserção produtiva

www.iaf.gov/index/index_po.asp

A QUEM SE DESTINA

FORMA E PERíODO PARA APRESENTAÇÃO DE PROPOSTA edital. acompanhar no site da instituição.

info@iaf.gov, mbrandao@iaf.gov 34 7033-064301 north stuart street, 901 – 10th floor – CeP 22203 – arlington - virginia (va) – usa

REQUISITOS PARA INSCRIÇÃO

PROJETO DESENvOLv OL IDO OLv

Há alguns requisitos específicos descritos nos editais lançados no site. os gerais são: o público-alvo são jovens maiores de 18 anos que ainda estejam fora do mercado de trabalho nas regiões metropolitanas; Os programas devem apresentar claramente o seu objetivo e os resultados previstos, principalmente quanto

órgão independente do governo dos estados unidos, oferece doações a organizações não governamentais e de base comunitária da américa latina e do Caribe a programas de autoajuda inovadores, sustentáveis e participativos. Financia primordialmente parcerias entre organizações de base e sem fins lucrativos,

136

137 4. fontes de reC ursos

prefeituraS e Sociedade civil


empresas e governos locais, destinadas a melhorar a qualidade de vida das pessoas de baixa renda e a

ÁREAS DE ATUAÇÃO

fortalecer a participação, responsabilidade e práticas democráticas. no intuito de contribuir para o melhor

assistência e desenvolvimento social, cidadania, educação, emprego e geração de renda e inclusão digital.

entendimento do processo de desenvolvimento, a Fundação interamericana também compartilha a sua experiência e as lições aprendidas. a missão da Fundação é: Fortalecer os vínculos de amizade e compreensão entre os povos deste hemis-

FORMA E PERíODO PARA APRESENTAÇÃO DE PROPOSTA a apresentação de proposta pode ser feita durante todo o ano.

fério; Apoiar as atividades de autoajuda destinadas a aumentar as oportunidades de desenvolvimento

REQUISITOS PARA INSCRIÇÃO

individual; Incentivar e fomentar a participação efetiva e cada vez mais ampla das pessoas no processo

Há uma série de requisitos específicos que constam do modelo de apresentação de propostas da Fundação intera-

de desenvolvimento; Promover o estabelecimento e crescimento de instituições democráticas, privadas e

mericana. O modelo pode ser obtido no endereço: www.iaf.gov/grants/downloads/2006_Application_pt.doc

públicas, em coerência com os requisitos de todos os países soberanos deste hemisfério.

Preencher integralmente os formulários e enviá-los à iaF, seguindo os passos: as propostas podem ser

Seus princípios são: Apoiar as pessoas, as organizações e os processos; canalizar fundos diretamente para

escritas em português; devem ser enviadas por correio diretamente à Inter-American Foundation, Program

o setor não governamental; Promover a iniciativa empresarial, a inovação e a autodependência; fortalecer

office, 901, north stuart street, 10th Floor, arlington, va, 22203, eua.

os princípios democráticos; Capacitar a população de baixa renda para que possa resolver seus próprios

a iaF não aceita pedidos de doação enviados por fax. as propostas podem também ser encaminhadas por

problemas; e Tratar os parceiros com respeito e dignidade.

e-mail (proposals@iaf.gov) e devem incluir o país de origem no assunto.

A IAF procura: soluções inovadoras para problemas de desenvolvimento; o uso criativo dos recursos

envie sua proposta somente uma vez e espere a confirmação antes de contatar a iaF. o exame inicial

comunitários; diversa gama de vozes da comunidade no desenvolvimento e execução do projeto; partici-

leva cinco meses e produzirá um pequeno número de projetos para serem analisados mais extensamente,

pação substancial dos beneficiários na identificação do problema abordado; no método escolhido para

mediante visitas ao local. os proponentes que não forem mais considerados serão notificados. depen-

resolvê-lo; na formulação do projeto; e na gestão e avaliação de atividades; parcerias com o governo

dendo da complexidade do projeto e do número de visitas ao local requerido, as análises de propostas

local, a comunidade empresarial e outras organizações da sociedade civil; potencial para fortalecer todas

bem-sucedidas podem levar até 12 meses.

as organizações participantes e suas parcerias; viabilidade; indicação de sustentabilidade; contribuições

Contatar o representante da fundação no brasil, se tiver alguma dúvida, pelo e-mail mbrandao@iaf.gov

de contrapartida do proponente, dos beneficiários e de outras fontes; potencial para gerar aprendizagem; resultados mensuráveis; comprovação de capacidade melhorada de autogovernança. elegibilidade para doações: a iaF somente financia projetos na américa latina e no Caribe. os seguintes

