Page 1

06

10 a 25 de maio de 2012

Cirurgia gratuita para orelha de abano “Projeto Orelhinha” visa acabar com os constrangimentos causados pela deformidade

Letícia Araújo

Orelha de abano é uma deformidade das orelhas que se projetam para fora da cabeça. Para as pessoas que sofrem com esse problema mais perceptível em crianças, o Projeto Orelhinha é uma opção. De acordo com o cirurgião plástico Marcelo Souza de Assis, o projeto consiste em atender crianças de 7 a 14 anos e adultos, a fim de proporcionar cirurgias gratuitas, evitando o constrangimento. Para a realização da cirurgia, primeiramente é necessário que o paciente faça a inscrição. Após esse procedimento uma consulta

será agendada para que o médico avalie o estado emocional e psicológico do paciente, dando sequência a uma triagem antes da operação. “No caso de crianças, a entrevista é feita para que eu veja se realmente ela deseja fazer a cirurgia, justamente porque os pais que idealizam que a criança deve operar e esse problema às vezes nem afeta a vida da criança. E se o paciente diz que não, eu

não faço a cirurgia”, disse o doutor. Conforme o médico, essa operação pode ser feita depois de cinco anos de idade, quando a cartilagem já esta bem formada. De acordo com o médico, a cirurgia de correção da orelha é relativa mente simples e pode

ser feita a nível ambulatorial, tendo retorno das atividades normais dentro de cinco dias. Flávia Paschoal, professora de educação infantil, conseguiu realizar a cirurgia sua e da filha através desse projeto. Porém, o custo era elevado para a sua situação financeira, e sendo assim, procurou a clínica que realiza este projeto para que a filha retirasse a orelha de abano e no meio da entrevista com o médico

perguntou se também poderia fazer, o médico fez a triagem e a professora fez a operação, “hoje minha vida é bem diferente, ando de cabelos soltos e não sinto vergonha”. O médico ressalta que embora seja uma cirurgia simples o ganho físico e psicológico é muito grande, pois a criança e o adulto, recuperam sua auto estima, tornando-se pessoas confiantes e sem traumas. Serviço: (19) 3201.3781 / 3201.3782 End: Av. Engenheiro Carlos Stevenson, 385 – Nova Campinas – Campinas SP

Projeto propõe sistema de som em ônibus para deficientes visuais O sistema atuará em cidades com mais de 100 mil habitantes

Laísa Borges Diório

Na realidade, só as pessoas que têm algum tipo de deficiência sabem, de verdade, como os serviços públicos são precários para atendê-las, principalmente no Brasil, que diferentemente de outros países, não têm um bom desenvolvimento humano e tecnológico. Nos Estados Unidos, por exemplo, além das estações de trens e metrôs, alguns ônibus já possuem também um sistema de som que indica a todo momento o itinerário das linhas, ajudando assim, deficientes visuais e consequentemente turistas. Esse mesmo sistema informativo está ainda em andamento no Brasil. Por enquanto é uma proposta legislativa e sugestão ao poder Executivo, que

pode ou não ser acolhida, mas faz parte de um dos projetos enviado ao Ministério das Cidades no começo do mês de abril pelo deputado federal Roberto Lucena do PV(SP) . Ele disse que se preocupa com a situação dos deficientes visuais que utilizam os transportes públicos e que, por conta de suas limitações físicas, não são orientados adequadamente quanto aos pontos, paradas e terminais. A Indicação nº 2706/2012 propõe este sistema nos ônibus de cidades com mais de 100 mil habitantes. “Os deficientes visuais, até agora, dependem de terceiros para obter identificações e realizar suas ativi-

dades, ,cotidianas. “Eles precisam sempre de auxílio para andar nas ruas, distinguir os itinerários dos ônibus

e alguns obstáculos, além de ficarem expostos a condições de risco.”, afirma o deputado. Segundo ele, ônibus urbanos que transitam nas cidades brasileiras, não apresentam sistemas que ajudem os passageiros a identificar os locais de destino ao longo do percurso,

diferentemente do que ocorre nas estações metroviárias do país. Esse novo projeto, se instalado nos ônibus, a princípio, identificará os principais bairros das cidades e seus pontos de referência como pontes, prédios importantes, colégios e faculdades, postos de combustíveis, hipermercados, entre outros. Sendo assim, os passageiros passariam a se habituar ao trajeto de acordo com a citação desses pontos de orientação, facilitando, também, a população em geral. Um dos grandes radialistas da cidade de Campinas, Romeu França Salgado, que atuou na área há mais de 18 anos é defi-

ciente visual e acredita no projeto. “A ideia é excelente. Se de fato vingar, além de ajudar deficientes visuais e turistas como proposto, ajudará também pessoas com outras dificuldades visuais e idosos.”, disse o radialista. De acordo com o projeto, esse sistema busca uma boa qualidade de áudio, justamente para que os passageiros consigam ouvir claramente quais serão as próximas paradas, dando sequência ao trajeto ou não. E de acordo com os planos do deputado, este benefício não elevará o valor das passagens, o que ocasionaria uma grande preocupação da população das grandes cidades, principalmente a capital e metrópoles.

Pág 06  

não faço a cirurgia”, disse o doutor. Conforme o médico, essa operação pode ser feita depois de cinco anos de idade, quando a cartilagem já...

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you