AbrAngênciA não divulgado

casos não se qualificam a receber doações da IAF: propostas individuais; propostas apresentadas ou enviadas

observações: o financiamento de contrapartida deve ser um componente do orçamento para o projeto

por entidades fora do país no qual o projeto está localizado; propostas de grupos que não contribuam com

proposto, mas não é requerido um montante mínimo. um financiamento alto de contrapartida torna a

recursos financeiros ou em espécie para as atividades propostas; propostas associadas a partidos políticos

proposta mais atraente. a contrapartida pode ser em doação de dinheiro ou em espécie, incluindo, em-

ou movimentos partidários; atividades puramente religiosas ou sectárias; pesquisa pura; projetos de bem-

bora não de forma exclusiva, terrenos, materiais, infraestrutura, mão de obra e espaço para escritório,

estar de qualquer espécie, instituições de caridade ou propostas unicamente para projetos de construção

depósito e reuniões.

e/ou equipamento; pedidos de doações inferiores a US$ 25,000 ou superiores a US$ 400,000; projetos cujo objetivo não seja incentivar a capacidade compartilhada dos beneficiários para a autoajuda.

A QUEM SE DESTINA Prefeituras e organizações da sociedade civil

TIPOS DE APOIO Financeiro, não financeiro e assistência técnica

138

139 4. fontes de reC ursos

prefeituraS e Sociedade civil


fundo sociAl bndes

A QUEM SE DESTINA Prefeituras e organizações da sociedade civil

nAturez A Aturez A dA instituição

TIPO DE APOIO

Pública, federal

Financeiro, não financeiro, assistência técnica e vagas em projetos

DADOS DA INSTITUIÇÃO bndes

ÁREAS DE ATUAÇÃO

www.bndes.gov.br

assistência e desenvolvimento social, direitos humanos e justiça social, educação, emprego e geração de

imprensa@bndes.gov.br

renda, esporte e lazer, inclusão digital, meio ambiente, saúde, desenvolvimento rural e serviços urbanos

21 2172-7294/6678/7191/8415/8075 av. república do Chile, 100 – Protocolo – térreo – Área de Planejamento – departamento de Prioridades – CeP 20031-917 – rio de Janeiro - rJ – brasil

PROJETO DESENvOLv OL IDO OLv

FORMA E PERíODO PARA APRESENTAÇÃO DE PROPOSTA edital e apresentação de proposta, que pode ser enviada a qualquer momento para o departamento de prioridades do bndes.

REQUISITOS PARA INSCRIÇÃO

Fundo soCial bndes Constituído com parte dos lucros anuais do bndes, apoia projetos de caráter social nas áreas de geração de emprego e renda, serviços urbanos, saúde, educação e desportos, justiça, meio ambiente, desenvolvimento rural e outras vinculadas ao desenvolvimento regional e social. são três as modalidades de operação: seleção pública – ocorre nos segmentos sociais estratégicos das áreas citadas. os objetivos são contribuir para a solução de um problema de amplitude previamente delimitada, atingindo um grau significativo de benefício sobre determinada área geográfica ou tema prioritário e causar efeito demonstrativo e de difusão de boas

serão passíveis de apoio os investimentos de caráter social nas áreas elencadas, que atendam a um ou mais objetivos relacionados acima e que sejam sustentáveis, ou seja, que tenham capacidade de manutenção do projeto ou atividades apoiados, mesmo após a fase de liberação dos recursos pelo bndes, considerando os aspectos financeiros, sociais, ambientais, institucionais e de governança pertinentes. os requisitos específicos encontram-se disponíveis no site do bndes, no qual também se encontra o formulário para apresentação de propostas.

práticas capazes de serem aplicadas em diversas localidades. Premiação – processo de reconhecimento e

AbrAngênciA

difusão de práticas exemplares já executadas, em temas estabelecidos pelo bndes, mediante a outorga

todo o estado

de prêmio em valor pecuniário. a premiação é realizada a partir de edital específico para esta finalidade e os objetivos são reconhecer as melhores práticas e a acumulação de conhecimento sobre os diferentes temas. apoio Continuado – apoio permanente a projetos com foco na inclusão social, de acordo com regras e

PROJETO FUTURO IDEAL

condições operacionais. os objetivos são apoiar projetos de geração de emprego e renda para entidades que

nA nAturez A dA instituição

não possuam capacidade de endividamento, mediante interveniência de parceiros estratégicos; apoiar, de

Privada, nacional

forma complementar, as fontes de projeto reembolsável, nos casos previstos em programas ou formalizados pelo BNDES por meio de instrumentos de cooperação; e amparar, de forma complementar, investimentos não reembolsáveis de geração de emprego e renda, do governo federal ou estadual, ou de instituição de direito privado sem fins lucrativos, desde que vinculada a uma iniciativa do Poder Público. Pode ainda ser utilizado para apoio a investimentos nos seguintes segmentos: predominantemente ambiental; de caráter social nas áreas de saúde, educação e justiça, cujos benefícios favoreçam, no mínimo, cinco estados ou

DADOS DA INSTITUIÇÃO instituto Camargo Corrêa www.institutocamargocorrea.org.br 11 3848-8561 rua Funchal, 1600 – vila olímpia – CeP 04551-903 – são Paulo - sP – brasil

duas regiões geográficas e sejam direcionados, prioritariamente, às populações de baixa renda, ou seja, no mínimo 50% da capacidade do projeto seja para atendimento gratuito da população; e investimentos que se situem no entorno dos grandes projetos financiados pelo bndes.

140

141 4. fontes de reC ursos

prefeituraS e Sociedade civil


CONCURSO ExPERIêêNCIAS EM INOvAÇÃO vAÇÃO SOCIAL vAÇÃO

PROJETO DESENvOLv OL IDO OLv Futuro ideal oferece oportunidade de inserção do público jovem no mercado de trabalho. Por meio da articulação estratégica entre organizações governamentais, da sociedade civil, das unidades de negócio do Grupo

nA nAturez A dA instituição Pública, internacional, agência intergovernamental

Camargo Corrêa e da comunidade nas quais estão inseridas, o instituto investe na capacitação profis-

DADOS DA INSTITUIÇÃO

sional, na geração de renda e estimula a atuação de jovens com idades entre 16 e 24 anos. os projetos

Comissão econômica das nações unidas para a américa latina e o Caribe (Cepal)

conduzidos pelo Futuro ideal estão alinhados com a vocação econômica do local e com a área de negócios

www.cepal.org/dds/Innovacionsocial/e/concurso.htm

das empresas parceiras. a iniciativa aproveita a competência técnica dos funcionários e utiliza a rede de

innovacion.social@cepal.org

relacionamento para o aproveitamento dos negócios gerados e dos jovens qualificados.

56 2 210 2263 av. dag Hammarskjöld, 3477– vitacura – santiago de Chile – Chile

A QUEM SE DESTINA

PROJETO DESENvOLv OL IDO OLv

Prefeituras e organizações da sociedade civil

CONCURSO ExPERIÊNCIAS EM INOvAçãO SOCIAL

TIPOS DE APOIO

a iniciativa tem o apoio da Fundação W.K. Kellogg que identifica, avalia e reconhece as experiências

Financeiro, não financeiro e assistência técnica

sociais mais inovadoras na américa latina e no Caribe.

ÁREAS DE ATUAÇÃO

O concurso premia experiências em oito categorias: saúde, educação, nutrição/segurança alimentar, progra-

emprego e geração de renda

mas de juventude, geração de renda, responsabilidade social empresarial, voluntariado e desenvolvimento

FORMA E PERíODO PARA APRESENTAÇÃO DE PROPOSTA O Instituto Camargo Corrêa procura as ONGs e/ou prefeituras

REQUISITOS PARA INSCRIÇÃO

rural/agrícola. Atualmente, o prêmio para o primeiro colocado é de US$ 30 mil, para o segundo é de US$ 20 mil, o terceiro recebe US$ 15 mil, e o quarto e quinto recebem US$ 10 mil e US$ 5 mil, respectivamente. os demais finalistas recebem menções honrosas e seus trabalhos são disseminados na região.

A QUEM SE DESTINA

não divulgados

Prefeituras e organizações da sociedade civil

AbrAngênciA Cidades que possuam unidades de negócios do Grupo Camargo Corrêa. atualmente, o programa Futuro ideal encontra-se em execução apenas na cidade de são Paulo.

TIPO DE APOIO Financeiro

Observação: o município deve entrar com contrapartida que pode ser estrutural ou financeira, dependendo

ÁREAS DE ATUAÇÃO

da necessidade do projeto.

assistência e desenvolvimento social, cidadania, cultura, direitos humanos e justiça social, educação, emprego e geração de renda, esporte e lazer, inclusão digital, meio ambiente e saúde

FORMA E PERíODO PARA APRESENTAÇÃO DE PROPOSTAS edital. Preencher os formulários digitais disponibilizados no site do concurso anualmente.

REQUISITOS PARA INSCRIÇÃO a experiência deve ser sustentável e reaplicável em outros lugares.

142

143 4. fontes de reC ursos

prefeituraS e Sociedade civil


AbrAngênciA

municípios. no trabalho em rede, as ações convergem e os recursos podem ser gerenciados adequadamente.

todo o estado

essas redes funcionam como ferramentas facilitadoras, que interligam dados e proporcionam rapidez e

observações: inovações sociais são novas práticas, métodos ou sistemas para lidar com processos tradicio-

eficiência ao fluxo de atendimento ao menor. o financiamento é feito por meio dos Fundos Municipais

nais ou novas ações que acontecem com a participação da comunidade e dos beneficiários. estes transformam-

dos direitos da Criança e do adolescente. a Fundação telefônica já apoiou 17 cidades no processo de

se em atores de seu próprio desenvolvimento, fortalecendo assim o sentimento de cidadania.

construção dessas redes e, em 2008, lançou o redeca, um sistema eletrônico que permite integrar as informações sobre o atendimento à crianças e adolescentes no município.

progrAMA pró-Menino ró-Menino

Jovens em Conflito com a lei - apoia organizações de atendimento ao adolescente infrator que cumpre

nA nAturez A dA instituição

princípios do estatuto da Criança e do adolescente.

Privada, nacional, fundação

Por meio de parcerias firmadas com os Conselhos Municipais de direitos da Criança e do adolescente, a

DADOS DA INSTITUIÇÃO

Fundação telefônica apoia técnica e financeiramente projetos em 14 cidades brasileiras. Mais de 2 mil

medida socioeducativa em meio aberto. as estratégias adotadas estão totalmente alinhadas com os

adolescentes e suas famílias são beneficiados por esta iniciativa.

Fundação telefónica www.fundacaotelefonica.org.br

A QUEM SE DESTINA

maria.rehder@bm.com

Prefeituras e organizações da sociedade civil

11 3094-2240 / 3035-1971 rua Joaquim Floriano, 1.052 – 9o andar – CeP 04534-004 – são Paulo - sP– brasil

PROJETOS DESENvOLv OL IDOS OLv

TIPO DE APOIO Financeiro, não financeiro e assistência técnica

ÁREAS DE ATUAÇÃO A

ProGraMa Pró-Menino É pautado por três amplas estratégias voltadas à intervenção social:

assistência e desenvolvimento social, direitos humanos e justiça social, educação e inclusão digital

1. Proteção integral: tirar imediatamente o indivíduo da situação adversa.

FORMA E PERíODO PARA APRESENTAÇÃO DE PROPOSTA

2. Fortalecimento socioinstitucional: disseminar práticas de gestão e pedagogia para que as instituições

apresentação de proposta a qualquer momento

consigam se estabelecer e desenvolver parcerias. 3. Qualidade educativa: levar informatização e tecnologia para dentro da sala de aula é a principal aposta do programa.

REQUISITOS PARA INSCRIÇÃO aprovação do projeto no Conselho Municipal de direitos da Criança e do adolescente.

Portal Pró-Menino – É uma referência por explicar de forma didática conteúdos aprofundados e qualificados

AbrAngênciA

àqueles que atuam na promoção e na defesa dos direitos. o combate ao trabalho infantil, as medidas

atualmente, 13 países da america latina

socioeducativas e o trabalho em rede são seus temas prioritários . o concurso Causos do eCa é uma iniciativa cultural do portal que divulga e premia, anualmente, experiências de cidadania vividas por meio da efetivação das diretrizes previstas no estatuto da Criança e do adolescente (eCa). Completa cinco anos em 2009 e já soma quase duas mil histórias de pessoas comuns que tiveram suas vidas afetadas a partir do estatuto. redes de atenção à Criança e ao adolescente – linha de ação do Programa Pró-Menino que financia projetos de criação de redes sociais e eletrônicas entre as entidades de assistência a crianças e adolescentes nos

144

145 4. fontes de reC ursos

prefeituraS e Sociedade civil


projeto jovens Aprendizes

no Conselho Municipal dos direitos da Criança e do adolescente e no Cadastro nacional de instituições do Ministério do trabalho e emprego.

nA nAturez A dA instituição

AbrAngênciA

Privada, nacional

atualmente, o projeto está sendo desenvolvido em 17 cidades espalhadas por dez estados das regiões

DADOS DA INSTITUIÇÃO

nordeste, Centro-oeste, sudeste e sul. em 2008, o Projeto Jovens aprendizes propiciou a formação de

instituto unibanco

quase 3 mil jovens para o mercado de trabalho.

www.institutounibanco.org.br

observações: o instituto unibanco também apoia projetos de organizações da sociedade civil e das

instituto.unibanco@institutounibanco.org.br

secretarias estaduais de educação. esses projetos podem ser enviados a qualquer momento do ano, por

11 2134-5304 av. Paulista, 1337 – 1o andar – CeP 01311-200 – são Paulo - sP – brasil

PROJETOS DESENvOLv OL IDOS OLv

correio, para a r. uruguaiana, 94 - 9o andar – Centro– CeP 20050-091– rio de Janeiro - rJ, aos cuidados de Marília bicalho ou por e-mail, para instituto.unibanco@institutounibanco.org.br os projetos precisam atender aos seguintes critérios:

Jovens aPrendizes Promove a formação profissional de jovens estudantes do ensino médio, com idade entre 16 e 24 anos, e sua inserção no mercado formal de trabalho, na condição de aprendizes, por meio da parceria com diversas entidades sem fins lucrativos que recebem apoio financeiro e técnico do instituto unibanco. as entidades parceiras realizam a capacitação profissional dos jovens em cursos com duração de 18 meses, voltados às necessidades do mercado de trabalho de cada região do País.

Foco: educação áreas de Atuação: Defasagem escolar, educação complementar, qualificação e/ou capacitação profissional e educação ambiental Público- alvo: Jovens de baixa renda e professores da rede pública Observação: vale destacar que o instituto unibanco não se limita a patrocinar ou financiar projetos, mas atua efetivamente como parceiro das organizações, desde a identificação de intervenções sociais

A QUEM SE DESTINA

necessárias à monitoria das ações e impacto dos resultados.

Prefeituras, organizações da sociedade civil e empresas

a avaliação de projetos é feita durante o ano todo. o site do instituto unibanco possui um formulário para elaboração e apresentação dos projetos, bem como

TIPOS DE APOIO

uma lista das instituições e projetos apoiados.

Financeiro, não financeiro e assistência técnica

Jovens – o processo seletivo para participar do Projeto Jovens aprendizes é realizado diretamente pelas

ÁREAS DE ATUAÇÃO A

entidades selecionadas. os cursos de formação profissional oferecidos pelo projeto são gratuitos e o

educação e emprego e geração de renda

número de vagas está sujeito à disponibilidade de cada entidade participante.

FORMA E PERíODO PARA APRESENTAÇÃO DE PROPOSTAS as entidades interessadas em parcerias com o instituto unibanco no Projeto Jovens aprendizes devem acompanhar no site as datas de abertura dos próximos processos seletivos.

empresas – o Projeto Jovens aprendizes humaniza a empresa e seus colaboradores percebem a importância da contribuição de cada um na formação dos jovens e de um futuro melhor para todos. se você deseja contratar jovens cientistas, entre em contato pelo e-mail institutounibanco@institutounibanco.org.br.

REQUISITOS PARA INSCRIÇÃO Podem participar do processo seletivo jovens de ambos os sexos, com idades entre 16 e 24 anos, que estejam cursando o ensino médio na rede pública, preferencialmente a partir da segunda série. entidades – só serão aceitas inscrições de entidades idôneas e sem fins lucrativos, certificadas pela serasa e cujas propostas de assistência ao jovem e à educação profissional estejam regularmente registradas

146

147 4. fontes de reC ursos

prefeituraS e Sociedade civil


Projeto Formare

outros

outros Tipos de apoio Não financeiro e vagas em projetos

Natureza da Instituição

Áreas de atuação

Privada, nacional, fundação

Educação e emprego e geração de renda

Dados da Instituição Fundação Iochpe

Forma e período para apresentação de proposta

www.fiochpe.org.br/ www.formare.org.br

Inscrição. Ficar atento ao site da Fundação

fundacao.iochpe@fiochpe.org.br, formare@formare.org.br 11 3103-8088 Alameda Tietê, 618 - Casa 1 – Cerqueira César – CEP 01417-020 – São Paulo - SP – Brasil

Requisitos para inscrição Para se candidatar a uma vaga em uma das Escolas Formare, o jovem deve ter idade entre 15 e 17 anos, cursar o ensino médio, comprovar renda per capita familiar igual ou inferior a meio salário mínimo e não

PROJETOS DESENVOLVIDOS

pode ser filho de funcionário da empresa onde o curso será ministrado. Cada Escola Formare inicia suas

Projeto Formare

aulas em período diferente, assim o processo de seleção da nova turma varia de unidade para unidade.

O Formare é um projeto social desenvolvido pela Fundação Iochpe em parceria com empresas de grande e médio porte, que oferece cursos em período integral dentro do ambiente profissional, com duração aproximada de um ano, para preparar jovens de famílias de baixa renda, com idade entre 15 e 17 anos, para o mercado de trabalho. Oferece condições únicas para o desenvolvimento das habilidades dos alunos em diferentes níveis, combinando formação geral e específica, com aulas teóricas, aulas práticas e vivência profissional de acordo com as especificidades de cada escola. Os cursos não formam especialistas, mas desenvolvem habilidades e conhecimentos básicos para que o aluno possa trabalhar tanto em sua área de formação como em áreas afins. A orientação pedagógica baseia-se nas recomendações do MEC e desenvolve as competências e habilidades com a associação de teoria e prática. A proposta do Formare propõe condições para que os alunos

Abrangência As cidades em que o Formare possui escolas são: Americana, Amparo, Araras, Arujá, Barueri, Campinas, Cotia, Cruzeiro, Diadema, Embú, Espírito Santo do Pinhal, Guarujá, Guarulhos, Hortolândia, Indaiatuba, Itatiba, Jambeiro, Jundiaí, Limeira, Louveira, Mauá, Mogi-Guaçu, Osasco, Piracicaba, Promissão, Santos, São Bernardo do Campo, São José dos Campos, São Paulo, Sorocaba, Suzano, Taubaté e Várzea Paulista. A lista com o endereço das escolas e períodos para inscrição pode ser encontrada no link: www.formare.org.br/site/index.php?option=com_content&task=view&id=303&Itemid=27 Observação: Ao concluir o curso, o jovem recebe um certificado emitido pela Universidade Tecnológica do Paraná (UTFPR) reconhecido pelo Ministério da Educação (MEC).

Solução de problemas – raciocínio lógico; capacidade de analisar situações, relacionar informações e

Programa Nacional de Integração da Educação Profissional com a Educação Básica na Modalidade de Educação de Jovens e Adultos (Proeja)

resolver problemas;

NATUREZA DA INSTITUIÇÃO

Visão de futuro – criatividade, capacidade de planejar, prever possibilidades e alternativas, acreditar que

Pública, federal

desenvolvam as seguintes habilidades: Comunicabilidade – capacidade de expressão oral e escrita; Trabalho em equipe – capacidade de levar seu grupo a atingir os objetivos propostos;

é capaz de aprender e de realizar; Cidadania – capacidade de defender direitos individuais e coletivos; analisar e julgar com ética e justiça.

DADOS DA INSTITUIÇÃO Ministério da Educação/Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica

A quem se destina

http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_content&view=article&id=12288&Itemid=86

Diretamente para beneficiários

proeja@mec.gov.br 61 2104-8550 Esplanada dos Ministérios – Bloco L – CEP 70200-670 – Brasília - DF – Brasil 148

149 4. fontes de rec ursos


PROJETO DESENvOLv OL IDO OLv

se responsabilizará pela oferta de vagas, inscrição, matrícula e organização de turmas. as vagas devem

ProGraMa naCional de inteGração da eduCação ProFissional CoM a eduCação bÁsiCa na

ser ofertadas na forma de edital público. o município se responsabilizará pelo transporte de alunos e

Modalidade de eduCação de Jovens e adultos (ProeJa)

dos professores.

tem seus alicerces na convergência de três campos da educação que consideram: a formação para atuação no mundo do trabalho (EPT); o modo próprio de fazer a educação, considerando as especificidades dos jovens e adultos (EJA); e a formação para o exercício da cidadania (Educação Básica). Na busca da

AbrAngênciA brasil

integração proposta pelo Proeja entre o ensino fundamental e a formação inicial para o trabalho, é necessário o conhecimento das especificidades desses campos, incorporando-o na construção do currículo integrado. o programa tem como princípio educativo o trabalho, a partir da formação profissional com escolarização para jovens e adultos. os cursos oferecidos são: Educação profissional técnica com ensino médio – destinado a quem já concluiu o ensino fundamental e ainda não possui o ensino médio e pretende adquirir o título de técnico. Formação inicial e continuada com o ensino médio – destinado

PROgRAMA ESTADUAL DE QUALIFICAÇÃO UALIFICAÇÃO PROFISSIONAL (PEQ) nAturez A Aturez A dA instituição Pública, estadual

a quem já concluiu o ensino fundamental e ainda não possui o ensino médio e pretende adquirir formação

DADOS DA INSTITUIÇÃO

profissional mais rapidamente. Formação inicial e continuada com ensino fundamental (5 a 8 ou

secretaria do emprego e relações do trabalho

6 a 9 série) – para aqueles que já concluíram a primeira fase do ensino fundamental. dependendo da

http://www.emprego.sp.gov.br/programas/qualificacao.html

necessidade regional de profissionais, são admitidos também cursos de formação inicial e continuada

0800-7707133

com o ensino médio.

rua boa vista, 170 – Centro – CeP 01014-000 – são Paulo - sP – brasil

A QUEM SE DESTINA

PROJETOS DESENvOLv OL IDOS OLv

instituições públicas dos sistemas de ensino federal, estaduais e municipais. entidades privadas nacionais

ProGraMa estadual de QualiFiCação ProFissional (PeQ)

de serviço social, aprendizagem e formação profissional vinculadas ao sistema sindical.

oferece cursos gratuitos de qualificação profissional em todo o estado, com o objetivo de preparar e ca-

TIPOS DE APOIO

pacitar o trabalhador para as novas exigências do mercado de trabalho e exercício da cidadania. os cursos

a

a

a

a

foram definidos a partir de estudo realizado pelo governo do estado de são Paulo, em 2007, que mapeou

Financeiro, não financeiro e assistência técnica

a demanda da mão de obra por capacitação profissional em todo o território paulista.

ÁREAS DE ATUAÇÃO

a carga horária varia entre 140 e 220 horas e a grade curricular tem matérias de habilidades específicas

Cidadania e educação

(aulas teóricas e práticas sobre a profissão) e habilidades gerais, com matérias que reforçam o aprendizado

FORMA E PERíODO PARA APRESENTAÇÃO DE PROPOSTA

do ensino básico. as áreas de conhecimento vão desde confeitaria, montagem de microcomputadores, até

edital. acompanhar o site.

soldagem industrial. o público-alvo são trabalhadores desempregados ou em vias de perder o emprego, pequenos e microprodutores e trabalhadores autônomos.

REQUISITOS PARA INSCRIÇÃO

A QUEM SE DESTINA

disponíveis nos editais lançados pelo MeC.

População com idades de 20 a 59 anos

contrApArtidA do Município/osc sim. os cursos devem ser gratuitos e o acesso atenderá aos critérios do programa. a instituição proponente

TIPOS DE APOIO nãofinanceiro, vagas em projeto

150

151 4. fontes de reC ursos

outroS


ÁREAS DE ATUAÇÃO A

TIPO DE APOIO

Cidadania, qualificação profissional

Financeiro

FORMA E PERíODO PARA APRESENTAÇÃO DE PROPOSTA

ÁREAS DE ATUAÇÃO

os interessados nos cursos devem se cadastrar no site emprega são Paulo (www.empregasaopaulo.sp.gov.br)

agricultura, cultura, educação, meio ambiente, saúde, indústria, tecnologia da informação e comunicação,

ou procurar um Posto de atendimento ao trabalhador (Pat) mais próximo de sua residência. endereços dos

e biotecnologia

PATs podem ser encontrados em: http://www.emprego.sp.gov.br/programas/qualificacao.html

REQUISITOS PARA INSCRIÇÃO

FORMA E PERíODO PARA APRESENTAÇÃO DE PROPOSTAS edital lançado anualmente e divulgado no site www.universia.com.br/premiosantander/

População entre 20 e 59 anos com níveis variados de escolaridade. Cada curso exige um nível de escolaridade diferente, desde a alfabetização.

REQUISITOS PARA INSCRIÇÃO Os participantes graduandos e/ou pós-graduandos devem estar matriculados em uma IES brasileira devi-

AbrAngênciA

damente credenciada pelo Ministério da educação (MeC) e que seja parceira do Conglomerado santander

estado de são Paulo

Brasil, por meio da área Santander Universidades e/ou do Universia. O regulamento completo está disponível

Observação: entre 2008 e 2010, o Programa atenderá 180 mil pessoas, aumentando as chances de muitos

em www.universia.com.br/premiosantander.

AbrAngênciA

ingressarem no mercado de trabalho.

Cidades onde existem campi das universidades participantes do programa

PROgRAMA PRêêMIO SANTANDER DE EMPREENDEDORISMO nA nAturez A dA instituição Privada, nacional

DADOS DA INSTITUIÇÃO banco santander www.santanderuniversidades.com.br/site/ies/programamobilidadenacional.jsp www.universia.com.br/premiosantander/ 0800-702-3535 rua amador bueno, 474 – santo amaro – CeP 04752-005 – são Paulo - sP – brasapoia e reconhece a criação e o desenvolvimento de projetos de estudantes com perfil e postura empreendedores. É destinado a graduandos e pós-graduandos matriculados em instituições de ensino superior (ies), parceiras do Conglomerado Santander Brasil e/ou do Universia que desenvolverem o melhor plano de negócios. O prêmio é de R$ 50 mil para o vencedor de cada uma das quatro categorias: indústria, tecnologia da informação, da comunicação e da educação, biotecnologia e cultura e educação.

A QUEM SE DESTINA diretamente para os pesquisadores

152

153 4. fontes de reC ursos

outroS


Para o jovem

Prefeituras

Programa Conexão Direta com o Futuro, 93

Chamada Pública – Tecnologias para o Desenvolvimento Social, 121

Programa Escola da Família/Bolsa-Universidade, 78

Programa Ação Jovem, 119

Programa de Estágios da Fundap, 77

Projeto Virada Cultural, 120

Programa Estudar, 90 Programa Faz Tudo, Programa Capacitação para a Empregabilidade e Programa Espaço Beleza, 95

Prefeitura e Sociedade Civil

Programa Formação Inicial e Continuada e Programa Educação Profissional Técnica de Nível Médio, 87

Apoio Financeiro a Projetos, 134

Programa Jovem Cidadão / Meu Primeiro Trabalho, 79

Concurso Experiências em Inovação Social, 143

Programa Mobilidade Nacional, 94

Fundação Interamericana (Inter-American Foundation – IAF), 137

Programa Oficinas de Cultura, 81

Fundo Social BNDES, 140

Programa Universidade para Todos (Prouni), 75

Prêmio Fundação Banco do Brasil de Tecnologia Social, 131

Programa Vá ao Cinema, 83

Programa Apoio Financeiro a Projetos, 133

Projeto Crescer, 85

Programa de Apoio aos CMDCAs, 128

Projeto Futuro em Nossas Mãos, 91

Programa de Assistência para Projetos Comunitários e de Segurança do Ser Humano, 130

Projeto Guri, 80

Programa Livro Aberto (Mais Cultura), 126

Projeto Iam – Iniciativa Jovem Anhembi Morumbi, 84

Programa Pró-Menino, 144

Pronaf Jovem, 74

Programa Segundo Tempo, 123 Programas de Cooperação da Comissão Europeia, 132

Sociedade Civil

Projeto Esporte Social, 127

Apoio a Projetos (Instituto C&A), 111

Projeto Futuro Ideal, 141

Apoio a Projetos (United Way Brasil), 115

Projeto Jovens Aprendizes, 146

Bolsa de Valores Sociais e Ambientais (BVS&A), 110

Projeto Juventude e Trabalho, 136

Criando Valores, 114

Projovem, 124

Fundo Canadá de Apoio a Iniciativas Locais, 98

Outros

Fundo Comgás de Patrocínio Sociocultural, 100 Fundo Itaú de Excelência Social, 108

Programa Nacional de Integração da Educação Profissional com a Educação Básica na Modalidade de

Investimento Social, 102

Educação de Jovens e Adultos (Proeja), 149

Mais Cultura – Microprojetos, 116

Programa Prêmio Santander de Empreendedorismo, 152

Mercado Jovem, 112

Projeto Formare, 148

Programa Cultura Viva, 117

Programa Estadual de Qualificação Profissional (PEQ), 151

Programa Desenvolvimento & Cidadania Petrobras, 99 Programa Novos Brasis, 105 Projetos Sociais, 107 Seleção Anual de Projetos, 106 Seleção de Projetos do Instituto Wal-Mart, 103

154

155 4. fontes de rec ursos

índice remissivo

índice remissivo


156

157 4. fontes de reC ursos

II Ciclo de Encontros de Juventude  

Material do II Ciclo de Encontros de Juventude destinado aos gestores

Advertisement